Santas e Santos de 06 de maio

1.   Co­me­mo­ração de São Lúcio de Cirene, que, se­gundo os Actos dos Após­tolos, era um dos pro­fetas e dou­tores da Igreja em Antioquia.

– Ver “Lúcio de Cirene foi um dos fundadores da Igreja Cristã em Antioquia (na atual Síria), de acordo com o livro bíblico dos Atos dos Apóstolos, mencionado por nome como um membro da igreja na cidade após a morte do rei Herodes Agripa«E na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé e Simeão chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes o tetrarca, e Saulo» (Atos 13:1).”: https://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%BAcio_de_Cirene

2.   Em Lam­besa, na Nu­mídia, na ho­di­erna Ar­gélia, os santos Ma­riano, leitor, e Tiago, diá­cono: o pri­meiro, que tinha já su­pe­rado di­versas pro­va­ções du­rante a per­se­guição de Décio pela sua pro­fissão de fé em Cristo, foi no­va­mente de­tido com o que­rido com­pa­nheiro, e ambos, de­pois de cruéis su­plí­cios, for­ta­le­cidos pela graça di­vina, jun­ta­mente com muitos ou­tros, foram mortos ao fio da espada. († c. 259)

3.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Ve­nério, bispo, que foi dis­cí­pulo e diá­cono de Santo Am­brósio, en­viou clé­rigos para au­xi­liar os bispos da África e so­correu São João Cri­sós­tomo no seu exílio. († 409).

– Em 04 de maio: no séc. IV, São Venério, bispo de Milão, que serviu a igreja universal ajudando diversos bispos de seu tempo através de seus escritos e de sua dedicação pastoral (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

– Ver “Venério (em latimVenerius) foi arcebispo de Mediolano (moderna Milão) de 400 (ou 401) até 408. Ele é venerado como santo pela Igreja Católica e festejado no dia 4 de maio.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ven%C3%A9rio_de_Mil%C3%A3o

4.   Em Roma, Santa Be­ne­dita (Santa Benta, na Folhinha do Coração de Jesus ) virgem, que foi monja e, se­gundo o tes­te­munho do papa São Gre­gório Magno, como ela pró­pria de­se­java, des­cansou em Deus trinta dias de­pois da sua amiga pre­di­lecta Santa Gala. († s. VI)

5.   Em Lin­dis­farne, na Nor­túm­bria, na ac­tual In­gla­terra, Santo Ed­berto (Santo Idiberto, na Folhinha do Coração de Jesus) bispo, que su­cedeu a São Cut­berto e res­plan­deceu pelo seu co­nhe­ci­mento das Sa­gradas Es­cri­turas, pela ob­ser­vância dos man­da­mentos ce­lestes e es­pe­ci­al­mente pela ge­ne­ro­si­dade nas esmolas. († 698).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Inglaterra, no ano da graça de 698, Santo Edberto, monge beneditino. Sucedeu a São Cutberto na Sé episcopal de Lindisfarne. Ficou muito popular por seu conhecimento das Escrituras e por sua caridade pelos pobres. Seu sucessor, Santo Edfredo, é o autor do célebre Evangeliário de Lindisfarne. (M)

6. Em Bar­ce­lona, na Es­panha, SÃO PEDRO NOLASCO, pres­bí­tero, que, jun­ta­mente com São Rai­mundo de Pe­nha­forte e Jaime I, rei de Aragão, é con­si­de­rado fun­dador da Ordem de Nossa Se­nhora das Mercês para a Re­denção dos Ca­tivos; no tempo do do­mínio dos in­fiéis, de­sen­volveu di­li­gen­te­mente uma grande ac­ti­vi­dade para es­ta­be­lecer a paz e li­bertar os cris­tãos do jugo da escravidão. († 1245).

OBSERVAÇÕES:

A. VER: Na FOLHINHA DO CORAÇÃO DE JESUS, dia 28 de janeiro; no MARTIROLÓGIO ITALIANO, dia 06 de maio. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, dia 31 de janeiro. Em Barcelona, Espanha, em 1256, São Pedro Nolasco. Natural da diocese de Carcassonne, fundou, com São Raimundo de Peñafort a Ordem de Nossa Senhora das Mercês, para o resgate de prisioneiros cristãos. Seus religiosos colocavam-se eles próprios como prisioneiros em lugar dos irmãos (M).

B. Ver São Pedro de Nolasco, fundador da Ordem da Graça para a Redenção dos cativos (31 de janeiro) páginas 297-302: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

C. Ver “… ‘’Nolasco’’, disse a Mãe de Jesus, ‘’É vontade de meu filho e vontade minha que fundes uma Ordem religiosa para remir os cativos. Eis que nós estaremos sempre contigo.’’…”: http://mercedarios.com.br/sao-pedro-nolasco

D. Ver também “Pedro Nolasco foi um santo católico nascido na França e que desenvolveu seu trabalho missionário religioso na Espanha… Em 1218 fundou a Ordem de Nossa Senhora das Mercês. Pedro Nolasco é santo, como reconheceu a Igreja Católica (São Pedro Nolasco), e conhecido como redentor dos cativos.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_Nolasco

E. Ver ainda “Foi canonizado pelo Papa Urbano VIII, em 1628. Embora seja comumente homenageado no dia 13 de maio, festa de Nossa Senhora das Mercês, e no dia 28 de janeiro pelos padres mercedários, o calendário litúrgico romano lhe decida especialmente o dia 31 de janeiro para a sua veneração.”: http://arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/sao-pedro-nolasco

F. VerSERMÃO DE SÃO PEDRO NOLASCO “Sermão de S. Pedro Nolasco pregado no dia do mesmo santo, no qual se dedicou a Igreja de Nossa Senhora das Mercês, em São Luís do Maranhão, de Padre Antônio Vieira”: https://www.literaturabrasileira.ufsc.br/documentos/?action=download&id=129999

F1. ver CONVENTO DAS MERCÊS: https://pt.wikipedia.org/wiki/Convento_das_Merc%C3%AAs_(S%C3%A3o_Lu%C3%ADs)

G. Ver ainda “Sua festividade é comemorada em 31 de janeiro*. * Em 28 de janeiro já mesmo antes do último Missal Tridentino, publicado em 1962.”: https://www.institutojacksondefigueiredo.org/enciclopedia-catolica/hagiografia/vida-de-sao-pedro-nolasco

7*.   Em Mon­te­pul­ciano, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Bar­to­lomeu Púcci-Francéschi, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, que, dei­xando a es­posa, os fi­lhos e as ri­quezas por amor de Deus, se tornou po­bre­zinho de Cristo. († 1330)

8*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos Edu­ardo Jones e An­tónio Middleton, pres­bí­teros e már­tires, que, no rei­nado de Isabel I, por causa do sa­cer­dócio foram sus­pensos na forca às portas das suas casas e cor­tados à espada. († 1590)

9*.   No Quebec, pro­víncia do Ca­nadá, São Fran­cisco de Montmorency-Laval, bispo, que ins­ti­tuiu a sede epis­copal nesta ci­dade e, du­rante quase cin­quenta anos, se de­dicou com suma di­li­gência a con­so­lidar e au­mentar a Igreja na imensa ex­tensão da Amé­rica Se­ten­tri­onal até ao golfo do México. († 1708)

10*.   No Cairo, ci­dade do Egipto, a Beata Maria Ca­ta­rina Trioáni, virgem da Ordem Ter­ceira de São Fran­cisco, que foi en­viada da Itália para o Egipto, onde fundou a nova fa­mília re­li­giosa das Irmãs Fran­cis­canas Missionárias. († 1887)

11*.   Em Roma, a beata Ana Rosa Gattorno, re­li­giosa, que era mãe de fa­mília e, de­pois de ficar viúva, se con­sa­grou in­tei­ra­mente ao Se­nhor e ao pró­ximo e fundou o ins­ti­tuto re­li­gioso das Fi­lhas de Santa Ana Mãe de Maria Ima­cu­lada, de­di­cando-se com in­can­sável atenção aos do­entes, aos en­fermos e à in­fância aban­do­nada, em cujo rosto con­tem­plava Cristo pobre. († 1900).

– Ver “Ana Rosa Gattorno (Gênova14 de Outubro de 1831 — Roma6 de Maio de 1900), foi uma religiosa italiana. Criou a ordem dos Filhos de Santa Ana.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ana_Rosa_Gattorno

12*.   Perto de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, os be­atos Hen­rique Kaczorowski e Ca­si­miro Gostynski, pres­bí­teros e már­tires, que, de­por­tados da Po­lónia ocu­pada mi­li­tar­mente por um re­gime hostil à dig­ni­dade hu­mana, no campo de con­cen­tração de Da­chau, in­to­xi­cados numa câ­mara de gás mor­tí­fero, deram a vida pela fé em Cristo. († 1942)

13. Na África os Santos Heliodoro (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Venusto, com setenta outros mártires. Ver pág. 154: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

14.  Conforme o Martirológio Romano-Monástico, São Teódoto, bispo (M).

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto do ano de 67, Santo Evódio. A carta do Bem-Aventurado Inácio aos fiéis de Antioquia nos informa que Evódio foi ordenado bispo desta cidade pelo Apóstolo São Pedro, e que terminou sua vida por um glorioso martírio. (M).

– Ver “Santo Evódio foi um bispo de Antioquia e um dos primeiros santos identificáveis da Igreja Católica. Segundo Eusébio de Cesareia, ele foi o primeiro bispo da cidade escolhido por Pedro.[1] Ele reinou de 53[2] ou 67[3] até 68.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ev%C3%B3dio_de_Antioquia

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, São Protógeno, bispo, que propagou o Reino de Deus na Mesopotâmia. (M)

17. No Martirológio Italiano de 09 de março, em Mon­dónio, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, São Do­mingos Sávio, que, do­tado de ânimo afável e jo­vial já desde a in­fância, ainda ado­les­cente per­correu ve­loz­mente o ca­minho da per­feição cristã. († 1857). São Domingos Sávio (também na Folhinha do Coração de Jesus).

– Conforme o Martirológio Romano Monástico de 09 de março, “no ano da graça de 1857, São Domingos Sávio, que morreu aos 15 anos de idade (em 09 de março de 1857) no Colégio fundado por São João Bosco em Turim, depois de ter dado o exemplo de uma vida de oração e de uma caridade fraterna ao mesmo tempo alegre e austera (X).

Foi beatificado em 05/03/1950; canonizado em 12/06/1954; festa litúrgica em 06 de maio. Ver: http://www.salesianos.com.br/saodomingossavio/

– Ver também “Domingos Sávio, em italianoDomenico Joseph Savio, (Riva presso Chieri2 de abril de 1842 — Mondonio di Castelnuovo d’Asti9 de março de 1857) foi um estudante italiano, aluno de São João Bosco, e toda a sua vida foi composta por uma busca da santidade segundo a fé católica. É considerado santo pela Igreja Católica.[1]Festa litúrgica: 06 de maio”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Domingos_S%C3%A1vio

– Ver ainda sobre São Domingos Sávio “Domingos faleceu com apenas quinze anos de idade, no dia 9 de março de 1857. Sua Santidade o Papa Pio XII canonizou-o no ano de 1954.”: http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cevang/p_missionary_works/infantia/documents/rc_ic_infantia_doc_20090324_boletin12p11_po.html

18. EM 06 DE MAIO: O SUPLÍCIO DE SÃO JOÃO EVANGELISTA DIANTE DA PORTE LATINA – Ano 95.  Ver páginas 150-152: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

19. Outros santos do dia 06 de maio: págs. 112-154 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 06 de maio, ver ainda: 6 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 380-382: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 05 de maio

1.   Em Au­tis­si­o­doro, na Gália Li­o­nense, hoje Au­xerre, na França, São Jo­vi­niano (também na Folhinha do Coração de Jesus), leitor e mártir. († s. III).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Auxerre, perto de 260, o martírio de São Joviniano. (M)

2.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, Santo Eu­tímio, diá­cono e mártir. († c. 305).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Alexandria, em 305, a paixão de Santo Eutímio, diácono, condenado à morte por ter proclamado o Evangelho. (M)

3.   Co­me­mo­ração de São Má­ximo, bispo de Je­ru­salém, que, por ordem do im­pe­rador Ma­xi­mino Daïa, de­pois de lhe ti­rarem um olho e queimar um pé com ferro em brasa, foi con­de­nado ao tra­balho for­çado nas minas; mas, tendo sido li­berto, re­gressou à sede de Je­ru­salém, onde, pres­ti­giado pela sua glo­riosa con­fissão da fé, fi­nal­mente des­cansou em paz. († c. 350).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Jerusalém, perto de 350, São Máximo, bispo, condenado a trabalhos forçados nas minas por ter confessado a divindade de Jesus Cristo. (M)

4*.   Em Tré­veris, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na Ale­manha, São Bretão, bispo, que de­fendeu a sua grei dos erros de Pris­ci­liano, mas em vão tentou, jun­ta­mente com Santo Am­brósio de Milão e São Mar­tinho de Tours, opor-se à fe­ro­ci­dade da­queles que pe­diram a morte de Pris­ci­liano e dos seus sequazes. († 386)

– Ver “Em Trèves, São Britton, bispo e confessor, sucessor de Bonósio, Durante o pontificado de Dâmaso, ocupou o terceiro lugar depois do papa (o segundo lugar era o de Ambrósio de Milão) como metropolitano da Galia. Resistiu com grande energia aos priscilianistas, mas recusou-se entregar Prisciliano às autoridades civis. Faleceu em 386.”, página 109: VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf (obrascatolicas.com)

5.   Em Arles, na Pro­vença, na ac­tual França, Santo Hi­lário, bispo, que, pro­mo­vido com re­lu­tância da so­lidão de Lé­rins ao epis­co­pado, tra­ba­lhando por suas mãos, usando a mesma tú­nica no in­verno e no verão e ca­mi­nhando a pé, a todos ma­ni­festou o seu amor da po­breza; as­síduo à oração, às vi­gí­lias e aos je­juns, e in­can­sa­vel­mente en­tregue ao mi­nis­tério da pa­lavra, re­velou aos pe­ca­dores a mi­se­ri­córdia de Deus, aco­lheu os ór­fãos e des­tinou todo o di­nheiro re­co­lhido nas ba­sí­licas para a re­denção dos cativos. († 449).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 449, Santo Hilário. Nascido na Gália de família de origem grega, seguiu Santo Honorato, seu parente, a Lérins, e depois sucedeu-o na Sé episcopal de Arles. (M).

Ver páginas 105-107: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf  

– Ver também “Hilário de Arles foi um nobre e de origem pagã, nascido por volta do ano de 401 no norte da Gália. Foi um alto funcionário do governo e, tempos depois, foi convertido ao cristianismo pelo bispo Honorato de Arles (426-430), com quem tinha laços de parentesco. Tomou o hábito de monge e tornou-se recluso no Abadia de Lérins. Após a morte de Honorato, tornou-se bispo de Arles (430-449).”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hil%C3%A1rio_de_Arles

6.   Em Vi­enne, na Gália Li­o­nense, também na ac­tual França, São Ni­cécio (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Niceto), bispo. († s. V)  

7.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Gerôncio, bispo. († c. 472)

8*.   Em Mar­chi­ennes, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, São Mau­ronto, abade e diá­cono, que foi dis­cí­pulo de Santo Amando. († 702)

9.   Em Li­moges, na Aqui­tânia, também na ho­di­erna França, São Sa­cer­dote, que, de­pois de ser monge e abade, foi eleito bispo, mas fi­nal­mente quis voltar à vida monástica. († s. VIII).

Ver: São Sacerdos de Limoges (em 04 de maio, n° 8), bispo e confessor. Ver página 88: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

10.     Em Hil­desheim, na Sa­xónia, re­gião da Ale­manha, São Go­tardo ou Go­de­ardo, bispo, que, sendo abade do mos­teiro de Ni­e­de­ral­taich, vi­sitou e ins­taurou ou­tros mos­teiros; de­pois su­cedeu a São Ber­nardo nesta sede epis­copal, onde pro­moveu o bem na sua Igreja, res­ta­be­leceu a dis­ci­plina re­gular do clero e abriu escolas. († 1038).

Ver anotações do dia 04 de maio (nº 12). No ano da graça de 1038, São Gotardo (ou São Godardo ou Godeardo). Monge na abadia de Niederalteich, da qual se tornou prior e depois abade, reavivou o monarquismo na Germânia sob o estímulo do imperador Santo Henrique. Por seu zelo foi designado bispo de Heidesheim, em Hanover. Uma capela foi-lhe dedicada no maciço dos Alpes que hoje tem seu nome (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

– Ver “Gotardo de Hildesheim (em alemãoGodehard von Hildesheim) é um santo da Igreja Católica nascido na Alemanha. No Brasil existe uma cidade com o nome do santo: São Gotardo (Minas Gerais).”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gotardo_de_Hildesheim

11*.   Na Ca­lá­bria, re­gião da Itália, São Leão, ere­mita, que se en­tregou à con­tem­plação e ao au­xílio dos po­bres e morreu no mos­teiro de Áfrico, perto de Réggio, por ele fundado. († c. s. XII)

12*.   Em Vençay, junto de Tours, na França, Santo Aver­tino, diá­cono, que acom­pa­nhou São Tomás Becket no exílio e, de­pois da morte deste santo, re­gressou para Vençay, onde se­guiu vida eremítica. († 1189)

13*.   Em Li­cata, na Si­cília, re­gião da Itália, Santo Ân­gelo, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas e mártir.

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, nascido em Jerusalém em uma família judia convertida a Cristo, fez profissão religiosa no Monte Carmelo, e recebeu depois a missão de ir a Roma para obter a confirmação da Regra de sua Ordem (M). († 1225).

Ver páginas 108-109: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Ângelo da SicíliaÂngelo de Jerusalém ou Ângelo de Licata foi um santo nascido em Jerusalém em 1185. Ele nasceu de uma família judaica e foi batizado, juntamente com seu irmão João, quando sua mãe se converteu ao cristianismo[1].

Foi martirizado em Licata, na Sicília, a 5 de Maio de 1220[2].”: https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%82ngelo_da_Sic%C3%ADlia

14*.   Em Re­ca­náti, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, o Beato Ben­vindo Maréni, re­li­gioso da Ordem dos Menores. († 1289)

15*.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, também re­gião da Itália, o Beato Núncio Sulprício (Sulprizio), que, tendo fi­cado órfão, en­fermo de gan­grena numa perna e fi­si­ca­mente muito de­bi­li­tado, tudo su­portou com alegre e pa­ci­ente se­re­ni­dade e a todos as­sistiu com grande so­li­ci­tude, con­for­tando as­si­du­a­mente os com­pa­nheiros de so­fri­mento e, apesar da sua ex­trema po­breza, so­cor­rendo de todos os modos pos­sí­veis os indigentes. († 1836)

16*.   Em So­masca, perto de Bér­gamo, na Itália, a Beata Ca­ta­rina Cittadíni, virgem, que, tendo fi­cado órfã desde a in­fância, foi edu­ca­dora hu­milde e sábia; de­dicou-se ab­ne­ga­da­mente e sem des­canso à for­mação das jo­vens po­bres e ao en­sino da dou­trina cristã, fun­dando com esta fi­na­li­dade o Ins­ti­tuto das Irmãs Ur­su­linas de Somasca. († 1857)

17*.   Em Dresda, na Ale­manha, o Beato Gre­gório Frackowiak, re­li­gioso da So­ci­e­dade do Verbo Di­vino e mártir, que, preso du­rante a guerra, com um golpe da gui­lho­tina morreu por Cristo. († 1943)

18. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Edessa, na Síria, perto de 382, Santo Eulógio, bispo. Foi vítima de uma decisão das autoridades civis, que ordenaram a substituição da hierarquia católica por pastores arianos. (M)

19. São Silvano, na Folhinha do Coração de Jesus.  Ver página 110. São Silvano, mártir: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

21. Em Ka­si­mierz, na Po­lónia, Santo Es­ta­nislau Ka­zi­mi­erczyk, pres­bí­tero e có­nego re­gular, que, mo­vido pela ca­ri­dade pas­toral, foi di­li­gente mi­nistro da pa­lavra de Deus, mestre de vida es­pi­ri­tual e as­síduo na au­dição das confissões. († 1489).

– Ver “Estanislau Casimiritano CRL (nascido Luís Sołtys, 27 de setembro de 1433 – 3 de maio de 1489) foi presbítero católico polonês e membro professo dos Cônegos Regulares Lateranenses.[1] Ele se notabilizou por sua devoção fervorosa à Eucaristia e ao seu padroeiro pessoal, Santo Estanislau, bem como por sua dedicação caridosa ao doentes e aos pobres de Cracóvia.[2][3]

A causa de sua canonização teve início sob o Papa João Paulo II, em 14 de outubro de 1986, e ele foi intitulado como Servo de Deus. Isso veio depois de tentativas anteriores de iniciar o processo, e a causa só foi aberta naquela época devido à intervenção pessoal de João Paulo quando ainda era cardeal. O mesmo pontífice deu-lhe o título de Venerável em 21 de dezembro de 1992, ao mesmo tempo em que aprovou a beatificação, celebrada em 18 de abril de 1993. O Papa Bento XVI posteriormente canonizou o antigo presbítero como santo da Igreja Católica Romana em 17 de outubro de 2010, na Praça de São Pedro.”

– Ver também “Estanislau Casimiritano CRL (nascido Luís Sołtys, 27 de setembro de 1433 – 3 de maio de 1489) foi presbítero católico polonês e membro professo dos Cônegos Regulares Lateranenses.[1] Ele se notabilizou por sua devoção fervorosa à Eucaristia e ao seu padroeiro pessoal, Santo Estanislau, bem como por sua dedicação caridosa ao doentes e aos pobres de Cracóvia.[2][3]”, dia 03 de maio: https://pt.wikipedia.org/wiki/Estanislau_Casimiritano

22. Santa Adalsinda. Ver “ 642-673. Morreu aos 31 anos. Adalsinda é uma santa católica do século VII. Sua festividade celebra-se a 5 de maio.[1] É especialmente venerada em Douai (França).[2] Era filha de Rictrudis de Marchiennes e Adalberto I de Ostrevent, duque de Douai. Suas irmãs Clotsinda, Mauronto e Eusebia são também santos precongregacionais.” em 05 de maio: https://pt.wikipedia.org/wiki/Adalsinda#cite_note-2

– Outra Santa Adalsinda em 03 de maio: Ver “Santa Adalsinda de Béze foi uma freira do século VII e abbess … A irmã de Valdaleno, Adalsinda, tornou-se abassa de um monastério perto de Béze sob a supervisão de seu irmão. Adalsinda é mencionada na Crônica de João de Béze como “Adalsinda do Mosteiro de Dornaciaco“. Ela morreu por volta dos 680. [1]”, em 03 de maio:

https://santoral.wikia.org/es/wiki/Santa_Adalsinda_de_B%C3%A8ze

– Ver ainda “… Adalsindis, irmã de Waldalenu, era abade de um mosteiro perto de Bèze sob a supervisão de seu irmão. Adalsindis é mencionado na crônica de Johannes de Bèze como “Adalsinda do mosteiro de Dornatiacum”. Ela morreu por volta do ano 680. O Dia do Memorial dela é 3 de maio.

https://www.wikidata.org/wiki/Q17388130

23. Outros santos do dia 05 de maio: págs. 97-111 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 05 de maio, ver ainda: 5 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 377-380: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 04 de maio

SANTA MÔNICA, 04 DE MAIO E 27 DE AGOSTO. Ver “No século XII começou-se a celebrar sua memória litúrgica a 4 de maio. Com advento da reforma litúgica, celebra, com a Igreja universal, em 27 de agosto. Suas relíquias são veneradas na igreja de Santo Agostinho de Roma.”: Província Agostiniana | Dia de Santa Mônica (santoagostinho.com.br)

SANTA MÔN ICA EM 04 DE MAIO DE 2020: ENCERRAMENTO DO ANO JUBILAR NA PARÓQUIA SANTA MÔNICA – LEBLON – RIO DE JANEIRO. VER:

– Ver “… “Meu filho, quanto a mim, já nenhuma coisa me dá gosto, nesta vida. Não sei o que faço ainda aqui, nem porque ainda cá esteja, esvanecidas já as esperanças deste mundo. Por um só motivo desejava prolongar um pouco mais a vida: ver-te católico antes de morrer. Deus concedeu-me esta graça superabundantemente, pois vejo que já desprezas a felicidade terrena para servires ao Senhor. Que faço eu, pois, aqui?”…”: https://www.psmleblon.com.br/

– Ver “04 DE MAIO – SANTA MÔNICA, VIÚVA”: http://emdefesadasantafe.blogspot.com/2012/05/04-de-maio-santa-monica-viuva.html

Ver páginas 82-87 (04 de maio):

: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

Santa Mônica, auxiliadora das mães desesperadas (04 de maio). Ver “

No dia 4 de maio, a igreja comemora o dia de Santa Mônica. Conhecida como a santa da perseverança, da bondade e confiança, recorrem a ela as mães que preocupam-se com seus filhos. Segundo Pe. Rafael De La Torre Vargas- vice-provincial agostiniano, Santa Mônica ‘ajuda mães que choram por seus filhos’. ‘Mães que estão com seus filhos desancaminhados.’…”

VER 27 DE AGOSTO: Me­mória de Santa Mó­nica(também na Folhinha do Coração de Jesus), que, ainda ado­les­cente foi dada em ca­sa­mento a Pa­trício e teve fi­lhos, entre os quais Agos­tinho, por cuja con­versão der­ramou muitas lá­grimas e elevou muitas preces a Deus e, quando se dis­punha a re­gressar para a África, em Óstia, na Itália, as­pi­rando pro­fun­da­mente às re­a­li­dades ce­lestes, deixou esta vida e partiu para a mo­rada eterna. († 387).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 27 de agosto), memória de Santa Mônica, que morreu em Óstia, em 387. Teve a consolação de ver seu marido pagão batizado um ano antes de sua morte, e Agostinho, “filho de suas lágrimas”, convertido e recebido pela Igreja Católica (R).

Ver “Santa Mônica (português brasileiro) ou Santa Mónica (português europeu) (331 — 387) é a mãe de Santo Agostinho de Hipona e uma santa cristã. A sua festa realiza-se em 27 de agosto.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Mônica_de_Hipona

Ver ainda “… Por fim, Santa Mônica é santa, não por ter realizado qualquer milagre, ou por ter sido martirizada, como tantos santos cristãos da Alta Idade Média. Ela é santa por ser mãe. Mãe de um santo, logo, um instrumento divino. Ela é o meio para o fim. Sua maternidade é a dos novos tempos, da virada do mundo antigo para o medievo. Sua miraculosidade é a da lágrima, que suplica através da oração a dádiva do Cristo para seu filho (TAVARES, 1990: 106). Suas lágrimas são as lágrimas de Deus: “…enquanto minha Mãe, Vossa fiel serva, junto de Vós chorava por mim, mais do que as outras mães choram sobre os cadáveres dos filhos” (Confissões, p. 83). Seu atributo não possui redenção nem conflito. Ele é a prece atendida, o fervor transmitido…”: https://www.ricardocosta.com/artigo/santa-monica-criacao-do-ideal-da-mae-crista

– Ver “… Jesus encontraria hoje uma fé verdadeira no seu coração? Foi isso que ele encontrou no coração de Santa Mônica. Uma fé que lhe foi transmitida desde cedo e que cresceu com o tempo e com a prática das virtudes cristãs em meio a muitas dificuldades….”: https://www.a12.com/redacaoa12/espiritualidade/santa-monica-a-forca-da-oracao-de-uma-mae

SANTAS E SANTOS DE 04 DE MAIO

1.   Em Cirta, na Nu­mídia, hoje Cons­tan­tine, na Ar­gélia, a co­me­mo­ração dos santos már­tires Agápio e Se­cun­dino, bispos, que, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Va­le­riano, na qual se in­ci­tava mais ve­e­men­te­mente o furor dos gen­tios para pôr à prova a fé dos justos, os ilus­tres sa­cer­dotes, de­pois de longo exílio nesta ci­dade, tor­naram-se glo­ri­osos már­tires. Com eles pa­de­ceram os santos Emi­liano, sol­dado, Ter­tula e An­tónia, sa­gradas vir­gens, e uma mu­lher anó­nima com os seus dois filhos. († 258/259)

2.   Em Ni­ceia, na Bi­tínia, hoje İznik, na Tur­quia, Santa An­to­nina (ou Santa Antônia no Martirológio Romano-Monástico) mártir, que, tor­tu­rada bar­ba­ra­mente e ator­men­tada por vá­rios su­plí­cios, de­pois três dias pen­du­rada e ainda dois anos presa no cár­cere, fi­nal­mente, por ordem do go­ver­nador Pris­ci­liano, foi quei­mada na fo­gueira pela sua con­fissão de fé no Senhor. († s III/IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Nicomédia, no séc IV, o martírio de Santa Antônia, queimada viva. (M)

3.   Em Lorch, no Nó­rico Ri­pense, na ac­tual Ale­manha, São Flo­riano (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, que, no tempo do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, por ordem do pre­feito Aqui­lino, foi lan­çado da ponte ao rio Enns com uma grande pedra ao pescoço. († 304).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, durante a perseguição de Diocleciano, São Floriano. Veterano do exército romano, nele ocupava uma posição importante quando foi surpreendido ao visitar cristãos que estavam na prisão. Foi condenado, então, a ser afogado. (M).

– Ver “São Floriano é o santo da Igreja Católica considerado padroeiro dos bombeiros e dos limpadores de chaminés e protetor das pessoas envolvidas em incêndios. Sua festa é comemorada no dia 4 de maio.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Floriano_de_Laur%C3%ADaco

4.   Nas minas de Fenon, na Pa­les­tina, onde es­tavam con­de­nados, a paixão dos santos már­tires Sil­vano, bispo de Gaza, e trinta e nove companheiros, que, du­rante a mesma per­se­guição, por ordem do im­pe­rador Ma­xi­mino Daïa foram de­ca­pi­tados e al­can­çaram o glo­rioso martírio. († c. 304).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Na Palestina, em 311, São Silvano, bispo de Gaza, e seus companheiros, que segundo Eusébio, foram condenados aos trabalhos forçados por causa de sua fé cristã. (M)

5.   Em Var­sóvia, na Po­lónia, o Beato La­dislau de Gielniow, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, que pregou com ex­tra­or­di­nário zelo a Paixão do Se­nhor e a ce­le­brou com pi­e­dosos hinos. († 1505)

6.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os santos pres­bí­teros már­tires João Houghton, Ro­berto La­wrence e Agos­tinho Webster, pri­ores das Car­tuxas de Lon­dres, Bel­la­vale e Haxholmie, e Ri­cardo Rey­nolds, da Ordem de Santa Brí­gida, que, por pro­fes­sarem in­tre­pi­da­mente a fé re­ce­bida dos santos Pa­dres, foram ar­ras­tados ao su­plício do es­quar­te­ja­mento no pa­tí­bulo de Ty­burn du­rante o rei­nado de Hen­rique VIII. Com eles, também o Beato João Haile, pá­roco de Is­leworth, junto da ci­dade, foi en­for­cado no mesmo patíbulo. († 1535).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1535, na Inglaterra, o martírio dos Santos João Houghton, Roberto Lawrence e Agostinho Webster, cartuxos; e São Ricardo Reynolds, brigidino, fiéis à fé católica até à morte. (X).

Ver “Mártires, 1535. Leão XIII, a 29 de dezembro de l886, assinou o decreto de beatificação daqueles heróis da fé, quarenta e quatro ao todo.”, às páginas 89-93: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

7*.   Em Tré­veris, na Ale­manha, o Beato João Mar­tinho Moyë, pres­bí­tero da So­ci­e­dade das Mis­sões Es­tran­geiras de Paris, que na Lo­rena ins­ti­tuiu a Co n­gre­gação das Irmãs da Pro­vi­dência e na China o Ins­ti­tuto das Vir­gens Do­centes e, ex­pulso da pá­tria no tempo da Re­vo­lução Fran­cesa, tra­ba­lhou sempre ar­do­ro­sa­mente ani­mado pelo zelo das almas. († 1793)

08. São Sacerdos de Limoges, bispo e confessor. Ver página 88: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

Dia 05 de maio (nº 9):   Em Li­moges, na Aqui­tânia, também na ho­di­erna França, São Sa­cer­dote, que, de­pois de ser monge e abade, foi eleito bispo, mas fi­nal­mente quis voltar à vida monástica. († s. VIII).

09. Em Tarso, Santa Pelágia, virgem (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, encerrada num boi de bronze ardente, terminou o martírio sob o mesmo imperador (Diocleciano). Ver página 96: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver “Pelágia de Tarso (século III) foi uma mártir e virgem cristã habitantes da cidade de Tarso durante o reinado do imperador Diocleciano (284-305) filha de pagãos ilustres. Foi considerada uma santa e a ela foi consagrado o dia 4 de maio.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pel%C3%A1gia_de_Tarso  

– Não confundir com Santa Pelágia a Penitente, cuja festa é 08 de outubro: Conforme o Martirológio Romano-Monástico deste 08 de 0utubro, no começo do séc. IV, Santa Pelágia. Depois de ter levado em Antioquia uma vida de libertinagem e escândalos, foi instruída na fé pelo bispo de Edessa, recebeu o batismo da salvação e terminou seus dias em penitência no Monte das Oliveiras, em Jerusalém. (M). Ver “Não confundir com Pelágia de Tarso, cuja festa litúrgica é 04 de maio. Pelágia, a Penitente (artisticamente conhecida como Margarida de Antioquia) foi uma cortesã e dançarina célebre que, no auge de sua beleza e soberania foi subitamente convertida por influência do bispo e santo Nono.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pel%C3%A1gia,_a_Penitente

10. No ano do Senhor de 304, a paixão de São Peregrino (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que foi o primeiro a implantar a cruz de Cristo na região de Auxerre. Preso por haver desencaminhado o povo dos cultos pagãos, respondeu ao prefeito romano: “Para mim, invoco Jesus Cristo, redentor de todos; eu o confessarei sem temor, até a morte. Coloco nele toda a minha confiança” (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

11.  No ano da graça de 1038, São Gotardo (ou São Godardo ou Godeardo). Monge na abadia de Niederalteich, da qual se tornou prior e depois abade, reavivou o monarquismo na Germânia sob o estímulo do imperador Santo Henrique. Por seu zelo foi designado bispo de Heidesheim, em Hanover. Uma capela foi-lhe dedicada no maciço dos Alpes que hoje tem seu nome (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

VER ANOTAÇÕES DE 05 DE MAIO (n° 10): MARTIROLÓGIO ITALIANO: “Em Hil­desheim, na Sa­xónia, re­gião da Ale­manha, São Go­tardo ou Go­de­ardo, bispo, que, sendo abade do mos­teiro de Ni­e­de­ral­taich, vi­sitou e ins­taurou ou­tros mos­teiros; de­pois su­cedeu a São Ber­nardo nesta sede epis­copal, onde pro­moveu o bem na sua Igreja, res­ta­be­leceu a dis­ci­plina re­gular do clero e abriu escolas. († 1038)”.

– Ver “Gotardo de Hildesheim (em alemãoGodehard von Hildesheim) é um santo da Igreja Católica nascido na Alemanha. No Brasil existe uma cidade com o nome do santo: São Gotardo (Minas Gerais).”:https://pt.wikipedia.org/wiki/Gotardo_de_Hildesheim

12. No séc. IV, São Venério, bispo de Milão, que serviu a igreja universal ajudando diversos bispos de seu tempo através de seus escritos e de sua dedicação pastoral (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

– Em 06 de maio, no Martirológio Romanbo: em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Ve­nério, bispo, que foi dis­cí­pulo e diá­cono de Santo Am­brósio, en­viou clé­rigos para au­xi­liar os bispos da África e so­correu São João Cri­sós­tomo no seu exílio. († 409).

Ver “Venério (em latimVenerius) foi arcebispo de Mediolano (moderna Milão) de 400 (ou 401) até 408. Ele é venerado como santo pela Igreja Católica e festejado no dia 4 de maio.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ven%C3%A9rio_de_Mil%C3%A3o

13. São José María Rubio “José María Rubio Peralta foi um jesuíta espanhol, qualificado como o Apóstolo de Madrid pelo bispo de MadridLeopoldo Eijo y Garay.. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Mar%C3%ADa_Rubio

– Ver também: “O seu lema era:  “Fazer o que Deus quer e querer o que Deus faz”, em: https://evangelhoquotidiano.org/PT/display-saint/b701b834-a265-418b-b823-bfeb10a160b3

14. Outros santos do dia 04 de maio: págs. 82-96 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 04 de maio, ver ainda: 4 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 375-377: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 03 de maio

03 DE MAIO: DIA DA INVENÇÃO DE SANTA CRUZ

O DIA DA INVENÇÃO DE SANTA CRUZ É O DIA 3 DE MAIO.

A data registra a DESCOBERTA (INVENÇÃO) da Cruz de Cristo, a Vera Cruz, em 326, por Santa Helena e ainda a recuperação da mesma Cruz em 628 por Heráclio, que a reconquistou aos persas e a levou às costas para Jerusalém, tendo a entregue ao patriarca Zacarias, no dia 3 de maio de 630. A data recebeu a designação de Dia da Invenção da Santa Cruz, sendo celebrada na Gália a 3 de maio.

Em Portugal e noutros países do mundo existe a tradição de se realizar festas e romarias por volta deste dia, assim como de ornar fontes e cruzeiros com diversas flores, verdura, giestas, rosmaninho, entre outros, para proteger as pessoas dos males que andam à solta de noite.

No calendário encontram-se outras festas dedicadas à Santa Cruz, como o Dia da Santa Cruz em setembro e o Dia da Crucificação de Cristo (Sexta-feira Santa). A Santa Cruz representa o triunfo de Cristo sobre a morte, sendo por isso exaltada nestes dias. Ver: https://www.calendarr.com/portugal/dia-da-invencao-da-santa-cruz/

– Ver ainda “O dia 03 de Maio celebrava primitivamente a recuperação da Santa Cruz que Heráclito obteve dos persas depois da vitória de 628. Mais tarde o objetivo desta festa veio a confundir-se com a da INVENÇÃO, QUE DEVIA CELEBRAR-SE A 14 DE SETEMBRO. Praticamente o dia de hoje tornou-se a festa da INVENÇÃO (DESCOBERTA) sem excluir a recuperação levada a efeito por Heráclio. A tradição atribui a Santa Helena, mãe de Constantino, a honra de ter mandado procurar e de ter encontrado a Cruz do Salvador.

Encontrou-se no lugar do Calvário e nesta mesma data provavelmente em que Constantino mandou construir as duas Basílicas, consagradas em 335, uma no sítio do Calvário e outra no Santo Sepulcro. A preciosa relíquia que os persas tinham roubado e que Heráclio recuperou, foi pelo operador reconduzida solenemente a Jerusalém em 03 de Maio do ano 628. A missa celebra as glórias da Cruz do Salvador e a redenção do homens que nela se operou…”: https://irmandadedocarmo.org/tag/invencao-da-santa-cruz/

– Ver também “Vera Cruz é a denominação dada a verdadeira cruz em que Jesus Cristo foi crucificado.

Segundo historiadores dos últimos períodos da Antiguidade, a imperatriz Helena de Constantinopla (c. 250 d.C.–c. 330 d.C.), mãe do imperador Constantino, o primeiro imperador cristão de Roma, numa data posterior a 312 d.C. quando à Cristandade foi dada liberdade de culto em todo o Império, teria viajado à Terra Santa, fundando igrejas e agências de socorro aos necessitados. Teria sido nessa época que a imperatriz descobriu três cruzes usadas na crucifixão de Jesus e de dois ladrões, Dimas e Gesmas, que foram executados com ele. Um milagre revelou qual das três era a cruz verdadeira, a Vera Cruz… ”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Vera_Cruz

– Ver ainda “… Ao passar para um exame detalhado da doutrina católica sobre este assunto do culto devido à Cruz, será bom notar as teorias de Brock, o Abbé Ansault, le Mortillet, e outros que fingem ter descoberto aquele culto entre os pagãos antes da época de Cristo. Para uma demonstração da origem puramente cristã da devoção cristã, o leitor é encaminhado para ARQUEOLOGIA DA CRUZ E CRUCIFIXO. Veja também as obras de De Harley, Lafargue, e outras citadas no final desta seção…

A Festa da Cruz, como tantas outras festas litúrgicas, teve sua origem em Jerusalém, e está ligada à comemoração da Descoberta da Cruz e do edifício, por Constantino, das igrejas sobre os locais do Santo Sepulcro e do Calvário. Em 335, a dedicação dessas igrejas foi celebrada com grande solenidade pelos bispos que haviam assistido no Conselho de Tiro, e um grande número de outros bispos. Essa dedicação ocorreu nos dias 13 e 14 de setembro. Esta festa da dedicação, que era conhecida pelo nome do Encnia, foi mais solene; foi em pé de igualdade com os da Epifania e Páscoa.…”: CATHOLIC ENCYCLOPEDIA: The True Cross (newadvent.org)

– Ver também: págs. 70-71:

            ============================================

SANTOS DE 03 DE MAIO

1. Festa dos santos Fi­lipe e Tiago (também na Folhinha do Coração de Jesus), Após­tolos. Fi­lipe, nas­cido em Bet­saida, como Pedro e André, era dis­cí­pulo de João Bap­tista e foi cha­mado pelo Se­nhor para que O se­guisse. Tiago, filho de Alfeu, con­si­de­rado entre os La­tinos como pa­rente do Se­nhor e de­no­mi­nado o Justo, foi o pri­meiro que pre­sidiu à Igreja de Je­ru­salém; quando se le­vantou a con­tro­vérsia sobre a cir­cun­cisão, dis­cordou da ati­tude de Pedro, para que não se im­pu­sesse o an­tigo jugo aos dis­cí­pulos pro­ve­ni­entes dos gen­tios e co­roou pouco de­pois o seu apos­to­lado com o martírio.

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa dos Santos Apóstolos Filipe e Tiago. Originário de Betsaida, como Pedro e André, Filipe era, como eles, condiscípulo de João Batista quando foi chamado por Cristo. O Evangelho relata vários episódios onde Filipe intervém para fazer ver Jesus ou para pedir para ver, ele próprio, o Pai. Tiago, filho de Alfeu e irmão de Judas, é chamado também nos Atos dos Apóstolos de “irmão do Senhor”. Agraciado por uma aparição de Cristo após a Ressurreição, dirigiu a Igreja de Jerusalém. A ele é atribuída uma carta canônica do Novo Testamento, onde adverte severamente os ricos, acautela contra uma fé estéril e recomenda a unção dos enfermos. (R).

Ver páginas 27-34: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver: “Filipe, o Apóstolo foi um apóstolo de Cristo e mártir. Diz a tradição, através de Eusébio de Cesareia, que era casado, tinha duas filhas e teria realizado muitos milagres, inclusive revivido — não ressuscitado, assim como com Lázaro — um defunto em Hierápolis. Não deve ser confundido com São Filipe, o Evangelista, o diácono que evangelizava Samaria, de acordo com a história relatada nos Atos dos Apóstolos.[1][2]

Também diz a tradição que Filipe pregou o Evangelho na PalestinaGrécia e na Ásia Menor, onde, se diz, morreu crucificado e apedrejado no ano 80 em Hierápolis, na Frígia.[1]

São Filipe era natural de Betsaida, uma cidade da Galileia (São João 1:44).[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Filipe_(ap%C3%B3stolo)

– São Filipe e São Tiago Menor – apóstolos. No livro VIDAS DOS SANTOS está lembrado no dia 01 de maio. Ver páginas 27-34: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Tiago, filho de Alfeu (Ἰάκωβος, Jacobos em grego antigo) foi um dos Doze Apóstolos de Jesus Cristo. Ele é geralmente identificado com Santiago Menor e é geralmente conhecido por este nome na tradição da igreja[a].

Tiago, o filho de Alfeu, é raramente mencionado no Novo Testamento, mas é às vezes também identificado com Tiago, o Justo, um importante líder da Igreja antiga. Ele é claramente distinto de Tiago, filho de Zebedeu, outro dos Doze.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Tiago,_filho_de_Alfeu

2.   Em An­tínoo, na Te­baida, re­gião do Egipto, os santos Ti­móteo e Maura (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártires. († 286).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Tebaida, no ano da graça de 286, São Timóteo, leitor, e Santa Maura, sua esposa, condenados à crucifixão por haverem se recusado a profanar as Sagradas Escrituras. (M).

– Ver páginas 80-81: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

3.   Junto à Via No­men­tana, a sete mi­lhas de Roma, os santos Evêncio, Ale­xandre (Alexandre I, Papa) e Teó­dulo, mártires. († s. III/IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano do Senhor de 119, a paixão de Santo Alexandre I, papa, e seus companheiros. Alexandre respondeu ao juiz que lhe perguntou por que ele guardava silêncio nas torturas: “O cristão que ora, fala com Deus”. (Paixão) (M).

Ver páginas 72-77: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Papa Alexandre I (RomaItáliac. 115) foi o bispo de Roma de c. 105 até sua morte c. 115. O Anuário Pontifício da Santa Sé (2012) o identifica como um romano que governou de 108 ou 109 até 116 ou 119. Alguns acreditam que ele foi martirizado pelo imperador Trajano ou Adriano, mas isto é improvável.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Alexandre_I

– Ver ainda: “…St. Irenaeus de Lyons, escrevendo no último quarto do século II, considera-o como o quinto papa em sucessão dos Apóstolos,embora ele não diga nada de seu martírio...”: CATHOLIC ENCYCLOPEDIA: Pope St. Alexander I (newadvent.org)

– Ver também “São Alexandre I, (morreu em 115, /119, Roma?; festa dia 3 de maio), quinto papa após São Pedro e sucessor de São Evaristus. Pouco se sabe sobre o governo de Alexandre (c. 109-116), que é atestado pelo Papa São Eusébio (309/310) …”: Saint Alexander I | pope | Britannica

4.   Em Nárni, na Úm­bria, re­gião da Itália, São Ju­venal, ve­ne­rado como o pri­meiro bispo desta cidade. († s. IV)

– Ver também página 79 : VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf (obrascatolicas.com)

5*.   Em Kil­dare, na Ir­landa, São Con­leto (Conlaedo), bispo, que acom­pa­nhou Santa Brí­gida na ori­en­tação es­pi­ri­tual do seu mos­teiro e de ou­tros co­lo­cados sob a sua ju­ris­dição, tendo exer­cido também muita in­fuência junto dos pre­lados do lugar. († c. 520)

6*.   Em Argo, na Grécia, São Pedro, bispo, que foi in­signe pela sua imensa ca­ri­dade para com os po­bres e os es­cravos e, para de­fesa da fé, tra­ba­lhou in­can­sa­vel­mente na re­so­lução dos conflitos. († c. 922)

7*.   No mos­teiro de Fohorst, na Flan­dres, hoje na Bél­gica, o pas­sa­mento de Santo Ans­fredo, bispo de Utrecht, que, atin­gido pela ce­gueira, se re­tirou neste lugar. († 1008).

Santo Anfrido. Ver págs. 78-79: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

8*.   Em Kiev, na Ucrânia, São Te­o­dósio, abade, que fundou o mos­teiro “das Grutas” e, se­gundo a tra­dição, ins­ti­tuiu a vida ce­no­bí­tica nesta região. († 1074)

9*.   Em Ver­celas, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, a Beata Emília Bicchiéri, virgem da Ordem dos Pre­ga­dores, que, apesar de ser vá­rias vezes pri­o­resa, tra­ba­lhava com muita ale­gria entre as irmãs nos ser­viços mais humildes. († 1314)

10*.   Em Ka­si­mierz, na Po­lónia, Santo Es­ta­nislau Ka­zi­mi­erczyk, pres­bí­tero e có­nego re­gular, que, mo­vido pela ca­ri­dade pas­toral, foi di­li­gente mi­nistro da pa­lavra de Deus, mestre de vida es­pi­ri­tual e as­síduo na au­dição das confissões. († 1489).

– Ver “Estanislau Casimiritano CRL (nascido Luís Sołtys, 27 de setembro de 1433 – 3 de maio de 1489) foi presbítero católico polonês e membro professo dos Cônegos Regulares Lateranenses.[1] Ele se notabilizou por sua devoção fervorosa à Eucaristia e ao seu padroeiro pessoal, Santo Estanislau, bem como por sua dedicação caridosa ao doentes e aos pobres de Cracóvia.[2][3]

A causa de sua canonização teve início sob o Papa João Paulo II, em 14 de outubro de 1986, e ele foi intitulado como Servo de Deus. Isso veio depois de tentativas anteriores de iniciar o processo, e a causa só foi aberta naquela época devido à intervenção pessoal de João Paulo quando ainda era cardeal. O mesmo pontífice deu-lhe o título de Venerável em 21 de dezembro de 1992, ao mesmo tempo em que aprovou a beatificação, celebrada em 18 de abril de 1993. O Papa Bento XVI posteriormente canonizou o antigo presbítero como santo da Igreja Católica Romana em 17 de outubro de 2010, na Praça de São Pedro.” e também dia 05 de maio: https://pt.wikipedia.org/wiki/Estanislau_Casimiritano

11♦.   Em Inns­bruck, na Àus­tria, o Beato Tomás de Olera (Tomás Acerbis de Viani), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que, apesar da sua con­dição de sim­ples pro­fesso, foi um grande mestre es­pi­ri­tual, tanto para os hu­mildes como para os prín­cipes e po­de­rosos, cons­ti­tuindo-se também um va­lo­roso de­fensor da fé no seu tempo atribulado. († 1631)

12*.   Em Susa, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato Edu­ardo José Rosaz, bispo, que du­rante vinte e cinco anos exerceu o mi­nis­tério apos­tó­lico que lhe foi con­fiado, cui­dando es­pe­ci­al­mente dos po­bres, e fundou a Con­gre­gação das Irmãs da Ordem Ter­ceira de São Francisco. († 1903)

13*.   Em Sher­brooke, ci­dade do Quebec, no Ca­nadá, a beata Maria Leónia (Alódia Pa­radis), virgem, que ins­ti­tuiu a Con­gre­gação das Ir­mã­zi­nhas da Sa­grada Fa­mília, des­ti­nada a au­xi­liar a ac­ti­vi­dade e a vida dos sacerdotes. († 1912)

14. Em Constantinopla, Santo Alexandre, soldado, e Santa Antonina, virgem, que sob o presidente Festo sofreram o martírio durante a perseguição de Maximiniano. Antonina, primeiramente condenada a ser prostituída num lugar de escárnio, dali foi secretamente retirada por Alexandre, que, mudando as vestes com ela, ficou em seu lugar. Esta piedosa fraude foi descoberta e ambos foram submetidos à tortura. Tiveram as mãos cortadas e foram atirados juntos à fogueira, onde, morrendo por Jesus Cristo, receberam a coroa da glória.

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Ásia Menor, nos começos do séc. IV, Santo Alexandre, soldado, martirizado junto com a virgem Santa Antonina, cuja inocência ele havia defendido. (M).

Conforme página 80: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

15. Santa Adalsinda. Ver “ 642-673. Morreu aos 31 anos. Adalsinda é uma santa católica do século VII. Sua festividade celebra-se a 5 de maio.[1] É especialmente venerada em Douai (França).[2] Era filha de Rictrudis de Marchiennes e Adalberto I de Ostrevent, duque de Douai. Suas irmãs Clotsinda, Mauronto e Eusebia são também santos precongregacionais.” em 05 de maio: https://pt.wikipedia.org/wiki/Adalsinda#cite_note-2

– Outra Santa Adalsinda em 03 de maio: Ver “Santa Adalsinda de Béze foi uma freira do século VII e abbess … A irmã de Valdaleno, Adalsinda, tornou-se abassa de um monastério perto de Béze sob a supervisão de seu irmão. Adalsinda é mencionada na Crônica de João de Béze como “Adalsinda do Mosteiro de Dornaciaco“. Ela morreu por volta dos 680. [1]”, em 03 de maio:

https://santoral.wikia.org/es/wiki/Santa_Adalsinda_de_B%C3%A8ze

– Ver ainda “… Adalsindis, irmã de Waldalenu, era abade de um mosteiro perto de Bèze sob a supervisão de seu irmão. Adalsindis é mencionado na crônica de Johannes de Bèze como “Adalsinda do mosteiro de Dornatiacum”. Ela morreu por volta do ano 680. O Dia do Memorial dela é 3 de maio.

https://www.wikidata.org/wiki/Q17388130

16. Outros santos do dia 03 de maio: págs. 70-81 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 03 de maio, ver ainda: 3 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 373-375: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 02 de maio

1. Me­mória de Santo Ata­násio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo e doutor da Igreja, ilus­trís­simo pela san­ti­dade e dou­trina, que, em Ale­xan­dria, no Egipto, de­fendeu va­lo­ro­sa­mente a ver­da­deira fé desde o tempo de Cons­tan­tino até ao im­pe­rador Va­lente e, su­por­tando muitas in­sí­dias dos ari­anos, foi vá­rias vezes exi­lado. Re­gres­sado fi­nal­mente à Igreja que lhe tinha sido con­fiada, de­pois de ter com­ba­tido e so­frido muito com he­roica pa­ci­ência, no qua­dra­gé­simo sexto ano do seu sa­cer­dócio des­cansou na paz de Cristo. († 373).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santo Atanásio, bispo de Alexandria e Doutor da Igreja. Durante toda sua vida fez-se o defensor da doutrina do Concílio de Nicéia, que proclamou o Verbo, Filho de Deus, “consubstancial ao Pai”. Contribuiu para propagar o ideal monástico ao escrever, dedicada aos ocidentais, a vida de Santo Antão. Adormeceu no Senhor em 372, depois de quarenta e cinco anos de episcopado, dos quais dezessete passados no exílio. (R).

– Na Folhinha do Coração de Jesus de 01 de maio de 2020, “2/05: SANTO ATANÁSIO. Nasceu em Alexandria do Egito no ano de 295. Seus pais eram cristãos e recebeu uma boa formação clássica. Foi discípulo de Santo Antão na sua juventude. Ainda como diácono participou do Concílio de Niceia no ano de 325. Foi eleito bispo de Alexandria e exerceu esse ministério por 46 anos. Foi defensor da fé na divindade de Cristo proclamada no Concílio de Niceia, por isso sofreu perseguições e foi exilado da sua diocese por cinco vezes, sem contar as vezes em que procurou um esconderijo para fugir dos seus perseguidores. Divulgou o ideal monástico no Ocidente, e dentre as várias obras escritas está a vida do abade Santo Antão. Talvez nenhum outro bispo da história tenha tido uma vida tão agitada, sofrida, perseguida como Atanásio. Faleceu no ano de 373. Frei Marcos Antônio de Andrade, OFM – Petrópolis/RJ”.

Ver páginas 59-63: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Atanásio de Alexandria (em grego: Ἀθανάσιος Ἀλεξανδρείας; romaniz.: Athanásios Alexandrías; em latimAthanasius), foi o vigésimo arcebispo de Alexandria (como Atanásio I de Alexandria), Doutor da Igreja e santo da Igreja Católica. Seu episcopado durou 45 anos (c. 8 de junho de 328 – 2 de maio de 373), dos quais dezessete ele passou exilado, em cinco ocasiões diferentes e por ordem de quatro diferentes imperadores romanos. Atanásio foi um teólogo cristão, um dos “padres da Igreja“, um defensor do trinitarismo contra o arianismo e um líder da comunidade de Alexandria no século IV.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Atan%C3%A1sio_de_Alexandria

–  Ver “SANTO ATANÁSIO DE ALEXANDRIA,considerado Doutor da Igreja Católica, foi o principal e mais corajoso combatente da heresia cristã presente no Arianismo. Sua defesa da divindade de Jesus se resume na seguinte frase: “Deus é Pai apenas porque é o Pai do Filho. Assim o Filho não teria tido começo e o Pai estaria com o Filho eternamente. Portanto, o Filho seria o filho eterno do Pai, e o Pai, o Pai eterno do Filho”. Através do Concílio de Nicéia, o pensamento de Ário foi rebatido e depois de, aproximadamente, um século de discussões, o Arianismo foi declarado pela Igreja como heresia e seus pensamentos, dissidentes da doutrina cristã.”. Conforme: https://www.infoescola.com/religiao/arianismo/

– Ver ainda “arianismo foi uma visão cristológica sustentada pelos seguidores de Ário, presbítero cristão de Alexandria nos primeiros tempos da Igreja primitiva, que negava a existência da consubstancialidade entre Jesus e Deus Pai, que os igualasse, concebendo Cristo como um ser pré-existente e criado, embora a primeira e mais excelsa de todas as criaturas, que encarnara em Jesus de Nazaré. Jesus então, seria subordinado a Deus Pai, sendo Ele (Jesus) não o próprio Deus em si e por si mesmo. Segundo Ário, só existe um Deus e Jesus é seu filho e não o próprio Deus. Ao mesmo tempo afirmava que Deus seria um grande eterno mistério, oculto em si mesmo, e que nenhuma criatura conseguiria revelá-lo, visto que Ele não pode revelar a si mesmo. Com esta linha de pensamento, o historiador H. M. Gwatkin afirmou, na obra “The Arian Controversy”: “O Deus de Ário é um Deus desconhecido, cujo ser se acha oculto em eterno mistério”.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Arianismo

– VER TAMBÉM EM 13 DE JANEIRO: SANTO HILÁRIO

2.   Em Atalia, na Pan­fília, hoje An­talya, na ac­tual Tur­quia, os santos már­tires Hes­pério e Zoé (também na Folhinha do Coração de Jesus ), es­posos, e seus fi­lhos Ci­ríaco e Teó­dulo, que, se­gundo a tra­dição, no tempo do im­pe­rador Adriano, es­tando ao ser­viço dum pagão, todos eles, por ordem do seu amo, foram fla­ge­lados e du­ra­mente tor­tu­rados por causa da sua livre pro­fissão de fé; fi­nal­mente, lan­çados num forno em chamas, en­tre­garam as suas almas a Deus. († s. II)

3.   Em Se­vilha, na His­pânia Bé­tica, São Félix, diá­cono e mártir. († s. IV)

4.   Co­me­mo­ração dos santos már­tires Vin­de­mial, bispo de Gapsa, na Nu­mídia, na ac­tual Tu­nísia, e Lon­ginos, bispo de Par­mária, na Mau­ri­tânia, na ac­tual Ar­gélia, que, por se terem oposto aos ari­anos no Con­cílio de Car­tago, foram de­ca­pi­tados por ordem de Hu­ne­rico, rei dos Vândalos. († 483).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, São Vindemial, bispo africano, Martirizado em 483. (M)

5*.   Em Lu­xeuil, na Bor­gonha, na ho­di­erna França, São Gal­berto ou Val­deberto, abade. († 665/670)

– Ver São Walberto, Waldeberto ou Galberto,abade e confessor, às páginas 64-65: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

6.   Em São Galo, na re­gião dos Hel­vé­cios, hoje na Suíça, Santa Wi­bo­rada, ou Guiborata, virgem e mártir, que viveu re­co­lhida numa pe­quena cela junto da igreja de São Magno, onde atendia ao povo, e, na in­cursão dos Hún­garos, foi morta por causa da sua fé e voto religioso. († 926). Ver pág. 68: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

7*.   Em Linköping, na Suécia, o Beato Ni­colau Hermansson, bispo, que, sendo se­vero para con­sigo, se de­dicou to­tal­mente à sua Igreja e aos po­bres e aco­lheu com honras con­dignas as re­lí­quias de Santa Brígida. († 1391)

8.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, Santo An­to­nino, bispo, que, de­pois de se aplicar à re­forma da Ordem dos Pre­ga­dores, se con­sa­grou com vi­gi­lante pru­dência ao tra­balho pas­toral, res­plan­de­cendo pela sua san­ti­dade, rigor e doutrina. († 1459).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1459, Santo Antonino, dominicano italiano, que ocupou diversos cargos antes de ser nomeado auditor geral da Rota e arcebispo de Florença. Deixou obras de teologia moral, de direito canônico e de história que tiveram várias edições. Foi enterrado no convento de São Marcos que acabara de ser decorado por seu confrade Fra Angélico. (M)

9*.   Em Clonmel, na Ir­landa, o Beato Gui­lherme Tirry, pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho e mártir sob o go­verno de Oliver Cromwel por per­se­verar fiel à Igreja Romana. († 1654)

10.     Em Vinh Long, ci­dade da Co­chin­china, no ac­tual Vi­etnam, São José Nguyen Van Luu, mártir, que, sendo agri­cultor e ca­te­quista, se en­tregou es­pon­ta­ne­a­mente em vez do pres­bí­tero Pedro Luu, pro­cu­rado pelos sol­dados, e morreu no cár­cere, no tempo do im­pe­rador Tu Duc. († 1854)

11.   Em Aran­juez, ci­dade de Cas­tela-a-Nova, re­gião da Es­panha, São José Maria Rúbio Peralta, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, que foi emi­nen­te­mente ac­tivo na au­dição dos pe­ni­tentes, na di­recção de exer­cí­cios es­pi­ri­tuais e nas vi­sitas aos po­bres da re­gião de Madrid. († 1929)

12*.   No campo de con­cen­tração de Aus­chwitz, perto de Cra­cóvia, na Po­lónia, o Beato Bo­leslau Strzelecki, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a guerra, foi en­car­ce­rado por causa da fé e, vi­ti­mado pelas tor­turas, al­cançou a coroa de glória. († 1941)

13. São Germano da Escócia. (Bispo e Mártir. Também na Folhinha do Coração de Jesus, Germano). Ver páginas 66-67: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

14. Outros santos do dia 02 de maio: págs. 59-69 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 02 de maio, ver ainda: 2 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 367-371: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA] MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 01 de maio

OBSERVAÇÕES SOBRE MAIO

 1. MÊS DE MARIA

“Quando era sacerdote, Marcelino Champagnat introduziu em sua paróquia a prática do Mês de Maria, tradição originária da Grécia Antiga, que ainda era pouco difundida na época. Poucos anos depois, como consequência, o costume se difundiu pela França e pelo mundo inteiro.

“Distribuiu na paróquia inúmeros exemplares do livrinho intitulado Mês de Maria e outras obras próprias a propagar a devoção à augusta Mãe de Deus. Desta forma, em breve tempo, as práticas do Mês de Maria realizavam-se em todos os lugarejos da paróquia. Cada família organizou também seu oratório, onde, à tarde, se reunia para implorar a proteção da Rainha do Céu, cantar seus louvores e meditar seus privilégios e favores”, descreve Angelo Ricordi.

Após a fundação do Instituto, o Mês de Maria passou a ser exercício comunitário. Além disso, tornou-se presente também nas escolas cuidadas pelos Irmãos…”: https://marista.org.br/noticia/mes-de-maria-maio-e-tempo-de-recordar-a-presenca-amorosa-da-boa-mae/

2. POR QUE MAIO É O MÊS DE MARIA? Ver “… A ideia de um mês dedicado especificamente a Maria remonta aos tempos barrocos – século XVII. Apesar de nem sempre ter sido celebrado em maio, o mês de Maria incluía trinta exercícios espirituais diários em homenagem à Mãe de Deus.

Foi nesta época que o mês de maio e de Maria combinaram, fazendo com que esta celebração conte com devoções especiais organizadas cada dia durante todo o mês. Este costume durou, sobretudo, durante o século XIX e é praticado até hoje….”: https://www.acidigital.com/noticias/por-que-maio-e-o-mes-de-maria-22493

3. Ver “«MENSE MAIO» – DO SUMO PONTÍFICE – PAULO VI – AOS VENERÁVEIS IRMÃOS PATRIARCAS, PRIMAZES, ARCEBISPOS, BISPOS E A TODOS OS ORDINÁRIOS DO LUGAR EM PAZ E COMUNHÃO COM A SÉ APOSTÓLICA E A TODOS OS HOMENS DE BOA VONTADE. POR OCASIÃO DO MÊS DE MAIO.

Veneráveis Irmãos

Ao aproximar-se o mês de Maio, consagrado a Maria Santíssima pela piedade dos fiéis, o nosso espírito exulta ao pensar no espetáculo comovente de fé e de amor que, dentro em breve, será oferecido em todas as partes da terra em honra da Rainha do céu. Na verdade, é um mês em que, nos templos e entre as paredes domésticas, sobe dos corações dos cristãos até Maria a homenagem mais ardente e afetuosa da prece e da veneração. E é também o mês em que mais copiosos e mais abundantes descem até nós, do seu trono, os dons da misericórdia divina….”: http://www.vatican.va/content/paul-vi/pt/encyclicals/documents/hf_p-vi_enc_29041965_mense-maio.html

4. Ver Exortação Apostólica MARIALIS CULTUS: http://www.vatican.va/content/paul-vi/pt/apost_exhortations/documents/hf_p-vi_exh_19740202_marialis-cultus.html

5. Ver ainda “”Deus quer que todos os seus dons cheguem até nós por Maria” (São Bernardo).

Foi em Roma, no final do século XVIII, numa bela noite de Maio. Uma criança dos pobres reuniu os seus companheiros à sua volta e conduziu-os a uma estátua de Maria, perante a qual se acendia uma lâmpada, como é costume naquela cidade sagrada. Ali, estas jovens vozes frescas cantavam a ladainha de Nossa Senhora. No dia seguinte, o pequeno grupo, seguido por outras crianças, reuniu-se novamente aos pés da Mãe de Deus. A seguir vieram as suas mães, para se juntarem à pequena assembleia. Logo, outros grupos foram formados, e a devoção rapidamente se tornou popular. As almas santas, perturbadas pela conduta desordenada que sempre aumenta e se torna mais grave no regresso da agradável Primavera, viram nestas práticas crescentes a mão de Deus, e cooperaram com os desígnios da Providência, aprovando e promovendo esta nova devoção, como um acto público e solene de reparação. O Mês de Maria foi fundado…”: https://www.catholicnewsagency.com/resource/240688/month-of-mary-may-devotions

Devoción Santo RosárioO MÊS DE MAIO: Maio é o quinto mês do calendário gregoriano e tem 31 dias. O seu nome é derivado da deusa romana Bona Dea da fertilidade. Outras versões apontam que a origem se deve à deusa grega Maya, mãe de Hermes.

A origem de seu nome deve-se a Maius (magnusJúpiter. Pode derivar da deusa romana Maia, também conhecida como Bona Dea, cujo festival os romanos celebraram neste mês que chamaram de Maius…

Maio é o mês consagrado à Maria, mãe de Jesus Cristo, segundo a Igreja Católica, com uso particular da devoção do Santo Rosário [4].  Ver: Rosário (catolicismo) – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)”:https://pt.wikipedia.org/wiki/Maio

===============

SANTAS E SANTOS DO DIA 01 DE MAIO

1. São José Operário (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, como carpinteiro de Nazaré, ajudou com o seu trabalho Maria e José e iniciou o Filho de Deus no trabalho humano. Por isso, neste dia em que se celebra a festa do trabalho em muitas terras, os trabalhadores cristãos veneram São José como seu exemplo e protector.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, comemoração de São José Operário. Carpinteiro de profissão, cooperou pelo trabalho de suas mãos com a obra criadora e redentora de Deus, ganhando o pão para a Sagrada Família. (R). Ver páginas 42-50: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “São JoséJosé de NazaréJosé, o Carpinteiro ou São José Operário[1] foi, segundo o Novo Testamento, o esposo da Virgem Maria e o pai adotivo de Jesus.[2][3] O nome José é a versão lusófona do hebraico Yosef (יוסף), por meio do latim Iosephus. Descendente da casa real de David, é venerado como Santo pelas igrejas ortodoxaanglicana e católica, que o celebra como seu padroeiro universal. A liturgia luterana também dedica um dia ― 19 de março ― à sua memória, sob o título de “Tutor de Nosso Senhor”. Operário, é tido como “Padroeiro dos Trabalhadores”, e, pela fidelidade a sua esposa e dedicação paternal a Jesus, como “Padroeiro das Famílias”, emprestando seu nome a muitas igrejas e lugares ao redor do mundo.

José é venerado como São José na Igreja CatólicaIgreja OrtodoxaIgreja Ortodoxa OrientalAnglicanismo e Luteranismo [4]. Nas tradições católicas, José é considerado o santo padroeiro dos trabalhadores e está associado a vários dias de festa. O papa Pio IX declarou-o patrono e protetor da Igreja Católica, além de patrocinar os doentes e uma morte feliz, devido à crença de que ele morreu na presença de Jesus e Maria. Na piedade popular, José é considerado um modelo para os pais e também se tornou patrono de várias dioceses e lugares.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Jos%C3%A9

– Ver também: https://www.google.com/search?q=Devocional+a+S%C3%A3o+Jos%C3%A9&oq=Devocional+a+S%C3%A3o+Jos%C3%A9&aqs=chrome..69i57.15106j1j8&sourceid=chrome&ie=UTF-8

– Ver ainda DIA DO TRABALHADOR…“O Dia do Trabalhador,[1] Dia do Trabalho,[2] Dia Internacional dos Trabalhadores ou Festa do Trabalhador[3] é uma data comemorativa internacional, dedicada aos trabalhadores, celebrada anualmente no dia 1 de maio, em quase todos os países do mundo, sendo feriado em muitos deles.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_do_Trabalhador

2.   Comemoração de São Jeremias, profeta, que, no tempo de Joaquim e de Sedecias, reis de Judá, preanunciando a destruição da Cidade Santa e a deportação do povo, sofreu muitas tribulações; por isso a Igreja o considerou como figura de Cristo padecente. Além disso, profetizou a nova e eterna Aliança que havia de consumar-se em Cristo Jesus, pelo qual o Pai omnipotente escreveria a sua lei no íntimo do coração dos filhos de Israel, de modo que Ele mesmo fosse o seu Deus e eles fossem o seu povo.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI antes da nossa era, o Profeta Jeremias. De uma família sacerdotal dos arredores de Jerusalém, foi chamado por Deus desde sua juventude, e exerceu seu ministério profético durante o período trágico que precedeu a tomada de Jerusalém por Nabucodonosor e a primeira deportação para a Babilônia. Pelo anúncio de uma nova Aliança, fundada sobre a religião do coração, e por sua vida de abnegação a serviço da palavra de Deus, o profeta aparece como uma prefiguração de Cristo. (M).

Ver páginas 14-26: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

3.   No território de Viviers, na hodierna França, Santo Andéolo (também na Folhinha do Coração de Jesus) mártir. († data inc.).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na região do Vivarais, no começo do séc. III, o martírio do Bem-Aventurado Andeolo. Suspenso sobre um braseiro ardente, ouviram-no pronunciar esta oração: “Senhor Jesus, eu te dou graças por aquilo que me permites sofrer por teu nome… Faz com que eu persevere neste combate para me apresentar diante de tua majestade com a palma dos vencedores”. (M).

– Ver Santo Andeol, nas páginas 35-37: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

4.   Na Hispânia meridional, a comemoração dos santos Torcato (Torquato), bispo de Guádix, e outros seis bispos de diversas cidades, a saber: Ctesifonte em Berja, Segundo em Ávila, Indalécio em Almeria, Cecílio em Elvira, Hesíquio em Carcesa e Eufrásio em Andújar. († data inc.)

5.   Em Auxerre, na Gália, hoje na França, Santo Amador, bispo, que procurou erradicar da sua cidade as superstições pagãs e instituiu o culto dos santos mártires. († 418).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, Santo Amador, bispo de Auxerre. Para destruir mais facilmente certas superstições pagās, aplicou-se em estimular o culto dos mártires cristãos, em particular de Santo Estêvão, a quem dedicou a nova catedral de Auxerre. (M).

Ver pág. 38: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

6.   Em Auch, na Aquitânia, também na actual França, Santo Orêncio, bispo, que se esforçou por exterminar na sua cidade os costumes dos pagãos e estabelecer a paz entre os Romanos e o rei dos Visigodos em Toulouse. († c. 440)

7*.   Na Bretanha Menor, também na hodierna França, São Brioco, bispo e abade, natural do País de Gales, que fundou um mosteiro no litoral da Armórica, posteriormente elevado à dignidade de sede episcopal. († c. 500).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no começo do séc. VI, São Brioco. Nascido no país de Gales, onde foi convertido à fé cristã por São Germano de Auxerre, chegou à Armórica, onde suas conquistas apostólicas permitiram-lhe fundar um mosteiro, e depois uma Igreja da qual se tornou bispo. (X)

8.   Em Saint-Maurice-en-Valais, na Récia, actualmente na Suíça, o sepultamento de São Segismundo, rei da Borgonha, que, convertido da heresia ariana à fé católica, ali instituiu um grupo de cantores para entoar salmos ininterruptamente diante dos sepulcros dos mártires, expiou com penitência, lágrimas e jejuns um delito cometido e encontrou a morte no território de Orléans, onde foi afogado num poço pelos adversários. († 524).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 523, São Sigismundo, rei dos borguinhões. Desejoso de reparar por suas boas obras o erro que antes havia cometido contra a religião, dedicou-se a erigir o célebre mosteiro de Agaune, hoje Saint-Maurice-en-Valais. (M).

Ver páginas 09-13: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Sigismundo (morto em 524) foi rei da Borgonha de 516 até sua morte, em 524. Era filho do rei Gundebaldo, a quem sucedeu em 516. Sigismundo e seu irmão Gundemaro III foram atacados pelos filhos de Clóvis I e Gundemaro fugiu. Sigismundo foi preso por Clodomiro, rei de Orleães, que o manteve prisioneiro. Foi mantido na vila de St. Pervay la Colombe, perto de Orleães. Gundemaro juntou-se ao exército da Borgonha e retomou seu reino. Enquanto isso, Clodomiro Ordenou a morte de Sigismundo e marchou com seu irmão Teodorico I, rei de Metz, pela Borgonha em 524.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sigismundo_da_Borgonha

9*.   Numa ilha da Bretanha Menor, actualmente na França, São Marculfo, eremita, depois monge e abade do mosteiro de Nanteuil. († c. 558)

10.     Em Llanelwy, no País de Gales, Santo Asafo, abade e bispo da sede posteriormente designada com o seu nome. († s. VI f.).

No Martirológio Romano-Monástico, perto do ano 600, Santo Asaf. Inicialmente monge, foi nomeado bispo do País de Gales. Nesse cargo, dava grande importância à pregação, que considerava essencial para a salvação do seu rebanho (M)

11*.   Em Gap, na Provença, região da Gália, hoje na França, Santo Arísio, bispo, célebre pela sua paciência nas adversidades, pelo zelo contra os simoníacos e pela caridade para com os monges romanos enviados à Inglaterra. († 604).

– Ver: Santo Arígio, bispo e confessor. Ver página 39: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

12*.   No território de Montauban, na Gália Narbonense, também na actual França, o passamento de São Teodardo, bispo de Narbonne, que restaurou a sua igreja catedral e resplandeceu pelo seu diligente magistério. Atingido pela enfermidade, retirou-se num mosteiro, onde entregou a sua alma a Deus. († 893)

13*.   Em Fossombrone, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, o Beato Aldebrando, bispo, ilustre pela sua vida austera e espírito apostólico. († 1170)

14*.   Em Arouca, localidade de Portugal, a Beata Mafalda de Portugal, virgem, cuja memória se celebra em Portugal no dia 20 de Junho, juntamente com a das suas irmãs Sancha e Teresa.

(† 1257)

15*.   Em Montaione, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, o Beato Vivaldo de São Geminiano, eremita da Ordem Terceira de São Francisco, insigne pela austeridade de vida, paciência e caridade na assistência aos enfermos. († c. 1320)

16*.   Em Castello di Valle d’Ístria, cidade da Ístria, hoje Bale, cidade da Croácia, o Beato Juliano Cesarello, presbítero da Ordem dos Menores, que andava por cidades e aldeias anunciando a palavra de Deus e acalmando as discórdias dos cidadãos. († c. 1349)

17.   Em Forli, na Emília, hoje na Emília-Romanha, região da Itália, São Peregrino Laziósi, religioso da Ordem dos Servos de Maria, que, em consonância com a sua condição de servo da Mãe de Deus, se tornou insigne na piedade para com o seu Filho Jesus e na solicitude pelos pobres. († 1345).

Ver páginas 51-52: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

18*.   Em Moncel, no território de Beauvais, na França, a Beata Petronila, virgem, primeira abadessa do mosteiro das Clarissas deste lugar. († 1355)

19.   Em Roma, dia natal de São Pio V, cuja memória é celebrada na véspera deste dia. († 1572)

20.   Na fortaleza de San-Tay, no Tonquim, hoje no Vietnam, Santo Agostinho Schoeffler, presbítero da Sociedade das Missões Estrangeiras de Paris e mártir, que, depois de três anos de ministério apostólico, foi metido no cárcere e, por ordem do imperador Tu Duc, decapitado no chamado Campo das Cinco Geiras, assim recebendo a graça do martírio que todos os dias pedia a Deus. († 1851)

21.   Em Nam-Dinh, também no Tonquim, São João Luís Bonnard, presbítero da mesma Sociedade e mártir, que, condenado à morte por ter baptizado vinte e cinco crianças, foi decapitado e assim alcançou a coroa do martírio. († 1852)

22.   Em Milão, na Itália, São Ricardo (Erminio Philippo Pampuri) Pampuri, que, depois de ter exercido generosamente a medicina na vida secular, ingressou na Ordem Hospitaleira de São João de Deus e, passados cerca de dois anos, adormeceu piedosamente no Senhor. († 1928). Ele foi beatificado pelo Papa João Paulo II em 1981 e canonizado em 1989. 

Conforme:

http://sagradafacejesus.blogspot.com/2012/07/sao-ricardo-pampuri.html

VER AINDA:

– “Riccardo Pampuri (2 de agosto de 1897 – 1 de maio de 1930) – Nascido Erminio Filippo Pampuri foi um médico italiano e veterano da Primeira Guerra Mundial que também foi membro declarado dos Hospitallers de São João de Deus. [1] Pampuri trabalhou como médico de campo no campo de batalha durante a Grande Guerra e recebeu alta em 1920, quando pôde retomar seus estudos e logo começou sua própria prática como médico onde ele cuidava dos pobres sem custos. Tornou-se membro da Terceira Ordem de São Francisco como “Antonio” ao fundar a Banda de Pio X que dedicou aos cuidados médicos das pessoas pobres. Mas Pampuri mais tarde tornou-se um religioso professado para o chamado era muito grande para ele ignorar; ele gerenciava uma clínica odontológica gratuita em Brescia para sua ordem. [2][3][4]https://en.wikipedia.org/wiki/Richard_Pampuri

– “… Filho de Inocêncio Pampuri e Angela Campari, o décimo de onze filhos, e foi batizado no dia seguinte.

Sua mãe morreu quando ele tinha três anos de idade, ele foi acolhido e educado na casa de seus tios maternos em, Torrino, uma aldeia da freguesia de Battuda, mas dependente Trivolzio. Em 1907, o pai morreu em Milão, em um acidente de carro.

Ele freqüentou escolas de ensino fundamental em dois países vizinhos, e eu acho Casorate, a primeira escola de gramática em Milão e foi, então, boarder em St. Augustine College of Pavia. Após completar seus estudos do ensino médio, ele ingressou na faculdade de medicina da Universidade de Pavia.

Durante a Primeira Guerra Mundial, ele estava no exército, nos anos 1915-1920, prestando serviços de saúde em uma zona de guerra, primeiro sargento, então, como um oficial aspirante a médico.

Em 20 de março de 1921, poucos meses antes da formatura, tornou-se um Terciário franciscano com o nome de Antonio, recebe os sinais no convento de Canepanova em Pavia.” http://www.sanriccardopampuri.it/biografia_pt.html

– “1 de maio São Ricardo Pampuri, Médico e Religioso da Ordem Hospitaleira de São João de Deus (os Fatebenefratelli)

São Ricardo Pampuri nasceu em Trivolzio, perto de Pávia, a 2 de agosto de 1897, e foi batizado com o nome de Hermínio Filipe. Foi o penúltimo de 11 filhos de Inocente Pampuri e Ângela Campari. A sua mãe faleceu quando Hermínio era ainda uma criança de apenas três anos de idade e o seu pai morreu alguns anos mais tarde: por isso, foi confiado aos tios. Ainda jovem estudante, entrou para a Sociedade de São Vicente de Paulo e colaborou na fundação da Associação Juvenil da Associação Católica “Dom Bosco”.” https://www.facebook.com/SantosESantas/posts/1-de-maio-s%C3%A3o-ricardo-pampuri-m%C3%A9dico-e-religioso-da-ordem-hospitaleira-de-s%C3%A3o-jo/678812662326594/

https://www.facebook.com/SantosESantas/posts/678812662326594/

https://www.google.com/search?q=S%C3%A3o+Ricardo+Pampuri&oq=S%C3%A3o+Ricardo+Pampuri&aqs=chrome..69i57j46.7670j1j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8

23*.   Em Vladimir, cidade da Rússia, o Beato Clemente Steptyckyj, presbítero e mártir, que foi prior do mosteiro estudita da cidade de Univ e, no tempo dum regime hostil a Deus, perseverando firme na fé, mereceu habitar nas moradas celeste. († 1951)

24. São Gomberto (Gundemberto) e Santa Berta. Ver páginas 40-41: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf 7

25. Em Bérgamo, Santa Grata, viúva (também na Folhinha do Coração de Jesus), às ordens da qual foram construídos a catedral daquela cidade e o hospital, onde cuidava dos doentes, carinhosamente. Ver pág. 53: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

26. NOITE DE SANTA VALBURGA: DE 30 DE ABRIL PARA 01 DE MAIO. Ver “Noite de Santa Valburga (do alemãoWalpurgisnacht[1]) é uma festa tradicional cristã cujas origens remontam em parte ao paganismo, celebrada na noite de 30 de Abril para 1 de Maio. Hoje em dia é celebrada igualmente quer por comunidades cristãs quer por não cristãs, em diversos países do Norte e Centro da Europa.[2]

Na maioria dos países esta festividade é celebrada em honra de Santa Valburga, abadessa anglo-saxã de Heidenheim na Baviera, nascida no Devonshire, Inglaterra, no Século VIII. No entanto, devido ao facto de esta noite estar associada, desde tempos imemoriais, com diversos ritos pagãos associados à celebração da chegada da Primavera, as duas celebrações ter-se-ão com o tempo confundido, dando assim origem à moderna festividade que nos dias de hoje se celebra nesta noite.

Durante os festejos é costume fazerem-se grandes fogueiras de modo a afugentar espíritos malignos e almas penadas, os quais segundo a crença popular, vagueiam nesta altura por entre os vivos.

Em muitos países, esta noite está igualmente associada com grandes celebrações estudantis, que marcam o final de ano lectivo.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Noite_de_Santa_Valburga

– Ver 25 de fevereiro: No mos­teiro de Hein­de­nheim, na Fran­cónia, hoje na Ale­manha, Santa Val­burga, aba­dessa, que, a pe­dido de São Bo­ni­fácio e dos seus ir­mãos São Vi­le­baldo e São Vi­ne­baldo, veio da In­gla­terra para a Ale­manha, onde di­rigiu ex­ce­len­te­mente dois mos­teiros, um de monges e outro de monjas. († 779). Conforme o Romano-Monástico, em Heidenheim, no séc. VIII, Santa Valburga, abadessa. Filha de São Ricardo, rei da Inglaterra, foi enviada para a Germânia a pedido de São Bonifácio, para dirigir um mosteiro fundado por seus próprios irmãos. É padroeira de várias grandes cidades da Bélgica, notadamente Bruges e Ypres. (M). Ver páginas 406-407: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

–  Ver “Santa Valburga ou Valpurga (inglês antigoWealdburg; c. 710 – 25 de fevereiro de 777/79) foi uma missionária anglo-saxã que atuou no Reino Franco. Foi canonizada cerca de 870 pelo Papa Adriano”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Valburga

27. Outros santos do dia 01 de maio: págs. 09-58 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 01 de maio, ver ainda: 1 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 367-371: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA] MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 30 de abril

1. São Pio V (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, ele­vado da Ordem dos Pre­ga­dores à cá­tedra de Pedro, se­guindo os de­cretos do Con­cílio de Trento, re­novou com grande pi­e­dade e vigor apos­tó­lico o culto di­vino, res­taurou a dou­trina cristã e a dis­ci­plina ecle­siás­tica e pro­moveu a pro­pa­gação da fé. No dia 1 de Maio, em Roma, ador­meceu no Senhor. († 1572).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1572, o nascimento no céu de São Pio V, dominicano, que tornando-se papa fez cumprir, nos seis anos de seu pontificado, as decisões do concílio de Trento, pela edição do novo Missal e de um novo Oficio Divino, pela publicação do Catecismo Romano e pela introdução da teologia tomista nas universidades. Seu nome permanece também ligado à vitória de Lepanto, que preservou a cristandade da invasão turca, através da intercessão de N. S. do Rosário. (R).

– Ver também: “… Em 1572, o Papa Pio V instituiu “Nossa Senhora da Vitória” como uma festa litúrgica para comemorar a vitória da Batalha de Lepanto. A vitória foi atribuída à intercessão da Virgem Maria por ter sido feita uma procissão do rosário naquele dia na Praça de São Pedro, em Roma, para o sucesso da missão da Liga Santa contra os turcos otomanos no oeste da Europa. Em 1573, Papa Gregório XIII mudou o título da comemoração para “Festa do Santo Rosário” e esta festa foi estendida pelo Papa Clemente XII a toda a Igreja Católica. Após as reformas do Concílio Vaticano II a festa foi renomeada para Nossa Senhora do Rosário. A festa tem a classificação litúrgica de memória universal e é comemorada dia 7 de outubro, aniversário da batalha”. Conforme: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_do_Ros%C3%A1rio

-Ver sobre São Pio V páginas 97-104: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver “O Papa Pio V (17 de janeiro de 1504 – 1 de maio de 1572), nascido Antonio Ghislieri (de 1518 chamado Michele Ghislieri, OP), foi inquisidor, chefe da Igreja Católica e governante dos Estados papais de 8 de janeiro de 1566 até à data da sua morte em 1572. Ele é venerado como um santo da Igreja Católica.[1] Ele é notável principalmente por seu papel no Concílio de Trento, na Contra-Reforma e na padronização do Rito Romano na Igreja Latina. Pio V declarou Tomás de Aquino um Doutor da Igreja.[2][3]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Pio_V

2.   Em Fermo, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, Santa Sofia (também na Folhinha do Coração de Jesus) virgem e mártir. († data inc.)

3.   Em Roma, no ce­mi­tério de Pre­tex­tato, junto à Via Ápia, São Qui­rino, mártir, que, sendo tri­buno, co­roou com o mar­tírio o tes­te­munho da sua fé. († c. s. III)

4.   Em Saintes, na Aqui­tânia, hoje na França, Santo Eu­trópio, pri­meiro bispo desta ci­dade, que, se­gundo a tra­dição, foi en­viado para a Gália pelo Ro­mano Pontífice. († s. III).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Saintonge, no séc. II, Santo Eutrópio, bispo, membro de uma missão apostólica de origem oriental, que implantou o cristianismo na Gália. (M).

Ver “Santo Eutrópio, bispo e mártir” páginas 410-411: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

5.   Em Afro­dísia, na Cária, na ho­di­erna Tur­quia, os santos Di­o­doro e Ro­do­piano, már­tires, que, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, foram ape­dre­jados até à morte pelos seus concidadãos. († s. IV)

6.   Em Euria, no Epiro, hoje Pa­ramythi, na Grécia, São Do­nato, bispo, que viveu com grande fama de san­ti­dade no tempo do im­pe­rador Teodósio. († s. IV) V

7.   Em No­vara, na Li­gúria, hoje no Pi­e­monte, re­gião da Itália, São Lou­renço (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero e mártir, que cons­truiu uma sa­grada fonte onde bap­ti­zava as cri­anças que lhe eram con­fi­adas para a sua edu­cação; mas num dia em que con­duziu a Deus um nu­me­roso grupo de cri­anças pelo bap­tismo, foi co­roado com o mar­tírio jun­ta­mente com os pe­quenos neófitos. († s. IV)

8.   Em Forli, na Emília-Ro­manha, também re­gião da Itália, São Mer­cu­rial, bispo, que, se­gundo a tra­dição, ins­ti­tuiu a sede epis­copal nesta cidade. († s. IV)

9.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, igual­mente re­gião da Itália, São Pom­pónio, bispo, que cons­truiu na ci­dade uma igreja de­di­cada ao Nome de Maria Mãe de Deus e, du­rante a ocu­pação mi­litar dos Godos, de­fendeu da he­resia ariana o povo que lhe es­tava confiado. († s. VI)

10*.   Em Roma, o Beato Pedro Levita, que, tendo sido monge no monte Célio, por man­dato do papa São Gre­gório Magno ad­mi­nis­trou com pru­dência o pa­tri­mónio da Igreja de Roma e, or­de­nado diá­cono, foi mi­nistro fiel do Sumo Pontífice. († 605)

11*.   Em Vi­viers-sur-Rhône, na Nêus­tria, na ho­di­erna França, Santo Au­gulo, bispo, que, se­gundo a tra­dição, cons­truiu o pri­meiro hos­pital na ci­dade e li­bertou muitos escravos. († s. VII)

12.   Em Bar­king, na In­gla­terra, o pas­sa­mento de Santo Er­con­valdo, bispo, que fundou dois mos­teiros: um para ho­mens, a que ele mesmo pre­sidiu, e outro para mu­lheres, que foi di­ri­gido por sua irmã, Santa Etelburges. († 693)

13.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, os santos már­tires Amador, pres­bí­tero, Pedro, monge, e Luís, que, du­rante a per­se­guição dos Mouros, por não dei­xarem de pregar pu­bli­ca­mente o Evan­gelho de Cristo, foram cru­el­mente assassinados. († 855)

14*.   Em Ve­rona, no Vé­neto, re­gião da Itália, São Gual­fardo, fa­bri­cante de selas oriundo da Ger­mânia, que, de­pois de passar muitos anos na so­lidão, foi re­ce­bido pelos monges de São Sal­vador nesta cidade. († 1127)

15*.   Em Vernon-sur-Seine, na França, Santo Ad­jutor, que, feito pri­si­o­neiro em tempo de guerra, foi tor­tu­rado por causa da sua fé e, re­gres­sando à sua pá­tria, re­tirou-se numa cela, onde se en­tregou à vida penitente. († c. 1131).

Ver páginas 412-413: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

16*.   Em New­castle-on-Tyne, na In­gla­terra, o Beato Gui­lherme Southerne, pres­bí­tero e mártir, que, ter­mi­nados os es­tudos na Li­tuânia, Es­panha e Douai, de­pois de ser or­de­nado pres­bí­tero partiu para a In­gla­terra e, por isso, no rei­nado de Jaime I, foi con­de­nado ao su­plício da forca. († 1618)

17*.   Em Fos­som­brone, nas Marcas, re­gião da Itália, o Beato Bento de Urbino, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que foi com­pa­nheiro de São Lou­renço de Brindes na pre­gação frente aos hus­sitas e luteranos. († 1625)

18*.   No Québec, pro­víncia do Ca­nadá, Santa Maria da En­car­nação (Maria Guyart Martin), mãe de fa­mília, que, de­pois da morte do es­poso, con­fiou o filho ainda pe­queno aos cui­dados da sua irmã e, pro­fes­sando a vida re­li­giosa entre as Irmãs Ur­su­linas, fundou a casa destas Re­li­gi­osas no Ca­nadá e re­a­lizou obras admiráveis. († 1672)

19.   Em Chiéri, perto de Aosta, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, São José Bento Cottolengo, pres­bí­tero, que, pondo toda a con­fi­ança só no au­xílio da di­vina Pro­vi­dência, abriu uma casa onde re­cebeu po­bres e todo o gé­nero de en­fermos e marginados. († 1842).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1842, São José Bento Cottolengo, padre italiano, que fundou em Turim a Pequena casa da Divina Providência, a serviço dos necessitados e dos doentes. A fundação tornou-se mais tarde uma obra de vulto, à qual se ligaram cerca de trinta congregações. (X).

Ver páginas 414-416: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também “Giuseppe Benedetto Cottolengo (3 de maio de 1786 – 30 de abril de 1842) foi o fundador da Casa da Divina Providência [1] e é um santo da Igreja Católica Romana.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Giuseppe_Benedetto_Cottolengo

20.   Em An Bai, lo­ca­li­dade do Ton­quim, hoje no Vi­etnam, São José Tuan, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, de­nun­ciado por ter ad­mi­nis­trado os sa­cra­mentos à sua mãe en­ferma, foi con­de­nado à morte no tempo do im­pe­rador Tu Duc. († 1861)

21*.   Em Pa­der­born, na Ale­manha, a Beata Pau­lina von Mallinckrodt, virgem, fun­da­dora das Irmãs da Ca­ri­dade Cristã, para ins­truir cri­anças po­bres e cegas e prestar au­xílio aos en­fermos e aos necessitados. († 1881)

22. No séc. V, os Santos Pulcrônio, Possessor e Firmino, bispos de Verdun.  A São Pulcrônio coube a honra de ter fundado a Catedral de Nossa Senhora e propagado o culto da “Theotókos” logo depois do Concílio de Éfeso (Conforme Martirológio Romano-Monástico – M).

23. No ano de 259, na Numídia, a paixão dos Santos Mariano e Tiago. Segundo as atas do seu martírio “a vida da graça era tão intensa nessas testemunhas de Deus, que fizeram vários outros mártires pelo exemplo de sua fé” (Conforme Martirológio Romano-Monástico – M).

– Ver página 416: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

24. São Máximo de Éfeso, mártir. Ver “… Rendendo graças a Deus Pai, por Jesus Cristo, o Filho, por ter triunfado do demônio, Máximo, levado para fora dos muros da cidade, sucumbiu sob as pedras. A menção Éfeso, que consta do martirológio romano, não se lê nas Atas, que dizem simplesmente que Máximo foi martirizado in Asia.” páginas 405-407: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

25. Bem-aventurada Hildegarda, rainha, … era filha do rei dos suevos, Childebrando. Casada com Carlos Magno em 771… deu exemplo das mais altas virtudes… Durante os doze anos de casada, Hildegarda deu ao grande imperador nove filhos, dos quais três morreram com pouca idade… Quando faleceu, estava então em Thionville, a 30 de abril de 783, tôda a monarquia francesa chorou, enlutada. Fundadora de inúmeros mosteiros, Hildegarda, que vivia quase que apagadamente, apenas usava da influência para fazer o bem… (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver páginas 408-409: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf 

                                   =========================

Observação: O livro VIDA DOS SANTOS traz, após o dia 30 de abril, TEXTO SOBRE as FESTAS MÓVEIS QUE OCORREM EM MARÇO E ABRIL. VER PÁGINAS 419-472: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

DESTAQUE:

– Paixão e Morte de Jesus Cristo: págs.419-420;

            ….. No dia 18 de março, na vida de São Cirilo de Jerusalém (em suas CATEQUESES MISTAGÓGICAS), veem-se ainda outras particularidades edificantes sobre a paixão e morte de Nosso Senhor. Ver págs. 108-127: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

– Jesus anuncia aos apóstolos que o tempo de sua morte se aproxima: págs. 421-422;

Pergunta ambiciosa dos filhos de Zebedeu. Págs. 423-424;

Ressurreição de Lázaro. Págs. 425-426;

Paixão de Jesus Cristo segundo Davi. Págs. 427-429;

O profeta Jonas, figura de Jesus Cristo.  Págs. 430-432;

Paixão de Jesus Cristo segundo Isaías.  Págs. 433-435;

Compaixão da Santa Virgem. Págs. 436.437;

O profeta Jeremias, outra figura de Jesus. Págs. 438-439;

Entrada triunfal de Jesus em Jerusalém. Págs. 440-442;

Traição de Judas. Págs. 443-444;

Jesus agonizando no Jardim das Oliveiras.  Págs. 445-446;

Negação de Pedro.  Págs. 447-448;

Instituição do Sacrifício da Missa e da Comunhão. Págs. 449-450;

O caminho da cruz. Págs. 451-453.

AS FESTAS DA PÁSCOA:

            : Sábado Santo. Págs. 454-456;

            : Jesus ressuscita. Págs. 457-458;

            : Ressurreições figurativas do gênero humano e dos patriarcas. Págs. 459-461;

            : O significado da Páscoa. Págs. 462-463;

            : Davi predisse a ressurreição. Pág. 464-465;

            : A primavera: págs. 466-467;

            : Ressurreição do povo de Israel. Págs. 468-470;

            : Ressurreição do gênero humano. Págs. 471-472

================

26. Outros santos do dia 30 de abril: págs. 357-472 (vol.07): VIDAS DOS SANTOS – 7.pdf (obrascatolicas.com)

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 30 de abril, ver ainda: 30 de abril – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 362-365: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA] MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 29 de abril

1. Festa de Santa Ca­ta­rina de Sena (também na Folhinha do Coração de Jesus) virgem e dou­tora da Igreja, que, tendo to­mado o há­bito das Irmãs da Pe­ni­tência de São Do­mingos, pro­curou co­nhecer a Deus em si mesma e a si mesma em Deus e con­fi­gurar-se a Cristo cru­ci­fi­cado. Tra­ba­lhou vi­go­rosa e in­can­sa­vel­mente pela paz, pelo re­gresso do Pon­tí­fice Ro­mano à sua ci­dade de Roma e pelo res­ta­be­le­ci­mento da uni­dade da Igreja, e es­creveu ex­ce­lentes obras de dou­trina espiritual. († 1380).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santa Catarina de Sena, virgem e Doutora da Igreja. Terciária dominicana, e inflamada por um constante diálogo com seu esposo místico, teve uma irradiação maternal sobre seus discípulos, que se beneficiaram de sua doutrina, e exerceu influência decisiva junto ao papa em favor da unidade da Igreja. Adormeceu no Senhor em 1380, aos trinta e três anos. (R).

Ver páginas 357-404 (VIDAS DOS SANTOS DE 30 DE ABRIL): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também “… Desde 18 de junho de 1866, ela é padroeira da Itália juntamente com São Francisco de Assis.[1] Em 3 de outubro de 1970, Catarina foi proclamada Doutora da Igreja pelo Papa Paulo VI[2] e, em 1 de outubro de 1999, São João Paulo II nomeou-a uma das seis padroeiras da Europa, juntamente com São BentoSantos Cirilo & MetódioSanta Brígida da Suécia e Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein).[3][4]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Catarina_de_Siena

– Ver ainda “… Em 1380, quando Santa Catarina de Sena tinha apenas 33 anos, ela veio a falecer em Roma. Ela estava simplesmente esgotada de tanto esforço físico, mental e espiritual em favor da Igreja. No momento de sua morte, ela exclamou: “Se morrer, sabeis que morro de paixão pela Igreja”. Santa Catarina de Sena foi proclamada santa em 1461. Em 1939, o Papa Pio XII proclamou-a padroeira da Itália, juntamente com São Francisco de Assis. Em 1968 ela foi proclamada doutora da igreja pelo Papa Paulo VI. As pregações e os escritos de Santa Catarina de Sena formam um dos maiores tesouros de sabedoria e riquezas espirituais de todos os tempos.

“A paciência vos tornará perseverantes até a morte, que aceitareis com muita humildade. Pois o sangue de Cristo iluminará vossa inteligência com a verdade. Deus quer apenas a nossa santificação, dado que nos ama inegavelmente.” (Sta. Catarina de Sena).”: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-santa-catarina-de-sena/437/102/

– “… Assim como a santa sienesa, todo o crente sente a necessidade de conformar-se com os sentimentos do Coração de Cristo para amar a Deus e o próximo como Cristo mesmo ama. E todos nós podemos deixar-nos transformar o coração e aprender a amar como Cristo, em uma familiaridade com ele nutrida pela oração, meditação da Palavra de Deus e dos Sacramentos, sobretudo recebendo frequentemente e com devoção a santa Comunhão… De Santa Catarina, portanto, aprendemos a ciência mais sublime: conhecer e amar Jesus Cristo e sua Igreja…

Ao final da Catequese, o Papa dirigiu aos peregrinos de língua portuguesa a seguinte saudação:

Amados peregrinos vindos do Brasil e de outros países de língua portuguesa, sede bem-vindos!

Santa Catarina de Sena ensina que a ciência mais sublime consiste em amar Jesus Cristo e a sua Igreja. Segui o exemplo desta santa, amando Jesus com coragem e sinceridade, para assim alcançardes a paz e a alegria que vêm de Deus. Ide em paz!” (Papa Bento XVI) : https://noticias.cancaonova.com/mundo/catequese-de-bento-xvi-sobre-santa-catarina-de-sena/

–  Ver ainda “…Ao falar em público, não cansava os ouvintes. Abraçava as pessoas com afeto, segurava-lhes as mãos. Ria com elas, e com elas chorava….”: https://formacao.cancaonova.com/igreja/santos/conheca-a-historia-de-santa-catarina-de-sena-a-doutora-da-igreja/

2*.   Co­me­mo­ração de São Tí­quico, dis­cí­pulo do após­tolo São Paulo, a quem o Após­tolo nas epís­tolas chama irmão ca­rís­simo, mi­nistro fiel e seu com­pa­nheiro no ser­viço do Senhor.

Ver páginas 345-346: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf.

3.   Em Pisa, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, São Torpes (Torpeto), mártir. († data inc.).

– Ver “São Torpes (… Pisa29 de Abril de 68), por vezes também chamado de São Torpes de Pisa, é venerado como um dos primeiros mártires e santos cristãos. Este santo é o homónimo de Saint-Tropez, a famosa região do sul de França, e ainda do Sítio em na Praia de São Torpes, em no Sines e no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. De acordo com a lenda, afirma-se que ele terá sido martirizado devido à sua fé cristã durante as perseguições levadas a cabo pelo imperador Nero.[1]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Torpes

4.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, também re­gião da Itália, São Se­vero, bispo, amado por Santo Am­brósio como irmão e pela sua Igreja como pai. († c. 409)

5.   Em Cluny, na Bor­gonha, na ac­tual França, Santo Hugo, abade, que du­rante ses­senta e um anos go­vernou san­ta­mente o mos­teiro deste lugar, sempre de­di­cado à es­mola e à oração, guar­dião e pro­tector emi­nente da dis­ci­plina mo­nás­tica, ad­mi­nis­trador e pro­motor ze­loso da santa Igreja. († 1109).  

– Ver páginas 347-350: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também “Hugo de Cluny, dito o Grande, foi o sexto abade de Cluny desde 1049 até à sua morte. Foi uma das figuras mais marcantes do seu tempo, vindo a ser canonizado pela Igreja Católica.

Terá sido recebido nessa abadia por Santo Odilon aos 16 anos e sucedeu-lhe no ofício de abade superior aos 25 anos, que governou por 62 anos[1].”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hugo_de_Cluny

– Ver dia 11 de maio

6*.   Na abadia de La Lu­cerne d’Ou­tremer, na Nor­mandia, re­gião da França, Santo Acardo, bispo de Avran­ches, que, tendo sido abade de São Víctor de Paris, es­creveu vá­rios tra­tados sobre a vida es­pi­ri­tual, des­ti­nados a con­duzir a alma cristã ao mais alto grau de per­feição; e quando morreu, foi se­pul­tado nesta abadia da Ordem Pre­mons­tra­tense, onde fre­quen­te­mente se recolhia. († 1172)

7.   Em Seul, na Co­reia, Santo An­tónio Kim Song-u, mártir, que cos­tu­mava reunir em sua casa muitos fiéis e, de­go­lado no cár­cere, morreu por Cristo. († 1841)

8. São Pedro de Verona (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir. Ver “… O papa Inocêncio IV, depois de mandar tomar informações exatas, verificou muitas coisas que não eram do domínio público. Estando, pois, em Perúsia, em 24 de março de 1 253, na praça da igreja dos frades pregadores, em presença de grande multidão, incluiu-o solenemente no número dos santos mártires. Mas como 6 de abril, que foi o dia de sua morte, coincide freqüentemente com as festas pascoais, o papa ordenou que a festa do novo santo fosse celebrada no dia 29 de abril…”, às páginas 338-344: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

9. No mos­teiro de Mo­lesmes, na França, São Ro­berto (ver dias 26 de janeiro, 17 de abril e 29 de abril), abade, que, pro­cu­rando pra­ticar a vida mo­nás­tica de ob­ser­vância mais sim­ples e aus­tera, foi in­can­sável fun­dador e di­rector de ce­nó­bios, bem como di­rector de ere­mitas e in­signe res­tau­rador da dis­ci­plina mo­nás­tica, e fundou o mos­teiro de Cister, do qual foi o pri­meiro abade; fi­nal­mente re­gressou como abade ao mos­teiro de Mo­lesmes, onde des­cansou em paz. († 1111). Ver páginas 351-355: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver “… Em Roberto vemos um homem de cheio de uma santa inquietação, sempre movido pelos mais altos ideais de perfeição cristã…”: https://caminhocisterciense.com/2018/01/26/os-fundadores-de-cister-i-s-roberto-de-molesmes/ 

– Ver ainda “… Roberto extinguiu-se no Senhor a 17 de Abril de 1111, depois de uma vida de lutas incessantes e trabalhos desbordantes, tendo adquirido numerosos méritos pelo grande zelo que empregara animado pelo fervor da vida monástica.”: http://users.skynet.be/am012324/scriptorium/fundadores/roberto.htm

– Ver também: https://en.wikipedia.org/wiki/Robert_of_Molesme

* Em Cister, na Bor­gonha, na ac­tual França, Santo Al­be­rico (ver 26 de janeiro), abade, foi um dos pri­meiros monges vindos de Mo­lesmes para o novo mos­teiro, que de­pois, eleito seu abade, o di­rigiu com sumo ardor e pru­dência, en­si­nando e dando exemplo de per­feita vida mo­nás­tica, com ver­da­deiro amor à Regra e aos irmãos. († 1109). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no início do séc. XII o nascimento no céu dos santos abades fundadores de Cister. A São Roberto de Molesme se deve essa orientação mais despojada do monaquismo beneditino, para a qual Santo Alberico elaborou as primeiras Instituições. Santo Estevão Harding, finalmente, garantiu o definitivo brilho da Ordem Cisterciense redigindo a Carta de Caridade e fundando as primeiras grandes casas dependentes de Cister. (B). Ver Santo Alberico na página 197: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf  

– Ver “Ordem de Cister, ou Ordem Cisterciense (Ordo cisterciensisO. Cist.), é uma ordem religiosa monástica católica beneditina reformada. Aos seus membros religiosos de clausura monástica dá-se o nome de monges (ou monjas) cistercienses, ou monges brancos, como ficaram conhecidos devido à cor do hábito.”:  Ordem de Cister: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ordem_de_Cister

– Ver ainda “Os fundadores de Cister”:

https://caminhocisterciense.com/2018/01/31/os-fundadores-de-cister-iii-s-estevao-harding/

10.   Em Cirta, na Numídia, os Santos Agápi (Santo Agapito, no Martirológio Romano-Monástico) e Secundino, que, após um longo exÍlio nessa cidade, ajuntaram à dignidade do sacerdócio a glória de um fulgurante martírio. Sofreram durante a perseguição de Valeriano, na qual os pagãos se esforçaram ao máximo em tirar a fé aos justos. Com êles enfrentaram a morte os Santos Emiliano, soldado, Tertúlia e Antonieta (Antônia, na Folhinha do Coração de Jesus), virgens, consagradas a Deus, e uma mulher com dois filhos que eram gêmeos (ano 259).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em meados do séc. III, os Santos Agapito e Secundino, bispos africanos, que acrescentaram à dignidade de seu sacerdócio a glória de um resplandecente martírio. (M).

Ver página 356:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf  

11. Outros santos do dia 29 de abril: págs. 338-356 (vol.07): VIDAS DOS SANTOS – 7.pdf (obrascatolicas.com)

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 29 de abril, ver ainda: 29 de abril – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 361-362:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 28 de abril

1. São Pedro Chanel (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da So­ci­e­dade de Maria e mártir, que se de­dicou ao mi­nis­tério das po­vo­a­ções ru­rais e à ins­trução das cri­anças; de­pois, en­viado com al­guns com­pa­nheiros para a evan­ge­li­zação da Oce­ania oci­dental, chegou à ilha Fu­tuna, onde ainda ne­nhuma co­mu­ni­dade cristã tinha sido cons­ti­tuída; apesar das di­fi­cul­dades de toda a es­pécie, com a sua sin­gular man­sidão con­se­guiu con­verter à fé al­guns ha­bi­tantes da ilha, entre eles o filho do pró­prio rei, que, en­fu­re­cido, o mandou matar, fa­zendo dele o pri­meiro mártir da Oceania. († 1841).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1841, São Pedro Chanel, padre marista, originário da diocese de Belley. Primeiro missionário da Oceania, teve pouco sucesso em seu trabalho apostólico, mas, por sua morte sangrenta, obteve a conversão ao cristianismo de toda a ilha de Futuna (R). Ver páginas 329-331: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver “Pedro Chanel (CuetFrança1803 – FutunaWallis e FutunaOceania1841) ordenou-se sacerdote e ingressou na Sociedade de Maria – padres maristas – foi para a Oceania como missionário em busca da conversão de pagãos. O seu trabalho provocou a ira de habitantes locais que lhe deram a morte. Canonizado é considerado um dos mártires da Igreja Católica. O seu dia é celebrado a 28 de abril.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_Chanel

2. São Luís Maria Grig­nion de Montfort (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, que per­correu as re­giões oci­den­tais da França a anun­ciar o mis­tério da Sa­be­doria Eterna; fundou Con­gre­ga­ções, pregou e es­creveu obras sobre a cruz de Cristo e sobre a ver­da­deira de­voção à Virgem Maria e re­con­duziu muita gente a uma vida de pe­ni­tência; fi­nal­mente, em Saint-Lau­rent-sur-Sèvre, lo­ca­li­dade da França, des­cansou da sua pe­re­gri­nação terrena. († 1716).

– Na Folhinha do Coração de Jesus de 27/04/2020 vemos: “SÃO LUÍS MARIA GRIGNION DE MONTFORT. Nasceu no dia 31 de janeiro de 1673 na aldeia de Montfort, na França. Na idade de iniciar os estudos, Luis Maria foi enviado ao colégio dos jesuítas. Demonstrando que estava avançando no caminho da santidade, foi transferido para estudar teologia em Paris. Depois de ordenado presbítero, em 5 de junho de 1700, o Papa Clemente XI o nomeou missionário apostólico. O ponto central do seu anúncio era o Cristo encarnado e crucificado, ensinando o caminho da santidade por Maria a Jesus. São Luís aparece como discípulo e testemunha de Cristo, revelando o lugar da Virgem Maria na história da salvação e na vida da Igreja. Morreu a 28 de abril de 1716. Deixou numerosos escritos particularmente sobre a espiritualidade mariana. Foi elevado à glória dos altares pelo Papa Pio XII no dia 20 de julho de 1947 (Frei Marcos Antônio de Andrade, OFM Petrópolis/RJ)”. Na Folhinha do Coração de Jesus de 27/04/2008 vemos: “SÃO LUÍS MARIA GRIGNION DE MONTFORT. Nasceu na França em 1673: uma época agitada pelas afirmações teológicas calvinistas e jansenistas. Nesse contexto, aparecem providenciais as características da vida e atividade deste santo, forjado exatamente para aquela época. É sintomático, então, o fato de ter ele escolhido por lema a devoção radical a Nossa Senhora e a reza do terço como instrumento de combate ao desnorteamento da fé. Ainda seminarista, ensinava catecismo às crianças desamparadas e, ordenado sacerdote, dedicou-se com extremo ardor à pregação das missões populares, consagrando-se à proteção de Nossa Senhora. Eis o segredo deste Santo que contribuiu na reconstrução da vida cristā em sua época (Antônio Angonese – Petrópolis/RJ)”.

Ver páginas 332-335: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também “Louis-Marie Grignion, mais conhecido como São Luís Maria Grignion de Montfort (31 de Janeiro de 1673 – 28 de Abril de 1716), foi um sacerdote francês e é um santo católico. Ele é reconhecido por ser um pregador e um escritor, cujos livros são amplamente lidos nos dias atuais e considerados de extrema importância no Magistério da Igreja Católica.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lu%C3%ADs_Maria_Grignion_de_Montfort

3.   Em Bi­terra, na Gália Nar­bo­nense, hoje Bé­ziers, na França, Santo Afro­dísio, ve­ne­rado como o pri­meiro bispo desta cidade. († data inc.)

4.   Em Ni­co­média, hoje Izmit, na Tur­quia, os santos Eu­sébio, Ca­ra­lampo e com­pa­nheiros, mártires. († data inc.)

5.   Em Ra­vena, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração de São Vital, no dia em que, se­gundo a tra­dição, foi de­di­cada com o seu nome a cé­lebre ba­sí­lica desta ci­dade. Jun­ta­mente com os santos már­tires Va­léria (também na Folhinha do Coração de Jesus), Ger­vásio, Pro­tásio e Ur­si­cino, é ve­ne­rado desde tempos ime­mo­riais por ter de­fen­dido te­naz­mente a sua in­tré­pida fé cristã. († data inc.).

São Vidal e Santa Valéria. Ver páginas 304-306: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também “Valéria de Milão (m. século I ou II) era, segundo a tradição cristã, esposa de São Vital de Milão e mãe dos Santos Gervásio e Protásio, embora outras tradições façam dela uma virgem mártir e não uma esposa e mãe.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Val%C3%A9ria_de_Mil%C3%A3o

6.   Em Do­rós­toro, na Mésia, hoje Si­listra, na Bul­gária, os santos Má­ximo, Dada e Quin­ti­liano, már­tires du­rante a per­se­guição de Diocleciano. († s. IV in.)

7.   Em Ta­ra­zona, na His­pânia Tar­ra­co­nense, São Pru­dêncio, bispo. († s. V/VI).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IX, São Prudêncio. No começo foi eremita e evangelizou a Catalunha, antes de ser nomeado bispo. (M)

8.   Em Sul­mona, nos Abruzos, re­gião da Itália, o se­pul­ta­mento de São Pân­filo, bispo de Corfínio. († c. 700)

9*.   Em Pog­gi­bónsi, na Etrúria, hoje na Tos­cana, também na Itália, o Beato Luquésio, que, de­pois de ter sido do­mi­nado pela avidez do lucro, se con­verteu e tomou o há­bito da Ordem Ter­ceira dos Pe­ni­tentes de São Fran­cisco, vendeu os seus bens e deu tudo aos po­bres, de­di­cando-se ao ser­viço de Deus e do pró­ximo em po­breza e hu­mil­dade se­gundo o es­pí­rito evangélico. († 1260).

Ver: Bem-aventurado Luquésio, confessor. Ver páginas 320-328: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

10*.   Em Sain-Lau­rent-sur-Sèvre, lo­ca­li­dade da França, a Beata Maria Luísa de Jesus (Maria Luísa Tri­chet), virgem, a pri­meira re­li­giosa a vestir o há­bito da Con­gre­gação das Fi­lhas da Sa­be­doria, que go­vernou com grande prudência. († 1759)

11.   Em Ninh-Binh, ci­dade do Ton­quim, hoje no Vi­etnam, os santos már­tires Paulo Pham Khac Khoan, pres­bí­tero, João Bap­tista Dinh Van Thanh e Pedro Nguyen Van Hieu, ca­te­quistas, que, de­pois de pas­sarem três anos presos e tor­tu­rados para que ne­gassem a fé cristã, fi­nal­mente, no tempo do im­pe­rador Minh Mang, foram de­go­lados e al­can­çaram a palma do martírio. († 1840)

12*.   No campo de con­cen­tração de Mauthausen, na Áus­tria, o Beato José Cebula, pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Mis­si­o­ná­rios Oblatos da Virgem Ima­cu­lada e mártir, na­tural da Po­lónia, que, de­por­tado da pá­tria para o cár­cere em ódio à fé, so­freu cruéis su­plí­cios até à morte. († 1941)

13.   Em Ma­genta, pró­ximo de Milão, na Itália, Santa Joana Be­retta Molla, mãe de fa­mília, que, tra­zendo um filho ge­rado em seu ventre, morreu an­te­pondo a li­ber­dade e a vida do nas­ci­turo à sua pró­pria vida. († 1962).

– Ver “Gianna Beretta Molla (Magenta4 de outubro de 1922 — Milão28 de abril de 1962) foi uma médica italiana casada e mãe de família com quatro filhos, proclamada santa pela Igreja Católica… Gianna foi canonizada no dia 16 de maio de 2004 e recebeu do papa João Paulo II o título de “Mãe de Família”. Na cerimônia estavam presentes o seu marido, Pietro Molla, suas filhas Gianna Emanuela e Laura, e o filho Pierluigi. Atualmente há vários grupos pró-vida que homenageiam a médica canonizada, inclusive no Brasil, entre os quais o movimento pró vida – GBM, capitaneado pelo líder católico de Rancho Queimado (SC), Sabino Werlich.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gianna_Beretta_Molla

14. Bem-aventurado Agostinho, da Ordem dos Eremi9tas de Santo Agostinho. Ver páginas 298-302: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

15. São Marcos, o galileu. Bispo e mártir. Ver página 303: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

16. Em Alexandria, pela mesma época, a paixão de Santa Teodora, virgem. Ela respondeu ao prefeito que queria entregá-la à desonra: “Antes de tudo, devo confessar Jesus Cristo, que me concedeu a verdadeira liberdade e a verdadeira nobreza (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

Santa Teodora e São Dídimo. Ver páginas 310-315: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

17. SANTOS PATRÍCIO DE PRUSA, BISPO, ACÁCIO, MENANDRO E POLIENO. Mártires. Ver páginas 316-319: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

18. Outros santos do dia 28 de abril: págs. 298-337 (vol.07):

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 28 de abril, ver ainda: 28 de abril – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 358-360:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 27 de abril

* Solenidade de NOSSA SENHORA DE MONSERRATE (27 DE ABRIL NA CATALUNHA), e conforme o Martirológio Romano-Monástico de 08 de setembro, titular da Abadia Territorial de Nossa Senhora de Monserrate, no Rio de Janeiro, e padroeira principal das arquidioceses de Curitiba e Vitória, da diocese de Juazeiro e da prelazia de Lábrea. Nas cidades de Curitiba e Santos, é padroeira. Nas catedrais de Curitiba (Nossa Senhora da Luz), Vitória (Nossa Senhora da Vitória), Juazeiro (Nossa Senhora das Grotas) e Lábrea (Nossa Senhora de Nazaré), solenidade da titular.

– Ver “NOSSA SENHORA DE MONSERRATE[1] OU VIRGEM NEGRA DE MONTSERRAT[2] (em catalãoMare de Déu de Montserrat[3], que significa “Mãe de Deus do Monte Serreado”[4]) é uma imagem de Maria, a mãe de Jesus Cristo, localizada no Mosteiro de Montserrat, no município de Monistrol de Montserrat, na província de Barcelona, na Catalunha, na Espanha. É conhecida popularmente como La Moreneta (“A Morena”) … Da Catalunha, o culto a Nossa Senhora do Monte Serrat se espalhou para outros pontos do globo. Dessa forma, ela se tornou, também, a padroeira das cidades de CotiaSalto e Santos, no estado de São Paulo, no Brasil.”. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Virgem_de_Montserrat

-Ver ainda “…A devoção se estendeu por todas partes do mundo por meio das expedições marítimas espanholas. Os missionários a levaram para as Américas. No Brasil foi introduzida por Francisco de Souza, governador- geral, em 1590. Na cidade de Santos, é festejada como Padroeira oficial da cidade, em 08 de setembro. Esta era a antiga data da sua celebração no Mosteiro Santuário de Montserrat que a transferiu para o dia 27 de abril.”: https://comeceodiafeliz.com.br/maria/nossa-senhora-de-montserrat

-Ver também: “Em 11 de Setembro de 1844, o Papa Leão XIII, declarou oficialmente a VIRGEM DE MONTSERRAT, padroeira da Catalunha e a sua festa é realizada a 27 de Abril.”.  https://asvoltasdovento.blogspot.com/2010/03/lenda-de-nossa-senhora-de-montserrat.html

SOLENIDADES E FESTAS DE NOSSA SENHORA:

* Festa da Na­ti­vi­dade da Virgem Santa Maria, da des­cen­dência de Abraão, nas­cida da tribo de Judá, da li­nhagem régia de David, da qual nasceu o Filho de Deus, feito homem por vir­tude do Es­pí­rito Santo, para li­bertar os ho­mens da an­tiga es­cra­vidão do pecado.

* Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 08 de setembro, FESTA DA NATIVIDADE DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA, herdeira das Alianças e das promessas de Israel, de quem Cristo se originou, segundo a sua humanidade. Essa festa é igualmente celebrada pelos orientais bizantinos e siríacos, ao passo que os gregos e coptas a celebram na vigília deste dia. (R).

* Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Natividade_de_Nossa_Senhora

Ver ainda: NATIVIDADE DA SANTÍSSIMA VIRGEM: Ver páginas 99-100: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

* NOSSA SENHORA DA PENHA: ver 08 de abril. Ver:  

http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/nossa-senhora-da-penha

https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Penha_de_Fran%C3%A7a

https://www.altoastral.com.br/nossa-senhora-da-penAa/

Ver ainda: págs. 366-374. OBSERVAÇÃO: entre as páginas 370-373,

NOSSA SENHORA APARECIDA: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– VER MAIS:

* NOSSA SENHORA DA CARIDADE DO COBRE: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Caridade_do_Cobre

* NOSSA SENHORA DE NAZARÉ: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_de_Nazaré

* NOSSA SENHORA DA PENNA (também na Freguesia – Rio de Janeiro): https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Pena

* NOSSA SENHORA DO PORTO: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_do_Porto

* NOSSA SENHORA DA SAÚDE  https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Saúde

* NOSSA SENHORA MÃE DA DIVINA GRAÇA, padroeira da cidade de Parnaíba, Piauí. No Martirológio Romano-Monástico, festa em 11 de outubro. No Diretório de Liturgia da CNBB, dia 11 de outubro é DEDICAÇÃO DA CATEDRAL. Ver: http://obviousmag.org/a_literatura_vivendo_em_mim/2017/dia-08-de-setembro-festa-da-mae-da-divina-gracapadroeira-da-cidade-de-parnaiba.html – VER TAMBÉM: http://www.diocesedeparnaiba.org.br/

* NOSSA SENHORA DOS PRAZERES ou NOSSA SENHORA DAS SETE ALEGRIAS (28 DE ABRIL ou 11 DE ABRIL, ou SEGUNDA-FEIRA, APÓS O 2º DOMINGO DE PÁSCOA). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_dos_Prazeres#cite_note-3 e: https://www.facebook.com/Comiss%C3%A3o-de-Festa-Nossa-Senhora-dos-Prazeres-2020-Carvalhal-562570733920893/

* NOSSA SENHORA DAS ALEGRIAS OU NOSSA SENHORA DOS PRAZERES. Ver: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-nossa-senhora-dos-prazeres/42/102/ e também: https://joaobidu.com.br/nossa-senhora-dos-prazeres-oracao/ e: https://pt.zenit.org/articles/nossa-senhora-dos-prazeres-ou-das-alegrias/

FESTA DA MATERNIDADE DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA (11 DE OUTUBRO). Instituída por Pio XI em 1931. Ver: Carta Encíclica LUX VERITATIS: http://w2.vatican.va/content/pius-xi/it/encyclicals/documents/hf_p-xi_enc_19311225_lux-veritatis.html

– Ver páginas 107-108: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

– Ver também motivo da festa em 11 de outubro: http://farfalline.blogspot.com/2014/10/maternidade-divina-de-Maria.html

http://espelhodejustica.blogspot.com/2017/10/11-de-outubro-maternidade-divina-de-n.html

OBSERVAÇÃO SOBRE 27 DE ABRIL:

Em 27 de abril de 2014, canonização de São João XXIII e São João Paulo II

OUTROS SANTOS DE 27 DE ABRIL

1.   Em Je­ru­salém, a co­me­mo­ração de São Si­meão, bispo e mártir, que, se­gundo a tra­dição, era filho de Cléofas e pa­rente do Sal­vador se­gundo a carne e, or­de­nado bispo de Je­ru­salém como su­cessor de Tiago, irmão do Se­nhor, du­rante a per­se­guição de Tra­jano so­freu muitos su­plí­cios e em avan­çada idade re­cebeu a coroa glo­riosa do mar­tírio na cruz. († 107)

2.   Em Cí­bali, na Pa­nónia, hoje Vin­ko­veze, na Croácia, São Po­lião, leitor e mártir, que, preso na per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano e in­ter­ro­gado pelo pre­feito Probo, por ter con­fes­sado com in­que­bran­tável cons­tância a sua fé em Cristo e re­cu­sado sa­cri­ficar aos ídolos, foi lan­çado às chamas e quei­mado fora dos muros da cidade. († c. 303)

­-No Martirológio Romano-Monástico, dia 28 de abril. No vale do Danúbio, no ano do Senhor de 304, o martírio de São Polião. Ao juiz que o interrogou sobre sua religião, falou dos deveres “de humanidade para com os hóspedes, de misericórdia para com os pobres e de caridade para com todos” (Paixão – M).

3.   Em Ta­ben­nési, lo­ca­li­dade da Te­baida, no Egipto, São Te­o­doro, abade, que foi dis­discí­pulo de São Pa­cómio e pai da «Con­gre­gação» de mos­teiros nesta região. († s. IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Tebaida, no ano do Senhor de 368, São Teodoro, discípulo de São Pacômio. “Cheio da graça de Cristo e ardente pela ação do Espírito Santo, mostrava-se hábil em reconciliar os irmãos divididos”. Também foi chamado a acompanhar seu sucessor, São Horsiésio, em seu governo e em sua catequese. (M)

4*.   Em Al­tino, na Ve­nécia, no ac­tual Vé­neto, re­gião da Itália, São Li­beral, eremita. († c. 400)

5*.   Na ilha de Man, na costa se­ten­tri­onal do País de Gales, São Magão ou Ma­galdo, bispo, au­re­o­lado com a fama de grande santidade. († s. VI)

6.   Na ilha de Afúsia, na Propôn­tide, junto ao mar Egeu, na ac­tual Tur­quia, São João, he­gú­meno, que, no tempo do im­pe­rador Leão o Ar­ménio, com­bateu te­naz­mente a favor do culto das sa­gradas imagens. († s. IX)

7*.   Em Lucca, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, Santa Zita (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, de origem hu­milde, que, en­tregue com doze anos de idade ao tra­balho do­més­tico da fa­mília Fa­ti­nélli, per­ma­neceu com ad­mi­rável pa­ci­ência ao seu ser­viço até à morte. († 1278).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1272, Santa Zita, virgem. Filha de um jardineiro de Lucca, na Toscana, ajudava nos trabalhos de arrumação e na horta, consagrando dessa forma toda a sua vida ao serviço dos outros, sob o olhar de Deus. (M).

– Ver sua linda história “Santa Zita de Lucca, serva durante toda a sua vida…” às páginas 281-288: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também “Zita de Lucca ou Santa Zita (Lucac. 1212 – Luca, 27 de abril de 1272) é uma santa italiana e denominada Padroeira das serventes e empregadas domésticas.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Zita_de_Lucca

8*.   Em Tar­ra­gona, no reino de Aragão, no li­toral da Es­panha, São Pedro Ermengol, que, de­pois de ter sido chefe de sal­te­a­dores, se con­verteu a Deus e in­gressou na Ordem de Nossa Se­nhora das Mercês, de­di­cando-se in­ten­sa­mente à re­denção dos ca­tivos na África. († 1304).

– Ver “Bem-aventurado Pedro Armengol, confessor” páginas 291-295: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também “SÃO PEDRO ARMENGOL, Mercedário. Grande pecador convertido, modelo de confiança em Maria.”: http://www.santosebeatoscatolicos.com/2015/04/sao-pedro-de-armengol-mercedario-grande.html

9*.   Em Bi­tetto, na Apúlia, re­gião da Itália, o Beato Tiago de Lá­dere Varinger, re­li­gioso da Ordem dos Menores. († c. 1485)

10*.   Em Cá­taro, no Mon­te­negro, a Beata Ca­ta­rina, virgem, que, bap­ti­zada na Igreja Or­to­doxa, in­gressou na Ordem da Pe­ni­tência de São Do­mingos, to­mando o nome de Hos­sana, e viveu em clau­sura cin­quenta e um anos, de­di­cada à con­tem­plação di­vina e à pi­e­dosa sú­plica pelo povo cristão du­rante a in­vasão dos Turcos. (1565)

11*.   Em Reims, na França, o Beato Ni­colau Roland, pres­bí­tero, que, so­lí­cito pela for­mação cristã das cri­anças, cons­truiu es­colas para as me­ninas po­bres, ex­cluídas de qual­quer gé­nero de ins­trução, e fundou a Con­gre­gação das Irmãs do Me­nino Jesus. (1678)

12*.   Em Ninh-Binh, ci­dade do Ton­quim, hoje no Vi­etnam, São Lou­renço Nguyen Van Huong, pres­bí­tero e mártir, que foi preso numa noite em que vi­si­tava um mo­ri­bundo e, porque re­cusou calcar a cruz, foi fla­ge­lado e de­pois de­go­lado no tempo do im­pe­rador Tu Duc. (1856)

13*.   Em Sa­la­manca, na Es­panha, a Beata Maria An­tónia Ban­drés y Elósegui, virgem da Con­gre­gação das Fi­lhas de Jesus, que se­guiu com pa­ci­ente se­re­ni­dade, mesmo na de­so­lação, a sua vida con­sa­grada a Deus, que em breve tempo foi consumada. († 1919)

14.  Santo Ântimo, bispo e mártir.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Nicomédia Santo Antimo, bispo. Durante a perseguição de Diocleciano, foi decapitado ao confessar o nome de Cristo. Quase todo o seu rebanho o seguiu na glória do martírio – M).

– Ver páginas 289-290:  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf  

15. Em Bolonha, São Tertuliano, (também na Folhinha do Coração de Jesus) bispo e confessor.

– Ver página 296: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

16. Em Constantinopla, São João, (também na Folhinha do Coração de Jesus) abade, que combateu muito sob Leão, o Isauriano, pelo culto das santas imagens.

– Ver página 297: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

17. São Rafael Arnaiz Baron (09/04/1911-26/04/1938). “Beatificação em 27 de setembro de 1992 pelo Papa João Paulo II. Canonização em 11 de outubro de 2009Roma por Papa Bento XVI. Principal templo: Monastério Trapista de Santo Isidro, PalênciaEspanha. Festa litúrgica: 26 de abril.

Consta na Wikipedia de 27 de abril). “Rafael Arnáiz Barón, conhecido como Irmão Rafael (Província de BurgosEspanha 9 de abril de 1911 – Monastério de Santo Isidro,[1] Província de PalênciaEspanha 26 de abril de 1938) foi um Monge da Ordem Trapista-Cisterciense. Mesmo tendo falecido jovem, é considerado um dos grandes místicos do Século XX.[2] Foi canonizado pelo Papa Bento XVI em 11 de outubro de 2009.[3]

-Oração feita por ele 9 dias antes de ir para Deus em 17 de abril de 1937 de 1937: “Em nome do Deus Santo, tomo hoje a pena para que as minhas palavras, que se imprimem sobre a folha branca, sirvam de louvor perpétuo ao Deus bendito, autor da minha vida, da minha alma, do meu coração. Gostaria que o universo inteiro, com os planetas, todos os astros e os inúmeros sistemas estelares, fosse uma imensa extensão, polida e brilhante, onde eu pudesse escrever o nome de Deus. Gostaria que a minha voz fosse mais potente que mil trovões, mais forte que o estrépito do mar, e mais terrível que o bramido dos vulcões, para dizer apenas: Deus! Gostaria que o meu coração fosse tão grande como o céu, puro como o dos anjos, simples como o da pomba, para nele pôr Deus! Mas, dado que toda esta grandeza com que sonhaste não se pode tornar realidade, contenta-te com pouco e contigo, que não és nada, Irmão Rafael, porque o nada deve bastar-te […]”. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Rafael_Arn%C3%A1iz_Bar%C3%B3n

– Ver dia 26 de abril: No mos­teiro de São Pedro de Dueñas, em Pa­lência, ci­dade da Es­panha, São Ra­fael Ar­naiz Barón, re­li­gioso da Ordem Cis­ter­ci­ense, que, atin­gido por uma grave do­ença ainda du­rante o no­vi­ciado, su­portou com firme pa­ci­ência a sua pre­cária saúde, con­fi­ando sempre em Deus. († 1938)

18. Outros santos do dia 27 de abril: págs: 281-297 (vol.07):

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 27 de abril, ver ainda: 27 de abril – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 356-358:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!