Santas e Santos de 19 de junho

1. São Ro­mu­aldo (também na Folhinha do Coração de Jesus), ana­co­reta e pai dos monges Ca­mal­du­lenses, que, ori­gi­nário de Ra­vena, as­pi­rando à vida e dis­ci­plina ere­mí­tica, per­correu a Itália du­rante vá­rios anos, edi­fi­cando pe­quenos mos­teiros e pro­mo­vendo por toda a parte com in­fa­ti­gável di­li­gência a vida evan­gé­lica dos monges, até que ter­minou pi­e­do­sa­mente os seus tra­ba­lhos no mos­teiro de Val di Castro, no Pi­ceno, ac­tual re­gião das Marcas, na Itália. († 1027).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Romualdo, abade, morto em Val de Castro na Itália central, no ano da graça de 1027. “Sedento do Deus vivo e presente no deserto, abandonou o mosteiro beneditino de Santo Apolinário em Classe, perto de Ravena, sua cidade natal, três anos depois de sua profissão. Suas experiências pessoais e “a inspiração do Espírito Santo que presidia o seu coração” conduziram-no a organizar em Camaldoli, na Toscana, uma nova forma de vida eremítica, que ele considerava como uma expansão da ascese cenobítica. Com São Bruno, ele é venerado como Pai dos eremitas do Ocidente. (R).

– Ver páginas 73-90: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

– Ver também “São Romualdo (956Ravena – 19 de junho de 1027Convento de Val de Castro[1][2]) foi o fundador da Ordem dos Camaldulenses e a maior figura do “Renascimento do ascetismo eremita” no século XI.[3] Descendente dos duques de Orseoli, sua família não tinha vínculos com a religião…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Romualdo_de_Ravena

2.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, também re­gião da Itália, a co­me­mo­ração dos santos Ger­vásio (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Pro­tásio, már­tires, cujos corpos Santo Am­brósio en­con­trou e tras­ladou neste dia com grande so­le­ni­dade para a nova ba­sí­lica por ele edificada. († trasl. 386).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Milão, a paixão dos Santos Gervásio e Protásio, martirizados por causa de sua fidelidade ao batismo. Seus corpos foram descobertos por Santo Ambrósio no dia 19 de junho de 386, e seu culto chegou à Gália, onde um grande número de igrejas lhes foi consagrado. (M).

Ver páginas 49-52 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver “… A tradição conta que Gervase e seu irmão gêmeo Protase, filhos dos santos Vitalis e Valéria, sofreram decapitação por causa da fé. Dizem que Gervase foi espancado até a morte com um chicote com ponta de chumbo, e Protase foi decapitado. São considerados os primeiros mártires de Milão desde que Santo Ambrósio , guiado por uma visão, desenterrou seus restos mortais em 386 (ver Cidade de Deus de Santo Agostinho, 22). São Paulino de Nola em sua Vida de Santo Ambrósio diz que os próprios mártires apareceram a Santo Ambrósio em uma aparição…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune19.html

3*.   Nos montes Vosgos, na Bor­gonha da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na França, São Deus­dado (ou Deodato) bispo de Ne­vers, que, se­gundo consta, fundou um mos­teiro no lugar mais tarde de­sig­nado com o seu nome. († c. 679).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 680, São Deodato, bispo de Nevers, que fundou na região dos Vosges um mosteiro sob a regra de São Columbano. Nas proximidades, foi se formando a cidade que posteriormente tomou seu nome. (X)

– Ver “SÃO DEODATO … BISPO DE NEVERS (679 dC?). CONHECIDO em sua terra natal como Dié e Didier, São Deodato era anteriormente amplamente venerado na França e nada menos que nove traduções de suas relíquias foram registradas entre 1003 e 1851. Ele se tornou bispo de Nevers cerca de 655, e em 657 participou do Sínodo de Sens, juntamente com Santo Amandus de Maestricht, Santo Eligius de Noyon, Santo Ouen de Rouen, Santo Paládio de Auxerre e Santo Faro de Meaux. Depois de ocupar a cadeira episcopal por vários anos, ele renunciou, retirando-se para os Vosges para levar uma vida solitária… Deodatus of Jointures, OSB B (AC) (também conhecido como Didier, Dié) Nasceu no oeste da França; morreu em 19 de junho, c. 680. ”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune19.html

4*.   No mos­teiro de Fé­camp, na Nêus­tria, também na ac­tual França, Santa Quil­do­marca (Ildemarca), aba­dessa, que aco­lheu be­nig­na­mente e prestou as­sis­tência a São Le­o­gário, mu­ti­lado por Ebroíno. († c. 682)

5.   Em Sa­ra­goça, na His­pânia, São Lam­berto, mártir. († c. s. VIII)

6*.   Em Cal­ta­gi­rona, na Si­cília, re­gião da Itália, a tras­la­dação do Beato Ger­lando, ca­va­leiro da Ordem de São João de Je­ru­salém, que se de­dicou com toda a di­li­gência e bon­dade ao au­xílio das viúvas e das cri­anças órfãs. († c. 1271)

7.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, Santa Ju­liana Fal­co­niéri (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que fundou a Ordem Ter­ceira dos Servos de Maria, cha­madas “Man­te­latas” por causa do seu há­bito religioso. († c. 1341).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Florença, no ano do Senhor de 1341, Santa Juliana de Falconieri, que fundou o ramo feminino da Ordem Religiosa dos Servos de Maria, com o nome de “Mantellate”. (M).

Ver páginas 42-46 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

8*.   Em Pê­saro, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, também re­gião da Itália, a Beata Mi­que­lina (dia 20 de junho na Folhinha do Coração de Jesus), viúva, que dis­tri­buiu pelos po­bres todos os seus bens e, to­mando o há­bito da Ordem Ter­ceira de São Fran­cisco, passou o resto da sua vida como men­diga, com grande hu­mil­dade e dis­ci­plina austera. († 1356).

– Bem-aventurada Miquelina de Pesaro… Faleceu em 19 de junho de 1356. Ver páginas 55-56 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também: https://www.facebook.com/ConferenciadaFamiliaFranciscanadoBrasil/photos/bem-aventurada-miquelina-de-pesarovi%C3%BAva-da-terceira-ordem-1300-1356-aprovou-seu-/1250565738445552/

9*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Se­bas­tião Newdigate, Hun­fredo Mid­dle­more e Gui­lherme Exmew, pres­bí­teros da Car­tuxa desta ci­dade, que, no rei­nado de Hen­rique VIII, me­tidos no cár­cere por per­se­ve­rarem fir­me­mente fiéis à Igreja de Cristo, pas­saram de­zas­sete dias presos a umas co­lunas com ar­golas de ferro, sempre de pé, até que, fi­nal­mente, le­vados ao su­plício da forca na praça de Ty­burn, con­su­maram o martírio. († 1535)

10*.   Também em Lon­dres, o Beato Tomás Woodhouse, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, que, or­de­nado no tempo da rainha Maria a Ca­tó­lica, pos­te­ri­or­mente, du­rante a per­se­guição da rainha Isabel I, es­teve mais de doze anos preso por causa da fé, de­di­cando-se a re­con­ci­liar com a Igreja ca­tó­lica os com­pa­nheiros de ca­ti­veiro, até que, en­for­cado no pa­tí­bulo de Ty­burn, re­cebeu a coroa do martírio. († 1573).

Bem-aventurado Tomás Woodhouse, mártir. Ver página 57 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

11.   Em Wuyi, lo­ca­li­dade pró­xima da ci­dade de Shen­xian, no Hebei, pro­víncia da China, os santos Re­mígio Isoré e Mo­desto An­dlauer, pres­bí­teros da Com­pa­nhia de Jesus e már­tires, que na per­se­guição de­sen­ca­deada pelos se­gui­dores dos «Yihe­tuan», foram mortos en­quanto oravam di­ante do altar.  († 1900)

12♦.   Em Roma, a Beata He­lena Aiello, re­li­giosa mís­tica e fun­da­dora da Con­gre­gação das Re­li­gi­osas Mí­nimas da Paixão de Nosso Se­nhor Jesus Cristo. († 1961)

13. No Martirológio Romano-Monástico, São Ursicino, médico de Ravena, condenado à morte sob o reinado de Nero. Achava-se a ponto de apostatar, quando os encorajamentos de São Vital o incitaram a dar o testemunho supremo de sua fé e sua caridade (M).

14. Bem-aventurado Odon de Cambrai, Bispo e Confessor.Ver páginas 53-54 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

15. Outros santos do dia 19 DE JUNHO: páginas: 42-58 (NÃO TEM LINK):  Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 19 de junho, ver ainda: 19 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 479-481: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune19.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 18 de junho

1.   Em Roma, no ce­mi­tério de Bal­bina, junto à Via Ar­de­a­tina, os santos Marcos e Mar­ce­liano (ou Marcelino), már­tires du­rante a per­se­guição de Di­o­cle­ciano, que se tor­naram ir­mãos no mesmo martírio. († c. 304).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no início do séc. IV, o martírio dos Santos Marcos e Marcelino. (M).

Ver página 35 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Marcos e Marceliano (em latimMarcus e Marcellianus) são dois mártires venerados como santos pela Igreja Católica e pela Igreja Ortodoxa[1]. Sua devoção é por vezes associada à dos Santos Tranquilino, Márcia, Nicostrato, Zoé, Cástulo e Tibúrcio, embora não no “Martirológio Romano” oficial da igreja, que menciona apenas Marcos e Marceliano (em primeiro lugar) entre os santos do dia 18 de junho[2]. A menção dos dois no Calendário Geral Romano é anterior à reforma do Calendário Tridentino em 1969 (bula Mysterii Paschalis), pois nada se sabia sobre eles exceto os nomes, o fato de terem sido mártires e terem sido enterrados no dia 18 de junho na catacumba que leva o nome dos dois na Via Ardeatina[3].”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Marcos_e_Marceliano

2.   Em Trí­poli, na Fe­nícia, no ac­tual Lí­bano, São Leôncio, sol­dado, que pelos ter­rí­veis su­plí­cios so­fridos no cár­cere, al­cançou a coroa do martírio. († s. IV).

– No Martirológio Romano-Monástico, São Leôncio, soldado. Não temia pregar o evangelho pela palavra e pelo exemplo. Interrogado sobre sua conduta por um dos oficiais, declarou-se cristão e acrescentou: “De boa vontade eu me proponho a levar todos os meus companheiros a obedecerem ao Messias, para que recebam como herança o reino eterno” (M).

– Ver páginas 36-37 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver “São Leôncio de Trípoli foi um general grego do exército romano que serviu na Síria. Um homem religioso, ele foi torturado e espancado até a morte sob o Imperador Vespasiano por converter não-cristãos. Dois soldados que o prenderam, Hypatius e Teodulus também foram convertidos e martirizados.”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune18.html

3.   Na África Se­ten­tri­onal, os santos Ci­ríaco e Paula, mártires. († s. IV)

– Ver “Em Málaga, na Espanha, os santos mártires Cyriacus e a virgem Paula, que estavam sobrecarregados com pedras, e renderam suas almas a Deus. Avirgem Santa Paula e Cyriacus foram apedrejadas até a morte em Málaga, Espanha, durante a perseguição Diocleciana (beneditinos).”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune18.html

4.   Em Bor­déus, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, Santo Amando (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo. († s. V).

– No Martirológio Romano-Monástico, Santo Amândio, bispo de Bordeaux. Havia preparado para o Batismo São Paulino de Nola, que lhe conservou uma enorme gratidão (M).

5.   No monte Gem­ma­riaro, perto de Sci­acca, na Si­cília oci­dental, São Ca­ló­gero, eremita. († s. V)

6.   Em Schönau, na Re­nânia da Ger­mânia, na ho­di­erna Ale­manha, Santa Isabel (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, in­signe na ob­ser­vância da vida monástica. († 1164).

– No Martirológio Romano-Monástico, no mosteiro de Schönau, na Renânia, no ano do Senhor de 1165, a volta para Deus de Santa Elizabeth, monja, que se esforçou por ser tão fiel à sua vocação de oração e de penitência quanto permitiu sua frágil saúde (M).

– Ver Santa Isabel, abadessa de Schoenaug, às páginas: 32-34 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Isabel de Schönau (português europeu) ou Elisabeth de Schönau (português brasileiro), também Elizabeth, foi uma monja beneditina e santa da Alemanha. Não foi canonizada oficialmente mas seu nome foi incluído no Martirológio Romano em 1584 e nunca foi removido. É celebrada no dia 18 de junho.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Isabel_de_Sch%C3%B6nau

7*.   Em Mântua, na Lom­bardia, re­gião da Itália, a Beata Hos­sana (Osanna) An­dreási, virgem, que, to­mando o há­bito das Irmãs da Pe­ni­tência de São Do­mingos, as­so­ciou com ad­mi­rável sa­be­doria a con­tem­plação das re­a­li­dades di­vinas com as ocu­pa­ções ter­renas e a prá­tica das boas obras. († 1505).

Bem-aventurada Osana de Mântua, virgem. Ver páginas 39-40 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Hosana de Mântua, nascida Osanna Andreasi (Carbonarola17 de janeiro de 1449 — Mântua18 de junho de 1505), foi uma santa católica italiana no século XV.”: Hosana de Mântua – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

8.   Em Pádua, no Vé­neto, também re­gião da Itália, São Gre­gório Bar­ba­rigo, bispo, que ins­ti­tuiu um se­mi­nário para clé­rigos, en­sinou o ca­te­cismo às cri­anças no seu di­a­lecto, con­vocou um sí­nodo e co­ló­quios com o clero, abriu vá­rias es­colas, sendo li­beral para com todos e se­vero para consigo. († 1697).

– Ver “Gregório Barbarigo (nome completo em italiano: Gregorio Giovanni Gasparo BarbarigoVeneza16 de setembro de 1625 – Pádua18 de junho de 1697) foi um cardeal católico, diplomata e académico italiano venerado actualmente como santo pela Igreja Católica.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hosana_de_M%C3%A2ntua

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Greg%C3%B3rio_Barbarigo

9. Santa Marina, na Folhinha do Coração de Jesus.

– Também: Bem-aventurada Marina de Espoleto. Ver página 38 : (NÃO TEM LINK)Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959. –

– Ver também, com alguma lenda, Santa Marina, o monge “Marina, o Monge, também conhecida como Marina de Bitínia ou Marina de Alexandria, ficou registrada na história como uma eminente cristã bizantina da Síria, na área que hoje é parte do Líbano,[1] embora muitos detalhes de sua vida possam variar conforme a fonte.: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Marina,_o_Monge 

– Ver também: “São seis santos conhecidos com o nome de Marina ou Marinos – Marina, a Monge (ou Marina, a Síria), Marina, a Mártir de Antioquia, Marina da Espanha, Marina de Alexandria, Marina da Sicília e Marina, a Cisterciana (Clugnet 1904: 564-568). No entanto, há provavelmente dois que realmente existiram – Marina de Antioquia que aceitou o martírio por sua fé e Marina, a Monge, que sofreu as consequências de sua imposição como monge masculino no Mosteiro de Qannoubine, Líbano (Clugnet 1904: 568)…”: Santa Marina, o Monge (maronite-institute.org)

– Ver ainda: http://www.maronite-institute.org/MARI/JMS/january00/Saint_Marina_the_Monk.htm

10. Outros santos do dia 18 DE JUNHO: páginas: 32-41 (NÃO TEM LINK):  Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 18 de junho, ver ainda: 18 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 478-479: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune18.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 17 de junho

        

1.   Em Roma, junto à Via Sa­lária An­tiga “ad Septem Co­lúmbas”, os santos Blasto e Dió­genes, mártires. († data inc.)

2.   Em Apo­lónia, na Ma­ce­dónia, hoje Po­jáni, na Al­bânia, os santos Isauro, Ino­cêncio, Félix, Hér­mias, Pe­re­grino e Ba­sílio, mártires. († data inc.).

3.   Em Do­rós­toro, na Mésia, hoje Si­listra, na Bul­gária, os santos már­tires Ni­candro e Mar­ciano, que, sendo sol­dados, re­cu­saram ofertas e ne­garam-se fir­me­mente a sa­cri­ficar aos deuses; por isso foram con­de­nados à morte pelo go­ver­nador Má­ximo, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Diocleciano. († c. 297).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Campânia, perto de 297, o martírio dos Santos Nicandro e Marciano. No dia de seu suplício, Marciano afirmou diante do presidente do tribunal: “Hoje, nossa fé vai encontrar diante de Cristo sua plena realização. Manda-nos depressa ver o Crucificado que você não receia maldizer com sua boca criminosa, mas a quem nós amamos e adoramos”. (M).

Ver páginas 11-16 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

4.   Em Be­sançon, na Gália Li­o­nense, na ac­tual França, Santo An­tídio, bispo e mártir, que, se­gundo a tra­dição, re­cebeu a sen­tença da con­de­nação à morte no tempo de Croco, rei dos Vândalos. († c. 411).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 411, Santo Antídio, bispo de Besançon, que ofereceu sua vida por seu rebanho. (M)

5.   Na Bi­tínia, ter­ri­tório da ac­tual Tur­quia, Santo Hi­pácio, he­gú­meno do mos­teiro dos Ru­fi­ni­anos, que, com uma vida aus­tera e ri­go­rosos je­juns, en­sinou aos seus dis­cí­pulos a per­feita obe­di­ência à ob­ser­vância mo­nás­tica e aos leigos o ver­da­deiro temor de Deus. († 446).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, Santo Hipácio, abade. Instalado num velho mosteiro perto de Calcedônia com seu amigo Jonas, atraiu grande número de discípulos e se fez adversário implacável da heresia nestoriana. (M).

Ver páginas 19-20 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

6*.   Na Bre­tanha Menor, ac­tu­al­mente ter­ri­tório da França, Santo Herveu (ou Hervé, Ervéo), ere­mita, que, se­gundo a tra­dição, sendo cego de nas­cença, can­tava ale­gre­mente a fe­li­ci­dade do Paraíso. († s. VI).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Santo Hervé, monge. Cego de nascença, levou inicialmente uma vida de peregrino, guiado por um lobo. Mais tarde, fixou-se em Plouvier, e depois em Lan-Houarneau, lugar de sua morte e sepultura, onde seu culto continuou a ser honrado (X).

– Ver página 21 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

7.   Em Or­leães, na Gália, também na ac­tual França, Santo Avito, abade. († c. 530).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 530, Santo Avito. Originário da Auvergne, retirou-se com São Calásio para um lugar isolado do Perche, vindo a morrer na região de Orléans. (M)

8.   Em Pisa, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, São Rai­nério (ou Ranieri, tocador de lira que sacrificou seus talentos artísticos por amor a Deus, conforme o Martirológio Romano-Monástico, também na Folhinha do Coração de Jesus), pobre e pe­re­grino por Cristo. († 1160).

– Ver São Raniero, páginas 26-27 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

9.   Em Lorvão, lo­ca­li­dade de Por­tugal, a Beata Te­resa de Portugal, cuja me­mória se ce­lebra em Por­tugal no dia 20 de Junho, jun­ta­mente com suas irmãs Sancha e Mafalda. († 1250). Santa Teresa de Portugal e Santa Sância.

– Ver páginas 24-25 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “D. Teresa Sanches de PortugalO.S.B., (Coimbra4 de outubro de 1176[1][2] – Lorvão18 de junho de 1250[3]) também chamada ao tempo de Tarasia ou Tareja, e mais tarde, a Infanta-Rainha ou Rainha Santa Teresa, era a filha mais velha do rei D. Sancho I de Portugal, e esposa de Afonso IX de Leão.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Beata_Teresa_de_Portugal

10*.   Em Ve­neza, hoje no Vé­neto, re­gião da Itália, o Beato Pedro Gam­ba­corta, fun­dador da Ordem dos Ere­mitas de São Je­ró­nimo, que teve como pri­meiros re­li­gi­osos al­guns la­drões por ele convertidos. († 1435).

– Ver páginas 28-29 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

11*.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, também re­gião da Itália, o Beato Paulo Buráli, da Ordem dos Clé­rigos Re­grantes Te­a­tinos, bispo de Pi­a­cenza e de­pois bispo de Ná­poles, que tra­ba­lhou com toda a sua di­li­gência para res­taurar a dis­ci­plina da Igreja e con­firmar na fé o povo que lhe foi confiado. († 1578)

12*.   Num barco an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Fi­lipe Papon, pres­bí­tero de Autun e mártir, que, sendo pá­roco, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, por causa do sa­cer­dócio foi con­de­nado à prisão numa ga­lera e, de­pois de ter dado a ab­sol­vição a um com­pa­nheiro de prisão mo­ri­bundo, também ele expirou. († 1794)

13.   Em Qua-Linh, lo­ca­li­dade do Ton­quim, hoje no Vi­etnam, São Pedro , mártir, que, sendo car­pin­teiro e sa­cristão, apesar de tor­tu­rado com muitos e atrozes su­plí­cios no tempo do im­pe­rador Tu Duc, per­ma­neceu firme na pro­fissão de fé e fi­nal­mente morreu na fogueira. († 1862)

14♦.   No mos­teiro de Santa Maria do De­serto, em Cas­se­neuil, perto de Tou­louse, na França, o Beato José Maria Cassant (Pedro José Cas­sant), pres­bí­tero da Ordem Cis­ter­ci­ense da An­tiga Ob­ser­vância (Tra­pista), es­pe­ci­al­mente egrégio pelo ad­mi­rável exemplo de pe­ni­tência, cons­tância e pa­ci­ência nos so­fri­mentos e na enfermidade. († 1903)

15. SANTO ISMAEL, (na Folhinha do Coração de Jesus), SÃO MANUEL, (na Folhinha do Coração de Jesus), SÃO SABEL.

– Ver “… Os Santos Mártires Manuel, Sabel e Ismael, irmãos de nascimento, eram descendentes de uma ilustre família persa. Seu pai era pagão, mas sua mãe era cristã, que batizou os filhos e os criou com fé firme em Cristo Salvador. Quando atingiram a idade adulta, os irmãos entraram no serviço militar. Falando em nome do imperador persa Alamundar, eles foram seus emissários na conclusão de um tratado de paz com o imperador Juliano, o Apóstata (361-363). Juliano os recebeu com as devidas honras e mostrou-lhes seu favor. Mas quando os irmãos se recusaram a participar de um sacrifício pagão, Julian ficou furioso. Ele anulou o tratado e encarcerou os embaixadores de um país estrangeiro como criminosos comuns. No interrogatório, ele disse-lhes que se desprezassem os deuses que ele adorava, seria impossível chegar a qualquer paz ou acordo entre os dois lados. Os irmãos sagrados responderam que foram enviados como emissários de seu imperador em questões de estado, e não para discutir sobre “deuses”. Vendo sua firmeza de fé, o imperador ordenou que os irmãos fossem torturados. Eles espancaram os santos mártires e, em seguida, pregaram as mãos e os pés nas árvores. Mais tarde, eles enfiaram pontas de ferro em suas cabeças e cravaram lascas afiadas sob as unhas dos pés e das mãos. Durante esse tempo de tormento, os santos glorificaram a Deus e oraram como se não sentissem as torturas. Finalmente, os santos mártires foram decapitados…

… Os cristãos enterraram reverentemente os corpos dos santos mártires Manuel, Sabel e Ismael no ano 362. Desde então, as relíquias dos santos portadores da paixão foram glorificadas com milagres…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune17.html

16. No Martirológio Romano-Monástico (deste dia 17 de junho), no Egito, na segunda metade do séc. IV, São Bessarião, anacoreta. A tradição conta que foi discípulo de Santo Antão e de São Macário de Cétia, e o apresenta trazendo sempre sob o braço o Evangelho, que era toda sua biblioteca (M).

– Ver páginas 17-18(NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

 VER 06 DE JUNHO: Em Cete, no Egipto, São Bes­sa­rião, ana­co­reta, que viveu como men­digo e pe­re­grino por amor de Deus. († s. IV)

– Ver “BESSARION é muito venerado no Oriente, onde seu nome em várias formas às vezes é dado no batismo; por exemplo, o pai de Joseph Stalin chamava-se Vissarion. Ele era natural do Egito e, tendo ouvido o chamado à perfeição, foi para o deserto, onde foi discípulo primeiro de Santo Antônio e depois de São Macário. Somos informados de que em vez de viver sob um teto, ele vagava como um pássaro, observando o silêncio e subjugando sua carne por meio de um poderoso jejum; diz-se que certa vez ficou quarenta dias sem comer, orando em meio a espinheiros. A sua caridade de vizinhança conduziu-o ao cume da perfeição que se manifestou por milagres: tornou a água salgada fresca, várias vezes trouxe chuva durante a seca, caminhou sobre o Nilo, venceu demónios. Como tantos outros padres do deserto, São Bessário viveu até uma idade avançada; e ele foi comparado por seus admiradores a Moisés, Josué, Elias e João Batista.
São Bessarion é nomeado hoje, ‘16 de junho, no Martirológio Romano-Monástico’, mas sua data usual no Oriente é 6 de junho.”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune17.html

17. Bem-aventurado Paulo D’Arezzo. Ver páginas 09-10(NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.  

18. São Botulfo e Santo Adolfo, confessores. Ver página 22(NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver “ST BOTULF, OU BOTOLPH, ABBOT E ST ADULF. Nada menos que setenta igrejas inglesas – dezesseis delas em Norfolk – são dedicadas em homenagem a St Botulf, mas embora ele pareça ter sido tido em grande veneração na Inglaterra anglo-saxônica, pouco se sabe realmente de sua história. De acordo com uma vida escrita por Folcard, abade de Thorney, em 1068, ele e seu irmão Adulf eram filhos de nobres pais saxões e nasceram no início do século VII. No Breviário de Slesvig, entretanto, ele disse ter sido um “escocês”, ou seja, um irlandês. Cristãos educados, eles foram enviados para completar sua educação na Alemanha ou na Gália belga, onde receberam o hábito monástico. Diz-se que Adulf foi elevado ao episcopado, em Utrecht ou Maestricht. Se esta afirmação estiver correta, ele provavelmente era um bispo regional, pois seu nome não aparece na lista de prelados de nenhuma das dioceses. Com o passar do tempo, Botulf voltou para a Inglaterra e foi recebido favoravelmente por Ethelmund, um rei dos anglos meridionais, cujas irmãs conhecera no exterior…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune17.html

19. São Moling, bispo. Página 23 (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver “…São Moling Bispo de Ferns; sucessor de St. Aidan. Nasceu em Wexford, Irlanda. Ele também está listado como Dairchilla, Molignus, Moling ou Myllin. Moling era um monge em Glendalough e então fundou uma abadia em Achad Cainigh, que se tornou Teghmollin, ou Tech Molin, St. Mullins. Ele foi enterrado lá.

O culto de St Moling (Mulling, Molingus, Daircheall) remonta a uma data muito antiga e foi amplamente difundido na Irlanda…

… Giraldus Cambrensis afirma que os livros da SS. Patrick, Columba, Moling e Broccan, a quem ele caracteriza como os quatro profetas da Irlanda, existiam em seu tempo na língua irlandesa. Infelizmente, nenhum registro preciso da história de St Moling, nem de seus escritos, foi preservado para nós, e só podemos chegar a um esboço conjectural de sua carreira com base em uma tradição tardia…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune17.html

20. Beata Maria Dolorosa de Brabante. Ver “Beata Maria Dolorosa do Brabante, Virgem e Mártir – 17 de junho… Maria foi enterrada viva. Imediatamente depois, enquanto provavelmente ainda respirava, foi perfurada com um pau afiado, empurrado mais e mais profundamente por três homens, que se sucediam nessa obra. Era o dia 18 de junho de 1290.”: http://heroinasdacristandade.blogspot.com/2017/06/beata-maria-dolorosa-do-brabante-virgem.html

21. Outros santos do dia 17 DE JUNHO: páginas: 09-31 (NÃO TEM LINK):  Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 17 de junho, ver ainda: 17 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 476-478: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune17.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 16 de junho

1.  Na Ásia Menor, na ac­tual Tur­quia, a co­me­mo­ração dos santos Qui­rico e Ju­lieta (Julita), mártires.  († data inc.).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, Santa Julita (também na Folhinha do Coração de Jesus), mãe de família cristã, martirizada com seu filho São Ciro. Seu culto conheceu uma grande popularidade na França, especialmente em Nevers, perto de Versailles (M).

– Ver páginas 412-413 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Ciro e Julita (IcônioTurquia, século IV), também chamados Quírico ou Querito e Julieta, são mãe e filho santos pelas igrejas CatólicaOrtodoxaAssíria e ortodoxas orientais. São Ciro é padroeiro das crianças que sofrem maus tratos.[1][2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cir%C3%ADaco_e_Julita

– Ver ainda “Julitta foi levada a julgamento. Ela trouxe seu filho com ela para o tribunal. Ela se recusou a responder a quaisquer perguntas sobre si mesma, exceto para dizer que era cristã. O tribunal pronunciou sua sentença: Julitta deveria ser esticada na prateleira e depois espancada. Os guardas, prestes a levar Julitta embora, separaram Cyricus de sua mãe. A criança chorava e Alexandre, em uma vã tentativa de acalmá-lo, colocou Cyricus no colo. Aterrorizado e com vontade de correr de volta para a mãe, Cyricus chutou o governador e coçou-lhe o rosto. Alexandre levantou-se furioso e atirou a criança escada abaixo da tribuna, fraturando o crânio do menino e matando-o.
A mãe de Cyricus não chorou. Em vez disso, ela agradeceu a Deus e foi alegremente à tortura e à morte. Seu filho havia recebido a coroa do martírio. Isso deixou o governador ainda mais irritado. Ele decretou que seus lados deveriam ser rasgados com ganchos, e então ela foi decapitada. Ela e Cyricus foram atirados para fora da cidade, sobre a pilha de corpos de criminosos, mas as duas criadas resgataram os cadáveres da mãe e do filho e os enterraram em um campo próximo.
Há algumas evidências de uma criança-mártir desconhecida chamada Cyricus em Antioquia, e pode ter sido sobre ele que essa história fictícia se desenvolveu em várias versões diferentes. Existem lugares com o nome de Cyricus em toda a Europa e no Oriente Médio, mas sem o nome Julitta anexado. Já no século VI, a acta de Cyricus e Julitta foram rejeitadas em uma lista de documentos apócrifos (a lista foi anteriormente atribuída ao Papa São Gelásio I).”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune16.html

2.   Em Be­sançon, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, os santos Fer­réolo e Fer­rúcio, mártires. († c. 211/212).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 212, a paixão dos Santos Ferreolo e Ferrúcio, primeiros missionários da Borgonha e do Jura. Uma tradição relata que os dois foram enviados por Santo Irineu de Lião, e martirizados pouco depois de sua chegada na região. (M)

3.   Em Nantes, também na Gália Li­o­nense, São Si­mi­liano, bispo, que é lou­vado como grande con­fessor da fé por São Gre­gório de Tours. († s. IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, o Bem-Aventurado Similiano, bispo, chamado “o Grande Confessor” por Gregório de Tours. Honrado como santo logo depois de sua morte, foi titular de uma igreja em Nantes desde os tempos de Clóvis, (M)

4.   Em Li­massol, na ilha de Chipre, São Ticão, bispo, no tempo do im­pe­rador Te­o­dósio o Jovem. († s. V).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Chipre, no séc. V, São Ticão, bispo, cujos inúmeros milagres atestaram o poder de sua intercessão junto a Deus. (M)

5.   Em Mo­gúncia, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na Ale­manha, os santos Áureo, bispo, Jus­tina, sua irmã, e com­pa­nheiros már­tires, que, se­gundo a tra­dição, du­rante a ce­le­bração da Eu­ca­ristia foram cru­el­mente as­sas­si­nados pelos Hunos. († s. V)

6.   Em Lião, na Gália, ac­tu­al­mente na França, o se­pul­ta­mento de Santo Au­re­liano (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Arles, que, no­meado pelo papa Vi­gílio seu vi­cário na Gália, cons­truiu na ci­dade dois mos­teiros – um para ho­mens, outro para mu­lheres – e deu-lhes uma regra própria. († 551).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, Santo Aureliano, arcebispo de Arles e Vigário Apostólico nas Gálias. Contemporâneo de São Bento, escreveu regras para mosteiros de monjas e monges recentemente fundados por Quildeberto I em sua sede episcopal. (M).

– Ver “Aureliano de Arles (em latimAurelianus Arelatensis; em francêsAurelien) foi um arcebispo de Arelate (a moderna Arles, na França) de 546 até 16 de junho de 551, data de sua morte. Sua festa é celebrada no dia 16 de junho…

… Aureliano era filho de São Sacerdos, um arcebispo de Lugduno (moderna Lyon), em cuja sé seu primo, Nicécio (Nizier) ascendeu depois da morte dele…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Aureliano_de_Arles

7*.   Em Car­rara, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, São Ce­cardo, bispo de Lúni e de Sar­zano, que, ini­qua­mente as­sas­si­nado por obreiros nas pe­dreiras de már­more, foi con­si­de­rado mártir. († 860).

São Ceccardo (Francisco) de Luni. “Ceccardo de Luni (800 – LuniItália860) foi Bispo da cidade de Luni. É venerado como mártir e santo pela Igreja Católica, que celebra sua festa litúrgica oficial em 16 de junho.”: Ceccardo de Luni – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

. Ver também “… Mais tarde, ele se tornou o santo padroeiro de Carrara. Sua festa é 16 de junho.[1][2]…”: https://ao.mihalicdictionary.org/wiki/Ceccardus_of_Luni

8.   Em Meissen, na Sa­xónia, hoje na Ale­manha, São Benão (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Beno), bispo, que, por querer con­servar a uni­dade da Igreja e a fi­de­li­dade ao Ro­mano Pon­tí­fice, foi ex­pulso da sua sede epis­copal e en­viado para o exílio. († 1106).

– Ver “Benno de Meissen (1010–1106) foi um bispo de Meissen, na Alemanhavenerado como santo pela Igreja Católica”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Benno

9.   No mos­teiro das monjas cis­ter­ci­enses de Aywières, no Bra­bante, na ac­tual Bél­gica, Santa Lut­garda, virgem, in­signe pela sua de­voção ao Sa­grado Co­ração do Senhor. († 1246).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1246, a volta para Deus de Santa Lutgarda (ou Lutgárdis), monja cisterciense de Aywières, na diocese de Namur. Foi cumulada de graças místicas por Jesus Cristo, que a instruiu no mistério do Seu Sagrado Coração, a única luz na cegueira do seu fim de vida. (M)

Ver páginas 414-415 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Lugarda de Tongeren[1] (em latimLiutgardaLiudgard ou LugardaTongeren, 1182 – Aywieres, 16 de junho de 1246) foi uma monja católica flamenga venerada como santa pela Igreja Católica. É santa padroeira dos convertidos e das recomendações das almas do purgatório.

Sua morte é cercada de lendas, ocorreu em 16 de junho de 1246, aos 64 anos de idade, ainda hoje inspiram lendas.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lugarda_de_Tongeren

– Ver ainda: http://nunraw.blogspot.com/2010/06/saint-lutgard.html

10*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato Tomás Re­ding, mártir, monge da Car­tuxa desta ci­dade, que, no rei­nado de Hen­rique VIII, per­ma­neceu fir­me­mente unido à Igreja e, por isso, con­de­nado a ficar imo­bi­li­zado por rí­gidas ca­deias num imundo cár­cere, morreu de fome e enfermidade. († 1537)

11*.   Num barco an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato An­tónio Cons­tante Auriel, pres­bí­tero e mártir, que, sendo vi­gário pa­ro­quial em Cahors, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa foi en­cer­rado numa sór­dida ga­lera por causa do seu sa­cer­dócio e, em breve con­ta­giado pela en­fer­mi­dade con­traída no au­xílio aos com­pa­nheiros de prisão, en­tregou a alma a Deus. († 1794)

12.   Em Lang-Coc, ci­dade do Ton­quim, ac­tu­al­mente no Vi­etnam, os santos már­tires Do­mingos Nguyen, mé­dico, Do­mingos Nhi, Do­mingos Mao, Vi­cente e André Tu­aong, agri­cul­tores, que, no tempo do im­pe­rador Tu Duc, presos ao mesmo tempo por causa da sua fé cristã e ator­men­tados com muitos su­plí­cios no cár­cere, fi­nal­mente foram degolados. († 1862)

13*.   Em In­gen­bohl, mu­ni­cípio do cantão de Schwiyz, na Suíça, a Beata Maria Te­resa (Ana Maria Ca­ta­rina Scherer), virgem, a pri­meira di­rec­tora das Irmãs da Ca­ri­dade de Santa Cruz. († 1888)

14. São Francisco Régis, Jesuíta. Ver páginas 392-407 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver “Jean-François Régis, (nascido em 31 de janeiro de 1597 – 31 de dezembro de 1640), foi um sacerdote francês da Companhia de Jesus, reconhecido como santo pela Igreja Católica Romana em 1737… Régis caminhava de cidade em cidade, em áreas montanhosas difíceis, onde viajar era difícil, especialmente no inverno. [4] Ele morreu de pneumonia aos quarenta e três anos em 31 de dezembro de 1640, [8] em Lalouvesc ( Ardèche ), na região francesa de Dauphiné… Jean-François Regis foi beatificado pelo Papa Clemente XI em 18 de maio de 1716, [6] e canonizado pelo Papa Clemente XII em 5 de abril de 1737… Jean-François Régis é o santo padroeiro das rendeiras, assistentes sociais médicos e filhos ilegítimos. [9]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jean-Fran%C3%A7ois_R%C3%A9gis

– Ver ainda “O Dia de São Francisco Régis é celebrado em 16 de junho.”: https://www.calendarr.com/brasil/dia-de-sao-francisco-regis/

– Ver também “… John Francis Regis foi um desses santos, como o Cura d’Ars e São Vicente de Paulo, que era eminentemente simpático e acessível. Ele é um daqueles santos para quem a santidade não é uma aventura pessoal, mas algo que deve ser posto a serviço dos outros. Seu túmulo ainda é o destino de milhares de peregrinos a cada ano (Attwater, Benedictines, Encyclopedia, Gill, Farmer, White)…

… São muitas as vidas excelentes de São João Francisco Régis (canonizado em 1737), especialmente em francês. A biografia de C. de Ia Broüe, impressa dez anos após sua morte, tem um charme especial, mas muitos detalhes mais completos estão disponíveis em obras mais modernas, especialmente as de de Curley e LJM Cros. Uma excelente curta vida é a de J. Vianney na série “ Les Saints “. Ver também L. Pize, La perpetuelle mission de St Jean François Regis (1924); o admirável relato do Pe. Van Ortroy na Enciclopédia Católica, vol. viii, pp. 464-465, e aquela do Pe. Martindale que constitui um capítulo de seu livrinho, In God’s Army…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune16.html

15. Na Igreja Ortodoxa Copta, Santo Abraão de Alexandria. Ver “Abraão de Alexandria (também Abraão, o Sírio; Síria, século X -?, 978) foi o 62º Papa da Igreja Ortodoxa Copta, de 975 a 978. É considerado um santo pelos coptas….

… O milagre da montanha de Mucatam: O califa fatímida Almuiz Aldim Alá era conhecido por sua tolerância e interesse em debates sobre assuntos religiosos. Ele tinha um ministro judeu chamado Iacube ibne Quilis, que informou-lhe haver no Novo Testamento uma passagem (conhecida como Jesus exorcizando o garoto) que dizia: «…se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele passará.» (Mateus 17:20).

Ele mostrou este versículo ao califa e o persuadiu a desafiar o papa a ordenar que a montanha de Mucatam, a leste do Cairo, move-se casa ele tivesse a fé como um grão de mostarda. 

… O milagre aconteceu… Abraão celebrou uma missa e a multidão cantou após ele o Kyrie eleison (copta para “Senhor, tende piedade”), pedindo a misericórdia divina. Diz-se que eles se ajoelharam três vezes enquanto o papa fazia o sinal da cruz com um gesto largo que se estendeu de uma extremidade a outra da montanha.

A montanha balançou violentamente como se um forte terremoto tivesse atingido a terra. Em seguida, ela começou a se mover para cima. Cada vez que os adoradores levantavam-se de suas orações, a montanha elevava-se um pouco mais. Quando ajoelhavam, ela também vinha para baixo, num sobe e desce. Isto aconteceu três vezes…

 … O papa (Abraão) decretou que o período de três dias de moratória que tinha solicitado ao califa, nos quais ele, os bispos e os sacerdotes passaram em oração e jejum, fosse um período regular de jejum a ser observado por todos os coptas a cada ano. Aqueles três dias foram adicionados aos quarenta dias de jejum antes do Natal. Assim, o jejum do Advento passou para quarenta e três dias, com início em 25 de novembro. (O Natal, para eles, que seguem o calendário juliano, é dia 07 de janeiro)”. ESTÁ NA WIKIPEDIA DE 02 DE DEZEMBRO, festa litúrgica 16 de junho: Abraão de Alexandria – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Sobre Igreja Ortodoxa Copta, ver: Igreja Ortodoxa Copta – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

16. Outros santos do dia 16 DE JUNHO: páginas: 392-417 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 16 de junho, ver ainda: 16 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 474-476: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune16.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 15 de junho

1.   A co­me­mo­ração de Santo Amós, pro­feta, que era pastor de gado e cul­ti­vador de si­có­moros quando o Se­nhor o en­viou aos fi­lhos de Is­rael, para pro­clamar a sua jus­tiça e san­ti­dade di­vinas contra as pre­va­ri­ca­ções do seu povo.

– Ver “Amós (aquele que ajuda a carregar o fardo ou nome que em hebraico significa “levar” e que parece ser uma forma abreviada da expressão Amosiá, que significa Deus levou) foi um Profeta do Antigo Testamento, autor do Livro de Amós. Amós escreveu em um momento de relativa paz e prosperidade, mas também de negligência das leis de Deus. Ele falou contra uma disparidade crescente entre os muito ricos e os muito pobres (desigualdade social). Os principais temas abordados em sua obra eram a justiça social, a onipotência de Deus e o julgamento divino.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Am%C3%B3s

2.   Em Do­rós­toro, na Mésia, hoje Si­listra, na Bul­gária, Santo He­sí­quio (Esichio), que era sol­dado quando foi preso jun­ta­mente com São Júlio, e de­pois dele, sob o do­mínio do go­ver­nador Má­ximo, re­cebeu a coroa do martírio († c. 302).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc.III, receberam a palma do martírio os santos Hesíquio, na região do Danúbio inferior; e Dulas, na Ásia Menor. (M)

– Ver “St Tatian Dulas, Martyr. Por volta do ano 310, um prefeito da Cilícia chamado Máximo realizou uma assembleia no promontório de Zéfiro. O primeiro prisioneiro a ser levado perante ele foi um conhecido cristão local que havia sido preso por sua fé. Questionado sobre seu nome, ele disse que era Tatianus, mas que ele era comumente chamado de Dulas… Foi muito torturado…foi martirizado após ter sofrido horríveis torturas (Beneditinos) .M (RM)…

…Tudo o que sabemos sobre São Hesíquio deriva dos Atos – reconhecidamente genuínos – de São Júlio, um mártir de Durostorum na Moésia (a atual Silístria na Bulgária), por volta do ano 302. Quando São Júlio estava sendo levado à execução, Hesíquio disse a a ele: “Eu oro, Júlio, para que você possa felizmente completar seu sacrifício e receber a coroa: e que eu possa segui-lo. Minhas mais calorosas saudações a Pasicrates e Valentius. ” (Esses eram dois outros cristãos conhecidos deles que haviam sido martirizados pouco tempo antes.) Júlio abraçou Hesíquio e respondeu: “Irmão, venha depressa. Eles já ouviram sua mensagem, posso vê-los agora de pé ao meu lado, assim como eu vejo você. ” Na verdade, a execução de Santo Hesíquio ocorreu logo depois da de seu amigo. São Hesychius, “mártir de Durostorum”, é homenageado no Hieronymianum em 15 de junho e também no atual Martirológio Romano…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune15.html

3.   Na Lu­cânia, hoje na Ba­si­li­cata, re­gião da Itália, São Vito (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir. († data inc.).

https://pt.wikipedia.org/wiki/Vito_da_Luc%C3%A2nia

. No Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, São Guido, vítima da perseguição de Diocleciano. Segundo sua paixão que o tornou muito popular nos países francos e germânicos, ele confessou no meio do anfiteatro romano: “Sou renascido de Deus, por meio da fé, com toda a minha família… Sacrifiquei a Cristo os votos de meu coração… Agora eu me sacrifico, inteiro, a Ele” (M).

Santos Guido, Modesta e Crescência. Ver páginas 381-382 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

– Ver também “São Vito ou São Guido é um santo católico originário da Sicília que viveu durante a perseguição aos cristãos e morreu como mártir da Igreja pelas mãos dos Imperadores Diocleciano e Maximiano. Sua festa é celebrada em 15 de junho.[1]… Segundo a lenda, Vito, Modesto e Crescentia eram mártires de Diocleciano. O primeiro testemunho de sua veneração é oferecido pelo “Martyrologium Hieronymianum“… Fundada em 1919 a Associação Beneficente São Vito Mártir promove anualmente a Festa de São Vito no bairro do Brás, na Zona Leste de São Paulo.[3]

A festa é realizada durante todos os finais de semana, entre os meses de maio e julho, sendo umas das festas populares Italianas mais tradicionais de São Paulo,[3] assim como: a Festa de Nossa Senhora de Casaluce a Festa de Nossa Senhora Achiropita e a Festa de San Gennaro.”:

Vito da Lucânia – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver “Os vários textos da acta de São Vito e seus companheiros estão devidamente registrados em BHL junto com os relatos das traduções das relíquias, etc. (nn. 8711-8723). O mais importante desses documentos está impresso na Acta Sanctorum, junho, vol. iii. Uma versão grega da história também era corrente e, a partir dela, encontrou seu caminho para as sinaxias. Veja a edição de Delehaye do Constantinopolitanum, c 751 .Tudo aponta para a conclusão de que São Vito foi inicialmente homenageado sozinho, e que os nomes de Modestus e Crescentia só foram associados ao seu depois que algum escritor de romances inventou a história agora corrente. Muito se escreveu sobre o culto a esses mártires…

Vitus, Modestus, & Crescentia MM (RM) (Vitus também conhecido como Guy, Veit, Guido) o único filho de Hylas, um senador na Sicília, tornou-se cristão quando era muito jovem – entre as idades de sete e 12 – por influência dos criados que cuidavam dele. Seu tutor cristão, Modestus, e sua babá, Crescentia (esposa de Modestus), acompanharam-no em suas viagens pela Sicília…

São Vito é um dos Quatorze Santos Auxiliares (Santos Auxiliadores) que, como grupo, são especialmente venerados na França e na Alemanha. Acreditava-se que os Santos Auxiliares possuíam um poder de intercessão especialmente eficaz. Diz-se que as relíquias de Vitus possuem muitas propriedades curativas, especialmente quando os epilépticos oravam diante delas (Attwater, Benedictines, Bentley, Delaney, Encyclopedia, Farmer, Husenbeth, Sheppard, White).”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune15.html

– Sobre os QUATORZE SANTOS AUXILIADORES, ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Catorze_santos_auxiliares

4.   Em Ar­vena, na Aqui­tânia, hoje Cler­mont-Fer­rand, na França, Santo Abraão, monge, que, oriundo do li­toral do rio Eu­frates, se pôs a ca­minho do Egipto para vi­sitar os ere­mitas, mas, preso pelos pa­gãos, per­ma­neceu cinco anos no cár­cere; de­pois, par­tindo para a Gália, es­ta­be­leceu-se na re­gião do Au­vergne e re­co­lheu-se no mos­teiro de São Cí­rico, onde morreu com avan­çada idade. († c. 480).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Clermont, na Auvergne, perto de 480, Santo Abraão, monge. De origem persa, exilou-se para fugir à perseguição e para visitar os Padres do deserto do Egito. De lá chegou à Gália, onde pôs em prática o que havia aprendido. (M).

Ver página 385 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

– Ver também “Abraão de Clermont foi um monge cristão que viveu no século V… Morreu por volta de 479[2]. Após sua morte, teve seu epitáfio composto por Sidônio Apolinário, e sua biografia publicada por Gregório de Tours. Venerado na Igreja Ortodoxa Síria, Sua festa é celebrada em 15 de junho. Ele também é um santo padroeiro contra a febre.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Abra%C3%A3o_de_Clermont

5.   Em Crespin, no Hai­naut, hoje na França, São Lan­de­lino, abade, que, con­ver­tido pelo bispo Santo Aut­berto do ban­di­tismo à prá­tica da vir­tude, fundou o mos­teiro de Lobbes, di­ri­gindo-se de­pois para Crespin, de onde partiu deste mundo. († c. 686).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VII, a volta para Deus de São Landelino. Era um famoso bandido do Artois, que se converteu e decidiu viver como recluso em Lobbes, no Hainaut (Bélgica), e posteriormente em Crespin. Esses eremitérios tornaram-se, com o tempo, intensos focos de vida monástica. (X)

6*.   Em Séez, na Nêus­tria, também na ac­tual França, São Lo­tário, bispo, que, re­nun­ci­ando ao mi­nis­tério epis­copal, se­gundo a tra­dição quis morrer na solidão. († 756)

7.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, Santa Be­nilde, mártir, que, de idade já avan­çada, morreu du­rante a per­se­guição dos Mouros. († 853)

8.   Em Mont­joux, no ter­ri­tório de Va­lais, São Ber­nardo de Menthon, pres­bí­tero, que foi có­nego e ar­ce­diago de Aosta, mas du­rante muitos anos ha­bitou nos cimos dos Alpes, onde cons­truiu um me­mo­rável ce­nóbio e edi­ficou também hos­pe­da­rias para os pe­re­grinos em dois montes que ainda hoje são co­nhe­cidos pelo seu nome. († 1081).

– Ver página 378 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

Ver dia 28 de maio: Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 28 de maio, no ano do Senhor de 1081, São Bernardo de Menthon (também na Folhinha do Coração de Jesus de 28 de maio: São Bernardo de Novara). Nascido no castelo que tem este nome, às margens do lago de Annecy, entrou para os Cônegos Regulares e foi ordenado presbítero. Preocupado com a sorte dos peregrinos que deviam atravessar os Alpes, construiu para eles albergues em pontos elevados. Pio XI o declarou padroeiro dos montanheses e dos alpinistas (M).

– Ver “São Bernardo de Menton ( c. 1008 Menthon-Saint-Bernard (FR) ; † 12 de Junho de 1081 Novara (IT) ) (em italiano: San Bernardo di Mentone, em francês: Saint Bernard de Menthon) é um santo italiano que fundou cerca o Hospício do Monte Joux no actual colo do Grande São Bernardo e reconstruiu o da Coluna de Joux no actual Colo do Pequeno São Bernardo. Bernardo de Menton foi canonizado em 1681 pelo Papa Inocêncio XII e o Papa Pio XI confirmou, em 1923, São Bernardo de Menton como padroeiro dos Alpes e tornou-se assim também o padroeiro dos alpinistas[3]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Bernardo_de_Menton

– Ver também “… O fundador dos dois célebres hospícios do Grande e do Pequeno São Bernardo, que salvou a vida de tantos viajantes alpinos, tem direito ao reconhecimento grato da posteridade… São Bernardo, que salvou a vida de tantos viajantes alpinos, tem direito ao reconhecimento grato da posteridade e é estranho que até anos relativamente recentes nenhuma tentativa foi feita para lidar criticamente com o assunto contido nas biografias obviamente coloridas de São Bernardo. Ele é frequentemente referido como Bernard de Menthon por causa de seu suposto nascimento em Savoy, filho do conde Richard de Menthon e sua esposa da família Duyn…: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay28.html

9*.   Em Rat­ze­burg, no Hols­tein, ac­tual es­tado da Ale­manha, Santo Is­frido, bispo, que, vi­vendo se­gundo a ob­ser­vância dos Có­negos Pre­mons­tra­tenses, se de­dicou à evan­ge­li­zação dos Vendos. († 1204)

10*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato Tomás Scryven, mártir, monge da Car­tuxa desta ci­dade, que, no rei­nado de Hen­rique VIII, per­ma­neceu na fé da Igreja e, por isso, con­su­mido pela fome no cár­cere, re­cebeu a coroa do martírio. († 1537)

11*.   Em York, também na In­gla­terra, os be­atos már­tires Pedro Snow, pres­bí­tero, e Ro­dolfo Grimston, que, no rei­nado de Isabel I, foram con­de­nados à morte: o pri­meiro porque era sa­cer­dote, o outro porque tentou livrá-lo da cap­tura, ambos so­freram o su­plício do patíbulo. († 1598)

12.   Em Pi­brac, no ter­ri­tório de Tou­louse, na França, Santa Ger­mana (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, nas­cida de pais des­co­nhe­cidos e su­por­tando desde a in­fância uma vida servil e pe­nosas en­fer­mi­dades, aceitou todo o gé­nero de tri­bu­la­ções com for­ta­leza de alma e rosto alegre, até que, aos vinte e dois anos de idade, des­cansou em paz. († 1601).

– Ver “Santa Germana Cousin, virgem… Germana Cousin, falecida em 1601, deixou o mundo bastante jovem: 22 anos (31 anos na Wikipedia)… Foi muito humilhada e injustiçada… Beatificada em 07 de maio de 1854, foi canonizada a 29 de junho de 1867…” às páginas 387-390 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Santa Germana Cousin (Pibrac, território de ToulouseFrança 1570 — Pibrac, território de ToulouseFrança 15 de Junho de 1601), de seu nome de batismo Germana Maria de Jesus Cousin. Por causa de sua aceitação a Deus e de seu sofrimento é muito venerada em toda a França

Tornou-se uma amável pregadora da palavra de Deus e uma catequista espontânea dos mais pobres. Tentou converter seu pai e sua madrasta, mas tudo foi em vão. Vivia acompanhada, em suas campanhas de pregação, de crianças e pobres…

Em 1867, foi declarada santa pelo Papa Pio IX. Uma Basílica foi erigida em sua homenagem na sua cidade de origem, onde ainda repousam suas relíquias. É a padroeira da Diocese de Toulouse e de várias paróquias na França”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Santa_Germana_Cousin

13*.   Em Bér­gamo, na Itália, o Beato Luís Maria Palázzolo, pres­bí­tero, que fundou a Con­gre­gação das Irmãs Po­bre­zi­nhas e dos Ir­mãos da Sa­grada Família. († 1886)

14.   Em Qi­anshengzhuang, perto da ci­dade de Liushuitao, no Hebei, pro­víncia da China, Santa Bár­bara Cui Lianzhi, mártir, que, de­pois de ter sido as­sas­si­nado o seu filho, ao fugir de noite para salvar a vida, foi presa pelos ini­migos dos cris­tãos e cru­de­lis­si­ma­mente tor­tu­rada até à morte. († 1900)

15♦.   Em São Luís, ci­dade do es­tado de Santa Ca­ta­rina, no Brasil, a Beata Al­ber­tina Berkenbrock (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem e mártir que aos doze anos foi as­sas­si­nada por de­fender he­roi­ca­mente a sua castidade. († 1931).

– Ver “Beata Albertina Berkenbrock (Imaruí11 de abril de 1919 — Imaruí, 15 de junho de 1931) foi uma menina brasileira a quem são atribuídos milagres. Em 2007 foi declarada oficialmente beata pela Igreja Católica Apostólica Romana

… Seus pais e familiares souberam educar a menina na fé, transmitiram-lhe muito cedo as principais verdades da Igreja. Ela aprendeu logo as orações, era perseverante em fazê-las e muito recolhida ao rezar. Sempre que um padre aparecia em São Luís, lá ia ela participar da vida religiosa da comunidade.

Confessava-se com frequência, ia regularmente à missa, comungava com fervor, e preparou-se com muita diligência para a primeira comunhão. Falava muitas vezes da Eucaristia e dizia que o dia de sua primeira comunhão fora o mais belo de sua vida.

Albertina foi também muito devota de Nossa Senhora, venerava-a com carinho, tanto na capela da comunidade como em casa. Junto com os familiares recitava o terço e recomendava a Maria sua alma e sua salvação eterna. Tinha especial devoção a São Luís Gonzaga, titular da capela e modelo de pureza.

A formação cristã instilou em Albertina a inclinação à bondade, às práticas religiosas e à vivência das virtudes cristãs, na medida em que uma menina de sua idade as entendia e podia vivê-las. Nada de estranho se seus divertimentos refletiam seu apego à vida religiosa. Gostava de fazer cruzinhas de madeira, colocava-as em pequenos sepulcros, adornava-os com flores.

Foi no ambiente simples, belo e cristão de sua família que Albertina cresceu. Ajudava os pais nos trabalhos da roça e em casa. Foi dócil, obediente, incansável, sacrificada, paciente, mesmo quando os irmãos a mortificavam, e até lhe batiam. Ela suportava tudo em silêncio, unindo-se aos sofrimentos de Jesus que amava sinceramente…

Conhecida pelo povo da Diocese de Tubarão como “a nossa Albertina”, também conhecida como a Maria Goretti brasileira. Nasceu na comunidade de São Luís, município de Imaruí, estado de Santa Catarina. Era filha do casal de agricultores, Henrique e Josefina Berkenbrock, e teve mais oito irmãos e irmãs. Foi batizada no dia 25 de maio de 1919, crismou-se a 9 de março de 1925 e fez a primeira comunhão no dia 16 de agosto de 1928. Assassinada em 15 de junho de 1931, aos doze anos de idade. Teve vida simples e humilde no meio rural do seu município natal.

A ela foram atribuídos milagres após sua morte violenta, depois de tentativa de estupro. Os milagres seriam obtidos por invocação junto a seu túmulo, o que motiva peregrinações

Albertina foi batizada no dia 25 de maio de 1919, crismou-se a 9 de março de 1925 e fez a primeira comunhão no dia 16 de agosto de 1928…Assassinada em 15 de junho de 1931 por Maneco…

Maneco lhe teria proposto seus intentos, mas Albertina, decidida, não aceita, sabendo que o que o empregado lhe propunha era errado aos olhos de Deus. Então, Maneco teria tentado se apossar de Albertina à força, mas ela não se deixa subjugar. Segundo os relatos, ela teria lutado contra o seu assassino, quase o derrubando. Mas em algum momento, ele a derrubou e a segurou, mesmo com todas as tentativas de resistência por parte da menina, que teria agarrado seu vestido e se coberto o mais que pode.

Então Maneco, derrotado moralmente pela menina, a assassinou por vingança, agarrando-a pelos cabelos, afundando o canivete no pescoço e a matando por degola, porém sem violá-la.

O assassino despistou o crime, dizendo que encontrou o corpo de Albertina e colocando a culpa de tudo em João Candinho: “Foi esse

e, acompanhado por Candinho e outras pessoas, foi à casa do homem que matou Albertina!” O rapaz foi preso, protestou, jurou inocência aos prantos, mas foi tudo inútil. Os colonos, que testemunharam tudo, começaram a duvidar: “Acaso não seria Maneco o assassino?”

… Como contam testemunhas, Maneco aparecia toda hora por perto da sala onde se velava o corpo de Albertina, e sempre que se aproximava, a ferida do pescoço de Albertina vertia sangue. Pensava o povo: “Não seria um sinal?”

Enquanto o povo cismava, Maneco tramava sua fuga.

Dois dias depois chegou o prefeito de Imaruí, que acalmou a população e mandou soltar João Candinho. Foi à capela, tomou um crucifixo pai de Albertina e o colocou sobre o peito da menina morta. Mandou também que João Candinho colocasse as mãos sobre o crucifixo e jurasse que era inocente, e ao fazer isto, segundo os presentes, a ferida parou de sangrar.

Entretanto, Maneco acabava de fugir. Preso em Aratingaúba, confessou este e outros crimes: confessou um cometido em Palmas, onde matara um sargento, e também o assassinato de um homem em São Ludgero. E também teria revelado que matou Albertina porque ela recusara ceder à sua intenção de manter relações sexuais com ela.

Maneco Palhoça foi levado para Laguna. Correu o processo, e ele foi condenado. Levado para a penitenciária, se comportou bem enquanto esteve na prisão e depois de alguns anos faleceu.

Mas, apesar de sua morte terrível, Albertina continuou sendo exemplo para toda a região, sendo cultuada até hoje como sinônimo de generosidade, modéstia, auto-sacrifício, obediência a Deus e pureza…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Albertina_Berkenbrock

16♦.   Em Mong Ping, na Bir­mânia, no ac­tual Myanmar, o Beato Cle­mente Vismara, pres­bí­tero missionário. († 1988)

17. Santa Líbia, também na Folhinha do Coração de Jesus.

– Ver “Sabemos muito pouco sobre o martírio e a morte da madre Leonida e das outras freiras, junto com ela martirizadas. No ano de 310 a madre Leonida foi decapitada, a madre Livia queimada vida e a santa Eutropia faleceu durante a tortura. Tropário: Senhor, a Tua cordeira Leonida está clamando: a Ti, meu Esposo, amo, e a Ti procurando, estou sofrendo, me crucificando e me sepultando no Teu batismo, por Ti estou sofrendo para viver junto Contigo, portanto, receba-me como uma oblação imaculada, pois foi com grande amor que me sacrifiquei por Ti. Por orações dela, salve as nossas almas, ó Misericordioso.”: https://www.fatheralexander.org/booklets/portuguese/saints_3_p.htm#_Toc9418121

– Ver também “Lybe, Leonis e Eutropia. Lybe foi decapitada; Leonis, sua irmã, morreu na fogueira; e a escrava de 12 anos, Eutropia, foi usada como alvo para os soldados praticarem seus disparos. Seu martírio aconteceu sob Diocleciano em Palmyra, na Síria (beneditinos). MM (RM)”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay28.html

18. Bem-aventurado Gregório Luís Barbadigo. Ver páginas 379-380 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

19. Santo Orsiésio, abade. Ver páginas 383-384 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

20. Outros santos do dia 15 DE JUNHO: páginas: 378-391 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 15 de junho, ver ainda: 15 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 471-473: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune15.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 14 de junho

DESTAQUE ESPECIAL EM 14 DE JUNHO: BEATA “NHÁ CHICA”

Em Bae­pendi, ci­dade do es­tado de Minas Ge­rais, no Brasil, a Beata Fran­cisca de Paula de Jesus (“Nhá Chica”, também na Folhinha do Coração de Jesus), filha e neta de es­cravos, que, tendo fi­cado órfã aos dez anos, de­dicou toda a sua hu­milde vida à oração e ao ser­viço dos mais necessitados († 1895). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nhá_Chica

– Ver também “Francisca de Paula de Jesus, conhecida popularmente como Nhá Chica (São João del-Rei1810 — Baependi14 de junho de 1895), foi uma leiga brasileira considerada beata pela Igreja Católica

… Filha e neta de escravos, Francisca de Paula de Jesus nasceu em 1810, no povoado de Santo Antônio do Rio das Mortes Pequeno, um dos atuais cinco distritos de São João del-Rei, município do estado brasileiro de Minas Gerais, onde também foi batizada no dia 26 de abril de 1810.[1] Pouco tempo depois sua família mudou-se para a cidade de Baependi, no sul deste estado, onde ela viveu até 14 de junho de 1895,[2] data de sua morte. Francisca foi sepultada dia 18 de junho no interior da capela dedicada à Nossa Senhora da Conceição, mandada construir por ela.

Francisca ficou órfã aos dez anos. Mulher humilde, era fervorosa devota de Nossa Senhora da Conceição, e, a pedido da mãe, passou a vida inteira a dedicar-se à prática de caridade. Leiga, foi chamada ainda em vida de “a mãe dos pobres”, sendo respeitada por todos os que a procuravam, desde os mais humildes aos homens do Império. Durante 30 anos, reuniu doações para construir a capela de Nossa Senhora da Conceição, onde hoje funciona o Santuário da Conceição, na cidade mineira de Baependi. Francisca de Paula de Jesus era conhecida por Nhá Chica, sendo que “nhá” é corruptela de “sinhá”, por sua vez corruptela de senhora, forma respeitosa de se tratar aos mais velhos.

… A causa de Beatificação de Nhá Chica aguardava desde 2007 o anúncio de sua beatificação, quando uma graça foi atribuída a Nhá Chica. Ana Lúcia Meirelles Leite, uma professora moradora de Caxambu, em Minas Gerais, teria sido curada de um problema congênito no coração, caso considerado muito grave pelos médicos. A cura teria se dado sem a necessidade de intervenção cirúrgica, tendo então sido atribuída às orações pela intercessão de Nhá Chica. O fato se deu em 1995. A graça foi aceita pelo Vaticano, que analisa o pedido de beatificação. No entanto, o início da campanha pela canonização teve seu início ainda no ano de 1952. A instalação da Comissão em prol da Beatificação se iniciou em 1989, e foi depois instalada em definitivo no dia 14 de janeiro de 1992.

… Em 30 de abril de 2004, os bispos brasileiros reunidos em sua 42ª Assembleia Geral da CNBB assinaram um documento pedindo a beatificação de Nhá Chica. O documento, que reuniu 204 assinaturas de Bispos de 25 estados brasileiros, foi encaminhado pela Diocese de Campanha ao então Papa João Paulo II.

No dia 8 de junho de 2010, a Congregação para as Causas dos Santos deu parecer favorável às virtudes da Serva de Deus Nhá Chica.[3] Já em 14 de janeiro de 2011, o Papa Bento XVI aprovou o decreto da Congregação para as Causas dos Santos, que atestava as virtudes heróicas da Serva de Deus.[4] Nhá Chica pode receber o título de Venerável, estando assim mais próxima da beatificação.[5]

Aguardou-se, desde então, o reconhecimento por parte da Santa Sé, do milagre da cura, atribuído à intercessão de Nhá Chica, da professora Ana Lúcia Meirelles Leite, até que no dia 13 de outubro de 2011, a Comissão Médica da Congregação para as Causas dos Santos, depois de analisar o possível milagre da cura de Ana Lúcia, declarou que a cura não teria explicação científica.[6] Em 28 de junho de 2012, o Papa Bento XVI autorizou a Congregação para a Causa dos Santos a promulgar o decreto do milagre atribuído à intercessão de Nhá Chica.[7]

A beatificação aconteceu no dia 4 de maio de 2013, em Baependi, em cerimônia presidida pelo prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, o cardeal Angelo Amato, representante da Santa Sé, que anunciou a data de 14 de junho como a festa litúrgica em memória de Nhá Chica. Desta forma, Nhá Chica se tornou a primeira leiga e negra brasileira a ser declarada beata pela Igreja Católica.”: https://www.nhachica.org.br/sobre-a-nha-chica-processo-de-beatificacao.php

– Ver ainda “… Francisca de Paula de Jesus, ou Nhá Chica, como era chamada por todos, nasceu em 1808, na “Porteira dos Vilellas”, fazenda de Santo Antônio do Rio das Mortes Pequeno, povoado a seis léguas de São Del Rei, Minas Gerais… Ainda moça Nhá Chica já era a “mãe dos pobres”: tinha o piedoso  costume de convidar os pobres e demais moradores daquela redondeza  em determinado dia da semana para com ela elevarem preces à Virgem Mãe de Deus… Após as orações, ela distribuía alimentos aos pobres, pois todos já levavam para isso suas vasilhas. Recebia esmolas e dava esmolas… Ninguém batia a sua porta sem receber em troca alguma ajuda em pedidos e pedidos e orações… Restos mortais: no interior da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Baependi, MG (exumação em 18/jun/1998, e acomodação em urna funerária próxima ao antigo túmulo em 2/agosto seguinte). Para visitação dos fiéisCasinha onde viveu e Memorial Nhá Chica (história e objetos pessoais de Nhá Chica; aberto todos os dias da 8 às 12h, e das 13 às 17h, no endereço abaixo). Causa de canonização: sediada na Diocese de Campanha, MG. Ator: Associação Beneficente Nhá Chica. Início da Campanha pela canonização em 1952; Instalação da Comissão em prol da Beatificação em 24/08/1989; Nihil Obstat em 14/01/1992; Processo informativo diocesano iniciado em 16/julho/1993 e encerrado em 1995, quando foi para Roma; Relator: Pe. José Luiz Gutiérrez. A causa ficou parada até 1998, quando assumiram como Postulador Frei Paolo Lombardo, ofm e como vice-postuladora Ir. Célia Cadorin, ciic; publicação da Positio em 30/out/2001 – Decreto das Virtudes Heróicas em 14/01/2011; Decreto sobre um Milagre em 28.6.2012; Beatificação em 4.5.2013, em Baependi, MG. Associação Beneficente Nhá Chica – Rua da Conceição, 165  –  Centro37443-000 Baependi (MG)Tel.: (35) 3343-1077 (também para pedidos de livros)”: http://www.santosdobrasil.org/?system=news&eid=296

OUTRAS SANTAS E SANTOS DE 14 DE JUNHO:

1.   Em Sa­maria ou Se­baste, na Pa­les­tina, hoje Sivas, na Tur­quia, a co­me­mo­ração de Santo Eliseu (também na Folhinha do Coração de Jesus), dis­cí­pulo de Elias, que foi pro­feta em Is­rael no tempo do rei Jorão até aos dias de Joás. Em­bora não tenha dei­xado orá­culos es­critos, pelos mi­la­gres que fez em favor dos es­tran­geiros anun­ciou a sal­vação que havia de vir para todos os homens.  

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IX antes da nossa era, o Profeta Eliseu. Discípulo e sucessor de Elias, exerceu seu ministério no reino do Norte, reivindicando corajosamente a fidelidade ao único Deus de Israel, diante dos cultos sírios de Baal e de Astartéia. (M).

Ver páginas 352-373 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

2.   Em Aqui­leia, na Ve­nécia, hoje no Friúli, re­gião da Itália, São Proto, mártir. († data inc.)

3.   Em Sois­sons, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, os santos Va­lério e Ru­fino (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártires. († s. IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Soissons, no início do séc. IV, o martírio dos Santos Valério e Rufino. (M)

– Ver “… Quando a perseguição eclodiu sob Diocleciano, Valério e Rufinus, sabendo que eram homens marcados, fugiram para uma caverna em uma das florestas vizinhas. Eles foram, no entanto, descobertos e presos. Depois de fazer uma confissão ousada eles foram açoitados, torturados e decapitados.”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune14.html

4*.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São For­tu­nato, bispo. († s. IV)

5.   Em Vi­enne, na Bor­gonha, hoje na França, Santo Etério, bispo. († s. VII)

6.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Me­tódio, bispo, que, sendo monge, se di­rigiu a Roma para de­fender o culto das sa­gradas ima­gens junto do papa Pas­coal I e, or­de­nado bispo, ce­le­brou so­le­ne­mente o triunfo da ver­da­deira fé. († 847).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 847, São Metódio. Nascido na Sicília, estudou em Constantinopla, onde abraçou a vida monástica. Tornou-se abade, e mais tarde Patriarca, e fez triunfar definitivamente, com o apoio de Roma, o culto das santas imagens, instituindo a “Festa da Ortodoxia”, celebrada anualmente desde então. (M).

– Ver também “Metódio I de Constantinopla (em grego: Μεθόδιος Α΄) foi o Patriarca de Constantinopla entre 4 de março de 843 até 14 de junho de 847… Metódio era tinha boa educação e se dedicou tanto a copiar quanto escrever manuscritos. Suas próprias obras incluem polêmicas, trabalhos hagiográficos e litúrgicoshomilias e poesia. Suas obras fazem parte da Patrologia Grega (PG C), de Migne…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Met%C3%B3dio_I_de_Constantinopla

7.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, os santos már­tires Anas­tásio, pres­bí­tero, Félix, monge, e Digna (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que mor­reram no mesmo dia e do mesmo modo: Anas­tásio, porque pro­fessou a fé cristã, pe­rante os côn­sules mouros, foi ime­di­a­ta­mente pas­sado à es­pada; com ele, pe­receu também Félix, ori­gi­nário da Ge­túlia, na África Se­ten­tri­onal, que se­guia a fé ca­tó­lica e a vida mo­nás­tica nas As­tú­rias; Digna, ainda muito jovem, que re­pre­endeu ve­e­men­te­mente o juiz pela morte dos dois már­tires, ime­di­a­ta­mente foi degolada. († 853).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Córdova, no séc. IX, os Santos Anastácio, sacerdote; Félix, monge; e Digna, virgem; que deram testemunho de Cristo diante do Islamismo. (M)

8♦. No Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1046, a volta para Deus do Bem-Aventurado Ricardo, abade de Saint Vanne de Verdun, que depois de um período em Cluny, reavivou o monaquismo na Lorena, na Renânia e em Flandres (X).

– Ver páginas 375-376 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

9. Bem-Aventurada Castora Gabrielli. Ver página 374 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver “…  Era filha do Conde Pietruccio Gabrielli de Gubbio, Conde de Corbara, e de Helena de Pietruccio Del Monte, e que viveu no século XIV…

… somente se casou para obedecer a seus pais… Castora Gabrielli se casou muitíssimo jovem com o jurista Santuccio (ou Gualtiero) Sansoneri, Conde de São Martino e Bassinario, no território de Sant’Angelo in Vado. Foi um casamento difícil, porque o marido a tratava asperamente… Empregava na oração o tempo que lhe sobrava das tarefas domésticas, particularmente na igreja de São Francisco, chamada da Terra, e quando voltava para casa seu marido, de natureza severa e rígida, a maltratava com palavras e atos: ela, no entanto, suportava tudo com admirável paciência por amor de Deus… Depois da morte de seu marido, com o consentimento de seu filho Odão, ela distribuiu seus bens aos pobres e vestiu o hábito da Ordem Terceira Franciscana, passando o resto de sua vida em penitência e oração…

Ela morreu em 14 de junho de 1391 em Macerata. Após sua morte, o filho quis transladar o corpo da Beata Castora para a igreja de São Francisco em Sant’ Angelo in Vado.
E a este respeito, nos é relatado que “seu corpo estava todo preservado, e foi enterrado na capela de São Francisco em Sant’Angelo in Vado, com o hábito de terceira franciscana”…

… Ainda hoje, na igreja franciscana de Santo Ângelo, a Beata é venerada e invocada como padroeira dos casamentos difíceis.”: https://coisasdesantos.blogspot.com/2019/06/14-de-junho-beata-castora-gabrielli.html

– Ver também “… Abençoado Castora Gabrielli se juntou ao franciscano pedido como um terciário. Ela morreu em 14 de junho de 1391 e foi posteriormente beatificada…”: https://pt.wikiqube.net/wiki/gabrielli_family

10. José, o hinógrafo. Ver “…José, o Hinógrafo foi um monge do século IX e é um dos grandes poetas litúrgicos e hinógrafos da Igreja Ortodoxa. Ele também é conhecido por manter firme sua confissão de fé ortodoxa durante o iconoclasma. Ele é chamado de “o rouxinol de voz adocicada da Igreja”…. Festa litúrgica: 4 de abril e 17 de abril na Igreja Ortodoxa 14 de junho na Igreja Católica… O bispo de Tessalônica o ordenou um hieromonge (padre-monge). Durante uma visita à região, o famoso Gregório da Decápolis ficou tão impressionado com José que o convidou para se juntar a ele no importante Mosteiro de Estúdio, em Constantinopla… Ele supostamente possuía o “dom do discernimento”, pois Fócio o designou como o pai espiritual e o confessor dos padres, recomendando-o como um “Um homem de Deus, um anjo encarnado e o pai dos pais”. Ele morreu pacificamente, já idoso, na véspera da Quinta-Feira Santa de 883 ou 886.

Vita prima de José foi escrita em 890 por João, o Diácono de Santa Sofia.”:https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9,_o_Hin%C3%B3grafo

11. Santa Iolanda, na Folhinha do Coração de Jesus (de 12 de junho).

– Ver “…Santa Iolanda faleceu no convento de Gniezno, como superiora, em 14 de junho de 1298. Logo, seu túmulo se transformou em local de peregrinação. Muitos fiéis alcançaram graças por sua intercessão. Por isso, o culto a Santa Iolanda se espalhou pelo Leste da Europa e, de lá, por várias partes do mundo. No ano de 1827 o Papa Urbano VIII beatificou Santa Iolanda, marcando sua festa litúrgica para 14 de junho, dia de sua morte”: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-santa-iolanda/215/102/

– Ver também “Yolanda da Polônia (também conhecida como Helena ; 1235 – 11 de junho de 1298) era filha do rei Béla IV da Hungria e de Maria Laskarina . Ela era irmã de Margarida da Hungria e Kinga da Polônia (Cunegunda). Uma de suas tias paternas foi a franciscana Elizabeth da Hungria … Celebração 11 e 12 de junho”: https://en.wikipedia.org/wiki/Yolanda_of_Poland

– Ver também: “Muitos anos se passaram e as três damas cristãs continuavam naquele lugar, fazendo do silêncio do claustro o terreno para um fecundo período de meditação e oração. Quando morreu Cunegundes, em 1292, Iolanda deixou aquele mosteiro e foi mais para o ocidente, ao convento das clarissas de Gniezno, fundado por seu marido. Ali terminou seus dias como superiora, no dia 14 de junho de 1298.

Amada pela população, seu culto ganhou força entre os fiéis do Leste Europeu e se difundiu por todo o mundo católico, ao longo dos tempos. Seu túmulo tornou-se meta de romeiros, pelos milagres e graças atribuídos à sua intercessão. Em 1827, o Papa Urbano VIII autorizou a beatificação e marcou a festa litúrgica para o dia do seu trânsito.”: https://franciscanos.org.br/carisma/calendario/bem-aventurada-yolanda#gsc.tab=0

– Ver ainda “… As suas duas irmãs, mais famosas, foram Santa Margarida da Hungria, canonizada em 1943 por Pio XII; e Santa Kinga (Cunegundes) canonizada por João Paulo II em 1999.”: http://santossanctorum.blogspot.com/2017/06/beata-iolanda-da-polonia-esposa-mae-e.html

Ver também dia 12 de junho

12. Outros santos do dia 14 DE JUNHO: páginas: 328-377 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 14 de junho, ver ainda: 14 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 470-471: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. Santo do Dia 14 de Junho (lngplants.com) ou http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune14.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 13 de junho

1. Me­mória de Santo An­tónio (Santo Antônio de Pádua ou de Lisboa), pres­bí­tero e doutor da Igreja, na­tural de Por­tugal, que, sendo có­nego re­gular, in­gressou na Ordem dos Me­nores re­cen­te­mente fun­dada, para se en­tregar à pro­pa­gação da fé entre os povos da África; mas foi na Itália e na França que, exer­cendo com muito fruto o mi­nis­tério da pre­gação, atraiu muita gente à ver­da­deira dou­trina. Es­creveu ser­mões im­preg­nados de dou­trina e su­a­vi­dade e, por ordem de São Fran­cisco, en­sinou te­o­logia aos seus ir­mãos, até que em Pádua partiu deste mundo ao en­contro do Se­nhor. († 1231).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santo Antônio de Lisboa ou de Pádua (também na Folhinha do Coração de Jesus), franciscano português. Voltando de uma missão nas terras do Islamismo, pregou na Lombardia e depois no Limousin, onde fundou o convento de Brive, Seus sermões, ricos em citações da Escritura, valeram-lhe o título de “Doutor Evangélico”. Morreu em Pádua, no ano de 1231. (R).

Ver páginas 273-323 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Santo António (português europeu) ou Antônio (português brasileiro) de Lisboa, também conhecido como Santo António (português europeu) ou Antônio (português brasileiro) de Pádua,Ver nota:[1] OFM (Lisboa15 de agosto de 1195? — Pádua13 de junho de 1231), de sobrenome incerto[nota 1] mas batizado como Fernando, foi um Doutor da Igreja que viveu na viragem dos séculos XII e XIII.[2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Santo_Ant%C3%B3nio_de_Lisboa

– Ver também “… Bento XVI dedicou sua catequese durante a audiência geral desta manhã (10 de fevereiro de 2010) a Santo Antônio de Pádua, “um dos santos mais populares da Igreja Católica”…. António de Pádua, ou de Lisboa como é conhecido, definiu a oração «como uma relação de amor, que leva o homem ao diálogo o Senhor”, e descreveu quatro “atitudes” que devem caracterizá-la: “(1) abrir com confiança o nosso coração a Deus, (2) conversar afetuosamente com Ele, (3) apresentar-lhe as nossas necessidades, (4) dar-lhe louvor e gratidão. Neste ensinamento de Santo Antônio”, explicou o Papa, “vemos um dos traços específicos da teologia franciscana; … isto é, o papel central do amor divino que entra na esfera dos afetos, da vontade, do coração, e que é a fonte de um conhecimento espiritual que ultrapassa todos os outros conhecimentos “…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune13.html

2.   Na Via Ar­de­a­tina, a sete mi­lhas de Roma, Santa Fe­lí­cula, martir. († c. s. IV)

3.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, o Beato Aquileu, bispo, in­signe na eru­dição, na fé, na vida e virtudes. († 312)

4.   Em Ni­cósia, na ilha de Chipre, São Tri­fílio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que de­fendeu vi­go­ro­sa­mente a ver­da­deira fé ni­cena e, como es­creve São Je­ró­nimo, foi o orador mais elo­quente do seu tempo e ad­mi­rável co­men­tador do “Cân­tico dos Cânticos”. († 370).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 370, São Trifilio, bispo de Chipre. (M)

– Ver também “…A Igreja em Chipre no século IV numerou em sua hierarquia dois homens muito notáveis: St Spiridion e St Triphyllius (como seus nomes são escritos no Martirológio Romano). St Spiridion (lembrado dia 12 de dezembro), era originalmente um pastor, enquanto St Triphyllius, que se destinava à lei, recebeu uma excelente educação em Bairut, na Síria. Mudando de idéia, entretanto, ainda jovem, ele se ligou a São Spiridion, seu mais velho por muitos anos, e se tornou seu companheiro constante e discípulo devotado.

Juntos, eles participaram do Concílio de Sardica (ver “O Concílio de Sárdica foi um de uma série de concílios regionais (ou sínodos) reunidos para ajustar a doutrina e resolver as dificuldades da controvérsia ariana, realizado provavelmente em 343. Os imperadores romanos Constante I e Constâncio II chamaram este concílio[1]. Outro concílio foi realizado em 347…: https://pt.wikipedia.org/wiki/Conc%C3%ADlio_de_S%C3%A1rdica”:) em 347, onde foram zelosos oponentes da heresia ariana… São Jerônimo o descreve como “o mais eloquente de sua época e o mais célebre durante o reinado do rei Constâncio”. Em outro lugar, ele escreve sobre “Triphyllius, o cretense, que preencheu seus livros com as doutrinas e máximas dos filósofos que você não sabia quais admirar mais – sua erudição secular ou seu conhecimento das Escrituras”…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune13.html

5.   Nos Abruzos, re­gião da Itália, São Ceteu ou Pe­re­grino (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Ami­terno, que, no tempo em que os Lom­bardos in­va­diram a re­gião, acu­sado fal­sa­mente de su­blevar a ci­dade, foi por eles con­de­nado à morte e afo­gado no rio. († c. 600).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Itália, no séc. VI, São Peregrino, que sofreu perseguições por ter proclamado sua fidelidade a Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem. (M)

6.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, Santo Eu­lógio, bispo, cé­lebre pela sua dou­trina, a quem o papa São Gre­gório Magno es­creveu vá­rias cartas, es­cre­vendo sobre ele: «Não está longe de mim quem está unido a mim». († c. 607)

7*.   Em Li­moges, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, São Sal­módio, eremita. († s. VII)

8*.   No ter­ri­tório de Lião, na Gália, também na ac­tual França, São Ram­berto, mártir, que, sendo de ilustre fa­mília e do­tado de no­bres vir­tudes, foi tão odiado por Ebroíno, chefe do pa­lácio real, que este o en­viou para o des­terro e fi­nal­mente o mandou matar com um golpe de lança. († 680).

– Ver páginas 324-325 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

9*.   No vale de Lar­boust, nos montes Pi­re­neus, também na ho­di­erna França, Santo Aven­tino, ere­mita e mártir, que, se­gundo a tra­dição, foi morto pelos Mouros. († s. VIII)

10.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, São Fân­dila (ou Fandilho), pres­bí­tero e monge, que, du­rante a per­se­guição dos Mouros, no tempo do rei Mo­amed I, foi de­ca­pi­tado em ódio à fé cristã. († 853).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Córdova, na Espanha, no ano da graça de 852, São Fandilho, sacerdote e monge, testemunha da divindade de Cristo em face ao Islamismo. (M)

11*.   No mos­teiro de Cla­raval, na Bor­gonha, re­gião da França, o Beato Ge­rardo (ou Geraldo), monge, irmão de São Ber­nardo, que, apesar da es­cassa cul­tura, tinha uma grande in­te­li­gência e dis­cer­ni­mento espiritual. († 1138)

12.   Em Hué, no Anam, hoje no Vi­etnam, os santos Agos­tinho Phan Viet Huy e Ni­colau Bui Viet Thê, már­tires, que, de­pois de terem pi­sado a cruz, cons­tran­gidos pelo terror, quando re­cu­pe­raram a cons­ci­ência, de­se­josos de ex­piar a sua culpa, pe­diram ime­di­a­ta­mente ao im­pe­rador Minh Mang que fossem no­va­mente jul­gados como cris­tãos e, por isso, es­quar­te­jados vivos num barco, al­can­çaram as ale­grias celestes. († 1839)

13*.   Em Nau­mowicze, ci­dade pró­xima de Grodno, na Po­lónia, a Beata Maria Ana Biernacka, mãe de fa­mília e mártir, que, no re­gime de ocu­pação mi­litar da sua pá­tria, du­rante a guerra, se ofe­receu aos sol­dados para subs­ti­tuir sua nora que es­tava grá­vida e, ime­di­a­ta­mente fu­zi­lada, re­cebeu a palma glo­riosa do martírio. († 1943)

14. No Martirológio Romano-Monástico, em Biblos, na Fenícia, Santa Aquilina (também na Folhinha do Coração de Jesus), que consagrou sua virgindade por meio de um glorioso martírio (M).

– Ver “… Os cristãos orientais dos primeiros tempos tinham uma grande veneração por Santa Aquilina, e seu nome aparece em quase todos os seus martirológios… Ela era nativa de Byblus, na Fenícia, filha de pais cristãos, e foi batizada pelo bispo local Euthalius. Aos doze anos, durante a perseguição a Diocleciano, foi presa e apresentada ao magistrado Volusian. Ela confessou sua fé com ousadia e, quando as lisonjas e ameaças não conseguiram abalar sua constância, foi esbofeteada, açoitada e decapitada…

Seus chamados atos, escritos em grego séculos após sua morte, são pouco confiáveis, embora possam conter um substrato de verdade. Segundo eles, agulhas em brasa foram enfiadas em seus ouvidos, de modo que ela desmaiou e foi considerada morta…

Santa Aquilina tinha doze anos quando sofreu pelo Senhor; ela suportou sua Paixão e foi coroada com uma coroa de martírio no ano 293.”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune13.html

15. Outros santos do dia 13 DE JUNHO: páginas: 273-327 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 13 de junho, ver ainda: 13 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 468-470: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune13.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 12 de junho

12 DE JUNHO DE 2021: FESTA DO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

Papa Pio XII, em 4 de maio de 1944, consagrou o mundo ao Sagrado Coração de Maria, determinando que sua festa fosse celebrada no oitavo dia da Assunção, no dia 22 de agosto… No atual calendário a sua celebração mudou para um dia após a Igreja realizar a festa do Sagrado Coração de Jesus. Conforme: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-sagrado-coracao-de-maria/57/102/

– Ver também:  https://www.nossasagradafamilia.com.br/conteudo/sagrado-coracao-de-maria-093509.html

– Ver ainda: “Em 1935, Jesus pediu à Beata Alexandrina de Balazar (ver dia 13 de outubro) que o mundo fosse consagrado ao Imaculado Coração de Sua Mãe: “Manda dizer ao teu Pai espiritual que, em prova do amor que dedicas à Minha Mãe Santíssima, quero que seja feito todos os anos um acto de consagração do mundo inteiro num dos dias das suas festas escolhido por ti: ou Assunção, ou Purificação, ou Anunciação, pedindo a esta Virgem sem mancha de pecado que envergonhe e confunda os impuros, para que eles arrecuem caminho e não Me ofendam. Assim como pedi a Santa Marga­rida Maria para ser o mundo consagrado ao Meu Divino Cora­ção, assim o peço a ti para que seja consagrado a Ela com uma festa solene”. O Papa Pio XII, anuindo a esses pedidos de Jesus Cristo que lhe foram endereçados pelo Padre Mariano Pinho, enquanto director espiritual de Alexandrina Maria da Costa em Balazar, efectuou um acto solene de consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria no dia 31 de Outubro de 1942.[1] Este acto de consagração veio, ainda, complementar o ato de consagração do Género Humano ao Sagrado Coração de Jesus, realizado algumas décadas antes pelo Papa Leão XIII, feito a pedido da Beata Irmã Maria do Divino Coração, condessa Droste zu Vischering. De acordo com o legado dos pastorinhos de Fátima, foi Nossa Senhora quem, depois de mostrar a visão do Inferno a Lúcia dos SantosJacinta e Francisco Marto, lhes revelou o “Segredo”. Contava a Irmã Lúcia que Nossa Senhora afirmou: “…para salvar as almas, Deus quer estabelecer no mundo a Devoção ao Meu Imaculado Coração” (in Memórias da Irmã Lúcia). O objetivo único desta devoção ao Imaculado Coração de Maria é, portanto, a salvação das almas e a conquista da paz.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Imaculado_Cora%C3%A7%C3%A3o_de_Maria

– Ver também: “Vinculação entre as devoções ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria”: …O Papa Pio XII exorta: “A fim de que a devoção ao Sagrado Coração de Jesus produza frutos mais abundantes na família cristã e ainda em toda a humanidade, procurem os fiéis unir a ela a devoção ao Coração Imaculado da Mãe de Deus.”:

https://web.archive.org/web/20120412001518/http://www.asc.org.br/site/devocao/intima.htm

Encíclica Haurietis aquas: “74. A fim de que a devoção ao coração augustíssimo de Jesus produza frutos mais copiosos na família cristã e mesmo em toda a humanidade, procurem os féis unir a ela estreitamente a devoção ao coração imaculado da Mãe de Deus. Foi vontade de Deus que, na obra da redenção humana, a santíssima virgem Maria estivesse inseparavelmente unida a Jesus Cristo; tanto que a nossa salvação é fruto da caridade de Jesus Cristo e dos seus padecimentos, aos quais foram intimamente associados o amor e as dores de sua Mãe. Por isso, convém que o povo cristão, que de Jesus Cristo, por intermédio de Maria, recebeu a vida divina, depois de prestar ao sagrado coração o devido culto, renda também ao amantíssimo coração de sua Mãe celestial os correspondentes obséquios de piedade, de amor, de agradecimento e de reparação. Em harmonia com esse sapientíssimo e suavíssimo desígnio da divina Providência, nós mesmo, por ato solene, dedicamos e consagramos a santa Igreja e o mundo inteiro ao coração imaculado da santíssima Virgem Maria.”: http://www.vatican.va/content/pius-xii/pt/encyclicals/documents/hf_p-xii_enc_15051956_haurietis-aquas.html

– Vinculação entre as devoção ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria “Os devotos do Sagrado Coração de Jesus são sempre devotos muito extremosos da Santíssima Virgem; e, reciprocamente. Não podia ser de outro modo. Se Maria Santíssima é medianeira de todas as graças, toda devoção passa pelas mãos dela. E, por outro lado, sendo Ela o caminho mais perfeito para nos levar a Jesus, toda verdadeira devoção a Ela conduzirá ao Sagrado Coração.
Santa Margarida Maria Alacoque compreendera tão bem esta verdade que considerava as duas devoções como uma só. Tinha o hábito de rezar esta jaculatória: “Divino Coração de Jesus eu Vos adoro e Vos amo do modo como viveis no Coração de Maria e Vos peço que vivais e reineis em todos os corações”.
O confessor da Santa, São Cláudio de la Colombière, indica o mesmo caminho: “Resolvi não pedir nada a Deus em oração que não fosse por meio de Maria”.
Outros grandes devotos do Sagrado Coração – como Santa Brígida, São Francisco de Sales e São João Eudes – referiam-se ao Coração de Jesus e de Maria, em singular, para salientar a perfeita união de sentimentos e disposições entre a Mãe e o Filho.
Os Missionários do Sagrado Coração e as Filhas de Nossa Senhora do Sagrado Coração têm o belo lema “Per Mariam ad Cor Iesu” (Por Maria ao Coração de Jesus) como fórmula própria dos seus institutos.
Por isso mesmo o Papa Pio XII exorta: “A fim de que a devoção ao Sagrado Coração de Jesus produza frutos mais abundantes na família cristã e ainda em toda a humanidade, procurem os fiéis unir a ela a devoção ao Coração Imaculado da Mãe de Deus.” (14)”: https://web.archive.org/web/20120412001518/http://www.asc.org.br/site/devocao/intima.htm

SANTAS E SANTOS DE 12 DE JUNHO

1.   Em Ló­rium, an­tiga ci­dade da Etrúria, na Via Au­rélia, a doze mi­lhas de Roma, São Ba­sí­lides (ou Basilídio), mártir. († data inc.).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, o martírio de São Basilídio. (M)

– Ver “… Basilides e seus companheiros, mártires. SS. Basilides, Quirinus (ou Cyrinus), Nabor e Nazarius são comemorados neste dia no calendário romano, bem como no martirológio, e que reúne em sua honra fazem parte da liturgia da Missa onde quer que o rito romano seja seguido, eles não podem ser preteridos…

… Existem três “paixões” diferentes, em uma das quais Basilides aparece sozinho, e quanto ao fato de seu martírio e seu sepultamento perto do quarto marco da Via Aurélia, provavelmente estamos em terreno seguro. Se a menção de Nabor e Nazarius tem alguma referência ao culto de mártires genuínos, eles provavelmente pertencem a Milão, mas todo o emaranhado é muito complicado para admitir qualquer solução certa… Parece, no entanto, mais provável que este grupo seja o resultado de uma confusão de nomes nos martirológios. Basilides é provavelmente o mártir romano de 10 de junho, que morreu no final do século III; Cyrinus (Quirinus), o mártir de 4 de junho; e Nabor e Nazarius, dois mártires milaneses dos quais nada confiável se sabe. Todos os quatro foram venerados juntos em 12 de junho até 1969, quando sua festa foi suprimida por causa dessa confusão…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune12.html

2.   No Egipto, Santo Onofre (também na Folhinha do Coração de Jesus), ana­co­reta, que passou ses­senta anos de vida re­li­giosa na am­plidão do deserto. († 400).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, foi muito venerado no Oriente e seu culto estendeu-se ao Ocidente na época das Cruzadas (M).

– Ver páginas 258-259 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Santo Onofre, Confessor (em grego: ; romaniz.: Onouphrios; em latimOnuphrius), considerado santo pela Igreja Católica e venerável pela Igreja Ortodoxa, foi um eremita que viveu no deserto da Tebaida no Alto Egito, em fins do século IV da era cristã (o seu nome grego pode ser mesmo uma corruptela do termo egípcio Uen-nefer – «o que está sempre feliz, satisfeito» – um epíteto tradicionalmente guardado para o antigo deus egípcio Osíris; de resto, a dificuldade da sua transcrição em outras línguas levou-o, por exemplo, a ser venerado sob o nome de Humphrey, na Inglaterra)… O relato de um seu discípulo, Pafnútio, que o encontrou no deserto egípcio, constitui a única fonte para o conhecimento da vida de Santo Onofre”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Onofre_do_Egito

– Ver também “… Entre os muitos eremitas no deserto egípcio durante os séculos IV e V estava um homem santo chamado Onuphrius. O pouco que se sabe sobre ele deriva de um relato atribuído a um certo abade Pafnúcio de uma série de visitas feitas por ele a alguns dos eremitas de Tebaida. Este relato parece ter sido escrito por um ou mais dos monges a quem estava relacionado, e várias versões dele tornaram-se atuais. Obviamente, a história não perdeu nada ao ser contada…

Pafnúcio empreendeu a peregrinação para estudar a vida eremítica e descobrir se ele próprio foi chamado para conduzi-la. Por dezesseis dias após deixar seu mosteiro ele vagou pelo deserto, encontrando uma ou duas aventuras estranhas e edificantes, mas no décimo sétimo dia ele ficou surpreso ao ver o que parecia ser um homem idoso com cabelo e barba caindo no chão, mas coberto de pelos como um animal e vestindo uma tanga de folhagem. A aparição foi tão alarmante que ele começou a fugir. A figura, porém, o chamou, convidando-o a voltar e garantindo-lhe que também era homem e servo de Deus…

 … Eles começaram a conversar e Paphnutius soube que o nome do estranho era Onuphrius, que ele havia sido um monge em um mosteiro de muitos irmãos, mas que ele havia sentido uma vocação para a vida solitária que já levava por setenta anos. Em resposta a outras perguntas, ele admitiu que havia sofrido muito de fome e sede, de temperaturas extremas e de tentações violentas. No entanto, Deus o consolou e o alimentou com as tâmaras que crescem em uma palmeira ao lado de sua cela. Ele então conduziu Paphnutius para sua caverna, onde passaram o resto do dia discorrendo sobre as coisas celestiais…

… Santo Onuphrius então pediu a Abba Paphnutius que se lembrasse dele a todos os irmãos e a todos os cristãos.

São Paphnutius queria permanecer lá após a morte de Abba Onuphrius. No entanto, o santo asceta disse-lhe que não era a vontade de Deus que ele ficasse lá, ele deveria retornar ao seu próprio mosteiro e contar a todos sobre a vida virtuosa dos habitantes do deserto. Tendo então abençoado Abba Paphnutius e se despedido dele, Santo Onuphrius orou com lágrimas e suspiros, e então ele se deitou no chão, proferindo suas palavras finais,“Nas tuas mãos, meu Deus, entrego meu espírito”, e morreu…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune12.html

– Ver São Pafúncio, em 11 de setembro.

3.   Em Roma, junto de São Pedro, São Leão III, papa, que impôs a coroa do Im­pério Ro­mano a Carlos Magno, rei dos Francos, e de­fendeu com grande ardor a ver­da­deira fé sobre a dig­ni­dade di­vina do Filho de Deus. († 816).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, São Leão III, papa. Favoreceu a política cristã de Carlos Magno, a quem coroou imperador no dia de Natal do ano 800. (M).

Ver páginas 227-252 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Leão III (Romaca. 750 — 12 de Junho de 816) foi Papa e é um santo da Igreja Católica. Romano, de origem modesta, exerceu quando jovem o ofício de “vestararius” (responsável pelas roupas e pelos objetos preciosos) da Basílica de Latrão, em Roma…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Le%C3%A3o_III

4*.   Em Utrecht, no ter­ri­tório de Guel­dres, na Lo­ta­ríngia, hoje na Ho­landa, Santo Odolfo (ou Odulfo), pres­bí­tero, que evan­ge­lizou os Frisões. († c. 865).

– Ver página 262 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

5*.   Na Suécia, Santo Es­quilo (Eskill), bispo e mártir, na­tural da In­gla­terra, que, or­de­nado bispo por São Sig­fredo, seu mestre, se de­dicou com in­tensa ac­ti­vi­dade na pro­víncia de Söder­man­land para con­verter os pa­gãos a Cristo, pelos quais morreu lapidado. († c. 1080).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Suécia, no ano da graça de 1080, o martírio de Santo Eskill. Missionário proveniente da Grã-Bretanha, recebeu a consagração episcopal, e depois exerceu o apostolado na região sudoeste de Estocolmo. Como verdadeiro pastor, deu sua vida por seu rebanho. (M).  

– Ver “Ésquilo de Tuna (em suecoSankt Eskil; em latimEschillus; nascido no início do século XI – falecido em ca. 1080) foi um monge anglo-saxão, missionário e mártir na Suécia do século XI, venerado sobretudo durante a Idade Média na província de Södermanland.[1][2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%89squilo_de_Tuna

6*.   Em Cor­tona, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Guido, pres­bí­tero, dis­cí­pulo de São Fran­cisco, que passou a vida em je­juns, po­breza e humildade. († c. 1245).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, o ano de Senhor de 1245, o Bem-Aventurado Guido de Cortona. Cristão de condição modesta, escolheu viver ainda mais pobremente depois de uma visita de São Francisco de Assis. Sua cultura permitiu-lhe receber o sacerdócio para melhor servir a seus-irmãos. (X). – Ver páginas 263-266 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

7*.   Junto de Ocre, nos Abruzos, também re­gião da Itália, o Beato Plá­cido, abade, que, de­pois de ter vi­vido como ere­mita numa gruta, reuniu os seus dis­cí­pulos no mos­teiro do Es­pí­rito Santo. († 1248).

– Ver páginas 267-270 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

8*.   Em Città di Cas­tello, na Úm­bria, também re­gião da Itália, a Beata Fló­rida (Lu­crécia He­lena Cé­voli), virgem da Ordem das Cla­rissas, que, apesar das graves en­fer­mi­dades cor­po­rais, sempre de­sem­pe­nhou os ofí­cios que lhe foram con­fi­ados com grande di­li­gência e alegria. († 1767)

9.   Em Ve­rona, no Vé­neto, também re­gião da Itália, São Gaspar Bertóni, pres­bí­tero, que fundou a Con­gre­gação das Santas Chagas de Cristo, cujos mem­bros eram mis­si­o­ná­rios ao ser­viço dos bispos. († 1843).

– Ver  “Gaspar Bertoni é um santo católico italiano. É o fundador da Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo, popularmente conhecida como Estigmatinos.

Foi canonizado pelo Papa João Paulo II em 1 de novembro de 1989, no dia da festa de “Todos os Santos”. Os milagres para o seu processo de beatificação e canonização foram realizados no Brasil, nas cidades de Rio Claro[desambiguação necessária] e Rio de Janeiro.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gaspar_Bertoni

10*.   Em Ca­prá­nica, no ter­ri­tório de Vi­terbo, pró­ximo de Roma, o Beato Lou­renço Maria de São Fran­cisco de Xa­vier (Lou­renço Maria Sálvi), pres­bí­tero da Con­gre­gação da Paixão, que di­fundiu a de­voção ao Me­nino Jesus. († 1856)

11*.   Em Ri­o­bamba, no Equador, a Beata Mer­cedes Maria de Jesus (Mer­cedes Mo­lina), virgem, que ins­ti­tuiu uma co­mu­ni­dade re­li­giosa com a função de aco­lher e formar as jo­vens órfãs e po­bres e li­bertar as mu­lheres da pros­ti­tuição, for­ta­le­cendo-as na vida nova da graça. († 1883)

12*.   Em Ragusa, na Sicília, província da Itália, a Beata Maria Cândida da Eucaristia (Maria Barba), virgem da Ordem das Carmelitas Descalças, que cumpriu com suprema fidelidade a observância da vida consagrada e suas regras e trabalhou intensamente para a edificação de novos mosteiros. († 1949)

13. Santa Iolanda, na Folhinha do Coração de Jesus.

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Ásia Menor, no séc. IV, os santos Olímpio (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Anfião, que confessaram a fé em Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (M).

15. São João de Sahagun ou de Santa Fagunda. Ver páginas 253-257 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “São João de Sahagún ou João de São Facundo, nascido Juan Gonzalez de Castrillo Martinez de Sahagun y Cea, (Vila de San Facundo, actual Sahagún1419 — Salamanca11 de Junho de 1479) foi um sacerdoteteólogo, prior de um convento da Ordem de Santo Agostinho e santo da Igreja Católica.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_de_Sahag%C3%BAn

– Ver dia 11 de junho: Em Sa­la­manca, na Es­panha, São João de São Fa­cundo Gon­zález de Castrillo, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que res­taurou a con­córdia entre os ci­da­dãos, agi­tados em con­flitos cru­entos, com os seus con­se­lhos par­ti­cu­lares e a san­ti­dade da sua vida. († 1479).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 11 de junho), na Espanha, no ano da graça de 1479, São João de São Facundo. Professor de Direito e de Teologia em Salamanca, exerceu grande influência sobre os estudantes daquela cidade universitária. Tornando-se eremita de Santo Agostinho, conseguiu, através de sua intercessão, restabelecer a paz na cidade dilacerada pelas discórdias. (M)

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 5 de julho, no séc. IX, São Pedro Hagiorita. De origem grega, passara sua mocidade junto à corte imperial de Constantinopla. Após um cativeiro de nove anos entre os árabes, chegou a Roma, onde fez profissão monástica. Depois, partiu para o Monte Atos, onde levou vida hesicasta até sua morte. (X).

– Ver: São Pedro do Monte Athos. Ver páginas 260-261 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– No Monte Athos, na Grécia, Santo Ata­násio, he­gú­meno (ver 05 de julho), homem hu­milde e pa­cí­fico, que ins­ti­tuiu na Grande Laura uma forma de vida cenobítica. († c. 1004).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no século seguinte (X), Santo Atanásio Atonita (também na Folhinha do Coração de Jesus), que se esforçou para introduzir a vida cenobítica estudita, fundando uma laura que se tornou célebre e redigindo uma Regra, ou “Typicon”,  que proporcionou a expansão do monaquismo do Monte Athos ao longo de muitos séculos. Os católicos de rito oriental festejam São Pedro Hagiorita no dia 12 de junho e Santo Atanásio Estudita no dia 05 de julho.

– Ver páginas 203-204: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

 17. Bem-aventurado Estêvão Bandelli. Ver páginas 271-272 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

18. Beata Hildegard Burjan (Freund). Ver “Hildegard Burjan (nascida como Hildegard Freund) (Görlitz30 de janeiro de 1883 — Viena11 de junho de 1933), foi uma política e ativista social austríaca, fundadora da Sociedade de Vida Apostólica Caritas Socialis.[1][2] Burjan criou várias organizações para a promoção dos direitos das mulheres e para os direitos de todos os trabalhadores e suas famílias, foi eleita para o Parlamento Austríaco, onde ela serviu até a sua aposentadoria devido a problemas de saúde.[3]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hildegard_Burjan

19. Outros santos do dia 12 DE JUNHO: páginas: 227-272 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 12 de junho, ver ainda: 12 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 466-467: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune12.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 11 de junho

11 DE JUNHO DE 2021: SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS. “A Festa do Sagrado Coração de Jesus, em latim: Sollemnitas Sacratissimi Cordis Iesu) é uma solenidade no calendário litúrgico da Igreja Católica Romana. Ele cai 19 dias após o Pentecostes, na sexta-feira… Dias:; 2021 é 11 de junho; 2022 é 24 de junho…”. Conforme: https://pt.wikipedia.org/wiki/Festa_do_Sagrado_Cora%C3%A7%C3%A3o

– Ver também “As 12 Promessas do Sagrado Coração de Jesus:

  1. Dar-lhes-ei todas as graças necessárias ao seu estado de vida.
  2. Estabelecerei a paz nas suas famílias.
  3. Abençoarei os lares onde for exposta e honrada a imagem do Meu Sagrado Coração.
  4. Hei-de consolá-los em todas as dificuldades.
  5. Serei o seu refúgio durante a vida e em especial na hora da morte.
  6. Derramarei bênçãos abundantes sobre todos os seus empreendimentos.
  7. Os pecadores encontrarão no Meu Sagrado Coração uma fonte e um oceano sem fim de Misericórdia.
  8. As almas tíbias tornar-se-ão fervorosas.
  9. As almas fervorosas ascenderão rapidamente a um estado de grande perfeição.
  10. Darei aos sacerdotes o poder de tocarem os corações mais empedernidos.
  11. Aqueles que propagarem esta devoção terão os seus nomes escritos no Meu Sagrado Coração e d’Ele nunca serão apagados.
  12. Prometo-vos, no excesso de Misericórdia do Meu Coração, que o Meu Amor Todo-Poderoso concederá, a todos aqueles que comungarem na Primeira Sexta-Feira de nove meses seguidos, a graça da penitência final; não morrerão no Meu desagrado nem sem receberem os Sacramentos: o Meu Divino Coração será o seu refúgio de salvação nesse derradeiro momento.[10]

”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sagrado_Cora%C3%A7%C3%A3o_de_Jesus

– Ver: https://www.newadvent.org/cathen/07163a.htm

–  Ver também: https://www.sistersofcarmel.com/devotion-to-the-sacred-heart-of-jesus.php

– Ver ainda: http://www.arautos.org/secoes/artigos/doutrina/santos/mensageira-do-coracao-de-jesus-143498

– Ver também: “Vinculação entre as devoções ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria”: …O Papa Pio XII exorta: “A fim de que a devoção ao Sagrado Coração de Jesus produza frutos mais abundantes na família cristã e ainda em toda a humanidade, procurem os fiéis unir a ela a devoção ao Coração Imaculado da Mãe de Deus.”:

https://web.archive.org/web/20120412001518/http://www.asc.org.br/site/devocao/intima.htm

Encíclica Haurietis aquas: “74. A fim de que a devoção ao coração augustíssimo de Jesus produza frutos mais copiosos na família cristã e mesmo em toda a humanidade, procurem os féis unir a ela estreitamente a devoção ao coração imaculado da Mãe de Deus. Foi vontade de Deus que, na obra da redenção humana, a santíssima virgem Maria estivesse inseparavelmente unida a Jesus Cristo; tanto que a nossa salvação é fruto da caridade de Jesus Cristo e dos seus padecimentos, aos quais foram intimamente associados o amor e as dores de sua Mãe. Por isso, convém que o povo cristão, que de Jesus Cristo, por intermédio de Maria, recebeu a vida divina, depois de prestar ao sagrado coração o devido culto, renda também ao amantíssimo coração de sua Mãe celestial os correspondentes obséquios de piedade, de amor, de agradecimento e de reparação. Em harmonia com esse sapientíssimo e suavíssimo desígnio da divina Providência, nós mesmo, por ato solene, dedicamos e consagramos a santa Igreja e o mundo inteiro ao coração imaculado da santíssima Virgem Maria.”: http://www.vatican.va/content/pius-xii/pt/encyclicals/documents/hf_p-xii_enc_15051956_haurietis-aquas.html

11 DE JUNHO DE 2021: DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELA SANTIFICAÇÃO DOS SACERDOTES

Instituído por São João Paulo II em 1995, com a Carta aos Sacerdotes por ocasião da Quinta-feira Santa, o “Dia Mundial de Oração pela Santificação dos Sacerdotes” é celebrado todos os anos na Solenidade do Sagrado Coração de Jesus. Seu objetivo é encorajar, tanto os sacerdotes a refletir sobre o dom do sacerdócio que receberam de Cristo, quanto os fiéis a rezar por seus sacerdotes, para que possam ser fortalecidos em seu ministério e permanecer firmes em seu compromisso com o Senhor. Conforme: https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2021-06/11-junho-dia-oracao-sacerdotes-abracar-cruz-pela-causa-evangelho.html

– Ver ainda: “CARTA DO PAPA JOÃO PAULO II AOS SACERDOTES POR OCASIÃO DA QUINTA-FEIRA SANTA DE 1995…

… Queira a Virgem Santa lançar o seu olhar carinhoso sobre todos nós, seus filhos prediletos, nesta festa anual do nosso sacerdócio. Coloque, em nosso coração, sobretudo um grande anseio de santidade. Escrevi na Exortação Apostólica Pastores dabo vobis: «A nova evangelização tem necessidade de evangelizadores novos, e estes são os presbíteros que se esforçam por viver o seu sacerdócio como caminho específico para a santidade» (n. 82). A Quinta-feira Santa, levando-nos até às origens do nosso sacerdócio, recorda-nos também a obrigação de tender para a santidade, a fim de sermos «ministros de santidade» para os homens e mulheres confiados ao nosso serviço pastoral. Nesta perspectiva, vem a ser muito oportuna a proposta, sugerida pela Congregação para o Clero, de se celebrar, em cada diocese, um «Dia pela Santificação dos Sacerdotes», por ocasião da festa do Sagrado Coração de Jesus ou noutra data mais apropriada às exigências e costumes pastorais do lugar. Faço minha esta proposta, almejando que tal iniciativa ajude os sacerdotes a conformarem-se cada vez mais plenamente com o coração do Bom Pastor…”: https://www.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/letters/1995/documents/hf_jp-ii_let_25031995_priests.html

SANTAS E SANTOS DE 11 DE JUNHO

1. Me­mória de São Bar­nabé (também na Folhinha do Coração de Jesus), Após­tolo, que era um homem bom e cheio de fé e do Es­pí­rito Santo, con­tado entre os pri­meiros fiéis de Je­ru­salém. Pregou o Evan­gelho em An­ti­o­quia e in­tro­duziu entre os ir­mãos Saulo de Tarso, recém-con­ver­tido, acom­pa­nhando-o também na sua pri­meira vi­agem para evan­ge­lizar a Ásia. Par­ti­cipou no Con­cílio de Je­ru­salém e, vol­tando para a ilha de Chipre, sua pá­tria, aí pro­pagou o Evangelho.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Barnabé. Sem ter sido um dos doze, recebeu o título de Apóstolo em razão do importante papel que desempenhou na Igreja dos primeiros tempos. Foi ele quem introduziu Saulo no grupo dos Apóstolos, o levou a Antioquia e o acompanhou durante sua primeira viagem missionária. Barnabé deixou em seguida São Paulo, para ir evangelizar a ilha de Chipre. (R).

Ver páginas 206-222 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Barnabé (Chipre, século I – Salaminac. 61) foi um dos primeiros cristãos mencionados no Novo Testamento. Seus pais, judeus helênicos lhe deram o nome de José (em grego bizantino Ιὠσης), mas quando ele vendeu todos os seus bens e deu o dinheiro aos apóstolos em Jerusalém, eles lhe deram um novo nome, Barnabé, que parece originar-se do aramaico בר נביא, que significa “(o filho do) exortação”. No entanto, o texto grego do Atos dos Apóstolos 4:36 explica o nome como υἱός παρακλήσεως (hyios paraklēseōs), que significa “filho da exortação/consolação”.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Barnab%C3%A9_(B%C3%ADblia)

2.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São Má­ximo, bispo, que foi man­dado para o exílio pelo im­pe­rador Cons­tâncio por causa da fé ni­cena, onde, con­su­mido pelas tri­bu­la­ções, morreu como con­fessor da fé. († s. IV)

3.   Em Bremen, na Sa­xónia, na ac­tual Ale­manha, São Rem­berto, bispo de Ham­burgo e de Bremen, fiel dis­cí­pulo e su­cessor de Santo Óscar (ou Ans­cário), que ex­pandiu o seu mi­nis­tério até às terras da Di­na­marca e da Suécia e, no tempo da in­vasão dos Nor­mandos, se de­dicou à li­ber­tação dos cris­tãos cativos. († 888)

4*.   Em Mo­gúncia, ci­dade da Fran­cónia, também na ac­tual Ale­manha, São Bardão, bispo, que, de­pois de ser abade de He­res­feld, foi ele­vado à sede epis­copal e tra­ba­lhou ex­ce­len­te­mente pela sua Igreja com in­can­sável so­li­ci­tude pastoral. († 1051)

– Ver em 10 de junho: São Bardon. Ver páginas 202-203 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS (do dia 10 de junho) – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

5*.   No mos­teiro de La Cambre, pró­ximo de Bru­xellas, no Bra­bante, na ac­tual Bél­gica, Santa Alaíde, virgem da Ordem Cis­ter­ci­ense, que, atin­gida pela lepra aos vinte e dois anos de idade, foi cons­tran­gida a uma vida mar­gi­nada e, nos úl­timos anos da sua vida, perdeu a vista e nem um só membro do corpo ficou são, ex­cepto a língua para cantar os lou­vores de Deus. († 1250)

6.   Em Tre­viso, no Vé­neto, re­gião da Itália, São Páris ou Parísio (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Ordem Ca­mal­du­lense, que, du­rante se­tenta e sete anos, ajudou as monjas com sa­lu­tares con­se­lhos de vida es­pi­ri­tual e morreu de­pois dos cento e oito anos de idade. († 1267).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Itália, no ano do Senhor de 1267, São Parísio, monge camaldulense, diretor espiritual do convento de Santa Cristina de Treviso. (M).

Ver página 223 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

7*.   Em Gni­ezno, na Po­lónia, a Beata Io­landa, aba­dessa, que, de­pois da morte do es­poso, o duque Bo­leslau Pio, re­nun­ci­ando às ri­quezas ter­renas, pro­fessou a vida mo­nás­tica com sua filha na Ordem de Santa Clara. († 1298)

8*.   Em Sa­luzzo, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato Es­têvão Bandélli, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, emi­nente na pre­gação e as­síduo no mi­nis­tério das confissões. († 1450)

9.   Em Sa­la­manca, na Es­panha, São João de São Fa­cundo Gon­zález de Castrillo, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que res­taurou a con­córdia entre os ci­da­dãos, agi­tados em con­flitos cru­entos, com os seus con­se­lhos par­ti­cu­lares e a san­ti­dade da sua vida. († 1479).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Espanha, no ano da graça de 1479, São João de São Facundo. Professor de Direito e de Teologia em Salamanca, exerceu grande influência sobre os estudantes daquela cidade universitária. Tornando-se eremita de Santo Agostinho, conseguiu, através de sua intercessão, restabelecer a paz na cidade dilacerada pelas discórdias. (M)

10.   Em Tor­tosa, na Es­panha, Santa Rosa Fran­cisca Maria das Dores (Maria Rosa Molas Vallvé), virgem, que trans­formou uma as­so­ci­ação de pi­e­dosas mu­lheres na Con­gre­gação das Irmãs de Nossa Se­nhora da Con­so­lação, des­ti­nada ao ser­viço dos atribulados. († 1876)

11.   Em Roma, Santa Paula Frassinétti (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, su­pe­rando muitas di­fi­cul­dades ini­ciais, fundou a Con­gre­gação das Irmãs de Santa Do­ro­teia, des­ti­nada à for­mação das jo­vens cristãs, di­ri­gindo-a com grande for­ta­leza de alma, be­ne­vo­lente su­a­vi­dade e enér­gica actividade. († 1882).

– Ver páginas 225-226 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Paola “Paula” Frassinetti (Génova3 de março de 1809 — Roma11 de junho de 1882) foi uma religiosa italiana canonizada pela Igreja católica. Foi irmã de Giuseppe Frassinetti, declarado venerável pela Igreja católica em 1991.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Paula_Frassinetti

– Ver também “Bem-aventurada Paula Frassinetti, Fundadora (AC) Nasceu em Gênova, Itália, em 1809; morreu em 1882; beatificada em 1930. Paula vivia com o irmão que era pároco em Quinto, perto de Génova. Lá ela começou a ensinar os filhos dos pobres, o que foi o início da Congregação de Santa Doroteia. A congregação floresceu em toda a Itália e no Novo Mundo (Beneditinos, Enciclopédia).”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune11.html

12*.   Em Ra­gusa, na Si­cília, re­gião da Itália, a Beata Maria Schininá, virgem, que optou por viver com grande hu­mil­dade e sim­pli­ci­dade para tratar os en­fermos, os aban­do­nados e os po­bres, e fundou o ins­ti­tuto das Irmãs do Sa­grado Co­ração de Jesus, des­ti­nado a prestar au­xílio a todo o gé­nero de miséria. († 1910)

13*.   Em Kara-Kenpru, ci­dade pró­xima de Diyar­bakir, na Tur­quia, o Beato Inácio Maloyan, bispo de Mardin dos Ar­menos e mártir du­rante o ge­no­cídio dos cris­tãos, per­pe­trado na­quela re­gião pelos per­se­gui­dores da fé. Tendo re­cu­sado abraçar uma re­li­gião di­versa do cris­ti­a­nismo, de­pois de con­sa­grado o pão para ali­mento es­pi­ri­tual do grupo dos com­pa­nheiros de prisão, foi fu­zi­lado jun­ta­mente com ou­tros inú­meros cris­tãos, al­can­çando pelo der­ra­ma­mento do seu sangue a fe­li­ci­dade da paz eterna. († 1915)

14♦.   Em Viena, na Áus­tria, Hil­de­garda Burjan, mãe de fa­mília, que, con­ver­tida do ju­daísmo ao ca­to­li­cismo, fundou a or­ga­ni­zação fe­mi­nina Cá­ritas So­ci­alis, des­ti­nada a vá­rias obras de as­sis. ­tência so­cial e caritativo. († 1933)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Aquiléia, a paixão dos Santos Félix e Fortunato (M).

16. Santa Adelaide, virgem. Ver página 224 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

17. Outros santos do dia 11 DE JUNHO: páginas: 206-226 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 11 de junho, ver ainda: 11 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 463-465: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune11.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 10 de junho

1. Me­mória do santo Anjo da Guarda de Portugal, cujo culto era tra­di­ci­onal desde tempos re­motos; foi ofi­ci­a­li­zada pelo papa Leão X em 1504, pas­sando a ser ce­le­brada com a maior so­le­ni­dade em todas as ci­dades e vilas por­tu­guesas; mas ga­nhou novo in­cre­mento quando se di­vulgou a trí­plice apa­rição do Anjo de Por­tugal aos três pas­to­ri­nhos de Fá­tima e Pio XII aprovou a in­clusão desta me­mória no ca­len­dário li­túr­gico português.

– Ver “Anjo de Portugal, também conhecido como Santo Anjo da Guarda de PortugalAnjo Custódio de Portugal e Anjo da Paz, é uma das designações do anjo que protege a nação portuguesa… A pedido do rei D. Manuel I de Portugal, o Papa Júlio II instituiu em 1504 a festa do «Anjo Custódio do Reino» cujo culto já seria antigo em Portugal. O pedido terá sido feito ao Papa Leão X e este autorizou a sua realização no terceiro Domingo de Julho.[1] A sua devoção quase desapareceu depois do séc. XVII, mas seria restaurada mais tarde, em 1952, quando mandada inserir no Calendário Litúrgico português pelo Papa Pio XII, para comemorar o Dia de Portugal no 10 de junho.[2]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Anjo_de_Portugal

2.   Em Au­xerre, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, São Cen­súrio, bispo. († s. V).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no início do séc. VI, o Bem-Aventurado Censúrio, bispo, que durante mais de trinta anos foi o pastor vigilante da Igreja em Auxerre.

Ver página 194 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

3*.   Em Paris, na Nêus­tria, ac­tu­al­mente também na França, São Lan­de­rico (São Landry), bispo, que, se­gundo consta, vendeu as al­faias sa­gradas (conjuntos para altar; pala, corporal, sanguíneo, manustérgio; pequenos paninhos; tecidos usados no altar. Ver: https://www.paieterno.com.br/2017/07/20/saiba-o-que-sao-as-alfaias-liturgicas-corporal/)  para so­correr os po­bres em tempo de fome e edi­ficou um hos­pital junto da igreja catedral. († c. 656).

– Ver páginas 196-197 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

4*.   Em Ro­chester, na In­gla­terra, Santo Itamar (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que foi o pri­meiro na­tural da re­gião de Can­tuária a ser cha­mado para a ordem epis­copal e res­plan­deceu pela sua eru­dição e san­ti­dade de vida. († c. 666).

– Ver página 195 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

5*.   Em Do­brow, na Po­lónia, São Bo­gu­milo, bispo de Gni­ezno, que, re­nun­ci­ando à sede epis­copal, ali se­guiu a vida ere­mí­tica em su­prema austeridade. († 1182)

– Ver “(1182) São Bogumilus, arcebispo de Gniezno. Bogumilus e Boguphalus são considerados filhos gêmeos de nobres pais poloneses. Os irmãos, que nasceram perto de Dobrow, no Werthe, receberam uma excelente educação, concluindo os estudos em Paris. Boguphalus então recebeu o hábito em um mosteiro cisterciense, e Bogumilus construiu em Dobrow uma igreja que ele dedicou à Santíssima Trindade. Tendo sido elevado ao sacerdócio, ele próprio assumiu o comando da paróquia. Seu tio John, que era arcebispo de Gniezno, nomeou-o seu chanceler e nomeou-o seu sucessor; e em 1167, após a morte de seu tio, ele foi consagrado e governou a arquidiocese por quase cinco anos… Não querendo tolerar abusos que não foi capaz de remediar, ele pediu e obteve permissão para renunciar ao cargo. Ele posteriormente entrou na Ordem Camaldulense e passou o resto de sua vida em um de seus eremitérios em Uniow. Ele morreu lá em 1182, mas seu corpo foi posteriormente transladado para a igreja em Dobrow que ele havia fundado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune10.html

6*.   Em Bo­lonha, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, a Beata Diana de Andaló, virgem, que, su­pe­rando todas as opo­si­ções da fa­mília, na pre­sença do pró­prio São Do­mingos fez o voto de vida claus­tral e in­gressou no mos­teiro de Santa Inês por ela fundado. († 1236)

VER EM 09 DE JUNHO: Santa Diana, na Folhinha do Coração de Jesus.

– Conforme VIDA DOS SANTOS, Bem-Aventuradas Diana de Andalo, Cecília, Amada e companheiras. Ver páginas 173-175: – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Diana degli Andalò (1201 – 10 de junho de 1236), às vezes d’Andalo , foi uma freira dominicana que fundou para sua ordem um convento dedicado a Santa Inês na Itália… Em 1223, Santa Inês em Bolonha foi fundada e Diana entrou na ordem dominicana. [7] Quatro outras freiras também foram trazidas do convento de Santo Sisto em Roma, incluindo Cecília Cesarini , que foi feita prioresa, e Amata ; os três estão sempre associados. [11] [12] [13] Diana permaneceu em Santa Inês até sua morte em 1236, e foi enterrada lá, junto com os restos mortais de Cecília e Amata. Suas relíquias foram movidas várias vezes, mas sempre juntas. A cabeça de Diana foi colocada em um relicário perto da tumba de Dominic. [7] Sua festa é 9 de junho[10] Ela, junto com Cecília e Amata, foram beatificadas pelo Papa Leão XIII em 1891[14]”: https://en.wikipedia.org/wiki/Diana_degli_Andal%C3%B2

7*.   Em Tre­viso, ci­dade do Vé­neto, re­gião da Itália, o Beato Hen­rique de Bolzano, que, sendo car­pin­teiro e in­culto, dava tudo aos po­bres e, apesar da sua de­fi­ci­ência fí­sica, par­ti­lhava com os ou­tros men­digos a pre­cária es­mola que ele mendigava. († 1315)

8*.   Em Bu­da­pest, na Hun­gria, o pas­sa­mento do Beato João Domínici, bispo de Du­brovnik, que, de­pois da peste negra, res­taurou a ob­ser­vância re­gular nos con­ventos da Ordem dos Pre­ga­dores na Itália e, en­viado para a Boémia e Hun­gria a fim de im­pugnar a pre­gação de João Hus, morreu nesta cidade. († 1419)

9*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Tomás Green, pres­bí­tero, e Gualter Pierson, monge da Car­tuxa desta ci­dade, que, por se oporem ao rei Hen­rique VIII na sua pre­tensão de as­sumir a su­prema ju­ris­dição sobre os di­reitos ecle­siás­ticos, foram me­tidos num sór­dido cár­cere, onde, con­su­midos pela fome e a do­ença, en­con­traram a morte gloriosa. († 1537)

10*.   Em Mo­er­zeke-lez-Ter­monde, perto de Gand, na Bél­gica, o Beato Edu­ardo Poppe, pres­bí­tero, que, apesar das ad­ver­si­dades do seu tempo, com os seus es­critos e a sua pre­gação pro­moveu na Flan­dres a for­mação cristã e o culto da Eucaristia. († 1924)

11♦.   Em Ra­tis­bona, na Ale­manha, o Beato Eus­tá­quio Kugler, re­li­gioso da Ordem Hos­pi­ta­leira de São João de Deus. († 1946)

12. São Luciliano, na Folhinha do Coração de Jesus

13. São Getúlio, na Folhinha do Coração de Jesus. Getúlio é venerado juntamente com Amâncio (Amancius), Cerealo (Caerealis) e Primitivo (Primitivus), como mártir e santo. Acredita-se que eles tenham morrido na cidade de Gábios. De acordo com a tradição, Getúlio seria o marido de Santa Sinforosa. Getúlio é um nome que significa “da gente dos Getulos“, que era uma tribo do Norte da África.

– Ver “Sete Mártires: Os sete filhos deles – Getúlio e Sinforosa – (que não devem ser confundidos com os sete filhos de Santa Felicidade) são indicados pelo nome. De acordo com a lenda deles, cada um sofreu um tipo de martírio. Crescêncio foi perfurado na garganta, Juliano, no peito, Nemésio, através do coração, Primitivo foi ferido no umbigo, Justino, nas costas, Estrateu, no flanco, e Eugênio foi partido ao meio, da cabeça aos pés.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Getúlio_de_Roma

– Ver também:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Get%C3%BAlio_de_Roma

Curiosidade: Ver MARTIROLÓGIO DE ADO: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ado_de_Vienne

– Ver ainda, explicação sobre MARTIROLÓGIO ROMANO: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Martirológio_Romano

– Ver ainda “… São Getúlio Mártir com Amantius, Cerealis e Primitivus, o marido de St. Symphorosa; oficial do exército romano, renunciou quando se tornou cristão e voltou para suas propriedades perto de Tivoli, Itália. Lá ele converteu Caerealis, um legado imperial enviado para prendê-lo. Com seu irmão Amantius e com Caerealis e Primitivus, Getúlio foi torturado e martirizado em Tivoli… Certo dia, ele estava instruindo alguns de seu povo quando foi surpreendido pela visita de Cerealis, o vigário imperial, enviado para prendê-lo. Mas o próprio Cerealis foi conquistado para o cristianismo como resultado de conversas com Getúlio e com seu irmão Amantius… depois de sofrerem prisão de vinte e sete dias, em Tivoli, com diversas torturas, foram decapitados ou queimados na fogueira da Via Salaria. Com eles morreu outro cristão, de nome Primitivus. As relíquias dos santos foram enterradas por St Symphorosa em um arenarium em sua propriedade.”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune10.html

14. No Martirológio Romano-Monástico, neste dia, receberam a coroa do martírio os santos Rogato, cristão da África, Timóteo, bispo da Ásia e Astério, bispo da Arábia (M)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, São Máximo, bispo de Nápoles, punido pelo imperador com o exílio por sua ligação com a fé de Nicéia e sua recusa em aceitar um símbolo herético (M).

– Ver página 193 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

16. Bem-Aventurada Olívia de Palermo. Ver páginas 198-199 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

17. Bem-Aventurado Boaventura de Peraga. Ver páginas 200-201 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver “… O primeiro membro da Ordem dos Eremitas Agostiniana a ser elevado à dignidade de cardeal foi Boaventura Baduário. Ele pertencia a uma das principais famílias de Pádua e nasceu em Peraga, perto da cidade. Tendo recebido o hábito agostiniano desde muito jovem, foi enviado para a Universidade de Paris, e quando o Papa Inocêncio VI estabeleceu uma faculdade de teologia na Universidade de Bolonha, Boaventura foi um dos primeiros ocupantes de uma cadeira… quando Boaventura cruzava o Tibre para visitar o Vaticano, foi atingido por uma flecha e morto. O autor do crime nunca foi identificado, mas geralmente se acreditava que o assassinato havia sido cometido por ordem do Príncipe de Carrara…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune10.html

18. São Bardon. Ver páginas 202-203 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver dia 11 de junho (Martirológio Romano): Em Mo­gúncia, ci­dade da Fran­cónia, também na ac­tual Ale­manha, São Bardão, bispo, que, de­pois de ser abade de He­res­feld, foi ele­vado à sede epis­copal e tra­ba­lhou ex­ce­len­te­mente pela sua Igreja com in­can­sável so­li­ci­tude pastoral. († 1051)

19. Outros santos do dia 10 DE JUNHO: páginas: 181-205 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 10 de junho, ver ainda: 10 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 461-462: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune10.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!