Santas e Santos de 07 de março

1. Me­mória das santas már­tires Per­pétua e Fe­li­ci­dade, presas em Car­tago com ou­tros jo­vens ca­te­cú­menos no tempo do im­pe­rador Sep­tímio Se­vero: Per­pétua, mu­lher pa­trícia de cerca de vinte e dois anos de idade, era mãe de uma cri­ança de peito; Fe­li­ci­dade, sua es­crava, es­tando grá­vida, se­gundo as leis devia ser con­ser­vada até dar à luz; mas, apesar das dores de parto, mos­trava-se se­rena di­ante das feras. Pas­saram ambas do cár­cere para o an­fi­te­atro, de rosto alegre, se­guras de que iam para o Céu. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória das Santas Perpétua e Felicidade (também na Folhinha do Coração de Jesus), martirizadas no anfiteatro de Cartago no dia 7 de março de 203. De condições sociais diferentes, estas duas jovens mães de família, ainda catecúmenas, enfrentaram a morte com mais coragem do que às dores do parto, na esperança de que não seriam mais elas, mas Cristo, que sofreria então nelas e por elas. (R). Ver sua história mais detalhada, juntamente com outros companheiros, nas págs. 226-243: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† 203)

– Ver também “Santa Perpétua e Santa Felicidade foram martirizadas por decapitação no anfiteatro de Cartago no ano 203, na grande perseguição de Septímio Severo.

Felicidade era serva (escrava) de Perpétua, que se encontrava grávida quando de sua prisão pelas autoridades romanas e deu à luz na própria prisão. A narração da coragem demonstrada pelas mártires e de seu sacrifício é detalhadamente conservada por confessores da fé cartagineses e por um escritor de sua época. Desde longa data seu nome foi incluído no Cânon Romano da Igreja Católica e são invocadas tanto na “Ladainha dos Santos” como na “Oração Eucarística I” na parte destinada à “comemoração dos defuntos”. A cripta com o nome de Santa Perpétua foi encontrada há alguns anos nas ruínas da antiga Cartago.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Perp%C3%A9tua_e_Felicidade

– Ver também “Segundo os relatos oficiais da época, que completam o diário de Santa Perpétua, os cristãos homens foram martirizados primeiro, tendo sido jogados aos leopardos famintos. Estes os despedaçaram. Perpétua e Felicidade foram jogadas a touros selvagens. Perpétua viu sua amiga e irmã ser atingida pelos animais e ainda conseguiu amparar sua irmã de fé em seus braços e recompor sua roupa estraçalhada, numa demonstração de respeito, dignidade e amor. Os pagãos que assistiam ao “espetáculo” se emocionaram por um curto espaço de tempo. Porém, logo começaram a gritar pedindo a morte de Perpétua. Então, os touros atingiram as duas e, logo em seguida, elas foram degoladas. Aconteceu no dia 07 de março do ano 203. Pelo fato de terem sido martirizadas, ou seja, morreram por causa da fé em jesus Cristo, as duas foram canonizadas e se tornaram exemplo de fé e coragem, fazendo aumentar bastante o número dos cristãos.”: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-santas-perpetua-e-felicidade/341/102/

– 10 DE JULHO: Filhos de outra SANTA FELICIDADE: Em Roma, os santos már­tires Félix e Fi­lipe, no ce­mi­tério de Pris­cila; Vital, Mar­cial e Ale­xandre, no ce­mi­tério dos Jor­danos; Si­lvano no ce­mi­tério de Má­ximo e Ja­nuário no ce­mi­tério de Pre­tex­tato. Na sua me­mória con­junta se alegra a Igreja Ro­mana, que, no mesmo dia glo­ri­fica o triunfo de todos eles e se sente pro­te­gida com a in­ter­cessão de tantos exem­plos de santidade. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no século II, o martírio dos Santos Januário, Filipe, Silvano, Alexandre, Vital e Marcial, que enfrentaram a morte exortados pela própria mãe Santa Felicidade. Ver: Santa Felicidade e seus sete filhos: páginas 341-345: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

– Ver Santa Felicidade de Roma (festa em 23 de novembro) “”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Felicidade_de_Roma

Ver também página 213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– 23 DE NOVEMBRO: Em Roma, no ce­mi­tério de Má­ximo, junto à Via Sa­lária Nova, Santa Fe­li­ci­dade, mártir. († data inc.). VER TAMBÉM 10 DE JULHO (Santa Perpétua e seus sete filhos) Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, receberam a coroa do martírio Santa Felicidade, em Roma, no séc. II; e Santa Lucrécia, virgem de Mérida, no séc. IV. (M). Sobre Santa Felicidade, o VIDAS DOS SANTOS relata seu martírio e o de sete de seus filhos: Januário, Félix, Filipe, Silano, Alexandre, Vital e Marcial. Ver página 213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também sua história e lenda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Felicidade_de_Roma e

https://pt.wikipedia.org/wiki/Felicidade_de_Roma

– Ver “Felicidade de Roma (em latimFelicitasc. 101 – 165) é uma das primeiras mártires cristãs venerada como santa. Além do nome, a única coisa certa que sabemos sobre ela é que seu corpo foi enterrado na Catacumba de Máximo, na Via Salária, em 23 de novembro[1]. Porém, as lendas posteriores a seu respeito a retratam como mãe de sete filhos mártires cuja festa é celebrada em 10 de julho. Na Igreja Ortodoxa, sua festa é celebrada em 7 de fevereiro (25 de janeiro no calendário juliano).”: Felicidade de Roma – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

2.   Também em Car­tago, a paixão dos santos Sá­tiro, Sa­tur­nino, Re­vo­cato e Se­cun­dino, que mor­reram na mesma per­se­guição. O úl­timo morreu no cár­cere; os ou­tros, de­pois de so­frerem as in­ves­tidas de vá­rias feras, deram mu­tu­a­mente o ós­culo santo e su­cum­biram de­go­lados ao golpe da espada. São Saturnino, também na Folhinha do Coração de Jesus. Conforme o Martirológio, Ed. Permanência, São Saturnino padeceu juntamente com Santa Perpétua e Felicidade, juntamente com Sátiro, Saturnino, Revocato, que foram dados às feras e Secúndulo que morreu na prisão. († 203)

3.   Em Ce­sa­reia da Pa­les­tina, a paixão de Santo Eu­búlio, com­pa­nheiro de Santo Adrião, que dois anos de­pois dele, foi des­pe­da­çado pelos leões e tres­pas­sado pela lança. No Martirológio Romano-Monástico, em Cesaréia da Palestina, Santo Êubulo, que foi martirizado em nome de Cristo juntamente com o médico São Julião, ao final do séc. III (M). († 309)

4.   Em Quer­so­neso, na ac­tual Ucránia, os santos bispos Ba­sílio, Eu­génio, Aga­to­doro, El­pídio, Etério, Ca­pitão e Efrém, mártires. († c. s. IV)

5.   Na Te­baida, re­gião do Egipto, São Paulo o Simples, dis­cí­pulo de Santo Antão. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 340, São Paulo, o Simples. Egípcio de origem, viveu no mundo até o dia em que, traído por sua mulher, foi bater à porta de Santo Antão. Antes de ser recebido, foi submetido a tais privações, que lhe foi dado o epíteto de “o Simples”. (M). Ver mais de sua história às págs. 244-248: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† s. IV)

6.   Em Bréscia, ci­dade do ac­tual Vé­neto, re­gião da Itália, São Gau­dioso, bispo. († s. V)

7*.   No mos­teiro de Aniane, na Sep­ti­mânia, ac­tu­al­mente na França, Santo Ardão Sma­ragdo, pres­bí­tero, que foi com­pa­nheiro de São Bento de Aniane na vida cenobítica. († 843)

8.   Em Prusa, ci­dade da Bi­tínia, na ac­tual Tur­quia, São Paulo, bispo, que, por de­fender o culto das sa­gradas ima­gens, foi ex­pulso da pá­tria e morreu no exílio. († 850)

9.   No mos­teiro cis­ter­ci­ense de Fos­sa­nova, no Lácio, re­gião da Itália, o pas­sa­mento de São Tomás de Aquino, cuja me­mória é ce­le­brada no dia vinte e oito de Janeiro. († 1274). Ver 28 de janeiro: Me­mória de São Tomás de Aquino (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e doutor da Igreja, que, do­tado de grandes dons in­te­lec­tuais, co­mu­nicou aos ou­tros, por meio do en­sino oral e es­crito, a sua ex­tra­or­di­nária sa­be­doria. Cha­mado pelo beato papa Gre­gório X para par­ti­cipar no Con­cílio Ecu­mé­nico de Lião II, morreu du­rante a vi­agem no mos­teiro de Fos­sa­nova, no Lácio, no dia 7 de Março. Al­guns anos de­pois o seu corpo foi tras­la­dado para Tolouse. († 1274). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Tomás de Aquino, sacerdote da Ordem dos Pregadores. Inicialmente discípulo de Santo Alberto Magno e depois professor na Sorbonne, São Tomás elaborou, a partir da Sagrada Escritura e dos Padres da Igreja, e utilizando o sistema filosófico aristotélico, uma magistral síntese teológica que o fez ser proclamado Doutor da Igreja e patrono da Universidade Católica. Quando, por ordem do papa, se dirigia ao Concilio de Lião, morreu na abadia cisterciense de Fossanova no dia 7 de março de 1274, e seu corpo foi transferido para Toulouse em 28 de janeiro de 1369. (R)

No VIDA DOS SANTOS, a vida de São Tomás é contada dia 7 de março. Conforme págs. 220-225:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

Ver “Tomás de Aquino, em italiano Tommaso d’Aquino (Roccasecca, 1225 – Fossanova, 7 de março de 1274), foi um frade católico italiano da Ordem dos Pregadores (dominicano)[2][3] cujas obras tiveram enorme influência na teologia e na filosofia, principalmente na tradição conhecida como Escolástica, e que, por isso, é conhecido como “Doctor Angelicus“, “Doctor Communis” e “Doctor Universalis“.[4][a] “Aquino” é uma referência ao condado de Aquino, uma região que foi propriedade de sua família até 1137.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Tomás_de_Aquino

10*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos már­tires João Larke e João Ireland, pres­bí­teros, e Ger­mano Gar­diner, que, pela sua fi­de­li­dade ao Ro­mano Pon­tí­fice, mor­reram en­for­cados em Ty­burn, du­rante o rei­nado de Hen­rique VIII. († 1544)

11.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, Santa Te­resa Mar­ga­rida Rédi, virgem, que, tendo en­trado na Ordem das Car­me­litas Des­calças, per­correu um árduo ca­minho de per­feição e morreu ainda jovem. († 1770)

12.   Em Seul, na Co­reia, São João Bap­tista Nam Chong-sam, mártir. († 1866)

13.   Em Sai-Nam-Hte, também na Co­reia, os santos már­tires Si­meão Berneux, bispo, Justo Ranfer de Bretenières, Luís Beaulieu e Pedro Hen­rique Dorie, pres­bí­teros da So­ci­e­dade das Mis­sões Es­tran­geiras de Paris, de­ca­pi­tados por afir­marem au­daz­mente que vi­eram à Co­reia para salvar as almas no nome de Cristo. († 1866)

14♦.   Em Ca­ma­guey, ci­dade de Cuba, o Beato José Olallo Valdés, re­li­gioso da Ordem Hos­pi­ta­leira de São João de Deus. († 1889)

15*.   Em Kirov, ci­dade da Rússia, o Beato Leó­nidas Fe­dorov, bispo e mártir, que, exer­cendo o mi­nis­tério como exarca apos­tó­lico dos ca­tó­licos russos do Rito Bi­zan­tino, pe­rante um re­gime hostil à re­li­gião, me­receu ser dis­cí­pulo fiel de Cristo até à morte. († 1935)

16. No ano de 686, Santo Esterwin, abade de Wermouth. Esquecendo-se de sua nobre origem, tomou uma tal consciência de seu cargo que fazia questão de compartilhar o trabalho de seus monges (conforme o Martirológio Romano-Monástico – X).

17. Perto de 845, São Teófilo, bispo da Nicomédia, exilado por haver se pronunciado corajosamente em favor do culto das santas imagens, sinais visíveis de realidades invisíveis (conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

18. No mesmo dia, as Santas Thordgith e Edith, monjas inglesas do séc. VII, assim como o Bem-Aventurado Reinardo, abade de Reinhausen, no séc. XII (conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

19. Beata Maria Antônia de San José, religiosa. Ver “María Antonia de San José, nascida como María Antonia de Paz y Figueroa (Santiago del EsteroArgentina, 1730 — Buenos Aires, 7 de março de 1799), foi uma religiosa, também conhecida como: “Mama Antula“, beatificada em 27 de agosto de 2016, em uma cerimônia realizada no Parque Francisco de Aguirre em sua cidade natal.[1]Sua intercessão foi considerada milagrosa na cura da Irmã Maria Rosa Vanina, da Congregação religiosa das Filhas do Divino Salvador, que se recuperou de colecistite aguda com choque séptico em 1904.[8]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Maria_Ant%C3%B4nia_de_San_Jos%C3%A9

20. Outros santos do dia 07 de março: páginas 220-249:  VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 07 de março, ver ainda: 7 de março – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 245-247:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 06 de março

1.   Em Tor­tona, na Li­gúria, hoje no Pi­e­monte, re­gião da Itália, São Mar­ciano (também na Folhinha do Coração de Jesus) ve­ne­rado como bispo e mártir. († data inc.)

2.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, São Vi­to­rino, mártir. († data inc.)

3.   Em Tré­veris, ci­dade da Gália Bél­gica, hoje na Ale­manha, São Qui­ríaco, presbítero. († s. IV in.)

4.   Co­me­mo­ração de Santo Evá­grio, bispo de Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, que, tendo sido de­por­tado para o exílio pelo im­pe­rador Va­lente, partiu deste mundo para o Se­nhor como in­signe con­fessor da fé. († c. 378)

5.   Em To­ledo, na Es­panha, São Ju­lião, bispo, que reuniu nesta ci­dade três con­cí­lios e expôs nos seus es­critos a recta dou­trina, ma­ni­fes­tando grande sen­tido da jus­tiça, ca­ri­dade e zelo das almas. († 690)

6.   Em Säckingen, no ter­ri­tório da ac­tual Suíça, São Fri­do­lino, abade, que, oriundo da Ir­landa, pe­re­grinou através da Gália e chegou a Säckingen, onde fundou dois mos­teiros em honra de Santo Hilário. († s. VIII). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Fridolino, monge irlandês. Depois de ter passado longo tempo em Poitiers, retomou seu bastão de peregrino, espalhando a semente do Evangelho através da Gália antes de se fixar em Sakingen, perto de Basiléia, onde fundou um duplo mosteiro em honra de S. Hilário. (X). Ver “São Fridolinho ou Fridolinho de Säckingen (às vezes também grafado Fridolino, por influência da língua italiana) foi um missionário fundador da Abadia de Säckingen, na BavieraAlemanha, entre os séculos VI e VII.[1][2] Ele é consagrado “Apóstolo dos alamanos“, embora de acordo com a tradição seja originário da Irlanda.[1]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Fridolinho_de_S%C3%A4ckingen

7.   Em Metz, na Aus­trásia, ac­tu­al­mente na França, São Cro­de­gando (ou Cadroé, ou Crodegand, conforme o Martirológio Romano-Monástico. Bispo de Metz, foi um dos primeiros a adotar e propagar na Gália a liturgia romana e o canto gregoriano, e a dar aos cônegos uma regra de vida fraterna. Foi sepultado na abadia de Gorze que havia sido fundada por ele. – X ) bispo, que re­co­mendou ao clero a ob­ser­vância claus­tral com uma norma de vida ir­re­pre­en­sível e pro­moveu de modo in­signe o canto da Igreja. († 766). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 766, São Cadroé (ou Crodegang), bispo de Metz, que foi um dos primeiros a adotar e propagar na Gália a liturgia romana e o canto gregoriano, e a dar aos cônegos uma regra de vida fraterna. Foi sepultado na abadia de Gorze, que havia sido fundada por ele. (X). Ver páginas 216-217: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

Ver “Crodegango de Métis, (Hesbaye (Bélgica moderna), c.712 – Métis no 6 de março de  766), também chamado de GodegrandGundigranRatgangRodigangSirigang. Ele é filho de Sigramo e Landrada, esta última pertencente à família dos Robertianos. Ele é um dos atores do renascimento carolíngio e foi bispo de Métis.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Chrodegang_de_Metz

8.   Na Síria, a paixão de qua­renta e dois santos mártires, que, tendo sido presos em Amório da Frígia e con­du­zidos ao rio Eu­frates, su­por­taram um glo­rioso com­bate e re­ce­beram vi­to­ri­osos a palma do martírio. Ver págs. 207-213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† 848)

9*.    Em Bar­ce­lona, na Ca­ta­lunha, re­gião da Es­panha, Santo Ole­gário (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que tomou também a cá­tedra epis­copal de Tar­ra­gona, quando esta an­tiquís­sima di­o­cese foi li­berta do do­mínio dos Mouros. († 1137). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1137, o Bem-Aventurado Olegário, bispo de Barcelona, depois arcebispo de Tarragona, mediador da paz entre os príncipes de seu tempo. (M). Ver  “Olegário Bonestruga (Barcelona1060 – ?, 6 de março de 1137), santo católico, foi bispo de Barcelona e Arcebispo de Tarragona.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Santo_Oleg%C3%A1rio

10*.   Em Vi­terbo, na Tos­cana, re­gião da Itália, a Beata Rosa (também na Folhinha do Coração de Jesus, Rosa de Viterbo), virgem, da Ordem Ter­ceira de São Fran­cisco, que se en­tregou di­li­gen­te­mente às obras de ca­ri­dade e con­sumou pre­c o­ce­mente o breve curso da sua vida aos de­zoito anos de idade. († 1253). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1252 Santa Rosa de Viterbo, jovem cristã de dezoito anos, que partiu ao encontro de Cristo depois de haver-lhe consagrado sua grande beleza fisica e espiritual. (M). Ver Santa Rosa de Viterbo. Ver também 04 de setembro. Páginas 33-35: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf:

– Ver também “Santa Rosa perseverou no caminho da santidade e, aos dezoito anos, foi acometida de uma doença que a levou para a Eterna Morada de Deus.

Santa Rosa de Viterbo, rogai por nós!”: https://santo.cancaonova.com/santo/santa-rosa-de-viterbo/

11.   Em Gand, ci­dade da Flan­dres, na ac­tual Bél­gica, Santa Co­leta Boylet (Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Santa Coleta, ou Nicole, terciária franciscana), virgem, que, de­pois de passar três anos de ri­go­rosa aus­te­ri­dade, re­clusa numa pe­quena ha­bi­tação junto da igreja, pro­fessou a Regra de São Fran­cisco e re­con­duziu muitos mos­teiros de Cla­rissas à ob­ser­vância pri­mi­tiva, pro­mo­vendo es­pe­ci­al­mente o es­pí­rito de po­breza e de penitência. († 1447). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na cidade de Gand, em Flandres, cerca de 1447, Santa Coleta (ou Nicole), virgem. Terciária franciscana, levou inicialmente, uma vida de reclusa perto da igreja de Corbie, sua cidade natal. Depois, empenhou-se em reavivar o amor e a prática da pobreza evangélica na Ordem das Clarissas, da qual veio a tornar-se abadessa geral. (M)

– Ver também sobre Santa Coleta (ou Nicolina) às págs. 200-206:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver “Padroeira dos familiares perdidos, das gestantes e dos recém nascidos doentes.”: https://santinhoz.com.br/santinha-nicole/

12. Conforme o Martirológio Romano de 05 de março, na Pan­fília, na ac­tual Tur­quia, São Cónon, mártir, um jar­di­neiro que, no tempo do im­pe­rador Décio, foi obri­gado a correr di­ante dum carro, com cravos es­pe­tados nos pés e, caindo de jo­e­lhos, em oração en­tregou o es­pí­rito a Deus. († c. 250). Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 06 de março e também a Folhinha do Coração de Jesus, no Oriente, perto de 250, a paixão de São Conon, jardineiro cristão condenado a correr na frente de um carro, tendo seus pés atravessados por cravos, porque havia confessado ser discípulo de Jesus crucificado. (M)

Ver São Conon e a esposa Maria (Em Isáuria, Bida, São Conon e a espôsa, Maria; época incerta.): página 198: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver ainda: páginas 214-216: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

13. Outros santos do dia 06 de março: páginas 200-219:  VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 06 de março, ver ainda: 6 de março – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 243-244:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 05 de março

– VER TAMBÉM 5 DE MARÇO NA IGREJA ORTODOXA: “Todas as comemorações fixas abaixo são comemoradas no dia 18 de março pelas igrejas ortodoxas sob o Velho Calendário. No dia 5 de março do calendário civil, as igrejas sob o Velho Calendário celebram as comemorações listadas no dia 20 de fevereiro, exceto em anos bissextos, quando o fazem em 21 de fevereiro.”: 5 de março na Igreja Ortodoxa – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1.   Co­me­mo­ração de São Teó­filo, bispo de Ce­sa­reia, na Pa­les­tina, que, no tempo do im­pe­rador Sep­tímio Se­vero, res­plan­deceu pela sua sa­be­doria e in­te­gri­dade de vida. No Martirológio Romano-Monástico: próximo de 198, São Teófilo, bispo de Cesareia da Palestina. Deu seguimento aos esforços do Papa São Vítor para que se celebrasse na Ásia a festa da Páscoa no domingo, segundo a tradição apostólica Romana (M).  († 195). Ver página 197: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver também “São Teófilo (em latim: Theophilus) (†195) foi um bispo de Cesareia. Ele é conhecido pela sua oposição aos quartodecimanos. Ele é comemorado no dia dia 5 de março.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Te%C3%B3filo_de_Cesareia

2. Conforme o Martirológio Romano, na Pan­fília, na ac­tual Tur­quia, São Cónon, mártir, um jar­di­neiro que, no tempo do im­pe­rador Décio, foi obri­gado a correr di­ante dum carro, com cravos es­pe­tados nos pés e, caindo de jo­e­lhos, em oração en­tregou o es­pí­rito a Deus. († c. 250). Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 06 de março e também na Folhinha do Coração de Jesus , no Oriente, perto de 250, a paixão de São Conon, jardineiro cristão condenado a correr na frente de um carro, tendo seus pés atravessados por cravos, porque havia confessado ser discípulo de Jesus crucificado. (M)

Ver São Conon e a esposa Maria: página 198: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver ainda: páginas 214-216: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

3.   Em Roma, no ce­mi­tério de Ca­listo, junto à Via Ápia, o se­pul­ta­mento de São Lúcio, papa, su­cessor de São Cor­nélio, o qual, tendo pa­de­cido o exílio pela fé de Cristo, foi um exímio con­fessor da fé, en­fren­tando as di­fi­cul­dades do seu tempo com ad­mi­rável mo­de­ração e prudência. († 254). Ver “Papa Lúcio I, nascido Lúcio (em latimLucius), foi o vigésimo segundo Bispo de Roma, governando de 25 de Junho de 253 até 5 de Março de 254.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_L%C3%BAcio_I

No VIDAS DOS SANTOS de 04 de março: em Roma, São Lúcio I, papa e mártir, que, durante a perseguição movimentada por Valeriano, foi enviado ao exílio pela fé. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 254, São Lúcio I, papa e confessor da fé. Os poucos meses de seu episcopado se passaram no exílio, e sua morte ocorreu logo depois de seu retorno a Roma, fato que São Cipriano havia saudado com alegria – M). Decapitado, recebeu a coroa do martírio em 254. São Cipriano elogiou-o muitíssimo. Teve curto pontificado: de 25 de junho de 253 a 4 de março de 254. Seu corpo foi deposto na cripta papal do cemitério de Calixto. Ao santo papa atribuiu-se um decreto que estabeleceu clérigos para a casa do papa. São Lúcio foi venerado na Dinamarca, onde um grande número de igrejas jaz sob sua invocação: é que os apóstolos daquele país para ali levaram relíquias do santo papa mártir. Ver págs. 186-187: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

4.   Em Si­nope, no Ponto, na ac­tual Tur­quia, São Focas, mártir, um jar­di­neiro que passou muitos tor­mentos pelo nome do Redentor. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Antioquia, perto de 320, São Focas. Segundo São Gregório de Tours, “sofreu inúmeros tormentos em nome do Redentor”. (M). Em Antioquia, São Focas, mártir. Depois de inúmeros sofrimentos que suportou pelo nome do Redentor, recebeu o prêmio dos prazeres eternos. Atormentado, triunfou gloriosamente da antiga serpente, o que é confirmado por um perene milagre. Se alguém, mordido por uma serpente, chegar à porta da igreja deste santo mártir, e, com fé viva e inabalável, invocá-lo, ver-se-á, incontinenti, curado. Ver pág. 197: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† c.s. IV)

5.   Em Ce­sa­reia da Pa­les­tina, Santo Adrião, (Adriano) mártir, que, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, por man­dado do pre­feito Fir­mi­liano, num dia em que os ha­bi­tantes da ci­dade cos­tu­mavam ce­le­brar a festa “For­tuna dos Ce­sa­renses”, por causa da sua fé em Cristo foi pri­mei­ra­mente lan­çado a um leão e de­pois de­go­lado à espada. († 309)

6.   Na Pa­les­tina, junto ao rio Jordão, São Ge­rá­simo, ana­co­reta, que, no tempo do im­pe­rador Zenão, re­con­du­zido à ver­da­deira fé por Santo Eu­tímio, pra­ticou grandes obras de pe­ni­tência, ofe­re­cendo a todos os que sob a sua di­recção se exer­ci­tavam na vida mo­nás­tica a ci­ência da ri­go­rosa ob­ser­vância   ad­mi­rável frugalidade. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 475, São Gerásimo. Desviado por um momento para a heresia monofisita, retornou ao caminho da verdade graças a Santo Eutímio, Viveu como anacoreta no deserto da Judéia, perto de Jericó onde fundou uma laura composta de um mosteiro central e de eremitérios isolados. (M). Ver págs. 193-197, São Gerasmo, abade e confessor: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† 475)

– ver também “Gerásimo do Jordão (em grego medieval: Γεράσιμος ὁ ἐν ᾿Ιορδάνῃ; m. 475) foi um monge, abade e santo cristão do século V. Nascido na província da Lícia, pertencia a uma família rica. Recebeu a tonsura monástica, retirando-se no deserto do Egito. Em torno de 450 o monge chega a Palestina onde, no rio Jordão, funda um mosteiro.[2]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ger%C3%A1simo_do_Jord%C3%A3o

7*.   Em Sahighir, na re­gião de Os­sory, na Hi­bérnia, hoje Ir­landa, São Ki­e­rano ou Ci­rano, bispo e abade.                                                                                                                 († 530). Ver “São Ciarán de Saigir (século V – c. 530), também conhecido como Ciarán mac Luaigne ou Saint Kieran (em galês: Cieran), foi um dos Doze Apóstolos da Irlanda[1] e é considerado o primeiro santo nascido na Irlanda,[2] embora a lenda de que ele precedeu o São Patrício da Irlanda é questionável. Ciarán foi bispo de Saighir e continua a ser o santo patrono do sucessor, a diocese de Ossory. Ele é identificado com Santo Piran que é venerado na CornualhaGales e na Bretanha.[3][4] 5 de Março é o dia no qual é venerado. Ele é por vezes tratado como São Ciarán o Velho, para o distinguir do outro São Ciarán do século VI, que foi abade de Clonmacnoise. Ele partilha o dia da sua veneração com a sua mãe, a Santa Liadán, e o seu discípulo e sucessor episcopal, São Carthach o Velho.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ciar%C3%A1n_de_Saighir

8*.   Em Arles, na Pro­vença, re­gião da ac­tual França, São Vir­gílio (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Virgílio de Arles), bispo, que deu hos­pe­dagem a Santo Agos­tinho e aos monges que iam a ca­minho da In­gla­terra, en­vi­ados pelo papa São Gre­gório Magno. († c. 618). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no início do séc. VII, São Virgílio, monge de Lérins. Encarregado de dirigir a abadia de São Sinforiano em Autun, tomou-se depois bispo de Arles. O papa São Gregório Magno demonstrou-lhe sua confiança pedindo-Ihe que aceitasse, em seu nome, os trabalhos com as Igrejas das Gálias. (X). Ver página 198: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

9*.   Em Vi­gé­bano, na Lom­bardia, re­gião da Itália, o Beato Cris­tóvão Ma­cas­sóli, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, in­signe pela sua pre­gação e pela ca­ri­dade para com os pobres. († 1485)

10*.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, também re­gião da Itália, o Beato Je­re­mias de Valáchia (João Kos­tistik), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que du­rante qua­renta anos as­sistiu inin­ter­rup­ta­mente aos en­fermos com grande ca­ri­dade e alegria. († 1625)

11.   Também em Ná­poles, São João José da Cruz, Carlos Ga­e­tano Ca­lo­sirto (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, que, se­guindo o exemplo de São Pedro de Al­cân­tara, res­taurou a dis­ci­plina da Regra em muitos con­ventos da Pro­víncia Napolitana. Ver páginas 189-192:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† 1734)

– Ver também “São João José da Cruz (ilha de Ischia15 de Agosto de 1654 — Piedimonte d’Alife5 de Março de 1737), nascido com o nome de Carlos Caetano Calosirto, foi um beato franciscano que construiu um importante mosteiro para a sua ordem com suas mãos e permitiu que se abrissem várias outras casas religiosas, viveu uma vida muito austera, muito próxima da de São Francisco de Assis que tinha como ideal.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Jos%C3%A9_da_Cruz

12. Santo Eusébio (também na Folhinha do Coração de Jesus), confessor. Em Cremona, Santo Eusébio, discípulo de São Jerônimo, confessor, filho de honesta família muito distinguida. Depois de passar a adolescência na cidade em que nasceu, foi a Roma visitar o túmulo dos santos apóstolos, onde encontrou São Jerônimo e com ele esteve algum tempo a estudar as santas Escrituras. Quando o grande doutor demandou ao Oriente, Eusébio acompanhou-o. Diz-se que o Santo assistiu ao amigo na hora da morte. Dirigiu o mosteiro de Belém, falecendo em 423. Ver págs. 197-198: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

13. No Martirológio Italiano de 09 de março, em Mon­dónio, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, São Do­mingos Sávio, que, do­tado de ânimo afável e jo­vial já desde a in­fância, ainda ado­les­cente per­correu ve­loz­mente o ca­minho da per­feição cristã. († 1857). São Domingos Sávio (também na Folhinha do Coração de Jesus de 05 de março de 2020). Conforme o Martirológio Romano Monástico de 09 de março, “no ano da graça de 1857, São Domingos Sávio, que morreu aos 15 anos de idade (em 09 de março de 1857) no Colégio fundado por São João Bosco em Turim, depois de ter dado o exemplo de uma vida de oração e de uma caridade fraterna ao mesmo tempo alegre e austera (X). Foi BEATIFICADO EM 05/03/1950; CANONIZADO EM 12/06/1954; FESTA LITÚRGICA EM 06 DE MAIO. Ver: http://www.salesianos.com.br/saodomingossavio/

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Domingos_S%C3%A1vio

– Ver ainda sobre São Domingos Sávio: http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cevang/p_missionary_works/infantia/documents/rc_ic_infantia_doc_20090324_boletin12p11_po.html

14. São Drausino ou Dráuscio, bispo e confessor. Ver página 198: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

15. Outros santos do dia 05 de março: páginas 189-199:  VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 05 de março, ver ainda: 5 de março – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 241-243:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 04 de março

1. São Ca­si­miro, filho do rei da Po­lónia, que foi um prín­cipe in­signe no zelo pela fé, na cas­ti­dade e na pe­ni­tência, na be­nig­ni­dade para com os po­bres e na pi­e­dosa ve­ne­ração da Sa­grada Eu­ca­ristia e da bem-aven­tu­rada Virgem Maria, e, ainda jovem, ví­tima da tu­ber­cu­lose, na ci­dade de Grodno, perto de Vilna, na Li­tuânia, hoje na Bi­e­lor­rússia, des­cansou pi­e­do­sa­mente no Senhor. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1484, o nascimento no céu de São Casimiro (também na Folhinha do Coração de Jesus), príncipe herdeiro e padroeiro celeste da Polônia e da Lituânia. No meio do luxo da corte, soube guardar uma grande caridade em relação aos pobres e à pobreza, assim como um profundo amor à castidade, graças a uma intensa vida de oração. (R). Ver São Casemiro, rei da Polônia, às páginas 177-180: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† 1484)

– Ver também “São Casimiro (Cracóvia, 3 de Outubro de 1458 – 4 de Março de 1484) foi um príncipe, filho da rainha Isabel da Áustria e de Casimiro IV da Polônia, que foi santificado por ter praticado de modo especial a bondade com os pobres e ter grande devoção a Nossa Senhora.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Casimiro

2.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, os santos Fócio, Ar­quelau, Qui­rino (Cirilo)e ou­tros de­zas­sete mártires. († s. III/IV)

3*.   Em Tré­veris, na Re­nânia da Aus­trásia, hoje na Ale­manha, São Ba­sino, bispo, des­cen­dente das fa­mí­lias no­bres do reino da Aus­trásia, que pri­meiro foi monge, de­pois abade de São Ma­xi­mino de Tré­veris, e, ele­vado à dig­ni­dade epis­copal, aprovou a fun­dação do mos­teiro de Eph­ter­nach, re­a­li­zada por Santa Irmina. († 705)

4*.   Em Co­má­quio, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, Santo Apiano, monge, que, en­viado do mos­teiro de Pavia, se­guiu nesta ci­dade a vida eremítica. Ver “Originário da Ligúria, Apiano, também chamado Apuano , era monge de São Pedro do Céu de Ouro. Quieto, doce, de muito bom gênio, era homem dado a grandes mortificações, mortificações que praticava escondido dos irmãos, para que o não tomasse a vaidade.”. Conf. págs. 183-184: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† s. VIII)

5*.   No mos­teiro de Cava de Tir­réni, na Cam­pânia, também re­gião da Itália, São Pedro, que, de­pois de se­guir desde a sua ju­ven­tude a vida mo­nás­tica, foi eleito bispo de Po­li­castro, mas, in­sa­tis­feito com o bu­lício da vida mun­dana, re­gressou ao mos­teiro, onde foi cons­ti­tuído abade e res­taurou ad­mi­ra­vel­mente a ob­ser­vância religiosa. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do senhor de 1123, São Pedro, abade. Depois de um período de cinco anos passados em Cluny sob o abaciado de São Hugo, conseguiu, apesar de grandes oposições, lançar as bases da congregação beneditina de La Cava, reforma que se estendeu por todo o sul da Itália. (X). São PEDRO PAPPACARBONO – bispo e confessor – Ver págs. 185-186: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† 1123)

6*.   Em Cham­béry, na Sa­vóia, hoje na França, o Beato Hum­berto, ter­ceiro conde da Sa­bóia, que, cons­tran­gido a aban­donar o claustro para pre­sidir à go­ver­nação civil, pra­ticou fer­vo­ro­sa­mente a vida mo­nás­tica, à qual pouco tempo de­pois regressou. († 1188). Ver página 186: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver “Humberto III (4 de Agosto de 1135 — 4 de Março de 1189), apelidado de “o Santo”, foi Conde de Saboia desde 1148 até sua morte.”: Humberto III, Conde de Saboia – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

7*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos Cris­tóvão Bales, pres­bí­tero, Ale­xandre Blake e Ni­colau Horner, már­tires, que, na per­se­guição da rainha Isabel I, re­ce­beram ao mesmo tempo a coroa de glória. († 1590)

8♦   Em Vannes, na Bre­tanha, re­gião da França, a Beata Maria Luísa (Isabel de La­moignon Molé de Cham­pla­treux), viúva, mãe de S. Luís e fun­da­dora das Irmãs da Ca­ri­dade de São Luís, que, evi­tando o fausto e a ri­queza da sua fa­mília nobre, viveu pobre e para os po­bres, e se de­dicou ao en­sino dos ig­no­rantes e à edu­cação das cri­anças no ca­minho da virtude. († 1825)

9*.   No ce­nóbio de Saint-Sau­veur-le-Vi­comte, na Nor­mandia, re­gião da França, a Beata Plá­cida (Eu­lália Viel), virgem, que res­plan­deceu pelo seu zelo e hu­mil­dade no go­verno da Con­gre­gação das Es­colas Cristãs da Misericórdia. († 1877)

10*.   Em Vi­cenza, na Itália, São João An­tónio Farina (também na Folhinha do Coração de Jesus) bispo, que de­sen­volveu uma in­tensa e mul­ti­forme ac­ti­vi­dade pas­toral e fundou o Ins­ti­tuto das Irmãs Mes­tras de Santa Do­ro­teia Fi­lhas dos Sa­grados Co­ra­ções, des­ti­nado a tra­ba­lhar na for­mação das jo­vens po­bres e de todos os opri­midos e marginados. († 1888). Ver “Giovanni Antonio Farina, também conhecido como São João Antônio Farina (Gambellara11 de janeiro de 1803 – Vicenza4 de março de 1888) foi um bispo católico italiano, fundador da Congregação das Irmãs Mestras de Santa Doroteia, filhas dos Sagrados Corações.[1]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Giovanni_Antonio_Farina

11♦.   Em Wro­claw, na Po­lónia, o Beato Ro­berto Spiske, pres­bí­tero di­o­ce­sano, fun­dador da Con­gre­gação das Irmãs de Santa Edviges. († 1888)

12*.   Em Be­rezwecz, perto de Gle­bokie, ci­dade da Po­lónia, os be­atos Mi­e­cislau Bohatkiewicz, La­dislau Mac­kowiak e Es­ta­nislau Pyrtek, pres­bí­teros e már­tires, que, du­rante a guerra, por causa da sua fé em Cristo foram en­cer­rados no cár­cere e fuzilados. († 1942)

13♦.   Em Kis­tarcsa, pró­ximo de Bu­da­peste, na Hun­gria, o Beato Zoltan Lajos Meszlényi, bispo de Esz­tergom-Bu­da­peste e mártir. († 1951)

14. São Leonardo ou Leodovaldo. Ver “Leonardo, também conhecido como Leodovaldo, era natural de Vains, cantão de Avranches, onde nasceu em 540. Filho de rica e piedosíssima família, era bondoso e caritativo… Quando o bom bispo faleceu, em 614, o povo passou a venerá-lo como santo, e, em sua honra, erigiram-lhe os diocesanos uma igreja na cidade em que nasceu.”. Conf. págs. 181-182: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

15. Em Roma, São Lúcio I, papa e mártir, que, durante a perseguição movimentada por Valeriano, foi enviado ao exílio pela fé. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 254, São Lúcio I, papa e confessor da fé. Os poucos meses de seu episcopado se passaram no exílio, e sua morte ocorreu logo depois de seu retorno a Roma, fato que São Cipriano havia saudado com alegria – M). Decapitado, recebeu a coroa do martírio em 254. São Cipriano elogiou-o muitíssimo. Teve curto pontificado: de 25 de junho de 253 a 4 de março de 254. Seu corpo foi deposto na cripta papal do cemitério de Calixto. Ao santo papa atribuiu-se um decreto que estabeleceu clérigos para a casa do papa. São Lúcio foi venerado na Dinamarca, onde um grande número de igrejas jaz sob sua invocação: é que os apóstolos daquele país para ali levaram relíquias do santo papa mártir. Ver págs. 186-187: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

16. Na Ásia Menor, sob o imperador Diocleciano, a paixão de Santo Adriano. Oficial do exército imperial, foi subitamente convertido pela paciência sobre-humana de que deram prova Vinte e três cristãos prisioneiros, e pediu que seu nome fosse acrescentado à sua lista (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

– Ver em 01 de dezembro: Santo Adriano e Santa Natália, Esposos e Vinte e Três Santos Mártires. Ver páginas 370-371: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver CASAL SANTO ADRIANO E SANTA NATÁLIA,Festa litúrgica 01 de dezembro, 04 de março, 26 de agosto e 08 de setembro”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Adriano_e_Nat%C3%A1lia

– Ver “Adriano (em latimAdrianus) e Natália foram romanos do final do século III e começo do IV. Adriano era membro da guarda pretoriana e foi martirizado em Nicomédia sob ordens do imperador Galério (r. 293–311) após declarar publicamte que era cristão. Natália levou os restos mortais do marido para Argirópolis, perto de Bizâncio… ” Adriano e Natália – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “A única notícia certa é que havia um antigo e muito forte culto de um Adriano, mártir de Nicomedia, tanto no Oriente quanto no Ocidente. O novo Martirológio Romano lembra o santo neste dia sem mais comentários. O resto é suposição e lenda… O antigo Martirológio Romano indicou 4 de março como o dia de sua morte, e 1 º de dezembro para Natalia e 8 de setembro para o transporte de seus restos mortais para Roma. A festa comum de Santos Adriano e Natália, mártires, era 8 de setembro.”: Santi Adriano e Natalia (santiebeati.it)

– Em 08 de setembro, em Roma, a co­me­mo­ração de Santo Adrião, mártir, que pa­deceu o mar­tírio em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, em cuja honra o papa Ho­nório I con­verteu em igreja a Cúria do Se­nado Romano. († data inc.).

17. Na região de Quersonésia, península ao norte do mar Negro, perto do ano 300, a paixão de Sete Bispos da Igreja Grega, que deram testemunho de Cristo por sua vida, pregação e morte (conforme o Martirológio Romano-Monástico – M). “No Quersoneso, o martírio dos santos bispos Basílio, Eugênio (também na Folhinha do Coração de Jesus), Agatodoro, Elpídio, Etério, Capitônio, Efrém, Nestor e Arcádio (também na Folhinha do Coração de Jesus)”. Ver pág. 188: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

18. Outros santos do dia 04 de março: páginas 177-188:  VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 04 de março, ver ainda: 4 de março – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 239-241:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 02 de março

1.   Em Ne­o­ce­sa­reia, ci­dade do Ponto, hoje Niksar, na ac­tual Tur­quia, São Tróades, mártir du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Décio, de cujo mar­tírio dá tes­te­munho São Gre­gório Taumaturgo. († c. 250)

2.   Em Li­ch­field, na ac­tual In­gla­terra, São Ceada, bispo, que, em tempos muito di­fí­ceis, exerceu o mi­nis­tério epis­copal no ter­ri­tório da Mércia, de Lin­dis­farne e da Ân­glia Me­di­ter­rânea, mi­nis­tério que pro­curou de­sem­pe­nhar com uma vida de grande per­feição se­gundo os exem­plos dos Pa­dres antigos. († 672). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VII, São Ceádio, que depois de ter dirigido um mosteiro no condado de York, foi consagrado bispo a  da Igreja de Lichfield , e posteriormente da de Lindesfarme (M). Ver páginas 153-154: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

3*.   Em Agira, na Si­cília, re­gião da Itália, São Lucas Ca­sáli de Nicósia, monge, cé­lebre pela sua pro­funda hu­mil­dade e grandes virtudes. (Sec. IX). Ver página 154: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

4.   Em Praga, ci­dade da Boémia, ac­tu­al­mente na Ché­quia, Santa Inês (também na Folhinha do Coração de Jesus) aba­dessa, que, sendo filha do rei Ot­tokar, re­cusou as núp­cias ré­gias para ser es­posa so­mente de Jesus Cristo e abraçou a Regra de Santa Clara num mos­teiro por ela edi­fi­cado, onde quis ob­servar ri­go­ro­sa­mente a vida de pobreza. († c.1282). Ver “Santa Inês de PragaOSC, também conhecida como Santa Inês da Boêmia (em chéco Svatá Anežka česká), (Praga1205 — Praga6 de março de 1282) foi uma religiosa católica.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/In%C3%AAs_de_Praga

5*.   Em Bruges, ci­dade da Flan­dres, na ac­tual Bél­gica, o Beato Carlos o Bom, mártir, que, sendo rei da Di­na­marca e de­pois conde da Flan­dres, pro­cedeu como pro­motor da jus­tiça e de­fensor dos po­bres e foi morto por sol­dados que ele pro­cu­rava in­duzir à paz. († 1127)

6.   Em Se­vilha, na Es­panha, Santa Ân­gela da Cruz (María dos Anjos Guer­rero Gon­zález), fun­da­dora do Ins­ti­tuto das Irmãs da Com­pa­nhia da Cruz, que nada con­si­de­rava mais seu que dos po­bres, a quem cos­tu­mava chamar seus “se­nhores” e se de­di­cava ver­da­dei­ra­mente ao seu serviço. († 1932)

7. São Jovino (também na Folhinha do Coração de Jesus). Na diocese de Quimper, São Jovino, bispo e confessor, um dos mais ardorosos discípulos de Sao Paulo Aureliano, ao qual seguiu pela Bretanha Armórica, tendo levado vida de anacoreta. Sucessor de São Paulo Aureliano, faleceu em 578. No mesmo dia, em Roma, na via Latina, os santos Jovino e Basileu, que sofreram a morte sob os imperadores Valeriano e Galiano. Ver páginas 153 e 155:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

8. No Pôrto, os santos mártires Paulo, Heráclio, Secundila e Januária (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver pág. 155:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

9. Bem-Aventurado Carlos, o Bom. Ver “Carlos, cognominado o Bom, era filho de São Canuto, rei da Dinamarca…”: págs. 151-153:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

10. São Simplício, Papa. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano do Senhor de 488, os funerais do Bem-Aventurado Simplício, papa. Testemunha da queda do Império Romano no Ocidente, defendeu corajosamente a causa da Igreja e fez prevalecer a doutrina do Concílio de Calcedônia sobre Cristo verdadeiro Deus e verdadeiro homem. (M). Ver sua história nas páginas 140-150:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

Ver “Simplício (em latimSimplicius) nasceu em Tivoli. Eleito em 468, no oitavo ano de seu pontificado ocorreu a queda do Império Romano do Ocidente.[1] Fazia parte do clero romano e tinha larga escala no serviço social e pastoral da Igreja. Conviveu com São Leão Magno e era amante da arte.[2]… Simplício foi bispo de Roma por quinze anos, onze meses e seis dias, falecendo em 483; ele foi enterrado na Basílica de São Pedro em 2 de março.[1] Suas relíquias estão atualmente em Tivoli, cidade natal, Itália.”: Papa Simplício – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

11. Outros santos do dia 02 de março: páginas 140-155:  VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 02 de março, ver ainda: 2 de março – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 235-236:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 01 de março

SOBRE MARÇO: ver: Março – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1.   Em Roma, junto de São Paulo, na Via Os­ti­ense, São Félix III, papa, te­travô do papa São Gre­gório Magno. († 492). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, nobre romano que renunciou a seus bens para servir a Cristo e à Igreja. Tornando-se Papa, obteve a liberdade de religião para os católicos da África do Norte. Ver “Félix III (em latimFelix) foi papa (483492) nascido em Roma, eleito em 13 de março de 483, descendente da nobre família Anicia de senadores de Roma, também é chamado de Félix II na lista de papas que exclui o Antipapa Félix II.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_F%C3%A9lix_III

2.   Em An­gers, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, Santo Al­bino (também Folhinha do Coração de Jesus) bispo, que re­pre­endeu ve­e­men­te­mente os cos­tumes abu­sivos dos po­de­rosos e pro­moveu com ardor o Ter­ceiro Con­cílio de Or­leães para a re­no­vação da Igreja. († c. 550). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 550, Santo Albino. Inicialmente abade de Nantilly, perto de Saumur, tornou-se depois bispo de Angers, da qual se tornou padroeiro celeste. Irradiando caridade em um mundo bárbaro e cruel, foi um dos principais promotores do III Concílio de Orléans, que reformou a Igreja com grande firmeza. (M). Ver págs. 134-135:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver também “Nasceu em 469, em Vannes, França, de uma família nobre inglesa que se estabeleceu na Bretanha.

Foi monge aos 20 anos no mosteiro de Timcillac, perto de Angers, mais tarde chamada Saint-Aubin em sua honra. Indicado abade do mesmo em 504, foi bispo de Angers em 529.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Albino_de_Angers

3.   Em Saint David, an­tiga Me­névia, no País de Gales, São David, bispo, que, imi­tando os exem­plos e vir­tudes dos Pa­dres ori­en­tais, fundou um mos­teiro, de onde par­tiram muitos monges para evan­ge­lizar o País de Gales, a Ir­landa, a Cor­nu­alha e a Armórica. († c. 601) Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Davi, inicialmente monge, fundou a Sé Episcopal de Menévia, sobre um promontório do mar da Irlanda. Veio a ser o grande santo nacional do País de Gales. (X).Ver págs. 136-137:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver também “Davi (português brasileiro) ou David (português europeu) (500589; em galêsDewi Sant) é um santo cristãopadroeiro do País de Gales, festejado em 1 de março. Também é conhecido como Davi, o Bretão.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Davi_de_Men%C3%A9via

4.   Em Le Mans, na Nêus­tria, hoje na França, São Si­vi­ardo, abade de Anisole. No Martirológio Romano-Monástico, São Sivardo. Após haver recebido uma sólida educação humanista e cristã, seguiu seu pai que tomara o hábito no Mosteiro de Saint-Calais, no Maine, do qual veio a tornar-se o quinto abade (M). († c. 680)

5.   Em Kai­serswerdt, ilha do Reno, na Sa­xónia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, São Suit­berto, bispo, que, tendo sido monge na Nor­túm­bria, de­pois com­pa­nheiro de São Vi­li­brordo e fi­nal­mente or­de­nado bispo por São Vil­fredo, anun­ciou o Evan­gelho aos Bá­tavos, aos Fri­sões e a ou­tros povos da Ger­mânia e morreu pi­e­do­sa­mente, já em idade avan­çada, no mos­teiro que tinha fundado. († 713). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano de 713, São Suitberto. Discípulo de São Vilibrordo, levou a luz do Evangelho para a Westfália. (M). Ver também págs. 127-129:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver “Suitberto era um monge beneditino que dedicou praticamente toda sua força vital, física e espiritual à evangelização do centro-norte da Europa, território anglo-saxão ainda pagão. Inglês, nascido no ano 647, foi considerado um dos mais genuínos continuadores da obra de São Patrício, que evangelizara o território irlandês, um século antes.São Suiberto morreu no ano de 713, e a Igreja lhe honra a memória em 1° de Março.”: https://templariodemaria.com/santo-do-dia-01-de-marco-sao-suitberto-de-kaiserswerth/

6.   Na Gas­conha, num ter­ri­tório hoje si­tuado no su­do­este da França e no­ro­este da Es­panha, São Leão, bispo e mártir. († s. IX)

7*.   No mos­teiro de Avena, nas en­costas do monte Mer­cúrio, na Ca­lá­bria, re­gião da Itália, São Leão Lucas, abade de Monte Mula, que res­plan­deceu na vida ere­mí­tica e ce­no­bí­tica se­gundo a ob­ser­vância dos monges orientais. († c. 900)

8*.   Em Ce­la­nova, na Ga­liza, re­gião da Es­panha, São Ro­sendo, que foi pri­mei­ra­mente bispo de Dume, em Por­tugal, onde pro­curou pro­mover e res­taurar nesta re­gião a vida mo­nás­tica e, re­nun­ci­ando ao mi­nis­tério epis­copal, tomou o há­bito mo­nás­tico no mos­teiro de Ce­la­nova, que di­rigiu como abade. († 977). Ver “Rosendo de CelanovaRudesindusRosendo Guterres (São Miguel do CoutoSanto Tirso,[1] 26 de Novembro de 907 – Celanova1 de Março de 977), foi fundador e abade do Mosteiro de San Salvador de Celanovabispo de Dume e administrador da sé compostelana. Figura política e religiosa sobranceira na Galiza do século X.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Rosendo_de_Celanova

9*.   Em Tággia, na Li­gúria, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração do Beato Cris­tóvão de Milão, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, muito de­di­cado ao culto di­vino e à dou­trina sagrada. († 1484)

10*.   Em Bas­sano, no Vé­neto, re­gião da Itália, a Beata Joana Maria Bonomo, aba­dessa da Ordem de São Bento, que, do­tada de dons mís­ticos, ex­pe­ri­mentou no corpo e na alma as dores da Paixão do Senhor. († 1670)

11.   Em Xi­lin­xian, ci­dade da pro­víncia de Guangxi, na China, Santa Inês Cao Kuiying, mártir, que, tendo vi­vido ca­sada com um es­poso vi­o­lento, de­pois da morte deste se de­dicou, por man­dato do bispo, ao en­sino da dou­trina cristã; por isso foi en­cer­rada num cár­cere, onde so­freu cru­de­lís­simos tor­mentos, e, sempre ani­mada pela con­fi­ança em Deus, partiu deste mundo para as núp­cias eternas. († 1856)

12. Na África, o martírio de São Leão e seus onze companheiros, testemunhas da verdade do cristianismo até à morte violenta (conf. Martirológio Romano-Monástico – M).

13. No dia de aniversário de fundação da abadia de Fontenelle, por São Vandrilo, comemoração de todos Os Santos Monges e Abades daquele lugar, em número de quarenta, sobre os quais um cronista de Mont-Blandin escrevia já no séc. X: “Deste lado dos Alpes, poder-se-ia dificilmente encontrar outro lugar onde tantos santos tenham vivido” (conf. Martirológio Romano-Monástico – M).

14. Santa Eudócia (Eudóxia) – Mártir (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver sua história nas págs. 130-133:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver “… Acusada de bruxaria e fraude, sem julgamento Eudóxia foi decapitada em 1o. de março de 114. Santa Eudóxia se tornou digna de ingressar no Reino dos Céus, também pelo testemunho da fé em Cristo. O seu culto se manteve ao longo dos séculos e foi mantido pela Igreja, no dia de sua morte.”: http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/santa-eudoxia

15. Em Marselha, os santos Hermes e Adriano, (também na Folhinha do Coração de Jesus) mártires. Ver pág. 139:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

16. Outros santos do dia 01 de março: páginas 127-139:  VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 01 de março, ver ainda: 1 de março – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 233-235:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 28 de fevereiro

EM 2021 28 É O ÚLTIMO DIA DE FEVEREIRO. NÃO HÁ DIA 29 DE FEVEREIRO, INCLUÍDO ABAIXO (2021 NÃO É ANO BISSEXTO).

OBSERVAÇÕES SOBRE ANO BISSEXTO E 24 DE FEVEREIRO

  1. O QUE É ANO BISSEXTO E A IMPLANTAÇÃO DO ANO BISSEXTO. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ano_bissexto
  2. DIA 24 DE FEVEREIRO, DIA BISSEXTO. “No calendário romano era o 6º dia (VI) antes das calendas de março. Com a reforma do calendário juliano que introduziu a medida do ano de 365 dias e 1/4 do dia ou 6 horas, entrou em vigor o ciclo dos anos bissextos com 3 anos comuns de 365 dias seguidos de 1 ano com 366 dias. O dia acrescentado devia ser a repetição do dia 24 de fevereiro, o sexto dia antes das Calendas de Março. A repetição do dia expressava-se como bissexto dia antes das Calendas de Março. O termo bissexto passou a designar abreviadamente o próprio dia repetido, o dia bissexto, o mês em que tal acontece é mês bissexto e o ano é ano bissexto. A partir do século XVI com a impressão dos calendários o dia bissexto começou a ser acrescentado no fim do mês, como ainda hoje se usa.. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/24_de_fevereiro

PANEGÍRICO DE TODOS OS MÁRTIRES (PELO DIÁCONO CONSTANTINO): “…panegírico (elogio solene) de todos os mártires, composto desde os primeiros séculos da era cristã por Constantino, diácono e arquivista da igreja de Constantinopla, e do qual importante fragmento foi lido, em 787, no segundo concílio de Nicéia. Nesse eloqüente panegírico, encontrado inteiro pelo cardeal Mai, mostra-nos o autor a grande luta entre o céu e o inferno, começando no paraíso terrestre pela queda do primeiro homem, piorando depois de século em século, até a vinda do Redentor, que mudou a sorte do combate”. Ver págs. 93-123:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

1.   Co­me­mo­ração dos SANTOS PRESBÍTEROS, DIÁ­CONOS E MUITOS OUTROS, que, em ALE­XAN­DRIA, no tempo do im­pe­rador Ga­lieno, quando gras­sava um surto for­tís­simo de peste, vo­lun­ta­ri­a­mente foram ao en­contro da morte ao as­sis­tirem os que eram atin­gidos pela epi­demia; por isso a pi­e­dade dos fiéis se ha­bi­tuou a ve­nerá-los como mártires. († 262). Ver páginas 74-75: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

2.   No monte Jura, na Gália Li­o­nense, hoje na França, o se­pul­ta­mento de São Romão (Romano), abade, que, se­guindo os exem­plos dos monges an­tigos, foi o pri­meiro a se­guir vida ere­mí­tica neste ermo e se tornou de­pois o pai de muitos monges. († 463). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, os Santos Romano ou Romão (também na Folhinha do Coração de Jesus) e São Lupicínio. Depois de um período em um mosteiro lionês, onde recolheu as tradições transmitidas pelo Oriente à Provença, Romano se fixou no Jura com seu irmão Lupicínio. “Originada por seus dois fundadores”, conta seu biógrafo, “a comunidade de Condat se desenvolveu na unidade da fé e da caridade, e como uma colmeia espalhou-se, sob o sopro de Espírito Santo, pelas regiões vizinhas”. Muitas localidades guardaram, depois disto, seus nomes. (M). Ver páginas 76-77: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

3.   A co­me­mo­ração das santas Ma­rana e Cira, vir­gens, que em Be­reia, na Síria, vi­veram num lugar es­treito e fe­chado a céu aberto, sem se­quer um mo­desto manto, ob­ser­vando o si­lêncio e re­ce­bendo por uma ja­ne­linha o ali­mento necessário. († s. V).

 NOS ANOS BIS­SEXTOS OMITEM-SE OS SEGUINTES:

4.   Em Roma, junto à Via Ti­bur­tina, o se­pul­ta­mento de Santo Hi­lário, papa, que es­creveu cartas sobre a fé ca­tó­lica, pelas quais con­firmou os con­cí­lios de Ni­ceia, de Éfeso e de Cal­ce­dónia, enal­te­cendo o pri­mado da Sé Ro­mana. († 468). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Hil%C3%A1rio

– Ver “Hilário (em latimHilarus ou Hilarius) (Sardenha415 — 28 de fevereiro de 468) foi papa eleito em 19 de novembro de 461.”: Papa Hilário – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

5.   Em Wor­cester, na In­gla­terra, Santo Os­valdo, bispo, que foi có­nego e de­pois monge; fi­nal­mente, go­vernou a Igreja de Wor­cester e mais tarde a de York, ins­ti­tuiu em muitos mos­teiros a Regra de São Bento e foi um mestre afável, ge­ne­roso, alegre e de grande sabedoria. († 992). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Inglaterra, no final do séc. X, Santo Oswaldo, que serviu a Cristo como cônego em Winchester, e depois como monge em Fleury-sur-Loire. Mais tarde foi eleito bispo de Worcester, e finalmente serviu como arcebispo de York. (X). Ver páginas 82-84: VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

6*.   Em L’Áquila, nos Abruzos, re­gião da Itália, a Beata An­tónia de Florença, viúva, que foi fun­da­dora e pri­meira aba­dessa do mos­teiro do Corpo de Cristo com a ob­ser­vância da pri­meira Regra de Santa Clara. († 1472)

7.   Em Xi­lin­xian, ci­dade da pro­víncia de Guangxi, na China, Santo Au­gusto (Agostinho) Chapdelaine, pres­bí­tero da So­ci­e­dade das Mis­sões Es­tran­geiras de Paris e mártir, que, preso pelos sol­dados com muitos neó­fitos por ser o pri­meiro a se­mear a fé cristã nesta re­gião, foi fla­ge­lado com tre­zentos açoites e me­tido numa pe­quena gaiola e fi­nal­mente morreu decapitado. († 1856). Ver páginas 78-80: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

EM QUALQUER ANO:

8.   Em Unzen, no Japão, os be­atos Paulo Uchi­bori Sakuemon, Gaspar Ki­za­emon e sua esposa Maria Mine, Gaspar Nagai Sohan e com­pa­nheiros[1] már­tires. São estes os seus nomes: Luís Shin­za­buro, Dinis Sa­e­kieki Zenka e seu filho Luís Saeki Kizo, Da­mião Ichiyata, Leão Na­ka­jima Sokan e seu filho Paulo Na­ka­jima, João Ki­saki Kyuhachi, João Hei­saku, Tomé Uzumi Shin­goro, Aleixo Sugi Shohachi, Tomé Kondo Hyo­emon, João Araki Kanshichi. († 1627)

9*.   Em Paris, na França, o Beato Da­niel Brottier, pres­bí­tero da Con­gre­gação do Es­pí­rito Santo, que se de­dicou ple­na­mente a tra­ba­lhar em favor dos órfãos. († 1936)

10*.   No campo de con­cen­tração de Aus­chwitz, perto de Cra­cóvia, na Po­lónia, o Beato Ti­móteo Trojanowski, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais e mártir, que, du­rante a ocu­pação mi­litar da sua pá­tria por um re­gime hostil à dig­ni­dade hu­mana e à re­li­gião, es­va­ne­cido pelos su­plí­cios que teve de su­portar, con­sumou o mar­tírio por causa da sua fé cristã. († 1942)

11.   Em Milão, na Itália, o Beato Carlos Gnócchi, pres­bí­tero, que, para ajudar as cri­anças mu­ti­ladas ou de­fi­ci­entes fí­sicos e psí­quicos por causa da guerra, fundou a sua obra má­xima, a “Fun­dação Pro Iu­ven­tute”, hoje cha­mada Obra Don Gnocchi. († 1956)

12. São Justo (também na Folhinha do Coração de Jesus).

13. São Serapião (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Serapi%C3%A3o_de_Tmuis

– Ver “Serapião de Tmuis foi um monge egípcio de grande erudição e muito inteligente. Por certo período ele dirigiu a famosa Escola Catequética de Alexandria, mas renunciou de modo a ter mais tempo para as orações e reflexões. Lutou contra o macedonianismo e o arianismo. É considerado um santo e faleceu em 370.”: Serapião de Tmuis – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

14. No Egito, no ano do Senhor de 457, São Protério, bispo de Alexandria, morto pelos hereges eutiquianos por causa de sua fidelidade a Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (no Martirológio Romano-Monástico – M). 

– Em Alexandria, neste mesmo dia 28 de fevereiro, São Pedro Protero, bispo e mártir, patriarca de Alexandria, eleito em razão da pureza de sua doutrina. Massacrado por uma multidão hostil, os assassinos arrancaram-no da igreja de São Quirino, onde então oficiava, arrastaram-no pelas ruas, queimaram-lhe o corpo, ao vento dispersando-lhe as cinzas (457 ) .

Ver pág. 80: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

15. Outros santos do dia 28 de fevereiro, páginas 74-81:  VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 28 de fevereiro, ver ainda: 28 de fevereiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 229-230:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

SANTAS E SANTOS DE 29 DE FEVEREIRO

NOS ANOS BISSEXTOS

1.   Em Roma, junto à Via Ti­bur­tina, o se­pul­ta­mento de Santo Hi­lário, papa, que es­creveu cartas sobre a fé ca­tó­lica, pelas quais con­firmou os con­cí­lios de Ni­ceia, de Éfeso e de Cal­ce­dónia, enal­te­cendo o pri­mado da Sé Romana. († 468)

– – Ver “Hilário (em latimHilarus ou Hilarius) (Sardenha415 — 28 de fevereiro de 468) foi papa eleito em 19 de novembro de 461.”: Papa Hilário – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

2.   Em Wor­cester, na In­gla­terra, Santo Os­valdo, bispo, que foi có­nego e de­pois monge; fi­nal­mente, go­vernou a Igreja de Wor­cester e mais tarde a de York, ins­ti­tuiu em muitos mos­teiros a Regra de São Bento e foi um mestre afável, ge­ne­roso, alegre e de grande sabedoria. († 992). Ver páginas 82-84: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

3*.   Em L’Áquila, nos Abruzos, re­gião da Itália, a Beata An­tónia de Florença, viúva, que foi fun­da­dora e pri­meira aba­dessa do mos­teiro do Corpo de Cristo com a ob­ser­vância da pri­meira Regra de Santa Clara. († 1472)

4.   Em Xi­lin­xian, ci­dade da pro­víncia de Guangxi, na China, Santo Au­gusto (Agostinho) Chapdelaine, pres­bí­tero da So­ci­e­dade das Mis­sões Es­tran­geiras de Paris e mártir, que, preso pelos sol­dados com muitos neó­fitos por ser o pri­meiro a se­mear a fé cristã nesta re­gião, foi fla­ge­lado com tre­zentos açoites e me­tido numa pe­quena gaiola e fi­nal­mente morreu decapitado. († 1856). Ver páginas 78-80: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

5. São João Cassiano. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Cassiano

6. SÃO EUCENDO OU OIENDO – Abade de Condat, depois São Cláudio. Ver págs. 85-86: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

7. Santo Odilon, abade de Clugni. Ver págs. 87-92: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver “Odilo de ClunyO.S.B., (em latimOdilo Cluniacensis) foi o quinto[1] abade da Abadia beneditina de Cluny e permaneceu no posto por 54 anos.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Odilo_de_Cluny

– Ver em 11 de maio: Em Sou­vigny, na Bor­gonha, hoje também na França, o pas­sa­mento de São Maiolo, abade de Cluny, que, firme na fé, forte na es­pe­rança, rico na ca­ri­dade, re­formou muitos mos­teiros na Gália e na Itália. († 994). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória dos Santos Abades de Cluny Odo, Majolo, Odilon (também na Folhinha do Coração de Jesus), Hugo e Pedro, o Venerável. A elevada autoridade moral de Cluny, que do séc. X ao XII estes abades colocaram a serviço da Igreja e da paz civil, explica-se pela irradiação de suas personalidades, pela estabilidade de seus mandatos, isenta de toda ingerência secular e por sua fidelidade ao “nada preferir à Obra de Deus”. Por decisão da Santa Sé, a Congregação de Solesmes foi oficialmente constituída herdeira de Cluny (B). No VIDA DOS SANTOS, São Mayeul, abade de Cluny. Ver páginas 258-268: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também Santo Odilon, abade de Clugni. Ver no VIDAS DOS SANTOS de 29 de fevereiro, págs. 87-92: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver “Odilo de ClunyO.S.B., (em latimOdilo Cluniacensis) foi o quinto[1] abade da Abadia beneditina de Cluny e permaneceu no posto por 54 anos.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Odilo_de_Cluny

8. Outros santos do dia 29 de fevereiro: págs. 82-124: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-v%203.pdf

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

–  Sobre o dia 29 de fevereiro, ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/29_de_fevereiro

– Sobre o dia 28 de fevereiro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/28_de_fevereiro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – página 231

– Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Santas e Santos de 27 de fevereiro

1.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, a co­me­mo­ração dos santos Ju­lião e Euno, már­tires, na per­se­guição do im­pe­rador Décio. Ju­lião, por ser tão en­fermo de gota que não podia andar nem estar de pé, foi apre­sen­tado ao juiz, jun­ta­mente com dois servos que o le­varam numa ca­deira. Um deles, com medo, re­negou a fé; o outro, cha­mado Euno, per­se­verou com o seu se­nhor na con­fissão de Cristo. Con­du­zidos ambos por toda a ci­dade mon­tados em ca­melos, à vista de todo o povo foram fla­ge­lados até à morte. († s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 250, a paixão dos Santos Juliano, Euno e Besas (também na Folhinha do Coração de Jesus). São Dionísio de Alexandria, seu bispo e contemporâneo, relata que Juliano, doente demais para comparecer ao tribunal do prefeito, foi ali conduzido por seus dois escravos, que eram igualmente cristãos. Um deles apostatou, mas o outro, Euno, partilhou o destino de seu amo, que foi espancado e jogado na fogueira. Besas, um dos guardas, foi condenado junto com eles por ter querido protegê-los contra os insultos da multidão. (M)

2.   Também em Ale­xan­dria, no Egipto, São Besas (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, que, sendo sol­dado, por ter in­ten­tado conter os que in­sul­tavam os santos már­tires an­te­ri­or­mente men­ci­o­nados, foi de­nun­ciado ao juiz e, per­se­ve­rando firme na fé, foi decapitado. († s. III)

3*.   No ter­ri­tório de Rouen, na Gália, hoje na França, Santa Ho­no­rina, virgem e mártir. († data inc.). Ver “Santa Honorina ( francês : Sainte Honorine ) é venerada como uma santa pela Igreja Católica . Ela é a mais velha e mais venerada mártir virgem da região da Normandia , na França, mas pouco se sabe sobre ela. Segundo uma tradição que existe na diocese de Rouen , Honorina, membro dos Calates , foi martirizada durante as perseguições de Diocleciano . [1] Diz-se que o local de seu martírio foi Mélamare entre Lillebonne e Harfleur . Seu corpo foi jogado no Senae teria levado para Graville-Sainte-Honorine , onde foi coletado por cristãos e enterrado em uma tumba . [1]

Outra tradição afirma que ela foi martirizada em Coulonces . [1] Outras tradições colocam o martírio de Honorina no Pays d’Auge , onde várias aldeias levam seu nome. [1]”: https://en.wikipedia.org/wiki/Honorina

4.   Em Lião, também na Gália, hoje na França, São Bal­do­miro (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Valdomiro), sub­diá­cono, homem con­sa­grado a Deus. († c. 660). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, em Lião, na França, São Galmério, monge, cuja imensa caridade o levava a se desfazer de seus instrumentos de serralheiro para aliviar as necessidades dos mais pobres que ele (M). confessor, cujo túmulo foi ilustrado por muitos milagres. Também conhecido como Baldomero, Valdimer ou Gaumier, o Santo nasceu na França, no Forez, passando, quando ainda muito jovem, para Lião. Homem deveras simples, exerceu o ofício de serralheiro, ao qual juntava a oração e a prática de boas obras. Caridoso, parte do que ganhava com o trabalho sustentava muitos pobres. Retirando-se para o mosteiro de São Justo, ali faleceu no dia 27 de janeiro de 650, como sub-diácono. Conf. pág. 71:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

5.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, os santos Ba­sílio e Pro­cópio Decapolita, monges, que, no tempo de Leão o Isáu­rico, de­fen­deram vi­go­ro­sa­mente o culto das sa­gradas imagens. († 741)

6.   No mos­teiro de Narek, na Ar­ménia, São Gre­gório (também na Folhinha do Coração de Jesus), monge e doutor da Igreja, evan­ge­li­zador dos Ar­menos, ilustre pela dou­trina, es­critos e ci­ência mística. († c. 1005)

7*.   Em Mes­sina, na Si­cília, re­gião da Itália, São Lucas, abade do mos­teiro do San­tís­simo Sal­vador, sob a regra dos monges orientais. († 1149)

8.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, Santa Ana Line, viúva e mártir, que, de­pois de ter mor­rido o es­poso no exílio por causa da fé ca­tó­lica, con­se­guiu ar­ranjar uma casa para os sa­cer­dotes, e por isso, no rei­nado de Isabel I, foi en­for­cada no pa­tí­bulo de Ty­burn. Com ela pa­de­ceram o su­plício também os be­atos pres­bí­teros e már­tires Marcos Barkworth, da Ordem de São Bento, e Ro­gério Filcock, da Com­pa­nhia de Jesus, di­la­ce­rados à es­pada quando ainda es­tavam vivos. († 1601)

9*.   Também em Lon­dres, o Beato Gui­lherme Richardson, pres­bí­tero e mártir, que, or­de­nado em Se­vilha, na Es­panha, por causa do seu sa­cer­dócio foi en­for­cado no pa­tí­bulo de Ty­burn, sendo o úl­timo mártir do rei­nado de Isabel I. († 1603)

10*.   Em Sen­celles, lo­ca­li­dade da ilha de Mai­orca, na Es­panha, a Beata Fran­cisca Ana de Nossa Se­nhora das Dores (Fran­cisca Maria Cirer Car­bo­nell), virgem, que, não sa­bendo ler nem es­crever, mas ani­mada pelo zelo di­vino, fundou a Co­mu­ni­dade das Irmãs da Caridade. († 1855)

11*.   Em Ísola del Gran Sasso, nos Abruzos, re­gião da Itália, São Ga­briel de Nossa Se­nhora das Dores (Fran­cisco Pos­sénti), acó­lito, que, aban­do­nando a van­glória do mundo, en­trou ainda ado­les­cente na Con­gre­gação da Paixão, onde ter­minou o breve curso da sua vida. († 1862). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Ísola, Itália central, em 1867, São Gabriel da Virgem Dolorosa. Tendo entrado na congregação dos Passionistas depois de uma juventude mundana, faleceu aos 24 anos vitimado pela tuberculose, participando no corpo e na alma dos sofrimentos de Nossa Senhora das Dores. (M). Ver páginas 68-71: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver “São Gabriel das Dores[1] (também conhecido como São Gabriel da Virgem Dolorosa ou São Gabriel de Nossa Senhora das Dores), (nascido Francesco Possenti 1 de março de 1838, – 27 de fevereiro de 1862) viveu no século XIX, na cidade de Isola del Gran Sasso, na região de AbruzzoItália. Ele era conhecido por sua grande devoção às dores da virgem mãe de Cristo.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Gabriel_Possenti

12.   Em Bar­ce­lona, na Es­panha, o Beato José Tous y Soler, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, fun­dador da Con­gre­gação das Irmãs Ca­pu­chi­nhas do Di­vino Pastor. († 1871)

13*.   Em Mar­selha, na França, a Beata Maria de Jesus De­luil Martiny, virgem, que fundou a Con­gre­gação das Fi­lhas do Co­ração de Jesus e, fe­rida mor­tal­mente por um homem vi­o­lento, con­cluiu com o der­ra­ma­mento do seu sangue uma vida in­ti­ma­mente unida à Paixão de Cristo. († 1884)

14*.   Em Pasto, na Colômbia, a Beata Maria da Ca­ri­dade do Es­pí­rito Santo (Maria Jo­sefa Ca­ro­lina Brader), virgem, que soube con­ci­liar ex­ce­len­te­mente a vida con­tem­pla­tiva com a ac­ti­vi­dade mis­si­o­nária e fundou a Con­gre­gação das Irmãs Fran­cis­canas de Maria Ima­cu­lada, para pro­mover a for­mação cristã do povo. († 1943)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 596, São Leandro (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Sevillha. Encarregado da formação do filho do rei dos visigodos arianos, trouxe de volta toda a Igreja da Espanha para a verdade e unidade católicas. (M). Ver também págs. 39-49:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver também “São Leandro de Sevilha (Cartagenaca534 – Sevilha13 de Março de 600 ou 601). Clérigo católico, santo, nasceu numa família hispano-romana influente, foi arcebispo de Sevilha.

Teve três irmãos mais novos: (Fulgêncio de RuspeIsidoro e Florentina) todos os quais foram também canonizados.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Leandro_de_Sevilha

16. Na Diocese de Metz, perto de 975, o Bem-Aventurado João de Vandières, abade, principal estimulador de um movimento de reforma monástica que começou em Gorze e se espalhou pelas regiões da Lorena e do Reno (conf. Martirológio Romano-Monástico – M). Ver págs. 50-65:  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

17. São Gelásio – Ver “Gelásio, idólatra, natural da Fenícia, era um dos principais atores duma companhia de comediantes de Hierápolis. É deveras interessante a história dêste Santo. Um dia, preparavam-se os atores para entrar em cena. Iam apresentar a comédia do batizado, e Gelásio faria o principal papel. E o que era bufonaria, para o idólatra comediante se transformou em salvação. Quando, no clímax da comédia, agarraram Gelásio e atiraram. com êle, de pernas para o ar, para dentro duma grande cuba cheia de água, deu-se o prodígio. Os espectadores, divertidos, riam a valer, mas Gelásio, deixando a cuba, dela saía muito sério. E, todo contrito, disse bem alto: Sou cristão! Quando estava dentro d’água vi uma cena que me apavorou. Sou cristão e quero morrer como os demais cristãos! Fui batizado por via divina! Todos riam desbragadamente. Como represefltava bem, aquele jovem! Aquilo, porém, que Gelásio dissera, não constava do papel e, pois, num instante, pelo comportamento dos outros artistas que estavam em cena, a platéia se capacitou da verdade: o moço comediante falava seriamente: era cristão de verdade. Surpresos e furiosos, deixando os lugares, lançaram-se sobre ele e o mataram. Estava-se, então, em 297 e Diocleciano, terrivelmente, imperava.”, págs. 66-67:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

18. Outros santos do dia 27 de fevereiro, páginas 39-73:  VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 27 de fevereiro, ver ainda: 27 de fevereiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 226-228:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 26 de fevereiro

1.   Co­me­mo­ração de Santo Ale­xandre, bispo, um glo­rioso an­cião in­fla­mado de zelo pela fé, que, de­sig­nado bispo de Ale­xan­dria de­pois de São Pedro, ex­cluiu da co­mu­nhão da Igreja o seu pres­bí­tero Ario, per­ver­tido pela ímpia he­resia e afas­tado da ver­dade di­vina e, mais tarde, com mais tre­zentos e de­zoito Pa­dres, o con­denou no Pri­meiro Con­cílio de Niceia. († 326). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Egito, perto de 326, Santo Alexandre, bispo de Alexandria Depois de ter tentado inutilmente trazer de volta ao caminho da verdade a Ário, sacerdote de seu clero, convocou um sínodo que condenou a heresia ariana, definindo a consubstancialidade do Verbo com o Pai. Apoiado por seu diácono, o futuro Santo Atanásio, fez triunfar esta doutrina no I Concílio de Nicéia em 325, que promulgou o célebre símbolo da fé. (M). Conta a história de Ário e o Arianismo e como Santo Alexandre o enfrentou. Ver págs. 09-26:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver também “Alexandre de Alexandria foi o décimo-nono Patriarca de Alexandria, de 313 até sua morte, sucessor de Áquila de Alexandria. Durante seu patriarcado, ele lidou com um grande número de assuntos relevantes para a Igreja na época. Entre eles, a data da Páscoa, as ações de Melécio de Licópolis. Ele foi o líder da oposição ao arianismo, nomeadamente no Primeiro Concílio de Niceia. Ele também é lembrado por ter sido o mentor daquele que seria seu sucessor, Atanásio de Alexandria, um dos maiores padres da Igreja[1].”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Alexandre_I_de_Alexandria

– Ver ainda “PRIMEIRO CONCÍLIO DE NICEIA … CONTROVÉRSIA ARIANA: A controvérsia ariana surgiu em Alexandria quando o recém-reinstaurado presbítero Ário começou a difundir visões doutrinárias contrárias às de seu bispo, Alexandre de Alexandria.[42] As questões disputadas centraram-se na natureza e no relacionamento de Deus (o Pai) e do Filho de Deus (Jesus). Os desacordos surgiram de ideias diferentes sobre a divindade e o que significava para Jesus ser o Filho de Deus. Alexandre sustentava que o Filho era divino, exatamente no mesmo sentido que o Pai é, co-eterno com o Pai, do contrário ele não poderia ser um Filho verdadeiro.[15][43]

Ário enfatizou a supremacia e singularidade de Deus Pai, significando que o Pai é todo-poderoso e infinito, e que, portanto, a divindade do Pai deve ser maior que a do Filho. Ário ensinou que o Filho teve um começo, e que ele não possuía nem a eternidade nem a verdadeira divindade do Pai, mas foi feito “Deus” somente pela permissão e poder do Pai, e que o Filho era o primeiro e a mais perfeita das criaturas de Deus.[15][43]

Grande parte do debate dependia da diferença entre ser “nascido” ou “criado” e ser “gerado”. Os arianos viram isso, essencialmente, como o mesmo, ao contrário dos seguidores de Alexandre. O significado exato de muitas das palavras usadas nos debates em Niceia ainda não estavam claras o suficiente para os falantes de outras línguas. Palavras gregas como “essência” (ousia), “substância” (hypostasis), “natureza” (physis), “pessoa” (prosopon), traziam uma variedade de significados extraídos de filósofos pré-cristão e que implicaram em mal-entendidos até que foram finalmente esclarecidos. A palavra homoousia, em particular, foi inicialmente desprezada por muitos bispos por causa de suas associações com os hereges gnósticos (que a usavam em sua teologia), e porque suas heresias haviam sido condenadas no Sínodo de Antioquia em 264-268…

RESULTADO DO DEBATE:

O concílio declarou que o Filho era verdadeiro Deus, co-eterno com o Pai e gerado de sua mesma substância, argumentando que tal doutrina codificava melhor a apresentação bíblica do Filho, assim como a crença cristã tradicional sobre ele transmitida pelos apóstolos. Essa crença foi expressa pelos bispos no Credo de Niceia, que formou a base do que é conhecido atualmente como Credo Niceno-Constantinopolitano.[50]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Primeiro_Conc%C3%ADlio_de_Niceia

– Ver ARIANISMO “arianismo foi uma visão cristológica antitrinitaria sustentada pelos seguidores de Ário, presbítero cristão de Alexandria nos primeiros tempos da Igreja primitiva, que negava a existência da consubstancialidade entre Jesus e Deus Pai, que os igualasse, concebendo Cristo como um ser pré-existente e criado, embora a primeira e mais excelsa de todas as criaturas, que encarnara em Jesus de Nazaré. Jesus então, seria subordinado a Deus Pai, sendo Ele (Jesus) não o próprio Deus em si e por si mesmo. Segundo Ário, só existe um Deus e Jesus é seu filho e não o próprio Deus. Ao mesmo tempo afirmava que Deus seria um grande eterno mistério, oculto em si mesmo, e que nenhuma criatura conseguiria revelá-lo, visto que Ele não pode revelar a si mesmo. Com esta linha de pensamento, o historiador H. M. Gwatkin afirmou, na obra “The Arian Controversy”: “O Deus de Ário é um Deus desconhecido, cujo ser se acha oculto em eterno mistério“.[1]

Foi condenada como heresia no Primeiro Concílio de Niceia em 325 devido ao Antitrinitarismo da doutrina.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Arianismo

2.   Em Bo­lonha, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, São Faus­ti­niano, bispo, que, pela pa­lavra da pre­gação, for­ta­leceu e fez crescer esta Igreja ator­men­tada pela perseguição. († s. IV)

3.   Em Gaza, na Pa­les­tina, São Por­fírio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, na­tural de Tes­sa­ló­nica, que viveu como ana­co­reta cinco anos no de­serto de Cete e ou­tros cinco na Trans­jor­dânia, com grandes ma­ni­fes­ta­ções de bon­dade para com os po­bres. De­pois, or­de­nado bispo de Gaza, abateu muitos tem­plos de­di­cados aos ídolos, cujos se­quazes o ti­nham feito so­frer duras ad­ver­si­dades, até que fi­nal­mente des­cansou na paz dos Santos. († 421). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano de 420, a volta para Deus de São Porfírio, monge no deserto de Cétia durante cinco anos, e depois na Palestina, em uma gruta às margens do Jordão. Foi eleito bispo para o serviço da Igreja de Gaza, onde plicou-se a confirmar os crentes em sua fé e a libertá-los das práticas pagãs e do erro ariano. (M). Ver também págs. 31-37:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver também “Porfírio de Gazabispo de Gaza (Tessalónica, c. 347420) foi um clérigo e bispo cristão que foi santificado pela Igreja Católica e que exerceu grande influência na política e na religião de seu tempo.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Porf%C3%ADrio_de_Gaza

4*.   Em Ne­vers, ci­dade da Nêus­tria, ac­tu­al­mente na França, Santo Agrí­cola, bispo. († c. 594). Ver “Agrícola de Nevers, Arigle o Arille fue un obispo y noble francés del siglo VI, venerado como santo por la Iglesia Católica y conmemorado el 26 de febrero.”: Agrícola de Nevers – Wikipedia, la enciclopedia libre

5.   Em Arcis-sur-Aube, na re­gião de Cham­pagne, hoje também na França, São Vítor, ere­mita, que é lou­vado nos es­critos de São Bernardo. († s. VII). Ver página 37: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Isabel_de_Fran%C3%A7a_(1225%E2%80%931269)

6.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, Santo André, bispo. († s. IX)

7*.   Em Lon­dres, ci­dade da In­gla­terra, o Beato Ro­berto Drury, pres­bí­tero e mártir, que, acu­sado fal­sa­mente de cons­pi­ração contra o rei Jaime I, na praça de Ty­burn, re­ves­tido com o há­bito ecle­siás­tico para mos­trar a sua dig­ni­dade sa­cer­dotal, so­freu por Cristo o su­plício do patíbulo. († 1607)

8*.   Em Olesa de Mont­serrat, po­vo­ação da pro­víncia de Bar­ce­lona, na Es­panha, Santa Paula de São José Ca­la­sanz (Paula Montal Fornés), virgem, que fundou o Ins­ti­tuto das Fi­lhas de Maria das Es­colas Pias. († 1889). Ver “Santa Paula Montalt de São José de Calasanz (n. Paula Montal Fornés, Arenys de MarBarcelona11 de outubro de 1799 – Olesa de MontserratBarcelona26 de fevereiro de 1889) era uma freira cristã e santa cristã.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Madre_Paula_Montalt

9*.   Em Al­can­ta­rilla, perto de Múrcia, na Es­panha, a Beata Pi­e­dade da Cruz (To­ma­sina Ortiz Real), virgem, que por amor de Deus se con­sa­grou di­li­gen­te­mente à for­mação e ca­te­quese dos po­bres e fundou a Con­gre­gação das Irmãs Sa­le­si­anas do Sa­grado Co­ração de Jesus. († 1916)

10. Em Perga, na Pan­fília, na ac­tual Tur­quia, a paixão de São Nestor (no Martirológio Romano, dia 25 de fevereiro), bispo de Ma­gido e mártir, que, pre so du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Décio, foi con­de­nado pelo go­ver­nador da pro­víncia a morrer na cruz, para que so­fresse o mesmo su­plício do Cru­ci­fi­cado, cuja fé professava. († c. 250). Conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 26 de fevereiro), em Megidos, na Ásia Menor, o Bem-Aventurado Nestor (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo. Convidado a dar sua concordância às ordens fanáticas do imperador Décio, respondeu que se submeteria apenas às ordens de Cristo, “Rei dos céus e Filho do Deus vivo”. A partir desta resposta, foi condenado a sofrer o mesmo martírio de seu divino Mestre. (M). Ver também págs. 27-30:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

11. Em Perga, os Santos Pápias, Deodoro (também na Folhinha do Coração de Jesus), Cônon e Claudiano, martirizados antes de São Nestor. Ver pág. 38: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

12. Outros santos do dia 26 de fevereiro, páginas 09-38:  VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 26 de fevereiro, ver ainda: 26 de fevereiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 224-226:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 25 de fevereiro

1.   Em Perga, na Pan­fília, na ac­tual Tur­quia, a paixão de São Nestor, bispo de Ma­gido e mártir, que, preso du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Décio, foi con­de­nado pelo go­ver­nador da pro­víncia a morrer na cruz, para que so­fresse o mesmo su­plício do Cru­ci­fi­cado, cuja fé professava. († c. 250). Conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 26 de fevereiro), em Megidos, na Ásia Menor, o Bem-Aventurado Nestor (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo. Convidado a dar sua concordância às ordens fanáticas do imperador Décio, respondeu que se submeteria apenas às ordens de Cristo, “Rei dos céus e Filho do Deus vivo”. A partir desta resposta, foi condenado a sofrer o mesmo martírio de seu divino Mestre. (M), Ver também págs. 27-30:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

2.   Em Na­zi­anzo, na Ca­pa­dócia, hoje Ne­nízi, na Tur­quia, São Ce­sário, mé­dico, irmão de São Gre­gório de Nazianzo. († 369). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 369, São Cesáreo (também na Folhinha do Coração de Jesus, Cesário de Nazianzo), irmão de São Gregório de Nazianzo. Médico na corte imperial de Juliano Apóstata, escapou da morte por ocasião de um terremoto. Renunciou então à sua situação, passando a dedicar sua vida a Cristo. (M)

3*.   Em Mau­beuge, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, Santa Adel­trudes (Aldretrude), virgem e abadessa. († 526)

4.   No mos­teiro de Hein­de­nheim, na Fran­cónia, hoje na Ale­manha, Santa Val­burga, aba­dessa, que, a pe­dido de São Bo­ni­fácio e dos seus ir­mãos São Vi­le­baldo e São Vi­ne­baldo, veio da In­gla­terra para a Ale­manha, onde di­rigiu ex­ce­len­te­mente dois mos­teiros, um de monges e outro de monjas. († 779). Conforme o Romano-Monástico, em Heidenheim, no séc. VIII, Santa Valburga, abadessa. Filha de São Ricardo, rei da Inglaterra, foi enviada para a Germânia a pedido de São Bonifácio, para dirigir um mosteiro fundado por seus próprios irmãos. É padroeira de várias grandes cidades da Bélgica, notadamente Bruges e Ypres. (M). Ver páginas 406-407: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

–  Ver “Santa Valburga ou Valpurga (inglês antigoWealdburg; c. 710 – 25 de fevereiro de 777/79) foi uma missionária anglo-saxã que atuou no Reino Franco. Foi canonizada cerca de 870 pelo Papa Adriano”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Valburga

– Ver 01 de maio: NOITE DE SANTA VALBURGA: DE 30 DE ABRIL PARA 01 DE MAIO. Ver “Noite de Santa Valburga (do alemãoWalpurgisnacht[1]) é uma festa tradicional cristã cujas origens remontam em parte ao paganismo, celebrada na noite de 30 de Abril para 1 de Maio. Hoje em dia é celebrada igualmente quer por comunidades cristãs quer por não cristãs, em diversos países do Norte e Centro da Europa.[2]

Na maioria dos países esta festividade é celebrada em honra de Santa Valburga, abadessa anglo-saxã de Heidenheim na Baviera, nascida no Devonshire, Inglaterra, no Século VIII. No entanto, devido ao facto de esta noite estar associada, desde tempos imemoriais, com diversos ritos pagãos associados à celebração da chegada da Primavera, as duas celebrações ter-se-ão com o tempo confundido, dando assim origem à moderna festividade que nos dias de hoje se celebra nesta noite.

Durante os festejos é costume fazerem-se grandes fogueiras de modo a afugentar espíritos malignos e almas penadas, os quais segundo a crença popular, vagueiam nesta altura por entre os vivos.

Em muitos países, esta noite está igualmente associada com grandes celebrações estudantis, que marcam o final de ano lectivo.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Noite_de_Santa_Valburga

5*.   Em Agri­gento, na Si­cília, re­gião da Itália, São Ger­lando, bispo, que re­or­ga­nizou a sua Igreja, li­berta do poder dos Sarracenos. († 1100)

6*.   No pri­o­rado de Orsan, no ter­ri­tório de Bourges, re­gião da Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, o pas­sa­mento do Beato Ro­berto de Abrissel, pres­bí­tero, que, pre­gando a con­versão de cos­tumes por vá­rias terras, con­gregou dois mos­teiros em Fon­te­vrault, um para ho­mens e outro para mu­lheres, sob a di­recção de uma abadessa. († 1116). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1116, o Bem-Aventurado Roberto de Arbrissel. Percorrendo a Bretanha, o Maine e o Anjou, este sacerdote austero e culto atraiu uma multidão de discípulos, que reuniu inicialmente na floresta de Craon, e depois em Fontevrault. Ao morrer, estabelecera uma ordem monástica que contava com cerca de cinqüenta casas, reunidas sob a proteção de Nossa Senhora do Calvário, nome retomado no séc. XVII por uma congregação beneditina. (M). Ver “Roberto d’Arbrissel (ArbrisselBretanha1047 — Orsan25 de fevereiro de 1117) foi um anacoreta e pregador.[1]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Roberto_d%27Arbrissel

– Ver também (VIDAS DOS SANTOS DO DIA 24 DE FEVEREIRO): Bem-aventurado Roberto de Arbrissel – confessor. Ver páginas 402-403: http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

7.   Em Lucca, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Aver­tano, pe­re­grino e re­li­gioso da Ordem dos Carmelitas. († c. 1386)

8*.   Em Pu­ebla de los Án­geles, no Mé­xico, o Beato Se­bas­tião Aparício, um pastor de ove­lhas que emi­grou da Es­panha para o Mé­xico, onde ga­nhou for­tuna que aplicou no au­xílio aos in­di­gentes e, de­pois de ter en­viu­vado duas vezes, foi re­ce­bido na Ordem dos Frades Me­nores e morreu quase centenário. († 1600).

– Ver “Sebastião de Aparício Prado (A Gudiña20 de janeiro de 1502 — Puebla25 de fevereiro de 1600) foi um religioso franciscano espanhol beatificado em 17 de maio de 1789 por seu trabalho missionário desenvolvido no México no início do século XVI. Foi um colono espanhol no México logo após sua conquista pela Espanha, que depois de uma vida como fazendeiro e construtor de estradas entrou na Ordem dos Frades Menores como irmão leigo. Ele passou os 26 anos seguintes de sua longa vida como um mendigo da Ordem e morreu com uma grande reputação de santidade. Ele foi beatificado pela Igreja Católica.”: Sebastião de Aparício – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

Bem-aventurado Sebastião de Aparício. Ver págs. 411-412: http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

9*.   Em Láuria, na Lu­cânia, hoje na Ba­si­li­cata, re­gião da Itália, o Beato Do­mingos Lentíni, pres­bí­tero, que na sua terra de­sem­pe­nhou até à morte um fru­tuoso e mul­ti­forme mi­nis­tério, sus­ten­tado numa vida de hu­mil­dade, oração e penitência. († 1828)

10.   Em Osaka, no Japão,o Beato Diogo Yuki Ryosetsu, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir. († 1636)

11*.   Em Mdina, lo­ca­li­dade da ilha de Malta, a Beata Maria Adeodata (Te­resa) Pi­sáni, virgem da Ordem de São Bento, que foi aba­dessa do mos­teiro de São Pedro e, dis­pondo com har­monia as horas e os tempos, exerceu sa­bi­a­mente o seu ofício, cui­dando dos po­bres e dos aban­do­nados e con­tri­buindo com isso para pro­veito es­pi­ri­tual da pró­pria comunidade. († 1855)

12.   Em Xi­lin­xian, ci­dade do Guangxi, pro­víncia da China, São Lou­renço Bai Xiaoman, mártir, ope­rário e neó­fito, que pre­feriu ser fla­ge­lado e de­go­lado a negar a Cristo. († 1856)

13.   Em To­ledo, na Es­panha, o Beato Ci­ríaco Maria Sancha y Hervás, bispo e fun­dador da Con­gre­gação das Irmãs da Ca­ri­dade do Car­deal Sancha. († 1909). Ver “Beato Ciriaco María Sancha y Hervás (Quintana del Pidio18 de junho de 1833 – Toledo25 de fevereiro de 1909), foi um religioso espanholcardeal e teólogo da Igreja Católica.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ciriaco_Sancha_y_Herv%C3%A1s

14.   Em Te­quila, lo­ca­li­dade do ter­ri­tório de Gua­da­la­jara, no Mé­xico, São Tu­ríbio Romo, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, foi morto em ódio ao sacerdócio. († 1928)

15.   Nas mar­gens do rio Bei­jiang, perto da ci­dade de Scha­o­guan, na pro­víncia de Guan­dong, na China, os santos már­tires Luís Versíglia, bispo, e Ca­listo Caravário, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana, que so­freram o mar­tírio por ter dado as­sis­tência cristã aos fiéis que lhes es­tavam confiados. († 1930). Ver “24 de Fevereiro de 1930, Luigi Versiglia partiu com o padre Callisto Caravario e com dois jovens professores e três alunas do Colégio Dom Bosco para Linchow (ou Lianzhou), para realizar trabalho pastoral na missão salesiana existente naquela povoação e liderada por Callisto Caravario. No dia seguinte, durante a viagem, foram apresados por piratas e bandoleiros que exigiram o pagamento de um resgate para os deixarem prosseguir. O padre Caravario e monsenhor Versiglia tentaram proteger as jovens que viajavam com eles, para que os bandoleiros não se aproveitassem delas. Os bandidos chineses, influenciados pela propaganda comunista anti-cristã e anti-ocidental, es­pancaram os dois missionários salesianos, obrigaram-lhes a abandonar o barco e levaram-nos para uma mata perto da aldeia de Li-Thau-Tseul. Lá, os bandidos, depois de afirmarem que queriam destruir os “diabos estrangeiros e as suas religiões“, abateram os salesianos a tiro no dia 25 de Fevereiro de 1930.

Em 1976, o Papa Paulo VI declarou Luigi Versiglia e Callisto Caravario como mártires da Igreja Católica. Foram beatificados no dia 15 de Maio de 1983 pelo Papa João Paulo II. No dia 1 de Outubro de 2000, foram canonizados pelo Papa João Paulo II, juntamente com os outros 118 mártires chineses.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Luigi_Versiglia

– Ver também “Callisto Caravario SDB, (CuorgnèTurim18 de Junho de 1903 — Li-Thau-Tseul25 de Fevereiro de 1930), também grafado Calixto Caravario, foi um sacerdote católico italiano e missionário salesiano em Linchow (ou Lianzhou), na província de Guangdong, na China. Em 1930, foi martirizado a caminho de Linchow, juntamente com o seu bispo e vigário apostólico de Shiu Chow D. Luigi Versiglia. No dia 1 de Outubro de 2000, ambos foram canonizados e proclamados santos da Igreja Católica Romana, juntamente com os outros 118 mártires chineses, por decisão do Papa João Paulo II. A sua festa litúrgica comemora-se em 25 de Fevereiro, aniversário da sua morte, e em 9 de Julho, que se celebra a memória dos 120 mártires chineses.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Callisto_Caravario

– Ver ainda: “Os 120 Mártires da China, ou Agostinho Zhao Rong e 119 Companheiros, mártires na China, são mártires católicos da China e santos da Igreja Católica canonizados no dia 1 de Outubro de 2000 pelo Papa João Paulo II.

Entre 1648 e 1930, 87 chineses e 33 missionários ocidentais (incluindo sete religiosas) foram martirizados simplesmente por serem católicos e, em vários casos, pela sua recusa a apostatar. Muitos morreram no Levante dos Boxers (1899-1900), em que camponeses e ultra-nacionalistas chineses xenófobos mataram milhares de cristãos chineses, missionários e outros estrangeiros ocidentais. Na Igreja Católica, os 120 mártires chineses são lembrados todos os anos no dia 9 de Julho como uma memória facultativa.[1][2]”: Os 120 Mártires da China – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

16.   Em La Plata, ci­dade da Ar­gen­tina, a Beata Maria Lu­do­vica (An­to­nina De An­gelis), virgem da Con­gre­gação das Fi­lhas de Nossa Se­nhora da Mi­se­ri­córdia, que se de­dicou com es­pí­rito ma­terno ao cui­dado e for­mação das cri­anças e dos en­fermos e pela sua di­li­gente atenção aos ne­ces­si­tados num hos­pital se mos­trou como um sinal da be­nig­ni­dade de Deus. († 1962)

17. No início do Séc.IX, São Tarásio. Era secretário de Estado da imperatriz Irene, e ainda leigo, quando foi eleito para a sede patriarcal de Constantinopla. Professou a veneração aos santos ícones e trabalhou pela unidade da Igreja durante o VII Concílio Ecumênico, realizado em Nicéia (conforme o Martirológio Romano-Monástico – M). Ver páginas 419-423: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

Ver 18 de fevereiro: Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Ta­rásio, bispo, in­signe pela sua eru­dição e pi­e­dade, que abriu o Con­cílio de Ni­ceia II, no qual os Pa­dres de­fen­deram o culto das sa­gradas imagens. († 806). Ver “Tarásio de Constantinopla (em grego: Άγιος Ταράσιος) foi o patriarca de Constantinopla de 25 de dezembro de 784 até a sua morte, em 806. ”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Tar%C3%A1sio_de_Constantinopla

18. SANTOS VITORINO, VÍTOR (também na Folhinha do Coração de Jesus), NICÉFORO, CLAUDIANO, DIÓSCORO, SERAPIÃO E PÁPIAS – mártires: Ver “… Dióscoro e Claudiano: sereis queimados vivos! Serapião e Pápias: morrereis pelo gládio! Os quatro, juntos, renderam graças a Deus, dizendo: Ó Senhor, nós te glorificamos e bendizemos, porque nos julgaste dignos de confessar o teu nome e de tomar parte nos sofrimentos de todos os teus santos. Recomendamos-te as nossas almas. Recebe-as no número de teus confessores. Disseram e morreram.” páginas 413-418:

http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

19. Na África, os Santos Donato, Justo, Herena (também na Folhinha do Coração de Jesus) e seus companheiros, mártires. Ver pág. 425:

http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

20. Bem-aventurado Constante. Ver págs. 408-410: http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

21. Santos Ananias, Pedro e Sete soldados Mártires “Na Fenícia, os Santos Ananias, pedro e sete soldados, mártires, sob o imperador Diocleciano. Ananias era sacerdote na Fenícia. Diante do governador, recusou-se, com veemência, a sacrificar aos deuses. Passando por diversos tormentos, surpreerdendo o carcereiro, Pedro, converteu-o, bem como a sete soldados. Todos os convertidos, batizados por Ananias, com este foram atirados ao mar” Ver página 424: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

22. Outros santos do dia 25 de fevereiro, páginas 406-425:  VIDAS DOS SANTOS – 3.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 25 de fevereiro, ver ainda: 25 de fevereiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 222-224:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/