Santas e Santos de 13 de junho

1. Me­mória de Santo An­tónio (Santo Antônio de Pádua ou de Lisboa), pres­bí­tero e doutor da Igreja, na­tural de Por­tugal, que, sendo có­nego re­gular, in­gressou na Ordem dos Me­nores re­cen­te­mente fun­dada, para se en­tregar à pro­pa­gação da fé entre os povos da África; mas foi na Itália e na França que, exer­cendo com muito fruto o mi­nis­tério da pre­gação, atraiu muita gente à ver­da­deira dou­trina. Es­creveu ser­mões im­preg­nados de dou­trina e su­a­vi­dade e, por ordem de São Fran­cisco, en­sinou te­o­logia aos seus ir­mãos, até que em Pádua partiu deste mundo ao en­contro do Se­nhor. († 1231).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santo Antônio de Lisboa ou de Pádua (também na Folhinha do Coração de Jesus), franciscano português. Voltando de uma missão nas terras do Islamismo, pregou na Lombardia e depois no Limousin, onde fundou o convento de Brive, Seus sermões, ricos em citações da Escritura, valeram-lhe o título de “Doutor Evangélico”. Morreu em Pádua, no ano de 1231. (R).

Ver páginas 273-323 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Santo António (português europeu) ou Antônio (português brasileiro) de Lisboa, também conhecido como Santo António (português europeu) ou Antônio (português brasileiro) de Pádua,Ver nota:[1] OFM (Lisboa15 de agosto de 1195? — Pádua13 de junho de 1231), de sobrenome incerto[nota 1] mas batizado como Fernando, foi um Doutor da Igreja que viveu na viragem dos séculos XII e XIII.[2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Santo_Ant%C3%B3nio_de_Lisboa

– Ver também “… Bento XVI dedicou sua catequese durante a audiência geral desta manhã (10 de fevereiro de 2010) a Santo Antônio de Pádua, “um dos santos mais populares da Igreja Católica”…. António de Pádua, ou de Lisboa como é conhecido, definiu a oração «como uma relação de amor, que leva o homem ao diálogo o Senhor”, e descreveu quatro “atitudes” que devem caracterizá-la: “(1) abrir com confiança o nosso coração a Deus, (2) conversar afetuosamente com Ele, (3) apresentar-lhe as nossas necessidades, (4) dar-lhe louvor e gratidão. Neste ensinamento de Santo Antônio”, explicou o Papa, “vemos um dos traços específicos da teologia franciscana; … isto é, o papel central do amor divino que entra na esfera dos afetos, da vontade, do coração, e que é a fonte de um conhecimento espiritual que ultrapassa todos os outros conhecimentos “…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune13.html

2.   Na Via Ar­de­a­tina, a sete mi­lhas de Roma, Santa Fe­lí­cula, martir. († c. s. IV)

3.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, o Beato Aquileu, bispo, in­signe na eru­dição, na fé, na vida e virtudes. († 312)

4.   Em Ni­cósia, na ilha de Chipre, São Tri­fílio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que de­fendeu vi­go­ro­sa­mente a ver­da­deira fé ni­cena e, como es­creve São Je­ró­nimo, foi o orador mais elo­quente do seu tempo e ad­mi­rável co­men­tador do “Cân­tico dos Cânticos”. († 370).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 370, São Trifilio, bispo de Chipre. (M)

– Ver também “…A Igreja em Chipre no século IV numerou em sua hierarquia dois homens muito notáveis: St Spiridion e St Triphyllius (como seus nomes são escritos no Martirológio Romano). St Spiridion (lembrado dia 12 de dezembro), era originalmente um pastor, enquanto St Triphyllius, que se destinava à lei, recebeu uma excelente educação em Bairut, na Síria. Mudando de idéia, entretanto, ainda jovem, ele se ligou a São Spiridion, seu mais velho por muitos anos, e se tornou seu companheiro constante e discípulo devotado.

Juntos, eles participaram do Concílio de Sardica (ver “O Concílio de Sárdica foi um de uma série de concílios regionais (ou sínodos) reunidos para ajustar a doutrina e resolver as dificuldades da controvérsia ariana, realizado provavelmente em 343. Os imperadores romanos Constante I e Constâncio II chamaram este concílio[1]. Outro concílio foi realizado em 347…: https://pt.wikipedia.org/wiki/Conc%C3%ADlio_de_S%C3%A1rdica”:) em 347, onde foram zelosos oponentes da heresia ariana… São Jerônimo o descreve como “o mais eloquente de sua época e o mais célebre durante o reinado do rei Constâncio”. Em outro lugar, ele escreve sobre “Triphyllius, o cretense, que preencheu seus livros com as doutrinas e máximas dos filósofos que você não sabia quais admirar mais – sua erudição secular ou seu conhecimento das Escrituras”…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune13.html

5.   Nos Abruzos, re­gião da Itália, São Ceteu ou Pe­re­grino (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Ami­terno, que, no tempo em que os Lom­bardos in­va­diram a re­gião, acu­sado fal­sa­mente de su­blevar a ci­dade, foi por eles con­de­nado à morte e afo­gado no rio. († c. 600).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Itália, no séc. VI, São Peregrino, que sofreu perseguições por ter proclamado sua fidelidade a Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem. (M)

6.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, Santo Eu­lógio, bispo, cé­lebre pela sua dou­trina, a quem o papa São Gre­gório Magno es­creveu vá­rias cartas, es­cre­vendo sobre ele: «Não está longe de mim quem está unido a mim». († c. 607)

7*.   Em Li­moges, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, São Sal­módio, eremita. († s. VII)

8*.   No ter­ri­tório de Lião, na Gália, também na ac­tual França, São Ram­berto, mártir, que, sendo de ilustre fa­mília e do­tado de no­bres vir­tudes, foi tão odiado por Ebroíno, chefe do pa­lácio real, que este o en­viou para o des­terro e fi­nal­mente o mandou matar com um golpe de lança. († 680).

– Ver páginas 324-325 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

9*.   No vale de Lar­boust, nos montes Pi­re­neus, também na ho­di­erna França, Santo Aven­tino, ere­mita e mártir, que, se­gundo a tra­dição, foi morto pelos Mouros. († s. VIII)

10.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, São Fân­dila (ou Fandilho), pres­bí­tero e monge, que, du­rante a per­se­guição dos Mouros, no tempo do rei Mo­amed I, foi de­ca­pi­tado em ódio à fé cristã. († 853).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Córdova, na Espanha, no ano da graça de 852, São Fandilho, sacerdote e monge, testemunha da divindade de Cristo em face ao Islamismo. (M)

11*.   No mos­teiro de Cla­raval, na Bor­gonha, re­gião da França, o Beato Ge­rardo (ou Geraldo), monge, irmão de São Ber­nardo, que, apesar da es­cassa cul­tura, tinha uma grande in­te­li­gência e dis­cer­ni­mento espiritual. († 1138)

12.   Em Hué, no Anam, hoje no Vi­etnam, os santos Agos­tinho Phan Viet Huy e Ni­colau Bui Viet Thê, már­tires, que, de­pois de terem pi­sado a cruz, cons­tran­gidos pelo terror, quando re­cu­pe­raram a cons­ci­ência, de­se­josos de ex­piar a sua culpa, pe­diram ime­di­a­ta­mente ao im­pe­rador Minh Mang que fossem no­va­mente jul­gados como cris­tãos e, por isso, es­quar­te­jados vivos num barco, al­can­çaram as ale­grias celestes. († 1839)

13*.   Em Nau­mowicze, ci­dade pró­xima de Grodno, na Po­lónia, a Beata Maria Ana Biernacka, mãe de fa­mília e mártir, que, no re­gime de ocu­pação mi­litar da sua pá­tria, du­rante a guerra, se ofe­receu aos sol­dados para subs­ti­tuir sua nora que es­tava grá­vida e, ime­di­a­ta­mente fu­zi­lada, re­cebeu a palma glo­riosa do martírio. († 1943)

14. No Martirológio Romano-Monástico, em Biblos, na Fenícia, Santa Aquilina (também na Folhinha do Coração de Jesus), que consagrou sua virgindade por meio de um glorioso martírio (M).

– Ver “… Os cristãos orientais dos primeiros tempos tinham uma grande veneração por Santa Aquilina, e seu nome aparece em quase todos os seus martirológios… Ela era nativa de Byblus, na Fenícia, filha de pais cristãos, e foi batizada pelo bispo local Euthalius. Aos doze anos, durante a perseguição a Diocleciano, foi presa e apresentada ao magistrado Volusian. Ela confessou sua fé com ousadia e, quando as lisonjas e ameaças não conseguiram abalar sua constância, foi esbofeteada, açoitada e decapitada…

Seus chamados atos, escritos em grego séculos após sua morte, são pouco confiáveis, embora possam conter um substrato de verdade. Segundo eles, agulhas em brasa foram enfiadas em seus ouvidos, de modo que ela desmaiou e foi considerada morta…

Santa Aquilina tinha doze anos quando sofreu pelo Senhor; ela suportou sua Paixão e foi coroada com uma coroa de martírio no ano 293.”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune13.html

15. Outros santos do dia 13 DE JUNHO: páginas: 273-327 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 13 de junho, ver ainda: 13 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 468-470: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune13.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 12 de junho

12 DE JUNHO DE 2021: FESTA DO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

Papa Pio XII, em 4 de maio de 1944, consagrou o mundo ao Sagrado Coração de Maria, determinando que sua festa fosse celebrada no oitavo dia da Assunção, no dia 22 de agosto… No atual calendário a sua celebração mudou para um dia após a Igreja realizar a festa do Sagrado Coração de Jesus. Conforme: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-sagrado-coracao-de-maria/57/102/

– Ver também:  https://www.nossasagradafamilia.com.br/conteudo/sagrado-coracao-de-maria-093509.html

– Ver ainda: “Em 1935, Jesus pediu à Beata Alexandrina de Balazar (ver dia 13 de outubro) que o mundo fosse consagrado ao Imaculado Coração de Sua Mãe: “Manda dizer ao teu Pai espiritual que, em prova do amor que dedicas à Minha Mãe Santíssima, quero que seja feito todos os anos um acto de consagração do mundo inteiro num dos dias das suas festas escolhido por ti: ou Assunção, ou Purificação, ou Anunciação, pedindo a esta Virgem sem mancha de pecado que envergonhe e confunda os impuros, para que eles arrecuem caminho e não Me ofendam. Assim como pedi a Santa Marga­rida Maria para ser o mundo consagrado ao Meu Divino Cora­ção, assim o peço a ti para que seja consagrado a Ela com uma festa solene”. O Papa Pio XII, anuindo a esses pedidos de Jesus Cristo que lhe foram endereçados pelo Padre Mariano Pinho, enquanto director espiritual de Alexandrina Maria da Costa em Balazar, efectuou um acto solene de consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria no dia 31 de Outubro de 1942.[1] Este acto de consagração veio, ainda, complementar o ato de consagração do Género Humano ao Sagrado Coração de Jesus, realizado algumas décadas antes pelo Papa Leão XIII, feito a pedido da Beata Irmã Maria do Divino Coração, condessa Droste zu Vischering. De acordo com o legado dos pastorinhos de Fátima, foi Nossa Senhora quem, depois de mostrar a visão do Inferno a Lúcia dos SantosJacinta e Francisco Marto, lhes revelou o “Segredo”. Contava a Irmã Lúcia que Nossa Senhora afirmou: “…para salvar as almas, Deus quer estabelecer no mundo a Devoção ao Meu Imaculado Coração” (in Memórias da Irmã Lúcia). O objetivo único desta devoção ao Imaculado Coração de Maria é, portanto, a salvação das almas e a conquista da paz.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Imaculado_Cora%C3%A7%C3%A3o_de_Maria

– Ver também: “Vinculação entre as devoções ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria”: …O Papa Pio XII exorta: “A fim de que a devoção ao Sagrado Coração de Jesus produza frutos mais abundantes na família cristã e ainda em toda a humanidade, procurem os fiéis unir a ela a devoção ao Coração Imaculado da Mãe de Deus.”:

https://web.archive.org/web/20120412001518/http://www.asc.org.br/site/devocao/intima.htm

Encíclica Haurietis aquas: “74. A fim de que a devoção ao coração augustíssimo de Jesus produza frutos mais copiosos na família cristã e mesmo em toda a humanidade, procurem os féis unir a ela estreitamente a devoção ao coração imaculado da Mãe de Deus. Foi vontade de Deus que, na obra da redenção humana, a santíssima virgem Maria estivesse inseparavelmente unida a Jesus Cristo; tanto que a nossa salvação é fruto da caridade de Jesus Cristo e dos seus padecimentos, aos quais foram intimamente associados o amor e as dores de sua Mãe. Por isso, convém que o povo cristão, que de Jesus Cristo, por intermédio de Maria, recebeu a vida divina, depois de prestar ao sagrado coração o devido culto, renda também ao amantíssimo coração de sua Mãe celestial os correspondentes obséquios de piedade, de amor, de agradecimento e de reparação. Em harmonia com esse sapientíssimo e suavíssimo desígnio da divina Providência, nós mesmo, por ato solene, dedicamos e consagramos a santa Igreja e o mundo inteiro ao coração imaculado da santíssima Virgem Maria.”: http://www.vatican.va/content/pius-xii/pt/encyclicals/documents/hf_p-xii_enc_15051956_haurietis-aquas.html

– Vinculação entre as devoção ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria “Os devotos do Sagrado Coração de Jesus são sempre devotos muito extremosos da Santíssima Virgem; e, reciprocamente. Não podia ser de outro modo. Se Maria Santíssima é medianeira de todas as graças, toda devoção passa pelas mãos dela. E, por outro lado, sendo Ela o caminho mais perfeito para nos levar a Jesus, toda verdadeira devoção a Ela conduzirá ao Sagrado Coração.
Santa Margarida Maria Alacoque compreendera tão bem esta verdade que considerava as duas devoções como uma só. Tinha o hábito de rezar esta jaculatória: “Divino Coração de Jesus eu Vos adoro e Vos amo do modo como viveis no Coração de Maria e Vos peço que vivais e reineis em todos os corações”.
O confessor da Santa, São Cláudio de la Colombière, indica o mesmo caminho: “Resolvi não pedir nada a Deus em oração que não fosse por meio de Maria”.
Outros grandes devotos do Sagrado Coração – como Santa Brígida, São Francisco de Sales e São João Eudes – referiam-se ao Coração de Jesus e de Maria, em singular, para salientar a perfeita união de sentimentos e disposições entre a Mãe e o Filho.
Os Missionários do Sagrado Coração e as Filhas de Nossa Senhora do Sagrado Coração têm o belo lema “Per Mariam ad Cor Iesu” (Por Maria ao Coração de Jesus) como fórmula própria dos seus institutos.
Por isso mesmo o Papa Pio XII exorta: “A fim de que a devoção ao Sagrado Coração de Jesus produza frutos mais abundantes na família cristã e ainda em toda a humanidade, procurem os fiéis unir a ela a devoção ao Coração Imaculado da Mãe de Deus.” (14)”: https://web.archive.org/web/20120412001518/http://www.asc.org.br/site/devocao/intima.htm

SANTAS E SANTOS DE 12 DE JUNHO

1.   Em Ló­rium, an­tiga ci­dade da Etrúria, na Via Au­rélia, a doze mi­lhas de Roma, São Ba­sí­lides (ou Basilídio), mártir. († data inc.).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, o martírio de São Basilídio. (M)

– Ver “… Basilides e seus companheiros, mártires. SS. Basilides, Quirinus (ou Cyrinus), Nabor e Nazarius são comemorados neste dia no calendário romano, bem como no martirológio, e que reúne em sua honra fazem parte da liturgia da Missa onde quer que o rito romano seja seguido, eles não podem ser preteridos…

… Existem três “paixões” diferentes, em uma das quais Basilides aparece sozinho, e quanto ao fato de seu martírio e seu sepultamento perto do quarto marco da Via Aurélia, provavelmente estamos em terreno seguro. Se a menção de Nabor e Nazarius tem alguma referência ao culto de mártires genuínos, eles provavelmente pertencem a Milão, mas todo o emaranhado é muito complicado para admitir qualquer solução certa… Parece, no entanto, mais provável que este grupo seja o resultado de uma confusão de nomes nos martirológios. Basilides é provavelmente o mártir romano de 10 de junho, que morreu no final do século III; Cyrinus (Quirinus), o mártir de 4 de junho; e Nabor e Nazarius, dois mártires milaneses dos quais nada confiável se sabe. Todos os quatro foram venerados juntos em 12 de junho até 1969, quando sua festa foi suprimida por causa dessa confusão…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune12.html

2.   No Egipto, Santo Onofre (também na Folhinha do Coração de Jesus), ana­co­reta, que passou ses­senta anos de vida re­li­giosa na am­plidão do deserto. († 400).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, foi muito venerado no Oriente e seu culto estendeu-se ao Ocidente na época das Cruzadas (M).

– Ver páginas 258-259 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Santo Onofre, Confessor (em grego: ; romaniz.: Onouphrios; em latimOnuphrius), considerado santo pela Igreja Católica e venerável pela Igreja Ortodoxa, foi um eremita que viveu no deserto da Tebaida no Alto Egito, em fins do século IV da era cristã (o seu nome grego pode ser mesmo uma corruptela do termo egípcio Uen-nefer – «o que está sempre feliz, satisfeito» – um epíteto tradicionalmente guardado para o antigo deus egípcio Osíris; de resto, a dificuldade da sua transcrição em outras línguas levou-o, por exemplo, a ser venerado sob o nome de Humphrey, na Inglaterra)… O relato de um seu discípulo, Pafnútio, que o encontrou no deserto egípcio, constitui a única fonte para o conhecimento da vida de Santo Onofre”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Onofre_do_Egito

– Ver também “… Entre os muitos eremitas no deserto egípcio durante os séculos IV e V estava um homem santo chamado Onuphrius. O pouco que se sabe sobre ele deriva de um relato atribuído a um certo abade Pafnúcio de uma série de visitas feitas por ele a alguns dos eremitas de Tebaida. Este relato parece ter sido escrito por um ou mais dos monges a quem estava relacionado, e várias versões dele tornaram-se atuais. Obviamente, a história não perdeu nada ao ser contada…

Pafnúcio empreendeu a peregrinação para estudar a vida eremítica e descobrir se ele próprio foi chamado para conduzi-la. Por dezesseis dias após deixar seu mosteiro ele vagou pelo deserto, encontrando uma ou duas aventuras estranhas e edificantes, mas no décimo sétimo dia ele ficou surpreso ao ver o que parecia ser um homem idoso com cabelo e barba caindo no chão, mas coberto de pelos como um animal e vestindo uma tanga de folhagem. A aparição foi tão alarmante que ele começou a fugir. A figura, porém, o chamou, convidando-o a voltar e garantindo-lhe que também era homem e servo de Deus…

 … Eles começaram a conversar e Paphnutius soube que o nome do estranho era Onuphrius, que ele havia sido um monge em um mosteiro de muitos irmãos, mas que ele havia sentido uma vocação para a vida solitária que já levava por setenta anos. Em resposta a outras perguntas, ele admitiu que havia sofrido muito de fome e sede, de temperaturas extremas e de tentações violentas. No entanto, Deus o consolou e o alimentou com as tâmaras que crescem em uma palmeira ao lado de sua cela. Ele então conduziu Paphnutius para sua caverna, onde passaram o resto do dia discorrendo sobre as coisas celestiais…

… Santo Onuphrius então pediu a Abba Paphnutius que se lembrasse dele a todos os irmãos e a todos os cristãos.

São Paphnutius queria permanecer lá após a morte de Abba Onuphrius. No entanto, o santo asceta disse-lhe que não era a vontade de Deus que ele ficasse lá, ele deveria retornar ao seu próprio mosteiro e contar a todos sobre a vida virtuosa dos habitantes do deserto. Tendo então abençoado Abba Paphnutius e se despedido dele, Santo Onuphrius orou com lágrimas e suspiros, e então ele se deitou no chão, proferindo suas palavras finais,“Nas tuas mãos, meu Deus, entrego meu espírito”, e morreu…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune12.html

– Ver São Pafúncio, em 11 de setembro.

3.   Em Roma, junto de São Pedro, São Leão III, papa, que impôs a coroa do Im­pério Ro­mano a Carlos Magno, rei dos Francos, e de­fendeu com grande ardor a ver­da­deira fé sobre a dig­ni­dade di­vina do Filho de Deus. († 816).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, São Leão III, papa. Favoreceu a política cristã de Carlos Magno, a quem coroou imperador no dia de Natal do ano 800. (M).

Ver páginas 227-252 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Leão III (Romaca. 750 — 12 de Junho de 816) foi Papa e é um santo da Igreja Católica. Romano, de origem modesta, exerceu quando jovem o ofício de “vestararius” (responsável pelas roupas e pelos objetos preciosos) da Basílica de Latrão, em Roma…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Le%C3%A3o_III

4*.   Em Utrecht, no ter­ri­tório de Guel­dres, na Lo­ta­ríngia, hoje na Ho­landa, Santo Odolfo (ou Odulfo), pres­bí­tero, que evan­ge­lizou os Frisões. († c. 865).

– Ver página 262 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

5*.   Na Suécia, Santo Es­quilo (Eskill), bispo e mártir, na­tural da In­gla­terra, que, or­de­nado bispo por São Sig­fredo, seu mestre, se de­dicou com in­tensa ac­ti­vi­dade na pro­víncia de Söder­man­land para con­verter os pa­gãos a Cristo, pelos quais morreu lapidado. († c. 1080).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Suécia, no ano da graça de 1080, o martírio de Santo Eskill. Missionário proveniente da Grã-Bretanha, recebeu a consagração episcopal, e depois exerceu o apostolado na região sudoeste de Estocolmo. Como verdadeiro pastor, deu sua vida por seu rebanho. (M).  

– Ver “Ésquilo de Tuna (em suecoSankt Eskil; em latimEschillus; nascido no início do século XI – falecido em ca. 1080) foi um monge anglo-saxão, missionário e mártir na Suécia do século XI, venerado sobretudo durante a Idade Média na província de Södermanland.[1][2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%89squilo_de_Tuna

6*.   Em Cor­tona, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Guido, pres­bí­tero, dis­cí­pulo de São Fran­cisco, que passou a vida em je­juns, po­breza e humildade. († c. 1245).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, o ano de Senhor de 1245, o Bem-Aventurado Guido de Cortona. Cristão de condição modesta, escolheu viver ainda mais pobremente depois de uma visita de São Francisco de Assis. Sua cultura permitiu-lhe receber o sacerdócio para melhor servir a seus-irmãos. (X). – Ver páginas 263-266 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

7*.   Junto de Ocre, nos Abruzos, também re­gião da Itália, o Beato Plá­cido, abade, que, de­pois de ter vi­vido como ere­mita numa gruta, reuniu os seus dis­cí­pulos no mos­teiro do Es­pí­rito Santo. († 1248).

– Ver páginas 267-270 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

8*.   Em Città di Cas­tello, na Úm­bria, também re­gião da Itália, a Beata Fló­rida (Lu­crécia He­lena Cé­voli), virgem da Ordem das Cla­rissas, que, apesar das graves en­fer­mi­dades cor­po­rais, sempre de­sem­pe­nhou os ofí­cios que lhe foram con­fi­ados com grande di­li­gência e alegria. († 1767)

9.   Em Ve­rona, no Vé­neto, também re­gião da Itália, São Gaspar Bertóni, pres­bí­tero, que fundou a Con­gre­gação das Santas Chagas de Cristo, cujos mem­bros eram mis­si­o­ná­rios ao ser­viço dos bispos. († 1843).

– Ver  “Gaspar Bertoni é um santo católico italiano. É o fundador da Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo, popularmente conhecida como Estigmatinos.

Foi canonizado pelo Papa João Paulo II em 1 de novembro de 1989, no dia da festa de “Todos os Santos”. Os milagres para o seu processo de beatificação e canonização foram realizados no Brasil, nas cidades de Rio Claro[desambiguação necessária] e Rio de Janeiro.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gaspar_Bertoni

10*.   Em Ca­prá­nica, no ter­ri­tório de Vi­terbo, pró­ximo de Roma, o Beato Lou­renço Maria de São Fran­cisco de Xa­vier (Lou­renço Maria Sálvi), pres­bí­tero da Con­gre­gação da Paixão, que di­fundiu a de­voção ao Me­nino Jesus. († 1856)

11*.   Em Ri­o­bamba, no Equador, a Beata Mer­cedes Maria de Jesus (Mer­cedes Mo­lina), virgem, que ins­ti­tuiu uma co­mu­ni­dade re­li­giosa com a função de aco­lher e formar as jo­vens órfãs e po­bres e li­bertar as mu­lheres da pros­ti­tuição, for­ta­le­cendo-as na vida nova da graça. († 1883)

12*.   Em Ragusa, na Sicília, província da Itália, a Beata Maria Cândida da Eucaristia (Maria Barba), virgem da Ordem das Carmelitas Descalças, que cumpriu com suprema fidelidade a observância da vida consagrada e suas regras e trabalhou intensamente para a edificação de novos mosteiros. († 1949)

13. Santa Iolanda, na Folhinha do Coração de Jesus.

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Ásia Menor, no séc. IV, os santos Olímpio (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Anfião, que confessaram a fé em Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (M).

15. São João de Sahagun ou de Santa Fagunda. Ver páginas 253-257 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “São João de Sahagún ou João de São Facundo, nascido Juan Gonzalez de Castrillo Martinez de Sahagun y Cea, (Vila de San Facundo, actual Sahagún1419 — Salamanca11 de Junho de 1479) foi um sacerdoteteólogo, prior de um convento da Ordem de Santo Agostinho e santo da Igreja Católica.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_de_Sahag%C3%BAn

– Ver dia 11 de junho: Em Sa­la­manca, na Es­panha, São João de São Fa­cundo Gon­zález de Castrillo, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que res­taurou a con­córdia entre os ci­da­dãos, agi­tados em con­flitos cru­entos, com os seus con­se­lhos par­ti­cu­lares e a san­ti­dade da sua vida. († 1479).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 11 de junho), na Espanha, no ano da graça de 1479, São João de São Facundo. Professor de Direito e de Teologia em Salamanca, exerceu grande influência sobre os estudantes daquela cidade universitária. Tornando-se eremita de Santo Agostinho, conseguiu, através de sua intercessão, restabelecer a paz na cidade dilacerada pelas discórdias. (M)

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 5 de julho, no séc. IX, São Pedro Hagiorita. De origem grega, passara sua mocidade junto à corte imperial de Constantinopla. Após um cativeiro de nove anos entre os árabes, chegou a Roma, onde fez profissão monástica. Depois, partiu para o Monte Atos, onde levou vida hesicasta até sua morte. (X).

– Ver: São Pedro do Monte Athos. Ver páginas 260-261 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– No Monte Athos, na Grécia, Santo Ata­násio, he­gú­meno (ver 05 de julho), homem hu­milde e pa­cí­fico, que ins­ti­tuiu na Grande Laura uma forma de vida cenobítica. († c. 1004).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no século seguinte (X), Santo Atanásio Atonita (também na Folhinha do Coração de Jesus), que se esforçou para introduzir a vida cenobítica estudita, fundando uma laura que se tornou célebre e redigindo uma Regra, ou “Typicon”,  que proporcionou a expansão do monaquismo do Monte Athos ao longo de muitos séculos. Os católicos de rito oriental festejam São Pedro Hagiorita no dia 12 de junho e Santo Atanásio Estudita no dia 05 de julho.

– Ver páginas 203-204: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

 17. Bem-aventurado Estêvão Bandelli. Ver páginas 271-272 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

18. Beata Hildegard Burjan (Freund). Ver “Hildegard Burjan (nascida como Hildegard Freund) (Görlitz30 de janeiro de 1883 — Viena11 de junho de 1933), foi uma política e ativista social austríaca, fundadora da Sociedade de Vida Apostólica Caritas Socialis.[1][2] Burjan criou várias organizações para a promoção dos direitos das mulheres e para os direitos de todos os trabalhadores e suas famílias, foi eleita para o Parlamento Austríaco, onde ela serviu até a sua aposentadoria devido a problemas de saúde.[3]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hildegard_Burjan

19. Outros santos do dia 12 DE JUNHO: páginas: 227-272 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 12 de junho, ver ainda: 12 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 466-467: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune12.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 11 de junho

11 DE JUNHO DE 2021: SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS. “A Festa do Sagrado Coração de Jesus, em latim: Sollemnitas Sacratissimi Cordis Iesu) é uma solenidade no calendário litúrgico da Igreja Católica Romana. Ele cai 19 dias após o Pentecostes, na sexta-feira… Dias:; 2021 é 11 de junho; 2022 é 24 de junho…”. Conforme: https://pt.wikipedia.org/wiki/Festa_do_Sagrado_Cora%C3%A7%C3%A3o

– Ver também “As 12 Promessas do Sagrado Coração de Jesus:

  1. Dar-lhes-ei todas as graças necessárias ao seu estado de vida.
  2. Estabelecerei a paz nas suas famílias.
  3. Abençoarei os lares onde for exposta e honrada a imagem do Meu Sagrado Coração.
  4. Hei-de consolá-los em todas as dificuldades.
  5. Serei o seu refúgio durante a vida e em especial na hora da morte.
  6. Derramarei bênçãos abundantes sobre todos os seus empreendimentos.
  7. Os pecadores encontrarão no Meu Sagrado Coração uma fonte e um oceano sem fim de Misericórdia.
  8. As almas tíbias tornar-se-ão fervorosas.
  9. As almas fervorosas ascenderão rapidamente a um estado de grande perfeição.
  10. Darei aos sacerdotes o poder de tocarem os corações mais empedernidos.
  11. Aqueles que propagarem esta devoção terão os seus nomes escritos no Meu Sagrado Coração e d’Ele nunca serão apagados.
  12. Prometo-vos, no excesso de Misericórdia do Meu Coração, que o Meu Amor Todo-Poderoso concederá, a todos aqueles que comungarem na Primeira Sexta-Feira de nove meses seguidos, a graça da penitência final; não morrerão no Meu desagrado nem sem receberem os Sacramentos: o Meu Divino Coração será o seu refúgio de salvação nesse derradeiro momento.[10]

”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sagrado_Cora%C3%A7%C3%A3o_de_Jesus

– Ver: https://www.newadvent.org/cathen/07163a.htm

–  Ver também: https://www.sistersofcarmel.com/devotion-to-the-sacred-heart-of-jesus.php

– Ver ainda: http://www.arautos.org/secoes/artigos/doutrina/santos/mensageira-do-coracao-de-jesus-143498

– Ver também: “Vinculação entre as devoções ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria”: …O Papa Pio XII exorta: “A fim de que a devoção ao Sagrado Coração de Jesus produza frutos mais abundantes na família cristã e ainda em toda a humanidade, procurem os fiéis unir a ela a devoção ao Coração Imaculado da Mãe de Deus.”:

https://web.archive.org/web/20120412001518/http://www.asc.org.br/site/devocao/intima.htm

Encíclica Haurietis aquas: “74. A fim de que a devoção ao coração augustíssimo de Jesus produza frutos mais copiosos na família cristã e mesmo em toda a humanidade, procurem os féis unir a ela estreitamente a devoção ao coração imaculado da Mãe de Deus. Foi vontade de Deus que, na obra da redenção humana, a santíssima virgem Maria estivesse inseparavelmente unida a Jesus Cristo; tanto que a nossa salvação é fruto da caridade de Jesus Cristo e dos seus padecimentos, aos quais foram intimamente associados o amor e as dores de sua Mãe. Por isso, convém que o povo cristão, que de Jesus Cristo, por intermédio de Maria, recebeu a vida divina, depois de prestar ao sagrado coração o devido culto, renda também ao amantíssimo coração de sua Mãe celestial os correspondentes obséquios de piedade, de amor, de agradecimento e de reparação. Em harmonia com esse sapientíssimo e suavíssimo desígnio da divina Providência, nós mesmo, por ato solene, dedicamos e consagramos a santa Igreja e o mundo inteiro ao coração imaculado da santíssima Virgem Maria.”: http://www.vatican.va/content/pius-xii/pt/encyclicals/documents/hf_p-xii_enc_15051956_haurietis-aquas.html

11 DE JUNHO DE 2021: DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELA SANTIFICAÇÃO DOS SACERDOTES

Instituído por São João Paulo II em 1995, com a Carta aos Sacerdotes por ocasião da Quinta-feira Santa, o “Dia Mundial de Oração pela Santificação dos Sacerdotes” é celebrado todos os anos na Solenidade do Sagrado Coração de Jesus. Seu objetivo é encorajar, tanto os sacerdotes a refletir sobre o dom do sacerdócio que receberam de Cristo, quanto os fiéis a rezar por seus sacerdotes, para que possam ser fortalecidos em seu ministério e permanecer firmes em seu compromisso com o Senhor. Conforme: https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2021-06/11-junho-dia-oracao-sacerdotes-abracar-cruz-pela-causa-evangelho.html

– Ver ainda: “CARTA DO PAPA JOÃO PAULO II AOS SACERDOTES POR OCASIÃO DA QUINTA-FEIRA SANTA DE 1995…

… Queira a Virgem Santa lançar o seu olhar carinhoso sobre todos nós, seus filhos prediletos, nesta festa anual do nosso sacerdócio. Coloque, em nosso coração, sobretudo um grande anseio de santidade. Escrevi na Exortação Apostólica Pastores dabo vobis: «A nova evangelização tem necessidade de evangelizadores novos, e estes são os presbíteros que se esforçam por viver o seu sacerdócio como caminho específico para a santidade» (n. 82). A Quinta-feira Santa, levando-nos até às origens do nosso sacerdócio, recorda-nos também a obrigação de tender para a santidade, a fim de sermos «ministros de santidade» para os homens e mulheres confiados ao nosso serviço pastoral. Nesta perspectiva, vem a ser muito oportuna a proposta, sugerida pela Congregação para o Clero, de se celebrar, em cada diocese, um «Dia pela Santificação dos Sacerdotes», por ocasião da festa do Sagrado Coração de Jesus ou noutra data mais apropriada às exigências e costumes pastorais do lugar. Faço minha esta proposta, almejando que tal iniciativa ajude os sacerdotes a conformarem-se cada vez mais plenamente com o coração do Bom Pastor…”: https://www.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/letters/1995/documents/hf_jp-ii_let_25031995_priests.html

SANTAS E SANTOS DE 11 DE JUNHO

1. Me­mória de São Bar­nabé (também na Folhinha do Coração de Jesus), Após­tolo, que era um homem bom e cheio de fé e do Es­pí­rito Santo, con­tado entre os pri­meiros fiéis de Je­ru­salém. Pregou o Evan­gelho em An­ti­o­quia e in­tro­duziu entre os ir­mãos Saulo de Tarso, recém-con­ver­tido, acom­pa­nhando-o também na sua pri­meira vi­agem para evan­ge­lizar a Ásia. Par­ti­cipou no Con­cílio de Je­ru­salém e, vol­tando para a ilha de Chipre, sua pá­tria, aí pro­pagou o Evangelho.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Barnabé. Sem ter sido um dos doze, recebeu o título de Apóstolo em razão do importante papel que desempenhou na Igreja dos primeiros tempos. Foi ele quem introduziu Saulo no grupo dos Apóstolos, o levou a Antioquia e o acompanhou durante sua primeira viagem missionária. Barnabé deixou em seguida São Paulo, para ir evangelizar a ilha de Chipre. (R).

Ver páginas 206-222 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Barnabé (Chipre, século I – Salaminac. 61) foi um dos primeiros cristãos mencionados no Novo Testamento. Seus pais, judeus helênicos lhe deram o nome de José (em grego bizantino Ιὠσης), mas quando ele vendeu todos os seus bens e deu o dinheiro aos apóstolos em Jerusalém, eles lhe deram um novo nome, Barnabé, que parece originar-se do aramaico בר נביא, que significa “(o filho do) exortação”. No entanto, o texto grego do Atos dos Apóstolos 4:36 explica o nome como υἱός παρακλήσεως (hyios paraklēseōs), que significa “filho da exortação/consolação”.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Barnab%C3%A9_(B%C3%ADblia)

2.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São Má­ximo, bispo, que foi man­dado para o exílio pelo im­pe­rador Cons­tâncio por causa da fé ni­cena, onde, con­su­mido pelas tri­bu­la­ções, morreu como con­fessor da fé. († s. IV)

3.   Em Bremen, na Sa­xónia, na ac­tual Ale­manha, São Rem­berto, bispo de Ham­burgo e de Bremen, fiel dis­cí­pulo e su­cessor de Santo Óscar (ou Ans­cário), que ex­pandiu o seu mi­nis­tério até às terras da Di­na­marca e da Suécia e, no tempo da in­vasão dos Nor­mandos, se de­dicou à li­ber­tação dos cris­tãos cativos. († 888)

4*.   Em Mo­gúncia, ci­dade da Fran­cónia, também na ac­tual Ale­manha, São Bardão, bispo, que, de­pois de ser abade de He­res­feld, foi ele­vado à sede epis­copal e tra­ba­lhou ex­ce­len­te­mente pela sua Igreja com in­can­sável so­li­ci­tude pastoral. († 1051)

– Ver em 10 de junho: São Bardon. Ver páginas 202-203 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS (do dia 10 de junho) – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

5*.   No mos­teiro de La Cambre, pró­ximo de Bru­xellas, no Bra­bante, na ac­tual Bél­gica, Santa Alaíde, virgem da Ordem Cis­ter­ci­ense, que, atin­gida pela lepra aos vinte e dois anos de idade, foi cons­tran­gida a uma vida mar­gi­nada e, nos úl­timos anos da sua vida, perdeu a vista e nem um só membro do corpo ficou são, ex­cepto a língua para cantar os lou­vores de Deus. († 1250)

6.   Em Tre­viso, no Vé­neto, re­gião da Itália, São Páris ou Parísio (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Ordem Ca­mal­du­lense, que, du­rante se­tenta e sete anos, ajudou as monjas com sa­lu­tares con­se­lhos de vida es­pi­ri­tual e morreu de­pois dos cento e oito anos de idade. († 1267).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Itália, no ano do Senhor de 1267, São Parísio, monge camaldulense, diretor espiritual do convento de Santa Cristina de Treviso. (M).

Ver página 223 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

7*.   Em Gni­ezno, na Po­lónia, a Beata Io­landa, aba­dessa, que, de­pois da morte do es­poso, o duque Bo­leslau Pio, re­nun­ci­ando às ri­quezas ter­renas, pro­fessou a vida mo­nás­tica com sua filha na Ordem de Santa Clara. († 1298)

8*.   Em Sa­luzzo, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato Es­têvão Bandélli, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, emi­nente na pre­gação e as­síduo no mi­nis­tério das confissões. († 1450)

9.   Em Sa­la­manca, na Es­panha, São João de São Fa­cundo Gon­zález de Castrillo, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que res­taurou a con­córdia entre os ci­da­dãos, agi­tados em con­flitos cru­entos, com os seus con­se­lhos par­ti­cu­lares e a san­ti­dade da sua vida. († 1479).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Espanha, no ano da graça de 1479, São João de São Facundo. Professor de Direito e de Teologia em Salamanca, exerceu grande influência sobre os estudantes daquela cidade universitária. Tornando-se eremita de Santo Agostinho, conseguiu, através de sua intercessão, restabelecer a paz na cidade dilacerada pelas discórdias. (M)

10.   Em Tor­tosa, na Es­panha, Santa Rosa Fran­cisca Maria das Dores (Maria Rosa Molas Vallvé), virgem, que trans­formou uma as­so­ci­ação de pi­e­dosas mu­lheres na Con­gre­gação das Irmãs de Nossa Se­nhora da Con­so­lação, des­ti­nada ao ser­viço dos atribulados. († 1876)

11.   Em Roma, Santa Paula Frassinétti (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, su­pe­rando muitas di­fi­cul­dades ini­ciais, fundou a Con­gre­gação das Irmãs de Santa Do­ro­teia, des­ti­nada à for­mação das jo­vens cristãs, di­ri­gindo-a com grande for­ta­leza de alma, be­ne­vo­lente su­a­vi­dade e enér­gica actividade. († 1882).

– Ver páginas 225-226 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Paola “Paula” Frassinetti (Génova3 de março de 1809 — Roma11 de junho de 1882) foi uma religiosa italiana canonizada pela Igreja católica. Foi irmã de Giuseppe Frassinetti, declarado venerável pela Igreja católica em 1991.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Paula_Frassinetti

– Ver também “Bem-aventurada Paula Frassinetti, Fundadora (AC) Nasceu em Gênova, Itália, em 1809; morreu em 1882; beatificada em 1930. Paula vivia com o irmão que era pároco em Quinto, perto de Génova. Lá ela começou a ensinar os filhos dos pobres, o que foi o início da Congregação de Santa Doroteia. A congregação floresceu em toda a Itália e no Novo Mundo (Beneditinos, Enciclopédia).”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune11.html

12*.   Em Ra­gusa, na Si­cília, re­gião da Itália, a Beata Maria Schininá, virgem, que optou por viver com grande hu­mil­dade e sim­pli­ci­dade para tratar os en­fermos, os aban­do­nados e os po­bres, e fundou o ins­ti­tuto das Irmãs do Sa­grado Co­ração de Jesus, des­ti­nado a prestar au­xílio a todo o gé­nero de miséria. († 1910)

13*.   Em Kara-Kenpru, ci­dade pró­xima de Diyar­bakir, na Tur­quia, o Beato Inácio Maloyan, bispo de Mardin dos Ar­menos e mártir du­rante o ge­no­cídio dos cris­tãos, per­pe­trado na­quela re­gião pelos per­se­gui­dores da fé. Tendo re­cu­sado abraçar uma re­li­gião di­versa do cris­ti­a­nismo, de­pois de con­sa­grado o pão para ali­mento es­pi­ri­tual do grupo dos com­pa­nheiros de prisão, foi fu­zi­lado jun­ta­mente com ou­tros inú­meros cris­tãos, al­can­çando pelo der­ra­ma­mento do seu sangue a fe­li­ci­dade da paz eterna. († 1915)

14♦.   Em Viena, na Áus­tria, Hil­de­garda Burjan, mãe de fa­mília, que, con­ver­tida do ju­daísmo ao ca­to­li­cismo, fundou a or­ga­ni­zação fe­mi­nina Cá­ritas So­ci­alis, des­ti­nada a vá­rias obras de as­sis. ­tência so­cial e caritativo. († 1933)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Aquiléia, a paixão dos Santos Félix e Fortunato (M).

16. Santa Adelaide, virgem. Ver página 224 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

17. Outros santos do dia 11 DE JUNHO: páginas: 206-226 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 11 de junho, ver ainda: 11 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 463-465: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune11.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 10 de junho

1. Me­mória do santo Anjo da Guarda de Portugal, cujo culto era tra­di­ci­onal desde tempos re­motos; foi ofi­ci­a­li­zada pelo papa Leão X em 1504, pas­sando a ser ce­le­brada com a maior so­le­ni­dade em todas as ci­dades e vilas por­tu­guesas; mas ga­nhou novo in­cre­mento quando se di­vulgou a trí­plice apa­rição do Anjo de Por­tugal aos três pas­to­ri­nhos de Fá­tima e Pio XII aprovou a in­clusão desta me­mória no ca­len­dário li­túr­gico português.

– Ver “Anjo de Portugal, também conhecido como Santo Anjo da Guarda de PortugalAnjo Custódio de Portugal e Anjo da Paz, é uma das designações do anjo que protege a nação portuguesa… A pedido do rei D. Manuel I de Portugal, o Papa Júlio II instituiu em 1504 a festa do «Anjo Custódio do Reino» cujo culto já seria antigo em Portugal. O pedido terá sido feito ao Papa Leão X e este autorizou a sua realização no terceiro Domingo de Julho.[1] A sua devoção quase desapareceu depois do séc. XVII, mas seria restaurada mais tarde, em 1952, quando mandada inserir no Calendário Litúrgico português pelo Papa Pio XII, para comemorar o Dia de Portugal no 10 de junho.[2]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Anjo_de_Portugal

2.   Em Au­xerre, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, São Cen­súrio, bispo. († s. V).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no início do séc. VI, o Bem-Aventurado Censúrio, bispo, que durante mais de trinta anos foi o pastor vigilante da Igreja em Auxerre.

Ver página 194 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

3*.   Em Paris, na Nêus­tria, ac­tu­al­mente também na França, São Lan­de­rico (São Landry), bispo, que, se­gundo consta, vendeu as al­faias sa­gradas (conjuntos para altar; pala, corporal, sanguíneo, manustérgio; pequenos paninhos; tecidos usados no altar. Ver: https://www.paieterno.com.br/2017/07/20/saiba-o-que-sao-as-alfaias-liturgicas-corporal/)  para so­correr os po­bres em tempo de fome e edi­ficou um hos­pital junto da igreja catedral. († c. 656).

– Ver páginas 196-197 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

4*.   Em Ro­chester, na In­gla­terra, Santo Itamar (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que foi o pri­meiro na­tural da re­gião de Can­tuária a ser cha­mado para a ordem epis­copal e res­plan­deceu pela sua eru­dição e san­ti­dade de vida. († c. 666).

– Ver página 195 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

5*.   Em Do­brow, na Po­lónia, São Bo­gu­milo, bispo de Gni­ezno, que, re­nun­ci­ando à sede epis­copal, ali se­guiu a vida ere­mí­tica em su­prema austeridade. († 1182)

– Ver “(1182) São Bogumilus, arcebispo de Gniezno. Bogumilus e Boguphalus são considerados filhos gêmeos de nobres pais poloneses. Os irmãos, que nasceram perto de Dobrow, no Werthe, receberam uma excelente educação, concluindo os estudos em Paris. Boguphalus então recebeu o hábito em um mosteiro cisterciense, e Bogumilus construiu em Dobrow uma igreja que ele dedicou à Santíssima Trindade. Tendo sido elevado ao sacerdócio, ele próprio assumiu o comando da paróquia. Seu tio John, que era arcebispo de Gniezno, nomeou-o seu chanceler e nomeou-o seu sucessor; e em 1167, após a morte de seu tio, ele foi consagrado e governou a arquidiocese por quase cinco anos… Não querendo tolerar abusos que não foi capaz de remediar, ele pediu e obteve permissão para renunciar ao cargo. Ele posteriormente entrou na Ordem Camaldulense e passou o resto de sua vida em um de seus eremitérios em Uniow. Ele morreu lá em 1182, mas seu corpo foi posteriormente transladado para a igreja em Dobrow que ele havia fundado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune10.html

6*.   Em Bo­lonha, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, a Beata Diana de Andaló, virgem, que, su­pe­rando todas as opo­si­ções da fa­mília, na pre­sença do pró­prio São Do­mingos fez o voto de vida claus­tral e in­gressou no mos­teiro de Santa Inês por ela fundado. († 1236)

VER EM 09 DE JUNHO: Santa Diana, na Folhinha do Coração de Jesus.

– Conforme VIDA DOS SANTOS, Bem-Aventuradas Diana de Andalo, Cecília, Amada e companheiras. Ver páginas 173-175: – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Diana degli Andalò (1201 – 10 de junho de 1236), às vezes d’Andalo , foi uma freira dominicana que fundou para sua ordem um convento dedicado a Santa Inês na Itália… Em 1223, Santa Inês em Bolonha foi fundada e Diana entrou na ordem dominicana. [7] Quatro outras freiras também foram trazidas do convento de Santo Sisto em Roma, incluindo Cecília Cesarini , que foi feita prioresa, e Amata ; os três estão sempre associados. [11] [12] [13] Diana permaneceu em Santa Inês até sua morte em 1236, e foi enterrada lá, junto com os restos mortais de Cecília e Amata. Suas relíquias foram movidas várias vezes, mas sempre juntas. A cabeça de Diana foi colocada em um relicário perto da tumba de Dominic. [7] Sua festa é 9 de junho[10] Ela, junto com Cecília e Amata, foram beatificadas pelo Papa Leão XIII em 1891[14]”: https://en.wikipedia.org/wiki/Diana_degli_Andal%C3%B2

7*.   Em Tre­viso, ci­dade do Vé­neto, re­gião da Itália, o Beato Hen­rique de Bolzano, que, sendo car­pin­teiro e in­culto, dava tudo aos po­bres e, apesar da sua de­fi­ci­ência fí­sica, par­ti­lhava com os ou­tros men­digos a pre­cária es­mola que ele mendigava. († 1315)

8*.   Em Bu­da­pest, na Hun­gria, o pas­sa­mento do Beato João Domínici, bispo de Du­brovnik, que, de­pois da peste negra, res­taurou a ob­ser­vância re­gular nos con­ventos da Ordem dos Pre­ga­dores na Itália e, en­viado para a Boémia e Hun­gria a fim de im­pugnar a pre­gação de João Hus, morreu nesta cidade. († 1419)

9*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Tomás Green, pres­bí­tero, e Gualter Pierson, monge da Car­tuxa desta ci­dade, que, por se oporem ao rei Hen­rique VIII na sua pre­tensão de as­sumir a su­prema ju­ris­dição sobre os di­reitos ecle­siás­ticos, foram me­tidos num sór­dido cár­cere, onde, con­su­midos pela fome e a do­ença, en­con­traram a morte gloriosa. († 1537)

10*.   Em Mo­er­zeke-lez-Ter­monde, perto de Gand, na Bél­gica, o Beato Edu­ardo Poppe, pres­bí­tero, que, apesar das ad­ver­si­dades do seu tempo, com os seus es­critos e a sua pre­gação pro­moveu na Flan­dres a for­mação cristã e o culto da Eucaristia. († 1924)

11♦.   Em Ra­tis­bona, na Ale­manha, o Beato Eus­tá­quio Kugler, re­li­gioso da Ordem Hos­pi­ta­leira de São João de Deus. († 1946)

12. São Luciliano, na Folhinha do Coração de Jesus

13. São Getúlio, na Folhinha do Coração de Jesus. Getúlio é venerado juntamente com Amâncio (Amancius), Cerealo (Caerealis) e Primitivo (Primitivus), como mártir e santo. Acredita-se que eles tenham morrido na cidade de Gábios. De acordo com a tradição, Getúlio seria o marido de Santa Sinforosa. Getúlio é um nome que significa “da gente dos Getulos“, que era uma tribo do Norte da África.

– Ver “Sete Mártires: Os sete filhos deles – Getúlio e Sinforosa – (que não devem ser confundidos com os sete filhos de Santa Felicidade) são indicados pelo nome. De acordo com a lenda deles, cada um sofreu um tipo de martírio. Crescêncio foi perfurado na garganta, Juliano, no peito, Nemésio, através do coração, Primitivo foi ferido no umbigo, Justino, nas costas, Estrateu, no flanco, e Eugênio foi partido ao meio, da cabeça aos pés.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Getúlio_de_Roma

– Ver também:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Get%C3%BAlio_de_Roma

Curiosidade: Ver MARTIROLÓGIO DE ADO: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ado_de_Vienne

– Ver ainda, explicação sobre MARTIROLÓGIO ROMANO: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Martirológio_Romano

– Ver ainda “… São Getúlio Mártir com Amantius, Cerealis e Primitivus, o marido de St. Symphorosa; oficial do exército romano, renunciou quando se tornou cristão e voltou para suas propriedades perto de Tivoli, Itália. Lá ele converteu Caerealis, um legado imperial enviado para prendê-lo. Com seu irmão Amantius e com Caerealis e Primitivus, Getúlio foi torturado e martirizado em Tivoli… Certo dia, ele estava instruindo alguns de seu povo quando foi surpreendido pela visita de Cerealis, o vigário imperial, enviado para prendê-lo. Mas o próprio Cerealis foi conquistado para o cristianismo como resultado de conversas com Getúlio e com seu irmão Amantius… depois de sofrerem prisão de vinte e sete dias, em Tivoli, com diversas torturas, foram decapitados ou queimados na fogueira da Via Salaria. Com eles morreu outro cristão, de nome Primitivus. As relíquias dos santos foram enterradas por St Symphorosa em um arenarium em sua propriedade.”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune10.html

14. No Martirológio Romano-Monástico, neste dia, receberam a coroa do martírio os santos Rogato, cristão da África, Timóteo, bispo da Ásia e Astério, bispo da Arábia (M)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, São Máximo, bispo de Nápoles, punido pelo imperador com o exílio por sua ligação com a fé de Nicéia e sua recusa em aceitar um símbolo herético (M).

– Ver página 193 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

16. Bem-Aventurada Olívia de Palermo. Ver páginas 198-199 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

17. Bem-Aventurado Boaventura de Peraga. Ver páginas 200-201 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver “… O primeiro membro da Ordem dos Eremitas Agostiniana a ser elevado à dignidade de cardeal foi Boaventura Baduário. Ele pertencia a uma das principais famílias de Pádua e nasceu em Peraga, perto da cidade. Tendo recebido o hábito agostiniano desde muito jovem, foi enviado para a Universidade de Paris, e quando o Papa Inocêncio VI estabeleceu uma faculdade de teologia na Universidade de Bolonha, Boaventura foi um dos primeiros ocupantes de uma cadeira… quando Boaventura cruzava o Tibre para visitar o Vaticano, foi atingido por uma flecha e morto. O autor do crime nunca foi identificado, mas geralmente se acreditava que o assassinato havia sido cometido por ordem do Príncipe de Carrara…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune10.html

18. São Bardon. Ver páginas 202-203 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver dia 11 de junho (Martirológio Romano): Em Mo­gúncia, ci­dade da Fran­cónia, também na ac­tual Ale­manha, São Bardão, bispo, que, de­pois de ser abade de He­res­feld, foi ele­vado à sede epis­copal e tra­ba­lhou ex­ce­len­te­mente pela sua Igreja com in­can­sável so­li­ci­tude pastoral. († 1051)

19. Outros santos do dia 10 DE JUNHO: páginas: 181-205 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 10 de junho, ver ainda: 10 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 461-462: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune10.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 09 de junho

1. No DIRETÓRIO DE LITURGIA DA CNBB, MEMÓRIA DE SÃO JOSÉ DE ANCHIETA. (também na Folhinha do Coração de Jesus). FOI CANONIZADO EM 03 DE ABRIL DE 2014 PELO PAPA FRANCISCO. Em Re­ti­riba, no Brasil, São José de Anchieta, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, na­tural das Ilhas Ca­ná­rias, que se con­sa­grou in­tensa e fru­tu­o­sa­mente du­rante quase todo o tempo da sua vida ao tra­balho mis­si­o­nário no Brasil. († 1597).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória do Bem-Aventurado José de Anchieta. Nasceu em 1534 em Tenerife, nas Ilhas Canárias, e ingressou na Companhia de Jesus, tendo sido enviado logo após ao Brasil. Ordenado sacerdote em 1566, foi escolhido para superior em São Paulo, e mais tarde provincial da missão no Brasil. Escreveu na língua dos indígenas uma gramática e um catecismo. Mereceu o epiteto de “Apóstolo do Brasil”. Faleceu em 9 de junho 1597. O Papa João Paulo II, em 22 de junho 1980, inscreveu-o entre os Bem-Aventurados. (R).

Ver “São José de Anchieta SJ (San Cristóbal de La Laguna19 de março de 1534 — Reritiba9 de junho de 1597) foi um padre jesuíta espanhol e um dos fundadores das cidades brasileiras de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Foi o primeiro dramaturgo, o primeiro gramático e o primeiro poeta nascido nas Ilhas Canárias. Foi o autor da primeira gramática da língua tupi e um dos primeiros autores da literatura brasileira, para a qual compôs inúmeras peças teatrais e poemas de teor religioso e uma epopeia.[3]

Considerado santo pela Igreja Católica, foi beatificado em 1980 pelo papa João Paulo II e canonizado em 2014 pelo papa Francisco. É conhecido como o Apóstolo do Brasil, por ter sido um dos pioneiros na introdução do cristianismo no país. Em abril de 2015 foi declarado co-padroeiro do Brasil na 53ª Assembleia Geral da CNBB.[4][5]

É o patrono da cadeira de número um da Academia Brasileira de Música.[6]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_de_Anchieta

– Ver ainda “… José de Anchieta morreu no dia 9 de junho de 1597, na pequena vila de Reritiba, atual cidade de Anchieta, no Espírito Santo, sendo reconhecido como o “Apóstolo do Brasil”. Foi beatificado pelo papa João Paulo II em 1980. A festa litúrgica foi instituída no dia de sua morte.”: http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/sao-jose-de-anchieta

2. Santo Efrém (no Martirológio Romano dia 09 de junho), diá­cono e doutor da Igreja, que exerceu o mi­nis­tério da pre­gação e do en­sino da dou­trina sa­grada pri­mei­ra­mente em Ní­sibe, sua pá­tria; de­pois, re­fu­gi­ando-se com os seus dis­cí­pulos em Edessa, no Os­roene, hoje na Tur­quia, após a in­vasão de Ní­sibe pelos Persas, aí es­ta­be­leceu os fun­da­mentos de uma es­cola te­o­ló­gica. Con­sa­grou-se ao mi­nis­tério com a pa­lavra e com os es­critos e tornou-se tão cé­lebre pela sua aus­te­ri­dade de vida e dou­trina es­pi­ri­tual, que me­receu, pelos ex­ce­lentes hinos que compôs, ser cha­mado a cí­tara do Es­pí­rito Santo. († 378) Obs: Santo Efrém, no DIRETÓRIO DA LITURGIA DA CNBB, dia 08 de junho, é lembrado também dia 08 de junho na Folhinha do Coração de Jesus.

Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 08 de junho, em Edessa, na Síria, no ano da graça de 373, o nascimento no céu de Santo Efrém (também na Folhinha do Coração de Jesus), diácono e Doutor da Igreja. Teólogo zeloso da ortodoxia e poeta de grande talento, compôs em honra de Cristo e da Virgem Maria inumeráveis cantos litúrgicos, que lhe valeram o cognome de “Harpa do Espírito Santo”. (R).

– Ver “Efrém da Síria ou Efrém, o Sírio (em siríaco: ܐܦܪܝܡ ܣܘܪܝܝܐ; romaniz.: Mor/Mar Afrêm Sûryāyâ; em grego: Ἐφραίμ ὁ Σῦρος; romaniz.: Ephraem Syrusc. 306 — 9 de junho de 373) foi um prolífico compositor de hinos e teólogo do século IV, venerado por cristãos do mundo inteiro, especialmente pela Igreja Ortodoxa Síria, como um santo. Nascido em Nísibis, foi discípulo de Tiago de Nísibis na famosa escola da cidade

FESTA  LITÚRGICA: 28 de janeiro (Igreja Ortodoxa OrientalIgreja Católica Oriental); 7º sábado antes da Páscoa (Igreja Ortodoxa Síria); 9 de junho (Igreja Católica Apostólica Romana e Comunhão Anglicana)
18 de junho (Igreja Maronita)”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Efr%C3%A9m_da_S%C3%ADria

3.   Na Via No­men­tana, a quinze mi­lhas de Roma, no lugar cha­mado “Ad Arcas”, os santos Primo e Fe­li­ciano, mártires. († data inc.).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, na Via Normentana, os Santos Primo e Feliciano. Sua “Paixão” os apresenta como dois irmãos, patrícios romanos, que foram condenados à morte por causa de sua fé cristã, durante a perseguição de Diocleciano (M).

– Ver páginas 163-164 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Primo e Feliciano (em latimPrimus et Felicianus) foram irmãos martirizados em 297 durante a perseguição de Diocleciano. Segundo o Martyrologium Hieronymianum[1], os dois foram enterrados no décimo-quarto marco quilométrico da Via Nomentana.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Primo_e_Feliciano

4.   Em Ni­ceia, na Bi­tínia, hoje İznik, na Tur­quia, São Di­o­medes, mártir. († data inc.)

5.   Em Ver­nemet, no ter­ri­tório de Agen, na Aqui­tânia, hoje na França, São Vi­cente, mártir, que, se­gundo a tra­dição, con­sumou o seu mar­tírio pelo nome de Cristo du­rante uma festa pagã dos gen­tios em honra do sol. († s. IV in.).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na diocese de Agen, no séc. III, São Vicente, mártir. (M)

6.   Em Si­ra­cusa, na Si­cília, re­gião da Itália, São Ma­xi­miano, bispo, que é men­ci­o­nado fre­quen­te­mente pelo papa São Gre­gório Magno. († 594).

– Ver páginas 165-166 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

7.   Em Iona, ilha da Es­cócia, São Co­lomba (Columba) ou Colum Cille, pres­bí­tero e abade, na­tural da Ir­landa e ins­truído nos pre­ceitos mo­nás­ticos, que fundou na sua pá­tria e de­pois em Iona vá­rios mos­teiros in­signes pela ob­ser­vância re­li­giosa e pela cul­tura li­te­rária, até que, já an­cião, es­perou se­re­na­mente o seu úl­timo dia e di­ante do altar des­cansou no Senhor. († 597).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na ilha de Iona, no litoral da Escócia, no ano do Senhor de 597, São Columba, abade. Um de seus sucessores o retrata assim: “Natureza aristocrática, brilhante em suas palavras, grandioso em seus conselhos, cheio de amor para com todos, repleto até o fundo de seu coração da serenidade e da alegria do Espírito Santo”. (M).

Ver páginas 167-170 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “São Columba (7 de dezembro de 521 – 9 de junho de 597), também conhecido como Columba de Iona, ou, em gaélico, Colm Cille ou Columcille (“pomba da Igreja“). Foi a grande figura missionária da Escócia. Monge irlandês (gaélico), reintroduziu o Cristianismo entre os Pictos medievais. Diz-se ser o primeiro a ter avistado Nessie, o monstro do lago Ness.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Columba

– Ver ainda “… O mais famoso dos santos escoceses, Columba, era na verdade um irlandês da UI Néill do Norte e nasceu, provavelmente por volta do ano 521, em Gartan, no condado de Donegal. Em ambos os lados ele era de linhagem real, pois seu pai Fedhlimidh, ou Phelim, era bisneto de Niall dos Nove Reféns, senhor da Irlanda, enquanto sua mãe Eithne, além de ser parente dos príncipes da Dalriada escocesa, era descendente de um rei de Leinster. Em seu batismo, administrado por seu pai adotivo, o padre Cruithnechan, o menino recebeu o nome de Coim, Colum ou Columba. Mais tarde na vida, ele foi comumente chamado de Colmcille – uma designação que Bede deriva de cella et Columba, e ser seu lar para o resto de sua vida e que seria famoso em toda a cristandade ocidental por séculos. Seu parente Conall, rei da escocesa Dairiada, a cujo convite ele pode ter vindo para a Escócia, transferiu as terras para ele. Situada em frente à fronteira entre os pictos do norte e os escoceses do sul, Iona formava um centro ideal para missões a ambos os povos. No início, Columba parece ter dedicado seu esforço missionário a ensinar os cristãos imperfeitamente instruídos da Dalriada – a maioria dos quais eram descendentes de irlandeses -, mas depois de cerca de dois anos ele voltou sua atenção para a evangelização dos pictos da Escócia…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune08.html

8.   Em Ân­dria, na Apúlia, re­gião da Itália, São Ri­cardo (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Ricardo de Andria), bispo, na­tural da In­gla­terra e cé­lebre pela sua vir­tude, que aco­lheu con­dig­na­mente as re­lí­quias dos santos Erasmo e Ponciano. († s. XII f.).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. XII, São Ricardo, bispo de origem inglesa, eleito para o serviço da Igreja de Andria, na Puglia. A fama de sua santidade se espalhou pelas cidades vizinhas, que reclamavam o pão de sua palavra. (M).

Ver páginas 171-172 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

9.  Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato Ro­berto Salt, mártir, monge da Car­tuxa desta ci­dade, que, pela fi­de­li­dade à Igreja fir­me­mente con­ser­vada contra o rei Hen­rique VIII, foi de­tido no cár­cere de New­port, onde morreu de fome. († 1537)

10*.   Ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato José Imbert, pres­bí­tero e mártir, da Com­pa­nhia de Jesus, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, foi no­meado pelo papa Pio VI vi­gário apos­tó­lico de Mo­lins e, en­cer­rado num barco-prisão em ódio à Igreja, aí morreu con­ta­giado por uma in­fecção mortal. († 1794)

11*.   Em Roma, a Beata Ana Maria Taigi, mãe de fa­mília, que, mal­tra­tada pela vi­o­lência do es­poso, per­se­verou fi­el­mente a cuidar dele e a ocupar-se da edu­cação dos sete fi­lhos, sem omitir nunca a so­li­ci­tude es­pi­ri­tual e ma­te­rial pelos po­bres e doentes. († 1837).

– Ver páginas 176-179 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Anne suportaria agonias mentais e físicas ao lutar em oração pela conversão de algum pecador endurecido. Freqüentemente, ela lia os pensamentos e motivos de quem a visitava e, portanto, era capaz de ajudá-los de uma forma que parecia sobrenatural. Entre outras pessoas com quem manteve contato, pode-se citar São Vicente Strambi, a data de cuja morte ela predisse. Nos primeiros anos após sua conversão, Bd Anne Mary teve muitos consolos espirituais e êxtases, mas mais tarde, e especialmente durante seus últimos anos, ela sofreu muito com os ataques de Satanás e desolação espiritual. Todas essas provações, bem como problemas de saúde e calúnias, ela suportou com alegria. Ela morreu em 9 de junho de 1837, após sete meses de sofrimento agudo, aos sessenta e oito anos; e foi beatificada em 1920. Seu santuário fica na igreja de São Crisógono dos Trinitários, ordem da qual ela era membro terciário…

Bem-aventurada Anna Maria Taigi, Matrona (AC) Nasceu em Siena, Itália, em 29 de maio de 1769; morreu em 1837; beatificada em 1920….

… Em 14 anos, ela teve quatro filhos e três filhas. Três crianças morreram jovens. Anna Maria sempre confiou na abundância de Deus. Ela instruiu seus filhos na religião católica e tentou formá-los de acordo com o Modelo divino. Ela era rígida, mas misericordiosa. Ela ia à missa diária, de madrugada, e trabalhava até tarde da noite. Ela costurava e lavava roupas para sustentar sua casa e os pobres. Sua casa estava impecável; seus filhos, bem cuidados. Raramente ela aceitava caridade. Em suma, ela era uma dona de casa e mãe modelo.
Domenico não era um santo, mas um marido moderadamente bom.

Ele era mal-humorado, mas depois de sua morte, disse: “Foi por causa dela que corrigi alguns de meus defeitos.” Ele sempre encontrava sua esposa acordada e esperando por ele quando ele voltava do trabalho, às vezes às 2h ou 3h. Obediente ao marido, ela o honrou como o chefe da família…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune08.html

12♦.   Em Turim, na Itália, o Beato Luís Boccardo, pres­bí­tero da di­o­cese de Turim, fun­dador do Ins­ti­tuto das Fi­lhas de Jesus Rei. († 1936)

13. São Julião, solitário na Síria. Ver páginas 159-162 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

14. Santa Diana, na Folhinha do Coração de Jesus.

– Conforme VIDA DOS SANTOS, Bem-Aventuradas Diana de Andalo, Cecília, Amada e companheiras. Ver páginas 173-175: – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Diana degli Andalò (1201 – 10 de junho de 1236), às vezes d’Andalo , foi uma freira dominicana que fundou para sua ordem um convento dedicado a Santa Inês na Itália… Em 1223, Santa Inês em Bolonha foi fundada e Diana entrou na ordem dominicana. [7] Quatro outras freiras também foram trazidas do convento de Santo Sisto em Roma, incluindo Cecília Cesarini , que foi feita prioresa, e Amata ; os três estão sempre associados. [11] [12] [13] Diana permaneceu em Santa Inês até sua morte em 1236, e foi enterrada lá, junto com os restos mortais de Cecília e Amata. Suas relíquias foram movidas várias vezes, mas sempre juntas. A cabeça de Diana foi colocada em um relicário perto da tumba de Dominic. [7] Sua festa é 9 de junho. [10] Ela, junto com Cecília e Amata, foram beatificadas pelo Papa Leão XIII em 1891[14]”: https://en.wikipedia.org/wiki/Diana_degli_Andal%C3%B2

15. Outros santos do dia 09 DE JUNHO: páginas: 159-180 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 09 de junho, ver ainda: 9 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 459-461: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune08.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 08 de junho

1. Santo Efrém, no DIRETÓRIO DA LITURGIA DA CNBB, dia 08 de junho; no Martirológio Romano, dia 09 de junho. Diácono e doutor da Igreja, que exerceu o mi­nis­tério da pre­gação e do en­sino da dou­trina sa­grada pri­mei­ra­mente em Ní­sibe, sua pá­tria; de­pois, re­fu­gi­ando-se com os seus dis­cí­pulos em Edessa, no Os­roene, hoje na Tur­quia, após a in­vasão de Ní­sibe pelos Persas, aí es­ta­be­leceu os fun­da­mentos de uma es­cola te­o­ló­gica. Con­sa­grou-se ao mi­nis­tério com a pa­lavra e com os es­critos e tornou-se tão cé­lebre pela sua aus­te­ri­dade de vida e dou­trina es­pi­ri­tual, que me­receu, pelos ex­ce­lentes hinos que compôs, ser cha­mado a cí­tara do Es­pí­rito Santo. († 378)

Obs: Santo Efrém, no DIRETÓRIO DA LITURGIA DA CNBB, dia 08 de junho, é lembrado também dia 08 de junho na Folhinha do Coração de Jesus.

Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 08 de junho, em Edessa, na Síria, no ano da graça de 373, o nascimento no céu de Santo Efrém (também na Folhinha do Coração de Jesus), diácono e Doutor da Igreja. Teólogo zeloso da ortodoxia e poeta de grande talento, compôs em honra de Cristo e da Virgem Maria inumeráveis cantos litúrgicos, que lhe valeram o cognome de “Harpa do Espírito Santo”. (R).

– Ver “Efrém da Síria ou Efrém, o Sírio (em siríaco: ܐܦܪܝܡ ܣܘܪܝܝܐ; romaniz.: Mor/Mar Afrêm Sûryāyâ; em grego: Ἐφραίμ ὁ Σῦρος; romaniz.: Ephraem Syrusc. 306 — 9 de junho de 373) foi um prolífico compositor de hinos e teólogo do século IV, venerado por cristãos do mundo inteiro, especialmente pela Igreja Ortodoxa Síria, como um santo. Nascido em Nísibis, foi discípulo de Tiago de Nísibis na famosa escola da cidade

FESTA  LITÚRGICA: 28 de janeiro (Igreja Ortodoxa OrientalIgreja Católica Oriental); 7º sábado antes da Páscoa (Igreja Ortodoxa Síria); 9 de junho (Igreja Católica Apostólica Romana e Comunhão Anglicana)
18 de junho (Igreja Maronita)”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Efr%C3%A9m_da_S%C3%ADria

2. Em Aix-La-Pro­vence, na Pro­vença, re­gião da Gália, na ac­tual França, São Ma­xi­mino, a quem se atri­buem os iní­cios da fé cristã nesta cidade. († data inc.)

3. Em Ruão, também na Gália, hoje na França, São Gil­dardo, bispo. († d. 511).

– Ver “São Gildardo, bispo e confessor” página 152 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

4. Em Sois­sons, também na Gália, hoje na França, São Me­dardo, bispo de Saint-Quentin, que, de­pois de ter sido ar­ra­sada a sua ci­dade, trans­feriu a sede epis­copal para Noyon, onde tra­ba­lhou com todo o em­penho para con­verter o povo das su­pers­ti­ções pagãs à dou­trina de Cristo. († 561).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 560, São Medardo, que foi sagrado bispo de Noyon por São Remígio de Reims. Sua fama teve tamanha repercussão, que a rainha Radegunda, depois de abandonar a corte, quis receber dele o véu das religiosas. Uma abadia foi erigida sobre seu túmulo, em Soissons. (M).  

Ver páginas 148-151 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver ainda “…Saint Medard (São Medardo) é o patrono dos cervejeiros, camponeses, prisioneiros (Roeder), colheitas de milho e safra (White). Ele é invocado em nome de idiotas e lunáticos, bem como para fecundidade, tanto na procriação como nos campos, para chuvas e vinhas, e contra o mau tempo e dor de dente (Roeder)…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune08.html

– Ver ainda “… São Medardo é considerado protetor das tempestades, dos trabalhadores do campo e daqueles que sofrem dores de dentes enxaquecas…”: https://www.calendarr.com/brasil/dia-de-sao-medardo/

4.   Em Fano, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, São For­tu­nato, bispo, que se de­dicou di­li­gen­te­mente à re­denção dos cativos. († s. VI f.)

5.   Em Metz, na Aus­trásia, ac­tu­al­mente na França, São Clo­dolfo (também na Folhinha do Coração de Jesus) ou Clodoaldo, bispo, filho de Santo Ar­nolfo e con­se­lheiro do rei. († c. 660).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 660, São Clodoaldo (ou Clodolfo). Segundo uma carta de São Desidério (ou Didier) de Cahors, “só se ouviu falar bem dele, que exortava a todos a seguir os bons exemplos de seu pai, Santo Arnoldo“. (M).  

– Ver “São Clodolfo, bispo de Metz e confessor” página 153 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Clodulfo (696 ou 697) foi bispo de Métis aproximadamente de 657 a 697.

Clodulfo era filho de Arnulfo, bispo de Métis, e irmão mais novo de Ansegiselprefeito do palácio da Austrásia… Ele morreu em 8 de Junho de 696 ou 697 em Métis e foi sepultado na igreja de Santo Arnulfo. Em Nivelles ele foi localmente venerado como Santo Clou, especialmente por sua ligação com Santa Gertrude…”: Clodulfo de Métis – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

6.   Em York, na In­gla­terra, São Gui­lherme Fitzherbert, bispo, homem afável e pa­cí­fico, que, in­jus­ta­mente de­posto da sua sede epis­copal, se re­co­lheu entre os monges de Win­chester e, res­ti­tuído à sua sede, per­doou aos ini­migos e res­ta­be­leceu a paz entre os cidadãos. († 1154).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1154, São Guilherme. Sobrinho do rei Estêvão da Inglaterra, foi eleito arcebispo de York, mas logo caiu em desgraça. Após sete anos de paciência e de humilhações, foi reabilitado graças à intervenção do Pontífice Romano. (M).

Ver “São Guilherme de York, bispo e confessor” página154 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

7*.   Em Lon­dres, o Beato João Davy, diá­cono da Car­tuxa desta ci­dade e mártir, que, no rei­nado de Hen­rique VIII, por causa da sua fi­de­li­dade à Igreja e ao Pon­tí­fice Ro­mano, foi du­ra­mente tor­tu­rado no cár­cere e aí morreu de fome. († 1537)

8.   Em Am­bi­a­tibes, na ilha de Ma­da­gáscar, o São Tiago Berthieu, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que, tanto na paz como na guerra, tra­ba­lhou in­can­sa­vel­mente pelo Evan­gelho e, apesar de ter sido ex­pulso três vezes das mis­sões, preso por ho­mens ar­mados e re­pe­ti­da­mente ins­tado sem êxito à apos­tasia, foi fi­nal­mente as­sas­si­nado em ódio à fé cristã. († 1896).

São Jacques Berthieu. Ver “São Jacques Berthieu (27 de novembro de 1838 em PolminhacCantalFrança – 8 de junho de 1896 em AmbiatibeMadagáscar), foi um sacerdote jesuíta francês, missionário em Madagáscar. Morreu pela fé cristã durante a rebelião de 1896.

É o primeiro mártir de Madagáscar a ser beatificado. Foi canonizado pelo Papa Bento XVI em 21 de outubro de 2012.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jacques_Berthieu

9*.   No Porto, ci­dade de Por­tugal, a Beata Maria do Di­vino Co­ração de Jesus (Maria Droste zu Vis­che­ring), virgem, da Con­gre­gação das Irmãs da Ca­ri­dade do Bom Pastor, que pro­moveu ad­mi­ra­vel­mente a de­voção ao Sa­grado Co­ração de Jesus. († 1899).

– Ver “A Irmã Maria do Divino Coração (Münster8 de setembro de 1863 – Porto8 de junho de 1899), nascida Maria Droste zu Vischering, foi uma personalidade da mais elevada nobreza alemã e santa católica, religiosa da Congregação de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor e Madre Superiora do Convento do Bom Pastor do Porto, mais conhecida por ter influenciado o Papa Leão XIII a efectuar a consagração do Mundo ao Sagrado Coração de Jesus. O próprio Papa Leão XIII chamou a essa consagração solene “o maior acto do meu pontificado”.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_do_Divino_Cora%C3%A7%C3%A3o

10*.   Em Kuzhik­kat­tus­sery, no Ké­rala, es­tado da Índia, a Beata Maria Te­resa Chi­ramel Mankidiyan, virgem, emi­nente pela sua vida ere­mí­tica e aus­tera pe­ni­tência, que pro­curou a Cristo nos mais po­bres e nos mais aban­do­nados e fundou a Con­gre­gação das Irmãs da Sa­grada Família. († 1926)

11*.   Em Cá­gliari, na Sar­denha, o Beato Ni­colau de Ges­túri (João Medda), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que, sempre pronto para ajudar os in­di­gentes, com o exemplo da sua vir­tude e da sua bon­dade es­ti­mulou muitos ou­tros à prá­tica da ca­ri­dade para com os pobres. († 1958)

12. São Salustiano, na Folhinha do Coração de Jesus

– Ver também “Salustiano de Jerusalém foi o patriarca de Jerusalém entre 486 e 493. Salustiano foi envolvido numa discussão entre os monges que viviam sob o guia São Sabas. Os monges revoltosos fizeram acusações contra o santo que Salustiano considerou falsas, porém o patriarca entendeu que a comunidade onde Sabas vivia não poderia permanecer sem um padre e convenceu-o a aceitar a ordenação[1] em 491.[2] Além disso, Salustiano fez de Sabas o exarca de todos os monges da Palestina que viviam isolados em suas celas.[1] Quando Salustiano morreu, os monges foram reclamar com Elias I, seu sucessor, novamente sem sucesso.[1]

Ele era um opositor do monofisismo e lutou contra os monges que fizeram dos mosteiros da Palestina a sua base de operações.[3]… Sobre MONOFISISMO, ver ‘Monofisismo (do grego μονο- [«único»] e ϕύσις [«natureza»]) é o ponto de vista cristológico que defende que, depois da união do divino e do humano na encarnação histórica, Jesus Cristo, como encarnação do Filho ou Verbo (Logos) de Deus, teria apenas uma única “natureza”, a divina, e não uma síntese de ambas… Conforme: https://pt.wikipedia.org/wiki/Monofisismo”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Salustiano_de_Jerusal%C3%A9m

– Outro São Salustiano. Ver “Alguns relatos o listam como um mártir, enquanto outros relatam que ele era um eremita. Sallustian of Sardinia (RM). São Sallustian é venerado na Sardenha desde os tempos antigos, mas nada se sabe ao certo sobre sua vida. Alguns martirologistas afirmam que ele é um mártir; outros, um eremita (beneditinos).”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune08.html

13. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, Santo Héracles, bispo que favoreceu a implantação do cristianismo no território de Sens, no momento do batismo de Clóvis (M).

14. Bem-Aventurado Pacífico de Cerano, confessor. Ver páginas 155-156 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

15. Santa Eustadíola, abadessa. Ver páginas 157-158 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

16. Santa Melânia a velha. Ver ‘Melânia, a Velha (340 – 410) foi uma nobre romana do final do século IV e começo do V venerada como santa pela Igreja”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Mel%C3%A2nia,_a_Velha

– Ver “Santa Melânia, anciã. Santa Melânia entrou no convento e entrou na vida eterna lá em 410. Sua neta, Melania, a Jovem, é comemorada em 31 de dezembro.”: São Melania, a | Arquidiocese cristã ortodoxa antioquiia (antiochian.org)

– Ver também “… uma mulher patrícia da família Romana Valerii. Ela foi uma das primeiras matronas romanas a fazer uma peregrinação à Terra Santa, onde fundou um mosteiro no Monte das Oliveiras, em Jerusalém. Melânia, a Velha, Viúva (AC), morreu em Jerusalém c. 400-410. Esta Melânia, patrícia romana da família Valerii, era avó paterna da santa com o mesmo nome.  … na palestina, era associada a São Jerônimo. Melânia deixou a Itália para sempre após a invasão visigótica. Ela tinha uma personalidade um tanto dominadora e seu relacionamento com a neta nem sempre foi fácil. A relação com São Jerônimo foi um confronto de titãs (Attwater, Benedictines). Santa Melânia é retratada na arte como uma viúva orando em uma caverna com um pote d’água, pão e um cajado de peregrino perto dela (Roeder) …”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune08.html

17. Outros santos do dia 08 DE JUNHO: páginas: 148-158 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 08 de junho, ver ainda: 8 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 457-458: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune08.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 07 de junho

1*.     Na Hi­bernia, ac­tual Ir­landa, São Col­mano, bispo e abade do mos­teiro de Dro­more por ele fun­dado, que tra­ba­lhou ad­mi­ra­vel­mente pela fé no ter­ri­tório de Down. († s. VI).

– Ver página 136 (NÃO TEM LINK), São Colman: – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “… Segundo a tradição, São Colman de Dromore nasceu em Dalriada (Argyllshire). Depois de receber seu primeiro treinamento em Nendrum, ou Ilha Mahee, de St Coelan , ele se tornou um discípulo de St Ailbe de Emly . Entre seus amigos estava São Macanísio, cujo conselho ele procurou quanto à sua futura carreira. “É vontade de Deus que ergais um mosteiro dentro dos limites da planície de Coba”, foi a resposta que recebeu. Ele, portanto, começou a trabalhar e estabeleceu sua comunidade perto do rio Lagan que passa por Dromore. O mais famoso de seus alunos foi São Finniano de MovilleSt. Colman parece ter morrido em meados do século VI ou antes, e provavelmente foi enterrado em Dromore, embora o Breviário de Aberdeen dê Inchmacome como seu local de sepultamento. Sua festa é celebrada em todas as dioceses da Irlanda…

… Nasceu em Argyll, c. 516; cultus aprovado em 1903; ele tem uma segunda festa em 27 de outubro. Se você está confuso com os muitos santos chamados Colman, junte-se ao clube: há 126 santos irlandeses com esse nome ilustre. O santo de hoje foi o primeiro abade de Muckmore, Condado de Antrim, então escolhido como o abade-fundador e bispo de Dromore no Condado de Down. Ele teria sido o professor de São Finnian de Clonard. Jocelin, em sua vida de São Patrício, nos conta que a virtude de Colman foi predita por Patrício. Sua lenda atribui muitos milagres ao bispo.
Este Colman é o santo titular de pelo menos uma igreja na Escócia, Inis Mo-Cholmaig, e uma no País de Gales, Llangolman (Attwater, Benedictines, Encyclopedia, Husenbeth, Montague).”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune07.html

2.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da His­pânia, os santos már­tires Pedro (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Pedro de Córdova), pres­bí­tero, Va­la­bonso, diá­cono, Sa­bi­niano, Vis­tre­mundo, Ha­bêncio e Je­re­mias, monges, que por Cristo foram de­go­lados na per­se­guição dos Mouros. († 851).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Córdova, em 851, o martírio de São Pedro e seus companheiros, que frente ao Islamismo confessaram Cristo, único mediador entre Deus e os homens. (M).

Ver página 144 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

3.   Em New­minster, na Nor­túm­bria, re­gião da In­gla­terra, São Ro­berto, abade, da Ordem Cis­ter­ci­ense, que, as­pi­rando in­ten­sa­mente à vida de oração e po­breza, fundou com doze com­pa­nheiros este ce­nóbio, do qual ir­ra­diou em breve tempo a fun­dação de três fa­mí­lias de monges. († 1159).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Inglaterra, no ano do Senhor de 1159, São Roberto. Originário de uma humilde família do condado de York, pôde todavia completar seus estudos e prossegui-los em Paris. Após alguns anos de apostolado, tomou o hábito cisterciense na abadia de Fountains, de onde fundou, posteriormente, na fronteira com a Escócia, o mosteiro de Newminster. (M).

Ver páginas: 129-131 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

4*.   Em An­tuérpia, no Bra­bante, ac­tu­al­mente na Bél­gica, a Beata Ana de São Bartolomeu (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem da Ordem da Car­me­litas Des­calças, dis­cí­pula e se­cre­tária de Santa Te­resa de Jesus e do­tada de dons mís­ticos, que di­vulgou e re­novou com fer­vo­rosa as­sis­tência a Ordem na França. († 1626).

– Ver “… Nos escritos de Santa Teresa d’Ávila encontramos várias alusões a uma jovem leiga, Ana de São Bartolomeu, a quem ela fez sua companheira especial e a quem certa vez descreveu como uma grande serva de Deus. Ana era filha de Ferdinand Garcia e Catarina Mançanas, camponeses que viviam em Almendral, a seis quilômetros de Ávila. Até os vinte anos ela trabalhou como pastora, mas depois obteve a admissão no convento carmelita de São José de Ávila. Durante os últimos sete anos de sua vida, Santa Teresa levou Ana em quase todas as suas viagens, declarando que em sua obra de fundações e reformas a considerava mais útil do que qualquer outra pessoa. Várias vezes ela propôs que Anne recebesse o véu preto, mas Anne sempre recusou, preferindo permanecer uma irmã leiga. Anne deixou uma descrição gráfica da viagem de Medina a Alba e da morte da santa, registrando pateticamente o consolo que ela mesma obteve ao poder gratificar o amor da Santa Mãe pelo asseio até o fim. “No dia em que ela morreu, ela não conseguia falar. Mudei toda a sua roupa de cama, toucado e mangas. Olhou-se bastante satisfeita por se ver tão limpa: depois, voltando os olhos para mim, olhou-me com um sorriso e manifestou a sua gratidão por sinais. «Foi nos braços de Anne que Santa Teresa deu o seu último suspiro…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune07.html

Ver páginas 138-141 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

5.   Em Pi­a­cenza, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o pas­sa­mento de Santo An­tónio Maria Gi­a­nélli (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Bóbbio, que fundou a Con­gre­gação das Fi­lhas de Maria San­tís­sima do Horto e res­plan­deceu pelo em­penho e lu­mi­noso exemplo de de­di­cação às ne­ces­si­dade dos po­bres, à sal­vação das almas e à pro­moção da san­ti­dade do clero. († 1846).

Ver páginas 142-143 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

6*.   Em Paris, na França, a Beata Maria Te­resa de Sou­biran La Louvière, virgem, que, para maior glória de Deus, fundou a So­ci­e­dade de Maria Au­xi­li­a­dora, da qual foi ex­pulsa, pas­sando o resto da sua vida em pro­funda humildade. († 1889).

– Ver também “…Madre Maria Teresa de Soubiran La Louvière foi beatificada por Pio XII em 20 de outubro de 1946”: http://heroinasdacristandade.blogspot.com/2013/06/beata-maria-teresa-soubiran-la-louviere.html

– Ver ainda “…Porém uma Irmã, que a substituiu à frente da obra, expulsou Maria Teresa da Congregação. Em 1874, ela chega a Paris onde é acolhida pelas Irmãs de Nossa Senhora da Caridade, sendo esquecida até a sua morte, em 7 de junho de 1889. Um ano depois, a nova Superiora eleita pela Congregação reabilita a memória de Madre Maria Teresa junto às Irmãs de Maria Auxiliadora…”: http://alexandrina.balasar.free.fr/maria_teresa_de_soubiran.htm

– Ver páginas 145-147 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

7. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Egito, o martírio de São Licarião, que seguiu suas duas irmãs mais velhas na morte, repetindo: “Também sou cristão” (M). 

– Ver páginas 132-133 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

8. Conforme o Martirológio-Monástico, perto de 350, São Paulo, arcebispo de Constantinopla. Em menos de vinte anos sofreu o exílio por três vezes, por causa de sua fidelidade à fé apostólica, mas foi recolocado em sua função pelo Pontífice Romano Júlio II (M).

– Ver páginas 134-135 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Paulo I de Constantinopla, também chamado de São Paulo, o Confessor, foi um arcebispo de Constantinopla, eleito em 336 ou 340 d.C. Sua festa é comemorada em 7 de junho.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Paulo_I_de_Constantinopla

– Ver ainda: https://en.wikisource.org/wiki/Dictionary_of_Christian_Biography_and_Literature_to_the_End_of_the_Sixth_Century/Paulus_I,_bishop_of_Constantinople

– Ver: https://www.newadvent.org/fathers/26012.htm

– Ver também “… Morreu c. 350. O Patriarca São Paulo passou a maior parte de seu episcopado no exílio. Ele foi eleito em 336; exilado no ponto 337-338; exilado em Trèves por um sínodo ariano até 340; e, em 342, ele foi enviado acorrentado à Mesopotâmia pelo imperador Constâncio. Recordado em 344, foi banido pela última vez para Kukusus, na Armênia, onde ficou sem comer por seis dias e depois estrangulado (beneditinos). Na arte, São Paulo é retratado como um bispo com uma estola na mão ou como estrangulado com sua própria estola (Roeder)…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune07.html

9. São Vulflágio, ermitão. Ver página 137 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “… ST VULFLAGIUS, OU WULPHY
Em sua juventude, St. Vulflagius se casou e se estabeleceu em sua cidade natal de Rue, um pequeno lugar perto de Abbeville. Lá ele levou uma vida tão exemplar com sua esposa e três filhas que seus concidadãos, após a morte de seu padre, o elegeram para ser seu pastor. Assim, com o consentimento de sua esposa, Vulflagius recebeu a ordenação de São Ricardo (Riquier). Depois de algum tempo, porém, agindo contra sua consciência, ele retomou relações com sua esposa, a quem era muito ligado. [* Deve ser lembrado que nesta data o celibato no sacerdócio, embora recomendado, não era uma obrigação geral.]
Ele logo se arrependeu e, como parte de sua expiação, empreendeu uma peregrinação à Terra Santa. Quando voltou, ainda se considerava indigno de servir de pastor para os outros. Consequentemente, ele se retirou para um lugar solitário onde vivia como um eremita. Ele foi muito tentado a abandonar sua solidão, mas permaneceu firme e foi recompensado com os dons da sabedoria e dos milagres. Os homens recorriam a ele de perto e de longe para lucrar com suas instruções e serem curados de suas doenças. Ele morreu provavelmente por volta de 643. Suas relíquias foram traduzidas no século IX para Montreuil-sur-Mer e ainda são veneradas lá…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune07.html

10. Outros santos do dia 07 DE JUNHO: páginas: 129-147 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 07 de junho, ver ainda: 7 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 455-456: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune07.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 06 de junho

1. São Nor­berto, bispo, homem de vida aus­tera, to­tal­mente con­sa­grado à união com Deus e à pre­gação do Evan­gelho, que fundou a Ordem de Có­negos Re­grantes Pre­mons­tra­tenses em Laon, na França; eleito de­pois bispo de Mag­de­burgo, na Sa­xónia, na ac­tual Ale­manha, em­pe­nhou-se na re­foma da vida cristã e na ex­pansão da fé entre os povos vizinhos. († 1134).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1134, o nascimento no céu de São Norberto (também na Folhinha do Coração de Jesus) fundador da ordem dos Cônegos Premonstratenses, cujos membros se dedicam ao ministério pastoral na comunhão fraterna e à celebração litúrgica. Tornando-se arcebispo de Magdeburgo, na Saxônia, mostrou-se um dos maiores artífices da reforma gregoriana. Seu corpo foi transferido para Praga. (R).

Ver páginas 72-109: – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 (NÃO TEM LINK)

– Ver também “Norberto de Gennep (GennepBaixo Reno, c. 1080 — Magdeburg6 de junho de 1134) é um santo cristão holandês

Norberto morreu no dia 6 de junho de 1134, na sua sede episcopal, onde foi sepultado.

Foi canonizado, em 1582, pelo papa Gregório XIII. Devido à Reforma Protestante, suas relíquias foram trasladadas para a abadia de Strahov, na cidade de Praga, capital da República Tcheca, em 1627, onde estão guardadas até hoje.

Ao lado de São BernardoSão Norberto é considerado um dos maiores reformadores eclesiásticos do século XII. Atualmente, existem milhares de cônegos da Ordem de São Norberto, em vários mosteiros encontrados em muitos países de todos os continentes, inclusive no Brasil.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Norberto_de_Xanten

2.   Na Via Au­rélia, a duas mi­lhas de Roma, os santos Ar­témio e Pau­lina (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártires. († c. s. IV)

3.   Em Cete, no Egipto, São Bes­sa­rião, ana­co­reta, que viveu como men­digo e pe­re­grino por amor de Deus. († s. IV)

4*.   Em Gre­noble, na Bor­gonha, ac­tu­al­mente na França, São Ce­rázio, bispo, que agra­deceu ao papa São Leão Magno as cartas es­critas a Fla­viano e pre­servou o seu re­banho do con­tágio da heresia. († c. 452)

5.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Eus­tórgio II, bispo, que foi in­signe pela sua pi­e­dade, jus­tiça e vir­tudes pas­to­rais e edi­ficou um cé­lebre baptistério. († 518)

6*.   Na Ir­landa, São Jarlat, bispo. († c. 550)

7.   No ma­ciço do Jura, na Bor­gonha, re­gião da França, São Cláudio, que é ve­ne­rado como bispo e abade do mos­teiro de Condat. († c. 703).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Cláudio. Inicialmente militar, abraçou a vida monástica em Condat, antes de ser eleito bispo de Besançon, mas demitiu-se logo desse cargo para buscar a solidão. Seu nome está ligado a seu mosteiro, e, por extensão, à cidade que se desenvolveu em seu redor. (M).

– Ver “Cláudio de Besançon (em francêsClaudec. 607–6 de junho de 696 ou 699), chamado também de Cláudio, o Taumaturgo[1], foi um padremongeabade e bispo. Um nativo do Franco-Condado, Cláudio foi ordenado sacerdote em Besançon e depois tornou-se monge. Segundo a Enciclopédia Católica“a vida de São Cláudio, abade do Condado, tem sido tema de muita controversa”.[2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cl%C3%A1udio_de_Besan%C3%A7on

8.   No ter­ri­tório de Bo­lonha, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o pas­sa­mento de Santo Ale­xandre, bispo de Fié­sole, que, ao re­gressar da ci­dade de Pavia, aonde tinha ido re­clamar ao rei dos Lom­bardos os bens da sua Igreja usur­pados, foi lan­çado ao rio e afogado. († 823)

9.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, Santo Hi­la­rião, pres­bí­tero e he­gú­meno do mos­teiro de Dal­mácio, que, por de­fender o culto das sa­gradas ima­gens, su­portou in­ven­ci­vel­mente o cár­cere, as fla­ge­la­ções e o exílio. († 845)

10*.   Nas ilhas Ór­cades, ao largo da Es­cócia, São Col­mano, bispo. († c. 1010)

11*.   No mos­teiro de Cava de’ Tir­réni, na Cam­pânia, re­gião da Itália, o Beato Falcão, abade. († 1146).

– Ver página 119 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

12*.   Em Cler­mont-Fer­rand, na Aqui­tânia, re­gião da França, São Gil­berto, abade da Ordem Pre­mons­tra­tense, que, de­pois de ter vi­vido como ere­mita, cons­truiu o mos­teiro e o hos­pital de Neufontaines. († 1152).

– Ver páginas 123-124 (NÃO TEM LINK), São Gilberto, abade, e Santas Petronilha e a Bem-Aventurada Pôncia, abadessas: – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

13*.   Em Údine, no Friúli-Ve­nézia Giúlia, re­gião da Itália, o Beato Bel­trão, bispo de Aqui­leia e mártir, que pro­moveu com ardor a for­mação do clero, sus­tentou com os seus bens os po­bres no tempo da fome, de­fendeu vi­go­ro­sa­mente os di­reitos da sua Igreja e morreu no­na­ge­nário, fe­rido pelos golpes de al­guns sicários. († 1350)

14*.   Em Or­tona, nos Abruzos, também re­gião da Itália, o Beato Lou­renço de Más­culis de Villamagna, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, in­signe na pre­gação da pa­lavra de Deus. († 1535).

– Ver página 122 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

15*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato Gui­lherme Gre­enwood, mártir, da Car­tuxa desta ci­dade, que, pela sua tenaz fi­de­li­dade à Igreja, no rei­nado de Hen­rique VIII, so­freu o mar­tírio, con­su­mido pela sor­didez do cár­cere, pela fome e pelas enfermidades. († 1537)

16.   Em Saint-Cha­mond, ci­dade do ter­ri­tório de Lião, na França, São Mar­ce­lino Cham­pagnat (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da So­ci­e­dade de Maria, que fundou o Ins­ti­tuto dos Pe­quenos Ir­mãos de Maria para a for­mação cristã das crianças. († 1840).

– Ver “Marcellin Joseph Benoît Champagnat, aportuguesado para Marcelino José Bento Champagnat (20 de maio de 1789Marlhes – 6 de junho de 1840Notre Dame de l’Hermitage) foi um presbítero da Sociedade de Maria, fundador do Instituto dos Pequenos Irmãos de Maria e das Escolas Irmãos Maristas. Foi canonizado pelo Papa João Paulo II em 1999

… Chega em La Valla em junho de 1816 e em 2 de janeiro de 1817, aos seus 27 anos, reúne seus dois primeiros discípulos formando os irmãos Maristas. Ele forma seus irmãos com o intuito de catequizar os jovens e criar neles o espírito cristão, tendo por base as lições “mariais”.

Funda sua primeira casa, que logo se torna pequena pela quantidade de gente necessitando de ajuda, passa por inúmeras dificuldades, a principal delas a incompreensão do clero em relação aos seus projetos catequistas, mesmo assim continuou abrigando e catequizando crianças devido a intensa procura da população rural.

Eles fundam uma nova casa, com capacidade para um maior número de pessoas tendo o nome de: “Nossa Senhora de l’Hermitage”. “Tornar Jesus Cristo conhecido e amado” é a missão dos Irmãos, e eles realizam essa missão através das escolas e instituições sociais.

Em 1836, a igreja reconhece a Sociedade de Maria e lhe confia a missão da Oceania.

Esgotado pelo trabalho, morre aos 51 anos de idade, 6 de junho de 1840, deixando aos irmãos a mensagem: “Que haja entre vocês um só coração e um só espírito! Que se possa dizer dos irmãozinhos de Maria como dos primeiros cristãos: ‘vejam como eles se amam!'”.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Marcellin_Champagnat

– Ver também “…São Marcelino Champagnat, fundador dos Pequenos Irmãos de Maria, os maristas, colega de classe de São Vianney, nasceu em 20 de maio (1789-05-20) St. Etienne, França. Morreu em 6 de junho de 1840 (51 anos) Marlhes, França… O Instituto dos Irmãos Maristas não foi formalmente aprovado até 1863 pelo Papa Pio IX. A filosofia educacional de Champagnat era simples: para ensinar as crianças é preciso amá-las, e as disciplinas seculares deveriam ser bem ensinadas como meio das crianças para as escolas, onde aprenderiam os elementos básicos de sua fé. Champagnat viu Deus no centro da vida e a Virgem Maria como meio seguro de atrair as pessoas para Deus. Marcelino Champagnat foi declarado Venerável em 1920 pelo Papa Bento XV, beatificado pelo Papa Pio XII em 29 de maio de 1955 e canonizado pelo Papa João Paulo II em 18 de abril de 1999. Sua festa é celebrada na Igreja Católica Romana em 6 de junho. Em seu maior número, os Irmãos Maristas somavam cerca de 10.000. Em 2005, havia cerca de 5.000 irmãos…

Depois de uma longa e dolorosa enfermidade de câncer, Champagnat faleceu em 6 de junho de 1840, aos 51 anos, em Nossa Senhora de l’Hermitage, no vale do rio Gier, a cerca de 30 quilômetros de onde havia começado seu trabalho. Foi sepultado em 8 de junho. Ele deixou esta mensagem em seu Testamento espiritual de 18 de maio de 1840: “Haja entre vocês um só coração e uma só mente. Sempre se diga dos Pequenos Irmãos de Maria como o foi dos primeiros cristãos: Vede como eles amam um outro!” Naquela época, havia 280,4 Irmãos e 48,8 escolas maristas na França e na Oceania (Pacífico Sul), e em 1856 havia 300 casas e mais de 1.500 Irmãos…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune06.html

17.   Em Luong My, ci­dade do Ton­quim, hoje no Vi­etnam, os santos már­tires Pedro Dung e Pedro Thuan, pes­ca­dores, e Vi­cente Duong, agri­cultor, que, por se re­cu­sarem fir­me­mente a pisar a cruz, foram con­de­nados à fo­gueira no tempo do im­pe­rador Tu Duc. († 1862)

18*.   Na Ci­dade do Mé­xico, o pas­sa­mento de São Ra­fael Guizar Valência, bispo de Vera Cruz, no Mé­xico, que, no tempo da per­se­guição, apesar da sua si­tu­ação de exi­lado e clan­des­tino, exerceu va­lo­ro­sa­mente o mi­nis­tério episcopal. († 1938)

19*.   Em Sa­ch­se­nhausen, na Ale­manha, o Beato Ino­cêncio Guz, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais e mártir, na­tural da Po­lónia, que, du­rante a ocu­pação mi­litar da sua pá­tria por sec­tá­rios de uma dou­trina hostil à dig­ni­dade hu­mana e à re­li­gião, pela sua fé em Cristo foi cru­el­mente morto pelos guardas do campo de concentração. († 1940)

20. No Martirológio Romano-Monástico, na Palestina, São Filipe, que foi um dos sete primeiro diáconos ordenados pelos Apóstolos. Evangelizou a Samaria, converteu o mago Simão e batizou um criado da rainha da Etiópia, depois de haver-lhe anunciado a Boa Nova de Jesus, o Cordeiro de Deus e Servo Sofredor profetizado por Isaías (M).

– Ver páginas 110-115 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

21. São Cerácico, Cerato ou Cerásio, bispo e confessor. Ver página 116 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

22. Santo Agobardo, arcebispo. Ver páginas 117-118 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

23. São Geraldo de Monza, confessor. Ver páginas 120-121 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

24. São Bertrand de Angoulème, patriarca da Aquiléia e Mártir. Ver páginas 125-126 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

25. Outros santos do dia 06 DE JUNHO: páginas: 72-128 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 06 de junho, ver ainda: 6 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIA NO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 452-455: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune06.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 05 de junho

1. Me­mória de São Bo­ni­fácio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo e mártir. Era monge de nome Vin­fredo e, vindo da In­gla­terra para Roma, foi re­ce­bido pelo papa Gre­gório II, que o or­denou bispo; to­mando o nome de Bo­ni­fácio, foi en­viado à Ale­manha para anun­ciar o nome de Cristo àqueles povos; ali ga­nhou para a re­li­gião cristã mul­ti­dões inu­me­rá­veis e go­vernou a sede epis­copal de Mo­gúncia; fi­nal­mente, em Dokkum, na Frísia, ac­tu­al­mente na Ho­landa, mas­sa­crado à es­pada por gen­tios fu­ri­osos, con­sumou o martírio. († 754).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Bonifácio. Monge beneditino inglês enviado em missão à Germânia, lá organizou a Igreja criando novos bispados e fundando mosteiros. Nomeado arcebispo de Mogúncia pela Sé Romana, foi martirizado em pleno trabalho evangelizador na Frísia. Seu corpo foi enterrado na abadia de Fulda, que ele fundara em 744, e onde se tornou objeto de veneração de toda a Alemanha católica. (R).

Ver páginas 32-60: Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS (não tem link) – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

– Ver também sobre São Bonifácio no dia 13 de fevereiro em São Gregório II, páginas 210-229, especialmente a partir da página 211: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

–  Ver também “Bonifácio (em latimBonifacius – “aquele que faz o bem”;ca. 672 — 5 de Junho de 754 ou 755), de seu nome verdadeiro Vinfrido (Wynfrith ou Winfrid; com o mesmo significado em anglo-saxão), e cognominado Apóstolo dos Germanos…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Bonif%C3%A1cio_de_Mog%C3%BAncia

– Ver ainda “… Bonifácio, conhecido como o apóstolo dos alemães, foi um monge beneditino inglês que desistiu de ser eleito abade para dedicar sua vida à conversão das tribos germânicas. Duas características se destacam: sua ortodoxia cristã e sua fidelidade ao papa de Roma…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune05.html

2. No Egipto, os santos Mar­ciano, Ni­candro, Apo­lónio e com­pa­nheiros, már­tires, que, se­gundo a tra­dição, por causa da pro­fissão da fé cristã so­freram grandes tor­mentos e, por fim, en­cer­rados num re­cinto cer­cado por um muro e ex­postos ao calor do sol ar­dente, mor­reram ex­te­nu­ados pela sede e pela fome. († s. III)

3. Em Tiro, na Fe­nícia, hoje no Lí­bano, São Do­roteu, bispo, que, ainda pres­bí­tero, so­freu muitas tri­bu­la­ções no tempo do im­pe­rador Di­o­cle­ciano e viveu até ao tempo do im­pe­rador Ju­liano, sob cuja ju­ris­dição, com a idade de cento e sete anos, se­gundo consta, honrou a sua ve­ne­rável ve­lhice com o mar­tírio na Trácia. († s. IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 362, São Doroteu, bispo de Tiro, que, como verdadeiro pastor, deu sua vida por suas ovelhas. (M).

Ver página 61 não tem link): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver ainda “Doroteu de Tiro, também conhecido como Pseudo-Doroteu, bispo de Tiro, é tradicionalmente creditado como o autor dos “Atos” dos Setenta Apóstolos (que pode ser a mesma obra chamada de “Evangelho dos Setenta“), que foram enviados numa missão evangélica em Lucas 10:1.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Doroteu_de_Tiro

– Ver São Doroteu, anacoreta de Tebas, conforme página 62, (não tem link): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver São Doroteu, o jovem, abade. Página 63, (não tem link): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver São Doroteu, o arquimandrita página 64, (não tem link): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

ABAIXO, VÁRIAS REFERÊNCIAS SOBRE SÃO DOROTEU (vários santos com este nome).:

– Ver também “Doroteu de Gaza (505 — 565/620), também chamado de Aba Doroteu e Doroteu, o Eremita, foi um monge e abade cristão. Ele se juntou ao mosteiro de São Seridão, perto de Gaza, por influência dos anciãos Barsanúfio e João, o Profeta. Por volta de 540, ele fundou seu próprio mosteiro nas proximidades e se tornou abade. Ele escreveu instruções para os monges, das quais uma considerável quantidade sobreviveu e foram compiladas numa obra chamada “Instruções sobre o treinamento espiritual”.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Doroteu_de_Gaza

– Ver ainda: http://www.orthodoxphotos.com/readings/instructions/dorotheus.shtml

– Ver “Doroteu de Gaza, humildade e comunhão”: https://www.taize.fr/pt_article5261.html

– Ver: https://en.wikisource.org/wiki/Dictionary_of_Christian_Biography_and_Literature_to_the_End_of_the_Sixth_Century/Dorotheus_(3),_presbyter_at_Antioch

– Ver ainda: https://en.wikisource.org/wiki/Dictionary_of_Christian_Biography_and_Literature_to_the_End_of_the_Sixth_Century/Dorotheus_(10),_bp._of_Thessalonica

4. Em Ar­vena, na Aqui­tânia, hoje Cler­mont-Fer­rand, na França, Santo Ilídio, bispo, que, cha­mado pelo im­pe­rador a Tré­veris para li­bertar sua filha do es­pí­rito imundo, no re­gresso à sua sede, partiu ao en­contro do Senhor. († 384)

5*. Em Como, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Eu­tí­quio, bispo, in­signe pela sua oração in­tensa e seu amor da so­lidão com Deus. († 539)

6. Em Dokkum, na Frísia, na ho­di­erna Ho­landa, Santo Eu­bano, bispo, Ade­lário e nove companheiros, már­tires, que, jun­ta­mente com São Bo­ni­fácio, foram co­ro­ados no mesmo com­bate glorioso. São estes os nomes: santos Vin­trungo e Gualter, pres­bí­teros; Amundo, Se­vi­baldo e Bosa, diá­conos; Va­caro, Gun­de­caro, Eluro e Ate­vulfo, monges. († 754)

7. Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, o Beato Sancho, mártir, que, ainda ado­les­cente, le­vado pri­si­o­neiro da ci­dade de Albi e ins­truído em Cór­dova na corte do rei, du­rante a per­se­guição dos Mouros não he­sitou em so­frer o mar­tírio pela fé em Cristo. († 851).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Córdova, em 851, o Bem-Aventurado Sancho, jovem cristão que confessou Cristo até o martírio, diante do Islamismo. (M).

8*. Em As­sérgi, nos Abruzos, re­gião da Itália, São Franco, ere­mita, que cons­truiu uma es­treita cela numa ca­verna entre os ro­chedos e aí viveu em suma as­pe­reza e frugalidade. († s. XII)

9. Em Ciano, perto de Mi­leto, na Ca­lá­bria, também re­gião da Itália, São Pedro Spanò, ere­mita, in­signe pela sua po­breza e es­pí­rito de compunção. († s. XII)

10♦. Em Shiki, no Japão, o Beato Adão Arakawa, pai de fa­mília e mártir. († 1614)

11. Em Hanói, no Ton­quim, hoje no Vi­etnam, São Lucas Vu Ba Loan, pres­bí­tero e mártir, de­go­lado no tempo do im­pe­rador Minh Mang pela sua fé em Cristo. († 1840)

12. Em Tang Gia, também no Ton­quim, os santos Do­mingos Toai e Do­mingos Huyen, már­tires, pais de fa­mília e pes­ca­dores, que, no tempo do im­pe­rador Tu Duc, apesar de serem ator­men­tados com vá­rios gé­neros de tor­tura du­rante o seu longo ca­ti­veiro, com grande co­ragem exor­tavam os com­pa­nheiros de prisão a con­servar a fé, con­su­mando de­pois na fo­gueira o seu martírio. († 1862)

13. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Cesaréia da Palestina, a paixão das Santas Círia (também na Folhinha do Coração de Jesus) Valéria e Márcia.

14. Bem-aventurado Fernando de Portugal, também na Folhinha do Coração de Jesus. Jesus. Ver páginas 65-70 (não tem link): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

15. Outros santos do dia 05 DE JUNHO: páginas: 32-71 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 05 de junho, ver ainda: 5 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 450-452: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune05.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 04 de junho

1.   Em Sa­vária, na Pa­nónia, hoje Szom­bathly, na Hun­gria, a paixão de São Qui­rino, bispo de Sis­zeck, na Ilíria, e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Ga­lério, por causa da sua fé em Cristo, foi lan­çado ao rio com uma grande pedra li­gada ao pescoço. († 309).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Sabaria, atualmente no território da Hungria, durante a perseguição de Diocleciano, a paixão de São Quirino, bispo. Ao governador Máximo, que o intimara a sacrificar aos ídolos, replicou: “Eu exerço o sacerdócio, e serei plenamente sacerdote se oferecer a mim mesmo em sacrifício ao Deus verdadeiro”!

– Ver páginas 23-24 no Vol X do VIDAS DOS SANTOS.

2.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Me­tró­fanes, bispo de Bi­zâncio, que con­sa­grou a Deus a Nova Roma. († 325).

São Metrófano, bispo de Constantinopla. Ver página 25 no Vol X do VIDAS DOS SANTOS.

3.   Em Mi­levi, na Nu­mídia, ac­tu­al­mente na Ar­gélia, a co­me­mo­ração de Santo Op­tato, bispo, que, nos seus es­critos contra a he­resia do­na­tista, afirmou a uni­ver­sa­li­dade da Igreja e a ne­ces­si­dade in­trín­seca da uni­dade dos cristãos. († s. IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Milévia, na Numídia, nos fins do séc. IV, Santo Optato. Pagão de nascimento, logo que se tornou bispo teve de lutar contra o herege Donato. Em seus escritos, opôs com energia a pequena igreja donatista e a grande Igreja Católica, da qual Roma é o centro e vínculo de união. Mostrou as características da Igreja verdadeira, proclamando que “os sacramentos são santos por eles mesmos e não por causa dos homens que os administram”. (M).

Ver páginas 13-22 no Vol X do VIDAS DOS SANTOS.

– Ver também “Optato (em latimOptatus) foi um bispo na cidade de Milevi na Numídia, no século IV, lembrado principalmente por suas obras contra o donatismo.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Optato_de_Milevi

4*.   Na Cor­nu­alha, re­gião da ac­tual Grã-Bre­tanha, São Pe­troco de Gales, abade. († s. VI).

Ver página 26 no Vol X do VIDAS DOS SANTOS.

5*.   Em Ser­vi­gliano, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, São Gualter, abade do mos­teiro deste lugar. († s. VIII)

6*.   Na ilha da Sar­denha, re­gião da Itália, os santos Ni­colau e Trano, eremitas. († a. s. XII)

7*.   Em Sás­sari, também na Sar­denha, o Beato Pa­cí­fico Ra­máti, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, que, em plena cru­zada de pre­gação em de­fesa dos cris­tãos, partiu ao en­contro do Senhor. († 1482)

8.   Em Ag­none, no Mo­lise, re­gião da Itália, São Fran­cisco Ca­rác­ciolo, pres­bí­tero, que, abra­sado pelo amor de Deus e do pró­ximo, fundou a Con­gre­gação dos Clé­rigos Re­grantes Menores. († 1608).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico São Francisco Caracciolo tornou-se, sem ter buscado isso, um dos fundadores dos Clérigos Menores Regulares, encarregados do apostolado nas prisões. Apelidado “o Pregador do Amor Divino”, propagou o culto da Eucaristia sob a forma de Adoração Perpétua (M).

– Ver páginas 9-12 no Vol X do VIDAS DOS SANTOS.

– Ver também “… Ele nasceu em 1563, membro de uma família nobre napolitana. Embora tivesse uma doença de pele rara, muito parecida com a lepra, Francisco se tornou padre, quando sua doença de pele desapareceu. Em 1588, ele co-fundou os Escriturários Regulares Menores e passou o resto de sua vida como superior. Ele foi canonizado em 1807. Seu culto agora está restrito aos calendários locais…”:   http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune04.html

9*.   Em Lecce, na Apúlia, também re­gião da Itália, São Fi­lipe Smal­done (também na Folhinha do Coração de Jesus) pres­bí­tero, que se de­dicou com ar­do­rosa di­li­gência ao cui­dado dos surdos e dos cegos in­di­gentes e à sua for­mação hu­mana e cristã, fun­dando com esta fi­na­li­dade a Con­gre­gação das Irmãs Sa­le­si­anas dos Sa­grados Corações. († 1923).

– Conforme a Folhinha do Coração de Jesus de 03.06.2008: “04/06: SÃO FILIPPO SMALDONE. Filippo Smaldone nasceu em 1848 em Nápoles, Itália. Até os 15 anos foi educado nas capelas “serotinas” fundadas por Santo Afonso Maria de Ligório. Em 23 de setembro de 1871 é ordenado padre. Sentiu o desejo de ser missionário na China. No entanto, sabendo de seu belo trabalho na educação e evangelização dos surdos, seu diretor espiritual diz: “Tua China é Nápoles e teus infiéis os surdos!” Assim, para os surdos deu mães, ao fundar a Congregação das Irmãs Salesianas dos Sagrados Corações em 1885. Atualmențe elas estão na Itália, no Paraguai, Brasil, África e Moldávia. Após uma vida rica de virtudes heróicas, frutos de seu amor imenso à Eucaristia e à Virgem de Pompéia, São Filippo morreu aos 4 de junho de 1923. É primeiro santo proclamado Apóstolo dos Surdos. Saiba mais: Irmãs Salesianas dos Sagrados Corações – SGAN W5 Quadra 911- CEP 70790-110- Brasília – DF. Tel,: (61) 3274-4329. E-mail; smaldone@solar.com.br”.

– Ver “Filippo Smaldone foi um padre católico italiano dedicado aos surdos

Ordenado sacerdote no dia 23 de setembro de 1871. Iniciou um fervoroso ministério sacerdotal como catequista, colaborador em várias paróquias e visitante assíduo de doentes. A sua caridade alcançou o auge da generosidade e do heroísmo por ocasião de uma forte peste difundida em Nápoles, pela qual também ele foi atingido, arriscando a vida, mas tendo sido curado por Nossa Senhora de Pompeia, que se tornou a sua devoção predileta por toda a vida.

Contudo, o cuidado pastoral privilegiado pelo padre Smaldone era pelos surdos, pobres, aos quais dedicou as suas energias com critérios mais idôneos e convenientes do que aqueles aplicados no sector educativo da época. No dia 25 de março de 1885 partiu para Lecce a fim de abrir, junto com o padre Lorenzo Apicella, um instituto para surdos. Acompanharam o sacerdote algumas religiosas que ele formara precedentemente, e desse modo, criou-se uma base para a fundação da Congregação das Irmãs Salesianas dos Sagrados Corações, que foi muito apoiada pelos bispos da cidade Salvatore Luigi dei Conti Zola e Gennaro Trama tendo, por consequência, uma rápida e sólida expansão.

… Foi beatificado por João Paulo II em 12 de maio de 1996, e foi canonizado por Bento XVI (em 15 de outubro de 2006).”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Filippo_Smaldone

– Ver também IRMÃS SALESIANAS DOS SAGRADOS CORAÇÕES: https://www.facebook.com/FilippoSmaldoneBrasile/

– Ver ainda: https://www.google.com/search?safe=active&sxsrf=ALeKk03jMz3nhsNMGUY-sDeFKmK0-gnqWg%3A1591259980139&source=hp&ei=TLPYXoepBvO_5OUPtbWYmAE&q=congrega%C3%A7%C3%A3o+das+irm%C3%A3s+salesianas+dos+sagrados+cora%C3%A7%C3%B5es&oq=Congrega%C3%A7%C3%A3o+das+salesianas&gs_lcp=CgZwc3ktYWIQARgAMgYIABAWEB4yBggAEBYQHjoECCMQJzoFCAAQsQM6BQgAEIMBOgIIAFCmCViANGCUSWgAcAB4AIABjAeIAYwrkgEOMC4xOS4yLjIuMC4xLjGYAQCgAQGqAQdnd3Mtd2l6&sclient=psy-ab

10*.   Perto de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, os be­atos An­tónio Zawistowski, pres­bí­tero, e Es­ta­nislau Starowieyski, már­tires, que, du­rante a guerra, de­pois de cruéis tor­mentos su­por­tados no campo de con­cen­tração de Da­chau, mor­reram por Cristo. († 1942)

11♦.   Em Mor­tara, na Lom­bardia, re­gião da Itália, o Beato Fran­cisco Pianzola, pres­bí­tero da di­o­cese de Vi­gé­vano, fun­dador da Con­gre­gação das Irmãs Mis­si­o­ná­rias da Ima­cu­lada Rainha da Paz. († 1943)

13. São Quintino (também na Folhinha do Coração de Jesus)

– Ver 31 de outubro: Em­Ver­mand, hoje Saint-Quentin, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, São Quin­tino, mártir, da ordem se­na­to­rial, que pa­deceu por Cristo no tempo do im­pe­rador Maximiano († s. III).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. III, a paixão de São Quintino, cidadão romano, que ao espalhar a luz do Evangelho pelo norte da Gália, pagou o preço de sua própria vida. Foi martirizado no lugar que tomou o seu nome e se tornou o centro de peregrinações populares. (M)

14. São Daciano (também na Folhinha do Coração de Jesus)

15. Santa Saturnina (também na Folhinha do Coração de Jesus).

– No Martirológio Romano-Monástico, perto de Arras, Santa Saturnina que consagrou sua virgindade ao martírio. (M).

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Borgonha, perto de 939, a morte de Santo Adegrino. Abandonou a vida militar para vestir o hábito monástico com o futuro Santo Odo, em Baume. Dois anos mais tarde, Odo chegava a Cluny, enquanto que Adegrino se fazia eremita (X).

Santo Adegrin. Ver páginas 29-30 no Vol X do VIDAS DOS SANTOS.

17. Outros santos do dia 04 DE JUNHO: páginas: 09-31 – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959 – NÃO TEM LINK

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 04 de junho, ver ainda: 4 de junho – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 449-450: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune04.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!