Santas e Santos de 18 de setembro

1.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, Santo Oceano, mártir. († data inc.)

2.   Em Prym­nesso, na Frígia, também na ac­tual Tur­quia, Santa Ari­adna, mártir. († data inc.)

3.   No ter­ri­tório da Gália Vi­e­nense, hoje na França, São Fer­réolo, mártir, que, se­gundo consta, era tri­buno no tempo da per­se­guição e se re­cusou a prender os cris­tãos; por isso, feito pri­si­o­neiro por ordem do go­ver­nador, foi cru­el­mente fla­ge­lado e me­tido no cár­cere; tendo-se eva­dido, foi no­va­mente cap­tu­rado pelos per­se­gui­dores e, de­ca­pi­tado, re­cebeu a palma do martírio. († s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em meados do séc. III, o martírio de São Ferreolo. Tribuno militar em Vienne no Dauphiné, foi intimado pelo governador daquela cidade a fazer prender os cristãos. Recusou-se a obedecer, dizendo: “Prometi obediência às leis justas, jamais às leis sacrílegas. Comprometi-me a servir contra os culpados e nunca contra os cristãos”. (M). Ver páginas 300-302: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

4.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Eus­tórgio, bispo, cuja con­fissão de fé contra os erros ari­anos é lou­vada por Santo Atanásio. († a. 355). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na metade do séc. II, Santo Eustórgio, bispo de Milão, citado por Santo Atanásio entre os bispos italianos hostis ao arianismo e por Santo Ambrósio, que escreveu: “Jamais abandonarei a herança dos padres, de Santo Eustórgio, o confessor e de todos os bispos que me precederam”. (M)

5*.   Em Avran­ches, no li­toral da Bre­tanha Menor, ac­tu­al­mente na França, São Se­nário, bispo. († s. VI)

6*.   Em Li­moges, na Aqui­tânia, também na ac­tual França, São Fer­réolo, bispo, que li­bertou de um imi­nente pe­rigo a Marcos, porta-voz do rei Quil­de­berto, quando o povo desta ci­dade o queria matar. († s. VI f.)

7.   Em Gor­tina, na ilha de Creta, Santo Eu­ménio, bispo. († c. s. VII)

8*.   Em An­dlau, na Al­sácia da Lo­ta­ríngia, na ac­tual Ale­manha, Santa Ri­carda (também na Folhinha do Coração de Jesus), que era rainha, mas, re­nun­ci­ando ao reino ter­reno, serviu a Deus num mos­teiro por ela fundado.  († c. 895). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 896, Santa Ricarda, fundadora da abadia de Andlau, na Alsácia, que se tornou um ponto de peregrinação mariana muito frequentado. (X). Ver página303: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ricarda_da_Su%C3%A1bia

9.   Em Ósimo, no Pi­ceno, ac­tu­al­mente nas Marcas, re­gião da Itália, São José de Cupertino (também na Folhinha do Coração de Jesus, São José de Copertino), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais, que, nas cir­cuns­tân­cias ad­versas da sua vida, res­plan­deceu pela po­breza, hu­mil­dade e ca­ri­dade para com os ne­ces­si­tados de Deus. († 1663). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, São José de Cupertino, franciscano conventual italiano, agraciado por Deus com vários dons místicos. Sua alma partiu para o céu em 1663. (M). Ver páginas 293-299: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_de_Cupertino

10.   Em Nam Dinh, ci­dade do Ton­quim, hoje no Vi­etnam, São Do­mingos Trach, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Minh Mang, pre­fe­rindo morrer a ter de pisar o cru­ci­fixo, foi de­go­lado e assim con­sumou o martírio. († 1840). Ver páginas 304-305: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

11*.   Em Paimol, lo­ca­li­dade pró­xima da missão de Ka­longo, no Uganda, os be­atos David Okelo e Gildo Irwa, ca­te­quistas e már­tires, que, tendo-se es­pon­ta­ne­a­mente ofe­re­cido para anun­ciar o Evan­gelho ao seu povo, foram mortos a golpe de lança pelos pa­gãos do lugar e assim ma­ni­fes­taram com o seu in­tré­pido mar­tírio o poder de Cristo. († 1918)

12*.   Em Ciudad Real, na Es­panha, o Beato Carlos Eraña Gu­ru­ceta, re­li­gioso da Com­pa­nhia de Maria e mártir, que, du­rante a per­se­guição vi­o­lenta contra os sa­cer­dotes e os re­li­gi­osos, foi preso pelos mi­li­ci­anos e fu­zi­lado sem pro­cesso judicial. († 1936)

13*.   Pró­ximo da ci­dade de Gandia, na pro­víncia de Va­lência, também na Es­panha, os be­atos Fer­nando Garcia Sendra e José Garcia Más, pres­bí­teros e már­tires, que, du­rante a mesma per­se­guição, con­fir­maram com o seu sangue a fi­de­li­dade ao Senhor. († 1936)

14*.   Em Mon­serrat, na mesma pro­víncia de Va­lência, os be­atos Am­brósio (Sal­vador Chuliá Fer­randis) e Va­lentim (Vi­cente Jaun­zarás Gómez), pres­bí­teros, e Fran­cisco (Justo Lerma Mar­tínez), Re­ca­redo (José López Mora) e Mo­desto (Vi­cente Gay Zarzo), todos eles re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ter­ciá­rios Ca­pu­chi­nhos de Nossa Se­nhora das Dores, que, na mesma per­se­guição, foram co­ro­ados de glória pelo tes­te­munho de Cristo. († 1936)

15♦.   Em Pa­ra­cu­ellos del Ja­rama, lo­ca­li­dade pró­xima de Ma­drid, também na Es­panha, o Beato Sal­vador Fer­nández Pérez, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, na mesma per­se­guição, se­guindo os passos de Cristo, com o au­xílio da graça al­cançou o reino da vida eterna. († 1936)

16*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, pró­ximo de Mu­nique, na Ba­viera, re­gião da Ale­manha, o Beato José Kut, pres­bí­tero e mártir, na­tural da Po­lónia, que du­rante a guerra foi en­cer­rado no ter­rível cár­cere por causa da sua fé cristã e, de­pois de cruéis tor­mentos, foi ao en­contro do Senhor. († 1942)

17. São Metódio do Olimpo (também na Folhinha do Coração de Jesus). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, São Metódio, bispo do Olimpo, perto de Tiro, martirizado por volta do ano 311. Escritor importante da Igreja Oriental, exerceu grande influência sobre o monaquismo com uma de suas obras “o banquete das dez virgens”, na qual faz o elogio da castidade. (M). No VIDAS DOS SANTOS São Metódio, bispo de Tiro e São Panfílio, sacerdote de Cesaréia. Ver páginas 282-292: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Met%C3%B3dio_de_Olimpos

18. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Hainaut, Bélgica, Santa Bertília, mãe de família, que adormeceu no Senhor perto de 660, após ter criado as suas duas filhas, as futuras santas Aldegonda e Valdetrudes . (X)

19. Juan Macias. “João Macías (em castelhanoJuan Macías) foi um missionário dominicano e um dos grandes evangelizadores do Peru; foi canonizado em 1975[1].”Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Juan_Mac%C3%ADas

– Ver também: https://www.dominicos.org/quienes-somos/grandes-figuras/santos/san-juan-macias/

20. Outros santos do dia 17 de setembro: págs. 282-306, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 18 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/18_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 733-735:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 17 de setembro

Conforme o VIDAS DOS SANTOS, COMEMORAÇÃO DOS SAGRADOS ESTIGMAS DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS. Ver: Neste dia 17 de setembro, a Família Franciscana celebra, em todo o mundo, a festa da Impressão das Chagas, também chamada de Estigmas de São Francisco de Assis. A introdução litúrgica da Missa e Liturgia das Horas diz o seguinte: “O Seráfico Pai Francisco, desde o início de sua conversão, dedicou-se de uma maneira toda especial à devoção e veneração do Cristo crucificado, devoção que até a morte ele inculcava a todos por palavras e exemplo. Quando, em 1224, Francisco se abismava em profunda contemplação no Monte Alverne, por um admirável e estupendo prodígio, o Senhor Jesus imprimiu-lhe no corpo as chagas de sua paixão. O Papa Bento XI concedeu à Ordem dos Frades Menores que todos os anos, neste dia, celebrasse, no grau de festa, a memória de tão memorável prodígio, comprovado pelos mais fidedignos testemunhos.”, conforme: https://franciscanos.org.br/carisma/especiais/impressao-das-chagas-de-sao-francisco-de-assis#gsc.tab=0

Ver também: 17 DE SETEMBRO CELEBRAMOS OS ESTIGMAS DE SÃO FRANCISCO: “A VISITA DO AMOR QUE TANTO BUSCOU”:
https://www.google.com/search?q=comemora%C3%A7%C3%A3o+dos+sagrados+estigmas+de+S%C3%A3o+Francisco+de+Assis&oq=comemora%C3%A7%C3%A3o+dos+sagrados+estigmas+de+S%C3%A3o+Francisco+de+Assis&aqs=chrome..69i57.14313j1j8&sourceid=chrome&ie=UTF-8

– Ver páginas 256-269: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 
OUTROS SANTOS DE 17 DE SETEMBRO

 

São Ro­berto Be­lar­mino (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo e doutor da Igreja, da Com­pa­nhia de Jesus, que de­bateu ex­ce­len­te­mente as con­tro­vér­sias te­o­ló­gicas do seu tempo com acui­dade e com­pe­tência; no­meado car­deal, con­sa­grou-se com grande zelo ao mi­nis­tério pas­toral na Di­o­cese de Cápua, na Itália, e fi­nal­mente de­dicou-se em Roma a muitos tra­ba­lhos pela de­fesa da Sé Apos­tó­lica e da dou­trina da fé. († 1621). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, em 1621, a volta para Deus de São Roberto Belarmino. Nascido em Toscana, entrou aos dezoito anos para a Companhia de Jesus, passando alguns anos em Louvain como estudante, e depois como professor. Nomeado provincial em Nápoles, assumiu pouco depois cargos importantes na Cúria. Foi a seguir nomeado cardeal e bispo de Cápua. Defendeu a fé católica através de suas “CONTROVÉRSIAS” e pela redação de um “PEQUENO CATECISMO” que exerceu influência decisiva e duradoura. Anotações de 13 de maio deste dia no VIDAS DOS SANTOS (não sei o porquê de 13 de maio): São Roberto Belarmino, bispo, confessor e doutor. Festa dia 17 de setembro. Ver págs. 318-323: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “23/2/2011. O Papa Bento XVI falou sobre a figura do italiano São Roberto Bellarmino, Cardeal, jesuíta e doutor da Igreja – que viveu no século XVI, época da Reforma Protestante”: http://itapiranga0205.blogspot.com/2012/10/do-livro-arte-de-morrer-bem-de-sao.html

– Ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/Roberto_Belarmino

Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Roberto_Belarmino

 

2.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, o se­pul­ta­mento de São Sá­tiro, cujos mé­ritos in­signes são men­ci­o­nados pelo seu irmão Santo Am­brósio. Ainda não ini­ciado nos mis­té­rios de Cristo, so­freu um nau­frágio, mas não temeu a morte; con­tudo, salvo das ondas, não que­rendo acabar esta vida sem ter re­ce­bido os sa­cra­mentos da fé, aderiu à Igreja de Deus; for­ta­leceu-se então a ín­tima e mútua fra­ter­ni­dade com seu irmão Am­brósio, pelo qual foi se­pul­tado junto ao mártir São Vítor. († c. 377). Ver página 270: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

3.   Em Liège, na Austrásia, na actual Bélgica, a paixão de São Lamberto, bispo de Maastricht e mártir, que, mandado para o exílio, foi acolhido no mosteiro de Stavelot; regressando depois à sua sede, exerceu egregiamente o seu ministério pastoral, até ao momento que foi morto inocente por ímpios inimigos. († c. 705). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, São Lamberto, bispo de Maastricht. Após vários anos de exílio, exerceu grande irradiação moral e espiritual na corte da Austrásia, assim como nas igrejas da Bélgica. Foi martirizado em 705 em uma casa que se tornou o núcleo da cidade de Liège (F)

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lamberto_de_Maastricht

4*.   Na floresta de Argonne, junto ao rio Mosa, também na Austrásia, actualmente na França, São Rodingo, abade, que fundou e piedosamente dirigiu o mosteiro de Beaulieu. († s. VIII in.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VII, São Rodingo fundador e primeiro abade do mosteiro chamado depois de Beaulieu, na diocese de Verdun. A abadia foi associada a Cluny no séc. XII, e à Congregação de São Vânio no séc. XVII. (X)

5.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, Santa Co­lomba (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem e mártir, que, du­rante a per­se­guição dos Mouros, se apre­sentou es­pon­ta­ne­a­mente para dar tes­te­munho da sua fé pe­rante o juiz e o con­selho dos sá­trapas e foi ime­di­a­ta­mente de­go­lada junto às portas do palácio. († 853)

6*.   Em Me­li­nais, no ter­ri­tório de An­gers, na França, São Rei­naldo, ere­mita, que se re­tirou na flo­resta de Craon para cum­prir mais per­fei­ta­mente os man­da­mentos do Senhor. († c. 1104). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 1104, São Reinaldo. Inicialmente cônego regular em Soissons, e depois discípulo de Roberto de Arbrissel, abraçou a vida eremítica em Melinais, perto de La Flèche, no local onde mais tarde, Henrique II Plantageneta construiu uma abadia. Seu culto foi confirmado por Pio IX em 1868, baseado num relatório do cardeal Pitra. (X)

7.   No mos­teiro de Ru­perts­berg, em Bingen, no es­tado de Hesse, na Ale­manha, Santa Hil­de­garda (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, cé­lebre pela sua sa­be­doria nas ci­ên­cias na­tu­rais, na me­di­cina e na arte mu­sical, bem como na con­tem­plação mís­tica, sobre a qual es­creveu al­guns livros. († 1179). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na diocese de Mogúncia, em 1179, o nascimento no céu de Santa Hildegarda. Abadessa beneditina de Disibodenberg, fundou na Renânia os mosteiros de Rupertsberg e de Bingen. Versada nas ciências naturais e em medicina, foi sobretudo, agraciada com luzes sobrenaturais, que deixou registradas por escrito. Dirigiu aos pastores fiéis como aos ministros infiéis os salutares conselhos que lhe eram solicitados. Recebeu a visita de São Bernardo de Claraval. (B). Ver páginas 246-255: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hildegarda_de_Bingen

8*.   Em Avi­gliana, no ter­ri­tório de Turim, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato Que­rubim Testa, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, de­vo­tís­simo da Paixão do Senhor. († 1479)

9.   Em Sa­ra­goça, ci­dade de Aragão, na Es­panha, São Pedro de Ar­bués, pres­bí­tero e mártir, dos Có­negos Re­grantes de Santo Agos­tinho, que com­bateu as su­pers­ti­ções e he­re­sias no reino de Aragão e foi morto por al­guns in­qui­ridos di­ante do altar da igreja catedral. († 1485), Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Espanha, no ano do Senhor de 1485, o martírio de São Pedro de Arbués, cônego regular, assassinado na Catedral de Saragoça. (M). Ver páginas 271-278: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_de_Arbu%C3%A9s

10♦.   Em Gora Kalwária, na Po­lónia, Santo Es­ta­nislau de Jesus e María (João Papczynski), pres­bí­tero e fun­dador dos Clé­rigos Ma­ri­anos da Ima­cu­lada Con­ceição da Virgem Maria. († 1701). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Estanislau_Paczynski

11.   Em Hué, no Anam, ac­tu­al­mente no Vi­etnam, São Ma­nuel Hguyen Van Trieu, pres­bí­tero e mártir, no rei­nado de Canh Thin. († 1798). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Cochinchina, atual Vietnan, o Bem-Aventurado Emanuel Trieu, filho de um mandarim que se tornou sacerdote católico e foi martirizado em 1798. (X)

12.   Em Gé­nova, na Li­gúria, re­gião da Itália, São Fran­cisco Maria de Cam­po­rosso, re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, in­signe pela sua ca­ri­dade para com os po­bres, que, du­rante a epi­demia da peste, con­traiu ele pró­prio a en­fer­mi­dade, ofe­re­cendo-se como ví­tima pela sal­vação do próximo. († 1866)

13*.   Em Cra­cóvia, na Po­lónia, São Se­gis­mundo Félix Felinski (Zygmunt Felinski, também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Var­sóvia, que, su­pe­rando muitas e graves tri­bu­la­ções, tra­ba­lhou ener­gi­ca­mente pela li­ber­dade e res­tau­ração da Igreja e, para acudir a todas as ne­ces­si­dades do povo, fundou a Con­gre­gação das Irmãs Fran­cis­canas da Fa­mília de Maria. († 1895)

14*.   Em Cas­tillo de Vil­la­ma­lefa, lo­ca­li­dade pró­xima de Cas­tellón, na Es­panha, o Beato João Ven­tura Solsona, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, pela sua in­ven­cível cons­tância na fé passou à glória celeste. († 1936)

15*.   Em Ma­drid, na Es­panha, o Beato Ti­móteo Va­lero Pérez, pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Ter­ciá­rios Ca­pu­chi­nhos de Nossa Se­nhora das Dores e mártir, que, na mesma per­se­guição, al­cançou a vi­tória no glo­rioso com­bate por Cristo. († 1936)

16♦.   Em Al­cácer de San Juan, perto de Ciudad Real, na Es­panha, o Beato Ál­varo Santos Cejudo, mártir, que, sendo pai de fa­mília, du­rante a mesma per­se­guição foi re­ce­bido na glória do Senhor. († 1936)

17*.   Na flo­resta de Pal­miry, perto de Var­sóvia, na Po­lónia, o Beato Se­gis­mundo Sajna, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a guerra, morreu fu­zi­lado por se re­cusar in­que­bran­ta­vel­mente a ab­jurar a fé pe­rante um re­gime in­vasor e hostil a Deus. († 1940)

18. Em Akko, na Pa­les­tina (conforme Martirológio Romano de 14 de setembro), Santo Al­berto, bispo, que, trans­fe­rido da Igreja de Ver­celas para a Igreja de Je­ru­salém, compôs uma regra para os ere­mitas do monte Car­melo e, quando ce­le­brava a festa da Exal­tação da Santa Cruz, foi pas­sado à es­pada por um homem ímpio que ele tinha repreendido. († 1215).

– Ver dia 17 de setembro: “Festa a 17 de Setembro”: http://www.carmelitas.pt/site/santos/santos_ver.php?cod_santo=31

-Ver Santo Alberto e a origem da Ordem dos Carmelitas, págs. 173-185: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver ainda “Durante o tempo em que esteve na Terra Santa escreveu a Regra da Ordem do Carmo, conhecida como Regra Albertina.

Sua festa litúrgica é celebrada dia 17 de setembro.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Alberto_de_Jerusal%C3%A9m

19. Outros santos do dia 17 de setembro: págs. 246-281, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 17 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/17_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 730-733:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 16 de setembro

Me­mória de São Cor­nélio (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa, e São Ci­priano (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, már­tires, dos quais se re­cordam no dia ca­torze de Se­tembro o se­pul­ta­mento do pri­meiro e a paixão do se­gundo. Neste dia todo o orbe cristão louva una­ni­me­mente os tes­te­mu­nhos de amor à ver­dade in­de­fec­tível, que, em tempo de per­se­guição, estes santos pres­taram pe­rante a Igreja e o mundo. († 252; 258). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória dos Santos Cornélio, bispo de Roma, e Cipriano, bispo de Cartago, martirizados na metade do séc. III. Cipriano, convicto da Santidade de Cornélio, pôs sua grande influência a serviço do legítimo Papa, que como ele e contrariamente ao cismático Novaciano, perdoava os apóstatas arrependidos. Condenado ao exílio, Cornélio recebeu encorajamento de seu amigo Cipriano: “Em momentos de perseguição, sustentemo-nos por meio de uma caridade recíproca, e se a um de nós Deus der a graça de morrer logo e preceder o outro, que nossa amizade possa continuar junto ao Senhor…” (Carta 60). São Cipriano, com Santo Agostinho, é uma das maiores testemunhas da doutrina da Igreja Latina nos primeiros séculos, e o principal padroeiro da África do Norte (R). Ver páginas 218-222 (São Cornélio) e páginas 223-240: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf .  

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Cipriano_de_Cartago e

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Cornélio

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Corn%C3%A9lio

2.   Em Cal­ce­dónia, na Bi­tínia, na ac­tual Tur­quia, Santa Eu­fémia, virgem e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Di­o­cle­ciano e do procônsul Prisco, su­por­tando por Cristo muitos su­plí­cios, pela co­ragem no com­bate al­cançou a coroa de glória. († c. 303). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Calcedônia, Santa Eufêmia, virgem, martirizada em 303, ano muito conturbado, no qual, segundo o testemunho dos atos consulares, igrejas foram demolidadas e livros sagrados foram queimados. (M). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Euf%C3%AAmia

– Ver página 244: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

3.   No Monte So­ratte, junto à Via Fla­mínia, no Lácio, re­gião da Itália, os santos Abúndio e com­pa­nheiros, mártires. († 304)

4.   Em Roma, junto à Via No­men­tana “ad Cá­pream”, no ce­mi­tério Maior, os santos Vítor, Félix, Ale­xandre e Pa­pias, mártires. († data inc.)

5*.   Em Nó­cera, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São Prisco, bispo e mártir, que São Pau­lino de Nola ce­le­brou nos seus pa­ne­gí­ricos poéticos. († c. s. IV)

6.   Em Whithorn, na Es­cócia, a co­me­mo­ração de São Ni­niano, bispo, bretão de nas­ci­mento, que con­duziu à ver­dade da fé os Pictos e es­ta­be­leceu neste lugar a sede episcopal. († c. 432). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Niniano

7.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, os santos már­tires Ro­gélio, monge de avan­çada idade, e do jovem Ser­videu (Ab­dallah), na­tivos do Ori­ente, que, por anun­ci­arem au­daz­mente Cristo ao povo sar­ra­ceno, foram con­de­nados à morte e, sem o menor sen­ti­mento de tris­teza, so­freram a am­pu­tação das mãos e das pernas e fi­nal­mente foram decapitados. († 852). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Córdova, no ano da graça de 852, o martírio de São Rogério, monge, e o de Abdala, jovem cristão decapitados pelos muçulmanos. (M)

8*.   Em Praga, na Boémia, na Ché­quia, Santa Lud­mila, mártir, du­quesa da Boémia, que, in­di­cada para a edu­cação do seu neto São Ven­ceslau, em cujo ânimo se em­pe­nhou em in­fundir o amor de Cristo, foi es­tran­gu­lada na sequência de uma con­jura da sua nora Dra­go­mira e de ou­tros no­bres pagãos. († 921)

9.   Em Wilton, na In­gla­terra, Santa Edite (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, filha do rei dos An­glos, que, desde tenra idade, en­trou num mos­teiro, onde abraçou ge­ne­rosa e hu­mil­de­mente a vida con­sa­grada a Deus. († c. 984). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mosteiro de Santa Maria, de Wilton, Santa Edith, filha do rei da Inglaterra, Edgard. Consagrada a Deus desde sua mais tenra idade, morreu aos vinte e três anos, pranteada unanimemente por suas irmãs, tanto por suas graças naturais como pelas sobrenaturais. (M)

10*.   Em Mon­te­cas­sino, no Lácio, re­gião da Itália, o pas­sa­mento do Beato Vítor III, papa, que de­pois de ter di­ri­gido sa­bi­a­mente du­rante trinta anos este cé­lebre mos­teiro e o ter pro­mo­vido mag­ni­fi­ca­mente, as­sumiu a missão de go­vernar a Igreja de Roma. († 1087). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1087, São Vitor III, papa. Membro da casa dos duques de Benevento, foi inicialmente eremita. Eleito abade de Monte Cassino, dedicou-se à organização do célebre mosteiro, antes de suceder São Gregório VII na cátedra de São Pedro. (M)

11*.   Em Sa­vigny, na Nor­mandia, re­gião da França, São Vital, abade, que, aban­do­nando as fun­ções ter­renas, se en­tregou a uma ob­ser­vância mais ri­go­rosa em lu­gares de­sertos e reuniu muitos dis­cí­pulos no ce­nóbio por ele fundado. († 1122)

12*.   No mos­teiro de Hu­erta, na re­gião de Cas­tela, na Es­panha, o pas­sa­mento de São Mar­tinho, cha­mado Sa­cer­dote, que, sendo abade cis­ter­ci­ense, foi or­de­nado bispo de Sigüenza, onde se de­dicou com grande di­li­gência à re­forma do clero, e de­pois se re­tirou no­va­mente para o mesmo mosteiro. († 1213)

13*.   Em Salon, na Pro­vença, re­gião da França, o pas­sa­mento do Beato Luís Ale­mand, bispo de Arles, in­signe pela sua vida de sin­gular pi­e­dade e penitência. († 1450). Ver páginas 241-242: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

14*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os be­atos már­tires Do­mingos Sho­bioye, Mi­guel Ti­mo­noya e seu filho Paulo, que foram de­go­lados em ódio à fé cristã. († 1628)

15.   Em Lima, no Peru, São João Ma­cias, re­li­gioso da Ordem dos Pre­ga­dores, que du­rante muito tempo exerceu ofí­cios hu­mildes, cuidou di­li­gen­te­mente dos po­bres e dos en­fermos e as­si­du­a­mente re­ci­tava o Ro­sário pelas almas dos defuntos. († 1645)

16.   Em Sai-Nam-Hte, na Co­reia, a paixão de Santo André Kim Ta­egon, pres­bí­tero e mártir, que, de­pois de dois anos de­di­cados com grande zelo ao mi­nis­tério sa­cer­dotal, al­cançou um glo­rioso mar­tírio, sendo de­ca­pi­tado; a sua me­mória ce­lebra-se no dia vinte de Setembro. († 1846). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Andr%C3%A9_Kim_Taegon

17*.   Em Ódena, po­vo­ação da pro­víncia de Bar­ce­lona, na Es­panha, o Beato Inácio Ca­sa­novas Perramón, pres­bí­tero da Ordem dos Clé­rigos Re­grantes das Es­colas Pias e mártir, que morreu por Cristo du­rante o terror da per­se­guição religiosa. († 1936)

18*.   Em Turis, na pro­víncia de Va­lência, também na Es­panha, os be­atos már­tires Lau­reano (Sal­vador Ferrer Cardet), pres­bí­tero, Be­nito Maria (José Ma­nuel Ferrer Jordá) e Ber­nar­dino (Paulo Mar­tínez Ro­bles), re­li­gi­osos da Ordem dos Ter­ciá­rios Ca­pu­chi­nhos de Nossa Se­nhora das Dores, que, du­rante a mesma per­se­guição, foram mortos pelos ho­mens, mas ele­vados por Deus ao reino celeste. († 1936)

19. Outros santos do dia 16 de setembro: págs. 218-245, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 16 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/16_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 727-730:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 15 de setembro

Me­mória de NOSSA SE­NHORA DAS DORES (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, es­tando de pé junto à cruz de Jesus, foi as­so­ciada ín­tima e fi­el­mente à paixão sal­ví­fica do seu Filho e se apre­sentou como a nova Eva, de modo que, assim como a de­so­be­di­ência da pri­meira mu­lher con­duziu à morte, assim a ad­mi­rável obe­di­ência da Virgem Maria trouxe a vida. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Nossa Senhora das Dores, ou da Piedade, cuja alma foi trespassada por uma espada de dor aos pés da cruz de Jesus agonizante. (R).

– Ver também “Nossa Senhora das Dores, também chamada de Nossa Senhora da PiedadeNossa Senhora da SoledadeNossa Senhora das AngústiasNossa Senhora da AgoniaNossa Senhora das LágrimasNossa Senhora das Sete DoresNossa Senhora do CalvárioNossa Senhora do Monte CalvárioMãe Soberana e Nossa Senhora do Pranto, invocada em latim como Beata Maria Virgo Perdolens ou Mater Dolorosa (sendo, sob essa designação, particularmente cultuada em Portugal), é uma forma pela qual é venerada Maria (mãe de Jesus). Ela é geralmente reconhecida por ter uma ou mais facas ou espadas, geralmente sete, atravessando seu coração.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_das_Dores

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_das_Dores

– Ver ainda “Virgem do Caminho… A Virgem do Caminho (em castelhanoVirgen del Camino) é uma das designações atribuídas à Virgem Maria, venerada sobretudo em Espanha. É padroeira de Leão, da sua província e de Pamplona. O nome “do Caminho” está ligado ao Caminho de Santiago, a grande rota de peregrinação da Península Ibérica. É celebrada a 5 de outubro e a 15 de setembro.”: NOSSA SENHORA DO CAMINHO: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Virgem_do_Caminho  

CONFORME O DIRETÓRIO DE LITURGIA DA CNBB, 2020:

– dia 15, em todo o Estado de Minas Gerais NOSSA SENHORA DA PIEDADE, Padroeira principal. FESTA.

– dia 15, na Arquidiocese de Teresina e nas Dioceses de Cajazeiras, Coroatá, Guaxupé, Limeira, e Tubarão – NOSSA SENHORA DAS DORES (ou DA PIEDADE), Padroeira principal, festa.

– dia 15, na Diocese de Ponta GrossaNOSSA SENHORA MÃE DA DIVINA GRAÇA, Padroeira principal, festa.

Ver no VIDAS DOS SANTOS, NOSSA SENHORA DAS SETE DORES, páginas 207-215: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

OUTROS SANTOS DE 15 DE SETEMBRO:

2.   Em Roma, São Ni­co­medes (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, cujo corpo, guar­dado no ce­mi­tério junto à Via No­men­tana, foi hon­rado pelo papa Bo­ni­fácio V com uma ba­sí­lica sepulcral. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico no séc. II, a paixão de São Nicodemos, sacerdote. Aos que o pressionavam a sacrificar aos ídolos, ele respondeu: “Sacrifico apenas ao Senhor Deus Todo-Poderoso, que reina no céu”! (M)

3.   Em Tir­nu­tium, junto ao rio Saône, na Gália Li­o­nense, hoje Tournus, na França, São Va­le­riano, mártir. († data inc.). Ver página 205: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

4.   Em Tómis, na Cítia, hoje Cons­tança, na Ro­ménia, os santos Es­tratão, Va­lério, Ma­cróbio e Gor­diano, már­tires, que foram mortos, se­gundo a tra­dição, no tempo do im­pe­rador Licínio. († s. IV)

5.   Nas mar­gens do Da­núbio, em ter­ri­tório da ac­tual Ro­ménia, São Ni­cetas o Godo, mártir, que por ordem do rei ariano Ata­na­rico foi quei­mado vivo em ódio à fé católica. († c. 370). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia receberam o martírio São Nicetas, na região do Danúbio, no séc. IV; e Santo Emílio, em Córdova, em meados do séc. IX. (M)

6.   Em Lião, na Gália, ac­tu­al­mente na França, Santo Al­pino (Albino), bispo, que su­cedeu a São Justo. († s. IV)

7.   Em Toul, pró­ximo de Nancy, na Gália Li­o­nense, também na ac­tual França, Santo Apro, bispo. († s. VI). Santo Ebro, ou Aper, amigo de São Paulino de Nola, bispo. No VIDAS DOS MÁRTIRES, ver páginas 197-198: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

8.   No mos­teiro de Jumièges, na Nêus­tria, ac­tu­al­mente também na França, Santo Ai­cardo, abade, dis­cí­pulo de São Fi­li­berto, que o no­meou pre­lado desse mosteiro. († s. VII). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VII, Santo Acardo, monge de Poitou, que sucedeu a São Filiberto na direção da abadia normanda de Jumièges. (M).

9.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, os santos már­tires Émila, diá­cono, e Je­re­mias, que, du­rante a per­se­guição dos Mouros, de­pois de um longo e atri­bu­lado ca­ti­veiro, con­su­maram com a de­ca­pi­tação o seu mar­tírio por Cristo. († 852). Ver Santo Emilas e Jeremias, página206: No VIDAS DOS MÁRTIRES, ver páginas 206: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

10*.   Em Bus­seto, no ter­ri­tório de Fi­denza, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o Beato Ro­lando de Médicis, ana­co­reta, que viveu em lu­gares inós­pitos e so­li­tá­rios dos Alpes, pra­ti­cando ri­go­rosa pe­ni­tência e fa­lando só com Deus. († 1386). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. XII, o Bem-Aventurado Rolando, abade do mosteiro cisterciense de Chezery, perto de Genebra. (X)

11.   Em Gé­nova, na Li­gúria, também re­gião da Itália, Santa Ca­ta­rina Fiéschi (também na Folhinha do Coração de Jesus), viúva, in­signe pelo des­prezo do mundo, fre­quentes je­juns, amor de Deus e ca­ri­dade para com os in­di­gentes e os enfermos. († 1510). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Gênova, no ano do Senhor de 1510, Santa Catarina. Depois de seu casamento levou uma vida dissipada, mas tocada pela graça, consagrou-se ao serviço dos doentes. Enviuvando em 1497, foi favorecida com graças místicas e viu discípulos se agruparem ao seu redor. (M)

12*.   Em Hi­rado, ci­dade do Japão, o Beato Ca­milo Cos­tanzo, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que, con­de­nado pelo su­premo co­man­dante Hi­de­tada a ser quei­mado vivo, nem nas chamas da fo­gueira deixou de pregar o anúncio de Cristo. († 1622). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1622, o martírio do Bem-Aventurado Camilo Constanzo, jesuíta calabrês, condenado à morte pelo imperador do Japão. (X)

13*.   Em Santo Do­mingo Xa­gácia, no Mé­xico, os be­atos João Bap­tista e Ja­cinto dos Anjos, már­tires, que, sendo ca­te­quistas, cru­el­mente fla­ge­lados por se re­cu­sarem a ve­nerar os ídolos em vez de Cristo, imi­tando a paixão do Se­nhor me­re­ceram a re­com­pensa eterna. († 1700)

14*.   Em Viena, na Áus­tria, o Beato An­tónio Maria Schwartz, pres­bí­tero, que, para pro­mover a as­sis­tência pas­toral e a de­fesa dos di­reitos dos apren­dizes e dos jo­vens ope­rá­rios, ins­ti­tuiu a Con­gre­gação de São José de Ca­la­sanz para os Ope­rá­rios Cristãos. († 1929)

15♦.   Em Pa­lermo, na Si­cilia, re­gião da Itália, o Beato José Puglísi, pres­bí­tero di­o­ce­sano e mártir, mais co­nhe­cido por Pino Pu­glisi, que du­rante os trinta e três anos do seu mi­nis­tério pas­toral se de­dicou in­can­sa­vel­mente ao anúncio do Evan­gelho, es­pe­ci­al­mente aos seus “pre­fe­ridos” – as cri­anças, os des­pro­te­gidos, os po­bres – e foi as­sas­si­nado por agentes da máfia. († 1933)

16*.   Em Llosa de Ranes, po­vo­ação da pro­víncia de Va­lência, na Es­panha, o Beato Pas­coal Pe­nadés Jornet, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante o tempo da per­se­guição re­li­giosa, ven­cendo o com­bate ter­reno, al­cançou a ple­ni­tude da sal­vação eterna. († 1936)

17*.   Pró­ximo de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato La­dislau Mi­egon, pres­bí­tero e mártir, que, de­por­tado da Po­lónia por um re­gime hostil a Deus e aos ho­mens, foi en­car­ce­rado no campo de con­cen­tração de Da­chau por causa da sua fé e, su­por­tando nu­me­rosos tor­mentos, al­cançou a coroa de glória. († 1942)

18*.   Em Ná­poles, na Itália, o Beato Paulo Manna, pres­bí­tero do Ins­ti­tuto Pon­ti­fício para as Mis­sões Es­tran­geiras, que, dei­xando a acção mis­si­o­nária na Bir­mânia por causa da sua de­bi­li­tada saúde, tra­ba­lhou in­ten­sa­mente na obra da evan­ge­li­zação, de­di­cando-se com toda a energia à pre­gação da pa­lavra de Deus e à pro­moção da uni­dade dos cristãos. († 1952)

19. São João, o anão. Ver VIDAS DOS SANTOS, páginas 199-204: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

20. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 560, São Lupino. Segundo sua biografia, que teve grande difusão na Idade Média, foi monge abade de Brou, antes de dirigir a Igreja de Chartres. (M)

21. Outros santos do dia 15 de setembro: págs. 197-217, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 15 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/15_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 724-727:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 14 de setembro

FESTA DA EXAL­TAÇÃO DA SANTA CRUZ (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, no dia seguinte à de­di­cação da ba­sí­lica da Res­sur­reição, eri­gida sobre o se­pulcro de Cristo, é exal­tada e hon­rada como o troféu da sua vi­tória pascal e sinal que há-de apa­recer no céu para anun­ciar a todos a se­gunda vinda do Senhor. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Festa da Exaltação da Santa Cruz, estabelecida antes do séc. V, depois da dedicação da Basílica da Ressurreição, em Jerusalém. O culto da relíquia da verdadeira Cruz conheceu uma nova expansão depois de sua recuperação pelo imperador bizantino Heráclio, em 628. Fragmentos foram distribuídos através do mundo cristão: um deles havia sido exposto, por ordem do Papa oriental Sérgio I, na Igreja do Salvador, em Roma. (R). Ver págs. 188-191: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Exaltação_da_Santa_Cruz

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Exalta%C3%A7%C3%A3o_da_Santa_Cruz

– Ver: “GLORIOUS CROCE”: https://www.letras.mus.br/paul-baloche/1911232/traducao.html

– Ver (em francês) “… 14 de setembro: por que celebrar a Gloriosa Cruz?Um instrumento de tortura infame, a cruz tornou-se o glorioso sinal de ressurreição. No simbolismo cristão, a cruz tem um rosto duplo. No contexto da paixão de Jesus e da morte violenta, os Evangelhos evocam a cruz como instrumento de tortura e gibet da infâmia. A este respeito, é claro, a cruz não merece se tornar um objeto de veneração.

No início, os cristãos viram na cruz, em vez de um acessório assassino, a imagem do sacrifício pelo qual Jesus nos liberta do pecado e da morte. O apóstolo Paulo, já escreve no final de sua epístola aos gálatas: “Para mim, não há outro título de glória que não a cruz de nosso Senhor Jesus Cristo” (6:14). No hino a Cristo que abre a epístola aos colossenses, diz: “Agrada a Deus fazer toda a plenitude (em seu Filho) habitar e reconciliar tudo por ele e por ele, na terra e no céu, tendo estabelecido a paz pelo sangue de sua cruz” (1:20; cf. 2:13-15). Nesse sentido, a cruz de Cristo pode ser chamada de “gloriosa”: este é o significado da festa de hoje.

O evangelho da festa brinca com o duplo significado do verbo “levantar”: levantar na cruz e levantar em glória. A referência a Moisés e à cobra de latão serve aqui como uma parábola profética. Em outra passagem do quarto evangelho, Jesus declara; “Quando eu for criado da terra, vou atrair todos os homens para mim”, e o evangelista acrescentou: “Por estas palavras ele indicou de qual morte ele ia morrer” (12:32-33). Ao mesmo tempo, ela dá a morte. a crucificação simboliza a vitória sobre a morte.

A “Gloriosa Cruz”

Quando Jesus foi encarregado de ir até a provação, sua cruz não era gloriosa, era o instrumento mais humilhante do tormento. Paulo, como cidadão romano (Ac 22,25, tinha recebido a forma mais elegante de matar, a espada. Mas Jesus era apenas um homem condenado vulgar, entregue ao ocupante romano. Foi a grande façanha de Deus transformar este instrumento odioso de tormento em uma gloriosa cruz através da ressurreição. Até a cruz do bom ladrão tornou-se gloriosa, pois também era a porta de entrada para o paraíso (Lc 23,43).

As cruzes das primeiras igrejas eram gloriosas, como a que o Imperador Constantino viu em sua visão. Era uma cruz de luz, um sinal de ressurreição. Mais tarde, quando Cristo foi retratado na cruz, foi primeiro como ressuscitado, ou no vestido do sumo sacerdote (Ele 4,14-15).

Na Idade Média, as misérias do povo os levaram a expressar a solidariedade de Jesus com o sofrimento humano. Simbolicamente, a imagem se tornou realista. Mas chegou a hora de representar mais uma vez o cristo ressuscitado e glorioso nas cruzes de nossas igrejas. artigo apareceu em “Sinais hoje”: ”: https://croire.la-croix.com/Definitions/Fetes-religieuses/Croix-glorieuse/14-septembre-pourquoi-feter-la-Croix-glorieuse

– Ver ainda (em francês. Google traduz): https://croire.la-croix.com/Definitions/Fetes-religieuses/Croix-glorieuse/Les-textes-de-la-fete-de-la-Croix-glorieuse

– Ver música: https://www.youtube.com/watch?v=M5UZ_DN0fd0

14 DE SETEMBRO: SOLENIDADE DO SENHOR DO BONFIM, Titular na catedral de Grajaú- MA, conforme o DIRETÓRIO DE LITURGIA DA CNBB – 2020

OUTROS SANTOS DE 14 DE SETEMBRO

2.   Em Roma, junto à Via Ápia, na cripta de Lu­cina do ce­mi­tério de Ca­listo, o se­pul­ta­mento de São Cor­nélio, papa e mártir, que se opôs te­naz­mente ao cisma de No­va­ciano e re­cebeu com grande ca­ri­dade na co­mu­nhão da Igreja muitos dos que ti­nham caído no cisma; exi­lado pelo im­pe­rador Galo para Ci­vi­ta­véc­chia, so­freu, se­gundo o tes­te­munho de São Ci­priano, tudo o que se podia so­frer. A sua me­mória ce­lebra-se de­pois de amanhã. († 252).

Observação: No Diretório da Liturgia, CNBB: Memória de São Cornélio dia 16 de setembro.

3.   Em Car­tago, na ho­di­erna Tu­nísia, a paixão de São Ci­priano, bispo, ad­mi­rável pela sua san­ti­dade e dou­trina, que di­rigu ex­ce­len­te­mente a Igreja em tempos muito ad­versos, en­co­rajou os con­fes­sores da fé nas suas tri­bu­la­ções e, no tempo dos im­pe­ra­dores Va­le­riano e Ga­lieno, de­pois de um atri­bu­lado exílio, con­sumou o seu mar­tírio di­ante de uma grande mul­tidão, morto ao fio da es­pada por ordem do procônsul. A sua me­mória ce­lebra-se de­pois de amanhã. († 258).

Observação: No Diretório da Liturgia, CNBB: Memória de São Cipriano dia 16 de setembro

4.   Em Co­lónia, na Ger­mânia, hoje na Ale­manha, São Ma­terno (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que con­duziu à fé de Cristo os ha­bi­tantes de Ton­gres, Co­lónia e Tréveris. († d. 314). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, São Materno, bispo da Igreja de Treves, que foi o fundador da Sé de Colônia. (M)

5.   Em Co­mana, no Ponto, hoje Gu­menek, na Tur­quia, o dia natal de São João Cri­sós­tomo, cuja me­mória se ce­lebra na vés­pera deste dia. (Observação: ver dia 13 de setembro) († 407)

6.   No mos­teiro de Bel­le­vaux, no ter­ri­tório de Be­sançon, o pas­sa­mento de São Pedro, bispo, que, sendo abade cis­ter­ci­ense, foi ele­vado à sede epis­copal de Mou­tiers, que di­rigiu com ar­dente zelo, tra­ba­lhando também va­lo­ro­sa­mente pela con­córdia entre os povos. († 1174)

7.   Em Akko, na Pa­les­tina, Santo Al­berto, bispo, que, trans­fe­rido da Igreja de Ver­celas para a Igreja de Je­ru­salém, compôs uma regra para os ere­mitas do monte Car­melo e, quando ce­le­brava a festa da Exal­tação da Santa Cruz, foi pas­sado à es­pada por um homem ímpio que ele tinha repreendido. († 1215). Ver Santo Alberto e a origem da Ordem dos Carmelitas, págs. 173-185: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

8*.   Em Ében, po­vo­ação do Tirol, na ho­di­erna Áus­tria, Santa Not­burga (também na Folhinha do Coração de Jesus, Santa Noteburga), virgem, que, de­di­cada à vida do­més­tica, serviu a Cristo nos po­bres, dando aos cam­po­neses um ad­mi­rável exemplo de santidade. († 1313). Ver págs. 186-187: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

9*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, no li­toral da França, o Beato Cláudio La­place, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, en­cer­rado na ga­lera por causa do sa­cer­dócio, morreu con­ta­giado por uma grave enfermidade. († 1794)

10.   Em Chengdu, ci­dade do Si­chuan, pro­víncia da China, São Ga­briel Tau­rino Du­fresse, bispo e mártir, que cul­minou com o mar­tírio por de­ca­pi­tação a in­tensa ac­ti­vi­dade apos­tó­lica a que se de­dicou du­rante qua­renta anos. († 1815). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1815, o Bem-Aventurado Gabriel Taurino Dufresne, vigário apostólico das missões estrangeiras, martirizado depois de ter evangelizado com sucesso, durante mais de quinze anos, a China Meridional. (X). No VIDAS DOS SANTOS, Bem-Aventurado Gabriel Taurin Dufresse. Ver páginas: 192-195: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

11♦.   Em Ma­drid, na Es­panha, os be­atos Sa­bino Ayastuy Errasti, Jo­a­quim Ochoa Sa­lazar e Flo­rêncio Ar­naiz Cejudo, re­li­gi­osos da Com­pa­nhia de Maria e már­tires, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, al­can­çaram a glória celeste. († 1936)

12♦.   Também em Ma­drid, Ma­nuel Ál­varez Álvarez, pres­bí­tero, e Teó­filo Montes Calvo, re­li­gioso, ambos da Ordem dos Pre­ga­dores e már­tires, que, na mesma per­se­guição, al­can­çaram a palma da glória ce­leste. († 1936)

13. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, São Crescêncio, jovem mártir venerado no cemitério de Santa Priscila. (M)

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1174, São Pedro de Tarentaise, monge cisterciense de Bonnevaux, no Dauphiné, sucessivamente chamado a fundar a abadia de Tamié e depois dirigir a mais antiga das dioceses de Savóia. Artesão da unificação, negociou a paz entre Henrique II da Inglaterra e o rei da França, Luís VII. Levou à Savóia a Ordem Cisterciense, e fez com que toda a Europa reconhecesse o Papa legítimo, Alexandre III, contra o anti-papa apoiado por Frederico Barba-Rocha. (M)

15. Beata Élia Flacila. Ver “Élia é comemorada como santa pela Igreja Ortodoxa no dia 14 de setembro.[5][8]”:  https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%89lia_Flacila

16. São Cormac mac Cuilennáin. Ver: “Cormac mac Cuilennáin (Cashel, c. 836 — Ballaghmoon, setembro de 908) foi um bispo e rei irlandês, conhecido como grande estudioso e canonizado nas igrejas católica e ortodoxa, com memória celebrada em 14 de setembro.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cormac_mac_Cuilenn%C3%A1in

17. Santa Rósula. Na Folhinha do Coração de Jesus

18. Ver 14 DE SETEMBRO NA IGREJA ORTODOXA: https://pt.wikipedia.org/wiki/14_de_setembro_na_Igreja_Ortodoxa

19. Outros santos do dia 14 de setembro: págs. 173-196, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 14 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/14_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 722-724:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 13 de setembro

Me­mória de São João (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Cons­tan­ti­nopla e doutor da Igreja, que, nas­cido em An­ti­o­quia e or­de­nado sa­cer­dote, me­receu pela sua eloquência su­blime ser cha­mado Cri­sós­tomo e, eleito bispo desta sede, se re­velou como grande pastor da Igreja e mestre da fé. Con­de­nado pelos seus ini­migos ao exílio, foi daí cha­mado de novo à sua sede por de­creto do papa Ino­cêncio I e, du­rante a vi­agem de re­gresso, so­frendo muitos maus tratos dos sol­dados que o acom­pa­nhavam, en­tregou a sua alma a Deus no dia ca­torze de Se­tembro, em Co­mana, no Ponto, hoje Gu­menek, na Turquia. († 407). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São João Crisóstomo, cognominado “Boca de Ouro”. Filho de um general do exército imperial, passou vários anos na solidão nas vizinhanças de Antioquia antes de ser ordenado presbítero, em 386. Eleito Patriarca de Constantinopla doze anos mais tarde, consagrou sua extraordinária eloquência à defesa da ortodoxia da fé e a denunciar a corrupção dos grandes. Por este motivo, foi deposto e banido, morrendo em 407.  Figura entre os maiores doutores da Igreja do Oriente. (R). Ver VIDAS DOS SANTOS, 27 de janeiro, páginas 199-211: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

– Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/João_Crisóstomo

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Cris%C3%B3stomo

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Três_Hierarcas_Sagrados e 02 de janeiro (São Basílio e São Gregório)

2.   Em An­cira, na Ga­lácia, hoje An­cara, também na Tur­quia, São Ju­liano, pres­bí­tero e mártir no tempo do im­pe­rador Licínio. († s. IV)

3.   Em Je­ru­salém, a de­di­cação das ba­sí­licas que o im­pe­rador Cons­tan­tino quis pi­e­do­sa­mente edi­ficar sobre o monte Cal­vário e sobre o se­pulcro do Senhor. († 355)

4.   Em Tours, na Gália Li­o­nense, hoje na França, São Li­tório (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Ligório), bispo, que foi o pri­meiro a cons­truir uma igreja dentro dos muros da ci­dade, onde já an­te­ri­or­mente havia cristãos. († 371)

5.   Em Va­lence, na Gália Li­o­nense, também na ac­tual França, Santo Emi­liano, ve­ne­rado como o pri­meiro bispo desta cidade. († d. 374)

6.   Em Car­tago, na ho­di­erna Tu­nísia, São Mar­ce­lino, mártir, que, sendo tri­buno e muito amigo de Santo Agos­tinho e de São Je­ró­nimo, sob a pressão do usur­pador He­ra­cliano foi acu­sado fal­sa­mente e morto ino­cente pelos he­reges do­na­tistas, por de­fenser a fé católica. († 413)

7.   Em An­gers, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, São Mau­rílio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, nas­cido em Milão, foi ao en­contro de São Mar­tinho de Tours, pelo qual foi or­de­nado pres­bí­tero e en­viado a di­rigir a Igreja de Cha­lonnes-sur-Loire; eleito bispo, em­pe­nhou-se in­fa­ti­ga­vel­mente em er­ra­dicar as su­pers­ti­ções pagãs dos povos rurais. († 453). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 435, São Maurílio. Filho de rica família milanesa, abandonou todo o seu patrimônio, perto dos vinte anos,  para colocar-se sob a direção de São Martinho de Tours, que o ordenou presbítero. Depois de quarenta anos de ministério sacerdotal, governou durante trinta anos a Igreja de Angers. (M). Ver páginas 170-171: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

8.   Nos montes Vosgos, na Nêus­tria, também na ac­tual França, Santo Amado, pres­bí­tero e abade, in­signe pela sua aus­te­ri­dade, je­juns e amor à so­lidão, que di­rigiu sa­bi­a­mente o mos­teiro de Ha­bend, de­pois de­no­mi­nado Re­mi­re­mont, por ele fun­dado jun­ta­mente com São Romarico. († c. 629). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 630, a volta para Deus de Santo Amado. Primeiro foi monge em Saint-Maurice-em-Valais e passou depois para Luxeuil, de onde acompanhou São Romarico na fundação do duplo mosteiro de Ramoremont, na região dos Vosges. (M). Ver páginas 166-169: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

9.   Na ilha de Tino, no golfo de La Spézia, na Li­gúria, re­gião da Itália, São Ve­nério, eremita. († s. VII)

10.   Em Breuil, na Gália Am­bi­a­nense, hoje na França, o pas­sa­mento de Santo Amado, bispo de Sion, na Suíça, que, por ordem do rei Te­o­do­rico II, foi man­dado para o exílio e aí morreu. († c. 690)

11*.   Em To­ledo, na Es­panha, a Beata Maria de Jesus (Maria López de Rivas), virgem da Ordem das Car­me­litas Des­calças, que teve a graça ex­tra­or­di­nária da co­mu­ni­cação das dores da Paixão do Se­nhor, tanto na alma como no corpo, per­ma­ne­cendo sempre hu­milde e pa­ci­ente em tudo. († 1640)

12*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Cláudio Du­monet, pres­bí­tero e mártir, que, sendo mestre de artes, du­rante a per­se­guição re­li­giosa foi en­cer­rado na esquá­lida ga­lera, onde, com os pés en­ca­de­ados e des­fa­le­cido pela febre e con­di­ções de­su­manas, morreu por Cristo. († 1794)

13*.   Em Al­meria, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, o Beato Au­rélio Maria (Ben­vindo Vil­lalon Ace­bron), irmão da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, as­sas­si­nado em ódio à Igreja. († 1936)

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no início do séc. II, Santo Eulógio, patriarca de Alexandria, que foi amigo do Papa São Gregório Magno e lutou contra os heréticos, sobretudo os monofisitas. (M). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Eul%C3%B3gio_I_de_Alexandria

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, o martírio de São Juliano. (M)

16. Outros santos do dia 13 de setembro: págs. 166-172, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 13 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/13_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 719-722:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 12 de setembro

SAN­TÍS­SIMO NOME DA VIRGEM SANTA MARIA (também na Folhinha do Coração de Jesus). Neste dia se evoca o ine­fável amor da Mãe de Deus para com o seu san­tís­simo Filho e se propõe aos olhos dos fiéis a fi­gura da Mãe do Re­dentor para ser pi­e­do­sa­mente invocada. História da instituição da festa do Santo Nome de Maria pelo Papa Inocêncio XI, conforme páginas 157-162: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver: “Santíssimo Nome de MariaFesta do Santo Nome de Maria, ou simplesmente Santo Nome de Maria, é uma memória litúrgica da Igreja Católica que se celebra em 12 de setembro. Foi instituída como festa universal pelo Bendito Papa Inocêncio XI para comemorar a vitória sobre os turcos na Batalha de Viena em 1683. A festa celebra o nome de Maria, mãe de Jesus.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Santíssimo_Nome_de_Maria

– Ver  “Maria (hebraico: מִרְיָם, MiriamaramaicoMaryāmárabe: مريم, Maryamgrego koiné: Μαριας ou Μαριαμ,[4]), também conhecida como Maria de Nazaré e chamada pelos católicos e ortodoxos de Virgem Maria, de Santíssima Virgem e de Nossa Senhora, foi a mulher israelita [5] de Nazaré, identificada no Novo Testamento e no Alcorão como a mãe de Jesus através da intervenção divina (Mateus 1:16-25Lucas 1:26-56Lucas 2:1-7). Jesus é visto como o messias — o Cristo — em ambas as tradições, dando origem ao nome comum de Jesus Cristo. Maria teria vivido na Galileia no final do século I a.C. e início do século I d.C., é considerada pelos cristãos como a primeira adepta ao cristianismo.https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Maria_(m%C3%A3e_de_Jesus)

 2.   Na Bi­tínia, na ho­di­erna Tur­quia, Santo Au­tó­nomo, bispo e mártir. († c. s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, o martírio de Santo Autônomo, a quem foi dedicada uma igreja perto de Constantinopla. Foi morto no altar por pagãos, ciumentos das numerosas conversões que conseguia, e tornou-se assim Hóstia de Cristo. (M)

3.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, os santos Cró­nides, Leôncio e Se­ra­pião, que, se­gundo a tra­dição, foram lan­çados ao mar no tempo do im­pe­rador Ma­xi­mino por con­fes­sarem o nome de Cristo. († s. III). Em Alexandria, os santos mártires Jerônides, Leôncio, Serapião, Selésio (também na Folhinha do Coração de Jesus), Valeriano e Estratão que, pela confissão ao nome de Jesus Cristo, foram atirados ao mar sob o Imperador Maximino. Ver página 164: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

4*.   Em Im­lech, ci­dade da Mo­mónia, pro­víncia da Ir­landa, Santo Albeu, bispo, que pregou o Evan­gelho em muitos lu­gares desta ilha. († c. 528)

5.   Em An­der­lecht, no Bra­bante, ac­tu­al­mente na Bél­gica, São Guido, que de­pois de ter sido sa­cristão da igreja de Ma­ri­ensee, se de­dicou com suma li­be­ra­li­dade ao au­xílio dos po­bres, fez-se pe­re­grino dos Lu­gares Santos du­rante sete anos e fi­nal­mente re­gressou à sua terra, onde morreu piedosamente. († c.1012). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Brabante, São Guido. Nascido num arrabalde de Bruxelas, este cristão se santificou como sacristão a serviço de sua paróquia, de Nossa Senhora de Laeken, onde veio a morrer em 1012. (M). Ver ainda São Guido de Anderlecht (também na Folhinha do Coração de Jesus): Ver: https://www.rs21.com.br/calendario-liturgico/calendario-liturgico-santo-do-dia/santo-do-dia-sao-guido-de-anderlecht-sec-x-xi-2/ .

Sobre São Guido, ver páginas 163-164: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Guido_de_Anderlecht

Ver: https://www.rs21.com.br/calendario-liturgico/calendario-liturgico-santo-do-dia/santo-do-dia-sao-guido-de-anderlecht-sec-x-xi-2/

6*.   Em Omura, no Japão, os be­atos Apo­li­nário Franco, da Ordem dos Frades Me­nores, e Tomás Zu­már­raga, da Ordem dos Pre­ga­dores, pres­bí­teros, e quatro com­pa­nheiros, már­tires, que, em ódio à fé cristã, foram me­tidos no cár­cere e de­pois quei­mados vivos. São estes os seus nomes: Fran­cisco de São Bo­a­ven­tura e Pedro de Santa Clara, re­li­gi­osos da Ordem dos Frades Me­nores, e Do­mingos Ma­goshichi e Ma­teus de São Tomás Chiwiato, re­li­gi­osos da Ordem dos Pregadores.

(† 1622)

7*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Pedro Sul­pício Cris­tóvão Faverge, irmão da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que, tendo sido en­car­ce­rado du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa por ser re­li­gioso, de­dicou todos os seus cui­dados aos com­pa­nheiros de prisão, até que, atin­gido por uma en­fer­mi­dade con­ta­giosa, morreu piedosamente. († 1794)

8.   Em Seul, na Co­reia, São Fran­cisco Ch’oe Kyong-hwan, mártir, que era ca­te­quista e, re­cu­sando ab­jurar da fé cristã ante a in­ti­mação do go­ver­nador, foi re­cluído no cár­cere, onde con­ti­nuou a de­dicar-se à oração e à ca­te­quese, até que, ex­te­nuado pela atro­ci­dade dos tor­mentos, con­sumou o seu martírio. († 1839)

9♦.   Em Trévi, ci­dade da Úm­bria, re­gião da Itália, Maria Luísa (Ger­trudes Prós­peri), aba­dessa da Ordem de São Bento, do­tada de ex­pe­ri­ên­cias es­pi­ri­tuais ex­tra­or­di­ná­rias e ge­ne­ro­si­dade para com os necessitados. († 1847)

10♦.   Em Rui­del­lots, perto de Ge­rona, na Es­panha, os be­atos Emério José (José Plana Re­bu­gent), e Hugo Julião (Ju­lião Del­gado Díez), re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e már­tires, que, na mesma per­se­guição, em vir­tude da sua in­tré­pida fi­de­li­dade re­cebeu do Se­nhor a re­com­pensa eterna. († 1936)

11♦.   Em Manlleu, perto de Bar­ce­lona, também na Es­panha, o Beato Mi­guel de Jesus (Jaime Puig­ferrer Mora), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que, na vi­o­lenta per­se­guição contra a Igreja, foi as­sas­si­nado em ódio à vida religiosa. († 1936)

12. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, igualmente no séc. IV, a paixão dos Santos Macedônio, Teódulo e Taciano, cristãos orientais que foram queimados vivos sob Juliano apóstata. (M)

13. São Laisrén mac Nad Froích

 São Laisrén mac Nad Froích (falecido em 564), ou Laisrén de Devenish e Lasserian, também conhecido por Mo Laisse, foi o santo patrono da Ilha Devenish em Lough Erne, perto de EnniskillenCondado de FermanaghIrlanda do Norte, na actual diocese de Clogher. Laisrén é um dos Doze Apóstolos da Irlanda.[1][2]”:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Laisr%C3%A9n_mac_Nad_Fro%C3%ADch

– Ver “Saint Laisrén mac Nad Froích (falecido em 564), ou Laisrén de Devenish e Lasserian , também conhecido por seu apelido Mo Laisse , era o santo padroeiro da Ilha Devenish em Lough Erne , perto de Enniskillen , Condado de Fermanagh , Irlanda do Norte , na atual diocese de Cloghe”: https://en.wikipedia.org/wiki/Laisr%C3%A9n_mac_Nad_Fro%C3%ADch

14. Beata Maria Vitória Fornari. Santo do dia 12/09: Beata Maria Vitória Fornari (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver também dia 15 de dezembro. Ver ainda: O Papa Leão XII fixou a festa de Maria Vitória Fornari  para 12 de setembro, conforme VIDAS DOS SANTOS, páginas 151-156: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

15. Outros santos do dia 12 de setembro: págs. 151-165, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 12 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/12_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 715-717:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 11 de setembro

NOSSA SENHORA DE COROMOTO: PADROEIRA DA VENEZUELA. Ver “Nossa Senhora do Coromoto é um título consagrado a Nossa Senhora, também conhecida por Virgem de Coromoto. Este título apareceu por propósito de relembrar o convento construído em honra à Virgem Maria. É uma devoção mariana, venerado tanto na cidade de Guanare, que surgiu 357 anos atrás e toda no estado de Portuguesa.Foi consagrada a padroeira da Venezuela.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_de_Coromoto

– Ver também: https://www.venezuelatuya.com/religion/coromoto.htm

– Ver ainda “O papa Pio XII a declarou “Celeste e Principal Padroeira de toda a República da Venezuela” no dia 7 de outubro de 1944. O Santuário Nacional está construído no local da aparição, perto da cidade de Guanaguanare. O Papa João Paulo II, em fevereiro de 1996, abençoou pessoalmente este Santuário.”: https://www.acidigital.com/Maria/coromoto.htm

Ver “Venezuela celebra 368 anos da aparição de Nossa Senhora de Coromoto, padroeira do país”: https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2020-09/venezuela-368-aparicao-nossa-senhora-coromoto-padroeira.html
– Ver ainda: “… Descobertas surpreendentes sobre a imagem de Nossa Senhora de Coromoto … A imagem é mínima: mede só 2,5 cm de altura por 2 cm de largura. Após 357 anos da aparição nunca foi objeto de nenhum análise nem restauração … A imagem está feita de uma espécie de compensado de algodão, material que humanamente não se entende que se mantenha intacto após mais de três séculos e meio de exposição.”: https://pt.aleteia.org/2018/09/11/descobertas-surpreendentes-sobre-a-imagem-de-nossa-senhora-de-coromoto/
Complementando: https://www.youtube.com/watch?time_continue=12&v=MX7R5SOzr78&feature=emb_logo

1.   Em Roma, no ce­mi­tério de Ba­sila, junto à Via Sa­lária An­tiga, o se­pul­ta­mento dos santos már­tires Proto e Ja­cinto, a quem o papa São Dâ­maso, de­pois de re­cu­perar os seus tú­mulos ocultos na terra, ce­le­brou com seus versos. Neste lugar, pas­sados quase quinze sé­culos, foi en­con­trado in­tacto o se­pulcro e o corpo cre­mado de São Jacinto. († s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, o martírio dos Santos Proto e Jacinto. (M)

2*.   Em Zu­rique, na ho­di­erna Suíça, os santos már­tires Félix e Ré­gula. († data inc.)

3.   Co­me­mo­ração de São Paf­núcio (São Pafnuzio), bispo no Egipto, que foi um dos con­fes­sores da fé que, no tempo do im­pe­rador Ga­lério Ma­xi­mino, de­pois de lhes ser va­sado o olho di­reito e cor­tado o tendão do pé es­querdo, foram con­de­nados às minas; mais tarde par­ti­cipou no Con­cílio de Ni­ceia, onde de­fendeu vi­go­ro­sa­mente contra os ari­anos a fé católica. († s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Egito, no início do séc. IV, São Pafnúcio, monge, que se tornou bispo da Tebaida e confessou a fé sob o imperador Maximino. As mutilações das quais foi vítima deram-lhe grande prestígio junto aos Padres do Concílio de Nicéia. (M)

4.   Em Lião, na Gália, na ac­tual França, São Pa­ci­ente, bispo, que, mo­vido pela ca­ri­dade, dis­tri­buiu gra­tui­ta­mente ali­mentos ne­ces­sá­rios às ci­dades si­tu­adas ao longo dos rios Ró­dano e Saône para so­correr as po­pu­la­ções opri­midas pela fome; além disso, exerceu grande ac­ti­vi­dade apos­tó­lica na con­versão dos he­reges e no cui­dado dos pobres. († c. 480)

5.   Em Paris, também na ac­tual França, o pas­sa­mento de São Sa­cer­dote, bispo de Lião, que viveu no temor e amor de Deus e morreu quando se en­con­trava nesta ci­dade para par­ti­cipar no concílio. († 552)

6*.   Na ilha de Bardsey, no li­toral da Câm­bria se­ten­tri­onal, hoje País de Gales, São Da­niel (Dei­niol Wyn), bispo e abade de Bangor. († c. 584)

7*.   No mos­teiro de Lu­xeuil, na Bor­gonha, hoje na França, o pas­sa­mento de Santo Adélfio, abade do mos­teiro de Re­mi­re­mont, que lavou com muitas lá­grimas a dis­senção de um breve momento. († c. 670)

8*.   Em Toul, na Aus­trásia, também na ac­tual França, São Leu­dino ou Bodon, bispo, que, de­pois de se ter ca­sado, tomou a de­cisão de se re­tirar para a vida mo­nás­tica, ao mesmo tempo que também sua es­posa, Odila, se­guia o mesmo caminho. († a. 680). No VIDAS DOS SANTOS, São Bodon e sua irmã Santa Salaberga. Ver páginas 143-145: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

9*.   No mos­teiro de Au­linas, na Ca­lá­bria, re­gião da Itália, Santo Elias, de so­bre­nome Es­pe­leota, que se­guiu a vida ere­mí­tica e de­pois cenobítica. († 960)

10*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os be­atos Gaspar Ko­teda, ca­te­quista, e as cri­anças Fran­cisco Ta­keya e Pedro Shi­chi­emon, már­tires, que, de­pois de seus pais terem so­frido o mar­tírio na vés­pera deste dia, também eles pa­de­ceram por Cristo com a mesma força de ânimo o mesmo su­plício da decapitação. († 1622)

11*.   Em Roma, o Beato Bo­a­ven­tura de Bar­ce­lona (Mi­guel Gran), irmão da Ordem dos Frades Me­nores, que, ani­mado pelo seu grande amor à ob­ser­vância re­gular, cons­truiu em muitos lu­gares do ter­ri­tório ro­mano con­ventos des­ti­nados a re­tiros es­pi­ri­tuais, ma­ni­fes­tando sempre ri­go­rosa aus­te­ri­dade de vida e ca­ri­dade para com os pobres. († 1648)

12*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Fran­cisco Mayaudon, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, foi preso na ga­lera por causa do sa­cer­dócio e morreu con­su­mido pela gangrena. († 1794)

13.   Em Wu­chang, no Hubei, pro­víncia da China, São João Ga­briel Per­boyre (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Con­gre­gação da Missão e mártir, que, para pregar o Evan­gelho, se adaptou aos usos e cos­tumes do lugar; mas, de­sen­ca­deada a per­se­guição, so­freu um longo e pe­noso cár­cere e, fi­nal­mente foi sus­penso duma cruz e morreu estrangulado. († 1840). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1840, o martírio de São João-Gabriel Perboyre, sacerdote lazarista. Depois de haver trabalhado na formação da juventude em várias escolas católicas da França, foi mandado em missão à China. Lá encontrou, por ocasião de sua chegada, uma comunidade bastante próspera, que se firmou e cresceu graças às suas visitas pastorais e à tolerância das autoridades civis. Mas, por ocasião de uma perseguição inesperadamente desencadeada, foi condenado a ser estrangulado sob o pretexto de ter introduzido uma religião estranha na China. Canonizado pelo Papa São João Paulo II em 02 de junho de 1996. (M)

14*.   Em Bar­ce­lona, na Es­panha, o Beato Pedro de Alcântara (Lou­renço Vil­la­nueva Lar­rayoz), re­li­gioso da Ordem de São João de Deus e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, so­freu o mar­tírio por ser religioso. († 1936)

15*.   Em Ge­novés, po­vo­ação do ter­ri­tório de Va­lência, também na Es­panha, o Beato José Maria Se­gura Pa­nadés, pres­bí­tero e mártir, que na mesma per­se­guição der­ramou o seu sangue por Cristo. († 1936)

16♦.   Em Hellin, perto de Al­ba­cete, também na Es­panha, o Beato For­tu­nato Árias Sánchez, pres­bí­tero da di­o­cese de Al­ba­cete e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, foi as­sas­si­nado em ódio ao sacerdócio. († 1936)

17♦.   Em Kra­sica, na Croácia, o Beato Fran­cisco João Bonifácio, pres­bí­tero da di­o­cese de Tri­este e mártir, que. du­rante a ocu­pação da sua pá­tria por um re­gime inu­mano e anti-re­li­gioso, foi cru­el­mente as­sas­si­nado em ódio à Igreja e ao sacerdócio. († 1946)

18. São Dídimo (também na Folhinha do Coração de Jesus),

19. São Diomedes (também na Folhinha do Coração de Jesus)

20. No séc VI, Santos Arneu e Almiro (ou Almério), eremitas venerados na região do Maine. (X)

21. Santa Teodora, penitente. Ver página 146: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

22. Bem-aventurado Bernardo da Offida. Ver página 147: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

23. Dia 11 de setembro na Igreja Ortodoxa: Esta página trata das comemorações relativas ao dia 11 de setembro no ano litúrgico ortodoxo. Todas as comemorações fixas abaixo são comemoradas no dia 24 de setembro pelas igrejas ortodoxas sob o Velho Calendário. No dia 11 de setembro do calendário civil, as igrejas sob o Velho Calendário celebram as comemorações listadas no dia 30 de agosto.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/11_de_setembro_na_Igreja_Ortodoxa

24. Outros santos do dia 11 de setembro: págs. 143-150, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 11 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/11_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 715-717:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 10 de setembro

1.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, São Ne­mésio, que, ca­lu­ni­o­sa­mente de­nun­ciado de ser la­drão, foi ab­sol­vido deste crime; mas de­pois, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Décio, acu­sado pe­rante o juiz Emi­liano de ser cristão, foi sub­me­tido a nu­me­rosas tor­turas e con­de­nado à fo­gueira com ou­tros la­drões, à se­me­lhança do di­vino Sal­vador, que su­portou a cruz com os ladrões. († 251)

2.   Co­me­mo­ração dos santos Ne­me­siano e com­pa­nheiros Félix, Lúcio, outro Félix, Liteu, Po­liano, Vítor, Jáder (também na Folhinha do Coração de Jesus), e Da­tivo – bispos, pres­bí­teros e diá­conos –, que, na África Se­ten­tri­onal, du­rante a vi­o­lenta per­se­guição no tempo dos im­pe­ra­dores Va­le­riano e Ga­lieno, por Cristo foram du­ra­mente fla­ge­lados, de­pois en­ca­de­ados e en­vi­ados para as minas, onde, en­tre­tanto, eram exor­tados com cartas de São Ci­priano a su­portar fir­me­mente o ca­ti­veiro e a ob­servar os man­da­mentos do Senhor. († 257-258). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. III, na África do Norte, Nove Bispos e vários Sacerdotes e Diáconos, contemporâneos de São Cipriano, que lhes dirigiu essas palavras de encorajamento durante seu cativeiro: “Vós não tendes a faculdade de oferecer e celebrar os divinos ofícios. Mas celebrais e ofereceis a Deus o sacrifício precioso e glorioso… de um coração contrito e humilhado… Eis o sacrifício que vós ofereceis ininterruptamente, dia e noite, transformados em hóstias para Deus”…. (M)

3.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, Santa Pulquéria (também dia 17 de fevereiro), que de­fendeu e pro­pagou a ver­da­deira fé. († 453). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 453, Santa Pulquéria, imperatriz. Levou na corte vida exemplar, e protegeu a Igreja fazendo construir lugares de culto, tirando da terra relíquias dos Quarenta Mártires de Sebaste e sustentando a ortodoxia em dois grandes Concílios Ecumênicos, os de Éfeso e o de Calcedônia. Ver páginas 125-134: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/%C3%89lia_Pulqu%C3%A9ria

4.   Em No­vara, na Li­gúria, hoje no Pi­e­monte, re­gião da Itália, Santo Agábio, bispo. († s. V)

5.   Em Albi, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, São Sálvio, bispo, que do claustro foi cha­mado para esta sede contra a sua von­tade e, du­rante a epi­demia da peste, como bom pastor, nunca aban­donou a cidade. († 584). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 584, São Sálvio, bispo de Albi. Mereceu escutar, durante um êxtase, que era por demais necessário à Igreja para dele ser retirado, tal como pedia. (M). Ver páginas 135-138: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

6.   Pró­ximo de Speyer, na Re­nânia da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, a paixão de São Te­o­dardo, bispo de Ton­gres e mártir, que foi morto quando se di­rigia ao rei Quilderico. († c. 670)

7*.   Em Avran­ches, na Nêus­tria, hoje na França, Santo Aut­berto, bispo, por cuja ini­ci­a­tiva se de­sen­volveu o culto de São Mi­guel Ar­canjo , na ilha de Mont-Tombe. († c. 725). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VIII, Santo Alberto, bispo de Avranches. Fundou o Santuário de São Miguel, na Normandia, que se tornou uma abadia beneditina em 866 e é considerado como uma das maravilhas do Ocidente. (X)

8*.   No mos­teiro de Lu­cédio, junto de Ver­celas, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato Oglério, abade da Ordem Cisterciense. († 1214). Ver páginas 139-140: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

9.   Em To­len­tino, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, também re­gião da Itália, São Ni­colau, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que era homem de ri­go­ro­sís­sima abs­ti­nência e as­sídua oração, se­vero para con­sigo e cle­mente para com os ou­tros, e muitas vezes im­punha a si mesmo a sa­tis­fação do pe­cado dos outros. († 1305). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Tolentino, na Itália, São Nicolau, da ordem dos Eremitas de Santo Agostinho, que se consagrou ao serviço da oração e da palavra. (M). Ver páginas 121-124: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nicolau_Tolentino

https://pt.wikipedia.org/wiki/Nicolau_de_Tolentino

10*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os be­atos Se­bas­tião Ki­mura, da Com­pa­nhia de Jesus, e Fran­cisco Mo­rales, da Ordem dos Pre­ga­dores, pres­bí­teros, e cin­quenta com­pa­nheiros, már­tires, – pres­bí­teros, re­li­gi­osos, es­posos, jo­vens, ca­te­quistas, viúvas e cri­anças – que, numa co­lina, di­ante de uma grande mul­tidão, so­freram cru­de­lís­simos tor­mentos e mor­reram por Cristo. São estes os seus nomes: Ân­gelo Or­súcci, Afonso de Mena, José de São Ja­cinto de Sal­vanés, Ja­cinto Or­fanel, pres­bí­teros da Ordem dos Pre­ga­dores, e Do­mingos do Ro­sário e Aleixo, re­li­gi­osos da mesma Ordem; Ri­cardo de Santa Ana e Pedro de Ávila, pres­bí­teros da Ordem dos Frades Me­nores, e Vi­cente de São José, re­li­gioso da mesma Ordem; Carlos Spí­nola, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, e Gon­çalo Fusai, An­tónio Kiuni, Tomás do Ro­sário, Tomás Akahoshi, Pedro Sampo, Mi­guel Shumpo, Luís Kawara, João Chu­goku, re­li­gi­osos da mesma Ordem; Leão de Sat­suma, Luzia de Freitas; An­tónio Sanga, ca­te­quista, e Ma­da­lena, es­posos; An­tónio Co­reano, ca­te­quista, e Maria, es­posos, com seus fi­lhos João e Pedro; Paulo Na­gaishi e Tecla, es­posos, com seu filho Pedro; Paulo Ta­naka e Maria, es­posos; Do­mingos Ya­mada e Clara, es­posos; Isabel Fer­nández, viúva do Beato Do­mingos Jorge, com seu filho Inácio; Maria, viúva do Beato André To­kuan; Inês, viúva do Beato Cosme Ta­keia; Maria, viúva do Beato João Shoun; Do­minga Ogata, Maria Ta­naura, Apo­lónia e Ca­ta­rina, viúvas; Do­mingos Na­kano, filho do Beato Ma­tias Na­kano; Bar­to­lomeu Kawano Shi­chi­emon; Da­mião Ya­michi Tanda e seu filho Mi­guel; Tomás Shi­chiro, Rufo Ishi­moto, Cle­mente (Bósio) Vom e seu filho António. († 1622)

11.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, Santo Am­brósio Edu­ardo Barlow, pres­bí­tero da Ordem de São Bento e mártir, que du­rante vinte e quatro anos con­firmou na fé e na pi­e­dade os ca­tó­licos da re­gião de Len­castre e, preso quando pre­gava no dia da Páscoa do Se­nhor, du­rante o rei­nado de Carlos I, foi con­de­nado à morte por causa do sa­cer­dócio e en­for­cado no pa­tí­bulo de Tyburn. († 1641). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Inglaterra, o Bem-Aventurado Ambrósio Barlow, monge beneditino martirizado em Lancaster, no ano de 1641. (X).

12*.   Num barco an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Tiago Gagnot, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, en­cer­rado na sór­dida ga­lera em con­di­ções de­su­manas por causa do sa­cer­dócio, en­quanto as­sistia aos com­pa­nheiros de ca­ti­veiro en­fermos, morreu con­su­mido pela enfermidade. (†1794)

13♦.   Em Ma­drid, na Es­panha, o Beato Leôncio Arce Urrútia, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, pelo seu in­que­bran­tável tes­te­munho de Cristo al­cançou vi­to­ri­o­sa­mente o reino celeste. († 1936)

14. Conforme VIDAS DOS SANTOS, na Calcedônia, os Santos mártires Sóstenes (também na Folhinha do Coração de Jesus), e Vítor, que primeiro foram carregados de cadeias e expostos às feras durante a perseguição de Diocleciano; em seguida, sob Prisco, procôncul da Ásia, condenados ao fogo; então, depois de trocarem o ósculo da paz, puseram-se a orar e entregaram a alma. Ver páginas 141-142: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf   

15. Santa Cândida Menor, também na Folhinha do Coração de Jesus em 10 de setembro. Ver também dias 29 de agosto e 20 de setembro. OUTRAS ANOTAÇÕES DE SANT A CÂNDIDA, :

– Ver “…Comemora-se no dia 29 de agosto. Não se sabe se era natural de Roma, nem se deve identificar-se com outras santas do mesmo nome e da mesma cidade. (texto extraído do livro “Bibliotheca Sanctorum, Instituto Giovanni XXIII nelle Pontificia Universitá Lateranense – 1963 – Vol. III – pg. 734:).A virgem e mártir Santa Cândida, a padroeira, é festejada no dia 29 de agosto.  Estudo feito; Tarcisio Cirino”:

http://missoespopulares.blogspot.com/2011/03/encontrei-o-corpo-santo-da-virge-e.html

-Ver também:  http://fraternidadesaogilberto.blogspot.com/2012/08/santa-candida-virgem-e-martir.html  

– Ver página 337: (http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver “Ela recebe, no dia 20 de setembro, as tradicionais homenagens litúrgicas confirmadas pela Igreja. Encontrei alguns sites de paróquias afirmando celebrarem sua festa dia 29 de setembro.”: http://santossanctorum.blogspot.com/2016/09/santa-candida-martir-padroeira-das_7.html

– Ver: “Ela recebe, no dia 20 de setembro, as tradicionais homenagens litúrgicas confirmadas pela Igreja”: http://www.derradeirasgracas.com/3.%20Os%20Santos%20do%20Dia/Santos%20do%20M%C3%AAs%20de%20Setembro/20.09%20-%20Santos%20Eust%C3%A1quio.htm

 – Ver: “”: https://www.rs21.com.br/calendario-liturgico/calendario-liturgico-santo-do-dia/santo-do-dia-santa-candida-2/

https://www.youtube.com/watch?v=pni4krLQXhM

https://pt.zenit.org/articles/candida-maria-de-jesus-a-santa-que-viveu-a-caridade-ate-o-extremo/

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1158, o Bem-Aventurado Serlônio, abade de Savigny, na Normandia, chefe de uma congregação de vinte e oito mosteiros beneditinos, que fez passar para a observância cisterciense. (X)

17. Outros santos do dia 10 de setembro: págs. 121-142, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 10 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/10_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 712-714:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 09 de setembro

São Pedro Claver (também na Folhinha do Coração de Jesus), (seu dia natal foi lembrado dia 08 de setembro) pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, que, em Car­ta­gena, na Colômbia, du­rante mais de qua­renta anos, com ad­mi­rável ab­ne­gação e exímia ca­ri­dade se de­dicou ao ser­viço dos ne­gros tra­zidos como es­cravos, dos quais cerca de tre­zentos mil fez re­nascer para Cristo pelo Bap­tismo por ele administrado. († 1654). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1654, São Pedro Claver, jesuíta espanhol, mandado em missão à Colômbia, onde se dedicou ao apostolado junto aos escravos durante quarenta anos. (M). Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Pedro_Claver

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_Claver

2.   Em Roma, no ce­mi­tério “ad Duas Lauros”,  na Via La­bi­cana, São Gor­gónio, mártir. († d. 203). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no início do séc. IV, receberam a palma do martírio: São Gorgônio, em Roma; São Jacinto, na Savina; e os Santos Estratão, Rufo e Rufiniano, no Oriente. (M)

3.   Na Sa­bina, a trinta mi­lhas de Roma, São Ja­cinto, mártir. († data inc.)

4.   No mos­teiro de Clon­mac­nois, junto ao rio Shannon, na Ir­landa, São Ci­a­rano ou Que­rano (São Cirano, também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero e abade, fun­dador deste mosteiro. († s. VI). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Irlanda, perto de 549, São Clarano, fundador do mosteiro de Clonmacnoix, um dos maiores centros religiosos e culturais do país (M). Ver São Kieran, abade. Ver páginas 116-117: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ciarán_de_Clonmacnoise

– Ver “São Ciarán de Clonmacnoise (c. 516 – c. 549),[1] supostamente nascido como Ciarán mac an tSaeir[2] foi um dos Doze Apóstolos da Irlanda[3] e o primeiro abade de Clonmacnoise. Ele é por vezes referido como Ciarán o Jovem para o distinguir de São Ciarán o Velho, que foi bispo de Osraige. O seu nome é produzido em muitas variantes diferentes, incluindo CeranKieran e Queran.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ciar%C3%A1n_de_Clonmacnoise

5*.   Em Cas­tela, re­gião da Es­panha, a Beata Maria de la Cabeza (Maria To­ríbia), es­posa de Santo Isidro La­vrador, que viveu hu­milde e la­bo­ri­o­sa­mente a vida eremítica. († s. XII)

6*.   Em York, na In­gla­terra, o Beato Jorge Dou­glas, pres­bí­tero e mártir, na­tural da Es­cócia, que era mestre-es­cola e se tornou sa­cer­dote em Paris e, no rei­nado de Isabel I, por ter per­su­a­dido ou­tras pes­soas a abraçar a fé ca­tó­lica, através do su­plício no pa­tí­bulo partiu vi­to­rioso para o Céu. († 1587)

7*.   Em Münster, na Ale­manha, a Beata Maria Eu­tímia (Ema Üffing), virgem da Con­gre­gação das Irmãs da Com­paixão, que, ani­mada pela sua exímia ca­ri­dade, be­nig­ni­dade e des­pren­di­mento de si mesma, serviu a Deus na pessoa dos enfermos. († 1855)

8*.   Em Gramat, ci­dade do ter­ri­tório de Cahors, na França, o Beato Pedro Bo­nhomme, pres­bí­tero, que se de­dicou ad­mi­ra­vel­mente às mis­sões po­pu­lares e à evan­ge­li­zação do mundo rural e fundou a Con­gre­gação das Irmãs de Nossa Se­nhora do Monte Cal­vário, a quem en­co­mendou o cui­dado dos jo­vens, dos en­fermos e dos indigentes. († 1861)

9*.   Em Port-Louis, na ilha Mau­rícia, no Oceano Ín­dico, o Beato Tiago De­si­dério Laval, pres­bí­tero, que, de­pois de exercer S]aal­guns anos a pro­fissão de mé­dico, se fez mis­si­o­nário na Con­gre­gação do Es­pí­rito Santo e con­duziu muitos ne­gros li­bertos da es­cra­vidão à li­ber­dade de fi­lhos de Deus. († 1864)

10*.   Em Bilbau, no País Basco, na Es­panha, o Beato Fran­cisco Gá­rate Arangúren, re­li­gioso da Com­pa­nhia de Jesus, que de­sem­pe­nhou o ofício de por­teiro du­rante qua­renta e dois anos com in­signe humildade. († 1929)

11. São Tibúrcio na Folhinha do Coração de Jesus.

12. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na época merovíngia, Santo Ulfácio, que levou vida eremítica na diocese de Le Mans. Uma localidade perto de Mountmirail tomou mais tarde seu nome. (M)

13. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VII, Santo Omero, monge de Luxeuil que evangelizou as regiões de Artois e da Flandres, fundando a Sé Episcopalo  de Thérouanne. Criou o mosteiro de São Bertino, núcleo da futura cidade de Saint-Omer. (M)

14. São Teófano ou Teófanes. Nas anotações do Martirológio Romano de 12 de março, em Si­griana, lo­ca­li­dade da Bi­tínia, na ac­tual Tur­quia, no mos­teiro de Campo Grande, o se­pul­ta­mento de São Teó­fanes, o Cronógrafo, que, sendo muito rico se fez pobre monge e, por de­fender o culto das sa­gradas ima­gens, foi en­car­ce­rado por ordem do im­pe­rador Leão o Ar­ménio du­rante dois anos e de­pois de­por­tado para a Sa­mo­trácia, onde, exausto com tantas tri­bu­la­ções, en­tregou o es­pí­rito a Deus. († 817). Ver São Teófano, páginas 114-115: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

15. Bem-aventurada Serafina Sforza, Clarissa. Ver página 118: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

16. Outros santos do dia 08 de setembro: págs. 114-120, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 09 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/9_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 710-711:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/