Santas e Santos de 16 de maio

16 de maio de 2021: SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR

Ver: “Festa da Ascensão é uma das grandes festas do calendário litúrgico e comemora a ascensão de Jesus ao céu. O dia da Ascensão é tradicionalmente comemorado numa quinta-feira, o quadragésimo dia após a Páscoa. Porém, algumas províncias católicas romanas mudaram a data para o domingo seguinte. A festa é uma das festas ecumênicas (ou seja, celebradas universalmente), com o mesmo status das festas da Paixão, da Páscoa e o Pentecostes.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ascens%C3%A3o_de_Jesus

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Festa_da_Ascens%C3%A3o

SANTAS E SANTOS DE 16 DE MAIO

LEMBRANDO ESPECIALMENTE A MEMÓRIA DE SÃO SIMÃO STOCK, NESTE 16 DE MAIO. FOI ELE QUE RECEBEU O ESCAPULÁRIO DE NOSSA SENHORA DO CARMO

1. Em Bor­déus, na Gas­conha, na ho­di­erna França, SÃO SIMÃO STOCK, pres­bí­tero, que, de­pois de ter sido ere­mita na In­gla­terra, in­gressou na Ordem dos Car­me­litas, da qual foi ad­mi­rável su­pe­rior, tor­nando-se cé­lebre pela sua sin­gular de­voção à Virgem Maria. († 1265).

– Ver “…No ano de 1251, numa visão, Nossa Senhora apareceu-lhe, e, depositando-lhe entre as mãos o escapulário, revelou-lhe que os que morressem trazendo-o consigo certamente escapariam das penas do inferno.”, página 402: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver “São Simão Stock foi um frade carmelita inglês, que viveu no século XIII, e morreu em Bordeaux. Foi Prior Geral da Ordem dos Carmelitas. Segundo uma tradição católica, Nossa Senhora do Monte Carmelo apareceu-lhe numa visão e entregou-lhe o escapulário como sinal de sua proteção. É vastíssima a iconografia a seu respeito. Sua festa é celebrada no dia 16 de Maio.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sim%C3%A3o_Stock

– Sobre o Escapulário de Nossa Senhora do Carmo, ver:

a. “O Escapulário de Nossa Senhora do Carmo (ou, simplesmente, Escapulário do Carmo) é definido como sendo uma “tira de pano que os frades e freiras de certas ordens trazem sobre o peito” (Dicionário Aurélio). Normalmente, quando se fala de um escapulário costuma referir-se sempre ao escapulário da Ordem do Carmo, que é reconhecido pela Igreja Católica e que todos os Papas do século XX usaram.”:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Escapul%C3%A1rio_de_Nossa_Senhora_do_Carmo

b.  “O escapulário do Carmo é um sinal externo de devoção mariana, que consiste na consagração à Santíssima Virgem Maria pela inscrição na Ordem Carmelita, na esperança de sua proteção maternal.
O distintivo externo desta inscrição ou consagração é o pequeno escapulário marrom.

O escapulário do Carmo é um sacramental, quer dizer, segundo o Concílio Vaticano II, “um sinal sagrado segundo o modelo dos sacramentos, por meio do qual se significam efeitos, principalmente espirituais, obtidos pela intercessão da Igreja”. (S.C.60).”:

https://www.acidigital.com/Maria/vcarmen/escapulario.htm

– Ver 16 de julho NOSSA SENHORA DO CARMO, que evoca o monte Car­melo, onde o pro­feta Elias re­con­duziu o povo de Is­rael ao culto do Deus vivo e, mais tarde, ali se re­ti­raram al­guns ere­mitas à pro­cura de so­lidão, cons­ti­tuindo uma ordem de vida con­tem­pla­tiva sob o pa­tro­cínio da Santa Mãe de Deus.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Festa de Nossa Senhora do Carmo (ou Nossa Senhora do Monte Carmelo). As Escrituras cantam a beleza do Carmelo, onde o Profeta Elias defendeu a pureza da fé de Israel no Deus vivo. No tempo das Cruzadas, alguns eremitas cristãos buscaram uma vida contemplativa sobre essa montanha sagrada, perto de Nazaré, onde a Virgem Maria havia vivido, “guardando a Palavra de Deus em seu coração”. (Cf.Liturgia das Horas, p. 1273). (R).

Nossa Senhora do Monte Carmelo ou Nossa Senhora do Carmo é o título dado à Maria, mãe de Jesus, em honra de sua função como padroeira da Ordem Carmelita. Os primeiros carmelitas eram eremitas que viviam no Monte Carmelo, na Terra Santa, entre o final do século XII e meados do século XIII. Eles construíram, no meio de seus eremitérios, uma capela que dedicaram à Santíssima Virgem.”. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_do_Carmo

Sobre São Simão Stock e o Escapulário de Nossa Senhora do Carmo (Ver 16 de maio) ver:” São Simão Stock foi um frade carmelita inglês, que viveu no século XIII, e morreu em Bordeaux. Foi Prior Geral da Ordem dos Carmelitas. Segundo uma tradição católica, Nossa Senhora do Monte Carmelo apareceu-lhe numa visão e entregou-lhe o escapulário como sinal de sua proteção. É vastíssima a iconografia a seu respeito. Sua festa é celebrada no dia 16 de Maio.”

Ver páginas 91-92: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

2.   Em Uzális, na África Pro­con­sular, na ac­tual Tu­nísia, a co­me­mo­ração dos santos Félix e Ge­nádio, mártires. († data inc.)

3.   Em Ósimo, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, os santos Flo­rêncio e 3i­o­cle­ciano, mártires. († data inc.)

4.   Na an­tiga Pérsia, os santos már­tires Abdas e Edésio, bispos, que foram mortos por ordem do rei Sapor II, jun­ta­mente com trinta e oito companheiros. († 375/376).

– Ver: Abdas de Susa no Wikipedia de 31 de março “Abdas, (também AbdaAbdias, e Audas) foi um bispo de Susa, no Irã (Sócrates de Constantinopla também o chama de “bispo da Pérsia[1]). Nasceu no século IV de uma mãe zoroastrista. Foi educado em boas virtudes, o que o fez amado por todos.”:  https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Abdas_de_Susa

– Ver também “St. Abdas também chamado AudasBispo persa martirizado com  28 membros de seu rebanho. Suas mortes marcaram o início de um longo reinado de terror para os cristãos em todo esse império (In Pérside sanctórum Mártyrum Audæ Epíscopi, septem Presbyterórum, novem Diaconórum, et septem Vírginum; qui sub Isdegérde Rege, variis tormentórum genéribus cruciáti, gloriósum martyrium complevérunt.). Na Pérsia, os santos mártires Audas, um bispo, sete sacerdotes, nove diáconos e sete virgens, que suportaram vários parentes de tormentos sob o rei Isdegerdes, e assim gloriosamente completaram seu martírio.
Bispo, Abdas foi preso com sete padres, nove diáconos e sete virgens consagradas.
Essas prisões iniciaram a perseguição aos cristãos na Pérsia naquela época. Abdas e seus companheiros foram para a morte professando Cristo.
Audas (Abdas) da Pérsia BM (RM).
O bispo persa Audas foi martirizado numa sexta-feira de maio durante o reinado de Sapor com 28 membros de seu rebanho, incluindo sete sacerdotes, nove diáconos e sete virgens. Suas mortes marcaram o início de um longo reinado de terror para os cristãos em todo o império (Beneditinos, Husenbeth).”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay16.html

5.   Em Bouhy, lo­ca­li­dade do ter­ri­tório de Au­xerre, na Gália, hoje na França, São Pe­re­grino, mártir, ve­ne­rado como pri­meiro bispo desta cidade. († s. IV/V). Ver págs. 393-394: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver “Peregrino de Auxerre (em latimPeregrinus; em francêsSaint Pélérin; em italianoSan Pellegrino) foi o primeiro bispo de Auxerre e o responsável pela construção da catedral da cidade. Uma tradição local afirma que ele era um padre romano nomeado pelo papa Sisto II para evangelizar a região a pedido dos cristãos daquela parte da Gália. Peregrino pregou em MarselhaLyon e converteu a maioria dos habitantes de Auxerre ao cristianismo[3].”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Peregrino_de_Auxerre

6.   Co­me­mo­ração de São Pos­sídio, bispo de Guelma, na Nu­mídia, na ac­tual Ar­gélia, que foi dis­cí­pulo e amigo de Santo Agos­tinho, as­sistiu à sua morte e es­creveu a sua me­mo­rável biografia. († d. 473).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, No séc. V, São Possídio, que foi discípulo de Santo Agostinho em Hipona, antes de se tomar bispo de Calana, na Numídia. Deixou uma biografia do grande Doutor africano, assim como um catálogo de suas obras. (M)

7.   Em Troyes, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, São Fí­dolo, pres­bí­tero, que, se­gundo a tra­dição, foi feito pri­si­o­neiro de guerra pelo rei Te­o­do­rico, du­rante a in­vasão do Au­vergne, mas, res­ga­tado e ins­truído no ser­viço de Deus por Santo Aven­tino, abade, foi o seu sucessor. († c. 540)

8.   Na Ir­landa, São Brandão, abade de Clon­fert, ze­loso pro­pa­gador da vida mo­nás­tica, de quem se narra a cé­lebre «na­ve­gação de São Brandão». († 577/583).

No Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Brendam, abade de Clonfert, na Irlanda, que guiou seus numerosos discípulos através das vagas deste mundo até “a terra prometida dos santos”. (M).

– Ver “São Brandão, o Navegador, ou Brandão de Ardfert e Clonfert (c. 484 – c. 577), também escrito Barandão ou Borondão, foi um monge irlandês.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Brand%C3%A3o

9.   Em Amiens, na Nêus­tria, ac­tu­al­mente na França, Santo Ho­no­rato (também na Folhinha do Coração de Jesus)bispo. († c. 600).

Ver páginas 398-399: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver Santo Honório de Amiens,“Honoré de Amiens, às vezes aportuguesado como Santo Honório de Amiens, foi o sétimo bispo de Amiens. O dia de sua festa é comemorado em 16 de maio.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hon%C3%B3rio_de_Amiens

10*.   Na Bre­tanha, em ter­ri­tório da ac­tual Grã-Bre­tanha, São Ca­ran­toco, bispo e abade de Cardigan. († s. VII)

11.   Na Pa­les­tina, a paixão de qua­renta e quatro santos monges, que, no tempo do im­pe­rador He­rá­clio, foram mas­sa­crados pelos Sar­ra­cenos que as­sal­taram o seu mos­teiro de São Sabas. († 614)

12*.   Em Tou­louse, na Aqui­tânia, na ac­tual França, São Ger­mério, bispo, que se em­pe­nhou em di­vulgar o culto de São Sa­tur­nino e vi­sitar as­si­du­a­mente o povo que lhe foi confiado. († s. VII f.)

13.   Em Gúbbio, na Úm­bria, re­gião da Itália, Santo Ubaldo, bispo, que tra­ba­lhou di­li­gen­te­mente para re­novar a vida co­mu­ni­tária dos clérigo. († 1160).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Itália, Santo Ubaldo, bispo de Gubbio. Ao receber em seu tribunal um culpado que o havia insultado, levantou-se de sua cadeira e aproximou-se dele, dizendo-lhe: “Dá-me o abraço da paz e que o Senhor Todo-Poderoso te perdoe esta ofensa, assim como todos os teus pecados”. (M).

– Ver também páginas 400-401: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

14*.   Em Fermo, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, Santo Adão, abade do mos­teiro de São Sabino. († c.1210)

15.   Em Janow, junto a Pinsk, nas mar­gens do rio Pripjat, na Po­lónia, Santo André Bobola, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, que foi ze­loso pro­motor da uni­dade dos cris­tãos, até que, ar­re­ba­tado por sol­dados, de bom grado deu o su­premo tes­te­munho da fé com o der­ra­ma­mento do seu sangue. († 1657).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano de 1657, a morte sangrenta de Santo André Bobola, jesuíta polonês. Pregador e missionário ativo, teve um tamanho sucesso que atraiu a inimizade de certos cismáticos, diante de quem deu testemunho pela última vez: “Eu creio e confesso que, como há apenas um só Deus, há também apenas uma e verdadeira Igreja e uma e verdadeira fé católica, revelada por Jesus Cristo e pregada pelos Apóstolos, e, a exemplo de muitos mártires, sofro e morro de boa vontade por ela”. (M).

Ver págs 403-404: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

–  Ver também “André BobolaS.J. (em polonês/polacoAndrzej Bobola; 1591–16 de maio de 1657) foi um missionário e mártir polonês da Companhia de Jesus, conhecido como “Apóstolo da Lituânia” e “Caçador de Almas”.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Andr%C3%A9_Bobola

16*.   Perto de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Mi­guel Wozniak, pres­bí­tero e mártir, que foi de­por­tado da Po­lónia, ocu­pada por um re­gime hostil à dig­ni­dade hu­mana e à re­li­gião, para o campo de con­cen­tração de Da­chau e, de­pois de cruéis tor­turas, partiu para a glória celeste. († 1942)

17.   Em Drohobych, na Ucrânia, o Beato Vital Vla­di­miro Bajrak, pres­bí­tero da Ordem de São Jo­safat e mártir, que, pe­rante os per­se­gui­dores da re­li­gião, pelo com­bate da fé al­cançou o fruto da vida eterna. († 1946)

18. Em Praga, na Boémia, ac­tu­al­mente na Ché­quia, São João Ne­po­mu­ceno, pres­bí­tero e mártir, que, pela de­fesa da Igreja so­freu a per­sis­tente per­se­guição do rei Ven­ceslau IV e, de­pois de muitos tor­mentos e atro­ci­dades, foi lan­çado vivo ao rio Mol­dávia. († 1393).

– Ver: No ano da graça de 1383, o martírio de São João Nepomuceno (também na Folhinha do Coração de Jesus de 16 de maio). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1383, o martírio de São João Nepomuceno. Originário da Boêmia, exerceu seu ministério sacerdotal em Praga. Foi aprisionado e depois atirado no rio Moldava por ter se recusado a violar o segredo da confissão. (M). Ver págs. 379-392: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver: https://www.youtube.com/watch?v=4zeIgMzGmtE

Ver também em 20 de março São João Nepomuceno (em checo Jan Nepomucký e alemão Johann von Nepomuk) é um dos santos nacionais da Boémia.

Segundo uma lenda foi pregador na corte de Venceslau IV em Praga e confessor da rainha sua mulher, mas, ao negar a divulgar os segredos das confissões dela foi morto, depois de ter sido torturado e lançado ao Rio Vltava.

Tornou-se assim o primeiro mártir do selo da confissão e o patrono contra calúnias, devido à maneira de sua morte.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Nepomuceno

18. Em San­remo, na Li­gúria, re­gião da Itália, São Luís Orione, pres­bí­tero, que fundou a Pe­quena Obra da Di­vina Pro­vi­dência, para au­xílio dos jo­vens e de todos os marginados. († 1940).

– Ver “Luís Orione, nascido Luigi Orione, (Pontecurone23 de junho de 1872 — Sanremo12 de março de 1940) foi um sacerdote católico italiano proclamado santo pelo Papa João Paulo II em 2004Canonizado em 16 de maio de 2004. Festa litúrgica: 12 de março”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Lu%C3%ADs_Orione

– Ver também 12 de março

São Luiz Orione (na Folhinha do Coração de Jesus de 16 de maio).

– Ver também “Dê-nos, Ó Maria, uma grande alma, um grande e magnânimo coração, que alcança todas as tristezas e lágrimas.”: http://www.donorione.org/

19. São Falo ou Fal. Ver página 395: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

20. Santo Emano, mártir. Ver páginas 396-397: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

21. Outros santos do dia 16 de maio: págs. 379-406 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 16 de maio, ver ainda: 16 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 401-403: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay16.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 15 de maio

15 de maio: dia internacional da família, definido em 20 de setembro de 1993, em deliberação da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Desde então, no dia 15 de maio sempre há, em várias partes do mundo, conferências e celebrações para discutir e traçar projetos para o futuro da instituição familiar. Conforme: https://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-internacional-das-familias.htm

– Ver também “O Dia Internacional das Famílias é celebrado no dia 15 de maio de cada ano. O Dia foi proclamado pela Assembléia Geral da ONU em 1993 com a resolução A / RES / 47/237 e reflete a importância que a comunidade internacional atribui às famílias. O Dia Internacional oferece uma oportunidade para promover a conscientização sobre questões relativas às famílias e para aumentar o conhecimento dos processos sociais, econômicos e demográficos que as famílias.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_Internacional_das_Fam%C3%ADlias

– No Brasil o DIA DA FAMÍLIA é comemorado em 08 de dezembro “O Dia da Família é comemorado anualmente em 8 de dezembro, no Brasil. A data tem como objetivo homenagear a família, bem como lembrar a sua importância.”: https://www.calendarr.com/brasil/dia-da-familia/

====================

SANTAS E SANTOS DE 15 DE MAIO

1.   Em Lâmp­saco, no He­les­ponto, na ac­tual Tur­quia, a paixão dos santos Pedro, André, Paulo e Di­o­nísia, (ou Denise, também na Folhinha do Coração de Jesus) mártires. († s. III).

– No Martirológio Romano-Monástico, no Helesponto, no ano da graça de 251, a paixão dos Santos Pedro, André, Paulo e Denise ou Dionísia. Ao procônsul que o intimava a sacrificar à deusa Vênus, Pedro respondeu: “É mais necessário e mais glorioso para mim oferecer o sacrifício de adoração e de oração, de compunção e de louvor ao Deus vivo e verdadeiro, a Cristo, Rei de todos os séculos” (Paixão – M).

– Ver também páginas 366-370: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

2.   Em Ar­vena, na Aqui­tânia, hoje Cler­mont-Fer­rand, na França, os santos Cássio e Vi­to­rino, már­tires, que, se­gundo a tra­dição, pa­de­ceram o mar­tírio no tempo de Crono, chefe dos Alamanos. († s. III).

No Martirológio Romano-Monástico, em Clermont, na Auvergne, no séc. IV, os Santos Cássio, (também na Folhinha do Coração de Jesus), Vitorino, Máximo e seus companheiros, que foram martirizados por invasores teutônicos por causa da sua fé cristã. (M)

3.   Na Sar­denha, re­gião da Itália, São Sim­plício, presbítero. († s. III/IV)

4*.   Em La­rissa, na Tes­sália, re­gião da Grécia, Santo Aquileu o Tau­ma­turgo, bispo, que tomou parte no pri­meiro Con­cílio Ecu­mé­nico de Ni­ceia e, ani­mado de grande zelo apos­tó­lico e todas as vir­tudes, evan­ge­lizou vá­rios povos pagãos. († s. IV).

– Ver Santo Aquiles de Lárissa Aquiles de Lárissa (em grego: Άγιος Αχίλλειος; em latimAchillius[1] ou Achilius[2]), também chamado de Ailus,[3] Áquila (Achillas),[1] foi um dos 318 bispos que participaram do Primeiro Concílio de Niceia. Ele é comemorado como santo no dia 15 de maio.[4]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Aquiles_de_L%C3%A1rissa

5*.   Em Autun, na Gália Li­o­nense, na ho­di­erna França, São Re­tício, bispo, que Santo Agos­tinho re­corda como per­so­na­li­dade de grande au­to­ri­dade na Igreja e São Je­ró­nimo ad­mira como bom exe­geta da Sa­grada Escritura. († s. IV).

– Ver “São Retício (ou ReticiusRheticus ou Rheticius) (em francês: Saint Rhétice) foi um bispo de Autun do século IV dC, o primeiro cujo nome é conhecido de acordo com a Enciclopédia Católica. Ele era um galo-romano e um escritor eclesiástico e serviu como bispo desta Sé de por volta de 310 até 344 dC[1].”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ret%C3%ADcio_de_Autun

6.   Na Etiópia, São Caleb ou Elésban, rei, que, para de­sa­gravar os már­tires de Na­gran, em­pre­endeu o com­bate contra os ini­migos de Cristo e, se­gundo a tra­dição, de­pois de ter en­viado, no tempo do im­pe­rador Jus­tino, o seu di­a­dema régio para Je­ru­salém, abraçou a vida mo­nás­tica, a que se com­pro­me­tera por voto, até partir deste mundo ao en­contro do Senhor. († c. 535)

7.   Em Sep­têm­peda, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, São Se­ve­rino, bispo, cujo nome foi dado à cidade.(† data inc.)

8*.   Em Bingen, junto ao rio Reno e perto de Mo­gúncia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, São Ro­berto (Ruperto), duque, que, ainda jovem fez uma pe­re­gri­nação ao tú­mulo dos Após­tolos e, de re­gresso aos seus do­mí­nios, cons­truiu muitas igrejas; aos vinte e um anos de idade, ador­meceu no Senhor. († s. VIII)

– Ver páginas 373-374: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

Ver “Ruperto de Bingen (em alemãoRupert von Bingen712 — 732) foi um santo da alemão, filho do pagão Robolaus e da nobre cristã Bertha de Bingen, que veio a ser também santificada. Com a morte do pai o menino foi educado como cristão. Com quinze anos fez uma peregrinação a Roma, e por isso é tido como o padroeiro dos peregrinos. Voltando para a Alemanha usou sua herança para construir igrejas, e faleceu com apenas vinte anos de “febre”.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ruperto_de_Bingen

9.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, a co­me­mo­ração de São Vi­te­sindo, mártir, que por medo dos Mouros aban­donou a fé cristã; mas de­pois, re­cu­sando pú­bli­ca­mente pra­ticar esse culto ma­o­me­tano, foi morto em ódio à fé cristã. († 855)

10.   Em Ma­drid, na re­gião de Cas­tela, na Es­panha, Santo Isidro, (ou Isidoro) la­vrador, que, com sua es­posa, a Beata Maria da Ca­beça, tra­ba­lhando ar­du­a­mente e pro­cu­rando pa­ci­en­te­mente mais os frutos do Céu que os da terra, se tornou um exemplo de grande pi­e­dade para o agri­cultor cristão. († c. 1130).

No Martirológio Romano-Monástico, na Espanha, perto de 1130, Santo Isidoro Agricultor (também na Folhinha do Coração de Jesus). Empregado de um rico proprietário de Madri, visitava as Igrejas antes de começar a trabalhar e mostrava grande generosidade para com os mais pobres do que ele. O corpo do santo foi encontrado intacto cinco séculos após sua morte e Isidoro recebeu as honras da canonização em 1622 a pedido de Filipe III (X).

– Ver também páginas 363-365: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Isidoro, o Lavrador (Madrid, c. 1070 – 15 de maio de 1130) é um santo da Igreja Católica Romana. Canonizado em 1622 pelo papa Gregório XV, a sua festa é celebrada no dia 15 de Maio. É padroeiro principal da sua cidade natal, Madrid, e também dos lavradores.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Isidoro,_o_Lavrador

11.   Em Aix-en-Pro­vence, na França, o Beato André Abellon, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, que re­novou nos con­ventos a ob­ser­vância re­gular, ad­mi­nis­trando-os com be­ne­vo­lência e sobriedade. († 1450).

Ver páginas 375-376: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

12. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Pacômio, abade, morto na Tebaida em 346. Testemunha da caridade cristã para com os prisioneiros no tempo de seu serviço militar, converteu-se e pediu o hábito monástico ao eremita São Palamon. Sete anos mais tarde, uma voz divina o mandou “construir uma casa em Tabenesse, para nela reunir muitos irmãos”. São Pacômio é, assim, considerado fundador do monaquismo cenobítico (B).

13. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, os Santos Torquato (também na Folhinha do Coração de Jesus), Ctésifo, Segundo, Indalécio, Cecílio, Esíquio (Hesíquio) e Eufásio, considerados pela tradição como os primeiros apóstolos da Espanha. (M)

Santo Hesíquio de Casorla. Ver “Santo Hesíquio (em espanholSan Hesiquio[1] é venerado como o santo padroeiro da cidade de Cazorla, na Espanha

Hesíquio é um dos “sete varões apostólicos“, que foram sete clérigos cristãos ordenados em Roma pelos santos Pedro e Paulo, enviados para envagelizar a Hispânia. Além de Hesíquio, este grupo incluia os santos Torcato de AcciCecílioTesifonteEufrásioIndalécio e Segundo.

A identificação dos lugares onde ele teria realizado a evangelização é pouco precisa: algumas fontes afirmam que Carcere ou Carcesi não seria Cazorla e sim Cieza.[2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hes%C3%ADquio_de_Cazorla

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em meados do séc. IV, São Prímaclo. Originário das Ilhas Britânicas, levou vida eremítica na Bretanha, onde numerosas igrejas foram-lhe dedicadas (X).

15. São Francoveu, confessor. Ver páginas 371-372: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

16. Santa Joana de Lestonac. Ver “Joana de Lestonnac (Bordéus27 de dezembro de 1556 — 2 de fevereiro de 1640) foi a fundadora da Companhia de Maria, uma ordem religiosa que tinha como missão educar as jovens da época.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Joana_de_Lestonnac

17. Em Ghéel, no Bra­bante, ter­ri­tório da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Bél­gica, Santa Dimpna, virgem e mártir. († s. VII/IX).

– Ver “Santa Dymphna… Também conhecida como Dimpna, Dympne. Sua memória era 15 de maio. Desde 2004 é 30 de maio. O local onde ela morreu é conhecido por suas curas milagrosas de loucos e possuídos . Agora existe uma instituição bem conhecida no local, e suas relíquias curam a insanidade e a epilepsia.”: http://catholicsaints.info/saint-dymphna/

– Ver “padroeira dos psicólogos e psiquiatras; doenças mentais; enfermidades neurológicas; viciados; vítimas de incesto… Santa Dimpna era a filha de um rei irlandês pagão e de sua esposa cristã no século VII e que foi assassinada por seu pai. A história de Santa Dimpna foi relatada pela primeira vez no século XIII num cânone da Igreja de Santo Alberto em Cambrai, encomendado pelo bispo da cidade, Guido I. O autor afirma expressamente que seus escritos foram baseados numa tradição oral muito antiga e em persistentes histórias de curas milagrosas e inexplicáveis de pessoas acometidas por doenças mentais[1]. Seu dia é comemorado pela Igreja Católica em 30 de maio, conforme o Martirológio Romano.: https://pt.wikipedia.org/wiki/Dimpna

– Ver também “(tradução do google) … Na verdade, após a descoberta de suas relíquias no século XIII, um assentamento inteiro se desenvolveria em torno da veneração de St. Dymphna, tendo como modelo o conceito tradicional da igreja como “hospital espiritual”.

St. Dymphna recebeu a coroa do martírio em defesa de sua castidade em algum momento entre 620 e 640 d.C. aos quinze ou dezesseis anos.

… Inicialmente, os peregrinos que precisavam de cura foram alojados em um pequeno anexo ou enfermaria construído na Igreja de St. Dymphna. Após a alta, foram colocados nas casas das famílias que viviam na aldeia. A partir deste pequeno começo e sob o patrocínio de St. Dymphna, os habitantes de Gheel tornaram-se conhecidos pelos cuidados que deram àqueles com doenças mentais. A cidade possui um sanatório de primeira classe, um dos maiores e mais eficientes estabelecimentos para doentes mentais do mundo. Gheel foi o primeiro a iniciar um programa de esperança onde os doentes mentais, uma vez libertados do cuidado institucional, poderiam levar realisticamente vidas normais e produtivas nas casas dos agricultores e moradores locais. Os pacientes, que são membros valiosos dessas “famílias adotivas”, ajudam com as tarefas e trabalham na medida de sua capacidade. O poder das intercessão de St. Dymphna é evidenciado pelo trabalho incrivelmente compassivo do povo de Gheel para os doentes mentais, bem como pelo progresso e capacidade dos pacientes de viver de forma plena e eficaz. Esta colaboração só pode ter sido trazida através de meios celestiais, neste caso, o patrocínio amoroso de St. Dymphna.”: http://www.saintsmaryandmarthaorthodoxmonastery.org/newsletter_Jan2006.html

– Ver ainda “Santa Dymphna… Também conhecida como Dimpna, Dympne. Sua memória era 15 de maio. Desde 2004 é 30 de maio. O local onde ela morreu é conhecido por suas curas milagrosas de loucos e possuídos . Agora existe uma instituição bem conhecida no local, e suas relíquias curam a insanidade e a epilepsia.”: http://catholicsaints.info/saint-dymphna/

18. Outros santos do dia 15 de maio: págs. 363-378 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 15 de maio, ver ainda: 15 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 399-401: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 14 de maio

1. Festa de São Ma­tias (também na Folhinha do Coração de Jesus), Após­tolo, que se­guiu o Se­nhor Jesus desde o bap­tismo de João até ao dia em que Cristo subiu ao Céu; por isso, de­pois da As­censão do Se­nhor, foi cha­mado pelos Após­tolos para ocupar o lugar do traidor Judas, a fim de que, con­tado entre os Doze, fosse tes­te­munha da ressurreição.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa de São Matias, Apóstolo, que foi contado entre as “testemunhas da Ressurreição do Senhor” por ter acompanhado os outros Apóstolos e vivido com Jesus, desde o batismo de João até a Ascensão. De acordo com uma tradição, levou o Evangelho para a Etiópia, onde deu a vida por Cristo. (R) ).

– “São Matias, apóstolo. Com a deserção e morte de Judas Iscariotes, o colégio dos 12 apóstolos ficou desfalcado. Precisou que alguém se juntasse aos onze para testemunhar a ressurreição de Jesus. Dois homens se apresentaram: um tal de José, chamado Barsabás, e Matias. Depois de uma oração, fizeram um sorteio. E a sorte caiu para Matias, o que viram ser escolha de Deus. Assim, Matias “foi juntado ao número dos onze apóstolos” (cf. At 1,15-17.20-26). São Matias intercede por nós lá do céu. Assim, confiando na sua intercessão e, ao mesmo tempo, sentindo a alegria de sermos amados por Deus, a Ele pedimos que nos conceda merecer ser contados entre os seus eleitos”. Frei José Ariovaldo da Silva, OFM (Folhinha do Coração de Jesus de 13.05.2020).

Ver VIDAS DOS SANTOS, 24 de fevereiro. São Matias Apóstolo. Ver págs. 394-395:

http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

– Ver “São Matias ou Matias Apóstolo foi, segundo a Bíblia, o discípulo escolhido para substituir Judas Iscariotes como apóstolo de Jesus Cristo.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Matias_(ap%C3%B3stolo)

Ver também (São Matias em 24 de fevereiro): nos anos bissextos era neste dia (24 de fevereiro) que começava a usar-se a 2ª letra dominical do ano. Na Idade Média, muitas vezes as instruções referiam apenas que a 1ª letra dominical dos anos bissextos servia até dia de São Matias e nesse dia se tomava a 2ª, porque durante séculos o dia 24 de Fevereiro era o dia de festa do Apóstolo (São Matias), posteriormente mudada para o dia 14 de Maio. Conforme: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/24_de_fevereiro

2.   Na pro­víncia da Ásia, na ac­tual Tur­quia, São Má­ximo, mártir, que, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Décio, se­gundo a tra­dição, por ape­dre­ja­mento en­tregou o es­pí­rito a Deus. († c. 250)

3.   Em Ci­miez, na Pro­vença, ac­tu­al­mente na França, São Pôncio, mártir. († c. s. III).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 258, São Pôncio. Nascido em Roma de família pagã, converteu-se à fé cristã, distribuiu seus bens aos pobres e consagrou-se à pregação. Quando estourou a perseguição, ele refugiou-se em Cimiez, perto de Nice, onde sofreu o martírio (M).

4.   Na Síria, os santos Vítor e Co­rona, que so­freram ao mesmo tempo o martírio. († c. s. III).

– Ver ‘Vítor e Corona são dois mártires cristãos. A maior parte das fontes afirma que eles foram mortos na Síria na época do imperador romano Marco Aurélio. Porém, os vários textos hagiográficos discordam sobre o local do martírio, com alguns afirmando que foi em Damasco, enquanto que as fontes coptas afirmam que foi em Antioquia. Algumas fontes ocidentais citam Alexandria ou a Sicília. As diversas versões também discordam sobre a data do evento e eles podem ter morrido também na época de Antonino Pio ou de Diocleciano, enquanto que o “Martirológio Romano” afirma que foi no século III em que eles foram mortos.[1]’: https://pt.wikipedia.org/wiki/V%C3%ADtor_e_Corona

5.   Na ilha de Quios, na ac­tual Grécia, Santo Isi­doro, mártir, que, se­gundo a tra­dição, foi lan­çado num poço. († s. III)

6.   Em Aqui­leia, na Ve­nécia, hoje no Friúli-Ve­nécia Giúlia, re­gião da Itália, os santos Félix e For­tu­nato, que hon­raram esta ci­dade com o seu glo­rioso martírio. († s. IV)

7.   Na ilha da Sar­denha, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração das santas Justa e He­re­dina, mártires. († s. III/IV)

8*.   Em Ar­vena, na Aqui­tânia, hoje Cler­mont-Fer­rand, na França, Santo Abrún­culo, bispo, que, ex­pulso da sede epis­copal de Lan­gres por Gun­de­baldo, rei de Bor­gonha, ao chegar a Cler­mont foi eleito bispo desta Igreja. († 488)

9.   Também em Cler­mont-Fer­rand, São Galo, bispo, homem hu­milde e pa­cí­fico, que foi tio pa­terno de São Gre­gório de Tours. († 551).

– Ver “Galo nasceu na segunda metade do século V na diocese de Auvergne. Foi bispo de Clermont entre 527 e 551. [1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Galo_de_Clermont

10*.   Em Lis­more, na Ir­landa, São Car­tago, bispo e abade. († 638)

11*.   No mos­teiro de Fon­te­nelle, na Nêus­tria, ac­tu­al­mente na França, Santo Erem­berto, que foi bispo de Tou­louse e de­pois abraçou a vida monástica. († 674)

12*.   Em San­tarém, ci­dade de Por­tugal, o Beato Gil (Egídio) de Vouzela, pres­bí­tero, que, de­pois de exercer a me­di­cina em Paris, aban­donou a sua vida dis­so­luta e in­gressou na Ordem dos Pre­ga­dores, su­pe­rando todas as ten­ta­ções por meio de lá­grimas, ora­ções e abstinências. († 1265)

– Ver páginas 352-355: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Dom Gil Rodrigues de ValadaresO.P., também conhecido sob os nomes de São Frei Gil de PortugalSão Frei Gil de Vouzela, terra do seu nascimento, São Frei Gil de Santarém, local do seu falecimento, ou simplesmente São Frei Gil, foi um frade dominicano médicotaumaturgoteólogo e pregador português dos séculos XII e XIII, beatificado pelo papa Bento XIV a 9 de Maio de 1748. É um dos beatos portugueses com maior projecção nacional e internacional.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Frei_Gil

13*.   Em Saint Mary of the Woods, lo­ca­li­dade pró­xima de In­di­a­nó­polis, nos Es­tados Unidos da Amé­rica do Norte, Santa Te­o­dora (Ana Te­resa Guérin), virgem da Con­gre­gação das Irmãs da Pro­vi­dência, que, tendo nas­cido na França, apesar das enormes ad­ver­si­dades, sempre con­fiada na di­vina pro­vi­dência ori­entou com grande es­pí­rito de mi­se­ri­córdia a nas­cente co­mu­ni­dade da­quele lugar. († 1856)

14.   No ter­ri­tório de Bétharram, perto de Pau, na ver­tente fran­cesa dos montes Pi­re­neus, São Mi­guel Garicots, pres­bí­tero, que fundou a So­ci­e­dade dos Sa­cer­dotes Mis­si­o­ná­rios do Sa­grado Co­ração de Jesus. († 1863).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na diocese de Bayonne, em 1863, São Miguel Garicoïts. Nascido no País Basco de uma simples família de camponeses, depois de ordenado foi nomeado superior do seminário maior de Betharram, nos Pirineus. Dez anos mais tarde, estabeleceu naquela casa a Sociedade dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, destinados a evangelizar as regiões descristianizadas do interior e a servir em igrejas e lugares de peregrinação. (X).

Ver páginas 356-357: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

15.   Em Nízza Mon­fer­rato, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, Santa Maria Do­mingas Mazzarello      (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, com São João Bosco, fundou o Ins­ti­tuto das Fi­lhas de Maria Au­xi­li­a­dora para a ins­trução das jo­vens po­bres, pro­ce­dendo sempre com ad­mi­rável pru­dência e caridade. († 1881).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Piemonte, no ano da graça de 1881, a Bem-Aventurada Maria-Domenica Mazzarello, virgem, que reuniu inicialmente um grupo de meninas para ensinar-lhes o catecismo. Segundo o desejo de São João Bosco, sua obra tomou o nome de Congregação de Maria Auxiliadora. (X).

Ver páginas 334-351: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

16. Na Sardenha, no séc. II, a paixão de Três Cristãos que não hesitaram em derramar o sangue por Cristo, conforme o Martirológio Romano-Monástico (M).

17. Santa Petronila de Moncel, na Folhinha do Coração de Jesus deste 14 de maio. Também é comemorada em 01 de maio.

– Ver 01 de maio: Em Moncel, no território de Beauvais, na França, a Beata Petronila, virgem, primeira abadessa do mosteiro das Clarissas deste lugar. († 1355)

– Ver também:

a) https://www.elconfidencial.com/alma-corazon-vida/2020-05-01/santoral-1-mayo_2552340/

b) http://www.deronda.es/servicios/santo/santoral-mensual/santoral-mayo.html

18. São Bonifácio de Tarso, mártir. Ver páginas 326-333: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Bonifácio de Tarso foi, segundo a lenda, executado por ser cristão no ano de 307 em Tarso, na Cilícia, para onde ele havia ido para trazer de volta para Roma relíquias de mártires para sua senhora, uma matrona romana conhecida como Aglaida (ou Aglaia ou Aglaé).”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Bonif%C3%A1cio_de_Tarso

– Ver ainda “… Antes de Bonifácio receber o golpe mortal, ele rezou ao Onipotente de joelhos: “Senhor, não vos lembreis de meus erros. Arrependo-me deles de todo o meu coração. Recebei o sacrifício da minha vida, do qual me destes a graça de fazê-lo por Vós. Iluminai e convertei todos os que aqui estão presentes.” Assim, o destemido herói cristão terminou sua vida.”: http://farfalline.blogspot.com/2014/05/14-de-maio-sao-bonifacio.html

19. Santo Ampélio, o ferreiro. Confessor. Ver págs. 358-359: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

20. Outros santos do dia 14 de maio: págs. 326-362 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 14 de maio, ver ainda: 14 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 397-399: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 13 de maio

1. Nossa Se­nhora de Fátima (também na Folhinha do Coração de Jesus), em Por­tugal, cuja con­tem­plação, na localidade de Al­jus­trel, como Mãe cle­men­tís­sima se­gundo a graça, sempre so­lí­cita pela ad­ver­si­dade dos ho­mens, exorta mul­ti­dões de fiéis à oração pelos pe­ca­dores e à ín­tima con­versão dos corações.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Fátima, Portugal, no ano de 1917, a Aparição de Nossa Senhora a três crianças. As aparições se repetiram no dia 13 de cada mês, até outubro do mesmo ano. Vinte e cinco anos depois, o papa Pio XII, inspirando-se na mensagem de Fátima, implorava ao Sagrado Coração de Maria a paz para o mundo dilacerado pela guerra, assim como a luz para a nação onde “não havia uma só casa que não honrasse o e venerável ícone”. (X), († 1917)

– Ver SEIS APARIÇÕES DE FÁTIMA O milagre do Sol

Enquanto se passavam essas cenas, a multidão espantada assistiu ao grande milagre prometido pela Virgem para que todos cressem.

No momento em que Ela se elevava da azinheira e rumava para o nascente, o Sol apareceu por entre as nuvens, como um grande disco prateado, brilhando com fulgor fora do comum, mas sem cegar a vista. E logo começou a girar rapidamente, de modo vertiginoso. Depois parou algum tempo e recomeçou a girar velozmente sobre si mesmo, à maneira de uma imensa bola de fogo. Seus bordos tornaram-se, a certa altura, avermelhados e o Astro-Rei espalhou pelo céu chamas de fogo num redemoinho espantoso. A luz dessas chamas se refletia nos rostos dos assistentes, nas árvores, nos objetos todos, os quais tomavam cores e tons muito diversos, esverdeados, azulados avermelhados, alaranjados etc… O fenômeno durou cerca de 10 minutos . Todos o viram, ninguém ousou pô-lo em dúvida, nem mesmo livres-pensadores e agnósticos que ali haviam acorrido por curiosidade ou para zombar da credulidade popular…”: Nossa Senhora de Fátima (fatima.org.br)

https://www.fatima.org.br/aparicoes-de-nossa-senhora-em-fatima/?ori=a&gclid=CjwKCAjwiN_mBRBBEiwA9N-e_notPWBD8kLnp71ld23WjzVcdKeqgSCUOX0NvJQ_-k59RpIzbycjvxoCJaIQAvD_BwE

Ver tambémNossa Senhora de Fátima ou, formalmente, Nossa Senhora do Rosário de Fátima, é uma das invocações atribuídas à Virgem Maria e que teve a sua origem nas aparições recebidas por três pastorinhos no lugar da Cova da Iria, em FátimaPortugal.

De acordo com os testemunhos das três crianças videntes, a primeira aparição terá ocorrido no dia 13 de maio de 1917 ao meio-dia, repetindo-se durante os seis meses seguintes sempre no dia 13 e à mesma hora (excetuando-se o mês de agosto, em que ocorreu a dia 19), até 13 de outubro de 1917.

Na última aparição, identificou-se como sendo “a Senhora do Rosário“, tendo sido, por esse motivo, feita eclesiasticamente a combinação dos seus dois títulos e que deu origem a Nossa Senhora do Rosário de Fátima. Segundo os relatos dos videntes, a mensagem que a aparição apresentou em Fátima foi um insistente apelo à conversão, à penitência e à oração, nomeadamente a oração do Santo Rosário.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_de_F%C3%A1tima

– Ver ainda “EXORTAÇÃO APOSTÓLICA «SIGNUM MAGNUM» DE SUA SANTIDADE
PAPA PAULO VI CONSAGRADA AO CULTO DA VIRGEM MARIA, MÃE DA IGREJA E MODELO DE TODAS AS VIRTUDES…

Movidos pelo amor e pelo propósito de aplacar Deus, tão ofendido na Sua santidade e na Sua justiça, e animados também pela confiança na Sua infinita misericórdia, devemos suportar os sofrimentos espirituais e corporais, a fim de expiarmos os nossos pecados e os do nosso próximo e evitarmos assim a dupla pena, de «dano» e de «sentidos», isto é, a perda de Deus, sumo Bem, e o fogo eterno (cfr. Mt 25,41; L.G. 48).

“… Como honrar Maria? Imitando suas virtudes: bondade, oração confiante, prática de penitência… E, por que não? Consagrar-se continuamente ao coração imaculado de Maria…

 cada cristão pode fazer sua a invocação de S. Anselmo: «Ó gloriosa Senhora, faz com que por ti mereçamos chegar até Jesus, teu Filho, que por teu intermédio se dignou descer até nós».

exortamos todos os filhos da Igreja a renovar pessoalmente a sua própria consagração ao Coração Imaculado da Mãe da Igreja, e a viver este nobilíssimo acto de culto com uma vida cada vez mais conforme à Vontade Divina, e em espírito de serviço filial e de devota imitação da sua celeste Rainha…”: http://www.vatican.va/content/paul-vi/pt/apost_exhortations/documents/hf_p-vi_exh_19670513_signum-magnum.html

2.   Em Ma­as­tricht, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na Ho­landa, São Ser­vácio (Servazio), bispo de Ton­gres, que, nas con­tro­vér­sias sus­ci­tadas em vá­rios con­cí­lios acerca da na­tu­reza de Cristo, de­fendeu a ver­da­deira fé nicena. († c. 384).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 384, São Servádio (ou Servásio), bispo de Tongres e de Maastricht. Lutou ao lado de Santo Atanásio, exilado em Treves em favor da pureza da fé na divindade do Verbo, diante da heresia ariana. (M)

– Ver página 324 São servásio, bispo: VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf (obrascatolicas.com)

3*.   Em Poi­tiers, na Aqui­tânia, na ac­tual França, Santa Inês, aba­dessa, que, con­sa­grada pela bênção de São Ger­mano de Paris, go­vernou com grande es­pí­rito de ca­ri­dade o mos­teiro de Santa Cruz. († 588).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no fim do séc. VI, Santa Inês. Educada na corte de S. Radegunda, acompanhou a rainha para a abadia de Santa Cruz, em Poitiers. Eleita abadessa, introduziu naquele mosteiro a regra de São Cesário. Durante seu governo, lá viveu Santa Disciola, virgem, que deixou a lembrança de ter sido uma religiosa humilde e disponível. (X).

Ver pág. 317 Santa Inês, abadessa e Discíola, virgens. Conforme: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

4*.   Em Go­riano Sí­coli, nos Abruzos, re­gião da Itália, a Beata Gema, virgem, que viveu en­cer­rada numa pe­que­nís­sima cela junto da igreja, de onde apenas podia ver o altar. († 1465)

5*.   Em Como, na Lom­bardia, também re­gião da Itália, a Beata Ma­da­lena Albríci, aba­dessa da Ordem de Santo Agos­tinho, que es­ti­mulou emi­nen­te­mente o fervor das irmãs religiosas. († 1834).

Bem-aventurada Madalena Madalena Alberici, virgem. Ver “… Madalena, que operou muitos milagres mais, depois de longa e penosa doença, que suportou com toda a paciência, sem se queixar, muito corajosamente, faleceu aos 13 de maio de 1465, sendo venerada como santa imediatamente. Em Como, celebram-lhe a festa no dia 15 de maio. Na ordem a 2l do mesmo mês.” às páginas 314-316: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

6*.   Em Le Puy-en-Valay, lo­ca­li­dade da re­gião de Poi­tiers, na França, Santo André Hu­berto Fournet, pres­bí­tero, que, sendo pá­roco du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, em­bora pros­crito pelos ini­migos da Igreja, for­ta­leceu na fé os fiéis; e de­pois de res­ti­tuída a paz à Igreja, jun­ta­mente com Santa Isabel Bi­chier des Âges, fundou o Ins­ti­tuto das Fi­lhas da Cruz. († 1834)

7. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. II, Santa Glicéria (também na Folhinha do Coração de Jesus). Filha de um oficial romano residente na Ásia Menor, quebrou uma estátua de Júpiter durante uma celebração pagã. Por este motivo, foi jogada às feras. As liturgias gregas e ciríacas a homenageiam com um ofício completo (M).

8. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Palestina, São João, o Silencioso. Após alguns anos de episcopado, retirou-se para a grande laura de São Sabas, onde viveu no silêncio habitado somente pela oração. (M).

Ver páginas 306-310: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

9. Santa Rolanda, virgem, séc. VIII ou IX. Ver página 311: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “… Desiderio, com a intenção de criar novas alianças, tenta enviar sua jovem filha, bela, culta e culta, ao filho do rei da Escócia, Oger.

Mas a jovem Rolanda, estressada pelos acontecimentos familiares, recusa a vontade do pai e, seguindo uma escolha há muito amadurecida, decide deixar a família para se refugiar no convento das Onze Mil Virgens de Colônia.

Poucos dias antes do casamento, ele foge de casa com dois criados e tenta chegar ao convento a pé. Uma viagem impossível, cansada e exausta. pelo cansaço, morre no castelo de Villers Poterie, perto de Gerpinnes, uma pequena cidade rural na atual Bélgica.

A mãe corre para homenagear o corpo.

O clero e as personalidades dos arredores enterram-na na parte direita da igreja de Gerpinnes, onde está erguido um mausoléu.

Vários milagres acontecem ao redor de seu túmulo, principalmente para a cura de cólicas, cascalho e lumbago, a ponto de o mausoléu ficar famoso e muitos peregrinos começarem a visitá-lo…”: http://www.paviaedintorni.it/temi/personaggi_file/personaggi_religione_file/personaggi_religione_rolanda.htm

10. Bem-aventurado Geraldo de Villamagna, confessor. Ver “O nosso bem-aventurado Geraldo viveu até a mais extrema velhice. Sem que diminuíssem as austeridades – e eram muitas – a que se entregava, faleceu no dia 13 de maio de 1245. O culto, tantos os milagres que operou, foi confirmado e aprovado em 1833, pelo papa Gregório XVI”, páginas 312-313: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

11. São Roberto Belarmino (04/10/1542-17/09/1621), bispo, confessor e doutor. Festa dia 17 de setembro. Anotações de 13 de maio deste dia no VIDAS DOS SANTOS (beatificado no dia 13 de maio de 1923 e canonizado em 29 de junho de 1930).

– Ver págs. 318-323: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver anotações de 17 de setembro: São Ro­berto Be­lar­mino (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo e doutor da Igreja, da Com­pa­nhia de Jesus, que de­bateu ex­ce­len­te­mente as con­tro­vér­sias te­o­ló­gicas do seu tempo com acui­dade e com­pe­tência; no­meado car­deal, con­sa­grou-se com grande zelo ao mi­nis­tério pas­toral na Di­o­cese de Cápua, na Itália, e fi­nal­mente de­dicou-se em Roma a muitos tra­ba­lhos pela de­fesa da Sé Apos­tó­lica e da dou­trina da fé. († 1621). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, em 1621, a volta para Deus de São Roberto Belarmino. Nascido em Toscana, entrou aos dezoito anos para a Companhia de Jesus, passando alguns anos em Louvain como estudante, e depois como professor. Nomeado provincial em Nápoles, assumiu pouco depois cargos importantes na Cúria. Foi a seguir nomeado cardeal e bispo de Cápua. Defendeu a fé católica através de suas “CONTROVÉRSIAS” e pela redação de um “PEQUENO CATECISMO” que exerceu influência decisiva e duradoura. (R)

– Ver também “23/2/2011. O Papa Bento XVI falou sobre a figura do italiano São Roberto Bellarmino, Cardeal, jesuíta e doutor da Igreja – que viveu no século XVI, época da Reforma Protestante”: http://itapiranga0205.blogspot.com/2012/10/do-livro-arte-de-morrer-bem-de-sao.html

– Ver ainda: “Roberto Belarmino S.J. (em italiano: Roberto Francesco Romolo Bellarmino) foi um jesuíta italiano e um cardeal católico. Foi uma das mais importantes figuras da Contra-Reforma e, por suas obras, foi canonizado em 1930 e proclamado Doutor da Igreja. Também esteve envolvido no processo de Galileu Galilei…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Roberto_Belarmino

12. Em Namur, junto ao rio Mosa, no Bra­bante, na ac­tual Bél­gica, Santa Júlia Bil­liart (também na Folhinha do Coração de Jesus de 08 de abril e em 2021 na Folhinha do Coração de Jesus de 13 de maio), virgem, que fundou o Ins­ti­tuto de Santa Maria para a for­mação da ju­ven­tude fe­mi­nina e pro­pagou ar­do­ro­sa­mente a de­voção ao Sa­grado Co­ração de Jesus. († 1816) Ver páginas 209-212: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

Ver também “Maria Rosa Júlia Billiart (CuvillyPicardia12 de julho de 1751 — Namur8 de abril de 1816) foi uma santa católica, beatificada pelo Papa Pio X em 13 de maio 1906 e canonizada por Paulo VI 22 de junho de 1969. Fundadora da Congregação de Notre Dame de Namur, é festejada em 8 de abril.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/J%C3%BAlia_Billiart

13. Outros santos do dia 13 de maio: págs. 306-325 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 13 de maio, ver ainda: 13 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 395-396: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/MUITO OBRIGADO

Santas e Santos de 12 de maio

Destaques de 12 de maio:

  1. São Pancrácio (nº 2 abaixo), mártir de 14 anos;
  2. Santa Imelda Lambertini (nº 11 abaixo), padroeira das crianças que vão fazer a primeira comunhão (morreu aos 11 anos de idade, feliz por ter recebido Jesus na comunhão pela primeira vez)

1. São Nereu e Santo Aquileu (ou Aquiles) már­tires (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, como narra o papa São Dâ­maso, se ti­nham alis­tado como sol­dados e, cons­tran­gidos pelo temor, se pre­pa­ravam para obe­decer às ím­pias or­dens do ma­gis­trado; mas, con­ver­tidos ao ver­da­deiro Deus, dei­taram fora os es­cudos, ar­ma­duras e dardos, aban­do­naram o acam­pa­mento e, con­fes­sando a fé de Cristo, go­zaram o seu triunfo. Neste dia foram se­pul­tados os seus corpos no ce­mi­tério de Do­mi­tila, junto à Via Ar­de­a­tina de Roma. († s. III f.).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no tempo de Diocleciano, os Santos Nereu e Aquiles (ou Aquileu). Companheiros de armas a serviço do imperador, mostraram-se irmãos na fé até à morte. (M).

– Ver “Nereu e Aquileu,[1] chamados também Nereu e Aquiles[2] (em latimNereus et Achilleus) foram dois santos mártires de RomaItália, condenados à morte, provavelmente no tempo de Dioclecianoimperador romano de 284 a 305. Eles são celebrados no dia 12 de maio. No mesmo dia celebra-se também Pancrácio de Roma e de 1595 até 1969 Flávia Domitila, quem provavelmente não tinha com eles alguma relação.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nereu_e_Aquileu

2. São Pan­crácio (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, que, se­gundo a tra­dição, ainda ado­les­cente morreu por Cristo, também em Roma, a duas mi­lhas na Via Au­rélia. Sobre o seu se­pulcro, o papa São Sí­maco le­vantou uma cé­lebre ba­sí­lica, e o papa São Gre­gório Magno reuniu fre­quen­te­mente o povo nesse lugar, para que ali com­pre­en­desse o tes­te­munho do ver­da­deiro amor cristão. Co­me­mora-se neste dia o seu sepultamento. († s. IV in.).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, igualmente São Pancrácio, jovem cristão que foi martirizado com a mesma idade e na mesma época em que Santa Inês. (M).

– Conforme a Folhinha do Coração de Jesus de 10 de maio de 2012, Pancrácio era filho de nobres romanos não cristãos. Nascido na Frígia, em 289, mudando-se para Roma entrou em contato com o cristianismo, e passou a admirar a coragem e a fé daqueles homens e mulheres dispostos a derramar seu sangue por Jesus. Narra a tradição que foi o próprio Papa Marcelino, refugiado junto ao tio de Pancrácio, Dionisio, que o instruiu na fé e o batizou, em 303. Com o acentuar-se da perseguição sob Diocleciano, Pancrácio foi preso e decapitado, junto com outros cristãos. Tinha 14 anos, Os cristãos recolheram seu corpo e o depositaram numa catacumba próxima à Via Aurélia, onde se encontra até hoje. Com o incremento da devoção ao mártir, no local foi erguida uma basílica. Frei Sandro Roberto da Costa, OFM Petrópolis/RJ.

– Ver págs. 301-302: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Pancrácio de Roma (em latimPancratius; em gregoΆγιος Παγκράτιος, em italianoSan Pancrazio) nasceu por volta do ano 289-290, em Roma, numa nobre família frígia e morreu em 12 de maio de 304, com cerca de 14 anos de idade…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pancr%C3%A1cio_de_Roma

3. Beata Joana de Portugal, virgem, filha do rei Afonso V, que, re­cu­sando re­pe­ti­da­mente as núp­cias, pre­feriu servir na Ordem dos Pre­ga­dores, tor­nando-se re­fúgio dos po­bres, dos ór­fãos e das viúvas e, de­pois de uma vida de ex­tra­or­di­nária pi­e­dade, morreu no mos­teiro do­mi­ni­cano de Aveiro, ci­dade de Portugal. († 1490).

– Ver págs. 299-300: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Joana de PortugalO.P. (também chamada Santa Joana Princesa embora oficialmente apenas seja reconhecida pela Igreja Católica como Beata) (Lisboa6 de fevereiro de 1452 — Aveiro12 de maio de 1490) foi uma princesa portuguesa da Casa de Avis, filha do rei D. Afonso V e de sua primeira mulher, a rainha D. Isabel.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Joana,_Princesa_de_Portugal

4.   Em Axió­polis, na Mésia, hoje Cer­na­voda, na Ro­ménia, São Ci­rilo, que con­sumou o mar­tírio jun­ta­mente com seis companheiros. († c. s. III)

5.   Em Sa­la­mina, na ilha de Chipre, Santo Epi­fânio, bispo, que, do­tado de ex­ce­lente eru­dição e co­nhe­ci­mento da li­te­ra­tura sa­grada, foi também ad­mi­rável na san­ti­dade de vida, zelo pela fé ca­tó­lica, li­be­ra­li­dade para com os po­bres e dom de milagres. († 403).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 403, Santo Epifânio, judeu da Palestina, que se converteu a Cristo e levou, perto de sua aldeia natal, vida monástica durante trinta anos. Eleito bispo de Chipre, conservou o hábito e os costumes de monge, gozando de grande prestígio entre seus fiéis. Sua erudição e seu amor pela ortodoxia levaram-no a denunciar várias doutrinas maculadas pela heresia. (M).

Ver págs. 291-296: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Epifânio de Salamina (em latimEpiphanius) foi um bispo da cidade de Salamina e metropolita da ilha de Chipre no final do século IV. Ele ganhou uma reputação como um forte defensor da ortodoxia cristã. É também conhecido por ter escrito um enorme compêndio de heresias que ameaçaram o cristianismo primitivo até o seu tempo, cheio de citações que, muitas vezes, são os únicos fragmentos sobreviventes das obras suprimidas. Além disso, ele foi responsável por instigar, juntamente com Ticão (bispo de Amato), uma perseguição aos não cristãos que viviam em Chipre, que resultou na destruição de muitos dos seus templos.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Epif%C3%A2nio

6.   Em Agira, na Si­cília, re­gião da Itália, São Fi­lipe, pres­bí­tero, oriundo da Trácia. († s. V)

7.   Em Tré­veris, na Re­nânia, re­gião da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, São Mo­do­aldo, bispo, que cons­truiu e fa­vo­receu igrejas e mos­teiros, ins­ti­tuiu vá­rias co­mu­ni­dades de vir­gens e foi se­pul­tado junto da sua irmã Severa. († c. 647).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 640,São Modoaldo. Nascido na Aquitânia, foi durante muito tempo conselheiro na corte dos merovíngios, antes de sua eleição para chefiar a Igreja de Treves. (X)

8*.   No mos­teiro de Mar­chi­ennes, no ter­ri­tório de Cam­brai da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na França, Santa Ric­trudes, aba­dessa, que, de­pois da morte vi­o­lenta do seu es­poso Ada­baldo, acon­se­lhada por Santo Amando tomou o sa­grado véu e com ad­mi­rável sa­be­doria di­rigiu as vir­gens sagradas. († c. 688).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na diocese de Arras, em 688, Santa Rictrude, duquesa de Douai, mãe de toda uma família de santos. Após a morte de seu marido, duplicou o mosteiro masculino de Marchiennes, já existente, com um mosteiro de monjas onde tomou o véu. (M).

Ver págs. 297-298: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

9.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Ger­mano, bispo, in­signe pela sua vir­tude e sa­be­doria, que re­futou com grande fir­meza o edito pro­mul­gado pelo im­pe­rador Leão, o Isáu­rico, contra as sa­gradas imagens. († 733).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, São Germano, arcebispo de Constantinopla, morto quase centenário, em 733. Célebre panegirista da Mãe de Deus, é-lhe  atribuído o hino “Akatistós”, ladainha da liturgia oriental em honra de Nossa Senhora, saudada como a “Esposa sempre virgem”. (M).

– Ver “Germano I de Constantinopla foi o patriarca de Constantinopla entre 715 e 730, e reinou durante um período conhecido como “Anarquia de vinte anos“.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Germano_I_de_Constantinopla

10.     Em Cas­tela, re­gião da Es­panha, no lugar pos­te­ri­or­mente de­sig­nado com o seu nome, São Do­mingos da Calçada, pres­bí­tero, que cons­truiu pontes e ca­mi­nhos para uso dos pe­re­grinos que se di­ri­giam a São Tiago de Com­pos­tela e pro­vi­den­ciou com grande pi­e­dade às suas ne­ces­si­dades nas celas e es­ta­la­gens por ele preparadas. († 1060/1109)

11*.   Em Bo­lonha, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, a Beata Imelda Lam­ber­tíni, virgem, que, re­ce­bida desde tenra idade entre as monjas da Ordem dos Pre­ga­dores, ainda muito jovem, de­pois de ter co­mun­gado com ex­tra­or­di­nária de­voção a Eu­ca­ristia, ime­di­a­ta­mente en­tregou o seu es­pí­rito a Deus. († 1333). Ver: SANTA IMELDA LAMBERTINI – 12 DE MAIO

 – padroeira das crianças que vão fazer a Primeira Comunhão

“Tornou-se noviça aos 9 anos. Morreu aos 11, durante a missa em que recebeu sua primeira comunhão.

Foi beatificada em 1826 pelo papa Leão XII, que estendeu a toda a Igreja o culto que já lhe prestavam em Bolonha. Em 1908, o papa Pio X a proclamou padroeira das crianças que fazem a primeira comunhão.

corpo incorrupto de Imelda Lambertini jaz conservado na capela de São Sigismundo, em Bolonha (Itália)…

Com apenas 8 anos de idade, entrou para o convento. Aos 10, recebeu o hábito de monja dominicana. Embora tivesse tão pouca idade, era uma freirinha em tudo exemplar nas atividades da vida religiosa. Entretanto, algo a intrigava: o fato de as pessoas receberem a Sagrada Comunhão e continuarem a viver.

Como Imelda não tinha idade para comungar, costumava perguntar às religiosas: “Irmã, a senhora comungou Jesus e não morreu?”. As freiras respondiam assustadas: “Que é isso, menina? Por que morrer?”. A pequenina religiosa respondia: “Como pode a senhora receber Jesus, em Comunhão, e não morrer de amor e de tanta felicidade?”. Pois aconteceu que na madrugada do dia 12 de maio de 1333, véspera do Domingo da Ascensão do Senhor, Imelda estava na Santa Missa e já não aguentava mais de tanta vontade de comungar. Perguntava-se ela: “Se Jesus mandou ir a Ele as criancinhas, porque não posso comungar?”. O padre já tinha acabado de dar a Sagrada Comunhão às religiosas quando todos viram: uma hóstia saiu do cibório e voou pela capela. Parou em cima da cabeça de Imelda. O padre, então, entendeu que era hora dela comungar.

Ao receber a Santíssima Eucaristia, Imelda se colocou em profunda adoração. Após horas de oração, a Madre Superiora foi até a freirinha e lhe disse: “Está bem, Irmã Imelda. Já adorou bastante a Jesus. Podemos seguir… Vamos para as outras atividades do convento”. Imelda, entretanto, permanecia imóvel. Após a insistência da Superiora, nada acontecia. Foi, então, que a Madre pegou amorosamente Imelda pelos bracinhos e ela caiu em seus braços. É… Imelda havia morrido na sua Primeira Comunhão. Cumpriu-se a indagação da pequena grande Imelda: “Como pode alguém receber Jesus, na Sagrada Comunhão, e não morrer de felicidade?”. Aos 11 anos, Imelda morreu de amor e de felicidade por ter recebido Jesus!

O corpo de Imelda Lambertini encontra-se incorrupto na Capela de São Sigismundo, na Bolonha, Itália. O Papa São Pio X a proclamou padroeira das crianças que vão fazer a Primeira Comunhão.

13. São Leopoldo Mandic, na Folhinha do Coração de Jesus de 12 de maio.

– Ver dia 30 de julho:

Em Pádua, na Itália, São Le­o­poldo (Bogdan) de Cas­tro­novo Mandic, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que viveu ar­den­te­mente o ideal da uni­dade dos cris­tãos e de­dicou toda a vida ao mi­nis­tério da reconciliação. († 1942)

– Ver “Frei Leopoldo Mandic morreu no dia 30 de julho de 1942, em Pádua. O seu funeral provocou um forte apelo popular e a fama de sua santidade espalhou-se, sendo beatificado em 1976. O papa João Paulo II incluiu-o no catálogo dos santos em 1983, declarando-o herói do confessionário e “apóstolo da união dos cristãos”, um modelo para os que se dedicam ao ministério da reconciliação.”: http://arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/sao-leopoldo-mandic

– Na Folhinha do Coração de Jesus de 12 de maio.

14. Beato Dom Álvaro del Portillo. Ver “Beato Álvaro José Maria Eulogio del Portillo y Diez de Sollano (Madrid11 de março de 1914 — Roma23 de março de 1994) foi bispo da Igreja Católica e Prelado da Prelazia da Santa Cruz e Opus Dei. Era Doutor em Engenharia Civil, Filosofia e Letras (História) e em Direito Canônico

Foi beatificado no dia 27 de setembro de 2014 . A cerimônia foi em Madrid, “terra natal” do prelado, e presidida pelo prefeito da Congregação das Causas dos Santos, o cardeal Ângelo Amato. Para D. Javier a decisão do reconhecimento da Santa Sé e do Papa Francisco é motivo “de profunda alegria” e uma distinção justa para um “bispo que tanto amou e serviu a Igreja”.[6]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81lvaro_del_Portillo

– Ver também “…O Beato Álvaro del Portillo foi um bispo, engenheiro civil e doutor em filosofia e em Direito Canônico; também recordado por ter sido o primeiro sucessor de São Josemaria Escrivá de Balaguer, fundador do Opus Dei…”: https://www.acidigital.com/noticias/hoje-e-a-festa-do-beato-alvaro-del-portillo-sucessor-de-sao-josemaria-escriva-88281

15. Outros santos do dia 12 de maio: págs. 291-305 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 12 de maio, ver ainda: 12 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 393-395: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 11 de maio

NOSSA SENHORA DAS DIVINAS VOCAÇÕES. Ver “Nossa Senhora das Divinas Vocações é o título com o qual Maria, a Mãe de Jesus, é venerada pela família da Sociedade das Divinas Vocações, que, atualmente, compreende duas Congregações Religiosas (Religiosos Vocacionistas e Irmãs Vocacionistas) e um Instituto Secular (Apóstolos da Santificação Universal).

As Congregações Vocacionistas têm o carisma de suscitar e cultivar vocações para a Igreja, de modo particular para a Vida Consagrada e para os ministérios ordenados. As Apóstolas da Santificação Universal possuem o carisma da promoção da vocação universal à santidade de todos.

Este título de Nossa Senhora das Divinas Vocações foi conferido por D. Giuseppe Petrone, bispo de Pozzuoli, diocese na qual se encontra Pianura, cidade da periferia de Nápoles (Itália), onde nasceram as Congregações Vocacionistas. O Pe. Justino Russolillo, fundador dos referidos institutos, deixou escrito em seu diário como se deu esse episódio. O fundador tinha recebido da família Marrucco, amiga e benfeitora do Pe. Justino e de suas Obras Vocacionais, uma estátua de Nossa Senhora. Essa estátua de Maria tinha aos seus pés as figuras de dois jovens vocacionados.

”: https://www.a12.com/academia/titulos-de-nossa-senhora?s=nossa-senhora-das-divinas-vocacoes

– Ver também “No dia 11 de maio, é o dia de Nossa Senhora das Divinas Vocações, Mãe, Padroeira e Protetora da Sociedade das Divinas Vocações (Vocacionistas).
O nosso Fundador Padre Justino, no dia 10 de maio de 1926, enquanto rezava na latada do quintal da casa paterna, teve a infusa certeza que a Santíssima Trindade lhe presenteava a Virgem Santa como imediata Superiora das Congregações recém fundadas.
No dia seguinte, 11 de maio de 1926, a mesma intuição confirmava que se tratava de uma verdadeira revelação.
Por providência divina me encontro hoje numa capela a Ela dedicada, aqui na nossa comunidade Vocacionista de Florham Park (New Jersey – Estados Unidos) e a Ela dirijo essa confiante oração:
Mãe de Jesus e Mãe da Igreja, nunca deixe faltar nas comunidades dos seguidores do teu Filho santos sacerdotes, testemunhas autênticas do Evangelho e encarnação da Misericórdia do Pai!
Mãe de Jesus e Mãe da Igreja, suscite religiosos e religiosas apaixonados pelo Reino e antecipadores dos seus valores!
Mãe de Jesus e Mãe da Igreja, desperte leigos conscientes da vocação batismal e animadores da vida e da solidariedade!
Juntos, Mãe querida, com a força, a ternura e a meiguice do Espírito Santo podemos formar comunidades vivas, autênticas e dinâmicas, de forma que ninguém sinta a necessidade de buscar nada além do que a Igreja possa oferecer, que ninguém seja arrancado do redil do Único Pastor, que ninguém seja atraído pelas facilidades do comércio sagrado que vende Deus segundo a forma pré estabelecida pelas necessidades de cada um.
Ajuda-nos, Mãe querida, a construir um mundo alicerçado na paz, na justiça e na igualdade.
E depois de uma vida longa e feliz, dai-nos a graça de entrar no Paraíso e contemplar eternamente o rosto sagrado da Trindade Santíssima.
Nossa Senhora das Divinas Vocações, rogai por nós!”: http://vocacionistas.org.br/portal/?p=1942

============================

SANTAS E SANTOS DE 11 DE MAIO

1. Na África Bi­za­cena, na ho­di­erna Tu­nísia, São Maiulo, mártir de Adru­meto, que foi con­de­nado às feras. († s. II f./III in.)

2. Na Via Sa­lária, a vinte e duas mi­lhas de Roma, Santo An­timo, mártir. († s. III).

No Martirológio Romano-Monástico, em Roma, durante a perseguição de Diocleciano, o Bem-Aventurado Antímio, presbítero, que foi atirado ao Tibre “depois de ter dado testemunho de Cristo”. Muitos de seus amigos e discípulos foram martirizados na mesma época (M).

3. Em Bi­zâncio, ac­tu­al­mente Is­tambul, na Tur­quia, São Mócio, pres­bí­tero e mártir. († data inc. )

4. Em Vi­enne, na Gália Li­o­nense, hoje na França, São Ma­merto, bispo, que, pe­rante a imi­nência de uma ca­la­mi­dade, ins­ti­tuiu nesta ci­dade o tríduo so­lene de la­dai­nhas ou ro­ga­ções antes da As­censão do Senhor. († c. 475).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 477, São Mamerto, bispo de Vienne, no Dauphiné. Incêndios e terremotos o incitaram a instituir as orações conhecidas como “Rogações” durante os dias que precedem a festa da Ascensão. (M).

– Conforme a VIDAS DOS SANTOS, na França, para desviar calamidades iminentes, instituiu as LITÂNIAS solenes para os três dias que antecedem a Ascensão do Senhor, prática que a Igreja universal aceitou e aprovou: “Nós rogamos ao Senhor que nos livre das enfermidades, dos flagelos, que nos preserve de todo o mal, que nos garanta contra a peste, o granizo, a seca, o furor dos nossos inimigos; que nos proporcione tempo favorável para a saúde do corpo e para a fertilidade da terra, e que nos faça gozar da paz e da calma, perdoando os nossos pecados”. Ver página 288: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Claudiano_Mamerto

– Ver ainda: https://www.newadvent.org/cathen/09580a.htm

– Ver também: páginas 400-406 (São Mamerto institui as procissões das rogações); páginas 407-417 (Preparação para a Festa da Ascensão): (NÃO TEM LINK): Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

*OBSERVAÇÃO: EM 2021 A FESTA DA ASCENSÃO SERÁ EM 16 DE MAIO

5. Em Va­rennes, no ter­ri­tório de Lan­gres, também na Gália, ac­tu­al­mente na França, São Gen­gulfo. († s. VIII).

Conforme Martirológio Romano-Monástico, na Diocese de Langres, no séc. VIII, São Gengolfo, que suportou com grande paciência sua esposa infiel, e não sem haver-lhe dirigido as mais salutares advertências (M).

– No VIDAS DOS SANTOS, São Gangulfo, ou Genguto, mártir. Ver páginas 269-271: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

6. Em Sou­vigny, na Bor­gonha, hoje também na França, o pas­sa­mento de São Maiolo, abade de Cluny, que, firme na fé, forte na es­pe­rança, rico na ca­ri­dade, re­formou muitos mos­teiros na Gália e na Itália. († 994).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória dos Santos Abades de Cluny Odo (Ver dia 29 de abril), Majolo, Odilon (também na Folhinha do Coração de Jesus), Hugo e Pedro, o Venerável. A elevada autoridade moral de Cluny, que do séc. X ao XII estes abades colocaram a serviço da Igreja e da paz civil, explica-se pela irradiação de suas personalidades, pela estabilidade de seus mandatos, isenta de toda ingerência secular e por sua fidelidade ao “nada preferir à Obra de Deus”. Por decisão da Santa Sé, a Congregação de Solesmes foi oficialmente constituída herdeira de Cluny (B).

– No VIDA DOS SANTOS, São Mayeul, abade de Cluny. Ver páginas 258-268: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também Santo Odilon, abade de Clugni. Ver no VIDAS DOS SANTOS de 29 de fevereiro, págs. 87-92: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver “Odilo de ClunyO.S.B., (em latimOdilo Cluniacensis) foi o quinto[1] abade da Abadia beneditina de Cluny e permaneceu no posto por 54 anos.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Odilo_de_Cluny

7*. No mos­teiro de L’Es­terp, no ter­ri­tório de Li­moges, também na ho­di­erna França, São Gualter, pres­bí­tero e có­nego re­gular, que, ins­truído desde a in­fância no ser­viço de Deus, res­plan­deceu pela man­sidão para com os ir­mãos e pela ca­ri­dade para com os pobres. († 1070).

São Galtério de Esterp. Ver páginas277-279: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

8*. Em Ver­rú­chio, na Fla­mínia, ac­tu­al­mente na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o Beato Gre­gório Célli, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que, ex­pulso do mos­teiro pelos ir­mãos de re­li­gião, consta que morreu entre os Ir­mãos Me­nores do con­vento do monte Carnério. († 1343)

9*. Em York, na In­gla­terra, os be­atos már­tires João Rochester e Jaime Walwort, pres­bí­teros e monges da Car­tuxa de Lon­dres, que, no rei­nado de Hen­rique VIII, por causa da sua per­se­ve­rança na fi­de­li­dade à Igreja, foram sus­pensos com ca­deias nas ameias da ci­dade até à morte. († 1537)

10. Em Ná­poles, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São Fran­cisco de Jerónimo, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, que se con­sa­grou du­rante muito tempo às mis­sões po­pu­lares e ao cui­dado pas­toral dos abandonados. († 1716).

No Martirológio Romano-Monástico, em Nápoles, no ano da graça de 1716, São Francisco de Girólamo, sacerdote da Companhia de Jesus. Pregador renomado, estimulou o apostolado dos leigos e de várias obras sociais a serviço dos doentes e dos andarilhos (M).

– Ver São Francisco de Girolamo, confessor,  páginas 280-287: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

11. Em Cá­gliari, na Sar­denha, Santo Inácio de Láconi (também na Folhinha do Coração de Jesus) re­li­gioso da Ordem dos Ir­mãos Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que pelas praças da ci­dade e es­ta­la­gens do porto, pedia in­can­sa­vel­mente es­molas para so­correr as mi­sé­rias dos pobres. († 1781)

12. Em Saigão, na Co­chin­china, ac­tu­al­mente no Vi­etnam, São Ma­teus Lê Van Gam, mártir, que, por ter le­vado na sua barca para aquela re­gião os mis­si­o­ná­rios pro­ve­ni­entes da Eu­ropa, foi preso e, de­pois de passar um ano no cár­cere, por de­creto do im­pe­rador Thieu Tri foi degolado. († 1847)

13♦. Em Roma, o Beato Ze­fe­rino Namuncurá, in­dí­gena arau­cano da Ar­gen­tina, as­pi­rante ao sacerdócio. († 1905).

Ver “Zeferino Namuncurá (nome original CeferinoChimpay26 de agosto 1886 – Roma11 de maio 1905) foi um salesiano leigo argentino. Foi beatificado em 11 de novembro de 2007 em Chimpay pelo cardeal Tarcisio Bertone, sendo o primeiro índio da América do Sul beatificado; a cerimônia foi a primeira fora do Vaticano.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Zeferino_Namuncur%C3%A1

14. Santo Udaldo, ou Audaldos, mártir. Ver páginas 272-276: http://obrascatolicas.com/Mlivros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

15. Santo Alberto de Bérgamo, na Folhinha do Coração de Jesus.

-Ver em 07 de maio: Em Cre­mona, na Lom­bardia, re­gião da Itália, o Beato Al­berto de Bérgamo (também na Folhinha do Coração de Jesus de 11 de maio), agri­cultor, que su­portou pa­ci­en­te­mente as re­pre­en­sões da es­posa por causa da sua grande li­be­ra­li­dade para com os po­bres e, obri­gado a deixar as terras, viveu na po­breza como irmão da Pe­ni­tência de São Domingos. († 1279)

16. São Domingos do Santíssimo Sacramento. Ver “Domingos do Santíssimo Sacramento no siglo Domingo Iturrate Zubero: (Dima11 de maio de 1901Belmonte7 de abril de 1927) foi um sacerdote da Ordem da Santíssima Trindade e toda a sua vida foi composta por uma busca da santidade segundo a fé católica.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Domingos_do_Sant%C3%ADssimo_Sacramento

– VER 08 DE ABRIL: No con­vento de Bel­monte, perto de Cu­enca, na Es­panha, o beato Do­mingos do San­tís­simo Sa­cra­mento Iturrate, pres­bí­tero da Ordem da San­tís­sima Trin­dade, que se de­dicou com todas as suas forças a pro­mover a sal­vação das almas e a exaltar a glória da San­tís­sima Trindade. († 1927).

17. Outros santos do dia 11 de maio: págs. 258-290 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 11 de maio, ver ainda: 11 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 391-393: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 10 de maio

1.   Co­me­mo­ração do Santo Job, ou São Jó, homem de ad­mi­rável pa­ci­ência na terra de Hus.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Iduméia, antes da era cristã, o Bem-Aventurado Jó. Homem íntegro e direito, provado por Deus em sua inocência, deu testemunho da transcendência dos desígnios divinos por sua fé obsequiosa. (M).

Ver páginas 238-251: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

2.   Em Mira, na Lícia, na ac­tual Tur­quia, São Di­os­có­rides, mártir. († data inc.)

3.   Em Len­tíni, na Si­cília, re­gião da Itália, os santos Álfio, Fi­la­délfio e Ci­rínio, mártires. († s. III)

4.   Em Roma, junto à Via La­tina, São Gor­diano, mártir, que foi se­pul­tado na cripta onde já an­te­ri­or­mente se ve­ne­ravam as re­lí­quias do mártir Santo Epímaco. († c. 300).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, o martírio de São Gordiano, juiz, e Santo Epímaco. Condenados à morte em datas diferentes, o primeiro em 362, e o segundo um século mais cedo, os dois são celebrados juntos porque foram enterrados no mesmo local. (M)

5.   Também em Roma, a co­me­mo­ração dos santos Quarto e Quinto, mártires. († c.s. IV).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, São Quarto e São Quinto, membros do clero de Cápua, que por causa de sua origem nobre foram levados para Roma para lá responderem por sua fé (M).

6*.   Na Ir­landa, São Congal, abade, que fundou o cé­lebre mos­teiro de Bangor e sempre pro­cedeu como pai sábio e guia pru­dente de uma grande pléiade de monges. († 622).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no começo do séc. VII, São Comgall, monge escocês. Fundou nas costas do Ulster o mosteiro de Bangor, que foi um centro de alta espiritualidade cristã até o tempo das invasões dinamarquesas. São Bernardo, em sua “Vida de São Malaquias”, não hesitava em considerar Bangor como “uma sementeira de santos que produziu muitos frutos para a glória de Deus” (X).

– Ver página 252: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

7.   Em Tá­ranto, na Apúlia, re­gião da Itália, São Ca­taldo, bispo e pe­re­grino, pro­va­vel­mente oriundo da Escócia. († c. s VII).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VII, São Cataldo. Monge irlandês, dirigiu por vários anos uma escola monástica, que deixou para fazer uma peregrinação a Jerusalém. No caminho de volta, recebeu a missão de reconduzir à fé cristã a população de Tarento, antes convertida pelo apóstolo Pedro, mas que depois havia voltado aos antigos erros (M).

8*.   Em Bourges, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, Santa So­lângia, virgem, que, se­gundo a tra­dição, se su­jeitou ao mar­tírio para con­servar a castidade. († c. s. IX).

Ver páginas 253-254, Santa Solange: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

9*.   Em Pon­toise, junto de Paris, na França, São Gui­lherme, pres­bí­tero, na­tural de In­gla­terra, que foi pá­roco in­signe pela sua pi­e­dade e zelo das almas. († 1195)

10*.   Em Pádua, no Vé­neto, re­gião da Itália, a Beata Be­a­triz d’Este, virgem, que fundou o mos­teiro de Gém­mola nas co­linas Eu­ga­neias e, no breve tempo da sua vida mo­nás­tica, per­correu um ca­minho árduo de santidade. († 1226).

Em Pádua, a bem-aventurada Beatriz do Este, virgem. Filha do marquês do Este de Ferrara, professou entre as religiosas beneditinas de Santa Margarida de Salarola. Mais tarde, retirou-se ao monte Gemmula, onde se distinguiu pela humildade e o amor à pureza. Faleceu com vinte anos, a 10 de maio de 1226. O corpo é venerado na igreja de Santa Sofia de Pádua. Teve o culto aprovado em 1763. Duas outras bem-aventuradas do mesmo nome são honradas no dia 18 de janeiro e 29 de julho. Ver página 255: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

11*.   Em Sena, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o pas­sa­mento do Beato Ni­colau Albergáti, bispo de Bo­lonha (conforme Martirológio Romano de 10 de maio), que en­trou ainda jovem na Ordem Car­tu­siana e, or­de­nado bispo, ajudou muito a Igreja com o seu zelo pas­toral e as suas mis­sões apostólicas. († 1443).  Bem-aventurado Nicolau Albergati, confessor.

Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 09 de maio, no ano do Senhor de 1443, o Bem-Aventurado Nicolau Albergati, cartucho, ordenado bispo de Bolonha em 1427. Nomeado Núncio Apostólico pelo Papa Martinho V, trabalhou com sucesso para restabelecer a paz entre a França e a Inglaterra.

– Ver páginas 221-222: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Niccolò AlbergatiO.Cart. (23 de fevereiro de 1373 – 9 de maio de 1443) foi um cardeal italiano. Atualmente, é venerado como um beato da Igreja Católica.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Niccol%C3%B2_Albergati

Ver dia 09 de maio

– No VIDAS DOS SANTOS de 03 de março: Bem-Aventurado Nicolau Albergati, cartucho, bispo de Bolonha e cardeal. Ver páginas 156-163: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

12.   Em Mon­tilla, lo­ca­li­dade da An­da­luzia, na Es­panha, São João de Ávila (também na Folhinha do Coração de Jesus, São João D’Ávila), pres­bí­tero, que per­correu toda a re­gião como pre­gador de Cristo e, in­jus­ta­mente acu­sado de he­resia, foi en­cer­rado num cár­cere, onde es­creveu a parte mais im­por­tante da sua dou­trina espiritual. († 1569).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Andaluzia, no ano do Senhor de 1569, São João de Ávila. Filho de judeus convertidos a Cristo, foi ordenado presbítero depois de estudos feitos em Alcalá. Colocou seus talentos de orador a serviço do Evangelho e obteve numerosas conversões, entre as quais as dos futuros São João de Deus e São Francisco Bórgia (X).

– Ver “João de Ávila (em castelhanoJuan de Ávila) foi um sacerdotepregadorfilósofo escolástico e místico espanhol que foi declarado santo e Doutor da Igreja pela Igreja Católica. Ele é chamado de “Apóstolo da Andaluzia” por seu importante ministério na região.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_de_%C3%81vila

13*.   Em Za­greb, na Croácia, o Beato João Merz (Ivan Merz), que, tendo-se de­di­cado aos es­tudos hu­ma­nís­ticos e ao en­sino, deu aos jo­vens um pre­claro exemplo de edu­cador fun­da­men­tado na fé em Cristo e de leigo cristão em­pe­nhado no pro­gresso da sociedade. († 1928).

– Ver “Ivan Merz (Banja Luka16 de dezembro de 1896 – 10 de maio de 1928) era um leigo acadêmico croata, beatificado pelo Papa João Paulo II em 22 de junho de 2003 quando da visita deste a Banja Luka (Bósnia). Ivan Merz era o promotor do movimento litúrgico na Croácia e com Ivo Protulipac criou um movimento para jovens.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ivan_Merz

14*.   Em Cre­mona, na Itália, o Beato Hen­rique Recuschíni, pres­bí­tero da Ordem dos Clé­rigos Re­grantes Mi­nis­tros dos En­fermos, que prestou ser­viço com pro­funda sim­pli­ci­dade aos do­entes nos hospitais. († 1938)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. III, Santo Aureliano, bispo de Limoges, discípulo e primeiro sucessor de São Marcial, que o havia convertido à fé católica, (X)

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, em 222, São Calépodo, sacerdote, que teve por companheiros de martírio um cônsul e toda a sua casa, um senador com mais sessenta e oito pessoas – cristãos – de sua família (M).

– O senador Simplício foi condenado ao mesmo suplício com a mulher, os filhos e sessenta e oito pessoas de sua família; anàlogamente Felix e Blanda (também na Folhinha do Coração de Jesus), sua esposa. Expuseram as cabeças dêstes santos mártires sobre diversas portas da cidade para intimidar os cristãos. Ver página 256: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

17.  No Martirológio Romano de 15 de abril: em Ka­lawao, na ilha de Mo­lokai, na Oce­ania, São Da­mião de Veuster (José de Veuster), pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Mis­si­o­ná­rios dos Sa­grados Co­ra­ções de Jesus e Maria, que se con­sa­grou com tanta mag­na­ni­mi­dade à as­sis­tência dos le­prosos, que também ele su­cumbiu atin­gido pela lepra. († 1889).

-São Damião de Molokai (também na Folhinha do Coração de Jesus de 10 de maio).

Damião de Molokai, Padre Damião, formalmente Jozef de Veuster, SS.CC. (Tremeloo, Bélgica, 3 de janeiro de 1840Molokai, Havai, Estados Unidos, 15 de abril de 1889) foi um missionário católico belga da Congregação dos Sagrados Corações, venerado especialmente pelos habitantes do arquipélago do Havai e pela cristandade em geral por ter dedicado a sua vida ao cuidado dos leprosos de Molokai, no reino do Havai.

Para os católicos, o Padre Damião é o patrono espiritual dos leprosos e marginalizados, incluindo os doentes de SIDA, e também do Estado do Havai. A sua festividade é celebrada no dia 15 de abril no Havai, mas o dia de festa da Igreja Católica é o dia 10 de maio. Foi beatificado em 1995 pelo papa João Paulo II e canonizado em 11 de outubro de 2009 pelo papa Bento XVI.

Em 1 de dezembro de 2005 o Padre Damião foi eleito o maior belga de todos os tempos numa votação organizada pela televisão aberta flamenga (VRT): https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Damião_de_Veuster

– Ver 15 de abril

18. Santo Antonino, arcebispo e Florença. Ver páginas 224-237: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Antonino de Florença, O.P., (Antônio de FlorençaAntonio Pierozzi, também chamado De Forciglioni), foi um frade dominicano italiano, que se tornou Arcebispo de Florença. É venerado como santo pela Igreja Católica.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Antonino_de_Floren%C3%A7a  

VER 02 DE MAIO:

– Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, Santo An­to­nino, bispo, que, de­pois de se aplicar à re­forma da Ordem dos Pre­ga­dores, se con­sa­grou com vi­gi­lante pru­dência ao tra­balho pas­toral, res­plan­de­cendo pela sua san­ti­dade, rigor e doutrina. († 1459).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1459, Santo Antonino, dominicano italiano, que ocupou diversos cargos antes de ser nomeado auditor geral da Rota e arcebispo de Florença. Deixou obras de teologia moral, de direito canônico e de história que tiveram várias edições. Foi enterrado no convento de São Marcos que acabara de ser decorado por seu confrade Fra Angélico. (M)

19. São Nazário (também na Folhinha do Coração de Jesus). Em Milão, a invenção dos Santos Nazário e Celso, em memória do dia em que Santo Ambrósio, bispo, tendo encontrado o corpo de São Nazário coberto de sangue, que parecia ainda fresco, o transferiu para a igreja dos santos apóstolos com o do bem-aventurado Celso, menino que o santo mártir havia educado, e que o juiz Anolim mandara decapitar durante a perseguição de Nero, em 28 de julho, dia no qual se lhe soleniza a festa. Santo Ambrósio compôs esta inscrição: “Nazário gozou de uma eterna paz. A Cruz, que foi seu refúgio, ainda é seu refúgio”.

Ver dia 28 de julho. Ver páginas 256-257: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

20. Outros santos do dia 10 de maio: págs. 224-257 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 10 de maio, ver ainda: 10 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 389-391: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 09 de maio

1.   Co­me­mo­ração de Santo Isaías, pro­feta, que, nos dias de Ozias, Jotão, Acaz e Eze­quias, reis de Judá, foi en­viado ao povo in­fiel e pe­cador para lhe ma­ni­festar a fi­de­li­dade e sal­vação do Se­nhor, no cum­pri­mento da pro­messa feita por Deus a David. Se­gundo a tra­dição entre os Ju­deus, morreu mártir no tempo de Manassés.

2.   Co­me­mo­ração de Santo Hermas (também na Folhinha do Coração de Jesus), que é men­ci­o­nado pelo Após­tolo São Paulo na Epís­tola aos Romanos.

3.   Na Te­baida, re­gião do Egipto, São Pa­cómio (também na Folhinha do Coração de Jesus), abade, que, ainda pagão, im­pres­si­o­nado com o tes­te­munho da ca­ri­dade dos cris­tãos para com os sol­dados de­tidos na tenda mi­litar, con­verteu-se à vida cristã e re­cebeu do ana­co­reta Pa­lémon o há­bito mo­nás­tico; sete anos de­pois, por ins­pi­ração di­vina, edi­ficou muitos ce­nó­bios para re­ceber os ir­mãos e es­creveu uma fa­mosa Regra dos monges. († 347/348)

– Ver páginas 213-220: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver “São Pacômio (português brasileiro) ou São Pacómio (português europeu) (c. 292348), também conhecido como Abba Pacômio, é geralmente reconhecido como o fundador do monasticismo cenobita. Seu dia é celebrado em 9 de maio.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pac%C3%B4mio

4.   Na an­tiga Pérsia, tre­zentos e dez santos mártires. († s. IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Pérsia, a Paixão de Trezentos e Dez Cristãos. (M).

– Ver página 223: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

5.   Em Vi­enne, na Gália Li­o­nense, hoje na França, São Dinis, bispo. († s. IV)

6.   Em Cágli, junto à Via Fla­mínia, no Pi­ceno, ac­tual re­gião das Marcas, na Itália, o pas­sa­mento de São Gerôncio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Cérvia, que, se­gundo a tra­dição, neste lugar foi cru­el­mente as­sas­si­nado quando re­gres­sava de um sí­nodo ce­le­brado em Roma. († c. 501).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no começo do séc. VI, São Gerôncio, bispo de Cagli, perto de Ravena. (M)

7*.   Em Vandôme, junto ao rio Loire, na Gália, ac­tu­al­mente na França, São Beato, pres­bí­tero, que se­guiu a vida eremítica. († s. VII)

8*.   No mos­teiro ca­mal­du­lense de Fonte Avel­lana, na Úm­bria, re­gião da Itália, o Beato Forte Gabriélli, eremita. († 1040)

9*.   Em Mon­tic­chiélli, ci­dade da Etrúria, também re­gião da Itália, o Beato Be­nin­casa de Montepulciano, re­li­gioso da Ordem dos Servos de Maria, que se re­tirou numa gruta do monte Amiata, no ter­ri­tório de Sena, onde abraçou uma vida penitente. († 1426)

10*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, o beato Tomás Pickering, mártir, monge da Ordem de São Bento, homem de sin­cera sim­pli­ci­dade e vida ino­cen­tís­sima, que, fal­sa­mente acu­sado de cons­pi­ração contra o rei Carlos II, se­re­na­mente subiu ao pa­tí­bulo de Ty­burn por amor de Cristo. († 1679).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1665, o Bem-Aventurado Tomás Pickering, monge beneditino de Downside, Inglaterra, que permaneceu fiel à fé católica e a seus votos religiosos até o martírio. (X)

11.   Em Nam-Dinh, ci­dade do Ton­quim, no ac­tual Vi­etnam, São José Do Quang Hien, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, en­cer­rado no cár­cere, con­ti­nuou a con­verter os pa­gãos a Cristo e a con­fortar os cris­tãos na fé, até que, por de­creto do im­pe­rador Thieu Tri, foi degolado. († 1840)

12*.   Em Mu­nique, na Ba­viera, re­gião da Ale­manha, a Beata Maria Te­resa de Jesus (Ca­ro­lina Gerhar­dinger), virgem, que fundou com in­signe pre­vi­dência a Con­gre­gação das Po­bres Irmãs Es­co­lás­ticas de Nossa Senhora. († 1879)

13*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, perto de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Es­têvão Grelewski, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a ocu­pação mi­litar da Po­lónia, sua pá­tria, ex­te­nuado pelos cruéis tor­mentos in­fli­gidos no cár­cere pelos per­se­gui­dores da Igreja, re­cebeu a glo­riosa coroa do martírio. († 1941)

14. Em Sena, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o pas­sa­mento do Beato Ni­colau Albergáti, bispo de Bo­lonha (conforme Martirológio Romano de 10 de maio), que en­trou ainda jovem na Ordem Car­tu­siana e, or­de­nado bispo, ajudou muito a Igreja com o seu zelo pas­toral e as suas mis­sões apostólicas. († 1443)

– Bem-aventurado Nicolau Albergati, confessor.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 09 de maio, no ano do Senhor de 1443, o Bem-Aventurado Nicolau Albergati, cartucho, ordenado bispo de Bolonha em 1427. Nomeado Núncio Apostólico pelo Papa Martinho V, trabalhou com sucesso para restabelecer a paz entre a França e a Inglaterra.

– Ver páginas 221-222: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Niccolò AlbergatiO.Cart. (23 de fevereiro de 1373 – 9 de maio de 1443) foi um cardeal italiano. Atualmente, é venerado como um beato da Igreja Católica.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Niccol%C3%B2_Albergati

– No VIDAS DOS SANTOS de 03 de março: Bem-Aventurado Nicolau Albergati, cartucho, bispo de Bolonha e cardeal. Ver páginas 156-163: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

Ver dia 10 de maio

15. São Jorge Preca. Ver “…O Padre Jorge Preca foi beatificado pelo papa João Paulo II em Malta em 9 de maio de 2001. Sua festa litúrgica é celebrada em 9 de maio.”: https://otcarmo.org/sao-jorge-preca-padre-memoria/

– Ver também “Jorge Preca, em maltês Ġorġ Preca (Valeta12 de fevereiro de 1880 — Santa Venera26 de julho de 1962) foi um sacerdote católico maltês. Em Malta, é carinhosamente conhecido como “Dun Ġorġ” e é popularmente chamado de “Segundo Apóstolo de Malta” (após Paulo de Tarso)[2]

Logo após a ordenação começou a sua missão reunindo a seu redor um pequeno grupo de jovens, imprimindo em seus corações os princípios morais, o temor de Deus e a consciência do infinito amor que Deus nutre pela humanidade. Com este grupo iniciou posteriormente a “Sociedade de Doutrina Cristã”, que comumente é conhecida como MUSEUM ( iniciais de “Magister, Utinam Sequatur Evangelium Universus Mundus” = “Senhor, que o mundo inteiro siga o Evangelho”). Cada membro desta sociedade deve buscar a perfeição cristã, tendo como modelo o Cristo Crucificado. Sua vida de íntima união com Cristo na Igreja se fortalece pela participação ativa aos sacramentos, pela mortificação e renúncia de si para cumprir a vontade de Deus, bem como pela direção espiritual e oração unida ao trabalho cotidiano…

Beatificação: 9 de maio de 2001FlorianaMalta[1] por Papa João Paulo II; Canonização: 03 de junho de 2007, Vaticano, por Papa Bento XVI…”: Jorge Preca – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

16. Outros santos do dia 09 de maio: págs. 191-223 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 09 de maio, ver ainda: 9 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 387-389: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!