Santas e Santos de 08 de setembro

SOLENIDADES E FESTAS DE NOSSA SENHORA: TÍTULOS E PATROCÍNIOS DE 08 DE SETEMBRO

NOSSA SENHORA – TÍTULOS E PATROCÍNIOS DE 8 DE SETEMBRO, conforme o Diretório de Liturgia da CNBB (2020):

Estado de Tocantins: Nossa Senhora da Natividade – Padroeira estadual.

Curitiba: Nossa Senhora da Luz – Padroeira arquidiocesana e municipal e Titular da Catedral.

Vitória do Espírito Santo: Nossa Senhora da Vitória – Padroeira arquidiocesana.

Amparo: Nossa Senhora do Amparo – Padroeira diocesana e Titular da Catedral.

Juazeiro: Nossa Senhora das Grotas – Padroeira diocesana e Titular da Catedral.

Parnaíba: Nossa Senhora Mãe da Divina Graça – Padroeira diocesana, Titular da Catedral e Padroeira Municipal.

Petrópolis: Nossa Senhora do Amor Divino – Padroeira diocesana.

Santos: Nossa Senhora do Monserrate – Padroeira Municipal.

Lábrea:Nossa Senhora de Nazaré-Padroeira da Prelazia e Titular da Catedral.

* Festa da Na­ti­vi­dade da Virgem Santa Maria, da des­cen­dência de Abraão, nas­cida da tribo de Judá, da li­nhagem régia de David, da qual nasceu o Filho de Deus, feito homem por vir­tude do Es­pí­rito Santo, para li­bertar os ho­mens da an­tiga es­cra­vidão do pecado.

* NOSSA SENHORA DA PENHA: ver também 08 de abril. Ver:  

http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/nossa-senhora-da-penha

https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Penha_de_Fran%C3%A7a

https://www.altoastral.com.br/nossa-senhora-da-penAa/

Ver ainda: págs. 366-374. OBSERVAÇÃO: entre as páginas 370-373, NOSSA SENHORA APARECIDA: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Ver ainda: NATIVIDADE DA SANTÍSSIMA VIRGEM: Ver páginas 99-100: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

* Conforme o Martirológio Romano-Monástico, FESTA DA NATIVIDADE DA BEM AVENTURADA VIRGEM MARIA, herdeira das Alianças e das promessas de Israel, de quem Cristo se originou, segundo a sua humanidade. Essa festa é igualmente celebrada pelos orientais bizantinos e siríacos, ao passo que os gregos e coptas a celebram na vigília deste dia. (R). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Natividade_de_Nossa_Senhora

Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Natividade_de_Nossa_Senhora

Solenidade de NOSSA SENHORA DE MONSERRATE (27 de abril, na Catalunha), e conforme o Martirológio Romano-Monástico de 08 de setembro, titular da Abadia Territorial de Nossa Senhora de Monserrate, no Rio de Janeiro, e padroeira principal das arquidioceses de Curitiba e Vitória, da diocese de Juazeiro e da prelazia de Lábrea. Nas cidades de Curitiba e Santos, é padroeira. Nas catedrais de Curitiba (Nossa Senhora da Luz), Vitória (Nossa Senhora da Vitória), Juazeiro (Nossa Senhora das Grotas) e Lábrea (Nossa Senhora de Nazaré), solenidade da titular.

Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Virgem_de_Montserrat

“Nossa Senhora de Monserrate[1] ou Virgem Negra de Montserrat[2] (em catalãoMare de Déu de Montserrat[3], que significa “Mãe de Deus do Monte Serreado”[4]) é uma imagem de Maria, a mãe de Jesus Cristo, localizada no Mosteiro de Montserrat, no município de Monistrol de Montserrat, na província de Barcelona, na Catalunha, na Espanha. É conhecida popularmente como La Moreneta (“A Morena”)”. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Virgem_de_Montserrat

-Ver ainda: https://comeceodiafeliz.com.br/maria/nossa-senhora-de-montserrat

-Ver também: “Em 11 de Setembro de 1844, o Papa Leão XIII, declarou oficialmente a Virgem de Montserrat, padroeira da Catalunha e a sua festa é realizada a 27 de Abril.”.  https://asvoltasdovento.blogspot.com/2010/03/lenda-de-nossa-senhora-de-montserrat.html

– VER AINDA:

* NOSSA SENHORA DA PENNA (também na Freguesia – Rio de Janeiro): https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Pena

* NOSSA SENHORA DO PORTO: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_do_Porto

* NOSSA SENHORA DA SAÚDE  https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Saúde

* NOSSA SENHORA MÃE DA DIVINA GRAÇA, padroeira da cidade de Parnaíba, Piauí. No Martirológio Romano-Monástico, festa em 11 de outubro. No Diretório de Liturgia da CNBB, dia 11 de outubro é DEDICAÇÃO DA CATEDRAL. Ver: http://obviousmag.org/a_literatura_vivendo_em_mim/2017/dia-08-de-setembro-festa-da-mae-da-divina-gracapadroeira-da-cidade-de-parnaiba.html – VER TAMBÉM: http://www.diocesedeparnaiba.org.br/

TAMBÉM: 11 DE OUTUBRO, FESTA DA MATERNIDADE DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA. Instituída por Pio XI em 1931. Ver: Carta Encíclica LUX VERITATIS: http://w2.vatican.va/content/pius-xi/it/encyclicals/documents/hf_p-xi_enc_19311225_lux-veritatis.html

– Ver páginas 107-108: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

– Ver também motivo da festa em 11 de outubro: http://farfalline.blogspot.com/2014/10/maternidade-divina-de-Maria.html

http://espelhodejustica.blogspot.com/2017/10/11-de-outubro-maternidade-divina-de-n.html

*  08 DE SETEMBRO: NOSSA SENHORA DA CARIDADE DO COBRE: Rainha e padroeira de Cuba. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Caridade_do_Cobre

* 08 DE SETEMBRO: NOSSA SENHORA DE NAZARÉ: https://www.a12.com/redacaoa12/igreja/quando-se-comemora-o-dia-de-nossa-senhora-de-nazare

– Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_de_Nazaré

Ver também: https://www.em.com.br/app/noticia/turismo/2019/10/01/interna_turismo,1088571/conheca-a-historia-lendas-e-milagres-de-nossa-senhora-de-nazare.shtml

https://www.a12.com/academia/titulos-de-nossa-senhora?s=nossa-senhora-de-nazare

08 de setembro: https://www.google.com/search?safe=active&sxsrf=ALeKk03ylmobQ8zwzgVl8j6Z6YvwW3_DKA%3A1589321728378&ei=ACC7XuXKFu3N5OUP5L2OoAk&q=dia+da+festa+de+nossa+senhora+de+nazar%C3%A9&oq=dia+da+festa+de+nossa+senhora+de+nazar%C3%A9&gs_lcp=CgZwc3ktYWIQAzoECAAQR1CBygJYl9oCYNfbAmgAcAF4AIABggKIAcMXkgEGMC4zLjExmAEAoAEBqgEHZ3dzLXdpeg&sclient=psy-ab&ved=0ahUKEwjlyrborK_pAhXtJrkGHeSeA5QQ4dUDCAw&uact=5

* 08 DE SETEMBRO, NOSSA SENHORA DO PORTO. Ver: http://triaquimmalucelli.blogspot.com/2013/06/nossa-senhora-do-porto-padroeira-de.html

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_do_Porto

* 08 DE SETEMBRO, NOSSA SENHORA DA SAÚDE  https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Saúde/

* Em 08 de abril: NOSSA SENHORA DA PENHA: ver também 08 de setembro. Ver:  

http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/nossa-senhora-da-penha

https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Penha_de_Fran%C3%A7a

https://www.altoastral.com.br/nossa-senhora-da-penha/

Ver ainda: págs. 366-374. OBSERVAÇÃO: entre as páginas 370-373, texto sobre NOSSA SENHORA APARECIDA:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

OUTROS SANTAS E SANTOS DE 08 DE SETEMBRO

2.   Em Roma, a co­me­mo­ração de Santo Adrião, mártir, que pa­deceu o mar­tírio em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, em cuja honra o papa Ho­nório I con­verteu em igreja a Cúria do Se­nado Romano. († data inc.)

3.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, os santos Fausto, Dio e Amónio, pres­bí­teros e már­tires, que, na per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, re­ce­beram a coroa do mar­tírio jun­ta­mente com o bispo São Pedro. († c. 311). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, receberam a coroa do martírio Amon, Teófilo, Notero e Fausta em Alexandria, no séc. III; assim como Nestabo, Eusébio e Nestor (também na Folhinha do Coração de Jesus), na Palestina, no séc. IV. (M). No VIDAS DOS SANTOS, Santos Eusébio, Nestabo e Zeno. Também São Nestor. Ver páginas 109-111: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf 

4.   Em Ba­gre­vand, ci­dade da an­tiga Ar­ménia, Santo Isaac, bispo, que, para for­ta­lecer a vida cristã do povo, tra­duziu a Sa­grada Es­cri­tura e a Li­turgia para a língua ar­mena; aderiu à fé pro­fes­sada no Con­cílio de Éfeso, mas em se­guida foi afas­tado da sua sede epis­copal e morreu no exílio. († 438)

5.   Em Roma, junto de São Pedro, o se­pul­ta­mento de São Sérgio I, papa, de origem síria, que se de­dicou in­ten­sa­mente à evan­ge­li­zação dos Sa­xões e dos Fri­sões e re­solveu sa­bi­a­mente muitas con­tro­vér­sias e con­flitos, pre­fe­rindo morrer a con­sentir os erros. († 701). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano do Senhor de 701, o Bem-Aventurado Sérgio I, papa de origem siríaca, que introduziu no ocidente as quatro grandes festas marianas orientais. Favoreceu o movimento missionário ao conferir o episcopado a São Vilibrordo. (M). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_S%C3%A9rgio_I

6.   Em Frí­singa, ci­dade da Ba­viera, na ac­tual Ale­manha, São Cor­bi­niano, que, tendo sido or­de­nado bispo e en­viado a pregar o Evan­gelho na Ba­viera, pro­duziu frutos abundantes. († 725). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto do ano 725, a volta para Deus de São Corbiano, monge franco nascido perto de Melun, que como bispo nomeado pelo Papa Gregório II estabeleceu em Freissing, na Baviera, o centro de seu apostolado. (M). Ver páginas 101-108: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Corbiniano

7*.   Em Pé­brac, no ter­ri­tório de Le Puy-en-Velay, na França, São Pedro de Chavanon, pres­bí­tero, que, as­pi­rando a uma vida mais per­feita, se re­tirou para este local recôn­dito, onde edi­ficou e di­rigiu um ce­nóbio de có­negos regrantes. († c. 1080)

8*.   Em Pê­saro, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, a Beata Se­ra­fina Sforza, que na vida con­jugal su­portou muitas ad­ver­si­dades e, quando ficou viúva, passou hu­mil­de­mente o resto dos seus anos sob a regra de Santa Clara. († 1478). Ver página 118: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

9.   Em Va­lência, na Es­panha, São Tomás de Vilanova (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, sendo ere­mita sob a regra de Santo Agos­tinho, aceitou por obe­di­ência o mi­nis­tério epis­copal, onde se dis­tin­guiu, entre ou­tras vir­tudes pas­to­rais, pelo seu ar­dente amor aos po­bres, até ao ponto de dar tudo aos ne­ces­si­tados, sem ficar se­quer com um pe­queno leito para si. († 1555). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1555, São Tomás de Vilanova, monge agostiniano de Salamanca, depois arcebispo de Valência, na Espanha, cognominado “o Esmoler”, por causa de seu amor pelos pobres. Por seus escritos ascéticos e místicos, aparece como um dos representantes da Escola Espanhola do Séc. XVI. (M). Em 22 de setembro, no “VIDAS DOS SANTOS” São Tomás de Vilanova. Ver páginas 373-395: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Tom%C3%A1s_de_Vilanova

10*.   Em Durham, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Tomás Pa­laser, pres­bí­tero, João Norton e João Talbot, que foram con­de­nados à morte no rei­nado de Isabel I – o pri­meiro por ter en­trado na In­gla­terra como sa­cer­dote, os ou­tros por lhe terem pres­tado au­xílio – e so­freram o su­plício do patíbulo. († 1600)

11.   Em Car­ta­gena, na Colômbia, o dia natal de São Pedro Claver (em 09 de setembro na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, cuja me­mória se ce­lebra amanhã. († 1654)

12*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os be­atos An­tónio de São Boaventura, da Ordem dos Frades Me­nores, Do­mingos Cas­tellet, da Ordem dos Pre­ga­dores, pres­bí­teros, e vinte com­pa­nheiros, már­tires, entre os quais al­guns leigos e muitas cri­anças, que, pas­sados ao fio da es­pada ou lan­çados à fo­gueira, todos so­freram o mar­tírio por Cristo. São estes os seus nomes: Do­mingos de Na­ga­sáki, re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores; Tomé de São Ja­cinto e An­tónio de São Do­mingos, re­li­gi­osos da Ordem dos Pre­ga­dores; Lúcia Luísa, viúva; João To­máchi e seus fi­lhos Do­mingos, Mi­guel, Tomé e Paulo; João Ima­mura, Paulo Sa­dayu Ay­bara, Romão Ay­bara e seu filho Leão, Tiago Hayashida, Ma­teus Ál­varez, Mi­guel Ya­mada e seu filho Lou­renço, Luís Hi­gashi e seus fi­lhos Fran­cisco e Domingos. († 1628)

13*.   Em Mar­selha, na França, o pas­sa­mento do Beato Fre­de­rico Ozanam, homem ilustre pela sua cul­tura e pi­e­dade, que de­fendeu e pro­pagou com emi­nente dou­trina as ver­dades da fé, fo­mentou a as­sis­tência aos po­bres na cha­mada Con­fe­rência de São Vi­cente de Paulo e, como pai exem­plar, fez da sua fa­mília uma igreja doméstica. († 1853)

14*.   Em Al­meria, no li­toral da An­da­luzia, re­gião da Es­panha, os be­atos José Ce­cílio (Bo­ni­fácio Ro­drí­guez Gon­zález), Te­o­de­miro Jo­a­quim (Adriano Sainz Sainz) e Evêncio Ri­cardo (Eu­sébio Afonso Ur­jurra), már­tires, da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa na guerra civil, al­can­çaram a palma do martírio. († 1936)

15*.   Em Alcoy, po­vo­ação pró­xima de Ali­cante, também na Es­panha, o Beato Ma­rino Blanes Giner, mártir, pai de fa­mília, que, du­rante a mesma per­se­guição, re­cebeu dos ho­mens a morte, mas de Deus a vida eterna. († 1936)

16*.   Em Pa­terna, no ter­ri­tório de Va­lência, também na Es­panha, o Beato Is­mael Es­crihuela Es­teve, mártir, pai de fa­mília, que se tornou par­ti­ci­pante da vi­tória de Cristo pelo martírio. († 1936)

17*.   Em Vil­lar­real, no ter­ri­tório de Cas­tellón, também na Es­panha, o Beato Pas­coal Fortuño Al­mela, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que foi co­roado de glória pelo tes­te­munho de Cristo. († 1936)

18*.   Em Buñol, pró­ximo de Va­lência, também na Es­panha, as be­atas Jo­sefa de São João de Deus (Jo­sefa Ruano Garcia) e Maria das Dores de Santa Eu­lália (Dores Puig Bo­nany), vir­gens da Con­gre­gação das Irmãs dos An­ciãos De­sam­pa­rados e már­tires, que, na mesma per­se­guição contra a fé, der­ra­mando o seu sangue re­ce­beram a coroa de glória. († 1936)

19♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, o Beato Teó­dulo Gon­zález Fernández, re­li­gioso da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, na mesma per­se­guição, as­sas­si­nados em ódio à vida re­li­giosa, foi ao en­contro do Senhor. († 1936)

20♦.   No ce­mi­tério de Mont­cada, na Ca­ta­lunha, também na Es­panha, os be­atos már­tires Bar­nabé (Ca­si­miro Riba Pi), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos Ma­ristas, e Bau­dílio (Pedro Ciórdia Her­nández), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que, na vi­o­lenta per­se­guição contra a Igreja, foram mortos em ódio à vida religiosa. († 1936)

21♦.   Em Vic, perto de Bar­ce­lona, também na Es­panha, a Beata Apo­lónia Lizárraga do San­tís­simo Sa­cra­mento (Apo­lónia Li­zár­raga y Ochoa de Za­ba­legui), virgem da Con­gre­gação das Irmãs Car­me­litas da Ca­ri­dade Ve­druna e mártir, que, le­vando a lâm­pada acesa, foi ao en­contro de Cristo Esposo. († 1936)

22♦.   Em Villa de Don Fra­dique, na re­gião de Cas­tela la Mancha, também na Es­panha, o Beato Mi­guel Beato Sánchez, pres­bí­tero de To­ledo e mártir, que, na mesma per­se­guição, como fiel dis­cí­pulo, me­receu a sal­vação no sangue de Cristo. († 1936)

23*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, pró­ximo de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Adão Bar­gi­elski, pres­bí­tero e mártir, que du­rante a guerra se en­tregou es­pon­ta­ne­a­mente aos ini­migos da fé para subs­ti­tuir o seu pá­roco e, de­pois de so­frer cruéis tor­turas no cár­cere, partiu vi­to­rioso para a glória eterna. († 1942)

24*.   Em Gross-Rosen, lo­ca­li­dade da Ale­manha, o Beato La­dislau Blad­zinski, pres­bí­tero da Con­gre­gação de São Mi­guel e mártir, que, na mesma per­se­guição, foi preso pelos ini­migos da Igreja e de­por­tado da Po­lónia, sua pá­tria, para tra­ba­lhos for­çados em pe­dreiras, onde foi assassinado. († 1944)

25. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no começo do séc. IV, a paixão de Santo Adriano, (também na Folhinha do Coração de Jesus), oficial romano que se desligou do exército imperial em sinal de protesto contra as torturas infligidas aos cristãos. (M). Santo Adriano e Santa Natália, Esposos e Vinte e Três Santos Mártires. Ver páginas 370-371: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver CASAL SANTO ADRIANO E SANTA NATÁLIA,Festa litúrgica 01 de dezembro, 04 de março, 26 de agosto e 08 de setembro”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Adriano_e_Nat%C3%A1lia

26. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1149, o Bem-Aventurado Guilherme, abade cluniacense de Saint-Thierry, na diocese de Reims. Grande admirador de São Bernardo, de quem foi o primeiro biógrafo, acabou por abraçar a observância cisterciense no mosteiro se Signy. Dirigiu uma admirável carta aos irmãos da Cartuxa de Mont-Dieu, que havia sido instalada há pouco nas Ardenas. (X)

27. São Disibod. Ver “Disibod foi um mongeeremita e santo da Irlanda, mencionado pela primeira vez no martirológio de Hrabanus Maurus (século IX).”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Disibod

28. Outros santos do dia 08 de setembro: págs. 99-113, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 08 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/8_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 706-710:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 07 de setembro

1.   Em Alésia, na Gália, hoje Alise-Sainte-Reine, na França, Santa Re­gina (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, nesta data, o martírio de Santa Regina de Alésia, cujo culto, espalhado sobretudo na Borgonha, é documentado desde o séc. V por uma basílica edificada sobre seu sarcófago. Uma tradição designa assim o lugar de Alésia: “Aqui, César venceu a Gália; aqui, uma virgem venceu César!” (M)

 2.   Em Pom­peió­polis, na Ci­lícia, na ho­di­erna Tur­quia, São So­zonte, mártir. († data inc.)

3.   Em Be­ne­vento, na Cam­pânia, re­gião da Itália, os santos már­tires Festo, diá­cono, e De­si­dério, leitor. († s. IV)

4.   Em Or­leães, na Gália Li­o­nense, hoje na França, Santo Evúrcio, bispo. († s. IV)

5*.   Em Aosta, nos Alpes Graios, ac­tu­al­mente na Itália, São Grato, bispo. († s. V)

6.   Em Breuil, no ter­ri­tório de Troyes, na França, os santos Me­mório e com­pa­nheiros, már­tires, que, se­gundo a tra­dição, foram mortos por Átila, rei dos Hunos. († s. V)

7*.   Em Châ­lons-sur-Marne, na Gália Li­o­nense, hoje na França, Santo Al­pino, bispo, que foi dis­cí­pulo de São Lopo de Troyes. († s. V)

8.   Em No­gent-sur-Seine, no ter­ri­tório de Paris, também na ac­tual França, São Clo­do­aldo (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, de fa­mília régia, que, de­pois de terem sido mortos seu pai e seus ir­mãos, foi aco­lhido por sua avó Santa Clo­tilde e, re­jei­tando o reino ter­reno, abraçou a vida clerical. († 560). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 560, São Clodoaldo, neto de Santa Clotilde. Depois que seus irmãos foram cruelmente assassinados, abraçou a vida monástica perto de Paris, no lugar que hoje tem o seu nome. (M). No VIDAS DOS SANTOS, São Clodoaldo ou São Cloud. Ver páginas 92-94: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Clodoaldo_(santo)

9*.   Em Albi, na Aqui­tânia, também na ho­di­erna França, Santa Ca­rís­sima, virgem reclusa. († s. VI/VII)

10*.   Em Mau­beuge, no ter­ri­tório do Hai­naut, na Aus­trásia, ac­tu­al­mente também na França, Santa Ma­del­berta, aba­dessa, que su­cedeu a sua irmã, Santa Adeltrudes. († c. 705)

11*.   Na Flan­dres, ter­ri­tório da Aus­trásia, na ac­tual Bél­gica, a co­me­mo­ração de Santo Hil­du­ardo, bispo. († c. 760)

12*.   Em Toul, ci­dade da Lo­rena, na ho­di­erna França, São Gau­ze­lino, bispo, que pro­moveu a ob­ser­vância monástica. († 962). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 962, São Gozelino. Originário de uma nobre família franca, era notário da chancelaria real, quando o rei Carlos, o Simples, o designou para a Sé Episcopal de Toul. Após uma visita à abadia beneditina de Fleury-sur-Loire, reanimada por Santo odo de Cluny, fundou na Lorena o mosteiro masculino de Saint-Epvre e o mosteiro feminino de Bouxières-aux-Dames. (X). Ver páginas 90-91: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

13*.   Em Gúbbio, na Úm­bria, re­gião da Itália, São João de Lódi, bispo, que foi com­pa­nheiro de São Pedro Da­mião nas suas mis­sões pontifícias. († c. 1106)

14*.   Em Die, na França, Santo Es­têvão de Châ­tillon, bispo, que, afas­tado da so­lidão de Portes-en-Bugey, mas nada di­mi­nuindo à sua aus­te­ri­dade car­tu­siana, pre­sidiu ex­ce­len­te­mente a esta Igreja. († 1208)

15.   Em Ko­sice, nos montes Cár­patos, na ho­di­erna Es­lo­vá­quia, os santos már­tires Marcos Cri­sino, pres­bí­tero de Esz­tergom, Es­têvão Pon­gracz e Mel­chior Grod­zi­ecki, pres­bí­teros da Com­pa­nhia de Jesus, que nem a fome nem a tor­tura da roda nem os tor­mentos do fogo pu­deram in­duzir a ab­jurar da fé católica. († 1619). Ver Bem-aventurados Marcos Estêvão Crisin, Estêvão Poncgraz e Melquior Grodecz, às páginas 95-96: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

16*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os be­atos már­tires Tomás Tsuji, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, Luís Maki e seu filho João, que foram con­de­nados à fo­gueira por causa da sua fé cristã. († 1627)

17*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos Ran­dolfo Corby, da Com­pa­nhia de Jesus, e João Duc­kett, pres­bí­teros e már­tires, que, no rei­nado de Carlos I, por terem en­trado na In­gla­terra como sa­cer­dotes, foram con­de­nados à morte no pa­tí­bulo de Ty­burn e assim me­re­ceram a palma celeste. († 1644)

18*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, os be­atos Cláudio Bar­nabé Lau­rent de Mas­cloux e Fran­cisco d’Ou­dinot de la Boissière, pres­bí­teros e már­tires, que, presos du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa por causa do sa­cer­dócio e en­cer­rados na ga­lera, mor­reram por Cristo con­su­midos pela fome e inanição. († 1794)

19*.   Na ilha de Wo­o­dlark, na Oce­ania, o Beato João Bap­tista Mazzucóni, pres­bí­tero do Ins­ti­tuto para as Mis­sões Es­tran­geiras de Milão e mártir, que, de­pois de passar três anos na obra de evan­ge­li­zação, já exausto de­vido às fe­bres e fe­ridas, foi morto a golpe de ma­chado em ódio à fé cristã. († 1855)

20*.   Em Parma, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, a Beata Eu­génia Picco, virgem da Con­gre­gação das Pe­quenas Fi­lhas dos Sa­grados Co­ra­ções de Jesus e Maria, que, con­sa­grando-se mag­na­ni­ma­mente à von­tade de Deus, pro­moveu a dig­ni­dade das mu­lheres e fo­mentou a for­mação es­pi­ri­tual e cul­tural das religiosas. († 1921)

21♦.   Em Var­sóvia, na Po­lónia, o Beato Inácio Klopotowski, pres­bí­tero da di­o­cese de Lu­blin, fun­dador da Con­gre­gação de Nossa Se­nhora de Loreto. († 1931)

22*.   Em Gandia, ci­dade da re­gião de Va­lência, na Es­panha, a Beata As­censão de São José de Ca­la­sanz (As­censão Lloret Marco), virgem do Ins­ti­tuto das Irmãs Car­me­litas da Ca­ri­dade e mártir, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, venceu glo­ri­o­sa­mente o com­bate da fé. († 1936)

23♦.   Em Hueva, perto de Gua­da­la­jara, também na Es­panha, o Beato Félix Gómez-Pinto Piñero, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que, na mesma per­se­guição, morto no ce­mi­tério, al­cançou a palma do martírio. († 1936)

24♦.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, os be­atos már­tires An­tónio Maria de Jesus (An­tónio Bonet Seró), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços, e Mar­celo de Santa Ana (José Maria Masip Ta­marit), re­li­gioso da mesma Ordem, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, pelo seu in­que­bran­tável tes­te­munho de Cristo al­can­çaram vi­to­ri­o­sa­mente o reino celeste. ( † 1936)

25♦.   Em To­ledo, também na Es­panha, o Beato Tirso de Jesus Maria (Gre­gório Sán­chez Sancho), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e mártir na mesma per­se­guição contra a fé cristã. († 1936)

26. João de Nicomédia, também na Folhinha do Coração de Jesus.

27. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, o martírio de Santo Hesíquio, que Juliano Apóstata fez morrer como um dos responsáveis pela destruição do templo de Fortuna, em Cesaréia da Capadócia. Oito anos depois, São Basílio celebrava solenemente sua festa em presença de todos os bispos daquela região. (M)

28. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Nicomédia, a paixão do Bem-Aventurado Evécio. Vendo pregados em praça pública os editos cruéis contra os cristãos, movido pela fé ele os rasgou. Informados, os imperadores Diocleciano e Maximiano ordenaram que fossem infligidos a Evécio todos os tipos de tortura, que ele suportou com admirável tranquilidade de fisionomia e de espírito. (M)

29. Outros santos do dia 07 de setembro: págs. 90-98, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 07 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/7_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 703-706:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 06 de setembro

1.   Co­me­mo­ração de São Za­ca­rias, pro­feta, que va­ti­cinou o re­gresso do povo no exílio à terra pro­me­tida e anun­ciou a vinda de um rei pa­cí­fico, que Cristo Se­nhor ad­mi­ra­vel­mente cum­priu na sua en­trada triunfal na Ci­dade Santa de Jerusalém. Ver páginas 71-82: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Zacarias_(profeta)

2.   Co­me­mo­ração de Santo One­sí­foro, que muitas vezes re­con­fortou São Paulo em Éfeso e não se en­ver­go­nhou das suas ca­deias, mas ao con­trário, quando chegou a Roma, o pro­curou so­li­ci­ta­mente até o encontrar. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ones%C3%ADforo

3.   Co­me­mo­ração dos santos már­tires Do­na­ciano, Pre­sídio, Man­sueto (também na Folhinha do Coração de Jesus), Ger­mano e Fús­culo, bispos na África Se­ten­tri­onal, que, du­rante a per­se­guição dos Vân­dalos, por ordem do rei ariano Hu­ne­rico, foram du­ra­mente es­pan­cados e de­pois exi­lados por terem de­fen­dido a ver­dade ca­tó­lica. Com eles se co­me­mora também Leto (São Ledo, também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Nepta, na Bi­za­cena, ac­tu­al­mente na Tu­nísia, homem co­ra­joso e de grande cul­tura, que, de­pois de um longo pe­ríodo de sór­dido ca­ti­veiro, foi quei­mado vivo. († s. V). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, a paixão de Seis bispos africanos, que como verdadeiros pastores ofereceram suas vidas por seus rebanhos, durante a perseguição do rei Hunerico. (M)

4.   Em Spo­leto, na Úm­bria, re­gião da Itália, Santo Eleu­tério, abade, que é lou­vado pelo papa São Gre­gório Magno pela sua exímia sim­pli­ci­dade e com­punção de espírito. († s. VI)

5*.   Em Laon, na Gália, ac­tu­al­mente na França, São Ca­no­aldo, bispo, dis­cí­pulo de São Co­lum­bano, que foi o seu único au­xi­liar no ermo de Bregenz. († c. 632)

6*.   No li­toral de Cum­ber­land, re­gião da In­gla­terra, numa ci­dade de­pois cha­mada com o seu nome, Santa Bega, monja. († c. 660). Em An­denne, no Bra­bante, ac­tu­al­mente na Bél­gica, Santa Bega, viúva, que, de­pois do as­sas­si­nato do es­poso, fundou o mos­teiro da Bem-aven­tu­rada Virgem Maria sob a regra de São Co­lum­bano e São Bento. († 693). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Bélgica, perto de 690, Santa Bega, abadessa, filha de Pepino de Landen e irmã de Santa Gertrudes de Nivelles. A localidade de Ardennes-aux-Sept-Eglises desenvolveu-se em redor dos sete oratórios que ela havia construído em honra das sete basílicas romanas. (M). Ver também dia 17 de dezembro. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Begga_de_Landen

7*.   No mos­teiro de Füssen, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, São Magno, abade. († s. VIII)

8*.   No mos­teiro cis­ter­ci­ense de Le Bou­chet, pró­ximo de Orange, na Pro­vença, re­gião da França, a co­me­mo­ração do Beato Bel­trando de Garrigues (São Beltrão, também na Folhinha do Coração de Jesus),, pres­bí­tero, um dos pri­meiros dis­cí­pulos de São Do­mingos, que pro­curou sempre imitar o exemplo do seu mestre. († c. 1230). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 1230, o Bem-Aventurado Bertrando de Garriges. Foi um dos primeiros companheiros de São Domingos, e fundou diversos conventos em Paris e na Provença. (X)

9*.   Em Gata de Gorgos, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Ali­cante, na Es­panha, o Beato Diogo Llorca Llópis, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, pelo seu tes­te­munho de Cristo re­cebeu a coroa do martírio. († 1936)

10*.   Em Car­cai­xent, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Va­lência, também na Es­panha, o Beato Pas­coal Torres Lloret, mártir, pai de fa­mília, que, le­vando a cruz de Cristo, me­receu al­cançar a re­com­pensa celeste. († 1936)

11♦.   Em Gijón, também na Es­panha, o Beato Vídal Ruiz Vallejo, pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição, con­sumou glo­ri­o­sa­mente o seu com­bate pela fé. († 1936)

12*.   Em Var­sóvia, na Po­lónia, o Beato Mi­guel Czar­toryski, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, de­pois da in­vasão da Po­lónia pelos ini­migos de Cristo, por não ab­dicar da fé foi fu­zi­lado junto da igreja do lugar. († 1944)

13. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VII, Santo Imberto, eremita que viveu na solidão da região de Nevers. Seu corpo está enterrado na Igreja de Chantenay, na diocese daquela cidade (M).

14. Bem-Aventurado Pedro Acotanto e vários outros de seu tempo. Ver páginas 65-70: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

15. Bem-Aventurado Liberato, franciscano. Ver páginas 83-85: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

16. Outros santos do dia 06 de setembro: págs. 65-89, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 06 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/6_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 701-702:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 05 de setembro

1.   Em Porto Ro­mano, perto do ac­tual Fiu­mi­cino, na Itália, os santos Aconto, Nono, Her­cu­lano e Tau­rino, mártires. († data inc.)

2.   Em Cápua, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São Quinto, mártir. († data inc.)

3.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, os santos már­tires Ur­bano, Te­o­doro, Me­ne­demo e com­pa­nheiros, clé­rigos e leigos, que, por ordem do im­pe­rador Va­lente, foram me­tidos num barco e nele quei­mados em ódio à fé católica. († 370)

4.   No ter­ri­tório de The­rou­anne, na Flan­dres, ac­tu­al­mente na França, São Ber­tino, abade de Sithieu, que foi se­pul­tado no mos­teiro por ele mesmo fun­dado jun­ta­mente com São Mu­mo­lino e que ficou de­sig­nado com o seu nome. († c. 698). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no fim do séc. VIII, São Bertino, monte de Luxeuil, primeiro abade de Sithiu, mosteiro do Artois, que mais tarde tomou seu nome, e em torno do qual se formou a cidade de Saint-Omer. (M)

5*.   Em Tor­tona, na Li­gúria, hoje no Pi­e­monte, re­gião da Itália, Santo Al­berto, que é con­si­de­rado o fun­dador e pri­meiro abade do mos­teiro de Bú­trio, perto de Pavia. († c. 1073)

6*.   Na Dal­mácia, na ho­di­erna Croácia, o Beato João o Bom de Siponto, abade, que edi­ficou o mos­teiro de São Mi­guel no li­toral da Dal­mácia, frente ao monte Gargano. († s. XII)

7*.   Em Ripon, na In­gla­terra, o Beato Gui­lherme Browne, mártir, que, con­de­nado à morte, no rei­nado de Jaime I, por ter in­du­zido ou­tras pes­soas a aceitar a fé ca­tó­lica, foi en­for­cado e atroz­mente esquartejado. († 1605). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Inglaterra, o Bem-aventurado Guilherme Browne, martirizado em 1605, em comunhão com a Igreja Católica. (X)

8*.   Num sór­dido barco an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Flo­rêncio Du­montet de Cardaillac, pres­bí­tero e mártir, que, con­de­nado à morte por causa do sa­cer­dócio du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, con­sumou o seu mar­tírio na en­fer­mi­dade, ví­tima da sua grande ca­ri­dade e zelo na as­sis­tência aos com­pa­nheiros de ca­ti­veiro enfermos. († 1794)

9.   Em Nihn Tai, ci­dade do Ton­quim, no ac­tual Vi­etnam, os santos már­tires Pedro Nguyen Van Tu, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, e José Huang Luong Canh, mé­dico, que foram de­go­lados em ódio ao nome de Cristo. († 1838)

10*.   Em Cal­cutá, na Índia, Santa Te­resa (Inês Go­nhxa Bo­jaxhiu), (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, na­tural da Al­bânia, que apagou a sede de Cristo aban­do­nado na cruz as­sis­tindo com exímia ca­ri­dade os ir­mãos mais po­bres e fundou as Con­gre­ga­ções das Mis­si­o­ná­rias e dos Mis­si­o­ná­rios da Ca­ri­dade, des­ti­nadas in­tei­ra­mente ao ser­viço dos en­fermos e dos abandonados. († 1997). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Madre_Teresa_de_Calcut%C3%A1

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Madre_Teresa_de_Calcutá

– Ver: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/09/madre-teresa-e-canonizada-pelo-papa-francisco.html

11. Santo Eudócio (também na Folhinha do Coração de Jesus),

12. São Justiniano (também na Folhinha do Coração de Jesus). No VIDAS DOS MÁRTIRES, São Lourenço Justiniano, primeiro patriarca de Veneza. Ver páginas 40-58: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

13. Conforme o Martirológio Romano-Monástico,  neste mesmo dia, receberam a coroa do martírio reservada às testemunhas de Cristo, Quatro cristãos do Porto. Um, de Cápua, assim como Vinte e cinco outros de Constantinopla. (M)

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Genivaldo ou Genival, primeiro bispo de Laon, que introduziu o evangelho naquela região. (M). Ver no VIDAS DOS SANTOS São Genebaldo, bispo, páginas 59-60; http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

15. Santa Isabel. Ver “sabel (do hebraico: אֱלִישֶׁבַע / אֱלִישָׁבַע “Meu Deus jurou”; hebraico padrãoElišévaʿ ~ ElišávaʿTiberianoʾĔlîšéḇaʿ ~ ʾĔlîšāḇaʿ) (em árabe: إليزابيث, Ilizabith) é uma personagem do Novo Testamento da Bíblia, mencionada no Evangelho segundo Lucas como esposa do sacerdote Zacarias e mãe de João Batista.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Isabel_(B%C3%ADblia)

16. São Zacarias. “Zacarias (do hebraico זְכַרְיָה, Zekariyah, “Deus se lembrou”, em árabe: زكريا – Zakariya) foi, segundo a Bíblia, um sacerdote do Templo de Jerusalém, pai de João Batista e esposo de Isabel. É um profeta Bíblico. Entretanto, é considerado pelos muçulmanos como um dos profetas no Alcorão, onde é mencionado como o protetor de Maria, mãe de Jesus (ou Isa, como é conhecido no islamismo).”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Zacarias_(sacerdote)

17. Outros santos do dia 05 de setembro: págs. 40-64, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 05 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/5_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 699-700:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 04 de setembro

04 DE SETEMBRO – NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO E CORREIA: As Paróquias Agostinianas dedicadas a Nossa Senhora da Consolação e Correia celebram a Padroeira com uma programação especial. O Dia de Nossa Senhora da Consolação e Correia é lembrado por toda a Igreja em 4 DE SETEMBRO

A Ordem de Santo Agostinho divulgou esta devoção pelo mundo inteiro. A Consolação recorda a alegria de Santa Mônica pela conversão de seu filho Santo Agostinho, e aviva em nossos corações a esperança de que Maria não deixará nunca de velar por nós e pelos nossos entes queridos.

http://www.agostinianos.org.br/visualizacao-de-ultimas-noticias/ler/547/dia-de-nossa-senhora-da-consolacao-e-correia-4-de-setembro

– Ver também: Santa Mônica “…por isto, em suas orações pedia à Nossa Senhora que lhe mostrasse como era sua vestimenta, após a morte de São José e, principalmente após a Ressurreição de Jesus.

Em uma aparição especial à santa Mônica, Maria se apresentou com a roupa solicitada: coberta por uma ampla túnica de tecido rústico, de corte simples e cor muito escura. 

Uma roupa despojada e penitencial,tendo apenas na cintura uma grosseira correia ou cinta de couro que descia quase até o chão. 

Em seguida, soltou esta cinta e colocou-a em Mônica, recomendando-lhe o uso diário. 

Também lhe pediu para transmitir a todos aqueles que fizessem seu uso, teriam sua particular proteção. Santa Mônica teve a alegria de ver a conversão do filho, hoje um dos maiores santos da Igreja. 

Santo Agostinho foi um dos primeiros a colocar a cinta e se entregar à proteção de Nossa Senhora da Consolação, como o fez com a comunidade religiosa que logo fundou. 

Assim, a cinta se tornou o distintivo das ordens agostinianas, responsável pela difusão do culto de sua padroeira, em todo o mundo, Nossa Senhora da Consolação.” Conforme: https://chamadeamordemaria.blogspot.com/2012/08/aparicao-de-nossa-senhora-da-consolacao.html

– Ver “A devoção a NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO — ou Consoladora dos aflitos, como é designada na Ladainha Lauretana – foi difundida em todo o mundo principalmente pela Ordem dos Agostinianos. Isso aconteceu como uma forma de retribuição pela graça da conversão do grande Fundador dos agostinianos… “Filha, receba esta correia sagrada que cingiu este corpo que deu a luz o Salvador”, “Doravante cinge-te com ela e propaga esta devoção de minha santa correia, pois eu te prometo especial proteção a todos que a cingirem e a venerarem piedosamente”.”:

https://nossasenhoratodas.blogspot.com/2016/08/nossa-senhora-da-correia-santo.html

– Ver: … Logicamente a lenda carece de base histórica e nos conduz a um mundo aberto ao irreal e maravilhoso, que já não é o nosso. Porém, é correto dizer que

 “reflete um fato que, de um ou outro modo, teve que suceder no coração de Mônica, e funde em uma única realidade três devoções de todo agostiniano: à Mãe de Deus, a Santo Agostinho e à Santa Mônica.”:

http://www.santarita-oar.org.br/index.php/using-joomla/extensions/components/content-component/article-category-list/717-4-de-setembro-nossa-senhora-da-consolacao

https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Consola%C3%A7%C3%A3o

– Ver: “Era costume, na Judéia, que as mulheres, desde pequenas, andarem cingidas com uma correia, como símbolo de pureza. A Santíssima Virgem, como toda judia, também usou a correia durante toda sua vida. Para mostrar aos fiéis quanto lhe é grata a devoção à sagrada correia, a Mãe de Deus tem-se manifestado por diversas maneiras e realizado inúmeros prodígios.
Por ocasião de sua morte, narra a tradição, achavam-se, reunidos junto dela, e receberam as suas últimas palavras e despedidas, todos os apóstolos, exceto São Tomé, que, estando muito longe, chegara três dias depois. Estando sepultada a Santíssima Virgem, ficou ele muito triste e teve grande desejo de vê-la ainda uma vez. Os apóstolos, que ainda velavam o sepulcro, removeram a pedra que o fechava, para atender ao seu pedido. Com espanto geral, viram que o corpo de Nossa Senhora não se achava ali, encontrando-se apenas suas vestes e a correia no meio de rosas que exalavam suave perfume.

O Apóstolo Tomé venerou com muito respeito as relíquias, que ficaram guardadas na mesma sepultura. Por devoção, e como lembrança da Santíssima Virgem, usou, desde aquele dia, uma correia e com ela realizou extraordinário prodígio, narrada pela tradição.
Passados muitos anos, um novo acontecimento veio acentuar a fama da santa correia:
Juvenal, patriarca de Jerusalém, encontrou, no sepulcro da Santíssima Virgem, sua correia, e a Imperatriz Santa Pulquéria a fez transportar para Constantinopla, colocando-a numa Igreja de Nossa Senhora, construída para este fim. A piedade da princesa contribuiu para que se aumentasse a devoção à correia de Nossa Senhora entre os fiéis da Igreja grega, na qual se estabeleceu a festa de sua Invenção e outra, da sua Trasladação. Este culto continuou por muito tempo, pois, São Germano, Patriarca de Constantinopla, pelos anos 720, escreveu e pronunciou diversos sermões em honra da correia de Maria, citando vários milagres sucedidos pelo seu uso. Num dos sermões, diz o seguinte: “Não é possível olhar nossa venerável Correia, ó SS. Virgem, sem sentir-se cheio de gozo e penetrado de devoção”.

O Monge Eutimio, que viveu pelos anos de 1098, pregando sobre ela, dizia: Nós veneramos a santa correia, vemo-la conservar-se inteira depois de novecentos anos: cremos que, de fato, a Rainha do Céu cingiu-se com ela”:  http://arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/nossa-senhora-da-consolacao

OUTROS SANTOS DE 04 DE SETEMBRO

1.   Co­me­mo­ração de São Moisés (também na Folhinha do Coração de Jesus), pro­feta, que Deus es­co­lheu para li­bertar o seu povo do Egipto e con­duzi-lo à terra pro­me­tida; no monte Sinai re­velou-lhe o seu nome, di­zendo: «Eu sou o que sou», e deu-lhe a lei que devia reger a vida do povo eleito. Este servo de Deus morreu com avan­çada idade no monte Nebo, na terra de Moab, di­ante da terra da promessa. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. XII antes de nossa era, o Patriarca Moisés. Recebeu de Deus, presente na sarça ardente, a revelação do Nome inefável e a missão de libertar o povo de Israel, oprimido no Egito pelo Faraó. Como se visse o invisível, falava face-a-face com Deus, como se fala com um amigo. Medidor da Lei solenemente promulgada por ocasião da teofania do Monte Sinai, deu testemunho a Cristo, mediador da Nova e Eterna Aliança por ocasião da transfiguração no Monte Tabor. (M).Ver páginas 21-32: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

2.   Em Ca­bil­lonum, na Gália Li­o­nense, hoje Chalon-sur-Saône, na França, São Mar­celo (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir. († s. III/IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Châlon-sur-Saône, São Marcelo, martirizado por sua fé sob o imperador Antonino, no séc. II. Um mosteiro cluniacense estabeleceu-se mais tarde sobre o seu túmulo. (M)

3.   Em Roma, no ce­mi­tério de Má­ximo, junto à Via Sa­lária, o se­pul­ta­mento de São Bo­ni­fácio I, papa, que con­se­guiu re­solver muitas con­tro­vér­sias sobre a dis­ci­plina eclesiástica. († 422). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, São Bonifácio I, papa. Os quatro anos de seu pontificado, entre 418 e 422, foram uma época de grande atividade nos planos político, disciplinar e teológico. (M)

4*.   Em Char­tres, na Nêus­tria, ac­tu­al­mente na França, São Ca­lé­trico, bispo. († a. 573)

5*.   Em He­res­feld, na Sa­xónia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, Santa Ida, viúva do duque Eg­berto, in­signe pela sua ca­ri­dade para com os po­bres e oração assídua. († 825)

6*.   Em Mende, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, São Fre­daldo, bispo e mártir. († c. s. IX)

7*.   Em Co­lónia, na Lo­ta­ríngia, hoje na Ale­manha, Santa Irm­garda ou Ir­men­garda, con­dessa de Süch­teln, que ofe­receu todos os seus bens para a cons­trução de igrejas. († c. 1089)

8.   Em Pa­lermo, na Si­cília, re­gião da Itália, Santa Ro­sália, virgem, de quem se narra ter se­guido vida so­li­tária no monte Peregrino. († s. XII). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, religiosa basiliana, cujo corpo foi descoberto numa caverna do Monte Pelegrino em 1624. Esta descoberta, os milagres que a ela sucederam e a distribuição das relíquias, tornaram a santa muito popular. (M)

9*.   Em Ca­ra­magna, no Pi­e­monte, também re­gião da Itália, a Beata Ca­ta­rina Mattei, virgem, re­li­giosa das Irmãs da Pe­ni­tência de São Do­mingos, que su­portou com ad­mi­rável ca­ri­dade e grande vir­tude a longa en­fer­mi­dade, as ca­lú­nias e todas as tentações. († 1547)

10♦.   Em Thúsis, lo­ca­li­dade da Récia, hoje na Suíça, o Beato Ni­colau Rusca, pres­bí­tero e mártir, homem de pro­funda cul­tura e ge­ne­rosa de­di­cação pas­toral, que morreu ví­tima dos con­flitos po­li­tico-re­li­gi­osos do seu tempo. († 1618)

11*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Ci­pião Je­ró­nimo Bri­géat de Lambert, pres­bí­tero e mártir, có­nego de Avran­ches, que, na per­se­guição re­li­giosa du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, por causa do sa­cer­dócio foi apri­si­o­nado na ga­lera em con­di­ções de­su­manas e aí morreu de fome e inanição. († 1794)

12*.   Em Sil­lery, ci­dade do Québec, pro­víncia do Ca­nadá, a Beata Maria de Santa Ce­cília Romana (Maria Dina Bé­langer), virgem da Con­gre­gação das Re­li­gi­osas de Jesus e Maria, que su­portou du­rante vá­rios anos uma grave en­fer­mi­dade, con­fi­ando só em Deus. († 1929)

13*.   Em Oro­pesa, pró­ximo de Cas­tellón, no li­toral da Es­panha, o Beato José Pas­coal Carda Saporta, pres­bí­tero da Ir­man­dade de Sa­cer­dotes Ope­rá­rios Di­o­ce­sanos e mártir, que, du­rante a vi­o­lenta per­se­guição contra a Igreja, em ódio à re­li­gião foi con­du­zido ao glo­rioso martírio. († 1936)

14*.   Em Teu­lada, po­vo­ação pró­xima de Ali­cante, também na Es­panha, o Beato Fran­cisco Sendra Ivars, pres­bí­tero e mártir, que pa­deceu o mar­tírio na mesma per­se­guição contra a fé. († 1936)

15*.   Pró­ximo de Ge­novés, po­vo­ação da pro­víncia de Va­lência, também na Es­panha, o Beato Ber­nardo de Lugar Nuevo de Fe­nollet (José Bleda Grau), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos e mártir, que, na mesma per­se­guição, venceu glo­ri­o­sa­mente o seu com­bate por Cristo. († 1936)

16♦.   Em Vil­la­nueva del Ar­zo­bispo, perto de Jaén, também na Es­panha, o Beato José de Jesus Maria (José Vi­cente Hor­ma­e­chea y Apoitia), pres­bí­tero da Ordem da San­tís­sima Trin­dade e mártir. († 1936)

17. São Vitalício, também na Folhinha do Coração de Jesus.

18. Santa Rosa de Viterbo. Comemoração em 06 de março. Em Vi­terbo, na Tos­cana, re­gião da Itália, a Beata Rosa (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, da Ordem Ter­ceira de São Fran­cisco, que se en­tregou di­li­gen­te­mente às obras de ca­ri­dade e con­sumou pre­c o­ce­mente o breve curso da sua vida aos de­zoito anos de idade. († 1253). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1252 Santa Rosa de Viterbo, jovem cristã de dezoito anos, que partiu ao encontro de Cristo depois de haver-lhe consagrado sua grande beleza fisica e espiritual. (M). Ver Santa Rosa de Viterbo. Páginas 33-35: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf:

– Ver também: https://santo.cancaonova.com/santo/santa-rosa-de-viterbo/

19. Bem-Aventurada Catarina de Racconigi. Ver páginas 36-37: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf  

20. Outros santos do dia 04 de setembro: págs. 21-39, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 04 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/4_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 696-698:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 03 de setembro

Em anotações de 12 de março, em Roma, junto de São Pedro, o se­pul­ta­mento de São Gre­gório Magno, papa, cuja me­mória se ce­lebra a três de Se­tembro, dia da sua ordenação. († 604). Me­mória de São Gre­gório Magno (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa e doutor da Igreja. De­pois de ter en­trado na vida mo­nás­tica, exerceu a missão de le­gado pon­ti­fício a Cons­tan­ti­nopla e foi eleito neste dia para a Sede Ro­mana; exerceu a missão de con­ci­li­ador em as­suntos tem­po­rais e atendeu como servo dos servos às suas fun­ções sa­gradas. Pro­cedeu como bom pastor no go­verno da Igreja, no cui­dado dos po­bres, na pro­moção da vida mo­nás­tica e es­pe­ci­al­mente na con­so­li­dação e pro­pa­gação da fé em toda a parte; es­creveu muitas obras ex­ce­lentes sobre te­o­logia moral e te­o­logia pas­toral. Morreu no dia doze de Março. († 604). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano da graça de 590, a ordenação episcopal de São Gregório Magno, papa e doutor da Igreja. Após ter exercido a função de prefeito de Roma, levou vida monástica em sua casa no Monte Célio. Chamado pelo povo Romano para assumir a direção da Igreja, dedicou-se a ela com zelo, codificando textos e cantos litúrgicos e exortando tanto por sua palavra como por seus escritos. Por seus “Diálogos”, particularmente, favoreceu o monaquismo ao popularizar a vida de São Bento e mereceu ser cognominado “Dialogós” pelos gregos. (R)

Ver mais da história de São Gregório Magno nas págs. 368-374: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Greg%C3%B3rio_I

2.   Co­me­mo­ração de Santa Febe, serva do Se­nhor entre os fiéis de Cên­creas, na ac­tual Grécia, que au­xi­liou muito São Paulo, como ele con­firma na Epís­tola aos Romanos.

3.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, Santa Ba­si­lissa (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem e mártir. († s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, o martírio de Santa Basilissa, jovem cristã de nove anos, que confessou com sua própria voz a fé que trazia em seu coração. (M)

4.   Em Cór­dova, na His­pânia Bé­tica, São San­dálio, mártir. († s. IV)

5.   Em Toul, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, São Man­sueto, pri­meiro bispo desta cidade. († s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, igualmente no séc. IV, São Mansueto, primeiro bispo de Toul, que plantou a semente da Boa Nova naquela região. (M)

6.   No monte Ti­tano, pró­ximo de Rí­mini, no ter­ri­tório que hoje na pe­nín­sula itá­lica tem o seu nome, São Ma­rino, diá­cono e ana­co­reta, que, se­gundo consta, con­duziu o povo ainda pagão à luz do Evan­gelho e à li­ber­dade de Cristo. († s. IV/V). Conforme o Martirológio Romano-monástico do dia 04 de setembro, no séc. IV, São Marino. Cortador de pedras originário da Dalmácia, trabalhou na construção da Igreja e das muralhas de Rímini. Ordenado Diácono, levou vida eremítica sobre o rochedo onde foi construída a cidade de San Marino, que tomou o seu nome. (M)

7*.   Na Ir­landa, São Ma­ca­nísio, bispo. († 514)

8.   Em Milão, na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Au­xano, bispo. († c. 589)

9*.   Em Mon­te­sár­quio, na Cam­pânia, também na Itália, São Vi­ta­liano, bispo. († s. VII/VIII)

10*.   No mos­teiro de Sta­velot, no Bra­bante, ac­tu­al­mente na Bél­gica, São Ri­má­gilo, bispo e abade, que, de­pois de ter vi­vido no mos­teiro de So­lignac, fundou os mos­teiros de Sta­velot e de Mal­medy, no ermo da flo­resta das Ardenas. († c. 671-679). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 675, São Remaclo. Nascido na Aquitânia, entrou para o mosteiro de Luxeuil, e depois a pedido de Santo Elói, foi colocado na direção da abadia de Solignac, na diocese de Limoges, da qual foi abade durante dez anos. Perto de 650, fundou nas Ardenas os mosteiros de Stavelot e o de Malmédy. (X)

11.   Na ilha de Lé­rins, na Pro­vença, ac­tu­al­mente na França, Santo Ai­gulfo, abade, e com­pa­nheiros monges, que, se­gundo a tra­dição, so­freram o mar­tírio numa in­cursão dos Sarracenos. († c. 675), Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na mesma época a paixão de Santo Aigulfo, abade de Lérins, que morreu vítima de sua dedicação ao serviço do mosteiro. (M). Ver Santo Agilulfo, mártir, páginas 17-18: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

12*.   Em Séez, na Nêus­tria, também na ac­tual França, São Cro­do­gango ou Cro­de­gango, bispo e mártir. († s. VIII)

13*.   No ter­ri­tório de As­tino, na Lom­bardia, re­gião da Itália, o Beato Guala, bispo de Bréscia, da Ordem dos Pre­ga­dores, que, no tempo do im­pe­rador Fre­de­rico II, tra­ba­lhou com muito em­penho e pru­dência pela paz da Igreja e da so­ci­e­dade civil e fi­nal­mente foi con­de­nado ao exílio. († 1244)

14*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os be­atos Bar­to­lomeu Gutiérrez, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, e cinco com­pa­nheiros, már­tires, que, em ódio à fé cristã, foram imersos em águas sul­fú­rias a ferver e de­pois lan­çados ao fogo. São estes os seus nomes: pres­bí­teros Vi­cente Car­valho e Fran­cisco Torres, da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho; An­tónio Ishida, da Com­pa­nhia de Jesus; Je­ró­nimo Jo; Ga­briel da Ma­da­lena, re­li­gioso da Ordem dos Frades Menores. († 1632)

15*.   Em Pi­a­cenza, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, a Beata Brí­gida de Jesus Morello, que, fi­cando viúva, se con­sa­grou ao Se­nhor, de­di­cando-se à pe­ni­tência e a muitas obras de ca­ri­dade e, para a for­mação cristã da ju­ven­tude fe­mi­nina, fundou a Con­gre­gação das Irmãs Ur­su­linas de Maria Imaculada. († 1679)

16*.   Em Paris, na França, a paixão dos be­atos André Abel Al­ricy, pres­bí­tero, e se­tenta e um companheiros, már­tires, entre os quais muitos pres­bí­teros, que, de­pois da cha­cina do dia an­te­rior, foram re­cluídos no Se­mi­nário de São Fir­mino e por fim as­sas­si­nados em ódio à Igreja. São estes os seus nomes: Re­nato Maria An­drieu, Pedro Paulo Balzac, João Fran­cisco Maria Be­noit ou Vourlat, Mi­guel André Sil­vestre Bi­nard, Ni­colau Bize, Pedro Bonzé, Pedro Bri­quet, Pedro Brisse, Carlos Carnus, Bel­trão An­tónio de Cau­penne, Tiago Du­four, Dinis Cláudio Duval, José Falcoz, Gil­berto João Fau­trel, Fi­li­berto Fougère, Pedro João Gar­ri­gues, Ni­colau Gau­dreau, Es­têvão Mi­guel Gillet, Jorge Je­ró­nimo Gi­roust, José Maria Gros, Pedro Guérin du Ro­cher, Ro­berto Fran­cisco Guérin du Ro­cher, Ivo André Guillon de Ke­ranrun, Ju­lião Fran­cisco Hé­douin, Pedro Fran­cisco Hé­nocq, Elísio Herque ou du Roule, Pedro Luís Joret, Tiago de la Lande, Gil Luís Sin­fo­riano Lan­chon, Luís João Ma­teus La­nier, João José de Lavèse-Belay, Mi­guel Leber, Pedro Flo­rêncio Le­clercq, João Carlos Le­grand, João Pedro le Lai­sant, Ju­lião le Lai­sant, João Lemaître, João Tomás Leroy, Mar­tinho Fran­cisco Aleixo Lou­blier, Cláudio Luís Mar­mo­tant de Sa­vigny, Cláudio Sil­vano May­neau de Bi­ze­franc, Hen­rique João Millet, Fran­cisco José Mon­nier, Maria Fran­cisco Mouffle, José Luís Ovi­efre, João Mi­guel Phi­lippot, Tiago Rabé, Pedro Ro­berto Régnet, Ivo João Pedro Rey de Ker­vizic, Ni­colau Cláudio Roussel, Pedro Saint-James, Tiago Luís Schmid, João An­tónio Se­conds, Pedro Tiago de Tur­mé­nies, Re­nato José Urvoy, Ni­colau Maria Verron, Carlos Vítor Véret, todos pres­bí­teros; e ainda João Carlos Maria Ber­nard du Cor­nillet, có­nego da abadia de São Vítor de Paris; João Fran­cisco Bonnel de Pradel e Cláudio Pons, có­negos da abadia de Santa Ge­no­veva de Paris; João Carlos Caron, Ni­colau Colin, Luís José Fran­çois e João Hen­rique Gruyer, da Con­gre­gação da Missão; Cláudio Bo­chot e Eus­tá­quio Félix, da Con­gre­gação dos Pa­dres da Dou­trina Cristã; Cosme (João Pedro Duval), da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos; Pedro Cláudio Pot­tier, da So­ci­e­dade de Jesus e Maria; e Se­bas­tião Des­bri­elles, Mestre es­cola de Paris, Luís Fran­cisco Rigot e João An­tónio José de Villette. († 1792)

17*.   Também em Paris, no mesmo dia e ano, os be­atos már­tires João Bap­tista Bottex, Mi­guel Maria Fran­cisco de la Gardette e Fran­cisco Ja­cinto le Livec de Trésurin, que, du­rante a mesma per­se­guição, mor­reram por Cristo no cár­cere “La Force”. († 1792)

18.   Em Seul, na Co­reia, a paixão dos santos João Pak Hu-jae e cinco com­pa­nheiras, már­tires, que, le­vados ao tri­bunal por serem cris­tãos, su­por­taram cruéis su­plí­cios e por fim foram degolados. São estes os seus nomes: Maria Pak Kin-a-gi Hui-sun, irmã de Santa Lúcia Pak Hui-sun; Bár­bara Kwon-hui, irmã de Santo Agos­tinho Yi Kwang-hon; Bár­bara Yi Chong-hui; Maria Yi Yon-hui, es­posa de São Da­mião Nam Myong-hyog; Inês Kim Hyo-ju. († 1839)

19. Santo Aristeu (também na Folhinha do Coração de Jesus),

20. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 690 a volta para Deus de São Régulo, que foi sucessor de São Nivardo na Sé episcopal de Reims. Como o seu predecessor, protegeu muito o monaquismo. (X)

21. Santa Serápia e Santa Sabina, mártires. Ver páginas 9-16: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

22. São Vicente de Santo Antônio. Ver “Frei Vicente de Santo António (Albufeira1590 – Nagasaki1632), de seu nome de nascimento Vicente Simões de Carvalho, mas também conhecido como São Vicente de Albufeira ou Beato Vicente, foi um religioso missionário português da Ordem de Santo Agostinho.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Vicente_de_Santo_Ant%C3%B3nio

23. Outros santos do dia 03 de setembro: págs. 09-20, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 03 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/3_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 693-696:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 02 de setembro

1.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, São Zenão, mártir. († s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Nicomédia, a paixão de São Zeno (ou Zenão).

2.   Em Ni­ceia, também na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, Santa Teó­dota, com seus fi­lhos Evódio, Her­mó­genes e Ca­listo, mártires. († s. IV)

3.   Em Edessa, no Os­roene, hoje San­liurfa, na Tur­quia, Santo Habib, diá­cono e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Li­cínio, con­cluiu o seu glo­rioso com­bate ao ser lan­çado ao fogo por ordem do go­ver­nador Lisânias. (†322)

4.   Em Apa­meia, na Síria, Santo An­to­nino, mártir, que era can­teiro, se­gundo a tra­dição e foi morto pelos pa­gãos aos vinte anos de idade por ter des­truído os seus ídolos, mo­vido pelo ardor da fé. († s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Apaméia, na Síria, no séc. IV, o martírio de Santo Antonino, jovem cristão de vinte anos, cortador de pedras por profissão, e que quebrou em pedaços ídolos pagãos. Por esse motivo, foi condenado a morrer na própria construção de uma igreja em que estava trabalhando. (M)

5*.   Em Tar­ra­gona, na His­pânia, São Prós­pero, bispo. († s. IV/V)

6.   Em Lião, na Gália, ac­tu­al­mente na França, o se­pul­ta­mento de São Justo, bispo, que, de­pois do Con­cílio de Aqui­leia, re­nun­ciou ao epis­co­pado e se re­fu­giou com o leitor São Vi­ador num ermo do Egipto, onde viveu al­guns anos hu­mil­de­mente com os monges; o seu santo corpo foi tras­la­dado por São Vi­ador para Lião. († d. 381)

7.   No monte So­ratte, junto à Via Fla­mínia, no Lácio, re­gião da Itália, São No­noso, abade. († c. 570)

8.   Em Autun, na Bor­gonha, na ho­di­erna França, São Siá­grio, bispo, que nos con­cí­lios em que tomou parte foi muito no­tável pela sua sa­be­doria e zelo. († 599/600)

9*.   Em Avi­nhão, na Pro­vença, também na ac­tual França, Santo Agrí­cola, bispo, que, de­pois da sua vida mo­nás­tica na ilha de Lé­rins, au­xi­liou seu pai, São Magno, e lhe su­cedeu no episcopado. († c. 700)

10.   No Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, Santo El­pídio, cujo nome foi adop­tado pela ci­dade onde o seu corpo foi sepultado. († a. s. XI)

11*.   Em Pôn­tida, no ter­ri­tório de Bér­gamo, na Lom­bardia, re­gião da Itália, os santos Al­berto e Vito, monges: o pri­meiro, pre­fe­rindo a mi­lícia de Cristo às armas e honras do mundo, cons­truiu na sua ci­dade um mos­teiro com a ob­ser­vância clu­ni­a­cense; o se­gundo foi o su­pe­rior do mosteiro. († c. 1096)

12. Ao sul do Monte Carmelo, na Palestina, na fonte de Elias, Bem-aventurado Brocardo, prior dos eremitas a quem Santo Alberto, Bispo de Jerusalém, deu uma regra de vida que meditassem dia e noite a lei do senhor e fossem vigilantes na oração.

13*.   Em Skänninge, na Suécia, a Beata In­grid Elofs­dotter, que, fi­cando viúva, ofe­receu todos os seus bens para o ser­viço de Deus e, de­pois de uma pe­re­gri­nação à Terra Santa, tomou o há­bito mo­nás­tico da Ordem dos Pregadores. († 1282). Ver: Ingrid de Skänninge (ou Ingrid da SuéciaÖstergötland, século XIII – Skänninge2 de setembro de 1282) foi uma abadessa sueca venerada como santa na Igreja Católica Roman: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ingrid_de_Sk%C3%A4nninge

14*.   Em Paris, na França, a paixão dos be­atos már­tires João Maria du Lau d’Allemans, Fran­cisco José e Pedro Luís de la Rochefoucauld, bispos, e no­venta e três companheiros, clé­rigos e re­li­gi­osos, que, por se terem re­cu­sado a prestar o ju­ra­mento ini­qua­mente im­posto ao clero no tempo da Re­vo­lução Fran­cesa, foram re­cluídos no con­vento dos Car­me­litas e as­sas­si­nados em ódio à re­li­gião de Cristo. São estes os seus nomes: Vi­cente Abraham, André Angar, João Bap­tista Cláudio Au­bert, Fran­cisco Bal­main, João Pedro Bangue, Luís Fran­cisco André Barret, José Bé­cavin, Tiago Júlio Bon­naud, João An­tónio Ja­cinto Bou­cha­rene de Chau­meils, João Fran­cisco Bos­quet, Cláudio Cays ou Dumas, João Charton de Millon, Cláudio Chaudet, Ni­colau Clairet, Cláudio Colin, Fran­cisco Dardan, Gui­lherme An­tónio Del­faut, Ma­tu­rino Vítor De­ru­elle, Ga­briel Des­prez de Roche, Tomás Ni­colau Du­bray, Tomás Re­nato Du­buisson, Fran­cisco Du­mas­ram­baud de Ca­lan­delle, Hen­rique Hi­pó­lito Ermès, Ar­mando de Fou­cauld de Pont­briand, Tiago Fri­teyre-Durvé, Cláudio Fran­cisco Gagnières des Granges, Luís Lou­renço Gaul­tier, João Goizet, André Grasset de Saint-Sau­veur, João An­tónio de Guil­le­minet, João Bap­tista Janin, João Lacan, Pedro Landry, Cláudio An­tónio Ro­dolfo de La­porte, Ro­berto le Bis, Ma­tu­rino Ni­colau Le Bous de Vil­le­neuve de la Vil­le­crohain, Oli­vério Lefèvre, Carlos Fran­cisco Legué, Tiago José Le­jar­di­nier Des­landes, Tiago João Le­meu­nier, Vi­cente José le Rous­seau de Ro­sen­coat, Fran­cisco César Lon­di­veau, Luís Lon­guet, Tiago Fran­cisco de Lu­bersac, Gaspar Cláudio Maig­nien, João Fi­lipe Mar­chand, Luís Mau­duit, Fran­cisco Luís Méallet de Far­gues, Tiago Ale­xandre Me­nuret, João Bap­tista Na­ti­velle, Re­nato Na­ti­velle, Ma­tias Agos­tinho No­gier, José Tomás Pa­zery de Tho­rame, Júlio Ho­no­rato Ci­priano Pa­zery de Tho­rame, Pedro Fran­cisco Pa­zery de Tho­rame, Pedro Plo­quin, Re­nato Ni­colau Poret, Ju­lião Pou­lain-De­launay, João Ro­berto Qué­neau, Fran­cisco Ur­bano Sa­lins de Niart, João Hen­rique Luís Samson, João An­tónio de Sa­vine, João An­tónio Bar­nabé Sé­guin, João Bap­tista Maria Tes­sier, Lopo Tomás ou Bon­notte, Fran­cisco Va­reilhe-Du­teil, Pedro Luís José Ver­rier; e Luís Bar­reau de la Touche, da Con­gre­gação de Santo Amaro da Ordem de São Bento; João Fran­cisco Burté (também na Folhinha do Coração de Jesus),da Ordem dos Frades Me­nores; Apo­li­nário (João Tiago) Morel (também na Folhinha do Coração de Jesus),da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos; Am­brósio Agos­tinho Che­vreux e Re­nato Ju­lião Massey, da Ordem de São Bento; Ber­nardo Fran­cisco de Cucsac, Tiago Ga­briel Ga­lais, Pedro Gau­guin, Pedro Mi­guel Guérin, Tiago Es­têvão Fi­lipe Hour­rier, Hen­rique Au­gusto Lu­zeau de la Mu­lonnière, João Bap­tista Mi­guel Pontus, Pedro Ni­colau Psalmon e Cláudio Rous­seau, da So­ci­e­dade de São Sul­pício; Carlos Je­re­mias Bé­rald du Pérou, Fran­cisco Luís Hé­bert e Fran­cisco Le­franc, da So­ci­e­dade de Jesus e Maria; Ur­bano Le­févre, da So­ci­e­dade das Mis­sões Es­tran­geiras de Paris; Se­ve­rino (Jorge) Gi­rauld (também na Folhinha do Coração de Jesus),da Ordem Ter­ceira Re­gular de São Fran-cisco; todos pres­bí­teros; Luís Aleixo Ma­tias Bouver, Es­têvão Fran­cisco Deus­dédit de Ra­vinel e Tiago Agos­tinho Ro­bert de Lé­zardières, diá­conos; São Sa­lomão (Gui­lherme Ni­colau Luís) Le­clercq, re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs; Au­gusto Nézel, clé­rigo, e Carlos Regis Ma­teus de la Calmette. († 1792). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória do Bem-Aventurado Ambrósio Agostinho Chevreux, último superior geral da Congregação de São Mauro, cujo martírio coroou a secular fidelidade da maior parte do monaquismo francês à sua vocação religiosa e à Igreja Católica. Foi massacrado em Paris, por sectários, no dia 2 de setembro de 1792, juntamente com vários outros católicos, dos quais dezenove beatificados. Entre eles, D. René-Julião Massey, professo da abadia de Santa Melânia, de Rennes e D. Luís Barreau de la Touche, professo de São Florência, de Saumur. (S). Ver OS MÁRTIRES DE SETEMBRO, páginas 446-447: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf  

15*.   Também em Paris, no mesmo dia e ano, o Beato Pedro Tiago Maria Vitális, pres­bí­tero, e vinte com­pa­nheiros, már­tires, que, na mesma re­vo­lução, foram mortos em ódio à Igreja na abadia de Saint-Germain-des-Prés. São estes os seus nomes: Da­niel Luís André des Pom­me­rayes, Luís Re­mígio Be­noist, Luís Re­nato Ni­colau Be­noist, An­tónio Carlos Oc­ta­viano de Bouzet, João André Ca­peau, Ar­mando Chapt de Ras­tignac, Cláudio Fon­taine, Pedro Luís Ger­vais, Santo Huré, João Luís Guyard de Saint-Claire, Ale­xandre Carlos Len­fant, Lou­renço, Luís le Da­nois, Tomás João Mon­saint, Fran­cisco José Pey, João José Ra­teau, Marcos Luís Royer, João Pedro Simon, Carlos Luís Hur­trel, este úl­timo da Ordem dos Mí­nimos, todos pres­bí­teros, e Luís Ben­jamim Hur­trel, diácono. († 1792)

16♦.   Em Or­riols, na Ca­ta­lunha, re­gião da Es­panha, o Beato Esí­quio José (Bal­do­mero Mar­genat Puig­mitjá), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que, na vi­o­lenta per­se­guição contra a Igreja, foi as­sas­s i­nado em ódio à vida religiosa. († 1936)

17♦.   Em Oviedo, nas As­tú­rias, também da Es­panha, o Beato José Maria La­guia Puerto, re­li­gioso da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir. († 1936)

18. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 459, São Simeão Estilita, o velho. Instalado no alto de uma coluna, foi o primeiro a praticar a penitência que constituía a vida de estilita. Teve numerosos imitadores no Oriente. (X). VER TAMBÉM 05 DE JANEIRO: na Síria, no ano do Senhor de 459, São Simeão Estilita, filho de um pobre pastor que abraçou uma vida de austeridade pouco comum, em cima de uma coluna, depois de ter ouvido na Igreja a leitura das beatitudes evangélica (M). Também nas págs. 166-183:

19. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 1070, a volta para Deus de São Guilherme, bispo. Inicialmente foi capelão do rei Canuto, e ficou tão sensibilizado pela triste condição do povo dinamarquês, que decidiu evangelizá-lo. (M)

20. Santo Estêvão, primeiro rei da Hungria. Ver páginas 422-442: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

21. Bem-Aventurada Margarida de Louvain. Ver páginas 443-445: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

22. São Castor de APT. Ver “Era possivelmente irmão de São Leôncio de Fréjus. Castor era advogado e casara-se com uma rica viúva. Morava em Marselha. Sua esposa, entretanto, permitiu-lhe ingressar na vida religiosa, ela própria entrando para um convento. Castor fundou o monastério de Manauque (Monanque), na Provença. Foi feito, depois, bispo de Apt. Morreu de causas naturais.

São João Cassiano escreveu sua obra De institutis coenobiorum a pedido de Castor.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Castor_de_Apt

23. São Diomedes de Tarso. Ver “São Diomedes (Diomede) de Tarso (morte entre 298 e 311 d.C.) é um santo e mártir do Cristianismo, um dos chamados Santos não mercenários (língua grega Άγιοι Ανάργυροι) [1]. Nascido em Tarso, foi médico e um zeloso evangelizador que foi preso e decapitado sob o poder de Diocleciano em Niceia (hoje IznikTurquia. Há uma lenda que “conta que quando sua cabeça foi levada ao imperador, todos os presentes foram cegados e que somente depois de seu corpo ter sido devolvido aos seus e esses oraram, a visão daqueles foi recuperada”.[2]

Seu dia festivo é 16 de agosto e há um afresco dele no monastério sérvio de Hilandar (em Monte Atos). As Ilhas Diomedes têm seu nome derivado desse santo. Vitus Bering localizou essas ilhas em 16 de agosto de 1728, dia em que a Igreja Ortodoxa Russa celebra a memória de São Diomedes.

OUTRO SÃO DIOMEDES: Há outro São Diomedes, que é celebrado em 2 de setembro. Ele e Juliano, Felipe, Teodoro, Eutiquiano, Hesíquio, Leônidas, Filadelfo, Menálipo e Pantágapes foram martirizado em data e local desconhecidos. Todos foram executados de várias formas, tendo sido crucificados, mortos por afogamento, pela fogueira, decapitação.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Diomedes_de_Tarso

24. Outros santos do dia 02 de setembro: págs. 422-449, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 02 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/2_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 689-692:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 01 de setembro

SETEMBRO : Ver “Setembro é o nono mês do ano no calendário gregoriano, tendo a duração de 30 dias. Setembro deve o seu nome à palavra latina septem (sete), dado que era o sétimo mês do calendário romano, que começava em Março. Na Grécia Antiga, Setembro chamava-se Boedromion.: https://pt.wikipedia.org/wiki/Setembro

Nossa Senhora de Belém – 01 de Setembro – FESTA DE NOSSA SENHORA DE BELÉM: padroeira principal da arquidiocese de Belém do Pará. Conforme o DIRETÓRIO DA LITURGIA da CNBB de 2020, “… na Arquidiocese de Belém – NOSSA SENHORA DE BELÉM, Padroeira Arquidiocesana, festa.  Na cidade de Belém: Padroeira Municipal, Solenidade.” Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa de Nossa Senhora de Belém, padroeira principal da Arquidiocese de Belém do Pará. Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Arquidiocese_de_Bel%C3%A9m_do_Par%C3%A1
 – Ver também “…Devido ao fato de Maria ter honrado a cidade de Belém dando à luz seu filho na cidade, ela recebeu o título de Nossa Senhora de Belém… A imagem que representa Nossa Senhora de Belém foi esculpida em estilo barroco. Nela, Maria segura em seu colo o Menino Jesus. Ela também segura um cajado de peregrina simbolizando que não estava na sua terra natal, mas estava a caminho….
Oração a Nossa Senhora de Belém

“À Vossa Proteção recorremos, Santa Mãe de Deus, não desprezeis as nossas súplicas, nas nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita, Senhora nossa, Medianeira nossa, Advogada e padroeira nossa.

Lembrai-vos, ó piíssima Nossa Senhora do Belém, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que têm recorrido a vossa proteção, implorando a vossa assistência e reclamando o vosso socorro, fosse por vós desamparado.

Animado eu, pois, com igual confiança, a vós, ó Virgem entre todas singular, como a Mãe recorro, de vós me valho, e , gemendo sob o peso de meus pecados, me prostro aos vossos pés.
Não desprezeis as minhas súplicas, ó Mãe do Verbo de Deus humanado, mas dignai-vos de as ouvir propícia e de me alcançar o que vos rogo pela Vossa Intercessão. Amém.”

”: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-nossa-senhora-de-belem/496/102/#c  https://www.google.com/search?ei=V_dqXeywOafZ5OUPlfeewA4&q=Padroeira+da+arquidiocese+de+Bel%C3%A9m+do+Par%C3%A1&oq=Padroeira+da+arquidiocese+de+Bel%C3%A9m+do+Par%C3%A1&gs_l=psy-ab.3…3111.12034..12246…1.1..0.232.5298.0j42j1……0….1..gws-Swiz…….0i71j35i39j0j0i131j0i67j0i131i67j0i22i30j33i22i29i30j33i160.JjrXtEWdSE8&ved=0ahUKEwisuKbllq7kAhWnLLkGHZW7B-gQ4dUDCAo&uact=5

01 de Setembro: NOSSA SENHORA DA PENHA EM CRATO, CEARÁ. Conforme o DIRETÓRIO DA LITURGIA da CNBB de 2020, 01 de setembro na Diocese de Crato – NOSSA SENHORA DA PENHA – padroeira diocesana, festa mas celebrada onde for solenidade. Na Catedral  e na cidade de Crato: Titular e padroeira municipal, solenidade.

Ver: “Este ano, celebra-se a chegada da imagem de Nossa Senhora da Penha, trazida da França, em 1920. Contudo, a criação da Paróquia na antiga aldeia do Miranda, que antecedeu o atual município, aconteceu em 1762, dois anos antes da fundação da Vila Real do Crato.”: https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/regiao/festa-de-nossa-senhora-da-penha-em-crato-comeca-amanha-22-em-formato-virtual-1.2979895

– – Ver: “Nossa Senhora da Penha, rainha e padroeira de São Paulo”: ver páginas 366-374: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Nossa Senhora da Penha, protetora da cidade de São Paulo. Ver: https://www.a12.com/academia/titulos-de-nossa-senhora?s=nossa-senhora-da-penha

Nossa Senhora da Penha de França. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Penha_de_Fran%C3%A7

Nossa Senhora da Penha no Rio de Janeiro: https://www.basilicasantuariopenhario.org.br/historia-de-nossa-senhora-da-penha

Outras referências a Nossa Senhora da Penha: https://www.google.com/search?safe=active&sxsrf=ALeKk02mRTi0GG2Keq4geLXHw9RL-GrB8A:1598927016189&q=dia+de+nossa+senhora+da+penha+rj&sa=X&ved=2ahUKEwjL-sim88brAhVCA9QKHcwSBYcQ1QIoAHoECBoQAQ&biw=1280&bih=587&dpr=1.5

Ver também: https://www.google.com/search?safe=active&sxsrf=ALeKk03QfOjpyfcg6zeDpFhGyzJp_XWwKA%3A1598926247055&source=hp&ei=p61NX-x_wM3k5Q-8kbfgBA&q=Nossa+Senhora+da+Penha&oq=Nossa+Senhora+da+Penha&gs_lcp=CgZwc3ktYWIQAzIECCMQJzICCAAyAggAMgIIADICCAAyAggAMgIIADICCAAyAggAMgIIADoFCAAQsQM6CAguELEDEIMBOggIABCxAxCDAToFCC4QsQM6BggAEBYQHjoICAAQFhAKEB46BwgjELACECc6BAgAEA06BAguEA06AgguUMAIWN07YMo_aAdwAHgAgAHKAYgB7iiSAQYwLjI4LjGYAQCgAQGqAQdnd3Mtd2l6&sclient=psy-ab&ved=0ahUKEwis7-a38MbrAhXAJrkGHbzIDUwQ4dUDCAc&uact=5

* VER TAMBÉM 01 DE SETEMBRO NA IGREJA ORTODOXA:

Todas as comemorações fixas abaixo são comemoradas no dia 14 de setembro pelas igrejas ortodoxas sob o Velho Calendário. No dia 1 de setembro do calendário civil, as igrejas sob o Velho Calendário celebram as comemorações listadas no dia 19 de agosto.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/1_de_setembro_na_Igreja_Ortodoxa

OUTROS SANTOS DE 01 DE SETEMBRO

1.   Co­me­mo­ração de São Josué (também na Folhinha do Coração de Jesus), filho de Nun, servo do Se­nhor, que, pela im­po­sição das mãos de Moisés sobre ele, ficou cheio do es­pí­rito de sa­be­doria e, de­pois da morte de Moisés, in­tro­duziu de modo ma­ra­vi­lhoso o povo de Is­rael, atra­ves­sando o rio Jordão, na terra prometida. Conforme o VIDAS DOS SANTOS, São Josué e São Gideão. Ver páginas 377-395 (São Josué) e 395-407 (São Gideão): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

2.   Em Reims, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, São Sisto, que é con­si­de­rado o pri­meiro bispo desta cidade. († s. III). Ver São Sixto e São Sinício, bispos, à página 408: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

3.   Em Cápua, junto à Via Aquária, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São Prisco, mártir. († s. IV)

4.   Em Tódi, na Úm­bria, também re­gião da Itália, São Te­ren­ciano (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo. († c. s. IV)

5.   Em Dax, na Aqui­tânia, hoje na França, São Vi­cente, que é ce­le­brado como bispo e mártir. († c. s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, o martírio dos Santos Vicente e Liédio, que deram suas vidas por Cristo, em Dax. (M)

6.   Em Zur­zach, junto do rio Reno, no ter­ri­tório de Zu­rique da Ger­mânia, ac­tu­al­mente na Suíça, Santa Ve­rena, virgem. († s. IV)

7.   Em Le Mans, na Gália Li­o­nense, hoje na França, São Vi­tório (também na Folhinha do Coração de Jesus), re­cor­dado por São Gre­gório de Tours. (†490). Ver página 409: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

8.   Em Aquino, no Lácio, re­gião da Itália, São Cons­tâncio, bispo, cujo dom de pro­fecia é lou­vado pelo papa São Gre­gório Magno. († 570)

9.   No ter­ri­tório de Nimes, na Gália Nar­bo­nense, na ho­di­erna França, São Gil ou Egídio, de quem tomou o nome a po­vo­ação que pos­te­ri­or­mente se de­sen­volveu na re­gião da Ca­margue, onde ele, se­gundo a tra­dição, cons­truiu um mos­teiro e ter­minou o curso da sua vida mortal. († s. VI/VII). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Languedoc, São Gil (ou Egídio), eremita. Segundo uma tradição iconográfica representada em Chartres e em Aachen, o imperador Carlos Magno obteve, por sua poderosa intercessão, o perdão por uma falta não-confessada. Um mosteiro beneditino foi construído sobre seu túmulo, e seu culto propagou-se pela cristandade no tempo das peregrinações a Compostela. (M). Ver páginas 415-418: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Santo_Eg%C3%ADdio

10.   Em Sens, na Nêus­tria, também na ac­tual França, São Lopo, bispo, que foi exi­lado por ter co­ra­jo­sa­mente afir­mado pe­rante um no­tável do lugar que o povo devia ser di­ri­gido pelo sa­cer­dote e obe­decer mais a Deus do que aos príncipes. († c. 623). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 625, São Lobo. Natural de Orléans, foi eleito para o serviço da Igreja de Sens e teve de sofrer efeitos da política malévola dos merovíngios da época. Foi enterrado no mosteiro de Sainte-Colombe de Sens, que havia fundado com Clotário II. (M). Ver páginas 410-412: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

11*.   Em Ve­neza, ci­dade do ac­tual Vé­neto, re­gião da Itália, a Beata Ju­liana de Collalto, aba­dessa da Ordem de São Bento. († 1262)

12*.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, também re­gião da Itália, a Beata Joana, virgem da Ordem Ter­ceira das Servas de Maria, emi­nente pela sua oração e austeridade. († 1367)

13*.   Em Ma­drid, na Es­panha, os be­atos Cris­tino (Mi­guel Roca Hu­guet), pres­bí­tero, e onze com­pa­nheiros, már­tires, todos da Ordem de São João de Deus, que, du­rante a guerra civil, foram mortos em ódio à re­li­gião cristã. São estes os seus nomes: Pro­cesso (Jo­a­quim Ruiz Cas­cales), Eu­tímio (Ni­colau Ara­mêndia Garcia), Ca­nuto (José Franco Gômez), Do­siteu (Gui­lherme Rúbio Alonso), Ce­sário (Ma­riano Niño Pérez), Ben­jamim (Ale­xandre Cobos Ce­lada), Car­melo (Isidro Gil Arano), Cosme (Si­meão Isi­doro Jo­aquím Brun Arará), Ce­cílio (Hen­rique López López), Ru­fino (Cres­cêncio Lasheras Aiz­corbe) e Faus­tino (An­tónio Vil­la­nueva Igual), religiosos. († 1936)

14*.   Em Pa­terna, ci­dade da pro­víncia de Va­lência, também na Es­panha, o Beato Afonso Se­bas­tião Viñals, pres­bí­tero e mártir, que era di­rector es­pi­ri­tual da Es­cola de For­mação So­cial de Va­lência, quando, na mesma per­se­guição contra a fé, re­cebeu a coroa de glória. († 1936)

15*.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, os be­atos már­tires Pedro de Al­cân­tara (Cân­dido Ri­vera Ri­vera), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais, Maria do Carmo Mo­reno Be­nítez e Maria do Am­paro Car­bo­nell Muñoz, vir­gens do Ins­ti­tuto de Maria Au­xu­li­a­dora, que, du­rante a mesma per­se­guição, con­fi­gu­rando-se à paixão de Cristo, seu Es­poso, al­can­çaram a re­com­pensa da paz eterna. (†1936)

16♦.   Também em Bar­ce­lona, em dia in­certo de Se­tembro, o Beato Bento Clemente (Félix España Ortiz), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que na mesma per­se­guição, ven­cendo o bom com­bate da fé, al­cançou a vida eterna. († 1936)

17♦.   Em So­tillo, lo­ca­li­dade da Can­tá­bria, no li­toral da Es­panha, em dia in­certo de Se­tembro, o Beato Eu­génio An­drés Amo, re­li­gioso da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, na mesma per­se­guição, morreu por Cristo. († 1936)

18♦.   Em Ma­taró, na Ca­ta­lunha, também re­gião da Es­panha, o Beato José Samsó i Elias, pres­bí­tero da di­o­cese de Bar­ce­lona e mártir, que, na vi­o­lenta per­se­guição contra a Igreja,foi as­sas­si­nado em ódio ao sacerdócio. († 1936)

19. Bem-Aventurada Joana Soderini. Ver páginas 363-365: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

20. Profetisa Santa Ana. Ver páginas 375-376: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

21. São Nivardo, bispo. Ver páginas 413-414: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

22. Santa Vibiana, de Roma. Ver “Santa Vibiana nasceu no século III em Roma. É uma mártir virgem para a Igreja Católica Romana. É a santa padroeira da Arquidiocese de Los Angeles, onde é venerada com uma festa memorial no dia 1 de setembro.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Vibiana_de_Roma

– Ver também: http://www.orthodoxengland.org.uk/stdsep.htm

23. Outros santos do dia 01 de setembro: págs. 363-421, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 01 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/1_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 687-689:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 31 de agosto

1.   Em Je­ru­salém, co­me­mo­ração dos santos José de Arimateia e Ni­co­demos, que aco­lheram o corpo de Jesus des­cido da cruz, o en­vol­veram num lençol e co­lo­caram no se­pulcro. José, nobre de­cu­rião e dis­cí­pulo do Se­nhor, es­pe­rava o reino de Deus; Ni­co­demos, fa­riseu e prín­cipe dos Ju­deus, viera de noite ter com Jesus para co­nhecer a sua missão e, pe­rante os sumos sa­cer­dotes e os fa­ri­seus que que­riam prender Jesus, de­fendeu a sua causa.

2.   Em Atenas, na Grécia, Santo Aris­tides (também na Folhinha do Coração de Jesus), fi­ló­sofo, ilus­trís­simo pela sua fé e sa­be­doria, que es­creveu e apre­sentou ao im­pe­rador Adriano al­guns dos seus li­vros sobre a re­li­gião cristã. († c. 150). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Atenas, no séc. II, Santo Aristides. Segundo a crônica de Eusébio, era filósofo pagão quando se converteu. Dirigiu então ao imperador uma apologia, onde ressalta a novidade da religião de Cristo, mensagem de esperança e de amor. (M). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Aristides_de_Atenas

3.   Em Tré­veris, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na Ale­manha, São Pau­lino, bispo e mártir, que no tempo da he­resia ariana foi um ver­da­deiro arauto da ver­dade e, no Sí­nodo de Arles, con­vo­cado pelo im­pe­rador Cons­tâncio, não se deixou de­mover, nem com ame­aças nem com adu­la­ções para con­denar Santo Ata­násio e afastar-se da ver­da­deira fé; por isso foi des­ter­rado para a Frígia, na ho­di­erna Tur­quia, onde, de­pois de cinco anos de exílio, con­sumou o martírio. († 358). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 358, São Paulino, bispo de Treves. Defensor intrépido da fé de Nicéia e fiel partidário de Santo Atanásio, foi por isso exilado na Ásia Menor. Vários padres fizeram elogio de sua firmeza na fé. (M)

4.   Em Lin­dis­farne, na Nor­túm­bria, na ac­tual In­gla­terra, Santo Ai­dano, bispo e abade, homem de in­signe man­sidão, pi­e­dade e justo go­verno, que, cha­mado pelo rei Os­valdo, veio do mos­teiro de Iona para esta ci­dade, onde cons­truiu a sede epis­copal e um mos­teiro, para fo­mentar efi­caz­mente a evan­ge­li­zação deste reino. († 651). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 651, a volta para Deus de Santo Aidano, monge de Iona. Chamado para evangelizar a Inglaterra e a Escócia, foi o primeiro bispo de Lindsfarne. (M). Ver: “Edano ou Adão de Lisdisfarne (em latimAedanus), conhecido como o Apóstolo da Nortúmbria (Connacht, ? – BamburgoNortúmbria31 de agosto de 651), foi o fundador e primeiro bispo do mosteiro na ilha de Lindisfarne, na Inglaterra. Como missionário cristão, é creditado a a ele a restauração da cristianismo naquela região. Em 2008, ele foi proposto como o provável santo padroeiro do Reino Unido.https://pt.wikipedia.org/wiki/Edano_de_Lindisfarne

5.   Em Car­dona, po­vo­ação da Ca­ta­lunha, na Es­panha, São Rai­mundo No­nato (também na Folhinha do Coração de Jesus), que foi um dos pri­meiros com­pa­nheiros de São Pedro No­lasco na Ordem de Nossa Se­nhora das Mercês; conta-se que so­freu muito pelo nome de Cristo para a re­denção dos cativos. († c. 1240). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, o sepultamento de São Raimundo Nonato, religioso da Ordem das Mercês, que se ofereceu como refém para obter a libertação de um prisioneiro, e se consagrou à evangelização de seus companheiros de infortúnio. Libertado depois de ter sido torturado, foi nomeado cardeal, e morreu, mais tarde, em Barcelona, no ano de 1240. (M). Ver páginas 350-354: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também “Raimundo recebeu a alcunha de Nonato (“não nascido”) porque foi extraído do ventre de sua mãe, já morta antes de dar-lhe à luz, ou seja, não nasceu de uma mãe viva, mas foi retirado de seu útero, algo raríssimo à época. Por isso é festejado, no dia 31 de agosto, como o patrono das parteiras e obstetrasSão Raimundo Nonato é um santo católico romano que viveu no século XIII e se rebelou contra a escravidão, que na época era tida como natural”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Raimundo_Nonato

6*.   No ermo de Val­lú­cola, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato André de Borgo Sansepolcro, pres­bí­tero da Ordem dos Servos de Maria, in­signe pela sua aus­te­ri­dade e vida contemplativa. († 1315). Ver Bem-Aventurado André Dotti, servita, páginas 355-356: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

.

7*.   Em Al­meria, na Es­panha, os be­atos Ed­mígio (Isi­doro Primo Ro­drí­guez), Amálio (Justo Za­ri­quiégui Men­doza) e Va­lério Ber­nardo (Mar­ciano Her­rero Mar­tínez), da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e már­tires, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, foram mortos em ódio à fé cristã. († 1936)

8♦.   Em Má­laga, também na Es­panha, os be­atos már­tires Hen­rique Vi­daur­reta Palma, pres­bí­tero da di­o­cese de Má­laga, Félix Paco Escartin, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e Tomás Alonso Sanjuán, re­li­gioso da So­ci­e­dade Sa­le­siana, que na mesma per­se­guição contra a fé cristã deram a vida por Cristo. († 1936)

9♦.   Em Sama de Lan­greo, ci­dade das As­tú­rias, também na Es­panha, os be­atos már­tires Isidro Ordoñes Díez, José Maria Pa­lácio Montes e Mi­guel Me­néndez Garcia, pres­bí­teros da Ordem dos Pre­ga­dores e Cris­tóvão Itur­riaga-Eche­varria Irazola e Pedro Vega Ponce, re­li­gi­osos da mesma Ordem, as­sas­si­nados em ódio à fé cristã. († 1936).

10♦.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, a Beata Jo­se­fina Sau­leda Paulís (Bo­a­ven­tura Sau­leda Paulís), virgem da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, foi as­sas­si­nadas por causa da sua fi­de­li­dade a Cristo Esposo. († 1936)

11♦. Também em Bar­ce­lona, o Beato Pedro Tarrés Claret, presbítero. († 1950)

12. Santo Amado (também na Folhinha do Coração de Jesus)

13. São Domingos de Val. “São Domingos de Val ou del Val (Dominguito em Inglês e Espanhol e Domenico em Italiano) é uma figura lendária medieval de SaragoçaEspanha.”. Ver:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Domingos_de_Val

14. São Vala (ou Valadão). Ver “Vala ou Valacão (em latimValacho[1]), nascido cerca de 772 e morto na abadia de Bobbio a 31 de agosto de 836, foi um clérigo, membro da família dos Carolíngios, primo de carlos magno. Era filho do conde Bernardo (filho de Carlos Martel), e de sua segunda esposa, uma Saxã, cuja história não reteve o nome (pode ser Gundelindis de Autun)[2]; é meio-irmão deAdelardo de Corbie.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Vala_(Carol%C3%ADngio)

15. São Valdevo da Nortúmbria. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Valdevo_da_Nort%C3%BAmbria

https://pt.wikipedia.org/wiki/Conde_da_Nort%C3%BAmbria

16. Outros santos do dia 30 de agosto: págs. 350-359, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 31 de agosto, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/31_de_agosto

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 685-686:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 30 de agosto

Em Belo Ho­ri­zonte, no Brasil, o Beato Eus­tá­quio van Lieshout (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Sa­grados Co­ra­ções de Jesus e Maria. († 1943). Padre Eustáquio foi um nome ligado à história de Belo Horizonte, à fé do povo mineiro e a muitas ações de solidariedade…. Após sua morte, foi atribuída a ele a cura de um câncer de um devoto, constatada clinicamente e comprovada cientificamente. Esse relato consta no processo para sua beatificação, iniciado em 1997. Outros casos de curas e milagres também são relatados por várias pessoas. A cerimônia de sua beatificação aconteceu ao dia 15 de junho de 2006, durante a 12ª Torcida de Deus, no estádio Mineirão, em Belo Horizonte, MG. A cerimônia foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo e contou com a presença do Legado Pontifício do Sumo Pontífice, Dom José Cardeal Saraiva Martins. ” Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Eustáquio_van_Lieshout

https://pt.wikipedia.org/wiki/Eust%C3%A1quio_van_Lieshout

1.   Em Roma, no ce­mi­tério de Co­mo­dila, junto à Via Os­ti­ense, os santos már­tires Félix e Adauto (também na Folhinha do Coração de Jesus), que juntos deram in­que­bran­tável tes­te­munho da sua fé em Cristo e juntos en­traram vi­to­ri­osos no Céu. († c. 304). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no início do século IV, o martírio dos Santos Félix e Adauto (M). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%A9lix_e_Adauto

2.   Co­me­mo­ração dos ses­senta santos mártires, que, em Suf­fe­tula, na África Bi­za­cena, ac­tu­al­mente na Tu­nísia, por ter sido des­truída uma es­tátua de Hermes, foram mortos pelo furor dos gentios. († 399)

3.   Em Roma, a co­me­mo­ração de São Pa­má­quio se­nador, in­signe pela sua fir­meza na fé e ge­ne­ro­si­dade para com os po­bres, a cuja di­li­gente pi­e­dade se deve a cons­trução de uma igreja ti­tular no monte Célio. († 410). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 410, São Pamáquio, senador romano que transformou seu próprio palácio em Igreja. (M). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Pamáquio_de_Roma  

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pam%C3%A1quio_de_Roma

– Ver também páginas 345-346: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf 

4*.   No mos­teiro de Re­bais, pró­ximo de Meaux, na Nêus­tria, ac­tu­al­mente na França, Santo Agilo, seu pri­meiro abade. († c. 650). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Diocese de Meaux, perto de 650, a volta para Deus de  Santo Agilo, primeiro abade do mosteiro de Rebais, que Santo Audoeno, discípulo de São Columbano, acabara de fundar (X).

5.   Em Breuil, também no ter­ri­tório de Meaux, São Fiá­crio, ere­mita, oriundo da Ir­landa, que se­guiu a vida solitária. († c. 670). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VIII, São Fiácrio. Filho de um rei da Escócia, foi atraído pela fama de São Farão, bispo de Meaux. Instalou-se em um eremitério que deu seu nome à localidade formada ao seu redor. Monge desbravador, foi venerado particularmente pelos jardineiros e horticultores da região de Ile-de-France. (M). Ver páginas 339-344: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

6*.   Em Tes­sa­ló­nica, na Ma­ce­dónia, ac­tu­al­mente na Grécia, São Fan­tino o Jovem, ere­mita, que passou toda a sua vida em je­juns, vi­gí­lias e tra­ba­lhos por Cristo. († s. X)

7.   Em Lu­cédio, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, São Bo­nónio, abade, que se­guiu a vida ere­mí­tica, pri­meiro no Egipto, de­pois no monte Sinai. († 1026). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1026, a volta para Deus de São Bonônio, abade. Originário de Bolonha, entrou muito jovem no mosteiro de Santo Estêvão. Alguns anos mais tarde partiu para o Oriente,  para lá levar vida eremítica. Nomeado abade de Lucédio, no Piemonte, voltou para a Europa, fundando em seu trajeto um mosteiro na Toscana. (M)

8.   Em Trévi, no Lácio, também re­gião da Itália, São Pedro, que, em­bora anal­fa­beto, cul­tivou na so­lidão a sa­be­doria do Evangelho. († 1050)

9.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, Santa Mar­ga­rida Ward, mártir, que, no rei­nado de Isabel I, por ter aju­dado um sa­cer­dote, foi con­de­nada à morte e de bom grado re­cebeu o mar­tírio no pa­tí­bulo de Ty­burn. Com ela, no mesmo lugar, so­freram também o mar­tírio os be­atos Ri­cardo Leight, pres­bí­tero, e os leigos Edu­ardo Shelley e Ri­cardo Martin, in­gleses, João Roche, ir­landês, e Ri­cardo Lloyd, galês: o pri­meiro, porque era sa­cer­dote; os ou­tros, porque aco­lheram sacerdotes. († 1588)

10*.   Em Sa­luzzo, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato João Ju­venal An­cina, bispo, que, an­te­ri­or­mente mé­dico, foi dos pri­meiros a en­trar no Ora­tório de São Fi­lipe Néri. († 1604)

11*.   Em Sa­ra­goça, na Es­panha, a Beata Maria Rá­fols, virgem, que, su­pe­rando pa­ci­en­te­mente muitas ad­ver­si­dades, fundou no hos­pital desta ci­dade a Con­gre­gação das Irmãs da Ca­ri­dade de Santa Ana e a di­rigiu com suma diligência. († 1853)

12*.   Em Al­meria, também na Es­panha, os be­atos már­tires Diogo Ven­taja Milán, bispo de Al­meria, e Ma­nuel Me­dina Olmos, bispo de Guádix, que, en­car­ce­rados em ódio à fé cristã, su­por­taram pa­ci­en­te­mente os maus tratos e in­sultos, até que, du­rante a noite, foram fuzilados. († 1936)

13*.   Na es­trada de Pu­ebla Tor­nesa para Vil­la­famés, pró­ximo de Cas­tellón, também na Es­panha, o Beato Jo­a­quim de Al­bo­cácer (José Ferrer Adell), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que pelo mar­tírio al­cançou a re­com­pensa pro­me­tida aos que per­se­veram na fé. († 1936)

14*.   Em Bilbau, também na Es­panha, o Beato Vi­cente Ca­banes Badenas, pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Ter­ciá­rios Ca­pu­chi­nhos de Nossa Se­nhora das Dores e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição contra a fé, me­receu en­trar no ban­quete celeste. († 1936)

15♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos már­tires An­tónio Maria Ar­riaga Anduíza, re­li­gioso da Ordem de Santo Agos­tinho, e Ni­cásio Romo Rúbio, re­li­gioso da Ordem dos Pre­ga­dores, que na mesma per­se­guição foram as­sas­si­nados em ódio à fé cristã. († 1936)

16♦.   Em Ata­vaca, perto de Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos Ger­mano Martin Martin, pres­bí­tero, Di­o­nísio Ul­lí­varri Barajuán, re­li­gioso, ambos da So­ci­e­dade Sa­le­siana e már­tires, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, der­ra­moram o seu sangue por Cristo e al­can­çaram a palma da glória. († 1936)

17♦.   Em Kfiffan, no Lí­bano, o Beato Es­têvão Nehmé (José Nehmé), re­li­gioso da Ordem Ma­ro­nita Libanesa. († 1938)

18♦. Santa Joana Jugan. “Joana Jugan lembra a misericórdia de Deus para com os pobres. Fundadora das Irmãzinhas dos Pobres, em 1830, foi beatificada por João Paulo II, no dia 3 de outubro de 1982.”: https://evangelhoquotidiano.org/PT/display-saint/beaa4540-eec7-4c9c-ac57-55fce317b77e

– ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Joana_Jugan

19*.   Em Ve­né­gono, pró­ximo de Va­rese, na Itália, o pas­sa­mento do Beato Al­fredo Il­de­fonso Schuster, bispo, que era abade de São Paulo em Roma quando foi no­meado para a sede epis­copal de Milão, mi­nis­tério pas­toral que exerceu in­can­sa­vel­mente com ad­mi­rável sa­be­doria em favor do seu povo. († 1954). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Alfredo_Ildefonso_Schuster

 20. Santa Rosa de Santa Maria (também na Folhinha do Coração de Jesus)

21. São Gaudêncio (também na Folhinha do Coração de Jesus)

22. Santa Narcisa de Jesus. “Santa Narcisa de Jesus nos mostra um caminho de perfeição cristã. Oferece-nos um testemunho atraente e um exemplo acabado de uma vida totalmente dedicada a Deus e aos irmãos.” (Papa Bento XVI). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Narcisa_de_Jes%C3%BAs

23. Outros santos do dia 30 de agosto: págs. 339-349, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 30 de agosto, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/30_de_agosto

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 682-684:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/