Santas e Santos de 24 de agosto

Festa de São Bar­to­lomeu (também na Folhinha do Coração de Jesus), Após­tolo, ge­ral­mente iden­ti­fi­cado com Na­ta­nael, que, nas­cido em Caná da Ga­li­leia, foi con­du­zido por Fi­lipe a Jesus Cristo junto ao rio Jordão, onde o Se­nhor o chamou para que O se­guisse e o agregou aos Doze. Se­gundo a tra­dição, de­pois da As­censão do Se­nhor pregou o Evan­gelho na Índia e aí foi co­roado pelo martírio. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa de São Bartolomeu, Apóstolo. Originário de Caná, Bartolomeu ou Natanael, foi apresentado por Filipe, seu íntimo amigo, a Jesus que o saudou como “um israelita sem artifícios”. Imediatamente proclamou sua fé em Cristo “Filho de Deus e Rei de Israel”, e foi contado entre os Doze. Depois da Ressurreição, participou da pesca milagrosa. Segundo a tradição, evangelizou a Armênia, que o tem como seu apóstolo. (R). Ver páginas 192-196 e página 200: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Ver: mhttps://pt.wikipedia.org/wiki/Bartolomeu,_o_Ap%C3%B3stolo

2.   Em Clau­dió­polis, ci­dade da Ho­no­ríade, hoje Bolu, na Tur­quia, São Ta­cião, mártir. († data inc.)

3.   Em Clichy, no ter­ri­tório de Paris, na ac­tual França, o pas­sa­mento de Santo Au­deno, bispo de Rouen, que, dei­xando o cargo de con­se­lheiro do rei Da­go­berto, foi ele­vado ao epis­co­pado e go­vernou com su­cesso a sua Igreja du­rante qua­renta e três anos, du­rante os uais fundou muitas igrejas e pro­moveu a cons­trução de vá­rios mosteiros. († 684). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 685, Santo Audoeno, bispo de Ruão. Dedicou-se à causa monástica ajudando São Vandrilo a fundar a Abadia de Fontenelle, e São Filiberto a de Jumièges. (M). no VIDAS DOS SANTOS, Santo Audoeno, Bispo de Ruão. Ver páginas 188-191: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

4.   No monte Olimpo, na Bi­tínia, hoje na Tur­quia, São Jorge Limniota, monge, que cen­surou a im­pi­e­dade do im­pe­rador Leão III por ter des­truído as sa­gradas ima­gens e lan­çado ao fogo as re­lí­quias dos Santos; por isso foi-lhe cor­tado o nariz e quei­mada a ca­beça por ordem im­pe­rial, e assim com a glória do mar­tírio foi ao en­contro do Senhor. († c. 730). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Oriente, perto de 770, São Jorge Liminiota, monge que sofreu torturas por defendido o culto das santas imagens. (M)

5.   Em Lima, no Peru, o dia natal de Santa Rosa, cuja me­mória se ce­lebra no dia anterior. († 1617)

6*.   Em An­gers, na França, o Beato André Far­deau, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, em ódio ao sa­cer­dócio foi degolado. († 1794)

7.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, re­gião da Itália, Santa Joana An­tida Thouret, virgem, que pros­se­guiu a vida re­li­giosa, in­ter­rom­pida du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, jun­ta­mente com al­gumas com­pa­nheiras, que em Be­sançon agregou a si na nova So­ci­e­dade das Irmãs da Ca­ri­dade, des­ti­nada à for­mação cristã e civil da ju­ven­tude, à as­sis­tência de ca­ri­dade para as cri­anças de­sam­pa­radas e ao cui­dado dos po­bres e dos en­fermos; ex­pirou afec­tada por grandes tribulações. († 1826). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Joana_Antida_Thouret

8.   Em Mar­selha, na França, Santa Emília de Vialar (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, na in­tenção de for­ta­lecer a di­fusão do Evan­gelho em re­giões lon­gín­quas, fundou e pro­pagou a Con­gre­gação das Irmãs de São José da Aparição. († 1856). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Marselha, em 1856, Santa Emília de Vialar, virgem, fundadora da Congregação das Irmãs de São José da Aparição, que se dedicam ao serviço dos doentes e dos pobres. Por ocasião da fundação de um hospital na Argélia, os próprio árabes reconheceram o sinal da caridade de Cristo naquela obra. (M). Ver páginas 197-199: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf  

9.   Em Va­lência, na Es­panha, Santa Maria Mi­caela (também na Folhinha do Coração de Jesus) do San­tís­simo Sa­cra­mento (Mi­caela Des­maisières), virgem, fun­da­dora da Con­gre­gação das Es­cravas do San­tís­simo Sa­cra­mento e da Ca­ri­dade, que, mo­vida pela sua in­can­sável te­na­ci­dade e de­sejo ar­dente de salvar almas para Deus, de­dicou a sua vida à re­cu­pe­ração das jo­vens mo­ral­mente ex­tra­vi­adas e das meretrizes. († 1865). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Valência, na Espanha, no ano de 1856, Santa Maria Micaela, que se dedicou às mulheres arrependidas de Madri e fundou para elas a Congregação das Servas do Santíssimo Sacramento da Caridade. (M)

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Micaela_do_Sant%C3%ADssimo_Sacramento

10*.   Em Tulcan, no Equador, a Beata Maria da Encarnação (Maria Vi­centa Rosal), que fundou a Ordem Beth­le­mita, des­ti­nada es­pe­ci­al­mente a pro­mover a dig­ni­dade da mu­lher e formar cris­tã­mente as jovens. († 1886)

11♦.   Em To­ledo, na Es­panha, o Beato José Polo Benito, pres­bí­tero da di­o­cese de Sa­la­manca e mártir, que foi as­sas­si­nado em ódio à Igreja. († 1936)

12♦.   Em Peñas de San Pedro, perto de Al­ba­cete, também na Es­panha, o Beato Ri­go­berto Aqui­lino de Anta y de Bárrio, pres­bí­tero da di­o­cese de Múrcia e mártir, que deu a vida por Cristo na mesma perseguição. († 1936)

13♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, o Beato Félix Gon­zález Tejedor, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição, morreu por causa do seu co­ra­joso tes­te­munho da fé. († 1936)

14♦.   Em Má­laga, também na Es­panha, o Beato Ma­nuel Fer­nández Ferro, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que na mesma per­se­guição der­ramou o seu sangue por Cristo. († 1936)

15♦.   Em Gijón, também na Es­panha, o Beato João Pérez Rodríguez, pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho e mártir, que na mesma per­se­guição morreu pro­fes­sando a sua fé em Cristo. († 1936)

16*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, pró­ximo de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Ma­xi­miano Bin­ki­ewicz, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a guerra, de­por­tado pelos sol­dados in­va­sores da Po­lónia, sua pá­tria, por causa da sua fé em Cristo, fa­leceu ví­tima dos tor­mentos e su­plí­cios su­por­tados no de­su­mano cativeiro.

(† 1942)

17*.   Em Dresda, na Ale­manha, os be­atos Ceslau Jozwiak, Edu­ardo Kaz­mi­erski, Fran­cisco Kesy, Edu­ardo Klinik e Ia­rog­nievo Woj­ci­e­chowski, már­tires, na­tu­rais da Po­lónia, que, na mesma per­se­guição, foram en­car­ce­rados e, tres­pas­sados por golpes de bai­o­netas, con­su­maram o martírio. († 1942)

18. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Cartago, no século III, o martírio de Trezentos Cristãos, que preferiram morrer queimados na cal viva em nome de Cristo a queimar incenso aos ídolos vãos. (M). Ver também página 200: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

19. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Patrício, que viveu na solidão e oração na Diocese de Nevers. Diversas localidades, ainda hoje, têm o seu nome. (M)

20. Outros santos do dia 23 de agosto: págs. 188-201, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 24 de agosto, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/24_de_agosto

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 664-666:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 23 de agosto

Santa Rosa (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, in­signe desde tenra idade pela sua aus­tera so­bri­e­dade de vida, tomou em Lima, ci­dade do Peru, o há­bito das Irmãs da Ordem Ter­ceira de São Do­mingos; de­di­cada à pe­ni­tência e à oração, e ar­dente de zelo pela sal­vação dos pe­ca­dores e das po­pu­la­ções in­dí­genas, as­pi­rava a dar a vida por eles, sub­me­tendo-se es­pon­ta­ne­a­mente a todo o gé­nero de sa­cri­fí­cios, a fim de con­quistar a todos para Cristo. A sua morte ocorreu no dia 24 de agosto. († 1617). Conforme o Martírio Romano-Monástico, em 1617, o nascimento no céu de Santa Rosa de Lima, a “Primeira Flor de Santidade do Peru”. Desejando consagrar a Deus sua grande beleza física, tomou o hábito da Ordem Terceira Dominicana para testemunhar contra a sociedade próspera e materialista em que vivia. Morreu aos trinta e um anos na cidade de Lima. (R). Ver páginas 222-224: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também “Santa Rosa de Lima”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Rosa_de_Lima

2.   Co­me­mo­ração de São Za­queu (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, se­gundo a tra­dição, foi o quarto bispo, de­pois do após­tolo São Tiago, irmão do Se­nhor, a di­rigir a Igreja de Jerusalém. († s. II). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Zaqueu_de_Jerusal%C3%A9m

3.   Em Roma, no ce­mi­tério de São Lou­renço, junto à Via Ti­bur­tina, os santos Abúndio e Ireneu, mártires. († data inc.)

4.   Em Óstia, no Lácio, re­gião da Itália, os santos Ci­ríaco e Ar­quelau, mártires. († data inc.)

5.   Em Sistov, na Mésia In­fe­rior, hoje na Ro­ménia, São Lopo, mártir, que, se­gundo a tra­dição, al­cançou a li­ber­dade de Cristo, so­frendo o mar­tírio ao fio da espada. († data inc.). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lupo_(m%C3%A1rtir)

6.   Em Egeia, na Ci­lícia, hoje na Tur­quia, os santos már­tires Cláudio, As­tério e Neon, ir­mãos, que, acu­sados pela sua ma­drasta de serem cris­tãos, foram de­go­lados, se­gundo a tra­dição, no tempo do im­pe­rador Di­o­cle­ciano e do go­ver­nador Lísias. († 303). Conforme o Martírio Romano-Monástico, na mesma época, na Ásia Menor, o martírio dos Santos Cláudio, Astério e Neônio. Ao governador que os convocara a sacrificar aos ídolos, Cláudio respondeu: “Ao meu Deus não agradam sacrifícios como estes. Ele se alegra com as obras de misericórdia e com a vida irrepreensível. Sofrer é um grande ganho, e morrer por Cristo é para mim a maior fortuna (M).

7.   Em Autun, na Gália Li­o­nense, na ac­tual França, São Fla­viano, bispo, que res­plan­deceu no tempo do rei Clodoveu. († s. V-VI). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Flaviano_de_Autun

8*.   Em Lon­don­derry, na Ir­landa, Santo Eu­génio, pri­meiro bispo de Ardstraw. († s. VI)

9*.   No mos­teiro de São Fi­lipe, pró­ximo de Lo­cros, na Ca­lá­bria In­fe­rior, re­gião da Itália, Santo An­tónio de Gerace, eremita. († s. X)

10*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato João Bourdon (Pro­tásio de Séez), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, preso com muitos ou­tros sa­cer­dotes, as­sistiu e con­fortou os com­pa­nheiros de ca­ti­veiro, até que, fi­nal­mente, morreu con­ta­giado pela enfermidade. († 1794)

11*.   Em Ta­bernes de Vall­digna, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Va­lência, na Es­panha, os be­atos már­tires Cons­tan­tino Car­bo­nell Sempere, pres­bí­tero, Pedro Ge­la­bert Amer e Rai­mundo Gri­maltós Monllor, re­li­gi­osos da Com­pa­nhia de Jesus, que so­freram o mar­tírio du­rante a per­se­guição contra a fé. († 1936)

12*.   Em Vall­bona, também na pro­víncia de Va­lência, os be­atos már­tires Flo­ren­tino Pérez Romero, pres­bí­tero, e Ur­bano Gil Sáez, re­li­gioso, da Con­gre­gação dos Ter­ciá­rios Ca­pu­chi­nhos de Nossa Se­nhora das Dores, que, du­rante a mesma per­se­guição, con­su­maram glo­ri­o­sa­mente o seu com­bate pela fé. († 1936)

13*.   Em Silla, po­vo­ação da mesma pro­víncia de Va­lência, o Beato João Maria da Cruz (Ma­riano Garcia Méndez), pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Sa­cer­dotes do Sa­grado Co­ração de Jesus e mártir, que, na mesma per­se­guição re­li­giosa, per­se­verou na fé em Cristo até à morte. († 1936)

14*.   Em Puzol, lo­ca­li­dade da mesma pro­víncia de Va­lência, as be­atas Ro­sária de Soano (Petra Maria Vi­tória Quin­tana Argos) e Se­ra­fina de Ochovi (Ma­nuela Justa Fer­nández Ibero), vir­gens da Con­gre­gação das Ter­ciá­rias Ca­pu­chi­nhas da Sa­grada Fa­mília e már­tires, que, du­rante a mesma per­se­guição, al­can­çaram a graça do martírio. († 1936)

15♦.   Em Val­der­ro­bles, perto de Te­ruel, também na Es­panha, os be­atos Eliseu Vicente (Vi­cente Al­be­rich Lluch) e Va­le­riano Luís (Ni­colau Al­be­rich Lluch), re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e már­tires, que foram as­sas­si­nados na mesma per­se­guição contra a Igreja. († 1936)

16*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, pró­ximo de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Fran­cisco Da­ch­tera, pres­bí­tero e mártir, na­tural da Po­lónia, que, em tempo de guerra, es­vaído pelas atro­ci­dades nele ope­radas por mé­dicos sem res­peito algum pela dig­ni­dade hu­mana, morreu por Cristo. († 1944)

17. São Tiago de Bevagna, (também na Folhinha do Coração de Jesus)

18. Conforme o Martírio Romano-Monástico, perto do ano 300, São Teonas, bispo de Alexandria. Segundo o sinaxário árabe jacobita, “este santo era instruído, religioso e cheio de consideração para com o próximo. Em sua bondade, construiu a primeira Igreja de Alexandria sob a invocação de Nossa Senhora, pois até aquela época, os fiéis celebravam os santos mistérios escondidos dos pagãos. Excomungou o herege Sabélio e o confundiu em sua doutrina, e depois morreu em paz”. (M)

19. São Calínico I, patriarca de Constantinopla. Ver página 181: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

20. Santa Ascelina, virgem. Ver página 182: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

21. Bem-Aventurado Anjo del Pas. Ver páginas 183-184: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf  

22. Santa Tydfil. Ver “Tydfil (Tudful), filha do Rei Brychan, foi morta pelos pagãos em Merthyr Tydfil, no Glamorganshire, cerca do ano 480. ”: http://heroinasdacristandade.blogspot.com/2012/08/santa-tydfil-martir-festejada-23-de.html

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Santa_Tydfil

23. Outros santos do dia 23 de agosto: págs. 159-187, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 23 de agosto, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/23_de_agosto

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 661-664:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 22 de agosto

22 DE AGOSTO (também 31 de maio): NOSSA SENHORA RAINHA: A encíclica Ad Caeli Reginam (Rainha do Céu), do Papa Pio XII, de 11 de outubro de 1954 trata sobre a Realeza de Maria e a instituição Festa de Nossa Senhora Rainha, celebrada a cada dia 31 de maio com o costume de coroar-se a imagem da Virgem e da recitação pública da Consagração do Gênero Humano ao Imaculado Coração de Maria….. NOSSA SENHORA RAINHA, 22 DE AGOSTO: … O dia 22 de agosto era reservado à homenagem ao Coração Imaculado de Maria. Mas a Igreja, desejando aproximar a festa da realeza de Maria à da sua gloriosa assunção ao céu, inverteu estas datas a partir da última reforma do seu calendário litúrgico, em 1969.”. “…Na Encíclica, a data da festa foi estabelecida para o dia 31 de maio, mês de Maria. Atualmente, porém, a celebração acontece oito dias após a festa da Assunção de Nossa Senhora: assim, fica manifesta a íntima ligação entre a Assunção de Maria e sua coroação no céu.”: https://pt.aleteia.org/daily-prayer/terca-feira-22-de-agosto/

– Ver: http://www.vatican.va/content/pius-xii/pt/encyclicals/documents/hf_p-xii_enc_11101954_ad-caeli-reginam.html

– Ver ainda “…Após a revisão do Calendário Geral, o Papa Paulo VI decidiu mudar as festas do Imaculado Coração e a Rainha de Maria. A festa do Imaculado Coração de Maria uniu-se à festa do Sagrado Coração de Jesus (celebrada no sábado seguinte à festa do Sagrado Coração, tipicamente em junho) e a Rainha de Maria foi transferida para o dia 22 de agosto…”: https://pt.aleteia.org/2019/08/01/por-que-agosto-e-dedicado-ao-imaculado-coracao-de-maria/

– Ver também:  https://www.a12.com/academia/titulos-de-nossa-senhora?s=nossa-senhora-rainha-22-de-agosto

Ver páginas 341-365: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– No VIDAS DOS SANTOS, Festa do Coração Imaculado da Bem-aventurada Virgem Maria, o qual Coração é símbolo de santidade, de amor de Deus e Jesus Cristo, de bondade para com os homens salvos pelo divino Sacrifício. Pio VII, em 1805 instituiu uma festa do Coração puríssimo de Maria, para as dioceses e os institutos religiosos que a desejavam celebrar, no domingo depois da oitava da Assunção. Pio IX conferiu-lhe ofício e missa próprios. Pio, XII, em plena II Guerra Mundial, a 31 de outubro de 1942, consagrou o mundo inteiro ao Coração Imaculado de Maria. O mesmo grande papa, a 4 de maio de 1944, estendeu à Igreja universal a festa do Coração Imaculado de Maria com ofício e missa próprios, a 22 de agosto dia da oitava Assunção sob rito duplo de segunda classe. Ver páginas 157-158: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf   

– Ver também: https://www.acidigital.com/noticias/hoje-a-igreja-celebra-o-imaculado-coracao-de-maria-55109

– Ver: https://formacao.cancaonova.com/nossa-senhora/devocao-nossa-senhora/conheca-origem-da-devocao-ao-imaculado-coracao-de-maria/

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Imaculado_Coração_de_Maria   

– Ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_Rainha

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, comemoração da Bem-Aventurada Virgem Maria Rainha, em quem a Igreja celebra a mulher que apareceu no céu vestida de sol, com a lua sob os pés, e trazendo na cabeça uma coroa de doze estrelas, Mãe d’Aquele que deve reinar sobre todas as nações (cf. Ap. 12). (R).

2.   Em Autun, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, São Sin­fo­riano, mártir, a quem sua mãe, quando ele era con­du­zido ao su­plício, exor­tava dos muros da ci­dade, di­zendo: «Filho, filho, pensa bem no Deus vivo. Hoje não perdes a vida, mas al­canças uma vida melhor». († s. III-IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. III, São Sinforiano, jovem mártir de Autun, que segundo sua paixão testemunhou diante do juiz: “Eu sou cristão, adoro o verdadeiro Deus que reina nos céus”. Uma abadia renomada foi construída sob seu patrocínio. (M). Ver páginas 154-156: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sinforiano_e_Tim%C3%B3teo

3.   Em Roma, junto à Via Os­ti­ense, São Ti­móteo, mártir. († 303). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia o martírio de Santo Agatônico e Zótico, cujo culto teve grande fama no Oriente; e o de São Timóteo, honrado na Via Óstia, em Roma (M)

4.   Em Tódi, na Úm­bria, re­gião da Itália, São Fi­lipe Benício (São Felipe Benício, também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero de Flo­rença, homem de exímia hu­mil­dade e grande im­pul­si­o­nador da Ordem dos Servos de Maria, que con­si­de­rava Cristo cru­ci­fi­cado como seu único livro. († 1285). Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 23 de agosto, em Todi, no ano do Senhor de 1285, São Felipe Benizi. Trinta anos depois da fundação da Ordem dos Servos de Maria, este jovem e brilhante médico italiano resolveu viver na humildade entre os irmãos daquela nova congregação. Nomeado mais tarde mestre dos noviços, e depois eleito seu quinto Geral, dedicou-se até à morte aos interesses da Mãe do Redentor, organizando a Ordem e se esforçando para resolver os conflitos entre guelfos e guibelinos. (M) Ver páginas 159-164: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Filipe_Ben%C3%ADcio

5*.   Em Be­vagna, também na Úm­bria, o Beato Tiago Biancóni, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, que fundou neste lugar um con­vento e re­futou os erros dos Nicolaítas. († 1301)

6*.   Em Ocre, junto de Fossa, nos Abruzos, também re­gião da Itália, o Beato Ti­móteo de Montícchio, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, ad­mi­rável pela sua aus­te­ri­dade de vida e fervor de oração. († 1504)

7*.   Em York, na In­gla­terra, o Beato Tomás Percy, mártir, conde de No­túm­bria, que, no rei­nado de Isabel I, por causa da sua fi­de­li­dade à Igreja Ro­mana, foi de­ca­pi­tado e assim al­cançou a palma do martírio. († 1572)

8*.   Na mesma ci­dade e no mesmo rei­nado de Isabel I, os be­atos Gui­lherme Lacey e Ri­cardo Kirkman, pres­bí­teros e már­tires, que, por terem en­trado na In­gla­terra na con­dição de sa­cer­dotes, foram con­du­zidos ao su­plício do patíbulo. († 1582)

9.   Em Wor­cester, também na In­gla­terra, São João Wall, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que, de­pois de ter exer­cido clan­des­ti­na­mente o mi­nis­tério pas­toral du­rante mais de vinte anos, no rei­nado de Carlos II foi sus­penso da forca e de­pois es­quar­te­jado, por causa do seu sacerdócio. († 1679). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Jo%C3%A3o_Wall

10.   Em He­re­ford, também na In­gla­terra, no mesmo dia e ano, São João Kemble, pres­bí­tero e mártir, que, no tempo da per­se­guição, exerceu o mi­nis­tério pas­toral du­rante mais de cin­quenta anos, até que, já oc­to­ge­nário, por causa do seu sa­cer­dócio con­sumou o seu mar­tírio na forca. († 1679)

11*.   Em Óf­fida, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, o Beato Ber­nardo (Do­mingos Pe­róni), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, in­signe pela sua sim­pli­ci­dade de co­ração, ino­cência de vida e ad­mi­rável ca­ri­dade para com os pobres. († 1694)

12*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Elias Ley­marie de Laroche, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, in­tro­du­zido na sór­dida ga­lera e fe­roz­mente fla­ge­lado, ex­pirou con­su­mido pelas enfermidades. († 1794)

13♦.   Em Pe­ral­villo Bajo, perto de Ciudad Real, na Es­panha, o be­atos már­tires Nar­ciso de Es­te­naga y Echeverria, bispo, e Júlio Melgar Salgado, pres­bí­tero, ambos da di­o­cese de Ciudad Real, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, con­su­maram o seu mar­tírio fu­zi­lados junto ao muro do ce­mi­tério em ódio ao sacerdócio. († 1936)

14*.   Em Sta­runya, lo­ca­li­dade do ter­ri­tório de Sta­nis­laviv, na Ucrânia, o Beato Si­meão Lukac, bispo e mártir, que, du­rante um re­gime ini­migo da fé, por ter exer­cido clan­des­ti­na­mente o mi­nis­tério pas­toral dos gregos ca­tó­licos do Rito Bi­zan­tino, pro­clamou pela sua morte fiel a glória e a honra de Cristo Se­nhor e Deus. († 1964)

15. São Fabriciano (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver São Fabrício: https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Fabr%C3%ADcio

16. Santo André de Fiésole (também na Folhinha do Coração de Jesus)

17. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Inglaterra, no ano da graça de 690, São Sigefredo. Entrou no mosteiro de Wearmouth, recém-fundado por São Bento Biscop, onde chegou a ser eleito abade. Segundo São Beda, era muito versado nas Escrituras. (X)

18. Santo Hipólito, bispo de Porto e seus Companheiros Mártires. Ver páginas 144-153: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

19. Outros santos do dia 22 de agosto: págs. 144-158, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 22 de agosto, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/22_de_agosto

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 659-661:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/