Santas e Santos de 03 de setembro

1. Em anotações de 12 de março, em Roma, junto de São Pedro, o se­pul­ta­mento de São Gre­gório Magno, papa, cuja me­mória se ce­lebra a três de Se­tembro, dia da sua ordenação. († 604).

– Me­mória de São Gre­gório Magno (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa e doutor da Igreja. De­pois de ter en­trado na vida mo­nás­tica, exerceu a missão de le­gado pon­ti­fício a Cons­tan­ti­nopla e foi eleito neste dia para a Sede Ro­mana; exerceu a missão de con­ci­li­ador em as­suntos tem­po­rais e atendeu como servo dos servos às suas fun­ções sa­gradas. Pro­cedeu como bom pastor no go­verno da Igreja, no cui­dado dos po­bres, na pro­moção da vida mo­nás­tica e es­pe­ci­al­mente na con­so­li­dação e pro­pa­gação da fé em toda a parte; es­creveu muitas obras ex­ce­lentes sobre te­o­logia moral e te­o­logia pas­toral. Morreu no dia doze de Março. († 604).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano da graça de 590, a ordenação episcopal de São Gregório Magno, papa e doutor da Igreja. Após ter exercido a função de prefeito de Roma, levou vida monástica em sua casa no Monte Célio. Chamado pelo povo Romano para assumir a direção da Igreja, dedicou-se a ela com zelo, codificando textos e cantos litúrgicos e exortando tanto por sua palavra como por seus escritos. Por seus “Diálogos”, particularmente, favoreceu o monaquismo ao popularizar a vida de São Bento e mereceu ser cognominado “Dialogós” pelos gregos. (R)

Ver mais da história de São Gregório Magno nas págs. 368-374: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver também “Papa Gregório I (em latimGregorius I; originalmente Gregório Anício, em latim: Gregorius Anicius), conhecido como São GregórioGregório Magno ou Gregório, o Grande[2] foi papa entre 3 de setembro de 590 e sua morte, em 12 de março de 604. É conhecido principalmente por suas obras, mais numerosas que as de seus predecessores.[3] Gregório é também conhecido como Gregório, o Dialogador na Ortodoxia por causa de seus “Diálogos” e é por isso que seu nome aparece em algumas obras listado como “Gregório Dialogus”. Foi o primeiro papa a ter sido monge antes do pontificado.

Gregório é reconhecido como um Doutor da Igreja e um dos Padres latinos. É também venerado como santo por católicosortodoxosanglicanos e alguns luteranos. Foi canonizado assim que morreu, por aclamação popular, como era o costume.[4] O reformador protestante João Calvino admirava Gregório e declarou em seus “Institutos” que ele teria sido o “último bom papa”.[5]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Greg%C3%B3rio_I

2.   Co­me­mo­ração de Santa Febe, serva do Se­nhor entre os fiéis de Cên­creas, na ac­tual Grécia, que au­xi­liou muito São Paulo, como ele con­firma na Epís­tola aos Romanos.

– Ver “… No último capítulo de sua carta aos cristãos de Roma, São Paulo envia suas saudações a muitos de seus amigos ali, mas antes de tudo se refere a uma Febe, da qual ele escreve: “E eu te recomendo Phoebe, nossa irmã, que é no ministério da igreja que está em Cenchrae, que você a receba no Senhor como se tornasse santo e que você a ajudasse em todos os negócios que ela precisar de você. Pois ela também ajudou muitos, e eu também.” Cenchrae era o porto de Corinto de onde a Epístola aos Romanos foi escrita por volta do ano 57, e parece que St Phoebe era a portadora da carta. Além do que São Paulo nos diz em seu depoimento, nada se sabe dela; ela foi nomeada neste dia no Martirológio Romano, e São João Crisóstomo elogiou seus méritos.
  Os Bollandistas dedicam algumas páginas a Santa Febe, refutando em particular a alegação de que ela tinha sido a esposa de São Paulo, mas depois passou a tratá-lo como uma irmã querida. A noção de que São Paulo tinha sido casado parece ter sido sugerida por uma frase na carta interpolada de Santo Inácio aos Filadélfia e por uma observação de Clemente de Alexandria. A inserção do nome de Febe (assim como de outros personagens do Novo Testamento) no martirológio se deve a Ado no século IX. Ver Dora H. Quentin, Les martyrologes historiques , p. 665.”:  https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember03.html

3.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, Santa Ba­si­lissa (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem e mártir. († s. IV).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, o martírio de Santa Basilissa, jovem cristã de nove anos, que confessou com sua própria voz a fé que trazia em seu coração. (M)

4.   Em Cór­dova, na His­pânia Bé­tica, São San­dálio, mártir. († s. IV)

5.   Em Toul, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, São Man­sueto, pri­meiro bispo desta cidade. († s. IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, igualmente no séc. IV, São Mansueto, primeiro bispo de Toul, que plantou a semente da Boa Nova naquela região. (M)

6.   No monte Ti­tano, pró­ximo de Rí­mini, no ter­ri­tório que hoje na pe­nín­sula itá­lica tem o seu nome, São Ma­rino, diá­cono e ana­co­reta, que, se­gundo consta, con­duziu o povo ainda pagão à luz do Evan­gelho e à li­ber­dade de Cristo. († s. IV/V).

– Conforme o Martirológio Romano-monástico do dia 04 de setembro, no séc. IV, São Marino. Cortador de pedras originário da Dalmácia, trabalhou na construção da Igreja e das muralhas de Rímini. Ordenado Diácono, levou vida eremítica sobre o rochedo onde foi construída a cidade de San Marino, que tomou o seu nome. (M)

7*.   Na Ir­landa, São Ma­ca­nísio, bispo. († 514)

– Ver “… Os registros de São Macanísio (Aengus MacNisse) consistem principalmente de milagres, muitos deles fantásticos e referências conflitantes.Ele teria sido batizado por São Patrício, que no devido tempo o consagrou bispo. Conta-se que fez uma peregrinação à Terra Santa e na volta fez uma estada em Roma. Ele retornou à Irlanda, onde estabeleceu uma igreja e um mosteiro que se desenvolveram na diocese de Connor, da qual ele é venerado como o primeiro bispo…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember03.html

8.   Em Milão, na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Au­xano, bispo. († c. 589)

– Ver “… Também chamado de Sant ‘Ansano em Milão, Itália. Ele era um bispo reverenciado daquela cidade…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember03.html

9*.   Em Mon­te­sár­quio, na Cam­pânia, também na Itália, São Vi­ta­liano, bispo. († s. VII/VIII)

10*.   No mos­teiro de Sta­velot, no Bra­bante, ac­tu­al­mente na Bél­gica, São Ri­má­gilo, bispo e abade, que, de­pois de ter vi­vido no mos­teiro de So­lignac, fundou os mos­teiros de Sta­velot e de Mal­medy, no ermo da flo­resta das Ardenas. († c. 671-679).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 675, São Remaclo. Nascido na Aquitânia, entrou para o mosteiro de Luxeuil, e depois a pedido de Santo Elói, foi colocado na direção da abadia de Solignac, na diocese de Limoges, da qual foi abade durante dez anos. Perto de 650, fundou nas Ardenas os mosteiros de Stavelot e o de Malmédy. (X)

11.   Na ilha de Lé­rins, na Pro­vença, ac­tu­al­mente na França, Santo Ai­gulfo, abade, e com­pa­nheiros monges, que, se­gundo a tra­dição, so­freram o mar­tírio numa in­cursão dos Sarracenos. († c. 675).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na mesma época a paixão de Santo Aigulfo, abade de Lérins, que morreu vítima de sua dedicação ao serviço do mosteiro. (M).

– Ver Santo Agilulfo, mártir, páginas 17-18: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

12*.   Em Séez, na Nêus­tria, também na ac­tual França, São Cro­do­gango ou Cro­de­gango, bispo e mártir. († s. VIII)

13*.   No ter­ri­tório de As­tino, na Lom­bardia, re­gião da Itália, o Beato Guala, bispo de Bréscia, da Ordem dos Pre­ga­dores, que, no tempo do im­pe­rador Fre­de­rico II, tra­ba­lhou com muito em­penho e pru­dência pela paz da Igreja e da so­ci­e­dade civil e fi­nal­mente foi con­de­nado ao exílio. († 1244)

14*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os be­atos Bar­to­lomeu Gutiérrez, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, e cinco com­pa­nheiros, már­tires, que, em ódio à fé cristã, foram imersos em águas sul­fú­rias a ferver e de­pois lan­çados ao fogo. São estes os seus nomes: pres­bí­teros Vi­cente Car­valho e Fran­cisco Torres, da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho; An­tónio Ishida, da Com­pa­nhia de Jesus; Je­ró­nimo Jo; Ga­briel da Ma­da­lena, re­li­gioso da Ordem dos Frades Menores. († 1632)

15*.   Em Pi­a­cenza, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, a Beata Brí­gida de Jesus Morello, que, fi­cando viúva, se con­sa­grou ao Se­nhor, de­di­cando-se à pe­ni­tência e a muitas obras de ca­ri­dade e, para a for­mação cristã da ju­ven­tude fe­mi­nina, fundou a Con­gre­gação das Irmãs Ur­su­linas de Maria Imaculada. († 1679)

16*.   Em Paris, na França, a paixão dos be­atos André Abel Al­ricy, pres­bí­tero, e se­tenta e um companheiros, már­tires, entre os quais muitos pres­bí­teros, que, de­pois da cha­cina do dia an­te­rior, foram re­cluídos no Se­mi­nário de São Fir­mino e por fim as­sas­si­nados em ódio à Igreja. São estes os seus nomes: Re­nato Maria An­drieu, Pedro Paulo Balzac, João Fran­cisco Maria Be­noit ou Vourlat, Mi­guel André Sil­vestre Bi­nard, Ni­colau Bize, Pedro Bonzé, Pedro Bri­quet, Pedro Brisse, Carlos Carnus, Bel­trão An­tónio de Cau­penne, Tiago Du­four, Dinis Cláudio Duval, José Falcoz, Gil­berto João Fau­trel, Fi­li­berto Fougère, Pedro João Gar­ri­gues, Ni­colau Gau­dreau, Es­têvão Mi­guel Gillet, Jorge Je­ró­nimo Gi­roust, José Maria Gros, Pedro Guérin du Ro­cher, Ro­berto Fran­cisco Guérin du Ro­cher, Ivo André Guillon de Ke­ranrun, Ju­lião Fran­cisco Hé­douin, Pedro Fran­cisco Hé­nocq, Elísio Herque ou du Roule, Pedro Luís Joret, Tiago de la Lande, Gil Luís Sin­fo­riano Lan­chon, Luís João Ma­teus La­nier, João José de Lavèse-Belay, Mi­guel Leber, Pedro Flo­rêncio Le­clercq, João Carlos Le­grand, João Pedro le Lai­sant, Ju­lião le Lai­sant, João Lemaître, João Tomás Leroy, Mar­tinho Fran­cisco Aleixo Lou­blier, Cláudio Luís Mar­mo­tant de Sa­vigny, Cláudio Sil­vano May­neau de Bi­ze­franc, Hen­rique João Millet, Fran­cisco José Mon­nier, Maria Fran­cisco Mouffle, José Luís Ovi­efre, João Mi­guel Phi­lippot, Tiago Rabé, Pedro Ro­berto Régnet, Ivo João Pedro Rey de Ker­vizic, Ni­colau Cláudio Roussel, Pedro Saint-James, Tiago Luís Schmid, João An­tónio Se­conds, Pedro Tiago de Tur­mé­nies, Re­nato José Urvoy, Ni­colau Maria Verron, Carlos Vítor Véret, todos pres­bí­teros; e ainda João Carlos Maria Ber­nard du Cor­nillet, có­nego da abadia de São Vítor de Paris; João Fran­cisco Bonnel de Pradel e Cláudio Pons, có­negos da abadia de Santa Ge­no­veva de Paris; João Carlos Caron, Ni­colau Colin, Luís José Fran­çois e João Hen­rique Gruyer, da Con­gre­gação da Missão; Cláudio Bo­chot e Eus­tá­quio Félix, da Con­gre­gação dos Pa­dres da Dou­trina Cristã; Cosme (João Pedro Duval), da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos; Pedro Cláudio Pot­tier, da So­ci­e­dade de Jesus e Maria; e Se­bas­tião Des­bri­elles, Mestre es­cola de Paris, Luís Fran­cisco Rigot e João An­tónio José de Villette. († 1792)

17*.   Também em Paris, no mesmo dia e ano, os be­atos már­tires João Bap­tista Bottex, Mi­guel Maria Fran­cisco de la Gardette e Fran­cisco Ja­cinto le Livec de Trésurin, que, du­rante a mesma per­se­guição, mor­reram por Cristo no cár­cere “La Force”. († 1792)

18.   Em Seul, na Co­reia, a paixão dos santos João Pak Hu-jae e cinco com­pa­nheiras, már­tires, que, le­vados ao tri­bunal por serem cris­tãos, su­por­taram cruéis su­plí­cios e por fim foram degolados. São estes os seus nomes: Maria Pak Kin-a-gi Hui-sun, irmã de Santa Lúcia Pak Hui-sun; Bár­bara Kwon-hui, irmã de Santo Agos­tinho Yi Kwang-hon; Bár­bara Yi Chong-hui; Maria Yi Yon-hui, es­posa de São Da­mião Nam Myong-hyog; Inês Kim Hyo-ju. († 1839)

19. Santo Aristeu (também na Folhinha do Coração de Jesus).

– Ver “… Aristaeus, bispo, e Antoninus, um jovem rapaz Em Cápua, os santos mártires. Aristeu pode ter sido um bispo de Cápua, Itália, mas é mais provável que seja o mártir egípcio Aristeu, que é homenageado pelos gregos hoje. Em 1621, ele foi para o México e dois anos depois continuou para o Japão (Beneditinos, Delaney). Antonino é uma criança mártir, talvez idêntico a Santo Antonino de Apameia…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember03.html

20. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 690 a volta para Deus de São Régulo, que foi sucessor de São Nivardo na Sé episcopal de Reims. Como o seu predecessor, protegeu muito o monaquismo. (X)

21. Santa Serápia e Santa Sabina, mártires. Ver páginas 9-16: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver “… Serápia[1] foi uma santa romanaescrava e mártir, nascida em Antioquia, na Síria romana. Nasceu no final do século I, de pais cristãos que fugiram para a Itália tentando fugir das perseguições do imperador Adriano. Quando seus pais morreram, Serápia foi cortejada por muitos, mas, tendo decidido entregar-se a Deus somente, vendeu tudo o que tinha e distribuiu os ganhos aos pobres. Logo depois, vendeu-se em escravidão voluntária e passou a trabalhar para uma nobre romana chamada Sabina. A piedade de Serápia, seu amor pelo trabalho e sua caridade logo conquistaram o coração de sua patroa, que se converteu ao cristianismo.

Ainda durante o reinado de Adriano, Serápia recebeu ordens para prestar homenagem aos deuses de Roma.[2] Ela se recusou e foi entregue a dois homens, que tentaram estuprá-la, mas ela resistiu. Eles então tentaram atear fogo nela com tochas, mas não conseguiram. Por ordem do juiz Derillus, ela foi surrada com varas e decapitada. Seu corpo foi enterrado por Sabina no túmulo que estava reservado para ela própria, perto do campo Vindiciano, mas a memória de seu martírio é lembrada especialmente no dia 3 de setembro, dia que seu túmulo comum foi terminado, decorado e consagrado como um local de orações.[3]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ser%C3%A1pia_de_Roma

Ver 29 de agosto, SANTA SABINA: Em Roma, a co­me­mo­ração de Santa Sa­bina (também na Folhinha do Coração de Jesus), cujo tí­tulo fun­dado no monte Aven­tino ve­nera o seu nome. (422-432).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico (29 de agosto), em Roma, Santa Sabina, em cuja honra uma igreja foi consagrada no Monte Aventino, desde o Séc, V. (M).

– Ver “… Sabina de Roma foi uma matriarca e mártir cristã de Roma. Ela era viúva do senador Valenciano[1] e filha de Herodes Metalário. Depois que sua escrava Seráfia, que foi quem a converteu, foi denunciada e assassinada, Sabina recuperou seus restos e os fez enterrar no mausoléu da família, o local onde ela própria esperava ser enterrada. Denunciada também, Sabina foi acusada de ser cristão por um tal Elpídio. Seu martírio ocorreu no ano de 125, na cidade de Vindena, na região da ÚmbriaItália[2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sabina_de_Roma

22. São Vicente de Santo Antônio: “Frei Vicente de Santo António (Albufeira1590 – Nagasaki1632), de seu nome de nascimento Vicente Simões de Carvalho, mas também conhecido como São Vicente de Albufeira ou Beato Vicente, foi um religioso missionário português da Ordem de Santo Agostinho.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Vicente_de_Santo_Ant%C3%B3nio

23. Outros santos do dia 03 de setembro, págs. 09-20, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 03 de setembro, ver ainda: 3 de setembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  689-692: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember03.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 02 de setembro

1.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, São Zenão, mártir. († s. III).

–  Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Nicomédia, a paixão de São Zeno (ou Zenão).

2.   Em Ni­ceia, também na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, Santa Teó­dota, com seus fi­lhos Evódio, Her­mó­genes e Ca­listo, mártires. († s. IV)

3.   Em Edessa, no Os­roene, hoje San­liurfa, na Tur­quia, Santo Habib, diá­cono e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Li­cínio, con­cluiu o seu glo­rioso com­bate ao ser lan­çado ao fogo por ordem do go­ver­nador Lisânias. (†322)

4.   Em Apa­meia, na Síria, Santo An­to­nino, mártir, que era can­teiro, se­gundo a tra­dição e foi morto pelos pa­gãos aos vinte anos de idade por ter des­truído os seus ídolos, mo­vido pelo ardor da fé. († s. IV).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Apaméia, na Síria, no séc. IV, o martírio de Santo Antonino, jovem cristão de vinte anos, cortador de pedras por profissão, e que quebrou em pedaços ídolos pagãos. Por esse motivo, foi condenado a morrer na própria construção de uma igreja em que estava trabalhando. (M)

5*.   Em Tar­ra­gona, na His­pânia, São Prós­pero, bispo. († s. IV/V)

6.   Em Lião, na Gália, ac­tu­al­mente na França, o se­pul­ta­mento de São Justo, bispo, que, de­pois do Con­cílio de Aqui­leia, re­nun­ciou ao epis­co­pado e se re­fu­giou com o leitor São Vi­ador num ermo do Egipto, onde viveu al­guns anos hu­mil­de­mente com os monges; o seu santo corpo foi tras­la­dado por São Vi­ador para Lião. († d. 381)

7.   No monte So­ratte, junto à Via Fla­mínia, no Lácio, re­gião da Itália, São No­noso, abade. († c. 570)

– Ver “… No monte Soracte, São Nonoso, abade, que pela oração transportou enorme pedra e brilhou por outros milagres (século VI). Este Santo é conhecido graças aos famosos Diálogos de São Gregório, o Grande. Vivia sob um abade irascível, aspérrimo, como diz São Gregório, e, um dia, quando limpava as lâmpadas na sacristia, deixou que uma escapasse, indo espatifar-se no chão. Temeroso de que o abade o increpasse com furor, vehementissimum furorem, Nonoso abaixou e pôs-se, diligentemente, a catar todos os cacos de vidro, principiando pelos maiores, depois pelos menores, e, finalmente, a recolher a poeira de vidro. Tendo corrido a um dos altares da igreja, ali depositou o que recolhera, ajoelhou-se e rezou fervorosamente, suspirando às vezes, gemendo outras. Quando terminou e levantou a cabeça encontrou a lâmpada intata…”: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

8.   Em Autun, na Bor­gonha, na ho­di­erna França, São Siá­grio, bispo, que nos con­cí­lios em que tomou parte foi muito no­tável pela sua sa­be­doria e zelo. († 599/600)

9*.   Em Avi­nhão, na Pro­vença, também na ac­tual França, Santo Agrí­cola, bispo, que, de­pois da sua vida mo­nás­tica na ilha de Lé­rins, au­xi­liou seu pai, São Magno, e lhe su­cedeu no episcopado. († c. 700)

– Ver “… INFORMAÇÕES sobre este santo são pouco confiáveis, pois não são obtidas em nenhum documento anterior ao século XVI, quando uma devoção popular por ele começou a crescer. Ele foi oficialmente reconhecido como patrono da cidade de Avignon apenas desde 1647. Essas tradições tardias dizem que Agricolus nasceu por volta do ano 630, filho de São Magnus, um senador galo-romano da gens Albina,que após a morte de sua esposa tornou-se primeiro monge em Lérins e depois bispo de Avignon. O próprio Agricolus foi para Lérins quando tinha quatorze anos e, fazendo grande progresso no aprendizado e na virtude, foi promovido ao sacerdócio. Depois de dezesseis anos como monge, seu pai o convocou para a cidade episcopal. Aqui ele foi nomeado arquidiácono e se distinguiu por sua pregação, por seus poderes de administração e por seu cuidado com os pobres, oprimidos e doentes. Em 660, São Magnus consagrou seu filho bispo como coadjutor. Dez anos depois, Magnus morreu e Santo Agricolus sucedeu tanto à sé de seu pai quanto ao sucesso com que a administrou. Ele é invocado localmente para trazer chuva e bom tempo…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember02.html

10.   No Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, Santo El­pídio, cujo nome foi adop­tado pela ci­dade onde o seu corpo foi sepultado. († a. s. XI)

11*.   Em Pôn­tida, no ter­ri­tório de Bér­gamo, na Lom­bardia, re­gião da Itália, os santos Al­berto e Vito, monges: o pri­meiro, pre­fe­rindo a mi­lícia de Cristo às armas e honras do mundo, cons­truiu na sua ci­dade um mos­teiro com a ob­ser­vância clu­ni­a­cense; o se­gundo foi o su­pe­rior do mosteiro. († c. 1096)

12. Ao sul do Monte Carmelo, na Palestina, na fonte de Elias, Bem-aventurado Brocardo, prior dos eremitas a quem Santo Alberto, Bispo de Jerusalém, deu uma regra de vida que meditassem dia e noite a lei do senhor e fossem vigilantes na oração.

13*.   Em Skänninge, na Suécia, a Beata In­grid Elofs­dotter, que, fi­cando viúva, ofe­receu todos os seus bens para o ser­viço de Deus e, de­pois de uma pe­re­gri­nação à Terra Santa, tomou o há­bito mo­nás­tico da Ordem dos Pregadores. († 1282).

Ver: “Ingrid de Skänninge (ou Ingrid da SuéciaÖstergötland, século XIII – Skänninge2 de setembro de 1282) foi uma abadessa sueca venerada como santa na Igreja Católica Romana. Ela fundou a Abadia de Skänninge, um convento pertencente aos dominicanos, em 1272…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ingrid_de_Sk%C3%A4nninge

14*.   Em Paris, na França, a paixão dos be­atos már­tires João Maria du Lau d’Allemans, Fran­cisco José e Pedro Luís de la Rochefoucauld, bispos, e no­venta e três companheiros, clé­rigos e re­li­gi­osos, que, por se terem re­cu­sado a prestar o ju­ra­mento ini­qua­mente im­posto ao clero no tempo da Re­vo­lução Fran­cesa, foram re­cluídos no con­vento dos Car­me­litas e as­sas­si­nados em ódio à re­li­gião de Cristo. São estes os seus nomes: Vi­cente Abraham, André Angar, João Bap­tista Cláudio Au­bert, Fran­cisco Bal­main, João Pedro Bangue, Luís Fran­cisco André Barret, José Bé­cavin, Tiago Júlio Bon­naud, João An­tónio Ja­cinto Bou­cha­rene de Chau­meils, João Fran­cisco Bos­quet, Cláudio Cays ou Dumas, João Charton de Millon, Cláudio Chaudet, Ni­colau Clairet, Cláudio Colin, Fran­cisco Dardan, Gui­lherme An­tónio Del­faut, Ma­tu­rino Vítor De­ru­elle, Ga­briel Des­prez de Roche, Tomás Ni­colau Du­bray, Tomás Re­nato Du­buisson, Fran­cisco Du­mas­ram­baud de Ca­lan­delle, Hen­rique Hi­pó­lito Ermès, Ar­mando de Fou­cauld de Pont­briand, Tiago Fri­teyre-Durvé, Cláudio Fran­cisco Gagnières des Granges, Luís Lou­renço Gaul­tier, João Goizet, André Grasset de Saint-Sau­veur, João An­tónio de Guil­le­minet, João Bap­tista Janin, João Lacan, Pedro Landry, Cláudio An­tónio Ro­dolfo de La­porte, Ro­berto le Bis, Ma­tu­rino Ni­colau Le Bous de Vil­le­neuve de la Vil­le­crohain, Oli­vério Lefèvre, Carlos Fran­cisco Legué, Tiago José Le­jar­di­nier Des­landes, Tiago João Le­meu­nier, Vi­cente José le Rous­seau de Ro­sen­coat, Fran­cisco César Lon­di­veau, Luís Lon­guet, Tiago Fran­cisco de Lu­bersac, Gaspar Cláudio Maig­nien, João Fi­lipe Mar­chand, Luís Mau­duit, Fran­cisco Luís Méallet de Far­gues, Tiago Ale­xandre Me­nuret, João Bap­tista Na­ti­velle, Re­nato Na­ti­velle, Ma­tias Agos­tinho No­gier, José Tomás Pa­zery de Tho­rame, Júlio Ho­no­rato Ci­priano Pa­zery de Tho­rame, Pedro Fran­cisco Pa­zery de Tho­rame, Pedro Plo­quin, Re­nato Ni­colau Poret, Ju­lião Pou­lain-De­launay, João Ro­berto Qué­neau, Fran­cisco Ur­bano Sa­lins de Niart, João Hen­rique Luís Samson, João An­tónio de Sa­vine, João An­tónio Bar­nabé Sé­guin, João Bap­tista Maria Tes­sier, Lopo Tomás ou Bon­notte, Fran­cisco Va­reilhe-Du­teil, Pedro Luís José Ver­rier; e Luís Bar­reau de la Touche, da Con­gre­gação de Santo Amaro da Ordem de São Bento; João Fran­cisco Burté (também na Folhinha do Coração de Jesus),da Ordem dos Frades Me­nores; Apo­li­nário (João Tiago) Morel (também na Folhinha do Coração de Jesus),da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos; Am­brósio Agos­tinho Che­vreux e Re­nato Ju­lião Massey, da Ordem de São Bento; Ber­nardo Fran­cisco de Cucsac, Tiago Ga­briel Ga­lais, Pedro Gau­guin, Pedro Mi­guel Guérin, Tiago Es­têvão Fi­lipe Hour­rier, Hen­rique Au­gusto Lu­zeau de la Mu­lonnière, João Bap­tista Mi­guel Pontus, Pedro Ni­colau Psalmon e Cláudio Rous­seau, da So­ci­e­dade de São Sul­pício; Carlos Je­re­mias Bé­rald du Pérou, Fran­cisco Luís Hé­bert e Fran­cisco Le­franc, da So­ci­e­dade de Jesus e Maria; Ur­bano Le­févre, da So­ci­e­dade das Mis­sões Es­tran­geiras de Paris; Se­ve­rino (Jorge) Gi­rauld (também na Folhinha do Coração de Jesus),da Ordem Ter­ceira Re­gular de São Fran-cisco; todos pres­bí­teros; Luís Aleixo Ma­tias Bouver, Es­têvão Fran­cisco Deus­dédit de Ra­vinel e Tiago Agos­tinho Ro­bert de Lé­zardières, diá­conos; São Sa­lomão (Gui­lherme Ni­colau Luís) Le­clercq, re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs; Au­gusto Nézel, clé­rigo, e Carlos Regis Ma­teus de la Calmette. († 1792).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória do Bem-Aventurado Ambrósio Agostinho Chevreux, último superior geral da Congregação de São Mauro, cujo martírio coroou a secular fidelidade da maior parte do monaquismo francês à sua vocação religiosa e à Igreja Católica. Foi massacrado em Paris, por sectários, no dia 2 de setembro de 1792, juntamente com vários outros católicos, dos quais dezenove beatificados. Entre eles, D. René-Julião Massey, professo da abadia de Santa Melânia, de Rennes e D. Luís Barreau de la Touche, professo de São Florência, de Saumur. (S).

– Ver OS MÁRTIRES DE SETEMBRO, páginas 446-447: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf  

15*.   Também em Paris, no mesmo dia e ano, o Beato Pedro Tiago Maria Vitális, pres­bí­tero, e vinte com­pa­nheiros, már­tires, que, na mesma re­vo­lução, foram mortos em ódio à Igreja na abadia de Saint-Germain-des-Prés. São estes os seus nomes: Da­niel Luís André des Pom­me­rayes, Luís Re­mígio Be­noist, Luís Re­nato Ni­colau Be­noist, An­tónio Carlos Oc­ta­viano de Bouzet, João André Ca­peau, Ar­mando Chapt de Ras­tignac, Cláudio Fon­taine, Pedro Luís Ger­vais, Santo Huré, João Luís Guyard de Saint-Claire, Ale­xandre Carlos Len­fant, Lou­renço, Luís le Da­nois, Tomás João Mon­saint, Fran­cisco José Pey, João José Ra­teau, Marcos Luís Royer, João Pedro Simon, Carlos Luís Hur­trel, este úl­timo da Ordem dos Mí­nimos, todos pres­bí­teros, e Luís Ben­jamim Hur­trel, diácono. († 1792)

16♦.   Em Or­riols, na Ca­ta­lunha, re­gião da Es­panha, o Beato Esí­quio José (Bal­do­mero Mar­genat Puig­mitjá), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que, na vi­o­lenta per­se­guição contra a Igreja, foi as­sas­s i­nado em ódio à vida religiosa. († 1936)

17♦.   Em Oviedo, nas As­tú­rias, também da Es­panha, o Beato José Maria La­guia Puerto, re­li­gioso da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir. († 1936)

18. Conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 02 de setembro), no ano da graça de 459, São Simeão Estilita, o velho. Instalado no alto de uma coluna, foi o primeiro a praticar a penitência que constituía a vida de estilita. Teve numerosos imitadores no Oriente. (X).

VER TAMBÉM 05 DE JANEIRO: na Síria, no ano do Senhor de 459, São Simeão Estilita, filho de um pobre pastor que abraçou uma vida de austeridade pouco comum, em cima de uma coluna, depois de ter ouvido na Igreja a leitura das beatitudes evangélica (M).

– Também nas págs. 166-183:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

– Ver também: Simeão Estilita, o Antigo (Sísia389 – Telanisso459) foi um asceta cristão, que viveu no cimo de uma coluna de pedra. É tido como santo pela Igreja Católica e Ortodoxa. Na Católica o seu dia corresponde ao 5 de janeiro, enquanto que na Ortodoxa é celebrado a 1 de setembro. É chamado de “Antigo” para distingui-lo de São Simeão Estilita, o Moço, que viveu no século VI.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sime%C3%A3o_Estilita,_o_Antigo

– Ver ainda: https://www.newadvent.org/cathen/13795a.htm

– Ver: https://www.britannica.com/biography/Saint-Simeon-Stylites

19. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 1070, a volta para Deus de São Guilherme, bispo. Inicialmente foi capelão do rei Canuto, e ficou tão sensibilizado pela triste condição do povo dinamarquês, que decidiu evangelizá-lo. (M)

20. Bem-Aventurada Margarida de Louvain. Ver páginas 443-445: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver “…Santa Margarida de Louvain, Virgem mártir – 2 de setembro… Como ela se recusasse a ceder à paixão de um dos malfeitores, ela foi por sua vez covardemente assassinada e seu corpo lançado no Rio Dyle… Margarida tornou-se objeto de veneração popular e muitos milagres lhe foram atribuídos. Traços desta legenda estão ainda presente em Louvain no interior da Igreja de São Pedro.

     Em 1905, o Papa São Pio X confirmou o seu culto canonizando-a. Ela é festejada no dia 2 de setembro…”: http://heroinasdacristandade.blogspot.com/2013/09/santa-margarida-de-louvain-virgem.html

21. São Castor de APT. “Era possivelmente irmão de São Leôncio de Fréjus. Castor era advogado e casara-se com uma rica viúva. Morava em Marselha. Sua esposa, entretanto, permitiu-lhe ingressar na vida religiosa, ela própria entrando para um convento. Castor fundou o monastério de Manauque (Monanque), na Provença. Foi feito, depois, bispo de Apt. Morreu de causas naturais.

São João Cassiano escreveu sua obra De institutis coenobiorum a pedido de Castor.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Castor_de_Apt

22. São Diomedes de Tarso. Ver 16 de agosto:São Diomedes (Diomede) de Tarso (morte entre 298 e 311 d.C.) é um santo e mártir do Cristianismo, um dos chamados Santos não mercenários (língua grega Άγιοι Ανάργυροι) [1]. Nascido em Tarso, foi médico e um zeloso evangelizador que foi preso e decapitado sob o poder de Diocleciano em Niceia (hoje IznikTurquia. Há uma lenda que “conta que quando sua cabeça foi levada ao imperador, todos os presentes foram cegados e que somente depois de seu corpo ter sido devolvido aos seus e esses oraram, a visão daqueles foi recuperada”.[2]

Seu dia festivo é 16 de agosto e há um afresco dele no monastério sérvio de Hilandar (em Monte Atos). As Ilhas Diomedes têm seu nome derivado desse santo. Vitus Bering localizou essas ilhas em 16 de agosto de 1728, dia em que a Igreja Ortodoxa Russa celebra a memória de São Diomedes.

– OUTRO SÃO DIOMEDES: Há outro São Diomedes, que é celebrado em 2 de setembro. Ele e Juliano, Felipe, Teodoro, Eutiquiano, Hesíquio, Leônidas, Filadelfo, Menálipo e Pantágapes foram martirizado em data e local desconhecidos. Todos foram executados de várias formas, tendo sido crucificados, mortos por afogamento, pela fogueira, decapitação.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Diomedes_de_Tarso

23. Outras santas e santos do dia 02 de setembro: págs. 422-449, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 02 de setembro, ver ainda: 2 de setembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  689-692: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. Santo do Dia 02 de Setembro (lngplants.com) ou

https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember02.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 01 de setembro

SANTAS E SANTOS DE 01 DE SETEMBRO

Nossa Senhora de Belém01 de Setembro – FESTA DE NOSSA SENHORA DE BELÉM: padroeira principal da arquidiocese de Belém do Pará. Conforme o DIRETÓRIO DA LITURGIA da CNBB de 2020, “… na Arquidiocese de Belém – NOSSA SENHORA DE BELÉM, Padroeira Arquidiocesana, festa.  Na cidade de Belém: Padroeira Municipal, Solenidade.”
– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa de Nossa Senhora de Belém, padroeira principal da Arquidiocese de Belém do Pará.
Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Arquidiocese_de_Bel%C3%A9m_do_Par%C3%A1
 – Ver também “…Devido ao fato de Maria ter honrado a cidade de Belém dando à luz seu filho na cidade, ela recebeu o título de Nossa Senhora de Belém… A imagem que representa Nossa Senhora de Belém foi esculpida em estilo barroco. Nela, Maria segura em seu colo o Menino Jesus. Ela também segura um cajado de peregrina simbolizando que não estava na sua terra natal, mas estava a caminho….

Oração a Nossa Senhora de Belém

“À Vossa Proteção recorremos, Santa Mãe de Deus, não desprezeis as nossas súplicas, nas nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita, Senhora nossa, Medianeira nossa, Advogada e padroeira nossa.

Lembrai-vos, ó piíssima Nossa Senhora do Belém, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que têm recorrido a vossa proteção, implorando a vossa assistência e reclamando o vosso socorro, fosse por vós desamparado.

Animado eu, pois, com igual confiança, a vós, ó Virgem entre todas singular, como a Mãe recorro, de vós me valho, e, gemendo sob o peso de meus pecados, me prostro aos vossos pés.
Não desprezeis as minhas súplicas, ó Mãe do Verbo de Deus humanado, mas dignai-vos de as ouvir propícia e de me alcançar o que vos rogo pela Vossa Intercessão. Amém.”

”: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-nossa-senhora-de-belem/496/102/#c  https://www.google.com/search?ei=V_dqXeywOafZ5OUPlfeewA4&q=Padroeira+da+arquidiocese+de+Bel%C3%A9m+do+Par%C3%A1&oq=Padroeira+da+arquidiocese+de+Bel%C3%A9m+do+Par%C3%A1&gs_l=psy-ab.3…3111.12034..12246…1.1..0.232.5298.0j42j1……0….1..gws-Swiz…….0i71j35i39j0j0i131j0i67j0i131i67j0i22i30j33i22i29i30j33i160.JjrXtEWdSE8&ved=0ahUKEwisuKbllq7kAhWnLLkGHZW7B-gQ4dUDCAo&uact=5

01 de Setembro: NOSSA SENHORA DA PENHA EM CRATO, CEARÁ. Conforme o DIRETÓRIO DA LITURGIA da CNBB de 2020, 01 de setembro na Diocese de Crato – NOSSA SENHORA DA PENHA – padroeira diocesana, festa mas celebrada onde for solenidade. Na Catedral  e na cidade de Crato: Titular e padroeira municipal, solenidade.

Ver: “Este ano, celebra-se a chegada da imagem de Nossa Senhora da Penha, trazida da França, em 1920. Contudo, a criação da Paróquia na antiga aldeia do Miranda, que antecedeu o atual município, aconteceu em 1762, dois anos antes da fundação da Vila Real do Crato.”:

https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/regiao/festa-de-nossa-senhora-da-penha-em-crato-comeca-amanha-22-em-formato-virtual-1.2979895

– Ver: “Nossa Senhora da Penha, rainha e padroeira de São Paulo”: ver páginas 366-374 (OBSERVAÇÃO: INCLUI O ENCONTRO DA IMAGEM DE NOSSA SENHORA APARECIDA): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Nossa Senhora da Penha, protetora da cidade de São Paulo. Ver:

https://www.a12.com/academia/titulos-de-nossa-senhora?s=nossa-senhora-da-penha

Nossa Senhora da Penha de França. Ver:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Penha_de_Fran%C3%A7

Nossa Senhora da Penha no Rio de Janeiro:

https://www.basilicasantuariopenhario.org.br/historia-de-nossa-senhora-da-penha

Outras referências a Nossa Senhora da Penha:

Ver também:

Dia 12 de abril, NOSSA SENHORA DA PENHA, na Folhinha do Coração de Jesus

– Ver FESTA DE NOSSA SENHORA DA PENHA NO ESPÍRITO SANTO: 09 DIAS DEPOIS DO SEGUNDO DOMINGO DE PÁSCOA… As comemorações da Festa de Nossa Senhora da Penha, tem data móvel, ela se inicia no Domingo de Páscoa e termina 09 dias depois. Neste período, todas as Arquidioceses e Dioceses do Espírito Santo fazem peregrinação ao Convento da Penha, para agradecer as Graças alcançadas, através da intercessão de Nossa Senhora.”: Vamos conhecer a história de Nossa Senhora da Penha no estado do Espírito Santo – Clube da Evangelização (cancaonova.com)

* VER 01 DE SETEMBRO NA IGREJA ORTODOXA:

Todas as comemorações fixas abaixo são comemoradas no dia 14 de setembro pelas igrejas ortodoxas sob o Velho Calendário. No dia 1 de setembro do calendário civil, as igrejas sob o Velho Calendário celebram as comemorações listadas no dia 19 de agosto.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/1_de_setembro_na_Igreja_Ortodoxa

OUTRAS SANTAS E SANTOS DE 01 DE SETEMBRO

1.   Co­me­mo­ração de São Josué (também na Folhinha do Coração de Jesus), filho de Nun, servo do Se­nhor, que, pela im­po­sição das mãos de Moisés sobre ele, ficou cheio do es­pí­rito de sa­be­doria e, de­pois da morte de Moisés, in­tro­duziu de modo ma­ra­vi­lhoso o povo de Is­rael, atra­ves­sando o rio Jordão, na terra prometida.

– Conforme o VIDAS DOS SANTOS, São Josué e São Gideão. Ver páginas 377-395 (São Josué) e 395-407 (São Gideão):

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

2.   Em Reims, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, São Sisto, que é con­si­de­rado o pri­meiro bispo desta cidade. († s. III).

– Ver São Sixto e São Sinício, bispos, à página 408:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

3.   Em Cápua, junto à Via Aquária, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São Prisco, mártir. († s. IV)

– Ver “…  Em Cápua, na Via Aquaria,São Prisco, mártir, outrora um dos discípulos de Cristo…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember01.html

4.   Em Tódi, na Úm­bria, também re­gião da Itália, São Te­ren­ciano (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo. († c. s. IV)

– Ver “,,, Em Todi, na Úmbria, São Terentian, bispo e mártir. Sob o imperador Adriano, por ordem do procônsul Laetiano, ele foi torturado, açoitado com chicotes cravejados de metal e, finalmente, tendo sua língua cortada, ele terminou seu martírio com a pena de morte.

Enquanto servia como bispo de Todi, na Úmbria, Itália, ele foi preso durante as perseguições do imperador Adriano. Ele foi torturado tendo sua língua cortada e sendo decapitado…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember01.html

5.   Em Dax, na Aqui­tânia, hoje na França, São Vi­cente, que é ce­le­brado como bispo e mártir. († c. s. IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, o martírio dos Santos Vicente e Liédio, que deram suas vidas por Cristo, em Dax. (M)

6.   Em Zur­zach, junto do rio Reno, no ter­ri­tório de Zu­rique da Ger­mânia, ac­tu­al­mente na Suíça, Santa Ve­rena, virgem. († s. IV)

7.   Em Le Mans, na Gália Li­o­nense, hoje na França, São Vi­tório (também na Folhinha do Coração de Jesus), re­cor­dado por São Gre­gório de Tours. (†490).

– Ver página 409: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

8.   Em Aquino, no Lácio, re­gião da Itália, São Cons­tâncio, bispo, cujo dom de pro­fecia é lou­vado pelo papa São Gre­gório Magno. († 570)

9.   No ter­ri­tório de Nimes, na Gália Nar­bo­nense, na ho­di­erna França, São Gil ou Egídio, de quem tomou o nome a po­vo­ação que pos­te­ri­or­mente se de­sen­volveu na re­gião da Ca­margue, onde ele, se­gundo a tra­dição, cons­truiu um mos­teiro e ter­minou o curso da sua vida mortal. († s. VI/VII).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Languedoc, São Gil (ou Egídio), eremita. Segundo uma tradição iconográfica representada em Chartres e em Aachen, o imperador Carlos Magno obteve, por sua poderosa intercessão, o perdão por uma falta não-confessada. Um mosteiro beneditino foi construído sobre seu túmulo, e seu culto propagou-se pela cristandade no tempo das peregrinações a Compostela. (M).

– Ver páginas 415-418: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver “… Santo Egídio (em gregoΑἰγίδιος) foi um santo católico eremita do século VI originário da Grécia que se tornou popular na região da Provença e na Escócia. A abadia onde viveu Santo Egídio, Saint-Gilles, é local de peregrinação e parada oficial dos Caminhos de Santiago.[2]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Santo_Eg%C3%ADdio

10.   Em Sens, na Nêus­tria, também na ac­tual França, São Lopo, bispo, que foi exi­lado por ter co­ra­jo­sa­mente afir­mado pe­rante um no­tável do lugar que o povo devia ser di­ri­gido pelo sa­cer­dote e obe­decer mais a Deus do que aos príncipes. († c. 623).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 625, São Lobo. Natural de Orléans, foi eleito para o serviço da Igreja de Sens e teve de sofrer efeitos da política malévola dos merovíngios da época. Foi enterrado no mosteiro de Sainte-Colombe de Sens, que havia fundado com Clotário II. (M).

– Ver páginas 410-412: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

11*.   Em Ve­neza, ci­dade do ac­tual Vé­neto, re­gião da Itália, a Beata Ju­liana de Collalto, aba­dessa da Ordem de São Bento. († 1262)

12*.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, também re­gião da Itália, a Beata Joana, virgem da Ordem Ter­ceira das Servas de Maria, emi­nente pela sua oração e austeridade. († 1367)

13*.   Em Ma­drid, na Es­panha, os be­atos Cris­tino (Mi­guel Roca Hu­guet), pres­bí­tero, e onze com­pa­nheiros, már­tires, todos da Ordem de São João de Deus, que, du­rante a guerra civil, foram mortos em ódio à re­li­gião cristã. São estes os seus nomes: Pro­cesso (Jo­a­quim Ruiz Cas­cales), Eu­tímio (Ni­colau Ara­mêndia Garcia), Ca­nuto (José Franco Gômez), Do­siteu (Gui­lherme Rúbio Alonso), Ce­sário (Ma­riano Niño Pérez), Ben­jamim (Ale­xandre Cobos Ce­lada), Car­melo (Isidro Gil Arano), Cosme (Si­meão Isi­doro Jo­aquím Brun Arará), Ce­cílio (Hen­rique López López), Ru­fino (Cres­cêncio Lasheras Aiz­corbe) e Faus­tino (An­tónio Vil­la­nueva Igual), religiosos. († 1936)

14*.   Em Pa­terna, ci­dade da pro­víncia de Va­lência, também na Es­panha, o Beato Afonso Se­bas­tião Viñals, pres­bí­tero e mártir, que era di­rector es­pi­ri­tual da Es­cola de For­mação So­cial de Va­lência, quando, na mesma per­se­guição contra a fé, re­cebeu a coroa de glória. († 1936)

15*.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, os be­atos már­tires Pedro de Al­cân­tara (Cân­dido Ri­vera Ri­vera), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais, Maria do Carmo Mo­reno Be­nítez e Maria do Am­paro Car­bo­nell Muñoz, vir­gens do Ins­ti­tuto de Maria Au­xu­li­a­dora, que, du­rante a mesma per­se­guição, con­fi­gu­rando-se à paixão de Cristo, seu Es­poso, al­can­çaram a re­com­pensa da paz eterna. (†1936)

16♦.   Também em Bar­ce­lona, em dia in­certo de Se­tembro, o Beato Bento Clemente (Félix España Ortiz), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que na mesma per­se­guição, ven­cendo o bom com­bate da fé, al­cançou a vida eterna. († 1936)

17♦.   Em So­tillo, lo­ca­li­dade da Can­tá­bria, no li­toral da Es­panha, em dia in­certo de Se­tembro, o Beato Eu­génio An­drés Amo, re­li­gioso da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, na mesma per­se­guição, morreu por Cristo. († 1936)

18♦.   Em Ma­taró, na Ca­ta­lunha, também re­gião da Es­panha, o Beato José Samsó i Elias, pres­bí­tero da di­o­cese de Bar­ce­lona e mártir, que, na vi­o­lenta per­se­guição contra a Igreja,foi as­sas­si­nado em ódio ao sacerdócio. († 1936)

19. Bem-Aventurada Joana Soderini. Ver “… Nem bem sua razão começou a desabrochar, e já o seu maior prazer consistia em ouvir a narrativa dos mistérios da fé cristã, e em conversar sobre eles. Uma terna piedade lhe abrasava o coração. A Santa Virgem merecia-lhe particular devoção… Apenas com doze anos de idade, a jovem serva de Deus colocou-se sob a disciplina de santa Juliana Falconieri e prazerosamente envergou ó hábito religioso… Foi a primeira a ver a imagem do Salvador miraculosamente impressa, como um sinete, no peito daquela ilustre virgem (Santa Juliana)… Empenhou-se, durante os vinte e seis anos que ainda viveu, em imitar tôdas as virtudes de que Santa Juliana lhe dera tão belos exemplos… Enfim, rica de merecimento e gasta pelas mais rigorosas penitências, entregou pacificamente a alma ao Criador, no dia primeiro de setembro de 1827…” às páginas 363-365: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

20. Profetisa Santa Ana. Ver “… São Lucas chama Ana de profetisa porque anunciou a vinda do Messias. Mereceu esta honra incomparável pela humildade, pela vida toda dada a Deus…” às páginas 375-376: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

21. São Nivardo, bispo. Ver páginas 413-414: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

22. Santa Vibiana, de Roma. Ver “Santa Vibiana nasceu no século III em Roma. É uma mártir virgem para a Igreja Católica Romana. É a santa padroeira da Arquidiocese de Los Angeles, onde é venerada com uma festa memorial no dia 1 de setembro”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Vibiana_de_Roma

– Ver também: http://www.orthodoxengland.org.uk/stdsep.htm

23. Outras santas e santos do dia 01 de setembro: págs. 363-421, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 01 de setembro, ver ainda: 1 de setembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  687-689: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DaySeptember01.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 31 de agosto

1.   Em Je­ru­salém, co­me­mo­ração dos santos José de Arimateia e Ni­co­demos, que aco­lheram o corpo de Jesus des­cido da cruz, o en­vol­veram num lençol e co­lo­caram no se­pulcro. José, nobre de­cu­rião e dis­cí­pulo do Se­nhor, es­pe­rava o reino de Deus; Ni­co­demos, fa­riseu e prín­cipe dos Ju­deus, viera de noite ter com Jesus para co­nhecer a sua missão e, pe­rante os sumos sa­cer­dotes e os fa­ri­seus que que­riam prender Jesus, de­fendeu a sua causa.

2.   Em Atenas, na Grécia, Santo Aris­tides (também na Folhinha do Coração de Jesus), fi­ló­sofo, ilus­trís­simo pela sua fé e sa­be­doria, que es­creveu e apre­sentou ao im­pe­rador Adriano al­guns dos seus li­vros sobre a re­li­gião cristã. († c. 150).

–  Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Atenas, no séc. II, Santo Aristides. Segundo a crônica de Eusébio, era filósofo pagão quando se converteu. Dirigiu então ao imperador uma apologia, onde ressalta a novidade da religião de Cristo, mensagem de esperança e de amor. (M).

– Ver “… Aristides de Atenas (ou Aristides, o atenienseSanto Aristides ou Marcianus Aristides) foi um autor cristão grego do século II dC que é primordialmente conhecido por sua obra Apologia de Aristides”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Aristides_de_Atenas

3.   Em Tré­veris, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na Ale­manha, São Pau­lino, bispo e mártir, que no tempo da he­resia ariana foi um ver­da­deiro arauto da ver­dade e, no Sí­nodo de Arles, con­vo­cado pelo im­pe­rador Cons­tâncio, não se deixou de­mover, nem com ame­aças nem com adu­la­ções para con­denar Santo Ata­násio e afastar-se da ver­da­deira fé; por isso foi des­ter­rado para a Frígia, na ho­di­erna Tur­quia, onde, de­pois de cinco anos de exílio, con­sumou o martírio. († 358).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 358, São Paulino, bispo de Treves. Defensor intrépido da fé de Nicéia e fiel partidário de Santo Atanásio, foi por isso exilado na Ásia Menor. Vários padres fizeram elogio de sua firmeza na fé. (M)

4.   Em Lin­dis­farne, na Nor­túm­bria, na ac­tual In­gla­terra, Santo Ai­dano, bispo e abade, homem de in­signe man­sidão, pi­e­dade e justo go­verno, que, cha­mado pelo rei Os­valdo, veio do mos­teiro de Iona para esta ci­dade, onde cons­truiu a sede epis­copal e um mos­teiro, para fo­mentar efi­caz­mente a evan­ge­li­zação deste reino. († 651).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 651, a volta para Deus de Santo Aidano, monge de Iona. Chamado para evangelizar a Inglaterra e a Escócia, foi o primeiro bispo de Lindsfarne. (M).

– Ver: “Edano ou Adão de Lisdisfarne (em latimAedanus), conhecido como o Apóstolo da Nortúmbria (Connacht, ? – BamburgoNortúmbria31 de agosto de 651), foi o fundador e primeiro bispo do mosteiro na ilha de Lindisfarne, na Inglaterra. Como missionário cristão, é creditado a a ele a restauração da cristianismo naquela região. Em 2008, ele foi proposto como o provável santo padroeiro do Reino Unidohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Edano_de_Lindisfarne

5.   Em Car­dona, po­vo­ação da Ca­ta­lunha, na Es­panha, São Rai­mundo No­nato (também na Folhinha do Coração de Jesus), que foi um dos pri­meiros com­pa­nheiros de São Pedro No­lasco na Ordem de Nossa Se­nhora das Mercês; conta-se que so­freu muito pelo nome de Cristo para a re­denção dos cativos. († c. 1240).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, o sepultamento de São Raimundo Nonato, religioso da Ordem das Mercês, que se ofereceu como refém para obter a libertação de um prisioneiro, e se consagrou à evangelização de seus companheiros de infortúnio. Libertado depois de ter sido torturado, foi nomeado cardeal, e morreu, mais tarde, em Barcelona, no ano de 1240. (M).

– Ver páginas 350-354: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também “Raimundo recebeu a alcunha de Nonato (“não nascido”) porque foi extraído do ventre de sua mãe, já morta antes de dar-lhe à luz, ou seja, não nasceu de uma mãe viva, mas foi retirado de seu útero, algo raríssimo à época. Por isso é festejado, no dia 31 de agosto, como o patrono das parteiras e obstetrasSão Raimundo Nonato é um santo católico romano que viveu no século XIII e se rebelou contra a escravidão, que na época era tida como natural”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Raimundo_Nonato

6*.   No ermo de Val­lú­cola, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato André de Borgo Sansepolcro, pres­bí­tero da Ordem dos Servos de Maria, in­signe pela sua aus­te­ri­dade e vida contemplativa. († 1315).

– Ver Bem-Aventurado André Dotti, servita, páginas 355-356: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

.

7*.   Em Al­meria, na Es­panha, os be­atos Ed­mígio (Isi­doro Primo Ro­drí­guez), Amálio (Justo Za­ri­quiégui Men­doza) e Va­lério Ber­nardo (Mar­ciano Her­rero Mar­tínez), da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e már­tires, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, foram mortos em ódio à fé cristã. († 1936)

8♦.   Em Má­laga, também na Es­panha, os be­atos már­tires Hen­rique Vi­daur­reta Palma, pres­bí­tero da di­o­cese de Má­laga, Félix Paco Escartin, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e Tomás Alonso Sanjuán, re­li­gioso da So­ci­e­dade Sa­le­siana, que na mesma per­se­guição contra a fé cristã deram a vida por Cristo. († 1936)

9♦.   Em Sama de Lan­greo, ci­dade das As­tú­rias, também na Es­panha, os be­atos már­tires Isidro Ordoñes Díez, José Maria Pa­lácio Montes e Mi­guel Me­néndez Garcia, pres­bí­teros da Ordem dos Pre­ga­dores e Cris­tóvão Itur­riaga-Eche­varria Irazola e Pedro Vega Ponce, re­li­gi­osos da mesma Ordem, as­sas­si­nados em ódio à fé cristã. († 1936).

10♦.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, a Beata Jo­se­fina Sau­leda Paulís (Bo­a­ven­tura Sau­leda Paulís), virgem da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, foi as­sas­si­nadas por causa da sua fi­de­li­dade a Cristo Esposo. († 1936)

11♦. Também em Bar­ce­lona, o Beato Pedro Tarrés Claret, presbítero. († 1950)

12. Santo Amado (também na Folhinha do Coração de Jesus)

– Ver também “… Amatus of Nusco, OSB B (RM) Nasceu em Nusco, Itália; morreu em 1093 ou 1193. Há pistas conflitantes sobre a data da morte de Santo Amatus. Parece certo que ele era um padre e um monge beneditino em Fontigliano ou Montevergine, e então bispo de Nusco. Ele teria vivido até os 90 anos (Beneditinos, Enciclopédia) …”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust31.html

13. São Domingos de Val. “São Domingos de Val ou del Val (Dominguito em Inglês e Espanhol e Domenico em Italiano) é uma figura lendária medieval de SaragoçaEspanha.”.

– Ver “… São Domingos de Val ou del Val (Dominguito em castelhano e inglês; Domenico em italiano) é uma figura lendária medieval de SaragoçaEspanha.[1][2]

Segundo a lenda, teria sido um infante do coro da Catedral do Salvador de Saragoça, vítima de um assassinato ritual no dia 31 de agosto de 1250 supostamente feito por judeus.[3][4] As evidências acerca de sua história são incertas, além das lendas criadas em torno dele.

São Domingos não é mais incluído no novo calendário litúrgico católico romano oficial, embora a capela dedicada a ele na Catedral de Saragoça ainda exista…”:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Domingos_de_Val

14. São Vala (ou Valadão). Ver “… Vala ou Valacão (em latimValacho[1]), nascido cerca de 772 e morto na abadia de Bobbio a 31 de agosto de 836, foi um clérigo, membro da família dos Carolíngios, primo de carlos magno. Era filho do conde Bernardo (filho de Carlos Martel), e de sua segunda esposa, uma Saxã, cuja história não reteve o nome (pode ser Gundelindis de Autun)[2]; é meio-irmão deAdelardo de Corbie”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Vala_(Carol%C3%ADngio)

15. São Valdevo da Nortúmbria. Ver “…Valdevo, 1.º Conde da Honra de Huntingdon e Northampton (em latimWaldevus; em inglêsWaltheof/Waldef; 1050 – 31 de maio de 1076) foi o último dos condes anglo-saxões e o único aristocrata inglês a ser executado durante o reinado de Guilherme I de Inglaterra”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Valdevo_da_Nort%C3%BAmbria

16. Outras santas e santos do dia 31 de agosto: págs. 350-359, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 31 de agosto, ver ainda: 31 de agosto – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  685-686: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para B
  5. rasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  6. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  7. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  8. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust31.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E MUITO OBRIGADO

Santas e Santos de 30 de agosto

Em Belo Ho­ri­zonte, no Brasil, o Beato Eus­tá­quio van Lieshout (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Sa­grados Co­ra­ções de Jesus e Maria. († 1943). Padre Eustáquio foi um nome ligado à história de Belo Horizonte, à fé do povo mineiro e a muitas ações de solidariedade….

… O Bem-Aventurado Eustáquio van Lieshout SSCC. (3 de novembro de 1890 — 30 de agosto de 1943) foi um presbítero católico e religioso da Congregação dos Sagrados Corações de Jesus e de Maria e da Adoração Perpétua ao Santíssimo Sacramento do Altar.

Após a constatação de uma cura por sua intercessão, foi beatificado em 15 de junho de 2006 por Sua Santidade, o papa Bento XVI.[1]

Após sua morte, foi atribuída a ele a cura de um câncer de um devoto, constatada clinicamente e comprovada cientificamente. Esse relato consta no processo para sua beatificação, iniciado em 1997. Outros casos de curas e milagres também são relatados por várias pessoas. A cerimônia de sua beatificação aconteceu ao dia 15 de junho de 2006, durante a 12ª Torcida de Deus, no estádio Mineirão, em Belo Horizonte, MG. A cerimônia foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo e contou com a presença do Legado Pontifício do Sumo Pontífice, Dom José Cardeal Saraiva Martins. ” Ver:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Eust%C3%A1quio_van_Lieshout

– Ver “… Humberto van Lieshout, que mais tarde seria conhecido como o Venerável Padre Eustáquio, nasceu no dia 3 de novembro de 1890, em Aarle Rixtel, na Holanda. Passou o final de sua vida no bairro Celeste Império, vizinho ao Jardim Montanhês, celebrando Missas na capela Cristo Rei, única igreja existente nas proximidades dos bairros Celeste Império, Villa Minas Gerais e Progresso (atual bairro Padre Eustáquio). Andava por toda a região, atendendo pessoas e resumindo sua missão em duas palavras: “Saúde e paz”, numa atitude de fé e amor ao próximo.
Padre Eustáquio faleceu no Sanatório Minas Gerais, atual hospital Alberto Cavalcanti, também naquele bairro, onde estão preservados os móveis da época de seu falecimento. Tornou-se símbolo da fé religiosa, ao longo de sua atuação, promovendo curas e distribuindo bênçãos pelos vários lugares por onde passou. Após sua morte, foi atribuída a ele a graça da cura de um câncer em um de seus devotos, entre outros milagres…

… Após sua morte, foi atribuída a ele a cura de um câncer de um devoto, constatada clinicamente e comprovada cientificamente. Esse relato consta no processo para sua beatificação, iniciado em 1997. Outros casos de curas e milagres também são relatados por várias pessoas.
Padre Eustáquio costumava dizer que sua vocação era “amar e fazer amar a Deus”…”: http://www.vatican.va/news_services/liturgy/saints/ns_lit_doc_20060615_eustaquio_po.html

1.   Em Roma, no ce­mi­tério de Co­mo­dila, junto à Via Os­ti­ense, os santos már­tires Félix e Adauto (também na Folhinha do Coração de Jesus), que juntos deram in­que­bran­tável tes­te­munho da sua fé em Cristo e juntos en­traram vi­to­ri­osos no Céu. († c. 304).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no início do século IV, o martírio dos Santos Félix e Adauto (M).

– Ver “… Félix e Adauto (m. Romac.303) são mártires e santos dos primeiros tempos do Cristianismo, venerados por diversas confissões cristãs, entre elas a Igreja Católica e a Igreja Ortodoxa.

Félix era um sacerdote cristão de Roma. Durante a perseguição de Diocleciano foi levado pelo prefeito Draco junto do altar dos deuses Serápis, Mercúrio e Diana para lhes fazer sacrifícios. Félix rezou e as imagens dos ídolos caíram por terra, e por isso foi condenado à morte.

Quando era levado ao lugar de execução, juntou-se-lhe um outro jovem que disse que também era cristão e foi condenado com ele. Tal jovem, de quem não se sabe o nome, foi chamado Adauctus (Adauto), que em latim quer dizer “adicionado, junto”. Ambos foram decapitados. Adauctus é por vezes retratado como legionário romano na iconografia dos santos.

Catedral de Santo Estêvão em Viena exibe as suas relíquias…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%A9lix_e_Adauto

2.   Co­me­mo­ração dos ses­senta santos mártires, que, em Suf­fe­tula, na África Bi­za­cena, ac­tu­al­mente na Tu­nísia, por ter sido des­truída uma es­tátua de Hermes, foram mortos pelo furor dos gentios. († 399)

3.   Em Roma, a co­me­mo­ração de São Pa­má­quio se­nador, in­signe pela sua fir­meza na fé e ge­ne­ro­si­dade para com os po­bres, a cuja di­li­gente pi­e­dade se deve a cons­trução de uma igreja ti­tular no monte Célio. († 410).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 410, São Pamáquio, senador romano que transformou seu próprio palácio em Igreja. (M).

– Ver “… Pamáquio era um nobre e senador, membro da gente Fúria. Era primo de Marcela e parente de Melânia e Piniano.[1] Quando jovem, frequentou escolas de retórica com São Jerônimo, que seria seu amigo por toda vida. Em 385, se casou com Paulina, a segunda filha de Santa Paula e Júlio Toxócio.[2] Ele provavelmente estava entre os viri genere optimi religione praeclari que em 390 denunciaram Joviano ao papa Sirício (segundo Santo Ambrósio). Quando ele atacou o livro de Jerônimo contra Joviano por razões de prudência, Jerônimo enviou-lhe duas cartas (48-49) agradecendo-o. A primeira, reabilitando o livro, provavelmente já fora escrita com a intenção de ser publicada.[3]

Pamáquio é descrito por este tempo como um procônsul. Não é certo se esse título foi honorífico, ou se de fato ocupou tal ofício, mas se a segunda opção for verdadeira, os autores da PIRT sugerem que foi procônsul da África. Em 396, sua esposa faleceu sem crianças e deixou sua propriedade para ele.[4] Com sua morte, Pamáquio, tornou-se monge, ou seja, dedicou-se à vida consagrada e praticou obras de caridade (Jerônimo, ep. lxvi; Paulino de Nola, ep. xiii).[1] Em 399, escreveu com Oceano a Jerônimo pedindo que traduzisse a obra De Principiis de Orígenes e repudiando a insinuação de Rufino de que Jerônimo concordava com as opiniões de Orígenes. O santo respondeu no ano seguinte (ep. lxxxiii-iv).[3]

Em 401, Pamáquio recebeu os agradecimentos de Santo Agostinho (ep. lviii) por uma carta que escrevera ao povo da Numídia, onde tinha terras, exortando-os a abandonar o cisma donatista. Muitos dos comentários de Jerônimo sobre as Escrituras foram dedicados à Pamáquio. Dentre as obras de caridade de Pamáquio está a construção, em parceria com Santa Fabíola, do hospício ou xenodóquio (caravançarai) em Porto[1] para imigrantes pobres (Jerônimo, ep. lxvi, lxxvii). O sítio foi escavado e as escavações revelaram o plano e organização desse edifício singular. Salas e salões para os doentes e pobres estavam agrupados em torno dele. A Igreja de São João e Paulo em Roma foi fundada ou por Pamáquio ou por seu pai e, por isso, era conhecida como Titulus Pammachii. Após sua morte em 409, Pamáquio passou a ser celebrado como santo e sua festa ocorre em 30 de agosto.[3]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pam%C3%A1quio_de_Roma

– Ver também páginas 345-346: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf 

4*.   No mos­teiro de Re­bais, pró­ximo de Meaux, na Nêus­tria, ac­tu­al­mente na França, Santo Agilo, seu pri­meiro abade. († c. 650).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Diocese de Meaux, perto de 650, a volta para Deus de  Santo Agilo, primeiro abade do mosteiro de Rebais, que Santo Audoeno, discípulo de São Columbano, acabara de fundar (X).

5.   Em Breuil, também no ter­ri­tório de Meaux, São Fiá­crio, ere­mita, oriundo da Ir­landa, que se­guiu a vida solitária. († c. 670).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VIII, São Fiácrio. Filho de um rei da Escócia, foi atraído pela fama de São Farão, bispo de Meaux. Instalou-se em um eremitério que deu seu nome à localidade formada ao seu redor. Monge desbravador, foi venerado particularmente pelos jardineiros e horticultores da região de Ile-de-France. (M).

– Ver páginas 339-344: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

6*.   Em Tes­sa­ló­nica, na Ma­ce­dónia, ac­tu­al­mente na Grécia, São Fan­tino o Jovem, ere­mita, que passou toda a sua vida em je­juns, vi­gí­lias e tra­ba­lhos por Cristo. († s. X)

7.   Em Lu­cédio, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, São Bo­nónio, abade, que se­guiu a vida ere­mí­tica, pri­meiro no Egipto, de­pois no monte Sinai. († 1026).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1026, a volta para Deus de São Bonônio, abade. Originário de Bolonha, entrou muito jovem no mosteiro de Santo Estêvão. Alguns anos mais tarde partiu para o Oriente,  para lá levar vida eremítica. Nomeado abade de Lucédio, no Piemonte, voltou para a Europa, fundando em seu trajeto um mosteiro na Toscana. (M)

8.   Em Trévi, no Lácio, também re­gião da Itália, São Pedro, que, em­bora anal­fa­beto, cul­tivou na so­lidão a sa­be­doria do Evangelho. († 1050)

9.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, Santa Mar­ga­rida Ward, mártir, que, no rei­nado de Isabel I, por ter aju­dado um sa­cer­dote, foi con­de­nada à morte e de bom grado re­cebeu o mar­tírio no pa­tí­bulo de Ty­burn. Com ela, no mesmo lugar, so­freram também o mar­tírio os be­atos Ri­cardo Leight, pres­bí­tero, e os leigos Edu­ardo Shelley e Ri­cardo Martin, in­gleses, João Roche, ir­landês, e Ri­cardo Lloyd, galês: o pri­meiro, porque era sa­cer­dote; os ou­tros, porque aco­lheram sacerdotes. († 1588)

– Ver “… 1588 –  Margaret Ward uma das Quarenta Mártires da Inglaterra e País de Gales M (RM). Nasceu em Congleton, Cheshire, Inglaterra; morreu em 30 de agosto de 1588; beatificado em 1929; canonizado em 1970 pelo Papa Paulo VI como um dos Quarenta Mártires da Inglaterra e País de Gales. A fidalga Margaret servia como companheira na casa da família Whittle em Londres quando foi presa junto com seu servo, o beato John Roche, por ajudar o padre Richard (William?) Watson a escapar da prisão de Bridewell. Ela contrabandeou uma corda para dentro da cela do padre para que ele pudesse descer do telhado. Ele ficou ferido, mas escapou com a ajuda de John Roche. A corda foi rastreada até Margaret, que foi severamente torturada. Eles foram julgados em Old Bailey em 29 de agosto e receberam sua liberdade se revelassem o paradeiro de Watson e se convertessem à fé protestante. Ao recusar, eles foram enforcados…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust30.html

10*.   Em Sa­luzzo, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato João Ju­venal An­cina, bispo, que, an­te­ri­or­mente mé­dico, foi dos pri­meiros a en­trar no Ora­tório de São Fi­lipe Néri. († 1604)

11*.   Em Sa­ra­goça, na Es­panha, a Beata Maria Rá­fols, virgem, que, su­pe­rando pa­ci­en­te­mente muitas ad­ver­si­dades, fundou no hos­pital desta ci­dade a Con­gre­gação das Irmãs da Ca­ri­dade de Santa Ana e a di­rigiu com suma diligência. († 1853)

12*.   Em Al­meria, também na Es­panha, os be­atos már­tires Diogo Ven­taja Milán, bispo de Al­meria, e Ma­nuel Me­dina Olmos, bispo de Guádix, que, en­car­ce­rados em ódio à fé cristã, su­por­taram pa­ci­en­te­mente os maus tratos e in­sultos, até que, du­rante a noite, foram fuzilados. († 1936)

13*.   Na es­trada de Pu­ebla Tor­nesa para Vil­la­famés, pró­ximo de Cas­tellón, também na Es­panha, o Beato Jo­a­quim de Al­bo­cácer (José Ferrer Adell), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que pelo mar­tírio al­cançou a re­com­pensa pro­me­tida aos que per­se­veram na fé. († 1936)

14*.   Em Bilbau, também na Es­panha, o Beato Vi­cente Ca­banes Badenas, pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Ter­ciá­rios Ca­pu­chi­nhos de Nossa Se­nhora das Dores e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição contra a fé, me­receu en­trar no ban­quete celeste. († 1936)

15♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos már­tires An­tónio Maria Ar­riaga Anduíza, re­li­gioso da Ordem de Santo Agos­tinho, e Ni­cásio Romo Rúbio, re­li­gioso da Ordem dos Pre­ga­dores, que na mesma per­se­guição foram as­sas­si­nados em ódio à fé cristã. († 1936)

16♦.   Em Ata­vaca, perto de Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos Ger­mano Martin Martin, pres­bí­tero, Di­o­nísio Ul­lí­varri Barajuán, re­li­gioso, ambos da So­ci­e­dade Sa­le­siana e már­tires, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, der­ra­moram o seu sangue por Cristo e al­can­çaram a palma da glória. († 1936)

17♦.   Em Kfiffan, no Lí­bano, o Beato Es­têvão Nehmé (José Nehmé), re­li­gioso da Ordem Ma­ro­nita Libanesa. († 1938)

18♦. Santa Joana Jugan. “Joana Jugan lembra a misericórdia de Deus para com os pobres. Fundadora das Irmãzinhas dos Pobres, em 1830, foi beatificada por João Paulo II, no dia 3 de outubro de 1982.”: https://evangelhoquotidiano.org/PT/display-saint/beaa4540-eec7-4c9c-ac57-55fce317b77e

– Ver também “… Joana Jugan (Cancale25 de outubro de 1792 – Saint-Pern28 de agosto de 1879) é uma santa católica fundadora da congregação das Irmãzinhas dos Pobres.

Foi beatificada por João Paulo II, no dia 3 de outubro de 1982[1] e canonizada em 11 de outubro de 2009 por Bento XVI…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Joana_Jugan  

19*.   Em Ve­né­gono, pró­ximo de Va­rese, na Itália, o pas­sa­mento do Beato Al­fredo Il­de­fonso Schuster, bispo, que era abade de São Paulo em Roma quando foi no­meado para a sede epis­copal de Milão, mi­nis­tério pas­toral que exerceu in­can­sa­vel­mente com ad­mi­rável sa­be­doria em favor do seu povo. († 1954).

– Ver “…O Bem-Aventurado Alfredo Ildefonso Schuster (18 de janeiro de 1880 – 30 de agosto de 1954) – nascido Alfredo Ludovico Schuster – foi prelado católico italiano e membro professo da Ordem de São Bento que serviu como arcebispo de Milão, de 1929 até a sua morte.[1] Ele tomou o nome de Ildefonso como monge beneditino e serviu como abade antes de sua elevação ao cardinalato.[2]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Alfredo_Ildefonso_Schuster

 20. Santa Rosa de Santa Maria (também na Folhinha do Coração de Jesus, de 30 de agosto)

– Ver “… Para todos nós, hoje, é dia de grande alegria, pois podemos celebrar a memória da primeira santa da América do Sul, Padroeira do Peru, das Ilhas Filipinas e de toda a América Latina. Santa Rosa nasceu em Lima (Peru) em 1586; filha de pais espanhóis, chamava-se Isabel Flores, até ser apelidada de Rosa por uma empregada índia que a admirava, dizendo-lhe: “Você é bonita como uma rosa!” ...A mudança oficial do nome de Isabel para Rosa ocorreu quando ela tomou o hábito da Ordem Terceira Dominicana, da mesma família de sua santa e modelo de devoção: Santa Catarina de Sena. A partir dessa consagração, passou a chamar-se Rosa de Santa Maria.”:

https://santo.cancaonova.com/santo/santa-rosa-de-lima/

Ver dia 23 de agosto: Santa Rosa de Lima

Santa Rosa (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, in­signe desde tenra idade pela sua aus­tera so­bri­e­dade de vida, tomou em Lima, ci­dade do Peru, o há­bito das Irmãs da Ordem Ter­ceira de São Do­mingos; de­di­cada à pe­ni­tência e à oração, e ar­dente de zelo pela sal­vação dos pe­ca­dores e das po­pu­la­ções in­dí­genas, as­pi­rava a dar a vida por eles, sub­me­tendo-se es­pon­ta­ne­a­mente a todo o gé­nero de sa­cri­fí­cios, a fim de con­quistar a todos para Cristo. A sua morte ocorreu no dia 24 de agosto. († 1617).

– Conforme o Martírio Romano-Monástico, em 1617, o nascimento no céu de Santa Rosa de Lima, a “Primeira Flor de Santidade do Peru”. Desejando consagrar a Deus sua grande beleza física, tomou o hábito da Ordem Terceira Dominicana para testemunhar contra a sociedade próspera e materialista em que vivia. Morreu aos trinta e um anos na cidade de Lima. (R). Ver páginas 222-224: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também “…Rosa de Lima (Lima20 de abril de 1586 – Lima, 24 de agosto de 1617), foi uma mística da Ordem Terceira Dominicana canonizada pelo Papa Clemente X em 1671. Santa Rosa é a primeira santa nativa da América e padroeira do Peru… Dela disse o Cardeal RatzingerDe certa forma, essa mulher é uma personificação da Igreja da América Latina: imersa em sofrimentos, desprovida de meios materiais e de um poder significativos, mas tomada pelo íntimo ardor causado pela proximidade de Jesus Cristo. (Homilia no Santuário de Santa Rosa de Lima, Peru, em 19 de julho de 1986).”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Rosa_de_Lima

21. São Gaudêncio (também na Folhinha do Coração de Jesus de 30 de agosto)

-Ver também dia 25 de outubro: Em Bréscia, na Ve­nécia, ac­tu­al­mente na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Gau­dêncio, bispo, que, or­de­nado por Santo Am­brósio, se dis­tin­guiu entre os pre­lados da sua época pela dou­trina e vir­tude, en­sinou o seu povo com a pa­lavra e os es­critos e cons­truiu uma ba­sí­lica que de­no­minou «Con­cílio dos Santos». († c. 410). Ver páginas 9-15: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

– Ver também “… Gaudêncio de Bréscia (em italianoSan Gaudenzio di Brescia; em latimGaudentius) foi bispo de Bréscia entre 387 e 410, sucessor de São Filástrio, teólogo e autor de muitas cartas e sermões.”:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Gaud%C3%AAncio_de_Br%C3%A9scia

22. Outras santas e santos do dia 30 de agosto: págs. 339-349, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 30 de agosto, ver ainda: 30 de agosto – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  682-684: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para B
  5. rasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  6. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  7. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  8. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust30.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 29 de agosto

1. Me­mória do mar­tírio de São João Baptista (também na Folhinha do Coração de Jesus), que o rei He­rodes An­tipas fez pri­si­o­neiro na for­ta­leza de Ma­que­ronte, na ac­tual Jor­dânia, e na festa do seu ani­ver­sário, a pe­dido da filha He­ro­díades, mandou de­golar. Deste modo, o pre­cursor do Se­nhor, como luz que arde e ilu­mina, deu tes­te­munho da ver­dade, tanto na morte como na vida.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória da Paixão de São João Batista, o Precursor, que mostrou Cristo a seus discípulos como sendo o Cordeiro de Deus e se apagou humildemente diante d’Ele. Rendeu o supremo testemunho à verdade ao defender a divina instituição do casamento. (R).

– Ver páginas 324-335: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também “…Decapitação de João Batista (alternativamente Decapitação de São João Batista ou Decapitação do Anunciador) é um dia santo observado por várias denominações cristãs. Este dia comemora o martírio de João Batista.

Em 29 de agosto de 2012, durante uma audiência pública televisionada no palácio de verão de Castel Gandolfopapa Bento XVI defendeu que a descoberta da cabeça fragmentada de São João Batista pela segunda vez atesta a veneração milenar da santidade da relíquia, que data da era apostólica.[1] Além disso, o pontífice também lembrou da festa que comemora o translado desta relíquia para o novo santuário na Basílica de San Silvestro in Capite, em Roma…”:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Decapita%C3%A7%C3%A3o_de_Jo%C3%A3o_Batista

2.   Em Sir­mion, na Pa­nónia, hoje Sremska Mo­tro­vica, na Sérvia, Santa Ba­sila. († s. III/IV)

– Ver “… Basilla de Smyrna V (RM). De acordo com o martirológio romano, a sagrada virgem Basilla morreu em Esmirna… Outros martirologistas colocam sua morte em Sirmium, na Panônia (Mitrovica) (Beneditinos).”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust29.html

3.   Em Roma, a co­me­mo­ração de Santa Sa­bina (também na Folhinha do Coração de Jesus), cujo tí­tulo fun­dado no monte Aven­tino ve­nera o seu nome. (422-432).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, Santa Sabina, em cuja honra uma igreja foi consagrada no Monte Aventino, desde o Séc, V. (M).

– Ver “… Sabina de Roma foi uma matriarca e mártir cristã de Roma. Ela era viúva do senador Valenciano[1] e filha de Herodes Metalário. Depois que sua escrava Seráfia, que foi quem a converteu, foi denunciada e assassinada, Sabina recuperou seus restos e os fez enterrar no mausoléu da família, o local onde ela própria esperava ser enterrada. Denunciada também, Sabina foi acusada de ser cristão por um tal Elpídio. Seu martírio ocorreu no ano de 125, na cidade de Vindena, na região da ÚmbriaItália[2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sabina_de_Roma

4.   Em Metz, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, Santo Adelfo, bispo. († s. V)

– Ver “… 5º v. São Adelphus Bispo e confessor – Metz, França . Ele está listado no Martirológio Romano anterior a 1970, mas é obscuro, sendo amplamente venerado em Metz, França.
Adelphus (Adelphius) de Metz B (RM) século V. Adelphius era bispo de Metz, França – nada mais conhecido. Seu culto inicial na área é indiscutível. Suas relíquias foram traduzidas para Neuvillers (Estrasburgo), Alsácia, em 826 foi saudado com alegria (Beneditinos, Enciclopédia, Roeder). Na arte, Santo Adelphus é retratado como um bispo em cima de um dragão. Ele pode ser mostrado (1) conduzindo uma mendiga pela mão; (2) sentar em um trono, rodeado pelos pobres; ou (3) aparecendo após a morte para supervisionar a tradução de seus ossos (Roeder) …”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust29.html

5*.   No ter­ri­tório de Nantes, na Bre­tanha Menor, hoje também na França, São Vítor, ere­mita, que viveu re­cluso num pe­queno ora­tório por ele cons­truído junto de Le Chambon. († c. s. VII)

6.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, a co­me­mo­ração de São Sébio, rei dos Sa­xões Ori­en­tais, de­vo­tís­simo a Deus, que, dei­xando o reino, tomou o há­bito mo­nás­tico e com ele morreu, como tanto desejava. († c. 693).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Inglaterra, no final do séc, VII, São Sebe, rei de Essex. Segundo Beda, o Venerável, “um homem assim foi feito mais para o episcopado do que para a realeza. Homem muito devotado a Deus… preferiu uma vida de características monásticas a todas as riquezas e honras do reino”. (M)

7.   Em Paris, na Nêus­tria, na ho­di­erna França, São Me­de­rico, pres­bí­tero e abade de Autun, que viveu numa er­mida, perto da cidade. († c. 700).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, por volta de 700, São Mederico. Inicialmente monge de Autun, sua cidade natal, ele a deixou para escapar à popularidade da qual era objeto, e se estabeleceu fora dos muros da cidade de Paris, próximo à Capela de São Pedro dos Bosques, que mais tarde recebeu seu nome. (M)

8*.   Em Va­lência, na Es­panha, os be­atos már­tires João de Perúgia, pres­bí­tero, e Pedro de Sassoferrato, re­li­gioso, ambos da Ordem dos Me­nores, que, por terem pre­gado a fé cristã aos mouros de Va­lência, foram de­ca­pi­tados por ordem do rei na praça pú­blica, e assim re­ce­beram a palma do martírio. († 1231)

9*.   Em Cra­cóvia, na Po­lónia, a Beata Bro­nis­lava, virgem da Ordem dos Pre­mons­tra­tenses, que quis se­guir uma vida hu­milde e oculta e, des­truído o seu mos­teiro pelos Tár­taros, con­ti­nuou a viver a sós com Deus numa cabana. († 1259)

10*.   Em Len­castre, na In­gla­terra, o Beato Ri­cardo Herst, mártir, pai de fa­mília e agri­cultor, que, fal­sa­mente acu­sado de ho­mi­cídio, no rei­nado de Jaime I, foi con­de­nado ao su­plício da forca e morreu por Cristo. († 1618).

– Ver “…Condenado, preferiu morrer… Minha carne está atemorizada, amedrontada, mas encontro grande conforto espiritual em me atirar ao meu doce Salvador com um ferventíssimo amor. Quando me ponho a considerar o que lhe fizeram e o que sofreu por mim, meu maior desejo é de sofrer com ele. Acho melhor morrer mil vezes do que possuir um reino e viver em pecado mortal. Nada há de mais detestável, para mim, do que o pecado, e isto unicamente pelo amor do meu Salvador… Corajosamente, o bem-aventurado Ricardo Herst foi morto no ano de 1628. Deixara seis filhos e um por nascer. Beatificado em 1929” à página 336: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também “… 1628 Bl. Richard Herst mártir inglês – No dia seguinte ao martírio de Bd Edmund Arrowsmith em Lancaster, sofreu na mesma cidade Bd Richard Herst, cuja história é uma das mais notáveis ​​nas histórias dos mártires ingleses e galeses. Ele foi enforcado, aparentemente por homicídio doloso… Bem-aventurado Richard Herst (Hurst, Hayhurst) M (AC). Nasceu perto de Preston, Lancashire, Inglaterra; morreu em Lancashire em 1628; beatificado em 1929… Também chamado de Hurst. Nascido perto de Preston, Lancashire, Inglaterra, ele era conhecido como fazendeiro até ser preso sob a acusação de assassinato. Ele lutou com três homens que tentaram prendê-lo, e um deles, chamado Dewhurst, morreu. Na verdade, ele foi enforcado em Lancaster em 29 de agosto por causa de sua recusa em negar o catolicismo… Vendo que o carrasco estava se atrapalhando com o conserto da corda, chamou-o: “Tom, acho que devo subir e ajudá-lo”… Foi-lhe oferecida sua liberdade se ele fizesse o Juramento de Supremacia, mas recusou… Richard Herst era um fazendeiro que foi enforcado sob uma acusação infundada de assassinato por ser católico (beneditinos)…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust29.html

11*.   Ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Luís Vul­fi­lácio Huppy, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, foi en­car­ce­rado num sór­dido barco em con­di­ções de­su­manas por causa do seu sa­cer­dócio e morreu con­su­mido pelas enfermidades. († 1794)

12*.   Em Wa­ter­fold, na Ir­landa, o Beato Ed­mundo Inácio Rice, que se de­dicou com ar­do­rosa di­li­gência à for­mação das cri­anças e dos jo­vens em si­tu­a­ções di­fí­ceis e, para for­ta­lecer esta obra, fundou a Con­gre­gação dos Ir­mãos Cris­tãos e a dos Ir­mãos da Apresentação. († 1844)

13*.   Em Rennes, na França, Santa Maria da Cruz (Joana Jugan), virgem, que, para men­digar o ne­ces­sário para os po­bres e para Deus, fundou a Con­gre­gação das Ir­mã­zi­nhas dos Po­bres e, in­jus­ta­mente afas­tada da di­recção do Ins­ti­tuto, passou o resto da sua vida em oração e humildade. († 1879)

14*.   Em Va­lência, na Es­panha, o Beato Cons­tan­tino Fer­nández Ál­varez, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, em tempo de per­se­guição re­li­giosa, con­sumou o seu com­bate pela fé. († 1936)

15*.   Em Hijar, lo­ca­li­dade pró­xima de Te­ruel, também na Es­panha, o Beato Fran­cisco Monzón Romeo, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, na mesma per­se­guição, con­firmou com o seu sangue a fi­de­li­dade ao Senhor. († 1936)

16*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, pró­ximo de Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Do­mingos Je­dr­ze­jewski, pres­bí­tero e mártir, que, no furor da guerra, foi de­por­tado da Po­lónia para um cár­cere es­tran­geiro, onde, de­pois de cruéis su­plí­cios, morreu por Cristo. († 1942)

17*.   Em Poznan, na Po­lónia, a Beata Sancha Szym­kowiak (Jo­a­nina Szym­kowiak), virgem da Con­gre­gação das Fi­lhas de Nossa Se­nhora das Dores, que, du­rante a vi­o­lência da mesma guerra, se de­dicou com suma di­li­gência ao cui­dado dos de­tidos no cárcere. († 1942)

18*.   Em Santa Júlia, po­vo­ação do Pi­e­monte, na Itália, a Beata Te­resa Bracco, virgem e mártir, tra­ba­lha­dora do campo, que, du­rante a se­gunda guerra mun­dial, por ter de­fen­dido co­ra­jo­sa­mente a sua pu­reza, foi morta pelos golpes de al­guns soldados. († 1944)

19♦.   Em Ollur, na lo­ca­li­dade de Ke­rala, es­tado da India, Santa Eu­frásia do Sa­grado Co­ração de Jesus (Rosa Elu­vathingal), virgem da Con­gre­gação da Mãe do Carmelo. († 1952)

20. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Constantinopla, o martírio dos Santos Hipácio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo da Ásia, e André, sacerdote, degolados por defenderem o culto das santas imagens. (M)

21. São Niceias (também na Folhinha do Coração de Jesus)

– Ver “… São Nicéia e Paulo Dois mártires executados na Síria…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust29.html

22. Santa Cândida Menor, também na Folhinha do Coração de Jesus ver 10 de setembro. Ver também dias 29 de agosto e 20 de setembro. OUTRAS ANOTAÇÕES DE SANT A CÂNDIDA:

– Ver “…Comemora-se no dia 29 de agosto. Não se sabe se era natural de Roma, nem se deve identificar-se com outras santas do mesmo nome e da mesma cidade. (texto extraído do livro “Bibliotheca Sanctorum, Instituto Giovanni XXIII nelle Pontificia Universitá Lateranense – 1963 – Vol. III – pg. 734:).A virgem e mártir Santa Cândida, a padroeira, é festejada no dia 29 de agosto.  Estudo feito; Tarcisio Cirino”:

http://missoespopulares.blogspot.com/2011/03/encontrei-o-corpo-santo-da-virge-e.html

-Ver também:  http://fraternidadesaogilberto.blogspot.com/2012/08/santa-candida-virgem-e-martir.html  

– Ver página 337: (http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver “Ela recebe, no dia 20 de setembro, as tradicionais homenagens litúrgicas confirmadas pela Igreja. Encontrei alguns sites de paróquias afirmando celebrarem sua festa dia 29 de setembro.”: http://santossanctorum.blogspot.com/2016/09/santa-candida-martir-padroeira-das_7.html

– Ver: “Ela recebe, no dia 20 de setembro, as tradicionais homenagens litúrgicas confirmadas pela Igreja”: http://www.derradeirasgracas.com/3.%20Os%20Santos%20do%20Dia/Santos%20do%20M%C3%AAs%20de%20Setembro/20.09%20-%20Santos%20Eust%C3%A1quio.htm

 – Ver: “”: https://www.rs21.com.br/calendario-liturgico/calendario-liturgico-santo-do-dia/santo-do-dia-santa-candida-2/

https://www.youtube.com/watch?v=pni4krLQXhM

https://pt.zenit.org/articles/candida-maria-de-jesus-a-santa-que-viveu-a-caridade-ate-o-extremo/

23. Outras santas e santos do dia 29 de agosto: págs. 324-338, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 29 de agosto, ver ainda: 29 de agosto – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  679-682: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para B
  5. rasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  6. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  7. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  8. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust29.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 28 de agosto

1. Me­mória de Santo Agos­tinho (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo e in­signe doutor da Igreja, que, de­pois de uma vida in­quieta, quer in­te­lec­tual quer mo­ral­mente, se con­verteu à fé ca­tó­lica e foi bap­ti­zado por Santo Am­brósio de Milão e, re­gres­sando à sua pá­tria, aí levou com al­guns amigos uma vida as­cé­tica, con­sa­grada a Deus e ao es­tudo da Es­cri­tura. Eleito de­pois bispo de Hi­pona, hoje An­naba, na Ar­gélia, du­rante trinta e quatro anos foi per­feito mo­delo do seu re­banho e deu-lhe uma só­lida for­mação cristã por meio de nu­me­rosos ser­mões e es­critos, com os quais com­bateu for­te­mente os erros do seu tempo e expôs com sa­be­doria a ver­da­deira fé. († 430).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santo Agostinho, bispo de Hipona e doutor da Igreja, morto em 430. Inicialmente professor de retórica e orador, foi convertido de seus desvios morais e doutrinais, e batizado, perto de trinta e três anos, por Santo Ambrósio de Milão. Desde então, consagrou-se de corpo e alma a Deus, engajando-se na vida monástica e sacerdotal. Durante os trinta e quatro anos de seu episcopado, serviu a Igreja por sua palavra, abrindo o tesouro da Escritura a seus fiéis, e, através de seus escritos, expondo e defendendo de maneira incomparável, a doutrina da graça. (R).

– Ver páginas 268-305: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver “… Aurélio Agostinho de Hipona (em latimAurelius Augustinus Hipponensis[2]), conhecido universalmente como Santo Agostinho, foi um dos mais importantes teólogos e filósofos nos primeiros séculos do cristianismo,[3] cujas obras foram muito influentes no desenvolvimento do cristianismo e filosofia ocidental. Foi bispo de Hipona, uma cidade na província romana da África. Escrevendo na era patrística, é amplamente considerado como o mais importante dos Padres da Igreja no ocidente. Suas obras-primas são De Civitate Dei (“A Cidade de Deus”) e “Confissões“, ambas ainda muito estudadas atualmente.

De acordo com Jerônimo, seu contemporâneo, Agostinho “restabeleceu a antiga fé”.[4] Em seus primeiros anos, Agostinho foi muito influenciado pelo maniqueísmo e, logo depois, pelo neoplatonismo de Plotino.[5] Depois de se converter ao cristianismo e aceitar o batismo (387), desenvolveu uma abordagem original à filosofia e teologia, acomodando uma variedade de métodos e perspectivas de uma maneira até então desconhecida.[6] Acreditando que a graça de Cristo era indispensável para a liberdade humana, ajudou a formular a doutrina do pecado original e deu contribuições seminais ao desenvolvimento da doutrina da guerra justa.

Quando o Império Romano do Ocidente começou a ruir, Agostinho desenvolveu o conceito de “Igreja Católica” como uma “Cidade de Deus” espiritual (na obra homônima) distinta da cidade terrena e material de mesmo nome.[7] “A Cidade de Deus” estava também intimamente ligada ao segmento da Igreja que aderiu ao conceito da Trindade como postulado pelo Concílio de Niceia e pelo Concílio de Constantinopla.[8]

Na Igreja Católica e na Comunhão Anglicana, Agostinho é venerado como um santo, um proeminente Doutor da Igreja e o patrono dos agostinianos. Sua festa é celebrada no dia de sua morte, 28 de agosto. Muitos protestantes, especialmente os calvinistas, consideram Agostinho como um dos “pais teológicos” da Reforma Protestante por causa de suas doutrinas sobre a salvação e graça divina. Na Igreja Ortodoxa, algumas de suas doutrinas não são aceitas, como a da cláusula Filioque,[9] do pecado original e do monergismo.[9]Ainda assim, apesar destas controvérsias, é considerado também um santo, sendo comemorado como “Beato Agostinho” no dia 15 de junho.[10] Ainda assim, numerosos autores ortodoxos advogaram a favor de suas obras e de sua personalidade, como Genádio II de Constantinopla e Seraphim Rose”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Agostinho_de_Hipona

2.   Em Roma, no ce­mi­tério de Ba­sila, junto à Via Sa­lária An­tiga, Santo Hermes, mártir, que, como re­fere o papa São Dâ­maso, veio da Grécia e Roma aco­lheu como seu ci­dadão, quando so­freu o mar­tírio pelo santo nome de Cristo. († s. III).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, Santo Hermes, escravo ou liberto romano, martirizado no séc. II. (M)

3.   Em Cons­tança, na Suábia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, a co­me­mo­ração de São Paio (São Pelágio), mártir. († c. s. III)

4.   Em Bri­oude, perto de Cler­mont-Fer­rand, na Aqui­tânia, hoje na França, São Ju­lião, mártir, que, em tempo de per­se­guição, tendo vindo para este ter­ri­tório pela exor­tação de São Fer­réolo, con­forme se narra, neste lugar re­cebeu a palma do martírio. († c. s. III).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Brioude, na Auvergne, São Juliano, mártir. Companheiro do tribuno São Ferreolo, seguia secretamente a Cristo sob o uniforme militar. Durante a perseguição de Diocleciano, foi detido e teve o pescoço cortado. Seu culto teve grande popularidade em várias localidades, que se colocaram sob seu patrocínio. (M)

5.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, Santo Ale­xandre, bispo, cuja oração apos­tó­lica, como es­creve São Gre­gório de Na­zi­anzo, venceu o chefe da im­pi­e­dade ariana. († c. 336).

– Ver “… Alexandre de Constantinopla foi o 27º bispo de Bizâncio e primeiro arcebispo de Constantinopla. Segundo seu sinaxário, era filho de Jorge e Briena e nativo da Calábria, na Itália. Se dedicou a vida religiosa desde tenra idade, vivendo num mosteiro. Diz-se que tinha o dom das visões após dias em jejum, e que teve problemas com ataques dos sarracenos. Era vigário de Metrófanes (r. 306–314/317), que o designou sucessor no leito de morte, em 314/317, ou 325, dependendo da fonte.

Se envolveu na controvérsia ariana em oposição a Ário e parceria com o papa de Alexandria Alexandre I (r. 313–326). Em 325, foi ao Primeiro Concílio de Niceia que excomungou Ário, mas em 336, recebeu ordens do imperador Constantino (r. 306–337) para readmiti-lo na comunhão da Igreja. Mesmo sob ameaça dos eusebianos, se recusou e se trancou na Igreja de Santa Irene em intensa oração; Ário faleceu no caminho à igreja. Morreu em 337/340 e foi considerado santo, com sua festa primeiro sendo celebrada em 2 de junho e hoje em 30 de agosto, na Igreja Ortodoxa, e 28 de agosto, na Igreja Católica…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Alexandre_de_Constantinopla

São João III (também na Folhinha do Coração de Jesus).

– ver “… 340, 577, 784 Ss. Alexandre, João III e Paulo IV, Patriarcas de Constantinopla

Alexandre de Bizâncio (VER DIA 26 DE FEVEREIRO) já tinha setenta e três anos quando foi eleito para o trono episcopal de Constantinopla e ocupou o cargo por vinte e três anos nos dias difíceis do heresiarca Ário. Logo após sua eleição, o imperador Constantino ordenou uma conferência entre os teólogos cristãos e vários filósofos pagãos, e a discussão foi lançada em confusão por todos os filósofos que tentavam falar ao mesmo tempo. Por sugestão de Santo Alexandre, eles escolheram os mais eruditos entre eles para expressar seus pontos de vista, e enquanto um deles falava, Alexandre de repente exclamou: “Em nome de Jesus Cristo, ordeno-lhe que fique em silêncio!” Diante disso, diz-se, o infeliz descobriu que sua língua estava paralisada e sua boca incapaz de pronunciar uma palavra até que Alexandre o autorizou.

Em 336, Ário chegou triunfante a Constantinopla, com uma ordem do imperador para que Santo Alexandre o recebesse em comunhão. Diz-se que Alexandre se trancou na igreja e orou, com São Tiago de Nisibis, para que Deus removesse a si mesmo ou a Ário. Em qualquer caso, na noite anterior ao dia marcado para sua recepção solene, Ário morreu repentinamente. Era natural que muitos cristãos considerassem isso uma intervenção divina à intercessão de Santo Alexandre, e essa visão é expressa pelo Martirológio Romano, que se refere a ele como “um velho glorioso, por causa de cujas orações, Ário, condenado pelo juízo de Deus, rompe-se pelo meio e as suas entranhas derramaram-se”.

Os católicos bizantinos se unem em uma comemoração com Santo Alexandre, dois outros arcebispos sagrados de Constantinopla, João III e Paulo IV, chamados “os jovens”. João nasceu perto de Antioquia e foi advogado antes de ser ordenado. Ele foi enviado como legado patriarcal de Antioquia para Constantinopla, onde seu aprendizado o fez ser conhecido como “o Escolástico”; já havia feito uma coleção de cânones do direito eclesiástico, que o recomendava ao imperador Justiniano I, e no ano 565foi feito patriarca da cidade imperial. Enquanto ocupou esse cargo, ele revisou e ampliou sua coleção de cânones, que foi a primeira a ser feita sistematicamente; este trabalho cresceu eventualmente no compêndio da lei da igreja oriental chamado de Nomokanon. São João Escolástico morreu em 577.

São Paulo, o Jovem, nasceu em Salamina e se tornou patriarca de Constantinopla em 780, durante os últimos meses do imperador Leão IV. Diretamente a Imperatriz Irene tornou-se regente, ele defendeu a restauração das imagens sagradas e sua veneração; em 784 retirou-se para o mosteiro de Florus, declaradamente como um ato de penitência por seus compromissos e falta de ousadia durante o regime iconoclasta. Até sua morte, pouco depois, ele encorajou a reunião de um conselho para a condenação da Iconoclastia; acabou se reunindo no ano de 787…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust28.html

6.   Em Car­tago, na ho­di­erna Tu­nísia, São Res­ti­tuto, em cuja fes­ti­vi­dade Santo Agos­tinho fez em sua honra um sermão ao povo. († c. 360)

7*.   Em Sár­sina, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, São Vi­cínio, pri­meiro bispo desta cidade. († s. IV/V)

8.   Em Saintes, na Gália, ac­tu­al­mente na França, São Vi­viano (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo. († s. V).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, o Bem-Aventurado Bibiano, bispo, que se devotou ao serviço da Igreja de Saintes. (M)

9.   No Egipto, São Moisés o Etíope, que, de­pois de ter sido um la­drão fa­moso se tornou ana­co­reta, con­verteu muitos do seu bando e os con­duziu com ele para o mosteiro. († c. 400).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no deserto de Cétia, no séc. IV, São Moisés, o Egípcio. Antigo escravo liberto por seu patrão, era chefe de um bando de assaltantes, quando tocado pela graça converteu-se e abraçou a vida monástica. Escolhido como sacerdote pelos numerosos penitentes que se haviam reunido em volta dele, o antigo assassino aplicou-se em animar a vida espiritual daquelas pessoas pelo exemplo de sua humildade. (M).

– Ver “… São Moisés o Negro (Axum, c. 330 – Egito, 19 de junho de 405), (também conhecido como Aba Moisés o Grandeo Ladrãoo Abissínioo Etíope e o Forte) foi um hieromonge asceta no Egito do século IV, e um conhecido Padre do Deserto”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Mois%C3%A9s,_o_Negro

– Ver PADRES DO DESERTO “… Os Padres do Deserto ou Pais do Deserto foram eremitasascetasmonges e freiras que viviam majoritariamente no deserto da Nítria (Escetes), no Egito a partir do século III. O mais conhecido deles foi Santo Antão (ou Santo Antônio, o Grande), que mudou-se para o deserto em 270-271 e se tornou conhecido tanto como o pai quanto o fundador do monasticismo no deserto. Quando Antão morreu em 356, milhares de monges e freiras tinham sido atraídos para a vida no deserto seguindo o exemplo do grande santo. Seu biógrafo, o doutor da igreja Atanásio de Alexandria, escreveu que “o deserto tinha se tornado uma cidade” [1].

Os Padres do Deserto tiveram uma enorme influência no desenvolvimento do cristianismo primitivo. As comunidades monásticas do deserto que cresceram destes encontros informais de monges eremitas se tornaram o modelo para o monasticismo cristão. A tradição monástica oriental, representada em Monte Atos, e ocidental, sob a Regra de São Bento, foram ambas fortemente influenciadas pelas tradições iniciadas no deserto. Todos renascimentos monásticos da Idade Média buscaram no deserto alguma inspiração e orientação. Muito da espiritualidade do Cristianismo Ortodoxo, incluindo o movimento hesicasta, tem as suas raízes nas práticas dos Padres do Deserto. Mesmo renascimentos religiosos mais modernos, como os evangélicos alemães, os pietistas da Pensilvânia e o renascimento metodista na Inglaterra foram vistos por estudiosos atuais como tendo sido em alguma medida influenciados pelos Padres do Deserto[2]…”: Padres do Deserto – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

10.   Em Se­vilha, na An­da­luzia, re­gião da His­pânia, Santa Flo­ren­tina, virgem, muito eru­dita em ci­ên­cias ecle­siás­ticas, a quem os seus ir­mãos Le­andro e Isi­doro de­di­caram tra­tados de in­signe doutrina. († s. VII)

11*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Gui­lherme Dean, pres­bí­tero, e sete com­pa­nheiros, que, no rei­nado de Isabel I, con­su­maram o seu mar­tírio pelo reino de Deus, en­for­cados no mesmo dia mas em lu­gares di­versos da ci­dade ou nos arredores. São estes os seus nomes: Gui­lherme Gunter, Ro­berto Morton, Tomás Hold­ford e Jaime Claxton, pres­bí­teros; Tomás Felton, clé­rigo da Ordem dos Frades Me­nores; Hen­rique We­bley e Hugo More, leigos. († 1588)

12.   Em Len­castre, também na In­gla­terra, Santo Ed­mundo Ar­rows­mith, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, na­tural deste du­cado, que, de­pois de ter exer­cido o mi­nis­tério pas­toral du­rante muitos anos na sua pá­tria, porque era sa­cer­dote e con­du­zira muitas pes­soas à fé ca­tó­lica, foi en­for­cado, contra a von­tade dos pró­prios pro­tes­tantes do lugar, no rei­nado de Carlos I. († 1628)

13.   Em Mon­terrey, na Ca­li­fórnia, Santo Ju­ní­pero (Mi­guel Serra), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, que, nas tribos da­quela re­gião ainda pagã, so­bre­car­re­gado por muitas di­fi­cul­dades e tra­ba­lhos, pregou o Evan­gelho de Cristo no idioma do povo local e de­fendeu te­naz­mente os di­reitos dos po­bres e dos humildes. († 1784).

Em 01 de julho, ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jun%C3%ADpero_Serra

– Ver também: https://www.acidigital.com/noticias/hoje-e-celebrado-sao-junipero-serra-o-apostolo-da-california-38995

– Ver também: https://pt.aleteia.org/2015/09/24/sao-junipero-serra-quem-e-o-polemico-novo-santo-canonizado-pelo-papa-francisco/

– Ver ainda: http://www.ihu.unisinos.br/noticias/543039-junipero-serra-santo-ou-nao%20

– Ver “São Junípero Serra O.F.M., em catalão Fra Juníper Serra[1] (24 de novembro de 1713 – 28 de agosto de 1784) foi um frade franciscano maiorquino que fundou cadeia de missões na Alta Califórnia, parte da província de Las Californias na Nova Espanha, atual CalifórniaEstados Unidos. Entre as missões fundadas encontram-se os núcleos que deram origem a Los AngelesSan FranciscoSacramento e San Diego.

O Padre Serra foi beatificado pelo Papa João Paulo II em 25 de setembro de 1988. Foi canonizado pelo Papa Francisco em 23 de setembro de 2015, por ocasião da sua viagem apostólica a Cuba e Estados Unidos.[2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jun%C3%ADpero_Serra

– Ver também “1784 Bl. Junipero Serra Ordem Franciscana Miguel Jose Serra. Ordenado em 1737, ensinou filosofia e teologia na Universidade de Pádua. Aos 37 anos, desembarcou na Cidade do México em 1º de janeiro de 1750 e passou o resto de sua vida trabalhando pela conversão dos povos do Novo Mundo.
Nasceu na ilha de Maiorca a 24 de novembro de 1713 e assumiu o nome de Junipero quando, em 1730, entrou para a Ordem Franciscana. Ordenado em 1737, ele ensinou filosofia e teologia na Universidade de Pádua até 1749.
Em 1768, o padre Serra assumiu as missões dos jesuítas (que haviam sido expulsos indevidamente pelo governo) na província mexicana da Baixa Califórnia e da Alta Califórnia (atual Califórnia). Trabalhador incansável, Serra foi em grande parte responsável pela fundação e difusão da Igreja na Costa Oeste dos Estados Unidos quando ainda era território de missão.
Ele fundou 21 missões e converteu milhares de índios. Os convertidos aprenderam métodos sólidos de agricultura, pecuária e artes e ofícios.
Junipero era um religioso e missionário dedicado. Ele estava imbuído de um espírito penitencial e praticava austeridade durante o sono, alimentação e outras atividades. Em 28 de agosto de 1784, esgotado pelos labores apostólicos, o padre Serra foi chamado ao descanso eterno. Ele foi beatificado pelo Papa João Paulo II em 25 de setembro de 1988. Sua estátua, representando o estado da Califórnia, está no National Statuary Hall.”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly01.html

– Ver também: https://www.acidigital.com/noticias/hoje-e-celebrado-sao-junipero-serra-o-apostolo-da-california-38995

– Ver também: https://pt.aleteia.org/2015/09/24/sao-junipero-serra-quem-e-o-polemico-novo-santo-canonizado-pelo-papa-francisco/

– Ver ainda: http://www.ihu.unisinos.br/noticias/543039-junipero-serra-santo-ou-nao%20

14*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Carlos Ar­naldo Hanus, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, por causa do sa­cer­dócio foi en­car­ce­rado na sór­dida ga­lera, na qual, atin­gido pelo es­va­e­ci­mento e também pela en­fer­mi­dade, con­sumou o martírio. († 1794)

15.   Em Bar­ce­lona, na Es­panha, Santa Jo­a­quina de Ve­druma, mãe de fa­mília, que educou pi­e­do­sa­mente nove fi­lhos e, quando ficou viúva, fundou o Ins­ti­tuto das Car­me­litas da Ca­ri­dade, su­por­tando se­re­na­mente todo o gé­nero de so­fri­mentos até à sua morte, que ocorreu por con­tágio da cólera. († 1854). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Joaquina_de_Vedruna

16♦.   Em Alençon, na França, Santa Zélia Maria Guerin, mãe de Santa Te­resa do Me­nino Jesus. († 1877)

17*.   Na re­gião de Va­lência, na Es­panha, os be­atos már­tires João Bap­tista Faubel Cano e Artur Ros Montalt, pais de fa­mília, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, re­ce­beram dos ho­mens a morte, mas de Deus a vida eterna. († 1936)

18*.   Em Vi­la­nesa, lo­ca­li­dade da mesma re­gião da Es­panha, o Beato Au­rélio de Vilanesa (José Ample Al­caide), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição, no com­bate da fé co­lheu o fruto da glória eterna. († 1936)

19♦.   Em Elche de la Si­erra, perto de Al­ba­cete, também na Es­panha, o Beato Ma­merto Car­chano Carchano, pres­bí­tero da di­o­cese de To­ledo e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição, con­firmou com o seu sangue a plena fi­de­li­dade a Cristo. († 1936)

20*.   Em Nawo­jowa Gora, po­vo­ação da Po­lónia, o Beato Afonso Maria Ma­zurek, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e mártir, que, em tempo de guerra, foi morto pelos in­va­sores da sua pá­tria por causa da sua pro­fissão cristã. († 1944)

21. Santo Ezequias, rei de Judá, Antigo Testamento. Ver páginas 306-320: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf  

22. Outras santas e santos do dia 28 de agosto: págs. 268-323, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 28 de agosto, ver ainda: 28 de agosto – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  675-679: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para B
  5. rasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  6. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  7. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  8. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust28.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 27 de agosto

1. No DIRETÓRIO DE LITURGIA da CNBB de 2021 “…dia 27 (de agosto), na Catedral de Maceió – NOSSA SENHORA DOS PRAZERES, Titular, SOLENIDADE.”.  

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Solenidade de NOSSA SENHORA DOS PRAZERES, titular da Catedral de Maceió, Alagoas. Ver “Padroeira de Maceió – conheça a história de Nossa Senhora dos Prazeres”: https://novoextra.com.br/noticias/alagoas/2018/08/38950-conheca-a-historia-de-nossa-senhora-dos-prazeres

– 11 DE ABRIL, NOSSA SENHORA DOS PRAZERES ou NOSSA SENHORA DAS SETE ALEGRIAS (28 DE ABRIL ou 11 DE ABRIL, ou SEGUNDA-FEIRA, APÓS O 2º DOMINGO DE PÁSCOA). Ver:https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_dos_Prazeres#cite_note-3

– e: https://www.facebook.com/Comiss%C3%A3o-de-Festa-Nossa-Senhora-dos-Prazeres-2020-Carvalhal-562570733920893/

* NOSSA SENHORA DOS PRAZERES (Também em 27 de agosto) ou NOSSA SENHORA DAS SETE ALEGRIAS (28 DE ABRIL ou 11 DE ABRIL, ou SEGUNDA-FEIRA, APÓS O 2º DOMINGO DE PÁSCOA). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_dos_Prazeres#cite_note-3 e: https://www.facebook.com/Comiss%C3%A3o-de-Festa-Nossa-Senhora-dos-Prazeres-2020-Carvalhal-562570733920893/

* NOSSA SENHORA DAS ALEGRIAS OU NOSSA SENHORA DOS PRAZERES. Ver: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-nossa-senhora-dos-prazeres/42/102/ e também: https://joaobidu.com.br/nossa-senhora-dos-prazeres-oracao/ e: https://pt.zenit.org/articles/nossa-senhora-dos-prazeres-ou-das-alegrias/

– Ver também: https://www.google.com/search?q=Nossa+Senhora+dos+Prazeres+de+Macei%C3%B3&oq=Nossa+Senhora+dos+Prazeres+de+Macei%C3%B3&aqs=chrome..69i57j0l5.13793j0j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8

– Ver ainda, Os sete prazeres ou alegrias de Nossa Senhora

Jorge Maciel News: Comunidade católica festeja Nossa Senhora dos Prazeres,  Padroeira de Maceió.Nossa Senhora dos Prazeres é também conhecida como NOSSA SENHORA DAS SETE ALEGRIAS.  Os franciscanos foram os responsáveis por espalhar esta devoção mariana. Isto se deve ao fato de que as sete alegrias de Nossa Senhora foram descritas por um franciscano. Vamos conhecê-las:

Primeira alegria: a Anunciação

Foi quando o Anjo Gabriel anunciou à Virgem que ela conceberia e daria à luz o Filho de Deus. (Lc 1, 31)

Segunda alegria: a saudação de Isabel

Quando Maria visita Isabel e esta a saúda dizendo: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!” (Lc 1, 42)

Terceira alegria: o Nascimento de Jesus

Jesus nasce numa manjedoura e é visitado pelos pastores. (Lc 2, 1-20)

Quarta alegria: a visitação dos Reis Magos

A ciência e o poder terreno se curvam diante do Rei dos Reis. (Mt 2, 1-12)

Quinta alegria: o encontro com Jesus no Templo aos 12 anos

Após uma busca angustiante, Maria e José encontram com Jesus no Templo conversando com os doutores da Lei. (Lc 2, 41-52)

Sexta alegria: a aparição de Jesus Ressuscitado

Todos os Evangelhos relatam as aparições de Jesus logo após sua morte e ressurreição.

Sétima alegria: a coroação de Maria no céu

É o quinto Mistério Glorioso, quando, após ser assunta ao céu, Maria é coroada como Rainha do Céu e da Terra.

Oração a Nossa Senhora dos Prazeres

“Nossa Senhora dos Prazeres, nossa Mãe querida, lembrando-me de vossas grandes alegrias: a Anunciação do Senhor, a visita à vossa prima Santa Isabel, o Nascimento do Menino Deus, a adoração dos Magos ao vosso Divino Filho, o encontro de Jesus no templo, a Ressurreição de Cristo e a vossa gloriosa Assunção, queremos pedir a vossa intercessão por nós e pelas nossas famílias junto a Deus. Que Ele nos livre das doenças e dos perigos, do desemprego e da desunião. Nossa Senhora dos Prazeres, ajudai-nos a sermos bons seguidores do vosso adorado Filho, lendo e refletindo a Bíblia Sagrada, alimentando-nos de Jesus na Eucaristia e participando ativamente de nossa comunidade. Queremos viver o mandamento do amor para com todos e caminhar em nossa vida dentro da justiça, colaborando para a construção da paz e da fraternidade. Amém!”:  https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-nossa-senhora-dos-prazeres/42/102/#c

– Ver também “… Nossa Senhora dos Prazeres é um dos títulos pelo qual a Igreja Católica venera a Virgem Maria, a Santíssima Mãe de Deus. A devoção teve origem em Portugal, no final do século XVI,[1] e sua festa é celebrada na segunda-feira após o segundo domingo do Tempo Pascal.[2] Os “prazeres” do título são por vezes identificados com as sete alegrias de Maria.[nota 1][3]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_dos_Prazeres

OUTROS SANTOS DE 27 DE AGOSTO

1. Me­mória de Santa Mô­nica (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, ainda ado­les­cente foi dada em ca­sa­mento a Pa­trício e teve fi­lhos, entre os quais Agos­tinho, por cuja con­versão der­ramou muitas lá­grimas e elevou muitas preces a Deus e, quando se dis­punha a re­gressar para a África, em Óstia, na Itália, as­pi­rando pro­fun­da­mente às re­a­li­dades ce­lestes, deixou esta vida e partiu para a mo­rada eterna. († 387).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santa Mônica, que morreu em Óstia, em 387. Teve a consolação de ver seu marido pagão batizado um ano antes de sua morte, e Agostinho, “filho de suas lágrimas”, convertido e recebido pela Igreja Católica (R).

– SANTA MÔNICA, 04 DE MAIO E 27 DE AGOSTO. Ver “No século XII começou-se a celebrar sua memória litúrgica a 4 de maio. Com advento da reforma litúgica, celebra, com a Igreja universal, em 27 de agosto. Suas relíquias são veneradas na igreja de Santo Agostinho de Roma.”: Província Agostiniana | Dia de Santa Mônica (santoagostinho.com.br)

SANTA MÔN ICA EM 04 DE MAIO DE 2020: ENCERRAMENTO DO ANO JUBILAR NA PARÓQUIA SANTA MÔNICA – LEBLON – RIO DE JANEIRO. VER:

– Ver “… “Meu filho, quanto a mim, já nenhuma coisa me dá gosto, nesta vida. Não sei o que faço ainda aqui, nem porque ainda cá esteja, esvanecidas já as esperanças deste mundo. Por um só motivo desejava prolongar um pouco mais a vida: ver-te católico antes de morrer. Deus concedeu-me esta graça superabundantemente, pois vejo que já desprezas a felicidade terrena para servires ao Senhor. Que faço eu, pois, aqui?…”: https://www.psmleblon.com.br/

– Ver 04 DE MAIO – SANTA MÔNICA, VIÚVA”:http://emdefesadasantafe.blogspot.com/2012/05/04-de-maio-santa-monica-viuva.html

Ver páginas 82-87 (04 de maio):

: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

Santa Mônica, auxiliadora das mães desesperadas (04 de maio). Ver “

No dia 4 de maio, a igreja comemora o dia de Santa Mônica. Conhecida como a santa da perseverança, da bondade e confiança, recorrem a ela as mães que preocupam-se com seus filhos. Segundo Pe. Rafael De La Torre Vargas- vice-provincial agostiniano, Santa Mônica ‘ajuda mães que choram por seus filhos’. ‘Mães que estão com seus filhos desancaminhados.’…

https://formacao.cancaonova.com/diversos/santa-monica-auxiliadora-das-maes-desesperadas/

Ver “Santa Mônica (português brasileiro) ou Santa Mónica (português europeu) (331 — 387) é a mãe de Santo Agostinho de Hipona e uma santa cristã. A sua festa realiza-se em 27 de agosto… Morreu aos 56 anos, no ano de 387, em Óstia na Itália, mesmo ano da conversão de seu filho. Seu corpo foi “descoberto” em 1430 e transferido para a Basílica de Santo Agostinho, em Roma. Mônica foi canonizada não por ter operado milagres, mas sim por ter sido a “responsável pela conversão de seu filho”, mostrando empenho em ensinar condutas cristãs como moral, pudor e mansidão, mostrando a intervenção feminina no interior da família, pois foi o meio, através da oração, que contribuiu para a vida religiosa do filho.[3]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Mônica_de_Hipona

Ver ainda “… Por fim, Santa Mônica é santa, não por ter realizado qualquer milagre, ou por ter sido martirizada, como tantos santos cristãos da Alta Idade Média. Ela é santa por ser mãe. Mãe de um santo, logo, um instrumento divino. Ela é o meio para o fim. Sua maternidade é a dos novos tempos, da virada do mundo antigo para o medievo. Sua miraculosidade é a da lágrima, que suplica através da oração a dádiva do Cristo para seu filho (TAVARES, 1990: 106). Suas lágrimas são as lágrimas de Deus: “…enquanto minha Mãe, Vossa fiel serva, junto de Vós chorava por mim, mais do que as outras mães choram sobre os cadáveres dos filhos” (Confissões, p. 83). Seu atributo não possui redenção nem conflito. Ele é a prece atendida, o fervor transmitido…”: https://www.ricardocosta.com/artigo/santa-monica-criacao-do-ideal-da-mae-crista

– Ver “… Jesus encontraria hoje uma fé verdadeira no seu coração? Foi isso que ele encontrou no coração de Santa Mônica. Uma fé que lhe foi transmitida desde cedo e que cresceu com o tempo e com a prática das virtudes cristãs em meio a muitas dificuldades….”: https://www.a12.com/redacaoa12/espiritualidade/santa-monica-a-forca-da-oracao-de-uma-mae

2.   Em Cápua, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São Rufo, mártir. († s. III/IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia receberam a coroa do martírio os Santos Rufo, cristão de Cápua, na Campânia; e, no Oriente, Antusa, a jovem (também na Folhinha do Coração de Jesus, Santa Antusa Menor), que foi jogada num poço por haver se recusado a renegar Cristo (M).

– Ver “… Santa Antusa, a mártir persa Antusa Ortodoxa Kirche: 27 de agosto. Assim chamada a Jovem para distingui-la de Santa Antusa de Selêucia. Acredita-se que Anthusa tenha sido uma nativa da Pérsia. Ela foi martirizada lá pela fé ao ser costurada em um saco e afogada em um poço. Antusa, a jovem VM (RM) Acredita-se que Santa Antusa tenha sido uma persa, que foi martirizada ali por ser costurada em um saco e afogada em um poço (beneditinos)…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust27.html

3.   Em Cítia de Tomis, hoje Cons­tança, na Ro­ménia, os santos már­tires Mar­ce­lino, tri­buno, e Ma­neia, es­posos, e João, seu filho, Se­ra­pião, clé­rigo, e Pedro, soldado. († c. s. IV)

4.   Em Bér­gamo, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Narno, con­si­de­rado o pri­meiro bispo desta cidade. († s. IV)

5.   Na Te­baida, no Egipto, São Pé­menes, abade, muito cé­lebre entre os ana­co­retas e do qual se re­ferem muitas má­ximas de sabedoria. († s. IV/V).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no deserto de Cétia, perto de 400, São Poimém, anacoreta, que foi um dos principais mestres da espiritualidade monástica egípcia. Ele admitiu, um dia, ter sido objeto de uma visão mística: “Eu estava, em espírito, com a Santa Maria, Mãe de Deus, chorando aos pés da Cruz, e queria chorar assim para sempre”. (M)

– Ver “… O abade Poemen foi um dos mais célebres dos pais do deserto. Ele abandonou o mundo e foi para o deserto egípcio de Skete, com um (irmão) mais velho e vários irmãos mais novos que o acompanhavam. Em 408, eles foram expulsos de seu primeiro assentamento por ataques dos berberes e se refugiaram nas ruínas de um templo em Terenuthis. Anúbis, o mais velho, e Poemen governavam alternadamente a pequena comunidade de eremitas. Das doze horas da noite, quatro eram destinadas ao trabalho, quatro ao ofício de canto e quatro para dormir; durante o dia trabalhavam até o meio-dia, liam até as três da tarde e depois iam buscar fogo, comida e outras coisas necessárias… Poemen era conhecido por seu comportamento santo, sua sabedoria e sua insistência na comunhão frequente… São Pímen nasceu por volta do ano 340 no Egito. Os irmãos eram ascetas tão rígidos que, quando a mãe ia ao mosteiro para ver os filhos, eles não saíam das celas para ela. A mãe ficou ali por muito tempo e chorou. Então São Pimen disse a ela através da porta fechada da cela: “Você deseja nos ver agora ou na vida futura?” São Pimen prometeu que, se ela suportasse a tristeza de não ver seus filhos nesta vida, certamente os veria na próxima. A mãe ficou humilhada e voltou para casa…

À questão de saber se é melhor falar ou calar, o Ancião disse:
“Quem fala por Deus, faz bem, e quem cala por Deus, também faz bem.”
Ele também disse: “Se o homem parece estar em silêncio, mas seu coração condena os outros, então ele está sempre falando. Pode haver um homem que fala o dia todo, mas na verdade ele fica em silêncio, porque não diz nada que não seja lucrativo.”
O santo disse: “É útil observar três coisas: temer a Deus, orar com freqüência e fazer o bem ao próximo”.
“A maldade nunca erradica a maldade. Se alguém faz o mal a você, faça o bem a eles, e a sua bondade vencerá a maldade.”
Certa vez, depois que São Pimen e seus discípulos chegaram ao mosteiro de Scetis, ele soube que o Ancião que morava lá ficou irritado com sua chegada e também tinha ciúmes dele, porque os monges estavam deixando o Ancião para ver Abba Pimen.
Para consolar o eremita, o santo foi até ele com seus irmãos, levando comida de presente. O Ancião recusou-se a recebê-los, no entanto. Então São Pimen disse: “Não devemos partir daqui até que tenhamos permissão para ver o Santo Ancião.” Ele permaneceu parado na porta da cela no calor. Vendo a humildade e paciência de São Pimen, o Ancião o recebeu graciosamente e disse: “Não apenas o que ouvi sobre você é verdade, mas vejo que suas obras são cem vezes maiores.”
Ele possuía tamanha humildade que frequentemente suspirava e dizia: “Eu serei lançado naquele lugar onde Satanás foi lançado!”
Certa vez, um monge de outro país veio até o santo para receber sua orientação. Ele começou a falar sobre assuntos sublimes difíceis de entender. O santo se afastou dele e ficou em silêncio. Eles explicaram ao monge perplexo que o santo não gostava de falar de assuntos elevados. Então o monge começou a perguntar-lhe sobre a luta contra as paixões da alma. O santo voltou-se para ele com uma expressão alegre: “Agora você falou bem, e eu responderei.” Por um longo tempo, ele deu instruções sobre como se deve lutar contra as paixões e vencê-las.

São Pimen morreu aos 110 anos, por volta do ano 450. Logo após sua morte, foi reconhecido como um santo agradável a Deus. Ele foi chamado de “o Grande” como um sinal de sua grande humildade, retidão, lutas ascéticas e serviço abnegado a Deus…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust27.html

São Pastor ou Pemen. Há muitas coisas curiosas e interessantes sobre São Pastor: “São Pastor deixou apotegmas (dito memorável, máxima) célebres pela fina psicologia, pela simplicidade e pelo humor. … Alguns deles: 1. Se um monge dominar o ventre e a língua e viver a peregrinar sobre a terra, não morrerá jamais. 2. Dirige tua língua, de modo que somente digas o que te vai no coração. 3. Trabalha o quanto puderes, para que possas fazer a caridade: a fé é viver na humildade e fazer a caridade. 4. Para a vida em comum há que existir três coisas: humildade, obediência e atividade estimulada para suprir a necessidade de todos. 5. Qual a penitência do pecado? Não mais o cometer. 6. Tudo aquilo que ultrapassa a medida vem do demônio. 7. Odiar o mal é odiar as próprias faltas e reputar justo o próximo. 8. Eu me ponho em espírito ao lado da Santa Mãe de Deus, ao pé da cruz do Salvador, e choro: assim quero chorar sempre, sempre. 9. Age bem quem fala por Deus, do mesmo modo aquele que por Deus se cala. 10. Como conseguir o temor de Deus, quando se tem belas formas de queijo e jarras de conservas?”.

– Ver às páginas 260-262: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%bri2015.pdf

6.   Em Cou­se­rans, na Aqui­tânia, hoje na França, São Li­cério, bispo, de origem his­pâ­nica e dis­cí­pulo do bispo São Fausto de Riez, que pro­tegeu com as suas ora­ções a ci­dade da in­vasão dos Visigodos. († c. 540).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Couserans, perto de 540, a volta para Deus de São Liziário, um dos primeiros bispos da antiga cidade, que hoje é apenas uma aldeia na região de Ariège. Seu culto se espalhou pelo sul da França e pela Espanha, especialmente em Lérida. (M).

– Ver página 263: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

7.   Em Arles, na Pro­vença, também na ac­tual França, São Ce­sário, bispo, que, de­pois de ter le­vado vida mo­nás­tica na ilha de Lé­rins, com re­lu­tância re­cebeu o epis­co­pado. Pre­parou e co­ligiu ser­mões para as vá­rias fes­ti­vi­dades, des­ti­nados a serem lidos pelos pres­bí­teros na ca­te­quese ao povo, e es­creveu re­gras, tanto para ho­mens como para vir­gens, com a fi­na­li­dade de ori­entar a vida monástica. († 542).

Ver 26 de agosto: Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 543, o nascimento no céu de São Cesáreo, monge de Lérins, eleito mais tarde, bispo de Arles. Fez-se o advogado da população galo-romana junto aos francos, presidiu importantes concílios provinciais e estimulou a instituição monástica redigindo duas regras, nas quais tenta uma síntese das tradições egípcia e agostiniana (F).

-Ver São Cesário, bispo de Arles,páginas 234-256: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também “… Cesário de Arles ou César de Arles[1] (Chalon-sur-Saône, c. 470 – Arles26 de agosto de 543), foi monge em Lerins, abade de um mosteiro próximo a Arles e, mais tarde, bispo de Arles. É um santo cristão, venerado pela Igreja Católica Romana e pela Igreja Ortodoxa. Sua celebração litúrgica é em 27 de agosto. É padroeiro contra incêndios[2][3][4]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ces%C3%A1rio_de_Arles

8.   Em Pavia, na Lom­bardia, re­gião da Itália, São João, bispo. († c. 825)

9*.   No mos­teiro de Pe­tershausen, que tinha fun­dado, na Suábia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, o se­pul­ta­mento de São Ge­bardo, bispo de Constança. († 995)

10*.   No mos­teiro de Aulps, na Sa­vóia, ac­tu­al­mente na França, o pas­sa­mento de São Gua­rino, bispo de Sion, que, tendo sido monge de Mo­lesme no tempo de São Ro­berto, cons­truiu este ce­nóbio, que di­rigiu san­ta­mente e agregou à Ordem Cisterciense. († 1150).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1150, São Guerino, fundador e primeiro abade cisterciense de Hautecombe. Foi mais tarde eleito bispo a serviço da Igreja de Sion, no Valais. (X)

11*.   Em Lau­sana, na Suíça, Santo Amadeu, bispo, que, sendo monge de Cla­raval, foi de­sig­nado abade do ce­nóbio de Hau­te­combe e de­pois, eleito bispo, ins­truiu di­li­gen­te­mente os jo­vens, formou um clero pi­e­doso e casto e ce­le­brou na sua pre­gação a Virgem Santa Maria. († 1159)

12*.   Em Fo­linho, na Úm­bria, re­gião da Itália, o Beato Ân­gelo Cónti, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, in­signe pela sua pe­ni­tência, hu­mil­dade e pa­ci­ência pe­rante as ofensas. († 1312)

13*.   Em Le­o­minster, na In­gla­terra, o Beato Ro­gério (Ruggero) Cadwal­lador, pres­bí­tero e mártir, que, de­pois de or­de­nado sa­cer­dote e ser fa­moso pela sua grande sa­be­doria em Val­la­dolid, na Es­panha, exerceu o mi­nis­tério clan­des­ti­na­mente na sua pá­tria du­rante de­zas­seis anos; fi­nal­mente, no rei­nado de Jaime I, foi con­de­nado por causa do sa­cer­dócio e, de­pois de cruéis tor­mentos, morreu no su­plício do patíbulo. († 1610)

14*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os be­atos Fran­cisco de Santa Maria, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, e ca­torze com­pa­nheiros, már­tires, que, por ordem do pre­feito da ci­dade Kawachi Dono, so­freram o mar­tírio em ódio ao nome de Cristo. São estes os seus nomes: Bar­to­lomeu Laurel e An­tónio de São Fran­cisco, re­li­gi­osos da Ordem dos Frades Me­nores; Gaspar Vaz e Maria, es­posos; Ma­da­lena Kiyota, viúva; Caio Jiyemon, Fran­cisca, Fran­cisco Ku­ru­bioye, Fran­cisco Kuhioye, Luís Matsuo Soyemon, Mar­tinho Gómez, Tomás Wo Jinyemon, Lucas Kiyemon e Mi­guel Kizayemon. († 1627)

15.   Em Usk, ci­dade do País de Gales, São David Lewis, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que, or­de­nado sa­cer­dote em Roma, ce­le­brou clan­des­ti­na­mente os sa­cra­mentos e prestou au­xílio aos po­bres na sua pá­tria du­rante mais de trinta anos, até que, no rei­nado de Carlos II, por causa do sa­cer­dócio foi sus­penso no patíbulo. († 1679)

16*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, os be­atos már­tires João Bap­tista de Souzy, pres­bí­tero, e Ul­rico (João Bap­tista Guil­laume), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs, már­tires, que, na per­se­guição contra a Igreja, foram en­car­ce­rados em con­di­ções de­su­manas e, afec­tados pela fome e graves en­fer­mi­dades, mor­reram por Cristo. († 1794)

17*.   Em Re­a­ding, na In­gla­terra, o Beato Do­mingos da Mãe de Deus Barberi, pres­bí­tero da Con­gre­gação da Paixão, que, de­di­cando-se di­li­gen­te­mente à causa da uni­dade dos cris­tãos, aco­lheu muitos na Igreja católica. († 1849)

18*.   Em Pi­cas­sent, lo­ca­li­dade do ter­ri­tório de Va­lência, na Es­panha, o Beato Fer­nando Gon­zález Añon, pres­bí­tero e mártir, que, no tempo da per­se­guição, me­receu passar à fe­li­ci­dade eterna. († 1936)

19*.   Na es­trada de Go­della para Bé­tera, na mesma re­gião da Es­panha, o Beato Rai­mundo Marti So­riano, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição contra a fé cristã, der­ramou o seu sangue por Cristo. († 1936)

20♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos José Maria López Car­rillo e Pedro Ibañez Alonso, pres­bí­teros da Ordem dos Pre­ga­dores e már­tires, que na mesma per­se­guição foram co­ro­ados com o su­premo tes­te­munho de Cristo. († 1936)

21*.   Em San Se­bas­tian, também na Es­panha, a Beata Maria do Pilar Iz­qui­erdo Albero, virgem, que, atri­bu­lada du­rante muito tempo pela po­breza e graves en­fer­mi­dades, serviu a Deus no amor ac­tivo para com os po­bres e os aflitos e, para lhes prestar as­sis­tência, fundou a Obra Mis­si­o­nária de Jesus e Maria. († 1945)

22. Santa Eulália (também na Folhinha do Coração de Jesus). No VIDAS DOS SANTOS, perto de Lentini, na Sicília, Santa Eutália, virgem: porque cristã, foi degolada por Sermiliano, seu irmão, indo-se, assim, para o celeste Espôso (época desconhecida ). Ver página266: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

23. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 680, a ordenação episcopal de São Siágrio, bispo de Autun, de quem vários discípulos foram escolhidos para o episcopado. Foi objeto de especial estima por parte do Papa São Gregório Magno. (M)

24. Santo Eunuco da Rainha da Etiópia. Ver páginas 257-259: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

25. Bem-Aventurado Gabriel Maria, franciscano. Ver páginas 264-265: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

26. Outras santas e santos do dia 27 de agosto: págs. 232-267, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 27 de agosto, ver ainda: 27 de agosto – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  672-675: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para B
  5. rasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  6. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  7. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  8. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust27.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 26 de agosto

Nossa Senhora de Częstochowa: Nossa Senhora de  Częstochowa (em polonês/polacoMatka Boska Częstochowskaem latimImago thaumaturga Beatae Virginis Mariae Immaculatae Conceptae, in Claro Monte) é um título católico de Maria Santíssima, consagrada como a padroeira da Polônia. É também conhecida no Brasil como Nossa Senhora do Monte Claro… O Papa Clemente XI foi o primeiro Pontífice a emitir a Coroação Canônica para a imagem em 8 de setembro de 1717.

Papa Pio X emitiu outra coroação canônica, substituindo as coroas em 22 de maio de 1910.

Papa João Paulo II emitiu outra coroação como nativa da Polônia, que foi colocada em 26 de agosto de 2005.”. Conforme: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_de_Cz%C4%99stochowa

– Ver ainda: https://www.paieterno.com.br/2018/11/19/nossa-senhora-de-czestochowa-a-virgem-negra-e-padroeira-da-polonia/

– Ver também: https://www.unitur.com.br/czestochowa-conheca-historia-da-nossa-senhora-negra-da-polonia/

1.   Co­me­mo­ração de São Melquí­sedec, rei de Salém e sa­cer­dote do Deus Al­tís­simo, que saudou Abraão, aben­ço­ando-o quando re­gres­sava da vi­tória e, ofe­re­cendo ao Se­nhor um sa­cri­fício santo, uma ví­tima ima­cu­lada, é con­si­de­rado como pre­fi­gu­ração de Cristo, rei de paz e de jus­tiça, e, porque é apre­sen­tado sem ge­ne­a­logia, pre­a­nuncia o sa­cer­dote eterno. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Melquisedeque

2.   Em Roma, no ce­miério de Ba­sila, junto à Via Sa­lária An­tiga, São Ma­xi­mi­liano, mártir. († data inc.)

3.   Em Sa­lona, na Dal­mácia, hoje Split, na Croácia, Santo Anas­tásio, pi­so­eiro, mártir. († data inc.)

4.   Em Ce­sa­reia, na Mau­ri­tânia, hoje Cher­chell, na Ar­gélia, São Vítor, mártir, que, con­de­nado à morte, se­gundo a tra­dição foi cru­ci­fi­cado num sábado. († s. III/IV). Ver páginas 225-226: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

5.   Em Bér­gamo, na Trans­pa­dânia, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Ale­xandre, mártir. († s III/IV). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Alexandre_de_B%C3%A9rgamo

6.   Em Au­xerre, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, Santo Eleu­tério, bispo. († s. VI)

7♦.   Em Yat­sushiro, no Japão, o Beato Jo­a­quim Wa­ta­nabe Jirozaemon, pai de fa­mília e mártir. († 1606)

8*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, no li­toral da França, o Beato Tiago Retouret, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, foi ar­re­ba­tado do con­vento de Li­moges e me­tido na esquá­lida ga­lera, onde, aban­do­nado pelos per­se­gui­dores quase sem roupa, morreu de hipotermia. († 1794)

9.   Em La Puye-en-Vélay, perto de Poi­tiers, também na França, Santa Joana Isabel Ri­chier des Âges (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, ajudou Santo André Hu­berto Four­nier a exercer clan­des­ti­na­mente o seu mi­nis­tério e, res­ti­tuída a paz da Igreja, fundou a Con­gre­gação das Fi­lhas da Cruz, des­ti­nada à edu­cação dos po­bres e à as­sis­tência aos enfermos. († 1838)

10.   Em Belém, ci­dade da Terra Santa, Santa Maria de Jesus Crucificado (Maria Ba­ou­ardy), virgem da Ordem das Car­me­litas Des­calças, que, en­ri­que­cida com dons mís­ticos, uniu à vida con­tem­pla­tiva uma sin­gular caridade. († 1878)

11.   Em Líria, ci­dade da pro­víncia de Va­lência, também na Es­panha, Santa Te­resa de Jesus Jornet Ibars, virgem, que, para a as­sis­tência aos an­ciãos, fundou o Ins­ti­tuto das Ir­mã­zi­nhas dos An­ciãos De­sam­pa­rados. († 1897). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Líria, perto de Valência, na Espanha, em 1897, Santa Teresa de Jesus Jornet-e-Ibars. Nascida na Catalunha de uma família de agricultores, consagrou-se inicialmente ao ensino, e depois fundou, juntamente com algumas companheiras, o “Instituto das Irmãzinhas dos Idosos Abandonados” que já contava com cinquenta e oito casas quando da sua aprovação em 1887. (X). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Teresa_Jornet_e_Ibars

12*.   Em Va­lência, também na Es­panha, o Beato Am­brósio de Benaguacil (Luís Valls Ma­ta­males), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos e mártir, que, pelo seu sangue der­ra­mado du­rante a per­se­guição, me­receu en­trar no con­vívio eterno. († 1936)

13*.   Em Al­berca de Dénia, na pro­víncia de Ali­cante, também na Es­panha, o Beato Pedro de Be­nisa (Ale­xandre Más Gi­nestar), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos e mártir, que, na mesma per­se­guição, foi co­roado no mar­tírio por Cristo. († 1936)

14*.   Em Es­plu­gues, po­vo­ação pró­xima de Bar­ce­lona, também na Es­panha, o Beato Félix Vivet Trabal, re­li­gioso da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, na mesma per­se­guição, me­receu en­trar no grande ban­quete celeste. († 1936)

15♦.   Em Má­laga, também na Es­panha, os be­atos For­tu­nato Me­rino Vegas, pres­bí­tero, e Luís Gu­tiérrez Calvo, re­li­gioso, ambos da Ordem de Santo Agos­tinho e mártir, que na mesma per­se­guição foram as­sas­si­nado em ódio à fé crista. († 1936)

16♦.   Em Dehesa de la Villa, perto de Ma­drid, também na Es­panha, a Beata Maria dos Anjos Gi­nard Martí (Ân­gela Ben­dita), virgem da Con­gre­gação das Irmãs Ze­la­doras do Culto Eu­ca­rís­tico de Palma de Mai­orca e mártir, que me­receu as­so­ciar-se às núp­cias eternas com seu Es­poso, Jesus Cristo. († 1936)

17*.   Na for­ta­leza de Kharsk, perto de Tomsk, na Si­béria, re­gião da Rússia, a Beata Lou­rência (Le­o­cádia Ha­rasymiv), virgem da Con­gre­gação das Irmãs de São José, que, du­rante a per­se­guição da fé na sua pá­tria, foi en­car­ce­rada neste campo de con­cen­tração, onde a sua cons­tância na fé e a pu­reza de vida foram co­ro­adas com a sua morte gloriosa. († 1952)

18*.   Em Roma, a Beata Maria Bel­trame Quattrócchi, mãe de fa­mília, que, pas­sando a vida com o seu es­poso numa pro­funda e feliz co­mu­nhão de fé e de ca­ri­dade para com o pró­ximo, ilu­minou a fa­mília e a so­ci­e­dade com a luz de Cristo. († 1965)

 19. São Zeferino(também na Folhinha do Coração de Jesus). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano de 217, o sepultamento de São Zeferino, papa, que governou a Igreja Católica durante dezoito anos com o apoio de seu diácono Calixto, e lutou vigorosamente contra os hereges que ameaçavam desunir a comunidade cristã (M). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Zeferino

20. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, Santo Irieix, filho de Santa Pelágia e fundador de um mosteiro no Limousin, região na qual diversas localidades ainda trazem seu nome (X).

21. Santa Pelágia. Ver página 227-228: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

22. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 543, o nascimento no céu de São Cesáreo, monge de Lérins, eleito mais tarde, bispo de Arles. Fez-se o advogado da população galo-romana junto aos francos, presidiu importantes concílios provinciais e estimulou a instituição monástica redigindo duas regras, nas quais tenta uma síntese das tradições egípcia e agostiniana (F). Ver 27 de agosto (): Em Arles, na Pro­vença, também na ac­tual França, São Ce­sário, bispo, que, de­pois de ter le­vado vida mo­nás­tica na ilha de Lé­rins, com re­lu­tância re­cebeu o epis­co­pado. Pre­parou e co­ligiu ser­mões para as vá­rias fes­ti­vi­dades, des­ti­nados a serem lidos pelos pres­bí­teros na ca­te­quese ao povo, e es­creveu re­gras, tanto para ho­mens como para vir­gens, com a fi­na­li­dade de ori­entar a vida monástica. († 542). Ver São Cesário, bispo de Arles,páginas 234-256: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

23. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Normandia. Em 1070, o Bem-Aventurado Heluíno. Após ter portado armas até os quarenta anos, este nobre flamengo vestiu o hábito monástico para militar por Cristo. Fundou para seus discípulos a abadia do Bec, que foi enriquecida mais tarde por vários santos bispos e doutores da Igreja. (X)

24. Santo Adriano e Santa Natália, Esposos e Vinte e Três Santos Mártires. Ver páginas 370-371: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver CASAL SANTO ADRIANO E SANTA NATÁLIA,Festa litúrgica 01 de dezembro, 04 de março, 26 de agosto e 08 de setembro”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Adriano_e_Nat%C3%A1lia

– Ver “Adriano (em latimAdrianus) e Natália foram romanos do final do século III e começo do IV. Adriano era membro da guarda pretoriana e foi martirizado em Nicomédia sob ordens do imperador Galério (r. 293–311) após declarar publicamte que era cristão. Natália levou os restos mortais do marido para Argirópolis, perto de Bizâncio… ” Adriano e Natália – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “A única notícia certa é que havia um antigo e muito forte culto de um Adriano, mártir de Nicomedia, tanto no Oriente quanto no Ocidente. O novo Martirológio Romano lembra o santo neste dia sem mais comentários. O resto é suposição e lenda… O antigo Martirológio Romano indicou 4 de março como o dia de sua morte, e 1 º de dezembro para Natalia e 8 de setembro para o transporte de seus restos mortais para Roma. A festa comum de Santos Adriano e Natália, mártires, era 8 de setembro.”: Santi Adriano e Natalia (santiebeati.it)

– Em 08 de setembro, em Roma, a co­me­mo­ração de Santo Adrião, mártir, que pa­deceu o mar­tírio em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, em cuja honra o papa Ho­nório I con­verteu em igreja a Cúria do Se­nado Romano. († data inc.).

– Ver em 04 de março: na Ásia Menor, sob o imperador Diocleciano, a paixão de Santo Adriano. Oficial do exército imperial, foi subitamente convertido pela paciência sobre-humana de que deram prova Vinte e três cristãos prisioneiros, e pediu que seu nome fosse acrescentado à sua lista (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

25. Beato Zeferino (Ceferino) Namuncurá

– Ver “…Zeferino Namuncurá (nome original CeferinoChimpay26 de agosto 1886 – Roma11 de maio 1905) foi um salesiano leigo argentino. Foi beatificado em 11 de novembro de 2007 em Chimpay pelo cardeal Tarcisio Bertone, sendo o primeiro índio da América do Sul beatificado; a cerimônia foi a primeira fora do Vaticano.[1]Ceferin Namuncurá Beato, diante de mais de cem mil pessoas, na cerimônia de beatificação em Chimpay, Rio Negro, terra natal do jovem salesiano, sendo fixada a festa religiosa no dia 26 de agosto, data de seu nascimento…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Zeferino_Namuncur%C3%A1

26. Outras santas e santos do dia 26 de agosto: págs. 222-231, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 26 de agosto, ver ainda: 26 de agosto – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  669-671: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para B
  5. rasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  6. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  7. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  8. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust26.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 25 de agosto

1. São Luís IX (também na Folhinha do Coração de Jesus, Luís de França), rei da França, que se tornou cé­lebre pela sua fé ac­tiva, quer em tempo de paz quer no de­curso da guerra em de­fesa dos cris­tãos, pela justa ad­mi­nis­tração do reino, pelo amor aos po­bres e pela cons­tância nas ad­ver­si­dades. Con­traiu ma­tri­mónio e teve onze fi­lhos, a quem deu uma ex­ce­lente e pi­e­dosa edu­cação. Para honrar a cruz, a coroa de es­pi­nhos e o se­pulcro do Se­nhor, de­dicou todos os seus bens, a sua força e a pró­pria vida, até que, atin­gido pela peste no acam­pa­mento mi­litar, morreu em Túnis, no li­toral da África setentrional. († 1270).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1270, o nascimento no céu de São Luís, rei de França. Sua sólida formação humana e cristã, bem como seu senso de justiça, permitiram a expansão e o alto nível moral e cultural da França e da cristandade no século XIII. Seu corpo foi trazido de Túnis para Paris e inumado na necrópole e real de Saint-Denis, ao passo que seu crânio foi depositado na Saint Chapelle, em Paris, construída por ele para conservar a coroa de espinho do Salvador. (R).

– Ver páginas 202-215: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também “Luís IX (Poissy25 de abril de 1214 – Tunes25 de agosto de 1270), mais conhecido como São Luís, foi o Rei da França de 1226 até sua morte e um santo da Igreja Católica. Era filho do rei Luís VIII e da rainha Branca de Castela, que governou o reino como regente até São Luís adquirir a maioridade. Foi o 42º rei da França, a contar de Clóvis I, e o nono rei da dinastia capetiana a ocupar o trono da França.

Era um homem de alto porte, de grande beleza, muito imponente. Ele atraía, incutia profundo respeito e suscitava grande amor. Tinha o todo de um guerreiro terrível na hora do combate, mas era o Rei mais pomposo e mais decoroso do seu tempo.[1]

Quando adulto, Luís enfrentou conflitos recorrentes com poderosos nobres, consolidando a supremacia real levada a cabo por seu avô Filipe Augusto, além de ter derrotado o rei Henrique III de Inglaterra em suas tentativas de restaurar o Império Plantageneta. Após anexar a maior parte das antigas terras inglesas na França, assinou o Tratado de Paris (1259) com a Inglaterra colocando fim aos cem anos de rivalidade franco-inglesa.

Foi um rei reformador e lançou as bases da justiça real francesa, na qual o rei era o juiz supremo a quem qualquer pessoa era capaz de apelar para buscar a emenda de um julgamento. Ele proibiu julgamentos por provação, tentou impedir as guerras privadas que estavam assolando o país e introduziu a presunção de inocência no processo criminal. Era admirado por seus súditos e por toda a Europa como um rei extremamente justo. Chegava a ficar várias vezes na semana sob um carvalho no Castelo de Vincennes ouvindo os apelos e pedidos de seus súditos de todas as classes.

Suas ações foram inspiradas nos valores cristãos, sendo ele um homem extremamente devoto da fé católica, punindo a blasfémia, jogos de azar, empréstimos de interesse e prostituição, comprando relíquias de Cristo para construir a Sainte-Chapelle e tentando converter os judeus franceses. Construiu inúmeros hospitais, leprosários, orfanatos e escolas e era notadamente conhecido pela sua caridade e cuidado com os pobres e doentes.[2]

Casou-se com a rainha Margarida da Provença em 1234 e com ela teve onze filhos, dentre os quais o rei Filipe III de França, que o sucedeu. Através de sua vasta prole, os descendentes de São Luís chegaram a quase todos os tronos da Europa e América, incluídas as dinastias posteriores que reinaram na FrançaEspanhaÁustriaSacro Império Romano-GermânicoAlemanhaInglaterraEscóciaSuéciaNoruegaDinamarcaHungriaPortugalBélgicaGréciaBulgáriaItáliaHolandaPolôniaRomêniaRússiaMéxico e Brasil, sendo todos os atuais monarcas europeus descendentes seus.

Em todas as épocas posteriores da história da França, marcada por conflitos, guerras e revoluções, seu governo foi lembrado com nostalgia pelos franceses como “o bom tempo de Meu Senhor São Luís” ou como o “século de ouro de São Luís”, deixando uma imagem imensamente positiva aos olhos da história e do imaginário popular francês.[3]

Morreu no norte da África em 25 de agosto de 1270 e foi canonizado como santo pelo Papa Bonifácio VIII em 11 de julho de 1297.É o padroeiro da Arquidiocese de São Luís do Maranhão, cujo patronato na cidade de São Luís se deu em razão da cidade levar o seu nome e em sua homenagem.”:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Lu%C3%ADs_IX_de_Fran%C3%A7a

2. São José de Calasanz (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, que, para educar as cri­anças e os ado­les­centes no amor e sa­be­doria do Evan­gelho, ins­ti­tuiu es­colas po­pu­lares e fundou em Roma a Ordem dos Clé­rigos Re­grantes Po­bres da Mãe de Deus das Es­colas Pias. († 1648).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1648, a volta para Deus de São José Calazans. Nascido em Aragão, partiu para Roma depois de sua ordenação sacerdotal. Lá fundou uma congregação de clérigos regulares, que se consagraram ao ensino popular. (R).

– Ver páginas 232-233: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Ver “… José de Calasanz foi um religioso canonizado pela Igreja Católica e fundador da primeira escola pública cristã e da Ordem Religiosa das Escolas Pias. Estudou nas universidades de LéridaValência e Alcalá de Henares, onde se doutorou…”:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_de_Calasanz

– Ver páginas 232-233: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

3.   Na Via Au­rélia, a seis mi­lhas de Roma, o se­pul­ta­mento dos santos Eu­sébio, Pon­ciano, Vi­cente e Pe­re­grino, mártires. († data inc.).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia foram julgados dignos de sofrer pelo nome de Cristo os Santos Ponciano, Vicente e Peregrino, martirizados em Roma no séc. III (M).

– Ver página 221: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

4.   Em Arles, na Pro­vença, na ho­di­erna França, São Gens (São Genésio), mártir, que, ainda ca­te­cú­meno, tra­ba­lhando no tri­bunal como no­tário e re­cu­sando-se a trans­crever um edito contra os cris­tãos, tentou salvar-se pondo-se em fuga; mas, cap­tu­rado pelos sol­dados, foi bap­ti­zado com o pró­prio sangue. († 303).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Arles, o Bem-Aventurado Genésio, jovem escrivão do tribunal, decapitado por se ter recusado a registrar os decretos de condenação de cristãos inocentes. Diversas localidades na França ainda trazem seu nome. (M).

– Ver “…São Genésio de Arles é um santo da Igreja Católica que nasceu em ArlesFrança, em data desconhecida e faleceu decapitado em 303 ou 308.

Foi notário militar, sob as ordens dos imperadores Maximiano e Diocleciano.

Patrono dos notários, escrivães e secretários, a sua festa celebra-se no dia 25 de Agosto”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gen%C3%A9sio_de_Arles

5.   Em Itá­lica, hoje San­ti­ponce, perto de Se­vilha, na His­pânia Bé­tica, São Gerôncio, bispo, que se narra ter mor­rido no cárcere. († s. IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, igualmente o sepultamento de São Gerôncio, bispo de Itálica, e de São Menas (ver número 7, abaixo), bispo de Constantinopla na primeira metade do século VI. (M)

6*.   Em Agde, na Gália Nar­bo­nense, ac­tu­al­mente na França, São Se­vero, abade do mos­teiro por ele fun­dado nesta cidade. († s. V)

7.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Menas, bispo, que foi or­de­nado pelo papa Santo Aga­pito e, res­ta­be­le­cida a co­mu­nhão, tem­po­ra­ri­a­mente in­ter­rom­pida com o papa Vi­gílio, de­dicou à di­vina Sa­be­doria a grande igreja edi­fi­cada pelo im­pe­rador Justiniano. († 552).

– Ver “… Menas, também chamado de Minas ou Mina, foi um patriarca de Constantinopla nomeado pelo imperador Justiniano I em 536 e também um santo cristão. O Papa Agapito I o consagrou para suceder o bispo Antimo, que era um monifisita…”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Menas_de_Constantinopla

8*.   Em Atane, no ter­ri­tório de Li­moges, na ac­tual França, Santo Arédio, abade, que, compôs para o ce­nóbio que fun­dara uma ex­ce­lente regra, fun­dada nos pre­ceitos de vá­rios ins­ti­tutos de vida monástica. († 591)

9.   Em Utrecht, na Gél­dria da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Ho­landa, São Gre­gório, abade, que, ainda ado­les­cente, acom­pa­nhou sempre São Bo­ni­fácio nas ca­mi­nhadas mis­si­o­ná­rias para a con­versão da Tu­ríngia e de Hessen e de­pois, por seu man­dato, di­rigiu como abade o mos­teiro de São Mar­tinho e go­vernou a Igreja de Utrecht. († 775).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VIII, São Gregório, discípulo de São Bonifácio. Foi nomeado abade de São Martinho de Utrecht. (X)

10.   Em Mon­te­fi­as­cone, na Tos­cana, hoje no Lácio, re­gião da Itália, o pas­sa­mento de São Tomás Can­te­lupe, bispo de He­re­ford, na In­gla­terra, homem de emi­nente cul­tura, se­vero para con­sigo e lar­

ga­mente ge­ne­roso para com os pobres. († 1282)

11*.   Em Xi­ma­bara, no Japão, os be­atos már­tires Mi­guel Carvalho, da Com­pa­nhia de Jesus, Pedro Vás­quez, da Ordem dos Pre­ga­dores, Luís So­telo e Luís Sa­sanda, pres­bí­teros, e Luís Baba, re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores, que por Cristo foram quei­mados vivos. († 1624).

– Ver “… Luis Sotelo foi um frade franciscano que morreu como mártir no Japão em 1624 e foi beatificado pelo papa Pio IX em 1867…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Luis_Sotelo

– Ver também “… Miguel de Carvalho foi um beato português, de família nobre, presbítero e missionário jesuíta, nascido em Braga em 1579 e morto a 25 de Agosto de 1624…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Miguel_de_Carvalho

– Ver ainda: Beato Luís Sotelo. Ver (wikipedia de 25 de agosto) “… Luis Sotelo foi um frade franciscano que morreu como mártir no Japão em 1624 e foi beatificado pelo papa Pio IX em 1867.

Sotelo nasceu em SevilhaEspanha, e estudou na Universidade de Salamanca antes de ingressar no convento “Calvario de los Hermanos Menores”. Ele foi enviado, em 1600, para as Filipinas, para suprir as necessidades espirituais do povoado filipino de Dilao, até sua destruição pelas forças espanholas e portuguesas em 1608, depois de uma luta intensa.

Em 1608, o papa Paulo V autorizou ordens religiosas menores (dominicanos e franciscanos) para pregar no Japão, o que era até então feito apenas pelos jesuítas. Sotelo imediatamente foi para o Japão e assumiu um posto de liderança da sua comunidade…”: Luis Sotelo – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “… Após dois anos de prisão, durante os quais esteve rigorosamente vigiado, foi condenado à morte. No dia 25 de agosto de 1624 foi queimado vivo, a fogo lento, com outros companheiros: dois franciscanos, um jesuíta e um dominicano…”: Luis Sotelo – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver ainda “… O Beato Luís Sotelo, sacerdote professo da Ordem dos Frades Menores e companheiros, mártires: Frei Luis Sasanda, Luís Baba, Migual Carvalho,Pedro Vasquez.

Foram martirizados em Ximabara, Japão, a 25 de Agosto de 1624.

Beatificado pelo Beato Pio IX, juntamente com 204 mártires do Japão, 166 cristãos leigos e 38 sacerdotes martirizados entre 1617 e 1632, a 7 de Julho de 1867.

São celebrados a 25 de Agosto

A 25 de Agosto de 1624, cinco religiosos, três europeus e dois japoneses, três franciscanos, um jesuíta e um dominicano, foram martirizados em Ximabara, Japão, queimados vivos por fogo lento. Tinham-lhes proposto inutilmente uma apostasia. No dia do seu martírio, foram levados pela manhã da prisão Omura, onde tinham sido torturados, e levados de barco para o local do sacrifício. Aí amarraram-nos frouxamente aos seus respectivos postes, frouxamente de modo a poderem soltar-se se apostatassem, e atear fogo à madeira. Estes eram os mártires:

1. Frei Luis Sotelo, presbítero franciscano. Luís Sotelo, filho de Diego e Catalina Niño, nasceu em Sevilha, Espanha, a 6 de Setembro de 1574. Estava a terminar os seus estudos na Universidade de Salamanca quando foi aceite no noviciado no Convento do Calvário dos Frades Menores. A 11 de Maio de 1594, fez a sua profissão solene. Após completar os seus estudos de filosofia e teologia, foi ordenado sacerdote. Em 1600, desejando dedicar-se à conversão dos incrédulos, foi enviado para as Filipinas, onde foi designado para os cuidados espirituais dos japoneses que viviam em Dilao…

Cada mártir tem a sua história piedosa e heroica, mas a história de Luís Sotelo é também de interesse para a história política devido à missão diplomática que realizou entre o Japão, Espanha e a Santa Sé. Em 1615 acompanhou o embaixador japonês Hasecura a Espanha e obteve o seu baptismo com o nome de Filipe no mosteiro das Clarissas em Madrid; o mesmo embaixador viajou para Roma, permaneceu no convento de Aracoeli, e teve duas vezes uma audiência com Paulo V, e prometeu protecção para missionários e cristãos em nome do seu rei Musamura. Quem teria pensado que mal um ano depois a perseguição começaria de novo, e com maior severidade? Luís Sotelo, devido a contradições na sua terra natal, só pôde regressar ao Japão em 1622 numa sucata chinesa; já não era tratado como um diplomata, e em vez de ser levado ao imperador foi preso.

Viu claramente que a perseguição poderia ter sido evitada ou interrompida se as missões tivessem sido mais bem organizadas. Da sua prisão, sete meses antes da sua morte, indicou num memorial ao Papa as determinações: 1) a formação de clero indígena, a fim de eliminar suspeitas políticas dos padres europeus e para que, em caso de perigo, estivessem prontos a confortar os fiéis sem serem facilmente reconhecidos pela diferença de raça; 2) uma melhor organização hierárquica. Em vez de um único bispo, que nem sempre viveu no Japão, um bispo para cada ordem missionária, dependente de um metropolitano. “Bispos e sacerdotes, disse ele, são os ossos e os tendões do corpo místico de Cristo, que é a Igreja”. A proposta do mártir franciscano chegou demasiado tarde, quando a perseguição estava no seu auge.

Entretanto, o Papa Paulo V tinha erguido uma nova diocese no Japão na parte oriental já evangelizada pelos Franciscanos. Tinha nomeado o Beato Luís Sotelo como bispo da nova sede. O Núncio Apostólico em Madrid tinha sido encarregado de consagrar o novo bispo. Esta consagração episcopal não pôde ter lugar porque o Beato Luís já se encontrava na prisão…

Após dois anos de prisão, passados sob rigorosa supervisão, foi condenado à morte. A 25 de Agosto de 1624, foi queimado vivo com dois franciscanos, um jesuíta e um dominicano. Tinha 50 anos de idade.

2. Frei Luis Sasanda, um padre franciscano, nasceu numa família cristã japonesa. O seu pai, Michael, foi martirizado em Yendo por causa da sua fé católica. A partir de 1603, devido à santidade da sua vida e sobretudo devido à sua piedade excepcional, foi um dos discípulos favoritos do franciscano Luis Sotelo, a quem seguiu nas suas muitas peregrinações. Em 1613 viajou com ele para Espanha, onde foi recebido na Ordem dos Frades Menores, depois foi também para Itália. Depois de ter visitado Roma, muito impressionado pela sua visita às grandes basílicas de São Pedro, São Paulo, São João de Latrão, Santa Maria Maior, as Catacumbas, o Coliseu e os outros monumentos do cristianismo, partiu novamente para o Japão com os Beatos Luis Sotelo e Luis Baba. Enquanto esteve em Manila, Filipinas, foi ordenado sacerdote. Em 1622 embarcou com o Beato Luis Sotelo para o Japão, num navio japonês com destino a Nagasaki. Os marinheiros do navio, temendo que fossem acusados de transportar missionários (que foi severamente punido pelas leis de perseguição em vigor desde 1614), denunciaram-nos às autoridades de Nagasaki. Foram presos na prisão de Omura, onde sofreram durante quase dois anos, tanto por causa dos aposentos apertados e da exposição aos elementos, como devido à escassez e má qualidade dos alimentos e às péssimas condições de higiene. Pedro Vásquez e Miguel Carvalho foram mais tarde detidos na mesma cela. Durante a sua prisão, Luis Sasanda foi várias vezes sujeito a fortes pressões para renunciar à sua fé, mas apesar das promessas lisonjeiras, permaneceu firme na sua fidelidade a Cristo. A 24 de Agosto de 1624, foi condenado à morte por fogo lento. Na manhã seguinte, com uma corda amarrada ao pescoço, foi transferido para um barco que o levou para Foco, perto de Scimbara; lá foi amarrado ao poste com laços soltos para que, se se arrependesse, pudesse ser libertado. O fogo queimou muito lentamente, aumentando a dor física do mártir, de cuja boca saíram invocações e orações. As suas cinzas foram espalhadas no mar.

3. Luis Baba, da Ordem Franciscano Secular. Luis Baba, mártir no Japão, nasceu de uma família japonesa de antiga tradição católica e foi o catequista predileto de Frei Luis Sotelo, Franciscano. Por seu zelo e suas capacidades catequísticas foi escolhido por ele como companheiro de missão nas muitas e longas viagens, uma experiência que o confirmou sempre mais em seu propósito de se prodigar para o serviço da fé. De volta da Espanha visitou o México e depois chegou às Ilhas Filipinas.

A última parte da viagem de Manila a Nagasaki foi realizada em um junco de japoneses, os quais, temendo comprometer-se por ter transportado o país missionários (era o tempo da dura perseguição), entregaram-nos simplesmente às autoridades, que os prenderam e em 1622 foram enviados para Omura, onde o catequista Luis viu realizar-se o seu desejo de ser admitido à Terceira Ordem de São Francisco e vestir o seu hábito.

Na manhã de 25 de agosto de 1624, o governador de Omura notificou Luis Baba e outros quatro prisioneiros da sentença que os condenava ao suplício do fogo. Diante dessa notícia o ânimo deles se sentiu pleno de alegria e juntos deram graças a Deus. Antes de serem conduzidos ao suplício, o governador submeteu-os a um interrogatório perguntando-lhes os seus nomes e especialidade. Por todos respondeu o Beato Luis Sotelo: estes dois … pertencem um à Ordem de Santo Domingo e o outro à companhia de Jesus e chamam-se Pedro Vasquez e Miguel Carvalho. Desses dois japoneses, um é padre e religioso da minha Ordem, o outro, Luis Baba, antes era catequista, e eu na prisão o recebi na Ordem da Penitência de São Francisco. Todos nós pregamos a fé em Jesus Cristo e estamos prontos para morrer em testemunho desta fé.

O governador tomou nota desta declaração e os santos confessores da fé foram conduzidos ao local da execução perto de Omura onde haviam morrido mártires também o Beato Apolinar Franco e seus companheiros. Ao longo da viagem eles não cessaram de pregar Jesus Cristo. Ao chegar ao local estabelecido foram amarrados aos postes e acenderam as fogueiras. O mártir Luís Baba, sentindo-se afrouxar os laços que o mantinham amarrado passou entre as chamas e ajoelhou-se na frente do Beato Luis Sotelo para receber a sua última bênção, então regressou tranquilamente ao seu poste e esperou ali a morte sorridente.

4.- R. P. Miguel Carvalho, presbítero jesuíta, nasceu em Braga, Portugal, em 1577. Miguel juntou-se à Companhia de Jesus em 1597. Ele era um professor de teologia em Goa e Macau durante quinze anos. Enviado como missionário para o Japão, foi preso em julho de 1623 por pregar o cristianismo e passou 13 meses na prisão antes de ser executado. Morreu condenado à fogueira por causa da intolerância religiosa no Japão. A Universidade Católica Portuguesa deu o seu nome de Beato Miguel de Carvalho ao Instituto que hoje é a Escola de Filosofia desta universidade.

5. Frei Pedro Vázquez, presbítero dominicano, nasceu em Verín, província de Orense, Espanha, em 1587. Estudou em Madrid e é filho do convento de Nossa Senhora de Atocha. Estudou filosofia em Segovia e teologia em Fafe. Chega em Manila em 1615 e passa para o Japão em 1621. Durante sua estadia no Japão trabalhou principalmente em Nagasaki e seus arredores, sendo presa em 1623. Teve grande coragem em sua pregação e desejo do martírio. Morre a fogo devagar em 25 de agosto de 1624 e seus restos mortais foram lançados no mar.”: https://www.facebook.com/HeroesDeAyerYDeHoy/posts/2534287106631631/

12*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Paulo João Charles, pres­bí­tero e mártir, um prior da Ordem Cis­ter­ci­ense, que, du­rante a per­se­guição da Re­vo­lução Fran­cesa, foi ar­re­ba­tado do mos­teiro de Sept-Fonts e en­car­ce­rado na sór­dida ga­lera por causa do seu sa­cer­dócio, onde morreu de ina­nição e enfermidade. († 1794)

13*.   Em Cór­dova, na Ar­gen­tina, a Beata Maria do Trân­sito de Jesus Sacramentado, virgem, que se de­dicou in­ten­sa­mente à for­mação cristã da in­fância pobre e aban­do­nada e ins­ti­tuiu na Ar­gen­tina a Con­gre­gação das Irmãs Mis­si­o­ná­rias da Ordem Ter­ceira de São Francisco. († 1885)

14*.   Em Va­lência, na Es­panha, o Beato Luís Ur­bano Lanaspa, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que su­perou o glo­rioso com­bate por Cristo. († 1936)

15♦.   Em “Pa­lacio del Duque”, entre Somió e Cabueñes, nas As­tú­rias, também na Es­panha, o Beato Flo­rêncio Alonso Ruiz, pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, com o seu mar­tírio se­guiu os passos de Cristo. († 1936)

16♦.   Na es­trada de Lla­gos­tera a Vi­dreras, na Ca­ta­lunha, também na Es­panha, o Beato Onofre (Sálvio To­losa Al­sina), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que na mesma per­se­guição contra a fé deu tes­te­munho de Cristo der­ra­mando por Ele o seu sangue. († 1936)

17♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, o Beato Vi­cente Ál­varez Cienfuegos, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que na mesma per­se­guição der­ramou o sangue por Cristo. († 1936)

18♦.   Em Sucúa, lo­ca­li­dade do Equador, Maria Troncatti, virgem da Con­gre­gação da Fi­lhas de Maria Au­xi­li­a­dora, que exerceu uma longa e ge­ne­rosa ac­ti­vi­dade entre os in­dí­genas “Shuar”. († 1969)

19. Santa Patrícia (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver página 219: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

20. Bem-Aventurado Metódio (também na Folhinha do Coração de Jesus)

21. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, São Genésio. Nascido no paganismo, era ator profissional. Um dia, quando se apresentava ao imperador Diocleciano, ao parodiar os mistérios cristãos foi subitamente tocado pela graça, e pediu o batismo. Por ordem do imperador foi batizado em seu próprio sangue, enquanto clamava: “Não há outro rei senão Cristo”. (M).

– Ver página 218: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também “… Genésio de Roma (em latimGenesius; em italianoGenesio) viveu durante o século III. É o santo padroeiro dos atores, dos músicos, dos humoristas e dos advogados. É invocado, também, contra a epilepsia. É comemorado no dia 25 de agosto. Viveu em Roma com a profissão de ator comediante, era líder de um grupo de teatro… Segundo a lenda, São Genésio, em uma apresentação para o imperador romano Diocleciano, ridicularizava a  cristã. Porém, quando apresentava a recepção do sacramento do batismo, foi convertido milagrosamente e proclamou-se cristão. Diocleciano, achando-o realista demais, mandou Pláucio, prefeito do pretório, torturá-lo com a intenção de fazê-lo voltar a sacrificar para os deuses pagãos. Insistindo em defender o cristianismo, resistiu às torturas, levando Pláucio a decapitá-lo.

Passou a ser venerado no século IV e uma igreja foi construída e, posteriormente, reformada e ampliada pelo papa Gregório III em 741; mesmo assim sua existência é duvidosa…”:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Gen%C3%A9sio_de_Roma

22.No VIDAS DOS SANTOS, Bem-Aventurado São Tomás de Kempis, confessor. Ver páginas 216-217: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

23. Outras santas e santos do dia 25 de agosto: págs. 202-221, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 25 de agosto, ver ainda: 25 de agosto – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  666-669: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para B
  5. rasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  6. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  7. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  8. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust25.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!