Santas e Santos de 02 de abril

1. São Fran­cisco de Paula, ere­mita, fun­dador da Ordem dos Mí­nimos, na Ca­lá­bria, re­gião da Itália. Pres­creveu aos seus dis­cí­pulos que vi­vessem de es­molas, não ti­vessem nada pró­prio nem to­cassem o di­nheiro e to­massem sempre só os ali­mentos qua­res­mais. Cha­mado pelo rei da França Luís XI para vi­sitar a corte régia, as­sistiu-lhe à morte e fa­leceu em Plessis, pró­ximo de Tours, com a fama de grande aus­te­ri­dade de vida.  († 1507)

– Ver também págs. 26-36: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

2.   Em Ce­sa­reia da Pa­les­tina, Santo An­fiano ou Apiano, mártir, que, no tempo do im­pe­rador Ma­xi­mino, quando os ha­bi­tantes da­quela terra eram obri­gados a sa­cri­ficar pu­bli­ca­mente aos deuses, se apro­ximou co­ra­jo­sa­mente do go­ver­nador Ur­bano e, se­gu­rando-lhe a mão di­reita, obrigou-o a sus­pender o rito; ime­di­a­ta­mente os sol­dados se ar­re­mes­saram sobre ele e, en­vol­vendo-lhe os pés num lençol em­be­bido em óleo, ate­aram-lhe fogo e lan­çaram-no vivo ao mar. († 306)

3.   Também em Ce­sa­reia da Pa­les­tina, a paixão de Santa Te­o­dora  (ou Santa Teodósia, jovem cristã de 17 anos… conforme Martirológio Romano-Monástico), virgem de Tiro, que, na mesma per­se­guição, por saudar pu­bli­ca­mente os con­fes­sores da fé que es­tavam pe­rante o tri­bunal e rogar-lhes que se lem­brassem dela quando che­gassem à pre­sença do Se­nhor, foi presa pelos sol­dados e con­du­zida ao pre­feito, por ordem do qual so­freu cruéis su­plí­cios e fi­nal­mente foi lan­çada ao mar. († 307)

4.   Em Como, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Abúndio, bispo, que, tendo sido en­viado a Cons­tan­ti­nopla pelo papa Leão Magno, aí de­fendeu fir­me­mente a ver­da­deira fé. († 468)

5.   Em Cápua, na Cam­pânia, também re­gião da Itália, São Vítor, bispo, cé­lebre pela sua eru­dição e santidade. († 554)

6.   Em Lião, na Gália, ac­tu­al­mente na França, São Ni­cécio, bispo, que foi sempre so­lí­cito para com os po­bres e bon­doso para com os hu­mildes e en­sinou esta Igreja a se­guir uma norma na salmodia. († 573)

7.   No mos­teiro de Lu­xeuill, na Bor­gonha, também na ac­tual França, Santo Eus­tásio, abade, que foi dis­cí­pulo de São Co­lum­bano e pre­lado de quase seis­centos monges. († 629)

– Lembrado dia 29 de março. Ver páginas 363-364: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

8.   No Chelms­ford, na In­gla­terra, São João Paine, pres­bí­tero e mártir, que, no rei­nado de Isabel I, fal­sa­mente acu­sado de alta traição, so­freu o su­plício da forca. († 1582)

9*.   Em Tomhom, lo­ca­li­dade da ilha de Guam, na Oce­ania, São Pedro Calungsod, ca­te­quista, e o Beato Diogo Luís de San Vítores, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, que por causa da sua fé cristã foram cru­el­mente as­sas­si­nados e lan­çados ao mar por após­tatas e al­guns in­dí­genas se­quazes de su­pers­ti­ções pagãs. († 1672)

10*.   Em Spo­leto, na Úm­bria, re­gião da Itália, o Beato Le­o­poldo de Gaiche (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, que or­ga­nizou santos re­tiros em Monteluco. († 1815)

11.   Em Xuong Dien, no Ton­quim, hoje no Vi­etnam, São Do­mingos Tuoc, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir na per­se­guição do im­pe­rador Minh Mang. († 1839)

12*.   Em Pádua, no Vé­neto, re­gião da Itália, a Beata Isabel Ven­dra­mini, virgem, que de­dicou a sua vida aos po­bres e, su­pe­rando muitas ad­ver­si­dades, fundou o Ins­ti­tuto das Irmãs Isa­be­linas da Ordem Ter­ceira de São Francisco. († 1860)

13*.   Em Vich, ci­dade da Ca­ta­lunha, na Es­panha, São Fran­cisco Coll y Guitart, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, que, in­jus­ta­mente ex­pulso do claustro, per­se­verou fir­me­mente na sua vo­cação e anun­ciou por toda esta re­gião o nome de Nosso Se­nhor Jesus Cristo. († 1875)

14*.   Em Gyor, na Hun­gria, o Beato Gui­lherme Apor, bispo e mártir, que, du­rante a se­gunda guerra mun­dial, abriu as suas portas a cerca de tre­zentos re­fu­gi­ados e, es­pan­cado na tarde da Sexta-Feira da Paixão do Se­nhor por de­fender das mãos dos sol­dados al­gumas jo­vens in­de­fesas, morreu três dias depois. († 1945)

15*.   Em L’viv, na Ucrânia, o Beato Ni­colau Car­neckyj, bispo, que, exer­cendo a função de exarca apos­tó­lico em Volyn’ e Pi­dl­jashja, du­rante a per­se­guição contra a fé cristã, se­guiu os passos de Cristo como pastor fiel e por sua graça al­cançou o reino celeste. († 1959)

16*.   Em Ma­racay, na Ve­ne­zuela, a beata Maria de São José Alvarado (Laura Al­va­rado Car­dozo), virgem, que fundou a Con­gre­gação das Agos­ti­nhas Re­co­letas do Sa­grado Co­ração e as­sistiu sempre com su­prema ca­ri­dade as órfãs, os idosos e os po­bres abandonados. († 1967)

17.   Em Roma, junto de São Pedro, o dia natal de São João Paulo II, papa, cuja me­mória se ce­lebra no dia 22 de Outubro. († 2005)

18. No séc. V, Santa Maria Egipcíaca (Santa Maria do Egito na Folhinha do Coração de Jesus) que renunciou a uma vida de escândalos após ter recebido a graça de adorar a Santa Cruz em Jerusalém, e depois retirou-se para a solidão do deserto da Palestina (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

– Ver também págs. 37-45: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

19. Em 653, São Longino. Nascido na Suíça, de pais pagãos, recebeu o batismo e o sacerdócio na Auvergne. Depois foi para o Maine, onde construiu um mosteiro que deu nome à atual localidade de Saint-Longin, na Diocese de Le Mans (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – X).

– Ver também São Longis e Santa Inesfreda, págs. 48-49: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

20. Santa Ebba, abadessa, virgem e mártir. Ver págs. 46-47: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

21. Santa Musa, virgem de Roma. Ver págs. 50-51: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

22. Outros santos do dia 02 de abril: págs: 26-53 (vol.06):  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal – http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Santas e Santos de 01 de abril

1.   Em Roma, a co­me­mo­ração dos santos már­tires Ve­nâncio, bispo, e com­pa­nheiros da Dal­mácia e da Ís­tria, isto é, Anas­tásio, Amaro, Pau­li­niano, Télio, As­tério, Sep­tímio, An­ti­o­quiano e Gaiano, que a Igreja ve­nera na mesma festividade. († s. III/IV)

2.   Em Tes­sa­ló­nica, na Ma­ce­dónia, ac­tu­al­mente na Grécia, as santas Ágape e Quiónia, vir­gens e már­tires, que, na per­se­guição de Di­o­cle­ciano, por re­cu­sarem comer das carnes dos ani­mais sa­cri­fi­cados aos ídolos, foram en­tre­gues ao go­ver­nador Dul­cécio e con­de­nadas à fogueira. († 304)

3.   Na Pa­les­tina, Santa Maria Egip­cíaca, que era uma fa­mosa pe­ca­dora de Ale­xan­dria e, pela in­ter­cessão da Virgem Maria, se con­verteu a Deus na Ci­dade Santa e se con­sa­grou a uma vida pe­ni­tente e so­li­tária além do Jordão. († s. V)

4.   Em Lau­conne, perto de Amiens, na Gália, hoje na França, São Va­lé­rico, pres­bí­tero, que atraiu muitos com­pa­nheiros à vida eremítica. († s. VII)

– Ver também págs. 17-21: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

5.   Em Ard­pa­trick, na pro­víncia de Munster, na Ir­landa, São Celso, bispo de Ar­magh, que pro­moveu di­li­gen­te­mente a re­no­vação da Igreja. († 1129)

6.   Em Gre­noble, ci­dade da Bor­gonha, na França, Santo Hugo, bispo, que se em­pe­nhou na re­forma de cos­tumes do clero e do povo e, du­rante o seu epis­co­pado, mo­vido pelo ar­dente amor à so­lidão, ofe­receu ao seu an­tigo mestre São Bruno e com­pa­nheiros o ermo de Char­treuse, do qual foi o pri­meiro abade; du­rante quase cin­quenta anos di­rigiu esta Igreja com o seu ad­mi­rável exemplo de caridade.

– Ver também págs. 09-16: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf  († 1132)

7*.   No mos­teiro cis­ter­ci­ense de Bon­ne­vaux, lo­ca­li­dade do Del­fi­nado, na França, o Beato Hugo, abade, cuja ca­ri­dade e pru­dência pro­moveu a con­ci­li­ação entre o papa Ale­xandre III e o im­pe­rador Fre­de­rico I. († 1194)

8*.   Em Caith­ness, na Es­cócia, São Gil­berto, bispo, que cons­truiu em Dor­noch a igreja ca­te­dral e fundou hos­pí­cios para os po­bres; ao morrer, re­co­mendou o que sempre ob­servou na sua vida: não pre­ju­dicar nin­guém, su­portar com pa­ci­ência as cor­rec­ções di­vinas e não in­co­modar ninguém. († c. 1245)

9*.   Em York, na In­gla­terra, o Beato João Bretton, mártir, pai de fa­mília, que, no rei­nado de Isabel I, foi vá­rias vezes in­cri­mi­nado pela sua per­se­ve­rante fi­de­li­dade à Igreja Ro­mana e por fim, fal­sa­mente acu­sado de alta traição, morreu estrangulado. († 1598)

10*.   Em Bréscia, na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Luís Pavóni (Ludovico Pavani, conforme a Folhinha do Coração de Jesus)pres­bí­tero, que se con­sa­grou com grande so­li­ci­tude à for­mação dos jo­vens mais po­bres, pro­cu­rando es­pe­ci­al­mente educá-los se­gundo a moral cristã e ori­entá-los para os tra­ba­lhos pro­fis­si­o­nais, fun­dando para isso a Con­gre­gação das Fi­lhas de Maria Imaculada.  († 1848)

11♦.   No Fun­chal, ci­dade do ar­qui­pé­lago da Ma­deira, em Por­tugal, o Beato Carlos de Áustria (Carlos I de Habs­burgo), que con­tri­buiu di­li­gen­te­mente, pela sua con­dição régia, para o for­ta­le­ci­mento do reino de Deus.  († 1922)

12♦.   Em Gua­da­la­jara, re­gião de Ja­lisco, no Mé­xico, os be­atos Ana­cleto Gon­zález Flores (José), Jorge Rai­mundo Vargas González, Luís Pa­dilla Gómez (José Di­o­nísio), e Rai­mundo Vi­cente Vargas González, mártires. († 1927)

13. BEM-AVENTURADOS TOMÉ DE TOLENTINO, TIAGO DE PÁDUA, PEDRO DE SIENNE E DEMÉTRIO DE GEóRGIA, MÁRTIRES. Ver páginas 22-23: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

14. No séc. VII, São Valério, sacerdote, venerado na abadia construída sobre seu túmulo na Picardia (Conforme Martirológio Romano-Monástico – M).

15. Em Constantinopla, em 830, São Macário, higúmeno, que suportou grandes tribulações na defesa do culto das santas imagens (Conforme Martirológio Romano-Monástico – M).

– Ver também pág. 24: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

16. No ano da graça de 1100, o Bem-Aventurado Lanzão, prior de São Pancrácio de Lewes, perto de Londres, mosteiro que esteve à frente da província inglesa de Cluny (Conforme Martirológio Romano-Monástico – X).

17. No mesmo dia, em Roma, Santa Teodora (também na Folhinha do Coração de Jesus) irmã do mui célebre mártir Santo Hermes; sofreu o martírio durante o reinado de Adriano e quando Aureliano era juiz. Foi enterrada perto do irmão, na via Salária, não longe da cidade. Ver pág. 25: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

18. Outros santos do dia 01 de abril: págs: 09-25 (vol.06):  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal – http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.