Santas e Santos de 07 de setembro

1.   Em Alésia, na Gália, hoje Alise-Sainte-Reine, na França, Santa Re­gina (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, nesta data, o martírio de Santa Regina de Alésia, cujo culto, espalhado sobretudo na Borgonha, é documentado desde o séc. V por uma basílica edificada sobre seu sarcófago. Uma tradição designa assim o lugar de Alésia: “Aqui, César venceu a Gália; aqui, uma virgem venceu César!” (M)

 2.   Em Pom­peió­polis, na Ci­lícia, na ho­di­erna Tur­quia, São So­zonte, mártir. († data inc.)

3.   Em Be­ne­vento, na Cam­pânia, re­gião da Itália, os santos már­tires Festo, diá­cono, e De­si­dério, leitor. († s. IV)

4.   Em Or­leães, na Gália Li­o­nense, hoje na França, Santo Evúrcio, bispo. († s. IV)

5*.   Em Aosta, nos Alpes Graios, ac­tu­al­mente na Itália, São Grato, bispo. († s. V)

6.   Em Breuil, no ter­ri­tório de Troyes, na França, os santos Me­mório e com­pa­nheiros, már­tires, que, se­gundo a tra­dição, foram mortos por Átila, rei dos Hunos. († s. V)

7*.   Em Châ­lons-sur-Marne, na Gália Li­o­nense, hoje na França, Santo Al­pino, bispo, que foi dis­cí­pulo de São Lopo de Troyes. († s. V)

8.   Em No­gent-sur-Seine, no ter­ri­tório de Paris, também na ac­tual França, São Clo­do­aldo (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, de fa­mília régia, que, de­pois de terem sido mortos seu pai e seus ir­mãos, foi aco­lhido por sua avó Santa Clo­tilde e, re­jei­tando o reino ter­reno, abraçou a vida clerical. († 560). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 560, São Clodoaldo, neto de Santa Clotilde. Depois que seus irmãos foram cruelmente assassinados, abraçou a vida monástica perto de Paris, no lugar que hoje tem o seu nome. (M). No VIDAS DOS SANTOS, São Clodoaldo ou São Cloud. Ver páginas 92-94: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Clodoaldo_(santo)

9*.   Em Albi, na Aqui­tânia, também na ho­di­erna França, Santa Ca­rís­sima, virgem reclusa. († s. VI/VII)

10*.   Em Mau­beuge, no ter­ri­tório do Hai­naut, na Aus­trásia, ac­tu­al­mente também na França, Santa Ma­del­berta, aba­dessa, que su­cedeu a sua irmã, Santa Adeltrudes. († c. 705)

11*.   Na Flan­dres, ter­ri­tório da Aus­trásia, na ac­tual Bél­gica, a co­me­mo­ração de Santo Hil­du­ardo, bispo. († c. 760)

12*.   Em Toul, ci­dade da Lo­rena, na ho­di­erna França, São Gau­ze­lino, bispo, que pro­moveu a ob­ser­vância monástica. († 962). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 962, São Gozelino. Originário de uma nobre família franca, era notário da chancelaria real, quando o rei Carlos, o Simples, o designou para a Sé Episcopal de Toul. Após uma visita à abadia beneditina de Fleury-sur-Loire, reanimada por Santo odo de Cluny, fundou na Lorena o mosteiro masculino de Saint-Epvre e o mosteiro feminino de Bouxières-aux-Dames. (X). Ver páginas 90-91: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

13*.   Em Gúbbio, na Úm­bria, re­gião da Itália, São João de Lódi, bispo, que foi com­pa­nheiro de São Pedro Da­mião nas suas mis­sões pontifícias. († c. 1106)

14*.   Em Die, na França, Santo Es­têvão de Châ­tillon, bispo, que, afas­tado da so­lidão de Portes-en-Bugey, mas nada di­mi­nuindo à sua aus­te­ri­dade car­tu­siana, pre­sidiu ex­ce­len­te­mente a esta Igreja. († 1208)

15.   Em Ko­sice, nos montes Cár­patos, na ho­di­erna Es­lo­vá­quia, os santos már­tires Marcos Cri­sino, pres­bí­tero de Esz­tergom, Es­têvão Pon­gracz e Mel­chior Grod­zi­ecki, pres­bí­teros da Com­pa­nhia de Jesus, que nem a fome nem a tor­tura da roda nem os tor­mentos do fogo pu­deram in­duzir a ab­jurar da fé católica. († 1619). Ver Bem-aventurados Marcos Estêvão Crisin, Estêvão Poncgraz e Melquior Grodecz, às páginas 95-96: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

16*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os be­atos már­tires Tomás Tsuji, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, Luís Maki e seu filho João, que foram con­de­nados à fo­gueira por causa da sua fé cristã. († 1627)

17*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos Ran­dolfo Corby, da Com­pa­nhia de Jesus, e João Duc­kett, pres­bí­teros e már­tires, que, no rei­nado de Carlos I, por terem en­trado na In­gla­terra como sa­cer­dotes, foram con­de­nados à morte no pa­tí­bulo de Ty­burn e assim me­re­ceram a palma celeste. († 1644)

18*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, os be­atos Cláudio Bar­nabé Lau­rent de Mas­cloux e Fran­cisco d’Ou­dinot de la Boissière, pres­bí­teros e már­tires, que, presos du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa por causa do sa­cer­dócio e en­cer­rados na ga­lera, mor­reram por Cristo con­su­midos pela fome e inanição. († 1794)

19*.   Na ilha de Wo­o­dlark, na Oce­ania, o Beato João Bap­tista Mazzucóni, pres­bí­tero do Ins­ti­tuto para as Mis­sões Es­tran­geiras de Milão e mártir, que, de­pois de passar três anos na obra de evan­ge­li­zação, já exausto de­vido às fe­bres e fe­ridas, foi morto a golpe de ma­chado em ódio à fé cristã. († 1855)

20*.   Em Parma, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, a Beata Eu­génia Picco, virgem da Con­gre­gação das Pe­quenas Fi­lhas dos Sa­grados Co­ra­ções de Jesus e Maria, que, con­sa­grando-se mag­na­ni­ma­mente à von­tade de Deus, pro­moveu a dig­ni­dade das mu­lheres e fo­mentou a for­mação es­pi­ri­tual e cul­tural das religiosas. († 1921)

21♦.   Em Var­sóvia, na Po­lónia, o Beato Inácio Klopotowski, pres­bí­tero da di­o­cese de Lu­blin, fun­dador da Con­gre­gação de Nossa Se­nhora de Loreto. († 1931)

22*.   Em Gandia, ci­dade da re­gião de Va­lência, na Es­panha, a Beata As­censão de São José de Ca­la­sanz (As­censão Lloret Marco), virgem do Ins­ti­tuto das Irmãs Car­me­litas da Ca­ri­dade e mártir, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, venceu glo­ri­o­sa­mente o com­bate da fé. († 1936)

23♦.   Em Hueva, perto de Gua­da­la­jara, também na Es­panha, o Beato Félix Gómez-Pinto Piñero, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que, na mesma per­se­guição, morto no ce­mi­tério, al­cançou a palma do martírio. († 1936)

24♦.   Em Bar­ce­lona, também na Es­panha, os be­atos már­tires An­tónio Maria de Jesus (An­tónio Bonet Seró), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços, e Mar­celo de Santa Ana (José Maria Masip Ta­marit), re­li­gioso da mesma Ordem, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, pelo seu in­que­bran­tável tes­te­munho de Cristo al­can­çaram vi­to­ri­o­sa­mente o reino celeste. ( † 1936)

25♦.   Em To­ledo, também na Es­panha, o Beato Tirso de Jesus Maria (Gre­gório Sán­chez Sancho), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e mártir na mesma per­se­guição contra a fé cristã. († 1936)

26. João de Nicomédia, também na Folhinha do Coração de Jesus.

27. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, o martírio de Santo Hesíquio, que Juliano Apóstata fez morrer como um dos responsáveis pela destruição do templo de Fortuna, em Cesaréia da Capadócia. Oito anos depois, São Basílio celebrava solenemente sua festa em presença de todos os bispos daquela região. (M)

28. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Nicomédia, a paixão do Bem-Aventurado Evécio. Vendo pregados em praça pública os editos cruéis contra os cristãos, movido pela fé ele os rasgou. Informados, os imperadores Diocleciano e Maximiano ordenaram que fossem infligidos a Evécio todos os tipos de tortura, que ele suportou com admirável tranquilidade de fisionomia e de espírito. (M)

29. Outros santos do dia 07 de setembro: págs. 90-98, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 07 de setembro, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/7_de_setembro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 703-706:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.