Santas e Santos de 08 de abril

NOSSA SENHORA DA PENHA: Ver:  

08 DE ABRIL: NOSSA SENHORA DA PENHA “Nossa Senhora da Penha é o título da Virgem Maria que teve início quando um monge francês chamado Simão sonhou com uma imagem de Nossa Senhora que estava enterrada no alto de uma montanha de difícil acesso. A imagem estaria enterra ali por causa de uma guerra entre franceses e muçulmanos.” http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/nossa-senhora-da-penha

VER 01 DE SETEMBRO E 08 DE SETEMBRO: Nossa Senhora da Penha de França ou Nossa Senhora da Penha é um dos nomes que recebe Maria, mãe de Jesus, que acreditam os católicos, apareceu a Simão Vela no oeste da Espanha, numa serra chamada Penha de França. Lá, sua festa é comemorada no dia 8 de setembro. Também em São Paulo e em Itapira ocorre a cada 8 de setembro. Em Resende Costa, onde é padroeira, comemora-se no dia 1° de setembro, assim como na cidade do Crato, na cidade de Campos Sales e no Bairro da Penha em Campos dos Goytacazes. Já no Espírito Santo, mais precisamente na Grande Vitória, a Festa da Penha é realizada todos os anos no Convento da Penha na cidade de Vila Velha sempre oito dias depois do domingo de Páscoa[2], sendo feriado municipal em Cariacica[3]Vila Velha[4]Vitória[5] e também em Cachoeiro de Itapemirim, no sul do Estado. É considerada pela Igreja Católica como a terceira maior festa religiosa do Brasil, ficando atrás somente da comemoração que homenageia a padroeira do Brasil, em Aparecida (São Paulo), e do Círio de Nazaré, em Belém, no Pará.[2]”  https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Penha_de_Fran%C3%A7a

https://www.altoastral.com.br/nossa-senhora-da-penha/

– Ver 01 DE SETEMBRO: NOSSA SENHORA DA PENHA, RAINHA E PADROEIRADE SÃO PAULO às págs. 366-374. OBSERVAÇÃO: entre as páginas 370-373, texto sobre NOSSA SENHORA APARECIDA:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

1.   Co­me­mo­ração de Santo Agabo, pro­feta, que, se­gundo o tes­te­munho dos Actos dos Apóstolos, mo­vido pelo Es­pí­rito Santo, anun­ciou uma grande fome em toda a terra e os tor­mentos que Paulo ia so­frer da parte dos gentios. Ver “Ágabo, o Profeta (em grego: Ἄγαβος) foi um dos primeiros fiéis seguidores de Jesus, mencionado nos Atos dos Apóstolos como sendo um profeta. Ele é tradicionalmente listado também entre os Setenta Discípulos descritos no evangelho de Lucas (Lucas 10:1-24).”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/%C3%81gabo,_o_Profeta

– VER 13 DE FEVEREIRO: Santo Agabo, profeta. Ver páginas 230-231: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

2.   Co­me­mo­ração dos santos He­ro­dião, As­sín­crito e Fle­gonte, que o após­tolo São Paulo saúda na Epís­tola aos Romanos (Rm 16,11-14). Ver páginas 189-190: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

3.   Co­me­mo­ração de São Di­o­nísio, bispo de Co­rinto, na Grécia, que, do­tado de ad­mi­rável co­nhe­ci­mento da pa­lavra de Deus, não só ins­truiu com a pre­gação os fiéis da sua ci­dade epis­copal e da sua pro­víncia, mas en­sinou também com as suas cartas os bispos de ou­tras ci­dades e províncias. († 180). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 180, o Bem-Aventurado Dionísio, bispo de Corinto. Segundo o historiador Eusébio, exerceu grande influência através de suas cartas dirigidas às Igrejas, nas quais ele exortava à paz, à unidade e à fidelidade do Evangelho (M). Ver páginas 184-188: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

Ver “São Dionísio Bispo de Corinto, viveu por volta do ano 171 Sua festa é comemorada no dia 8 de abril[1]. A data em que esteve vivo (floruit) é dada pelo fato de que ele escreveu para o Papa Sotero[a]Eusébio, em sua obra Crônicas, aponta-o como estando vivo no décimo-primeiro ano do imperador Marco Aurélio (171). Quando Hegésipo esteve em Corinto nos tempos do Papa AnicetoPrimo era o bispo (ca. 150-5), enquanto Báquilo foi bispo de Corinto durante a Controvérsia da Páscoa (entre 190-8). A única fonte pela qual conhecemos Dionísio hoje em dia é Eusébio, pois Jerônimo (De Viris Illustribus, cap. 27[2]) utilizou-o como única fonte. Eusébio conhecia uma coleção de sete das “Cartas Católicas às Igrejas” de Dionísio, assim como uma carta para ele de Pinito de CretaBispo de Cnossos, e uma carta pessoal de conselhos espirituais para uma senhora chamada Crisófora[1].”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Dion%C3%ADsio_de_Corinto

4.   Em An­ti­o­quia, na Síria, hoje An­takya, na Tur­quia, os santos Ti­móteo, Dió­genes, Ma­cário e Má­ximo (também na Folhinha do Coração de Jesus, Máxima), mártires. († data inc.)

5.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, São Di­o­nísio, bispo, homem de grande eru­dição, me­mo­rável por ter pro­fes­sado a fé muitas vezes e in­signe pelas di­versas tri­bu­la­ções e tor­turas su­por­tadas, que, no tempo dos im­pe­ra­dores Va­le­riano e Ga­lieno, com idade avan­çada ador­meceu no Se­nhor como con­fessor da fé. († c. 265). Ver “Dionísio de Alexandria (em latimDionysius Alexandrinus), chamado o Grande, foi o patriarca de Alexandria, entre os anos de 248 e 265. Há muitas informações sobre Dionísio em virtude da extensa correspondência expedida por ele em vida. Porém, apenas uma das cartas originais sobreviveu e conhecemos as demais pelas transcrições feitas por Eusébio de Cesareia em sua História Eclesiástica. No entanto, estas informações são mais detalhadas a partir da eleição ao episcopado.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Dion%C3%ADsio_de_Alexandria

– VER 17 DE NOVEMBRO: Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 264, São Dionísio, bispo de Alexandria. Discípulo de Orígenes e escritor, confessou sua fé durante as perseguições de Décio e de Valeriano, e morreu no exílio. (M). Ver páginas 98-99: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

6.   Em Como, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Amâncio, bispo, que foi o ter­ceiro a ocupar esta cá­tedra epis­copal e cons­truiu a ba­sí­lica dos Apóstolos. († 449)

7*.   Em Or­vieto, na Úm­bria, re­gião da Itália, o Beato Cle­mente de Ósimo, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que di­rigiu e pro­moveu efi­caz­mente a Ordem e re­formou sa­bi­a­mente as suas leis. († 1291)

8*.   Em Al­calá de He­nares, na Es­panha, o beato Ju­lião de Santo Agostinho, re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Des­calços, que, con­si­de­rado ali­e­nado mental por causa da sua ri­go­rosa pe­ni­tência e vá­rias vezes afas­tado da vida re­li­giosa, anun­ciou a Cristo mais pelo exemplo da sua vir­tude que pela palavra. († 1606). Ver também São Juliano de Santo Agostinho, às páginas 204-208: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

9.   Em Namur, junto ao rio Mosa, no Bra­bante, na ac­tual Bél­gica, Santa Júlia Bil­liart (também na Folhinha do Coração de Jesus e em 2020 na Folhinha do Coração de Jesus de 13 de maio), virgem, que fundou o Ins­ti­tuto de Santa Maria para a for­mação da ju­ven­tude fe­mi­nina e pro­pagou ar­do­ro­sa­mente a de­voção ao Sa­grado Co­ração de Jesus. († 1816) Ver páginas 209-212: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

Ver também “Maria Rosa Júlia Billiart (CuvillyPicardia12 de julho de 1751 — Namur8 de abril de 1816) foi uma santa católica, beatificada pelo Papa Pio X em 13 de maio 1906 e canonizada por Paulo VI 22 de junho de 1969. Fundadora da Congregação de Notre Dame de Namur, é festejada em 8 de abril.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/J%C3%BAlia_Billiart

10*.   Em Alássio, pró­ximo de Al­benga, na Li­gúria, re­gião da Itália, o Beato Au­gusto Czar­toryski, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana, cuja en­fer­mi­dade não im­pediu que, se­guindo fir­me­mente o cha­ma­mento de Deus, re­ce­besse es­pe­ciais dons de santidade. († 1893)

11*.   No con­vento de Bel­monte, perto de Cu­enca, na Es­panha, o beato Do­mingos do San­tís­simo Sa­cra­mento Iturrate, pres­bí­tero da Ordem da San­tís­sima Trin­dade, que se de­dicou com todas as suas forças a pro­mover a sal­vação das almas e a exaltar a glória da San­tís­sima Trindade. († 1927).

– VER 11 DE MAIO: São Domingos do Santíssimo Sacramento. VerDomingos do Santíssimo Sacramento no siglo Domingo Iturrate Zubero: (Dima11 de maio de 1901Belmonte7 de abril de 1927) foi um sacerdote da Ordem da Santíssima Trindade e toda a sua vida foi composta por uma busca da santidade segundo a fé católica.: https://pt.wikipedia.org/wiki/Domingos_do_Sant%C3%ADssimo_Sacramento

12. São Perpétuo, Bispo e Confessor. Ver páginas 191-196: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

13. São Redento, Bispo e Confessor. Ver páginas 197-198: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

14. São Galtério de Pontoise, Abade e Confessor. Conforme o Martirológio Romano-Monástico: São Gaudério, abade de Saint-Martin de Pontoise. Nomeado superior contra sua vontade, aplicou em seu mosteiro os princípios da reforma religiosa proposta por Gregório VII para a Igreja inteira. Entrou no paraíso na sexta-feira santa de 1099 (X). Ver páginas 199-203: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

15. No Martirológio Romano de 09 de abril (VER 09 DE ABRIL), também em Ale­xan­dria, Santo Edésio, irmão de Santo An­fiano, que, no tempo do im­pe­rador Ma­xi­mino, cen­surou aber­ta­mente o juiz por en­tregar ao le­no­cínio as vir­gens con­sa­gradas a Deus, e por isso foi preso e tor­tu­rado pelos sol­dados e lan­çado ao mar, mor­rendo por Cristo Nosso Senhor. († 306).  Em Alexandria, neste mesmo dia (08 DE ABRIL), Santo Edésio (também na Folhinha do Coração de Jesus) mártir, quando do imperador Maximiano Galero. Quando tentava reprimir um ato indigno de um juiz ímpio, repreendendo-o por condenar à prostituição virgens consagradas a Deus, foi prêso por soldados, Ievado a cruéis suplícios e atirado ao mar pela fé no Senhor Jesus, no ano de 306. Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 08 de abril, no ano do Senhor de 306, a paixão de Santo Edésio. Versado nas ciências profanas assim como nas sagradas, reagiu com energia quando soube das sevícias exercidas pelo governador de Alexandria contra as virgens cristãs. Sua corajosa intervenção foi recompensada com a palma do martírio. (M). Ver página 213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

16. São Válter de Pontoise, também na Folhinha do Coração de Jesus (DE 08 DE ABRIL)

– VER 23 DE MARÇO: Em Pon­toise, perto de Paris, na França, São Gualter, pri­meiro abade do mos­teiro desta lo­ca­li­dade, que, re­nun­ci­ando à sua in­cli­nação para a vida so­li­tária, en­sinou aos monges com o seu exemplo a ob­ser­vância re­gular e com­bateu os cos­tumes si­mo­níacos no clero. († 1095)

– Ver “São Walter de Pontoise ( francês : Saint Gautier, Gaultier, Gaucher ; c.  1030 – c.  1099 ) foi um santo francês do século XI. Nascido em Andainville , [3] foi professor de filosofia e retórica antes de se tornar monge beneditino em Rebais (diocese de Meaux ). Uma história que conta a seu respeito é que, quando era novato, Walter teve pena de um prisioneiro na prisão do mosteiro e ajudou o prisioneiro a escapar. [2]”: https://en.wikipedia.org/wiki/Walter_of_Pontoise

17. Santa Constantina ou Constança. Ver “Constantina (325 — 354), mais tarde conhecida como Santa Constantina ou Santa Constança, foi a filha mais velha do imperador romano Constantino e de sua segunda esposa Fausta, filha do imperador Maximiano. Recebeu o título de Augusta por seu pai, e é venerada como uma santa, tendo desenvolvido uma lenda medieval em desacordo com o que é conhecido da personagem real.[1]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Constantina_(filha_de_Constantino)

18. Outros santos do dia 08 de abril: págs. 184-213 (vol.6): VIDAS DOS SANTOS – 6.pdf (obrascatolicas.com)

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”. 

R/: Demos graças a Deus!” 

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre 08 de abril, ver ainda: 8 de abril – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA: 

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/ 

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 312-313: 

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf 

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf 

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997 

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com 

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular. 

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES) 

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! 

Querida Mãe Maria, proteja-nos! 

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! 

Amém! 

* PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM! 

* OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. 

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA: 

barpuri@uol.com.br 

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! 

* “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho) 

* “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro) 

* “Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém! 

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021) 

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!” 

Ver: 

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!