Santas e Santos de 31 de maio

FESTAS DE NOSSA SENHORA EM 31 DE MAIO

A. Festa da VI­SI­TAÇÃO DA VIRGEM SANTA MARIA em 31 de maio (no DIRETÓRIO DA LITURGIA DA CNBB de 2021), em que a Mãe de Deus foi ao en­contro da sua pa­renta Isabel, que em avan­çada idade tinha con­ce­bido um filho, e a saudou. No feliz en­contro das duas fu­turas mães, o Re­dentor que vinha ao mundo san­ti­ficou o pre­cursor ainda no seio da sua mãe, e Maria, res­pon­dendo à sau­dação de Isabel e exul­tando na ale­gria do Es­pí­rito Santo, deu glória ao Se­nhor com um cân­tico de louvor, o “Magnificat”.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 31 de maio, Festa da Visitação da Santa Virgem Maria. Habitada pela presença divina e saudada como a Arca da Nova Aliança por sua prima Isabel, grávida, a quem ela tinha vindo prestar seus serviços. Nossa Senhora respondeu com o “Magnificat”, em que exalta as maravilhas de Deus Todo-Poderoso em Sua serva, sua misericórdia para com os pobres e sua fidelidade para com os pobres e sua fidelidade para com Israel. (R)

– Ver também 02 de julho: NO “VIDA DOS SANTOS deste dia 02 de julho”: É LEMBRADO NESTE 02 DE JULHO A VISITAÇÃO DE NOSSA SENHORA A SANTA ISABEL. Por que se estabeleceu no dia de hoie, 2 de julho, a festa da Visitação? Porque se crê que seja o último dia de Maria em casa de Isabel. Ver páginas 122-133: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

Observação: Buscando combinar o calendário, Maria teria ficado com Isabel de 31 de maio a 02 de julho.

Ver: https://www.dehonianos.org/portal/visitacao-da-virgem-santa-maria0/

– Ver também ““…Em 1389, o papa Urbano VI, com o objetivo de terminar o Grande Cisma do Ocidente, a inseriu no calendário romano, para celebração em 2 de julho[1]. No calendário tridentino, era uma festa dupla. Quando o missal do papa Pio V foi substituído pelo de Clemente VIII em 1604, a Visitação se tornou uma festa dupla de segunda classe. Ela permaneceu assim até que o papa João XXIII a recassificou como um festa de segunda classe em 1962. Ela continuou a ser comemorada no dia 2 de julho, o dia depois da oitava seguinte à festa do nascimento de João Batista, que estava ainda no ventre de Isabel na época da Visitação. Em 1969, porém, o papa Paulo VI a moveu para 31 de maio, “entre a Solenidade da Anunciação do Senhor (25 de março) e a do Nascimento de João Batista (24 de junho), para que ela se harmonize melhor com o relato do Evangelho[2].

Os católicos romanos que se utilizam do calendário pré-1969 (os chamados vétero-católicos) e os anglicanos, que se utilizam do Livro de Oração Comum (Book of Commom Prayer), de 1662, comemoram a festa em 2 de julho. Assim também o fazem os católicos da Alemanha e a Igreja Luterana…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Visita%C3%A7%C3%A3o”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Visita%C3%A7%C3%A3o

– Ver MARIA A MÃE DE JESUS Maria (em hebraico: מִרְיָם; romaniz.: Miriam; em aramaicoMaryām; em árabe: مريم; romaniz.: Maryam; em grego coiné: Μαριας ou Μαριαμ),[4] também conhecida como Maria de Nazaré e chamada pelos católicos e ortodoxos de Virgem Maria, de Santíssima Virgem e de Nossa Senhora, foi a mulher israelita [5] de Nazaré, identificada no Novo Testamento e no Alcorão como a mãe de Jesus através da intervenção divina.[6] Jesus é visto como o messias — o Cristo — em ambas as tradições, dando origem ao nome comum de Jesus Cristo. Maria teria vivido na Galileia no final do século I a.C. e início do século I d.C., é considerada pelos cristãos como a primeira adepta ao cristianismo…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_(m%C3%A3e_de_Jesus)

– Ver também ISABEL Isabel (do hebraico: אֱלִישֶׁבַע / אֱלִישָׁבַע “Meu Deus jurou”; hebraico padrãoElišévaʿ ~ ElišávaʿTiberianoʾĔlîšéḇaʿ ~ ʾĔlîšāḇaʿ) (em árabe: إليزابيث, Ilizabith) é uma personagem do Novo Testamento da Bíblia, mencionada no Evangelho segundo Lucas como esposa do sacerdote Zacarias e mãe de João Batista.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Isabel_(B%C3%ADblia) 

                                               ================

B. No Martirológio Romano-Monástico, festa de NOSSA SENHORA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS, titular da Diocese Brasileira de Pinheiro (Maranhão).

 Nossa Senhora do Sagrado Coração (em francês Notre Dame du Sacré Coeur; em espanhol, Nuestra Señora del Sagrado Corazón; em inglês, Our Lady of the Sacred Heart; em italiano, Nostra Signora del Sacro Cuore). A devoção mariana é um título dado à Santíssima Virgem Maria pelo padre Julio Chevalier em 1857. Na iconografia, Maria mostra o coração de seu filho enquanto Jesus aponta para sua mãe…

ORAÇÃO: Lembrai-vos, ó Nossa Senhora do Sagrado Coração, do poder inefável que vosso divino filho vos concedeu sobre seu Coração adorável. Com a maior confiança em vossos merecimentos, vimos implorar a vossa proteção. Sois Celeste Tesoureira do Coração de Jesus, daquele coração que é o manancial inexaurível de todas as graças e que podeis abrir a vosso bel prazer para fazer descer sobre os homens todos os tesouros de amor e misericórdia, de luz e salvação que Ele encerra; concedei-nos , vo-lo pedimos, os favores que suplicamos ( fazer o pedido).
Mãe, não nos recuseis coisa alguma, e já que sois nossa Mãe, ó Nossa Senhora do Sagrado Coração, acolhei benignamente as nossas preces e dignai-vos a deferi-las. Amém.
Nossa Senhora do Sagrado Coração, rogai por nós.[4]Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_do_Sagrado_Cora%C3%A7%C3%A3o

– Ver também “… O nome “Missionários do Sagrado Coração” provém de Nossa Senhora do Sagrado Coração, pois toda a obra de fundação desta congregação é tão visivelmente levada a efeito por Nossa Senhora… Explicação do título: Deus não nos dá sua graça senão pelas mãos de Maria. As graças de misericórdia e de amor que se encerram na fonte do Coração de Jesus, podemos recebê-las somente por intermédio de Maria. O título é uma forma de unir as duas grandes devoções da época e para ensinar aos fiéis o meio de ir a Jesus, ao seu Coração, por Maria. Na imagem, Jesus aponta para sua Mãe e ela o Coração do Filho. Quer dizer que Maria, devido a sua maternidade divina, possui um grande poder sobre o Coração de Jesus e que é por meio d’Ela que devemos ir para este divino Coração.

Portanto, por ser uma intuição e não uma aparição, sua imagem é diversa e inculturada onde está. Se está na China, ela traz traços chineses no corpo, roupas, etc. Na Índia, na Coreia, na Espanha, na África, acontece do mesmo modo. É Maria que caminha com seu povo e entra na sua história.”: http://www.misacor-rj.org.br/noticia/detalhe/34/nossa-senhora-do-sagrado-coracao

Antes y después del cambio.– Ver ainda “… Chevalier estabeleceu vários objetivos, com a nova invocação: honrar o amor, a obediência de Jesus a Maria: 1. Reconhecer e propagar o poder suplicante que Cristo deu a Maria sobre seu próprio Coração.
2. Ensinar que o Coração de Maria nos leva ao Coração de Jesus.
3. Juntar-se a Maria em seu louvor e adoração ao Coração de Jesus.
4. Confiar a ele todas as causas difíceis e desesperadas, espirituais e materiais… A imagem teve que ser mudada…  a imagem do Padre Chevalier foi proibida e sua mudança foi ordenada, de modo que a Criança “se ergueria” nos braços de Maria e seria Ela quem o apontaria para Ele, já que o objetivo final de toda devoção é Jesus Cristo. A variante mais conhecida é aquela em que Maria segura o Coração da Criança no peito da criança, às vezes ela também carrega seu próprio coração… na igreja de La Merced em Guadalajara, há uma imagem como era originalmente…”: https://www.religionenlibertad.com/santo_de_hoy/57043/nuestra-senora-del-sagrado-corazon-jesus.html

– Ver “…Padre Chevalier escreveu: “Pouco depois de eu ser batizado, minha mãe me levou à igreja e eu fui consagrado para a Virgem Santíssima e o Coração de Jesus.”…: https://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:snbevbrwie8J:https://santavirgenmaria.com/2016/05/28/oracion-nuestra-senora-del-sagrado-corazon/+&cd=1&hl=es-419&ct=clnk&gl=ec

                                               ================

C. 31 DE MAIO E 22 DE AGOSTO: NOSSA SENHORA RAINHA: A encíclica Ad Caeli Reginam (Rainha do Céu), do Papa Pio XII, de 11 de outubro de 1954 trata sobre a Realeza de Maria e a instituição Festa de Nossa Senhora Rainha, celebrada a cada dia 31 de maio com o costume de coroar-se a imagem da Virgem e da recitação pública da Consagração do Gênero Humano ao Imaculado Coração de Maria… NOSSA SENHORA RAINHA, 22 DE AGOSTO: … O dia 22 de agosto era reservado à homenagem ao Coração Imaculado de Maria. Mas a Igreja, desejando aproximar a festa da realeza de Maria à da sua gloriosa assunção ao céu, inverteu estas datas a partir da última reforma do seu calendário litúrgico, em 1969.”. “…Na Encíclica, a data da festa foi estabelecida para o dia 31 de maio, mês de Maria. Atualmente, porém, a celebração acontece oito dias após a festa da Assunção de Nossa Senhora: assim, fica manifesta a íntima ligação entre a Assunção de Maria e sua coroação no céu.”: https://pt.aleteia.org/daily-prayer/terca-feira-22-de-agosto/

– Ver “CARTA ENCÍCLICA AD CAELI REGINAM DO SUMO PONTÍFICE PAPA PIO XII – AOS VENERÁVEIS IRMÃOS PATRIARCAS, PRIMAZES, ARCEBISPOS E BISPOS E OUTROS ORDINÁRIOS DO LUGAR EM PAZ E COMUNHÃO COM A SÉ APOSTÓLICA SOBRE A REALEZA DE MARIA E A INSTITUIÇÃO DA SUA FESTA…”: http://www.vatican.va/content/pius-xii/pt/encyclicals/documents/hf_p-xii_enc_11101954_ad-caeli-reginam.html

– Ver também: “…Na Encíclica, a data da festa foi estabelecida para o dia 31 de maio, mês de Maria. Atualmente, porém, a celebração acontece oito dias após a festa da Assunção de Nossa Senhora (22 de agosto): assim, fica manifesta a íntima ligação entre a Assunção de Maria e sua coroação no céu… Na festa de Nossa Senhora Rainha de 2012, o Papa Bento XVI declarou: “… esta realeza da Mãe de Deus se faz concreta no amor e no serviço a seus filhos, em seu constante velar pelas pessoas e suas necessidades”.
O reinado de Nossa Senhora se faz visível concretamente, para nós que ainda caminhamos neste mundo, através da intercessão, proteção e orientação concedidas por ela para nos conduzir ao Seu Filho…”:

https://pt.aleteia.org/daily-prayer/terca-feira-22-de-agosto/

– Ver ainda “……Após a revisão do Calendário Geral, o Papa Paulo VI decidiu mudar as festas do Imaculado Coração e a Rainha de Maria. A festa do Imaculado Coração de Maria uniu-se à festa do Sagrado Coração de Jesus (celebrada no sábado seguinte à festa do Sagrado Coração, tipicamente em junho) e a Rainha de Maria foi transferida para o dia 22 de agosto…”: https://pt.aleteia.org/2019/08/01/por-que-agosto-e-dedicado-ao-imaculado-coracao-de-maria/

– Ver também:  https://www.a12.com/academia/titulos-de-nossa-senhora?s=nossa-senhora-rainha-22-de-agosto

Ver páginas 341-365: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– No VIDAS DOS SANTOS, Festa do Coração Imaculado da Bem-aventurada Virgem Maria, o qual Coração é símbolo de santidade, de amor de Deus e Jesus Cristo, de bondade para com os homens salvos pelo divino Sacrifício. Pio VII, em 1805 instituiu uma festa do Coração puríssimo de Maria, para as dioceses e os institutos religiosos que a desejavam celebrar, no domingo depois da oitava da Assunção. Pio IX conferiu-lhe ofício e missa próprios. Pio, XII, em plena II Guerra Mundial, a 31 de outubro de 1942, consagrou o mundo inteiro ao Coração Imaculado de Maria. O mesmo grande papa, a 4 de maio de 1944, estendeu à Igreja universal a festa do Coração Imaculado de Maria com ofício e missa próprios, a 22 de agosto dia da oitava Assunção sob rito duplo de segunda classe. Ver páginas 157-158: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf  

– Ver também: https://www.acidigital.com/noticias/hoje-a-igreja-celebra-o-imaculado-coracao-de-maria-55109

– Ver: https://formacao.cancaonova.com/nossa-senhora/devocao-nossa-senhora/conheca-origem-da-devocao-ao-imaculado-coracao-de-maria/

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Imaculado_Coração_de_Maria   

– Ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_Rainha

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, comemoração da Bem-Aventurada Virgem Maria Rainha, em quem a Igreja celebra a mulher que apareceu no céu vestida de sol, com a lua sob os pés, e trazendo na cabeça uma coroa de doze estrelas, Mãe d’Aquele que deve reinar sobre todas as nações (cf. Ap. 12). (R).

– Ver também “…Em 1954, o Papa Pio XII com a Encíclica Ad Coeli Reginam, instituiu pela primeira vez a festa de Nossa Senhora Rainha do Universo, fixando-a para o dia 31 de maio… Bento XVI dedicou a Nossa Senhora Rainha a Audiência geral de 22 de agosto de 2012 explicando a sua realeza:

“Como exerce Maria esta realeza de serviço e amor? Velando sobre nós, seus filhos: os filhos que se dirigem a Ela na oração, para lhe agradecer ou para lhe pedir a sua tutela maternal e a sua ajuda celestial, talvez depois de se ter extraviado pelo caminho, oprimidos pela dor ou angústia, pelas vicissitudes tristes e difíceis da vida. Na serenidade ou na escuridão da existência, dirijamo-nos a Maria confiando-nos à sua intercessão continua, porque do Filho nos possa alcançar toda a graça e misericórdia necessárias para o nosso peregrinar ao longo das sendas do mundo … Enquanto que o Papa Francisco no ano passado, na videomensagem pelo 300º aniversário da coroação de Nossa Senhora de Częstochowa na Polônia disse: “Maria não é uma Rainha distante, sentada num trono, mas a Mãe que abraça o Filho e com Ele todos nós, seus filhos. É uma Mãe verdadeira, com o rosto marcado, uma Mãe que sofre porque se preocupa pelos problemas da nossa vida”…:”: https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2018-08/rainha-virgem-maria-nossa-senhora-memoria-liturgica.html

– Ver ainda “Nossa Senhora Rainha é um dos títulos de Maria, mãe de Jesus segundo a Igreja católica. Maria é invocada como rainha doze vezes: Rainha dos anjos, dos patriarcas, dos profetas, dos apóstolos, dos confessores, das virgens, dos mártires, de todos os Santos, da pazconcebida sem pecado original e levada aos céus[1].

Nossa Senhora Rainha é festejada em 22 de agosto.[2] Três das antífonas marianas mais conhecidas pelos cristãos invocam Maria com o título de RainhaSalve RainhaRegina caeli e Ave Regina Caelorum. Entre estas, a mais conhecida é a Salve Rainha, composta por São Bernardo de Claraval, o último padre entre os padres latinos.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_Rainha

Ver páginas 341-365: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

                                               ================

D. 31 DE MAIO: NOSSA SENHORA MEDIANEIRA DE TODAS AS GRAÇAS

Ver “Era desígnio de Deus”, diz Leão XIII, que, após ter Maria servido de intermediária no mistério da Redenção, “continuasse igualmente a ser intermediária das graças que esse mistério faria correr em todos os tempos…

… O título de Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças temum fundamento especial.  Sendo Jesus Cristo o único Salvador, Deus concedeu a alguns o dom de interceder pela humanidade junto a Deus Pai.  A fé na comunhão dos santos nos dá desde já a certeza de que alguns já intercedem por nós.

No caso de Maria, o papel de intercessora tem proporções maiores e diferenciadas daquele dado aos santos.  Desde seu ”sim”, Ela desempenha um papel especial na história da redenção humana.  Quando, na cruz, Jesus entrega Maria ao discípulo amado, é à humanidade toda que Ele A entrega, proclamando-A com seu gesto, Mãe de todos nós.

A cooperação de Maria na salvação de almas e na maternidade espiritual de homens e mulheres a torna a grande mediadora não só de nossos pedidos junto ao Pai e ao Filho, mas sobretudo das graças de Deus derramadas sobre toda a humanidade.

 … ORAÇÃO A NOSSA SENHORA MEDIANEIRA:

Ó MARIA, MEDIANEIRA DE TODAS AS GRAÇAS. Oferecei a Deus o Brasil e todo o gênero humano. Ó MARIA, MEDIANEIRA DA PAZ dai a paz aos corações e a todas as nações.

Ó MARIA, RAINHA DO FOYER, reinai em nossa casa e em todos os lares que vos amam.
Ó MARIA, RAINHA DOS CORAÇÕES, reinai em todos e em cada um de nós.
GLÓRIA AO PAI, GLÓRIA AO FILHO, GLÓRIA AO ESPÍRITO SANTO, GLÓRIA A VÓS, Ó SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA, Mãe de Deus e nossa Mãe, Rainha do céu e da terra, agora, sempre, e na eternidade dos séculos. Amém.
Escolho-vos, hoje, ó Maria, em presença de toda a Corte Celeste, por minha Mãe e Mestra. Entrego-vos e consagro-vos, na qualidade de escravo de amor, o meu corpo, a minha alma, os meus bens interiores e exteriores, e mesmo o merecimento das minhas ações boas, passadas, presentes e futuras, deixando-vos um inteiro e pleno direito de dispor de mim e de tudo quanto me pertence, sem exceção de coisa alguma, segundo o vosso agrado, para a maior glória de Deus, no tempo e na eternidade. Amém. (Oração utilizada pelos irmãos do Foyer de Charité)

”: https://www.portalsaofrancisco.com.br/historia-geral/nossa-senhora-medianeira-de-todas-as-gracas

– Ver também “Em 1921, Bento XVI, a pedido do Cardeal Mercier, concedeu à Bélgica o ofício e a missa da Bem-aventurada Virgem Maria “Medianeira de todas as graças”, a celebrar no dia 31 de Maio. Depois, a Sé Apostólica concedeu o mesmo ofício e missa a numerosas dioceses e congregações religiosas. Daí que a memória da Bem-aventurada Maria Medianeira se tenha tornado quase universal. A Virgem Maria é Medianeira de graça, porque foi associada a Cristo na aquisição da graça maior, a Redenção, isto é, a salvação, a vida divina e a glória eterna (cf. LG 61).”: https://www.dehonianos.org/portal/nossa-senhora-medianeira-de-todas-as-gracas0/

História de Nossa Senhora Medianeira - Santos e Ícones Católicos - Cruz  Terra Santa-Ver ainda: “Medianeira (em latimMediatrix) na mariologia da Igreja Católica refere-se ao papel da Virgem Maria como uma mediadora de graças e bençãos através de Jesus. É um conceito distinto de Co-Redentora. Essa doutrina é baseada no fato de que Maria deu à luz Jesus, que é a responsável por todas as graças e bençãos concedidas à humanidade, assim ela participou da mediação dessas graças, devido ao seu Filho. Papas, como Leão XIII e Pio XII têm tradicionalmente apoiado esta interpretação. O conceito de medianeira não é um dogma mariano, embora tenham sido feitas petições por vários cardeais e bispos ao Papa para declará-lo (juntamente com o Co-Redentora) um dogma. Este conceito se tornaria o quinto dogma mariano aprovado pela Santa Sé.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Medianeira

– Ver também: https://www.google.com/search?safe=active&sxsrf=ALeKk01YEgZR00AxSH099RB5BZIOBnGR8w%3A1601413300165&source=hp&ei=tKBzX4TAB4C05OUP1pKLyAo&q=nossa+senhora+medianeira&oq=nossa+senhora+medianeira&gs_lcp=CgZwc3ktYWIQAzIECCMQJzICCAAyAggAMgIIADICCAAyAgguMgIIADoFCAAQsQM6BQguELEDOggIABCxAxCDAToECAAQClDQE1iKLGCyL2gAcAB4AIABzgGIAf8ikgEGMC4yMi4ymAEAoAEBqgEHZ3dzLXdpeg&sclient=psy-ab&ved=0ahUKEwiE6pG3oY_sAhUAGrkGHVbJAqkQ4dUDCAc&uact=5

MARIA MEDIADORA. Ver páginas 207-217: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

Festa de NOSSA SENHORA MEDIANEIRA DE TODAS AS GRAÇAS – SÁBADO ANTES DO SEGUNDO DOMINGO DE NOVEMBRO 13 de novembro de 2021. 

Basílica da Medianeira - Santuário Basílica Nossa Senhora da Medianeira de  Todas as GraçasEm 202O, conforme o site da Diocese, dia 08 de novembro de 2020 é o dia da grande romaria (77ª ROMARIA OFICIAL DE NOSSA SENHORA MEDIANEIRA DE TODAS AS GRAÇAS), “Iniciamos a preparação para nossa grande Romaria que ocorrerá dia 08 de novembro! Neste ano com o Tema: “Maria, não tenhas medo, pois achaste graça diante de Deus” (Lc 1,30); e o Lema: “Vida eu te quero! Vida eu te quero! Vida és tu meu Deus”. Em 2021 é dia 13 de novembro”: http://www.diocesesantamaria.org.br/content/news/news_item.asp?content_ID=140

– Ver ainda:

FESTA, conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Província Eclesiástica do Rio Grande do Sul. Esta festa é celebrada NO SÁBADO ANTES DO SEGUNDO DOMINGO DE NOVEMBRO. Em 2021 é dia 13 de novembro. No DIRETÓRIO DA LITURGIA DA CNBB de 2020, diz que a celebração é 09 de novembro. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Medianeira

– Ver também: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-nossa-senhora-medianeira/47/102/

– Ver ainda: https://formacao.cancaonova.com/nossa-senhora/dogma/o-que-significa-ser-medianeira-de-todas-as-gracas/

– Ver ainda: https://www.google.com/search?q=Nossa+Senhora+Medianeira&oq=Nossa+Senhora+Medianeira&aqs=chrome..69i57j0l5.10413j0j8&sourceid=chrome&ie=UTF-8

            OUTROS SANTOS DE 31 DE MAIO

2.   Em Roma, no ce­mi­tério de Do­mi­tila, junto à Via Ar­de­a­tina, Santa Pe­tro­nila (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem e mártir. († data inc.).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, Santa Petronilha, virgem e mártir romana, pertencente ao ramo cristão – não reinante – da família Flávia Domitila. Segundo uma tradição, foi batizada pelo Apóstolo São Pedro, de quem foi então considerada como filha espiritual. (M).

Ver Santa Petronilha, virgem e mártir, às páginas 366-368: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

3.   Em Co­mana, no Ponto, hoje Gu­menek, na Tur­quia, Santo Hér­mias, sol­dado, mártir. († s. III).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Ponto, o Martírio de Santo Hérmias, soldado. (M)

– Ver também “…O governador Sebastião ordenou ao feiticeiro Marus que envenenasse Santa Hermias com uma poção. A bebida venenosa não fez mal ao santo. Uma segunda taça com veneno ainda mais forte também não conseguiu matar o santo. O feiticeiro creu em Cristo Salvador e foi imediatamente decapitado. São Marus foi batizado em seu próprio sangue e recebeu uma coroa de mártir.
Santa Hermias foi submetido a torturas ainda mais terríveis. Eles rasparam seu corpo com instrumentos afiados, jogaram-no em óleo fervente e arrancaram seus olhos, mas ele deu graças ao Senhor Jesus Cristo. Em seguida, eles suspenderam a cabeça do mártir para baixo. Por três dias ele ficou pendurado nesta posição.
Pessoas enviadas pelo governador para verificar sua morte o encontraram vivo. Atingidos pelo milagre, eles ficaram cegos de medo e começaram a clamar ao santo para ajudá-los. O santo mártir ordenou que os cegos se aproximassem dele e os curou em Nome de Jesus Cristo.
Furioso, o governador ordenou que a pele fosse arrancada do corpo do santo, mas ele permaneceu vivo. Então o enlouquecido Sebastian o decapitou com sua própria espada. Os cristãos enterraram secretamente o corpo da mártir Hérmias, cujas relíquias proporcionaram inúmeras curas…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay31.html

4.   Em Aqui­leia, hoje no Friúli Ve­nézia, re­gião da Itália, os santos Câncio (também na Folhinha do Coração de Jesus), Can­ciano e Can­ci­a­nila (ou Cancianela), már­tires, que, presos pelo per­se­guidor quando saíam da ci­dade num carro, foram fi­nal­mente le­vados ao suplício.(† s. IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Aquiléia, perto de 290, o Martírio dos Santos Câncio, Canciano e Cancianela, irmãos carnais. (M)

5*.   Em Tou­louse, na Gália Nar­bo­nense, ac­tu­al­mente na França, São Sílvio, bispo, que em­pre­endeu a cons­trução de uma ba­sí­lica para honrar o tú­mulo de São Saturnino. († c. 400)

6*.   Em Forlí, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o Beato Tiago Sa­lo­móni, pres­bí­tero, que, sendo ainda ado­les­cente, fa­le­cido o seu pai e re­ce­bida sua mãe entre as monjas cis­ter­ci­enses, dis­tri­buiu os seus bens aos po­bres e en­trou na Ordem dos Pre­ga­dores, onde res­plan­deceu du­rante qua­renta e cinco anos, do­tado de in­signes dons ca­ris­má­ticos, amigo dos po­bres e homem de paz. († 1314)

7*.   Em Ca­me­rino, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, Santa Bap­tista de Varano (Ca­mila Bap­tista de Va­rano, também na Folhinha do Coração de Jesus de 30 de maio), aba­dessa do mos­teiro das Cla­rissas fun­dado por seu pai, onde ex­pe­ri­mentou grandes tri­bu­la­ções e con­so­la­ções místicas. († 1524).

Bem-aventurada Batista Varani, abadessa. Ver páginas 371-373:  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Camilla Battista da Varano OSC , (9 de abril de 1458 – 31 de maio de 1524), [1] de Camerino , Itália , foi uma princesa italiana e uma freira e abadessa Clara Pobre . Ela é venerada como uma santa na Igreja Católica… Em 8 de abril de 1821, o Papa Leão XIII aprovou as atas do processo para sua canonização. Varano foi beatificada pelo Papa Gregório XVI em 1843, após o reconhecimento de seu culto público de longa data. Em 4 de fevereiro de 1893, seus escritos também foram aprovados. Em 17 de outubro de 2010, o Papa Bento XVI a canonizou , junto com outras cinco pessoas. [10] [12]

Sua festa era originalmente celebrada na Ordem Franciscana em 2 de junho, mas é mais recentemente comemorada em 30 de maio.” No Martirológio Romano é dia 31 de maio:  https://en.wikipedia.org/wiki/Camilla_Battista_da_Varano

8*.   Em York, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Ro­berto Thorpe, pres­bí­tero, e Tomás Wat­kinson, que, no rei­nado de Isabel I, foram con­de­nados à morte: o pri­meiro, porque era sa­cer­dote e o se­gundo, pai de fa­mília já an­cião, porque muitas vezes prestou au­xílio aos sa­cer­dotes; ambos re­ce­beram ao mesmo tempo no pa­tí­bulo a coroa do martírio. († 1591)

9*.   Em Paris, na França, o Beato Ni­colau Barré, pres­bí­tero, que foi do­cente de te­o­logia e cé­lebre di­rector de almas no es­pí­rito do Evan­gelho e ins­ti­tuiu por todas as partes da França as Es­colas Cristãs e da Ca­ri­dade, bem como as Irmãs Mes­tras do Me­nino Jesus, des­ti­nadas à ins­trução gra­tuita da ju­ven­tude mais carenciada. († 1686)

10*.   Em Ni­cósia, na Si­cília, re­gião da Itália, São Félix (Tiago Amo­roso), re­li­gioso, que, de­pois de ter sido re­cu­sado du­rante dez anos, in­gressou fi­nal­mente na Ordem dos Me­nores Ca­pu­chi­nhos, onde exerceu os mais hu­mildes ofí­cios com grande sim­pli­ci­dade e ino­cência de coração. († 1787)

11*.   Em Bel­legra, lo­ca­li­dade pró­xima de Roma, o Beato Ma­riano de Roc­ca­ca­sale (Do­mingos) Di Ni­co­lan­tónio, re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores, que, exer­cendo o ofício de por­teiro, abriu as portas do con­vento aos po­bres e aos pe­re­grinos, a quem so­correu de todos os modos com imensa caridade. († 1866)

12.   Em Mityana, lo­ca­li­dade do Uganda, São Noé Mawaggali, mártir, que, sendo fâ­mulo do rei, quando ir­rompeu a per­se­guição re­cusou des­te­mi­da­mente em­pre­ender a fuga e es­pon­ta­ne­a­mente apre­sentou o às lanças dos sol­dados, que, de­pois de o terem tres­pas­sado, o pen­du­raram numa ár­vore, até chegar à morte por Cristo. († 1886)

13. São Pascásio (na Folhinha do Coração de Jesus)

14. Outros santos do dia 31 de maio: págs. 334-373 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 31 de maio, ver ainda: 31 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 436-438: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. Santo do Dia 31 de Maio (lngplants.com) ou http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay31.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 30 de maio

30 DE MAIO DE 2021: SOLENIDADE DA SANTÍSSIMA TRINDADE

Ver “Terminado o tempo pascal com a Solenidade de Pentecostes, a liturgia celebra a Santíssima Trindade. Após proclamar nos santos mistérios que o Pai entregou o Filho por amor ao mundo na potência do Espírito Santo e, no mesmo Espírito Eterno, o ressuscitou dos mortos para nossa salvação, a solenidade de agora é um modo que a Igreja encontra para louvar, engrandecer e adorar na proclamação exultante o amor sem fim da Trindade Santa.”: http://arqrio.org/formacao/detalhes/765/solenidade-da-santissima-trindade

SANTAS E SANTOS DO DIA 30 DE MAIO

1.   Em Porto Torres, na Sar­denha, re­gião da Itália, São Ga­vino, mártir. († c. s. IV)

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Sardenha, no ano do Senhor de 130, o martírio de São Gavino (M).

2.   Em Ce­sa­reia da Ca­pa­dócia, hoje Kay­seri, na Tur­quia, os santos Ba­sílio e Emélia ou Emília, que foram os pais dos santos bispos Ba­sílio Magno, Gre­gório de Nissa e Pedro de Se­baste e de Santa Ma­crina, virgem. Estes santos es­posos, no tempo do im­pe­rador Ga­lério Ma­xi­miano, foram des­ter­rados e ha­bi­taram nas so­li­dões do Ponto e, ter­mi­nada a per­se­guição, mor­reram em paz, dei­xando aos fi­lhos a he­rança das suas virtudes. († 349 e 372)

3.   Em Pavia, na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Anas­tásio, bispo, que, aban­do­nando a he­resia ariana, pro­fessou fir­me­mente a fé ca­tó­lica. († c. 680).

Santo Exuperâncio, bispo de Ravena, no séc. V; e Santo Anastácio, bispo de Pavia, no séc. VII (M), conforme o Martirológio Romano-Monástico.

4.   Em Ghéel, no Bra­bante, ter­ri­tório da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Bél­gica, Santa Dimpna, virgem e mártir. († s. VII/IX).

– Ver “Santa Dymphna… Também conhecida como Dimpna, Dympne. Sua memória era 15 de maio. Desde 2004 é 30 de maio. O local onde ela morreu é conhecido por suas curas milagrosas de loucos e possuídos . Agora existe uma instituição bem conhecida no local, e suas relíquias curam a insanidade e a epilepsia.”: http://catholicsaints.info/saint-dymphna/

– Ver “padroeira dos psicólogos e psiquiatras; doenças mentais; enfermidades neurológicas; viciados; vítimas de incesto… Santa Dimpna era a filha de um rei irlandês pagão e de sua esposa cristã no século VII e que foi assassinada por seu pai. A história de Santa Dimpna foi relatada pela primeira vez no século XIII num cânone da Igreja de Santo Alberto em Cambrai, encomendado pelo bispo da cidade, Guido I. O autor afirma expressamente que seus escritos foram baseados numa tradição oral muito antiga e em persistentes histórias de curas milagrosas e inexplicáveis de pessoas acometidas por doenças mentais[1]. Seu dia é comemorado pela Igreja Católica em 30 de maio, conforme o Martirológio Romano.: https://pt.wikipedia.org/wiki/Dimpna

– Ver também “(tradução do google) … Na verdade, após a descoberta de suas relíquias no século XIII, um assentamento inteiro se desenvolveria em torno da veneração de St. Dymphna, tendo como modelo o conceito tradicional da igreja como “hospital espiritual”.

… St. Dymphna recebeu a coroa do martírio em defesa de sua castidade em algum momento entre 620 e 640 d.C. aos quinze ou dezesseis anos.

… Inicialmente, os peregrinos que precisavam de cura foram alojados em um pequeno anexo ou enfermaria construído na Igreja de St. Dymphna. Após a alta, foram colocados nas casas das famílias que viviam na aldeia. A partir deste pequeno começo e sob o patrocínio de St. Dymphna, os habitantes de Gheel tornaram-se conhecidos pelos cuidados que deram àqueles com doenças mentais. A cidade possui um sanatório de primeira classe, um dos maiores e mais eficientes estabelecimentos para doentes mentais do mundo. Gheel foi o primeiro a iniciar um programa de esperança onde os doentes mentais, uma vez libertados do cuidado institucional, poderiam levar realisticamente vidas normais e produtivas nas casas dos agricultores e moradores locais. Os pacientes, que são membros valiosos dessas “famílias adotivas”, ajudam com as tarefas e trabalham na medida de sua capacidade. O poder das intercessão de St. Dymphna é evidenciado pelo trabalho incrivelmente compassivo do povo de Gheel para os doentes mentais, bem como pelo progresso e capacidade dos pacientes de viver de forma plena e eficaz. Esta colaboração só pode ter sido trazida através de meios celestiais, neste caso, o patrocínio amoroso de St. Dymphna.”: http://www.saintsmaryandmarthaorthodoxmonastery.org/newsletter_Jan2006.html

– Ver ainda “Santa Dymphna… Também conhecida como Dimpna, Dympne. Sua memória era 15 de maio. Desde 2004 é 30 de maio. O local onde ela morreu é conhecido por suas curas milagrosas de loucos e possuídos . Agora existe uma instituição bem conhecida no local, e suas relíquias curam a insanidade e a epilepsia.”: http://catholicsaints.info/saint-dymphna/

5.   Em Ter­vu­eren, também no Bra­bante, hoje na Bél­gica, o pas­sa­mento de Santo Hu­berto, bispo de Ton­gres e de Ma­as­tricht, dis­cí­pulo e su­cessor de São Lam­berto, que se de­dicou com todas as suas forças a di­fundir o Evan­gelho no Bra­bante e nas Ar­denas, de onde er­ra­dicou os cos­tumes pagãos. († 727)

6.   Em Se­vilha, na Es­panha, São Fer­nando III (também na Folhinha do Coração de Jesus), rei de Cas­tela e de Leão, pru­dente na ad­mi­nis­tração do reino, cul­ti­vador das artes e das ci­ên­cias e ze­loso na pro­pa­gação da fé. († 1252).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1225, São Fernando, rei de Castela e de Leão, primo-irmão de São Luís, rei de França. Libertou Córdova e Sevilha, ocupadas pelos Mouros há cinco séculos, e lá implantou a cruz de Cristo. (M)

Ver páginas 305-316: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Fernando_III_de_Le%C3%A3o_e_Castela

7.   Em Ruão, na Nor­mandia, re­gião da França, Santa Joana d’Arc (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, cha­mada a Don­zela de Or­leães, que, de­pois de com­bater va­lo­ro­sa­mente pela pá­tria, foi fi­nal­mente en­tregue ao poder dos ini­migos, que a con­de­naram num jul­ga­mento iníquo a ser quei­mada na fogueira. († 1431).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santa Joana D’Arc, virgem. “Tocada de grande piedade pelo reino da França, encarregada, em nome de Deus – o primeiro a ser servido – a reunir-se em Chinon com o gentil Delfim”, assumiu, aos dezesseis anos, a condução de um exército cujas vitórias permitiram a libertação de Orléans, cercada pelos ingleses, e a sagração do rei em Reims. Capturada pelos borguinhões às portas de Compiègne, foi queimada viva em Ruão, em 30 de maio de 1431, depois de um processo iniquo, durante o qual o Espírito Santo lhe inspirou respostas que testemunharam sua inocência moral e sua fidelidade à doutrina da Igreja. (F).

Ver páginas 325-332: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “…Joana d’Arc (em francês: Jeanne d’Arc, IPA: [ʒan daʁk]; em italiano: Giovanna D’Arco; ca1412  – 30 de maio de 1431), foi uma camponesa e santa francesa canonizada pela Igreja Católica, considerada uma heroína da França pelos seus feitos durante a Guerra dos Cem Anos. Nasceu filha de Jacques d’Arc e Isabelle Romée, numa família camponesa, em Domrémy no nordeste da França. Joana alegava receber visões divinas do arcanjo Miguel, de Santa Margarida e da Santa Catarina, que a instruíram a ajudar as forças de Carlos VII e livrar a França do domínio da Inglaterra. O não coroado Carlos VII enviou Joana junto com um exército para tentar solucionar o Cerco de Orleães.[8] Após apenas nove dias de ação, a batalha terminou com um resultado favorável aos franceses e Orleães foi libertada, elevando assim a reputação de Joana a condição de heroína nacional aos olhos do povo francês. Seguiu-se uma série de vitórias militares para as forças de Carlos VII, que permitiram sua coroação como rei na Catedral de Reims. Como resultado, a moral da população francesa melhorou e a maré da Guerra dos Cem Anos começou a virar em favor dos franceses…

… o bispo Pierre Cauchon, jogando contra ela diversas acusações de cunho religioso[10] Cauchon a declarou culpada e ela foi sentenciada a morte na fogueira. Joana foi executada em 30 de maio de 1431, aos 19 anos de idade. Sua morte, contudo, a elevou aos status de mártir e fez aumentar o fervor patriótico francês contra os ingleses.[11]

Em 1456, um tribunal inquisitorial foi autorizado pelo Papa Calisto III para examinar seu julgamento, esmiuçando suas acusações e proclamando sua inocência, formalmente declarando Joana como uma mártir da igreja.[11] No século XVI ela foi usada como símbolo pela Liga Católica contra os protestantes e, em 1803, Joana foi oficialmente declarada como um símbolo nacional da França por decisão do imperador Napoleão Bonaparte.[12] Ela foi beatificada em 1909 e canonizada em 1920 pelo Vaticano.

Joana d’Arc é atualmente uma dos nove padroeiros da França…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Joana_d%27Arc

8.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, São Lucas Kirby, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição da rainha Isabel I, de­pois de muitos tor­mentos, foi sus­penso na trí­plice forca de Ty­burn. Com ele pa­de­ceram no mesmo pa­tí­bulo os be­atos pres­bí­teros e már­tires Gui­lherme Filby, Lou­renço Johnson, bem como Tomás Cottam, da Com­pa­nhia de Jesus. († 1582)

9*.   Também em Lon­dres, trinta anos mais tarde, os be­atos Gui­lherme Scott, da Ordem de São Bento, e Ri­cardo New­port, pres­bí­teros e már­tires, que, no rei­nado de Jaime I, por causa do sa­cer­dócio, o pri­meiro morreu es­tran­gu­lado com uma corda, e o se­gundo es­quar­te­jado à es­pada en­quanto es­tava ainda vivo. († 1612)

10.   Em Kam­pala, no Uganda, São Ma­tias Ka­lemba, cha­mado «Mo­lumba» ou «Forte», mártir, que, aban­do­nando o culto ma­o­me­tano, de­pois do Bap­tismo em Cristo ab­dicou do ofício de juiz e pro­pagou de­di­ca­da­mente a fé cristã; por isso, no tempo do rei Mwanga, foi sub­me­tido a cruéis tor­turas e, sem pos­si­bi­li­dade de con­forto algum, en­tregou o es­pí­rito a Deus. († 1886)

11.   Em Sa­vona, na Itália, o pas­sa­mento de São José Marello (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Ácqui, no Pi­e­monte, que fundou a Con­gre­gação dos Oblatos de São José, de­di­cada à for­mação moral e cristã da juventude. († 1895). Ver “Giuseppe Stefano Chiaffredo Marello (ou São José Marello) (Turim26 de dezembro de 1844 — Savona30 de maio de 1895) foi um prelado italiano

Foi beatificado no dia 23 de setembro de 1993 e canonizado em 25 de novembro de 2001 pelo Papa João Paulo II…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Marello

– Ver também “Homilia de canonização”: http://www.vatican.va/content/john-paul-ii/it/homilies/2001/documents/hf_jp-ii_hom_20011125_canonization.html

12♦.   Em Bor­déus, na França, a Beata María Ce­lina da Apre­sen­tação da San­tís­sima Virgem Maria (Joana Ger­maine Cas­tang), virgem da Ordem de Santa Clara. († 1897)

13♦.   Em Snyatin, na Ucrânia, a Beata Marta Maria Wiecka, virgem da Com­pa­nhia das Fi­lhas da Ca­ri­dade de São Vi­cente de Paulo. († 1904)

14.   No campo de con­cen­tração de Bu­chenwald, na Tu­ríngia, re­gião da Ale­manha, a paixão do Beato Otão Neururer, pres­bí­tero e mártir, que, por ter con­ven­cido uma jovem ca­tó­lica a não si­mular o ma­tri­mónio com um homem já ca­sado e membro das forças de se­gu­rança do ne­fasto re­gime hostil a Deus e aos ho­mens, foi me­tido no cár­cere, onde, apesar de todo o gé­nero de tri­bu­la­ções, pros­se­guia clan­des­ti­na­mente o seu mi­nis­tério, até que, pen­du­rado de uma viga com os pés para cima e a ca­beça para baixo, con­sumou o seu martírio. († 1940)

15. São Venâncio, confessor. Ver “…São Venâncio era o irmão mais velho de Santo Honorato, o futuro fundador de Lérins… Em companhia de Honorato e de Capresa o mestre de ambos, Venâncio partiu para a Grécia, para, longe da terra natal, melhor se atirar a Jesus. Mas, contraindo um mal incurável, faleceu santamente, junto ao Cristo, que, acompanhado de uma multidão de anjos, foi receber-lhe a alma. Era em Metona, no Peloponeso, a 30 de maio de 374”, à página 317: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

16. São Cadoc e São Fricor, confessores. Século VI. Ver “Ambos eram da lrlanda. Aparecidos, sem que se saiba por que inspiração, na Picardia, ali sofreram toda a sorte de vexames por parte do povo. Recebidos por Riquier, ou Riquiero, com muita bondade, os dois o converteram. São Riquier foi o fundador do mosteiro de Cêntula, depois’ chamado de são Riquier. Ali, Cadoc e Fricor foram sepultados, quando de Clotário II ou de Dagoberto. São Gervino, abade de são Riquier, no século XI exumou-lhes as relíquias e as depositou num relicário de prata, dedicando aos dois santos uma capela.” à  página 318: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

17. São Mauguille, confessor. Ver “…Juntos, ambos os santos homens de Deus viveram por longo tempo, até o dia em que o Senhor levou um deles São Vulgano, no dia 4 de um mês de novembrc. Mauguille, a 30 de maio de 685 foi reunir-se ao bom amigo na grande pátria comum. Sepultado no cemitério de Montrelet, depois de muitos anos transferiram-lhe as relíquias para a abadia de  São Riquier.” às páginas 319-320: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

19. Santo Isaac, abade e confessor. Ver “…Velho, Santo Isaac, rodeado de grande número de discípulos, faleceu a 26 de maio de 383, sendo chorado por todos…” às páginas 321-324: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

20. Santa Camila Batista Varani, na Folhinha do Coração de Jesus. Ver 31 de maio.

21. Em Roma, em 274, São Félix, papa, que estabeleceu o costume de celebrar missas sobre os túmulos dos mártires, conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 30 de maio).

– Ver: “…A nota do “Liber Pontificalis” atribui a este papa um decreto para que as missas sejam celebradas nos túmulos dos mártires (“Hic constituit supra memorias martyrum missas celebrare”). O autor desta entrada estava evidentemente aludindo ao costume de celebrar o Santo Sacrifício em particular, nos altares próximos ou sobre os túmulos dos mártires nas criptas das catacumbas (missa ad corpus), enquanto a celebração solene dos Mistérios Sagrados sempre teve lugar nas basílicas construídas sobre as catacumbas. Esta prática, ainda em vigor no final do século IV (Prudentius, “Peristephanon”, XI, vv. 171 sqq.), Data aparentemente do período em que as grandes basílicas do cemitério foram construídas em Roma, e deve sua origem ao serviços solenes de comemoração dos mártires.

Félix provavelmente não emitiu tal decreto, mas o compilador do “Liber Pontificalis” atribuiu-o a ele porque ele não se afastou do costume em vigor em sua época. De acordo com o referido detalhe do “Depositio episcoporum”, Félix foi sepultado na catacumba de S. Calisto, a 30 de dezembro. No atual Martirológio Romano, seu nome ocorre em 30 de maio, data indicada no “Liber Pontificalis” como sendo a de sua morte (III Kal. Jun.); é provavelmente um erro que poderia ocorrer facilmente por meio de um transcritor escrevendo junho para janeiro…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay30.html

– Ver 30 de dezembro: Em Roma, no ce­mi­tério de Ca­listo, junto à Via Ápia, o se­pul­ta­mento de São Félix I, papa, que regeu a Igreja Ro­mana no tempo do im­pe­rador Aureliano. († 274).

Ver “Papa Félix (? — 274) foi eleito papa em 5 de Janeiro de 269, permanecendo no Trono de São Pedro até o dia 30 de Dezembro de 274, sucedendo Papa Dionísio.[1] Santo da Igreja Cristã, nasceu em Roma, sendo as informações sobre sua vida poucas e confusas.”:  https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Félix_I 

22. Outros santos do dia 30 de maio: págs. 305-333 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 30 de maio, ver ainda: 30 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 434-436: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay30.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 29 de maio

1. São Paulo VI (ver também 26 de setembro), papa, que neste dia foi or­de­nado pres­bí­tero, de­pois foi no­meado ar­ce­bispo de Milão e fi­nal­mente eleito para a Sé Ro­mana. Com­pletou feliz e di­li­gen­te­mente o Con­cílio Va­ti­cano II, pro­moveu a re­no­vação da vida ecle­sial, so­bre­tudo a sa­grada Li­turgia, e em­pe­nhou-se no diá­logo ecu­mé­nico e na men­sagem do Evan­gelho pelo mundo con­tem­po­râneo. No dia 6 de Agosto ador­meceu na paz do Se­nhor. († 1978). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Paulo_VI

– Ver também: …O Santo Papa Paulo VI escreveu: «É no meio das suas desgraças que os nossos contemporâneos precisam de conhecer a alegria e de ouvir o seu canto» (Exort. ap. Gaudete in Domino, I). Hoje, Jesus convida-nos a voltar às FONTES DA ALEGRIA, que são O ENCONTRO COM ELE, A OPÇÃO CORAJOSA DE ARRISCAR PARA O SEGUIR, O GOSTO DE DEIXAR TUDO PARA ABRAÇAR O SEU CAMINHO. Os Santos percorreram este caminho. Fê-lo Paulo VI, seguindo o exemplo do Apóstolo cujo nome assumira.”: https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2019-05/dia-de-sao-paulo-vi.html

– São Paulo VI. Nascimento em 26/09/1897 e falecimento em 06/08/1978. Festa litúrgica em 29 de maio. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Paulo_VI

https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Paulo_VI

– Ver também: http://www.vatican.va/content/paul-vi/es/apost_exhortations/documents/hf_p-vi_exh_19750509_gaudete-in-domino.html

– Ver ainda: https://veja.abril.com.br/mundo/paulo-vi-o-papa-dos-trabalhadores-sera-canonizado/

2.   Em An­ti­o­quia, na Síria, hoje An­takya, na Tur­quia, Santo He­sí­quio, guarda pa­la­ciano, mártir, que, du­rante a per­se­guição de Di­o­cle­ciano, ou­vindo um pregão pelo qual se or­de­nava que dei­xasse o uni­forme mi­litar quem não ofe­re­cesse in­censo aos ídolos, ime­di­a­ta­mente depôs o uni­forme, e por isso foi pre­ci­pi­tado no rio Orontes, com o braço di­reito li­gado a uma enorme pedra. († c. 303)

3.   Em Tré­veris, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na Ale­manha, São Ma­xi­mino (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que foi in­tré­pido de­fensor da in­te­gri­dade da fé contra os ari­anos, aco­lheu fra­ter­nal­mente Santo Ata­násio de Ale­xan­dria e ou­tros bispos exi­lados e, ex­pulso da sua sede epis­copal pelos ini­migos, morreu em Poi­tiers, sua terra natal. († c. 346).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 347, São Maximino. Originário da Aquitânia, veio para Treves, então residência imperial, onde foi eleito bispo. Mostrou-se valente defensor da ortodoxia ao acolher Santo Atanásio, então exilado. (M).

4.   Em Val di Non, ac­tu­al­mente no Tren­tino Alto Ádige, re­gião da Itália, os santos már­tires Si­sínio (também na Folhinha do Coração de Jesus), diá­cono, Mar­tírio (Martório), leitor, e Ale­xandre, os­tiário, na­tu­rais da Ca­pa­dócia, que nesta re­gião edi­fi­caram uma igreja e in­tro­du­ziram os cân­ticos do louvor di­vino, mas foram mortos pelos pa­gãos num dia em que estes ofe­re­ciam os seus sa­cri­fí­cios lustrais. († 397).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Trentino, o martírio dos Santos Cisínio, Martório e Alexandre. No tempo do imperador Honório, foram perseguidos pelos pagãos em uma floresta, onde foram mortos por causa de Cristo. (M).

Ver páginas 297-298: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

5.   Em Ra­vena, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, também re­gião da Itália, Santo Exu­pe­râncio, bispo, que pre­sidiu com sábia pru­dência a esta Igreja, no tempo em que o rei Odo­acro se apo­derou da Itália e desta cidade. († 430/476-477)

6.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, também re­gião da Itália, São Se­nador, bispo, que o papa São Leão Magno tinha en­viado como le­gado a Cons­tan­ti­nopla quando ainda era presbítero. († c. 480)

7*.   Em Mâcon, na Bor­gonha, na ac­tual França, São Ge­rardo, que foi monge, de­pois eleito bispo e fi­nal­mente levou vida ere­mí­tica na floresta.

(† c. 940)

8*.   Em Pisa, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, Santa Bona, virgem, que fez com de­voção fre­quentes pe­re­gri­na­ções à Terra Santa, a Roma e a Compostela. († 1207).

Ver páginas 299-302: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

9*.   Em Avig­nonet, perto de Tou­louse, na França, os be­atos Gui­lherme Arnaud e dez com­pa­nheiros: Ber­nardo de Ro­que­fort, Garcia d’Aure, Es­têvão de Sain-Thi­erry, Rai­mundo Car­bo­nier; Rai­mundo de Cor­tisan, cha­mado Es­crivão, có­nego; Ber­nardo, Pedro d’Ar­naud, For­ta­nier e Ade­maro, clé­rigos; prior de Avig­nonet, cujo nome não é conhecido que, unidos na missão de im­pedir a he­resia dos cá­taros, foram ar­di­lo­sa­mente presos por causa da fé de Cristo e da obe­di­ência à Igreja Ro­mana e mor­reram ao fio da es­pada no dia da As­censão do Se­nhor, can­tando una­ni­me­mente o «Te Deum».  († 1242)

10*.   Em Pisa, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, a Beata Ge­ral­dina (Gherardesca), viúva, que passou a vida numa cela junto do mos­teiro ca­mal­du­lense de São Sa­bino, con­sa­grando-se ao louvor de Deus e à in­ti­mi­dade com o Senhor. († c. 1269)

Bem-aventurada Geraldesca. Ver “… Um dia, propôs ao marido a renúncia ao mundo: não tinham filhos que os impedissem, de modo que fácil seria recolherem-se ambos a um mosteiro. O esposo, tão inflamada Geraldesca fora, concordou em viver para Deus. Assim, abandonaram o sáculo e entraram num mosteiro, o dos camaldulos de São Savino, naquela época governado por um santo abade, aparentado com a bem-aventurada. Acolhidos com grande carinho, ali passaram a viver…”, às páginas 291-292: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

11*.   Em York, na In­gla­terra, o Beato Ri­cardo Thirkeld, pres­bí­tero e mártir, que, no rei­nado de Isabel I, con­de­nado à morte por ser sa­cer­dote e re­con­ci­liar muitas pes­soas com a Igreja ca­tó­lica, foi le­vado ao su­plício do patíbulo. († 1583)

– Ver “Bl. Richard Thirkeld, padre mártir inglês, recebe preparação para o sacerdócio em Reims e Douai, França. Educado no Queen’s College, Oxford. Ele ministrou aos católicos de Yorkshire também listados como Thirkild. Nasceu em County Durham, Inglaterra, ele estudou em Oxford e dizia-se que era bastante velho quando deixou a ilha para receber a preparação para o sacerdócio em Reims e Douai, França. Ordenado em 1579, ele voltou para a Inglaterra e serviu aos católicos na área ao redor de Yorkshire até sua execução por ser padre em 29 de maio em York. Inglaterra; morreu em York, Inglaterra, 1583; beatificado em 1886. Richard foi educado no Queen’s College, Oxford. Ele ministrou aos católicos de Yorkshire e foi condenado e executado por seu sacerdócio em York ( beneditinos )”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay29.html

12*.   Em Roma, lo­ca­li­dade do Le­soto, na África Aus­tral, o Beato José Gerard, pres­bí­tero dos Oblatos de Maria Ima­cu­lada, que anun­ciou in­can­sa­vel­mente a Cristo na pro­víncia do Natal e de­pois, prin­ci­pal­mente, ao povo dos Basotos. († 1914)

13.   Em Roma, Santa Úr­sula (Júlia Le­do­chowska), virgem, que fundou o Ins­ti­tuto das Irmãs Ur­su­linas do Co­ração de Jesus Ago­ni­zante e per­correu in­fa­ti­ga­vel­ mente nesta missão apos­tó­lica as re­giões da Po­lónia, da Es­can­di­návia, da Fin­lândia e da Rússia. († 1939)

14. São Cirilo de Cesaréia, na Folhinha do Coração de Jesus. Ver São Cirilo, infante e mártir, às páginas 287-288: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “São Cirilo — menino de Cesaréia da Capadócia, expulso de casa porque se tornou cristão; sofreu o martírio em 251.”: http://regiaoipiranga.com.br/liturgia/santo-do-dia/pesquise-santos?page=19

– Ver também “Desse menino mártir, somos informados de que, sem o conhecimento de seu pai pagão, ele se tornou cristão. O pai, descobrindo que o filho se recusava a prestar qualquer sinal de respeito aos ídolos, expulsou-o de casa. Isso aconteceu em Cesaréia, na Capadócia, e o governador da cidade deu ordens para que Cirilo fosse trazido à sua presença. Ameaças mostraram-se ineficazes para abalar a resolução do menino. Então o governador ordenou que ele fosse executado; mas deu instruções para que, depois que o jovem tivesse visto a pira em chamas na qual poderia ser jogado, deveria ser levado de volta ao tribunal. Na volta, Cirilo apenas reclamou que a sentença não havia sido cumprida, e o governador, furioso, mandou matá-lo à espada.”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay29.html

15. São Voto e São Félix. Ver “Voto e Félix, dois irmãos de Saragoça, viveram na época em que a Espanha jazia ocupada pelos mouros. Eram ricos, nobres e excelentes cristãos… Voto vendeu tudo o que possuía, libertou os servos, dispensou os criados, e votou-se inteiramente a Deus. Félix, o irmão, todo contaminado daquele ardoroso afã de Voto, acompanhou-o à capela descoberta na montanha. Corria o ano de 714 e ambos, ali, levaram vida eremítica até a morte, que os chamou em 757…” às páginas 289-290: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

16. Os bem-aventurados inquisidores, mártires. Ver “São chamados Bem-aventurados Inquisidores, os onze homens que, instituídos inquisidores da fé pelo papa Gregório IX, foram mortos pelos albigenses, depois de terem passado por inúmeros vexames. Era no ano de 1242, na vigília da Ascensão, perto de Avignonet, no dia 29 de maio. Eram eles o irmão Guilherme Arnaldo, de Montpellier, e dois outros irmãos pregadores, Bernardo de Rochefort e Garcia de Aure, da diocese de Tarbes. Dois irmãos menores, Estéfano e Raimundo Carbonius. O prior de Avignonet. Um cônego de Tolosa, Raimundo, apelidado o Escrivão. Um notário da Inquisição, Pedro de Arnaud, Bernardo, clérigo de Tolosa, e mais dois clérigos, Fortanier e Aymar. Mortos, inúmeros milagres foram operados por Deus Nosso Senhor.” à pág. 293:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

17. Bem-aventurado Pedro Petroni, confessor. Ver “Falecido a 29 de maio de 1361, com cinqüenta anos, os milagres que se realizaram à beira do seu túmulo foram infindos…” à página 294: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf ,

18. Santo André de Chio, mártir. Ver “… Desde menino, votou-se a Nossa Senhora… Para não abraçar  islamismo…atormentado com requintes de crueldade, trancaram-no, ligado de pés e mãos, num infecto calabouço, onde o flagelaram horrivelmente, com unhas de ferro…” às páginas 295-296: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

19. Outros santos do dia 29 de maio: págs. 287-304 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 29 de maio, ver ainda: 29 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 432-434: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay29.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 28 de maio

28 DE MAIO: NOSSA SENHORA DOS ARDENTES. Ver: “Um belo exemplo de como a Santíssima Virgem, padroeira de Arras (no norte da França) sob essa invocação, premia quando pessoas se perdoam devido a inimizades meramente pessoais… Poucas pessoas hoje em dia, salvo os médicos, ouviram falar de uma doença chamada ergotismo. Mas ela foi, desde a Idade Média até o século XVII, um problema sério de saúde. Seu nome vem de um fungo chamado ergot (esporão do centeio), que ataca o trigo. Após contaminar a planta, sobretudo na primavera, começavam as epidemias, afetando milhares de pessoas ao mesmo tempo. A doença recebia nomes diferentes em diversas línguas, como mal des ardentsignis sacerheiliges feuerfogo infernal ou fogo de Santo Antônio, indicando todos que as pessoas tinham a sensação de estarem se queimando; de Santo Antônio, porque a Ordem de Santo Antônio era a que tratava principalmente esses doentes. E foi justamente durante uma dessas epidemias que se deu a aparição da Santíssima Virgem, conhecida pela invocação de Nossa Senhora dos Ardentes, por causa da moléstia que veio curar.”: http://catolicismo.com.br/materia/materia.cfm?IDmat=F95387DB-3048-560B-1CB69B748DF87D58&mes=Junho2007

Ver páginas 283-285 “…A festa principal da confraria era celebrada no dia 28 de maio. Depois de 1899, fixaram-na no domingo da Trindade. A festa litúrgica, atualmente, tem lugar na sexta-feira que precede o Pentecostes…”: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

 – Ver também “… Na noite de 24 para 25 de maio de 1105, a Virgem Santíssima apareceu a duas pessoas que estavam brigadas e eram inimigos mortais: Itier de Tirlemont e Pierre Norman. Eles eram menestréis, quer dizer, espécie de cantores ambulantes, que compunham e interpretavam músicas religiosas ou profanas e se apresentavam nas feiras e torneios. Aconteceu que Norman matou o irmão de Itier, surgindo então um ódio completo entre os dois, que não havia forma de aplacar…

Estava Itier dormindo, quando apareceu-lhe em sonhos a Mãe de Deus e lhe disse: “Dormes? Escuta o que tenho a te dizer. Levanta-te e parte para a Santa Sion de Arras, lugar sacro onde doentes em número de 144 sofrem dores mortais. Quando chegares, far-te-ei saber o tempo e local convenientes para que fales com Lambert, que governa essa igreja, e lhe contarás a visão. Tu lhe recomendarás ficar de vigília — ele será o terceiro a fazê-la contigo durante a noite de sábado para domingo — e visitar os doentes que se encontram na igreja. Ao primeiro canto do galo, uma mulher vestida como eu estou agora descerá do alto da Igreja, tendo na mão um círio, que ela te dará. Após tê-lo recebido, deves acendê-lo e colocar gotas de cera dele em copos de água, que darás de beber aos doentes e derramá-la-ás sobre suas feridas. Não duvides de que aqueles que receberem este remédio com fé terão de volta a saúde. Ao contrário, aqueles que não acreditarem morrerão da sua doença. Farás isto junto com Norman, a quem tens um ódio mortal, e que se encontrará contigo no próximo sábado. Quando vocês dois se tiverem reconciliado, terão o bispo como terceiro companheiro.

… Norman teve uma visão semelhante na mesma noite. Mas devem os dois ter duvidado, ou então lhes custava demasiado pensar em se reconciliar com o inimigo, pois a aparição se repetiu para os dois, nos locais onde se encontravam na noite seguinte.

Finalmente convencidos, partiram cada um por seu lado a Arras e se encontraram com o bispo Lambert. Este, surpreendido pela coincidência dos relatos, conseguiu reconciliar os dois inimigos, que aceitaram fazer com o bispo a vigília que a Virgem Santíssima tinha recomendado.

Para que estivessem bem preparados para o acontecimento, o bispo os fez jejuar a pão e água; e no sábado, 27 de maio, passaram os três a noite em vigília na igreja. Às três horas da manhã, viram Nossa Senhora descer da abóbada da igreja, toda resplandecente e tendo na mão um círio. A Virgem lhes disse: “Aproximai-vos. Aqui tendes um círio que eu vos confio, e que será para vós um sinal especial da minha misericórdia. Toda pessoa tocada pela doença que se chama de fogo infernal terá apenas que colocar gotas deste círio na água e aspergir as feridas, que se curarão imediatamente. Aquele que acreditar será salvo; e o que não acreditar, perecerá”. Depois disto a Virgem entregou o círio e desapareceu.

Imediatamente eles fizeram com os doentes que se encontravam na Igreja o que Nossa Senhora havia pedido. Dos 144, somente um não acreditou na eficácia da promessa, tendo morrido. Os outros ficaram curados…

… Chama a atenção o fato de Nossa Senhora escolher para testemunhas dele duas pessoas que se odiavam mortalmente. Com isto, ficavam eliminadas todas as hipóteses de cumplicidade, pois foi necessário primeiro reconciliá-las para que o milagre se produzisse. Que teria acontecido, caso elas se negassem a reconciliar-se? Provavelmente o milagre não teria acontecido, pois muitas vezes Deus faz depender prodígios portentosos do consentimento desta ou daquela pessoa. Certamente Nossa Senhora teria encontrado outra forma de auxiliar os pobres doentes, mas não seria tão resplandecente como foi o modo como ocorreu esse milagre. Muito mais grave do que as doenças do corpo são as doenças da alma — entre elas o desejo de vingança — que nos fecham as portas do Céu. Se Deus permite as doenças do corpo, é justamente para, por meio delas, nos ensinar várias virtudes como a paciência, o desapego dos bens terrenos ou a obediência às autoridades, e com isso fazer-nos progredir na vida espiritual. Se o próprio Deus perdoa nossos pecados, por que não perdoaremos nós, meras criaturas, a quem nos causou algum mal por razões de caráter pessoal? Devemos combater os inimigos da Igreja e da Civilização Cristã, mas devemos perdoar os que nos perseguem apenas por razões pessoais”: https://www.amoranossasenhora.com.br/nossa-senhora-dos-ardentes-o-valor-de-perdoar/

– Sobre ERGOTISMO, ver: https://www.google.com/search?safe=active&sxsrf=ALeKk00RRajE0LEh08HT29s7-7Zkt_-YXQ%3A1590614352297&source=hp&ei=UNnOXpSTC__A5OUPwKK_qAE&q=ergotismo&oq=ergotismo&gs_lcp=CgZwc3ktYWIQAzICCAAyAggAMgIIADICCAAyAggAMgIIADICCAAyAggAMgIIADICCAA6BAgjECc6BQgAEIMBOgQIABBDOgQIABAKUMkJWOkYYNcdaABwAHgAgAHcAYgBtQ6SAQUwLjIuN5gBAKABAaoBB2d3cy13aXo&sclient=psy-ab&ved=0ahUKEwiU-76b_NTpAhV_ILkGHUDRDxUQ4dUDCAc&uact=5

– Ver ainda N.D. du Joyel

1105 – A Virgem aparece em Arras nos dois menestréis Itier e Norman e entrega-lhes a Vela Sagrada para a Cura do Mal dos Ardentes.

1112 – Um homem de Fleurbaix obtém do Bispo Lambert algumas parcelas da Santa Vela de Arras. É feita uma vela que foi, em Fleurbaix, objeto de grande veneração.

1459 – Para garantir a custódia desta preciosa joia, uma irmandade chamada Vela Sagrada ou o “aleluia” é estabelecida.

1815 – Assim que as igrejas reabriram após a Revolução, o culto de N.D. do Joyel é homenageado. A irmandade é reorganizada e uma pequena estátua de madeira dourada substitui a antiga Madona que desapareceu com a Santa Vela durante o tumulto.

1865 – Uma nova vela feita de cera e parcelas da Vela Sagrada de Arras é concedida pelo Bispo Lequette em vez da primeira.

1869 – A estátua de N.D. do Joyel, salva durante a Revolução por uma paroquiana de Fleurbaix, chamada Salomé, é devolvida à adoração e colocada em uma capela lateral da igreja.

1916 – A igreja, gravemente danificada desde o início da guerra, cai em ruínas. A estátua de N.D. do Joyel é preservada das chamas pela bravura de um paroquiano.

1919 – Nossa Senhora e Joyel retorna à igreja temporária de Fleurbaix.

1929 – No domingo, 7 de julho, o Bispo Julien abençoa solenemente a nova igreja de Fleurbaix e a dedica a N.D. dy Joyel.)”: https://arras.catholique.fr/diocese-darras-sunit-aux-sanctuaires-monde-entier-marathon-priere.html

================

OUTROS SANTOS DE 28 DE MAIO

1.   Em Co­rinto, na Acaia, ac­tu­al­mente na Grécia, Santa He­li­có­nides, mártir, que, no tempo do im­pe­rador Gor­diano, sob a ju­ris­dição do go­ver­nador Pe­rénio e do seu su­cessor Jus­tino, de­pois de su­portar muitos tor­mentos, fi­nal­mente de­ca­pi­tada con­sumou o seu martírio.(† s. III)

2.   Em Char­tres, na Gália Li­o­nense, na ac­tual França, São Ca­raúno, mártir. († s. V)

– Ver páginas 285-286: VIDAS DOS SANTOS – 9.pdf (obrascatolicas.com)

3.   Em Urgel, na His­pânia Tar­ra­co­nense, São Justo, bispo, que es­creveu um co­men­tário ale­gó­rico do “Cân­tico dos Cân­ticos” e tomou parte nos con­cí­lios hispânicos. († s. VI)

4.   Em Paris, na Gália, na ac­tual França, São Ger­mano, bispo, que era abade de São Sin­fo­riano em Autun quando foi cha­mado para a sede epis­copal de Paris e, con­ti­nu­ando o modo de vida mo­nás­tica, exerceu com muito fruto o mi­nis­tério pas­toral das almas. († 576).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 576, São Germano. Inicialmente abade de São Sinforiano de Autun, foi depois eleito bispo a serviço da Igreja em Paris. Convidou o rei Quildeberto I a fundar um mosteiro que mais tarde tomou seu nome: Saint-Germain-des-Prés. (M).

Ver páginas 267-274: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Germano de Paris (ca. 496 — ca. 576) foi um bispo de Parissanto para a Igreja Católica. Seu dia consagrado é 28 de maio.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Germano_de_Paris

– Ver ainda “… SÃO ALEMÃO (Germain), uma das maiores glórias da França no século VI, nasceu perto de Autun por volta do ano 496. Após um treinamento cuidadoso, foi ordenado sacerdote por São Agripino, e posteriormente escolhido abade de São Sinforiano em um dos os subúrbios de Autun. Estando em Paris quando a sede ficou vaga, ele foi nomeado pelo rei Childeberto I para ocupar a cadeira. Sua promoção não alterou a austeridade de sua vida, ele manteve sua simplicidade de vestir e comer, mas sua casa estava sempre lotada por uma multidão de mendigos que ele recebia em sua própria mesa. Por meio de sua eloqüência e exemplo, ele trouxe muitos pecadores e cristãos descuidados ao arrependimento, incluindo o próprio rei que, por estar totalmente absorvido nos interesses mundanos, tornou-se um generoso benfeitor dos pobres e fundador de estabelecimentos religiosos. Quando Childeberto adoeceu em seu palácio de Celles, perto de Melun, o santo o visitou, e somos informados de que ao saber que ele havia sido abandonado pelos médicos, ele passou a noite inteira orando por sua recuperação. Pela manhã, ele curou o paciente real com a imposição de suas mãos… O santo morreu em 28 de maio de 576, aos oitenta anos, pranteado por todo o povo…

A virtude característica de São Germano era sua caridade ilimitada para com os pobres.
A liberalidade na esmola move Deus a ser liberal conosco nas dispensações de suas graças espirituais; mas aquele que endurece o coração às injúrias e necessidades dos outros, fecha contra si o tesouro do céu…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay28.html

5*.   No mos­teiro de Gel­lone, na Gália Nar­bo­nense, também na ac­tual França, São Gui­lherme, monge, que, de­pois de ter sido uma per­so­nagem de grande pres­tígio na corte do im­pe­rador, es­ti­mu­lado pela sua grande sim­patia por São Bento de Aniane, tomou o há­bito mo­nás­tico que honrou com exímia virtude. († 812).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Languedoc, em 812, São Guilherme, conde de Toulouse e duque de Aquitânia, fundou o mosteiro de Gellone, perto de Aniane, onde ele próprio foi mais tarde partilhar a vida e a oração dos monges (X).

– Ver páginas 275-276: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Guilherme I de Tolosa, também Guilherme de OrangeGuilherme de Aquitânia ou Guilherme de Gellone (c. 755 – 28 de maio de 812 ou 28 de maio de 814) foi o segundo conde de Tolosa de 790 a 806. Seu nome em occitano é Guilhem, e é conhecido em francês como Guillaume d’Orange.[1][2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Guilherme_I_de_Tolosa

6*.   Em Can­tuária, na In­gla­terra, o Beato Lan­franco, bispo, que, sendo monge de Bec, na Nor­mandia, fundou uma cé­lebre es­cola e dis­putou contra Be­ren­gário sobre a pre­sença ver­da­deira do corpo e sangue de Cristo no sa­cra­mento eu­ca­rís­tico; de­pois, ele­vado à sede epis­copal de Can­tuária, pro­curou re­formar a dis­ci­plina da Igreja na Inglaterra. († 1089).

– Ver páginas 277-280: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Lanfranco, também chamado Lanfranco de BecLanfranco de Cantuária ou Lanfranco de Pavia (Pavia, ca. 1005 – Cantuária28 de maio de 1089) foi um teólogo e reformador da Igreja inglesa. Foi beatificado.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lanfranco_de_Cantu%C3%A1ria

7*.   Em Pisa, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, Santa Ubal­dina (Ubaldesca), virgem, que, desde os de­zas­seis anos de idade até à morte, du­rante cin­quenta e cinco anos pra­ticou in­fa­ti­ga­vel­mente num hos­pício as obras de misericórdia. († 1206)

8*.   Em Cas­tel­nuovo di Gar­fag­nana, também na Etrúria, hoje na Tos­cana, o Beato Her­cu­lano de Piégaro, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, que foi exímio pre­gador e res­plan­deceu pela aus­te­ri­dade de vida, longos je­juns e fama de milagres. († 1451)

9*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, a Beata Mar­ga­rida Pole (também na Folhinha do Coração de Jesus), mãe de fa­mília e mártir, que, sendo con­dessa de Sa­lis­búria e mãe do car­deal Rei­naldo, no rei­nado de Hen­rique VIII, cujo di­vórcio ela cen­su­rara, foi de­ca­pi­tada no cár­cere da Torre de Lon­dres e des­cansou na paz de Cristo. († 1541).

– Ver “Margarida Pole também conhecida por Beata Margarida Pole (em inglêsMargaret Pole14 de agosto de 1473 – 27 de maio de 1541), foi uma fidalga inglesa, filha de Jorge, Duque de Clarence, irmão de Eduardo IV de Inglaterra e de Ricardo III de Inglaterra, e de Isabel Neville.

Ela foi o último membro da Dinastia Plantageneta, tendo sido executada em 1541 a mando de Henrique VIII de Inglaterra, que era filho do sua prima, Elizabeth De York.[1]

Margarida foi beatificada em 29 de dezembro de 1886, pelo papa Leão XIII. Seu dia é comemorado em 28 de maio…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Margarida_Pole,_8.%C2%AA_Condessa_de_Salisbury

– Ver ainda “Na época da ascensão de Henrique VIII, Margaret era viúva com cinco filhos, e o jovem monarca, que a descreveu como a mulher mais santa da Inglaterra, devolveu-lhe as propriedades de seu irmão que haviam sido confiscadas por conquistador no reinado anterior, criando-a também condessa de Salisbury por direito próprio.
Após o nascimento da princesa Maria, ela foi nomeada governanta da criança real, mas sua desaprovação do casamento de Henrique com Ana Bolena a levou à aposentadoria da corte, com a conseqüente perda de seu posto e dos favores do rei…

Ela se opôs ao casamento de Henrique com Ana Bolena, e o rei a exilou da corte, embora a chamasse de “a mulher mais sagrada da Inglaterra”. Quando seu filho, o cardeal Pole, negou o Ato de Supremacia de Henrique, o rei prendeu Margaret na Torre de Londres por dois anos e a decapitou em 28 de maio. Em 1538, seus outros dois filhos foram executados. Ela nunca teve um julgamento legal. Ela tinha setenta anos quando foi martirizada. Margaret foi beatificada em 1886.”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay28.html

10*.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, a Beata Maria Bar­to­lo­meia Bagnési, virgem, irmã da Ordem da Pe­ni­tência de São Do­mingos, que su­portou du­rante cerca de qua­renta e cinco anos muitos e atrozes sofrimentos. († 1577)

11*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos Tomás Ford, João Shert e Ro­berto Johnson, pres­bí­teros e már­tires, que, no rei­nado de Isabel I, fal­sa­mente acu­sados de con­jura, foram con­de­nados à morte e sus­pensos ao mesmo tempo no pa­tí­bulo de Tyburn. († 1582)

12.   Em Cho Quan, lo­ca­li­dade da Co­chin­china, no ho­di­erno Vi­etnam, São Paulo Hanh, mártir, que, aban­do­nando a moral cristã, per­tencia a um bando de sal­te­a­dores; mas, preso no tempo do im­pe­rador Tu Duc, con­fessou que era cristão, e nem se­du­ções nem fla­ge­la­ções nem a di­la­ce­ração dos mem­bros o fi­zeram de­mover da fé; fi­nal­mente, de­go­lado, al­cançou o glo­rioso martírio. († 1859)

13*.   Em Sa­ch­se­nhausen, na Ale­manha, o Beato La­dislau Demski, mártir, que, na­tural da Po­lónia, morreu du­ra­mente tor­tu­rado num campo de con­cen­tração por de­fender a fé pe­rante os se­quazes de dou­trinas hostis a toda a dig­ni­dade hu­mana e cristã. († 1940)

14*.   Em Dzi­al­dowo, ci­dade da Po­lónia, o Beato An­tónio Ju­lião Nowowiejski, bispo de Plock, que, na mesma ca­la­mi­dade, foi en­car­ce­rado pelos ini­migos num campo de con­cen­tração e, es­vaído pela fome e cruéis tor­turas, foi ao en­contro do Senhor. († 1941)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no séc. V, os Santos Crescêncio, Dióscórido e Paulo cristãos que foram atirados ao fogo por terem pregado o Evangelho. (M)

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no início do séc. X, São Págio, bispo de Florença (M).

17. Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 28 de maio, no ano do Senhor de 1081, São Bernardo de Menthon (também na Folhinha do Coração de Jesus de 28 de maio: São Bernardo de Novara). Nascido no castelo que tem este nome, às margens do lago de Annecy, entrou para os Cônegos Regulares e foi ordenado presbítero. Preocupado com a sorte dos peregrinos que deviam atravessar os Alpes, construiu para eles albergues em pontos elevados. Pio XI o declarou padroeiro dos montanheses e dos alpinistas (M).

– Ver “São Bernardo de Menton ( c. 1008 Menthon-Saint-Bernard (FR) ; † 12 de Junho de 1081 Novara (IT) ) (em italiano: San Bernardo di Mentone, em francês: Saint Bernard de Menthon) é um santo italiano que fundou cerca o Hospício do Monte Joux no actual colo do Grande São Bernardo e reconstruiu o da Coluna de Joux no actual Colo do Pequeno São Bernardo… Bernardo de Menton foi canonizado em 1681 pelo Papa Inocêncio XII e o Papa Pio XI confirmou, em 1923, São Bernardo de Menton como padroeiro dos Alpes e tornou-se assim também o padroeiro dos alpinistas[3]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Bernardo_de_Menton

– Ver também “… O fundador dos dois célebres hospícios do Grande e do Pequeno São Bernardo, que salvou a vida de tantos viajantes alpinos, tem direito ao reconhecimento grato da posteridade… São Bernardo, que salvou a vida de tantos viajantes alpinos, tem direito ao reconhecimento grato da posteridade e é estranho que até anos relativamente recentes nenhuma tentativa foi feita para lidar criticamente com o assunto contido nas biografias obviamente coloridas de São Bernardo. Ele é frequentemente referido como Bernard de Menthon por causa de seu suposto nascimento em Savoy, filho do conde Richard de Menthon e sua esposa da família Duyn…: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay28.html

Ver dia 15 de junho: Em Mont­joux, no ter­ri­tório de Va­lais, São Ber­nardo de Menthon, pres­bí­tero, que foi có­nego e ar­ce­diago de Aosta, mas du­rante muitos anos ha­bitou nos cimos dos Alpes, onde cons­truiu um me­mo­rável ce­nóbio e edi­ficou também hos­pe­da­rias para os pe­re­grinos em dois montes que ainda hoje são co­nhe­cidos pelo seu nome. († 1081).

– Ver página 378 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

18. Santo Emílio, na Folhinha do Coração de Jesus. No mesmo dia, na Sardenha, os santos mártires Emílio, Félix, Príamo e Luciano, que, combatendo por Cristo, mereceram ser coroados. Ver pág. 285: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

19. Outros santos do dia 28 de maio: págs. 267-286 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 28 de maio, ver ainda: 28 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 429-431: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMay28.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 27 de maio

1. Santo Agos­tinho, bispo de Can­tuária (também na Folhinha do Coração de Jesus), na In­gla­terra, que foi en­viado com ou­tros monges pelo papa São Gre­gório Magno para anun­ciar a pa­lavra de Deus ao povo dos An­glos e foi bem re­ce­bido por Edi­berto, rei de Kent. Imitou a vida apos­tó­lica da Igreja pri­mi­tiva, con­verteu o pró­prio rei e muitos ou­tros à fé cristã e cons­ti­tuiu nesta terra al­gumas sedes epis­co­pais; fa­leceu no dia 26 de maio. († 604/605).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 604, o nascimento no céu de Santo Agostinho, monge beneditino romano, enviado pelo papa São Gregório Magno a evangelizar a Inglaterra. Bem recebido pelo rei Etelberto de Kent, a quem batizou, fundou a Sé metropolitana de Cantuária, de onde difundiu a fé por toda a ilha, que foi convertida à Igreja Católica. (R).

Ver páginas 281-282: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Agostinho de Cantuária (Roma, primeiro terço do século VI – Cantuária, provavelmente em 26 de maio de 604) foi um monge beneditino que se tornou o primeiro arcebispo de Cantuária em 597. É considerado o “Apóstolo dos ingleses” e o fundador da Igreja na Inglaterra.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Agostinho_de_Cantu%C3%A1ria

2.   Em Do­rós­toro, na Mésia, hoje Si­listra, na Bul­gária, São Júlio, mártir, que, sendo ve­te­rano do exér­cito im­pe­rial, no tempo da per­se­guição foi preso pelos ofi­ciais de jus­tiça e apre­sen­tado ao go­ver­nador Má­ximo; tendo ma­ni­fes­tado na sua pre­sença a re­pulsa pelos ídolos, con­fessou com grande fir­meza a sua fé em Cristo e foi cas­ti­gado com a con­de­nação à morte. († c. 302).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Durostorum, às margens do Danúbio, a paixão de São Júlio, vítima da perseguição de Diocleciano. Depois de vinte e sete anos de serviço irrepreensível no exército romano, foi condenado, juntamente com dois companheiros, por ter se recusado a sacrificar aos ídolos. No momento de morrer, fez a célebre oração: “Senhor Jesus Cristo, em nome de quem eu sofro, peço-te dignar-te receber meu espírito com os teus santos mártires (Paixão – M).  

– Ver páginas 252-256: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

3.   Na Via No­men­tana, a de­ze­sseis mi­lhas de Roma, São Res­ti­tuto, mártir. († c. s. IV).

No VIDA DOS SANTOS, Em Sora, Santa Restituta, virgem e mártir, que, sob o imperador Aureliano e procônsul Agácio, chamada a lutar pela fé, venceu os esforços do demônio, as carícias dos pais e a crueldade dos carrascos; enfim, decapitada com outros cristãos, foi honrada com a glória do martírio. Ver página 266: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

 4.   Em Orange, na Pro­vença, re­gião da Gália, ac­tu­al­mente na França, Santo Eu­trópio, bispo. († c. 475).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, Santo Eutrópio. Convertido por sua esposa, foi convencido pelo Bispo de Marselha a colocar-se a serviço da Igreja. A exemplo de São Paulo, trabalhava com as mãos, desempenhando com entusiasmo as funções pastorais como bispo de Orange (M).

– Ver páginas 259-261: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Eutrópio de Orange (Marselha – Orange27 de maio de 475) foi bispo de Orange, na Provença, no século V da era cristã. Sucedeu a Justo, provavelmente em 463. De acordo com a tradição, Eutrópio foi convertido pela sua mulher e tornou-se diácono depois dela ter morrido. Tornou-se famoso devido aos milagres que se lhe atribuíram. Trocou correspondência com o papa Hilário e foi amigo de São Fausto de Retz. Entre 463 e 475 participou no sínodo de Arles.

A sua diocese foi destruída pelos Visigodos e Eutrópio morreu martirizado.

Santo Eutrópio é festejado no dia 27 de Maio.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Eutr%C3%B3pio_de_Orange

5.   Em Würtz­burg, na Fran­cónia, re­gião da Ger­mânia, hoje na Ale­manha, São Bruno (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que res­taurou a igreja ca­te­dral, re­formou o clero e ex­plicou ao povo a Sa­grada Escritura. († 1045).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1045, São Bruno, bispo de Würzburg. Homem de confiança de Henrique II da Alemanha, foi um dos principais defensores da ideia de um império cristão. (M).

Ver página 258: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Bruno de Würzburg (em latimBruno Herbipolensis), conhecido também como Bruno da Caríntia, foi um chanceler imperial da Itália de 1027 até 1034 para o imperador Conrado II, de quem era parente, e de 1034 até sua morte, príncipe-bispo de Würzburg.”: Bruno de Würzburg – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

6*.   No mos­teiro de Mont­salvy, junto de Cler­mont-Fer­rand, na Aqui­tânia, hoje na França, São Gaus­berto, pres­bí­tero e ere­mita, que trans­formou este lugar, antes de­serto e in­tran­si­tável, num hos­pício para aco­lher os peregrinos. († 1079)

7*.   Em Dry­burne, lo­ca­li­dade pró­xima de Durham, na In­gla­terra, os be­atos Ed­mundo Duke, Ri­cardo Hill, João Hogg e Ri­cardo Ho­liday, pres­bí­teros e már­tires, que, re­gres­sando do Co­légio dos In­gleses de Reims à sua pá­tria, no rei­nado de Isabel I, foram con­de­nados à morte e en­for­cados por causa do sacerdócio. († 1590)

8.   Em Seul, na Co­reia, as santas már­tires Bár­bara Kim, viúva, e Bár­bara Yi, virgem de quinze anos de idade, que foram presas ao mesmo tempo e mor­reram de peste no cárcere. († 1839)

9.   Em Na­ki­buwo, lo­ca­li­dade do Uganda, Santo Ata­násio Bazzekuketta, mártir, que era um jovem da casa real re­cen­te­mente bap­ti­zado e, ao ser con­du­zido ao lugar do su­plício com os ou­tros com­pa­nheiros por ter abra­çado a fé em Cristo, pediu aos al­gozes que o ma­tassem ime­di­a­ta­mente e, es­pan­cado até à morte, con­sumou o martírio. († 1886)

10.   Em Lu­bawo, também no Uganda, São Gon­zaga Gonza, mártir, que era um dos fâ­mulos reais e, quando ia preso com ca­deias para a fo­gueira, foi tres­pas­sado pelas lanças dos algozes. († 1886)

11. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na região do Artois, o martírio de São Ranulfo (também na Folhinha do Coração de Jesus), que gozava de grande veneração na abadia de São Waast (ou São Gastão). (M)

12. Santo Hildeverto. Bispo e confessor. “Este santo bispo nasceu perto de Hebécourt, na diocese de Amiens. Era filho de Adalberto, que o colocou debaixo da direção de São Faron, bispo de Meaux. Educado segundo a disciplina monástica e ordenado sacerdote, à morte de Faron, elevou-se à sé de Meaux. Santo Hildeverto deu-se com grande ardor à oração e ao estudo das Santas Escrituras, às pregações e à caridade, distribuindo esmolas com imensa liberalidade. Doce e humilde, faleceu no ano de 680…”. Ver página 257: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

–  Ver também Hildeberto de Lavardin Hildeberto de Lavardin ou Hildeberto de Tours (em latimHildebertus Turonensisc. 105518 de dezembro de 1133) foi um escritor e clérigo francês. Seu nome aparece também como Hidalberto (Hydalbert), Gildeberto (Gildebert) e Aldeberto (Aldebert).”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hildeberto_de_Lavardin

13. Santa Melângela, na Folhinha do Coração de Jesus.

– Ver “Ela fez um voto a Deus e, quando pressionada a se casar, fugiu para a parte central do País de Gales chamada Powys, onde permaneceu escondida por quinze anos. Então, um dia, o príncipe de Powys, Brochwel Ysgythrog, veio caçar em sua vizinhança e perseguiu uma lebre até uma clareira da floresta onde Melangell estava orando. A lebre correu para o abrigo de suas vestes, e se virou para enfrentar seus perseguidores por uma dobra de sua saia. Brochwel incitou seus cães, mas eles se afastaram, uivando; o caçador tentou dar corda na buzina, mas ela ficou muda em seus lábios; e Brochwel se aproximou da menina para uma explicação. Quando ele ouviu a história de Melangell sobre si mesma, ele deu-lhe um presente da terra em que estavam como um “refúgio perpétuo e lugar de santuário”, em reconhecimento da proteção de Deus aos “pequenos lebre selvagem ”na sombra de Seu servo Melangell.
Conseqüentemente, ela viveu o resto de sua vida lá, mais trinta e sete anos, reunindo uma comunidade à sua volta que ela dirigiu como abadessa. Mas era também ponto de encontro de lebres, que nunca demonstravam medo de sua protetora, de modo que passaram a ser chamadas de “cordeiros de Melangell”.”: Saint of the Day May 27 (lngplants.com)

14. Outros santos do dia 27 de maio: págs. 239-266 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 27 de maio, ver ainda: 27 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 427-429: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. Saint of the Day May 27 (lngplants.com)

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 26 de maio

* 26 de maio: NOSSA SENHORA DO CARAVAGGIO (também na Folhinha do Coração de Jesus). Conforme o DIRETÓRIO DE LITURGIA DA CNBB, 2021, NOSSA SENHORA DO CARAVAGGIO, dia 26 de maio, na Diocese de Caxias do Sul, Padroeira Diocesana.

Ver: “Pouco antes da aparição, em 1432, uma batalha entre os dois estados (Veneza e Milão) assustou o país. Neste cenário de desolação, às 17 horas da segunda-feira, 26 de maio de 1432, acontece a aparição de Nossa Senhora a uma camponesa. A história conta que a mulher, de 32 anos, era tida como piedosa e sofredora. A causa era o marido, Francisco Varoli, um ex-soldado conhecido pelo mau caráter e por bater na esposa. Maltratada e humilhada, Joaneta Varoli colhia pasto em um prado próximo, chamado Mezzolengo, distante 2 km de Caravaggio….  A senhora anuncia-se como “Nossa Senhora” e diz: “Tenho conseguido afastar do povo cristão os merecidos e iminentes castigos da Divina Justiça, e venho anunciar a Paz”. Nossa Senhora de Caravaggio pede ao povo que volte a fazer penitência, jejue nas sextas-feiras e vá orar na igreja no sábado à tarde em agradecimento pelos castigos afastados e pede que lhe seja erguida uma capela. Como sinal da origem divina da aparição e das graças que ali seriam dispensadas, ao lado de onde estavam seus pés, brota uma fonte de água límpida e abundante, existente até os dias de hoje e nela muitos doentes recuperam a saúde…. Até mesmo Francisco melhorou nas suas atitudes para com a esposa Joaneta. ”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_de_Caravaggio

Ver tambémEm 1942, num cenário de desolação, Nossa Senhora apareceu diante de uma camponesa chamada Giannetta Varoli, de 32 anos, que era piedosa e sofredora. Disse-lhe que não tivesse medo e que receberia uma grande missão: divulgar a paz”!: http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/pwdtcomemorativas/default.php?reg=9&p_secao=13

Ver ainda “A semelhança dos tempos em que Nossa Senhora apareceu a Joaneta com os nossos torna muito atual a mensagem de Caravaggio. O amor na família, a paz na sociedade e a unidade da Igreja são valores tão grandes e ao mesmo tempo tão ameaçados”: http://caravaggio.org.br/historia-e-devocao/

Ver também: http://caravaggio.org.br/

Ver aindaA fé por Nossa Senhora de Caravaggio é incondicional, uma fé de um povo que não mede esforços e acredita nos milagres e poderes da santa virgem de Caravaggio A devoção por Nossa Senhora de Caravaggio faz com que o devoto enfrente a chuva, o vento, o frio e a dor física para agradecer a graça atendida pela santa dos necessitados. ”: https://www.guaraciaba.sc.gov.br/noticias/index/ver/codMapaItem/9283/codNoticia/51596

– Ver também: (3869) DEVOÇÕES – NOSSA SENHORA DO CARAVAGGIO – YouTube

SANTAS E SANTOS DE 26 DE MAIO

1. Me­mória de São Fi­lipe Néri (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, que, para salvar os jo­vens do mal, fundou em Roma um ora­tório, no qual se pra­ti­cavam as lei­turas es­pi­ri­tuais, o canto e as obras de ca­ri­dade. Foi in­signe pelo seu amor do pró­ximo, sim­pli­ci­dade evan­gé­lica, es­pí­rito alegre, zelo in­fa­ti­gável e fer­vo­roso ser­viço de Deus. († 1595).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano de 1595, São Felipe Néri, sacerdote. Seu comportamento paradoxal e alegre permitia-lhe fazer refletir aqueles que ele abordava, e revelar a sorridente liberdade dos filhos de Deus aos jovens, que gostavam de se reunir perto dele em suas orações, ou “oratórios”, para rezar e cantar. A congregação dos padres do Oratório continuou, depois dele esta forma de apostolado. (R).

Ver páginas 211-234: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Filipe Néri, cognominado O Apóstolo de Roma e O Santo da Alegria (Florença21 de julho de 1515 — 26 de maio de 1595), foi um padre e santo católico

CONGREGAÇÃO DO ORATÓRIO DE SÃO FLIPE NERI.  Em 1564, o Papa Pio IV pediu a Filipe Néri que assumisse a responsabilidade da Igreja de São João dos Florentinos. Foram então ordenados três de seus discípulos. Os religiosos viviam e oravam em comunidade sob a direção de Filipe Néri.

Filipe e seus colaboradores, com o beneplácito do Papa Gregório XIII, adquiriram em 1575 sua própria Igreja, Santa Maria in Vallicella, que estava quase em ruínas e era muito pequena, pelo que decidiu-se demoli-la e construir uma maior, a chamada “Igreja Nova”.

O Papa aprovou formalmente a Congregação do Oratório. Era a única em que os sacerdotes, sendo seculares, viviam em comunidade, mas sem votos. Os membros mantinham suas propriedades, mas deveriam contribuir para as despesas da comunidade. Os que quisessem fazer votos estavam livres para deixar a Congregação e unir-se a uma ordem religiosa. O instituto tinha como fim a oração, a pregação e a administração dos sacramentos.

A aprovação formal e final dos estatutos da congregação ocorreu somente dezessete anos após a morte do fundador, em 1612”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Filipe_N%C3%A9ri

2.   Também em Roma, Santo Eleu­tério, papa, a quem os cé­le­bres már­tires de Lião, então de­tidos no cár­cere, es­cre­veram uma nobre carta sobre a con­ser­vação da paz na Igreja. († 189).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, Santo Eleutério. Bispo de Roma durante um curto período de paz, presidiu à difusão da doutrina cristã após a perseguição de Cômodo. (M).

Ver páginas 235-236: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Papa Santo Eleutério (em latim: Eleutherus; em grego: Ελευθέριος) foi o décimo terceiro papa da Igreja Católica,[1] entre 174 e 189. Pensa-se que tenha origem albanesa e sucedeu a São Sotero. Seu nome, em grego, significa Livre ou Libertador. Seu dia é comemorado em 30 de Maio”: Papa Eleutério – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver SANTO DO DIA 26 de maio “Natural de Épiro, Eleutério foi Papa do ano 175 até 189. Tolerante com a heresia de Montano, combateu o gnosticismo e o marcionismo, contra os quais emitiu um Decreto solene. Deve-se a este Papa a celebração da Páscoa no domingo. O Santo foi sepultado no Vaticano, ao lado do túmulo de São Pedro.”: https://www.vaticannews.va/pt/santo-do-dia/05/26.html

3.   Também em Roma, no ce­mi­tério de Pris­cila, junto à Via Sa­lária Nova, São Si­mé­trio, mártir. († data inc.)

– Ver “Simétrio ou Simítrio era um presbítero romano, sepultado na catacumba de Santa Priscila, ao longo da Via Salária Nova, junto com outros 22 Companheiros. Provavelmente, todos foram martirizados nos últimos anos do império de Antonino Pio, talvez por volta do ano 159.”: https://www.vaticannews.va/pt/santo-do-dia/05/26.html

4.   Em Tódi, na Úm­bria, re­gião da Itália, Santa Fe­li­cís­sima, mártir. († s. III/IV)

5.   No ter­ri­tório de Au­xerre, na Gália, hoje na França, a paixão de São Prisco e com­pa­nheiros, mártires. († data inc.)

6.   Em Can­tuária, na In­gla­terra, o se­pul­ta­mento de Santo Agos­tinho, bispo, cuja me­mória se ce­lebra amanhã. († 604/605)

7.   No ter­ri­tório de Lião, na Gália, ac­tu­al­mente na França, a paixão de São De­si­dério, bispo de Vi­enne, que, por ordem da rainha Bru­nilde, a quem ele cen­su­rava as suas núp­cias in­ces­tu­osas e ou­tras per­ver­si­dades, foi re­le­gado para o exílio, e de­pois, ape­dre­jado por ordem da mesma rainha, re­cebeu a coroa do martírio. († c. 606)

– Ver “Desidério de Vienne foi um arcebispo de Vienne, cronista e mártir medieval…. Desidério é venerado como santo pela Igreja Católica e sua festa é comemorada em 11 de fevereiro[6]. No oriente, a festa é no dia 23 de maio. Uma Vita sobre Desidério foi escrita pelo rei visigodo Sisebuto no século VII[7]. Outra foi escrita anos depois por Ado de Vienne.”: Desidério de Vienne – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver página 136: VIDAS DOS SANTOS – 9.pdf (obrascatolicas.com)

8*.   No mos­teiro de Saint-Pa­poul, também na Gália, hoje na França, São Be­ren­gário, monge. († 1093)

9*.   Em Vence, na Pro­vença, também na ac­tual França, São Lam­berto, bispo, an­te­ri­or­mente monge de Lé­rins, que foi pró­digo para com os po­bres e amigo da pobreza. († 1154)

10*.   Em Sena, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Fran­cisco Patrízi, pres­bí­tero da Ordem dos Servos de Maria, que se de­dicou com ad­mi­rável zelo à pre­gação, à di­recção das almas e ao mi­nis­tério da Penitência. († 1328)

11*.   Em Pis­tóia, também na Etrúria, ac­tu­al­mente na Tos­cana, o Beato André Fránchi, bispo, que, de­pois da epi­demia da peste negra, como prior da Ordem dos Pre­ga­dores, res­taurou a vida re­gular nos con­ventos da sua Ordem nesta re­gião e aprovou na sua ci­dade as Ir­man­dades de pe­ni­tentes para pro­mover a paz e a misericórdia. († 1401)

12.   Em Quito, no Equador, Santa Ma­riana de Jesus de Paredes (na Folhinha do Coração de Jesus, Santa Maria Ana), virgem, que con­sa­grou a Cristo a sua vida na Ordem Ter­ceira de São Fran­cisco e se de­dicou com toda a energia a so­correr os po­bres in­dí­genas e os negros. († 1645)

– Ver: http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/santa-maria-ana-de-jesus-paredes

– Ver também: https://g.co/kgs/upJvQ1

13.   Em Fuzhou, lo­ca­li­dade do Fu­gian, pro­víncia da China, São Pedro Sans i Jordá, bispo da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, jun­ta­mente com ou­tros sa­cer­dotes, foi preso e le­vado com ca­deias por longo ca­minho até ao tri­bunal; no lugar do su­plício ajo­e­lhou-se e, ter­mi­nada a oração, apre­sentou vo­lun­ta­ri­a­mente o pes­coço ao cutelo. († 1747)

14.   Em Seul, na Co­reia, São José Chang Song-jib, mártir, que exercia o ofício de far­ma­cêu­tico e, en­car­ce­rado por se ter con­ver­tido à fé cristã, morreu ví­tima de cru­de­lís­simos tormentos. († 1839)

15.   Em Dong Hoi, ci­dade do Aname, no ac­tual Vi­etnam, os santos már­tires João Doan Trinh Hoan, pres­bí­tero, e Ma­teus Hguyen Van Phuong, pai de fa­mília e ca­te­quista, que tinha hos­pe­dado o seu com­pa­nheiro de mar­tírio; pela sua fé, foram ambos tor­tu­rados e cru­el­mente de­go­lados no tempo do im­pe­rador Tu Duc. († 1861)

16.   Em Numyonyo, lo­ca­li­dade do Uganda, Santo André Kagwa, mártir, di­rector dos to­ca­dores de tím­pano do rei Mwanga e seu fa­mi­liar, que, recém-con­ver­tido à fé cristã, en­si­nava aos na­tivos e ca­te­cú­menos a dou­trina do Evan­gelho e por isso foi cru­el­mente assassinado. († 1886)

17.   Em Ttaka Jiunge, também no Uganda, São Pon­ciano Ngondwe, mártir, que era guarda do reino e, quando já co­me­çara a per­se­guição, re­cebeu o Bap­tismo; foi ime­di­a­ta­mente me­tido no cár­cere e morreu tres­pas­sado por uma lança quando era con­du­zido à co­lina do suplício. († 1886)

18. No Martirológio Romano-Monástico, em Atenas, no séc. II, São Quadrato. Dedicou ao imperador uma apologia da religião cristã, na qual relata ter conhecido testemunhas das “obras de Nosso Salvador” (cf. Eusébio – M)

– Ver também “Quadrado de Atenas ou Quadratus de Atenas (em grego: Άγιος Κοδράτος) é conhecido por ter sido o primeiro apologistaEusébio afirmou que ele teria sido discípulo dos apóstolos (auditor apostolorum).[1] Dionísio de Corinto, numa carta sumarizada por Eusébio[2] diz que Quadrado se tornou bispo de Atenas após o martírio de Publius, revigorando a fé da congregação na cidade e a mantendo coesa. Ele é contado entre os Setenta Apóstolos na tradição das Igrejas orientais.”: Quadrado de Atenas – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também 07 de maio, outro São Quadrato

19. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 690, a volta para Deus de São Gôndio. Sobrinho de São Vandrilo, fundou um novo centro de vida monástica na Champagne, que acabou por tomar seu nome. (X).

Ver São Gond, páginas 237: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

20. Santa Eva de Liege (na Folhinha do Coração de Jesus).

– Ver “Quando a bem-aventurada Juliana era prioresa do Monte Cornillon, uma de suas amigas mais próximas era uma santa reclusa, Eva, ou Heva, de Liège, a quem ela inspirou com seu próprio propósito entusiástico obter a instituição de uma festa em honra do Santíssimo Sacramento.
Foi na cela de Eva, perto da igreja de St. Martin, que Juliana encontrou refúgio quando foi expulsa de Cornillon pela primeira vez, e foi Eva quem assumiu a missão depois que ela morreu. A ascensão do Papa Urbano IV aumentou suas esperanças, pois ele já havia se mostrado solidário quando, como arquidiácono James Pantaleon, foi abordado sobre o assunto pela Beata Juliana. As esperanças de Eva foram realizadas. Ele não apenas instituiu a festa de Corpus Christi, mas enviou a ela a bula de autorização, bem como um ofício especial para o dia que Santo Tomás de Aquino havia compilado por sua vontade. O culto da Abençoada Eva foi confirmado em 1902.”: Saint of the Day May 26 (lngplants.com)

21. Outros santos do dia 26 de maio: págs. 211-238 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 26 de maio, ver ainda: 26 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 424-427: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

7. Saint of the Day May 26 (lngplants.com)

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 25 de maio

1. São Beda Venerável (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero e doutor da Igreja, que passou toda a sua vida como servo de Cristo, desde os oito anos de idade, no mos­teiro de Jarrow, na No­túm­bria, re­gião da In­gla­terra, fer­vo­ro­sa­mente de­di­cado à me­di­tação e ex­pli­cação da Sa­grada Es­cri­tura. Além da ob­ser­vância da dis­ci­plina mo­nás­tica e o exer­cício quo­ti­diano do canto na igreja, as suas de­lí­cias foram sempre aprender, en­sinar e escrever. († 735).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Beda, o Venerável, monge beneditino e Doutor da Igreja. Oferecido ainda muito jovem ao mosteiro de Wearmouth, passou sua vida longa e dedicada aos estudos no mosteiro de Jarrow, no norte da Inglaterra. Sem jamais preferir outra coisa que não a obra de Deus, mostrou-se tão assíduo aos trabalhos humildes da vida comunitária como a seus eruditos estudos patrísticos, históricos e hagiográficos. Adormeceu no Senhor no ano de 735. (R).

– Conforme a Folhinha do Coração de Jesus de 24/05/2010, a vida de Beda nos ensina que não é preciso ir a terras distantes para sermos verdadeiros anunciadores da Palavra. Este monge beneditino, nascido em 672, passou praticamente toda a sua vida, recolhido num mosteiro da Inglaterra. Dedicado às atividades intelectuais, deixou uma obra imensa, que abarca desde a teologia, a filosofia, a aritmética até a medicina. Seus contemporâneos perceberam que nele ciência, piedade e virtude caminhavam juntas, a serviço da cultura, do Evangelho e da edificação dos irmãos. Como a lâmpada que não pode ficar escondida, mas deve ser colocada no alto para iluminar a todos, assim foi sua vida. Quando morreu, em 735, Beda já era chamado de “Venerável”. Em 1899 Leão XIII o declarou Doutor da Igreja. (Frei Sandro Roberto da Costa, OFM, Petrópolis, RJ).

Ver páginas 67-82: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também “Beda (em inglês antigo: Bǣda ou Bēda; em latimBedac. 67326 de maio de 735), conhecido também como Venerável Beda (em latimBēda Venerābilis),[k] foi um monge inglês que viveu nos mosteiros de São Pedro, em Monkwearmouth, e São Paulo, na moderna Jarrow, no nordeste da Inglaterra, uma região que, na época, era parte do Reino da Nortúmbria. Ele é conhecido principalmente por sua obra-prima, a História Eclesiástica do Povo Inglês, um trabalho que lhe rendeu o título de “Pai da História Inglesa“.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Beda

2. São Gre­gório VII (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa, que antes abra­çara a vida mo­nás­tica com o nome de Hil­de­brando e foi vá­rias vezes le­gado dos papas do seu tempo para a obra da re­forma da Igreja; ele­vado à cá­tedra de Pedro, rei­vin­dicou com grande au­to­ri­dade e for­ta­leza de alma a li­ber­dade da Igreja pe­rante os po­deres se­cu­lares e de­fendeu di­li­gen­te­mente a san­ti­dade do sa­cer­dócio. Por tudo isso, foi obri­gado a aban­donar Roma e morreu exi­lado em Sa­lerno, na Cam­pânia, re­gião da Itália. († 1085).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1085, o nascimento no céu de São Gregório VII, papa. Inicialmente monge beneditino em Roma, Hildebrando fez um estágio de três anos em Cluny, durante o abaciado de Santo Hugo. Voltou para a Itália com o papa alsaciano São Leão IX, recentemente eleito, que o nomeou abade de São Paulo-Fora-dos- Muros. Elevado mais tarde ao trono de São Pedro, Gregório VII lançou um grande plano de reformas da Igreja, para libertá-la dos abusos internos, assim como do jugo imperial. Henrique IV da Alemanha pareceu ceder em Canossa, mas reagiu, exilando o papa. (R)

Ver páginas 174-196: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Papa São Gregório VII, nascido Hildebrando, (SovanaItáliacirca 1020/1025 — Salerno25 de maio de 1085) foi o 157º papa da Igreja Católica de 22 de abril de 1073 até à sua morte, tendo sido um dos mais influentes e decisivos pontífices a se sentar no trono papal ao longo da história…

… Ao morrer, fora de Roma, disse a frase que se tornaria famosa: “Amei a justiça e odiei a iniquidade, por isso morro no exílio”.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Greg%C3%B3rio_VII

3. Santa Maria Ma­da­lena de Pázzi (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem da Ordem das Car­me­litas, que, em Flo­rença, também na Itália, levou uma vida oculta em Cristo, con­sa­grada à oração e ab­ne­gação, re­zando as­si­du­a­mente pela re­forma da Igreja; re­cebeu de Deus muitos dons ex­tra­or­di­ná­rios e di­rigiu sa­bi­a­mente as suas irmãs no ca­minho da perfeição. († 1607).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1607, Santa Maria Madalena de Pazzi, carmelita de Florença, que ofereceu sua vida a Deus para obter a renovação espiritual da Igreja. Abençoada com graças místicas, deu o melhor de si mesma na fidelidade cotidiana aos três votos de sua profissão religiosa. (M).

Ver também páginas 239-251: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Maria Madalena de Pazzi (Florença2 de Abril de 1566 – Florença25 de Maio de 1607) foi uma nobre italiana católica que se tornou freira da Ordem das Carmelitas da Antiga Observância e ficou famosa pelas suas revelações místicas.[1]Foi beatificada pelo Papa Urbano VIII no dia 8 de Maio de 1626 e canonizada pelo Papa Clemente IX a 28 de Abril de 1669

… Em 1670, um ano após a canonização de Madalena de Pazzi, o dia da festa da santa foi inserido no Calendário Romano Geral para comemoração em 25 de maio, o dia de sua morte. Em 1728, a data de 25 de maio foi atribuída ao Papa Gregório VII, e seu dia de festa foi transferido para 29 de maio, onde permaneceu até 1969, quando foi restaurado ao seu lugar original no calendário, como o verdadeiro aniversário de morte dela [5]

psiquiatra Kathryn J. Zerbe escreveu que Pazzi sofria de anorexia mirabilis (… Anorexia mirabilis literalmente significa “ausência milagrosa de apetite”. Refere-se quase exclusivamente a mulheres da Idade Média que se reduziam à inanição, às vezes até o limite da morte, em nome de Deus. O fenômeno também é conhecido pelo termo inédia prodigiosa.[1]Conforme: Anorexia mirabilis – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)). Ela também exibiu sintomas comportamentais de bulimia….

Aqueles que lembram os sofrimentos de Cristo e que se oferecem a Deus por meio de Sua paixão, consideram suas dores doces e agradáveis”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Madalena_de_Pazzi

4.   Em Atella, na Cam­pânia, também re­gião da Itália, São Ca­nião, bispo e mártir. († s. III/IV)

5.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração de São Di­o­nísio (ou São Dinis) bispo, que, por causa da fé ca­tó­lica, foi ex­pulso pelo im­pe­rador ariano Cons­tâncio para a Ar­ménia, onde morreu com o glo­rioso tí­tulo de mártir. († c. 361).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 361, São Dionísio, ou Dinis, primeiro sucessor de São Protásio na Sé de Milão. Durante seu curto episcopado de quatro anos, mostrou firme apego à fé ortodoxa (M).

– Ver páginas 199-200: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

6.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, também re­gião da Itália, São Ze­nóbio, bispo. († s. IV/V).

– conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, São Zenóbio, bispo, eleito para o serviço da Igreja de Florença; e no séc. VI, São Legato, abade nos arredores de Troyes (M).

7.   No ce­nóbio de Men­tenay, junto a Troyes, na Gália, hoje na França, São Leão, abade. († s. VII)

8.   Na In­gla­terra, Santo Adelmo (Aldelmo), bispo, homem cé­lebre pela sua dou­trina e seus es­critos, que, de­pois de ter sido abade do mos­teiro de Mal­mes­bury, foi or­de­nado pri­meiro bispo de Sher­borne, entre os Sa­xões ocidentais. († 709).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Inglaterra, no ano do Senhor de 709, Santo Adelmo, monge beneditino que foi abade de Malmesbury antes de se tornar bispo de Sherborne. (M).

Ver página 203: Santo Audelmo:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Adelmo ou Aldelmo (em inglês antigoEaldhelm) (Wessexc. 639 – DoultingSomerset, 25 de maio de 709) foi um abade da abadia de Malmesburybispo de Sherbornepoeta em latim e estudioso da literatura em inglês antigo, nasceu antes de meados do século VII. Ele disse ter sido filho de Kenten, que era da casa real de Wessex.[1] Não era, com toda certeza, irmão do rei Ine, como antigamente alegado pelo biógrafo de Adelmo, Farício. Após sua morte, foi venerado como santo, seu dia de festa é o dia da sua morte, 25 de maio.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Adelmo

9*.   Em Peñalba de San­tiago, no ter­ri­tório de As­torga, na Es­panha, São Ge­nádio, que pri­meiro foi abade e de­pois bispo desta sede; era con­se­lheiro real, mas, mo­vido pela nos­talgia do claustro, re­nun­ciou à dig­ni­dade epis­copal e passou o resto da sua vida como monge e, por vezes, eremita. († c. 925)

10*.   Em Vil­la­magna, junto de Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração do Beato Ge­rardo Mecátti, que, se­guindo com en­tu­si­asmo os passos de São Fran­cisco, dis­tri­buiu os seus bens pelos po­bres e, re­ti­rando-se para a so­lidão, por amor de Cristo se de­dicou a aco­lher os pe­re­grinos e so­correr os enfermos. († c. 1245)

11*.   Em Mon­te­santo, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, também re­gião da Itália, o pas­sa­mento de São Gério, que, de­pois de ter sido conde de Lunel, abraçou a vida de ere­mita e morreu du­rante uma santa peregrinação. († c. 1270).

Ver páginas 204-205: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

12*.   Em Fa­enza, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, também na Itália, o Beato Tiago Filipe Ber­tóni (André), pres­bí­tero da Ordem dos Servos de Maria, in­signe pelo dom das lá­grimas e pro­funda humildade. († 1483)

13.   No Ton­quim, ac­tu­al­mente no Vi­etnam, São Pedro Doan Van Van, mártir, que sendo ca­te­quista e ad­mi­nis­trador da pa­ró­quia de Bau Nó, já oc­to­ge­nário con­firmou a cons­tância da sua fé, der­ra­mando o seu sangue no tempo do im­pe­rador Tu Duc. († 1857)

14.   Em Paris, na França, Santa Ma­da­lena Sofia Barat, virgem, que fundou a So­ci­e­dade do Sa­grado Co­ração de Jesus e tra­ba­lhou muito para a for­mação cristã das jovens. († 1865). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano de 1856, Santa Madalena-Sofia Barat. Nascida na diocese de Sens, fundou em Paris a congregação das Damas do Sagrado Coração de Jesus, especialmente destinada à educação das moças. Quando a santa morreu, após cinqüenta e nove anos de direção, deixou uma família religiosa próspera. (M).

Ver páginas 206-209: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

15.   Em Munyongo, lo­ca­li­dade do Uganda, São Di­o­nísio Ssebuggwawo, mártir, que, aos de­zas­seis anos de idade, afir­mando ao rei Mwanga, du­rante um in­ter­ro­ga­tório, que en­si­nara a dois pa­gens da corte os ru­di­mentos da re­li­gião cristã, foi de­go­lado pelo pró­prio rei. († 1886)

16.   Em Ca­ta­tlan, no ter­ri­tório de Gua­da­la­jara, no Mé­xico, os santos Cris­tóvão Ma­gal­lanes e Agos­tinho Ca­loca, pres­bí­teros e már­tires, que, du­rante a per­se­guição me­xi­cana, con­fi­ando fir­me­mente em Cristo Rei, al­can­çaram a coroa do martírio. († 1927).

Também em 21 de maio: Santos Cris­tóvão de Magallanes (Cristóforo Magalhães, na Folhinha do Coração de Jesus de 21 de maio), pres­bí­tero, e com­pa­nheiros, már­tires, que, em vá­rias re­giões do Mé­xico, per­se­guidos em ódio ao nome cristão e à Igreja ca­tó­lica, por terem pro­fes­sado a fé em Cristo Rei, al­can­çaram a coroa do martírio. Seus nomes: Romão Adame, Ro­drigo Aguilar, Júlio Ál­varez, Luís Batis Sáinz, Agos­tinho Ca­loca Cortés, Ma­teus Correa, Ati­lano Cruz, Mi­guel de la Mora, Pedro Es­queda Ra­mírez, Mar­ga­rido Flores, José Isabel Flores, David Galván, Pedro Mal­do­nado, Jesus Méndez, Jus­tino Orona, Sabas Reyes, José Maria Ro­bles, To­ríbio Romo, Ja­nuário Sán­chez Del­ga­dillo, Tran­qui­lino Ubi­arco e David Uribe, pres­bí­teros; e Ma­nuel Mo­rales, Sal­vador Lara Pu­ente e David Roldán Lara, leigos. († 1927).

– Também em 25 de maio: “Em Ca­ta­tlan, no ter­ri­tório de Gua­da­la­jara, no Mé­xico, os santos Cris­tóvão Ma­gal­lanes e Agos­tinho Ca­loca, pres­bí­teros e már­tires, que, du­rante a per­se­guição me­xi­cana, con­fi­ando fir­me­mente em Cristo Rei, al­can­çaram a coroa do martírio. († 1927)”. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Crist%C3%B3v%C3%A3o_de_Magalh%C3%A3es

– Ver também “Cristóbal Magallanes Jara, também conhecido como Christopher Magallanes (30 de julho de 1869 – 25 de maio de 1927), é um padre e mártir da Igreja Católica que foi morto sem julgamento a caminho de rezar missa durante a Guerra Cristero após a forjada acusado de incitar a rebelião. Cristóbal Magallanes Jara – https://pt.xcv.wiki/wiki/Crist%C3%B3bal_Magallanes_Jara ”: https://pt.qwe.wiki/wiki/Crist%C3%B3bal_Magallanes_Jara

– Ver ainda RITO DE CANONIZAÇÃO DE 27 BEATOS MEXICANOS “…a Igreja alegra-se por proclamar Santos estes filhos do México: Cristóvão Magallanes e os seus 24 Companheiros mártires, sacerdotes e leigos; José Maria de Yermo y Parres, sacerdote fundador das Religiosas Servas do Sagrado Coração de Jesus; e Maria de Jesus Sacramentado Venegas, fundadora das Filhas do Sagrado Coração de Jesus... “Ficai unidos a mim e Eu ficarei unido a vós… Quem fica unido a mim, e Eu a ele, dará muito fruto, porque sem mim nada podeis” (Jo 15, 4-5)…21 de maio de 2000 ”: http://www.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/homilies/2000/documents/hf_jp-ii_hom_20000521_canonizations.html

17*.   No campo pri­si­onal de Javas, po­vo­ação da Mol­dávia, o Beato Ni­colau Cehelskyj, pres­bí­tero e mártir, que, sob um re­gime per­se­guidor da re­li­gião, venceu com a for­ta­leza da fé os tor­mentos do martírio. († 1951)

18. São Mauxo e São Venerando, mártires. Ver “… Decapitados por ladrões, que os aprisionaram em Acquigny e assassinaram numa ilha formada pela confluência do Eure e do Iton, deles dizem os bolandistas: “Isto, verdadeiramente, é o suficiente para que sejam chamados mártires, porque, mortos de morte violenta e ilustrada por milagres, merecem ser honrados como santos. Porque, a todos os que assim são mortos, a piedosa simplicidade dos antigos concede o título de mártires, do mesmo modo que se chamam confessores aqueles que, tendo morrido naturalmente, foram honrados como santos”…

(Sobre os bolandistas: “Os bolandistas (em latimBollandistæ) são um grupo de jesuítas cujo nome é uma homenagem ao seu fundador, o padre belga Jean Bolland (por vezes aportuguesado para João Bolando) (15961665). Os bolandistas sofreram perseguições, principalmente quando da supressão dos jesuítas, mas sobreviveram. Por suas mãos passaram todos os martirológios.

Esta sociedade de padres foram constituído com a finalidade científica de recolher e submeter a exame crítico toda a literatura hagiográfica existente, completando o que haviam omitido os antigos compiladores, valorizando as fontes relativas aos santos a que se referem os martirológios, distinguindo os dados historicamente verdadeiros dos falsos e lendários, reconstruindo assim a história e a espiritualidade dos que a Igreja reconhece como santos e beatos… Conforme: https://pt.wikipedia.org/wiki/Bolandistas”)…” às páginas 201-202: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

19. Outros santos do dia 25 de maio: págs. 174-210 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 25 de maio, ver ainda: 25 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 421-424: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. Saint of the Day May 25 (lngplants.com)

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 24 de maio

24 DE MAIO: DIA DE ORAÇÃO PELA CHINA

Conforme o DIRETÓRIO DA LITURGIA da CNBB para 2021, dia 24 de maio, por determinação do Papa Bento XVI, DIA DE ORAÇÃO PELA CHINA

– Ver também “…19. Caríssimos Pastores e todos os fiéis, o dia 24 de Maio, dedicado à memória litúrgica da Bem-aventurada Virgem Maria, Auxílio dos Cristãos — que é venerada com tanta devoção no santuário mariano de Shesham em Shanghai —, poderia tornar-se no futuro ocasião para os católicos de todo o mundo se unirem em oração com a Igreja que está na China

Desejo que tal data seja para vós uma jornada de oração pela Igreja na China. Exorto-vos a celebrá-la renovando a vossa comunhão de fé em Jesus Nosso Senhor e de fidelidade ao Papa, rezando a fim de que a unidade entre vós seja cada vez mais profunda e visível. Lembro-vos também o mandamento que Jesus nos deu de amar os nossos inimigos e rezar por aqueles que nos perseguem, bem como o convite do Apóstolo São Paulo: « Recomendo-vos antes de tudo que se façam súplicas, orações, petições e acções de graças por todos os homens: pelos soberanos e por todas as autoridades para que tenhamos vida tranquila e sossegada, com toda a piedade e honestidade. Isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Senhor, que deseja que todos os homens se salvem e conheçam a verdade » (1 Tm 2,1-4) …”: http://www.vatican.va/content/benedict-xvi/pt/letters/2007/documents/hf_ben-xvi_let_20070527_china.html

– Ver ainda “Nota explicativa CARTA DE BENTO XVI AOS CATÓLICOS DA CHINA
(27 de Maio de 2007) … Do texto destacam-se dois pensamentos fundamentais: por um lado, um profundo afecto a toda a comunidade católica na China e, por outro, uma apaixonada fidelidade aos grandes valores da tradição católica no campo eclesiológico; por conseguinte, uma paixão pela caridade e também pela verdade. O Papa recorda as grandes linhas eclesiológicas do Concílio Vaticano II e da tradição católica mas, ao mesmo tempo, toma em consideração aspectos particulares da vida da Igreja na China, situando-os numa ampla visão teológica …”: http://www.vatican.va/content/benedict-xvi/pt/letters/2007/documents/hf_ben-xvi_let_20070527_china-note.html

==========

24 DE MAIO DE 2021 – SEGUNDA-FEIRA DEPOIS DE PENTECOSTES

 Papa institui a Memória de Maria “Mãe da Igreja” no calendário litúrgico

Coroação da Virgem MariaMemória de Maria, Mãe da Igreja, será celebra todos os anos na Segunda-feira depois de Pentecostes

Cidade do Vaticano –Com um Decreto publicado este sábado, 03 de março, pela Congregação do Culto Divino e da Disciplina dos Sacramentos, o Papa Francisco deter minou a inscrição da Memória da “Bem-aventurada Virgem, Mãe da Igreja” no Calendário Romano Geral. Esta memória será celebrada todos os anos na Segunda-feira depois de Pentecostes.

O motivo da celebração está brevemente descrito no Decreto “Ecclesia Mater”: favorecer o crescimento do sentido materno da Igreja nos Pastores, nos religiosos e nos fiéis, como, também, da genuína piedade mariana: https://www.vaticannews.va/pt/vaticano/news/2018-03/memoria-de-maria-mae-da-igreja-papa-francisco.html

Decreto ECLESIA MATER. Ver “…Com o Decreto “Ecclesia Mater“, publicado em 03 de março (2018), Papa determina a inscrição da Memória da “Bem-aventurada Virgem, Mãe da Igreja” no Calendário Romano Geral. DECRETO Sobre a celebração da bem-aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja no Calendário Romano Geral…

… O Sumo Pontífice Francisco, considerando atentamente quanto a promoção desta devoção possa favorecer o crescimento do sentido materno da Igreja nos Pastores, nos religiosos e nos fiéis, como, também, da genuína piedade mariana, estabeleceu que esta memória da bem-aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja, seja inscrita no Calendário Romano na Segunda-feira depois do Pentecostes, e que seja celebrada todos os anos.

Esta celebração ajudará a lembrar que a vida cristã, para crescer, deve ser ancorada no mistério da Cruz, na oblação de Cristo no convite eucarístico e na Virgem oferente, Mãe do Redentor e dos redimidos.

Esta memória deverá, pois aparecer, em todos os Calendário e Livros Litúrgicos para a celebração da Missa e da Liturgia das Horas. Os respectivos textos litúrgicos são apresentados em anexo a este decreto, e a sua tradução, aprovada pelas Conferências Episcopais, serão publicados depois da confirmação por parte deste Dicastério.

Onde a celebração da bem-aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja, por norma do direito particular aprovado, já se celebra num dia diferente com grau litúrgico mais elevado, pode continuar a ser celebrada desse modo…”: https://www.vaticannews.va/pt/vaticano/news/2018-03/decreto-maria-mae-da-igreja-calendario-romano.html

– Ver ainda “… «A Igreja é “mulher” — relançou o Papa — e quando pensamos no papel da mulher na Igreja devemos remontar a esta fonte: Maria, mãe». E «a Igreja é “mulher” porque é mãe, pois é capaz de “dar à luz filhos”: a sua alma é feminina porque é mãe, é capaz de gerar atitudes de fecundidade»… «Maria, mãe; a Igreja, mãe; a nossa alma, mãe» repetiu Francisco, convidando a pensar «nesta grande riqueza da Igreja e nossa; e deixemos que o Espírito Santo nos fecunde, a nós e à Igreja, a fim de que nos tornemos também mães dos outros, com atitudes de ternura, de mansidão, de humildade. Certos de que este é o caminho de Maria». E, na conclusão, o Papa observou também como é «curiosa a linguagem de Maria nos Evangelhos: quando fala ao Filho, é para lhe indicar as coisas das quais os outros precisam; e quando fala aos outros, é para lhes dizer: “fazei tudo o que Ele vos disser”».”: https://www.vatican.va/content/francesco/pt/cotidie/2018/documents/papa-francesco-cotidie_20180521_igreja-mulher-mae.html

==========

* 24 DE MAIO: NOSSA SENHORA AUXÍLIO DOS CRISTÃOS OU NOSSA SENHORA AUXILIADORA (também na Folhinha do Coração de Jesus).

  Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Festa de Nossa Senhora, Auxílio dos Cristãos, titular de algumas dioceses brasileiras.

– Ver “Nossa Senhora Auxiliadora, cuja devoção remonta à vitória da armada cristã na Batalha de Lepanto, em 1571, comandada por Dom João da Áustria que, invocando o auxílio da Virgem, afastou o perigo maometano da Europa. Em agradecimento, o Papa Pio V, incluiu na Ladainha de Nossa Senhora o epíteto de Auxiliadora dos Cristãos

… A festa de Nossa Senhora Auxiliadora foi promulgada por Pio VII, no ano de 1816, tão logo foi libertado do cativeiro a ele imposto por Napoleão Bonaparte. O nome é bastante popular entre os católicos, sendo bastante usual como antroponímico. Em Porto Alegre o bairro Auxiliadora é nomeado em sua homenagem e em Campinas o Liceu Salesiano tem seu nome. O dia de Nossa Senhora Auxiliadora é comemorado em 24 de maio.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_Auxiliadora

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_Auxiliadora

– Ver “… a festa de Nossa Senhora Auxiliadora só foi instituída em 1816, pelo Papa Pio VII, a fim de perpetuar mais um fato que atesta a intercessão da Santa Mãe de Deus: Napoleão I, empenhado em dominar os estados pontifícios, foi excomungado pelo Sumo Pontífice. Em resposta, o imperador francês seqüestrou o Vigário de Cristo, levando-o para a França. Movido por ardente fé na vitória, o Papa recorreu à intercessão de Maria Santíssima, prometendo coroar solenemente a imagem de Nossa Senhora de Savona logo que fosse liberto…

… O Santo Padre ficou cativo por cinco anos, sofrendo toda espécie de humilhações. Uma vez fracassado, Napoleão cedeu à opinião pública e libertou o Papa, que voltou a Savona para cumprir sua promessa. No dia 24 de maio de 1814, Pio VII entrou solenemente em Roma, recuperando seu poder pastoral. Os bens eclesiásticos foram restituídos. Napoleão viu-se obrigado a assinar a abdicação no mesmo palácio onde aprisionara o velho pontífice.

Para marcar seu agradecimento à Santa Mãe de Deus, o Papa Pio VII criou a festa de Nossa Senhora Auxiliadora, fixando-a no dia de sua entrada triunfal em Roma.

O grande apóstolo da juventude, Dom Bosco, adotou esta invocação para sua Congregação Salesiana porque ele viveu numa época de luta entre o poder civil e o eclesiástico.

A fundação de sua família religiosa, que difunde pelo mundo o amor a Nossa Senhora Auxiliadora, deu-se sob o ministério do Conde Cavour, no auge dos ódios políticos e religiosos que culminaram na queda de Roma e destruição do poder temporal da Igreja. Nossa Senhora foi colocada à frente da obra educacional de Dom Bosco para defendê-la em todas as dificuldades.

No ano de 1862, as aparições de Maria Auxiliadora na cidade de Spoleto marcam um despertar mariano na piedade popular italiana. Nesse mesmo ano, São João Bosco iniciou a construção, em Turim, de um santuário, que foi dedicado a Nossa Senhora, Auxílio dos Cristãos.

A partir dessa data, Dom Bosco, que desde pequeno aprendeu com sua mãe Margarida, a confiar inteiramente em Nossa Senhora, ao falar da Mãe de Deus, lhe unirá sempre o título Auxiliadora dos Cristãos. Para perpetuar o seu amor e a sua gratidão para com Nossa Senhora e para que ficasse conhecido por todos e para sempre que foi “Ela (Maria) quem tudo fez”, quis Dom Bosco que as Filhas de Maria Auxiliadora, congregação por ele fundada juntamente com Santa Maria Domingas Mazzarello, fossem um monumento vivo dessa sua gratidão.

Dom Bosco ensinou aos membros da família Salesiana a amarem Nossa Senhora, invocando-a com o título de AUXILIADORA. Pode-se afirmar que a invocação de Maria como título de Auxiliadora teve um impulso enorme com Dom Bosco. Ficou tão conhecido o amor do Santo pela Virgem Auxiliadora a ponto de Ela ser conhecida também como a “Virgem de Dom Bosco”.

Escreveu Dom Bosco: “A festa de Maria Auxiliadora deve ser o prelúdio da festa eterna que deveremos celebrar todos juntos um dia no Paraíso”.

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA AUXILIADORA, PROTETORA DO LAR

Santíssima Virgem Maria a quem Deus constituiu Auxiliadora dos Cristãos,
nós vos escolhemos como Senhora e Protetora desta casa.
Dignai-vos mostrar aqui Vosso auxílio poderoso.
Preservai esta casa de todo perigo: do incêndio, da inundação, do raio, das tempestades,
dos ladrões, dos malfeitores, da guerra e de todas as outras calamidades que conheceis.
Abençoai, protegei, defendei, guardai como coisa vossa as pessoas que vivem nesta casa.
Sobretudo concedei-lhes a graça mais importante,
a de viverem sempre na amizade de Deus, evitando o pecado.
Dai-lhes a fé que tivestes na Palavra de Deus, e o amor que nutristes para com Vosso Filho Jesus
e para com todos aqueles pelos quais Ele morreu na cruz.
Maria, Auxílio dos Cristãos, rogai por todos que moram nesta casa que Vos foi consagrada.
Amém.”: https://noticias.cancaonova.com/brasil/conheca-a-historia-de-devocao-a-nossa-senhora-auxiliadora/

– Ver também: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-maria-auxiliadora/16/102/

– Ver: https://www.youtube.com/watch?v=RnZDNP9Jcf4

Ver “Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora da Vitória e Nossa Senhora Auxílio dos cristãos”: https://www.youtube.com/watch?v=EmQjcSTwsgQ

– Ver: https://www.youtube.com/watch?v=RZ_AuXbXP08

==========

* 24 DE MAIO: NOSSA SENHORA DA ESTRADA (também na Folhinha do Coração de Jesus).- Ver “24 de maio é comemorado a Nossa Senhora da Estrada, padroeira da Companhia de Jesus e para quem Santo Inácio de Loyola e os outros fundadores da Companhia orou em Roma. Seu dia comemorativo ajuda lembrar a todos os jesuítas que são peregrinos que, como Santo Inácio, pedir-lhe que “mostra o caminho para o Deus.”

… A imagem de Nossa Senhora da Estrada foi canonicamente coroada em 1638 e ocupa um lugar importante, com notável veneração dos fiéis. A Santa Sé concedeu a Companhia de Jesus em 1978 e sua própria massa ofício litúrgico para o dia 24 de maio “.”: http://www.flacsi.net/informaciones/companhia-de-jesus-quem-era-nossa-senhora-da-estrada-para-o-santo-inacio/

– Ver também “A invocação a Nossa Senhora da Estrada começou no século XIII, na Itália. Um desconhecido colocou um quadro com Maria e o menino Jesus, numa velha capelinha à beira da estrada que ligava Roma ao interior. O povo logo a chamou de Nossa Senhora da Estrada

Muitas igrejas foram colocadas sob a invocação de Nossa Senhora da Estrada, mas a mais antiga é aquela capelinha que ainda hoje se encontra na Igreja del Gesù, Roma, e que foi confiada aos jesuítas, 1541, pelo Papa Paulo III. Ao lado desta capela, se instalou a primeira residência dos jesuítas. Aqui, santo Inácio de Loyola morou e veio falecer.

O culto a Nossa Senhora da Estrada chegou ao Brasil com os jesuítas.

Pelas estradas da vida, nunca sozinho estás, contigo pelo caminho, Santa Maria vai…

Nossa Senhora da Estrada cuidai com carinho de todos os viajantes…”: http://www.terraboa.blog.br/2017/05/24mai-nossa-senhora-da-estrada.html

– Ver: https://www.youtube.com/watch?v=jCK4dyjE3Rw

– Ver: https://www.youtube.com/watch?v=eZ-xG79iNH4

============

SANTAS E SANTOS DE 24 DE MAIO

1.   Co­me­mo­ração de São Má­naen, irmão co­laço do te­trarca He­rodes, que foi doutor e pro­feta na Igreja de An­ti­o­quia, sob a graça do Novo Testamento.

2.   Co­me­mo­ração da Beata Joana, es­posa de Cuza, pro­cu­rador de He­rodes, que, jun­ta­mente com ou­tras mu­lheres, ser­viam Jesus e os Após­tolos con­forme as suas pos­si­bi­li­dades e no dia da Res­sur­reição do Se­nhor en­con­trou a pedra do tú­mulo re­mo­vida e foi anunciá-lo aos discípulos..

– Ver “Joana (em grego: Ἰωάννα γυνὴ Χουζᾶ) foi uma mulher mencionada nos evangelhos canônicos que foi curada por Jesus e que teria depois apoiado os discípulos e Jesus em suas viagens, mencionada no Evangelho de Lucas como uma das seguidoras de Jesus. Ela era esposa de Cusa, responsável pela residência de Herodes Antipas, o tetrarca da Galileia. Seu nome significa Iavé foi gracioso”[1], uma variação de “Ana”, que significa “graça” ou “favorecimento”.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Joana,_esposa_de_Chuza

3.   Em Listra, na Li­caónia, na ac­tual Tur­quia, São Zoelo, mártir. († s. II)

4.   Em Tri­este, na Ís­tria, hoje no Friúli-Ve­nézia Giúlia, re­gião da Itália, São Sér­vulo, mártir. († data inc.)

5.   Em Nantes, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, os santos ir­mãos Do­na­ciano e Ro­ga­ciano, már­tires, dos quais, se­gundo a tra­dição, o pri­ meiro tinha re­ce­bido o Bap­tismo, en­quanto o se­gundo ainda era ca­te­cú­meno; na hora ex­trema do com­bate, Do­na­ciano beijou o irmão e orou a Deus para que ele, que não tinha po­dido tingir-se na sa­grada fonte bap­tismal, me­re­cesse ser as­per­gido na cor­rente do seu sangue. († c. 304).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Em Nantes, no séc. III, os Bem-Aventurados Donaciano e Rogaciano. Em seu calabouço, Donaciano rezava assim por seu irmão, que ainda era catecúmeno: “Senhor Jesus Cristo, que a fé pura de Rogaciano sirva-lhe de batismo, e se o prefeito, perseverando em seu projeto, nos fizer morrer amanhã, que o sangue derramado de Rogaciano seja-lhe como a unção do Santo Crisma”. (M).

Ver páginas 167-171: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

6.   Co­me­mo­ração dos santos trinta e oito mártires, que, se­gundo a tra­dição, foram de­ca­pi­tados em Fi­li­pó­polis, na Trácia, hoje Plovdiv, na ac­tual Bul­gária, no tempo de Di­o­cle­ciano e Maximiniano. († c. 304)

7.   No mos­teiro de Lé­rins, na Pro­vença, ac­tu­al­mente na França, São Vi­cente, pres­bí­tero e monge, muito ilustre pela dou­trina cristã e san­ti­dade de vida e di­li­gen­te­mente de­di­cado ao pro­gresso das almas na fé. († c. 450).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, São Vicente, monge de Lérins, que ficou célebre na história da Teologia por sua doutrina sobre a Tradição, em que afirma que “a inteligência da fé e a formulação dogmática devem progredir na Igreja com o tempo, mas exclusivamente no mesmo sentido e na mesma crença”. (M).

Ver São Vicente de Lérins e muitos outros santos do mesmo mosteiro e na mesma época, às páginas 145-165: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: “Vicente de Lérins foi um escritor eclesiástico da Gália do século V a quem lhe é atribuída santidade.

Pouco se sabe sobre sua vida, tendo chegado a nós principalmente seu trabalho.

Habitando o mosteiro de Lérins, sob o pseudônimo de Peregrinus (peregrino), escreveu seu Commonitorium (434); presume-se que tenha morrido pouco depois dessa data.

Santo Euquério de Lyon afirmou que Vicente foi notável por sua eloquência e conhecimento.

A obra de Vicente ressalta nítida influência semipelagiana de modo que sua obra se assemelha com a de João Cassiano e Fausto de Riez.

O livro Objectiones Vinventianae é conhecido apenas através da refutação de Próspero da AquitâniaObjectiones Gallorum foi escrito ou, ao menos, inspirado por Vicente.[1]

https://pt.wikipedia.org/wiki/Vicente_de_L%C3%A9rins

8.   No monte Ad­mi­rável, na Síria, São Si­meão Es­ti­lita o Jovem, pres­bí­tero e ana­co­reta, que viveu sobre uma co­luna em união com Cristo, compôs vá­rios tra­tados sobre a vida as­cé­tica e foi do­tado de grandes dons carismáticos. († 592).

– Ver “Simeão Estilita, o Moço, também conhecido como “São Simeão da Montanha Admirável” (em árabe: ‎مار سمعان العمودي الأصغر mār semʻān l-ʻamūdī l-asghar) é um santo da Igreja Ortodoxa e da Igreja Católica, famoso por seu ascetismo, por passar toda a sua vida toda sobre um pilar (estilita) e pelos milagres que lhe são atribuídos…

… Assim como seu homônimo, Simeão Estilita, o Velho, o primeiro dos estilitas, Simeão parece ter sido atraído desde muito cedo para uma vida austera. Ele se juntou a uma comunidade asceta que vivia ao redor de um outro eremita num pilar, chamado João, que funcionava como líder espiritual do grupo. Simeão, ainda um garoto, fez com que erigissem um pilar para si quando ele perdeu seu primeiro dente. Ele manteve este estilo de vida por 68 anos e, no decurso de sua vida, porém, ele se mudou diversas vezes para outro pilar. Quando da primeira destas mudanças, o Patriarca de Antioquia e bispo de Selêucia o ordenou diácono durante um curto período em que ele ficou no chão…

… Após a morte de João, Simeão se libertou e deu forças às suas práticas ascéticas ao ponto de Evágrio Escolástico afirmar que ele vivia apenas sob arbustos que cresciam na região de Teópolis.[2] Ele foi novamente ordenado, agora padre, e foi assim capaz de oferecer uma missa pela memória de sua mãe. Nestas ocasiões, seus discípulos, um após o outro, subiam por uma escada para receber dele a Eucaristia de suas mãos. Como era o caso da maioria dos outros santos estilitas, um grande número de milagres foi reputado à Simeão, o Moço. Em diversas ocasiões a cura era realizada através de imagens representando o eremita. No final de sua vida, o santo ocupava uma coluna sobre um morro próximo de Antioquia, chamada, por causa dele, de “Morro dos Milagres”, e foi ali que ele morreu.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sime%C3%A3o_Estilita,_o_Mo%C3%A7o

9*.   Em Pi­a­cenza, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o Beato Fi­lipe, da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que, para mais se­ve­ra­mente se mor­ti­ficar na carne, usava uma cou­raça de ferro. († 1306)

10*.   Em Mar­rocos, o Beato João de Prado (ou João do Prado), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que foi en­viado para a África, a fim de prestar au­xílio es­pi­ri­tual aos cris­tãos re­du­zidos à es­cra­vidão nos reinos dos in­fiéis; mas tendo sido preso, con­fessou vi­go­ro­sa­mente a sua fé em Cristo pe­rante o ti­rano Molay al-Walid, por ordem do qual so­freu o mar­tírio na fogueira. († 1631).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1631, a paixão do Bem-Aventurado João do Prado, franciscano. Tentou restaurar a missão no Marrocos, mas foi preso alguns meses depois de sua chegada a Marrakesh, onde foi condenado à fogueira. (M).

Ver página 166: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

11.   Em Seul, na Co­reia, os santos már­tires Agos­tinho Yi Kwang-hon, em cuja casa se lia a Sa­grada Es­cri­tura, Águeda Kim A-gi, mãe de fa­mília, que re­cebeu o Bap­tismo no cár­cere, e sete com­pa­nheiros, que foram todos de­go­lados pela sua fé em Cristo. São estes os seus nomes: Da­mião Nam Myong-hyog, ca­te­quista; Ma­da­lena Kim O-bi, Bár­bara Han A-gi, Ana Pak A-gi, Águeda Yi So-sa, Lúcia Pak Hui-sun, Pedro Kwon Tu-gin. († 1839)

12.   Em Saint-Hya­cinte, ci­dade do Ca­nadá, o Beato Luís Ze­fe­rino Moreau, bispo, que, nas suas múl­ti­plas ac­ti­vi­dades pas­to­rais, tinha sempre a in­tenção de sentir-se ar­den­te­mente unido com a Igreja. († 1901)

13. Santa Marta, viúva. Ver “Santa Marta era mãe de São Simeão Estilita, o Jovem (ver n° 8, acima), casada com João de Edessa. Diz-se que votara a Deus a virgindade desde menina, mas que se casou para obedecer aos pais, depois duma revelação de São João Batista, o qual lhe ordenou que ao filho que lhe nascesse chamasse Simeão. Zelosa, era amiga da paz, muitíssimo dada à oração e às obras de caridade…” à pág. 172: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf  

14. Santa Sara Kali. Ver “O seu nome, tal como o de Sara no Antigo Testamento, pode ser um nome hebraico que indica uma mulher de alta sociedade, que algumas vezes é traduzido como “princesa” e outras “senhora”. Já o epíteto Kali deve significar “negra”, da língua indiana sânscrito, por sua tez ser escura. Seu culto se liga ao das Virgens Negras

Fontes variam: se sua canonização consta de 1712, ou se é uma santa regional. Sua festa é celebrada nos dias 24 e 25 de maio, reunindo ciganos de todo o mundo… Padroeira dos ciganos.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Santa_Sara_Kali

Ver também: “… Santa Sara foi canonizada em 1712. A grande festa da Santa é celebrada em dois dias, 24 e 25 de maio. Um grande número de ciganos e devotos de Santa Sara que vão para a pequena cidade da França. Lá, realizam uma grande procissão da igreja até o mar, onde o barco à deriva chegou, com muitas orações e cantos alegres, como é próprio do povo cigano. Quando chegam ao mar fazem um grande silêncio e colocam um pouco da imagem da Santa dentro da água, simbolizando a sua vinda da Palestina para a França. Depois voltam em festa para a igreja de Santa Sara…”: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-santa-sara/107/102/

 15. Ver dia 21 de maio:

Em Feijão Miúdo, lo­ca­li­dade de Rio Grande do Sul, no Brasil, os be­atos Ma­nuel Gómez González, pres­bí­tero, Adílio Daronch, már­tires (também na Folhinha do Coração de Jesus em 24 de maio). († 1924).

ADÍLIO DARONCH, o beato gaúcho. O coroinha Adílio Daronch se tornou o primeiro beato gaúcho em uma missa realizada na tarde de 21 de outubro de 2007. Diante de milhares de fiéis, o cardeal português José Saraiva Martins oficializou sua beatificação e a do padre espanhol Manuel Gomez Gonzales em Frederico Westphalen, no norte do Estado. O martírio dos dois teria sido provocado por um grupo de chimangos (governistas do Partido Republicano Rio-grandense). Manuel e Adílio viajavam para Três Passos, onde colonos alemães viviam há dois anos sem poder celebrar casamentos, batizados ou missas, pois não havia padre na cidade. Os dois foram alertados sobre as ameaças. A ira dos chimangos – positivistas, maçons e anticlericais – convergiu contra o sacerdote, que tentara apaziguar os conflitos com os maragatos, em 1923. Padre Manuel havia advertido os inimigos políticos para que evitassem carnificinas. Além disso, sepultou maragatos mortos num confronto ocorrido em Nonoai, contrariando a determinação dos chimangos. Três quilômetros antes de Três Passos, o padre e o coroinha pararam em um bolicho para pedir informações. Acabaram sendo acompanhados no resto do trajeto justamente pelos executores. Quando entraram na mata, Manuel e Adílio foram imobilizados, amarrados em troncos de árvores, torturados e fuzilados.

Quem foram os beatos:

ADÍLIO DARONCH – Nasceu em outubro de 1908, em Dona Francisca, região central do Estado. Morou em Passo Fundo e se transferiu para Nonoai com a família. Ajudava o padre Manuel Gonzalez nas atividades religiosas da paróquia. Morreu aos 15 anos quando viajava com o religioso.

MANUEL GOMEZ GONZALES – Nasceu em São José de Ribarteme, na Espanha, em 1877, e foi ordenado padre em 1902. Chegou ao Brasil em outubro de 1913. Na diocese de Santa Maria, foi nomeado pároco de Soledade e transferido para Nonoai. Foi morto em 1924, aos 46 anos na localidade de Feijão Miúdo (Rio Grande do Sul)- atual município de Três Passos – durante um trabalho de evangelização. Ver também: https://gauchazh.clicrbs.com.br/geral/noticia/2011/05/beatificacao-saiba-como-funciona-o-processo-e-quem-e-o-primeiro-beato-gaucho-3293648.html

– Ver “… Dia 21 de outubro de 2007, foram beatificados, em Frederico Westphalen, os chamados mártires de Nonoai: o padre Manuel e o coroinha Adílio. A cerimônia foi presidida pelo cardeal José Saraiva Martins, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos que veio diretamente de Roma. Cerca de 40 mil fiéis estavam presentes à cerimônia.

… Em sua homilia, o cardeal Martins destacou: “santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado“…”: http://regiaoipiranga.com.br/liturgia/santo-do-dia/manuel-g-gonzales-e-adilio-daronchbem-aventurados

– Ver ainda “Adílio Da Ronch[1] (Dona Francisca25 de outubro de 1908 — Feijão Miúdo21 de maio de 1924) foi um coroinha (acólito) brasileiro. Foi proclamado venerável em 16 de dezembro de 2006 e beato em 21 de outubro de 2007 pelo Papa Bento XVI.

Junto ao padre Manuel Gómez González, pároco do Nonoai, visitava as capelas da região. Numa das visitas rotineiras, Adílio e padre Manuel foram assassinados em 21 de maio de 1924, na localidade de Feijão Miúdo, no atual município de Três Passos.”: Adílio Da Ronch – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “Junto a Adílio Da Ronch,[3] visitava as capelas da região. Numa das visitas rotineiras, ambos, o padre e seu ajudante coroinha foram assassinados em 21 de maio de 1924, na localidade de Feijão Miúdo, no atual município de Três Passos.[4]

Os dois são venerados pelos fiéis católicos da região e em 2007 foram beatificados por mandato do Papa Bento XVI em uma cerimônia presidida pelo Cardeal José Saraiva Martins.[5]”: Manuel Gómez González – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 16. Outros santos do dia 24 de maio: págs. 145-173 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 24 de maio, ver ainda: 24 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 419-421: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. Saint of the Day May 24 (lngplants.com)

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 23 de maio

PENTECOSTES: 23 DE MAIO DE 2021

Pentecostes (“quinquagésimo” em grego) é uma das celebrações mais importantes do calendário cristão e comemora a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos de Jesus Cristo, sua mãe Maria e outros seguidores. O Pentecostes é celebrado 50 dias depois do domingo de Páscoa, e ocorre no décimo dia depois da celebração da Ascensão de Jesus. Isto porque ele ficou quarenta dias, após Sua ressurreição, dando os últimos ensinamentos a seus discípulos.E para os cinquenta dias que se completam da Páscoa até o último dia da grande festa de Pentecostes, sobram dez dias [1]. Foram estes os dias em que os discípulos permaneceram no cenáculo até a descida do Espírito Santo no dia de Pentecostes.

Pentecostes é historicamente e simbolicamente ligado ao festival judaico da colheita (Shavuot), que comemora a entrega dos Dez Mandamentos no Monte Sinai cinquenta dias depois do Êxodo. Para os cristãos, o Pentecostes celebra a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos e seguidores de Cristo, através do dom de línguas, como descrito no Novo Testamento, durante aquela celebração judaica do quinquagésimo dia em JerusalémPor esta razão o dia de Pentecostes é, às vezes, considerado o dia do nascimento da igreja cristã. O movimento pentecostal tem seu nome derivado desse evento.

A ocasião (o Domingo de Pentecostes) é o último dia da Festa do Divino Espírito Santo, muito difundida no catolicismo popular brasileiro e de outros países.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pentecostes

==========

Aparição de Nossa Senhora de Laus em Dauphiné, sul da França… 209.pdf

Nossa Senhora de Laus, Refúgio dos pecadores, olhai com bondade e compaixão para nossas fraquezas físicas e morais! Tende misericórdia de vossas crianças e condescendência para converter todos nós inteiramente ao amor de vosso Divino Filho Jesus!”

… “Eu pedi Laus para meu Filho para a conversão dos pecadores, e Ele ma concedeu a Mim” …

Irmã Benoite Rencurel foi declarada Venerável em 1871 e beatificada em 1984. A Igreja no Laus foi elevada à categoria de Basílica menor em 1893.: https://virgemimaculada.wordpress.com/2011/09/07/as-aparicoes-de-nossa-senhora-de-laus/

– Ver ainda “No dia 4 de maio de 2008, durante Missa celebrada em Laus, o Bispo de Gap (França), Dom Jean-Michel di Falco, acompanhado por vinte cardeais e arcebispos do mundo, anunciou a aprovação oficial da Igreja das aparições marianas testemunhadas nesta vila dos altos Alpes franceses pela vidente Benôite (Benta) Rencurel: Reconheço a origem sobrenatural das aparições e os fatos e ditos, experimentados e narrados por Benôite Rencurel. Animo a todos os fiéis a vir e orar, e procurar renovação espiritual neste santuário”, declarou Dom di Falco.”: https://www.a12.com/academia/titulos-de-nossa-senhora/nossa-senhora-de-laus

– Ver: https://www.paieterno.com.br/2019/08/30/nossa-senhora-de-lVaus-a-importancia-dos-sacramentos/

– Ver ainda: https://www.youtube.com/watch?v=pezKPTbUetk

–  Ver: http://www.sanctuaire-notredamedulaus.com/

–  Ver: https://pt.zenit.org/articles/franca-reconhecidas-oficialmente-aparicoes-de-nossa-senhora-de-laus/

– Ver “…Nossa Senhora de Laus – Localização – Saint-Étienne-le-Laus , FrançaEncontro: 1664-1718 – Testemunha: Benoîte RencurelSanta Sé aprovação: 05 de maio de 2008, durante o Pontificado de Bento XVI

Nossa Senhora de Laus ( francês : Notre-Dame du Laus ) ou Refúgio dos Pecadores denota aparições marianas ocorridas entre 1664 e 1718 em Saint-Étienne-le-Laus , França , a Benoite Rencurel , uma jovem pastora. Eles foram aprovados pela Santa Sé em 5 de maio de 2008. O Papa Pio IX concedeu uma coroação canônica à sua imagem de mármore em 23 de maio de 1855: https://pt.qwe.wiki/wiki/Our_Lady_of_Laus#Background

https://www.google.com/search?q=nossa+senhora+de+laus&oq=N&aqs=chrome.1.69i57j69i59l3j69i60j69i61l2j69i60.3159j0j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8

– Ver também páginas 134-135: VIDAS DOS SANTOS – 9.pdf (obrascatolicas.com)

SANTAS E SANTOS DE 23 DE MAIO

1.   Em Car­tago, na ac­tual Tu­nísia, os santos Lúcio, Mon­tano, Ju­lião, Vi­to­rico, Vítor e Do­na­ciano, már­tires, que, no tempo do im­pe­rador Va­le­riano, por con­fes­sarem a re­li­gião e a fé que apren­deram de São Ci­priano, con­su­maram o martírio. († c. 259)

2.   Co­me­mo­ração dos santos már­tires da Capadócia, hoje na Tur­quia, que, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Ma­xi­miano, mor­reram ao serem-lhes que­bradas as pernas. († 303)

3.   Comemoração dos santos mártires da Mesopotâmia, que, no mesmo tempo, suspensos com os pés para cima e a cabeça para baixo, foram sufocados pelo fumo e queimados a fogo lento. († 303)

4.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, re­gião da Itália, Santo Efebo, bispo, que go­vernou san­tis­si­ma­mente e serviu fi­el­mente o povo de Deus. († s. IV)

5.   Em Lan­gres, na Gália Li­o­nense, na ac­tual França, a paixão de São De­si­dério, bispo, que, se­gundo a tra­dição, ao ver como o seu povo era opri­mido pelos Vân­dalos, foi ao en­contro do rei vân­dalo para su­plicar pelo povo; mas, por ordem do rei foi ime­di­a­ta­mente de­go­lado, ofe­re­cendo-se assim vo­lun­ta­ri­a­mente pelo re­banho que lhe es­tava confiado. († c. 355).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 407, a paixão de São Desidério, bispo de Langres. Vendo os males causados a seu povo pelos vândalos, foi até o rei deles para convencê-lo a agir com mais humanidade, Mas aquele mandou que o degolassem imediatamente, e Desidério ofereceu de bom grado a  vida por seu rebanho, (M)

6.   No ter­ri­tório de Nórcia, na Úm­bria, re­gião da Itália, Santo Eu­tí­quio, abade, que, se­gundo narra o papa São Gre­gório Magno, pra­ticou vida so­li­tária jun­ta­mente com São Flo­rêncio, con­duziu muitos a Deus com a sua exor­tação e de­pois go­vernou san­ta­mente o mos­teiro próximo. († c. 487)

7.   Também em Nórcia, Santo Es­pe­rança ou Exu­pe­râncio, abade, que du­rante qua­renta anos su­portou a ce­gueira com ad­mi­rável paciência. († c. 517)

8*.   Em Su­biaco, no Lácio, também re­gião da Itália, a co­me­mo­ração de Santo Ho­no­rato, abade, que pre­sidiu ao ce­nóbio onde antes vi­vera São Bento. († s. VI f.)

9*.   Em Nice, na Pro­vença, re­gião da ac­tual França, São Siá­grio, bispo, que edi­ficou um mos­teiro junto do tú­mulo de São Pôncio. († 787)

10.   Em Sí­nada, na Frígia, hoje Ci­fit­ka­saba, na Tur­quia, São Mi­guel (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, homem pa­cí­fico, que pro­moveu a paz e a con­córdia entre os Gregos e os La­tinos; mas, exi­lado por causa do culto das sa­gradas ima­gens, morreu longe da sua pátria. († 826).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IX, São Miguel, metropolita de Sinádia, na Frigia, Um dos principais personagens da Igreja do Oriente de seu tempo, foi mandado em missão a Anchen e a Roma, onde a união entre gregos e latinos foi solenemente proclamada. (M)

– Ver também “Miguel de Sínada ou Miguel, o Confessor (m. 818/23 de maio de 826) foi um bispo de Sínada de 784. Representou o Império Bizantino em missões diplomáticas com Harune Arraxide (r. 786–809) e Carlos Magno (r. 774–814). Foi exilado pelo imperador Leão V, o Armênio (r. 813–820) por sua oposição à iconoclastia. Honrado pelas Igrejas Ortodoxa e Católica Romana, sua celebração ocorre em 23 de maio.”: Miguel de Sínada – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

11*.   Em Gem­bloux, no ter­ri­tório de Liège, na Lo­ta­ríngia, hoje na Bél­gica, o se­pul­ta­mento de São Gui­berto, monge, que, aban­do­nando a car­reira mi­litar e abra­çando a vida mo­nás­tica, cons­truiu um mos­teiro nas terras da sua he­rança, se­guindo ele a vida mo­nás­tica em Gorze, na Lotaríngia. († 962). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. X, a volta para Deus de São Guiberto, Renunciando ao serviço das armas, fundou em suas terras de Gembloux, na região de Namur, um mosteiro do qual se tornou abade, e que acabou por filiar-se à abadia de Gorze, na Lorena. (X).

Ver páginas 137-139: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

12.   Em Roma, São João Bap­tista de Róssi (também na Folhinha do Coração de Jesus; no Martirológio Romano-Monástico, São Batista de Rossi), pres­bí­tero, que aco­lheu todo o gé­nero de in­di­gentes e aban­do­nados e lhes en­sinou a sa­grada doutrina. († 1764).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1764, São Batista de Rossi. Padre originário de Gênova, exerceu o ministério em Roma, no meio dos pobres e dos prisioneiros, aos quais consagrou todos os seus recursos e a maior parte de seu tempo. (M).

Ver págs. 140-141: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf 

– Ver também “João Batista de Rossi (em italianoGiovanni Battista de Rossi; 1698–1764) é um santo católico.[”: João Batista de Rossi – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

13*.   Em Wi­towo, na Po­lónia, os be­atos José Kurzawa e Vi­cente Matuszewski, pres­bí­teros e már­tires, que, du­rante a ocu­pação da sua pá­tria por uma po­tência es­tran­geira, foram mortos pelos ini­migos da Igreja. († 1940)

14. Santo Epitácio, na Folhinha do Coração de Jesus.

– Ver “É provável que São Epitacius tenha sido o primeiro bispo de Tuy na Galícia Espanhola e Basílio o primeiro bispo de Braga, Portugal (Beneditinos).”: Saint of the Day May 23 (lngplants.com)

15. No Martirológio Romano-Monástico, perto de 606, São Desidério, bispo de Vienne, no Dauphiné, apedrejado por ordem do rei Teodorico, a quem havia reprovado os costumes desregrados (M). Ver pág. 136: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Itália Setentrional, no séc. V, São Mercurial, primeiro bispo de Forli, que fez brilhar a luz verdadeira da fé (M).

17. São Guilherme de Rochester, mártir. Ver págs. 142-143: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf  

18. São Basílio de Braga. Ver “Basílio de Braga foi um bispo católico de Braga entre 60 e 95. Constante das listas lendárias, surgidas da necessidade de afirmação da antiguidade das Igrejas locais face à invasão muçulmana, no século VIII, o nome de São Basílio aparece logo a seguir ao de São Pedro de Rates, tido como primeiro bispo de Braga, uma das mais importantes cidades do norte peninsular no tempo do Império Romano. Apesar de não haver quaisquer provas históricas da sua existência, a devoção na Arquidiocese de Braga perdura até aos nossos dias através das listagens dos bispos bracarenses, incluindo a que pode ser vista na Sé Primacial.

Por suas virtudes foi declarado santo pela igreja católica e é comemorado em 23 de Maio.”:https://pt.wikipedia.org/wiki/Bas%C3%ADlio_de_Braga

19. Santo Arão, o ilustre. Ver “Arão, o Ilustre foi um monge cristão da Mesopotâmia. Nascido no século IV em Sarug, Osroena, foi discípulo de Santo Eugênio. Fundou dois mosteiros nas proximidades Malatya, na atual Turquia. É venerado na Igreja Ortodoxa Síria, sendo celebrado na segunda-feira de Pentecostes, em 3 de fevereiro, em 22 de outubro e em 23 de maio. Arão é incluído no “Martirológio Sírio de Rabban Silba“: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ar%C3%A3o,_o_Ilustre

20. Outros santos do dia 23 de maio: págs. 131-144 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 23 de maio, ver ainda: 23 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 417-419: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. Saint of the Day May 23 (lngplants.com)

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Santas e Santos de 22 de maio

1. Santa Rita de Cássia (também na Folhinha do Coração de Jesus), re­li­giosa, que, ca­sada com um es­poso vi­o­lento, su­portou pa­ci­en­te­mente a sua cru­el­dade e o re­con­ci­liou com Deus; depois de ter per­dido o es­poso e os fi­lhos, in­gressou no mos­teiro de Santo Agos­tinho em Cássia, na Úm­bria, dando a todos, exemplo su­blime de pa­ci­ência e compunção (sentimento de pesar, arrependimento, contrição) († a. 1457).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Úmbria, Santa Rita de Cássia. Camponesa, casada com um homem dissoluto e violento, que acabou morrendo assassinado. Obteve de seus dois filhos que não praticassem nenhuma vingança. Esta graça, alcançada pela oração e por penitência, fez dela a “Santa dos impossíveis”. (M).

Ver páginas 118-120: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver “Santa Rita de Cássia, nascida Margherita Lotti (Roccaporena1381 — Cássia22 de maio de 1457), foi uma freira agostiniana da diocese de EspoletoItália. Foi beatificada em 1627 e canonizada em 1900 pela Igreja Católica.

Foi uma pessoa de muita fé e que salvou da peste o cunhado apenas pela oração. Seu marido foi assassinado e seus filhos desejaram vingar-se de sua morte, mas Rita disse que preferiria ver morrer seus filhos a ver “o derramar de mais sangue”.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Rita_de_C%C3%A1ssia

– Ver também “A vida de Santa Rita mostra sua paciência, persistência e, acima de tudo, seu amor por Deus…”: https://www.saintritashrine.org/life-of-saint-rita/

2.   Na África Se­ten­tri­onal, os santos Casto (ou Vasto também na Folhinha do Coração de Jesus) e Emílio, már­tires, que con­su­maram a sua paixão quei­mados pelo fogo. Como es­creve São Ci­priano, a estes santos, ven­cidos no pri­meiro em­bate dos ini­migos da fé, o Se­nhor tornou-os ven­ce­dores no se­gundo com­bate, de modo que, se antes ce­deram pe­rante o fogo, fi­nal­mente foram mais fortes que o fogo. († 203).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na África, no séc. III, os Santos Vasto e Emílio, martirizados pelo fogo. São Cipriano relata que, vencidos em seu primeiro combate, o Senhor os fez triunfar em seguida, transformando sua fraqueza humana pelo poder da graça. (M)

3.   Em Co­mana, no Ponto, hoje Gu­menek, na Tur­quia, São Ba­si­lisco, bispo e mártir. († s. IV)

4.   Na ilha da Cór­sega, re­gião da França, a co­me­mo­ração de Santa Júlia, virgem e mártir. († data inc).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Santa Júlia, jovem cristã africana. Aprisionada pelos muçulmanos durante uma invasão, foi crucificada na Córsega, da qual se tornou a padroeira celeste (M).

– Ver “Júlia vem do latim “Julia”, que significa da linhagem do romano Julius…

Ela aceitou o sofrimento como contribuição para que o cristianismo crescesse e desse frutos. O seu corpo foi encontrado, no dia 22 de maio de 450, ainda pregado na cruz, boiando no mar, pelos monges do convento da ilha vizinha de Gorgona.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/J%C3%BAlia,_m%C3%A1rtir_de_Cartago

5*.   Em Aire-sur-l’Adour, na Aqui­tânia, hoje na França, Santa Qui­teria, virgem. († data inc).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, filha de um príncipe da Galícia espanhola, Santa Quitéria, (também na Folhinha do Coração de Jesus) recebeu o martírio em Aire-Sur-Adour. Seu culto permaneceu popular na Espanha e no sul da França, onde várias igrejas lhe são dedicadas (M).

– Ver págs. 121-122: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também “Santa Quitéria (Braga, c. 120 — Aire-sur-l’Adour22 de Maio de 135) é uma santa virgem e mártir do século II, que viveu na Lusitânia e foi martirizada na Aquitânia, na povoação de Aire-sur-l’Adour.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Quit%C3%A9ria_de_Br%C3%A1cara_Augusta

6.   Em An­gou­lême, também na Aqui­tânia, Santo Au­sónio, con­si­de­rado o pri­meiro bispo desta cidade. († s. IV/V)

7*.   Em Li­moges, na mesma re­gião da Aqui­tânia, São Lopo (ou Lobo), bispo, que aprovou a fun­dação do mos­teiro de Solignac. († 637)

– Ver páginas 125-126: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

8*.   Em Parma, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, São João, abade, que, se­guindo os con­se­lhos de São Maiolo de Cluny, con­tri­buiu com muitas ori­en­ta­ções para pro­mover a ob­ser­vância re­li­giosa no seu mosteiro. († s. X)

9.   Em Pis­tóia, na Etrúria, hoje na Tos­cana, também re­gião da Itália, Santo Atão, bispo, que, de­pois de ter sido abade da Ordem de Va­lum­brosa, foi eleito para a sede epis­copal de Pistóia. († c. 1153).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, No ano de 1155, Santo Aton (ou Atão), abade beneditino de Valumbrosa. Redigiu a biografia de São João Gualberto, e mais tarde foi nomeado bispo de Pistóia, na Toscana. (M)

– Ver “Atão de Pistoia, também conhecido como Santo Atão,[1] (Bejac. 1070 — Pistoia22 de maio de 1153[nota 1]) foi um historiógrafoabade e bispo português da Ordem de Valumbrosa, que viveu durante os séculos XI e XII.[2]”: Atão de Pistoia – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

10*. Em Flo­rença, também na Etrúria, hoje na Tos­cana, a Beata Hu­mil­dade (Ro­sana), que, com a anuência do es­poso, viveu re­clusa du­rante doze anos, e de­pois, a pe­dido do bispo, edi­ficou um mos­teiro, do qual foi aba­dessa e que as­so­ciou à Ordem de Valumbrosa. († 1310).

Ver págs. 127-128: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver “Rosanese Negusanti mais conhecida como Santa Humildade foi um dos fundadores dos conventos Vallumbrosan e é considerada a fundadora das Irmãs Vallumbrosan.”: Santa Humildade – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

11*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato João Forest, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que, no rei­nado de Hen­rique VIII, por de­fender a uni­dade ca­tó­lica, so­freu o mar­tírio na praça de Smith­field, onde foi quei­mado vivo jun­ta­mente com as ima­gens sa­gradas de madeira. († 1538)

12*.   Em Kori, ci­dade do Japão, os be­atos Pedro da Assunção, da Ordem dos Frades Me­nores, e João Bap­tista Machado, da Com­pa­nhia de Jesus, pres­bí­teros e már­tires, que, por exer­cerem o mi­nis­tério clan­des­ti­na­mente, foram de­ca­pi­tados em ódio à fé cristã. († 1617)

Beato João Batista Machado. Ver, na Wikipedia de 22 de maio, “João Baptista Machado SJ (Angra1582 — OmuraJapão22 de maio de 1617) é um beato da Igreja Católica Romana, padroeiro principal da Diocese de Angra.[1] Ordenado sacerdote em Goa, foi um dos missionário da Companhia de Jesus enviados para o Japão, onde foi detido e executado durante a perseguição ao cristianismo desencadeada na década de 1610 naquele país.[2][3] Foi beatificado pelo papa Pio IX em 1867, decorrendo atualmente o seu processo de canonização. Apesar do culto popular que existiu em torno da figura da venerável Margarida de Chaves, conhecida nos Açores como “santa” Margarida de Chaves, João Baptista Machado é até agora o único açoriano que mereceu as honras dos altares, embora apenas como beato.”: João Baptista Machado – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

Ver tambémJoão Baptista Machado, sacerdote, de Angra do Heroísmo, degolado em Omura, a 22 de Maio de 1617 (festa a 22 de Maio: Solenidade na Diocese de Angra e MF na Companhia de Jesus) …

A designação Carlos Spínola e Companheiros Mártires do Japão engloba João Baptista Machado e outros 204 mártires vítimas da mesma perseguição, num grupo que ficou conhecido como os beatos mártires do Japão. O grupo é constituído por 205 católicos romanos executados no Japão entre 1617 e 1632, durante a repressão anticristã desencadeada pelos shoguns Tokugawa Hidetada e Tokugawa Iemitsu em Nagasaki e Tóquio. Ao todo, são 166 cristãos leigos, quase todos japoneses, e 39 sacerdotes, dos quais 13 são jesuítas, 12 são dominicanos, 8 franciscanos, 5 agostinhos e 1 sacerdote diocesano japonês. Incluídos no Martirológio Romano, o grupo Beato Carlos Spínola e Companheiros Mártires no Japão tem comemoração a 8 de Junho…

…  sua festa anual realiza-se na diocese açoriana com a categoria litúrgica de solenidade, a 22 de Maio.[14]”: João Baptista Machado – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver ainda “Sob a designação de “Beatos Mártires do Japão” estão englobados 205 mártires, que deram a vida pela fé, entre 1617 e 1632, na terrível perseguição movida por Hidetada e Iemitsu, em Nagasáki e Tóquio, que durou 15 anos. Foram beatificados por Pio IX, a 7 de Julho de 1867. Ao todo, são 166 cristãos leigos (quase todos japoneses) e 39 sacerdotes. De entre os sacerdotes, treze são jesuítas, doze são dominicanos, oito franciscanos, cinco agostinhos e um sacerdote diocesano japonês…

… João Baptista Machado, sacerdote, de Angra do Heroísmo, degolado em Omura, a 22 de Maio de 1617 (festa a 22 de Maio: Solenidade na Diocese de Angra e MF na Companhia de Jesus) …”: https://pontosj.pt/martiresdojapao/

– Ver ainda “No dia 21 de maio, festa da SS. Trindade, enquanto celebrava, Pedro teve a revelação de que era aquela a sua última missa na terra. Os dois futuros mártires, Pedro e João Batista, cantaram então o Te Deum em agradecimento ao Senhor por tão grande privilégio, confessaram-se um ao outro entre lágrimas, e passaram a noite em oração. Ao entardecer receberam ordens de se porém a caminho para o lugar do suplício. O P. Pedro sustentava na mão um crucifixo, aos pés do qual tinha colocado a regra de São Francisco. Durante o percurso, cantaram a ladainha de Nossa Senhora, que só interrompiam para exortarem à perseverança os cristãos que encontravam.

Ao chegarem ao lugar da execução capital, Pedro pediu para dirigir uma palavra às pessoas que vieram assistir à sua morte. De seguida, os dois mártires abraçaram-se e puseram-se de joelhos, com as mãos juntas e os olhos no céu, até que o verdugo lhes cortou as cabeças, no dia 22 de maio de 1617.”: http://franciscanosparacadadia.blogspot.com/2012/08/24-de-agosto-beato-pedro-da-assuncao.html

13*.   Em Omura, também no Japão, o Beato Ma­tias de Arima, mártir, que era ca­te­quista e, por não querer de­nun­ciar um mis­si­o­nário, foi tor­tu­rado até à morte. († 1620)

14*.   No Aname, no ac­tual Vi­etnam, São Mi­guel Ho Dinh Hy, mártir, um man­darim, membro da casa im­pe­rial e ca­te­quista, que, de­nun­ciado por ser cristão, foi atroz­mente tor­tu­rado e fi­nal­mente decapitado.(† 1857)

15.   Em An-Xá, ci­dade do Ton­quim, também no ac­tual Vi­etnam, São Do­mingos Ngon, mártir, pai de fa­mília e agri­cultor, que se ajo­e­lhou e adorou a cruz que os sol­dados lhe ti­nham or­de­nado calcar e, tendo pro­fes­sado in­tre­pi­da­mente di­ante do juiz a sua fé cristã, ime­di­a­ta­mente foi degolado. († 1862)

16*.   Em Lucca, na Tos­cana, re­gião da Itália, a Beata Maria Do­mingas Brun Barbantíni, re­li­giosa, que fundou a Con­gre­gação das Irmãs Mi­nis­tras dos En­fermos de São Camilo. († 1868)

17. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 127, São Marciano, bispo de Ravena, que apesar da perseguição, por seu zelo conseguiu aumentar o número de cristãos. (M)

18. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Romão, abade, que deu vida a uma comunidade monástica na região de Auxerre. (M).

Ver págs. 123-124: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

19. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. XII, São Folco (ou Fulco), que, de volta da Cruzada, levou vida solitária perto de Aquino, no Lácio. (M)

– Ver página 129: VIDAS DOS SANTOS – 9.pdf (obrascatolicas.com)

20. Outros santos do dia 22 de maio: págs. 118-130 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 22 de maio, ver ainda: 22 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 414-416: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. Saint of the Day (lngplants.com)

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”,
mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

-Ver o blog:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!