Santas e Santos de 25 de dezembro (atualizado em 28.01.2022)

Pas­sados inu­me­rá­veis sé­culos desde a cri­ação do mundo, quando no prin­cípio Deus criou o céu e a terra e formou o homem à sua imagem; de­pois de muitos sé­culos, desde que o Al­tís­simo pôs o seu arco nas nu­vens como sinal de ali­ança e de paz; vinte e um sé­culos de­pois da emi­gração de Abraão, nosso pai na fé, de Ur dos Cal­deus; treze sé­culos de­pois de Is­rael ter saído do Egipto, guiado por Moisés; cerca de mil anos de­pois que David foi un­gido rei; na se­mana se­xa­gé­sima quinta, se­gundo a pro­fecia de Da­niel; na Olim­píada cento e no­venta e quatro; no ano se­te­centos e cin­quenta e dois da fun­dação de Roma; no ano qua­renta e dois do im­pério de César Oc­távio Au­gusto; es­tando todo o orbe em paz, Jesus Cristo, Deus eterno e Filho do eterno Pai, que­rendo con­sa­grar o mundo com a sua pi­e­do­sís­sima vinda, con­ce­bido pelo Es­pí­rito Santo, nove meses de­pois da sua con­ceição, nasceu em Belém de Judá, da Virgem Maria, feito homem: NAS­CI­MENTO DE NOSSO SE­NHOR JESUS CRISTO SE­GUNDO A CARNE. ( Conforme Par­ti­tura com a Ca­lenda de Natal )»  

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, dezenove séculos depois de Abraão, dez séculos depois de Davi, nasceu em Belém da Judéia, segundo as Escrituras, Nosso Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, concebido, segundo a carne, pela ação do Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, para trazer a paz na terra aos homens de boa vontade e para render glória a Deus no céu. (R). Ver páginas 9-23: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2022.pdf

– Ver apêndice, págs. 39-65: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2022.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/25_de_dezembro_na_Igreja_Ortodoxa

https://pt.wikipedia.org/wiki/Natal

– Ver “Natal ou Dia de Natal é um feriado e festival religioso cristão[3] comemorado anualmente em 25 de dezembro (nos países eslavos e ortodoxos, cujos calendários eram baseados no calendário juliano, o Natal é comemorado no dia 7 de janeiro). A data é o centro das festas de fim de ano e da temporada de férias, sendo, no cristianismo, o marco inicial do Ciclo do Natal, que dura doze dias.[4]

Originalmente destinada a celebrar o nascimento anual do Deus Sol no solstício de inverno (natalis invicti Solis),[5] a festividade foi ressignificada pela Igreja Católica no século III para estimular a conversão dos povos pagãos sob o domínio do Império Romano[6][7][8] e então passou a comemorar o nascimento de Jesus de Nazaré.[9][10]”: Natal – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

2.   Em Roma, a co­me­mo­ração de Santa Anas­tásia, (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir de Sír­mium, na Pa­nónia, hoje Sremska Mi­tro­vica, na ac­tual Sérvia. († s. III/IV). A Igreja Ortodoxa celebra Santa Anastácia em 22 de dezembro.

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 303, Santa Anastásia, mártir de Sirmium, na atual Sérvia (antiga Iugoslávia), cujo culto já era celebrado neste dia pela colônia grega de Roma, numa época em que os gregos festejavam o nascimento de Cristo em 6 de janeiro. (M).

– Ver página 65-66: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2022.pdf

– Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Anastácia_de_Sirmio

– Ver “Anastácia há muito tempo tem sido venerada como curandeira e exorcista. Suas relíquias estão na Catedral de Santa Anastácia, em Zadar, na Croácia.

Ela é uma das sete mulheres, excluindo a Virgem Maria, a ser comemorada nominalmente no Cânone da Missa.”: Anastácia de Sirmio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Também em Roma, no ce­mi­tério de Apro­niano, junto à Via La­tina, Santa Eu­génia, mártir. († s. III/IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, Santa Eugênia, mártir. O relato de sua célebre paixão, traduzido em cinco línguas antigas, informa que no momento em que ia ser atirada às feras, Santa Eugênia pôde provar sua inocência ao juiz. Então, os cristãos que esperavam fora do anfiteatro para dar-lhe uma sepultura digna, entraram gritando: “Um só Cristo, um só Deus verdadeiro é o Deus dos cristãos”! (M).

– Ver páginas 24-32: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2022.pdf

4.   Também em Roma, junto à Via La­tina, os santos Jo­vino e Ba­sileu, mártires. († s. III/IV)

5*.   No mos­teiro de Cluny, na Bor­gonha, re­gião da França, o Beato Pedro o Venerável, abade, que go­vernou a Ordem mo­nás­tica se­gundo os pre­ceitos da pri­mi­tiva ob­ser­vância e compôs nu­me­rosos tratados. († 1156).

– Ver páginas 33-34: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2022.pdf

6*.   Em San Se­ve­rino, nas Marcas, re­gião da Itália, o Beato Ben­ti­vó­glio de Bónis, pres­bí­tero da Ordem dos Mí­nimos, exímio pregador. († 1232)

7*.   Em Unzen, ci­dade do Japão, o Beato Mi­guel Nakashima, re­li­gioso da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que, sendo ca­te­quista, por causa da sua fé em Cristo foi mer­gu­lhado em água a ferver e assim al­cançou a coroa do martírio. († 1628)

8.   Em Ri­va­rolo, lo­ca­li­dade do Pi­e­monte, re­gião da Itália, a Beata An­tónia Maria Verna, virgem, fun­da­dora da Con­gre­gação das Irmãs da Ca­ri­dade do Ima­cu­lado Co­ração de Ivrea. († 1838)

9*.   Em Roma, a Beata Maria dos Após­tolos (Maria Te­resa von Wüllenweber), virgem, de origem alemã, que, in­fla­mada pelo ardor mis­si­o­nário, fundou em Tí­voli, no Lácio, re­gião da Itália, o Ins­ti­tuto das Irmãs do Di­vino Salvador. († 1907)

10.   Em Cra­cóvia, na Po­lónia, Santo Al­berto (Adão Ch­mi­e­lowski), re­li­gioso, cé­lebre pintor, que se de­dicou ao ser­viço dos po­bres, pro­cu­rando estar sempre dis­po­nível para com eles em tudo, e fundou as Con­gre­ga­ções dos Ir­mãos e das Irmãs da Ordem Ter­ceira de São Fran­cisco para a as­sis­tência dos pobres. († 1916)

11.   Em Bári, na Apúlia, re­gião da Itália, a Beata Elias de São Clemente (Te­o­dora Fra­casso), virgem da Ordem das Car­me­litas Descalças. († 1927)

12. Mártires da Nicomédia (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver página 66: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2022.pdf

– Ver também: “… O martírio de, segundo os gregos, 20.000 cristãos em Nicomédia no dia de Natal do ano 303é assim registrado pelo Martirológio Romano: “Em Nicomédia a paixão de muitos milhares de mártires, que se reuniram para o serviço do Senhor no aniversário de Cristo. O imperador Diocleciano ordenou que se fechassem as portas da igreja, que se acendesse fogo em volta e que se colocasse um tripé com incenso diante da porta: e então que um arauto proclamasse para que se ouvisse que aqueles que desejassem para escapar do fogo deveriam sair e oferecer incenso a Júpiter. E quando todos eles com uma voz declararam que estavam prontos para morrer por amor de Cristo, o fogo foi aceso e eles foram consumidos nele. E assim eles mereceram nascer no céu naquele mesmo dia em que Cristo para a salvação do mundo teve o prazer de nascer na terra”.

Há registro histórico da igreja em Nicomédia sendo destruída – não queimada – em 23 de fevereiro de 303, por ordem de Diocleciano, mas nada é dito de pessoas sendo mortas por outro lado, não houve festa de Natal mantida lá tão cedo quanto o início do século IV.

Isso foi incorporado ao Martirológio Romano de uma fonte grega. O Sinaxário de Constantinopla, editado para o Acta Sanctorum, comemora em 28 de dezembro (cc. 349-352) 20.000 mártires queimados até a morte em Nicomédia, acrescentando detalhes correspondentes ao acima. O número é, claro, muito exagerado, mas há muitas evidências tanto em Eusébio (bk vi, caps. 5-8) quanto no breviário siríaco de que Nicomédia foi um foco de perseguição no ano 303…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayDecember25.html

13. Jacó de Todi (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver “Bem-Aventurado Jácomo de Todi, franciscano” páginas 35-38: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2022.pdf

– Ver também “… Jacopone, batizado Jacopo, nasceu da boa família de Benedetti em Todi, na Úmbria, por volta do ano de 1230. Ele estudou direito em Bolonha, onde provavelmente obteve seu doutorado, e começou a praticar em sua cidade natal. Ele parece não ter sido conhecido nem pela virtude nem pela vida má, e certamente não mostrou sinais em seus primeiros anos de seu fervor religioso posterior. Por volta de 1267 casou-se com Vanna di Guidone, uma jovem bela tanto em pessoa quanto em caráter, que, apesar de toda a vida conjugal ter durado apenas um ano, provou ser seu anjo bom. Vanna foi tragicamente morta em uma festa de casamento, quando uma sacada sobre a qual ela e outros convidados estavam desmoronou. Ela foi a única a perder a vida, e o choque dessa súbita privação, juntamente com a percepção vívida da bondade de sua esposa (diz-se, por exemplo, ter descoberto um insuspeito cilício em seu corpo morto, que ele deveria ser usado em penitência por seus pecados), operou uma mudança notável em Jacopo. Na verdade, não seria irracional concluir que por um tempo sua mente ficou desequilibrada. Abandonou a profissão, vestiu o hábito dos terciários franciscanos e tornou-se, como se disse, “uma espécie de Diógenes cristão”; suas excentricidades eram tão absurdas e tão públicas que as crianças nas ruas de Todi o viam como um espetáculo inofensivo e o chamavam familiarmente de Jacopone: o nome pegou. Em uma ocasião, ele rastejou sobre as mãos e joelhos pela praça principal, usando o arreio de um burro; em outro, ele apareceu em uma festa de casamento na casa de seu irmão todo coberto de piche e penas. Ele viveu assim como uma espécie de penitente público por dez anos…

… Em 1278, depois de alguma hesitação natural por parte dos frades, Jacopone foi admitido entre os franciscanos de San Fortunato em Todi como irmão leigo. Diz-se que ele escolheu esse estado por humildade…

… Por cerca de doze anos, o irmão Jacopone permaneceu em Todi e, à medida que gradualmente atingiu um estado de equilíbrio mais estável, começou a produzir cada vez mais poemas líricos e canções no dialeto da Úmbria, que eram muito populares. Eram versos profundamente religiosos e místicos…

… Mas Jacopone era franco e franco, e San Fortunato era uma casa conventual. Ele estava envolvido em dificuldades com seus irmãos lá, e tornou-se uma figura cada vez mais proeminente entre os espirituais, dos quais Bd Conrad de Offida e Bd John de Alvernia eram seus amigos pessoais íntimos. Jacopone estava entre os frades que em 1294pediram ao Papa São Celestino V permissão para viver fora da ordem, mas em poucas semanas Celestino renunciou e o Cardeal Gaetani, o oponente dos Espirituais, foi papa como Bonifácio VIII . Quando em 1297houve uma ruptura aberta entre os dois cardeais de Colonna e o papa, Jacopone foi um dos três franciscanos que ajudaram na redação do manifesto que afirmava que Bonifácio havia sido eleito invalidamente; ele se tornou um propagandista literário do partido Colonna e produziu um ataque selvagem ao papa, começando: “0 papa Bonifatio molt ay jocato al mondo”. Sem subscrever a opinião extravagante de que “ter [Boniface] como adversário era em si uma honra”, pode-se afirmar que Frei Jacopone se opôs ao papa em perfeita boa-fé: os partidários não eram os únicos na época que sustentavam a visão de que a abdicação do Papa Celestino não era canônica.

Quando as forças papais capturaram Palestrina, a fortaleza de Colonna, Jacopone foi capturado e preso em uma masmorra horrível por cinco anos. Nem mesmo o ano do jubileu de 1300viu sua libertação. Durante este tempo, ele compôs alguns dos mais belos de seus poemas, e também algumas das peças mais agressivas, satíricas e incisivas em curioso contraste com a devoção tocante e o misticismo penetrante dos outros.

Jacopone é mais conhecido como o suposto autor do hino Stabat Mater dolorosa, mas não há certeza sobre quem de fato o escreveu…

… Com a morte de Bonifácio VIII, no final de 1303 , Frei Jacopone foi posto em liberdade, e foi morar primeiro em uma ermida perto de Orvieto e depois em um convento de Clarissas em Collazzone, entre Todi e Perugia. Aqui ele morreu no dia de Natal de 1306…

…  a igreja de San Fortunato em Todi, e como ele era considerado lá pode ser lido em seu túmulo: “Os ossos do Beato Jacopone dei Benedetti de Todi, da Ordem dos Frades Menores. Ele se tornou um tolo por amor de Cristo e, tendo enganado o mundo com um novo artifício, tomou o céu de assalto…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayDecember25.html

VER TAMBÉM 25 DE DEZEMBRO NA IGREJA ORTODOXA: 25 de dezembro na Igreja Ortodoxa – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

https://pt.wikipedia.org/wiki/25_de_dezembro_na_Igreja_Ortodoxa

14. Outros santos do dia 25 de dezembro: págs. 9-66: 

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2022.pdf              

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

 * “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 25 de dezembro, ver também: 25 de dezembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (Todas da internet, foram consultadas no dia de hoje)

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  965-967: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayDecember25.html

(este site mostra os santos do dia, em inglês. Tradução Google)

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* SENHOR, NOSSO DEUS E PAI AMADO, OBRIGADO POR TUDO O QUE O SENHOR NOS TEM DADO E PERMITIDO VIVER!

QUERIDA MÃE VIRGEM MARIA, SOCORRA-NOS, PROTEJA-NOS!

SÃO JOSÉ, SAMTAS/OS E ANJOS, INTERCEDAM POR NÓS! OBRIGADO! AMÉM!

* PAI AMADO, DÊ-NOS ESPÍRITO DE ORAÇÃO, VIGILÂNCIA, RENÚNCIA, PENITÊNCIA! DÊ-NOS ARDOR MISSIONÁRIO PELO E PARA O SENHOR! TIRE-NOS O TORPOR E A TIBIEZA! DÊ-NOS, AMADO PAI, CORAGEM DE LUTAR COM ENTUSIASMO E FORÇA DE VONTADE, MESMO EM SITUAÇÕES SEDUTORAS, DIFÍCEIS E ESPINHOSAS, PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ DE BONS COSTUMES E SANTIDADE POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO. DÊ-NOS A DOCILIDADE DAS OVELHAS! SOBRETUDO, DÊ-NOS A GRAÇA! PEDIMOS EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA, ESCREVA-NOS:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

  * “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

* “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

* “Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro).

Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “… Não há nada mais difícil do que a oração, pois não há esforços que os demônios não façam para interromper este poderoso meio de os desanimar (Santo Antão, lembrado em 21 de outubro)

Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível”.

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* “… A PAIXÃO VIVE; APENAS ESTÁ REPRIMIDA… ESTÁ APENAS PRESA… AS PAIXÕES VIVEM, APENAS SÃO REPRIMIDAS PELOS SANTOS (COM A GRAÇA DE DEUS!) …”.  SANTAS E SANTOS, INTERCEDAM POR NÓS PARA QUE POSSAMOS REPRIMIR AS PAIXÕES. PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA DE REPRIMIR AS PAIXÕES” (SANTO ABRAÃO, ERMITÃO, 27 DE OUTUBRO), conforme páginas 52-53: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

* “… a oração por um ente querido é, para o crente, uma forma de apagar qualquer distância, até mesmo a morte. Em oração, permanecemos na presença de Deus na companhia de alguém que amamos, mesmo que essa pessoa tenha morrido antes de nós

“Não devemos transformar o purgatório em um campo de concentração em chamas à beira do inferno – ou mesmo em um ‘inferno por um curto período de tempo’. É uma blasfêmia pensar nisso como um lugar onde um Deus mesquinho cobra a última libra – ou grama – de carne … Santa Catarina de Gênova (Festa dia 15 de setembro, mística do século 15), escreveu ‘fogo’ do purgatório é o amor de Deus ‘queimando’ a alma para que, por fim, a alma esteja totalmente em chamas. É a dor de querer ser feito totalmente digno de Alguém que é visto como infinitamente amável, a dor do desejo de união que agora está absolutamente assegurada, mas ainda não completamente experimentada

(Leonard Foley, OFM, Crendo em Jesus) …”:

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS!

JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, CUIDE DE NÓS!

POR CRISTO, NA UNIDADE DO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* Após Deus, o Pai amado, chamar minha amada esposa e companheira por 38 anos, 9 meses e oito dias, em 24.09.2017, descobri:

1. Posso comunicar com a minha Frô, pela ORAÇÃO;

2. Posso VER, ESCUTAR, SENTIR a FRÔ (transformada, sem dores, linda, maravilhosa) em meu ser;

3. Ela está vivendo nos braços de Deus (bondosos, vigorosos);

4. Um dia vamos estar juntos;

5. Quando Deus me chamar, quero levar coisas boas para o banquete celeste (amor a Deus e ao próximo).

Dê-nos essa Graça, Pai amado! Dê-nos A GRAÇA! AMÉM!Obrigado, Senhor, por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

================

* Ver o blog: https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.