Santas e Santos de 09 de janeiro (atualizado em 02.02.2022)

09 DE JANEIRO DE 2022: BATISMO DO SENHOR

Ver “O batismo de Jesus marca o início do ministério público de Jesus. Este evento é narrado nos três evangelhos sinóticos (MateusLucas e Marcos, enquanto que em João 1:29-33, que não é uma narrativa direta, João Batista testemunha o episódio.[1][2] O batismo é um dos seis eventos mais importantes da narrativa evangélica sobre a vida de Jesus, os outros sendo a encarnação do verbo e nascimento, a transfiguração, a crucificação, a ressurreição e a ascensão.[3][4]

João Batista pregava o “batismo pela água”, não de perdão ou contrição, mas para a remissão dos pecados (Lucas 3:3) e se declarava um precursor d’Aquele que iria batizar “com o Espírito Santo e com o fogo” (Lucas 3:16). Ao fazê-lo, ele estava preparando o caminho para o “Senhor”.[5] Jesus veio até o Rio Jordão, onde ele foi batizado por João num lugar que é tradicionalmente conhecido como Qasr al-Yahud (“Castelo dos Judeus”).[5][6][7][8][9] Este evento termina com o céu se abrindo, a descida do Espírito Santo na forma de uma pomba e uma voz divina anunciando: “Tu és o meu Filho dileto, em ti me agrado.”.[10] A voz combina frases chave do Antigo Testamento: “Meu Filho” (o rei da linhagem de David adotado como Filho de Deus em Salmos 2:1 e Salmos 10:1, “dileto” (ou “bem-amado” – como Isaque em Gênesis 22:) e “em ti me agrado” (o servo de Deus em Isaías 42:1)[5]

A maior parte das denominações cristãs veem o batismo de Jesus como um evento importante e a base para o rito cristão do batismo (veja também Atos 19:1-7). A controvérsia reside principalmente com a relação do ato com a heresia do cristianismo primitivo conhecida como adocionismo, que pregava que Jesus só ali se tornou o Filho de Deus.

No cristianismo oriental, o batismo de Jesus é comemorado no dia 6 de janeiro, a festa da Epifania.[11] Na Igreja Católica, na Comunhão Anglicana e em outras denominações ocidentais, ela é relembrada num dia da semana seguinte, a festa do Batismo do Senhor. No catolicismo romano, o batismo de Jesus é um dos Mistérios Luminosos do Santo Rosário.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Batismo_de_Jesus

– Ver também, Padre Leonardo: https://youtu.be/tOxKg0Pt20c

SANTAS E SANTOS DE 09 DE JANEIRO

1.   Em An­cona, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, São Mar­ce­lino, bispo, que, como es­creve o papa São Gre­gório Magno, com o poder di­vino salvou do in­cêndio esta cidade. († s. VI). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 550, São Marcelino, bispo de Ancona, que por sua oração e sua intervenção pessoal salvou a cidade de um incêndio. (M). Ver página 263: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

2*.   Em Can­tuária, na In­gla­terra, Santo Adrião, abade, na­tural da África, que, vindo de Ná­poles, na Cam­pânia, chegou à In­gla­terra e, pela sua pro­funda for­mação em ci­ên­cias sa­gradas e pro­fanas, en­sinou a um grande nú­mero de dis­cí­pulos a ci­ência da salvação. († 710). Ver Santo Adriano, nas páginas 260-261: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

3*.   Na Es­cócia, São Fe­lano, abade do mos­teiro de Santo André, que, in­signe pela vida de grande aus­te­ri­dade, viveu na solidão. († c. 710). Ver São Felan, página 264: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4*.   No monte Olimpo, na Bi­tínia, na ac­tual Tur­quia, Santo Eus­trácio o Tau­ma­turgo, abade do mos­teiro de Abgar. († s. IX)

5*.   Em Thé­nézay, no ter­ri­tório de Poi­tiers, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, Santo Ho­no­rato de Bu­zan­çais, mártir, que era ne­go­ci­ante de gado e com o seu lucro so­corria os po­bres; e, ao re­pre­ender dois seus em­pre­gados pelos furtos que fa­ziam, foi por eles bar­ba­ra­mente assassinado. († 1250). Ver página 268-269: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

6*.   Em Cer­taldo, na Etrúria, na ac­tual Tos­cana, re­gião da Itália, a Beata Júlia della Rena, da Ordem Ter­ceira de Santo Agos­tinho, que viveu re­clusa só para Deus numa pe­quena cela junto da igreja. († 1367)

7*.   Em An­cona, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, o Beato An­tónio Fatáti, bispo, que exerceu com grande pru­dência e se­re­ni­dade todas as mis­sões que lhe foram con­fi­adas pelos Pon­tí­fices Ro­manos, e foi sempre aus­tero para con­sigo, mas mag­nâ­nimo para com os pobres. († 1484)

8*.   Em Nancy, na França, a Beata Maria Te­resa de Jesus (Alice Le Clerc), virgem, que, fundou com São Pedro Fou­rier a Con­gre­gação das Ca­no­nisas Re­gu­lares de Nossa Se­nhora, sob a Regra de Santo Agos­tinho, des­ti­nada à for­mação das jovens. († 1622)

9.   Em Seul, Co­reia, as santas már­tires Agueda Yi, virgem, cujos pais re­ce­beram também a coroa do mar­tírio, e Te­resa Kim, viúva, que, de­pois de cru­el­mente fla­ge­ladas no cár­cere pela sua fé em Cristo, ambas mor­reram degoladas. († 1840)

10*.   Perto de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, no campo de con­cen­tração de Da­chau, os be­atos José Pawlowski e Ca­si­miro Grelewski, pres­bí­teros e már­tires, que, em tempo da guerra, de­por­tados da Po­lónia in­va­dida pelos per­se­gui­dores, ter­mi­naram o seu mar­tírio com o su­plício da forca. († 1942)

11. São Félix (também na Folhinha do Coração de Jesus). Na África, os santos mártires Epitecto, Jucundo, Secundo, Vidal, Félix (Vidal e Félix na Folhinha do Coração de Jesus), e outros sete (Conf. Martirológio Ed. Permanência).

12. Em Esmirna os santos Mártires Vidal (também na Folhinha do Coração de Jesus), Revocato e Fortunato (Conf. Martirológio Ed. Permanência).

13. Na Mauritânia Cesariense, Santa Marciana, Virgem (também na Folhinha do Coração de Jesus), que consumou seu martírio sendo lançada às feras (Conf. Martirológio Ed. Permanência). Ver página 265: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

– Ver “… Santa Marciana Virgem mártir no anfiteatro de Cesareia na Mauritânia…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJanuary09.html

14. Perto de 304, São Juliano, mártir egípcio. Com sua esposa, Santa Basilissa, dedicou suas forças e seus bens ao socorro dos pobres e dos doentes que eles abrigavam dentro de sua própria casa (conf. Martirológio Romano-Monástico – M). Conforme o Martirológio Romano da Ed. Permanência, Santa Basilissa conservou a virgindade com seu marido e acabou a vida em paz. São Juliano, porém, (depois de queimados muitos sacerdotes e ministros da Igreja de Cristo que, por causa da crueldade da perseguição, haviam se refugiado em sua casa), foi atormentado por muitos suplícios e condenado a ser decapitado. Ver “Santos Julião e Basilissa” página 259: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 391, São Pedro, bispo de Sebaste, na Arménia. Irmão de São Basílio Magno, participou do Concilio de Constantinopla e restabeleceu a ortodoxia comprometida por seu predecessor. (M).

Em Sebaste, na Armênia, São Pedro, Bispo, filho dos Santos Basílio e Emélia, irmão dos santos bispos Basílio Magno e Gregório Nisseno e da santa virgem Macrina (Conf. Martirológio Ed. Permanência).

Ver “São Pedro Sebasta”, páginas 272-273: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

– Ver “… Em Sebaste, na Armênia, São Pedro, bispo, filho dos santos Basílio e Emmélia, e também irmão dos santos Basílio Magno, Gregório de Nissa, bispos, e Macrina, virgem.
A família a que pertencia São Pedro era antiga e ilustre, mas os nomes de seus antepassados ​​estão enterrados no esquecimento há muito tempo, enquanto os dos santos que seus pais entregaram à Igreja são imortais nos registros de nossa fé cristã.
Nesta família, três irmãos eram ao mesmo tempo bispos eminentemente santos, São Basílio, São Gregório de Nissa e São Pedro de Sebastesua irmã mais velha, Santa Macrina, foi a mãe espiritual de muitos santos e excelentes médicos; e seu pai e mãe, São Basílio o Velho e Santa Emmelia, foram banidos por sua fé no reinado do imperador Galério Maximiano, e fugiram para os desertos do Ponto.
   Finalmente, a avó era a célebre Santa Macrina, a Velha, que foi instruída na ciência da salvação por São Gregório Taumaturgo.
Pedro de Sebaste era o caçula de dez filhos e perdeu o pai no berço, de modo que sua irmã mais velha, Macrina, se encarregou de sua educação. Nesse dever, seu único objetivo era instruí-lo na religião: estudos profanos ela considerava de pouca utilidade para alguém cujos pensamentos estavam voltados para o mundo vindouro. Tampouco se ressentiu dessas restrições, limitando suas aspirações ao estado monástico.
  Sua mãe havia fundado dois mosteiros, um para homens e outro para mulheres; o primeiro ela colocou sob a direção de seu filho Basílio, o último sob a de Macrina. Pedro ingressou na casa governada por seu irmão, situada na margem do rio Íris. Quando São Basílio foi obrigado a renunciar a esse cargo em 362, nomeou São Pedro seu sucessor, que desempenhou esse cargo por muitos anos com grande prudência e virtude.
Quando as províncias do Ponto e da Capadócia foram atingidas pela fome severa, ele deu prova de sua caridade. A prudência humana o teria aconselhado a ser frugal no alívio dos outros até que sua própria comunidade estivesse protegida contra aquela calamidade; mas Pedro havia estudado os princípios da caridade cristã em outra escola, e liberalmente dispensou tudo o que pertencia ao mosteiro para suprir as necessidades das pessoas necessitadas que diariamente recorriam a ele naquele momento de aflição.
 Quando São Basílio foi feito bispo de Cesaréia na Capadócia em 370, ele promoveu Pedro ao sacerdócio. Basílio morreu em 1º de janeiro de 379, e Macrina em novembro do mesmo ano. Eustáquio, bispo de Sebaste na Armênia, ariano e perseguidor de São Basílio, parece ter morrido pouco depois deles; pois Pedro foi consagrado bispo de Sebaste em 380 para erradicar a heresia ariana naquela diocese. O mal tinha raízes tão profundas que era necessário o zelo de um santo para lidar com ele. Uma carta que São Pedro escreveu, e que é prefixada aos livros de São Gregório de Nissa contra Eunômio, deu-lhe direito a um lugar entre os escritores eclesiásticos; e é uma prova permanente de que, embora ele tenha se limitado a estudos sagrados, ainda assim por boa conversa e leitura, e por seus próprios dons naturais, ele era inferior a ninguém, exceto seu incomparável irmão Basílio e seu colega Gregório Nazianzeno em sólida eloquência. Em 381, São Pedro participou do concílio geral realizado em Constantinopla. Não apenas seu irmão São Gregório de Nissa, mas também Teodoreto, e toda a antiguidade, testemunham sua santidade, prudência e zelo. Sua morte ocorreu no verão por volta do ano 391, e seu irmão de Nissa menciona que sua memória foi homenageada em Sebaste (provavelmente no mesmo ano após sua morte) por uma festa solene, juntamente com a de alguns outros mártires da mesma cidade. Seu nome ocorre no Martirológio Romano em 9 de janeiro.

É uma coisa maravilhosa encontrar-se com toda uma família de santos. Este prodígio de graça, sob Deus, foi devido ao exemplo, orações e exortações da anciã Santa Macrina. Com ela aprenderam a absorver o verdadeiro espírito de abnegação e humildade que todos os cristãos confessam ser a máxima fundamental do evangelho. Infelizmente, geralmente acontece que o princípio é aceito apenas como uma questão de especulação, enquanto é no coração que esse fundamento deve ser lançado.
Temos poucas informações sobre São Pedro de Sebaste além das alusões casuais contidas na Vida de Macrina de São Gregório de Nissa (in Migne, PG., vol. xlvi, pp. 960 seq.). Sua carta endereçada a seu irmão Gregório de Nissa, pedindo-lhe que completasse seu tratado contra Eunômio, está impressa em PG., vol. xlv, pág. 241 seq. Ver também Acta Sanctorum, 9 de janeiro DCB., vol. iv, pp. 345-346; e Bardenhewer, Patrology (Eng. trad.), pp. 295-297.

”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJanuary09.html

16. Santa Pascácia. Ver página 262: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

– Ver “… Santa Páscoa (Paschasia) virgem mártir na área da moderna Dijon, França
Um que foi condenado à morte durante a última metade do século II. Ela foi por muito tempo objeto de veneração na época de São Gregório de Tours, que a mencionou em seus escritos.”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJanuary09.html

17. Na Normandia, perto de 668, São Vanengo. Conselheiro da regente Santa Batilde, foi depois governador do país de Caux e consagrou parte de sua fortuna para fundar a abadia de Fécamp, onde mais tarde partilhou a oração e a vida dos monges (X-Conforme Martirológio Romano-Monástico).

Ver página 266-267: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

– Ver “… ST WANINGUS, OU VANENG
A partir de várias fontes merovíngias, parece que Vaneng foi feito por Clotário III governador daquela parte da Nêustria, ou Normandia, chamada Pays de Caux, época em que ele tinha grande prazer em caçar. No entanto, ele era particularmente devoto de Santa Eulália de Barcelona, ​​chamado em Guienne St Aulaire. Uma noite pareceu-lhe em sonho ouvir aquela santa virgem e mártir repetir-lhe aquelas palavras do nosso Redentor no Evangelho, que “é mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico ser salvo”. ”. Este foi o ponto de virada em sua vida. Ele foi inteiramente convertido a Deus. Ele ajudou St Wandrille a fundar a abadia de Fontenelle, e fundou no vale de Fécamp uma igreja em honra da Santíssima Trindade, com um grande convento adjacente, sob a direção de St Ouen e St Wandrille. Hildemarca, uma freira muito virtuosa, foi chamada de Bordeaux e nomeada a primeira abadessa. Sob suas trezentas e sessenta freiras serviam a Deus nesta casa, e foram divididas em tantos coros quantos fossem suficientes, em revezamento, para continuar o ofício divino noite e dia sem interrupção. Veja o Acta Sanctorum, 9 de janeiro e também Vacandard, Vie de Saint Ouen. Vie de Saint Vaneng, de C. Labbé, foi reeditada por Michael Hardy em 1873 (cf. BHL., n. 1272) …”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJanuary09.html

18. Bem-Aventurado Filipe Berruyer, arcebispo e confessor. Ver páginas 270-271: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

19. Na Wikipedia de 09 de janeiro e em 04 de fevereiro: Santo André Corsino, bispo de Fiésole na Toscana. Ver páginas 402-410: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

– Ver, na Wikipedia de 09 de fevereiro, “Santo André Corsini (Florença30 de Novembro de 1301 – Fiesole6 de Janeiro de 1374) foi um religioso carmelita italiano. Abraçou a vida religiosa em sua cidade natal. Exerceu a função de provincial na província carmelita da Toscana. Em 13 de Outubro de 1349 foi nomeado bispo de Fiesole pelo Papa Clemente VI. Distinguiu-se pelo zelo apostólico, prudência e amor em relação aos pobres. Foi canonizado em 29 de Abril de 1629. Teve um de Seus Parentes sendo Papa, descentende de seu irmão o Papa Clemente XII (1730 – 1740).”: André Corsini – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “Andrew Corsini”: Patron Saints Index: Saint Andrew Corsini (archive.org)

– Ver ainda “…Foi sepultado na igreja dos Carmelitas de Florença, onde suas relíquias podem ser veneradas, ainda hoje. Santo André Corsini é o padroeiro da cidade de Florença e a Igreja designou o dia 04 de fevereiro para a sua festa litúrgica.”: http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/santo-andre-corsini

– Na Folhinha do Coração de Jesus dia 22 de agosto.

Ver também dia 04 de fevereiro

– Ver também dia 22 de agosto

20. Outras santas/os do dia 09 de janeiro, págs. 259-273: 

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume I – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

 * “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 09 de janeiro, ver também: 9 de janeiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (Todas da internet, foram consultadas no dia de hoje)

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 119-121: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJanuary09.html

(este site mostra os santos do dia, em inglês. Tradução Google)

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* SENHOR, NOSSO DEUS E PAI AMADO, OBRIGADO POR TUDO O QUE O SENHOR NOS TEM DADO E PERMITIDO VIVER!

QUERIDA MÃE VIRGEM MARIA, SOCORRA-NOS, PROTEJA-NOS!

SÃO JOSÉ, SAMTAS/OS E ANJOS, INTERCEDAM POR NÓS! OBRIGADO! AMÉM!

* PAI AMADO, DÊ-NOS ESPÍRITO DE ORAÇÃO, VIGILÂNCIA, RENÚNCIA, PENITÊNCIA! DÊ-NOS ARDOR MISSIONÁRIO PELO E PARA O SENHOR! TIRE-NOS O TORPOR E A TIBIEZA! DÊ-NOS, AMADO PAI, CORAGEM DE LUTAR COM ENTUSIASMO E FORÇA DE VONTADE, MESMO EM SITUAÇÕES SEDUTORAS, DIFÍCEIS E ESPINHOSAS, PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ DE BONS COSTUMES E SANTIDADE POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO. DÊ-NOS A DOCILIDADE DAS OVELHAS! SOBRETUDO, DÊ-NOS A GRAÇA! PEDIMOS EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA, ESCREVA-NOS:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

  * “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

* “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

* “Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro).

Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “… Não há nada mais difícil do que a oração, pois não há esforços que os demônios não façam para interromper este poderoso meio de os desanimar (Santo Antão, lembrado em 21 de outubro)

Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível”.

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* “… A PAIXÃO VIVE; APENAS ESTÁ REPRIMIDA… ESTÁ APENAS PRESA… AS PAIXÕES VIVEM, APENAS SÃO REPRIMIDAS PELOS SANTOS (COM A GRAÇA DE DEUS!) …”.  SANTAS E SANTOS, INTERCEDAM POR NÓS PARA QUE POSSAMOS REPRIMIR AS PAIXÕES. PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA DE REPRIMIR AS PAIXÕES” (SANTO ABRAÃO, ERMITÃO, 27 DE OUTUBRO), conforme páginas 52-53: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

* “… a oração por um ente querido é, para o crente, uma forma de apagar qualquer distância, até mesmo a morte. Em oração, permanecemos na presença de Deus na companhia de alguém que amamos, mesmo que essa pessoa tenha morrido antes de nós

“Não devemos transformar o purgatório em um campo de concentração em chamas à beira do inferno – ou mesmo em um ‘inferno por um curto período de tempo’. É uma blasfêmia pensar nisso como um lugar onde um Deus mesquinho cobra a última libra – ou grama – de carne … Santa Catarina de Gênova (Festa dia 15 de setembro, mística do século 15), escreveu ‘fogo’ do purgatório é o amor de Deus ‘queimando’ a alma para que, por fim, a alma esteja totalmente em chamas. É a dor de querer ser feito totalmente digno de Alguém que é visto como infinitamente amável, a dor do desejo de união que agora está absolutamente assegurada, mas ainda não completamente experimentada

(Leonard Foley, OFM, Crendo em Jesus) …”:

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS!

JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS ENCHA E NOS UNA NO AMOR!

MÃEZINHA MARIA, CUIDE DE NÓS!

SÃO JOSÉ, SANTAS, SANTOS E ANJOS, ROGUEM POR NÓS!

POR CRISTO, NA UNIDADE DO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* Após Deus, o Pai amado, chamar minha amada esposa e companheira por 38 anos, 9 meses e oito dias, em 24.09.2017, descobri:

1. Posso comunicar com a minha Frô, pela ORAÇÃO;

2. Posso VER, ESCUTAR, SENTIR a FRÔ (transformada, sem dores, linda, maravilhosa) em meu ser;

3. Ela está vivendo nos braços de Deus (bondosos, vigorosos);

4. Um dia vamos estar juntos;

5. Quando Deus me chamar, quero levar coisas boas para o banquete celeste (amor a Deus e ao próximo).

Dê-nos essa Graça, Pai amado! Dê-nos A GRAÇA! AMÉM! Obrigado, Senhor, por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

================

* Ver o blog: https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.