Santas e Santos 13 de abril

São Mar­tinho I, papa e mártir, que con­denou a he­resia dos mo­no­te­listas no Sí­nodo de La­trão; e quando o exarca Ca­líopa, por ordem do im­pe­rador Con­tante II, in­vadiu vi­o­len­ta­mente a Ba­sí­lica La­te­ra­nense, foi ar­ran­cado da sua sede e con­du­zido a Cons­tan­ti­nopla, onde ficou pri­si­o­neiro sob for­tís­sima vi­gi­lância; fi­nal­mente, re­le­gado para Quer­so­neso, pas­sados cerca de dois anos al­cançou o fim das tri­bu­la­ções e a coroa eterna. († 656)

2.   Em Pér­gamo, na pro­víncia da Ásia, na ho­di­erna Tur­quia, os santos már­tires Carpo, bispo de Ti­a­tira, Pá­pilo, diá­cono, Aga­tó­nica, irmã de Pá­pilo, (Agatodoro) e muitos ou­tros, que pela con­fissão da fé re­ce­beram a coroa do martírio. († s. II). Conforme o  Martirológio Romano-Monástico, na Ásia Menor, perto de 250, o martírio de São Carpos, bispo, e seus companheiros. Ao procônsul que lhe perguntava seu nome, Carpos respondeu: “Meu primeiro nome e mais belo nome é Cristão. Eu adoro Cristo, Filho de Deus” (cf. Act. Martyr – M)

– Ver páginas 313-317: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

3.   Em Ra­vena, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, Santo Urso, bispo, que trans­feriu a sede epis­copal de Classe para esta ci­dade, de­dicou a igreja ca­te­dral no dia da Páscoa com o tí­tulo de Santa Anas­tásia e no mesmo dia, al­guns anos de­pois, também ele partiu para a glória da ressurreição. († c. 425)

– Ver também página 321:  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

4.   Em Tar­ra­gona, na His­pânia, Santo Her­me­ne­gildo, mártir, que, sendo filho do rei ariano Le­o­vi­gildo, se con­verteu à fé ca­tó­lica por obra do bispo São Le­andro; me­tido no cár­cere por se ter re­be­lado contra a von­tade do pai e re­cusar-se a re­ceber a co­mu­nhão das mãos de um bispo ariano no dia da so­le­ni­dade da Páscoa, por ordem do pró­prio pai, morreu ao fio da espada. († 586)

– Ver páginas 325-327: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

5*.   No mos­teiro de Santa Maria da Ca­pela, junto de Wast, no ter­r­ri­tório de Bou­logne, na França, a Beata Ida, que, fi­cando viúva de Eus­tá­quio, conde de Bou­logne, se no­ta­bi­lizou pela li­be­ra­li­dade para com os po­bres e pelo zelo pelo de­coro da casa de Deus. († 1113)

– Ver também páginas 328-329: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

6*.   Em Saint David, no País de Gales, São Ca­rá­doco, pres­bí­tero e ere­mita, que deixou o pa­lácio real, onde to­cava harpa, ao ver como ali se amavam mais os cães do que os ho­mens, e pro­curou a ori­en­tação do abade Te­liavo para se co­locar ao ser­viço de Deus. († 1124)

7*.   No mos­teiro cis­ter­ci­ense de Ro­o­sen­daal, no Bra­bante, na ac­tual Ho­landa, a Beata Ida, virgem, que so­freu muitos maus tratos do pai antes de en­trar na vida re­li­giosa e pela aus­te­ri­dade da sua vida imitou em seu corpo a paixão de Cristo. († c. 1290)

8*.   No mos­teiro de Fonte Avel­lana, na Úm­bria, re­gião da Itália, o Beato Al­ber­tino, ere­mita e prior de uma co­mu­ni­dade de ere­mitas, que pre­feriu a so­lidão às honras e co­la­borou na con­ci­li­ação de ci­dades em conflito. († 1294)

9*.   Em Città di Cas­tello, também na Úm­bria, a Beata Mar­ga­rida, virgem das Irmãs da Pe­ni­tência de São Do­mingos, que, tendo nas­cido cega, dis­forme e re­jei­tada pelos seus pais, con­fiou sempre de todo o co­ração no nome de Jesus. († 1320)

10*.   Em Ro­chester, na In­gla­terra, os be­atos Fran­cisco Dickenson e Milo Ge­rard, pres­bí­teros e már­tires, que, re­gres­sando do Co­légio dos In­gleses de Reims à sua pá­tria, para exercer clan­des­ti­na­mente o mi­nis­tério sa­cer­dotal, no rei­nado de Isabel I foram sus­pensos da forca e sub­me­tidos a ou­tros cruéis suplícios. († 1590)

11*.   Em York, na In­gla­terra, os be­atos João Lockwood e Edu­ardo Cathe­rick, pres­bí­teros e már­tires no rei­nado de Carlos I, o pri­meiro dos quais, com oi­tenta e quatro anos de idade e já por duas vezes con­de­nado à morte por causa do sa­cer­dócio, quis subir ao pa­tí­bulo à frente do jovem e ate­mo­ri­zado com­pa­nheiro, para o in­citar ao glo­rioso martírio. († 1642)

12*.   Na ilha da Reu­nião, no Oceano Ín­dico, o Beato Es­cu­bílio (João Ber­nardo Rous­seau), re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs, que en­sinou in­can­sa­vel­mente as cri­anças e deu ajuda aos po­bres e es­pe­rança aos escravos. († 1867)

13*.   Em To­to­clan, po­vo­ação do ter­ri­tório de Gua­da­la­jara, no Mé­xico, São Sabas Reyes, pres­bí­tero e mártir, que du­rante a per­se­guição me­xi­cana morreu por Cristo Sa­cer­dote e Rei universal. († 1927)

14♦. Em Lecco, ci­dade da Lom­bardia, na Itália, o Beato Se­rafim Morazzone, pres­bí­tero da di­o­cese de Como. († 1822)

15. São Justino – Padre da Igreja: ver dia 01 de junho. Ver também páginas 293-312: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

16. Santos Máximo, Quintiliano (também na Folhinha do Coração de Jesus)e Dadas, mártires. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Mísia inferior atual Bulgária, São Máximo e seus dois companheiros, condenados à morte sob Diocleciano. Segundo as atas de seu martírio, foram decapitados por terem confessado “sua fé em Cristo, rei celeste, que tem poder sobre tudo e tem todos os seres em suas mãos (M). Ver páginas 318-320: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

17. São Márcio (também na Folhinha do Coração de Jesus), abade e confessor. Ver páginas 322-324: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf  

18. Outros santos do dia 13 de abril: págs: 293-330 (vol.06):  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal – http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.