Santas e Santos de 02 de janeiro

Ver também 02 DE JANEIRO na IGREJA ORTODOXA: 2 de janeiro na Igreja Ortodoxa – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

Ou:  https://pt.wikipedia.org/wiki/2_de_janeiro_na_Igreja_Ortodoxa

1. Me­mória dos santos Ba­sílio Magno e Gre­gório de Nazianzo, bispos e dou­tores da Igreja. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória dos Santos Basílio Magno e Gregório Nazianzeno (também na Folhinha do Coração de Jesus). A profunda amizade que nasceu entre os dois durante seus estudos feitos em Atenas os reuniu no mesmo retiro monástico. Tornando-se bispos, Basílio em Cesaréia, sua cidade natal, e Gregório em Sásimos e depois em Constantinopla, continuaram, de modo decisivo, sobretudo por seus escritos, a fazer triunfar a doutrina trinitária ortodoxa no Concilio Ecumênico de Constantinopla, de 381. São Bento recomenda “a Regra de nosso Pai S. Basílio” como um dos melhores guias da vida monástica. (R). Ver: TRÊS HIERARCAS SAGRADOS: São Basílio, São Gregório e São João Crisóstomo (em 13 de setembro): https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Três_Hierarcas_Sagrados

– Ver páginas 328-351, volume X de VIDAS DOS SANTOS

BA­SÍLIO, bispo de Ce­sa­reia da Ca­pa­dócia, hoje Ne­nizi, na Tur­quia, de­no­mi­nado Magno pela sua dou­trina e sa­be­doria, en­sinou aos monges a me­di­tação da Sa­grada Es­cri­tura e o tra­balho na obe­di­ência e na ca­ri­dade fra­terna, or­de­nando a sua vida mo­nás­tica se­gundo uma regra que ele pró­prio compôs. Ins­truiu os fiéis com ex­ce­lentes obras es­critas e de­dicou-se ao cui­dado pas­toral dos po­bres e dos en­fermos. Morreu no pri­meiro dia de Janeiro. Ver São Basílio, páginas 328-351 (NÃO TEM LINK): – Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume X – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

– Ver também “Basílio de Cesareia, também chamado São Basílio Magno ou Basílio, o Grande (em grego: Ἅγιος Βασίλειος ὁ Μέγας), foi o bispo de Cesareia, na Capadócia (atualmente a cidade de Kayseri, na Turquia), e um dos mais influentes teólogos a apoiar o Credo de Niceia. Foi também adversário das heresias que surgiram nos primeiros anos do cristianismo como religião oficial do Império Romano, lutando principalmente contra o arianismo e os seguidores de Apolinário de Laodiceia. Sua habilidade em balancear suas convicções teológicas com suas conexões políticas fez de Basílio um poderoso advogado da posição nicena.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Basílio_de_Cesareia

GRE­GÓRIO, seu amigo, bispo de Sá­sima, de­pois bispo de Cons­tan­ti­nopla, fi­nal­mente bispo de Na­zi­anzo, também na ac­tual Tur­quia, de­fendeu com grande ardor a di­vin­dade do Verbo, pelo que foi também cha­mado o Teó­logo. A Igreja alegra-se com a me­mória con­junta destes grandes santos doutores. († c. 379 e 389). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Gregório_de_Nazianzo  e https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Gregório_de_Nazianzo

– Ver páginas 191-212: (VIDAS DOS SANTOS DE 09 DE MAIO, vol. VIII): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também JOÃO CRISÓSTOMO, em 13 de setembro: (c.347Antioquia14 de setembro de 407Comana Pôntica) foi um arcebispo de Constantinopla e um dos mais importantes patronos do cristianismo primitivo. É conhecido por suas poderosas homilias, por sua habilidade em oratória, por sua denúncia dos abusos cometidos por líderes políticos e eclesiásticos de sua época, por sua “Divina Liturgia” e por suas práticas ascetas. O epíteto Χρυσόστομος (“Chrysostomos”aportuguesado como “Crisóstomo”) significa “da boca de ouro” em língua grega e lhe foi dado por conta de sua lendária eloquência. O título apareceu pela primeira vez na “Constituição” do papa Vigílio em 553, sendo João Crisóstomo considerado o maior pregador cristão da história.[2][8]”: João Crisóstomo – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Cris%C3%B3stomo

2.   Em Roma, São Te­lés­foro, papa, que, se­gundo o tes­te­munho de Santo Ireneu, foi o sép­timo bispo su­cessor dos Após­tolos e so­freu glo­rioso mar­tírio. († c. 136)

3.   No ter­ri­tório de Córi, a trinta mi­lhas da ci­dade de Roma, os santos Argeu (também na Folhinha do Coração de Jesus), Nar­ciso e Mar­ce­lino, mártires. († s. IV). Ver página 121: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4*.   Em Mar­selha, ci­dade da Pro­vença, na ac­tual França, São Te­o­doro, bispo, que, por se ter em­pe­nhado em es­ta­be­lecer a dis­ci­plina ecle­siás­tica, foi per­se­guido pelos reis Chil­de­berto e Gon­trano, que o man­daram três vezes para o exílio. († 594)

5*.   No mos­teiro de Bóbbio, na Emília, ac­tual Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, São Bla­dolfo, pres­bí­tero e monge, dis­cí­pulo de São Columbano. († c. 630)

6.   Em Milão, na Lom­bardia, também na Itália, São João Bom, bispo, que res­taurou a sede epis­copal desta ci­dade, pre­ce­den­te­mente trans­fe­rida para Gé­nova por causa dos Lom­bardos. Pela sua fé e boas obras agradou a Deus e aos homens. († c. 660)

7*.   No ter­ri­tório de Tulle, na Aqui­tânia, na ac­tual França, São Vi­cen­ciano, ere­mita. († 672)

8*.   Em Li­me­rick, na Ir­landa, São Main­quino, que é ve­ne­rado como bispo. († s. VII)

9.   No mos­teiro de Corbie, na Gália Am­bi­a­nense, hoje ter­ri­tório de Amiens, ac­tu­al­mente na França, Santo Ada­lardo, abade, que tudo fez para que cada um ti­vesse o su­fi­ci­ente, isto é, nem go­zassem do su­pér­fluo nem vi­vessem na pe­núria, mas todos se de­di­cassem di­li­gen­te­mente ao louvor de Deus. († 826). Ver páginas 98-101: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

Ver “Adal(h)ardus, abbas Corbeiensis, cujo nome foi franconizado, mais tarde, na forma de Adelardo, ou Adalardo ou Adelardo, de Corbie, que teria nascido por volta de 752 em Huise (na época Uscia) perto de Oudenaarde na Flandres, e morreu a 2 de janeiro de 826, foi abade e conde de Corbie. Ele é um dos grandes abades do período carolíngio. Ele foi prefeito do palácio, no início do reinado de carlos magno, seu primo, que o nomeou tutor e, de seguida, conselheiro dePepino de seu filho mais velho, o rei da Itália. Ele foi canonizado no século XI.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Adelardo_de_Corbie

10*.   Em Mau­ri­enne, na Sa­bóia, ac­tu­al­mente também na França, Santo Ai­raldo, bispo, que, tanto na so­lidão de Portes como na sede epis­copal de Mau­ri­enne, as­so­ciou à pru­dência e go­verno pas­toral a aus­te­ri­dade e os cos­tumes cartusianos.  († 1146). Ver página 108: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

11*.    Em Troína, na Si­cília, re­gião da Itália, São Sil­vestre, abade, que se­guiu a dis­ci­plina dos Pa­dres orientais. († s. XII)

12*.   Em Forli, na Emília, hoje Emília-Ro­manha, na Itália, o Beato Mar­co­lino Am­máni, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, que, tanto no si­lêncio e na so­lidão, como no ser­viço dos po­bres e no cui­dado das cri­anças, passou toda a sua vida na mais hu­milde simplicidade. († 1397). Ver página 114: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

13*.   Em Son­cino, na Lom­bardia, também na Itália, a Beata Es­te­fânia Quin­záni, virgem, irmã da Ordem Ter­ceira de São Do­mingos, que se de­dicou in­ten­sa­mente à con­tem­plação da paixão do Se­nhor e à for­mação cristã das jovens. († 1530). Ver páginas 115-116: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

14*.   Em An­gers, na França, os be­atos Gui­lherme Repin e Lou­renço Ba­tard, pres­bí­teros e már­tires, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, foram de­ca­pi­tados por causa da sua fi­de­li­dade à Igreja. († 1794)

15*.   Em La­chine, ci­dade do Quebec, pro­víncia do Ca­nadá, a Beata Maria Ana (Maria Ester) Sou­reau-Blondin, virgem, que, em­bora sem ins­trução na sua ju­ven­tude, fundou a Con­gre­gação das Irmãs de Santa Ana para for­mação dos fi­lhos dos agri­cul­tores, dando sempre nesse mi­nis­tério um exemplo in­signe de edu­ca­dora da ju­ven­tude. († 1890)

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 408, São Macário de Alexandria, comerciante de frutas que, aos quarenta anos, retirou-se para o deserto de Celas, no Baixo Egito. Ordenado presbitero, exerceu grande irradiação sobre os anacoretas que se reuniam cada domingo para a liturgia. (M). Ver “São Macário de Alexandria, contemporâneo de São Macário do Egito, vendia a princípio amêndoas, na cidade natal, para ganhar a vida. Em breve, seguindo o exemplo de Santo Antônio, que ainda vivia, abandonou a cidade e o mundo, e retirou-se para o deserto. Eram os fins de 335. Lá passou sessenta anos, unicamente entretido nos exercícios de penitência e de contemplação. Os anacoretas do deserto tinham, cada um, a sua cela, onde trabalhavam e oravam durante a semana. No sábado e no domingo, reuniam-se todos na igreja, a fim de participar do ofício divino e da comunhão. Quando faltava um dêles, os demais concluíam que estava enfêrmo e iam visitá-lo. A sua caridade era igual à mortificação. Um dia, teve Macário desejo de comer uvas frescas. Levaram-lhes algumas, muito lindas. Enviou-as a outro irmão doente, que as recebeu com alegria, pois as queria realmente; no entanto, mandou-as a outro, mais longe, e assim até o ultimo, que as fêz levar a Macário, como bom presente. Todos tinham tido vontade de comer as uvas. Macário, admirando a abnegação e caridade dos irmãos, não as tocou…

Com o dom dos milagres, teve a glória de ser perseguido pelos arianos em virtude da fé católica e da divindade de Cristo. Foi exilado em 375, com São Macário do Egito, e morreu em extrema velhice, por volta do ano de 395. Conforme páginas 102-104: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

– Ver também “São Macário de Alexandria (m. 395) foi um monge no deserto da Nítria (Uádi Natrum). Ele era um pouco mais jovem que o seu contemporâneo e homônimo, Macário do Egito, e por isso também é conhecido como Macário, o Moço. Ele era também conhecido como ho politikos.[2] Ele foi um asceta extremo e numerosos milag”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Macário_de_Alexandria

17. São Martiniano. Ver página 105: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

18. Santo Aspásio. Ver página 106: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

19. São Vicentiniano. Ver página 107: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

20. Bem-Aventurado Bentivoglio de Bonis, confessor. Ver páginas 109-111: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

21. Bem-Aventurado Geraldo Cagnoli, confessor. Ver páginas 112-113: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

22. São Gaspar del Bufalo, confessor. Ver páginas 117-118: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

– Ver também: página79: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

– VER AINDA EM 01 DE JULHO: “CULTO DO PRECIOSO SANGUE DE NOSSO SENHOR. O grande propagador do culto do Precioso Sangue de Nosso Senhor foi o bem-aventurado GASPAR DEL BUFALO. Ver páginas 117-118: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf –  instituidor dos padres missionários d o Precioso Sangue. Festa particular que estendeu-a Pio IX a tôda Igreja latina, e Pio X fixou-a na data de hoje.

– Ver páginas 70-80: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

Ver Carta Apostólica de São João XXIII, “Dado em Roma, junto a S. Pedro, no dia 30 de junho de 1960, vigília da Festa do Preciosíssimo Sangue de N. S. J. C., segundo ano do nosso Pontificado”: https://cleofas.com.br/carta-apostolica-do-papa-joao-xxiii-inde-a-primis-o-culto-do-preciosissimo-sangue-de-jesus-cristo/

– Ver “Na Igreja Católica julho é dedicado ao Preciosíssimo Sangue de Jesus.”:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Julho e https://pt.wikipedia.org/wiki/Precios%C3%ADssimo_sangue

23. São Serafim de Sarov. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Serafim_de_Sarov

– Ver “São Serafim de Sarov (em russo, Серафи́м Саро́вский, Serafim Sarovskiy) (Kursk1 de agosto de 1759 – Sarov14 de janeiro de 1833), nascido Prokhor Issidórovitch Mashnin (em russo, Прохор Исидорович Машнин, Prokhor Isidorovich Mashnin), foi um monge e taumaturgo ortodoxo, um stárets[1] e um dos santos mais venerados da Igreja Ortodoxa Russa. Foi glorificado pela Igreja Ortodoxa em 19 de janeiro de 1903, e, apesar de não ter sido canonizado pelo Vaticano, é popularmente venerado pelas Igrejas Católicas Orientais e a ele o Papa João Paulo II referiu-se como santo.[2] As suas relíquias estão no Convento Diveiévski, próximo de Sarov, Níjni Novgorod.[3]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Serafim_de_Sarov

24. Outros santos do dia 02 de janeiro, 98-121: 

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 02 de janeiro, ver ainda: 2 de janeiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 104-107:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DÊ-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 01 de janeiro

OBSERVAÇÃO SOBRE 01 DE JANEIRO:

No calendário romano era o dia das calendas de janeiro.

Júlio César determinou que passasse a ser o primeiro dia do ano quando fez a reforma do calendário que entrou em vigor neste dia do ano 45 a.C.. Anteriormente o ano tinha início nas calendas de março, o dia 1 de março. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/1_de_janeiro

CALENDÁRIO ROMANO

– Ver: -Calendário Romano: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Calend%C3%A1rio_romano

— Nonas: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Calend%C3%A1rio_romano

— Calendas: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Calendas

— Idos: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Idos

—————————————————————————————————-

 01 DE JANEIRO.  “Em primeiro de janeiro, celebramos a festa da maternidade de Maria e o Dia Mundial da Paz.

Maternidade de Maria. O mais antigo texto do Novo Testamento, que faz referência a Maria, é o capítulo quarto da Carta aos Gálatas. Afirma Paulo que, quando chegou a plenitude dos tempos, Deus enviou o seu Filho ao mundo, o qual nasceu de uma mulher. Quando chegou a plenitude dos tempos…Para Paulo, o momento da encarnação e do nascimento de Jesus é, para Deus, não um tempo qualquer, não um tempo comum. É o tempo da graça. O tempo por excelência. “…enviou o seu Filho ao mundo, o qual nasceu de uma mulher”. Paulo não diz o nome da mulher. Nem era necessário, pois na comunidade apostólica todos a conheciam. Os evangelhos porém registram o seu nome. Ele se chamava Maria.”: https://diocesedelorena.com/festa-da-maternidade-de-maria-e-o-dia-mundial-da-paz/

“Outrora existia a festa da maternidade divina de Maria, a 11 de Outubro, instituída pelo Papa Pio XI e que foi supressa com a reforma litúrgica do Concilio Vaticano II, ficando tal festividade no dia 1º de Janeiro. Mas a festa de 1º de Janeiro é antiquíssima onde, já no século VI se fazia a comemoração deste privilégio mariano.”: https://www.a12.com/academia/catequese/1585-anos-da-proclamacao-do-dogma-da-maternidade-divina-de-maria

* EM 11 DE SETEMBRO, FESTA DA MATERNIDADE DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA. Instituída por Pio XI em 1931. Ver: Carta Encíclica LUX VERITATIS: http://w2.vatican.va/content/pius-xi/it/encyclicals/documents/hf_p-xi_enc_19311225_lux– VEr veritatis.html

– Ver páginas 107-108: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

– Ver também motivo da festa em 11 de outubro: http://farfalline.blogspot.com/2014/10/maternidade-divina-de-Maria.html

http://espelhodejustica.blogspot.com/2017/10/11-de-outubro-maternidade-divina-de-n.html

Festa de NOSSA SENHORA DA GRAÇA, padroeira principal da Diocese de Parnaíba, Piauí, conforme o Martirológio Romano-Monástico. Ver em 08 de setembro, SOLENIDADES E OUTRAS FESTAS DE NOSSA SENHORA:

* Festa da Na­ti­vi­dade da Virgem Santa Maria, da des­cen­dência de Abraão, nas­cida da tribo de Judá, da li­nhagem régia de David, da qual nasceu o Filho de Deus, feito homem por vir­tude do Es­pí­rito Santo, para li­bertar os ho­mens da an­tiga es­cra­vidão do pecado. NOSSA SENHORA DA PENHA: ver também 08 de abril. Ver:  

http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/nossa-senhora-da-penha

https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Penha_de_Fran%C3%A7a

https://www.altoastral.com.br/nossa-senhora-da-penAa/

Ver ainda: págs. 366-374. OBSERVAÇÃO: entre as páginas 370-373, NOSSA SENHORA APARECIDA: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Ver ainda: NATIVIDADE DA SANTÍSSIMA VIRGEM: Ver páginas 99-100: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

* Conforme o Martirológio Romano-Monástico, FESTA DA NATIVIDADE DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA (08 de setembro), herdeira das Alianças e das promessas de Israel, de quem Cristo se originou, segundo a sua humanidade. Essa festa é igualmente celebrada pelos orientais bizantinos e siríacos, ao passo que os gregos e coptas a celebram na vigília deste dia. (R). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Natividade_de_Nossa_Senhora

– Solenidade de NOSSA SENHORA DE MONSERRATE, titular da Abadia Territorial de Nossa Senhora de Monserrate, no Rio de Janeiro, e padroeira principal das arquidioceses de Curitiba e Vitória, da diocese de Juazeiro e da prelazia de Lábrea. Nas cidades de Curitiba e Santos, é padroeira. Nas catedrais de Curitiba (Nossa Senhora da Luz), Vitória (Nossa Senhora da Vitória), Juazeiro (Nossa Senhora das Grotas) e Lábrea (Nossa Senhora de Nazaré), solenidade da titular. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Virgem_de_Montserrat

– VER AINDA:

* NOSSA SENHORA DA CARIDADE DO COBRE: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Caridade_do_Cobre

* NOSSA SENHORA DE NAZARÉ: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_de_Nazaré

* NOSSA SENHORA DA PENNA (também na Freguesia – Rio de Janeiro): https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Pena

* NOSSA SENHORA DO PORTO: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_do_Porto

* NOSSA SENHORA DA SAÚDE  https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Saúde

* NOSSA SENHORA MÃE DA DIVINA GRAÇA, padroeira da cidade de Parnaíba, Piauí. No Martirológio Romano-Monástico, festa em 11 de outubro. No  Diretório de Liturgia da CNBB, dia 11 de outubro é DEDICAÇÃO DA CATEDRAL. Ver: http://obviousmag.org/a_literatura_vivendo_em_mim/2017/dia-08-de-setembro-festa-da-mae-da-divina-gracapadroeira-da-cidade-de-parnaiba.html – VER TAMBÉM: http://www.diocesedeparnaiba.org.br/

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Oi­tava do Natal de Nosso Se­nhor Jesus Cristo e dia da Sua Cir­cun­cisão, a so­le­ni­dade de Santa Maria, Mãe de Deus (também na Folhinha do Coração de Jesus), que no Con­cílio de Éfeso os Pa­dres acla­maram como The­o­tókos, porque nela o Verbo Se fez carne e ha­bitou entre os ho­mens o Filho de Deus, prín­cipe da paz, a quem foi dado o Nome que está acima de todos os nomes. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, dentro da Oitava do Natal, Solenidade da Bem-Aventurada Virgem Maria Mãe de Deus, proclamada “Theotókos” no Concílio de Éfeso por ter concebido e gerado, segundo a carne, a própria Pessoa do Verbo Divino, que veio trazer a paz aos homens de boa vontade. (R).  Ver páginas 71-74: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

2.      Em Ce­sa­reia da Ca­pa­dócia, hoje Kay­seri, na Tur­quia, o se­pul­ta­mento de São Ba­sílio, bispo, cuja me­mória se ce­lebra amanhã. († c. 379). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Basílio_de_Cesareia

3.      Na Cam­pânia e nos Abruzos, re­giões da Itália, a co­me­mo­ração de São Jus­tino, que é ce­le­brado como bispo emi­nente pelo seu zelo e pela de­fesa dos cristãos. (c. s. IV)

4.      Em Roma, Santo Al­má­quio (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, opondo-se às lutas dos gla­di­a­dores, por ordem de Alípio, pre­feito da Ci­dade, foi morto pelos pró­prios gla­di­a­dores e con­tado entre os már­tires vencedores. († 391). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano do Senhor de 391, Santo Almáquio, martirizado na arena, onde havia tentado impedir os mortíferos jogos pagãos celebrados no primeiro dia do ano. (M). Ver página 95: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

5.       No monte Jura, na re­gião da Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, a co­me­mo­ração de Santo Eu­gendo, abade do mos­teiro de Condat, que desde a ado­les­cência viveu no mos­teiro, onde pro­moveu com grande vigor a vida comum dos monges. († 516). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 510, Santo Oiendo, abade de Condat, no Jura. Seu biógrafo relata que tinha sempre o cuidado de designar, para cada monge, o trabalho para o qual fosse mais particularmente dotado pelo Espírito Santo, e que se devotava à Lectio Divina dia e noite. (M)

6.       Em Ruspas, ci­dade da Bi­za­cena, na ac­tual Tu­nísia, São Ful­gêncio, bispo, que, de­pois de ter sido pro­cu­rador deste ter­ri­tório, abraçou a vida mo­nás­tica e foi eleito bispo. No tempo da per­se­guição dos Vân­dalos, por causa do seu zelo pela fé ca­tó­lica e emi­nente dou­trina, so­freu muito da parte dos ari­anos e duas vezes foi des­ter­rado pelo rei Tra­si­mundo para a Sar­denha. Tendo re­gres­sado à sua Igreja, de­dicou o resto da sua vida a for­ta­lecer os seus fiéis com a pa­lavra da graça e da verdade. († 533). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Fulgêncio. Pela leitura das obras de Santo Agostinho, renunciou a uma brilhante carreira para abraçar a vida monástica. Tornando-se mais tarde bispo de Ruspe, hoje Alfaque, cidade do litoral tunisiano, foi, por causa de sua fé na divindade de Cristo, exilado para a Sardenha, onde fundou o mosteiro de Cagliari. (M). Ver páginas 75-86: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

– Ver “Fulgêncio de Ruspe (em latimFulgentius Ruspensis) (Telepte468 – Ruspe1 de janeiro de 533) foi um santo católico, bispo de Ruspe, localidade da actual Tunísia.[1] Teólogo e polemista, discípulo e fiel seguidor da doutrina de Santo Agostinho, tornou-se famoso pela sua crítica do arianismo e do semipelagianismo. Foi o último dos grandes teólogos da Igreja africana e um expoente da influência exercida por esta no Ocidente.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Fulgêncio_de_Ruspe

7*.     Em Vi­enne, na Bor­gonha, na ac­tual França, São Claro, abade do mos­teiro de São Mar­celo, que deu aos monges exemplo in­signe da per­feição religiosa. († 660/670)

8*.     Em Troyes, ci­dade da Nêus­tria, também na ac­tual França, São Fro­do­berto, fun­dador e pri­meiro abade do mos­teiro de Moutier-la-Celle. († c. 667)

9*.          No mos­teiro de Fé­camp, na Nor­mandia, igual­mente na ac­tual França, o pas­sa­mento de São Gui­lherme, abade de São Be­nigno de Dijon, que nos úl­timos tempos da sua vida ori­entou com fir­meza e pru­dência muitos monges, dis­tri­buídos em qua­renta mosteiros. († 1031). Ver páginas 90-91: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

10.     Pró­ximo de Sau­vigny, ci­dade da Bor­gonha, também na ac­tual França, o pas­sa­mento de Santo Odilo, abade de Cluny, que foi sempre ri­go­roso para con­sigo mas be­nigno e mi­se­ri­cor­dioso para com os ou­tros, pa­ci­ficou em nome de Deus os povos be­li­ge­rantes e, em tempo de fome, so­correu com todos os meios os ne­ces­si­tados. Foi o pri­meiro a or­denar que se ce­le­brasse nos seus mos­teiros a co­me­mo­ração de Todos os Fiéis De­funtos no dia se­guinte à So­le­ni­dade de Todos os Santos. († 1049)

11.     Em Ja­bloné, na Boémia, ac­tu­al­mente na Ché­quia, Santa Ze­dis­lava, mãe de fa­mília, que prestou grande con­forto aos aflitos. († 1252). Ver página 92: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

12*.       Em Gualdo Cat­táneo, na Úm­bria, ac­tu­al­mente re­gião da Itália, o Beato Hu­go­lino, que viveu como eremita. († s. XIV). Ver página 93: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

13.          Em Roma, São José Maria Tomási, pres­bí­tero da Ordem dos Clé­rigos Re­grantes Te­a­tinos e car­deal, que, de­se­jando ar­den­te­mente a re­no­vação do culto di­vino, de­dicou quase toda a sua vida à in­ves­ti­gação e pu­bli­cação dos an­tigos textos e do­cu­mentos da sa­grada Li­turgia, assim como à ca­te­quese das crianças. († 1713). Ver páginas 87-89: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

– Ver “José Maria Tomasi C.R. (em italianoGiuseppe Maria Tomasi di Lampedusa) (Licata12 de setembro de 1649 – Roma1 de janeiro de 1713) foi um padre teatino, estudioso e cardeal-presbítero italiano. Seus estudos foram importantes para as reformas na liturgia da Igreja Católica no século XX. Ele foi beatificado pelo papa Pio VII, em 1803, e canonizado pelo papa São João Paulo II em 1986.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/José_Maria_Tomasi

14*.   Em Avrillé, pró­ximo de An­gers, na França, os ir­mãos be­atos João e Re­nato Lego, pres­bí­teros e már­tires, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, por se terem re­cu­sado a prestar o in­fame ju­ra­mento im­posto ao clero, foram de­ca­pi­tados na guilhotina. († 1794)

15.     Em Roma, São Vi­cente Maria Strámbi, bispo de Ma­ce­rata e de To­len­tino, da Con­gre­gação da Paixão, que go­vernou fi­el­mente as di­o­ceses que lhe foram con­fi­adas e, por per­se­verar na sua fi­de­li­dade ao Ro­mano Pon­tí­fice, so­freu o exílio. († 1824). Ver página 94: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

– Ver também “Em 1º de novembro deste mesmo ano, o papa Leão XII ficou gravemente doente. Ele ofereceu sua vida a Deus para que o Papa não morresse, rezando e fazendo penitência. Aos poucos ele se restabeleceu completamente, alguns meses depois, monsenhor Vicente Maria morreu, era o dia 1º de janeiro de 1824. Foi canonizado em 1950. A comemoração de São Vicente Maria Strambi acontece no dia de sua morte, recebendo homenagens especiais em Macerata, onde os seus restos mortais descansam na igreja de São Felipe, desde 1957.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Vincenzo_Maria_Strambi

16*.   Em Has­selt, pró­ximo de Ma­as­tricht, na Bél­gica, o Beato Va­lentim Pa­quay, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, que, na pre­gação, no mi­nis­tério da re­con­ci­li­ação e na de­voção ao ro­sário ma­riano, deu exemplo ad­mi­rável de ca­ri­dade cristã, al­can­çando, em seu es­pí­rito de hu­mil­dade, a mais su­blime santidade. († 1905)

17*.       Em L’viv, na Ucrânia, São Se­gis­mundo Go­raz­dowski, pres­bí­tero, na­tural da Po­lónia, que, ani­mado pelo seu grande amor ao pró­ximo, foi pre­cursor das obras para a de­fesa da vida, fundou o Ins­ti­tuto das Irmãs de São José e se de­dicou de todos os modos pos­sí­veis ao cui­dado dos po­bres e dos aban­do­nados. († 1920). Ver “São Zygmunt Gorazdowski (o seu nome próprio pode ser traduzido para Segismundo) (Sanok1 de novembro de 1845 – Lvov1 de janeiro de 1920, foi um padre católico romano polonês e fundador das Irmãs de São José.[1] Gorazdowski sofreu de tuberculose durante a sua infância, o que impediu seus estudos para o sacerdócio, exigindo que esperasse sua recuperação antes que pudesse ser ordenado. Após a ordenação, serviu em várias paróquias enquanto montava casas para órfãos e mães solteiras, assim como hospícios e outros estabelecimentos para várias pessoas; foi um escritor prolífico de catecismo e outras notas religiosas para o benefício de seu rebanho. [2][3] A causa de sua canonização foi aberta em 1 de junho de 1989, tendo se tornado Servo de Deus no início da causa. A confirmação da sua vida enquanto modelo de virtude heroica permitiu que fosse intitulado como Venerável, e posteriormente o Papa João Paulo II beatificou-o em sua visita à Ucrânia em 26 de junho de 2001. O Papa Bento XVI, mais tarde, o canonizou como santo em 23 de outubro de 2005 na Praça de São Pedro.[3]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Zygmunt_Gorazdowski

18.        Em San­tander, ci­dade da Can­tá­bria, no li­toral da Es­panha, o Beato André Gómez Sáez, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, der­ramou o seu sangue por Cristo. († 1937)

19.        Em Mirna, na Es­lo­vénia, o Beato Luís Grozde, membro da Acção Ca­tó­lica e mártir, que foi as­sas­si­nado em ódio à fé sob o re­gime comunista. († 1943)

20*.       No campo de con­cen­tração de Da­chau, nas pro­xi­mi­dades de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Ma­riano Ko­no­pinski, pres­bí­tero e mártir, na­tural da Po­lónia, que, de­pois de su­portar cruéis atro­ci­dades dos mé­dicos, morreu por Cristo Se­nhor. († 1943)

21. Em Alexandria, o trânsito de Santa Eufrosina (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que no mosteiro resplandeceu cheia de virtudes e milagres (conforme Martirológio Romano, Ed. Permanência).

22. São Telêmaco. Ver “São Telêmaco (português brasileiro) ou São Telémaco (português europeu) (? – Roma391) foi um monge[1] que, de acordo com o historiador da Igreja Teodoreto, tentou parar uma luta de gladiadores em um anfiteatro romano, e foi apedrejado até a morte pela multidão. O cristão imperador Honório, no entanto, ficou impressionado com o martírio do monge o que estimulou-o a emitir uma proibição histórica de lutas de gladiadores. A última luta de gladiadores conhecida em Roma foi em 1 de Janeiro 404 d.C., pelo que esta é geralmente dada como a data do martírio de Telêmaco.[2][3]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/São_Telêmaco

23. Outros santos do dia 01 de janeiro, págs. 71-97: 

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 01 de janeiro, ver ainda: 1 de janeiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 101-104:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DÊ-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/