Santas e Santos de 26 de janeiro

1. Me­mória dos santos Ti­móteo e Tito, bispos, dis­cí­pulos de São Paulo e seus au­xi­li­ares no apos­to­lado, o pri­meiro pre­si­dindo na Igreja de Creta, o se­gundo na Igreja de Éfeso. São Paulo es­creveu-lhes Epís­tolas, que re­velam sá­bias exor­ta­ções para a for­mação dos pas­tores e dos fiéis da Igreja. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, comemoração dos Santos Timóteo (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Tito (também na Folhinha do Coração de Jesus), discípulos de São Paulo. Timóteo, depois de ter sido batizado pelo Apóstolo e recebido a imposição das mãos, colaborou na evangelização da Ásia Menor e recebeu a direção da Igreja de Éfeso. O Apóstolo escreveu-lhe duas cartas, das quais a segunda constitui seu testamento espiritual prévio ao seu martírio. Tito, originário de Antioquia, foi designado por São Paulo para ir relembrar aos coríntios a doutrina da liberdade cristã em relação à lei mosaica. Posteriormente, organizou e dirigiu a Igreja de Creta. No Calendário Beneditino esta comemoração é transferida para o dia 27 de janeiro.  Ver “Timóteo (em grego: Τιμόθεος – Timótheos, que significa “honrando a Deus”[1] ou “honrado por Deus”[2]) foi um bispo cristão do século I que morreu por volta do ano 80 O Novo Testamento indica que Timóteo esteve com Paulo de Tarso, que era seu mentor, durante as suas viagens missionárias. Ele é considerado como sendo o destinatário das Epístolas a Timóteo. Ele está listado como um dos Setenta Discípulos.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Timóteo_de_Éfeso

– Ver também “Tito era um companheiro de São Paulo, mencionado em diversas epístolas paulinas. Tito estava com Paulo e Barnabé em Antioquia e os acompanhou no Concílio de Jerusalém[1], embora seu nome não seja citado nos Atos dos Apóstolos. Ele está listado como um dos Setenta Discípulos.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Tito_(bíblico)

2.   Em Hi­pona, na Nu­mídia, hoje An­naba, na Ar­gélia, São Teó­genes, mártir, sobre o qual Santo Agos­tinho pro­feriu um sermão ao povo. († c. 257). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Hipona, na África, perto de 257, São Teógeno, bispo, que foi imolado com trinta e seis cristãos de sua igreja. (M)

3.   Em Belém da Ju­deia, Santa Paula, viúva, de no­bi­lís­sima fa­mília se­na­to­rial, que re­nun­ciou ao mundo, dis­tri­buiu aos po­bres os seus bens e com a Beata Eus­tó­quio, virgem, sua filha, se re­co­lheu no pre­sépio do Senhor. († 404). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no começo do séc. V, a volta para Deus de Santa Paula (também na Folhinha do Coração de Jesus), viúva romana de origem nobre. Foi para a Palestina para lá reencontrar São Jerônimo. Recolhida, finalmente, com sua filha Eustóquia em um dos dois mosteiros que havia feito construir em Belém, entregou-se por vinte anos à oração e ao estcudo da Bíblia. (M). Ver páginas 190-194: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

Ver “Santa Paula (Roma5 de maio de 347 — Belém404), também conhecida como Santa Paula de Roma, é uma santa cristã comemorada pela Igreja Católica no dia 26 de Janeiro. É considerada co-patrona da Ordem de São Jerónimo.[1]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Paula_de_Roma

4*.   Em Je­ru­salém, os santos Xe­no­fonte e Maria e seus fi­lhos João e Ar­cádio, que, ab­di­cando da sua dig­ni­dade se­na­to­rial e de am­plís­sima for­tuna, pro­fes­saram com unâ­nime fervor, se­gundo a tra­dição, a vida mo­nás­tica na Ci­dade Santa. († s. VI)

5*. No mos­teiro de Mo­lesmes, na França, São Ro­berto ( ver dias 26 de janeiro, 17 de abril e 29 de abril), abade, que, pro­cu­rando pra­ticar a vida mo­nás­tica de ob­ser­vância mais sim­ples e aus­tera, foi in­can­sável fun­dador e di­rector de ce­nó­bios, bem como di­rector de ere­mitas e in­signe res­tau­rador da dis­ci­plina mo­nás­tica, e fundou o mos­teiro de Cister, do qual foi o pri­meiro abade; fi­nal­mente re­gressou como abade ao mos­teiro de Mo­lesmes, onde des­cansou em paz. († 1111). Ver páginas 351-355: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver: https://caminhocisterciense.com/2018/01/26/os-fundadores-de-cister-i-s-roberto-de-molesmes/

– Ver ainda: http://users.skynet.be/am012324/scriptorium/fundadores/roberto.htm

– Ver também: https://en.wikipedia.org/wiki/Robert_of_Molesme

* Em Cister, na Bor­gonha, na ac­tual França, Santo Al­be­rico, abade, foi um dos pri­meiros monges vindos de Mo­lesmes para o novo mos­teiro, que de­pois, eleito seu abade, o di­rigiu com sumo ardor e pru­dência, en­si­nando e dando exemplo de per­feita vida mo­nás­tica, com ver­da­deiro amor à Regra e aos irmãos. († 1109). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no início do séc. XII o nascimento no céu dos santos abades fundadores de Cister. A São Roberto de Molesme se deve essa orientação mais despojada do monaquismo beneditino, para a qual Santo Alberico elaborou as primeiras Instituições. Santo Estevão Harding, finalmente, garantiu o definitivo brilho da Ordem Cisterciense redigindo a Carta de Caridade e fundando as primeiras grandes casas dependentes de Cister. (B). Ver Santo Alberico na página 197: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

Ver “Ordem de Cister, ou Ordem Cisterciense (Ordo cisterciensisO. Cist.), é uma ordem religiosa monástica católica beneditina reformada. Aos seus membros religiosos de clausura monástica dá-se o nome de monges (ou monjas) cistercienses, ou monges brancos, como ficaram conhecidos devido à cor do hábito.”: Ordem de Cister – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também: https://caminhocisterciense.com/2018/01/31/os-fundadores-de-cister-iii-s-estevao-harding/

6*.   Em Trondheim, na No­ruega, Santo Agos­tinho Er­landsson (Eyns­tein Er­landsson), bispo, que de­fendeu contra os so­be­ranos a Igreja que lhe foi con­fiada e a for­ta­leceu com ad­mi­rável diligência. († 1188). Ver “Agostinho de Nidaros (em latimAugustinus Nidroniensis; em norueguêsØystein Erlandson; ca. 1120, perto de Trontêmio – 1188Trontêmio) foi arcebispo da Noruega no século XII.[1][2] Foi nomeado arcebispo de Nidaros (atual Trontêmio) pelo rei Ingo I da Noruega em 1157, e oficialmente pelo papa Alexandre III em 1161. Foi declarado santo por um sínodo norueguês, mas nunca canonizado pelo Vaticano. Em 2001, o papa permitiu contudo que Agostinho de Nidaros seja celebrado no dia 20 de janeiro.[3]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Agostinho_de_Nidrósia

7*.   Em An­gers, na França, a Beata Maria de la Dive, mártir, que, sendo viúva, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa foi de­ca­pi­tada na gui­lho­tina por causa da sua fi­de­li­dade à Igreja. († 1794)

8*.   Perto de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Mi­guel Kozal, bispo au­xi­liar de Wlo­clawek e mártir, que, sob o re­gime nazi, por as­sumir a de­fesa da fé e a li­ber­dade da Igreja, passou com in­ven­cível pa­ci­ência en­cer­rado três anos no campo de con­cen­tração de Da­chau, até que fi­nal­mente aí con­sumou o martírio. († 1943)

9.   Em Hong Kong, o Beato Ga­briel Maria Allegra, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, in­signe es­tu­dioso e anun­ci­ador da Sa­grada Es­cri­tura, que compôs a versão de toda a Bí­blia em lingua chinesa. († 1976)

10. Outros santos do dia 26 de janeiro, páginas 175-198: VIDAS DOS SANTOS – 2.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 26 de janeiro, ver ainda: 26 de janeiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 157-159:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 25 de janeiro

1. Festa da Con­versão de São Paulo, Após­tolo, ao qual, quando ia para Da­masco, ainda res­pi­rando ame­aças de morte contra os dis­cí­pulos do Se­nhor, o pró­prio Jesus glo­rioso Se apre­sentou no ca­minho e o es­co­lheu, para que, cheio do Es­pí­rito Santo, anun­ci­asse o Evan­gelho da sal­vação aos gen­tios, pa­de­cendo muitas tri­bu­la­ções pelo nome de Cristo. († c. 67). Festa da Conversão de São Paulo (também na Folhinha do Coração de Jesus), fato que ocorreu seis anos depois da Ascensão do Senhor. Pouco depois de ter aprovado o martírio de Santo Estêvão, que morreu rezando por seus carrascos -, Saulo de Tarso, fariseu, tramava ameaças contra os adeptos do caminho de Cristo, até que um dia, viajando para Damasco, foi chamado pelo próprio Jesus a quem perseguia a tornar-se um instrumento privilegiado para a evangelização do mundo. (R). Ver páginas 156-163: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

Ver “conversão do apóstolo Paulo, chamada também de conversão de são Paulo, é, de acordo com o Novo Testamento, um acontecimento na vida de Paulo de Tarso que o levou a deixar de perseguir os primeiros cristãos e tornar-se um seguidor de Jesus. É normalmente datado pelos pesquisadores para 33-36 d.C..[1][2][3] ”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Conversão_do_apóstolo_Paulo

 

2.   Co­me­mo­ração de Santo Ana­nias, dis­cí­pulo do Se­nhor, que bap­tizou Paulo, de­pois da sua conversão. Ver página 166: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdfVer “Ananias de Damasco, dito Santo Ananias, foi um discípulo de Jesus e companheiro de Paulo de Tarso. Os Atos dos Apóstolos relatam como ele foi enviado por Deus para curar a cegueira de Paulo e introduzi-lo à Igreja.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ananias_de_Damasco

3*.   Em Poz­zuólli, na Cam­pânia, re­gião da Itália, Santo Ar­temas, mártir. († s. III-IV)

4.   Em Car­tago, na ac­tual Tu­nísia, Santo Agileu, mártir, em cujo dia natal Santo Agos­tinho pregou na sua ba­sí­lica um sermão ao povo em sua honra. († s. III-IV)

5.   Em Na­zi­anzo, na Ca­pa­dócia, hoje Ne­nízi, na Tur­quia, o dia natal de São Gre­gório, bispo, cuja me­mória é ce­le­brada no dia 2 de Janeiro. († c. 389)

6.   Co­me­mo­ração de São Bre­ta­nião, bispo de Tómis, na Cítia, hoje Cons­tança, na Ro­ménia, que, no tempo do im­pe­rador ariano Va­lente, a quem re­sistiu com grande for­ta­leza, foi emi­nente pela sua ad­mi­rável san­ti­dade e pelo seu zelo na de­fesa da fé católica. († s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Ásia Menor, no final do séc. IV, São Bretânio, bispo, que diante de seu povo reunido em frente à catedral enfrentou o imperador, confessando a fé de Nicéia sobre a divindade do Verbo. (M). Ver páginas 167-168: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

   

7.   Em Ta­benna, na Te­baida, re­gião do Egipto, São Pa­lémon, ana­co­reta, in­ten­sa­mente con­sa­grado à oração e à con­tínua pe­ni­tência, que foi mestre de São Pacómio. († s. IV)

8.   Em Ar­vena, na Aqui­tânia, hoje Cler­mont-Fer­rand, na França, os santos Preste, bispo, e Ama­rino, homem de Deus, ambos mortos às mãos dos no­tá­veis da cidade. († 676). São Projeto, bispo e Amarino, abade. Ver páginas 170-173: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

9.   Em Mar­chi­ennes, na Flan­dres, também na ac­tual França, São Popão, abade de Sta­belot e de Mal­médy, que di­fundiu em muitos mos­teiros da Lo­ta­ríngia a ob­ser­vância de Cluny. († 1048). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1048, São Popônio, abade de Stavelot, na diocese de Liège, que seguiu o Bem-Aventurado Ricardo, abade de Saint-Vanne de Verdun, na reanimação do monaquismo na Flandres. (M). Ver “São Popo, abade de Stavelo” páginas 164-165: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

10*.   Em Ulm, na Suábia, re­gião da Ale­manha, o beato Hen­rique Suso, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, que su­portou pa­ci­en­te­mente inú­meras tri­bu­la­ções e en­fer­mi­dades, compôs um tra­tado sobre a sa­be­doria eterna e pregou as­si­du­a­mente sobre o su­a­vís­simo nome de Jesus. († 1366)

11*.   Em Amân­dola, no Pi­ceno, hoje re­gião das Marcas, na Itália, o beato An­tónio Mi­gli­o­ráti, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agostinho. († 1450)

12*.   Em Mântua, na Lom­bardia, re­gião da Itália, a Beata Ar­cân­gela Gir­láni (Le­onor Gir­láni), virgem da Ordem das Car­me­litas, pri­o­resa do con­vento de Parma e fun­da­dora do ce­nóbio de Mântua. († 1495)

13*.   Em Tor­tosa, na Es­panha, o Beato Ma­nuel Do­mingo y Sol, pres­bí­tero, que ins­ti­tuiu a So­ci­e­dade dos Sa­cer­dotes Ope­rá­rios do Co­ração de Jesus, para fo­mentar vo­ca­ções sacerdotais. († 1909)

14*.   Em Ales­sân­dria, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, a beata Maria Antónia (Te­resa Grillo), re­li­giosa, que, ao ficar viúva, se de­dicou mi­se­ri­cor­di­o­sa­mente às ne­ces­si­dades dos po­bres e, ven­dendo tudo o que pos­suía, fundou a Con­gre­gação das Ir­mã­zi­nhas da Di­vina Providência. († 1944)

15*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, perto de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato An­tónio Swi­adek, pres­bí­tero e mártir, que, em tempo de guerra, por de­fender a fé pe­rante os se­quazes de dou­trinas hostis a toda a dig­ni­dade hu­mana e cristã, re­cebeu a coroa im­pe­re­cível de glória. († 1945)

16. Em Antioquia, no ano da graça de 363, o martírio dos Santos Juventino (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Maximino, oficiais da guarda de Juliano Apóstata, decapitados por terem protestado contra leis injustas dirigidas contra os cristãos. (M). No mesmo dia, em Antioquia, os santos mártires Juventino (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Máximo. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, São Maximino. Eram oficiais da guarda de Juliano apóstata, decapitados por terem protestado contra leis injustas dirigidas contra os cristãos. (M). Sob Juliano, o Apóstata, receberam a coroa do martírio. Dois oficiais da guarda do Apóstata, refletindo sôbre as perversidades que vinham de presenciar por tôda a parte, confessaram Jesus Cristo, com constância, e foram decapitados. Conforme pág. 173:

17. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Auvergne, São Prício, bispo de Clermont, que fundou diversos mosteiros e um hospital em sua diocese, mas fo assassinado por um grupo de nobres, ciumentos de sua influência. (M).

18. Santo Apolo (também na Folhinha do Coração de Jesus). SANTO APOLÔNIO – Abade, também conhecido por Apolo (também na Folhinha do Coração de Jesus),era arredio e quieto desde criança. Com a idade de quinze anos deixou a casa dos pais, procurou o deserto, inspirado por Deus. Era na Tebaida, e Apolônio ali viveu por quarenta anos na mais rigorosa abstinência, debaixo das maiores austeridades. Diz-se que, desde que se isolara, jamais se alimentara do que quer que tivesse passado pelo fogo.

Quando (era a época de) Juliano, o Apóstata, também a um apêlo do Senhor, deixou a solidão do ermo e foi estabelecer-se em Hermópolis, reunindo ao pé de si perto de quinhentos religiosos.

Certa vez, grassava a fome na Tebaida, não havia com que alimentar seus inúmeros companheiros. O espetro da inanição, sinistro, rondava a comunidade. Apolônio, a quem Deus confiou, benigno, o dom dos milagres, enquanto perdurou a carestia pôde sustentar seus quinhentos companheiros por uma sucessiva e miraculosa multiplicação de pães. Depois de deixar aos religiosos que formou uma instrução para a santificação da alma, morreu tranqüilamente em 395, bastante idoso. Conforme pág. 169:

19. Outros santos do dia 25 de janeiro, páginas 156-174: VIDAS DOS SANTOS – 2.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 25 de janeiro, ver ainda: 25 de janeiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 155-157:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/