Santas e Santos de 09 de abril

NESTE 09 DE ABRIL, MARTÍRIO DA BEM-AVENTURADA LINDALVA JUSTO DE OLIVEIRA, PRIMEIRA MULHER A SER BEATIFICADA NO BRASIL (Nº 16, ABAOXO).

TAMBÉM HOJE, 09 DE ABRIL, UMA FAMÍLIA DE SANTOS (ELEVADOS À HONRA DOS ALTARES) MULHER, MARIDO, FILHOS…: SANTA VALDETRUDES (VALTRUDES) Nº 7 ABAIXO

1.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, São Má­ximo, bispo, que, du­rante o tempo em que era pres­bí­tero, acom­pa­nhou no exílio e na con­fissão da fé São Di­o­nísio (VER 08 DE ABRIL E 17 DE NOVEMBRO), a quem su­cedeu na sede episcopal. († 282). Ver “Máximo de Alexandria, foi o patriarca de Alexandria, entre os anos de 265 e 282. Foi durante seu episcopado que Paulo de Samósata foi exilado do Egito.

É venerado como santo pela Igreja Ortodoxa Copta, sendo sua festa celebrada no dia 23 de abril.” (pode não ser este o São Máximo lembrado no Martirológio Romano): https://pt.m.wikipedia.org/wiki/M%C3%A1ximo_de_Alexandria

2.   Também em Ale­xan­dria, Santo Edésio (VER TAMBÉM 08 DE ABRIL), irmão de Santo An­fiano, que, no tempo do im­pe­rador Ma­xi­mino, cen­surou aber­ta­mente o juiz por en­tregar ao le­no­cínio as vir­gens con­sa­gradas a Deus, e por isso foi preso e tor­tu­rado pelos sol­dados e lan­çado ao mar, mor­rendo por Cristo Nosso Senhor. († 306). Em Alexandria, neste mesmo dia, Santo Edésio (também na Folhinha do Coração de Jesus de 08 de abril) mártir, quando do imperador Maximiano Galero. Quando tentava reprimir um ato indigno de um juiz ímpio, repreendendo-o por condenar à prostituição virgens consagradas a Deus, foi prêso por soldados, Ievado a cruéis suplícios e atirado ao mar pela fé no Senhor Jesus, no ano de 306. Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 08 de abril, no ano do Senhor de 306, a paixão de Santo Edésio. Versado nas ciências profanas assim como nas sagradas, reagiu com energia quando soube das sevícias exercidas pelo governador de Alexandria contra as virgens cristãs. Sua corajosa intervenção foi recompensada com a palma do martírio. (M). Ver página 213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

3.   Em Sir­mium, na Pa­nónia, hoje Sremska Mi­tro­vica, na Sérvia, São De­mé­trio (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, que é pi­e­do­sa­mente ve­ne­rado em todo o Ori­ente, es­pe­ci­al­mente em Tessalónica. († s. III/IV)

4.   Em Ce­sa­reia, na Ca­pa­dócia, hoje Kay­seri, na Tur­quia, Santo Eup­sí­quio, mártir, que, por ter des­truído o templo da deusa For­tuna, so­freu o mar­tírio no tempo do im­pe­rador Ju­liano Apóstata. († c. 362)

5.   Em Le Mans, na Gália Li­o­nense, hoje na França, São Li­bório, bispo. († s. IV)

6.   Em Amida, na Me­so­po­tâmia, hoje Diyar­bakir, na Tur­quia, Santo Acácio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, para res­gatar os persas ca­tivos e su­jeitos a duros su­plí­cios, per­su­adiu o clero e chegou a vender aos ro­manos os vasos sa­grados da Igreja. († s. V). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 688, na Mesopotâmia, Santo Acádio (ou Acácio), bispo, que para resgatar prisioneiros de guerra mandou fundir e vender os vasos sagrados da sua igreja. (M)

7.   Em Mons, na Nêus­tria, hoje na Bél­gica, Santa Val­de­trudes, (Valtrudes) que era irmã de Santa Al­de­gundes, es­posa de São Vi­cente Ma­del­gário e mãe de quatro santos, e, imi­tando seu es­poso, se con­sa­grou a Deus e tomou o há­bito mo­nás­tico num ce­nóbio por ela fundado. († 688). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 688, Santa Valdetrudes, mãe de família cristã. Depois de ter criado seus quatro filhos, todos honrados como santos, abraçou uma vida de oração na solidão, na qual várias vocações a ela se juntaram, o que originou a fundação de um mosteiro em torno do quan se formou a cidade de Mons, na região do Hainaut (Bélgica). (M). Ver também Santa Valtrudes às páginas 214-215: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Na história da Cristandade não faltam casos de famílias inteiras que foram elevadas às honras dos altares, como, por exemplo, a santa festejada no dia de hoje, Valdetrudes (em francês Waudru), que é venerada com seus genitores, São Valdeberto e Santa Bertila, com sua irmã Santa Aldegundes, com seu esposo, São Vicente Madelgário, e seus quatro filhos: São Landerico, Bispo de Paris, São Dentilino, falecido ainda jovem, Santa Aldetrudes, Abadessa de Maubeuge e Santa Madelberta, Abadessa no mesmo mosteiro…”: http://heroinasdacristandade.blogspot.com/2012/04/santa-valdetrudes-abadessa-festejada-9.html

8.   Em Jumièges, também na Nêus­tria, hoje na França, Santo Hugo, bispo de Rouen, que go­vernou si­mul­ta­ne­a­mente o mos­teiro de Fon­te­nelle e as Igrejas de Paris e de Baieux e, fi­nal­mente, re­nun­ci­ando a estas fun­ções, di­rigiu o mos­teiro de Jumièges. († 730). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano de 730, São Hugo, sobrinho de Carlos Magno e primo-irmão de Pepino, o Breve. Consagrou sua vida ao serviço da Igreja e do monaquismo como abade de Fontenelle, e posteriormente como bispo de Paris e de Bayeux. (M)

9.   No lugar de São Vi­cente, pró­ximo de Bri­vi­esca, em Cas­tela, re­gião da Es­panha, Santa Cas­silda, virgem, que, tendo nas­cido na re­li­gião ma­o­me­tana, ajudou com­pas­si­va­mente os cris­tãos en­car­ce­rados e de­pois se­guiu a vida cristã na so­lidão eremítica. († 1075). Ver também páginas 218-219: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Santa Cacilda ( – + Briviesca1007) foi uma princesa moura que fruto da perseguição que foi feita pelo pai contra a sua religiosidade cristã, se tornou eremita e que é muito venerada em BurgosToledo e Saragoça.

Tem a particularidade, tal como à Rainha Santa Isabel e à sua tia Santa Isabel da Hungria, de lhe ser atribuída o Milagre das Rosas.

Houve tempos que era invocada em tempos de guerra.

Sua festa litúrgica e comemorada no dia 9 de abril.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Santa_Cacilda

10*.   Em Au­reil, no ter­ri­tório de Li­moges, na França, São Gauquério, que foi có­nego re­gular e res­plan­deceu para o clero como exemplo de vida comum e zelo das almas. († 1140)

– Ver “Gauquério nasceu em Meulan-sur-Seine na segunda metade do século XI. Inicialmente foi instruído nas artes liberais e posteriormente se colocou sob a guia de Humberto, Cônego de Limoges. Aos 18 anos de idade, junto com Germundo, seu amigo, foi viver a vida na solidão, como eremita na floresta. No entanto, a solidão dos dois durou pouco: vários jovens iam chegando um após o outro: desejavam aprender o caminho da vida religiosa com Gauquério. Por esse motivo, Guaquério pedirá aos cônegos de Limoges a permissão para construir um mosteiro num bosque que era da propriedade do capítulo. Assim nasceu o mosteiro de Aureil. Mais tarde Gauquério iria fundar também um mosteiro feminino: ambas as fundações seguiriam a regra de Santo Agostinho. Aos 80 anos de idade, no dia 9 de abril, o Santo ia à cavalo quando se desequilibrou e caiu: feriu-se tão gravemente que morreu quase que imediatamente. Seu corpo foi sepultado em Aureil. Papa Celestino III emitiu um decreto reconhecendo a santidade de Gauquério.”: https://pt.aleteia.org/daily-prayer/terca-feira-9-abril/

– Ver também “São Gauquério nasceu em Meulan-sur-Seine – França na segunda metade do século XI e alcançou uma cultura humanística.
Desejoso de uma vida mais austera retirou-se num lugar solitário. Ao se transferir em outra região da França, por três anos viveu como ermitão, até que, acorrendo a ele muitos discípulos, edificou dois mosteiros: um para homens, outro para mulheres, pondo-os sob a regra canônica de Santo Agostinho. Passou o resto da vida com os irmãos, dando a todos, exemplo de toda virtude. Morreu aos oitenta anos em 09 de abril de 1140.”: http://www.conegoslateranenses.comunidades.net/abril-maio-junho

11*.   Junto ao monte Se­nário, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Ubaldo de Sansepolcro, pres­bí­tero da Ordem dos Servos de Maria, que foi con­du­zido da mi­lícia ter­restre ao ser­viço de Maria por São Fi­lipe Benízi. († 1315)

12*.   Em Tana, na Índia ori­ental, o Beato Tomás de Tolentino, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores e mártir, que, tendo par­tido para anun­ciar o Evan­gelho no im­pério da China, quando pas­sava pelas terras dos Tár­taros e dos In­di­anos, co­roou a sua missão com glo­rioso martírio. († 1321)

13*.   Em Bri­che­rásio, junto de Pi­ne­rolo, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato An­tónio Pa­vóni, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, ao sair da igreja onde pre­gara contra a he­resia, foi bar­ba­ra­mente trucidado. († 1374). Ver páginas 220-221: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

14♦.   Em Dax, na Aqui­tânia, re­gião da França, a Beata Mar­ga­rida Rutan, virgem da Con­gre­gação das Fi­lhas da Ca­ri­dade de São Vi­cente de Paulo e mártir. († 1794)

15*.   No campo de con­cen­tração de Aus­chwitz, perto de Cra­cóvia, na Po­lónia, a Beata Ce­les­tina Faron, virgem da Con­gre­gação das Pe­quenas Servas da Ima­cu­lada Con­ceição e mártir, que, du­rante a ocu­pação mi­litar da Po­lónia, foi en­cer­rada no cár­cere por causa da sua fé em Cristo e, ator­men­tada por cruéis su­plí­cios, al­cançou a glo­riosa coroa do martírio. († 1944).

16♦.   Em Sal­vador da Baía, no Brasil (NESTE DIA 09 DE ABRIL, CONFORME MARTIROLÓGIO ROMANO, nº 1 abaixo), a (MARTÍRIO DA) BEATA LIN­DALVA JUSTO DE OLIVEIRA, virgem da Com­pa­nhia das Fi­lhas da Ca­ri­dade de São Vi­cente de Paulo e mártir. († 1993). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lindalva_Justo_de_Oliveira

– Ver “…após o processo canônico, para alegria da Igreja no Brasil, no dia 2 de dezembro de 2007, irmã Lindalva foi beatificada pelo papa Bento XVI, pelo seu testemunho de entrega da vida em favor dos irmãos e do Cristo, o divino Esposo.”: https://pt.aleteia.org/daily-prayer/domingo-7-de-janeiro/

Ver também “Esta Filha da Caridade certamente não esperava morrer em uma idade tão jovem (20/10/1953 – 09/04/1993). Tendo oferecido sua vida, ela testemunhou por sua morte que “Ninguém tem amor maior do que este para dar a vida para os amigos” (Jo. 15:13).

O processo de beatificação foi iniciado pela aclamação popular. As pessoas foram tocadas pela fé desta jovem irmã, seu serviço aos pobres e fidelidade ao seu compromisso que acabou levando ao seu martírio. A beatificação ocorreu em Salvador – Bahia, Brasil, no dia 2 de dezembroNd 2007, em um enorme estádio com quase 60.000 pessoas presentes.

Irmã Lindalva foi a primeira mulher a ser beatificada no Brasil. Ela ainda era uma jovem filha da caridade, 4 anos de vocação, quando foi martirizada. Sua fidelidade à sua vocação e seu amor por todos sem preferências eram tão intensos que ela não hesitou em dar sua vida por eles.”: http://filles-de-la-charite.org/pt/history/saints-and-blessed-daughters-of-charity/blessed-lindalva-justo-de-oliveira/ 

– Ver “Beata Lindalva Justo de OliveiraFDC (Assu20 de outubro de 1953 — Salvador9 de abril de 1993) foi uma religiosa das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, proclamada beata mártir pela Igreja Católica no dia 2 de dezembro de 2007. Seus restos mortais encontram-se na Capela das Relíquias da Beata Lindalva, na região central da cidade do Salvador, desde o dia 6 de abril do ano de 2014. Por guardar as relíquias de uma mártir católica a capela é um importante centro de devoção e recebe diariamente a visita de muitas pessoas.[1]Martirizada em 09 de abril: No amanhecer do dia 9 de abril, Sexta-Feira Santa, Irmã Lindalva participou da Via-Sacra, na paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem. [2]Ao regressar, serviu o café da manhã aos idosos, como de costume. A irmã – ocupada com o serviço – não percebeu que Augusto se aproximava. Foi surpreendida com um toque no ombro. Ao virar-se, recebeu os golpes que lhe tiraram a vida. Um senhor ainda tentou intervir; mas Augusto ameaçou de morte quem ousasse se aproximar. Após o crime, o assassino foi esperar a polícia sentado em um banco, na frente do abrigo. Após condenação, foi internado em um manicômio judiciário.

Os médicos legistas identificaram 44 perfurações no corpo da religiosa. Imediatamente seu assassinato foi identificado pela comunidade católica como martírio, e associaram a tragédia às celebrações da Sexta-Feira da Paixão.[2]”: 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Lindalva_Justo_de_Oliveira

– Ver também “Toda santidade passa pelo crisol do sofrimento. Em 1993, devido a uma recomendação, o abrigo acolheu entre os anciãos Augusto da Silva Peixoto, homem de 46 anos. Ele passou a assediar Ir. Lindalva, e chegou até mesmo a manifestar-lhe suas intenções. Ela começou a ter medo, e procurou afastar-se o mais que pode. Confidenciou-se com outras irmãs e refugiava-se na oração. Seu amor aos velhinhos a mantiveram no abrigo, e chegou a dizer a uma irmã: “prefiro que meu sangue seja derramado do que afastar-me daqui”.

Por não ser correspondido, Augusto foi à Feira de São Joaquim na Segunda-feira Santa e comprou uma peixeira, que amolou ao chegar no abrigo. Não dormiu na noite de quinta para sexta-feira santa. De manhã, Irmã Lindalva havia participado da Via-Sacra, ao raiar da aurora, na paróquia da Boa Viagem. Ao regressar, foi servir o café da manhã aos idosos. Subiu as escadarias da enfermaria, como se estivesse subindo para o calvário, e pôs-se a servir pão com café e leite para os internos da ala masculina. Todos eles estavam em fila, esperando a vez. A irmã, compenetrada com o café, tinha a cabeça baixa quando sentiu um toque no ombro: virou-se e teve tempo apenas de ver o rosto enraivecido do homem que conhecera havia poucos meses… Em seguida, foram dezenas de facadas, pontilhadas por todo o corpo. Tudo diante do semblante horrorizado dos velhinhos que assistiam à cena bem em frente à mesa de café. Um senhor ainda tentou evitar a tragédia, avançando sobre o assassino. Mas Augusto Peixoto estava decidido e, ameaçou de morte quem ousasse se aproximar. Terminado o crime, foi esperar a polícia sentado em um banco na frente da casa. Do abrigo, ele foi para Casa de Detenção e, posteriormente, parou no Manicômio Judiciário. Passados dez anos, os laudos psiquiátricos indicam que ele já não apresenta mais perigo à sociedade. Mas Augusto não tem para onde ir, e o manicômio é sua única casa. Hoje se diz arrependido, e não sabe como foi capaz de fazer aquilo.

Os médicos legistas contaram no corpo de Ir. Lindalva 44 perfurações. Naquela sexta-feira santa, enquanto Cristo morria na cruz, ela morria na sua enfermaria. Cristo levou 39 açoites, e com as 5 chagas, dos pés, mãos e costado, ao todo 44,  unia simbolicamente a morte de Lindalva à sua paixão, que um pouco antes ela acabara de celebrar na Via-Sacra. Com impressionante realismo ela agora podia repetir as palavras de Cristo no Evangelho: “Não vim para ser servido, mas para servir e dar a minha vida em resgate de muitos” (Mt 20, 28).

À noite, a procissão do Senhor Morto, que todos os anos passava por aqueles quarteirões, parou na Capela do abrigo. O caixão com corpo de Ir. Lindalva foi trazido e colocado entre o féretro do Senhor Morto e a estátua de Nossa Senhora das Dores. Por toda aquela noite ali compareceu uma multidão de fiéis, padres, religiosos, pessoas de todas as condições sociais, e até mesmo evangélicos, vindos de toda a cidade. Pela manhã do Sábado Santo Dom Lucas Moreira Neves, então Cardeal Primaz de Salvador, celebrou as exéquias. Na missa do domingo in albis ele comentou que poucos anos de vida religiosa foram suficientes para que ela recebesse a graça do martírio, pois deu a sua vida por amor, como São Maximiliano Maria Kolbe, também mártir. E evocando as “sugestões que o seu nome encerra”, disse: “Linda alva é a branca veste que ela, como cada cristão, recebeu no seu batismo; Linda alva é o seu hábito azul de Irmã de Caridade, agora alvejado no Sangue do Cordeiro (Ap. 7, 14) ao qual se misturou o seu sangue; Linda alva é a límpida aurora da Páscoa de Jesus, que raiou para ela três dias depois da sua trágica sexta-feira santa. Límpida aurora – linda alva – da sua própria Páscoa!”: http://www.santosdobrasil.org.br/?system=news&eid=294 

VER TAMBÉM DIA 07 DE JANEIRO: Bem-Aventurada Lindalva Justo de Oliveira (também na Folhinha do Coração de Jesus).

– Ver ainda: BEM-AVENTURADOS BRASILEIROS QUE AINDA NÃO ESTÃO INSCRITOS NO CALENDÁRIO LITÚRGICO DO BRASIL (conforme o DIRETÓRIO DA LITURGIA – CNBB – 2021):

1. Bem-aventurada Lindalva Justo de Oliveira, mártir: 07 de janeiro (beatificada em 02/12/2007)

2. Bem-aventurado João Schiavo, presbítero: 27 de janeiro (beatificado em 28/10/2017)

3. Bem-aventurados Manuel Gómez González e Adílio Daronch, mártires: 21 de maio (beatificados em 21/10/2007)

4. Bem-aventurada Francisca de Jesus (“Nhá Chica”), leiga e virgem: 14 de junho (beatificada em 04/05/2013)

5. Bem-aventurada Albertina Berkenbrock, leiga e mártir: 15 de junho (beatificada em 20/10/2007)

6. Bem-aventurado Donizetti Tavares de Lima, presbítero: 16 de junho (beatificado em 23/11/2019)

7. Bem-aventurada Assunta Marchetti, religiosa: 01 de julho (beatificada em 25/10/2014)

8. Bem-aventurado Eustáquio van Lieshout, presbítero: A 30 de agosto (beatificado em 15/06/2006)

9. Bem-aventurado Francisco de Paula Vítor, presbítero: 23 de setembro (beatificado em 14/11/2015)

10. Bem-aventurado Mariano de la Mata Aparício, presbítero: 05 de novembro (beatificado em 05/11/2006)

11. Bem-aventurada Bárbara Maix, fundadora: 06 de novembro (beatificada em 06/11/2010)

17. Santa Maria de Cléofas (também na Folhinha do Coração de Jesus):  ver páginas 216-217: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Maria de Cléofas (hebraico: מרי של קליאופס; gregoΜαρία του ΚλεόπαςlatimMaria Cleophae) é a tia de Jesus, irmã de Maria de Nazaré, e casada com Cléofas (Cleofas, Cleofás, Cleopas, Clopas), também conhecido como Alfeu.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Maria_de_Cle%C3%B3fas

18. São Badêmio, mártir. Ver páginas 222-223: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

19. Na África do Norte os Santos Mártires de Massília, cuja paciência foi louvada por Santo Agostinho. Sua menção figura no mais antigo calendário de Cartago (Conforme o Martirológio Romano-Monástico –M)

20. Outros santos do dia 09 de abril: págs. 214-226 (vol.6): VIDAS DOS SANTOS – 6.pdf (obrascatolicas.com)

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”. 

R/: Demos graças a Deus!” 

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre 09 de abril, ver ainda: 9 de abril – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA: 

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/ 

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 314-316: 

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf 

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf 

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997 

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com 

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular. 

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES) 

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! 

Querida Mãe Maria, proteja-nos! 

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! 

Amém! 

* PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM! 

* OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. 

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA: 

barpuri@uol.com.br 

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! 

* “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho) 

* “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro) 

* “Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém! 

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021) 

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!” 

Ver: 

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO! 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.