Santas e Santos de 08 de março

08 DE MARÇO: NOSSA SENHORA DAS LÁGRIMAS

– Ver “… Nossa Senhora das Lágrimas é uma das invocações marianas atribuídas à Virgem Maria e que teve a sua origem nas aparições recebidas pela Irmã Amália de Jesus Flagelado na capela do convento do Instituto das Missionárias de Jesus Crucificado, situado na cidade de Campinas, no Estado de São Paulo, no Brasil.[1]

… Na década de 1930, na capela da Avenida Benjamin Constant, n.º 1344 (esquina com a Rua Luzitana, n.º 1331), em Campinas, no Estado de São Paulo, no Brasil, a Virgem Maria e o Seu próprio filho, Jesus Cristo, terão aparecido várias vezes à Serva de Deus Irmã Amália de Jesus Flagelado (de seu nome de batismo, Amália Aguirre), comunicando-lhe muitas mensagens com apelos de oração, de sacrifício e de penitência. A Santíssima Virgem Maria, no dia 8 de março de 1930, se apresentou como Nossa Senhora das Lágrimas e lhe revelou a Coroa (ou Rosário) das Lágrimas.[4]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_das_L%C3%A1grimas

– Ver também: https://www.google.com/search?q=nossa+senhora+das+l%C3%A1grimas+de+Campinas&sxsrf=AOaemvKgf3uFhXthlvPGSiQ8knf2U6596w%3A1631993759142&ei=nz9GYaOECNbZ1sQP79u44AM&oq=nossa+senhora+das+l%C3%A1grimas+de+Campinas&gs_lcp=Cgdnd3Mtd2l6EAMyBggAEBYQHjoHCAAQRxCwAzoECCMQJzoFCAAQgARKBAhBGABQgx1Y4jxg4D1oAnACeAGAAacCiAGdEJIBBjAuMTEuMZgBAKABAcgBCMABAQ&sclient=gws-wiz&ved=0ahUKEwjjz6fCoonzAhXWrJUCHe8tDjwQ4dUDCA4&uact=5

================

 

08 DE MARÇO: DIA INTERNACIONAL DA MULHER: Resgate da data: Já na década de 1970, o ano de 1975 foi designado pela ONU como o Ano Internacional da Mulher, e o dia 8 de março foi adotado como o Dia Internacional da Mulher pelas Nações Unidas, com a finalidade de lembrar as conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres, independentemente de divisões nacionais, étnicas, linguísticas, culturais, econômicas ou políticas. Em 2008, a ONU lançou a campanha “As Mulheres Fazem a Notícia”, destinada a estimular a igualdade de gênero na comunicação social mundial.[17] Na atualidade, porém, considera-se que a celebração do Dia Internacional da Mulher tenha tido o seu sentido original parcialmente diluído, adquirindo frequentemente um caráter festivo e comercial, como o hábito de empregadores distribuirem rosas vermelhas ou pequenos mimos entre as suas empregadas – ação que em nada evoca o espírito das manifestantes russas do 8 de março de 1917.[16]”.Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Dia_Internacional_da_Mulher

OUTRAS SANTAS E SANTOS DE 08 DE MARÇO

1.São João de Deus (também na Folhinha do Coração de Jesus), re­li­gioso, na­tural de Por­tugal, que, de­pois de uma vida cheia de pe­rigos na vida de sol­dado, am­bi­ci­o­nando coisas mai­ores, com in­can­sável ca­ri­dade se en­tregou ao ser­viço dos po­bres e dos en­fermos num hos­pital por ele fun­dado e as­so­ciou à sua obra um grupo de com­pa­nheiros, que pos­te­ri­or­mente cons­ti­tuíram a Ordem Hos­pi­talar de São João de Deus. Neste dia, em Gra­nada, na Es­panha, passou ao des­canso eterno.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1550, o nascimento para o céu de São João de Deus. Repentinamente convertido por São João de Ávila, que pregava em Granada a loucura da misericórdia divina, este português de quarenta anos foi considerado como atacado por perturbações mentais e submetido aos maus tratamentos que havia na época para aquele tipo de doentes. Decidiu a partir de então, dedicar-se a seus companheiros de infortúnio, colocando as bases da Ordem da Caridade, cujos membros são mais conhecidos pelo nome de Irmãos Hospitalários de São João de Deus. (R).   Ver págs. 250-261: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† 1550).

– Ver também “São João de Deus, de seu nome João Cidade (Montemor-o-Novo8 de março de 1495 – Granada, 8 de março de 1550) é um santo da Igreja Católica Romana que se distinguiu na assistência aos pobres e aos doentes, através de um hospital por ele fundado em Granada, 1539. Criou a Ordem dos Irmãos Hospitaleiros para o ajudarem nessa missão e noutras extensões que viriam depois a surgir.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_de_Deus

– Ver ainda “… Hoje a Igreja Católica celebra a Festa de São João de Deus, Fundador da Comunidade dos Irmãos Hospitaleiros, padroeiro dos que trabalham em hospitais e dos que propagam livros religiosos.

 São João de Deus nasceu e morreu (no mesmo dia) em 8 de março (1495 e 1550). Nascido em Portugal, em 1495, faleceu em Granada, Espanha, em 1550, aos 55 anos de idade. De família pobre, mas muito piedosa, sua mãe morreu quando ele era muito jovem e seu pai morreu como religioso em um convento…

São João de Deus é o padroeiro dos hospitais, dos doentes e dos enfermeiros. A sua memória litúrgica é celebrada a 8 de Março”: João de Deus – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “… São João de Deus (1495-1550) 
Tendo abandonado a fé cristã ativa enquanto soldado, João tinha 40 anos antes que a profundidade de sua pecaminosidade começasse a despontar nele. Ele decidiu dar o resto de sua vida ao serviço de Deus, e partiu imediatamente para a África, onde esperava libertar os cristãos cativos e, possivelmente, ser martirizado.
Ele logo foi avisado de que seu desejo de martírio não era espiritualmente bem fundamentado e retornou à Espanha e à atividade relativamente prosaica de uma loja de artigos religiosos. No entanto, ele ainda não estava resolvido. Movido inicialmente por um sermão do Beato João de Ávila, ele um dia se envolveu em uma surra pública de si mesmo, implorando misericórdia e se arrependendo descontroladamente por sua vida passada.
Enviado para um hospital psiquiátrico para essas ações, João foi visitado pelo Beato João, que o aconselhou a se envolver mais ativamente em atender às necessidades dos outros, em vez de suportar dificuldades pessoais. John ganhou paz de espírito e, pouco depois, deixou o hospital para começar a trabalhar entre os pobres.
Estabeleceu uma casa onde atendia sabiamente as necessidades dos pobres doentes, primeiro fazendo sua própria mendicância. Mas entusiasmados com a grande obra do santo e inspirados por sua devoção, muitas pessoas começaram a apoiá-lo com dinheiro e provisões. Entre eles estavam o arcebispo e marquês de Tarifa.
Por trás dos atos exteriores de total preocupação e amor de João pelos pobres doentes de Cristo estava uma profunda vida de oração interior que se refletia em seu espírito de humildade. Essas qualidades atraíram ajudantes que, 20 anos após a morte de João, formaram os Irmãos Hospitalários, agora uma ordem religiosa mundial…

Comentário: A humildade total de João de Deus, que levou a uma dedicação totalmente altruísta aos outros, é muito impressionante. Aqui está um homem que percebeu seu nada diante de Deus. O Senhor o abençoou com os dons da prudência, paciência, coragem, entusiasmo e a capacidade de influenciar e inspirar os outros. Ele viu que em sua juventude havia se afastado do Senhor e, movido a receber sua misericórdia, João começou seu novo compromisso de amar os outros em abertura ao amor de Deus. 

Citação: O arcebispo chamou João de Deus para ele em resposta a uma queixa de que ele estava mantendo vagabundas e mulheres imorais em seu hospital. Em submissão, João caiu de joelhos e disse: “O Filho do Homem veio para os pecadores, e somos obrigados a buscar sua conversão. Sou infiel à minha vocação porque negligenciei isso”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch08.html#1550_St._John_of_God_impulsive_love

2.   Co­me­mo­ração de São Pôncio, que foi em Car­tago diá­cono de São Ci­priano, a quem acom­pa­nhou no exílio até à sua morte, dei­xando um ad­mi­rável re­lato da sua vida e martírio – († s. III).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Cartago, no séc. II, São Pôncio, điácono do Bem-Aventurado bispo São Cipriano, a quem acompanhou no exilio e assistiu por ocasião de seu martírio. (M).

– Ver “Pôncio (em latimPontius), também chamado de Pôncio, o Diácono (metade do século III) foi um santo cristão e um autor latino de Cartago. Ele serviu como diácono sob Cipriano de Cartago (futuro São Cipriano de Cartago) e escreveu Vita Cypriani (“Vida de Cipriano”) logo após a morte deste.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/P%C3%B4ncio_de_Cartago

– Ver também “… Quando São Cipriano foi condenado, Pôncio foi poupado – provavelmente porque não era considerado de muita importância. Como ele ansiava pelo martírio, isso foi uma grande decepção para ele, e ele termina seu relato de São Cipriano com as palavras: “atrás do”.

É somente através de São Jerônimo que conhecemos o nome do autor da Vida de São Cipriano, que é referido novamente sob Cipriano em 16 de setembro. Aqui é suficiente citar Delehaye, Les passions des martyrs et les genders littéraires (1921), pp. 82-110, e salientar que Harnack reeditou e anotou o texto de Pontius, Das Leben Cyprians von Pontius, na série Texte und Untersuchungen, vol. xxxix. Este Pôncio não deve ser identificado com o mártir Pôncio cuja festa é celebrada em 14 de maio…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch08.html#260_Pontius_of_Carthage_Deacon_graphic

3.   Em An­tínoo, no Egipto, os santos Apo­lónio e Fi­lémon (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártires.

Ver também “Ariano foi intimado a se apresentar ao tribunal. A caminho, Apolônio, Filêmon e Ariano, acabaram, pelo ardor, por converter os guardas que os escoltavam. E, diante do prefeito, todos, a uma só voz, declararam-se cristãos, fiéis até o fim a Jesus Cristo, Filho de Deus vivo e verdadeiro. Então, por ordem do prefeito, foram todos êles atirados ao mar, conquistando, destarte, a gloriosa coroa do martírio (311) . E um prodígio se deu: os delfins, por bondade, tomaram-lhes os corpos, levaram-nos à praia , e lá o deixaram. A este grupo de mártires pertence São Teótico.”, págs. 267-268: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf  – († 287)

– Ver “no Egito, perto de 311, a paixão de Santo Ariano. Exercia as funções de juiz em Antinoé, quando, testemunhando a constância dos cristãos que acabara de condenar, converteu-se com outros quatro companheiros. Foram levados para Alexandria para serem afogados no mar (conforme Martirológio Romano-Monástico – M).

4*.   Em Como, na Li­gúria, ac­tu­al­mente na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Pro­vino, bispo, fiel dis­cí­pulo de Santo Am­brósio, que pre­servou da he­resia ariana a Igreja que lhe foi confiada. († c. 420)

5*.   Na ilha de Scathery, na Hi­bérnia, ac­tual Ir­landa, São Se­nano, abade. († s. VI)

6.   Em Dunwich, na In­gla­terra, São Félix, bispo, na­tural da Bor­gonha, que evan­ge­lizou os An­glos ori­en­tais no tempo do rei Sigeberto. († c. 646).

– Ver “Félix de Dunwich, também conhecido como Félix da Burgúndia, foi um santo e o primeiro bispo dos anglos orientais. Ele é amplamente considerado como a pessoa que introduziu o cristianismo na região. Quase tudo o que se sabe sobre ele está na História Eclesiástica do Povo Inglês, obra do monge Beda de circa 731, e na Crônica Anglo-Saxônica. Beda elogiou Félix por libertar “toda a província da Ânglia Oriental de uma longa história de infelicidade e injustiça”.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/F%C3%A9lix_de_Dunwich

7.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, São Te­o­fi­lacto, bispo, que, con­de­nado ao exílio por causa do culto das sa­gradas ima­gens, morreu em Stró­bilon, na Cária, ac­tu­al­mente ter­ri­tório da Turquia. († c. 840)

8*.   No ter­ri­tório dos Mo­rinos, na Gália, hoje na França, Santo Hun­fredo, bispo de The­rou­anne, que, após a des­truição da ci­dade pelos Nor­mandos, ime­di­a­ta­mente se em­pe­nhou em con­gregar e re­con­fortar o seu povo. († 871)

9*.   Em Pavia, na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Li­ti­fredo, bispo. († 874)

10*.   Em Tayne, ci­dade da Es­cócia, o se­pul­ta­mento de São Du­tácio, bispo de Ross. († c. 1065)

– Ver “… 1065 ST DUTHAC, BISPO DE Ross

ST Duthac foi muito venerado na Escócia antes da Reforma, e sua memória ainda é preservada em nomes de lugares — notadamente Kilduthie, Arduthie perto de Stonehaven e Kilduich no Loch de Duich. Tayne, onde foi sepultado e onde foi construída uma igreja em sua homenagem, chama-se em gaélico Dhuich Baile, ou Cidade de Duthac, e perto dela ainda fica St Duthac’s Cairn, embora as feiras bienais chamadas pelo seu nome já não sejam realizadas no Cidade. Educado na Irlanda, como muitos de seus compatriotas, voltou a trabalhar na Escócia como padre e tornou-se bispo de Ross. Sua reputação de santidade foi reforçada por seus milagres e previsões que ele disse ter predito a invasão dos dinamarqueses que ocorreu dez anos após sua morte. A vitória dos escoceses sob Alexander Stewart, bisavô do rei Robert II,

A história lendária relata que São Duthac, quando criança, foi uma vez enviado por seu mestre para buscar brasas da forja para acender um fogo, e que ele levou para casa as brasas vivas em seu kilt sem ser chamuscado. Mais tarde na vida, quando uma pipa roubou um anel e um pouco de carne de um dos discípulos do santo, São Duthac convocou o pássaro, que abandonou o anel, mas foi autorizado a reter a carne. Em outra ocasião, um cônego matou um boi em Dornoch e, depois de distribuir porções aos pobres, resolveu levar um pedaço ao santo que morava longe. O cônego viajou em uma noite escura e tempestuosa, mas o espeto em que ele carregava a carne brilhava como uma lâmpada e o conduzia em segurança pelo caminho até que ele entregasse seu presente, em seu primeiro frescor, ao santo bispo. Sua festa é mantida na diocese de Aberdeen.

Ver Acta Sanctorum, março, vol. eu;KSS., pp. 318-329; e as lições do Breviário de Aberdeen…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch08.html#1065_St._Duthac_Bishop_of_Ross_Scotland

11*.   Em Es­tella, po­vo­ação de Na­varra, re­gião da Es­panha, São Ve­re­mundo, abade de Irache, que, tendo abra­çado desde tenra idade a vida mo­nás­tica, era as­síduo aos je­juns e vi­gí­lias e es­ti­mulou com o exemplo os monges do seu mos­teiro ao de­sejo da perfeição. († c. 1095)

12*.   Em Oba­zine, perto de Li­moges, na Aqui­tânia, na ac­tual França, Santo Es­têvão, pri­meiro abade do mos­teiro deste lugar, que, na pro­cura de Deus, as­so­ciou os três mos­teiros por ele fun­dados à Ordem Cisterciense.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no vale do Corrèze, no ano do Senhor de 1154, Santo Estêvão, abade de Obazine, que propôs a seus discípulos viverem em comum o ideal do deserto, estabelecendo uma comunidade sob a dependência de Cister, que mantinha o mesmo gênero de observância. (M).

Ver também págs. 262-266: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† 1159)

13*.   No mos­teiro de Je­dr­zejow, na Po­lónia, o pas­sa­mento de São Vi­cente Kadlubek, bispo de Cra­cóvia, que, de­pois de re­nun­ciar ao seu mi­nis­tério, pro­fessou neste lugar vida monástica. († 1223)

14♦.   Em Hi­roshima, no Japão, o Beato Jo­a­quim Kuroemon, mártir. († 1624)

15*.   Em Ge­tafe, ci­dade pró­xima de Ma­drid, na Es­panha, o Beato Faus­tino Míguez, re­li­gioso da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs, que, or­de­nado pres­bí­tero, se de­dicou to­tal­mente ao en­sino e, atin­gindo grande fama como mestre e pe­rito nas ci­ên­cias da na­tu­reza, exerceu di­li­gen­te­mente a ac­ti­vi­dade pas­toral e fundou a Con­gre­gação das Fi­lhas da Di­vina Pastora. († 1925)

16. Na África, os Santos Mártires Cirilo, Bispo, Rogato, Félix, um outro Rogato, Beata, Herênia (também na Folhinha do Coração de Jesus), Felicidade, Urbano, Silvano e Mamilo (conforme Martirológio, Ed. Permanência).

17. Em 690 o sepultamento de São Juliano, arcebispo de Toledo e primaz da Espanha, que presidiu a importantes concílios nacionais realizados em sua cidade episcopal, e aplicou-se em restaurar a liturgia moçárabe (conforme Martirológio Romano-Monástico – M).

– Ver “… 690 ST JULIAN, Arcebispo DE TOLEDO

Na época de sua morte, em 690, São Juliano, Arcebispo de Toledo, era a pessoa mais importante da Espanha. Diz-se que ele era de origem judaica, mas seus pais eram cristãos e ele foi batizado na igreja matriz de Toledo, como aprendemos de seu sucessor na cátedra episcopal, que faz um breve relato de sua vida. O jovem foi treinado por outro prelado de Toledo, Santo Eugênio II e teve como companheiro um rapaz que depois ficou conhecido como Gudila Levita. Vinculados pela comunidade de gostos, bem como pela afeição, os amigos primeiro se entregaram à oração, ao estudo e ao retiro, mas o zelo apostólico os atraiu ao mundo para trabalhar pela conversão dos pecadores. São Juliano, que era um teólogo hábil e um homem culto, ascendeu prontamente a uma posição de importância, e quando Wamba, o último dos reis visigóticos, cedido pelos médicos, foi Juliano quem lhe deu o hábito monástico e raspou a cabeça para que pudesse “morrer na religião”. A Vida do Rei Wamba escrita por Juliano sobreviveu e é muito valorizada pelos historiadores, pois permite que eles saibam mais sobre o reinado desse monarca do que podem saber de seus predecessores ou sucessores.

Juliano foi escolhido para ocupar a sé de Toledo em 680, e parece ter governado sua diocese com a mesma sabedoria que o caracterizava nos assuntos seculares. O seu biógrafo assegura-nos que era dotado de todas as graças da alma e do corpo, e era tão amável que todos os que lhe pediam ajuda saíam confortados e contentes. Presidiu vários sínodos e conseguiu obter para sua sé a supremacia sobre toda a Espanha. Ele é consequentemente reconhecido como arcebispo de Toledo, embora o termo não fosse de uso geral na Espanha naquele período. Escritores posteriores censuraram Juliano por encorajar os reis a reviver a perseguição contra os judeus, mas deve-se notar que a lei realmente escandalosa e cruel que decretou que todos os judeus adultos deveriam ser vendidos como escravos,

O bispo era um escritor volumoso. Entre suas obras literárias estava uma revisão da liturgia moçárabe em uso na Espanha naquele período (… RITO MOÇÁRABE, Designa-se por rito moçárabe ou rito hispano-moçárabe aos rituais litúrgicos latinos originariamente criados e praticados pelos primeiros cristãos hispânicos ou ibéricos, ainda sob domínio Romano. Sofreu importantes alterações durante o período Visigótico; mais tarde os cristãos moçárabes continuaram a praticar o rito mesmo sob o domínio árabe da Península Ibérica.

Em 1080 o Concílio de Burgos determina a substituição do rito moçárabe pelo rito romano.

Afonso VI de Leão e Castela declarou oficialmente a abolição da liturgia hispânica e a substituição da mesma pela liturgia romana, no entanto, com alguma oposição por parte do povo e algum clero.

Em 1085, após a reconquista de Toledo, esta manteve o rito após consenso entre o Rei Afonso VI e os paroquianos de Toledo.

Ainda hoje é celebrado o rito moçárabe na Catedral de Toledo, e pela Igreja Espanhola Reformada Episcopal (anglicana). A Catedral de Toledo apresenta, em alguns pontos, elementos arquitectónicos moçárabes… Conforme < https://pt.wikipedia.org/wiki/Rito_mo%C3%A7%C3%A1rabe >), um livro contra os judeus e os três livros dos “Prognósticos”, que tratam da morte e do estado da alma após a morte. Nesta obra ele afirma que o amor e o desejo de estar unidos a Deus são suficientes para extinguir em nós o medo natural da morte; e que os bem-aventurados do Céu oram por nós, desejem fervorosamente nossa felicidade e conheçam nossas ações — seja em Deus a quem contemplam e em quem discernem toda a verdade que desejam conhecer, seja por meio dos anjos, mensageiros de Deus na terra.

A brevíssima memória escrita por Félix, sucessor de Juliano na sé de Toledo, é a principal fonte de informação a seu respeito. Ver Acta Sanctorum, março, vol. mas algo também pode ser aprendido dos cronistas e dos atos dos concílios que ele presidiu…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch08.html#690_St._Julian_of_Toledo_Archbishop

18. Outros santas e santos do dia 08 de março, páginas 250-271: VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

 * “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 08 de março, ver também: 8 de março – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (Todas da internet, foram consultadas no dia de hoje)

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 247-249: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch08.html

(este site mostra os santos do dia, em inglês. Tradução Google)

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* SENHOR, NOSSO DEUS E PAI AMADO, OBRIGADO POR TUDO O QUE O SENHOR NOS TEM DADO E PERMITIDO VIVER!

QUERIDA MÃE VIRGEM MARIA, SOCORRA-NOS, PROTEJA-NOS!

SÃO JOSÉ, SANTAS/OS E ANJOS, INTERCEDAM POR NÓS! OBRIGADO! AMÉM!

* PAI AMADO, DÊ-NOS ESPÍRITO DE ORAÇÃO, VIGILÂNCIA, RENÚNCIA, PENITÊNCIA! DÊ-NOS ARDOR MISSIONÁRIO PELO E PARA O SENHOR! TIRE-NOS O TORPOR E A TIBIEZA! DÊ-NOS, AMADO PAI, CORAGEM DE LUTAR COM ENTUSIASMO E FORÇA DE VONTADE, MESMO EM SITUAÇÕES SEDUTORAS, DIFÍCEIS E ESPINHOSAS, PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ DE BONS COSTUMES E SANTIDADE POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO. DÊ-NOS A DOCILIDADE DAS OVELHAS! SOBRETUDO, DÊ-NOS A GRAÇA! PEDIMOS EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA, ESCREVA-NOS:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

  * “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

* “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

* “Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro).

Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “… Não há nada mais difícil do que a oração, pois não há esforços que os demônios não façam para interromper este poderoso meio de os desanimar (Santo Agatão, lembrado em 21 de outubro)

Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu só lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível”.

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…” Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* “… A PAIXÃO VIVE; APENAS ESTÁ REPRIMIDA… ESTÁ APENAS PRESA… AS PAIXÕES VIVEM, APENAS SÃO REPRIMIDAS PELOS SANTOS (COM A GRAÇA DE DEUS!) …”.  SANTAS E SANTOS, INTERCEDAM POR NÓS PARA QUE POSSAMOS REPRIMIR AS PAIXÕES. PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA DE REPRIMIR AS PAIXÕES. Santo Abraão, rogue por nós! Amém!” (SANTO ABRAÃO, ERMITÃO, 27 DE OUTUBRO), conforme páginas 52-53: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

* “… a oração por um ente querido é, para o crente, uma forma de apagar qualquer distância, até mesmo a morte. Em oração, permanecemos na presença de Deus na companhia de alguém que amamos, mesmo que essa pessoa tenha morrido antes de nós

“Não devemos transformar o purgatório em um campo de concentração em chamas à beira do inferno – ou mesmo em um ‘inferno por um curto período de tempo’. É uma blasfêmia pensar nisso como um lugar onde um Deus mesquinho cobra a última libra – ou grama – de carne … Santa Catarina de Gênova (Festa dia 15 de setembro, mística do século 15), escreveu ‘fogo’ do purgatório é o amor de Deus ‘queimando’ a alma para que, por fim, a alma esteja totalmente em chamas. É a dor de querer ser feito totalmente digno de Alguém que é visto como infinitamente amável, a dor do desejo de união que agora está absolutamente assegurada, mas ainda não completamente experimentada

(Leonard Foley, OFM, Crendo em Jesus) …”:

* Dia 17 de janeiro: Santo Antão (ou Antônio). Oração: “Santo Antônio, você falou da importância de perseverar em nossa fé e nossa prática. Ajude-nos a acordar a cada dia com um novo zelo pela vida cristã e um desejo de enfrentar o próximo desafio em vez de apenas ficar parado. Amém!”

* 19 de janeiro, São Macário. “… A oração não requer muitas palavras. sobre você, você só precisa dizer: “SENHOR, TEM MISERICÓRDIA!” O Senhor sabe o que é útil para nós e nos concede misericórdia.”… Se você deseja ser salvo, seja como um morto. Não fique com raiva quando insultado, nem orgulhoso quando elogiado.” E ainda: “Se a calúnia é como o louvor para você, a pobreza como a riqueza, a insuficiência como a abundância, então você não perecerá.“…

* Sobre SANTO ANDRÉ CORSINI (04 de fevereiro): “Ele trabalhou arduamente para subjugar suas paixões por meio de humilhações extremas, obediência até mesmo à última pessoa na casa, pelo silêncio e oração”.

* PAI, ABRACE-NOS!

JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS ENCHA E NOS UNA NO AMOR!

MÃEZINHA MARIA, CUIDE DE NÓS!

SÃO JOSÉ, SANTAS, SANTOS E ANJOS, ROGUEM POR NÓS!

POR CRISTO, NA UNIDADE DO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* Após Deus, o Pai amado, chamar minha amada esposa e companheira por 38 anos, 9 meses e oito dias, em 24.09.2017, descobri:

1. Posso comunicar com a minha Frô, pela ORAÇÃO;

2. Posso VER, ESCUTAR, SENTIR a FRÔ (transformada, sem dores, linda, maravilhosa) em meu ser;

3. Ela está vivendo nos braços de Deus (bondosos, vigorosos);

4. Um dia vamos estar juntos;

5. Quando Deus me chamar, quero levar coisas boas para o banquete celeste (amor a Deus e ao próximo).

Dê-nos essa Graça, Pai amado! Dê-nos A GRAÇA! AMÉM! Obrigado, Senhor, por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

================

* Ver o blog: https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.