14 de abril de 2022 – Quinta-Feira Santa

UMA EXPLICAÇÃO LITÚRGICA PARA OS DIAS DA SEMANA SANTA

4. QUINTA-FEIRA: A ÚLTIMA CEIA

 Dois eventos moldam a liturgia da Grande e Santa Quinta-feira: a Última Ceia de Cristo com Seus discípulos e a traição de Judas. O significado de ambos está no amor.

A Última Ceia é a última revelação do amor redentor de Deus pelo homem, do amor como a própria essência da salvação. E a traição de Judas revela que o pecado, a morte e a autodestruição também são devidos ao amor, mas ao amor desviado e distorcido, amor dirigido como aquele que não merece amor.

 Eis o mistério deste dia único, e sua liturgia, onde luz e escuridão, alegria e tristeza se misturam de forma tão estranha, nos desafiando com a escolha da qual depende o destino eterno de cada um de nós.

“Agora, antes da festa da Páscoa, quando Jesus sabia que sua hora tinha chegado para partir deste mundo, tendo amado os seus que estavam no mundo, ele os amou até o fim” (João 13:1). Para compreender o significado da Última Ceia, devemos vê-la como o fim do grande movimento do Amor Divino, que começou com a criação do mundo e que agora deve ser consumado na morte e ressurreição de Cristo.

Amor, Vida, Comunhão, Deus é Amor (I João 4:8).

E o primeiro presente do Amor foi a vida. O sentido, o conteúdo da vida era a comunhão. Estar vivo, o homem era comer e beber, participar do mundo. O mundo era assim o amor divino feito alimento, feito Corpo de homem. E para estar vivo, ou seja, participar do mundo, o homem devia estar em comunhão com Deus, ter Deus como o sentido, o conteúdo e o fim de sua vida.

A comunhão com o mundo dado por Deus era de fato comunhão com Deus. O homem recebia seu alimento de Deus e fazendo dele seu corpo e sua vida, ele oferecia o mundo inteiro a Deus, transformava-o em vida em Deus e com Deus. O amor de Deus deu vida ao homem, o amor do homem por Deus transformou esta vida em comunhão com Deus.

Este era o paraíso. A vida nele era, de fato, eucarística. Através do homem e de seu amor por Deus, toda a criação devia ser santificada e transformada em um único e abrangente sacramento de Presença Divina e o homem era o sacerdote deste sacramento.

Mas no pecado, o homem perdeu esta vida eucarística. Ele a perdeu porque deixou de ver o mundo como meio de comunhão com Deus e sua vida como eucaristia, como adoração e ação de graças… Ele se amou a si mesmo e ao mundo por causa deles; ele se fez o conteúdo e o fim de sua vida. Ele pensou que sua fome e sede, ou seja, sua dependência de sua vida do mundo – pode ser satisfeita pelo mundo como tal, pela comida como tal.

Mas o mundo e a comida, uma vez privados de seu significado sacramental inicial – como meio de comunhão, com Deus, uma vez que não são recebidos por Deus e cheios de fome e sede de Deus, uma vez que, em outras palavras, Deus não é mais, seu verdadeiro “conteúdo” não pode dar vida, satisfazer nenhuma fome, pois não têm vida em si mesmos… E assim, ao colocar neles seu amor, o homem desviou seu amor do único objeto de todo amor, de toda fome, de todos os desejos. E ele morreu.

Pois a morte é a “decomposição” inevitável da vida cortada de sua única fonte e conteúdo. O homem pensou em encontrar vida no mundo e na comida, mas encontrou a morte. Sua vida tornou-se comunhão com a morte, pois ao invés de transformar o mundo pela fé, amor e adoração em comunhão com Deus, ele se submeteu inteiramente ao mundo, deixou de ser seu sacerdote e se tornou seu escravo. E por seu pecado, o mundo inteiro se tornou um cemitério, onde as pessoas condenadas à morte participavam da morte e “sentaram-se na região e sombra da morte…”. (Mateus 4:16).

Mas se o homem traísse, Deus permaneceria fiel ao homem. Ele não “se afastou para sempre de Sua criatura que Ele tinha feito, nem esqueceu o trabalho de Suas mãos, mas Ele visitou-o de diversas maneiras, através de Suas ternas misericórdias” (Liturgia de São Basílio).

Começou uma nova obra divina, a da redenção e da salvação. E se cumpriu em Cristo, o Filho de Deus, que, para restaurar o homem à sua beleza imaculada e para restaurar a vida como comunhão com Deus, tornou-se Homem, tomou sobre Si nossa natureza, com sua sede e fome, com seu desejo e amor pela vida. E nEle a vida foi revelada, dada, aceita e realizada como Eucaristia total e perfeita, como comunhão total e perfeita com Deus.

Ele rejeitou a tentação humana básica: viver “só de pão”, Ele revelou que Deus e seu Reino são o verdadeiro alimento, a verdadeira vida do homem. E esta vida eucarística perfeita, cheia de Deus e, portanto, divina e imortal, Ele deu a todos aqueles que acreditassem Nele, ou seja, encontrassem nEle o sentido e o conteúdo de suas vidas.

Tal é o maravilhoso significado da Última Ceia. Ele se ofereceu como o verdadeiro alimento do homem, porque a Vida revelada nEle é a verdadeira Vida. E assim o movimento do Amor Divino que começou no paraíso com um Divino “tomar, comer…”. (pois comer é vida para o homem) vem agora “até o fim” com o Divino “tomar, comer, este é o Meu Corpo…”. (pois Deus é vida para o homem…) A Última Ceia é a restauração do paraíso da felicidade, da vida como Eucaristia e Comunhão.

Mas esta hora de amor supremo é também a da traição suprema. Judas deixa a luz do Cenáculo e vai para as trevas. “E era noite” (João 13:30). Por que ele sai? Porque ele ama, responde ao Evangelho, e seu amor fatídico (que leva à desgraça, ao infortúnio; fatal, sinistro, trágico.) é sempre enfatizado nos hinos da Quinta-feira Santa. Não importa, de fato, que ele ame a “prata”. O dinheiro está aqui por todo o amor desviado e distorcido que leva o homem a trair a Deus. É, de fato, o amor roubado de Deus e Judas, portanto, é o Ladrão.

Quando ele não ama a Deus e em Deus, o homem ainda ama e deseja, pois ele foi criado para amar e amar é sua natureza, mas é então uma paixão sombria e autodestruidora e a morte está no fim. E a cada ano, ao mergulharmos na luz insondável e na profundidade da Quinta-feira Santa, a mesma pergunta decisiva é dirigida a cada um de nós: eu respondo ao amor de Cristo e o aceito como minha vida, eu sigo Judas para a escuridão de sua noite?

Os serviços de quinta-feira

 A liturgia da Quinta-feira Santa inclui: a) Matinas, b) Vésperas e, depois das Vésperas, c) a Liturgia de São Basílio, o Grande. Nas Igrejas Catedralistas, o serviço especial da Lavagem dos Pés acontece após a Liturgia; enquanto o Diácono lê o Evangelho, o Bispo lava os pés de doze sacerdotes, lembrando-nos que o amor de Cristo é o fundamento da vida na Igreja e molda todas as relações dentro dela. É também na Quinta-feira Santa que o Santo Crisma é consagrado pelos primazes das Igrejas autocéfalas, e isto também significa que o novo amor de Cristo é o dom que recebemos do Espírito Santo no dia de nossa entrada na Igreja.

Em Matinas, o Troparion estabelece o tema do dia: a oposição entre o amor de Cristo e o “desejo insaciável” de Judas.

“Quando os discípulos gloriosos foram iluminados

Na lavagem de seus pés antes do jantar,

Então o impiedoso Judas foi escurecido, enfermo de avareza

E para os juízes sem lei ele te trai, o Juiz justo.

 Eis, ó amante do dinheiro, este homem que por causa do dinheiro se enforcou.

Fuja da alma gananciosa que ousou tais coisas contra o Mestre.

Ó Senhor, que és bom para com todos os homens, glória a Ti”!

Após a leitura do Evangelho (Lucas 12:1-40) nos é dada a contemplação, o significado místico e eterno da Última Ceia no belo cânone de São Cosmas. Seu último “irmos” (9ª ode) nos convida a participar da hospitalidade do banquete do Senhor:

“Vinde, ó fiéis! Desfrutemos da hospitalidade do Mestre:

o Banquete da imortalidade!

Na sala superior com as mentes erguidas,

recebamos as exaltadas palavras da Palavra, a Quem magnificamos”.

Nas Vésperas, a stichera sobre “Ó Senhor, eu chorei” enfatiza o anticlímax espiritual da Quinta-feira Santa, a traição de Judas:

“Servo e enganador”,

discípulo e traidor, amigo e diabo,

 Judas foi revelado por seus atos.

Enquanto seguia o Mestre, ele traçou Sua traição. “

Após a entrada, três lições do Antigo Testamento:

1) Êxodo 19:10-19; a descida de Deus do Monte Sinai para Seu povo como a imagem da vinda de Deus na Eucaristia.

 2) Jó 38:1-23, 42:1-5; a conversa de Deus com Jó e a resposta de Jó: “Quem é este que esconde o conselho sem conhecimento? Coisas grandes e maravilhosas demais para mim, que eu não conhecia”… — e estas coisas “grandes e maravilhosas” se cumprem no dom do Corpo e Sangue de Cristo.

3) Isaías 50,4-11; o início das profecias sobre o servo sofredor de Deus.

A leitura da epístola é de I Coríntios 11,23-32; o relato de São Paulo sobre a Última Ceia e o significado da Comunhão.

A leitura do Evangelho (a mais longa do ano) é retirada de todos os quatro Evangelhos e é a história completa da Última Ceia, a traição de Judas e a prisão de Cristo no jardim.

O Hino Querubiano e o Hino da Comunhão são substituídos pelas palavras da oração antes da Comunhão:

“De Tua ceia mística, ó Filho de Deus”,

me aceite hoje como um comunicante;

Pois não falarei do Teu Mistério aos Teu inimigos,

Nem como Judas eu te darei um beijo,

Mas, como o ladrão, vou confessar-Te:

Lembrai-vos de mim, ó Senhor, em Vosso reino”.

REFERÊNCIA:

A Liturgical Explanation for the Days of Holy Week by The Very Rev. Alexander Schmemann, S.T.D. Professor of Liturgical Theology, St. Vladimir”s Seminary,

 conforme <holy_week-a_liturgical_explanation.pdf (antiochian.org)> – (tradução DeepL)

Santas e Santos de 14 de abril

1.   Em Roma, no ce­mi­tério de Pre­tex­tato, junto à Via Áppia, os santos Ti­búrcio, Va­le­riano e Má­ximo, mártires. († data inc.).

– Ver páginas 358-359: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

2.   Em An­ti­o­quia, na Síria, hoje An­takya, na Tur­quia, as santas már­tires Bér­nica e Pros­doca, vir­gens, com sua mãe Se­nho­rinha, que, em tempo de per­se­guição, ao fu­girem para se salvar dos que aten­tavam contra a sua pu­reza, en­con­traram no rio o seu martírio. († s. IV)

3.   No de­serto de Ní­tria, no Egipto, São Frontão, abade, que, com cerca de se­tenta com­pa­nheiros, se re­tirou para a vida eremítica. († s. IV).

São Frontão, abade e confessor.

– Ver páginas: 339-340: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

4*.   Em Elphin, na Ir­landa, Santo Asaco (Tassac) ou Asico, bispo, que é con­si­de­rado dis­cí­pulo de São Pa­trício e pri­meiro bispo desta Igreja. († s. V)

5.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, Santa To­maides, mártir. († 476). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Alexandria, no século V, Santa Tomaída, martirizada por ter se negado a ceder aos desejos impudicos do seu sogro (M).

–  Ver “…O óleo das lâmpadas que alumiavam o seu túmulo foi muito empregado para debelar as tentações da carne. Santa Tomaide deixou o mundo no ano de 476.” páginas 337-338: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

6.   Em Lião, na Gália, hoje na França, São Lam­berto (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que tinha sido monge e de­pois abade de Fontenelle. († c. 688).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 688, São Lamberto. Depois de ter ocupado um posto importante na corte de Clotário III, tomou o hábito em Fontenelle e, em 666, sucedeu no cargo abacial o fundador São Vandrilo, vindo mais tarde a morrer como bispo, em Lião. (M)

7*.   Em Mon­te­ma­rano, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São João, bispo, que co­locou todo o ardor da sua ac­ti­vi­dade na as­sis­tência aos po­bres e na san­ti­fi­cação do clero. († s. XI/XI

8*.   No mos­teiro de Tiron, junto de Char­tres, na França, São Ber­nardo, abade, que por vá­rias vezes se re­fu­giou para a vida ere­mí­tica nos bos­ques e na ilha de Chausey, mas também se de­dicou a ins­truir e con­duzir à per­feição evan­gé­lica os dis­cí­pulos que a ele acor­riam em grande número. († 1117).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1117, São Bernardo de Tiron. Com Roberto de Arbrissel no Maine-Anjou, Pedro da Estrela no Berry, Vital na Normandia e Raul de la Fustaie na Bretanha, foi um dos incentivadores do movimento monástico do séc. XI. Fundou, numa floresta da diocese de Chartres, um mosteiro que se tornou mais tarde o centro de uma congregação beneditina.

Ver também: São Bernardo de Abbeville, abade e confessor. Ver páginas 341-344: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

9*.   Em Avi­nhão, na Pro­vença, re­gião da França, São Bento, jovem pastor, por cuja vir­tude, com o au­xílio de Deus, foi cons­truída a ponte sobre o Ró­dano, de grande uti­li­dade para os cidadãos. († 1184).

Ver também São Bento e São Drogon, páginas 331-336: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf  

– Ver “São Benezet, ou pequeno Bento; Benezet, nascido em 1163 na região da Savóia, na França, era um humilde, mas alegre, pastor de ovelhas de doze anos. Diz a tradição que ele ouviu, de repente, uma voz conversando com ele e dizendo ser Jesus. Como não enxergasse nada à sua volta, de imediato ficou apreensivo, mas depois permaneceu confiante… Deveria erguer uma ponte sobre o rio Ródano, do qual nunca tinha ouvido falar, além de ter de abandonar a profissão que tanto amava. Porém o chamado tinha sido tão real que Benezet não pensou duas vezes e se pôs a caminho. Ele também não estranhou quando, centenas de metros adiante, um jovem veio a seu encontro e simplesmente lhe comunicou que o acompanharia em sua empreitada na construção da ponte… O pequeno Bento acabou falecendo antes da conclusão da ponte, que levou onze anos para terminar.
A ponte resistiu quinhentos anos antes de ruir. Foi reconstruída e trata-se do marco da cidade de Avignon, que tem, como seu padroeiro, são Benezet, ou o pequeno Bento, como querem os devotos, que nunca mais deixaram de pedir por sua intercessão e de festejá-lo no dia 14 de abril. OBS: São Bento José Labre é dia 16 de abril”: http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/sao-bento-jose-labre

10*.   Em Tuy, na Ga­liza, re­gião da Es­panha, o Beato Pedro Gon­zález, vul­gar­mente co­nhe­cido como São Telmo, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, que trans­formou o seu an­te­rior de­sejo de glória em pro­funda hu­mil­dade e se de­dicou par­ti­cu­lar­mente a ajudar os ne­ces­si­tados, em es­pe­cial os na­ve­gantes e os pescadores. († 1246).

– Ver “Pedro Gonçalves Telmo, em castelhano Pedro González Telmo, também conhecido como Santelmo ou Corpo Santo[1] (Frómista, c. 1190 – Tui14 de abril de 1246[2]), foi um sacerdote católico castelhano. Após ser presbítero canónico em Astorga, ingressou na Ordem dos Dominicanos, onde se distinguiu pela sua retórica e capacidade de pregação. Foi capelão do rei Fernando III de Leão e Castela antes de ser nomeado prior do Convento de São Domingos de Guimarães. É o santo padroeiro dos homens do mar e dos barqueiros[3], tendo cedo desfrutado de grande devoção popular. ”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Pedro_Gonz%C3%A1lez_Telmo

11*.   Em Schi­edam, na Gél­dria, hoje na Ho­landa, Santa Lu­do­vina (Santa Liduína), virgem, que, pondo a sua con­fi­ança só em Deus, su­portou as en­fer­mi­dades cor­po­rais em toda a sua vida, pela con­versão dos pe­ca­dores e re­denção das almas. († 1433).

Ver Santa Lidwina, virgem. Páginas: 345-358: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Santa Lidvina ou Santa Liduína (Schiedam, 18 de março de 1380  Schiedam, 14 de abril de 1433), foi uma devota católica neerlandesa padroeira dos patinadores. Ela também é lembrada por ser um dos primeiros casos documentados de esclerose múltipla.

Aos 15 de idade, Lidvina estava patinando no gelo quando caiu e quebrou uma costela. Ela nunca se recuperou e se tornou progressivamente inválida para o resto da vida. Sua biografia diz que ela teve paralisia em todo o seu corpo exceto pela mão esquerda, e tinha hemorragias na boca, orelhas e nariz. Hoje em dia alguns especialistas apontam que Santa Lidvina é um dos primeiros casos conhecidos de pacientes com esclerose múltipla.

Depois da sua queda, Ladvina começou uma prática de jejuar e adquiriu fama como uma mulher sagrada e curadora de doenças.

Pelos próximos 34 anos, as condições de Lidvina deterioram lentamente, ainda que tenha acontecido alguns momentos de remissão, até sua morte aos 53 anos em 1433.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Lidvina

12.   Em Cu­evas de Vin­romá, junto de Cas­tellón de la Plana, na Es­panha, a Beata Isabel (Jo­se­fina Cal­duch Ro­vira), virgem da Ordem das Cla­rissas Ca­pu­chi­nhas e mártir, que, em tempo de per­se­guição contra a fé cristã, morreu por seu di­vino Es­poso, Jesus Cristo. († 1936)

13. No Oriente, Santo Ardalião, ator. Um dia, parodiando em público os mistérios cristãos, foi subitamente tocado pela graça, proclamando-se cristão diante dos expectadores que exigiram sua morte (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

– Ver Santo Ardaliano, página 359: VIDAS DOS SANTOS – 6.pdf (obrascatolicas.com)

14. Em Terni, São Próculo, bispo e mártir (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver página 359: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

15. No mesmo dia, Santa Donina (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que recebeu a palma do martírio com outras virgens suas companheiras.

– Ver página 359: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

16. No mesmo dia, em Vilna, os santos João, Antônio e Eustáquio, mártires. Os dois primeiros eram irmãos, amigos do último. Pagãos, adoravam o fogo. Chamavam-se, respectivamente, Milhey, Kukley e Nizilon, nascidos na Lituânia, Batizados, estavam a serviço do duque Olgerd, pai do célebre Jagelão. Convidados a comer carne em dia de abstinência. negaram-se, sendo condenados à morte (1342).

–  Ver página 358: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

17. Outras Santas e Santos do dia 14 de abril: págs. 331-359 (vol.6): VIDAS DOS SANTOS – 6.pdf (obrascatolicas.com)

Obs. Às vezes entra com o Edge, mas mais com  Google chrome,.

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

 * “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 14 de abril, ver também: 14 de abril – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (Todas da internet, foram consultadas no dia de hoje)

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 326-327: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://catholicsaints.info/14-april/
  8. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayApril14.html

(este site mostra os santos do dia, em inglês. Tradução Google)

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* SENHOR, NOSSO DEUS E PAI AMADO, OBRIGADO POR TUDO O QUE O SENHOR NOS TEM DADO E PERMITIDO VIVER!

QUERIDA MÃE VIRGEM MARIA, SOCORRA-NOS, PROTEJA-NOS!

SÃO JOSÉ, SANTAS/OS E ANJOS, INTERCEDAM POR NÓS! OBRIGADO! AMÉM!

================

* PAI AMADO, DÊ-NOS ESPÍRITO DE ORAÇÃO, VIGILÂNCIA, RENÚNCIA, PENITÊNCIA! DÊ-NOS ARDOR MISSIONÁRIO PARA E PELO E PARA O SENHOR! TIRE-NOS O TORPOR E A TIBIEZA! DÊ-NOS, AMADO PAI, CORAGEM DE LUTAR COM ENTUSIASMO E FORÇA DE VONTADE, MESMO EM SITUAÇÕES SEDUTORAS, DIFÍCEIS E ESPINHOSAS, PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ DE BONS COSTUMES E SANTIDADE POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO. DÊ-NOS A DOCILIDADE DAS OVELHAS! SOBRETUDO, DÊ-NOS A GRAÇA! PEDIMOS EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

================

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA, ESCREVA-NOS:

barpuri@uol.com.br

================

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

================

  * “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

================

Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu só lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

================

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

================

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível”.

================

* 07 de janeiro ou 09 de abril – Beata Lindalva Justo de Oliveira:

Toda santidade passa pelo crisol (lugar ou circunstância apropriada a evidenciar as melhores qualidades de algo ou alguém) do sofrimento” (referente à Beata Lindalva de Oliveira, conforme http://www.santosdobrasil.org.br/?system=news&eid=294)

================

* 17 de janeiro: Santo Antão, ou Antônio

Oração: “Santo Antônio, você falou da importância de perseverar em nossa fé e nossa prática. Ajude-nos a acordar a cada dia com um novo zelo pela vida cristã e um desejo de enfrentar o próximo desafio em vez de apenas ficar parado. Amém!”

================

* 19 de janeiro, São Macário. “… A oração não requer muitas palavras. sobre você, você só precisa dizer: “SENHOR, TEM MISERICÓRDIA!” O Senhor sabe o que é útil para nós e nos concede misericórdia.”… Se você deseja ser salvo, seja como um morto. Não fique com raiva quando insultado (ou provocado), nem orgulhoso quando elogiado.” E ainda: “Se a calúnia (e a provocação) é como o louvor para você, a pobreza como a riqueza, a insuficiência como a abundância, então você não perecerá.“…

================

* 04 de fevereiro, SANTO ANDRÉ CORSINI: “Ele trabalhou arduamente para subjugar suas paixões por meio de humilhações extremas, obediência até mesmo à última pessoa na casa, pelo silêncio e oração (HUMILHAR-SE, OBEDECER, SILENCIAR, REZAR)”.

================

* 10 de fevereiro, SÃO JOSÉ SÁNCHEZ DEL RIO “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio).

Ver: https://catholicsaints.info/saint-jose-sanchez-del-rio/

================

* 14 de fevereiro, SÃO JOÃO BATISTA DA CONCEIÇÃO GARCIA Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia).

Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

================

* 14 de março, Albert Einstein:Deus Todo-Poderoso não joga dadosDiante de Deus somos todos igualmente sábios – igualmente tolos!

================

* 15 de março: São Clemente-Maria Hoffbauer: “Ó Meu Redentor, chegará aquele terrível momento em que restarão poucos cristãos inspirados pelo espírito de fé, aquele momento em que Sua indignação será provocada e Sua proteção será tirada de nós? Nossos vícios e nossas vidas más moveram irrevogavelmente Sua justiça a se vingar, talvez neste mesmo dia, de Seus filhos para não deixar que a luz da fé se apague nas almas?
“Lembre das antigas misericórdias, volta os olhos compassivos para a vinha plantada com a sua destra, regada pelas lágrimas dos Apóstolos, pelo sangue precioso de inúmeros mártires, e fecundada pelas orações de tantos confessores e virgens inocentes.
“Ó divino Mediador, olhe para aquelas almas zelosas que elevam seus corações ao Senhor e oram sem cessar pela manutenção desse seu dom mais precioso, a Verdadeira Fé. Mantenha-nos seguros na verdadeira fé católica e romana. Preserve-nos em sua santa fé, pois se formos ricos com este dom precioso, suportaremos com prazer todas as tristezas e nada poderá mudar nossa felicidade. Sem este grande tesouro da fé, nossa infelicidade seria indizível e sem limites.
“Ó Bom Jesus, Autor da nossa fé, conservai-a pura em nós; guardai-nos na barca de Pedro, fiel e obediente ao seu sucessor, e Vosso vigário aqui na terra, para que se mantenha a unidade da santa Igreja, a santidade promovida, a Santa Sé protegida em liberdade e a Igreja universal estendida em benefício das almas.
“Ó Jesus, Autor da nossa fé, humilha e converte os inimigos da Sua Igreja; conceda verdadeira paz e concórdia a todos os reis e príncipes cristãos e a todos os crentes; fortalece-nos e preserva-nos no Seu santo serviço até ao fim, para que vivamos com o Senhor e morramos no Senhor.

“Ó Jesus, Autor de nossa fé, deixe-nos viver pelo Senhor e morrer pelo Senhor. Amém.”

================

* 15 de março, SANTA LUÍSA DE MARILLAC “… SEDE DILIGENTES NO SERVIÇO AOS POBRES . . . AMEM OS POBRES, HONREM-NOS, MEUS FILHOS, COMO VOCÊS HONRARIAM O PRÓPRIO CRISTO”

================

* 21 de março, SÃO NICOLAU DE FLUE: “Salve, ó Mãe de toda pureza, virgem imaculada, Mãe de toda misericórdia e Mãe de nosso Salvador; venho rogar-lhe que interceda por um pobre pecador junto ao seu Divino Filho, para que me conceda Sua santa Graça. O inimigo implacavelmente me persegue e me ataca. Você uma vez esmagou a cabeça da serpente ao dar à luz nosso Salvador – ajude-me a superar suas artimanhas e enganos. Você é meu refúgio. Por que você me afastaria? …

Não, ó Virgem graciosa! Você virá em meu socorro e o inimigo será derrotado. Amém!São Nicolau relatou que nunca invocou Maria em vão e que sempre sentiu visivelmente os efeitos de sua proteção.”

================

* 21 de março, SÃO SERAPIÃO DE THMUIS A mente é purificada pelo conhecimento espiritual (ou pela santa meditação e oração), as paixões espirituais da alma pela caridade e os apetites irregulares pela abstinência e penitência… (regra resumida da perfeição cristã – que São Serapião repetia muitas vezes) … “Nossos corpos podem se tornar instrumentos do bem ou do mal, dependendo da disposição do coração; tanto os homens justos quanto os ímpios são frequentemente mudados para o outro tipo….”

(conf. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch21.html#370_St._Serapion_the_Scholastic_Bishop)

================

* 05 de abril, SÃO VICENTE FERRER “Faça o que fizer, não pense em si mesmo, mas em Deus…

Você deseja estudar a seu favor? Deixe a devoção acompanhar todos os seus estudos, e estude menos para se tornar um sábio do que para se tornar um santo.

 Consulte a Deus mais do que seus livros, e peça-Lhe, com humildade, que faça você entender o que lê.

O ESTUDO CANSA E ESGOTA A MENTE E O CORAÇÃO. VÁ DE VEZ EM QUANDO, PARA REFRESCÁ-LOS, AOS PÉS DE JESUS CRISTO SOB SUA CRUZ. REPOUSE ALI.

Alguns momentos de repouso em suas chagas sagradas dão novo vigor e novas luzes.

Aplique-se por orações curtas, mas fervorosas e jaculatórias.

Nunca comece ou termine seu estudo, sem ser pela oração.

A ciência é um dom do Pai das luzes“.

================

* 06 de abril: São Zeferino Agostini

Fundou a Pia União das Irmãs Devotas de Santa Ângela Merici…

Dizia a elas: “Não se assustem com o trabalho ou o sofrimento, nem com o fruto escasso de seu trabalho. Lembrem-se de que Deus recompensa não pelos resultados, mas pelo esforço.” (L’Observattore Romano). 

Ele sabia que sua primeira prioridade era desenvolver seu relacionamento com Deus por meio da oração pessoal, porque Deus era a fonte de sua alegria e poder para fazer o bem…

================

*12 de abril: São David Uribe

“Perdoo todos os meus inimigos e peço a Deus e a quem ofendi que me perdoe.” -da última vontade e testamento de Saint David

===============

* 21 de maio, PADRE MANOEL E COROINHA ADÍLIO “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio)

================

* 31 de maio, São NICOLAS BARRÉ, citações:

  • ACONTEÇA O QUE ACONTECER, ESTEJA SEMPRE EM PAZ E CONFIE EM DEUS, ISSO SERÁ FEITO A VOCÊ DE ACORDO COM SUA FÉ, SUA ESPERANÇA E SUA CARIDADE E MUITO MAIS. » Carta 61 (OC p 538) – Máxima de conduta para as amantes número 21 obras completas p.128
  • “DEVEMOS NOS CONCENTRAR MAIS EM ESTABELECER O BEM AO INVÉS DE DESTRUIR O MAL. ESTABELECIDO O BEM, O MAL NÃO PODERÁ MAIS SUBSISTIR. » Máxima para a Direção das Almas 17 Obras Completas p.357
  • “QUANTO MAIS ESTAMOS UNIDOS A DEUS, MAIS RECEBEMOS FORÇA DE ESPÍRITO E INFLUÊNCIA, POIS ELE É SUA FONTE E OCEANO”. – Carta 27 (OC p 457)

================

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…” Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém! http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

================

* 15 de setembro, SANTA CATARINA DE GÊNOVA “… a oração por um ente querido é, para o crente, uma forma de apagar qualquer distância, até mesmo a morte. Em oração, permanecemos na presença de Deus na companhia de alguém que amamos, mesmo que essa pessoa tenha morrido antes de nós

“Não devemos transformar o purgatório em um campo de concentração em chamas à beira do inferno – ou mesmo em um ‘inferno por um curto período de tempo’. É uma blasfêmia pensar nisso como um lugar onde um Deus mesquinho cobra a última libra – ou grama – de carne … Santa Catarina de Gênova (Festa dia 15 de setembro, mística do século 15), escreveu ‘fogo’ do purgatório é o amor de Deus ‘queimando’ a alma para que, por fim, a alma esteja totalmente em chamas. É a dor de querer ser feito totalmente digno de Alguém que é visto como infinitamente amável, a dor do desejo de união que agora está absolutamente assegurada, mas ainda não completamente experimentada

(Leonard Foley, OFM, Crendo em Jesus) …”:

================

* 21 de outubro, SANTO AGATÃO “… Não há nada mais difícil do que a oração, pois não há esforços que os demônios não façam para interromper este poderoso meio de os desanimar

================

*          27 de outubro SANTO ABRAÃO, ERMITÃO “… A PAIXÃO VIVE; APENAS ESTÁ REPRIMIDA… ESTÁ APENAS PRESA… AS PAIXÕES VIVEM, APENAS SÃO REPRIMIDAS PELOS SANTOS (COM A GRAÇA DE DEUS!) …”.  SANTAS E SANTOS, INTERCEDAM POR NÓS PARA QUE POSSAMOS REPRIMIR AS PAIXÕES. PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA DE REPRIMIR AS PAIXÕES. Santo Abraão, rogue por nós! Amém!”, conforme páginas 52-53: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

================

* ORAÇÃO DO ANO DE SÃO JOSÉ “PATRIS CORDE”

Salve, guardião do Redentor

e esposo da Virgem Maria!

A vós, Deus confiou o seu Filho;

em vós, Maria depositou a sua confiança;

convosco, Cristo tornou-Se homem.

Ó Bem-aventurado José, mostrai-vos pai também para nós

e guiai-nos no caminho da vida.

Alcançai-nos graça, misericórdia e coragem,

e defendei-nos de todo o mal. 

Amém!

(Conforme < https://radio.cancaonova.com/sao-jose-do-rio-preto/oracao-ano-de-sao-jose/ >)

================

* PAI, ABRACE-NOS!

JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS ENCHA E NOS UNA NO AMOR!

MÃEZINHA MARIA, CUIDE DE NÓS!

SÃO JOSÉ, SANTAS, SANTOS E ANJOS, ROGUEM POR NÓS!

POR CRISTO, NA UNIDADE DO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

================

* Após Deus, o Pai amado, chamar minha amada esposa e companheira por 38 anos, 9 meses e oito dias, em 24.09.2017, descobri:

1. Posso comunicar com a minha Frô, pela ORAÇÃO;

2. Posso VER, ESCUTAR, SENTIR a FRÔ (transformada, sem dores, linda, maravilhosa) em meu ser;

3. Ela está vivendo nos braços de Deus (bondosos, vigorosos);

4. Um dia vamos estar juntos;

5. Quando Deus me chamar, quero levar coisas boas para o banquete celeste (amor a Deus e ao próximo).

Dê-nos essa Graça, Pai amado! Dê-nos A GRAÇA! AMÉM! Obrigado, Senhor, por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

================

“Senhor, eu tenho fé. Ajude-me a ter mais fé ainda!” (Mc 9,24)

================

* Ver o blog: https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!