Santas e Santos de 16 de abril

1.   Em Co­rinto, ci­dade da Acaia, ac­tu­al­mente na Grécia, os santos már­tires Leó­nidas e sete com­pa­nheiros, que, de­pois de su­por­tarem vá­rios su­plí­cios, foram afo­gados no mar. São estes os seus nomes: Ca­rissa, Ga­lina, Te­o­dora, Nice, Nu­nécia, Cális, BasilissaNo Martirológio Romano-Monástico, em Corinto, no séc. III, os Santos Calixto (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Carísio, juntamente com sete companheiros, que foram surpreendidos dentro de uma Igreja no dia da Páscoa e por isso foram atirados ao mar (M). († s. III/IV)

2.   Em Sa­ra­goça, na His­pânia Tar­ra­co­nense, a co­me­mo­ração dos santos Op­tato e de­zas­sete com­pa­nheiros már­tires, que, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, foram tor­tu­rados e mortos; o seu ilustre mar­tírio foi ce­le­brado em po­emas de Prudêncio.  São estes os seus nomes: Lu­perco, Su­cesso, Mar­cial, Ur­bano, Júlia (Júlia e Marçal também na Folhinha do Coração de Jesus), Quin­ti­liano, Pú­blio, Frontão, Félix, Ce­ci­liano, Evódio, Pri­mi­tivo, Apo­démio e ou­tros quatro cha­mados Saturnino. († s. IV)

– Ver também páginas 402-403: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

3.   Na mesma ci­dade de Sa­ra­goça, a co­me­mo­ração de Santa En­grácia, virgem e mártir, que, du­ra­mente tor­tu­rada, so­bre­viveu a todos os su­plí­cios, per­ma­ne­cendo du­rante algum tempo em seus mem­bros os si­nais das suas chagas. († s. IV)

– Ver páginas 404-405: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

4.   Também em Sa­ra­goça, a co­me­mo­ração dos santos Caio e Cre­mêncio, que na mesma per­se­guição ven­ceram as tor­turas, per­se­ve­rando na fé de Cristo. († s. IV)

5.   Em As­torga, no reino dos Su­evos, também na His­pânia, São Tu­ríbio, bispo, que, por man­dato do papa São Leão Magno, com­bateu for­te­mente a seita dos pris­ci­li­a­nistas que pro­gredia na Hispânia. († s. V)

6.   Em Braga, na Ga­lécia, hoje em Por­tugal, São Fru­tuoso, bispo. A sua me­mória ce­lebra-se em Por­tugal no dia cinco de De­zembro, jun­ta­mente com a dos bispos São Mar­tinho de Dume e São Geraldo. († c. 665)

– Ver páginas 366-370: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf 

7*.   Na Es­cócia, São Magno, mártir, que era prín­cipe das ilhas Ór­cades, quando abraçou a fé cristã; afas­tado pelo rei da No­ruega por ter re­cla­mado contra a ar­ro­gância do seu povo e cha­mado do­lo­sa­mente a com­pa­recer para firmar um acordo de paz com o seu ad­ver­sário no prin­ci­pado, apre­sentou-se sem armas e foi assassinado. († 1116)

8.   Em Se­bourg, no Hai­naut, ac­tu­al­mente na França, São Drogão, que, as­pi­rando a uma vida sim­ples e so­li­tária, se fez pastor e pe­re­grino pelo Se­nhor e ter­minou o curso dos seus dias re­cluso numa pe­quena cela. († c. 1186)

9*.   Em Bróni, perto de Pavia, na Lom­bardia, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração de São Con­tardo, pe­re­grino, que de­cidiu viver em ex­trema po­breza e morreu atin­gido por uma en­fer­mi­dade quando ia a ca­minho de Compostela. († 1249)

10*.   Em Sena, na Etrúria, o Beato Jo­a­quim, re­li­gioso da Ordem dos Servos de Maria, que se dis­tin­guiu pela sua sin­gular de­voção à San­tís­sima Virgem e cum­priu a lei de Cristo, to­mando sobre si o en­cargo dos pobres. († 1305)

– Ver também páginas 411-412: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

11.   Em Roma, São Bento José Labre, que, as­pi­rando desde a ado­les­cência a uma vida de ás­pera pe­ni­tência, fez ár­duas pe­re­gri­na­ções a cé­le­bres san­tuá­rios, co­berto com uma veste rude e es­far­ra­pada, ali­men­tando-se apenas com o ali­mento que re­cebia em es­mola e dando exemplo de pi­e­dade e pe­ni­tência por toda a parte onde pas­sava; re­gressou fi­nal­mente a Roma, onde se con­sa­grou a uma vida de oração e su­prema pobreza. († 1783)

– Ver páginas 406-410: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

12*.   Em Avrillé, junto de An­gers, na França, os be­atos már­tires Pedro De­lé­pine, João Me­nard e vinte e quatro companheiras, quase todos agri­cul­tores, que du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa foram fu­zi­lados em ódio à fé cristã. São estes os seus nomes: Re­nata Bour­geais, Joana Gourdon, Maria Gin­gue­neau, Fran­cisca Mi­cho­neau, Joana Onillon, Re­nata Sé­chet, Maria Roger, Fran­cisca Suhard, Joana Tomás, viúvas; Ma­da­lena Cady, Maria Piou, Pe­trina Re­nata Pot­tier, Re­nata Ri­gault, Joana Maria Leduc, Ma­da­lena Sallé, es­posas; Maria Ge­no­veva e Marta Pou­lain de la Fo­res­trie, Pe­trina Bou­ri­gault, Maria Fo­res­tier, Maria Lar­deux, Pe­trina Lau­rent, Ana Mau­grain, Mar­ga­rida Robin, Maria Rochard. († 1794)

13.   Em Ne­vers, também na França, Santa Maria Ber­narda (Ber­na­dete) Sou­bi­rous, virgem, que nasceu de uma fa­mília muito pobre na po­vo­ação de Lourdes e, sendo ainda de tenra idade, ex­pe­ri­mentou a pre­sença da Virgem Santa Maria Ima­cu­lada e de­pois, to­mando o há­bito re­li­gioso, levou no con­vento uma vida oculta e humilde. († 1879)

– Ver também 18.02: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Bernadette_Soubirous

– Ver ainda páginas 371-401: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

14. São Paterno de Avranches, Bispo e Confessor. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Paterno, bispo de Avranches. Inicialmente monge da diocese de Poitiers, procurou um eremitério em Scicy, perto de Coutances, de onde sua irradiação atraiu uma multidão de seguidores. Segundo palavras de amigos historiadores, “não se via o monarquismo chegar a tamanha fecundidade desde os tempos de São Martinho (M). Ver páginas 413-417: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

15. São Druon ou Drogo. Ver páginas 418-420: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

16. Outros santos do dia 16 de abril: págs: 366-421 (vol.06-final):   http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal – http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.