Santas e Santos de 14 de janeiro

1.   Co­me­mo­ração de São Po­tito, mártir, que, de­pois de pa­decer muitos tor­mentos em Sár­dica, na Dácia, hoje Sofia, na Bul­gária, conta-se que al­cançou a glória do mar­tírio ao fio da espada. († data inc.)

2.   Em An­ti­o­quia, na Síria, hoje An­takya, na Tur­quia, São Gli­cério, diá­cono e mártir. († data inc.)

3.   Em Nola, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São Félix, pres­bí­tero, que, como re­fere São Pau­lino, du­rante o furor da per­se­guição so­freu no cár­cere cru­de­lís­simos tor­mentos. De­pois de res­ta­be­le­cida a paz, re­gressou à sua terra e per­se­verou na po­breza até à sua ve­lhice, mor­rendo como in­ven­cível con­fessor da fé. († s. III/IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 260, São Félix, sacerdote de Nola, na Campânia, confessor da fé cuja fama se espalhou da Gália à África. (M). Ver páginas 362-364: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

– Ver “Filho de um militar sírio chamado Hérmias, sua fé cristã o levou a repartir seus bens entre os pobres e optar pelo sacerdócio. Entre os anos de 249 e 251 sofreu a perseguição de Décio, sendo encarcerado e torturado, mas escapou com sucesso da cadeia (o que tradições atribuem à ação de anjos), indo viver nos Apeninos, onde cuidou de seu bispo Máximo, adoecido e lá também refugiado. Segundo contam as lendas, sua harmonia com a natureza era tanta que as aranhas teceriam teias para impedir a entrada de soldados… Sua sepultura foi muito venerada, e objeto de peregrinação. Há relíquias suas em Roma e Benevento. Sua festa litúrgica é celebrada em 14 de janeiro[4] e figura no Calendário Romano como confessor.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Félix_de_Nola

4.   Co­me­mo­ração dos santos monges que no monte Sinai e em Rahiti, no Egipto, foram mortos pela sua fé em Cristo. (†. c. s. IV)

5.   Na re­gião dos Iberos, além do Mar Negro, na ac­tual Geórgia, Santa Nino, pri­si­o­neira cristã, que pela grande san­ti­dade da sua vida con­quistou a re­ve­rência e ad­mi­ração de todos, de tal modo que a pró­pria rainha, cujo filho foi cu­rado graças às suas ora­ções, o rei e toda a sua gente, ade­riram à fé de Cristo. († s. IV)

6*.   Em Gé­vaudan, na Gália, ac­tu­al­mente na França, São Fir­mino, bispo. († s. V).  Ver 25 de setembro.

7*.   Em Ar­vena, na Aqui­tânia, hoje Cler­mont-Fer­rand, na França, Santo Eu­frásio, bispo, cuja hos­pi­ta­li­dade é lou­vada por São Gre­gório de Tours. († 515/516)

8.   Em Milão, na Li­gúria, ac­tu­al­mente na Lom­bardia, re­gião da Itália, o pas­sa­mento de São Dácio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que na con­tro­vérsia dos “Três Ca­pí­tulos” de­fendeu a opi­nião do papa Vi­gílio, a quem acom­pa­nhou em Cons­tan­ti­nopla, onde morreu. († 552). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 552, São Daciano, bispo de Milão, que se revelou um firme sustentáculo do papa Vigílio na defesa da fé ameaçada pelo imperador. (M). Ver página 376: VIDAS DOS SANTOS – 1.pdf (obrascatolicas.com)

9*.   Em Écija, na Bé­tica, na ac­tual An­da­luzia, re­gião da Es­panha, São Ful­gêncio, bispo, irmão dos santos Le­andro, Isi­doro e Flo­ren­tina, a quem Santo Isi­doro de­dicou o tra­tado «Ofí­cios ecle­siás­ticos», con­si­de­rado o pri­meiro ma­nual de Liturgia. († c. 632). Ver “Fulgêncio de Cartagena (em castelhanoSan Fulgencio de Cartagena; em latimFulgentius), nascido em Cartagena no século VI e morto em 630, foi bispo de Ástigis (moderna Écija), na Hispânia… Como seus irmãos Leandro e Isidoro, ambos arcebispos de Sevilha, o primeiro mais velho e o segundo, mais novo, Fulgêncio também se dedicou à Igreja… A irmã dos três, uma dedicada religiosa, era Santa Florentina. O pai deles, Severiano, viveu primeiro em Cartagena, era romano e, segundo informações de confiabilidade duvidosa, era prefeito imperial[1]. Fulgêncio, como sua irmã e irmãos, foi venerado como santo. Na Hispânia, sua festa era celebrada em dias diferentes: na Acta Sanctorum dos bolandistas, a data era 14 de janeiro… Sabe-se que muito depois de sua morte, uma parte dos ossos de São Fulgêncio e os de sua irmã, Santa Floretina, foram levados em segurança para Sierra de Guadalupe, e, no século XIV, estavam na vila de Berzocana. A outra parte está na Catedral de Múrcia, da qual São Fulgêncio é o padroeiro.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Fulgêncio_de_Cartagena

10*.   Em Ta­gli­a­cozzo, nos Abruzos, re­gião da Itália, o Beato Odão de Novara, pres­bí­tero da Ordem dos Cartuxos. († c. 1200). Ver páginas “Bem-aventurado Odon de Novara” 374-376: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

11*.   Em Údine, ci­dade da Ve­nécia, no ac­tual Friúli-Ve­nézia Giúlia, re­gião da Itália, o Beato Odo­rico Mat­tiuzzi de Pordenone (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, que, per­cor­rendo os ter­ri­tó­rios dos Tár­taros, dos In­di­anos e dos Chi­neses até chegar a Kom­balik, prin­cipal ci­dade da China, anun­ciou o Evan­gelho por toda a parte e con­duziu muita gente à fé de Cristo. († 1331). Ver páginas 371-373: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

12.   Em Aral Ku­ru­sady, na Índia, o Beato Lá­zaro Pillai (De­va­sahayam Pillai), pai de fa­mília e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra os cris­tãos no reino de Tra­vancor, foi as­sas­si­nado por se ter con­ver­tido do hin­duismo ao catolicismo. († 1752)

13*.   Em Ba­távia, no Su­rinam, o beato Pedro Donders (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Con­gre­gação do San­tís­simo Re­dentor, que se de­dicou com ca­ri­dade in­can­sável ao cui­dado dos corpos e das almas dos leprosos. († 1887)

14.        Em Ver­celas, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, a Beata Afonsa Clérici, virgem da Con­gre­gação das Irmãs do Pre­ci­o­sís­simo Sangue, cujo apos­to­lado se ori­entou es­pe­ci­al­mente para o en­sino e edu­cação da juventude. († 1930)

15. Santa Ida, na Folhinha do Coração de Jesus (dia 14/01) No Martirológio omano, dia 15/01. No mos­teiro de Cluain Credal, na Ir­landa, Santa Ida, virgem, fun­da­dora deste mosteiro. († 570). Na Folhinha do Coração de Jesus, dia 14 de janeiro. Ver Santa Ita, páginas 391-392: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

– Ver também “Santa Ita (em irlandêsÍte ingen Chinn Fhaladc. 470 – 15 de janeiro de 570), também conhecida como Santa Ida ou Santa Ides, foi uma freira e abadessa irlandesa.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Santa_Ita

16. Santa Macrina Maior. Ver páginas 367-368: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf – Ver “Macrina Maior (ou a Velha) (antes de 270 – ca. 340) foi a mãe de Basílio, o Velho e a avó de Basílio, o GrandeSão Gregório de NíssaSão Pedro de Sebaste (os Padres capadócios) e Santa Macrina Menor.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Macrina_Maior

– Ver também “Avó de Sts. Basil e Gregório de Nyssa. Ela foi treinada na  por São Gregório Thaumaturgis. Durante a perseguição instituída pelo imperador Diocleciano, Macrina e seu marido tiveram que fugir de Neocaésia, em Pontus. Eles viviam nas margens do Mar Negro.”: St. Macrina the Elder – Saints & Angels – Catholic Online

– Ver ainda “Avó de São Basílio, o GrandeSão Gregório de NyssaSão Pedro de Sebaste, e Santa Macrina, a Jovem, e aparentemente criou Manjericão. Estudante espiritual de São Gregório Thaumaturgus. Ela e o marido viveram escondidos em uma floresta em Pontus por sete anos durante a perseguição de Diocleciano, quase morrendo de fome várias vezes. Viúvo.”: Patron Saints Index: Saint Macrina the Elder (archive.org)

17. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, próximo ao ano de 533 da nossa era, o nascimento no céu de São Remígio, bispo de Reims, a quem coube a alegria de batizar o rei Clóvis, introduzindo assim o povo franco na Igreja Católica. É com o Santo Óleo contido na ânfora utilizada naquela ocasião que foi ungida a maioria dos reis de França. (F)

18. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V antes de Cristo, o Profeta Malaquias, que anunciou a era messiânica, preparada por um Precursor, e que restabeleceria a ordem moral e cultual, culminando no sacrificio perfeito oferecido a Deus por todas as nações. (M)

19. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1237, São Sabas. Filho do rei da Sérvia, entrou muito jovem para o Monte Athos. Nomeado mais tarde Metropolita da Sérvia, lá estabeleceu uma hierarquia católica e estimulou a fundação de escolas, merecendo assim ser considerado pelos sérvios como grande promotor de sua cultura. Ver páginas 376-377: VIDAS DOS SANTOS – 1.pdf (obrascatolicas.com)

20. São Barbacemin e seus companheiros, mártires da Pérsia. Ver páginas 365-366: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

21. Bem-aventurado Engelmar, ermitão e mártir. Ver páginas 369-370: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

22. Ver 14 de janeiro na Igreja Ortodoxa  “Esta página trata das comemorações relativas ao dia 14 de janeiro no ano litúrgico ortodoxo. Todas as comemorações fixas abaixo são comemoradas no dia 27 de janeiro pelas igrejas ortodoxas sob o Velho Calendário. No dia 14 de janeiro do calendário civil, as igrejas sob o Velho Calendário celebram as comemorações listadas no dia 1 de janeiro.: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/14_de_janeiro_na_Igreja_Ortodoxa

23. Outros santos do dia 14 de janeiro, 358-377

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 14 de janeiro, ver ainda: 14 de janeiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 131-133:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.