Santas e Santos de 04 de fevereiro

1. Me­mória de São João de Brito, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que, em Oriur, lo­ca­li­dade do reino do Ma­ravá, na Índia, de­pois de ter con­ver­tido muitos à fé, adap­tando-se à vida e cos­tumes dos as­cetas da­quela re­gião, co­roou a sua vida com um glo­rioso martírio. († 1693). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1693 o martírio do Bem-Aventurado João de Brito, jesuíta português, apóstolo das Índias Orientais. (M). Ver “João Heitor de Brito[1] (LisboaSão Cristóvão e São Lourenço1 de Março de 1647 — OriurÍndia4 de Fevereiro de 1693) foi um missionário jesuíta português e mártir, frequentemente chamado de “O São Francisco Xavier Português”. Foi canonizado em 22 de Junho de 1947, pelo Papa Pio XII… A 14 de Maio de 1982, aquando da Eucaristia celebrada pelo Papa João Paulo II no Parque Eduardo VII, em Lisboa, aquele disse: “Como não lembrar o exemplo de São João de Brito, jovem lisboeta que, deixando a vida fácil da corte, partiu para a Índia, a anunciar o Evangelho da salvação aos mais pobres e desprotegidos, identificando-se com eles e selando a sua fidelidade a Cristo e aos irmãos com o testemunho do martírio?”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_de_Brito

2.   Em Roma, nas Ca­ta­cumbas junto à Via Ápia, Santo Eu­tí­quio, mártir, que, tor­tu­rado du­rante muito tempo sem comer e sem dormir, foi fi­nal­mente pro­jec­tado num pre­ci­pício, ven­cendo pela fé em Cristo todas as cru­el­dades do tirano. († data inc.)

3.   Em Perga, na Pan­fília, ac­tu­al­mente na Tur­quia, os santos Pa­pias, Di­o­doro e Clau­diano, mártires. († s. III)

4.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, a paixão dos santos már­tires Fi­leias, bispo, e Fi­lo­romo, tri­buno mi­litar, que, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Décio, sem atender às exor­ta­ções dos pa­rentes e amigos para salvar a vida, apre­sen­tando o pes­coço à de­ca­pi­tação, me­re­ceram do Se­nhor a palma do martírio. († s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Egito, no séc. IV, a paixão dos Santos Filéias e Filóromo. Filéias, bispo de Thmuis, foi preso durante a perseguição de Diocleciano e levado para Alexandria. Durante o interrogatório, um oficial do Império chamado Filómoro, cheio de admiração pelo acusado, protestou contra a insistência dos juízes em querer fazê-lo apostatar. Foi pronunciada contra os dois a pena capital. (M). Ver páginas 418-420: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

5.   Em Pe­lúsio, no Egipto, Santo Isi­doro, pres­bí­tero, cé­lebre pela sua sa­be­doria, que, des­pre­zando o mundo e suas ri­quezas, pre­feriu imitar a vida de João Bap­tista no de­serto, to­mando o há­bito da vida monástica. († c. 449). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Egito, perto de 450, Santo Isidoro de Pelusa, monge e sacerdote, que renunciou ao mundo e a uma rica herança para imitar a vida de S. João Batista no deserto. (M). Ver “Isidoro de Pelúsio nasceu na província romana do Egito em uma proeminente família de Alexandria. Ele se tornou um asceta e se mudou para uma montanha perto da cidade de Pelúsio, na tradição dos Padres do Deserto.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Isidoro_de_Pel%C3%BAsio

6*.   Em Châ­te­audun, perto de Char­tres, na Gália, hoje na França, o pas­sa­mento de Santo Aven­tino, bispo, que tinha ocu­pado a sede epis­copal de Chartres. († c. 511)

7.   Em Troyes, na Gália Li­o­nense, hoje também na França, Santo Aven­tino, que é ve­ne­rado como au­xi­liar do bispo São Lopo. († c. 537)

8.   Em Mo­gúncia, ci­dade da Fran­cónia, hoje na Ale­manha, São Ra­bano Mauro, bispo, que, cha­mado do mos­teiro de Fulda à sede epis­copal de Mo­gúncia, foi pre­lado exímio na ci­ência, hábil na eloquência e agra­dável a Deus, nada omi­tindo que pu­desse fazer para glória de Deus. († 856). Ver “Rábano Mauro[1] (em latim(H)R(h)abanus MaurusMogúnciaca. 780 — WinkelRheingau4 de fevereiro de 856) foi um abade nos mosteiros beneditinos de Fulda e Mogúncia durante o período da renascença carolíngia do século IX. Era apoiante do imperador Lotário I e de Ermengarda de Tours.

É o autor do famoso hino Veni Creator Spiritus, que é entoado nas Festas do Espírito Santo, nas ordenações sacerdotais e episcopais, durante os conclaves, nas missas votivas ao Espírito Santo e também nas coroações do culto das Irmandades do Divino Espírito Santo nos Açores.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/R%C3%A1bano_Mauro

9*.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Ni­colau Stu­dita, monge, que, vá­rias vezes exi­lado por causa do culto das sa­gradas ima­gens, fi­nal­mente foi no­meado he­gú­meno do mos­teiro Stú­dion e aí des­cansou em paz. († 868)

10. Em Sem­pringham, na In­gla­terra, São Gil­berto (memória dia 04 de fevereiro no Martirológio Italiano e no Martirológio Romano-Monástico. Na Folhinha do Coração de Jesus é dia 16 de fevereiro), pres­bí­tero, que, com a apro­vação do papa Eu­génio III, fundou uma Ordem mo­nás­tica com dupla ob­ser­vância, a saber, a Regra de São Bento para as monjas e a Regra de Santo Agos­tinho para os clérigos. († 1189). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, tinha laços de amizade com São Bernardo e São Tomás Becket. M. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Inglaterra, no ano do Senhor de 1190, São Gilberto, sacerdote fundador dos cônegos regulares de Semprimgham. Tinha laços de amizade com São Bernardo e com São Tomás Becket. (M). Ver página 425: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

– Ver também: https://comeceodiafeliz.com.br/santo/sao-gilberto-de-sempringham

11.   Em Bourges, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, Santa Joana de Valois (também na Folhinha do Coração de Jesus), rainha da França, que, de­pois de ter sido de­cla­rado nulo o ma­tri­mónio com o rei Luís XII, se con­sa­grou a Deus, ve­nerou com sin­gular de­voção a Cruz e fundou a Ordem das Anun­ci­adas, em honra da Anun­ci­ação à Virgem Maria. († 1505).

– Ver “Joana de Valois ou Santa Joana de França (em francêsJeanne) (Nogent-le-Roi23 de abril de 1464 — Bourges4 de fevereiro de 1505), foi filha de França nascida de Luís XI e de Carlota de Saboia. Ela era irmã de Carlos VIII. Se tornou rainha de França como esposa de Luís XII.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Joana_de_Valois,_Duquesa_de_Berry

12*.   Em Durham, na In­gla­terra, o Beato João Speed, mártir, que, no rei­nado de Isabel I, con­de­nado à morte por causa do au­xílio pres­tado aos sa­cer­dotes, me­receu a coroa do martírio. († 1594)

13.   Em Ama­trice, nos Abruzos, hoje no Lácio, re­gião da Itália, São José de Leonessa, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que so­correu os cris­tãos ca­tivos em Cons­tan­ti­nopla e, de­pois de so­frer cruéis tor­mentos por ter anun­ciado o Evan­gelho no pró­prio pa­lácio do sultão, re­gressou à pá­tria e de­dicou-se à causa dos pobres. († 1612). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1612, São José de Leonessa (também na Folhinha do Coração de Jesus, São José de Leonissa), capuchinho. Dedicava-se aos prisioneiros e trabalhadores forçados de Constantinopla quando foi banido pelos turcos. Consagrou seus últimos vinte anos de vida à pregação na Úmbrja. sua província natal. (M). Ver páginas 413-415: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 888, São Ramberto (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Remberto), sucessor de Santo Oscar na Sé episcopal de Bremen. Por ocasião das invasões normandas, não hesitou em vender os vasos sagrados de sua igreja para resgatar alguns de seus fiéis que haviam sido capturados. (M). Ver São Remberto, Arcebispo de Bremen, páginas 411-412: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

–  Ver “Rimberto – nascido na Flandres em 830, falecido em Bremen em 888 – foi arcebispo de Hamburgo-Bremen de 865 até à sua morte em 888.[1]. Acompanhou Ansgário na sua segunda viagem missionária à Suécia, e visitou, mais tarde, como arcebispo, a Suécia e a Dinamarca.[2][3]. Sucedeu a Ansgário no cargo de arcebispo de Hamburgo-Bremen em 865.[4] Escreveu a Vida de Ansgário por volta de 875, uma biografia de Ansgário de Hamburgo, baseada nos testemunho do próprio Ansgário e de Vitmar.[5][6][7].”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Rimberto_de_Hamburgo

15. Santo André Corsino, bispo de Fiésole na Toscana. Ver páginas 402-410: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

– Ver, na Wikipedia de 09 de fevereiro, “Santo André Corsini (Florença30 de Novembro de 1301 – Fiesole6 de Janeiro de 1374) foi um religioso carmelita italiano. Abraçou a vida religiosa em sua cidade natal. Exerceu a função de provincial na província carmelita da Toscana. Em 13 de Outubro de 1349 foi nomeado bispo de Fiesole pelo Papa Clemente VI. Distinguiu-se pelo zelo apostólico, prudência e amor em relação aos pobres. Foi canonizado em 29 de Abril de 1629. Teve um de Seus Parentes sendo Papa, descentende de seu irmão o Papa Clemente XII (1730 – 1740).”: André Corsini – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “Andrew Corsini”: Patron Saints Index: Saint Andrew Corsini (archive.org)

– Ver ainda “…Foi sepultado na igreja dos Carmelitas de Florença, onde suas relíquias podem ser veneradas, ainda hoje. Santo André Corsini é o padroeiro da cidade de Florença e a Igreja designou o dia 04 de fevereiro para a sua festa litúrgica.”: http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/santo-andre-corsini

16. Santa Verônica que enxugou o rosto de Jesus. Ver páginas 416-417: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

17. São Teófilo, o penitente. Ver a lenda sobre ele e Nossa Senhora que o salvou do mal. Páginas 421-423: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf 

18. Outros santos do dia 04 de fevereiro, páginas 402-426: VIDAS DOS SANTOS – 2.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 04 de fevereiro, ver ainda: 4 de fevereiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 179-181:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, VOSSO FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/