Santas e Santos de 08 de fevereiro

1. São Je­ró­nimo Emiliano (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, de­pois de uma ju­ven­tude vi­ru­lenta e li­cen­ciosa, quando foi en­car­ce­rado pelos ini­migos se con­verteu a Deus. De­pois de­dicou-se to­tal­mente, com ou­tros com­pa­nheiros con­gre­gados na mesma in­tenção, a todas as ví­timas da mi­séria, so­bre­tudo aos ór­fãos e aos en­fermos; foi o início da Con­gre­gação dos Clé­rigos Re­grantes de So­masca. Ata­cado de­pois pela peste no con­tacto com esses do­entes, morreu em So­masca, perto de Bér­gamo, na Lom­bardia, re­gião da Itália. († 1537). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de Milão, em 1537, São Jerônimo Emiliano. Tocado de maneira es pecial pela miséria dos órfãos, das mulheres perdidas e das crianças abandonadas, fundou para socorrê-los a Congregação dos Somascos, a partir do nome da cidadezinha onde a congregação se originara. Morreu de peste que contraiu cuidando dos infelizes atingidos pelo mal. (R). Ver “Jerónimo Emiliano (em latimGerolamo EmilianiVeneza1481 — Somasca8 de fevereiro de 1537) é um santo da Igreja Católica.[1]É o fundador da Ordem dos Clérigos Regulares de Somasca, destinada a socorrer as crianças órfãs e as pobres.

Canonizado em 1767, foi nomeado pelo Papa Pio XI padroeiro dos órfãos e dos jovens abandonados.[2]

Sua festa é comemorada no dia 8 de fevereiro e em 20 de julho no calendário romano tradicional.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jer%C3%B3nimo_Emiliano

– Ver também: páginas 183-194: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

2. Santa Jo­se­fina Bakhita (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, sendo na­tural da re­gião de Darfur, no Sudão, foi rap­tada ainda cri­ança e, ven­dida vá­rias vezes nos mer­cados afri­canos de es­cravos, su­portou as as­pe­rezas cruéis da es­cra­vidão. Fi­nal­mente li­berta, tornou-se cristã e re­li­giosa em Ve­neza, com as Fi­lhas da Ca­ri­dade, e passou o resto da sua vida em Cristo, pres­tando au­xílio a toda a gente, em Schio, ci­dade da pro­víncia de Vi­cenza, na Itália. († 1947). Ver “O nome “Bakhita”, que significa “afortunada”, “sortuda” ou “bem-aventurada”, não lhe foi dado ao nascer mas lhe foi atribuído pelos raptores. Foi capturada e vendida por mercadores de escravos negros no mercado de El Obeid e de Cartum ao cônsul da Itália no Sudão, D. Calixto Legnani, que logo lhe deu uma carta de liberdade. No período de escravidão, Bakhita sofreu as humilhações, sofrimento físico, psicológico e moral dos escravos… Faleceu no convento canosiano de Schio, em 1947, com a idade de 78 anos; foi enterrada no começo na capela de uma família de Schio, os Gasparella, provavelmente na espera de um sepultamento definitvo no Templo da Sagrada família. E assim foi em 1969, quando o corpo encontrado incorrupto de Bakhita foi sepultados sob o altar da Igreja do mesmo convento.

Foi beatificada em 1992 e canonizada em Roma, pelo Papa João Paulo II, em outubro de 2000.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Josefina_Bakhita

3.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, a co­me­mo­ração de Santa Quinta ou Cointa, mártir, a quem os pa­gãos, no tempo do im­pe­rador Décio, qui­seram obrigar a adorar os ídolos; tendo ela fir­me­mente re­cu­sado, ataram-lhe os pés em ca­deias e, ar­ras­tando-a pelas praças da ci­dade, di­la­ce­raram-na num hor­rível suplício. († 249)

4.   Em Pavia, na Li­gúria, re­gião da Itália, São Ju­vêncio (também na Folhinha do Coração de Jesus) ou Evêncio, bispo, que tra­ba­lhou ar­du­a­mente pelo Evangelho. († 397)

5.   Co­me­mo­ração dos santos már­tires monges do mos­teiro de Die, em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, que, pela de­fesa da fé ca­tó­lica, ao le­varem cartas do papa Félix III contra Acácio, foram cru­el­mente assassinados. († c. 485)

6*.   Na Bre­tanha Menor, ac­tu­al­mente na França, São Ja­cuto, abade, con­si­de­rado como irmão dos santos Vin­valeu e Guet­noco, que cons­truiu junto ao mar um mos­teiro que de­pois foi de­sig­nado com o seu nome. († s. VI). Ver página 11: VIDAS DOS SANTOS – 3.pdf (obrascatolicas.com)

7.   Em Milão, na Lom­bardia, re­gião da Itália, o se­pul­ta­mento de Santo Ho­no­rato, bispo, que, pe­rante a imi­nente in­vasão dos Lom­bardos, salvou grande parte do povo, con­se­guindo re­fúgio em Génova. († c. 570)

8*.   Em Be­sançon, da Bor­gonha, ac­tu­al­mente na França, São Ni­cécio, bispo. († c. 610)

9.   Em Verdun, na Gália, também na ac­tual França, São Paulo, bispo, que, tendo abra­çado a vida mo­nás­tica, foi de­pois eleito bispo desta ci­dade, onde pro­moveu a dig­ni­dade do culto di­vino e a ob­ser­vância re­gular dos cónegos. († c. 647). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VII, São Paulo, bispo. Depois de ter exercido diversos cargos civis na corte de Clóvis II, e de em seguida ter levado vida monástica por algum tempo, foi chamado para o serviço da Igreja de Verdun, preocupando-se em assegurar uma vida digna a seu clero carente e em fazer observar o domingo por seus fiéis. (M). Ver páginas 111-113: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

10*.   Em Al­bano, no Lácio, re­gião da Itália, o Beato Pedro, de­no­mi­nado o Ígneo por ter pas­sado ileso pelo fogo, que foi monge de Va­lum­brosa e de­pois bispo de Al­bano, tra­ba­lhando ar­do­ro­sa­mente para re­novar a dis­ci­plina eclesiástica. († 1089). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1089, São Pedro, beneditino de Valumbrosa que, tornando-se bispo e cardeal, deu seguimento aos esforços de São Gregório Magno em combater a simonia e restabelecer a disciplina no clero. (M). Ver páginas 114-115: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

– Ver “Pedro Igneus foi um monge beneditino italiano da congregação das Vallombrosians, abade e bispo de Albano cardeal. Ele é muitas vezes referido como um membro da família Aldobrandini mas esta denominação familiares não é atestada nas fontes contemporâneas.”: Pedro Igneus – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

11.   Em Muret, no ter­ri­tório de Li­moges, na Aqui­tânia, re­gião da França, Santo Es­têvão, abade, fun­dador da Ordem de Grand­mont, que atri­buiu aos clé­rigos o louvor di­vino e a con­tem­plação, con­fi­ando a ad­mi­nis­tração das ta­refas tem­po­rais à ca­ri­dade dos ir­mãos leigos. († 1124). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1124, Santo Estevão de Muret, eremita, que esteve na origem da Ordem de Grandmont, no Limousin, cujas estruturas comunitárias eram direcionadas à vida solitária. Segundo seu biógrafo, “ele seguiu por suas palavras e atos o Evangelho de Cristo, que é a verdadeira e única Regra de vida”. (M). Ver páginas 108-110: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

12*.   Em Sa­vi­gliano, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, a Beata Jo­se­fina Ga­briela Bonino, virgem, que fundou a Con­gre­gação re­li­giosa da Sa­grada Fa­mília de Na­zaré, para a edu­cação dos ór­fãos e a as­sis­tência aos en­fermos pobres. († 1906)

13. Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 08 de fevereiro, em Roma, em 1213, São João de Matha. Nascido na Provença, estudou em Paris, onde recebeu formação sacerdotal, fundando depois a Ordem dos Trinitários para o resgate dos cativos cristãos (conforme Martirológio Romano-Monástico, M).Ver páginas 101-107: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

Ver 17 de dezembro: Em Roma, no monte Célio, São João da Mata (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, de origem fran­cesa, que fundou a Ordem da San­tís­sima Trin­dade para a Re­denção dos Cativos. († 1213). Ver “A festa, por decisão do papa Inocênc1o XI, celebra-se a 8 de fevereiro.” páginas 329-330: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2021.pdf

– Ver “Após a morte de seu amigo eremita (Felix de Valois), João retirou-se para Roma, onde faleceu em 17 de dezembro de 1213.[4]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jean_de_Matha

– Ver “João de Matha (23 de junho de 1160, Faucon-de-BarcelonnetteFrança – RomaItália, 17 de dezembro de 1213) foi um monge francês, fundador juntamente com São Félix de Valois, da Ordem da Santíssima Trindade (também conhecida como a Ordem Trinitária).[1]”: Jean de Matha – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “A Ordem dos Trinitários cresceu tanto que seu fundador teve de construir várias outras casas comunitárias, tamanha era a solicitação para o ingresso. João da Mata morreu santamente, no dia 17 de dezembro de 1213. O papa Inocêncio XI elevou à honra dos altares são João da Matha, cuja celebração foi estabelecida para o dia de sua morte.”: https://franciscanos.org.br/vidacrista/calendario/sao-joao-da-mata/#gsc.tab=0

14. No mesmo dia, em Roma, os santos mártires Paulo, Lúcio e Ciríaco (também na Folhinha do Coração de Jesus), conforme pág. 117: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

15. Outros santos do dia 08 de fevereiro, páginas 101-118: VIDAS DOS SANTOS – 3.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 08 de fevereiro, ver ainda: 8 de fevereiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 190-192:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, VOSSO FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 07 de fevereiro

1. Festa das Cinco Chagas do Senhor, isto é, das fe­ridas que Cristo re­cebeu na cruz e ma­ni­festou aos Após­tolos de­pois da sua res­sur­reição, de­voção muito viva entre os por­tu­gueses desde os co­meços da na­ci­o­na­li­dade e con­fir­mada pelos Ro­manos pon­tí­fices, a partir de Bento XIV. Ver “Os estigmas são marcas manifestadas fisicamente mas que tradicionalmente são reputadas como tendo origem espiritual, e que alguns acreditam reproduzirem as cinco chagas de Jesus Cristo. Os estigmas podem tomar formas variadas, como úlceras, chagas, ferimentos, queimaduras, bolhas e lacerações, dentre outros, e normalmente são verificados em um dos cinco pontos do corpo pelos quais Jesus teria sido pregados à cruz: péspunhos e tórax. Enquanto festividade católica, em Portugal é realizada especialmente no dia 7 de Fevereiro.[1]

”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Estigma_(fen%C3%B4meno)

2.   Em Nola, na Cam­pânia, re­gião da Itália, São Má­ximo, bispo, que em tempo de per­se­guição di­rigiu a Igreja desta ci­dade e, de­pois de uma longa vida, morreu em paz. († s. III)

3.   Em Lâmp­saco, no He­les­ponto, na ac­tual Tur­quia, São Par­ténio, bispo, que, se­gundo a tra­dição, no tempo do im­pe­rador Cons­tan­tino Magno pro­pagou a fé pela pa­lavra e pelo exemplo da sua vida. († s. IV). Ver páginas 95-97: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

4.   No monte Sinai, São Moisés, que, de­pois de ter se­guido a vida so­li­tária no ermo, foi or­de­nado bispo a pe­dido de Máuvia, rainha dos Sar­ra­cenos, e con­se­guiu pa­ci­ficar aquela gente fe­ro­cís­sima e manter ilesa a vida dos cristãos. († c. 389). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Egito, perto de 389, São Moisés. Originário da Arábia, retirou-se para o deserto do monte Sinai. Elevado ao episcopado, contribuiu para a manutenção da paz entre seus concidadãos e os romanos. (M)

5.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, Santa Ju­liana, viúva. († s. IV)

6*.   Em Man­fre­dónia, na Apúlia, também re­gião da Itália, São Lou­renço, bispo. († c. 545)

7.   Em Lucca, na Etrúria, hoje na Tos­cana, também na Itália, o se­pul­ta­mento de São Ri­cardo (também na Folhinha do Coração de Jesus), pai dos santos Vi­ne­baldo e Val­burges, que morreu quando ia com seus fi­lhos em pe­re­gri­nação da In­gla­terra para Roma. († c. 720)

8.   Em Só­terum, na Fó­cida, re­gião da Grécia, São Lucas o Jovem, eremita. († 955). Ver página 98: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

9*.   Em Múccia, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, o Beato Ri­cério (Rizziero), que foi dos pri­meiros e mais que­ridos dis­cí­pulos de São Francisco. († 1236)

10*.   Em Assis, na Úm­bria, também re­gião da Itália, o Beato An­tónio de Stroncone, re­li­gioso da Ordem dos Frades Menores. († 1461). Ver “Bem-Aventurado Antônio de Strocônio, franciscano”, páginas 91-92: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

11*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato Tomás Sherwood, mártir, que, sendo ne­go­ci­ante de te­cidos, se di­rigiu para Douai a fim de se pre­parar para o sa­cer­dócio; mas quando re­gressou a Lon­dres para as­sistir ao seu pai en­fermo e idoso, ao passar por uma rua, foi con­du­zido ao mar­tírio, no rei­nado de Isabel I. († 1578). Ver página 98: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

12*.   Em Au­benas, no Vi­viers, re­gião da França, os be­atos már­tires Tiago Sales, pres­bí­tero, e Gui­lherme Saltmouche, re­li­gioso, ambos da Com­pa­nhia de Jesus, que, por for­ta­le­cerem o povo na fé ca­tó­lica com a sua pre­gação, de­pois de ter sido to­mada a ci­dade pelos hu­gue­notes, foram cha­ci­nados num do­mingo, di­ante do povo, por causa da sua fé. († 1593)

13*.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, re­gião da Itália, Santo Egídio Maria de São José (Fran­cisco Pon­tillo), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores, que todos os dias pedia es­mola ao povo pelas ruas da ci­dade com ex­trema hu­mil­dade, re­tri­buindo com pa­la­vras de consolação. († 1812)

14.   Em Changsha, ci­dade do Hunan, pro­víncia da China, São João de Triora (Fran­cisco Maria Lân­trua), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que, após cruéis tor­mentos de longo ca­ti­veiro, foi morto por enforcamento. († 1816)

15*.   Em Paris, na França, a Beata Ro­sália (Joana Maria Rendu), virgem das Fi­lhas da Ca­ri­dade, que, vi­vendo numa casa dos su­búr­bios mais po­bres da­quela ci­dade, por ela trans­for­mada em re­fúgio dos in­di­gentes, se em­pe­nhou in­can­sa­vel­mente em vi­sitar os po­bres nos seus do­mi­cí­lios, pro­mover a paz em tempo de guerra civil e es­ti­mular muitos, so­bre­tudo os jo­vens e os ricos, ao exer­cício da caridade. († 1856)

16*.   Também em Paris, a Beata Maria da Providência (Eu­génia Smet), virgem, que fundou o Ins­ti­tuto de Irmãs Au­xi­li­a­doras das Almas do Purgatório. († 1871)

17*.   Em Roma, o Beato Pio IX, papa, que, pro­cla­mando cla­ra­mente a ver­dade de Cristo, que in­ti­ma­mente viveu, ins­ti­tuiu muitas sedes epis­co­pais, pro­moveu o culto da Virgem Santa Maria e con­vocou o Con­cílio Ecu­mé­nico Va­ti­cano I. († 1878)

Ver “Pio IX, nascido Giovanni Maria Mastai-Ferretti (Senigália13 de maio de 1792 – Roma7 de fevereiro de 1878), foi Papa entre 16 de junho de 1846 e 7 de fevereiro de 1878. É o segundo pontificado mais longo da história depois de São Pedro. Foi beatificado em 3 de setembro de 2000, pelo Papa João Paulo II. Foi o primeiro Papa da história a ser fotografado.[1]

Foi o 2º Papa a nascer no dia 13 de maio; o outro foi Papa Inocêncio XIII. Seu papado ficou marcado pela destituição dos chamados Estados Eclesiásticos, pois Pio IX comandava o Trono de Roma quando os revoltosos empreendiam o Risorgimento, que levou à unificação da Itália como Estado Nacional, comandado pelo rei Vittorio Emanuele II.[1]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Pio_IX

18.   Em Parma, na Itália, a Beata Ana Maria Adórni, viúva, fun­da­dora da Con­gre­gação das Servas de Maria Ima­cu­lada e do Ins­ti­tuto do Bom Pastor de Parma. († 1893)

19*.   Em Pont de Mo­lins, lo­ca­li­dade pró­xima de Ge­rona, na Es­panha, os be­atos már­tires An­selmo Polanco, bispo de Te­ruel, e Fi­lipe Ripoll, pres­bí­tero, que, des­pre­zando pro­messas e ame­aças, re­cu­saram fir­me­mente afastar-se da fi­de­li­dade à Igreja. († 1939)

20*.   Perto de Cra­cóvia, na Po­lónia, o Beato Adal­berto Nierychlewski, pres­bí­tero da Con­gre­gação de São Mi­guel e mártir, que, du­rante a ocu­pação mi­litar da sua pá­tria por um re­gime mi­litar hostil à dig­ni­dade hu­mana e à re­li­gião, foi de­por­tado para o campo de ex­ter­mínio de Aus­chwitz, por causa da sua fé em Cristo, e morreu pros­trado pelos tor­mentos a que foi submetido. († 1942)

21*.   No campo de con­cen­tração de An­garsk, na Si­béria, re­gião da Rússia, o Beato Pedro Verhun, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, per­ma­ne­cendo fiel até à morte al­cançou a vida eterna. († 1957)

22. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Frígia, Santo Adauco, mártir, que, pertencendo a uma ilustre família da Itália, foi pelos imperadores elevado a quase tôdas as dignidades do império, mas não exitou em opor-se a eles no domínio da fé (M) e ainda exercia as funções de questor, quando, em defesa da fé, foi honrado com a coroa do martírio. Conf. Págs. 99-100:

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

23. Na Heracléia, no Ponto (conforme Martirológio Romano-Monástico), no ano da graça de 319, São Teodoro, mártir. General do exército imperial, era cristão, e segundo o depoimento de São Gregório de Nissa, não temia deixar que isso transparecesse. Foi condenado a sofrer o suplício do fogo, depois de ter incendiado o templo da deusa Amaséia. Seu culto conheceu grande extensão no Oriente (M). Ver páginas 93-94: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

Ver “Teodoro de Heracleia, dito Estratelata (“General”), também conhecido como Teodoro de Euceta, foi um mártir e um santo militar venerado com o título de Grande Mártir na Igreja OrtodoxaIgreja Católica do Oriente e na Igreja Católica Romana. Há muita confusão entre ele e São Teodoro de Amásia e é possível de fato que ambos sejam a mesma pessoa cujas lendas depois divergiram em duas tradições separadas[2].”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Teodoro_de_Heracleia

24. Santa Coleta (também na Folhinha do Coração de Jesus)

25. Santa Eugênia Smet (também na Folhinha do Coração de Jesus)

26. São Ricardo, rei da Inglaterra, pai de três santos. Conforme VIDAS DOS SANTOS, na Toscana, festa de São Ricardo, rei da Inglaterra, pai de três santos: Vinebaldo, Vilibaldo e Valburga. Casado com uma parenta de São Bonifácio, contemporâneo do rei Ina, seguiu o exemplo daquele príncipe, deixando-se seduzir pelas peregrinações de devoção. Morrendo sübitamente na Itália (722), foi enterrado na igreja de São Fridiano, onde se deram numerosos milagres. Ver página 97: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

27. Outros santos do dia 07 de fevereiro, páginas 73-100: VIDAS DOS SANTOS – 3.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 07 de fevereiro, ver ainda: 7 de fevereiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 187-189:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, VOSSO FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/