Santas e Santos de 05 de abril

1. São Vi­cente Ferrer (também na Folhinha do Coração de Jesus), pre­sbí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, na­tural da Es­panha, que per­correu in­ces­san­te­mente as ci­dades e ca­mi­nhos do Oci­dente, sempre so­lí­cito pela paz e uni­dade da Igreja, pre­gando a muitos povos o Evan­gelho da pe­ni­tência e da vinda do Se­nhor, até que, em Vannes, na Bre­tanha, re­gião da França, en­tregou o es­pí­rito a Deus. († 1419). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Vannes, o nascimento no céu de São Vicente Ferrer, dominicano espanhol que percorreu a Itália do norte, o sul da França e a Bretanha, recomendando os homens a fazerem penitência para se prepararem para o julgamento de Deus. Trabalhou também para restabelecer a unidade da Igreja na cristandade dividida pelo Grande Cisma. (R). Ver também págs. 113-121: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Vicente Ferrer (Valência23 de janeiro de 1350 — VannesBretanha5 de abril de 1419) foi um religioso ibérico.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Vicente_Ferrer

2.   Em Tes­sa­ló­nica, na Ma­ce­dónia, ac­tu­al­mente na Grécia, Santa Irene, virgem e mártir, que, de­so­be­de­cendo ao edito de Di­o­cle­ciano, ocultou os Li­vros sa­grados e por esse mo­tivo foi con­du­zida ao pros­tí­bulo pú­blico e quei­mada por ordem do pre­feito Dul­cécio, o mesmo que tinha mar­ti­ri­zado as suas irmãs Ágape e Quiónia. († 304).

– Ver “O culto a santa Irene ainda é muito intenso no oriente e no Ocidente, e se perpetuou até os nossos dias pelo seu lendário “exemplo de santa mártir”, bem como pela tradição de seu nome, que em grego significa “paz”, e é muito difundido em todo o planeta, principalmente entre os povos cristãos, apesar de não existirem quaisquer comprovações destas lendas pela Ciência.

A festa de santa Irene acontece em 5 de abril, dia em que recebeu a palma do martírio pela fé em Cristo, no ano 304.”: Ágape, Quiônia e Irene – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver dia 03 de abril: Santas Ágape, Cione (ou Quiônia) e Irene, virgens. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, segundo o protocolo de seu processo, elas foram condenadas a serem queimadas vivas “por terem agido contra os divinos editos dos imperadores”, que proibiam a quem quer que fosse conservar as Sagradas Escrituras (M). Santa Irene também na Folhinha do Coração de Jesus de 03 de abril). Ver páginas 59-66:  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Ágape, Quiônia e Irene foram três virgens que foram martirizadas por sua fé durante a perseguição de Diocleciano, em 304 d.C.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/%C3%81gape,_Qui%C3%B4nia_e_Irene

3.   Em Se­lêucia, na Pérsia, no ter­ri­tório do ac­tual Iraque, Santa Fer­buta, viúva, irmã de São Si­meão, bispo, a qual, jun­ta­mente com a sua serva, so­freu o mar­tírio no rei­nado de Sapor II. († c. 342)

4.   Também em Se­lêucia, na an­tiga Pérsia, a co­me­mo­ração de cento e onze ho­mens e nove mulheres, már­tires, que, reu­nidos de vá­rios lu­gares nas ci­dades ré­gias da Pérsia, por re­cu­sarem fir­me­mente negar a Cristo e adorar o fogo, foram quei­madas por ordem do mesmo rei. († 344)

–  No Martirológio Romano-Monástico, dia 06 de abril: no ano do Senhor de 344, o martírio de Cento e Vinte Cristãos, presos por ocasião da passagem do rei dos persas por Selêucia da Mesopotâmia. Em suas provações, uma piedosa mulher os encorajou, dizendo: “Confiança nas promessas que o Senhor nos deixou em seu Evangelho! Ele sofreu em seu corpo e nos abriu a porta do testemunho para que nos tornemos semelhantes a Ele… Vós merecereis, assim, o reino maravilhoso dos amigos de Jesus”. (M). Ver também: Cento e vinte mártires em Adiabene – Pérsia de 345. Ver páginas 144-145: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

5.   Em Régia, na Mau­ri­tânia, no ter­ri­tório da ac­tual Ar­gélia, a paixão dos santos mártires que, na per­se­guição do rei ariano Gen­se­rico, foram mas­sa­crados na igreja num dia da Páscoa; entre eles es­tava o leitor, que foi atra­ves­sado por uma flecha na gar­ganta quando can­tava do púl­pito o «Aleluia». († s. V). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, igualmente, a paixão de Diversos Cristãos Africanos, que durante a perseguição de Genserico foram massacrados dentro de uma igreja, no dia da Páscoa. Um deles, que tinha o ofício de leitor, teve a garganta trespassada por uma flecha no momento em que cantava o Aleluia. (M)

6.   No mos­teiro de Grande-Sauve, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, São Ge­raldo (Gerardo), abade, que per­tencia ao mos­teiro de Corbie quando foi eleito abade de Laon e, de­pois de santas pe­re­gri­na­ções, se re­tirou na densa floresta. († 1095). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1095, São Geraldo. Iniciado na vida monástica em Corbie, sua cidade natal, tornou-se abade de São Vicente de Laon e de São Medardo de Soissons. A afluência de vocações levou-o a fundar vários mosteiros, dos quais o da Grande-Sauve, na Aquitânia, tornou-se mais tarde a casa-mãe de cerca de trinta outras casas. (X). Ver também págs. 122-125:  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

7*.   Em Mon­te­cor­vino, na Apúlia, re­gião da Itália, Santo Al­berto, bispo, que con­sa­grou toda a sua vida à oração con­tínua a Deus e à so­li­ci­tude pelo bem comum dos pobres. († 1127)

8*.   Em Fosses, no Bra­bante, hoje na França, Santa Ju­liana, virgem da Ordem de Santo Agos­tinho, que tinha sido pri­o­resa do mos­teiro de Mont-Cor­nillon, em Liège e, for­ta­le­cida pelo dom do con­selho di­vino e hu­mano, pro­moveu a so­le­ni­dade do Corpo de Cristo e viveu como reclusa. († 1258). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano de Senhor de 1258, Santa Juliana, religiosa agostiniana do mosteiro do Monte Cornillon, na diocese de Liège. Foi convocada, por revelações, a fazer instituir na Igreja a festa do Santíssimo Sacramento, ou do “Corpus Christi”. (F). Ver também págs. 126-129: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Juliana de Mont Cornillon ou Juliana de Liège (Retinnes, 1193 – Fosses-la-Ville5 de abril de 1258). Foi uma freira agostiniana do Convento de “Mont Cornillon”. Ficou conhecida por promover a introdução da Festa de Corpus Christi no âmbito da Igreja Católica.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Juliana_de_Mont_Cornillon

– Ver “Corpus Christi “A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao século XIII. O papa Urbano IV, na época o cônego Tiago Pantaleão de Troyes, arcediago do Cabido Diocesano de Liège, na Bélgica, recebeu o segredo da freira agostiniana Juliana de Mont Cornillon, que teve visões de Cristo demonstrando desejo de que o mistério da Eucaristia fosse celebrado com destaque. Por volta de 1264, em uma cidade próxima a Orvieto (onde o já então papa Urbano IV tinha sua corte), chamada Bolsena, ocorreu o Milagre de Bolsena,[1] em que um sacerdote celebrante da Santa Missa, no momento de partir a Sagrada Hóstia, teria visto sair dela sangue, que empapou o corporal (pano onde se apoiam o cálice e a patena durante a Missa). O papa determinou que os objetos milagrosos fossem trazidos para Orvieto em grande procissão em 19 de junho de 1264, sendo recebidos solenemente por Sua Santidade e levados para a Catedral de Santa Prisca. Esta foi a primeira procissão do Corporal Eucarístico de que se tem notícia. A festa de Corpus Christi foi oficialmente instituída por Urbano IV com a publicação da bula Transiturus em 8 de setembro de 1264, para ser celebrada na quinta-feira depois da oitava de Pentecostes.[2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Corpus_Christi

– Ver ainda “… Ela edificava todos com sua humildade, nunca tinha palavras de crítica ou de reprovação para seus adversários, senão que continuava difundindo com zelo o culto eucarístico. Faleceu em 5 de abril de 1258, em Fosses-La-Ville, na Bélgica. Na cela em que jazia, expuseram o Santíssimo Sacramento e, segundo as palavras do seu biógrafo, Juliana morreu contemplando, com um último transporte de amor, Jesus Eucaristia, a quem sempre havia amado, honrado e adorado. Ela soube antes de falecer que, além de Liège, também a Alemanha ocidental já festejara a festa de Corpus Domini em 1252.

     Seu corpo foi sepultado na Abadia Cisterciense de Villiers. É festejada pela Santa Igreja no dia 5 de abril.”: http://heroinasdacristandade.blogspot.com/2019/04/santa-juliana-de-mont-cornillon-ou.html

9.   Em Palma, na ilha de Mai­orca, na Es­panha, Santa Ca­ta­rina Tomás (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, en­trando na Ordem das Ca­no­nisas Re­grantes de Santo Agos­tinho, foi in­signe no des­prezo de si mesma e na ab­ne­gação da sua vontade. († 1574)

– Ver também págs. 132-133: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

10*.   Em Kauf­beuren, junto ao rio Wer­tach, na Ba­viera, re­gião da Ale­manha, Santa Maria Cres­cência Höss, virgem da Ordem Ter­ceira de São Fran­cisco, que pro­curou co­mu­nicar aos ou­tros o fogo do Es­pí­rito Santo que nela ardia. († 1744)

11♦.   Em São Paulo, no Brasil, o Beato Ma­riano da Mata Aparício, pres­bí­tero da Ordem de Santo Agostinho (também na Folhinha do Coração de Jesus). († 1983).

VER 05 DE NOVEMBRO

Ver “Beato Mariano de la Mata Aparício, mais conhecido como Padre Mariano (La Puebla de Valdavia31 de dezembro de 1905 — São Paulo 5 de abril de 1983), foi um religioso hispanobrasileiro reconhecido pela Igreja Católica como beato… O milagre aprovado pela Congregação para as Causas dos Santos e pelo Papa Bento XVI para a beatificação de Padre Mariano ocorreu com João Paulo Lopes da Silva Polotto, em 1996. O milagre aconteceu na cidade de Barra Bonita:[desambiguação necessária] o menino João Paulo Lopes da Silva Polotto, então com cinco anos, sofreu um acidente quando soltou-se de sua mãe e atravessou a rua; foi atingido por um caminhão e sofreu fratura do crânio. Foi internado com parada respiratória e hemorragia cerebral, em estado muito grave. Padres e alunos do Colégio Agostiniano São José, de São José do Rio Preto, onde Padre Mariano viveu, pediram a ele em oração para que intercedesse junto a Deus e, dez dias depois, o menino era visto nas ruas da cidade caminhando e brincando, sem qualquer sequela do acidente.Os médicos não puderam explicar a imensa recuperação. [3]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Mariano_de_la_Mata

– Ver “Sua memória litúrgica é comemorada no dia 05 de novembro. Seus restos mortais encontram-se na Paróquia Santo Agostinho, no bairro da liberdade em são Paulo.”: http://www.igrejasantoagostinho.com.br/beato.html

– Ver também “Celebramos neste domingo (05/11/2006) a Solenidade de Todos os Santos. Precisamente, nesta solenidade, hoje e aqui em São Paulo, também damos graças a Deus pelo Padre Mariano da Mata Aparício, da Ordem dos Agostinianos, que foi inscrito no álbum dos Beatos.”: https://www.vatican.va/roman_curia/congregations/csaints/documents/rc_con_csaints_doc_20061105_beatif-aparicio_po.html

12. Bem-aventurada Eva, reclusa. Ver “Aconselhada por Santa Juliana do Monte Cornillon, Eva, depois de retirada do mundo, passou por duras provas, por horríveis tentações, que venceu pela paciência, a esperar em Deus.

Depois da morte de Santa Juliana e do decreto da instituição da Festa de Deus (Corpus Christi) em Liège, a bem-aventurada sentiu-se grandemente feliz por saber que o arcediago de Liège, Tiago Pantaleão, fôra eleito papa Urbano IV. Procurou, então, agir no sentido de obter do novo pontífice a confirmação do decreto da instituição.

Quando o novo pontífice se inteirou de que aquela reclusa ainda vivia, rejubilou-se. Felicitando-a pelo zê1o que tivera com a instituição da Festa de Deus, enviou-lhe um breve. Corria o ano de 1262, e a bem-aventurada, que fôra confidente de Santa Juliana, meses depois do recebimento daquele breve, vinha a falecer.

Enterrada na igreja de São Martinho, pouco depois era transferida para repousar sob o altar do Santo Sacramento.

O culto da bem-aventurada Eva foi aprovado em 1902. Em Liège, festejam-na no dia 14 de março. Há os que querem situar sua morte em 1265.”, às págs. 130-131: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

13. No mesmo dia, o martírio de São Zenão (ou Zeno, também na Folhinha do Coração de Jesus) que, por ter confessado sua fé na Santíssima Trindade, sofreu o tríplice suplício do piche, do fogo e da espada (Conf. Martirológio Romano-Monástico – M).

14. No mesmo dia, o Bem-aventurado Sigardo, monge cisterciense de Jouy, depois primeiro abade de Bonlieu, perto de Bordeau, no séc., XII (Conf. Martirológio Romano-Monástico – X).

15. Santa Etelburga de Kent. Ver “Etelburga de Kent, dita Santa Etelburga, também conhecida por ÆthelburhEthelburgÆdilburh e Æthelburga, foi a segunda esposa de Eduíno da Nortúmbria (Edwin). Ela era filha do rei Etelberto de Kent e da princesa merovíngia Berta de Kent (também “Santa Berta”), e irmã de Eadbaldo e Edburga. O casamento de Etelburga com Eduíno em 625 iniciou o processo de conversão da Nortúmbria, no norte da Inglaterra, ao cristianismo.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Etelburga_de_Kent

16. São Derfel Gadarn. Ver “Derfel, conhecido como Derfel Gadarn ([c]adarn: “poderoso, valente, forte”), foi um monge celta cristão do século VI considerado como um santo. A lenda local sustenta que ele foi um guerreiro do Rei Arthur.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Derfel

17. Outros santos do dia 05 de abril: págs. 113-134 (vol.6): VIDAS DOS SANTOS – 6.pdf (obrascatolicas.com)

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”. 

R/: Demos graças a Deus!” 

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre 05 de abril, ver ainda: 5 de abril – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA: 

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/ 

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 304-306: 

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf 

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf 

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997 

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com 

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular. 

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES) 

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! 

Querida Mãe Maria, proteja-nos! 

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! 

Amém! 

* PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM! 

* OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. 

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA: 

barpuri@uol.com.br 

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! 

* “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho) 

* “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro) 

* “Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém! 

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021) 

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!” 

Ver: 

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO! 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.