Santas e Santos de 06 de abril

1.   Em Sír­mium, na Pa­nónia, hoje Sremska Mi­tro­vica, na Sérvia, a paixão de Santo Ireneu, bispo e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Ma­xi­miano e do go­ver­nador Probo, foi cru­el­mente ator­men­tado, de­pois sub­me­tido a vá­rios su­plí­cios no cár­cere du­rante vá­rios dias, e fi­nal­mente decapitado. († s. IV)

2.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, Santo Eu­tí­quio, bispo, que pre­sidiu ao Con­cílio de Cons­tan­ti­nopla II, onde de­fendeu te­naz­mente a recta fé e, de­pois de su­portar um longo exílio, morreu pro­fes­sando a fé na res­sur­reição da carne. († 582). Ver “Eutíquio de Constantinopla (ca. 512 – 5 de abril de 582) foi Patriarca de Constantinopla entre 552 e 565 e, novamente, entre 577 e 592 Ele é considerado um santo pelas igrejas Católica e Ortodoxa. Durante todo o período, concomitante com o reino do imperador bizantino Justiniano, o Grande, foi marcado por controvérsias sobre a autoridade do imperador e do Papa.[1][2]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Eut%C3%ADquio_de_Constantinopla

– Ver páginas 158-159: VIDAS DOS SANTOS – 6.pdf (obrascatolicas.com)

3.   Em Roma, Santa Gala, filha do cônsul Sí­maco, que, de­pois da morte do es­poso se con­sa­grou du­rante muitos anos à oração, à es­mola, aos je­juns e a ou­tras obras santas junto à igreja de São Pedro. São Gre­gório Magno des­creveu a sua morte gloriosa. († s. VI)

4*.   Em Troyes, ci­dade da Nêus­tria, na ac­tual França, São Vi­ne­baldo, abade do mos­teiro de São Lopo, cé­lebre pela sua austeridade. († c. 620). Ver também São Vinibaldo, confessor, páginas 153-154: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

5*.   Também em Troyes, São Pru­dêncio, bispo, que compôs um com­pêndio do Sal­tério para os iti­ne­rantes, co­ligiu um flo­ri­légio de pre­ceitos para os can­di­datos ao sa­cer­dócio to­mados da Es­cri­tura e re­novou a ob­ser­vância dos mosteiros. († 861)

6.   Em Ve­lehrad, na Mo­rávia, ac­tu­al­mente na Ché­quia, o dia natal de São Me­tódio, bispo, cuja me­mória se ce­lebra com a de seu irmão Ci­rilo no dia 14 de Fevereiro. († 885)

7*.   No mos­teiro de São Galo, na Suábia, hoje na Suíça, o beato Not­kero o Gago, monge, que passou quase toda a sua vida neste ce­nóbio, onde compôs nu­me­rosas sequên­cias; era débil do corpo mas não da mente, gago da língua mas não da in­te­li­gência, só­lido nas re­a­li­dades di­vinas, pa­ci­ente nas ad­ver­si­dades, afável com todos, as­síduo na oração, na lei­tura, na me­di­tação e na es­cri­tura literária. († 912).

Ver páginas 151-152: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Notker, o GagoO.S.B. (em latimNotker Balbulus), conhecido ainda como Notker INotker, o Poeta e Notker de São Galo, foi um músico, poeta e monge beneditino na Abadia de São Galo, no território da moderna Suíça. É geralmente creditado como sendo o “monge de São Galo” (“Monachus Sangallensis”) que assinou a obra “De Carolo Magno”, um livro de anedotas sobre o imperador Carlos Magno.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Notker,_o_Gago

8*.   No mos­teiro de Santo Elias, no monte Au­lina, pró­ximo de Pálmi, na Ca­lá­bria, re­gião da Itália, São Fi­la­reto, monge, in­signe pela sua vida de oração. († 1076)

– Ver página 158: VIDAS DOS SANTOS – 6.pdf (obrascatolicas.com)

9.   Na ilha de Es­kill, perto de Ro­es­kilde, na Di­na­marca, São Gui­lherme, abade, que, cha­mado do ce­nóbio dos Có­negos Re­grantes de Paris à Di­na­marca, res­taurou a ob­ser­vância re­gular, su­pe­rando grandes di­fi­cul­dades e obs­tá­culos, e partiu desta vida ter­rena ao ama­nhecer o do­mingo da Páscoa. († 1203). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1203, São Guilherme de Eskill, cônego de Santa Genoveva de Paris, chamado para restaurar o monaquismo na Dinamarca. (M). Ver páginas 155-157: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Guilherme de Paris (em inglêsWilliam; em latimWilhelmus), conhecido também como Guilherme de ÆbelholtGuilherme de Eskilsø e Guilherme do Paráclito, foi um clérigo francês na Dinamarca no século XII. Paráclito é uma referência ao Espírito Santo, a quem era dedicada a Abadia de Æbelholt, onde foi abade.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Guilherme_de_Paris

10.   Em Milão, na Lom­bardia, re­gião da Itália, a paixão de São Pedro de Verona, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, sendo filho de pais se­quazes do ma­ni­queísmo, abraçou ainda cri­ança a fé ca­tó­lica e na ado­les­cência re­cebeu o há­bito das mãos do pró­prio São Do­mingos; aplicou toda a sua energia no com­bate às he­re­sias, até que, ao di­rigir-se para Como, foi as­sas­si­nado pelos seus ini­migos, pro­cla­mando até ao úl­timo sus­piro o sím­bolo da fé. († 1252). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Milão, no ano de 1252, São Pedro de Verona, dominicano, martirizado por um antigo correligionário da heresia cátara. Antes de expirar, teve forças para traçar com seu sangue as primeiras palavras do Credo. (M).

– Ver “Pedro de Verona, também conhecido como Pedro Mártir (Veronaca. 1205 — Seveso6 de abril de 1252) foi um frade dominicanoinquisidor e mártir italiano do século XIII. É venerado como santo católico.[1]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Pedro_de_Verona

11*.   No mos­teiro de Santa Maria, no Sacro Monte, junto de Va­rese, também na Lom­bardia, a beata Ca­ta­rina de Pallanza, virgem, que, jun­ta­mente com al­gumas com­pa­nheiras, levou vida ere­mí­tica se­gundo a regra de Santo Agostinho. († 1478). Ver também: Bem-aventurada Catarina de Pallanza, virgem (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver páginas 149-150: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

12.   Em Vinh Tri, ci­dade do Ton­quim, no ac­tual Vi­etnam, São Paulo Lê Bao Tinh, pres­bí­tero e mártir, que, ainda clé­rigo, es­teve preso no cár­cere muito tempo por causa da sua fé e, ele­vado ao sa­cer­dócio, foi reitor do se­mi­nário; compôs um livro de ho­mi­lias e um com­pêndio de dou­trina cristã; fi­nal­mente, le­vado de novo a tri­bunal, foi con­de­nado à morte no tempo do im­pe­rador Tu Duc. († 1857)

13*.   Em Ve­rona, na Itália, o Beato Ze­fe­rino Agostíni, pres­bí­tero, que se de­dicou ao mi­nis­tério da pre­gação, da ca­te­quese e da edu­cação cristã, e pro­moveu obras de todo o gé­nero em favor da ju­ven­tude, dos po­bres e dos en­fermos, para as quais fundou a Con­gre­gação das Ur­su­linas Fi­lhas de Maria Imaculada. († 1896)

14*.   Em Turim, na Itália, o Beato Mi­guel Rua, pres­bí­tero, dis­cí­pulo de São João Bosco, in­signe pro­pa­gador da So­ci­e­dade Salesiana. († 1910). Ver “Miguel RúaS.D.B. (em italianoMichele Rua) foi um religioso e pedagogo italianoReitor-Mor da Congregação Salesiana. É venerado como beato pela Igreja Católica.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Miguel_Rua

– Ver “Nesta quinta-feira, 29 de outubro (VER), celebra-se o dia do beato Miguel Rua – primeiro sucessor de Dom Bosco à frente da Congregação Salesiana. Miguel Rua teve um papel fundamental na consolidação e expansão do trabalho salesiano, levando a Congregação para mais de trinta países. Foi também grande amigo de Dom Bosco, estando, inclusive, ao lado do santo no momento de sua morte.”: http://www.missaosalesiana.org.br/familia-salesiana-recorda-o-dia-do-beato-miguel-rua-primeiro-sucessor-de-dom-bosco/

15*.   Em Fióbbio di Al­bino, lo­ca­li­dade pró­xima de Bér­gamo, na Itália, a Beata Pe­trina (Pierina) Mo­ro­síni, virgem e mártir, que, aos vinte e seis anos, quando vinha da ofi­cina onde tra­ba­lhava de re­gresso a sua casa, foi ata­cada por um jovem e morreu fe­rida de morte, ao de­fender a sua vir­gin­dade con­sa­grada a Deus. († 1957)

16. São Celestino (também na Folhinha do Coração de Jesus), Papa. Ver págs. 135-143: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Papa Celestino I foi papa de 422, até a data de sua morte, em 27 de julho de 432. É considerado santo e retratado na arte com um dragão, uma pomba e uma chama.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Celestino_I

17. São Marcelino de Cartago, mártir. Amigo de São Jerônimo e de Santo Agostinho, morto para dar testemunho da verdade apostólica (conf. Martirológio Romano-Monástico – M). Ver páginas 146-148: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver “São Marcelino era contrário ao donatismo, pois defendia que os sacramentos podem ser administrados por pessoas comuns, pois, na verdade, ninguém é santo senão Deus. E São Marcelino estava certo. Pouco tempo depois, a Igreja baniu a heresia donatista. Porém, por ser contrário ao donatismo, São Marcelino foi denunciado como cúmplice de Heracliano, um inimigo do então imperador Honório. Por isso, foi preso e condenado á morte.

Somente um ano após a morte de São Marcelino a justiça de Roma reconheceu oficialmente que errou. Assim, a acusação de traição que pesava sobre ele foi anulada. Então, São Marcelino passou a ser venerado como mártir, pois afinal, morreu por defender a posição da Igreja de Jesus Cristo, não cedendo nem para salvar sua vida.”:  https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-sao-marcelino-de-cartago/269/102/

18. Em Roma, os santos mártires Timóteo e Diógenes (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver página 159: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

19. No Martirológio Romano, dia 05 de abril: também em Se­lêucia, na an­tiga Pérsia, a co­me­mo­ração de cento e onze ho­mens e nove mulheres, már­tires, que, reu­nidos de vá­rios lu­gares nas ci­dades ré­gias da Pérsia, por re­cu­sarem fir­me­mente negar a Cristo e adorar o fogo, foram quei­madas por ordem do mesmo rei. († 344)

–  No Martirológio Romano-Monástico, dia 06 de abril: no ano do Senhor de 344, o martírio de Cento e Vinte Cristãos, presos por ocasião da passagem do rei dos persas por Selêucia da Mesopotâmia. Em suas provações, uma piedosa mulher os encorajou, dizendo: “Confiança nas promessas que o Senhor nos deixou em seu Evangelho! Ele sofreu em seu corpo e nos abriu a porta do testemunho para que nos tornemos semelhantes a Ele… Vós merecereis, assim, o reino maravilhoso dos amigos de Jesus”. (M). Ver também: Cento e vinte mártires em Adiabene – Pérsia de 345. Ver páginas 144-145: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

20. Outros santos do dia 06 de abril: págs. 135-159 (vol.6): VIDAS DOS SANTOS – 6.pdf (obrascatolicas.com)

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”. 

R/: Demos graças a Deus!” 

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre 06 de abril, ver ainda: 6 de abril – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA: 

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/ 

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 306-309: 

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf 

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf 

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997 

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com 

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular. 

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES) 

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! 

Querida Mãe Maria, proteja-nos! 

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! 

Amém! 

* PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM! 

* OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. 

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA: 

barpuri@uol.com.br 

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! 

* “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho) 

* “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro) 

* “Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém! 

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021) 

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!” 

Ver: 

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO! 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.