Santas e Santos de 07 de abril

1. Me­mória de São João Bap­tista de la Salle (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, que em Ruão, na Nor­mandia, re­gião da França, se de­dicou com grande di­li­gência à for­mação hu­mana e cristã das cri­anças, prin­ci­pal­mente das mais po­bres, fun­dando para isso a Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs, pela qual su­portou muitas tri­bu­la­ções, tor­nando-se grande be­ne­mé­rito do povo de Deus.  († 1719). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São João Batista de La Salle, que fundou em Reims, sua cidade natal, o Instituto dos Irmãos da Escolas Cristãs, a serviço do ensino popular. Contribuiu para a expansão de sua obra aceitando no silêncio as humilhações sem conta que lhe vieram dos seus mais próximos colabores. (R). Ver página 377: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também página 181: VIDAS DOS SANTOS – 6.pdf (obrascatolicas.com)

Ver “João Batista de La Salle (Reims30 de abril de 1651 – Saint-Yon7 de abril de 1719) foi um sacerdote, pedagogo e pedagogista francês inovador, que consagrou sua vida a formar professores destinados à formação de crianças pobres. Foi fundador de uma congregação religiosa, os Irmãos das Escolas Cristãs, ou Irmãos Lassalistas, dedicada à educação, especialmente dos mais pobres. Em 15 de Maio de 1950 foi declarado patrono de todos educadores, pelo Papa Pio XII.[1] [2]

Foi canonizado pela Igreja Católica. Sua festa litúrgica é comemorada no dia 7 de abril.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Batista_de_La_Salle

– Ver: http://www.irmaosdelasalle.org/sobre-a-congregacao/o-fundador

– Ver: https://www.google.com/search?q=S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+Batista+de+La+Salle&oq=S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+Batista+de+La+Salle&aqs=chrome..69i57j0l7.6175j0j8&sourceid=chrome&ie=UTF-8

2.   Co­me­mo­ração de Santo He­ge­sipo (Egesipo), que viveu em Roma no tempo dos papas Ani­ceto e Eleu­tério e es­creveu em lin­guagem sim­ples a his­tória da Igreja, desde a Paixão do Se­nhor até ao seu tempo. († c. 180). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no final do século II, Santo Hegesipo. Chegando a Roma durante o papado de Aniceto II, demorou-se na cidade até o pontificado de Eleutério. Durante sua permanência, escreveu uma história da Igreja, desde a Paixão do Senhor até o seu tempo (M). Ver também páginas 163-164: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Santo Hegésipo (em grego: Ἅγιος Ἡγήσιππος), foi um cronista durante o cristianismo primitivo e que provavelmente era um judeu-cristão[1] e que certamente escreveu contra heresias como o gnosticismo e o marcionismo. A data em que Hegésipo viveu é obtida de maneira insegura através de uma afirmação de Eusébio de que a morte e a apoteose de Antínoo (em 130 d.C.) teria ocorrido quando Hegésipo ainda estava vivo[a], de que ele teria ido a Roma durante o reinado do papa Aniceto (ca. 150 – 168) e teria escrito durante o reinado do papa Eleutério (ca. 174 – 189 d.C.)[2].”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Heg%C3%A9sipo

3.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, São Pe­lúsio, pres­bí­tero e mártir. († d. inc.)

4.   Em Pen­tá­polis, na Líbia, os santos már­tires Te­o­doro, bispo, Ireneu, diá­cono, Se­ra­pião e Amónio, leitores. († s. IV)

5.   Em Pom­peió­polis, lo­ca­li­dade da Ci­lícia, na ac­tual Tur­quia, São Ca­liópio, mártir. († s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Oriente, a paixão de São Calíopo, crucificado de cabeça para baixo na Sexta-Feira Santa do ano de 304 (M). – Ver também “… Máximo, então, ordenou que o crucificassem. E Teoclia, sabendo-o, correu aos carrascos, dando-lhes cinco peças de prata, para que o crucificassem de cabeça para baixo. Morto Caliópio, corria o ano de 304, a mãe, rendendo graças ao Senhor, recebeu-o nos braços. E, abraçando-o, assim morreu, sendo ambos recolhidos por cristãos da cidade e sepultados religiosamente.” às páginas 165-168: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

6.   Em Sí­nope, no Ponto, também na ac­tual Tur­quia, du­zentos santos mártires, soldados. († s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Sínopo, no Ponto, durante a perseguição de Maximiniano, o martírio de Duzentos Soldados, que se converteram diante dos prodígios realizados no momento em que dois cristãos eram torturados (M).

7.   Em Mi­ti­lene, na ilha de Lesbos, na Grécia, São Jorge, bispo, que, no tempo do im­pe­rador Leão o Ar­ménio, su­portou muitos tor­mentos por de­fender o culto das sa­gradas imagens. († 816)

8*.   Junto ao mos­teiro de Crespin, no Hai­naut, hoje na França, Santo Ai­berto, pres­bí­tero e monge, que todos os dias re­ci­tava na so­lidão, de jo­e­lhos ou pros­trado em terra, todo o Sal­tério, e aos pe­ni­tentes que a ele acor­riam ad­mi­nis­trava a di­vina misericórdia. († 1140). Ver “Santo Aiberto, confessor” às páginas 176-180: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

9*.   No mos­teiro pre­mons­tra­tense de Stein­feld, na Ale­manha, Santo Her­mano José, pres­bí­tero, que res­plan­deceu pelo seu terno amor para com a Virgem Maria e ce­le­brou com hinos e cân­ticos a de­voção ao di­vino Co­ração de Jesus. († 1241/1252). Ver “Bem-aventurado Hermano José, premonstratense, confessor.” páginas 171-172: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

10.   Em York, na In­gla­terra, Santo Hen­rique Wal­pole, da Com­pa­nhia de Jesus, e o Beato Ale­xandre Ra­wlins, pres­bí­teros e már­tires, que, no rei­nado de Isabel I, foram presos e cru­el­mente ator­men­tados por causa do seu sa­cer­dócio e, fi­nal­mente, con­du­zidos ao pa­tí­bulo, en­for­cados e di­la­ce­rados, al­can­çaram a coroa eterna. († 1595)

11.   Em Wor­cester, também na In­gla­terra, os be­atos már­tires Edu­ardo Old­corne, pres­bí­tero, e Ro­dolfo Asley, re­li­gioso, ambos da Com­pa­nhia de Jesus, que exer­ceram clan­des­ti­na­mente du­rante muitos anos o mi­nis­tério apos­tó­lico, até que, sob a acu­sação falsa de con­jura contra o rei Jaime I, foram in­tro­du­zidos no cár­cere, tor­tu­rados e fi­nal­mente di­la­ce­rados ainda vivos. († 1606)

12.   Na Co­chin­china, no ac­tual Vi­etnam, São Pedro Nguyen Van Luu, pres­bí­tero e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Tu Duc, foi con­de­nado à pena ca­pital e morreu com ale­gria no patíbulo. († 1861)

13*.   Em Don­gerkou, lo­ca­li­dade da China, a Beata Maria As­sunta Pallotta, virgem das Irmãs Fran­cis­canas Mis­si­o­ná­rias de Maria, que, ocu­pando-se dos ser­viços hu­mildes, levou uma vida sim­ples e oculta pelo reino de Cristo. († 1905)

14. Santo Afraates, solitário. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Santo Afrato, anacoreta, filho de persas convertidos. No tempo do imperador Valêncio, confirmou diversos cristãos na fé na divindade do Verbo. Ver páginas 160-162: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver “Afraates ou Afrates (em grego: Aφραάτης; romaniz.: Aphraates; em persa: فرهاد; romaniz.: Aphrahat e em siríaco: ܐܦܪܗܛ) foi um ermitão de origem persa do século IV, que esteve ativo na Mesopotâmia e Síria durante o reinado do imperador Valente (r. 365–378) e talvez de Teodósio (r. 378–395). Sua vida é conhecida somente pelo relato de Teodoreto, que teria sido levado quando garoto para visitar o eremita em Antioquia e foi abençoado pelo mesmo.[1]”:  https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Afraates_(ermit%C3%A3o)

15. Bem-Aventurado Eberardo, confessor. Ver “…Com a espôsa, de comum acôrdo, deixou o século e abraçou a vida religiosa. Eberardo tomou o hábito no mosteiro de Todos os santos e Ita no convento de Santa Inês.”, às páginas 169-170: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

16. Bem-aventurada Ursulina, (também na Folhinha do Coração de Jesus, virgem. Ver páginas 173-175: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

17. São Guilherme de Scicli. Lembrado na Folhinha do Coração de Jesus.

– Ver “Guilherme Cufitella era um terceiro franciscano que se tornou eremita nas imediações de Scicli na Sicília, e passou cerca de 70 anos em sua pequena cela, entregue à oração e a mortificações severíssimas. Vivia de hortaliças que cultivava em seu jardim e de pequena porção do que os fiéis lhe traziam. Raras vezes saía do eremitério, exceto para visitar e socorrer os doentes pobres pelos quais tinha grande compaixão, ou para atender ao serviço da capela de Nossa Senhora da Piedade, contígua à sua cela e que fora confiada a seus cuidados. Muita gente ia visitá-lo à procura de direção e orientação para sua vida espiritual. Uma amizade muito estreita unia-o a um outro santo solitário, o Beato Conrado de Piacenza (ver 19 de fevereiro), que vinha de Pizzoni passar a Quaresma em sua companhia.
O Beato Guilherme contava 95 anos de idade quando morreu. O povo de Scicli, ao ouvir o toque dos sinos, acorreu apressado e encontrou o ancião morto de joelhos, mãos postas em oração e cercado de raios de uma luz celeste. A cidade, que posteriormente o fez seu protetor em ação de graças por tê-la preservado da peste, ainda celebra sua festa. Seu culto foi aprovado em 1537.

Bem-aventurado Guillermo de Scicli, rogai por nós!”: https://ofsbc.wordpress.com/2015/04/06/bem-aventurado-guillermo-de-scicli/

18. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 888, São Gilberto, abade de Luxeuil, morto com seus companheiros religiosos pelos bárbaros, por haver se recusado a renegar sua fé cristã e o ideal de vida monástico (X).

19. Outros santos do dia 07 de abril: págs. 160-183 (vol.6): VIDAS DOS SANTOS – 6.pdf (obrascatolicas.com)

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”. 

R/: Demos graças a Deus!” 

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre 07 de abril, ver ainda: 7 de abril – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA: 

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/ 

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 309-311: 

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf 

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf 

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997 

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com 

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular. 

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES) 

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! 

Querida Mãe Maria, proteja-nos! 

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! 

Amém! 

* PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM! 

* OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. 

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA: 

barpuri@uol.com.br 

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! 

* “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho) 

* “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro) 

* “Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém! 

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021) 

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!” 

Ver: 

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO! 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.