Santas e Santos de 11 de abril

11 DE ABRIL DE 2021: 2º DOMINGO DA PÁSCOA– FESTA DA DIVINA MISERICÓRDIA

Festa da Misericórdia é o primeiro domingo depois da Páscoa.

PAPA JOÃO PAULO II, EM 2000[1], instituiu a Festa para toda a Igreja, decretando que a partir de então o Segundo Domingo da Páscoa se passasse a chamar Domingo da Divina Misericórdia.

Segundo os cristãos, por meio desta apóstola da Misericórdia, Santa Faustina KowalskaJesus prometeu:

Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Neste dia, estão abertas as entranhas da Minha Misericórdia; derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha Misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão total das culpas e das penas. […] Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate. A Minha Misericórdia é tão grande que, por toda a eternidade, nenhuma mente, nem humana, nem angélica a aprofundará. Tudo o que existe saiu das entranhas da Minha Misericórdia. Toda alma contemplará em relação a Mim, por toda a eternidade, o Meu amor e a Minha Misericórdia. […] A humanidade não terá paz enquanto não se voltar à fonte da Minha Misericórdia. — Diário 699”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Festa_da_Miseric%C3%B3rdia

  ========================================

OBSERVAÇÃO: DESTAQUE DESTE 11 DE ABRIL, além de SANTO ESTANISLAU, SANTA GEMA GALGÁNI e SÃO BARSANÚFIO (Nº5): As instruções de Santos Barsanuphius e João foram preservadas na forma de perguntas e respostas feitas por indivíduos de vários chamados – arcebispos, padres e leigos. Ver: https://ortodoxia.pt/data/Barsanufio-Joao-Gaza-Correspondencia.pdf

                        ===============================

1. Me­mória de Santo Es­ta­nislau (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo e mártir, que, no meio das in­jus­tiças do seu tempo, foi um de­fensor in­can­sável dos va­lores hu­manos e do ideal cristão. Como bom pastor, di­rigiu a Igreja de Cra­cóvia, na Po­lónia, ajudou os po­bres e vi­sitou todos os anos os seus clé­rigos. Fi­nal­mente, en­quanto ce­le­brava os di­vinos mis­té­rios, foi morto pelo rei Bo­leslau, cuja má con­duta tinha repreendido. († 1079). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1099, o nascimento no céu de Santo Estanislau. Eleito para a Sé metropolitana de Cracóvia, não hesitou em excomungar o rei da Polônia, cuja vida dissoluta causava escândalo, mas pagou com a vida por sua retidão e sua coragem. Esta morte gloriosa provocou mais tarde a conversão do rei, e valeu ao santo ser honrado como um dos padroeiros da Polônia. (R).

– Conforme a Folhinha do Coração de Jesus de 10 de abril de 2013: “11/04: SANTO ESTANISLAU. É padroeiro da Polônia. Estanislau nasceu por volta de 1030. Depois de ser ordenado sacerdote foi nomeado cônego da catedral de Cracóvia. Em 1072 sucedeu o bispo Lamberto. Intrépido defensor da liberdade da Igreja e da dignidade do ser humano, dos pequenos e dos pobres frente ao cruel e devasso rei Boleslau II. Excomungou publicamente o soberano. Mas como ele continuava a frequentar a catedral e para evitar o encontro com Boleslau, passou a celebrar a missa na igreja de São Miguel. Foi nessa igreja que o rei, com sua própria espada, pôs fim à vida do bispo em 1709, assemelhando assim sua vida com a de João Batista em seu confronto com um rei devasso. O seu martírio em defesa dos pequenos e pobres até hoje nos inspira a assumirmos a causa da fé, da justiça e da vivência do Evangelho. Frei Marcos Antônio de Andrade, OFM – Petrópolis/RJ”. Ver páginas 155-161: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Estanislau de Szczepanów (SzczepanówCracóviaPolônia26 de julho de 1030 – Cracóvia, 8 de maio de 1079) era bispo de Cracóviasanto e mártir da Igreja Católica.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Estanislau_de_Szczepan%C3%B3w

2.   Em Pér­gamo, na pro­víncia da Ásia, na ac­tual Tur­quia, a co­me­mo­ração de Santo An­tipas, que, como tes­te­munha fiel de que fala São João no Apo­ca­lipse, so­freu o mar­tírio pelo nome de Jesus. Ver páginas 255-256 (Ap 2,12-13): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Antipas de Pérgamo (m. 68) foi bispo de Pérgamo, discípulo do apóstolo São João Evangelista e hieromártir do cristianismo durante o reinado de Nero (r. 54-68). Neste tempo, devido a perseguição aos cristãos, todos aqueles que se opunham a oferecer sacrifícios aos deuses viviam sob ameaça de exílio ou execução por ordem do imperador.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Antipas_de_P%C3%A9rgamo

3.   Co­me­mo­ração de São Fi­lipe, bispo de Gor­tina, na ilha de Creta, que, no tempo dos im­pe­ra­dores Marco An­to­nino Vero e Lúcio Au­rélio Có­modo, de­fendeu ener­gi­ca­mente a Igreja que lhe foi con­fiada, tanto do furor dos pa­gãos como das in­sí­dias dos hereges. († c. 180). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, São Felipe, bispo, lutou contra a heresia de Marcião, escrevendo um tratado muito apreciado pelos antigos (M).

4.   Em Spá­lato, na Dal­mácia, hoje Split, na Croácia, São Do­nião, bispo e mártir, que, se­gundo a tra­dição, foi as­sas­si­nado na per­se­guição do im­pe­rador Diocleciano. († 299)

5.   Junto de Gaza, na Pa­les­tina, São Bar­sa­núfio, ana­co­reta, na­tural do Egipto, in­signe pelos seus dons ex­tra­or­di­ná­rios de con­tem­plação e pela in­te­gri­dade da sua vida. († 540).

Ver também: São Barsanófio, confessor. “…Certa vez, um monge, muito doente, julgando-se perto, muito perto da morte, implorou a Barsanófio o perdão dos pecados.

Respondeu-lhe o santo: “Não te aflijas, irmão, porque a morte, sem o pecado, não é a morte, ê a passagem da aflição ao repouso, a passagem das trevas à luz inefável e à vida eterna. Eis que o grande rei, Deus, disse: “Todos os teus pecados serão perdoados, sobretudo pelos rogos e súplicas aos santos e por tua fé”. Que Êle te dê paciência até o fim.

Um outro dizia-lhe: “Perdoa-me, senhor abba, pelo Senhor. Tua santidade me diz: “Teus pecados te são perdoados”, mais eis que abba Isaias disse que não serão perdoados, falando dos seus deleites. Ora, eu sinto êsse deleite. Pelo Senhor, explique-me isso”.

Resposta: “Irmão, eu te disse que teus pecados passados te estavam perdoados, mas não que tôda a luta havia cessado, porque a vida do homem nada mais é do que um combate. Se não cometeste pecado, o diabo sugeriu-te o prazer, e como não o cometeste, sugere-te igualmente. Quanto ao que diz abba Isaías, deve entender-se do prazer do pecado e dos que com êle se deleitam. Uma coisa é lembrar-se da doçura do mel, e outra deleitar-se com a lembrança. Assim, se alguém, lembrando-se do prazer do pecado, com êle não se deleitar, mas procurar vencer e afastar o deleite, opondo-se, pois, a êle, a êsse os pecados anteriores serão perdoados…”,  às  páginas 264-266: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver ainda “Barsanúfio da Palestina (em italianoBarsanofio, Barsanofrio, Barsanorio), também conhecido como Barsanúfio de Gaza, foi um eremita do século VI. Nascido no Egito, ele viveu em reclusão absoluta por cinquenta anos e, em seguida, no mosteiro de São Seridão de Gaza, na Palestina. Ele escreveu muitas cartas e oitocentas delas sobreviveram. Ele se correspondeu majoritariamente com João, o Profetaabade do mosteiro em Merosala e professor de Doroteu de Gaza.

Ao final de sua vida, já muito idoso, ele foi até Jerusalém a convite do Patriarca visitar a cidade. Lá, ele convenceu o imperador bizantino Justiniano I a voltar a ter boas relações com a Igreja de Jerusalém.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Barsan%C3%BAfio_da_Palestina

– Ver “As instruções de Santos Barsanuphius e João foram preservadas na forma de perguntas e respostas feitas por indivíduos de vários chamados – arcebispos, padres e leigos.

São Barsanuphius instruiu Abba Seridus a registrar todas as suas respostas sem medo de cometer erros, pois o Espírito Santo o direcionaria a narrar tudo corretamente e em ordem sequencial.”: http://www.orthodoxphotos.com/readings/instructions/barsanuphius.shtml

– Ver também “BARSANÚFIO E JOÃO DE GAZA CORRESPONDÊNCIA AOS SOLITÁRIOS. CARTAS E RESPOSTAS DE DOIS ANCIÃOS ESPIRITUAIS QUE LEVAM A VIDA SOLITÁRIA EM UM MOSTEIRO SEDIADO NAS PROXIMIDADES DE GAZA, DITO DO ABADE SERIDOS, TRANSMITIDAS PELO SUPERIOR, OU SEJA, PELO PRÓPRIO ABADE SERIDOS, QUE ERA AO MESMO TEMPO SERVIDOR DESTES ANCIÃOS CHAMADOS BARSANÚFIO E JOÃO.

ENSINAMENTOS ÚTEIS ÀS ALMAS QUE O SANTO BARSANÚFIO E JOÃO, SEU DISCÍPULO E COMPANHEIRO DE ASCESE, DIRIGIRAM POR ESCRITO AOS IRMÃOS QUE OS INTERROGARAM, POR INTERMÉDIO DO ABADE SERIDOS, QUE ERA SEU SERVIDOR AO MESMO TEMPO QUE SUPERIOR DO MOSTEIRO SITUADO NA REGIÃO DE GAZA, ONDE ESTES ANCIÃOS LEVAVAM A VIDA SOLITÁRIA.”: https://ortodoxia.pt/data/Barsanufio-Joao-Gaza-Correspondencia.pdf

6.   Em Spo­leto, na Úm­bria, re­gião da Itália, Santo Isaac (também na Folhinha do Coração de Jesus), monge, ori­gi­nário da Síria e fun­dador do mos­teiro de Mon­te­luco, cujas vir­tudes são men­ci­o­nadas por São Gre­gório Magno. († c. 550). Ver também páginas 267-270: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

7.   Na Ca­lá­bria, também re­gião da Itália, o Beato La­nuíno, com­pa­nheiro de São Bruno e seu su­cessor, que foi um egrégio in­tér­prete do es­pí­rito do fun­dador na ins­ti­tuição de mos­teiros da Ordem Cartusiana. († 1119)

8*.   Em Coimbra, ci­dade de Por­tugal, a Beata Sancha, virgem, filha do rei Sancho I, que fundou o mos­teiro de monjas cis­ter­ci­ense de Celas, onde tomou o há­bito re­li­gioso. A sua me­mória ce­lebra-se em Por­tugal, jun­ta­mente com as suas irmãs, as be­atas Ma­falda e Te­resa, no dia 20 de Junho. († 1229)

9*.   Em Cúneo, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato Ân­gelo de Chiavasso (An­tónio Car­létti), pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, in­sígne pela sua dou­trina, pru­dência e caridade. († 1495)

10*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato Jorge Gervase, pres­bí­tero da Ordem de São Bento e mártir, aluno do Co­légio dos In­gleses de Douai, que, no tempo do rei­nado de Jaime I, apesar de ter sido preso duas vezes du­rante o exer­cício do mi­nis­tério pas­toral na sua pá­tria, pro­fessou sempre com ad­mi­rável cons­tância a fé ca­tó­lica até ao mar­tírio na forca. († 1608)

11*.   Em Lucca, na Itália, Santa Gema Galgáni, virgem, que, in­signe pela con­tem­plação da Paixão do Se­nhor e pelos so­fri­mentos pa­ci­en­te­mente su­por­tados, aos vinte e cinco anos de idade con­sumou num Sá­bado Santo a sua vida angélica. († 1905). Em Lucca, na Toscana, no ano do Senhor de 1903, Santa Gema Galgani (também na Folhinha do Coração de Jesus), jovem cristã de vinte e um anos, que foi agraciada a cada sexta-feira, durante os últimos dezoito meses de sua vida, pelo aparecimento dos estigmas de Cristo. (X). Ver páginas 257-259: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver também “Gemma Maria Humberta Pia Galgani (Capannori12 de março de 1878 — Lucca11 de abril de 1903) foi uma religiosa e mística italiana, declarada santa pela Igreja Católica. Grande mística e uma das maiores e mais populares santas modernas da Igreja Católica… Gemma Galgani foi canonizada em 2 de maio de 1940 por Pio XII, que a chamou de “estrela” de seu pontificado. Durante sua vida, a santa costumava recitar as Três Ave-Marias em homenagem à Imaculada Conceição, colocando as mãos sob os joelhos.

O culto de Santa Gemma deu origem à Congregação Missionária das Irmãs de Santa Gemma, inserida na ordem Passionista…”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Gemma_Galgani

12*.   Também em Lucca, na Itália, a Beata He­lena Guerra, virgem, que fundou a Con­gre­gação das Oblatas do Es­pí­rito Santo para a for­mação da ju­ven­tude fe­mi­nina e ins­truiu ad­mi­ra­vel­mente os fiéis sobre a co­o­pe­ração do Es­pí­rito Santo na eco­nomia da salvação. († 1914). Ver páginas 257-259: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

13*.   No campo de con­cen­tração de Aus­chwitz, pró­ximo de Cra­cóvia, na Po­lónia, o Beato Sim­pro­niano Ducki, re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos e mártir, que, du­rante a guerra, preso por causa da sua fi­de­li­dade a Cristo, con­sumou através das tor­turas o seu martírio. († 1942)

14. São Guthlac, confessor. Ver páginas 260-263: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

– Ver “Guthlac era filho de Penwalh ou Penwald, um nobre do reino inglês da Mércia, e sua esposa Tette. Sua irmã também é venerada como Santa Pega. Quando jovem, ele lutou no exército do rei Etelredo da Mércia e, posteriormente, tornou-se monge no Mosteiro de Repton em Derbyshire aos 24 anos, como abade. Dois anos depois, ele tentou viver a vida de eremita e se mudou para a ilha de Croyland, agora chamada Crowland no dia de São Bartolomeu, em 699. Seu primeiro biógrafo Felix afirma que Gustavo podia entender as loquelas estrimulantes (“discurso sibilante”) os demônios de língua britânica que assombravam ali, apenas porque Gustavo havia passado algum tempo no exílio entre os britânicos celtasGustavo de Crowland, mais conhecido como São Gustavo de Crowland (Mércia673 — Crowland3 de Abril de 714), foi um monge beneditino da Inglaterra e príncipe da tribo bárbara dos Guthlacingas. Ele é particularmente venerado no condado inglês de Lincolnshire.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gustavo_de_Croyland

– Ver ainda “11 de abril – São Gustavo (também conhecido como Gustav, Gustaff e Guthlac)”: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-sao-gustavo/462/102/

15. Outros santos do dia 11 de abril: págs. 243-271 (vol.6): VIDAS DOS SANTOS – 6.pdf (obrascatolicas.com)

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”. 

R/: Demos graças a Deus!” 

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre 11 de abril, ver ainda: 11 de abril – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA: 

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/ 

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 318-320: 

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf 

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf 

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997 

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com 

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular. 

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES) 

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! 

Querida Mãe Maria, proteja-nos! 

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! 

Amém! 

* PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM! 

* OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. 

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA: 

barpuri@uol.com.br 

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! 

* “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho) 

* “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro) 

* “Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém! 

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021) 

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!” 

Ver: 

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO! 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.