Santas e Santos de 29 de abril

1. Festa de Santa Ca­ta­rina de Sena (também na Folhinha do Coração de Jesus) virgem e dou­tora da Igreja, que, tendo to­mado o há­bito das Irmãs da Pe­ni­tência de São Do­mingos, pro­curou co­nhecer a Deus em si mesma e a si mesma em Deus e con­fi­gurar-se a Cristo cru­ci­fi­cado. Tra­ba­lhou vi­go­rosa e in­can­sa­vel­mente pela paz, pelo re­gresso do Pon­tí­fice Ro­mano à sua ci­dade de Roma e pelo res­ta­be­le­ci­mento da uni­dade da Igreja, e es­creveu ex­ce­lentes obras de dou­trina espiritual. († 1380).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santa Catarina de Sena, virgem e Doutora da Igreja. Terciária dominicana, e inflamada por um constante diálogo com seu esposo místico, teve uma irradiação maternal sobre seus discípulos, que se beneficiaram de sua doutrina, e exerceu influência decisiva junto ao papa em favor da unidade da Igreja. Adormeceu no Senhor em 1380, aos trinta e três anos. (R).

Ver páginas 357-404 (VIDAS DOS SANTOS DE 30 DE ABRIL): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também “… Desde 18 de junho de 1866, ela é padroeira da Itália juntamente com São Francisco de Assis.[1] Em 3 de outubro de 1970, Catarina foi proclamada Doutora da Igreja pelo Papa Paulo VI[2] e, em 1 de outubro de 1999, São João Paulo II nomeou-a uma das seis padroeiras da Europa, juntamente com São BentoSantos Cirilo & MetódioSanta Brígida da Suécia e Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein).[3][4]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Catarina_de_Siena

– Ver ainda “… Em 1380, quando Santa Catarina de Sena tinha apenas 33 anos, ela veio a falecer em Roma. Ela estava simplesmente esgotada de tanto esforço físico, mental e espiritual em favor da Igreja. No momento de sua morte, ela exclamou: “Se morrer, sabeis que morro de paixão pela Igreja”. Santa Catarina de Sena foi proclamada santa em 1461. Em 1939, o Papa Pio XII proclamou-a padroeira da Itália, juntamente com São Francisco de Assis. Em 1968 ela foi proclamada doutora da igreja pelo Papa Paulo VI. As pregações e os escritos de Santa Catarina de Sena formam um dos maiores tesouros de sabedoria e riquezas espirituais de todos os tempos.

“A paciência vos tornará perseverantes até a morte, que aceitareis com muita humildade. Pois o sangue de Cristo iluminará vossa inteligência com a verdade. Deus quer apenas a nossa santificação, dado que nos ama inegavelmente.” (Sta. Catarina de Sena).”: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-santa-catarina-de-sena/437/102/

– “… Assim como a santa sienesa, todo o crente sente a necessidade de conformar-se com os sentimentos do Coração de Cristo para amar a Deus e o próximo como Cristo mesmo ama. E todos nós podemos deixar-nos transformar o coração e aprender a amar como Cristo, em uma familiaridade com ele nutrida pela oração, meditação da Palavra de Deus e dos Sacramentos, sobretudo recebendo frequentemente e com devoção a santa Comunhão… De Santa Catarina, portanto, aprendemos a ciência mais sublime: conhecer e amar Jesus Cristo e sua Igreja…

Ao final da Catequese, o Papa dirigiu aos peregrinos de língua portuguesa a seguinte saudação:

Amados peregrinos vindos do Brasil e de outros países de língua portuguesa, sede bem-vindos!

Santa Catarina de Sena ensina que a ciência mais sublime consiste em amar Jesus Cristo e a sua Igreja. Segui o exemplo desta santa, amando Jesus com coragem e sinceridade, para assim alcançardes a paz e a alegria que vêm de Deus. Ide em paz!” (Papa Bento XVI) : https://noticias.cancaonova.com/mundo/catequese-de-bento-xvi-sobre-santa-catarina-de-sena/

–  Ver ainda “…Ao falar em público, não cansava os ouvintes. Abraçava as pessoas com afeto, segurava-lhes as mãos. Ria com elas, e com elas chorava….”: https://formacao.cancaonova.com/igreja/santos/conheca-a-historia-de-santa-catarina-de-sena-a-doutora-da-igreja/

2*.   Co­me­mo­ração de São Tí­quico, dis­cí­pulo do após­tolo São Paulo, a quem o Após­tolo nas epís­tolas chama irmão ca­rís­simo, mi­nistro fiel e seu com­pa­nheiro no ser­viço do Senhor.

Ver páginas 345-346: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf.

3.   Em Pisa, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, São Torpes (Torpeto), mártir. († data inc.).

– Ver “São Torpes (… Pisa29 de Abril de 68), por vezes também chamado de São Torpes de Pisa, é venerado como um dos primeiros mártires e santos cristãos. Este santo é o homónimo de Saint-Tropez, a famosa região do sul de França, e ainda do Sítio em na Praia de São Torpes, em no Sines e no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. De acordo com a lenda, afirma-se que ele terá sido martirizado devido à sua fé cristã durante as perseguições levadas a cabo pelo imperador Nero.[1]…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Torpes

4.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, também re­gião da Itália, São Se­vero, bispo, amado por Santo Am­brósio como irmão e pela sua Igreja como pai. († c. 409)

5.   Em Cluny, na Bor­gonha, na ac­tual França, Santo Hugo, abade, que du­rante ses­senta e um anos go­vernou san­ta­mente o mos­teiro deste lugar, sempre de­di­cado à es­mola e à oração, guar­dião e pro­tector emi­nente da dis­ci­plina mo­nás­tica, ad­mi­nis­trador e pro­motor ze­loso da santa Igreja. († 1109).  

– Ver páginas 347-350: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também “Hugo de Cluny, dito o Grande, foi o sexto abade de Cluny desde 1049 até à sua morte. Foi uma das figuras mais marcantes do seu tempo, vindo a ser canonizado pela Igreja Católica.

Terá sido recebido nessa abadia por Santo Odilon aos 16 anos e sucedeu-lhe no ofício de abade superior aos 25 anos, que governou por 62 anos[1].”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hugo_de_Cluny

– Ver dia 11 de maio

6*.   Na abadia de La Lu­cerne d’Ou­tremer, na Nor­mandia, re­gião da França, Santo Acardo, bispo de Avran­ches, que, tendo sido abade de São Víctor de Paris, es­creveu vá­rios tra­tados sobre a vida es­pi­ri­tual, des­ti­nados a con­duzir a alma cristã ao mais alto grau de per­feição; e quando morreu, foi se­pul­tado nesta abadia da Ordem Pre­mons­tra­tense, onde fre­quen­te­mente se recolhia. († 1172)

7.   Em Seul, na Co­reia, Santo An­tónio Kim Song-u, mártir, que cos­tu­mava reunir em sua casa muitos fiéis e, de­go­lado no cár­cere, morreu por Cristo. († 1841)

8. São Pedro de Verona (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir. Ver “… O papa Inocêncio IV, depois de mandar tomar informações exatas, verificou muitas coisas que não eram do domínio público. Estando, pois, em Perúsia, em 24 de março de 1 253, na praça da igreja dos frades pregadores, em presença de grande multidão, incluiu-o solenemente no número dos santos mártires. Mas como 6 de abril, que foi o dia de sua morte, coincide freqüentemente com as festas pascoais, o papa ordenou que a festa do novo santo fosse celebrada no dia 29 de abril…”, às páginas 338-344: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

9. No mos­teiro de Mo­lesmes, na França, São Ro­berto (ver dias 26 de janeiro, 17 de abril e 29 de abril), abade, que, pro­cu­rando pra­ticar a vida mo­nás­tica de ob­ser­vância mais sim­ples e aus­tera, foi in­can­sável fun­dador e di­rector de ce­nó­bios, bem como di­rector de ere­mitas e in­signe res­tau­rador da dis­ci­plina mo­nás­tica, e fundou o mos­teiro de Cister, do qual foi o pri­meiro abade; fi­nal­mente re­gressou como abade ao mos­teiro de Mo­lesmes, onde des­cansou em paz. († 1111). Ver páginas 351-355: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver “… Em Roberto vemos um homem de cheio de uma santa inquietação, sempre movido pelos mais altos ideais de perfeição cristã…”: https://caminhocisterciense.com/2018/01/26/os-fundadores-de-cister-i-s-roberto-de-molesmes/ 

– Ver ainda “… Roberto extinguiu-se no Senhor a 17 de Abril de 1111, depois de uma vida de lutas incessantes e trabalhos desbordantes, tendo adquirido numerosos méritos pelo grande zelo que empregara animado pelo fervor da vida monástica.”: http://users.skynet.be/am012324/scriptorium/fundadores/roberto.htm

– Ver também: https://en.wikipedia.org/wiki/Robert_of_Molesme

* Em Cister, na Bor­gonha, na ac­tual França, Santo Al­be­rico (ver 26 de janeiro), abade, foi um dos pri­meiros monges vindos de Mo­lesmes para o novo mos­teiro, que de­pois, eleito seu abade, o di­rigiu com sumo ardor e pru­dência, en­si­nando e dando exemplo de per­feita vida mo­nás­tica, com ver­da­deiro amor à Regra e aos irmãos. († 1109). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no início do séc. XII o nascimento no céu dos santos abades fundadores de Cister. A São Roberto de Molesme se deve essa orientação mais despojada do monaquismo beneditino, para a qual Santo Alberico elaborou as primeiras Instituições. Santo Estevão Harding, finalmente, garantiu o definitivo brilho da Ordem Cisterciense redigindo a Carta de Caridade e fundando as primeiras grandes casas dependentes de Cister. (B). Ver Santo Alberico na página 197: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf  

– Ver “Ordem de Cister, ou Ordem Cisterciense (Ordo cisterciensisO. Cist.), é uma ordem religiosa monástica católica beneditina reformada. Aos seus membros religiosos de clausura monástica dá-se o nome de monges (ou monjas) cistercienses, ou monges brancos, como ficaram conhecidos devido à cor do hábito.”:  Ordem de Cister: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ordem_de_Cister

– Ver ainda “Os fundadores de Cister”:

https://caminhocisterciense.com/2018/01/31/os-fundadores-de-cister-iii-s-estevao-harding/

10.   Em Cirta, na Numídia, os Santos Agápi (Santo Agapito, no Martirológio Romano-Monástico) e Secundino, que, após um longo exÍlio nessa cidade, ajuntaram à dignidade do sacerdócio a glória de um fulgurante martírio. Sofreram durante a perseguição de Valeriano, na qual os pagãos se esforçaram ao máximo em tirar a fé aos justos. Com êles enfrentaram a morte os Santos Emiliano, soldado, Tertúlia e Antonieta (Antônia, na Folhinha do Coração de Jesus), virgens, consagradas a Deus, e uma mulher com dois filhos que eram gêmeos (ano 259).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em meados do séc. III, os Santos Agapito e Secundino, bispos africanos, que acrescentaram à dignidade de seu sacerdócio a glória de um resplandecente martírio. (M).

Ver página 356:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf  

11. Outros santos do dia 29 de abril: págs. 338-356 (vol.07): VIDAS DOS SANTOS – 7.pdf (obrascatolicas.com)

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 29 de abril, ver ainda: 29 de abril – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 361-362:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf

Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.