09 de abril de 2022 – O SÁBADO DE LÁZARO

1. O Início da Cruz: Sábado de Lázaro

“Tendo cumprido os Quarenta Dias… pedimos para ver a Semana Santa da Tua paixão”. Com estas palavras cantadas nas Vésperas da Sexta-feira de Ramos, a Quaresma chega ao seu fim e entramos na comemoração do sofrimento (da paixão), morte e ressurreição de Cristo. Ela começa no sábado de

Lázaro. A dupla festa da Ressurreição de Lázaro e a Entrada do Senhor para

Jerusalém é descrita em textos litúrgicos como o “início da Cruz” e deve ser

compreendida, portanto, dentro do contexto da Semana Santa. O troparion (Traduzido do inglês-Um troparion na música bizantina e na música religiosa do cristianismo ortodoxo oriental é um hino curto de uma estrofe, ou organizado de formas mais complexas como séries de estrofes. Wikipedia (inglês)) comum destes

dias afirma explicitamente que “ao ressuscitar Lázaro dos mortos, Cristo confirmou a verdade da ressurreição universal“. É altamente significativo que sejamos levados para as trevas da Cruz por uma das doze maiores festas da Igreja. Luz e alegria não brilham apenas no final de Semana Santa, mas também em seu início; elas iluminam a própria escuridão, revelam seu derradeiro significado.

Todos aqueles que conhecem o culto ortodoxo conhecem o caráter peculiar, quase paradoxal, de Serviços de sábado do Lázaro. É um domingo, ou seja, um culto de Ressurreição num sábado, um dia geralmente dedicado à comemoração litúrgica dos mortos. E a alegria que permeia estes serviços enfatiza um tema central: a próxima vitória de Cristo sobre o Hades. Hades é o termo bíblico para Morte em seu poder universal, por aquela escuridão inescapável e destruição que engolem toda a vida e envenenam com sua sombra o mundo inteiro. Mas agora…

com a ressurreição de Lázaro — “a morte começa a tremer”. Pois aí começa o duelo decisivo entre a Vida e a Morte e nos dá a chave para todo o mistério litúrgico de Pascha. Na igreja primitiva o sábado de Lázaro foi chamado de “anúncio de Pascha”: ele anuncia e antecipa, de fato, a maravilhosa luz e a paz do próximo — o Grande e Santo Sábado, o dia da Tumba Dadora de Vida.

Lázaro, o Amigo de Jesus

Entendamos antes de tudo que Lázaro, o amigo de Jesus, personifica toda a humanidade e também cada homem, e Betânia, a casa de Lázaro, o Homem, é o símbolo do todo; o mundo como lar do homem. Cada homem foi criado amigo de Deus e chamado a esta Divina amizade: o conhecimento de Deus, a comunhão com Ele, a partilha de vida com Ele. “Ele era vida e a Vida era a luz dos homens” (João 1:4). E, no entanto, este Amigo a quem Deus ama, que no amor Ele criou, ou seja, chamado à vida, é destruído e aniquilado por um poder que Deus não criou: a morte. Deus encontra em Seu próprio mundo um poder que destrói Sua obra e aniquila Seu desígnio. O mundo não é senão lamentação e tristeza, lágrimas e morte. Como isso é possível? Como isto aconteceu? Estas são as perguntas implícitas na narrativa lenta e detalhada de João sobre a vinda de Jesus ao túmulo de Seu amigo. E uma vez lá, “Jesus chorou” (João 11:35). Por que Ele chora se sabe que em um momento Ele chamará Lázaro de volta à vida? Os hinógrafos bizantinos não conseguem compreender o verdadeiro significado destas lágrimas. Eles as atribuem a Sua natureza humana, enquanto o poder da ressurreição pertence a Deus Nele. Mas a Igreja Ortodoxa ensina que todas as ações de Cristo são “teândricas” (Diz-se das ações de Jesus Cristo, que eram simultaneamente divinas e humanas.), ou seja, tanto Divino como humano. São ações do único e mesmo Deus-homem, o Filho Encarnado de Deus. Aquele que chora não é somente homem, mas também Deus e Aquele que chama Lázaro do túmulo não é somente Deus, mas também o Homem. Mas então Suas próprias lágrimas são Divinas. Jesus chora porque Ele contempla o triunfo da morte e da destruição no mundo criado por Deus.

O amor, o poder da vida

“Cheira mal”, dizem os judeus tentando impedir que Jesus se aproximasse do cadáver, e esta terrível advertência se aplica a todo o mundo, a toda a vida. Deus é a Vida e o Doador da Vida. Ele chamou o homem para a realidade divina da Vida e eis que “cheira mal”. O mundo foi criado para refletir e proclamar a glória de Deus e “cheira mal”. No túmulo de Lázaro, Deus encontra a Morte, a realidade da anti-vida, da destruição e do desespero. Ele encontra Seu inimigo, que lhe tirou Seu mundo e se tornou seu príncipe. E nós que seguimos Jesus ao se aproximar da sepultura, entramos com Ele naquela hora Sua, que Ele anunciou tantas vezes como o clímax e o cumprimento de toda a Sua obra. A Cruz, sua necessidade e significado universal são anunciados no versículo mais curto do Evangelho: “e Jesus chorou“… Entendemos agora que é porque Ele chorou, ou seja, amou Seu amigo Lázaro que Jesus tinha o poder de chamá-lo de volta à vida. O poder da Ressurreição não é um “poder em si” divino, mas um poder de amor, ou melhor, de amor como poder. Deus é amor e o Amor é Vida, o Amor cria Vida. É o Amor que chora no túmulo e é o Amor que restaura a vida. Este é o significado das lágrimas divinas de Jesus. Nelas, o amor está novamente em ação – recriando, redimindo, restaurando a vida escura do homem: “Lázaro, sai daí!…”. E é por isso que o sábado de Lázaro é o início de ambos: a Cruz, como o Supremo sacrifício de amor, a Ressurreição, como o triunfo final do amor.

“Cristo – a Alegria, a Verdade e a Luz de todos

A Vida do Mundo e a Ressurreição –

apareceu em Seu amor para aqueles que estão na Terra.

Ele se tornou a Imagem de nossa Ressurreição,

Concedendo o perdão divino a todos”. (Lázaro, Kontakion de sábado)

(Kontakion ou kondakion é um hino sacro conhecido como hino temático nas liturgias da Igreja Ortodoxa e em outras práticas do rito bizantino, como na Igreja Católica Oriental. Sua estrutura é composta da estrofe inicial, o proêmio, e das demais estrofes, chamadas tropários. Wikipédia)

A Liturgical Explanation for the Days of Holy Week by The Very Rev. Alexander Schmemann, S.T.D. Professor of Liturgical Theology, St. Vladimir”s Seminary,

 conforme <holy_week-a_liturgical_explanation.pdf (antiochian.org)> – (tradução DeepL)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.