Santas e Santos de 12 de janeiro

1.   Em Ce­sa­reia da Mau­ri­tânia, hoje Cher­chell, na Ar­gélia, Santo Ar­cádio, mártir, que du­rante a per­se­guição se re­tirou num re­fúgio, mas, quando um seu fa­mi­liar foi de­tido em seu lugar, apre­sentou-se es­pon­ta­ne­a­mente ao juiz e, ne­gando-se a sa­cri­ficar aos deuses, de­pois de so­frer atrozes su­plí­cios, con­sumou o seu martírio. († c. 304). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Cesaréia da Mauritânia-hoje Cherchell, perto de Argel aproximadamente em 304, o martírio de Santo Arcádio. Em meio a seus suplícios, ele teve forças para gritar para scus carrascos: “Cristo por quem estou sofrendo é o único Deus”! (M). Ver páginas 329-331: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

2.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, os santos Tí­grio, pres­bí­tero, e Eu­trópio, leitor, que, no tempo do im­pe­rador Ar­cádio, fal­sa­mente acu­sados de terem pro­vo­cado o in­cêndio que con­sumiu o templo prin­cipal e a cúria do se­nado para vingar o exílio in­fli­gido a São João Cri­sós­tomo, so­freram o mar­tírio por ordem do pre­feito da ci­dade Op­tato, se­guidor do culto su­pers­ti­cioso dos falsos deuses e ini­migo da re­li­gião cristã. († 406)

3*.   Em Arles, na Pro­vença, re­gião da Gália, na ac­tual França, Santa Ce­sária, aba­dessa, irmã de São Ce­sário, bispo, que es­creveu para ela e suas irmãs uma Regra das santas virgens. († c. 529)

4*.   Em Gre­noble, na Bor­gonha, também na ac­tual França, São Fer­réolo, bispo e mártir, que foi as­sas­si­nado por ím­pios si­cá­rios quando pre­gava ao povo. († c. 659)

5*.   Em We­ar­mouth, na Nor­túm­bria, na ac­tual In­gla­terra, São Bento Biscop, abade, que, tendo pe­re­gri­nado cinco vezes a Roma, de lá trouxe para a sua pá­tria mes­tres e muitos li­vros, para que os monges reu­nidos na clau­sura do mos­teiro sob a Regra de São Bento ad­qui­rissem me­lhor co­nhe­ci­mento na ci­ência do amor de Cristo em be­ne­fício da Igreja. († c. 690). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 690, São Bento Biscop. Originário de uma nobre família inglesa, fez várias peregrinações a Roma, de onde trouxe livros e tradições litúrgicas. Nomeado abade de Cantuária, fundou a abadia de Wearmouth. São Bento Biscop é o padroeiro da CongregaçãoeBeneditina Inglesa. (M). Ver páginas 316-320: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

– Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Bento_Biscop

6*.   No mos­teiro de Ri­e­vaulx, também na re­gião da Nor­túm­bria, Santo El­redo, abade, que, edu­cado na corte do rei da Es­cócia, en­trou na Ordem de Cister e, tor­nando-se mestre exímio da vida mo­nás­tica, pro­moveu com suma di­li­gência e ama­bi­li­dade, por meio das suas ac­ções e es­critos, a vida es­pi­ri­tual e a ami­zade em Cristo. († c. 1166). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1167, Santo Elredo. Educado na corte da Escócia, entrou aos vinte e quatro anos para o mosteiro cisterciense de Rielvaux, do qual, mais tarde, tomou-se abade. Foi considerado como “quase igual a São Bermardo por seus contemporâneos ingleses, e ficou conhecido como o “Doutor da amizade espiritual”. (X). Ver páginas 321-328: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Elredo_de_Rievaulx

7*.   Em Leão, na Es­panha, São Mar­tinho da Santa Cruz, pres­bí­tero e có­nego re­gular, que foi mestre in­signe da Sa­grada Escritura. († 1203). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Martinho_de_Leão

8.   Em Oku­san­bara, no Japão, os be­atos Luís Ama­gasu Iemon e seu filho Vi­cente Ku­ro­gane Ichibiyoe, Mi­guel Ama­gasu Iemon, sua es­posa Do­mingas Ama­gasu e sua filha Justa Amagasu, e com­pa­nheiros, mártires. São estes os seus nomes: Tecla Ku­ro­gane, Luzia Ku­ro­gane, Maria Ito, Ma­rina Ito Chobo, Pedro Ito Yahyoe, Ma­tias Ito Hi­ko­suke, Ti­móteo Oba­sama Ji­robyoe, Luzia Oba­sama, João Go­robyoe, Jo­a­quim Sa­bu­robyoe, João Banzai Kasue, Âurea Banzai, An­tónio Banzai Orusu, Paulo San­juro, Ru­fina Banzai e seus fi­lhos Paulo e Marta, Simão Ta­kahashi Sei­za­emon, Tecla Ta­kahashi, Paulo Nishihori Shi­kibu, Luís Jin’emon e sua filha Ana, Mâncio Yoshino Han’emon, Júlia Yoshino, An­tónio Ana­zawa Han’emon, Paulo Ana­zawa Ju­za­buro, André Ya­ma­moto Shi­chi­emon, Inácio Iida So­emon, João Arie Ki­emon, Pedro Arie Jinzo, Aleixo Sato Sei­suke, Luzia Sato, Isabel Sato, Paulo Sato Ma­ta­goro, (N) Shi­chi­za­emon, Ma­da­lena, duas fi­lhas de Shi­chi­za­emon e Madalena. († 1629)

9.   Em Nu­kayama, no Japão, os be­atos Luzia Iida, Cres­cência Anazawa, Romão Ana­zawa Matsujiro, Mi­guel Ana­zawa Osamu, Maria Yamamoto, Úr­sula Yamamoto e Ma­da­lena Arie, mártires. († 1629)

10.        Em Ha­na­zawa, no Japão, os be­atos Aleixo Choemon e seus fi­lhos Cân­dido e Inácio, mártires. († 1629)

11.   Em Pa­lermo, na Si­cília, re­gião da Itália, São Ber­nardo de Corleone (também na Folhinha do Coração de Jesus), da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, in­signe pela sua ad­mi­rável ca­ri­dade e penitência. († 1667)

12.   Em Mon­tréal, no Quebec, re­gião do Ca­nadá, Santa Mar­ga­rida Bourgeoys, virgem, que prestou todo o gé­nero de au­xílio aos co­lonos e aos sol­dados e se de­dicou com todas as suas forças à for­mação das jo­vens cristãs, para as quais fundou a Con­gre­gação das Irmãs de Nossa Senhora. († 1700). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Marguerite_Bourgeoys

13*.   Em Avrillé, perto de An­gers, na França, o Beato An­tónio Fournier, mártir, que era ar­tesão e du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa foi fu­zi­lado por causa da sua fi­de­li­dade à Igreja. († 1794)

14*.   Em Caen, também na França, o Beato Pedro Fran­cisco Jamet, pres­bí­tero, que prestou toda a as­sis­tência pos­sível às re­li­gi­osas Fi­lhas do Bom Sal­vador, quer du­rante o tempo da grande re­vo­lução quer de­pois da res­ti­tuição da paz à Igreja. († 1845)

15*.   Em Vi­a­réggio, na Itália, Santo An­tónio Maria Púcci, pres­bí­tero da Ordem dos Servos de Maria, que, sendo pá­roco du­rante quase cin­quenta anos, se em­pe­nhou es­pe­ci­al­mente em prestar au­xílio às cri­anças po­bres e enfermas. († 1892)

16*.   Em Tomhom, lo­ca­li­dade pró­xima de Bangkok, na Tai­lândia, o Beato Ni­colau Bun­kerd Kitbamrung, pres­bí­tero e mártir, exímio pre­gador do Evan­gelho, que, en­car­ce­rado no tempo da per­se­guição contra a Igreja e con­traindo a tu­ber­cu­lose na as­sis­tência aos en­fermos, teve morte gloriosa. († 1944)

17. Em 494, São João, bispo, consagrado ao serviço de Deus em Ravena (Conforme Martirológio Romano Monástico-M).

18. Em Roma, Santa Taciana (também na Folhinha do Coração de Jesus) mártir que, dilacerada com grampos e pentes de ferro, exposta às feras e lançada no fogo, donde saiu ilesa, finalmente morta à espada, se foi ao céu, em tempo do imperador Alexandre (Conforme Martirológio, Ed. Permanência).

“A Virgem Santa Mártir Tatiana nasceu em uma ilustre família patrícia romana, e seu pai foi eleito cônsul por três vezes. Ele era secretamente um cristão e levantava sua filha para se dedicar a Deus e na Igreja, algo que era proibido no Império Romano. Quando chegou a idade adulta, Tatiana decidiu permanecer virgem, tornando-se noiva de Cristo. Desprezando as riquezas mundanas, ela procurou em vez da riqueza imperecível do céu. Ela foi ordenada diaconisa em uma das igrejas romanas e serviu a Deus em jejum e oração, cuidando dos doentes e ajudando os necessitados.

Conta a lenda quando Roma foi governada por dezesseis anos, por Alexandre Severo entre 222-235, todo o poder estava concentrado nas mãos do regente Ulpiano, um feroz inimigo e perseguidor dos cristãos. Tatiana foi descoberta e presa, foi levada para o templo de Apolo e forçada a oferecer sacrifícios aos ídolos. A santa começou a rezar, e de repente houve um terremoto. As estátuas foram quebradas em pedaços, e parte do templo desabou, caindo sobre os sacerdotes pagãos. Os demônios que habitam os ídolos fugiram gritando do templo, os presentes viram sua sombra voando pelos ares.

Os pagãos, em seguida arrancaram a os olhos com ganchos da santa virgem, mas ela resistiu bravamente a tudo, rezando por seus algozes que o Deus abrisse seus olhos espirituais. Deus ouviu a oração de sua serva, quando os carrascos viram quatro anjos ao redor da santa. Uma voz se ouviu do céu falar com a Virgem Santíssima, então oito homens acreditaram em Cristo e cairam de joelhos diante de Santa Tatiana, implorando-lhe que perdoasse os seus pecados. Por confessarem-se cristãos, eles foram torturados e executados, recebendo o batismo por sangue.

No dia seguinte, Santa Tatiana foi levada perante o juiz. Ao vê-la completamente curada de suas feridas, ela foi despida e espancada, e seu corpo foi cortado com uma navalha. Uma fragrância maravilhosa encheu o ar, ela foi, então, jogada no chão e espancada por tanto tempo que os servos tiveram que ser substituídos por diversas vezes. Eles ficaram exaustos e diziam que uma força invisível estava lhes batendo com varas de ferro. Na verdade, os anjos afastavam os golpes dirigidos a ela e direcionavam contra os torturadores, fazendo com que nove deles caíssem mortos. Eles então jogaram Tatiana na prisão, onde rezou durante toda a noite e cantou louvores ao Senhor com os anjos.

A manhã começou de novo, e Santa Tatiana foi levada ao tribunal mais uma vez. Os torturadores viram com espanto que, após tantos tormentos, ela estava completamente sã e ainda mais radiante e bonita do que antes. Eles começaram a importuná-la para oferecer sacrifícios à deusa Diana, a santa pareceu concordar, e eles a levaram para o templo pagão. Santa Tatiana fez o sinal da cruz e começou a rezar, de repente, houve um trovão ensurdecedor, e um raio atingiu o ídolo, as oferendas e os sacerdotes pagãos.

Mais uma vez, a mártir foi duramente torturada, ela foi pendurada e lixada com garras de ferro, e seus seios foram cortados. Naquela noite, anjos apareceram para ela na prisão e curaram suas feridas, como antes. No dia seguinte, levaram Santa Tatiana ao Coliseu, soltando um leão faminto perto dela, o animal não machucou a santa, mas mansamente lambeu seus pés.

Quando estava sendo levando de volta para sua jaula, o leão matou um dos torturadores, com isso atiraram Tatiana no fogo, mas as chamas não a queimavam. Os pagãos, pensando que ela era uma feiticeira, cortaram seus cabelos para tirar os seus poderes mágicos, e trancaram-na no templo de Zeus.

No terceiro dia, os sacerdotes pagãos adentraram ao templo, que pretendam oferecer sacrifício a Zeus. Eles viram o ídolo no chão, quebrado em pedaços, e a Santa Mártir Tatiana louvando alegremente ao Senhor Jesus Cristo. O juiz então condenou-a a ser decapitada com uma espada. Seu pai também foi executado com ela, porque ele a havia educado a amar a Cristo.

Veneração

Tatiana é venerada como um santa, e sua festa é em 12 de janeiro (para aquelas igrejas que seguem o tradicional Calendário Juliano, que atualmente recai sobre 25 de janeiro do moderno Calendário Gregoriano). Os milagres realizados por Santa Tatiana se diz ter convertido muitas pessoas para a religião nascente. Santa Tatiana é padroeira dos estudantes, na Bielorrússia , Rússia e Ucrânia, o dia de Tatiana é também conhecido como “O dia dos alunos”.

Em 1755 no 25 de janeiro dia desta santa mártir, a imperatriz Isabel da Rússia endossada sua petição para estabelecer a Universidade de Moscou. A partir dai 25 de janeiro passa a ser também a data de fundação da universidade. A igreja de Santa Tatiana foi construída mais tarde no campus da universidade pela Igreja Ortodoxa Russa, e declarado que Santa Tatiana patrona dos estudantes, com o decreto especial do imperador russo Nicolau I, após a revolução bolchevique de 1917, o dia de Tatiana tornou-se comemorado como dia dos estudantes na Rússia em 1995. Santa Tatiana é uma das padroeiras da cidade de Roma.”. Conforme:

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Santa_Tatiana

19. Na Folhinha do Coração de Jesus, Santo Ernesto. Em outros escritos sobre ele, Santo Ernesto é comemorado dia 07 de novembro.

20. Na África os Santos Mártires Zótico, Rogato, Modesto (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Cástulo, com 40 soldados também coroados de martírio (Conforme Martirológio, Ed. Permanência).

21. Outros santos do dia 12 de janeiro: págs. 316-333: 

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 12 de janeiro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/12_de_janeiro

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.