Santas e Santos de 26 de fevereiro

1.   Co­me­mo­ração de Santo Ale­xandre, bispo, um glo­rioso an­cião in­fla­mado de zelo pela fé, que, de­sig­nado bispo de Ale­xan­dria de­pois de São Pedro, ex­cluiu da co­mu­nhão da Igreja o seu pres­bí­tero Ario, per­ver­tido pela ímpia he­resia e afas­tado da ver­dade di­vina e, mais tarde, com mais tre­zentos e de­zoito Pa­dres, o con­denou no Pri­meiro Con­cílio de Niceia. († 326). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Egito, perto de 326, Santo Alexandre, bispo de Alexandria Depois de ter tentado inutilmente trazer de volta ao caminho da verdade a Ário, sacerdote de seu clero, convocou um sínodo que condenou a heresia ariana, definindo a consubstancialidade do Verbo com o Pai. Apoiado por seu diácono, o futuro Santo Atanásio, fez triunfar esta doutrina no I Concílio de Nicéia em 325, que promulgou o célebre símbolo da fé. (M). Conta a história de Ário e o Arianismo e como Santo Alexandre o enfrentou. Ver págs. 09-26:

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Alexandre_I_de_Alexandria

– Ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Primeiro_Conc%C3%ADlio_de_Niceia

2.   Em Bo­lonha, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, São Faus­ti­niano, bispo, que, pela pa­lavra da pre­gação, for­ta­leceu e fez crescer esta Igreja ator­men­tada pela perseguição. († s. IV)

3.   Em Gaza, na Pa­les­tina, São Por­fírio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, na­tural de Tes­sa­ló­nica, que viveu como ana­co­reta cinco anos no de­serto de Cete e ou­tros cinco na Trans­jor­dânia, com grandes ma­ni­fes­ta­ções de bon­dade para com os po­bres. De­pois, or­de­nado bispo de Gaza, abateu muitos tem­plos de­di­cados aos ídolos, cujos se­quazes o ti­nham feito so­frer duras ad­ver­si­dades, até que fi­nal­mente des­cansou na paz dos Santos. († 421). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano de 420, a volta para Deus de São Porfírio, monge no deserto de Cétia durante cinco anos, e depois na Palestina, em uma gruta às margens do Jordão. Foi eleito bispo para o serviço da Igreja de Gaza, onde plicou-se a confirmar os crentes em sua fé e a libertá-los das práticas pagãs e do erro ariano. (M). Ver também págs. 31-37:

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Porf%C3%ADrio_de_Gaza

4*.   Em Ne­vers, ci­dade da Nêus­tria, ac­tu­al­mente na França, Santo Agrí­cola, bispo. († c. 594)

5.   Em Arcis-sur-Aube, na re­gião de Cham­pagne, hoje também na França, São Vítor, ere­mita, que é lou­vado nos es­critos de São Bernardo. († s. VII). Ver página 37: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Isabel_de_Fran%C3%A7a_(1225%E2%80%931269)

6.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, Santo André, bispo. († s. IX)

7*.   Em Lon­dres, ci­dade da In­gla­terra, o Beato Ro­berto Drury, pres­bí­tero e mártir, que, acu­sado fal­sa­mente de cons­pi­ração contra o rei Jaime I, na praça de Ty­burn, re­ves­tido com o há­bito ecle­siás­tico para mos­trar a sua dig­ni­dade sa­cer­dotal, so­freu por Cristo o su­plício do patíbulo. († 1607)

8*.   Em Olesa de Mont­serrat, po­vo­ação da pro­víncia de Bar­ce­lona, na Es­panha, Santa Paula de São José Ca­la­sanz (Paula Montal Fornés), virgem, que fundou o Ins­ti­tuto das Fi­lhas de Maria das Es­colas Pias. († 1889). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Madre_Paula_Montalt

9*.   Em Al­can­ta­rilla, perto de Múrcia, na Es­panha, a Beata Pi­e­dade da Cruz (To­ma­sina Ortiz Real), virgem, que por amor de Deus se con­sa­grou di­li­gen­te­mente à for­mação e ca­te­quese dos po­bres e fundou a Con­gre­gação das Irmãs Sa­le­si­anas do Sa­grado Co­ração de Jesus. († 1916)

10. Em Perga, na Pan­fília, na ac­tual Tur­quia, a paixão de São Nestor (no Martirológio Romano, dia 25 de fevereiro), bispo de Ma­gido e mártir, que, pre so du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Décio, foi con­de­nado pelo go­ver­nador da pro­víncia a morrer na cruz, para que so­fresse o mesmo su­plício do Cru­ci­fi­cado, cuja fé professava. († c. 250). Conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 26 de fevereiro), em Megidos, na Ásia Menor, o Bem-Aventurado Nestor (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo. Convidado a dar sua concordância às ordens fanáticas do imperador Décio, respondeu que se submeteria apenas às ordens de Cristo, “Rei dos céus e Filho do Deus vivo”. A partir desta resposta, foi condenado a sofrer o mesmo martírio de seu divino Mestre. (M). Ver também págs. 27-30:

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

11. Em Perga, os Santos Pápias, Deodoro (também na Folhinha do Coração de Jesus), Cônon e Claudiano, martirizados antes de São Nestor. Ver pág. 38: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

12. Santa Isabel de França. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Isabel_de_Fran%C3%A7a_(1225%E2%80%931269)

13. Outros santos do dia 26 de fevereiro: págs. 09-38: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-v%203.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 26 de fevereiro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/26_de_fevereiro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Santas e Santos de 25 de fevereiro

1.   Em Perga, na Pan­fília, na ac­tual Tur­quia, a paixão de São Nestor, bispo de Ma­gido e mártir, que, preso du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Décio, foi con­de­nado pelo go­ver­nador da pro­víncia a morrer na cruz, para que so­fresse o mesmo su­plício do Cru­ci­fi­cado, cuja fé professava. († c. 250). Conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 26 de fevereiro), em Megidos, na Ásia Menor, o Bem-Aventurado Nestor (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo. Convidado a dar sua concordância às ordens fanáticas do imperador Décio, respondeu que se submeteria apenas às ordens de Cristo, “Rei dos céus e Filho do Deus vivo”. A partir desta resposta, foi condenado a sofrer o mesmo martírio de seu divino Mestre. (M), Ver também págs. 27-30:

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

2.   Em Na­zi­anzo, na Ca­pa­dócia, hoje Ne­nízi, na Tur­quia, São Ce­sário, mé­dico, irmão de São Gre­gório de Nazianzo. († 369). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 369, São Cesáreo (também na Folhinha do Coração de Jesus), irmão de São Gregório de Nazianzo. Médico na corte imperial de Juliano Apóstata, escapou da morte por ocasião de um terremoto. Renunciou então à sua situação, passando a dedicar sua vida a Cristo. (M)

3*.   Em Mau­beuge, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, Santa Adel­trudes, virgem e abadessa. († 526)

4.   No mos­teiro de Hein­de­nheim, na Fran­cónia, hoje na Ale­manha, Santa Val­burga, aba­dessa, que, a pe­dido de São Bo­ni­fácio e dos seus ir­mãos São Vi­le­baldo e São Vi­ne­baldo, veio da In­gla­terra para a Ale­manha, onde di­rigiu ex­ce­len­te­mente dois mos­teiros, um de monges e outro de monjas. († 779). Conforme o Romano-Monástico, em Heidenheim, no séc. VIII, Santa Valburga, abadessa. Filha de São Ricardo, rei da Inglaterra, foi enviada para a Germânia a pedido de São Bonifácio, para dirigir um mosteiro fundado por seus próprios irmãos. É padroeira de várias grandes cidades da Bélgica, notadamente Bruges e Ypres. (M). Ver páginas 406-407: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

–  Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Valburga

5*.   Em Agri­gento, na Si­cília, re­gião da Itália, São Ger­lando, bispo, que re­or­ga­nizou a sua Igreja, li­berta do poder dos Sarracenos. († 1100)

6*.   No pri­o­rado de Orsan, no ter­ri­tório de Bourges, re­gião da Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, o pas­sa­mento do Beato Ro­berto de Abrissel, pres­bí­tero, que, pre­gando a con­versão de cos­tumes por vá­rias terras, con­gregou dois mos­teiros em Fon­te­vrault, um para ho­mens e outro para mu­lheres, sob a di­recção de uma abadessa. († 1116). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1116, o Bem-Aventurado Roberto de Arbrissel. Percorrendo a Bretanha, o Maine e o Anjou, este sacerdote austero e culto atraiu uma multidão de discípulos, que reuniu inicialmente na floresta de Craon, e depois em Fontevrault. Ao morrer, estabelecera uma ordem monástica que contava com cerca de cinqüenta casas, reunidas sob a proteção de Nossa Senhora do Calvário, nome retomado no séc. XVII por uma congregação beneditina. (M). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Roberto_d%27Arbrissel

7.   Em Lucca, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Aver­tano, pe­re­grino e re­li­gioso da Ordem dos Carmelitas. († c. 1386)

8*.   Em Pu­ebla de los Án­geles, no Mé­xico, o Beato Se­bas­tião Aparício, um pastor de ove­lhas que emi­grou da Es­panha para o Mé­xico, onde ga­nhou for­tuna que aplicou no au­xílio aos in­di­gentes e, de­pois de ter en­viu­vado duas vezes, foi re­ce­bido na Ordem dos Frades Me­nores e morreu quase centenário. († 1600)

9*.   Em Láuria, na Lu­cânia, hoje na Ba­si­li­cata, re­gião da Itália, o Beato Do­mingos Lentíni, pres­bí­tero, que na sua terra de­sem­pe­nhou até à morte um fru­tuoso e mul­ti­forme mi­nis­tério, sus­ten­tado numa vida de hu­mil­dade, oração e penitência. († 1828)

10.   Em Osaka, no Japão,o Beato Diogo Yuki Ryosetsu, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir. († 1636)

11*.   Em Mdina, lo­ca­li­dade da ilha de Malta, a Beata Maria Adeodata (Te­resa) Pi­sáni, virgem da Ordem de São Bento, que foi aba­dessa do mos­teiro de São Pedro e, dis­pondo com har­monia as horas e os tempos, exerceu sa­bi­a­mente o seu ofício, cui­dando dos po­bres e dos aban­do­nados e con­tri­buindo com isso para pro­veito es­pi­ri­tual da pró­pria comunidade. († 1855)

12.   Em Xi­lin­xian, ci­dade do Guangxi, pro­víncia da China, São Lou­renço Bai Xiaoman, mártir, ope­rário e neó­fito, que pre­feriu ser fla­ge­lado e de­go­lado a negar a Cristo. († 1856)

13.   Em To­ledo, na Es­panha, o Beato Ci­ríaco Maria Sancha y Hervás, bispo e fun­dador da Con­gre­gação das Irmãs da Ca­ri­dade do Car­deal Sancha. († 1909). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ciriaco_Sancha_y_Herv%C3%A1s

14.   Em Te­quila, lo­ca­li­dade do ter­ri­tório de Gua­da­la­jara, no Mé­xico, São Tu­ríbio Romo, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, foi morto em ódio ao sacerdócio. († 1928)

15.   Nas mar­gens do rio Bei­jiang, perto da ci­dade de Scha­o­guan, na pro­víncia de Guan­dong, na China, os santos már­tires Luís Versíglia, bispo, e Ca­listo Caravário, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana, que so­freram o mar­tírio por ter dado as­sis­tência cristã aos fiéis que lhes es­tavam confiados. († 1930). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Luigi_Versiglia

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Callisto_Caravario

16.   Em La Plata, ci­dade da Ar­gen­tina, a Beata Maria Lu­do­vica (An­to­nina De An­gelis), virgem da Con­gre­gação das Fi­lhas de Nossa Se­nhora da Mi­se­ri­córdia, que se de­dicou com es­pí­rito ma­terno ao cui­dado e for­mação das cri­anças e dos en­fermos e pela sua di­li­gente atenção aos ne­ces­si­tados num hos­pital se mos­trou como um sinal da be­nig­ni­dade de Deus. († 1962)

17. No início do Séc.IX, São Tarásio. Era secretário de Estado da imperatriz Irene, e ainda leigo, quando foi eleito para a sede patriarcal de Constantinopla. Professou a veneração aos santos ícones e trabalhou pela unidade da Igreja durante o VII Concílio Ecumênico, realizado em Nicéia (conforme o Martirológio Romano-Monástico – M). Ver páginas 419-423: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Tar%C3%A1sio_de_Constantinopla

18. SANTOS VITORINO, VÍTOR (também na Folhinha do Coração de Jesus), NICÉFORO, CLAUDIANO, DIÓSCOR, SERAPIÃO E PÁPIAS – mártires: Ver páginas 413-418:

Clique para acessar o vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

19. Na África, os Santos Donato, Justo, Herena (também na Folhinha do Coração de Jesus) e seus companheiros, mártires. Ver pág. 425:

Clique para acessar o vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

20. Bem-aventurado Sebastião de Aparício. Ver págs. 411-412: http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Sebasti%C3%A3o_de_Apar%C3%ADcio

21. Bem-aventurado Constante. Ver págs. 408-410: http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

22. Santos Ananias, Pedro e Sete soldados Mártires “Na Fenícia, os Santos Ananias, pedro e sete soldados, mártires, sob o imperador Diocleciano. Ananias era sacerdote na Fenícia. Diante do governador, recusou-se, com veemência, a sacrificar aos deuses. Passando por diversos tormentos, surpreerdendo o carcereiro, Pedro, converteu-o, bem como a sete soldados. Todos os convertidos, batizados por Ananias, com este foram atirados ao mar” Ver página 424: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

23. Outros santos do dia 25 de fevereiro: págs. 406-425: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-v%203.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 25 de fevereiro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/25_de_fevereiro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.