Santas e Santos de 04 de abril

Santo Isi­doro, bispo e doutor da Igreja (também na Folhinha do Coração de Jesus), que foi dis­cí­pulo de seu irmão São Le­andro e lhe su­cedeu na sede epis­copal de Se­vilha, na His­pânia Bé­tica. Es­creveu muitas obras de grande eru­dição, reuniu e di­rigiu vá­rios con­cí­lios e tra­ba­lhou com exímia sa­be­doria e zelo pela fé ca­tó­lica e pela ob­ser­vância da dis­ci­plina eclesiástica. († 636). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 636, o nascimento no céu de Santo Isidoro, bispo de Sevilha, honrado como Doutor da Igreja da Espanha e como um dos maiores mestres da Idade Média por haver transmitido a cultura da Antiguidade por suas obras enciclopédicas, tanto as de conteúdo religioso como as profanas. É também considerado como um dos introdutores da liturgia moçárabe. (R). Ver também págs. 75-77: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Isidoro_de_Sevilha

3.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, o se­pul­ta­mento de Santo Am­brósio, bispo, que no dia de Sá­bado Santo foi ao en­contro de Cristo triun­fante. A sua me­mória ce­lebra-se a sete de De­zembro, dia da sua ordenação. († 397).

Ver em 07 de dezembro: me­mória de Santo Am­brósio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Milão e doutor da Igreja, que des­cansou no Se­nhor na noite santa da Páscoa de quatro de Abril, mas é ve­ne­rado neste dia, em que, ainda ca­te­cú­meno, foi eleito para di­rigir esta cé­lebre sede epis­copal, quando exercia o ofício de pre­feito da ci­dade. Ver­da­deiro pastor e mestre dos fiéis, exer­citou de modo sin­gular a ca­ri­dade para com todos, de­fendeu va­lo­ro­sa­mente a li­ber­dade da Igreja e a recta dou­trina da fé contra os ari­anos e ins­truiu na pi­e­dade o povo com os seus co­men­tá­rios e hinos sagrados. († 397). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santo Ambrósio, bispo e Doutor da Igreja. Era alto funcionário romano em Milão, e ainda catecúmeno, quando foi eleito bispo por aclamação do povo cristão, sendo consagrado em 7 de dezembro de 374. Pôs então seus talentos de orador a serviço do Evangelho, com o cuidado de promover a liturgia cristã e a virgindade consagrada e defender a justiça social e a liberdade da Igreja em face ao poder imperial. (R). Ver páginas 77-107: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2021.pdf

4.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, São Platão (também na Folhinha do Coração de Jesus), hegú­meno, que com­bateu du­rante vá­rios anos os opo­si­tores ao culto das sa­gradas ima­gens e com seu so­brinho São Te­o­dósio Stu­dita ins­ti­tuiu o cé­lebre mos­teiro de Stúdion. († 814). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Constantinopla, no ano da graça de 814, São Platão, monge que reavivou o monaquismo do Oriente e sofreu uma longa detenção por haver reprovado abertamente o divórcio do Imperador Constantino VI. (M). Ver também págs. 78-81: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

5*.   Em Poi­tiers, na Aqui­tânia, na ac­tual França, São Pedro (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que fa­vo­receu os iní­cios da Ordem de Fon­te­vralt e, in­jus­ta­mente re­mo­vido da sua sede, morreu exi­lado em Chauvigny. († 1115)

6*.   Em Scícli, na Si­cília, re­gião da Itália, São Gui­lherme Cuf­fi­télli, ere­mita, que, aban­do­nando a paixão pela caça, passou cin­quenta e sete anos na so­lidão e na pobreza. († 1411)

7*. São Benedito, o negro, no DIRETÓRIO DA LITURGIA da CNBB para 2020, celebrado em 05 de outubro. Também, em 5 de outubro, na Folhinha do Coração de Jesus. Conforme o Martirológio Romano Monástico, memória de São Benedito, o Preto. Nasceu na Sicília, por volta de 1526, de pais escravos de origem etíope ou moura do norte da África. Ainda jovem, uniu-se a um grupo de eremitas que seguiam a Regra de São Francisco de Assis, do qual foi eleito superior. Mais tarde, entrou como irmão leigo no convento franciscano de Palermo, onde prestou os mais humildes serviços como os de cozinheiro e faxineiro da comunidade. Era analfabeto, mas dotado de grande prudência e tirocínio, o que lhe valeu ter sido eleito mestre de noviços e guardião do convento. Terminado o prazo de superiorado, voltou às tarefas humildes até sua morte. Canonizado por Pio VII, sua devoção se espalhou pela África e pelas Américas. Em diversas localidades do Brasil é comemorado a 13 de maio, juntamente com Nossa Senhora do Rosário (que celebramos em 7 de outubro). (R). – Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Benedito,_o_Mouro e https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Benedito,_o_Mouro

– CONFORME ESTE MARTIROLÓGIO, 04 DE ABRIL, em Pa­lermo, na Si­cília, re­gião da Itália, São Bento Mas­sa­rári, cha­mado o Negro por causa da cor da pele, que foi ere­mita e de­pois re­li­gioso na Ordem dos Frades Me­nores, sempre hu­milde em todas as cir­cuns­tân­cias e cheio de con­fi­ança na di­vina providência. († 1589)

– No ano do Senhor de 1589, São Bento, o Mouro, franciscano de origem africana, eu no serviço do seu convento na Sicília, seguiu o exemplo de Cristo que veio para servir e não para ser servido (Conf. o Martirológio Romano-Monástico – M).

– Ver também SÃO BENEDITO, o PRETO, o MOURO. Págs. 90-110: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

8*.   Em Ca­tânia, na Si­cília, re­gião da Itália, o Beato José Bento Dusmet, bispo, da Ordem de São Bento, que pro­moveu di­li­gen­te­mente o culto di­vino, a ins­trução cristã do povo e o zelo do clero, e na epi­demia da peste prestou grande au­xílio aos enfermos. († 1894)

9*.   Em Al­jus­trel, lugar de Fá­tima, em Por­tugal, São Fran­cisco Marto, que, ainda cri­ança, con­su­mido ra­pi­da­mente pela en­fer­mi­dade, ma­ni­festou ad­mi­rável su­a­vi­dade de com­por­ta­mento, per­se­ve­rança na ad­ver­si­dade e na fé e as­si­dui­dade à oração. († 1919)

– Ver dia 20 de fevereiro:

Santos Fran­cisco (ver 04 de abril) e Ja­cinta Marto (também na Folhinha do Coração de Jesus), hu­mildes cri­anças que em Fá­tima, lo­ca­li­dade de Por­tugal, viram três vezes um Anjo e seis vezes a San­tís­sima Virgem, de quem re­ce­beram a exor­tação de rezar e fazer pe­ni­tência pela re­missão dos pe­cados, para obter a con­versão dos pe­ca­dores e a paz do mundo. Ambos res­pon­deram ime­di­a­ta­mente com he­róica di­li­gência a estes pe­didos e, in­fla­mados no amor a Deus e às almas, ti­nham uma só as­pi­ração: rezar e so­frer de acordo com os pe­didos do Anjo e da Virgem Maria. Fran­cisco fa­leceu no dia 4 de Abril de 1919 e Ja­cinta no dia 20 de Fe­ve­reiro de 1920. († 1919-1920)

– Ver ainda:

São Francisco Marto e Santa Jacinta Marto

Francisco e a irmã Jacinta Marto foram beatificados pelo Papa João Paulo II em 13 de maio de 2000. O seu dia festivo é 20 de fevereiro. A sua canonização realizada pelo Papa Francisco ocorreu no dia 13 de maio de 2017, por ocasião das celebrações do Centenário das Aparições de Fátima.

Ver também:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Francisco_Marto

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jacinta_Marto

https://www.acidigital.com/noticias_tags.php?tag_id=6907

https://www.acidigital.com/noticias/igreja-celebra-pela-primeira-vez-os-santos-francisco-e-jacinta-marto-videntes-de-fatima-83795

10*.   Em Réggio Ca­lá­bria, na Itália, São Ca­e­tano Ca­ta­noso, pres­bí­tero, que fundou a Con­gre­gação das Irmãs Ve­ró­nicas da Santa Face para as­sis­tência dos po­bres e dos marginados. († 1953)

11. São Teonas, do Egito. Confessor. Ver págs. 84-85: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

12. São Zósimo, abade e confessor.  Ver págs. 86-89: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

13. Outros santos do dia 04 de abril: págs. 75-112 (vol.6): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%206.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 04 de abril, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/4_de_abril

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 302-304: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.