Santas e Santos de 31 de maio

PENTECOSTES (em 2020 é dia 31 de maio): Ver: “…Pentecostes é historicamente e simbolicamente ligado ao festival judaico da colheita (Shavuot), que comemora a entrega dos Dez Mandamentos no Monte Sinai cinquenta dias depois do Êxodo. Para os cristãos, o Pentecostes celebra a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos e seguidores de Cristo, através do dom de línguas, como descrito no Novo Testamento, durante aquela celebração judaica do quinquagésimo dia em JerusalémPor esta razão o dia de Pentecostes é, às vezes, considerado o dia do nascimento da igreja cristã. O movimento pentecostal tem seu nome derivado desse evento.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pentecostes

– Ver também: https://avida.livingwater.me/2019/01/16/pentecost/?gclid=CjwKCAjwiMj2BRBFEiwAYfTbCr1BGP81ANwMHFK28rQlE9-JwaAQbCqhgcClMTQXXMouETXVCHWfaxoChx4QAvD_BwE

– Ver ainda: http://www.festadodivino.org.br/page6.html

FESTAS DE NOSSA SENHORA EM 31 DE MAIO

A. Festa da Vi­si­tação da Virgem Santa Maria, em que a Mãe de Deus foi ao en­contro da sua pa­renta Isabel, que em avan­çada idade tinha con­ce­bido um filho, e a saudou. No feliz en­contro das duas fu­turas mães, o Re­dentor que vinha ao mundo san­ti­ficou o pre­cursor ainda no seio da sua mãe, e Maria, res­pon­dendo à sau­dação de Isabel e exul­tando na ale­gria do Es­pí­rito Santo, deu glória ao Se­nhor com um cân­tico de louvor, o “Magnificat”. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Festa da Visitação da Santa Virgem Maria. Habitada pela presença divina e saudada como a Arca da Nova Aliança por sua prima Isabel, grávida, a quem ela tinha vindo prestar seus serviços. Nossa Senhora respondeu com o “Magnificat”, em que exalta as maravilhas de Deus Todo-Poderoso em Sua serva, sua misericórdia para com os pobres e sua fidelidade para com os pobres e sua fidelidade para com Israel. (R)

– Ver também 02 de julho: NO “VIDA DOS SANTOS” É LEMBRADO NESTE 02 DE JULHO A VISITAÇÃO DE NOSSA SENHORA A SANTA ISABEL. Por que se estabeleceu no dia de hoie, 2 de julho, a festa da Visitação? Porque se crê que seja o último dia de Maria em casa de Isabel. Ver páginas 122-133: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

Observação: Buscando combinar o calendário, Maria teria ficado com Isabel de 31 de maio a 02 de julho.

Ver: https://www.dehonianos.org/portal/visitacao-da-virgem-santa-maria0/

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Visita%C3%A7%C3%A3o

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_(m%C3%A3e_de_Jesus)

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Isabel_(B%C3%ADblia) 

Nossa Senhora do Sagrado Coração | Paróquia de Nossa Senhora do ...

B. No Martirológio Romano-Monástico, festa de NOSSA SENHORA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS, titular da Diocese Brasileira de Pinheiro. Nossa Senhora do Sagrado Coração (em francês Notre Dame du Sacré Coeur; em espanhol, Nuestra Señora del Sagrado Corazón; em inglês, Our Lady of the Sacred Heart; em italiano, Nostra Signora del Sacro Cuore). A devoção mariana é um título dado à Santíssima Virgem Maria pelo padre Julio Chevalier em 1857. Na iconografia, Maria mostra o coração de seu filho enquanto Jesus aponta para sua mãe. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_do_Sagrado_Cora%C3%A7%C3%A3o

– Ver também: http://www.misacor-rj.org.br/noticia/detalhe/34/nossa-senhora-do-sagrado-coracao

– Ver ainda: https://www.religionenlibertad.com/santo_de_hoy/57043/nuestra-senora-del-sagrado-corazon-jesus.html

– Ver: https://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:snbevbrwie8J:https://santavirgenmaria.com/2016/05/28/oracion-nuestra-senora-del-sagrado-corazon/+&cd=1&hl=es-419&ct=clnk&gl=ec

C. 31 DE MAIO E 22 DE AGOSTO: NOSSA SENHORA RAINHA: A encíclica Ad Caeli Reginam (Rainha do Céu), do Papa Pio XII, de 11 de outubro de 1954 trata sobre a Realeza de Maria e a instituição Festa de Nossa Senhora Rainha, celebrada a cada dia 31 de maio com o costume de coroar-se a imagem da Virgem e da recitação pública da Consagração do Gênero Humano ao Imaculado Coração de Maria….. NOSSA SENHORA RAINHA, 22 DE AGOSTO: … O dia 22 de agosto era reservado à homenagem ao Coração Imaculado de Maria. Mas a Igreja, desejando aproximar a festa da realeza de Maria à da sua gloriosa assunção ao céu, inverteu estas datas a partir da última reforma do seu calendário litúrgico, em 1969.”. Conforme: https://www.a12.com/academia/titulos-de-nossa-senhora?s=nossa-senhora-rainha-22-de-agosto

Ver páginas 341-365: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: “…Na Encíclica, a data da festa foi estabelecida para o dia 31 de maio, mês de Maria. Atualmente, porém, a celebração acontece oito dias após a festa da Assunção de Nossa Senhora: assim, fica manifesta a íntima ligação entre a Assunção de Maria e sua coroação no céu.”: https://pt.aleteia.org/daily-prayer/terca-feira-22-de-agosto/

            OUTROS SANTOS DE 31 DE MAIO

2.   Em Roma, no ce­mi­tério de Do­mi­tila, junto à Via Ar­de­a­tina, Santa Pe­tro­nila (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem e mártir. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, Santa Petronilha, virgem e mártir romana, pertencente ao ramo cristão – não reinante – da família Flávia Domitila. Segundo uma tradição, foi batizada pelo Apóstolo São Pedro, de quem foi então considerada como filha espiritual. (M). Ver páginas 366-368: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

3.   Em Co­mana, no Ponto, hoje Gu­menek, na Tur­quia, Santo Hér­mias, sol­dado, mártir. († s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Ponto, o Martírio de Santo Hérmias, soldado. (M)

4.   Em Aqui­leia, hoje no Friúli Ve­nézia, re­gião da Itália, os santos Câncio (também na Folhinha do Coração de Jesus), Can­ciano e Can­ci­a­nila (ou Cancianela), már­tires, que, presos pelo per­se­guidor quando saíam da ci­dade num carro, foram fi­nal­mente le­vados ao suplício.(† s. IV), Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Aquiléia, perto de 290, o Martírio dos Santos Câncio, Canciano e Cancianela, irmãos carnais. (M)

5*.   Em Tou­louse, na Gália Nar­bo­nense, ac­tu­al­mente na França, São Sílvio, bispo, que em­pre­endeu a cons­trução de uma ba­sí­lica para honrar o tú­mulo de São Saturnino. († c. 400)

6*.   Em Forlí, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o Beato Tiago Sa­lo­móni, pres­bí­tero, que, sendo ainda ado­les­cente, fa­le­cido o seu pai e re­ce­bida sua mãe entre as monjas cis­ter­ci­enses, dis­tri­buiu os seus bens aos po­bres e en­trou na Ordem dos Pre­ga­dores, onde res­plan­deceu du­rante qua­renta e cinco anos, do­tado de in­signes dons ca­ris­má­ticos, amigo dos po­bres e homem de paz. († 1314)

7*.   Em Ca­me­rino, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, Santa Bap­tista de Varano (Ca­mila Bap­tista de Va­rano), aba­dessa do mos­teiro das Cla­rissas fun­dado por seu pai, onde ex­pe­ri­mentou grandes tri­bu­la­ções e con­so­la­ções místicas. († 1524)

8*.   Em York, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Ro­berto Thorpe, pres­bí­tero, e Tomás Wat­kinson, que, no rei­nado de Isabel I, foram con­de­nados à morte: o pri­meiro, porque era sa­cer­dote e o se­gundo, pai de fa­mília já an­cião, porque muitas vezes prestou au­xílio aos sa­cer­dotes; ambos re­ce­beram ao mesmo tempo no pa­tí­bulo a coroa do martírio. († 1591)

9*.   Em Paris, na França, o Beato Ni­colau Barré, pres­bí­tero, que foi do­cente de te­o­logia e cé­lebre di­rector de almas no es­pí­rito do Evan­gelho e ins­ti­tuiu por todas as partes da França as Es­colas Cristãs e da Ca­ri­dade, bem como as Irmãs Mes­tras do Me­nino Jesus, des­ti­nadas à ins­trução gra­tuita da ju­ven­tude mais carenciada. († 1686)

10*.   Em Ni­cósia, na Si­cília, re­gião da Itália, São Félix (Tiago Amo­roso), re­li­gioso, que, de­pois de ter sido re­cu­sado du­rante dez anos, in­gressou fi­nal­mente na Ordem dos Me­nores Ca­pu­chi­nhos, onde exerceu os mais hu­mildes ofí­cios com grande sim­pli­ci­dade e ino­cência de coração. († 1787)

11*.   Em Bel­legra, lo­ca­li­dade pró­xima de Roma, o Beato Ma­riano de Roc­ca­ca­sale (Do­mingos) Di Ni­co­lan­tónio, re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores, que, exer­cendo o ofício de por­teiro, abriu as portas do con­vento aos po­bres e aos pe­re­grinos, a quem so­correu de todos os modos com imensa caridade. († 1866)

12.   Em Mityana, lo­ca­li­dade do Uganda, São Noé Mawaggali, mártir, que, sendo fâ­mulo do rei, quando ir­rompeu a per­se­guição re­cusou des­te­mi­da­mente em­pre­ender a fuga e es­pon­ta­ne­a­mente apre­sentou o às lanças dos sol­dados, que, de­pois de o terem tres­pas­sado, o pen­du­raram numa ár­vore, até chegar à morte por Cristo. († 1886)

13. São Pascásio (na Folhinha do Coração de Jesus)

14. São Guilherme do deserto. Ver páginas 334-340: http://obrascatolicas.com/livros/Biografiaabrie”l VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

16. São Gabriel de Laddolorata, confessor. Ver páginas 369-370: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

17. Bem-aventurada Batista Varani, abadessa. Ver páginas 371-373:  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

18. Outros santos do dia 31 de maio: páginas: 334-373 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 31 de maio, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/31_de_maio

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 436-438:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! Querida Mãe Maria, protegei-nos! São José, Anjos e Santos, intercedei por nós! Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA. SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 30 de maio

1.   Em Porto Torres, na Sar­denha, re­gião da Itália, São Ga­vino, mártir. († c. s. IV)

2.   Em Ce­sa­reia da Ca­pa­dócia, hoje Kay­seri, na Tur­quia, os santos Ba­sílio e Emélia ou Emília, que foram os pais dos santos bispos Ba­sílio Magno, Gre­gório de Nissa e Pedro de Se­baste e de Santa Ma­crina, virgem. Estes santos es­posos, no tempo do im­pe­rador Ga­lério Ma­xi­miano, foram des­ter­rados e ha­bi­taram nas so­li­dões do Ponto e, ter­mi­nada a per­se­guição, mor­reram em paz, dei­xando aos fi­lhos a he­rança das suas virtudes. († 349 e 372)

3.   Em Pavia, na Lom­bardia, re­gião da Itália, Santo Anas­tásio, bispo, que, aban­do­nando a he­resia ariana, pro­fessou fir­me­mente a fé ca­tó­lica. († c. 680). .Santo Exuperâncio, bispo de Ravena, no séc. V;  e Santo Anastácio, bispo de Pavia, no séc. VII (M), conforme o Martirológio Romano-Monástico.

4.   Em Ghéel, no Bra­bante, ter­ri­tório da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Bél­gica, Santa Dimpna, virgem e mártir. († s. VII/IX). Ver “ padroeira dos psicólogos e psiquiatras; doenças mentais; enfermidades neurológicas; viciados; vítimas de incesto): https://pt.wikipedia.org/wiki/Aquiles_de_L%C3%A1rissa

– Ver também: http://www.saintsmaryandmarthaorthodoxmonastery.org/newsletter_Jan2006.html

5.   Em Ter­vu­eren, também no Bra­bante, hoje na Bél­gica, o pas­sa­mento de Santo Hu­berto, bispo de Ton­gres e de Ma­as­tricht, dis­cí­pulo e su­cessor de São Lam­berto, que se de­dicou com todas as suas forças a di­fundir o Evan­gelho no Bra­bante e nas Ar­denas, de onde er­ra­dicou os cos­tumes pagãos. († 727)

6.   Em Se­vilha, na Es­panha, São Fer­nando III, rei de Cas­tela e de Leão, pru­dente na ad­mi­nis­tração do reino, cul­ti­vador das artes e das ci­ên­cias e ze­loso na pro­pa­gação da fé. († 1252). Ver páginas 305-316: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Fernando_III_de_Le%C3%A3o_e_Castela

7.   Em Ruão, na Nor­mandia, re­gião da França, Santa Joana d’Arc, virgem, cha­mada a Don­zela de Or­leães, que, de­pois de com­bater va­lo­ro­sa­mente pela pá­tria, foi fi­nal­mente en­tregue ao poder dos ini­migos, que a con­de­naram num jul­ga­mento iníquo a ser quei­mada na fogueira. († 1431). Ver páginas 325-332: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Joana_d%27Arc

8.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, São Lucas Kirby, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição da rainha Isabel I, de­pois de muitos tor­mentos, foi sus­penso na trí­plice forca de Ty­burn. Com ele pa­de­ceram no mesmo pa­tí­bulo os be­atos pres­bí­teros e már­tires Gui­lherme Filby, Lou­renço Johnson, bem como Tomás Cottam, da Com­pa­nhia de Jesus. († 1582)

9*.   Também em Lon­dres, trinta anos mais tarde, os be­atos Gui­lherme Scott, da Ordem de São Bento, e Ri­cardo New­port, pres­bí­teros e már­tires, que, no rei­nado de Jaime I, por causa do sa­cer­dócio, o pri­meiro morreu es­tran­gu­lado com uma corda, e o se­gundo es­quar­te­jado à es­pada en­quanto es­tava ainda vivo. († 1612)

10.   Em Kam­pala, no Uganda, São Ma­tias Ka­lemba, cha­mado «Mo­lumba» ou «Forte», mártir, que, aban­do­nando o culto ma­o­me­tano, de­pois do Bap­tismo em Cristo ab­dicou do ofício de juiz e pro­pagou de­di­ca­da­mente a fé cristã; por isso, no tempo do rei Mwanga, foi sub­me­tido a cruéis tor­turas e, sem pos­si­bi­li­dade de con­forto algum, en­tregou o es­pí­rito a Deus. († 1886)

11.   Em Sa­vona, na Itália, o pas­sa­mento de São José Marello, bispo de Ácqui, no Pi­e­monte, que fundou a Con­gre­gação dos Oblatos de São José, de­di­cada à for­mação moral e cristã da juventude. († 1895). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Marello

– Ver também: http://www.vatican.va/content/john-paul-ii/it/homilies/2001/documents/hf_jp-ii_hom_20011125_canonization.html

12♦.   Em Bor­déus, na França, a Beata María Ce­lina da Apre­sen­tação da San­tís­sima Virgem Maria (Joana Ger­maine Cas­tang), virgem da Ordem de Santa Clara. († 1897)

13♦.   Em Snyatin, na Ucrânia, a Beata Marta Maria Wiecka, virgem da Com­pa­nhia das Fi­lhas da Ca­ri­dade de São Vi­cente de Paulo. († 1904)

14.   No campo de con­cen­tração de Bu­chenwald, na Tu­ríngia, re­gião da Ale­manha, a paixão do Beato Otão Neururer, pres­bí­tero e mártir, que, por ter con­ven­cido uma jovem ca­tó­lica a não si­mular o ma­tri­mónio com um homem já ca­sado e membro das forças de se­gu­rança do ne­fasto re­gime hostil a Deus e aos ho­mens, foi me­tido no cár­cere, onde, apesar de todo o gé­nero de tri­bu­la­ções, pros­se­guia clan­des­ti­na­mente o seu mi­nis­tério, até que, pen­du­rado de uma viga com os pés para cima e a ca­beça para baixo, con­sumou o seu martírio. († 1940)

15. São Venâncio, confessor. Ver página 317: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

16. São Cadoc e São Fricor, confessores. Ver página 318: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

17. São Mauguille, confessor. Ver páginas 319-320: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

19. Santo Isaac, abade e confessor. Ver páginas 321-324: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

20. São Batista Varani, na Folhinha do Coração de Jesus.

21. Em Roma, em 274, São Félix, papa, que estabeleceu o costume de celebrar missas sobre os túmulos dos mártires, conforme o Martirológio Romano-Monástico.

22. Outros santos do dia 30 de maio: páginas: 305-333 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 30 de maio, ver ainda:  https://pt.wikipedia.org/wiki/30_de_maio

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 434-436:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! Querida Mãe Maria, protegei-nos! São José, Anjos e Santos, intercedei por nós! Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA. SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 29 de maio

1. São Paulo VI, papa, que neste dia foi or­de­nado pres­bí­tero, de­pois foi no­meado ar­ce­bispo de Milão e fi­nal­mente eleito para a Sé Ro­mana. Com­pletou feliz e di­li­gen­te­mente o Con­cílio Va­ti­cano II, pro­moveu a re­no­vação da vida ecle­sial, so­bre­tudo a sa­grada Li­turgia, e em­pe­nhou-se no diá­logo ecu­mé­nico e na men­sagem do Evan­gelho pelo mundo con­tem­po­râneo. No dia 6 de Agosto ador­meceu na paz do Se­nhor. († 1978). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Paulo_VI

– Ver também: …“O Santo Papa Paulo VI escreveu: «É no meio das suas desgraças que os nossos contemporâneos precisam de conhecer a alegria e de ouvir o seu canto» (Exort. ap. Gaudete in Domino, I). Hoje, Jesus convida-nos a voltar às fontes da alegria, que são o encontro com Ele, a opção corajosa de arriscar para O seguir, o gosto de deixar tudo para abraçar o seu caminho. Os Santos percorreram este caminho. Fê-lo Paulo VI, seguindo o exemplo do Apóstolo cujo nome assumira.”: https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2019-05/dia-de-sao-paulo-vi.html

– Ver também: http://www.vatican.va/content/paul-vi/es/apost_exhortations/documents/hf_p-vi_exh_19750509_gaudete-in-domino.html

– Ver ainda: https://veja.abril.com.br/mundo/paulo-vi-o-papa-dos-trabalhadores-sera-canonizado/

2.   Em An­ti­o­quia, na Síria, hoje An­takya, na Tur­quia, Santo He­sí­quio, guarda pa­la­ciano, mártir, que, du­rante a per­se­guição de Di­o­cle­ciano, ou­vindo um pregão pelo qual se or­de­nava que dei­xasse o uni­forme mi­litar quem não ofe­re­cesse in­censo aos ídolos, ime­di­a­ta­mente depôs o uni­forme, e por isso foi pre­ci­pi­tado no rio Orontes, com o braço di­reito li­gado a uma enorme pedra. († c. 303)

3.   Em Tré­veris, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na Ale­manha, São Ma­xi­mino (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que foi in­tré­pido de­fensor da in­te­gri­dade da fé contra os ari­anos, aco­lheu fra­ter­nal­mente Santo Ata­násio de Ale­xan­dria e ou­tros bispos exi­lados e, ex­pulso da sua sede epis­copal pelos ini­migos, morreu em Poi­tiers, sua terra natal. († c. 346). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 347, São Maximino. Originário da Aquitânia, veio para Treves, então residência imperial, onde foi eleito bispo. Mostrou-se valente defensor da ortodoxia ao acolher Santo Atanásio, então exilado. (M).

4.   Em Val di Non, ac­tu­al­mente no Tren­tino Alto Ádige, re­gião da Itália, os santos már­tires Si­sínio (também na Folhinha do Coração de Jesus), diá­cono, Mar­tírio (Martório), leitor, e Ale­xandre, os­tiário, na­tu­rais da Ca­pa­dócia, que nesta re­gião edi­fi­caram uma igreja e in­tro­du­ziram os cân­ticos do louvor di­vino, mas foram mortos pelos pa­gãos num dia em que estes ofe­re­ciam os seus sa­cri­fí­cios lustrais. († 397). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Trentino, o martírio dos Santos Cisínio, Martório e Alexandre. No tempo do imperador Honório, foram perseguidos pelos pagãos em uma floresta, onde foram mortos por causa de Cristo. (M). Ver páginas 297-298: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

5.   Em Ra­vena, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, também re­gião da Itália, Santo Exu­pe­râncio, bispo, que pre­sidiu com sábia pru­dência a esta Igreja, no tempo em que o rei Odo­acro se apo­derou da Itália e desta cidade. († 430/476-477)

6.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, também re­gião da Itália, São Se­nador, bispo, que o papa São Leão Magno tinha en­viado como le­gado a Cons­tan­ti­nopla quando ainda era presbítero. († c. 480)

7*.   Em Mâcon, na Bor­gonha, na ac­tual França, São Ge­rardo, que foi monge, de­pois eleito bispo e fi­nal­mente levou vida ere­mí­tica na floresta.

(† c. 940)

8*.   Em Pisa, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, Santa Bona, virgem, que fez com de­voção fre­quentes pe­re­gri­na­ções à Terra Santa, a Roma e a Compostela. († 1207). Ver páginas 299-302: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

9*.   Em Avig­nonet, perto de Tou­louse, na França, os be­atos Gui­lherme Arnaud e dez com­pa­nheiros: Ber­nardo de Ro­que­fort, Garcia d’Aure, Es­têvão de Sain-Thi­erry, Rai­mundo Car­bo­nier; Rai­mundo de Cor­tisan, cha­mado Es­crivão, có­nego; Ber­nardo, Pedro d’Ar­naud, For­ta­nier e Ade­maro, clé­rigos; prior de Avig­nonet, cujo nome não é conhecido que, unidos na missão de im­pedir a he­resia dos cá­taros, foram ar­di­lo­sa­mente presos por causa da fé de Cristo e da obe­di­ência à Igreja Ro­mana e mor­reram ao fio da es­pada no dia da As­censão do Se­nhor, can­tando una­ni­me­mente o «Te Deum».  († 1242)

10*.   Em Pisa, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, a Beata Ge­ral­dina, viúva, que passou a vida numa cela junto do mos­teiro ca­mal­du­lense de São Sa­bino, con­sa­grando-se ao louvor de Deus e à in­ti­mi­dade com o Senhor. († c. 1269)

11*.   Em York, na In­gla­terra, o Beato Ri­cardo Thirkeld, pres­bí­tero e mártir, que, no rei­nado de Isabel I, con­de­nado à morte por ser sa­cer­dote e re­con­ci­liar muitas pes­soas com a Igreja ca­tó­lica, foi le­vado ao su­plício do patíbulo. († 1583)

12*.   Em Roma, lo­ca­li­dade do Le­soto, na África Aus­tral, o Beato José Gerard, pres­bí­tero dos Oblatos de Maria Ima­cu­lada, que anun­ciou in­can­sa­vel­mente a Cristo na pro­víncia do Natal e de­pois, prin­ci­pal­mente, ao povo dos Basotos. († 1914)

13.   Em Roma, Santa Úr­sula (Júlia Le­do­chowska), virgem, que fundou o Ins­ti­tuto das Irmãs Ur­su­linas do Co­ração de Jesus Ago­ni­zante e per­correu in­fa­ti­ga­vel­mente nesta missão apos­tó­lica as re­giões da Po­lónia, da Es­can­di­návia, da Fin­lândia e da Rússia. († 1939)

14. São Cirilo de Cesaréia, na Folhinha do Coração de Jesus. Ver páginas 287-288: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

15. São Voto e São Félix. Ver páginas 289-290: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

16. Bem-aventurada Geraldesca. Ver páginas 291-292: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

17. Os bem-aventurados inquisidores, mártires. Ver pág. 293:

18. Bem-aventurado Pedro Petroni. Ver página 294: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf ,

19. Santo André de Chio, mártir. Ver páginas 295-296: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

20. Outros santos do dia 29 de maio: páginas: 287-304 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 29 de maio, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/29_de_maio

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 432-434:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! Querida Mãe Maria, protegei-nos! São José, Anjos e Santos, intercedei por nós! Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA. SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 28 de maio

28 DE MAIO: NOSSA SENHORA DOS ARDENTES. Ver: “Um belo exemplo de como a Santíssima Virgem, padroeira de Arras (no norte da França) sob essa invocação, premia quando pessoas se perdoam devido a inimizades meramente pessoais…Poucas pessoas hoje em dia, salvo os médicos, ouviram falar de uma doença chamada ergotismo. Mas ela foi, desde a Idade Média até o século XVII, um problema sério de saúde. Seu nome vem de um fungo chamado ergot (esporão do centeio), que ataca o trigo. Após contaminar a planta, sobretudo na primavera, começavam as epidemias, afetando milhares de pessoas ao mesmo tempo. A doença recebia nomes diferentes em diversas línguas, como mal des ardentsignis sacerheiliges feuerfogo infernal ou fogo de Santo Antônio, indicando todos que as pessoas tinham a sensação de estarem se queimando; de Santo Antônio, porque a Ordem de Santo Antônio era a que tratava principalmente esses doentes. E foi justamente durante uma dessas epidemias que se deu a aparição da Santíssima Virgem, conhecida pela invocação de Nossa Senhora dos Ardentes, por causa da moléstia que veio curar.”: http://catolicismo.com.br/materia/materia.cfm?IDmat=F95387DB-3048-560B-1CB69B748DF87D58&mes=Junho2007

Ver páginas 283-285: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

 – Ver também: https://www.amoranossasenhora.com.br/nossa-senhora-dos-ardentes-o-valor-de-perdoar/

– Sobre ERGOTISMO, ver: https://www.google.com/search?safe=active&sxsrf=ALeKk00RRajE0LEh08HT29s7-7Zkt_-YXQ%3A1590614352297&source=hp&ei=UNnOXpSTC__A5OUPwKK_qAE&q=ergotismo&oq=ergotismo&gs_lcp=CgZwc3ktYWIQAzICCAAyAggAMgIIADICCAAyAggAMgIIADICCAAyAggAMgIIADICCAA6BAgjECc6BQgAEIMBOgQIABBDOgQIABAKUMkJWOkYYNcdaABwAHgAgAHcAYgBtQ6SAQUwLjIuN5gBAKABAaoBB2d3cy13aXo&sclient=psy-ab&ved=0ahUKEwiU-76b_NTpAhV_ILkGHUDRDxUQ4dUDCAc&uact=5

OUTROS SANTOS DE 28 DE MAIO

1.   Em Co­rinto, na Acaia, ac­tu­al­mente na Grécia, Santa He­li­có­nides, mártir, que, no tempo do im­pe­rador Gor­diano, sob a ju­ris­dição do go­ver­nador Pe­rénio e do seu su­cessor Jus­tino, de­pois de su­portar muitos tor­mentos, fi­nal­mente de­ca­pi­tada con­sumou o seu martírio.(† s. III)

2.   Em Char­tres, na Gália Li­o­nense, na ac­tual França, São Ca­raúno, mártir. († s. V)

3.   Em Urgel, na His­pânia Tar­ra­co­nense, São Justo, bispo, que es­creveu um co­men­tário ale­gó­rico do “Cân­tico dos Cân­ticos” e tomou parte nos con­cí­lios hispânicos. († s. VI)

4.   Em Paris, na Gália, na ac­tual França, São Ger­mano, bispo, que era abade de São Sin­fo­riano em Autun quando foi cha­mado para a sede epis­copal de Paris e, con­ti­nu­ando o modo de vida mo­nás­tica, exerceu com muito fruto o mi­nis­tério pas­toral das almas. († 576). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 576, São Germano. Inicialmente abade de São Sinforiano de Autun, foi depois eleito bispo a serviço da Igreja em Paris. Convidou o rei Quildeberto I a fundar um mosteiro que mais tarde tomou seu nome: Saint-Germain-des-Prés. (M). Ver páginas 267-274: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Germano_de_Paris

5*.   No mos­teiro de Gel­lone, na Gália Nar­bo­nense, também na ac­tual França, São Gui­lherme, monge, que, de­pois de ter sido uma per­so­nagem de grande pres­tígio na corte do im­pe­rador, es­ti­mu­lado pela sua grande sim­patia por São Bento de Aniane, tomou o há­bito mo­nás­tico que honrou com exímia virtude. († 812). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Languedoc, em 812, São Guilherme, conde de Toulouse e duque de Aquitânia, fundou o mosteiro de Gellone, perto de Aniane, onde ele próprio foi mais tarde partilhar a vida e a oração dos monges (X).

– Ver páginas 275-276: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Guilherme_I_de_Tolosa

6*.   Em Can­tuária, na In­gla­terra, o Beato Lan­franco, bispo, que, sendo monge de Bec, na Nor­mandia, fundou uma cé­lebre es­cola e dis­putou contra Be­ren­gário sobre a pre­sença ver­da­deira do corpo e sangue de Cristo no sa­cra­mento eu­ca­rís­tico; de­pois, ele­vado à sede epis­copal de Can­tuária, pro­curou re­formar a dis­ci­plina da Igreja na Inglaterra. († 1089). Ver páginas 277-280: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lanfranco_de_Cantu%C3%A1ria

7*.   Em Pisa, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, Santa Ubal­dina, virgem, que, desde os de­zas­seis anos de idade até à morte, du­rante cin­quenta e cinco anos pra­ticou in­fa­ti­ga­vel­mente num hos­pício as obras de misericórdia. († 1206)

8*.   Em Cas­tel­nuovo di Gar­fag­nana, também na Etrúria, hoje na Tos­cana, o Beato Her­cu­lano de Piégaro, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, que foi exímio pre­gador e res­plan­deceu pela aus­te­ri­dade de vida, longos je­juns e fama de milagres. († 1451)

9*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, a Beata Mar­ga­rida Pole (também na Folhinha do Coração de Jesus), mãe de fa­mília e mártir, que, sendo con­dessa de Sa­lis­búria e mãe do car­deal Rei­naldo, no rei­nado de Hen­rique VIII, cujo di­vórcio ela cen­su­rara, foi de­ca­pi­tada no cár­cere da Torre de Lon­dres e des­cansou na paz de Cristo. († 1541). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Margarida_Pole,_8.%C2%AA_Condessa_de_Salisbury

10*.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, a Beata Maria Bar­to­lo­meia Bagnési, virgem, irmã da Ordem da Pe­ni­tência de São Do­mingos, que su­portou du­rante cerca de qua­renta e cinco anos muitos e atrozes sofrimentos. († 1577)

11*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os be­atos Tomás Ford, João Shert e Ro­berto Johnson, pres­bí­teros e már­tires, que, no rei­nado de Isabel I, fal­sa­mente acu­sados de con­jura, foram con­de­nados à morte e sus­pensos ao mesmo tempo no pa­tí­bulo de Tyburn. († 1582)

12.   Em Cho Quan, lo­ca­li­dade da Co­chin­china, no ho­di­erno Vi­etnam, São Paulo Hanh, mártir, que, aban­do­nando a moral cristã, per­tencia a um bando de sal­te­a­dores; mas, preso no tempo do im­pe­rador Tu Duc, con­fessou que era cristão, e nem se­du­ções nem fla­ge­la­ções nem a di­la­ce­ração dos mem­bros o fi­zeram de­mover da fé; fi­nal­mente, de­go­lado, al­cançou o glo­rioso martírio. († 1859)

13*.   Em Sa­ch­se­nhausen, na Ale­manha, o Beato La­dislau Demski, mártir, que, na­tural da Po­lónia, morreu du­ra­mente tor­tu­rado num campo de con­cen­tração por de­fender a fé pe­rante os se­quazes de dou­trinas hostis a toda a dig­ni­dade hu­mana e cristã. († 1940)

14*.   Em Dzi­al­dowo, ci­dade da Po­lónia, o Beato An­tónio Ju­lião Nowowiejski, bispo de Plock, que, na mesma ca­la­mi­dade, foi en­car­ce­rado pelos ini­migos num campo de con­cen­tração e, es­vaído pela fome e cruéis tor­turas, foi ao en­contro do Senhor. († 1941)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no séc. V, os Santos Crescêncio, Dióscórido e Paulo cristãos que foram atirados ao fogo por terem pregado o Evangelho. (M)

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no início do séc. X, São Págio, bispo de Florença (M).

17. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1081, São Bernardo de Menthon. Nascido no castelo que tem este nome, às margens do lago de Annecy, entrou para os Cônegos Regulares e foi ordenado presbítero. Preocupado com a sorte dos peregrinos que deviam atravessar os Alpes, construiu para eles albergues em pontos elevados. Pio XI o declarou padroeiro dos montanheses e dos alpinistas (M). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Bernardo_de_Menton

18. Santo Emílio, na Folhinha do Coração de Jesus. No mesmo dia, na Sardenha, os santos mártires Emílio, Félix, Príamo e Luciano, que, combatendo por Cristo, mereceram ser coroados. Ver pág. 285: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

19. Bem-aventurado Lanfranc, confessor.Ver páginas 277-280: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

20. Outros santos do dia 28 de maio: páginas: 267-286 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 28 de maio, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/28_de_maio

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 429-431:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! Querida Mãe Maria, protegei-nos! São José, Anjos e Santos, intercedei por nós! Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA. SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 27 de maio

Santo Agos­tinho, bispo de Can­tuária (também na Folhinha do Coração de Jesus), na In­gla­terra, que foi en­viado com ou­tros monges pelo papa São Gre­gório Magno para anun­ciar a pa­lavra de Deus ao povo dos An­glos e foi bem re­ce­bido por Edi­berto, rei de Kent. Imitou a vida apos­tó­lica da Igreja pri­mi­tiva, con­verteu o pró­prio rei e muitos ou­tros à fé cristã e cons­ti­tuiu nesta terra al­gumas sedes epis­co­pais; fa­leceu no dia 26 de maio. († 604/605). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 604, o nascimento no céu de Santo Agostinho, monge beneditino romano, enviado pelo papa São Gregório Magno a evangelizar a Inglaterra. Bem recebido pelo rei Etelberto de Kent, a quem batizou, fundou a Sé metropolitana de Cantuária, de onde difundiu a fé por toda a ilha, que foi convertida à Igreja Católica. (R). Ver páginas 281-282: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Agostinho_de_Cantu%C3%A1ria

2.   Em Do­rós­toro, na Mésia, hoje Si­listra, na Bul­gária, São Júlio, mártir, que, sendo ve­te­rano do exér­cito im­pe­rial, no tempo da per­se­guição foi preso pelos ofi­ciais de jus­tiça e apre­sen­tado ao go­ver­nador Má­ximo; tendo ma­ni­fes­tado na sua pre­sença a re­pulsa pelos ídolos, con­fessou com grande fir­meza a sua fé em Cristo e foi cas­ti­gado com a con­de­nação à morte. († c. 302). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Durostorum, às margens do Danúbio, a paixão de São Júlio, vítima da perseguição de Diocleciano. Depois de vinte e sete anos de serviço irrepreensível no exército romano, foi condenado, juntamente com dois companheiros, por ter se recusado a sacrificar aos ídolos. No momento de morrer, fez a célebre oração: “Senhor Jesus Cristo, em nome de quem eu sofro, peço-te dignar-te receber meu espírito com os teus santos mártires (Paixão – M).  Ver páginas 252-256: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

3.   Na Via No­men­tana, a de­ze­sseis mi­lhas de Roma, São Res­ti­tuto, mártir. († c. s. IV). No VIDA DOS SANTOS, Em Sora, Santa Restituta, virgem e mártir, que, sob o imperador Aureliano e procônsul Agácio, chamada a lutar pela fé, venceu os esforços do demônio, as carícias dos pais e a crueldade dos carrascos; enfim, decapitada com outros cristãos, foi honrada com a glória do martírio. Ver página 266: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

 4.   Em Orange, na Pro­vença, re­gião da Gália, ac­tu­al­mente na França, Santo Eu­trópio, bispo. († c. 475). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, Santo Eutrópio. Convertido por sua esposa, foi convencido pelo Bispo de Marselha a colocar-se a serviço da Igreja. A exemplo de São Paulo, trabalhava com as mãos, desempenhando com entusiasmo as funções pastorais como bispo de Orange (M). Ver páginas 259-261: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Eutr%C3%B3pio_de_Orange

5.   Em Würtz­burg, na Fran­cónia, re­gião da Ger­mânia, hoje na Ale­manha, São Bruno (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que res­taurou a igreja ca­te­dral, re­formou o clero e ex­plicou ao povo a Sa­grada Escritura. († 1045). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1045, São Bruno, bispo de Würzburg. Homem de confiança de Henrique II da Alemanha, foi um dos principais defensores da idéia de um império cristão. (M). Ver página 258: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

6*.   No mos­teiro de Mont­salvy, junto de Cler­mont-Fer­rand, na Aqui­tânia, hoje na França, São Gaus­berto, pres­bí­tero e ere­mita, que trans­formou este lugar, antes de­serto e in­tran­si­tável, num hos­pício para aco­lher os peregrinos. († 1079)

7*.   Em Dry­burne, lo­ca­li­dade pró­xima de Durham, na In­gla­terra, os be­atos Ed­mundo Duke, Ri­cardo Hill, João Hogg e Ri­cardo Ho­liday, pres­bí­teros e már­tires, que, re­gres­sando do Co­légio dos In­gleses de Reims à sua pá­tria, no rei­nado de Isabel I, foram con­de­nados à morte e en­for­cados por causa do sacerdócio. († 1590)

8.   Em Seul, na Co­reia, as santas már­tires Bár­bara Kim, viúva, e Bár­bara Yi, virgem de quinze anos de idade, que foram presas ao mesmo tempo e mor­reram de peste no cárcere. († 1839)

9.   Em Na­ki­buwo, lo­ca­li­dade do Uganda, Santo Ata­násio Bazzekuketta, mártir, que era um jovem da casa real re­cen­te­mente bap­ti­zado e, ao ser con­du­zido ao lugar do su­plício com os ou­tros com­pa­nheiros por ter abra­çado a fé em Cristo, pediu aos al­gozes que o ma­tassem ime­di­a­ta­mente e, es­pan­cado até à morte, con­sumou o martírio. († 1886)

10.   Em Lu­bawo, também no Uganda, São Gon­zaga Gonza, mártir, que era um dos fâ­mulos reais e, quando ia preso com ca­deias para a fo­gueira, foi tres­pas­sado pelas lanças dos algozes. († 1886)

11. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na região do Artois, o martírio de São Ranulfo (também na Folhinha do Coração de Jesus), que gozava de grande veneração na abadia de São Waast (ou São Gastão). (M)

12. Santo Hildeverto. Bispo e confessor. Ver página 257: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

–  Ver também Santo Hildeberto de Lavardin: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hildeberto_de_Lavardin

13. Santa Melângela, na Folhinha do Coração de Jesus.

14. Outros santos do dia 27 de maio: páginas: 239-266 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 27 de maio, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/27_de_maio

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 427-429:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! Querida Mãe Maria, protegei-nos! São José, Anjos e Santos, intercedei por nós! Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA. SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 26 de maio

* 26 de maio: NOSSA SENHORA DO CARAVAGGIO (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver:

Pouco antes da aparição, em 1432, uma batalha entre os dois estados (Veneza e Milão) assustou o país.

Neste cenário de desolação, às 17 horas da segunda-feira, 26 de maio de 1432, acontece a aparição de Nossa Senhora a uma camponesa. A história conta que a mulher, de 32 anos, era tida como piedosa e sofredora. A causa era o marido, Francisco Varoli, um ex-soldado conhecido pelo mau caráter e por bater na esposa. Maltratada e humilhada, Joaneta Varoli colhia pasto em um prado próximo, chamado Mezzolengo, distante 2 km de Caravaggio.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_de_Caravaggio

– Ver também “Em 1942, num cenário de desolação, Nossa Senhora apareceu diante de uma camponesa chamada Giannetta Varoli, de 32 anos, que era piedosa e sofredora. Disse-lhe que não tivesse medo e que receberia uma grande missão: divulgar a paz”!: http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/pwdtcomemorativas/default.php?reg=9&p_secao=13

– Ver ainda ““A semelhança dos tempos em que Nossa Senhora apareceu a Joaneta com os nossos torna muito atual a mensagem de Caravaggio. O amor na família, a paz na sociedade e a unidade da Igreja são valores tão grandes e ao mesmo tempo tão ameaçados”: http://caravaggio.org.br/historia-e-devocao/

– Ver também: http://caravaggio.org.br/

  1. Me­mória de São Fi­lipe Néri (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, que, para salvar os jo­vens do mal, fundou em Roma um ora­tório, no qual se pra­ti­cavam as lei­turas es­pi­ri­tuais, o canto e as obras de ca­ri­dade. Foi in­signe pelo seu amor do pró­ximo, sim­pli­ci­dade evan­gé­lica, es­pí­rito alegre, zelo in­fa­ti­gável e fer­vo­roso ser­viço de Deus. († 1595). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano de 1595, São Felipe Néri, sacerdote. Seu comportamento paradoxal e alegre permitia-lhe fazer refletir aqueles que ele abordava, e revelar a sorridente liberdade dos filhos de Deus aos jovens, que gostavam de se reunir perto dele em suas orações,  ou “oratórios”, para rezar e cantar. A congregação dos padres do Oratório continuou, depois dele esta forma de apostolado. (R). Ver páginas 211-234: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

2.   Também em Roma, Santo Eleu­tério, papa, a quem os cé­le­bres már­tires de Lião, então de­tidos no cár­cere, es­cre­veram uma nobre carta sobre a con­ser­vação da paz na Igreja. († 189). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, Santo Eleutério. Bispo de Roma durante um curto período de paz, presidiu à difusão da doutrina cristã após a perseguição de Cômodo. (M). Ver páginas 235-236: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

3.   Também em Roma, no ce­mi­tério de Pris­cila, junto à Via Sa­lária Nova, São Si­mé­trio, mártir. († data inc.)

4.   Em Tódi, na Úm­bria, re­gião da Itália, Santa Fe­li­cís­sima, mártir. († s. III/IV)

5.   No ter­ri­tório de Au­xerre, na Gália, hoje na França, a paixão de São Prisco e com­pa­nheiros, mártires. († data inc.)

6.   Em Can­tuária, na In­gla­terra, o se­pul­ta­mento de Santo Agos­tinho, bispo, cuja me­mória se ce­lebra amanhã. († 604/605)

7.   No ter­ri­tório de Lião, na Gália, ac­tu­al­mente na França, a paixão de São De­si­dério, bispo de Vi­enne, que, por ordem da rainha Bru­nilde, a quem ele cen­su­rava as suas núp­cias in­ces­tu­osas e ou­tras per­ver­si­dades, foi re­le­gado para o exílio, e de­pois, ape­dre­jado por ordem da mesma rainha, re­cebeu a coroa do martírio. († c. 606)

8*.   No mos­teiro de Saint-Pa­poul, também na Gália, hoje na França, São Be­ren­gário, monge. († 1093)

9*.   Em Vence, na Pro­vença, também na ac­tual França, São Lam­berto, bispo, an­te­ri­or­mente monge de Lé­rins, que foi pró­digo para com os po­bres e amigo da pobreza. († 1154)

10*.   Em Sena, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, o Beato Fran­cisco Patrízi, pres­bí­tero da Ordem dos Servos de Maria, que se de­dicou com ad­mi­rável zelo à pre­gação, à di­recção das almas e ao mi­nis­tério da Penitência. († 1328)

11*.   Em Pis­tóia, também na Etrúria, ac­tu­al­mente na Tos­cana, o Beato André Fránchi, bispo, que, de­pois da epi­demia da peste negra, como prior da Ordem dos Pre­ga­dores, res­taurou a vida re­gular nos con­ventos da sua Ordem nesta re­gião e aprovou na sua ci­dade as Ir­man­dades de pe­ni­tentes para pro­mover a paz e a misericórdia. († 1401)

12.   Em Quito, no Equador, Santa Ma­riana de Jesus de Paredes (na Folhinha do Coração de Jesus, Santa Maria Ana), virgem, que con­sa­grou a Cristo a sua vida na Ordem Ter­ceira de São Fran­cisco e se de­dicou com toda a energia a so­correr os po­bres in­dí­genas e os negros. († 1645)

– Ver: http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/santa-maria-ana-de-jesus-paredes

– Ver também: https://g.co/kgs/upJvQ1

13.   Em Fuzhou, lo­ca­li­dade do Fu­gian, pro­víncia da China, São Pedro Sans i Jordá, bispo da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, jun­ta­mente com ou­tros sa­cer­dotes, foi preso e le­vado com ca­deias por longo ca­minho até ao tri­bunal; no lugar do su­plício ajo­e­lhou-se e, ter­mi­nada a oração, apre­sentou vo­lun­ta­ri­a­mente o pes­coço ao cutelo. († 1747)

14.   Em Seul, na Co­reia, São José Chang Song-jib, mártir, que exercia o ofício de far­ma­cêu­tico e, en­car­ce­rado por se ter con­ver­tido à fé cristã, morreu ví­tima de cru­de­lís­simos tormentos. († 1839)

15.   Em Dong Hoi, ci­dade do Aname, no ac­tual Vi­etnam, os santos már­tires João Doan Trinh Hoan, pres­bí­tero, e Ma­teus Hguyen Van Phuong, pai de fa­mília e ca­te­quista, que tinha hos­pe­dado o seu com­pa­nheiro de mar­tírio; pela sua fé, foram ambos tor­tu­rados e cru­el­mente de­go­lados no tempo do im­pe­rador Tu Duc. († 1861)

16.   Em Numyonyo, lo­ca­li­dade do Uganda, Santo André Kagwa, mártir, di­rector dos to­ca­dores de tím­pano do rei Mwanga e seu fa­mi­liar, que, recém-con­ver­tido à fé cristã, en­si­nava aos na­tivos e ca­te­cú­menos a dou­trina do Evan­gelho e por isso foi cru­el­mente assassinado. († 1886)

17.   Em Ttaka Jiunge, também no Uganda, São Pon­ciano Ngondwe, mártir, que era guarda do reino e, quando já co­me­çara a per­se­guição, re­cebeu o Bap­tismo; foi ime­di­a­ta­mente me­tido no cár­cere e morreu tres­pas­sado por uma lança quando era con­du­zido à co­lina do suplício. († 1886)

18. No Martirológio Romano-Monástico, em Atenas, no séc. II, São Quadrato. Dedicou ao imperador uma apologia da religião cristã, na qual relata ter conhecido testemunhas das “obras de nosso Salvador” (cf. Eusébio – M)

19. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 690, a volta para Deus de São Gôndio. Sobrinho de São Vandrilo, fundou um novo centro de vida monástica na Champagne, que

acabou por tomar seu nome. (X). Ver São Gond, páginas 237: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

20. Santa Eva de Liege (na Folhinha do Coração de Jesus).

21. Outros santos do dia 26 de maio: páginas: 211-238 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 26 de maio, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/26_de_maio

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 424-427:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! Querida Mãe Maria, protegei-nos! São José, Anjos e Santos, intercedei por nós! Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA. SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! MUITO OBRIGADO!

Ver: https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 25 de maio

São Beda Venerável (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero e doutor da Igreja, que passou toda a sua vida como servo de Cristo, desde os oito anos de idade, no mos­teiro de Jarrow, na No­túm­bria, re­gião da In­gla­terra, fer­vo­ro­sa­mente de­di­cado à me­di­tação e ex­pli­cação da Sa­grada Es­cri­tura. Além da ob­ser­vância da dis­ci­plina mo­nás­tica e o exer­cício quo­ti­diano Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Beda, o Venerável, monge beneditino e Doutor da Igreja. Oferecido ainda muito jovem ao mosteiro de Wearmouth, passou sua vida longa e dedicada aos estudos no mosteiro de Jarrow, no norte da Inglaterra. Sem jamais preferir outra coisa que não a obra de Deus, mostrou-se tão assíduo aos trabalhos humildes da vida comunitária como a seus eruditos estudos patrísticos, históricos e hagiográficos. Adormeceu no Senhor no ano de 735. (R). Conforme a Folhinha do Coração de Jesus de 24/05/2010, a vida de Beda nos ensina que não é preciso ir a terras distantes para sermos verdadeiros anunciadores da Palavra. Este monge beneditino, nascido em 672, passou praticamente toda a sua vida, recolhido num mosteiro da Inglaterra. Dedicado às atividades intelectuais, deixou uma obra imensa, que abarca desde a teologia, a filosofia, a aritmética até a medicina. Seus contemporâneos perceberam que nele ciência, piedade e virtude caminhavam juntas, a serviço da cultura, do Evangelho e da edificação dos irmãos. Como a lâmpada que não pode ficar escondida, mas deve ser colocada no alto para iluminar a todos, assim foi sua vida. Quando morreu, em 735, Beda já era chamado de “Venerável”. Em 1899 Leão XIII o declarou Doutor da Igreja. (Frei Sandro Roberto da Costa, OFM, Petrópolis, RJ).

do canto na igreja, as suas de­lí­cias foram sempre aprender, en­sinar e escrever. († 735).  Ver páginas 67-82: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Beda

São Gre­gório VII (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa, que antes abra­çara a vida mo­nás­tica com o nome de Hil­de­brando e foi vá­rias vezes le­gado dos papas do seu tempo para a obra da re­forma da Igreja; ele­vado à cá­tedra de Pedro, rei­vin­dicou com grande au­to­ri­dade e for­ta­leza de alma a li­ber­dade da Igreja pe­rante os po­deres se­cu­lares e de­fendeu di­li­gen­te­mente a san­ti­dade do sa­cer­dócio. Por tudo isso, foi obri­gado a aban­donar Roma e morreu exi­lado em Sa­lerno, na Cam­pânia, re­gião da Itália. († 1085). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1085, o nascimento no céu de São Gregório VII, papa. Inicialmente monge beneditino em Roma, Hildebrando fez um estágio de três anos em Cluny, durante o abaciado de Santo Hugo. Voltou para a Itália com o papa alsaciano São Leão IX, recentemente eleito, que o nomeou abade de São Paulo-Fora-dos- Muros. Elevado mais tarde ao trono de São Pedro, Gregório VII lançou um grande plano de reformas da Igreja, para libertá-la dos abusos internos, assim como do jugo imperial. Henrique IV da Alemanha pareceu ceder em Canossa, mas reagiu, exilando o papa. (R)

 Ver páginas 174-196: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Greg%C3%B3rio_VII

Santa Maria Ma­da­lena de Pázzi (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem da Ordem das Car­me­litas, que, em Flo­rença, também na Itália, levou uma vida oculta em Cristo, con­sa­grada à oração e ab­ne­gação, re­zando as­si­du­a­mente pela re­forma da Igreja; re­cebeu de Deus muitos dons ex­tra­or­di­ná­rios e di­rigiu sa­bi­a­mente as suas irmãs no ca­minho da perfeição. († 1607). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1607, Santa Maria Madalena de Pazzi, carmelita de Florença, que ofereceu sua vida a Deus para obter a renovação espiritual da Igreja. Abençoada com graças místicas, deu o melhor de si mesma na fidelidade cotidiana aos três votos de sua profissão religiosa. (M). Ver também páginas 239-251: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Madalena_de_Pazzi

4.   Em Atella, na Cam­pânia, também re­gião da Itália, São Ca­nião, bispo e mártir. († s. III/IV)

5.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração de São Di­o­nísio (ou São Dinis) bispo, que, por causa da fé ca­tó­lica, foi ex­pulso pelo im­pe­rador ariano Cons­tâncio para a Ar­ménia, onde morreu com o glo­rioso tí­tulo de mártir. († c. 361). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 361, São Dionísio, ou Dinis, primeiro sucessor de São Protásio na Sé de Milão. Durante seu curto episcopado de quatro anos, mostrou firme apego à fé ortodoxa (M). Ver páginas 199-200: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

6.   Em Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, também re­gião da Itália, São Ze­nóbio, bispo. († s. IV/V). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, São Zenóbio, bispo, eleito para o serviço da Igreja de Florença; e no séc. VI, São Legato, abade nos arredores de Troyes (M).

7.   No ce­nóbio de Men­tenay, junto a Troyes, na Gália, hoje na França, São Leão, abade. († s. VII)

8.   Na In­gla­terra, Santo Adelmo (Aldelmo), bispo, homem cé­lebre pela sua dou­trina e seus es­critos, que, de­pois de ter sido abade do mos­teiro de Mal­mes­bury, foi or­de­nado pri­meiro bispo de Sher­borne, entre os Sa­xões ocidentais. († 709). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Inglaterra, no ano do Senhor de 709, Santo Adelmo, monge beneditino que foi abade de Malmesbury antes de se tornar bispo de Sherborne. (M). Ver página 203: Santo Audelmo:

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Adelmo

9*.   Em Peñalba de San­tiago, no ter­ri­tório de As­torga, na Es­panha, São Ge­nádio, que pri­meiro foi abade e de­pois bispo desta sede; era con­se­lheiro real, mas, mo­vido pela nos­talgia do claustro, re­nun­ciou à dig­ni­dade epis­copal e passou o resto da sua vida como monge e, por vezes, eremita. († c. 925)

10*.   Em Vil­la­magna, junto de Flo­rença, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração do Beato Ge­rardo Mecátti, que, se­guindo com en­tu­si­asmo os passos de São Fran­cisco, dis­tri­buiu os seus bens pelos po­bres e, re­ti­rando-se para a so­lidão, por amor de Cristo se de­dicou a aco­lher os pe­re­grinos e so­correr os enfermos. († c. 1245)

11*.   Em Mon­te­santo, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, também re­gião da Itália, o pas­sa­mento de São Gério, que, de­pois de ter sido conde de Lunel, abraçou a vida de ere­mita e morreu du­rante uma santa peregrinação. († c. 1270). Ver páginas 204-205: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

12*.   Em Fa­enza, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, também na Itália, o Beato Tiago Filipe Ber­tóni (André), pres­bí­tero da Ordem dos Servos de Maria, in­signe pelo dom das lá­grimas e pro­funda humildade. († 1483)

13.   No Ton­quim, ac­tu­al­mente no Vi­etnam, São Pedro Doan Van Van, mártir, que sendo ca­te­quista e ad­mi­nis­trador da pa­ró­quia de Bau Nó, já oc­to­ge­nário con­firmou a cons­tância da sua fé, der­ra­mando o seu sangue no tempo do im­pe­rador Tu Duc. († 1857)

14.   Em Paris, na França, Santa Ma­da­lena Sofia Barat, virgem, que fundou a So­ci­e­dade do Sa­grado Co­ração de Jesus e tra­ba­lhou muito para a for­mação cristã das jovens. († 1865). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano de 1856, Santa Madalena-Sofia Barat. Nascida na diocese de Sens, fundou em Paris a congregação das Damas do Sagrado Coração de Jesus, especialmente destinada à educação das moças. Quando a santa morreu, após cinqüenta e nove anos de direção, deixou uma família religiosa próspera. (M). Ver páginas 206-209: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

15.   Em Munyongo, lo­ca­li­dade do Uganda, São Di­o­nísio Ssebuggwawo, mártir, que, aos de­zas­seis anos de idade, afir­mando ao rei Mwanga, du­rante um in­ter­ro­ga­tório, que en­si­nara a dois pa­gens da corte os ru­di­mentos da re­li­gião cristã, foi de­go­lado pelo pró­prio rei. († 1886)

16.   Em Ca­ta­tlan, no ter­ri­tório de Gua­da­la­jara, no Mé­xico, os santos Cris­tóvão Ma­gal­lanes e Agos­tinho Ca­loca, pres­bí­teros e már­tires, que, du­rante a per­se­guição me­xi­cana, con­fi­ando fir­me­mente em Cristo Rei, al­can­çaram a coroa do martírio. († 1927). Também em 21 de maio, “Santos Cris­tóvão de Magallanes (Cristóforo Magalhães, na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, e com­pa­nheiros, már­tires, que, em vá­rias re­giões do Mé­xico, per­se­guidos em ódio ao nome cristão e à Igreja ca­tó­lica, por terem pro­fes­sado a fé em Cristo Rei, al­can­çaram a coroa do martírio. Seus nomes: Romão Adame, Ro­drigo Aguilar, Júlio Ál­varez, Luís Batis Sáinz, Agos­tinho Ca­loca Cortés, Ma­teus Correa, Ati­lano Cruz, Mi­guel de la Mora, Pedro Es­queda Ra­mírez, Mar­ga­rido Flores, José Isabel Flores, David Galván, Pedro Mal­do­nado, Jesus Méndez, Jus­tino Orona, Sabas Reyes, José Maria Ro­bles, To­ríbio Romo, Ja­nuário Sán­chez Del­ga­dillo, Tran­qui­lino Ubi­arco e David Uribe, pres­bí­teros; e Ma­nuel Mo­rales, Sal­vador Lara Pu­ente e David Roldán Lara, leigos. († 1927).”. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Crist%C3%B3v%C3%A3o_de_Magalh%C3%A3es

– Ver também: https://pt.qwe.wiki/wiki/Crist%C3%B3bal_Magallanes_Jara

– Ver ainda: http://www.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/homilies/2000/documents/hf_jp-ii_hom_20000521_canonizations.html

17*.   No campo pri­si­onal de Javas, po­vo­ação da Mol­dávia, o Beato Ni­colau Cehelskyj, pres­bí­tero e mártir, que, sob um re­gime per­se­guidor da re­li­gião, venceu com a for­ta­leza da fé os tor­mentos do martírio. († 1951)

18. São Mauxo e São Venerando, mártires. Ver páginas 201-202: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

19. Outros santos do dia 25 de maio: páginas: 174-210 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 25 de maio, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/25_de_maio

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 421-424:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! Querida Mãe Maria, protegei-nos! São José, Anjos e Santos, intercedei por nós! Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA. SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 24 de maio

* NOSSA SENHORA AUXÍLIO DOS CRISTÃOS OU NOSSA SENHORA AUXILIADORA (também na Folhinha do Coração de Jesus). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Festa de Nossa Senhora, Auxílio dos Cristãos, titular de algumas dioceses brasileiras.

– Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_Auxiliadora

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_Auxiliadora

– Ver: https://noticias.cancaonova.com/brasil/conheca-a-historia-de-devocao-a-nossa-senhora-auxiliadora/

– Ver também: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-maria-auxiliadora/16/102/

– Ver: https://www.youtube.com/watch?v=RnZDNP9Jcf4

Ver “Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora da Vitória e Nossa Senhora Auxílio dos cristãos”: https://www.youtube.com/watch?v=EmQjcSTwsgQ

– Ver: https://www.youtube.com/watch?v=RZ_AuXbXP08

*NOSSA SENHORA DA ESTRADA (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver “O 24 de maio é comemorado a Nossa Senhora da Estrada, padroeira da Companhia de Jesus e para quem Santo Inácio de Loyola e os outros fundadores da Companhia orou em Roma. Seu dia comemorativo ajuda lembrar a todos os jesuítas que são peregrinos que, como Santo Inácio, pedir-lhe que “mostra o caminho para o Deus.””: http://www.flacsi.net/informaciones/companhia-de-jesus-quem-era-nossa-senhora-da-estrada-para-o-santo-inacio/

– Ver também: http://www.terraboa.blog.br/2017/05/24mai-nossa-senhora-da-estrada.html

– Ver: https://www.youtube.com/watch?v=jCK4dyjE3Rw

– Ver: https://www.youtube.com/watch?v=eZ-xG79iNH4

1.   Co­me­mo­ração de São Má­naen, irmão co­laço do te­trarca He­rodes, que foi doutor e pro­feta na Igreja de An­ti­o­quia, sob a graça do Novo Testamento.

2.   Co­me­mo­ração da Beata Joana, es­posa de Cuza, pro­cu­rador de He­rodes, que, jun­ta­mente com ou­tras mu­lheres, ser­viam Jesus e os Após­tolos con­forme as suas pos­si­bi­li­dades e no dia da Res­sur­reição do Se­nhor en­con­trou a pedra do tú­mulo re­mo­vida e foi anunciá-lo aos discípulos.

3.   Em Listra, na Li­caónia, na ac­tual Tur­quia, São Zoelo, mártir. († s. II)

4.   Em Tri­este, na Ís­tria, hoje no Friúli-Ve­nézia Giúlia, re­gião da Itália, São Sér­vulo, mártir. († data inc.)

5.   Em Nantes, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, os santos ir­mãos Do­na­ciano e Ro­ga­ciano, már­tires, dos quais, se­gundo a tra­dição, o pri­ meiro tinha re­ce­bido o Bap­tismo, en­quanto o se­gundo ainda era ca­te­cú­meno; na hora ex­trema do com­bate, Do­na­ciano beijou o irmão e orou a Deus para que ele, que não tinha po­dido tingir-se na sa­grada fonte bap­tismal, me­re­cesse ser as­per­gido na cor­rente do seu sangue. († c. 304). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Em Nantes, no séc. III, os Bem-Aventurados Donaciano e Rogaciano. Em seu calabouço, Donaciano rezava assim por seu irmão, que ainda era catecúmeno: “Senhor Jesus Cristo, que a fé pura de Rogaciano sirva-lhe de batismo, e se o prefeito, perseverando em seu projeto, nos fizer morrer amanhã, que o sangue derramado de Rogaciano seja-lhe como a unção do Santo Crisma”. (M). Ver páginas 167-171: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

6.   Co­me­mo­ração dos santos trinta e oito mártires, que, se­gundo a tra­dição, foram de­ca­pi­tados em Fi­li­pó­polis, na Trácia, hoje Plovdiv, na ac­tual Bul­gária, no tempo de Di­o­cle­ciano e Maximiniano. († c. 304)

7.   No mos­teiro de Lé­rins, na Pro­vença, ac­tu­al­mente na França, São Vi­cente, pres­bí­tero e monge, muito ilustre pela dou­trina cristã e san­ti­dade de vida e di­li­gen­te­mente de­di­cado ao pro­gresso das almas na fé. († c. 450). Conforme  Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, São Vicente, monge de Lérins, que ficou célebre na história da Teologia por sua doutrina sobre a Tradição, em que afirma que “a inteligência da fé e a formulação dogmática devem progredir na Igreja com o tempo, mas exclusivamente no mesmo sentido e na mesma crença”. (M). Ver páginas 145-165: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

8.   No monte Ad­mi­rável, na Síria, São Si­meão Es­ti­lita o Jovem, pres­bí­tero e ana­co­reta, que viveu sobre uma co­luna em união com Cristo, compôs vá­rios tra­tados sobre a vida as­cé­tica e foi do­tado de grandes dons carismáticos. († 592)

9*.   Em Pi­a­cenza, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o Beato Fi­lipe, da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que, para mais se­ve­ra­mente se mor­ti­ficar na carne, usava uma cou­raça de ferro. († 1306)

10*.   Em Mar­rocos, o Beato João de Prado (ou João do Prado), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que foi en­viado para a África, a fim de prestar au­xílio es­pi­ri­tual aos cris­tãos re­du­zidos à es­cra­vidão nos reinos dos in­fiéis; mas tendo sido preso, con­fessou vi­go­ro­sa­mente a sua fé em Cristo pe­rante o ti­rano Molay al-Walid, por ordem do qual so­freu o mar­tírio na fogueira. († 1631). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1631, a paixão do Bem-Aventurado João do Prado, franciscano. Tentou restaurar a missão no Marrocos, mas foi preso alguns meses depois de sua chegada a Marrakesh, onde foi condenado à fogueira. (M). Ver página 166: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

11.   Em Seul, na Co­reia, os santos már­tires Agos­tinho Yi Kwang-hon, em cuja casa se lia a Sa­grada Es­cri­tura, Águeda Kim A-gi, mãe de fa­mília, que re­cebeu o Bap­tismo no cár­cere, e sete com­pa­nheiros, que foram todos de­go­lados pela sua fé em Cristo. São estes os seus nomes: Da­mião Nam Myong-hyog, ca­te­quista; Ma­da­lena Kim O-bi, Bár­bara Han A-gi, Ana Pak A-gi, Águeda Yi So-sa, Lúcia Pak Hui-sun, Pedro Kwon Tu-gin. († 1839)

12.   Em Saint-Hya­cinte, ci­dade do Ca­nadá, o Beato Luís Ze­fe­rino Moreau, bispo, que, nas suas múl­ti­plas ac­ti­vi­dades pas­to­rais, tinha sempre a in­tenção de sentir-se ar­den­te­mente unido com a Igreja. († 1901)

13. Santa Marta, viúva. Ver pág. 172: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf  

14. Santa Sara Kali. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Santa_Sara_Kali

– Ver também: http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/santa-sara-kali

15. Outros santos do dia 24 de maio: páginas: 145-173 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 24 de maio, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/24_de_maio

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 419-421:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! Querida Mãe Maria, protegei-nos! São José, Anjos e Santos, intercedei por nós! Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA. SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 23 de maio

Aparição de Nossa Senhora de Laus emDauphiné, sul da França. Ver páginas 134-135: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: https://virgemimaculada.wordpress.com/2011/09/07/as-aparicoes-de-nossa-senhora-de-laus/

– Ver ainda: https://www.a12.com/academia/titulos-de-nossa-senhora/nossa-senhora-de-laus

– Ver: https://www.paieterno.com.br/2019/08/30/nossa-senhora-de-lVaus-a-importancia-dos-sacramentos/

– Ver ainda: https://www.youtube.com/watch?v=pezKPTbUetk

–  Ver: http://www.sanctuaire-notredamedulaus.com/

–  Ver: https://pt.zenit.org/articles/franca-reconhecidas-oficialmente-aparicoes-de-nossa-senhora-de-laus/

1.   Em Car­tago, na ac­tual Tu­nísia, os santos Lúcio, Mon­tano, Ju­lião, Vi­to­rico, Vítor e Do­na­ciano, már­tires, que, no tempo do im­pe­rador Va­le­riano, por con­fes­sarem a re­li­gião e a fé que apren­deram de São Ci­priano, con­su­maram o martírio. († c. 259)

2.   Co­me­mo­ração dos santos már­tires da Capadócia, hoje na Tur­quia, que, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Ma­xi­miano, mor­reram ao serem-lhes que­bradas as pernas. († 303)

3.   Co­me­mo­ração dos santos már­tires da Mesopotâmia, que, no mesmo tempo, sus­pensos com os pés para cima e a ca­beça para baixo, foram su­fo­cados pelo fumo e quei­mados a fogo lento. († 303)

4.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, re­gião da Itália, Santo Efebo, bispo, que go­vernou san­tis­si­ma­mente e serviu fi­el­mente o povo de Deus. († s. IV)

5.   Em Lan­gres, na Gália Li­o­nense, na ac­tual França, a paixão de São De­si­dério, bispo, que, se­gundo a tra­dição, ao ver como o seu povo era opri­mido pelos Vân­dalos, foi ao en­contro do rei vân­dalo para su­plicar pelo povo; mas, por ordem do rei foi ime­di­a­ta­mente de­go­lado, ofe­re­cendo-se assim vo­lun­ta­ri­a­mente pelo re­banho que lhe es­tava confiado. († c. 355). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 407, a paixão de São Desidério, bispo de Langres. Vendo os males causados a seu povo pelos vândalos, foi até o rei deles para convencê-lo a agir com mais humanidade, Mas aquele mandou que o degolassem imediatamente, e Desidério ofereceu de bom grado a  vida por seu rebanho, (M)

6.   No ter­ri­tório de Nórcia, na Úm­bria, re­gião da Itália, Santo Eu­tí­quio, abade, que, se­gundo narra o papa São Gre­gório Magno, pra­ticou vida so­li­tária jun­ta­mente com São Flo­rêncio, con­duziu muitos a Deus com a sua exor­tação e de­pois go­vernou san­ta­mente o mos­teiro próximo. († c. 487)

7.   Também em Nórcia, Santo Es­pe­rança ou Exu­pe­râncio, abade, que du­rante qua­renta anos su­portou a ce­gueira com ad­mi­rável paciência. († c. 517)

8*.   Em Su­biaco, no Lácio, também re­gião da Itália, a co­me­mo­ração de Santo Ho­no­rato, abade, que pre­sidiu ao ce­nóbio onde antes vi­vera São Bento. († s. VI f.)

9*.   Em Nice, na Pro­vença, re­gião da ac­tual França, São Siá­grio, bispo, que edi­ficou um mos­teiro junto do tú­mulo de São Pôncio. († 787)

10.   Em Sí­nada, na Frígia, hoje Ci­fit­ka­saba, na Tur­quia, São Mi­guel (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, homem pa­cí­fico, que pro­moveu a paz e a con­córdia entre os Gregos e os La­tinos; mas, exi­lado por causa do culto das sa­gradas ima­gens, morreu longe da sua pátria. († 826). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IX, São Miguel, metropolita de Sinádia, na Frigia, Um dos principais personagens da Igreja do Oriente de seu tempo, foi mandado em missão a Anchen e a Roma, onde a união entre gregos e latinos foi solenemente proclamada. (M)

11*.   Em Gem­bloux, no ter­ri­tório de Liège, na Lo­ta­ríngia, hoje na Bél­gica, o se­pul­ta­mento de São Gui­berto, monge, que, aban­do­nando a car­reira mi­litar e abra­çando a vida mo­nás­tica, cons­truiu um mos­teiro nas terras da sua he­rança, se­guindo ele a vida mo­nás­tica em Gorze, na Lotaríngia. († 962). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. X, a volta para Deus de São Guiberto, Renunciando ao serviço das armas, fundou em suas terras de Gembloux, na região de Namur, um mosteiro do qual se tornou abade, e que acabou por filiar-se à abadia de Gorze, na Lorena. (X). Ver páginas 137-139: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

12.   Em Roma, São João Bap­tista de Róssi (também na Folhinha do Coração de Jesus; no Martirológio Romano-Monástico, São Batista de Rossi), pres­bí­tero, que aco­lheu todo o gé­nero de in­di­gentes e aban­do­nados e lhes en­sinou a sa­grada doutrina. († 1764). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1764, São Batista de Rossi. Padre originário de Gênova, exerceu o ministério em Roma, no meio dos pobres e dos prisioneiros, aos quais consagrou todos os seus recursos e a maior parte de seu tempo. (M). Ver págs. 140-141: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf 

13*.   Em Wi­towo, na Po­lónia, os be­atos José Kurzawa e Vi­cente Matuszewski, pres­bí­teros e már­tires, que, du­rante a ocu­pação da sua pá­tria por uma po­tência es­tran­geira, foram mortos pelos ini­migos da Igreja. († 1940)

14. Santo Epitácio, na Folhinha do Coração de Jesus

15. No Martirológio Romano-Monástico, perto de 606, São Desidério, bispo de Vienne, no Dauphiné, apedrejado por ordem do rei Teodorico, a quem havia reprovado os costumes desregrados (M). Ver pág. 136: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Itália Setentrional, no séc. V, São Mercurial, primeiro bispo de Forli, que fez brilhar a luz verdadeira da fé (M).

17. O Bem-Aventurado Crispim de Viterbo. Ver páginas 131-133: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

18. São Guilherme de Rochester, mártir. Ver págs. 142-143: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf  

19. São Basílio de Braga. Ver:https://pt.wikipedia.org/wiki/Bas%C3%ADlio_de_Braga

20. Outros santos do dia 23 de maio: páginas: 131-144 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 23 de maio, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/23_de_maio

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 417-419:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver! Querida Mãe Maria, protegei-nos! São José, Anjos e Santos, intercedei por nós! Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA. SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 22 de maio

Santa Rita de Cássia (também na Folhinha do Coração de Jesus), re­li­giosa, que, ca­sada com um es­poso vi­o­lento, su­portou pa­ci­en­te­mente a sua cru­el­dade e o re­con­ci­liou com Deus; de. ­pois de ter per­dido o es­poso e os fi­lhos, in­gressou no mos­teiro de Santo Agos­tinho em Cássia, na Úm­bria, dando a todos, exemplo su­blime de pa­ci­ência e compunção. († a. 1457). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Úmbria, Santa Rita de Cássia. Camponesa, casada com um homem dissoluto e violento, que acabou morrendo assassinado. Obteve de seus dois filhos que não praticassem nenhuma vingança. Esta graça, alcançada pela oração e por penitência, fez dela a “Santa dos impossíveis”. (M). Ver páginas 118-120: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Rita_de_C%C3%A1ssia

– Ver também: https://www.saintritashrine.org/life-of-saint-rita/

– Ver: https://st-rita.org/the-story-of-st-rita-of-cascia/

2.   Na África Se­ten­tri­onal, os santos Casto (ou Vasto também na Folhinha do Coração de Jesus) e Emílio, már­tires, que con­su­maram a sua paixão quei­mados pelo fogo. Como es­creve São Ci­priano, a estes santos, ven­cidos no pri­meiro em­bate dos ini­migos da fé, o Se­nhor tornou-os ven­ce­dores no se­gundo com­bate, de modo que, se antes ce­deram pe­rante o fogo, fi­nal­mente foram mais fortes que o fogo. († 203). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na África, no séc. III, os Santos Vasto e Emílio, martirizados pelo fogo. São Cipriano relata que, vencidos em seu primeiro combate, o Senhor os fez triunfar em seguida, transformando sua fraqueza humana pelo poder da graça. (M)

3.   Em Co­mana, no Ponto, hoje Gu­menek, na Tur­quia, São Ba­si­lisco, bispo e mártir. († s. IV)

4.   Na ilha da Cór­sega, re­gião da França, a co­me­mo­ração de Santa Júlia, virgem e mártir. († data inc) Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Santa Júlia, jovem cristã africana. Aprisionada pelos muçulmanos durante uma invasão, foi crucificada na Córsega, da qual se tornou a padroeira celeste (M). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/J%C3%BAlia,_m%C3%A1rtir_de_Cartago

5*.   Em Aire-sur-l’Adour, na Aqui­tânia, hoje na França, Santa Qui­teria, virgem. († data inc) . Conforme o Martirológio Romano-Monástico, filha de um príncipe da Galícia espanhola, Santa Quitéria, (também na Folhinha do Coração de Jesus) recebeu o martírio em Aire-Sur-Adour. Seu culto permaneceu popular na Espanha e no sul da França, onde várias igrejas lhe são dedicadas (M). Ver págs. 121-122: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Quit%C3%A9ria_de_Br%C3%A1cara_Augusta

6.   Em An­gou­lême, também na Aqui­tânia, Santo Au­sónio, con­si­de­rado o pri­meiro bispo desta cidade. († s. IV/V)

7*.   Em Li­moges, na mesma re­gião da Aqui­tânia, São Lopo  (ou Lobo), bispo, que aprovou a fun­dação do mos­teiro de Solignac. († 637)

– Ver páginas 125-126: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

8*.   Em Parma, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, São João, abade, que, se­guindo os con­se­lhos de São Maiolo de Cluny, con­tri­buiu com muitas ori­en­ta­ções para pro­mover a ob­ser­vância re­li­giosa no seu mosteiro. († s. X)

9.   Em Pis­tóia, na Etrúria, hoje na Tos­cana, também re­gião da Itália, Santo Atão, bispo, que, de­pois de ter sido abade da Ordem de Va­lum­brosa, foi eleito para a sede epis­copal de Pistóia. († c. 1153). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, No ano de 1155, Santo Aton (ou Atão), abade beneditino de Valumbrosa. Redigiu a biografia de São João Gualberto, e mais tarde foi nomeado bispo de Pistóia, na Toscana. (M)

10*. Em Flo­rença, também na Etrúria, hoje na Tos­cana, a Beata Hu­mil­dade (Ro­sana), que, com a anuência do es­poso, viveu re­clusa du­rante doze anos, e de­pois, a pe­dido do bispo, edi­ficou um mos­teiro, do qual foi aba­dessa e que as­so­ciou à Ordem de Valumbrosa. († 1310)

-Ver págs. 127-128: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

11*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato João Forest, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que, no rei­nado de Hen­rique VIII, por de­fender a uni­dade ca­tó­lica, so­freu o mar­tírio na praça de Smith­field, onde foi quei­mado vivo jun­ta­mente com as ima­gens sa­gradas de madeira. († 1538)

12*.   Em Kori, ci­dade do Japão, os be­atos Pedro da Assunção, da Ordem dos Frades Me­nores, e João Bap­tista Machado, da Com­pa­nhia de Jesus, pres­bí­teros e már­tires, que, por exer­cerem o mi­nis­tério clan­des­ti­na­mente, foram de­ca­pi­tados em ódio à fé cristã. († 1617)

13*.   Em Omura, também no Japão, o Beato Ma­tias de Arima, mártir, que era ca­te­quista e, por não querer de­nun­ciar um mis­si­o­nário, foi tor­tu­rado até à morte. († 1620)

14*.   No Aname, no ac­tual Vi­etnam, São Mi­guel Ho Dinh Hy, mártir, um man­darim, membro da casa im­pe­rial e ca­te­quista, que, de­nun­ciado por ser cristão, foi atroz­mente tor­tu­rado e fi­nal­mente decapitado.(† 1857)

15.   Em An-Xá, ci­dade do Ton­quim, também no ac­tual Vi­etnam, São Do­mingos Ngon, mártir, pai de fa­mília e agri­cultor, que se ajo­e­lhou e adorou a cruz que os sol­dados lhe ti­nham or­de­nado calcar e, tendo pro­fes­sado in­tre­pi­da­mente di­ante do juiz a sua fé cristã, ime­di­a­ta­mente foi degolado. († 1862)

16*.   Em Lucca, na Tos­cana, re­gião da Itália, a Beata Maria Do­mingas Brun Barbantíni, re­li­giosa, que fundou a Con­gre­gação das Irmãs Mi­nis­tras dos En­fermos de São Camilo. († 1868)

17. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 127, São Marciano, bispo de Ravena, que apesar da perseguição, por seu zelo conseguiu aumentar o número de cristãos. (M)

18. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Romão, abade, que deu vida a uma comunidade monástica na região de Auxerre. (M). Ver págs. 123-124: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

19. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. XII, São Folco (ou Fulco), que, de volta da Cruzada, levou vida solitária perto de Aquino, no Lácio. (M)

20. Outros santos do dia 21 de maio: páginas: 118-130 (vol.09): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 22 de maio, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/22_de_maio

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 414-416:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA. SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS! MUITO OBRIGADO!