Santas e Santos de 25 de abril

OBSERVAÇÃO PARA 25 DE ABRIL: As grandes Litânias.

Ver páginas: 253-254: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Litania

– Ver ainda: as “Estações Romanas” e a Litânia septiformis de São Gregório Magno“ de 25 de abril:  “Assim, originaram as “Estações” romanas, e o que foi chamado de “Litania Major”, ou “Romana”. Foi realizada em 25 de abril, dia em que os pagãos (pagãos) celebraram o festival de Robigalia, cuja principal característica era uma procissão. A litania cristã que a substituiu partiu da igreja de S. Lorenzo, em Lucina, ocupou uma estação em S. Valentino, Fora dos Muros, e depois na Ponte Milviana. Dali, em vez de seguir o Caminho Claudiano, como os pagãos (pagãos) haviam feito, virou à esquerda em direção ao Vaticano, parou em uma cruz, da qual o local não é dado, e novamente no paraíso ou átrio de São Pedro e, finalmente, na própria basílica, onde ficava a estação (Duchesne, 288). 

Em 590, quando uma pestilência causada por um transbordamento do Tibre devastou Roma , Gregório Magno comandou uma litania que é chamada “Septiformis”; no dia anterior, exortou o povo a fervorosa oração e organizou a ordem a ser observada na procissão, a saber, que o clero de S. Giovanni Battista, os homens de S. Marcello, os monges da SS. Giovanni e Paolo, as mulheres solteiras da SS. Cosma e Damiano, as mulheres casadas de San Stefano, as viúvas de S. Vitale, os pobres e os filhos de S. Cæcilia, todos se encontrariam em S. Maria Maggiore”:   https://www.newadvent.org/cathen/09286a.htm

– Ver também: curiosidade sobre São Gregório Magno e o corona vírus do seu tempo: http://centrodombosco.org/2020/03/13/sao-gregorio-magno-e-o-corona-virus-do-seu-tempo/

– Ver ainda: Regina Coeli e São Gregório Magno: https://blog.cancaonova.com/tododemaria/a-historia-da-composicao-do-hino-regina-caeli/

– ainda: https://blog.cancaonova.com/tododemaria/a-historia-da-composicao-do-hino-regina-caeli/

Festa de São Marcos, Evan­ge­lista (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, de­pois de ter acom­pa­nhado São Paulo no seu apos­to­lado em Je­ru­salém, se­guiu os passos de São Pedro, por ele cha­mado filho, e, se­gundo a tra­dição, reuniu no Evan­gelho a ca­te­quese de São Pedro aos Ro­manos e fundou a Igreja de Alexandria. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Festa de São Marcos, Evangelista. Acompanhou São Paulo e seu primo Barnabé por ocasião de sua primeira viagem missionária a Chipre. Depois acompanhou o Apóstolo durante seu cativeiro em Roma. Os testemunhos mais antigos o apresentam como intérprete da catequese de São Pedro e como o pregador da Boa Nova no Egito. Suas relíquias, trazidas para Veneza no séc. IX, foram parcialmente restituídas ao Patriarca de Alexandria pelo Papa Paulo VI, como sinal do desejo de comunhão entre a Igreja Romana e a Igreja Copta. (R).

Ver páginas 244-252: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Marcos,_o_Evangelista

2.   Co­me­mo­ração de Santo Aniano, bispo de Ale­xan­dria, no Egipto, que, se­gundo o tes­te­munho de Eu­sébio, no oi­tavo ano do im­pe­rador Nero, foi o pri­meiro bispo desta ci­dade de­pois de São Marcos e a di­rigiu du­rante vinte e dois anos, como homem de Deus e em todos os sen­tidos admirável. († c. 67). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Igualmente, Santo Aniano, primeiro sucessor de São Marcos na Sé apostólica de Alexandria, homenageado por diversos santos bispos e doutores da Igreja. (M). Ver páginas 255-256: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Aniano_de_Alexandria

3.   Em Do­rós­toro, na Mésia, hoje Si­listra, na Bul­gária, os santos Pa­sí­crates e Va­len­ciano, már­tires, que, pela con­fissão da fé em Cristo como único Deus, sub­me­teram co­ra­jo­sa­mente a ca­beça à es­pada. († c. 302)

4.   Em Agen, na Aqui­tânia, hoje na França, São Fe­bádio, bispo, que es­creveu um livro contra os ari­anos e pro­tegeu o seu povo da heresia. († c. 393)

5.   Em An­ti­o­quia, na Síria, hoje An­takya, na Tur­quia, Santo Es­têvão, bispo e mártir, que so­freu muitos ata­ques dos he­reges que se opu­nham ao Con­cílio de Cal­ce­dónia e, no tempo do im­pe­rador Zenão, foi pre­ci­pi­tado no rio Orontes, onde morreu afogado. († 479). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 479, o martírio de Santo Estêvão, bispo de Antioquia, que morreu no altar pelas mãos dos eutiquianos, por ter confessado a Cristo como verdadeiro Deus e verdadeiro homem. (M). Ver páginas 257-258: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

6.   Em Vi­enne, na Bor­gonha, na ac­tual França, São Cla­rêncio, bispo. († s. VII)

7.   Em Lobbes, no Bra­bante da Aus­trásia, no ter­ri­tório da ac­tual Bél­gica, Santo Er­mino, abade e bispo, in­ten­sa­mente apli­cado à oração e do­tado do es­pí­rito de pro­fecia, que su­cedeu a Santo Usmaro. († 737). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VIII, Santo Hermínio. Depois de brilhantes estudos feitos na escola de Laon, entrou na abadia de Lobbes. Sua sabedoria maravilhou Santo Ursmério, que induziu seus monges a escolhê-lo como seu sucessor à frente daquele mosteiro, destinado a tornar-se um dos centros intelectuais mais intensos da Bélgica. (M). Ver páginas 260-262: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

8*.   Em Pi­a­cenza, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, Santa Franca, aba­dessa, que de­cidiu en­trar na Ordem Cis­ter­ci­ense e pas­sava fre­quen­te­mente toda a noite em oração na pre­sença de Deus. († 1218)

9*.   Em Aosta, nos Alpes Graios, ac­tu­al­mente na Itália, o Beato Bo­ni­fácio Val­perga, bispo, in­signe pela sua ca­ri­dade e humildade. († 1243)

10*.   Na ilha de Wight, na In­gla­terra, os be­atos Ro­berto Anderton e Gui­lherme Marsden, pres­bí­teros e már­tires, que foram con­de­nados à morte, na per­se­guição da rainha Isabel I, por terem en­trado, em­bora por nau­frágio, como sa­cer­dotes na In­gla­terra e acei­taram com fir­meza e paz de alma o martírio. († 1586)

11.   Em An­tígua, pró­ximo da ci­dade de Gua­te­mala, na Amé­rica Cen­tral, São Pedro de São José Betancur, irmão da Ordem Ter­ceira de São Fran­cisco, que, sob o pa­tro­cínio de Nossa Se­nhora de Belém, se de­dicou ar­du­a­mente a so­correr os ór­fãos, os men­digos, os jo­vens in­cultos e re­jei­tados, os emi­grantes e os con­de­nados a tra­ba­lhos forçados. († 1667). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Pedro_de_Betancur

12.   Em Re­me­dello, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Bréscia, na Itália, São João Piamarta, pres­bí­tero, que, en­fren­tando graves ad­ver­si­dades, fundou em Bréscia o Ins­ti­tuto dos Pe­quenos Ar­te­sãos e, nas pro­xi­mi­dades de uma co­lónia agrí­cola, para que os jo­vens re­ce­bessem uma edu­cação re­li­giosa e a apren­di­zagem de um ofício, fundou também a Con­gre­gação da Sa­grada Fa­mília de Nazaré. († 1913). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Giovanni_Battista_Piamarta

13♦.   Em Gua­nato, no Mé­xico, os be­atos már­tires André Solá y Molist, pres­bí­tero Cla­re­tiano, José Trin­dade Rangel Montano, pres­bí­tero, e Le­o­nardo Pérez Lários. († 1927)

14. São Macedônio II de Constantinopla. Ver página 259: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

15. Em Siracusa, os santos mártires Evódio (também na Folhinha do Coração de Jesus) Hermógenes e Calista (também na Folhinha do Coração de Jesus), em 304. Ver página  262 :

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

16. Outros santos do dia 25 de abril: págs: 244-262 (vol.07):   http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 25 de abril, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/25_de_abril

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 351-353:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.