Santas e Santos de 25 de julho

Festa de São Tiago (também na Folhinha do Coração de Jesus), Após­tolo, filho de Ze­bedeu e irmão de São João Evan­ge­lista, que, com Pedro e João foi tes­te­munha da trans­fi­gu­ração do Se­nhor e da sua agonia. Pró­ximo da festa da Páscoa, de­ca­pi­tado por He­rodes An­tipas, foi o npri­meiro dos Após­tolos a re­ceber a coroa do martírio. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa de São Tiago Maior, Apóstolo. Com Pedro e seu irmão João foi testemunha privilegiada da Transfiguração e da agonia do Senhor. Segundo os Atos dos Apóstolos, foi o primeiro dentre os doze a oferecer a vida pelo Evangelho, perto da Páscoa de 44. São Tiago, especialmente venerado em Compostela por toda a cristandade, é o padroeiro da Espanha. Ver páginas 313-339: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Santiago_Maior

2.   Em Lícia, na ac­tual Tur­quia, São Cris­tóvão (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, São Cristóvão, martirizado em meados do séc. II. Seu culto é comprovado desde o séc. V, na Bitínia, onde uma basílica lhe foi dedicada. Seu nome, que significa “o que carrega Cristo”, designou-o como protetor de todos aqueles que utilizam meios de transporte. (M). Ver páginas 341-343: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Crist%C3%B3v%C3%A3o_da_L%C3%ADcia

3.   Em Bar­ce­lona, na His­pânia Tar­ra­co­nense, São Cu­cu­fate, mártir, que, tres­pas­sado por uma es­pada du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano, subiu vi­to­rioso para ao Céu. († s. IV). Ver São Cocufás, mártir à página 340: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cucufate_(santo)

4.   Em Ce­sa­reia, na Pa­les­tina, os santos Va­len­tina (também na Folhinha do Coração de Jesus), Teia e Paulo, már­tires na per­se­guição do im­pe­rador Ma­xi­miano, sob a pre­fei­tura de Fir­mi­liano. A virgem Va­len­tina, de­pois de ter der­ru­bado a ara le­van­tada para os ídolos pa­gãos, jun­ta­mente com a virgem Teia, so­freu cruéis tor­turas e, lan­çada ao fogo, correu ao en­contro do Es­poso. Paulo, con­de­nado à morte, tendo con­se­guido um breve tempo para orar, im­plorou de todo o co­ração a sal­vação de todos e, de­ca­pi­tado, re­cebeu a coroa do martírio. († 308). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Palestina, no início do séc. IV, na Palestina, o martírio de São Paulo e das Santas Valentina e Téa, virgens. No momento de sua morte, Paulo “pediu a Deus a reconciliação e a liberdade para os cristãos. Implorou, a seguir, pela ascensão dos judeus a Deus por meio de Cristo. Finalmente, pediu ao Deus do universo que não considerasse a falta de seus carrascos”. (M)

5.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, o pas­sa­mento de Santa Olim­píades, viúva, que, tendo per­dido o es­poso ainda jovem, passou pi­e­do­sís­si­ma­mente o resto da sua vida em Cons­tan­ti­nopla entre as mu­lheres con­sa­gradas a Deus, aju­dando os po­bres e per­ma­neceu sempre fiel co­la­bo­ra­dora de São João Cri­sós­tomo, também no seu exílio. († 408)

6.   Em Tré­veris, na Re­nânia da Aus­trásia, na ac­tual Ale­manha, São Mag­ne­rico, bispo, que foi dis­cí­pulo de São Ni­cécio, fiel com­pa­nheiro no seu exílio e imi­tador do seu zelo pas­toral quando lhe su­cedeu no episcopado. († c. 596). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no fim do séc. VI, São Magnérico, bispo de Treves, que exerceu grande influência na corte da Austrásia e soube formar pastores de grande valor. (M). Ver página 344: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

7*.   Também em Tré­veris, os santos Beato e Banto, pres­bí­teros, que le­varam vida ere­mí­tica no tempo de São Magnerico. († s. VI-VII)

8*.   Em Metz, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, Santa Glo­de­sinda, abadessa. († s. VI). Ver Santa Glossinda, páginas 310-312: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

9.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, São Te­o­de­miro, monge de Car­mona e mártir ainda jovem du­rante a per­se­guição dos Mouros. († 851)

10*.   Em An­gers, na França, o Beato João So­reth, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas, que ele con­duziu a uma ob­ser­vância mais es­treita e dotou de con­ventos de monjas. († 1471)

11*.   Em Ca­me­rino, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, o Beato Pedro Cor­ra­dini de Molliano, pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, in­signe pela sua pre­gação evan­gé­lica, pelas suas vir­tudes e pela fama dos seus milagres. († 1490). Ver Bem-Aventurado Pedro de Mogliano, confessor, página 345: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf 

12*.   Em Sal­sete, na Índia, os be­atos már­tires Ro­dolfo Acquaviva, Afonso Pa­checo, Pedro Berna, An­tónio Fran­cisco, pres­bí­teros, e Fran­cisco Aranha, re­li­gioso, todos da Com­pa­nhia de Jesus, que foram mortos pelos in­fiéis por terem exal­tado a cruz. († 1583)

13*.   Em Bo­bino, na Apúlia, re­gião da Itália, o Beato An­tónio Lúcci, bispo, da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais, que res­plan­deceu pela sua emi­nente dou­trina e se de­dicou de tal modo a so­correr os po­bres que es­quecia as suas pró­prias necessidades. († 1752)

14*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Mi­guel Luís Brulard, pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, foi en­car­ce­rado em de­su­manas con­di­ções por ser sa­cer­dote e morreu con­su­mido pela en­fer­mi­dade. († 1794)

15*.   Em Ma­drid, na Es­panha, Santa Maria do Carmo Sallés y Barangueras, virgem, que fundou a Con­gre­gação das Irmãs da Ima­cu­lada Con­ceição, para a for­mação das mu­lheres pi­e­dosas e incultas. († 1911). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Carmen_Sall%C3%A9s_y_Barangueras

16♦.   Em Vera Cruz, no Mé­xico, o Beato Ân­gelo Dario Acosta Zurita, pres­bí­tero de Ve­ra­cruz (Mé­xico) e mártir. († 1931)

17*.   Em Urda, pró­ximo de To­ledo, na Es­panha, os be­atos már­tires Pedro do Co­ração de Jesus (Pedro Largo Re­dondo), pres­bí­tero e Bento de Nossa Se­nhora de Villar (Bento So­lano Ruiz), re­li­gi­osos da Con­gre­gação da Paixão, que, fu­zi­lados por causa da sua fé cristã du­rante a grande per­se­guição, al­can­çaram a palma do martírio. († 1936)

18.   Em Ta­la­vera de la Reina, pró­ximo de To­ledo, também na Es­panha, os be­atos már­tires Fre­de­rico (Carlos Fre­de­rico Rúbio Ál­varez), pres­bí­tero, Primo Mar­tínez de San Vi­cente Castillo, Je­ró­nimo Ochoa Ur­dan­garin e João da Cruz (Elói Fran­cisco Del­gado Pastor), re­li­gi­osos, todos da Ordem Hos­pi­talar de São João de Deus, que, na mesma per­se­guição, num jul­ga­mento su­mário, al­can­çaram a coroa de glória. († 1936)

19*.   Em Monzon, lo­ca­li­dade pró­xima de Hu­esca, também na Es­panha, o Beato Di­o­nísio Pam­plona Polo, pres­bí­tero da Ordem dos Clé­rigos Re­grantes das Es­colas Pias e mártir, as­sas­si­nado no mesmo tempo em ódio à fé cristã. († 1936)

20*.   Em Mo­tril, lo­ca­li­dade pró­xima de Gra­nada, no li­toral da Es­panha, os be­atos De­o­grá­cias Pa­lá­cios, Leão In­chausti, José Rada, Ju­lião Mo­reno, pres­bí­teros, e José Díez Rodríguez, re­li­gioso, todos mi­li­tantes de Cristo na Ordem dos Agos­ti­nhos Re­co­letos, que, na mesma per­se­guição, foram ines­pe­ra­da­mente cer­cados pela mul­tidão e ime­di­a­ta­mente fu­zi­lados na praça pública. († 1936)

21♦.   Em Al­godor, perto de Ma­drid, também na Es­panha, os be­atos José Luís Pa­lácio Muñiz e An­tónio Va­rona Ortega, pres­bí­teros; Hi­gínio Roldán Ir­ri­bérri e João Crespo Calleja, re­li­gi­osos, todos da Ordem dos Pre­ga­dores e mártires. († 1936)

22♦.   Em Mont­cada, lo­ca­li­dade da Ca­ta­lunha, também na Es­panha, os be­atos már­tires Ga­briel da Anunciação (Jaime Bal­cells Grau) e Edu­ardo do Me­nino Jesus (Ri­cardo Farré Masip), pres­bí­teros da Ordem dos Car­me­litas Des­calços, e com­pa­nheiros. São estes os seus nomes: José Bento (José Más Pu­jo­bras), Vi­cente Jus­tino (Vi­cente Fer­nández Cas­trillo) e Ar­noldo Ju­lião (Jesus João Otero), re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs; e Be­ne­dito José (José Bar­dalet Compte) e Ma­riano Leão (Santos López Mar­tínez), re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ir­mãos Maristas. († 1936)

23♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, o Beato José López Tascón, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir. († 1936)

24*.   No campo de con­cen­tração de Dzi­al­dowo, na Po­lónia, a beata Maria Te­resa Kowalska, virgem das Cla­rissas Ca­pu­chi­nhas e mártir, que, no tempo da ocu­pação da Po­lónia du­rante a guerra, foi en­car­ce­rada por per­se­verar firme na fé e es­perou o seu úl­timo dia for­ta­le­cida pela sua plena con­fi­ança em Cristo. († 1941)

25. Outros santos do dia 25 de JULHO, páginas: 310-347: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2013.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre o dia 25 de julho, ver ainda: https://pt.wikipedia.org/wiki/25_de_julho

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 574-578:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/