Santas e Santos de 10 de dezembro

NO VIDAS DOS SANTOS DE 10 DE DEZEMBRO, TRANSLAÇÃO (TRANSLADAÇÃO) DA SANTA CASA DE NAZARÉ. Ver páginas 168-189:  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2021.pdf  

Santa Casa de LoretoVer “… O Bem-aventurado Papa Pio IX escreveu na Carta Apostólica Inter Omnia, de 26 de agosto de 1852: “Entre todos os Santuários consagrados à Mãe de Deus, a Imaculada Virgem Maria, um se encontra no primeiro lugar e brilha com incomparável fulgor: a venerável e augustíssima Casa de Loreto… “Em Loreto venera-se aquela Casa de Nazaré, tão querida ao Coração de Deus, e que, fabricada na Galileia, foi mais tarde separada de suas bases e, pela força divina, trasladada além do mar, primeiro à Dalmácia e logo à Itália”… Por sua vez, o Sumo Pontífice Leão XIII escreveu no Breve Felix Nazarethana, de 23 de janeiro de 1894:“Compreendam todos, e em primeiro lugar os italianos, quão especial dom lhes foi concedido por Deus que, com suma providência, subtraiu prodigiosamente a Casa a um poder indigno [N.: refere-se aos muçulmanos] e com um expressivo ato de amor ofereceu-a a eles.”: Ciência confirma a Igreja: A transladação da Santa Casa de Nossa Senhora desde Nazaré até Loreto. Comprovações científicas surpreendentes. (cienciaconfirmaigreja.blogspot.com)

-Ver “O Santuário da Santa Casa de Loreto é um lugar de peregrinação católico situado no município italiano de Loreto. É considerado o mais importante da Itália. Foi construído perto da casa onde, segundo a tradição medieval, o Arcanjo Gabriel anunciou à Virgem…”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Santuário_da_Santa_Casa_de_Loreto

– Ver ainda: A Santa Casa de Loreto (padrepauloricardo.org)

SANTAS E SANTOS DE 10 DE DEZEMBRO

1. No DIRETÓRIO DA LITURGIA DA CNBB de 2020, DIA 10 DE DEZEMBRO, BR. STA. JOANA FRANCISCA DE CHANTAL, RLG. M.FAC.

SANTA JOANA FRANCISCA DE CHANTAL: LEMBRADA DIAS 12/08; 21/08; 10/12/; 13/12

No mos­teiro da Vi­si­tação de Mou­lins, na França, o dia natal de Santa Joana Fran­cisca Fré­miot de Chantal, cuja me­mória se ce­lebra no dia doze de agosto. No LITURGIA DAS HORAS celebra-se dia 10 de dezembro. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Moulins, na região do Bourbonnais, Santa Joana Francisca de Chantal. Viúva após oito anos de um feliz casamento, dedicou-se primeiro à educação de seus quatro filhos, e depois, sob a orientação de seu diretor espiritual, São Francisco de Sales, que a introduzira na “vida devota”, fundou a Ordem da Visitação de Santa Maria, em Annecy. (M)

– O LITURGIA DAS HORAS LEMBRA SANTA JOANA FRANCISCA DE CHANTAL NO DIA 10 DE DEZEMBRO. A MEMÓRIA DA LITURGIA DAS HORAS DESTE 10.12 LEMBRA SANTA JOANA FRANCISCA

.Ela explica o MARTÍRIO DE AMOR que poucos conhecem e menos pessoas vivem.

Das Memórias de Santa Joana Francisca, escritas por uma religiosa, sua secretária:

 (Françoise-Madeleine de Chaugy, Mémoires sur la vie et les vertus de Sainte J.-F. de Chantal, III, 3: 3ª ed., Paris 1853, p. 306-307) (Séc.XVII)

O amor é forte como a morte

Certo dia, Santa Joana disse estas fervorosas palavras, logo fielmente recolhidas: 

“Filhas diletíssimas, muitos dos nossos santos Padres e colunas da Igreja não sofreram o martírio; sabeis dizer-me por que razão?” Após a resposta de cada uma, disse a santa Madre: “Quanto a mim, creio que isto aconteceu assim, por haver outro martírio que se chama martírio de amor, em que Deus, conservando em vida seus servos e servas a fim de trabalharem para sua glória, os faz ao mesmo tempo mártires e confessores. Sei que, por disposição divina – acrescentou – as filhas da Visitação são chamadas a este martírio com o mesmo ardor que levou a afrontá-lo aquelas servas mais afortunadas. 

À pergunta de uma irmã sobre o modo como poderá se realizar este martírio, respondeu: “Abri-vos inteiramente à vontade de Deus e tereis a prova. O amor divino mergulha sua espada até o mais íntimo e secreto de nossas almas, e separa-nos de nós mesmas. Conheci uma alma a quem o amor separou de tudo quanto lhe agradava, como se o golpe dado pela espada de um tirano lhe tivesse separado o espírito do corpo”. 

Percebemos que falara de si mesma. Tendo outra irmã indagado quanto tempo duraria esse martírio, explicou: “Desde o momento em que nos entregamos a Deus sem reservas, até o fim da vida. No entanto, isto só diz respeito às pessoas magnânimas, que, renunciando completamente a si mesmas, são fiéis ao amor; os fracos e inconstantes no amor, nosso Senhor não os leva pelos caminhos do martírio, mas deixa-os viver a passos lentos, para que não se afastem dele; pois nunca força a livre vontade”. 

Quando, por fim, lhe foi perguntado se este martírio de amor poderia ser igualado ao martírio do corpo, respondeu: “Não nos preocupemos com a questão da igualdade, muito embora eu julgue que um não ceda ao outro, porque o amor é forte como a morte (Ct 8,6). E ainda porque os mártires de amor sofrem dores mil vezes mais agudas conservando a vida para cumprir a vontade de Deus, do que se tivessem de dar mil vidas para testemunhar a sua fé, o seu amor e a sua fidelidade”. († 1641)

2.   Em Mé­rida, na Lu­si­tânia, ac­tu­al­mente na Es­panha, Santa Eu­lália, virgem e mártir, que, se­gundo a tra­dição, sendo ainda jovem, não he­sitou em ofe­recer a vida por Cristo. († c. 304). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Estremadura, no começo do séc. IV, as Santas Eulália e Júlia, virgens, que foram, ainda jovens, martirizadas com extrema violência. (M). Ver “Santa Eulália e mais os Santos Justo e Pastor… Dois jovens irmãos, Justo e Pastor, achavam-se na escola. Um tinha treze anos, o outro sete. Assim que souberam da chegada do perseguidor, deixaram os livros de lado e correram a ver o que ia ele fazer… Chamando a atenção do governador e  vindo este a saber que pertenciam à família cristã e que estavam dispostos a sofrer, … Daciano, sem entranhas, ordenou que os chicoteassem. Tal ordem foi executada com violência, com requintes de crueldade, mas os dois irmãos, encorajando-se mutuamente, suportaram com heroísmo o martírio. E Daciano, para encobrir a vergonha, fez com que ambos fossem decapitados fora da cidade.” páginas 165-167… Ver também página 193 Santa Júlia; http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2021.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Eulália_de_Mérida  

– Ver “Segundo o escritor cristão Prudêncio, na sua obra Peristephanon,[3] Eulália seria uma virgem cristã muito devota, com idade entre 12 e 14 anos, cuja mãe fora sequestrada em sua própria casa em 304 por causa da exigência de que todos os cidadãos romanos deveriam realizar sacrifícios aos deuses romanos durante a perseguição de Diocleciano”: Eulália de Mérida – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Em Roma, no ce­mi­tério de Trasão, junto à Via Sa­lária Nova, Santo Mauro ou Amaro, mártir, que o papa São Dâ­maso ce­lebra como uma cri­ança ino­cente, a quem os tor­mentos não con­se­guiram afastar da fé. († c. s. IV)

4.   Em An­cira, na Ga­lácia, hoje An­cara, na Tur­quia, São Ge­melo (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir. († c. s. IV)

5.   Em Roma, junto de São Pedro, São Gre­gório III (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa, que fo­mentou a pre­gação do Evan­gelho aos Ger­manos e, em opo­sição aos ico­no­clastas, adornou as igrejas da Urbe com sa­gradas imagens. († 741). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano de 741, o Bem-Aventurado Gregório III, papa de origem síria, que para manifestar sua reprovação à iconoclastia multiplicou a decoração das basílicas romanas. (M).

São Gregório III, Papa. Ver “Gregório III, natural da Síria, data de nascimento desconhecida, morto também em data incerta (novembro ou dezembro de 741),[1] foi Papa e líder mundial do Cristianismo, eleito por aclamação em 11 de fevereiro de 731, durante o funeral do seu antecessor Gregório II e consagrado em 18 de março de 731.[2][1][3]”: Papa Gregório III – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

6*.   No mos­teiro de São Ni­colau de Vi­o­to­rito, na Ca­lá­bria, re­gião da Itália, São Lucas, bispo de Ísola di Cappo Riz­zuto, que tra­ba­lhou in­can­sa­vel­mente pelo bem do povo e na for­mação dos monges. († 1114)

7*.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, os santos már­tires Ed­mundo Gennings, pres­bí­tero, e Sui­tuno Wels, que, du­rante a cruel per­se­guição da rainha Isabel I, con­de­nados à pena ca­pital – o pri­meiro por ser sa­cer­dote e o se­gundo por lhe ter dado aco­lhi­mento –, foram pen­du­rados à porta da sua casa e tor­tu­rados até à morte. († 1591)

8.   Também em Lon­dres, os santos Po­li­doro Plasden e Eus­tácio White, pres­bí­teros, e os be­atos Brian Lacy, João Mason e Sídnei Hogdson, már­tires, que no mesmo ano so­freram os mesmos su­plí­cios em Ty­burn, uns porque eram sa­cer­dotes que en­traram na In­gla­terra, ou­tros porque lhes pres­taram auxílio. († 1591)

9.   Também em Lon­dres, de­za­nove anos de­pois, São João Roberts, da Ordem de São Bento, e o Beato Tomás Somers, pres­bí­teros e már­tires, que, no rei­nado de Jaime I, con­de­nados por serem sa­cer­dotes, foram en­for­cados, tendo abra­çado os mal­fei­tores la­drões sub­me­tidos ao mesmo patíbulo. († 1610). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Tyburn, perto de Londres, em 1610, o martírio do Bem-Aventurado João Roberts. Convertido ao catolicismo por ocasião de uma viagem a Paris, e entrando logo depois nos beneditinos de Compostela, voltou ao seu país natal para lá reanimar o monaquismo, sendo depois condenado à decapitação por ter afirmado que fora da Igreja não há salvação. (X) 

10*.   Em Turim, na Itália, o Beato Marcos An­tónio Durando, pres­bí­tero da Con­gre­gação das Mis­sões, que fundou a Con­gre­gação das Irmãs de Jesus Na­za­reno, para prestar as­sis­tência aos en­fermos e aos jo­vens abandonados. († 1880)

11*.   Em Vallés, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Va­lência, na Es­panha, o Beato Gon­çalo Viñes Masip, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição, con­su­maram o com­bate por Cristo. († 1936)

12*.   Em Pi­ca­dero de Pa­terna, lo­ca­li­dade da mesma pro­víncia da Es­panha, os be­atos már­tires An­tónio Martin Hernández, pres­bí­tero, e Agos­tinho Garcia Calvo, re­li­gioso, ambos da So­ci­e­dade Sa­le­siana, que, du­rante a mesma per­se­guição, pela fé em Cristo re­ce­beram a es­tola da glória. († 1936)

13. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano do Senhor de 314, São Melquiades (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa, que teve a alegria de ver se encerrar a era das perseguições, e pôde reorganizar a vida da comunidade cristã logo após o Edito de Milão. (M). Ver página190 (São Melcíades): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2021.pdf

14. São Tomás, abade. Ver páginas 191-192: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2021.pdf

DIA 10 DE DEZEMBRO, PRIMEIRA OBSERVAÇÃO: THOMAS MERTON (MORTO EM 10 DE DEZEMBRO DE 1968 AOS 53 ANOS). Ver “Thomas Merton (Prades31 de janeiro de 1915 – Bangcoc10 de dezembro de 1968) foi um escritor católico do século XX. Monge trapista da Abadia de GethsemaniKentucky, ele foi um poetaactivista social e estudioso de religiões comparadas. Escreveu mais de setenta livros, a maioria sobre espiritualidade, e também foi objecto de várias biografias. Dentre as principais características de Thomas Merton pode-se citar sua defesa do pacifismo e do ecumenismo[1]”: Thomas Merton – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver ainda “Thomas Merton nasceu na França, em 1915. Após ficar órfão, ainda jovem, frequentou alguns colégios internos na França e na Inglaterra. Aluno brilhante, recebeu uma bolsa de estudos para a Universidade de Cambridge, porém, Merton não aproveitou muito a oportunidade. Afundado em festas e bebedeiras, acabou engravidando uma jovem. Após um acordo entre as famílias, Merton foi levado para os EUA…. Merton dedicou-se a falar basicamente sobre justiça social, espiritualidade e diálogo inter-religioso. Seus conselhos foram silenciados em dezembro de 1968, justamente na data do aniversário de sua entrada no mosteiro de Getsêmani. Merton faleceu em um estranho acidente elétrico em Bangkok.”: Biografia de Thomas Merton – Pensador

– Ver ainda “…A luta contínua de Merton com o ego e a ambição, ao mesmo tempo em que desejava sinceramente uma vida mais simples, orante e eremítica, dialoga com as motivações conflitantes que todos enfrentamos nas tomadas de decisão”: Por que se interessar por Thomas Merton hoje? – Instituto Humanitas Unisinos – IHU

– Ver também “As pessoas sempre vão embora enquanto outras chegam” (confessor de Thomas Merton). “… Padre Matthew Kelty (foto) deixou este mundo em paz, ao meio-dia do dia 18 de fevereiro. Ele havia sido o último confessor que Thomas Merton teve. E, como se isso não bastasse para garantir uma discussão mais aprofundada, ele também era um padre gay que `saiu do armário` aos 90 anos. Não veremos novamente tão cedo tipos de monges como esse.”: O dom dos gays. Aos 96 anos, morre o confessor de Thomas Merton – Instituto Humanitas Unisinos – IHU

* SEGUNDA OBSERVAÇÃO:TEÓLOGO KARL BARTH (morto em 10 de dezembro de 1968 aos 82 anos). Ver “Karl Barth (/bɑːrt/; Alemão:[baʀt]; 10 de maio de 1886 – 10 de dezembro de 1968) foi um teólogo reformado suíço que é muitas vezes considerado o maior teólogo protestante do século XX. Sua influência expandiu-se muito além do domínio acadêmico, chegando a incorporar a cultura,  o que levou a Barth ser apresentado na capa da revista Time em 20 de abril de 1962.[1]”: Karl Barth – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

14. Outros santos do dia 10 de dezembro: págs. 165-194: VIDAS DOS SANTOS – 21.pdf (obrascatolicas.com)            

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 10 de dezembro, ver ainda: 10 de dezembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 937-939:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/