Santas e Santos de 01 de dezembro

1.   Co­me­mo­ração de São Nahum, pro­feta, que pregou Deus como Aquele que go­verna o curso dos tempos e julga os povos com justiça. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no final do séc. VII antes de Cristo, o Profeta Naum. Por ocasião da ruína de Nínive, confessou a fé e a esperança dos israelitas no julgamento de Deus, que triunfa sobre o mal e liberta seu povo oprimido. (M). Ver páginas 359-364:

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Naum  

– Ver “Naum (em hebraico: נַחוּם, transl. Naḥūm) é o sétimo dos Profetas Menores a quem se atribui a autoria do livro bíblico que leva seu nome[1][2]. Na Bíblia cristã seu escrito se localiza após o Livro de Miqueias, e antes do Livro de Habacuque.”: Naum – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

2.   Em Milão, na Trans­pa­dânia, agora na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Cas­tri­ciano, bispo. († s. III)

3*.   Em Poi­tiers, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, Santa Flo­rência, virgem, que, con­ver­tida ao Deus ver­da­deiro pelo bispo Santo Hi­lário du­rante o seu des­terro na pro­víncia da Ásia, o se­guiu no re­gresso à sua terra. († s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV da nossa era, Santa Florência, que consagrou sua virgindade a Deus, sob a autoridade e direção de santo Hilário de Poitiers. (X)

4*.   Em Fréjus, na Pro­vença, também na ac­tual França, São Leôncio, bispo, que apoiou a fun­dação mo­nás­tica de Santo Ho­no­rato na ilha de Lé­rins e a quem São João Cas­siano, seu amigo, de­dicou as dez pri­meiras «Colações». († c. 433)

5.   Em Le Mans, na Nêus­tria, hoje na França, São Do­nolo, bispo, que antes tinha sido abade do mos­teiro de São Lou­renço de Paris e res­plan­deceu pelo dom dos milagres. (†581)

6.   Em Verdun, na Aus­trásia, também na ho­di­erna França, Santo Agé­rico, bispo, que edi­ficou igrejas e bap­tis­té­rios e, por ter con­ver­tido a sua igreja em asilo de pró­fugos, su­portou duras per­se­gui­ções do rei Teodorico. († 588)

7.   Em Noyon, na Nêus­tria, igual­mente na ac­tual França, Santo Elói ou Elígio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que, sendo ou­rives e con­se­lheiro do rei Da­go­berto, edi­ficou mos­teiros e fa­bricou re­li­cá­rios dos Santos com exímia arte e be­leza; mais tarde, foi no­meado para a sede de Noyon e de Tournai, de­di­cando-se com grande zelo ao tra­balho apostólico. († 660). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 660, Santo Elói, bispo de Noyon e de Flandres. Foi ourives e depois conselheiro dos reis merovíngios. Fundou no Limousin a abadia de Solignac. A cidade de Dunquerque dedicou-lhe sua principal igreja, venerando- o como seu fundador. (M). Ver páginas 341-358: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Elígio_de_Noyon

– Ver “Elói ou Elígio (588 — 1 de dezembro de 660), de origem familiar Galo-Romana nobre, foi artesão em Limoges ”: Elígio de Noyon – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

8*.   Em Co­tig­nola, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, o Beato An­tónio Bonfadíni, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, que pregou du­rante longo tempo a pa­lavra de Deus em muitas re­giões da Itália e lu­gares da Terra Santa. († 1482)

9*.   Em Col­chester, na In­gla­terra, o Beato João Beche, pres­bí­tero da Ordem de São Bento e mártir, que, sendo abade do mos­teiro de São João, foi con­de­nado à morte e con­du­zido ao pa­tí­bulo no rei­nado de Hen­rique VIII sob pre­texto de crime de traição, mas de facto por manter a fi­de­li­dade ao Ro­mano Pontífice. († 1539)

10.   Em Lon­dres, também na In­gla­terra, os santos Ed­mundo Campion, Ro­dolfo Sherwin e Ale­xandre Briant, pres­bí­teros e már­tires du­rante o rei­nado de Isabel I, exí­mios pela sua sa­be­doria e for­ta­leza de ânimo. Santo Ed­mundo, que ainda jovem tinha pro­fes­sado a fé ca­tó­lica, foi ad­mi­tido na Com­pa­nhia de Jesus em Roma e or­de­nado pres­bí­tero em Praga, re­gres­sando de­pois à sua pá­tria, onde con­so­lidou so­li­da­mente as almas dos fiéis com a sua pa­lavra e os seus es­critos; por isso, de­pois de su­portar muitos tor­mentos, foi morto em Ty­burn. Com ele so­freram os mesmos su­plí­cios São Rodolfo e Santo Ale­xandre, me­re­cendo este úl­timo, já no cár­cere, ser ad­mi­tido na Com­pa­nhia de Jesus. († 1581). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Edmundo_Campion

– Ver “Edmundo Campion foi um sacerdote jesuítaordenado em 1578, e mártir[1] integrado nos grupo dos Quarenta Mártires da Inglaterra e Gales.”: Edmundo Campion – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

11*.   Em York, também na In­gla­terra, o Beato Ri­cardo Langley, mártir, que, no mesmo rei­nado de Isabel I, foi con­de­nado à pena ca­pital e en­for­cado por ter dado hos­pe­dagem a sacerdotes. († 1586)

12♦.   Em Lisboa, ci­dade de Por­tugal, a Beata Maria Clara do Me­nino Jesus (Li­bânia do Carmo Galvão Mexia de Moura Telles e Al­bu­querque), virgem, que, atraída pelo ar­dente de­sejo de anun­ciar o Evan­gelho pelo exer­cício das obras de mi­se­ri­córdia, fundou a Con­gre­gação das Irmãs Hos­pi­ta­leiras da Ima­cu­lada Con­ceição, para aco­lhi­mento dos po­bres e des­va­lidos; num tempo de grande per­tur­bação po­lí­tica, de leis ad­versas à Igreja e a qual­quer acção evan­ge­li­za­dora, di­rigiu a Con­gre­gação com ad­mi­rável for­ta­leza de ânimo du­rante vinte e oito anos, fa­zendo-a flo­rescer com uma vasta obra de fun­da­ções – co­lé­gios, hos­pi­tais, as­sis­tência a in­vá­lidos e cri­anças e ou­tras obras de as­sis­tência so­cial, em Por­tugal e mis­sões Ad Gentes. († 1899)

13♦.   Em Ta­man­rasset, na Ar­gélia, o Beato Carlos de Foucauld (Carlos de Jesus, Charles de Foucauld, também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, após­tolo entre os tu­a­re­gues, fun­dador dos Pe­quenos Ir­mãos de Jesus. († 1916). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Charles_de_Foucauld

– Ver De soldado folgazão a monge no deserto, tornou-se pioneiro da vida religiosa entre os mais pobres e os marginalizados”: Conheça a vida de Charles de Foucauld, um santo atual (domtotal.com)

– Ver também “Charles Eugène de Foucauld de Pontbriand (Estrasburgo15 de setembro de 1858 – Saara argelino1 de dezembro de 1916) foi um oficial das Forças Armadas da França que se tornou exploradorgeógrafo e posteriormente religioso católicoeremita e linguista. Foi beatificado em 13 de novembro de 2005, pelo Papa Bento XVI. É celebrado em 1 de dezembro… Em 27 de maio de 2020, o Vaticano anunciou que ele seria canonizado em uma data posterior. [2]”: Charles de Foucauld – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver ainda “A decisão do Papa Francisco de canonizar Charles de Foucauld, canoniza por assim dizer o estilo de vida cristã da Igreja do Magrebe, cujo carisma tem suas raízes no norte da África. Esta é a leitura do cardeal Cristóbal López Romero, arcebispo de Rabat, Marrocos, ao comentar o anúncio nesta semana do reconhecimento por parte do Papa Francisco de um milagre atribuído à intercessão do religioso francês falecido na Argélia em 1916.”: Com Charles de Foucauld, Papa canonizará estilo de vida cristã da Igreja do Magreb, diz cardeal – Vatican News

14*.   No campo de con­cen­tração de Aus­chwitz, perto de Cra­cóvia, na Po­lónia, o Beato Ca­si­miro Sykulski, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a guerra, por per­se­verar fir­me­mente na fé pe­rante os per­se­gui­dores da Igreja de Deus, foi fuzilado. († 1941)

15*.   Em Dire Dawa, ci­dade da Etiópia, a Beata Li­duína Me­ne­guzzi (Elisa Ân­gela Me­ne­guzzi), virgem do Ins­ti­tuto de São Fran­cisco de Sales, que se tornou ver­da­deiro es­pelho de hu­mil­dade e ca­ri­dade cristã, ma­ni­fes­tando a mi­se­ri­córdia de Deus entre os po­bres, en­fermos e cativos. († 1941). Em 02 de dezembro de 1941, Irmã Liduina morre santamente, com 40 anos de idade. Ver em: http://www.vatican.va/news_services/liturgy/saints/ns_lit_doc_20021020_meneguzzi_po.html

Ver também FESTA LITÚRGICA EM 01 DE DEZEMBRO: https://pt.wikipedia.org/wiki/Liduina_Meneguzzi

16*.   Em Isiro, lo­ca­li­dade da re­gião in­te­rior da Re­pú­blica Po­pular do Congo, a Beata Cle­men­tina Nen­ga­peta Anuarite, virgem da Con­gre­gação das Irmãs da Sa­grada Fa­mília e mártir, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa na guerra civil, de­tida com ou­tras re­li­gi­osas, as exortou a vi­giar e orar e, re­sis­tindo com grande for­ta­leza à sen­su­a­li­dade do co­man­dante dos sol­dados, foi morta por ele, num ex­cesso de có­lera, e deu a vida por Cristo, seu Esposo. († 1964)

17♦.   Em Sas­suolo, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, a Beata Maria Rosa Pellési (Bruna Pel­lési), virgem da Con­gre­gação das Irmãs Fran­cis­canas Mis­si­o­ná­rias de Cristo. († 1972)

18. Santa Cândida de Roma (também na Folhinha do Coração de Jesus)

19. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Pérsia, em 345, Santo Ananias, martirizado durante a perseguição de Sapor. Deixado como morto após ter sido torturado por causa de sua fé, foi visto sendo levado pelos anjos para o céu, em uma escada luminosa. (M)

20. São Próculo, bispo e mártir. Ver páginas 365-366: Ver pá ginas 341-358: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

21. Santo Ansano, mártir. Ver página 367: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

22. São Florentino. Ver páginas 368-369: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

23. Santo Adriano e Santa Natália, Esposos e Vinte e Três Santos Mártires. Ver páginas 370-371: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver CASAL SANTO ADRIANO E SANTA NATÁLIA,Festa litúrgica 01 de dezembro, 04 de março, 26 de agosto e 08 de setembro”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Adriano_e_Nat%C3%A1lia

– Ver “Adriano (em latimAdrianus) e Natália foram romanos do final do século III e começo do IV. Adriano era membro da guarda pretoriana e foi martirizado em Nicomédia sob ordens do imperador Galério (r. 293–311) após declarar publicamte que era cristão. Natália levou os restos mortais do marido para Argirópolis, perto de Bizâncio… ” Adriano e Natália – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “A única notícia certa é que havia um antigo e muito forte culto de um Adriano, mártir de Nicomedia, tanto no Oriente quanto no Ocidente. O novo Martirológio Romano lembra o santo neste dia sem mais comentários. O resto é suposição e lenda… O antigo Martirológio Romano indicou 4 de março como o dia de sua morte, e 1 º de dezembro para Natalia e 8 de setembro para o transporte de seus restos mortais para Roma. A festa comum de Santos Adriano e Natália, mártires, era 8 de setembro.”: Santi Adriano e Natalia (santiebeati.it)

– Em 08 de setembro, em Roma, a co­me­mo­ração de Santo Adrião, mártir, que pa­deceu o mar­tírio em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, em cuja honra o papa Ho­nório I con­verteu em igreja a Cúria do Se­nado Romano. († data inc.).

– Ver em 04 de março: na Ásia Menor, sob o imperador Diocleciano, a paixão de Santo Adriano. Oficial do exército imperial, foi subitamente convertido pela paciência sobre-humana de que deram prova Vinte e três cristãos prisioneiros, e pediu que seu nome fosse acrescentado à sua lista (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

24. Outros santos do dia 01 de dezembro: págs. 341-374: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre  DEZEMBRO, ver: Dezembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

Sobre o1 de dezembro, ver ainda: 1 de dezembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 919-921:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 30 de novembro

Festa de Santo André (também na Folhinha do Coração de Jesus), Após­tolo, na­tural de Bet­saida, irmão de Simão Pedro e pes­cador como ele. Foi o pri­meiro dos dis­cí­pulos de João Bap­tista a ser cha­mado pelo Se­nhor junto ao Jordão e que O se­guiu, apre­sen­tando-Lhe também seu irmão; de­pois do Pen­te­costes, se­gundo a tra­dição, pregou o Evan­gelho na re­gião da Acaia, na Grécia, e foi cru­ci­fi­cado em Pa­tras. A Igreja de Cons­tan­ti­nopla ve­nera-o como seu mais in­signe patrono. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa de Santo André. Originário de Betsaida, na Galiléia, e discípulo de João Batista, foi um dos primeiros Apóstolos chamados por Cristo, a quem apresentou seu irmão SimFolão Pedro. Segundo uma antiga tradição, exerceu seu apostolado na região dos Bálcăs e morreu na cruz. Uma importante relíquia de seu crânio, que havia sido depositada no séc. XV junto ao túmulo de São Pedro, no Vaticano, foi restituída aos orientais em 1966, como sinal do desejo de comunhão entre a Igreja de Roma e a Igreja de Constantinopla. (R). Ver páginas 320-335: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/André,_o_Apóstolo

– Ver “Santo André ou Santo André Apóstolo (em grego: ‘Ανδρέας; romaniz.: Andréas) (BetsaidaGalileia,[1] século I a.C., — Patras, 60 d.C.),[2] conhecido na tradição ortodoxa como Protocletos (o “primeiro [a ser] chamado”), é um apóstolo cristão, irmão de São Pedro. O nome “André” (do grego “ανδρεία”, andreía, “hombridade” ou “coragem”), como diversos outros nomes gregos, parece ter sido comum entre os judeus dos séculos III ou II a.C. Não se tem registro de qualquer nome hebraico ou aramaico seu.”: André, o Apóstolo – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

2.   Em Milão, na Li­gúria, agora na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Mi­ro­cletes, bispo, que Santo Am­brósio men­ciona entre os bispos fiéis que o precederam. († d. 314)

3*.   Na Bre­tanha Menor, na ho­di­erna França, São Tu­dual, ape­li­dado Pabu, abade e bispo, que cons­truiu um mos­teiro no ter­ri­tório de Tréguier. († s. VI)

4.   No monte Siépi, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, São Gal­gano Guidotti, ere­mita, que se con­verteu a Deus de­pois de uma ju­ven­tude dis­si­pada e viveu o resto da sua vida em vo­lun­tária mor­ti­fi­cação corporal. († 1181)

5*.   Em Mont­pel­lier, na Pro­vença, ac­tu­al­mente na França, o Beato João de Ver­celas Garbella, pres­bí­tero, mestre geral da Ordem dos Pre­ga­dores, que na sua pre­gação re­co­mendou in­ten­sa­mente a de­voção ao nome de Jesus. († 1283)

– Ver páginas 372-373 (dia 01 de dezembro): VIDAS DOS SANTOS – 20.pdf (obrascatolicas.com)

6*.   Em Ra­tis­bona, na Ba­viera, re­gião da Ale­manha, o Beato Fre­de­rico, re­li­gioso da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que, sendo hábil car­pin­teiro, se dis­tin­guiu pelo fervor na oração, obe­di­ência e caridade. († 1329)

7.   Em Lan­ceston, na In­gla­terra, São Cut­berto Mayne, pres­bí­tero e mártir, que, con­ver­tido à fé ca­tó­lica e or­de­nado sa­cer­dote, exerceu o mi­nis­tério na Cor­nu­alha, até que, no rei­nado de Isabel I, con­de­nado à pena ca­pital por ter dado a cnhecer pu­bli­ca­mente uma Bula Apos­tó­lica, foi con­du­zido ao su­plício do pa­tí­bulo, sendo o pri­meiro mártir dos alunos do Co­légio dos In­gleses de Douai. († 1577)

8*.   Em York, também na In­gla­terra, o Beato Ale­xandre Crow, pres­bí­tero e mártir, que, tendo pas­sado de hu­milde cos­tu­reiro ao mi­nis­tério sa­cer­dotal, no mesmo rei­nado de Isabel I, por ser sa­cer­dote foi con­de­nado ao pa­tí­bulo e con­sumou o seu glo­rioso martírio. († 1586)

9.   Em Quixan, lo­ca­li­dade do Si­chuan, pro­víncia da China, São Tadeu Liu Ruiting, pres­bí­tero e mártir, que foi es­tran­gu­lado em ódio à fé. († 1823)

10.   Em Hué, no Anam, agora no Vi­etnam, São José Marchand, pres­bí­tero da So­ci­e­dade das Mis­sões Es­tran­geiras de Paris e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Minh Mang, foi con­de­nado ao su­plício dos cem açoites. († 1875)

11*.   Em Pa­ra­cu­ellos del Ja­rama, lo­ca­li­dade pró­xima de Ma­drid, na Es­panha, o Beato Mi­guel Fran­cisco Ru­edas Me­jias e seis companheiros, már­tires, re­li­gi­osos da Ordem de São João de Deus, ho­mens in­signes pelo seu tes­te­munho de fé cristã, que, du­rante a cruel per­se­guição re­li­giosa, foram ví­timas da vi­o­lência dos ini­migos da Igreja e par­tiram ao en­contro do Senhor. São estes os seus nomes: Diogo de Cádiz (Tiago García Mo­lina), Ni­cé­foro Sal­vador del Río, Romão (Ra­fael Tou­ceda Fer­nández), re­li­gi­osos; Artur Do­noso Mu­rillo, Jesus Gesta de Pi­quer e An­tónio Mar­tínez Gil-Le­onis, professos. († 1936)

12*.   Em Va­lência, também na Es­panha, o Beato José Otin Aquilué, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, na mesma per­se­guição, pela sua in­ven­cível cons­tância na fé al­cançou o reino celeste. († 1936)

13♦.   Em Pa­ra­cu­ellos del Ja­rama, lo­ca­li­dade pró­xima de Ma­drid, os be­atos Agos­tinho Re­nedo Martino, pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho e qua­renta e nove companheiros már­tires, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, pelo seu tes­te­munho de Cristo re­ce­beram a coroa do martírio. São estes os seus nomes: Artur Garcia de la Fu­ente, Bento Ro­drí­guez Gon­zález, Con­rado Ro­drí­guez Gu­tiérrez, Cons­tan­tino Ma­lum­bres Francês, Dâ­maso Ar­co­nada Me­rino, Ge­rardo Gil Leal, Es­têvão Garcia Suárez, Fran­cisco Marcos del Rio, Jesus Largo Man­rique, João Mo­ne­dero Fer­nández, João Sán­chez Sán­chez, Jo­a­quim Garcia Fer­rero, Al­fredo Fer­nando Fariña Castro (José Agos­tinho), Ju­lião Zarco Cu­evas, Luís Suárez-Valdés Díaz de Mi­randa, Ma­riano Re­villa Rico, Ma­tias Es­peso Cu­evas, Mel­chior Mar­tínez Altuña, Mi­guel Ce­rezal Calvo, Pedro de la Varga Del­gado, Pedro Mar­tínez Ramos, pres­bí­teros da Ordem de Santo Agos­tinho; Di­o­nísio Terceño Vi­cente, José Gando Uña, José López Pi­teira, Ne­mésio Garcia Rúbio, diá­conos da mesma Ordem; Ber­nar­dino Calle Franco, Fran­cisco Fu­ente Pu­ebla, Ge­rardo Pas­cual Mata, He­li­o­doro Me­rino Me­rino, Isidro Me­di­a­villa Campo, José An­tónio Pérez Garcia, José Dalmau Regas, José No­riega Gon­zález, Júlio Marcos Ro­drí­guez, Júlio Maria Fín­cias, Luís Ábia Me­lendro, Ma­cário Sán­chez López, Má­ximo Valle Garcia, Mi­guel Itur­rarán Lau­ci­rica, Ne­mésio Díez Fer­nández, Pedro José Car­bajal Pe­reda, Pedro Simón Fer­rero, Ra­miro Alonso López, Ri­cardo Marcos Re­guero, Romão Martin Mata, Tomás Sán­chez López, Vítor Cu­esta Vil­lalba, re­li­gi­osos da mesma Ordem; Amado Cubeñas Diego-Ma­drazo e Vi­cente Peña Ruiz, pres­bí­teros da Ordem dos Pregadores. († 1936)

14*.   Perto de Mu­nique, na Ba­viera, re­gião da Ale­manha, no campo de con­cen­tração de Da­chau, o Beato Luís Roque Gientyngier, pres­bí­tero e mártir, que, no tempo da ocu­pação mi­litar da Po­lónia du­rante a guerra, foi ví­tima dos crimes co­me­tidos pelo re­gime ini­migo da fé e en­tregou o seu es­pí­rito a Deus. († 1941)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, perto de 420, São Constâncio, que defendeu a doutrina da graça contra os pelagianos. (M)

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Palestina, perto de 550, o Bem-Aventurado Zózimo, monge, a quem São Teodoro Estudita chamava “a joia da humildade”. (M). “Resistiu energicamente aos pelagianos. Tanto sofreu com suas intrigas, que merece lugar entre os confessores da Fé” (MR).

– Ver:  http://catolicismo.com.br/materia/materia.cfm?IDmat=195257C7-F07E-1C1D-281691D6BD637484&mes=Novembro1999 

– Ver também: http://catolicismo.com.br/materia/materia.cfm/idmat/48FDFB30-BC3B-C7D8-DBBB6EC08F08A06D/mes/Novembro2005

17. São Troiano (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver páginas 336-337: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

18. Santa Justina (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver 26 de setembro: São Cipriano e Santa Justina

19. Outros santos do dia 30 de novembro: págs. 320-338: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 30 de novembro, ver ainda: 30 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 916-918:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 29 de novembro

ANO LITÚRGICO – início do Ano Litúrgico de 2021: 29 de novembro de 2020

“O Ano litúrgico é o período de doze meses, divididos em tempos litúrgicos, onde se celebram os mistérios de Cristo, assim como os Santos… De necessidade de se organizar as comemorações religiosas, foi estabelecido um calendário de datas a serem seguidas, que ficou sendo denominado de “Ano Litúrgico” ou “Calendário Litúrgico”…O Ano Civil começa em 1º de Janeiro e termina em 31 de Dezembro. Já o Ano Litúrgico começa no 1º Domingo do Advento (cerca de quatro semanas antes do Natal) e termina no sábado anterior a ele (solenidade de Cristo Rei do Universo). Podemos perceber, também, que o Ano Litúrgico está dividido em “Tempos Litúrgicos”… Dentre os Dias Litúrgicos da semana, no primeiro dia, ou seja, no Domingo (Dia do Senhor), a Igreja celebra o Mistério Pascal de Jesus, obedecendo à tradição dos Apóstolos. Por esse motivo, o Domingo deve ser tido como o principal dia de festa… O Ano Litúrgico da Igreja é assim dividido:

  1. Ciclo da Páscoa;
  2. Ciclo do Natal;
  3. Tempo comum;
  4. Ciclo santoral.

O Ano Litúrgico passa por três ciclos, também chamado de anos A, B, C… A cada ano tem uma sequência de leituras próprias, ou seja, leituras para o ano A, ano B e para o ano C. A organização das leituras próprias para cada ano possibilita ao católico estudar toda a Bíblia, desde que participe de todas as missas diárias ou estude a Liturgia Diária nesse período de três anos. Para saber de que ciclo é um determinado ano, parte-se deste princípio: o ano que é múltiplo de 3 é do ciclo C… Para saber se um número é múltiplo de 3, basta somar todos os algarismos, e se o resultado for múltiplo de 3, o número também o é… Atualmente estamos no ano A = 2020: 2+0+2+0=4 (4 é múltiplo de 2) = Ano A (o ano litúrgico começa no advento do ano anterior, logo, o advento de 2019 é o início do ano litúrgico de 2020).” O Ano Litúrgico de 2021 começa em 29 de novembro de 2020, primeiro domingo do Advento. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ano_lit%C3%BArgico#:~:text=O%20Ano%20lit%C3%BArgico%20%C3%A9%20o,Cristo%2C%20assim%20como%20os%20Santos.

– Ver também CALENDÁRIO LITÚRGICO: “O Calendário litúrgico da Igreja Católica Apostólica Romana foi feito para cobrir todo o ano litúrgico cristão, abordando várias passagens bíblicas consoante o período em causa, considerando as duas principais celebrações cristãs: o Natal e a Páscoa. Divide-se em três anos: A, B e C.

Foi concebido para a Igreja celebrar o Mistério de Cristo (particularmente o seu Mistério pascal) como Corpo de Cristo as principais etapas da vida de Jesus e refletir sobre sua missão e mensagem.

Para cada período do ano é intensificado uma cor diferente, que identifica de maneira direta o período em que estiver sendo vivenciado no calendário. São elas: Branco, Verde, Roxo, Vermelho e Rosa. Outras cores como Preto e Ouro substituem algumas cores ao longo do ano…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Calend%C3%A1rio_lit%C3%BArgico

            *********************************************************

1.   Em Roma, no ce­mi­tério de Trasão, junto à Via Sa­lária Nova, São Sa­tur­nino de Car­tago, mártir, que, se­gundo re­fere o papa São Dâ­maso, no tempo do im­pe­rador Décio, pela con­fissão da sua fé em Cristo, na sua pá­tria foi sub­me­tido ao su­plício do ca­va­lete e des­ter­rado para Roma, onde, de­pois de su­perar atrozes tor­mentos, con­verteu à fé o algoz Gra­ciano; fi­nal­mente de­ca­pi­tado, al­cançou a coroa do martírio. († c. 250). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, São Saturnino. Cristão originário da Africa do Norte, foi martirizado sob o imperador Diocleciano. (M). Ver página 317: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também “Saturnino de Cartago foi um mártir romano no século III, perseguido pelo imperador Décio , 1Em Roma, no cemitério de Trasón, na Via Salaria Nueva, Santo Saturnino de Cartago, um mártir que, segundo o Papa São Damaso, sob o imperador Décio, por ter confessado a Cristo, foi primeiro atormentado na prateleira por seus próprios méritos pátria, e mais tarde, extraditado para Roma, após superar outros tormentos atrozes, ele converteu o tirano Graciano à fé, e finalmente alcançou a coroa do martírio ao ser decapitado. 2”: https://es.wikipedia.org/wiki/Saturnino_de_Cartago

2.   Em Tou­louse, na Gália Nar­bo­nense, na ac­tual França, a co­me­mo­ração de São Sa­tur­nino, bispo e mártir, que, se­gundo a tra­dição, no tempo do mesmo im­pe­rador Décio, foi de­tido pelos pa­gãos no Ca­pi­tólio desta ci­dade e ar­re­mes­sado do alto do edi­fício pelas es­cadas, de modo que, frac­tu­rada a ca­beça e di­la­ce­rado todo o corpo, en­tregou a sua alma a Cristo. († c. 250). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. II, São Saturnino, um dos sete bispos missionários enviados pela Igreja Romana para evangelizar as Gálias, e que fundou a Sé episcopal de Toulouse. Uma magnífica basílica românica foi-lhe dedicada no séc. XI, aparecendo como uma das importantes etapas ao longo do caminho para Compostela. (M). Ver páginas 312-316: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Saturnino_de_Tolosa

– Ver “São Saturnino de Tolosa (ou de Toulouse) (morto em Tolosa em 257) foi um missionário romano que pregou nas GáliasPirenéus e Península Ibérica.[1] É um dos chamados “Apóstolos para os gauleses“, que foi enviado para cristianizar a Gália (provavelmente pelo Papa Fabiano) depois das perseguições durante o consulado de Décio e Grato (250-251) terem feito desaparecer todas as comunidades cristãs exceto as mais pequenas. São Fabiano enviou sete bispos de Roma para a Gália para pregar os EvangelhosSão Gaciano para ToursSão Trófimo para ArlesSão Paulo para NarbonaSanto Austremónio para Clermont-FerrandSão Denis para ParisSão Marçal para Limoges e São Saturnino para Tolosa.[nt 2]”: Saturnino de Tolosa – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Em An­cira, na Ga­lácia, hoje An­cara, na Tur­quia, São Fi­lo­meno, mártir, que, se­gundo a tra­dição, du­rante a per­se­guição do im­pe­rador Au­re­liano, sendo pre­feito Félix, ator­men­tado pri­mei­ra­mente no fogo e de­pois tres­pas­sadas as mãos, os pés e a ca­beça com cravos, con­sumou o seu martírio. († s. III)

4.   Em Tódi, na Úm­bria, re­gião da ho­di­erna Itália, Santa Ilu­mi­nada (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem. († c. s. IV)

5.   Em Batnan, no Os­roene, na ho­di­erna Tur­quia, São Tiago, bispo de Sarug, que ilus­trou com pu­rís­sima fé esta Igreja por meio de ser­mões, ho­mi­lias e tra­du­ções, e é ve­ne­rado pelos Sí­rios como doutor e co­luna da Igreja, jun­ta­mente com Santo Efrém. († 521)

6*.   Em De­venter, na Frísia, na ac­tual Ho­landa, a tras­la­dação de São Rat­bodo, bispo de Utrecht, pastor sábio e pru­dente, que morreu quando vi­si­tava as po­pu­la­ções rurais. († 918)

7*.   Em York, na In­gla­terra, o Beato Edu­ardo Burden, pres­bí­tero e mártir, que, tendo es­tu­dado no Co­légio dos In­gleses em Reims, quando re­gressou aos do­mí­nios da rainha Isabel I já or­de­nado sa­cer­dote, foi con­de­nado ao pa­tí­bulo pe­rante uma mul­tidão enfurecida. († 1588)

8*.   Na mesma ci­dade de York, oito anos de­pois, os be­atos Jorge Er­rington, Gui­lherme Gibson e Gui­lherme Knight, már­tires, que, pros­critos pelo mero facto de serem con­si­de­rados sa­cer­dotes, foram mar­ti­ri­zados cruelmente. († 1596)

9*.   Em Aceh, ilha de Su­matra, na ac­tual In­do­nésia, os be­atos már­tires Di­o­nísio da Na­ti­vi­dade (Pedro Berthelot), pres­bí­tero, e Re­dento da Cruz (Tomás Ro­dri­gues), re­li­gi­osos da Ordem dos Car­me­litas Des­calços, que foram sub­me­tidos à es­cra­vidão pelos ma­o­me­tamos e de­pois le­vados para a beira-mar, onde foram mortos a golpes de lança e de setas. († 1638)

10♦.   Em Val­la­dolid, na Es­panha, o Beato Ber­nardo Fran­cisco de Hoyos, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus, pri­meiro e prin­cipal da de­voção ao Sa­grado Co­ração de Jesus nesta nação. († 1735)

– Ver “Bernardo Francisco de Hoyos y de Seña (Torrelobatón21 de agosto de 1711 – Valhadolide29 de novembro de 1735) foi um presbítero jesuíta, primeiro e principal apóstolo da devoção ao Sagrado Coração de Jesus na Espanha.[1]”: Bernardo de Hoyos – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

11.   Em Lu­cera, na Apúlia, re­gião da Itália, São Fran­cisco An­tónio Fa­sáni, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, homem de grande sa­be­doria, so­li­da­mente fun­da­men­tado na prá­tica da pre­gação e da pe­ni­tência, o qual se de­dicou de tal modo aos po­bres e in­di­gentes, que nunca du­vidou em des­prender-se até das suas vestes para co­brir um men­digo, ofe­re­cendo a todos a sua ajuda cristã. († 1742)

12♦.   Em Roma, a Beata Maria Ma­da­lena da Encarnação (Ca­ta­rina Sor­díni), virgem, fun­da­dora do Ins­ti­tuto das Irmãs da Ado­ração Per­pétua do San­tís­simo Sacramento. († 1824)

13*.   Em El Saler, lo­ca­li­dade pró­xima de Va­lência, na Es­panha, o Beato Al­fredo Simão Co­lo­mina, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que, na per­se­guição contra a Igreja, con­firmou com o seu sangue a sua fi­de­li­dade ao Senhor. († 1936)

14. São Brás de Véroli (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver página 318 “Em Véroli, os santos mártires Brás e Demétrio”: VIDAS DOS SANTOS – 20.pdf (obrascatolicas.com)

15. São Paramão (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver página 318 “Aniversáric, de morte dos santos Paramão e trezentos e setenta e cinco companheiros, sob o imperador Décio e o prefeito Aquilino, em 250.”: VIDAS DOS SANTOS – 20.pdf (obrascatolicas.com)

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Sifredo, monge de Lérins, que veio evangelizar a região de Carpentras, da qual foi o primeiro bispo. (X). Ver “São Sifredo, bispo de Carpentras. Um cavaleiro, nobre, apareceu no mosteiro de Lérins, governado por Cesário de Arles, com um filho, Sifredo. O menino estudou gramática, retórica e dialética. Aos trinta anos, foi eleito bispo de Venasco, e abençoado por São Cesário, bispo de Arles. Em Venasco Sao Sifredo erigiu duas igrejas em honra de Nossa Senhora e de São João Batista, e uma terceira em Carpentras, dedicada a Santo Antônio, abade. Bispo de Carpentras, socorreu, sempre, muito eficazmente os pobres, que o amavam. Há que notar na legenda acima resumida: 1.São Cesário de Arles não foi abade de Lérins; 2. São Sifredo foi feito bispo aos trinta anos? …” página 283, em 27 de novembro: VIDAS DOS SANTOS – 20.pdf (obrascatolicas.com)

17. São Brandão de Birr. Ver “São Brandão de Birr (morreu c. 572), foi um dos primeiros santos monásticos irlandeses. Ele foi um monge e, mais tarde, um abade, no século VI. Ele é conhecido como “São Brandão o Velho” para o distinguir do seu contemporâneo e amigo São Brandão o Navegador.[2] Ele foi um dos Doze Apóstolos de a Irlanda, e um amigo e discípulo de São Columba.[3]”: Brandão de Birr – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “Os Doze Apóstolos de Erin, que vieram estudar aos pés de São Finiano, em Clonard,às margens dos rios Boyne e Kinnegad, dizem ter sido São Ciaran de Saighir (Seir-Kieran) e St. Ciaran de Clonmacnois; São Brendan de Birr e São Brendan de Clonfert; São Columba de Tir-da-glasí (Terryglass) e Santa Columba de Iona; St. Mobhí de Glasnevin; Ruadhan de Lorrha; São Sena de Iniscathay (Ilha Dispersa); St. Ninnidh, a Santa de Loch Erne; St. Lasserian mac Nadfraech, e St. Canice de Aghaboe. Embora houvesse muitos outros homens santos educados em Clonard que poderiam alegar ser verdadeiros apóstolos, os doze acima são considerados por velhos escritores irlandeses como “Os Doze Apóstolos de Erin”. Eles não são indignos do título, pois todos eram de fato apóstolos, cujos estudos foram fundados nas Escrituras Sagradas como expostos por São Finiano…”: CATHOLIC ENCYCLOPEDIA: The Twelve Apostles of Erin (newadvent.org)

18. Outros santos do dia 29 de novembro: págs. 312-319: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 29 de novembro, ver ainda: 29 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 914-916:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 28 de novembro

1.   Em Se­baste, na Ar­ménia, hoje Sivas, na Tur­quia, Santo Ire­narco, mártir, que, exer­cendo o ofício de ver­dugo, se con­verteu a Cristo im­pres­si­o­nado pela firme per­se­ve­rança das mu­lheres cristãs e, no tempo do im­pe­rador Di­o­cle­ciano e do go­ver­nador Má­ximo, morreu decapitado. († s. IV)

2.   Na África Pro­con­sular, no ter­ri­tório da ac­tual Líbia e Tu­nísia, a co­me­mo­ração dos santos már­tires Pa­pi­niano, bispo de Vita, e Man­sueto, bispo de Urúsi, que, du­rante a per­se­guição dos Vân­dalos, no tempo do rei ariano Gen­se­rico, por de­fender a fé ca­tó­lica foram quei­mados em todo o seu corpo com lâ­minas de ferro in­can­de­centes e assim con­su­maram o seu glo­rioso com­bate. No mesmo tempo, também ou­tros santos bispos – Ur­bano de Girba, Cres­cente de Bi­zácio, Ha­bet­deus de Teu­dáli, Eus­trácio de Sufes, Cres­cónio de Oea, Vicis de Sá­batra e Félix de Ha­dru­meto; de­pois, no tempo de Hu­ne­rico, filho de Gen­se­rico, Hor­tu­lano de Be­nefa e Flo­ren­ciano de Mi­dila – foram exi­lados e ter­mi­naram o curso da sua vida como con­fes­sores da fé. († c. 453-460). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na África, no séc. V, São Pampiniano e seus companheiros, martirizados por terem desejado guardar a fé apostólica (M). Ver páginas 305-306: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

3.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, Santo Es­têvão o Jovem (também na Folhinha do Coração de Jesus, Estêvão, o moço), monge e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Cons­tan­tino Co­pró­nimo, por de­fender o culto das sa­gradas ima­gens foi ator­men­tado com vá­rios su­plí­cios, con­fir­mando a ver­dade ca­tó­lica com o der­ra­ma­mento do seu sangue. († 764). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Constantinopla, no ano do Senhor de 764, Santo Estêvão, o Jovem, martirizado juntamente com muitas centenas de monges, por ter defendido o culto dos santos ícones. (M). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Estêvão,_o_Jovem .

– Ver também Santo Estêvão de Auxêncio: páginas 285-300: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver “Estêvão, o Jovem (em grego: Ἂγιος Στέφανος ὁ νέος 713/715 – 28 de novembro de 764/765) foi um monge bizantino de Constantinopla que tornou-se um dos principais oponentes das políticas iconoclastas do imperador Constantino V Coprônimo (r. 741–775). Foi executado em 764, e tornou-se o mais proeminente mártir iconódulo. Sua festa é celebrada anualmente em 28 de novembro. Sua hagiografia, a “Vida de São Estêvão, o Jovem”, é uma importante fonte histórica. Como um proeminente defensor das imagens, e o maior mártir da iconoclastia, Estêvão é retratado segurando um ícone ou um díptico de ícones, geralmente mostrando os bustos de Cristo e Virgem Maria. Ele é também uma das testemunhas do famoso ícone russo celebrando o “Triunfo da Ortodoxia“.[1]”: Estêvão, o Jovem – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

4*.   Perto de Ros­sano, na Ca­lá­bria, re­gião da Itália, Santa Te­o­dora, aba­dessa, dis­cí­pula de São Nilo o Jovem e mestra de vida monástica. († 980)

5.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, também re­gião da Itália, o se­pul­ta­mento de São Tiago da Marca (também na Folhinha do Coração de Jesus, Tiago das Marcas), pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, ilustre pela sua pre­gação e aus­te­ri­dade de vida. († 1476). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Nápoles, no ano da graça de 1476, São Tiago della Marca, frade franciscano, célebre por seu sucesso como pregador na Itálía e na Europa central, assim como por suas missões no interesse da Cristandade. (M). Ver páginas 307-311: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também “O santo de hoje morreu dizendo “Jesus, Maria, bendita Paixão de Jesus”, isto porque sua vida toda foi dedicada para a causa do Evangelho. Tiago da Marca nasceu no ano 1391 numa aldeia da Marca de Ancona, Itália. Recebeu no Batismo o nome de Domingos. Tendo morrido seu pai e sua mãe, ficou aos cuidados de um homem rico que o encaminhou para trabalhos administrativos. Desta forma, São Tiago conheceu a iniquidade do mundo, tomando a decisão de se retirar para um convento.”: https://santo.cancaonova.com/santo/sao-tiago-da-marca-dedicou-sua-vida-para-a-causa-do-evangelho/

6*.   Em York, na In­gla­terra, o Beato Jaime Thomson, pres­bí­tero e mártir, que, con­de­nado à morte no rei­nado de Isabel I por ter re­con­ci­liado muitas pes­soas com a Igreja ca­tó­lica, so­freu o su­plício do patíbulo. († 1582)

7.   No ter­ri­tório de Kham Duong, no Anam, hoje no Vi­etnam, Santo André Tran Van Trong, mártir, que, no tempo do im­pe­rador Minh Mang, por se re­cusar a calcar a cruz, de­pois de ser en­car­ce­rado e su­portar cruéis tor­turas, fi­nal­mente foi degolado. († 1835)

8*.   Em Pa­ra­cu­ellos del Ja­rama, lo­ca­li­dade pró­xima de Ma­drid, na Es­panha, o Beato João Jesus (Ma­riano Adradas Gon­zalo), pres­bí­tero, e ca­torze companheiros, már­tires, re­li­gi­osos da Ordem de São João de Deus, que, du­rante a per­se­guição re­li­giosa, foram co­ro­ados com a glo­riosa paixão. São estes os seus nomes: Gui­lherme (Vi­cente Llop Gayá), Cle­mente Díez Sahagún, Lá­zaro (João Maria Mú­gica Goi­buru), Mar­ti­niano (An­tónio Me­léndez Sán­chez), Pedro Maria Al­calde Ne­gredo, Ju­lião Pla­zaola Ar­tola, Hi­lário (An­tónio Del­gado Víl­chez), re­li­gi­osos pro­fessos; Pedro de Al­cân­tara Ber­nalte Cal­zado, João Al­calde y Al­calde, Isi­doro Mar­tínez Iz­qui­erdo, Ân­gelo Sastre Cor­po­rales, no­viços; José Mora Ve­lasco, pres­bí­tero e pos­tu­lante; José Ruiz Cu­esta, pos­tu­lante; e Edu­ardo Bap­tista Jiménez. († 1936)

9♦.   Também em Pa­ra­cu­ellos del Ja­rama, os be­atos már­tires Ave­lino Ro­drí­guez Alonso, pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho e de­za­nove companheiros már­tires, que, na mesma per­se­guição, ven­ceram glo­ri­o­sa­mente o seu com­bate por Cristo. São estes os seus nomes: Ber­nar­dino Ál­varez Melcón, Bal­bino Vil­la­roel Vil­la­roel, Bento Al­calde Gon­zález, Bento Gar­nelo Ál­varez, Bento Ve­lasco Ve­lasco, Ma­nuel Ál­varez Rego de Seves, Sa­bino Ro­drigo Fi­erro, Sa­muel Pa­jares Garcia, Sénen Garcia Gon­zález, pres­bí­teros da Ordem de Santo Agos­tinho; João Bal­dajos Pérez, José Peque Iglé­sias, Lu­cínio Ruíz Val­ti­erra, Marcos Pérez An­drés, Marcos Guer­rero Prieto, re­li­gi­osos da Ordem de Santo Agos­tinho; Anas­tásio Garzón Gon­zález, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana; Justo Ju­anes Santos e Va­lentim Gil Ar­ribas, re­li­gi­osos da So­ci­e­dade Sa­le­siana; João Her­rero Ar­royo e José Prieto Fu­entes, re­li­gi­osos da Ordem dos Pregadores. († 1936)

10♦.   Também em Pa­ra­cu­ellos de Ja­rama, os be­atos Fran­cisco Es­tevão Lacal e Vi­cente Blanco Guadilla, pres­bí­teros da Con­gre­gação dos Mis­si­o­ná­rios Oblatos de Maria Ima­cu­lada, e onze companheiros, mártires. São estes os seus nomes: Ân­gelo Fran­cisco Bocos Her­nández, Cle­mente Ro­drí­guez Te­je­rían, Da­niel Gómez Lucas, Eleu­tério Prado Vil­lar­roel, Gre­gório Es­cobar García, José Guerra An­drés, João José Ca­bal­lero Ro­drí­guez, Justo Gil Pardo, Justo Fer­nández Gon­zález, Mar­ce­lino Sán­chez Fer­nández e Pú­blio Ro­drí­guez Mos­lares, re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Mis­si­o­ná­rios Oblatos de Maria Imaculada. († 1936)

11*.   Em Pi­ca­dero de Pa­terna, no ter­ri­tório de Va­lência, também na Es­panha, o Beato Luís Campos Górriz, mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição, co­roou com o seu glo­rioso mar­tírio uma vida fer­vo­ro­sa­mente de­di­cada ao apos­to­lado e às obras de caridade. († 1936)

12. São José Pignatelli, (também na Folhinha do Coração de Jesus)

– Ver 14 de novembro: São José Pignateli. Ver “José Pignatelli ou Giuseppe Pignatelli em italiano (Zaragoza27 de Dezembro de 1737 – Roma14 de Novembro de 1811) foi um padre jesuíta santo italiano e um dos que mais contribuíram para a restauração da Companhia de Jesus.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Pignatelli

13. Bv. Maria Helena Stollenwerk, (também na Folhinha do Coração de Jesus). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Neste dia, celebra-se a memória da Bem-Aventurada Madre Maria Stollenwerk, que partiu para junto de Deus no dia 3 de fevereiro de 1900, três dias depois de ter feito profissão no ramo contemplativo da sua congregação. Não obstante ser fundadora e professa, teve que refazer toda a formação. João Paulo II a beatificou em sete de maio de 1995.

14. São Sóstenes, discípulo de São Paulo. Ver páginas: 301-302: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver “Sóstenes (do grego “salvo na força”) era o líder da sinagoga judaica em Corinto que, de acordo com os Atos dos Apóstolos (Atos 18:12-17), foi capturado e surrado por uma multidão na presença de Gálio, o governador romano, quando ele se recusou a iniciar os procedimentos contra Paulo, como queria a turba (veja Julgamento de Paulo em Corinto). Sóstenes era o “principal da sinagoga” e, quando foi espancado, em nada se incomodou Gálio. Na verdade, não se sabe porque Sóstenes foi espancado e nem se quem o espancou eram os gregos, judeus ou romanos. Acredita-se que seja o mesmo Sóstenes mencionado em I Coríntios 1:1 e, portanto, um cristão. Ele é um dos Setenta Discípulos e acredita-se que tenha sido bispo da cidade de Cólofon.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%B3stenes

15. Santos Hilário e Quieta, esposos. Ver “” páginas 303-304: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

16. Santa Catarina Labouré. Ver “Santa Catarina Labouré (2 de maio de 1806 – 31 de dezembro de 1876) foi uma freira da Companhia das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, com seu confessor Padre Aladel fundou a Juventude Mariana Vicentina. Recebeu três aparições de Nossa Senhora reconhecidas pela Igreja Católica com a revelação de um devocional: a chamada Medalha Milagrosa (Nossa Senhora das Graças).”: Catarina Labouré – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “A breve jaculatória que os cristãos recitam há mais de um século “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós” foi ditada pela Bem-Aventurada Virgem no dia 28 de julho de 1830…”: https://comeceodiafeliz.com.br/santo/santa-catarina-laboure

– Ver ainta: “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós. Essa inscrição já sintetiza boa parte da mensagem que a Virgem Mãe revelou: a Imaculada Conceição, pela primeira vez objeto de revelação particular, em 1858 ratificada em Lourdes, e transformada em dogma pelo papa Pio IX, com a bula Ineffabilis Deus, e a mediação da Mãe de Deus junto ao seu Divino Filho. Usar essa invocação, portanto, significa acreditar que a Virgem das virgens é a Medianeira Imaculada”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_das_Gra%C3%A7as

17. Outros santos do dia 28 de novembro: págs. 285-311: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 28 de novembro, ver ainda: 28 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 911-913:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 27 de novembro

FESTA DE NOSSA SENHORA DA MEDALHA MILAGROSA, (também na Folhinha do Coração de Jesus, Nossa Senhora das Graças), padroeira principal da diocese de Caxias, no Maranhão, celebrada em várias arquidioceses (Belo Horizonte, Diamantina, Mariana) e em toda a província eclesiástica de Fortaleza. (R). Ver “NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS é uma invocação especial pela qual é conhecida a Santíssima Virgem Maria, também invocada com a mesma intenção sob o nome de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa e Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_das_Graças

–  Ver “Nossa Senhora das Graças (também na Folhinha do Coração de Jesus) é uma invocação especial pela qual é conhecida a Santíssima Virgem Maria, também invocada com a mesma intenção sob o nome de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa e Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças.”: Nossa Senhora das Graças – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Em 1830, no seminário das Filhas da Caridade na rua do Bac, em Paris, a Aparição da Virgem Maria, Concebida Sem Pecado, que convidou Santa Catarina Labouré a representá-la numa medalha tal como ela lhe havia aparecido. (X). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Catarina_Labouré

– Ver 31 de maio: 31 DE MAIO (também em 26 de novembro): NOSSA SENHORA MEDIANEIRA DE TODAS AS GRAÇAS

Ver “Era desígnio de Deus”, diz Leão XIII, que, após ter Maria servido de intermediária no mistério da Redenção, “continuasse igualmente a ser intermediária das graças que esse mistério faria correr em todos os tempos”: https://www.portalsaofrancisco.com.br/historia-geral/nossa-senhora-medianeira-de-todas-as-gracas

– Ver também “Em 1921, Bento XVI, a pedido do Cardeal Mercier, concedeu à Bélgica o ofício e a missa da Bem-aventurada Virgem Maria “Medianeira de todas as graças”, a celebrar no dia 31 de Maio. Depois, a Sé Apostólica concedeu o mesmo ofício e missa a numerosas dioceses e congregações religiosas. Daí que a memória da Bem-aventurada Maria Medianeira se tenha tornado quase universal. A Virgem Maria é Medianeira de graça, porque foi associada a Cristo na aquisição da graça maior, a Redenção, isto é, a salvação, a vida divina e a glória eterna (cf. LG 61).”: https://www.dehonianos.org/portal/nossa-senhora-medianeira-de-todas-as-gracas0/

História de Nossa Senhora Medianeira - Santos e Ícones Católicos - Cruz  Terra Santa-Ver ainda: “Medianeira (em latimMediatrix) na mariologia da Igreja Católica refere-se ao papel da Virgem Maria como uma mediadora de graças e bençãos através de Jesus. É um conceito distinto de Co-Redentora. Essa doutrina é baseada no fato de que Maria deu à luz Jesus, que é a responsável por todas as graças e bençãos concedidas à humanidade, assim ela participou da mediação dessas graças, devido ao seu Filho. Papas, como Leão XIII e Pio XII têm tradicionalmente apoiado esta interpretação. O conceito de medianeira não é um dogma mariano, embora tenham sido feitas petições por vários cardeais e bispos ao Papa para declará-lo (juntamente com o Co-Redentora) um dogma. Este conceito se tornaria o quinto dogma mariano aprovado pela Santa Sé.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Medianeira

– Ver também: https://www.google.com/search?safe=active&sxsrf=ALeKk01YEgZR00AxSH099RB5BZIOBnGR8w%3A1601413300165&source=hp&ei=tKBzX4TAB4C05OUP1pKLyAo&q=nossa+senhora+medianeira&oq=nossa+senhora+medianeira&gs_lcp=CgZwc3ktYWIQAzIECCMQJzICCAAyAggAMgIIADICCAAyAgguMgIIADoFCAAQsQM6BQguELEDOggIABCxAxCDAToECAAQClDQE1iKLGCyL2gAcAB4AIABzgGIAf8ikgEGMC4yMi4ymAEAoAEBqgEHZ3dzLXdpeg&sclient=psy-ab&ved=0ahUKEwiE6pG3oY_sAhUAGrkGHVbJAqkQ4dUDCAc&uact=5

MARIA MEDIADORA. Ver páginas 207-217: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2017.pdf

Festa de NOSSA SENHORA MEDIANEIRA DE TODAS AS GRAÇAS 07,08,09 DE NOVEMBRO – SÁBADO ANTES DO SEGUNDO DOMINGO DE NOVEMBRO. 

Basílica da Medianeira - Santuário Basílica Nossa Senhora da Medianeira de  Todas as GraçasEm 2020, conforme o site da Diocese, dia 08 de novembro de 2020 é o dia da grande romaria (77ª ROMARIA OFICIAL DE NOSSA SENHORA MEDIANEIRA DE TODAS AS GRAÇAS), “Iniciamos a preparação para nossa grande Romaria que ocorrerá dia 08 de novembro! Neste ano com o Tema: “Maria, não tenhas medo, pois achaste graça diante de Deus” (Lc 1,30); e o Lema: “Vida eu te quero! Vida eu te quero! Vida és tu meu Deus”.”: http://www.diocesesantamaria.org.br/content/news/news_item.asp?content_ID=140

– Ver ainda: FESTA, conforme o Martirológio Romano-monássico, na Província Eclesiástica do Rio Grande do Sul. Esta festa é celebrada NO SÁBADO ANTES DO SEGUNDO DOMINGO DE NOVEMBRO. Em 2020 é dia 07 de novembro. No DIRETÓRIO DA LITURGIA DA CNBB de 2020, diz que a celebração é 09 de novembro. Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Medianeira

– Ver também: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-nossa-senhora-medianeira/47/102/

– Ver ainda: https://formacao.cancaonova.com/nossa-senhora/dogma/o-que-significa-ser-medianeira-de-todas-as-gracas/

– Ver ainda: https://www.google.com/search?q=Nossa+Senhora+Medianeira&oq=Nossa+Senhora+Medianeira&aqs=chrome..69i57j0l5.10413j0j8&sourceid=chrome&ie=UTF-8

OBSERVAÇÃO: EM 08 DE SETEMBRO HÁ VÁRIAS REFERÊNCIAS A FESTAS E SOLENIDADES DE NOSSA SENHORA.

OUTROS SANTOS DE 26 DE NOVEMBRO

1.   Junto ao rio Cea, na Ga­lécia, hoje na Es­panha, os santos Fa­cundo e Pri­mi­tivo, mártires. († s. IV)

2.   Em Gru­mento, na Lu­cânia, hoje na Ba­si­li­cata, re­gião da Itália, São La­vério, mártir. († s. IV)

3.   Em Aqui­leia, na Ve­nécia, agora no Friúli, também re­gião da Itália, São Va­le­riano (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, que de­fendeu a ver­da­deira fé no an­tigo Ilí­rico contra os ari­anos e reuniu clé­rigos e leigos para vi­verem em comunidade. († 388). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 388, São Valeriano, bispo de Aquiléia, muito estimado pelos Santos Dâmaso de Roma, Ambrósio de Milao e Basílio de Cesaréia, seus contemporâneos. (M)

4.   Na an­tiga Pérsia, São Tiago, de­no­mi­nado In­ter­ciso, mártir, que, no tempo do im­pe­rador Te­o­dósio o Jovem, re­negou a Cristo para se con­ci­liar com o rei Is­de­gardes, mas ener­gi­ca­mente re­pre­en­dido por sua mãe e sua es­posa, ar­re­pendeu-se e de­clarou in­tre­pi­da­mente a sua fé cristã pe­rante Va­rame, filho e su­cessor de Is­de­gardes, irado, ditou contra ele a sen­tença de morte, man­dando que fosse cor­tado membro a membro e decapitado. († c. 420). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, São Tiago, mártir persa. Nascido cristão, em determinado momento renegou a Cristo, ofuscado pela amizade do rei e pelas bajulações que daí lhe advinham. Renegado, por sua vez, por sua mãe e por sua esposa como apóstata, chorou amargamente seu pecado e proclamou corajosamente sua fé, pela qual veio a morrer, depois de ter sido atrozmente mutilado. (M). Ver páginas 274-278: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

5.   Em Riez, na Pro­vença, ac­tu­al­mente na França, São Má­ximo, que foi abade do mos­teiro de Lé­rins, su­ce­dendo a Santo Ho­no­rato, o fun­dador deste ce­nóbio, e de­pois foi bispo de Riez.  († d. 455)

6*.   No ter­ri­tório de Blois, na Gália, também na ac­tual França, Santo Eu­sício, so­li­tário, que cons­truiu uma pe­quena cela no sopé do monte Cher. († 542). Ver páginas 279-281: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

7*.   Em Car­pen­tras, na Pro­vença, também na ac­tual França, São Si­frido, bispo. († s. VI)

8*.   Em Noyon, ci­dade da Gália, igual­mente na ho­di­erna França, Santo Acário, bispo, que, sendo monge em Lu­xeuil e eleito para a Igreja de Noyon e de Tournai, se de­dicou ar­do­ro­sa­mente à evan­ge­li­zação das re­giões setentrionais. († 640)

9*.   Em Mo­gúncia, na Re­nânia da Aus­trásia, na ac­tual Ale­manha, Santa Bi­lilde, virgem, que fundou um ce­nóbio no qual morreu santamente. († s. VIII in.)

10*.   Na Es­cócia, São Fer­gusto, bispo, que, se­gundo a tra­dição, exerceu o mi­nis­tério entre os Pictos. († a. 721)

11.   Em Salz­burgo, na Ba­viera, na ho­di­erna Áus­tria, São Vir­gílio, bispo, homem de grande cul­tura, nas­cido na Ir­landa, que, apoiado pelo rei Pe­pino, foi no­meado para di­rigir a Igreja de Salz­burgo, onde cons­truiu a igreja ca­te­dral em honra de São Ru­perto e se de­dicou com su­cesso à pro­pa­gação da fé entre os ha­bi­tantes da Caríntia. († 784). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto do ano de 785, São Virgilio, bispo de Salzburgo, na Austria, que anunciou a Boa Nova aos eslavos da Caríntia. (M)

12*.   Em Be­au­voir-sur-Mer, lo­ca­li­dade do li­toral da França, no ter­ri­tório de Nantes, na Bre­tanha Menor, São Guls­tano, monge, que, ainda jovem, tendo-se eva­dido das mãos dos pi­ratas, foi aco­lhido por São Félix, então ere­mita; tornou-se cé­lebre no mos­teiro de Rhuys, porque, em­bora anal­fa­beto, re­ci­tava de cor o sal­tério e pres­tava as­sis­tência aos navegantes. († c. 1040)

13*.   Em L’Áquila, na re­gião dos Ves­tinos, hoje nos Abruzos, re­gião da Itália, o Beato Ber­nar­dino de Fossa (João Amíci), (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Ordem dos Me­nores, que pro­pagou a fé ca­tó­lica em muitas re­giões da Itália. († 1503)

14*.   Em Na­ga­sáki, no Japão, os be­atos Tomás Ko­teda Kiuni e dez com­pa­nheiros, már­tires, que, por ordem do go­ver­nador Gon­zuku, foram de­go­lados em ódio à fé cristã. São estes os seus nomes: Bar­to­lomeu Seki, An­tónio Ki­mura, João Iwa­naga, Aleixo Na­ka­mura, Leão Na­ka­nishi, Mi­guel Ta­keshita, Ma­tias Ko­zasa, Romão Mat­suoka Miota, Ma­tias Na­kano Miota e João Motoyama. († 1619)

15*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, perto de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Bro­nislau Kos­towski, mártir, que, de­por­tado du­rante a ocu­pação mi­litar da Po­lónia na se­gunda Grande Guerra, cru­el­mente tor­tu­rado no cár­cere al­cançou a palma do martírio. († 1942)

16. São Francisco Antônio (também na Folhinha do Coração de Jesus)

17. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto do ano de 500, Santo Acácio, monge armênio, que São João Clímaco qualifica de “bom operário da obediência”. (M)

18. São Barlaão e Josafá. Ver “…Josaphat deixou seu reino no vigésimo quinto ano de sua idade, e levou a vida de um eremita de trinta e cinco anos e depois descansou em paz, cheio de virtudes, e foi enterrado pelo corpo de Barlaam”: The Golden Legend: The Story of Barlaam and Josaphat (archive.org)

– Ver também na Wikipedia de 27 de novembro “Barlaão e Josafá são mártires e santos cristãos, cuja vida foi baseada na história de Sidarta Gautama[5].”: Barlaão e Josafá – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também pág. 283 “Na parte das Índias, limítrofe da Pérsia, os santos Barlaão e ]osafá, dos quais São João Damasceno descreveu os feitos maravilhosos.”: VIDAS DOS SANTOS – 20.pdf (obrascatolicas.com)

19. Outros santos do dia 27 de novembro: págs. 274-284: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 27 de novembro, ver ainda: 27 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 909-911:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 26 de novembro

26 DE NOVEMBRO DE 2020

QUARTA QUINTA-FEIRA DE NOVEMBRO: DIA NACIONAL DE AÇÃO DE GRAÇAS

“A idéia de transformar o “Dia de Ação de Graças” em acontecimento unversal nasceu de um brasileiro, Joaquim Nabuco, quando Embaixador do Brasil em Washington. Em 1909, na Catedral de São Patrício, ao final da primeira Missa Pan-Americana, que celebrava o “Dia de Ação de Graças”, o Embaixador brasileiro formulou publicamente o seguinte Voto: “Eu quisera que toda a humanidade se unisse, no mesmo dia, para um agradecimento universal a Deus”… No Brasil, o “Dia Nacional de Ação de Graças” foi instituído por meio da Lei nº 781, de 17 de agosto de 1949, pelo presidente Eurico Gaspar Dutra. O Decreto nº 57.298, de 19 de novembro de 1965, regulamenta as comemorações do “Dia Nacional de Ação de Graças”. Finalmente, a Lei nº 5.110, de 22 de setembro de 1966, determina que o “Dia Nacional de Ação de Graças” seja comemorado na 4ª quinta-feira do mês de novembro, sendo o Ministério da Justiça o órgão legalmente incumbido de promover a sua celebração…”: https://www.justica.gov.br/Acesso/institucional/sumario/dia-nacional-de-acoes-de-gracas#:~:text=Finalmente%2C%20a%20Lei%20n%C2%BA%205.110,de%20promover%20a%20sua%20celebra%C3%A7%C3%A3o.

– Ver também “O Dia de Ação de Graças (AO 1945: Dia de Acção de Graças), conhecido em inglês como Thanksgiving Day, é um feriado celebrado sobretudo nos Estados Unidos, no Canadá e nas ilhas do Caribe, observado como um dia de gratidão a Deus, com orações e festas, pelos bons acontecimentos ocorridos durante o ano… No Brasil, o então presidente Gaspar Dutra instituiu o Dia Nacional de Ação de Graças, através da lei 781, de 17 de agosto de 1949, por sugestão do embaixador Joaquim Nabuco, entusiasmado com as comemorações que vira em 1909, na Catedral de São Patrício, quando embaixador em Washington. Em 1966, a lei 5110 estabeleceu que a comemoração de Ação de Graças se daria na quarta quinta-feira de novembro. ”: https://pt.wikipedia.org/wiki/A%C3%A7%C3%A3o_de_Gra%C3%A7as

1.   Em Roma, no ce­mi­tério de Pris­cila, junto à Via Sa­lária Nova, São Si­rício, papa, que Santo Am­brósio louva como ver­da­deiro mestre, porque, to­mando sobre si a res­pon­sa­bi­li­dade de todos os bispos, os ins­truiu com os en­si­na­mentos dos santos Pa­dres e os con­firmou com a sua au­to­ri­dade apostólica. († 399). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano da graça de 399, o sepultamento de São Sirício, papa. Através de várias cartas às Igrejas da África, da Espanha, da Gália e da Itália, ele dizia que “o Bem-Aventurado Pedro carregava consigo o fardo de todos aqueles que são encarregados das almas”. (M). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Sirício

– Ver “O Papa Sirício (em latim Siricius) foi o papa da Igreja Católica de dezembro de 384 a 26 de novembro de 399.[1] Foi sucessor de Dâmaso I e sucedido por Anastácio I. Sirício foi eleito bispo de Roma por unanimidade, apesar das tentativas de autopromoção do antipapa Ursino. Diz a tradição que Sirício deixou mulher e filhos para tornar-se papa. O número de filhos é desconhecido…”: Papa Sirício – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

2.   Em Adri­a­nó­polis, na Pa­fla­gónia, na ho­di­erna Tur­quia, Santo Alípio, diá­cono e es­ti­lita, que morreu quase centenário. († d. 610). Santo Alípio, estilita. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Alípio,_o_Estilita

– Ver “Alípio, o Estilita foi um santo asceta e estilita do século VII. Durante a sua vida toda ele foi muito procurado pelos fiéis como um starets (guia na vida espiritual cristã ortodoxa).”: Alípio, o Estilita – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Em Kons­tanz, na Suábia, em ter­ri­tório da ac­tual Ale­manha, São Con­rado (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, óp­timo pastor da sua grei, que dis­tri­buiu ge­ne­ro­sa­mente os seus bens em favor da Igreja e dos pobres. († 975). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/São_Conrado_de_Constança

– Ver “Conrado de Constança ou Conrado de Altdorf (em alemão, Konrad von Konstanz ou Konrad von I. Altdorf) (Weingarten900 – Constança26 de novembro de 975) foi bispo da diocese de Constança entre 934 e 975. Ele é venerado como um santo pela Igreja CatólicaIgreja Luterana e Igreja Ortodoxa.”: São Conrado de Constança – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

4.   Em La­ce­de­mónia, no Pe­lo­po­neso, ter­ri­tório da Grécia, São Nicão, monge, que, de­pois de uma vida ce­no­bí­tica e ere­mí­tica na pro­víncia da Ásia, tra­ba­lhou com zelo evan­gé­lico para res­taurar a vida cristã na ilha de Creta, recém-li­berta do jugo dos Sar­ra­cenos; de­pois partiu para a Grécia a pregar a pe­ni­tência, até que fa­leceu no mos­teiro de Es­parta, por ele fundado. († 998). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, às margens do mar Negro, em 998, São Nicônio, monge, que percorria os caminhos repetindo, sem cessar, o apelo evangélico à conversão, donde seu cognome de “Metanoieté”. (M). Ver páginas 266-268: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

5.   Na flo­resta pró­xima de Fratta, no ter­ri­tório de Ro­vigo, hoje no Vé­neto, re­gião da Itália, a paixão de São Be­lino (também na Folhinha do Coração de Jesus, Belina), bispo de Pádua e mártir, in­signe de­fensor da Igreja, que, cru­el­mente es­pan­cado por si­cá­rios, morreu em con­sequência das le­sões recebidas. († 1147)

6*.   No mos­teiro dos Có­negos Re­grantes de Sixt, na Sa­vóia, ter­ri­tório da França, o Beato Pôncio de Faucigny, que foi abade de Abon­dance e, re­nun­ci­ando ao cargo, quis morrer como sim­ples religioso. († 1178). Ver “Bem-aventurado Ponce de Faucigny , nascido por volta de 1100 e morreu por volta de26 de novembro de 1178em Sixt-Fer-à-Cheval , é um religioso saboiano, membro da poderosa casa de Faucigny . A Igreja Católica celebra em 26 de novembro…”: https://fr.wikipedia.org/wiki/Ponce_de_Faucigny

7.   Perto de Fa­briano, nas Marcas, re­gião da Itália, São Sil­vestre Gozzolíni, abade, que, pro­fun­da­mente con­ven­cido da vai­dade de todas as coisas do mundo di­ante da se­pul­tura aberta de um amigo pouco antes fa­le­cido, se re­tirou para o ermo, mu­dando vá­rias vezes de sítio para per­ma­necer mais oculto aos ho­mens, e, por fim, num lugar de­serto, pró­ximo de Mon­te­fano, lançou as bases da Con­gre­gação dos Sil­ves­trinos, sob a regra de São Bento. († 1267). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Fabriano, na Itália central,, em 1267, São Silvestre. Tendo a experiência lhe ensinado a olhar tudo como se fosse lixo, comparado ao valor do supremo ganho que é Cristo, abraçou a vida monástica, à qual deu novo impulso. A congregação dos silvestrinos retira da Regra de São Bento o espírito de seu trabalho apostólico. (B). Ver páginas 269-270: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

8*.   Em Apt, na Pro­vença, re­gião da França, a Beata Del­fina, es­posa de Santo Eleázar de Sa­bran, com o qual fez voto de guardar cas­ti­dade e, de­pois da morte do seu es­poso, viveu em po­breza e de­di­cada à oração. († 1358/1360)

9*.   Em York, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Hugo Taylor, pres­bí­tero, e Mar­ma­duco Bowes: o pri­meiro, ainda jovem, por ser sa­cer­dote, e o se­gundo, já an­cião, por tê-lo aju­dado, foram ambos con­de­nados ao su­plício do pa­tí­bulo no rei­nado de Isabel I. († 1585)

10.   Em Bi­sig­nano, na Ca­lá­bria, re­gião da Itália, Santo Hu­milde (Lucas An­tónio) Pi­rozzo, re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores, cé­lebre pelo seu dom de pro­fecia e fre­quentes êxtases. († 1637)

11.   Em Roma, no con­vento de São Bo­a­ven­tura, no Pa­la­tino, São Le­o­nardo de Porto Maurício (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, que, cheio de zelo pelas almas, passou quase toda a sua vida na pre­gação, na pu­bli­cação de li­vros de pi­e­dade e em mais de tre­zentas mis­sões pre­gadas em Roma, na ilha da Cór­sega e por toda a Itália setentrional. († 1751). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, em 1751, São Leonardo de Porto Mauricio, frade franciscano, chamado ainda em vida de Apóstolo da Itália”. Propagou a devoção à Via Sacra. (M). Ver páginas 257-261: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Leonardo_de_Porto_Maurício

12.   Em Nam Dinh, ci­dade do Ton­quim, hoje no Vi­etnam, os santos Tomás Dinh Viet Du e Do­mingos Hguyen Van (Doan) Xuyên, pres­bí­teros da Ordem dos Pre­ga­dores e már­tires, que foram de­go­lados ao mesmo tempo, por ordem do im­pe­rador Minh Mang. († 1839)

13*.   Em Bas­sano, pró­ximo de Vi­cenza, na Itália, a Beata Ca­e­tana Stérni, re­li­giosa, que, tendo fi­cado viúva ainda jovem, se de­dicou to­tal­mente ao ser­viço dos po­bres e fundou a Con­gre­gação das Irmãs da Von­tade Di­vina, des­ti­nada à as­sis­tência dos po­bres e dos enfermos. († 1889)

14*.   Em Roma, o Beato Tiago Al­be­rione (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, que, in­ten­sa­mente so­lí­cito pela evan­ge­li­zação, se de­dicou com toda a sua energia a pôr ao ser­viço da so­ci­e­dade hu­mana os ins­tru­mentos da co­mu­ni­cação so­cial e para isso fundou a Con­gre­gação da Pia So­ci­e­dade de São Paulo Apóstolo. († 1971)

– Ver “Tiago Alberione, em italiano Giacomo Alberione (Fossano4 de abril de 1884 – Roma26 de novembro de 1971), foi um padre italiano, católico, editor e fundador da Família Paulista (no Brasil: Família Paulina), que agrupa várias congregações religiosas. Foi beatificado em Roma no dia 27 de abril de 2003 pelo papa João Paulo II.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Tiago_Alberione

– Ver também “Fundador da Família Paulina, Tiago Alberione nasceu em 4 de abril de 1884, em São Lourenço de Fossano, norte da Itália, de uma família de camponeses simples e laboriosos. Vinte quatro horas após o nascimento, foi batizado e recebeu o nome de “Tiago”.  Buscando melhores terras para a lavoura, a família Alberione mudou para a cidade de Cherasco, onde Tiago passou sua infância e adolescência. Foi lá que se manifestou a vocação para o sacerdócio.”: http://sacramentinos.com/bem-aventurado-tiago-alberione.html

 15. Conforme o Martirológio Italiano de 25 de novembro, em Ale­xan­dria, no Egipto, São Pedro, bispo e mártir, que, do­tado de todas as vir­tudes, foi de­ca­pi­tado por ordem do im­pe­rador Ga­lério Má­ximo, sendo a úl­tima ví­tima e o selo dos már­tires na grande per­se­guição contra a Igreja. Com ele se co­me­moram três bispos egíp­cios – He­sí­quio, Pa­cómio e Te­o­doro – e muitos ou­tros már­tires, que, também em Ale­xan­dria, na mesma per­se­guição, cru­el­mente as­sas­si­nados ao fio da es­pada, su­biram ao Céu. († 305-311). Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 26 de novembro, no ano do Senhor de 311, o martírio de São Pedro, bispo de Alexandria. O historiador Eusébio o saudava como “um desses pastores, divinos pela vida virtuosa e por sua sagrada eloquência”. Foi uma das últimas vítimas das perseguições romanas (M). Ver páginas 250-256: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Alexandria, igualmente, durante a mesma perseguição, os Santos Mártires Amônio, Fausta e Dio. (M)

17. Santa Magnância e Santa Máxima, virgens. Ver páginas 262-264: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

18. São Basolo, ermitão. Ver página 265: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

19. Outros santos do dia 26 de novembro: págs. 250-273: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 26 de novembro, ver ainda: 26 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 906-909:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 25 de novembro

SANTA CA­TA­RINA (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, que, se­gundo a tra­dição, foi uma virgem de Ale­xan­dria, do­tada de subtil in­te­li­gência e sa­be­doria, bem como de for­ta­leza de ânimo. O seu corpo ve­nera-se pi­e­do­sa­mente no cé­lebre ce­nóbio do monte Sinai. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Alexandria, no começo do séc. IV, o martírio de Santa Catarina. Esta virgem cristă, misticamente unida à sabedoria encamada, derrubou com sucesso certas objeções levantadas contra a fé por alguns filósofos. Muito popular na Idade Média, foi uma das “vozes” de Joana d’Arc. Seu culto permanece ainda vivo em um mosteiro situado aos pés do monte Sinai. (M). Ver páginas 239-244: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Catarina_de_Alexandria

– Ver “Catarina de Alexandria, também conhecida como A Grande Mártir Santa Catarina (em grego Ἁγία Αἰκατερίνη Μεγαλομάρτυς) é uma santa e mártir cristã que foi uma notável intelectual no início do século IV. Passados 1 100 anos, Joana d’Arc disse que Santa Catarina apareceu-lhe várias vezes. A Igreja Ortodoxa a venera como uma “grande mártir“, e na Igreja Católica, ela é tradicionalmente reverenciada como um dos Catorze santos auxiliares.”: Catarina de Alexandria – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– VER SANTOS AUXILIARES OU AUXILIADORES EM 08 DE AGOSTO:

SANTOS AUXILIADORES: Conforme o VIDAS DOS SANTOS, eis os Santos Auxiliadores: 1. São Jorge, acompanhado do dragão, que cura enfermidades dartrosas (afecções cutâneas); 2. São Brás, representado com dois círios cruzados, que livra os devotos dos males da garganta; 3. Santo Erasmo, curador de males e de dores de estômago; 4. São Pantaleão, invocado na depauperação (empobrecer, perder a força física); 5. São Cristóvão, aquele que leva nos ombros a Jesus Menino, protetor dos viajantes, livrando-os dos desastres, da morte súbita, das tempestades e dos raios; 6. São Dionísio, o que caminha levando nas mãos -a própria cabeça, preserva o fiel da possessão diabólica; 7. São Ciríaco, o diácono, poderoso também contra os assaltos do demônio, é curador dos males dos olhos; 8. Santo Acácio, cercado de espinhos, é invocado nas dores de cabeça; 9. Santo Eustáquio, lembrado nos incêndios, preserva-nos do fogo eterno; 10. São Gil, também Egídio, abade beneditino, sempre representado com uma cabra, traz a paz aos loucos, aos que são tomados de pânico e aos medrosos da escuridão e sinistro silêncio das noites; 11. Santa Margarida, a do dragão e da cruz, invocada contra males dos rins e pelas gestantes; 12, Santa Bárbara, invocada nos temporais, contra os raios, também, como São Cristóvão, preserva-nos da morte súbita. É padroeira dos matemáticos, dos artilheiros e dos bombeiros; 13. Santa Catarina, a sábia conselheira dos filósofos, dos advogados e dos pensadores. OBSERVAÇÃO: SEM ESQUECER A NOSSA QUERIDA MÃE MARIA, MEDIADORA (MEDIATRIX) DE TODAS AS GRAÇAS. Ver ACIMA e páginas 224-225: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2014.pdf

  • Santo Acácio, 8 de maio – Contra as dores e demais males de cabeça.
  • Santa Bárbara, 4 de dezembro – Contra febre, morte súbita ou decorrente de tempestade.
  • São Brás, 3 de fevereiro – Contra doenças da garganta e protetor dos animais domésticos.
  • Santa Catarina de Alexandria, 25 de novembro – Contra morte súbita
  • São Cristóvão, 25 de julho – Contra a peste bubônica e perigos durante a viagem.
  • São Ciríaco, 8 de agosto – Contra a tentação no leito de morte.
  • São Denis, 9 de outubro – Contra as dores e demais males de cabeça
  • Santo Erasmo, 2 de junho – Contra as enfermidades do ventre, dos intestinos e as dores de parto.
  • Santo Eustáquio, 20 de setembro – Contra a discórdia familiar.
  • São Jorge, 23 de abril – Pela saúde dos animais domésticos.
  • Santo Egídio, 1 de setembro – Contra a praga, por uma boa confissão, e pelos inválidos, mendigos e ferreiros.
  • Santa Margarida de Antioquia, 20 de julho – Contra os ataques diabólicos e por um bom parto.
  • São Pantaleão, 27 de julho – Contra o câncer (cancro) e a tuberculose, e pelos médicos.
  • São Vito, 15 de junho – Contra epilepsia, morte decorrente de tempestade, e pela proteção dos animais domésticos.  Conforme Wikipedia, Ver “Os catorze santos auxiliares são um grupo de santos invocados pelos cristãos em casos de necessidade especial, geralmente para se curar de doenças particulares. As tradições cristãs contam que a devoção a esses santos nasceu na Alemanha, na região da Renania do século XV, quando o Menino Jesus teria aparecido ao pastor Hermann Leicht Langheim [1], a peste negra que assolava a Europa no supracitado período teria auxiliado a propagação do culto.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Catorze_santos_auxiliares

2.   Em Ce­sa­reia, na Ca­pa­dócia, hoje Kay­seri, na Tur­quia, São Mer­cúrio (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir. († data inc.). Ver páginas 246-247: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

3.   Em Roma, a co­me­mo­ração de São Moisés, pres­bí­tero e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Décio, de­pois de ter sido mar­ti­ri­zado o papa São Fa­bião, de­cidiu as­sumir, jun­ta­mente com o co­légio dos pres­bí­teros, o cui­dado dos ir­mãos desta Igreja; de­ter­minou que devia con­ceder-se a re­con­ci­li­ação aos re­ne­gados en­fermos e mo­ri­bundos e, du­rante o longo tempo em que es­teve de­tido no cár­cere, re­cebia cons­tan­te­mente o con­forto das cartas de São Ci­priano de Car­tago, sendo fi­nal­mente co­roado com um mar­tírio glo­rioso e admirável. († 251). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano do Senhor de 251, o martírio do Bem-Aventurado Moisés, presbítero. Enquanto estava na prisão por sua profissão de fé cristă, foi várias vezes confortado por cartas de São Cipriano. (M)

4.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, São Pedro, bispo e mártir, que, do­tado de todas as vir­tudes, foi de­ca­pi­tado por ordem do im­pe­rador Ga­lério Má­ximo, sendo a úl­tima ví­tima e o selo dos már­tires na grande per­se­guição contra a Igreja. Com ele se co­me­moram três bispos egíp­cios – He­sí­quio, Pa­cómio e Te­o­doro – e muitos ou­tros már­tires, que, também em Ale­xan­dria, na mesma per­se­guição, cru­el­mente as­sas­si­nados ao fio da es­pada, su­biram ao Céu. († 305-311). Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 26 de novembro, no ano do Senhor de 311, o martírio de São Pedro, bispo de Alexandria. O historiador Eusébio o saudava como “um desses pastores, divinos pela vida virtuosa e por sua sagrada eloquência”. Foi uma das últimas vítimas das perseguições romanas (M). Ver páginas 250-256: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

5.   Na Nu­mídia, em ter­ri­tório da ac­tual Ar­gélia, São Már­culo, bispo, que, se­gundo a tra­dição, morreu mártir no tempo do im­pe­rador Cons­tante, des­pe­nhado de um ro­chedo por um certo Macário. († 347)

6*.   No ter­ri­tório de Agen, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, São Mau­rino, mártir, que, de­di­cado à evan­ge­li­zação do povo rural, se­gundo a tra­dição foi cru­el­mente as­sas­si­nado pelos pagãos. († s. VI). Ver páginas 247-248: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

7*.   No ter­ri­tório de Va­lence, na Gália, também na ho­di­erna França, a Beata Be­a­triz de Ornacieux, virgem da Ordem Car­tu­siana, in­signe pelo amor à Cruz, que viveu e morreu em ex­trema po­breza no mos­teiro de Eymeu, por ela fundado. († 1303/1309)

8*.   Em Reute, na Suábia, em ter­ri­tório da ac­tual Ale­manha, a Beata Isabel Achler, ape­li­dada a Boa, virgem, que, vi­vendo como re­clusa na Ordem Ter­ceira Re­gular de São Fran­cisco, pra­ticou ad­mi­ra­vel­mente a hu­mil­dade, a po­breza e a mor­ti­fi­cação corporal. († 1480)

9.   Em Seul, na Co­reia, São Pedro Yi Ho-yong, mártir, que, sendo ca­te­quista, foi cap­tu­rado pelas mi­lí­cias, jun­ta­mente com sua irmã Santa Águeda Yi So-sa e, per­ma­ne­cendo firme na con­fissão da fé, de­pois de lhe terem que­brado os ossos por três vezes, ficou de­tido quatro anos no cár­cere, onde fi­nal­mente morreu; foi o pri­meiro da glo­riosa fa­lange de már­tires desta nação. († 1838)

10*.   Em Pu­ebla de Híjar, lo­ca­li­dade pró­xima de Te­ruel, na Es­panha, o Beato Ja­cinto Ser­rano López, da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que foi fu­zi­lado na per­se­guição contra a Igreja. Com ele co­me­mora-se o beato mártir Tiago Me­se­guer Burillo, pres­bí­tero da mesma Ordem, que, por Cristo, em dia des­co­nhe­cido, con­sumou em Bar­ce­lona o glo­rioso combate. († 1936)

11. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Na Armênia, em 441, a volta para o céu de São Mesróbio. Inicialmente militar, retirou-se depois para a solidão, antes de pregar a fé entre seus compatriotas. A liturgia armênia lhe confere o título de Doutor por ter dotado seu país de um alfabeto e traduzido os textos sagrados. (M)

12. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, foram contados entre os Bem-Aventurados diversos beneditinos: Imma, abadessa de Karlburg, no séc. VIII; Bernoldo, monge de Ottobeuren, no séc. IX; e Egberto, abade de Münsterschwarzbach, pela mesma época. (X)

13. Santa Jocunda (também na Folhinha do Coração de Jesus)

14. São Teilo, bispo. Ver “”  página 245: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

15. Outros santos do dia 25 de novembro: págs. 239-249: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 25 de novembro, ver ainda: 25 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 904-906:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 24 de novembro

Me­mória dos santos André Dung Lac (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, e com­pa­nheiros, már­tires. Numa ce­le­bração comum se ve­neram os cento e de­zas­sete mis­si­o­ná­rios que so­freram o mar­tírio no Ton­quim, Anam e Co­chin­china, re­giões da Ásia, do ac­tual Vi­etnam – oito bispos, muitos pres­bí­teros e um in­gente nú­mero de fiéis de ambos os sexos e de todas as con­di­ções e idades –, que acei­taram o des­terro, os cár­ceres, os tor­mentos e enfim os mais cruéis su­plí­cios, por re­cu­sarem calcar a cruz e ab­jurar da fé cristã. São estes os seus nomes: Cle­mente Inácio Del­gado Ce­brián, Do­mingos He­nares, Je­ró­nimo Her­mo­silla, José Maria Díaz San­jurjo, Mel­chior Garcia Sam­pedro, Pedro Du­moulin-Borie, Va­lentim Bérrio Ochoa, bispos; Agos­tinho Scho­ef­fler, Ber­nardo Vu Van Due, Do­mingos Cam, Do­mingos Mâu, Do­mingos Nguyen Van (Doán) Xuyên, Do­mingos Nguyen Van Hanh (Diêu), Do­mingos Trach, Do­mingos Tuoc, Ma­nuel Nguyen Van Triêu, Fran­cisco Gil de Fe­de­rich, Fran­cisco Jac­card, Ja­cinto Castañeda, Tiago Do Mai Nam, João Carlos Cornay, João Dat, João Doàn Trinh Hoan, João Luís Bon­nard, João Teó­fanes Ve­nard, José Dang Dinh (Niên) Viên, José Dô Quang Hien, José Fer­nández, José Mar­chand, José Nguyên Dình Nghi, José Tuán, Isi­doro Ga­gelin, Lou­renço Nguyen Van Huong, Lucas Vu Bá Loan, Mar­tinho Ta Duc Thinh, Ma­teus Afonso de Le­zi­niana, Paulo Lê Bao Tinh, Paulo Le-Van-Loc, Paulo Nguyen Ngan, Paulo Pham Khac Khoan, Pedro Al­mató Ri­beira, Pedro Doan Cong Quy, Pedro Fran­cisco Nerón, Pedro Khanh, Pedro Le Tuy, Pedro Nguyen Ba Tuân, Pedro Nguyen Van Luu, Pedro Nguyen Van Tu, Pedro Truong Van Thi, Fi­lipe Phan Van Minh, Tomás Dinh Viet Du, Tomé Khuong, Vi­cente Do Yen, Vi­cente Le Quang Liem e Vi­cente Nguyen The Diem, pres­bí­teros; André Nguyen Kim Thong Nam (Nam Thuong), An­tónio Nguyen Huu (Nam) Quynh, Do­mingos Bui Van Uy, Fran­cisco Xa­vier Can, Fran­cisco Xa­vier Ha Trong Mau, João Bap­tista Dinh Van Thanh, José Nguyen Dinh Uyen, José Nguyen Duy Khang, José Nguyen Van Luu, Ma­teus Nguyen Van Phuong, Paulo Nguyen Van My, Pedro Doan Van Van, Pedro Nguyen Khac Tu, Pedro Nguyen Van Hieu, Pedro Truong Van Duong, Pedro Vu Van Truat e Tomás Toán, ca­te­quistas; Inês Le Thi Thanh (Dê), André Tuong, André Tran Van Trong, An­tónio Nguyen Dích, Agos­tinho Nguyen Van Moi, Agos­tinho Phan Viet Huy, Do­mingos Huyen, Do­mingos Mao, Do­mingos Ngon, Do­mingos Nguyen, Do­mingos Nhi, Do­mingos Ni­colau Dinh Dat, Do­mingos Ninh, Do­mingos Pham Trong (An) Kham, Do­mingos Toai, Ma­nuel Le Van Phung, Ma­nuel Phung, Fran­cisco Do Minnh Chieu, Fran­cisco Tran Van Trung, João Bap­tista Con, José Hoang Luong Canh, José Le Dang Thi, José Pham Trong (Cai) Ta, José Tuán, José Tuc, Lucas (Cai) Thin, Mar­tinho Tho, Ma­teus Le Van Gam, Mi­guel Ho Dinh Hy, Mi­guel Nguyen Huy My, Ni­colau Bui Viet Thê, Paulo Hanh, Paulo Tong Viet Buong, Pedro Da, Pedro Dong, Pedro Dung, Pedro Thuan, Pedro Vo Dang Khoa, Simão Phan Dac Hoa, Es­têvão Nguyen Van Vinh, Tomás Nguyen Van Dê, Tomás Tran Van Thien, Vi­cente Duong y Vi­cente Tuong. († 1625-1886). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. XVI, no Extremo Oriente, na região do atual Vietnam, Santos André Dung-Lac e Companheiros, mártires, convertidos pelos missionários dominicanos que haviam começado a evangelizar aquela região, foram martirizados sob a acusação de estarem introduzindo no país uma religião estranha. Canonizados por João Paulo II em 19 de junho de 1988. (R). Na wikipedia, nomes, datas e detalhes sobre cada mártir: Ver em:: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Mártires_do_Vietname

– Ver também “Os Mártires do Vietname (em vietnamitaCác thánh tử đạo Việt Nam), também conhecidos como Mártires da IndochinaTonquimAname e Cochinchina ou André Dũng Lạc e seus Companheiros Mártires (Anrê Dũng Lạc và Các bạn tử đạo), são mártires e santos católicos canonizados pelo papa João Paulo II a 19 de junho de 1988, onde milhares de vietnamitas se reuniram na Basílica de São Pedro no Vaticano para celebrar a canonização dos cento e dezassete mártires vietnamitas, que foi presidida pelo monsenhor Filipe Trần Văn Hoài. A sua festa litúrgica é celebrada a 24 de novembro.[1][2]”: Mártires do Vietname – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver no ofício das leituras “… Tinh Bao Le, Paul (Paul Le Bao Tinh, Phaolô Lê Bảo Tịnh), sacerdote; b. 1793 em Trịnh-Hà, Tonkin; d. 6 de abril de 1857 em Sơn Tây, West Tonkin. Ele escreveu uma carta ao seminário de Ke Vinh em 1843, detalhando o sofrimento dos prisioneiros cristãos. Decapitado. Beatificado em 1909. Festa: 6 de abril… ”: https://sites.google.com/site/vietnamesemartyrs/VietnameseMartyrs/paul-le-bao-tinh

– Ver “… O Vaticano estima que o número de mártires vietnamitas entre 130.000 e 300.000 foram mortos. O Papa João Paulo II decidiu canonizar aqueles cujos nomes são conhecidos e desconhecidos, dando-lhes um único dia de festa. Os mártires vietnamitas dividem-se em vários grupos, os da era missionária dominicana e jesuíta do século XVII e os mortos nas perseguições cristãs do século XIX. Uma amostra representativa de 117 mártires – incluindo 96 vietnamitas, 11 dominicanos espanhóis e 10 membros franceses da Sociedade de Missões Estrangeiras de Paris (Missions Etrangères de Paris) – foram beatificados em quatro ocasiões distintas:

Fortissimorum Virorum – 64 pelo Papa Leão XIII em 27 de maio de 1900,

Purpurata Sanguine – 8 pelo Papa Pio X em 20 de maio de 1906,

Purpurata Sanguine   – 20 pelo Papa Pio X em 2 de maio de 1909,

Albae jam ad Messem   – 25 pelo Papa Pio XII em 29 de abril de 1951…

As torturas que esses indivíduos sofreram são consideradas pelo Vaticano como uma das piores da história do martírio cristão. Os torturadores cortavam membros junta por junta, rasgavam a carne com pinças em brasa e usavam drogas para escravizar as mentes das vítimas. Os cristãos na época foram marcados na face com os hieróglifos道, para a doutrina heterodoxa , enquanto suas famílias e aldeias foram destruídas.

 As cartas e o exemplo de Théophane Venard inspiraram a jovem Santa Teresa de Lisieux a se voluntariar para o convento carmelita de Hanói, embora ela tenha contraído tuberculose e não tenha podido ir.”: https://sites.google.com/site/vietnamesemartyrs/VietnameseMartyrs

2.   Em Aqui­leia, na Ve­nécia, no ac­tual Friúli, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração de São Cri­só­gono (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, que é ce­le­brado em Roma no dia do ani­ver­sário da de­di­cação da igreja cujo tí­tulo tem o seu nome. († s. IV in.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, e m Aquiléia, a paixão de São Crisógono, venerado em Roma numa igreja construída por um cristão que tinha seu nome. (M). Ver página 236: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Crisógono

– Ver “Crisógono foi martirizado em Aquileia, provavelmente durante a perseguição de Diocleciano, foi enterrado lá e passou a ser publicamente venerado pelos fiéis da região. Seu nome está inscrito no Martyrologium Hieronymianum em dois dias distintos, 31 de maio e 24 de novembro, com uma nota topográfica “em Aquileia”.[1]”: Crisógono – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Em Amélia, na Úm­bria, também re­gião da Itália, Santa Fir­mina, mártir. († c. s. IV). Ver página 237: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

4.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, também re­gião da Itália, São Pro­tásio, bispo, que de­fendeu ante o im­pe­rador Cons­tante a causa de Santo Ata­násio e tomou parte no Con­cílio de Sárdica. († c. 356). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, perto de 355, São Protásio, bispo de Milão, que se dedicou ao serviço da fé católica ao lado de Santo Atanásio. (M)

5.   Na ci­da­dela de Blaye, pró­xima de Bor­déus, na Aqui­tânia, ac­tu­al­mente na França, São Romão, presbítero. († c. 380). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na diocese de Bordeaux, perto de 380, São Romão (ou Romano), sacerdote de origem africana. Depois de sua morte, os habitantes da Aquitânia se beneficiaram freqüentemente de sua proteção. Foi titular do mosteiro de Blaye. (M

6*.   Em Cloyne, na Ir­landa, São Col­mano, bispo. († 604-608). Ver “Morreu, em 604. É comemorado na Irlanda em 24 de novembro. Foi canonizado pelo Papa Pio X, em 1903. É o Santo Padroeiro de Cloyne. Foi um ótimo poeta e autor, entre suas obras está o poema em honra de São Brendano e de uma vida em versos de São Sananus de Iniscarthy.”: https://sites.google.com/view/catolicospelafe/santo/santos-de-novembro/24-s%C3%A3o-colmano-bispo-de-cloyne

7.   No ter­ri­tório Ar­vena, na Aqui­tânia, hoje Cler­mont-Fer­rand, na França, São Por­ciano (também na Folhinha do Coração de Jesus), abade, que, sendo jovem es­cravo, pro­curou re­fúgio e li­ber­dade num mos­teiro, no qual se fez monge e chegou a ser abade, mor­rendo em avan­çada idade, de­bi­li­tado pelos jejuns. († d. 532). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Auvergne, perto de 355, São Porciano, abade. Seu nome foi dado a seu mosteiro, e depois à cidade que cresceu ao seu redor. (M). Ver páginas 226-229: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

8.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da ac­tual Es­panha, as santas Flora e Maria, vir­gens e már­tires, que, na per­se­guição dos Mouros, foram en­car­ce­radas com Santo Eu­lógio e de­pois mortas ao fio da espada. († 851). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, e m Córdova, em 851, o martírio das Santas Flora e Maria, virgens. Maria respondeu ao juiz muçulmano: “Outrora, tive um irmão entre os que confessaram a fé… Imito agora sua coragem, verdadeiramente Deus”. (M). Ver páginas 237-238: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

9.   Em Reims, na França, a paixão de Santo Al­berto de Lo­vaina, bispo de Liège e mártir, que foi con­de­nado ao exílio por de­fender a Igreja e as­sas­si­nado no mesmo ano em que tinha sido ordenado. († 1192)

10*.   No mos­teiro de Cava de’ Tir­réni, na Cam­pânia, re­gião da Itália, o Beato Bál­samo, abade, que, no meio das tur­bu­lên­cias e con­flitos do seu tempo, exerceu o seu mi­nis­tério com sa­be­doria e prudência. († 1232)

11.   Em Dong Hoi, ci­dade do Anam, no ac­tual Vi­etnam, os santos Pedro Du­moulinBorie, bispo, da So­ci­e­dade das Mis­sões Es­tran­geiras de Paris, Pedro Vo Dang Khoa e Vi­cente Hguyen The Diem, pres­bí­teros, dos quais, por ordem do im­pe­rador Minh Mang, o pri­meiro foi de­go­lado e os ou­tros estrangulados. († 1838). Ver páginas 230-233: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

12*.   Em Milão, na Itália, a Beata Maria Ana Sala, virgem da Con­gre­gação das Irmãs de Santa Mar­ce­lina, que, de­di­cada to­tal­mente à for­mação das jo­vens, foi mestra da ci­ência ani­mada pela fé e piedade. († 1891)

13*.   Em Pi­ca­dero de Pa­terna, no ter­ri­tório de Va­lência, re­gião da Es­panha, as be­atas Ni­ceta da Santa Pru­dência (Ni­ceta Plaja Xifra) e com­pa­nheiras, vir­gens do Ins­ti­tuto das Irmãs Car­me­litas da Ca­ri­dade e már­tires, que, de lâm­padas acesas, foram dignas de en­trar na ceia eterna de Cristo Esposo. São estes os seus nomes: Paula de Santa Anas­tásia (Paula Isla Alonso), An­tónia de São Ti­móteo (An­tónia Go­sens Sáez de Ibarra), Daria de Santa Sofía (Daria Cam­pillo Pa­niágua), Erun­dina de Nossa Se­nhora do Carmo (Erun­dina Co­lino Vega), Maria da Con­so­lação do San­tís­simo Sa­cra­mento (Maria da Con­so­lação Cuñado Gon­zález), Con­ceição de Santo Inácio (Maria da Con­ceição Odri­o­zola Za­balia), Fe­li­ciana de Nossa Se­nhora do Carmo (Fe­li­ciana Uribe Orbe), Con­ceição de Santa Ma­da­lena (Con­ceição Ro­drí­guez Fer­nández), Justa da Ima­cu­lada (Justa Maiza Goi­co­e­chea), Clara de Nossa Se­nhora da Es­pe­rança (Clara Ez­curra Ur­rútia) e Cân­dida de Nossa Se­nhora dos Anjos (Cân­dida Cayuso González). († 1936)

14♦.   Em Pa­ra­cu­ellos del Ja­rama, lo­ca­li­dade pró­xima de Ma­drid, também na Es­panha, o Beato Félix Alonso Muñiz, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, pelo seu tes­te­munho de Cristo re­cebeu a coroa do martírio. († 1936)

15. São Carião, monge. Ver “São Carião foi monge num deserto que se estendia ao sul de Alexandria. Casado, deixara a espôsa e um filho, chamado Zacarias, e uma menina, ainda bem nova. Zacarias, por ocasião duma época de fome, procurou o pai, e passou a viver com êle, seguindo-o nas práticas religiosas. Do deserto de Alexandria, ambos passaram para a Tebaida, donde tornaram, alguns anos depois, para a mesma solidão anterior. São Carião foi monge austeríssimo, mas o filho Zacarias ultrapassou-o pela humilade e pelo silêncio que guardava, rigoroso. Santo Isidoro, padre daquele êrmo, disse: “Zacarias era homem, agora é quase um anjo”.” página 234: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

16. Santa Enfreda. Ver página 235: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Eanfleda

– Ver “Eanfleda, também conhecida como Enfleda (em inglês antigoEanflædDeira19 de abril de 626 — Whitbyc. 685) foi uma princesa de Kent, rainha da Nortúmbria e, mais tarde, a abadessa de um mosteiro cristão influente em Whitby, na Inglaterra.”: Eanfleda – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

17. Outros santos do dia 24 de novembro: págs. 216-238: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 24 de novembro, ver ainda: 24 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 901-904:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 23 de novembro

1. São Cle­mente I (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa e mártir, o ter­ceiro su­cessor do após­tolo São Pedro, que pre­sidiu à Igreja Ro­mana e es­creveu uma in­signe carta aos Co­rín­tios para for­ta­lecer entre eles a paz e a con­córdia. Neste dia co­me­mora-se o se­pul­ta­mento do seu corpo em Roma. († s. I). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, Em Roma, no final do séc. I, São Clemente, papa e mártir, terceiro sucessor de São Pedro. Segundo Santo Irineu, Clemente conheceu os Apóstolos e com eles conviveu. Sua carta dirigida aos coríntios é um testemunho precioso da constituição hierárquica da Igreja e da solicitude do Bispo de Roma para com todas as Igrejas. (R). Ver páginas 204-209: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Clemente_I

– Ver “São Clemente I (Romac. 35 — Quersonesoc. 100), também conhecido como Clemente Romano (em latim, Clemens Romanus), foi o quarto papa do Cristianismo da Igreja Romana, entre 88 e 97. Nascido em Roma, nos arredores do Coliseu, de família hebraica, foi um dos primeiros a receber o batismo de São Pedro. Foi sucessor de Anacleto I (ou Cleto) e autor da Epístola de Clemente aos Coríntios (segundo Clemente de Alexandria e Orígenes), talvez o segundo documento de literatura cristã, endereçada à Igreja de Corinto. ”: Papa Clemente I – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

2. São Co­lum­bano (também na Folhinha do Coração de Jesus),  abade, na­tural da Ir­landa, que por Cristo se fez pe­re­grino para evan­ge­lizar os povos das Gá­lias; fundou, além de muitos ou­tros, o mos­teiro de Lu­xeuil, que ele pró­prio di­rigiu com es­tricta ob­ser­vância da regra; obri­gado a exilar-se, atra­vessou os Alpes e erigiu o ce­nóbio de Bóbbio, na Li­gúria, hoje Emília-Ro­manha, cé­lebre pela sua dis­ci­plina e ci­ência, onde ador­meceu em paz, cheio de mé­ritos em be­ne­fício da Igreja; o seu corpo re­cebeu se­pul­tura neste dia. († 615). Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 24 de novembro, nascimento no céu de São Columbano, monge irlandês, que ao longo de suas peregrinações no continente europeu fundou vários núcleos monásticos e missionários, cujos centros mais importantes foram Luxeuil, na Gália; Bregentz, junto ao lago de Constança e Bobbio, na Itália, onde morreu em 615. As austeras tradições célticas que propagou serviram como norma de vida, durante muito tempo, paralelamente à Regra de São Bento, que acabou por suplantá-las. (R). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Columbano

– Ver: “Columbano (LeinsterIrlanda540 – BobbioItália23 de Novembro de 615), monge e missionário irlandês, conhecido pela fundação de inúmeros mosteiros pela Europa. Seguidor da regra do seu conterrâneo São Columba, dirigiu-se ao continente a fim de o evangelizar cerca do ano 590, onde, a partir de então fundou diversos mosteiros nos reinos francos, começando por Luxeuil logo nesse ano. ”: Columbano – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Em Roma, no ce­mi­tério de Má­ximo, junto à Via Sa­lária Nova, SANTA FE­LI­CI­DADE, mártir. († data inc.). VER TAMBÉM 10 DE JULHO (Santa Perpétua e seus sete filhos) Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, receberam a coroa do martírio Santa Felicidade, em Roma, no séc. II; e Santa Lucrécia, virgem de Mérida, no séc. IV. (M). Sobre Santa Felicidade, o VIDAS DOS SANTOS relata seu martírio e o de sete de seus filhos: Januário, Félix, Filipe, Silano, Alexandre, Vital e Marcial. Ver página 213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também sua história e lenda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Felicidade_de_Roma e

https://pt.wikipedia.org/wiki/Felicidade_de_Roma

– Ver “Felicidade de Roma (em latimFelicitasc. 101 – 165) é uma das primeiras mártires cristãs venerada como santa. Além do nome, a única coisa certa que sabemos sobre ela é que seu corpo foi enterrado na Catacumba de Máximo, na Via Salária, em 23 de novembro[1]. Porém, as lendas posteriores a seu respeito a retratam como mãe de sete filhos mártires cuja festa é celebrada em 10 de julho. Na Igreja Ortodoxa, sua festa é celebrada em 7 de fevereiro (25 de janeiro no calendário juliano).”: Felicidade de Roma – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

07 DE MARÇO: Me­mória das santas már­tires Per­pétua e Fe­li­ci­dade, presas em Car­tago com ou­tros jo­vens ca­te­cú­menos no tempo do im­pe­rador Sep­tímio Se­vero: Per­pétua, mu­lher pa­trícia de cerca de vinte e dois anos de idade, era mãe de uma cri­ança de peito; Fe­li­ci­dade, sua es­crava, es­tando grá­vida, se­gundo as leis devia ser con­ser­vada até dar à luz; mas, apesar das dores de parto, mos­trava-se se­rena di­ante das feras. Pas­saram ambas do cár­cere para o an­fi­te­atro, de rosto alegre, se­guras de que iam para o Céu. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória das Santas Perpétua e Felicidade (também na Folhinha do Coração de Jesus), martirizadas no anfiteatro de Cartago no dia 7 de março de 203. De condições sociais diferentes, estas duas jovens mães de família, ainda catecúmenas, enfrentaram a morte com mais coragem do que às dores do parto, na esperança de que não seriam mais elas, mas Cristo, que sofreria então nelas e por elas. (R). Ver sua história mais detalhada, juntamente com outros companheiros, nas págs. 226-243: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf(† 203)

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Perp%C3%A9tua_e_Felicidade

– 10 DE JULHO: Em Roma, os santos már­tires Félix e Fi­lipe, no ce­mi­tério de Pris­cila; Vital, Mar­cial e Ale­xandre, no ce­mi­tério dos Jor­danos; Si­lvano no ce­mi­tério de Má­ximo e Ja­nuário no ce­mi­tério de Pre­tex­tato. Na sua me­mória con­junta se alegra a Igreja Ro­mana, que, no mesmo dia glo­ri­fica o triunfo de todos eles e se sente pro­te­gida com a in­ter­cessão de tantos exem­plos de santidade. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no século II, o martírio dos Santos Januário, Filipe, Silvano, Alexandre, Vital e Marcial, que enfrentaram a morte exortados pela própria mãe Santa Felicidade. Ver: Santa Felicidade e seus sete filhos: páginas 341-345: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2012.pdf

– Ver Santa Felicidade de Roma (festa em 23 de novembro): https://pt.wikipedia.org/wiki/Felicidade_de_Roma

Ver também página 213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

4.   Em Chiúsi, na Etrúria, na ac­tual Tos­cana, re­gião da Itália, Santa Mus­tíola, mártir. († data inc.)

5.   Em Cí­zico, no He­les­ponto, na ho­di­erna Tur­quia, São Si­sínio, bispo e mártir, que, se­gundo a tra­dição, de­pois de muitos tor­mentos, morreu ao fio da es­pada na per­se­guição do im­pe­rador Diocleciano. († s. IV)

6*.   Em Metz, na Gália Bél­gica, ac­tu­al­mente na França, a co­me­mo­ração de São Cle­mente, con­si­de­rado o pri­meiro bispo desta cidade. († c. s. IV).  Ver páginas 210-211: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf 

7.   Em Mé­rida, ci­dade da an­tiga Lu­si­tânia, agora na Es­panha, Santa Lu­crécia (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir. († c. s. IV). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, receberam a coroa do martírio Santa Felicidade, em Roma, no séc. II; e Santa Lucrécia, virgem de Mérida, no séc. IV. (M)

8.   Em Icónio, na Li­caónia, hoje Kónya, na Tur­quia, Santo An­fi­ló­quio, bispo, que foi com­pa­nheiro dos santos Ba­sílio e Gre­gório de Na­zi­anzo no ermo e também co­lega no epis­co­pado; emi­nente pela sua san­ti­dade e dou­trina, travou muitos com­bates em favor da fé católica. († a. 403). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Icônio, na Ásia Menor, no séc. IV, Santo Anfilóquio, bispo. Compatriota e discípulo de São Gregório Nazianzeno e São Basílio de Cesaréia, junto com eles lutou pela defesa da fé católica contra os adversários da divindade do Filho e do Espírito Santo. (M)

9.   Em Paris, na Gália Li­o­nense, na ac­tual França, São Se­ve­rino, que, re­cluído numa cela, se con­sa­grou à di­vina contemplação. († s. VI)

10.   Em Agri­gento, na Si­cília, re­gião da Itália, São Gre­gório, bispo, que pa­rece ter es­crito co­men­tá­rios à Sa­grada Es­cri­tura para ex­plicar aos in­cultos os mis­té­rios da salvação. († d. 603). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, No final do séc. VI, São Gregório, bispo de Agrigento. Contemporâneo do papa São Gregório Magno, protegeu o monaquismo na Sicília. (M)

11.   Em Sint-Truiden, lo­ca­li­dade que de­pois tomou o seu nome, no Bra­bante da Aus­trásia, hoje na Bél­gica, São Trudão, pres­bí­tero, que deu todos os seus bens à Igreja de Metz e aí edi­ficou um mos­teiro, onde reuniu os seus discípulos. († c. 690). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Bélgica, perto de 690, São Trudão, sacerdote, que fundou um mosteiro dedicado aos Santos Quintino e Remígio. (M)

12*.   Em Alba, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, Beata Mar­ga­rida de Sa­bóia, que, ao ficar viúva, se con­sa­grou a Deus no mos­teiro de re­li­gi­osas da Ordem dos Pre­ga­dores por ela mesma fundado. († 1464). Ver “Bem-aventurada Margarida de Savóia” páginas 212-213: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

13.   Em Seul, na Co­reia, Santa Ce­cília Yu So-sa, mártir, que, sendo viúva, em ódio à fé cristã foi pri­vada dos seus bens, en­car­ce­rada e doze vezes su­jeita a in­ter­ro­ga­tó­rios; fi­nal­mente, exausta pelo su­plício dos es­pan­ca­mentos, morreu quase octogenária. († 1839)

14*.   Em Gua­da­lupe, po­vo­ação do es­tado de Za­ca­tecas, no Mé­xico, o Beato Mi­guel Agos­tinho Pró, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que na cruel per­se­guição contra a Igreja, con­de­nado à morte sem jul­ga­mento como cri­mi­noso, con­sumou o mar­tírio que ar­den­te­mente desejava. († 1927). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Miguel_Pro

– Ver “Miguel Agustin Pro (Guadalupe13 de janeiro de 1891 – Cidade do México23 de novembro de 1927) foi um padre católico, membro da Companhia de Jesus[1]. Foi condenado à morte, acusado injustamente de participação em um atentado contra o ex-presidente Álvaro Obregón. Foi fuzilado gritando “Viva Cristo Rei!”[2]. Em 25 de setembro de 1988, foi beatificado por João Paulo II. ”: Miguel Pro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

– Ver também “QUE MEU ÚLTIMO GRITO NA TERRA E MINHA PRIMEIRA CANÇÃO NO CÉU SEJAM “QUE CRISTO REI VIVA””: MARTIR DE CRISTO REY – CAPILLA DEL PADRE PRO (jimdofree.com)

15*.   Em Ma­drid, na Es­panha, a beata Maria Fe­li­ci­dade Cen­doya y Ara­quis­tain (Maria Ce­cília), virgem da Ordem da Vi­si­tação de Santa Maria e mártir, que, na grande per­se­guição re­li­giosa, ao ver que as suas irmãs ti­nham sido en­car­ce­radas, se en­tregou es­pon­ta­ne­a­mente na mesma noite aos mi­li­ci­anos e, com elas, con­firmou o tes­te­munho da fé com o su­premo sa­cri­fício da sua vida. († 1936)

16♦.   Em Milão, ci­dade da Itália, a Beata Hen­ri­queta Alfiéri (Maria Ân­gela Do­mé­nica Al­fiéri), virgem das Irmãs da Ca­ri­dade de Santa Joana An­tida Thouret, que exerceu he­roi­ca­mente até ao fim da sua vida o apos­to­lado na as­sis­tência aos encarcerados. († 1951)

17. Outros santos do dia 23 de novembro: págs. 204-215: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 23 de novembro, ver ainda: 23 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 898-900:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Santas e Santos de 22 de novembro

Me­mória de Santa Ce­cília (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem e mártir, que, se­gundo a tra­dição, al­cançou a dupla palma da vir­gin­dade e do mar­tírio por amor de Cristo, em Roma, no ce­mi­tério de Ca­listo, junto à Via Ápia. Desde a an­ti­gui­dade, tem o seu nome o tí­tulo de uma ba­sí­lica no Transtêvere. († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de Santa Cecilia, virgem e mártir, cuja generosidade e gloriosa morte a Igreja canta. Enterrada no cemitério dos bispos de Roma, por deferência a sua origem nobre, teve seu corpo transportado, no séc. IX, além do Tibre, para uma basílica que desde então traz seu nome. (R). Ver páginas 186-200: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também pág. 242 (16 de setembro): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Cecília_de_Roma

– Ver “Santa Cecília é uma santa cristã, padroeira dos músicos e da música sacra, pois consta que ao morrer ela teria cantado a Deus[1]. Não se tem muitas informações sobre a sua vida. É provável que tenha sido martirizada entre 176 e 180, sob o império de Marco Aurélio. Escavações arqueológicas não deixam dúvidas sobre sua existência, mas sua história só foi registrada no século V, na narrativa Paixão de Santa Cecília.”: Cecília de Roma – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

2.   Co­me­mo­ração de São Fi­lémon de Colossos, na ac­tual Tur­quia, cujo amor a Jesus Cristo foi causa de ale­gria para São Paulo; jun­ta­mente com ele é ve­ne­rada sua es­posa, Santa Ápia. Santa Áfia, (também na Folhinha do Coração de Jesus). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. I, São Filêmon, rico habitante de Colossos. O Apóstolo Paulo dirigiu-lhe uma carta na qual louva “sua caridade e sua fé em relação Senhor Jesus e a todos os seus fiéis”. (M). Ver páginas 201-202: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também “Áfia e Arquipo parecem ter sido membros da família de Filémon, visto que Paulo também se dirige a eles na sua carta particular. Áfia talvez fosse a esposa de Filêmon, e Arquipo pode ter sido filho dele.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Filémon_(Bíblia)

– Ver “Filémon, Filêmon ou Filemom como está na bíblia (consoante a grafia escolhida por tradutores tanto portugueses como brasileiros), era cristão e amo ou dono de escravos. A sua casa situava-se em Colossas, cidade da parte sudoeste da Ásia Menor, e servia de local de reunião para a congregação de cristãos naquela região. ”: Filémon (Bíblia) – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

3.   Em Ar­bela, na Pérsia, hoje Erbil, no Iraque, Santo Ana­nias, mártir, que, no tempo do rei Sapor II, por ordem do ar­qui­mago Ar­disag foi feito pri­si­o­neiro e por três vezes es­pan­cado com tal cru­el­dade, que os ver­dugos, jul­gando-o já morto, o dei­xaram caído na praça; mas de noite os cris­tãos le­varam-no para sua casa, onde en­tregou a alma a Deus. († 345)

4.   Em Milão, na Li­gúria, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Be­nigno, bispo, que na grande per­tur­bação cau­sada pelas in­va­sões, ad­mi­nis­trou com grande zelo e pi­e­dade a Igreja que lhe foi confiada. († c. 470)

5.   Em Autun, na Gália Li­o­nense, na ho­di­erna França, São Prag­mácio (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo. († c. 517)

6*.   Junto ao rio Zihun, perto de Maras, ci­dade da Ci­lícia, no ter­ri­tório ac­tual da Tur­quia, os be­atos Sal­vador Lillo, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, João, filho de Balzi, e ou­tros seis com­pa­nheiros na­tu­rais da Ar­ménia, már­tires, que, pe­rante a im­po­sição dos sol­dados oto­manos para re­ne­garem Cristo, re­cu­saram trair a sua fé e, tres­pas­sados pelas lanças, emi­graram para o reino eterno. São estes os seus nomes: K´adir, filho de Xo­di­anin; Cerun, filho de K´urazi; Var­davar, filho de Dim­balac; Paulo, filho de Je­re­mias; David e Te­o­doro, ir­mãos, fi­lhos de David. († 1895)

7*.   Na lo­ca­li­dade de Triora, na Li­gúria, re­gião da Itália, o Beato Tomás Réggio, bispo de Gé­nova, que, as­so­ci­ando a aus­te­ri­dade de vida a uma ad­mi­rável afa­bi­li­dade, con­se­guiu es­ta­be­lecer a con­córdia entre os ci­da­dãos e as­sistiu com todos os meios os in­di­gentes, aten­dendo es­pe­ci­al­mente aos pro­blemas da con­vi­vência humana. († 1901)

8.   Em Te­o­cal­ti­tlan, ci­dade do Mé­xico, São Pedro Es­queda Ra­mírez, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição me­xi­cana, por ser sa­cer­dote foi en­car­ce­rado e fuzilado. († 1927)

9*.   Em Pa­terna, ci­dade da pro­víncia de Va­lência, na Es­panha, os be­atos Elias (Juliano ou Ju­lião Tor­rijo Sánchez) e Bel­trão Fran­cisco (Fran­cisco Lahoz Mo­liner), re­li­gi­osos da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e már­tires, que, ani­mados pelo exemplo de Cristo, du­rante a per­se­guição re­li­giosa me­re­ceram al­cançar o prémio eterno pro­me­tido aos que per­se­veram na fé. († 1936)

10♦.   Em Or­fans, perto de Ge­rona, também na Es­panha, o Beato Fer­nando Maria (Fer­nando Maria Llo­vera Puig­sech), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas e mártir, que, na mesma per­se­guição contra a fé, re­cebeu a coroa de glória. († 1936)

11. Anfilóquio de Icônio. Ver “Anfilóquio de Icônio (em grego: Ἀµφιλόχιος Ἰκονίου) foi um bispo cristão do século IV, filho de uma família de alguma distinção na Capadócia, nascido talvez na Cesareia em ca. 339 ou 340. Morreu provavelmente entre 394 e 403[1] Seu pai Anfilóquio era um eminente advogado e sua mãe Lívia era uma pessoal admirável por sua gentileza e sabedoria… Jerônimo afirma,[3] sobre a “tríade da Capadócia” (Basílio, Gregório e Anfilóquio), que “eles se dedicam aos seus livros com as lições e frases dos filósofos com tanta dedicação que é impossível distinguir o que devemos admirar mais, sua erudição secular ou o seu conhecimento das escrituras”.”: Anfilóquio de Icônio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

12. Outros santos do dia 22 de novembro: págs. 186-203: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XX – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 22 de novembro, ver ainda: 22 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 896-898:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, protegei-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedei por nós!

Amém!

PAI AMADO DAI-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR! DAI-NOS A VOSSA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS EM VÓS! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/