Santas e Santos de 03 de maio

03 DE MAIO: DIA DA INVENÇÃO DE SANTA CRUZ

O DIA DA INVENÇÃO DE SANTA CRUZ É O DIA 3 DE MAIO.

A data registra a DESCOBERTA (INVENÇÃO) da Cruz de Cristo, a Vera Cruz, em 326, por Santa Helena e ainda a recuperação da mesma Cruz em 628 por Heráclio, que a reconquistou aos persas e a levou às costas para Jerusalém, tendo a entregue ao patriarca Zacarias, no dia 3 de maio de 630. A data recebeu a designação de Dia da Invenção da Santa Cruz, sendo celebrada na Gália a 3 de maio.

Em Portugal e noutros países do mundo existe a tradição de se realizar festas e romarias por volta deste dia, assim como de ornar fontes e cruzeiros com diversas flores, verdura, giestas, rosmaninho, entre outros, para proteger as pessoas dos males que andam à solta de noite.

No calendário encontram-se outras festas dedicadas à Santa Cruz, como o Dia da Santa Cruz em setembro e o Dia da Crucificação de Cristo (Sexta-feira Santa). A Santa Cruz representa o triunfo de Cristo sobre a morte, sendo por isso exaltada nestes dias. Ver: https://www.calendarr.com/portugal/dia-da-invencao-da-santa-cruz/

– Ver ainda “O dia 03 de Maio celebrava primitivamente a recuperação da Santa Cruz que Heráclito obteve dos persas depois da vitória de 628. Mais tarde o objetivo desta festa veio a confundir-se com a da INVENÇÃO, QUE DEVIA CELEBRAR-SE A 14 DE SETEMBRO. Praticamente o dia de hoje tornou-se a festa da INVENÇÃO (DESCOBERTA) sem excluir a recuperação levada a efeito por Heráclio. A tradição atribui a Santa Helena, mãe de Constantino, a honra de ter mandado procurar e de ter encontrado a Cruz do Salvador.

Encontrou-se no lugar do Calvário e nesta mesma data provavelmente em que Constantino mandou construir as duas Basílicas, consagradas em 335, uma no sítio do Calvário e outra no Santo Sepulcro. A preciosa relíquia que os persas tinham roubado e que Heráclio recuperou, foi pelo operador reconduzida solenemente a Jerusalém em 03 de Maio do ano 628. A missa celebra as glórias da Cruz do Salvador e a redenção do homens que nela se operou…”: https://irmandadedocarmo.org/tag/invencao-da-santa-cruz/

– Ver também “Vera Cruz é a denominação dada a verdadeira cruz em que Jesus Cristo foi crucificado.

Segundo historiadores dos últimos períodos da Antiguidade, a imperatriz Helena de Constantinopla (c. 250 d.C.–c. 330 d.C.), mãe do imperador Constantino, o primeiro imperador cristão de Roma, numa data posterior a 312 d.C. quando à Cristandade foi dada liberdade de culto em todo o Império, teria viajado à Terra Santa, fundando igrejas e agências de socorro aos necessitados. Teria sido nessa época que a imperatriz descobriu três cruzes usadas na crucifixão de Jesus e de dois ladrões, Dimas e Gesmas, que foram executados com ele. Um milagre revelou qual das três era a cruz verdadeira, a Vera Cruz… ”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Vera_Cruz

– Ver ainda “… Ao passar para um exame detalhado da doutrina católica sobre este assunto do culto devido à Cruz, será bom notar as teorias de Brock, o Abbé Ansault, le Mortillet, e outros que fingem ter descoberto aquele culto entre os pagãos antes da época de Cristo. Para uma demonstração da origem puramente cristã da devoção cristã, o leitor é encaminhado para ARQUEOLOGIA DA CRUZ E CRUCIFIXO. Veja também as obras de De Harley, Lafargue, e outras citadas no final desta seção…

A Festa da Cruz, como tantas outras festas litúrgicas, teve sua origem em Jerusalém, e está ligada à comemoração da Descoberta da Cruz e do edifício, por Constantino, das igrejas sobre os locais do Santo Sepulcro e do Calvário. Em 335, a dedicação dessas igrejas foi celebrada com grande solenidade pelos bispos que haviam assistido no Conselho de Tiro, e um grande número de outros bispos. Essa dedicação ocorreu nos dias 13 e 14 de setembro. Esta festa da dedicação, que era conhecida pelo nome do Encnia, foi mais solene; foi em pé de igualdade com os da Epifania e Páscoa.…”: CATHOLIC ENCYCLOPEDIA: The True Cross (newadvent.org)

– Ver também: págs. 70-71:

            ============================================

SANTOS DE 03 DE MAIO

1. Festa dos santos Fi­lipe e Tiago (também na Folhinha do Coração de Jesus), Após­tolos. Fi­lipe, nas­cido em Bet­saida, como Pedro e André, era dis­cí­pulo de João Bap­tista e foi cha­mado pelo Se­nhor para que O se­guisse. Tiago, filho de Alfeu, con­si­de­rado entre os La­tinos como pa­rente do Se­nhor e de­no­mi­nado o Justo, foi o pri­meiro que pre­sidiu à Igreja de Je­ru­salém; quando se le­vantou a con­tro­vérsia sobre a cir­cun­cisão, dis­cordou da ati­tude de Pedro, para que não se im­pu­sesse o an­tigo jugo aos dis­cí­pulos pro­ve­ni­entes dos gen­tios e co­roou pouco de­pois o seu apos­to­lado com o martírio.

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa dos Santos Apóstolos Filipe e Tiago. Originário de Betsaida, como Pedro e André, Filipe era, como eles, condiscípulo de João Batista quando foi chamado por Cristo. O Evangelho relata vários episódios onde Filipe intervém para fazer ver Jesus ou para pedir para ver, ele próprio, o Pai. Tiago, filho de Alfeu e irmão de Judas, é chamado também nos Atos dos Apóstolos de “irmão do Senhor”. Agraciado por uma aparição de Cristo após a Ressurreição, dirigiu a Igreja de Jerusalém. A ele é atribuída uma carta canônica do Novo Testamento, onde adverte severamente os ricos, acautela contra uma fé estéril e recomenda a unção dos enfermos. (R).

Ver páginas 27-34: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver: “Filipe, o Apóstolo foi um apóstolo de Cristo e mártir. Diz a tradição, através de Eusébio de Cesareia, que era casado, tinha duas filhas e teria realizado muitos milagres, inclusive revivido — não ressuscitado, assim como com Lázaro — um defunto em Hierápolis. Não deve ser confundido com São Filipe, o Evangelista, o diácono que evangelizava Samaria, de acordo com a história relatada nos Atos dos Apóstolos.[1][2]

Também diz a tradição que Filipe pregou o Evangelho na PalestinaGrécia e na Ásia Menor, onde, se diz, morreu crucificado e apedrejado no ano 80 em Hierápolis, na Frígia.[1]

São Filipe era natural de Betsaida, uma cidade da Galileia (São João 1:44).[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Filipe_(ap%C3%B3stolo)

– São Filipe e São Tiago Menor – apóstolos. No livro VIDAS DOS SANTOS está lembrado no dia 01 de maio. Ver páginas 27-34: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Tiago, filho de Alfeu (Ἰάκωβος, Jacobos em grego antigo) foi um dos Doze Apóstolos de Jesus Cristo. Ele é geralmente identificado com Santiago Menor e é geralmente conhecido por este nome na tradição da igreja[a].

Tiago, o filho de Alfeu, é raramente mencionado no Novo Testamento, mas é às vezes também identificado com Tiago, o Justo, um importante líder da Igreja antiga. Ele é claramente distinto de Tiago, filho de Zebedeu, outro dos Doze.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Tiago,_filho_de_Alfeu

2.   Em An­tínoo, na Te­baida, re­gião do Egipto, os santos Ti­móteo e Maura (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártires. († 286).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Tebaida, no ano da graça de 286, São Timóteo, leitor, e Santa Maura, sua esposa, condenados à crucifixão por haverem se recusado a profanar as Sagradas Escrituras. (M).

– Ver páginas 80-81: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

3.   Junto à Via No­men­tana, a sete mi­lhas de Roma, os santos Evêncio, Ale­xandre (Alexandre I, Papa) e Teó­dulo, mártires. († s. III/IV).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano do Senhor de 119, a paixão de Santo Alexandre I, papa, e seus companheiros. Alexandre respondeu ao juiz que lhe perguntou por que ele guardava silêncio nas torturas: “O cristão que ora, fala com Deus”. (Paixão) (M).

Ver páginas 72-77: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Papa Alexandre I (RomaItáliac. 115) foi o bispo de Roma de c. 105 até sua morte c. 115. O Anuário Pontifício da Santa Sé (2012) o identifica como um romano que governou de 108 ou 109 até 116 ou 119. Alguns acreditam que ele foi martirizado pelo imperador Trajano ou Adriano, mas isto é improvável.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Alexandre_I

– Ver ainda: “…St. Irenaeus de Lyons, escrevendo no último quarto do século II, considera-o como o quinto papa em sucessão dos Apóstolos,embora ele não diga nada de seu martírio...”: CATHOLIC ENCYCLOPEDIA: Pope St. Alexander I (newadvent.org)

– Ver também “São Alexandre I, (morreu em 115, /119, Roma?; festa dia 3 de maio), quinto papa após São Pedro e sucessor de São Evaristus. Pouco se sabe sobre o governo de Alexandre (c. 109-116), que é atestado pelo Papa São Eusébio (309/310) …”: Saint Alexander I | pope | Britannica

4.   Em Nárni, na Úm­bria, re­gião da Itália, São Ju­venal, ve­ne­rado como o pri­meiro bispo desta cidade. († s. IV)

– Ver também página 79 : VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf (obrascatolicas.com)

5*.   Em Kil­dare, na Ir­landa, São Con­leto (Conlaedo), bispo, que acom­pa­nhou Santa Brí­gida na ori­en­tação es­pi­ri­tual do seu mos­teiro e de ou­tros co­lo­cados sob a sua ju­ris­dição, tendo exer­cido também muita in­fuência junto dos pre­lados do lugar. († c. 520)

6*.   Em Argo, na Grécia, São Pedro, bispo, que foi in­signe pela sua imensa ca­ri­dade para com os po­bres e os es­cravos e, para de­fesa da fé, tra­ba­lhou in­can­sa­vel­mente na re­so­lução dos conflitos. († c. 922)

7*.   No mos­teiro de Fohorst, na Flan­dres, hoje na Bél­gica, o pas­sa­mento de Santo Ans­fredo, bispo de Utrecht, que, atin­gido pela ce­gueira, se re­tirou neste lugar. († 1008).

Santo Anfrido. Ver págs. 78-79: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

8*.   Em Kiev, na Ucrânia, São Te­o­dósio, abade, que fundou o mos­teiro “das Grutas” e, se­gundo a tra­dição, ins­ti­tuiu a vida ce­no­bí­tica nesta região. († 1074)

9*.   Em Ver­celas, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, a Beata Emília Bicchiéri, virgem da Ordem dos Pre­ga­dores, que, apesar de ser vá­rias vezes pri­o­resa, tra­ba­lhava com muita ale­gria entre as irmãs nos ser­viços mais humildes. († 1314)

10*.   Em Ka­si­mierz, na Po­lónia, Santo Es­ta­nislau Ka­zi­mi­erczyk, pres­bí­tero e có­nego re­gular, que, mo­vido pela ca­ri­dade pas­toral, foi di­li­gente mi­nistro da pa­lavra de Deus, mestre de vida es­pi­ri­tual e as­síduo na au­dição das confissões. († 1489).

– Ver “Estanislau Casimiritano CRL (nascido Luís Sołtys, 27 de setembro de 1433 – 3 de maio de 1489) foi presbítero católico polonês e membro professo dos Cônegos Regulares Lateranenses.[1] Ele se notabilizou por sua devoção fervorosa à Eucaristia e ao seu padroeiro pessoal, Santo Estanislau, bem como por sua dedicação caridosa ao doentes e aos pobres de Cracóvia.[2][3]

A causa de sua canonização teve início sob o Papa João Paulo II, em 14 de outubro de 1986, e ele foi intitulado como Servo de Deus. Isso veio depois de tentativas anteriores de iniciar o processo, e a causa só foi aberta naquela época devido à intervenção pessoal de João Paulo quando ainda era cardeal. O mesmo pontífice deu-lhe o título de Venerável em 21 de dezembro de 1992, ao mesmo tempo em que aprovou a beatificação, celebrada em 18 de abril de 1993. O Papa Bento XVI posteriormente canonizou o antigo presbítero como santo da Igreja Católica Romana em 17 de outubro de 2010, na Praça de São Pedro.” e também dia 05 de maio: https://pt.wikipedia.org/wiki/Estanislau_Casimiritano

11♦.   Em Inns­bruck, na Àus­tria, o Beato Tomás de Olera (Tomás Acerbis de Viani), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, que, apesar da sua con­dição de sim­ples pro­fesso, foi um grande mestre es­pi­ri­tual, tanto para os hu­mildes como para os prín­cipes e po­de­rosos, cons­ti­tuindo-se também um va­lo­roso de­fensor da fé no seu tempo atribulado. († 1631)

12*.   Em Susa, no Pi­e­monte, re­gião da Itália, o Beato Edu­ardo José Rosaz, bispo, que du­rante vinte e cinco anos exerceu o mi­nis­tério apos­tó­lico que lhe foi con­fiado, cui­dando es­pe­ci­al­mente dos po­bres, e fundou a Con­gre­gação das Irmãs da Ordem Ter­ceira de São Francisco. († 1903)

13*.   Em Sher­brooke, ci­dade do Quebec, no Ca­nadá, a beata Maria Leónia (Alódia Pa­radis), virgem, que ins­ti­tuiu a Con­gre­gação das Ir­mã­zi­nhas da Sa­grada Fa­mília, des­ti­nada a au­xi­liar a ac­ti­vi­dade e a vida dos sacerdotes. († 1912)

14. Em Constantinopla, Santo Alexandre, soldado, e Santa Antonina, virgem, que sob o presidente Festo sofreram o martírio durante a perseguição de Maximiniano. Antonina, primeiramente condenada a ser prostituída num lugar de escárnio, dali foi secretamente retirada por Alexandre, que, mudando as vestes com ela, ficou em seu lugar. Esta piedosa fraude foi descoberta e ambos foram submetidos à tortura. Tiveram as mãos cortadas e foram atirados juntos à fogueira, onde, morrendo por Jesus Cristo, receberam a coroa da glória.

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Ásia Menor, nos começos do séc. IV, Santo Alexandre, soldado, martirizado junto com a virgem Santa Antonina, cuja inocência ele havia defendido. (M).

Conforme página 80: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

15. Santa Adalsinda. Ver “ 642-673. Morreu aos 31 anos. Adalsinda é uma santa católica do século VII. Sua festividade celebra-se a 5 de maio.[1] É especialmente venerada em Douai (França).[2] Era filha de Rictrudis de Marchiennes e Adalberto I de Ostrevent, duque de Douai. Suas irmãs Clotsinda, Mauronto e Eusebia são também santos precongregacionais.” em 05 de maio: https://pt.wikipedia.org/wiki/Adalsinda#cite_note-2

– Outra Santa Adalsinda em 03 de maio: Ver “Santa Adalsinda de Béze foi uma freira do século VII e abbess … A irmã de Valdaleno, Adalsinda, tornou-se abassa de um monastério perto de Béze sob a supervisão de seu irmão. Adalsinda é mencionada na Crônica de João de Béze como “Adalsinda do Mosteiro de Dornaciaco“. Ela morreu por volta dos 680. [1]”, em 03 de maio:

https://santoral.wikia.org/es/wiki/Santa_Adalsinda_de_B%C3%A8ze

– Ver ainda “… Adalsindis, irmã de Waldalenu, era abade de um mosteiro perto de Bèze sob a supervisão de seu irmão. Adalsindis é mencionado na crônica de Johannes de Bèze como “Adalsinda do mosteiro de Dornatiacum”. Ela morreu por volta do ano 680. O Dia do Memorial dela é 3 de maio.

https://www.wikidata.org/wiki/Q17388130

16. Outros santos do dia 03 de maio: págs. 70-81 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 03 de maio, ver ainda: 3 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 373-375: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.