Santas e Santos de 15 de maio

15 de maio: dia internacional da família, definido em 20 de setembro de 1993, em deliberação da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Desde então, no dia 15 de maio sempre há, em várias partes do mundo, conferências e celebrações para discutir e traçar projetos para o futuro da instituição familiar. Conforme: https://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-internacional-das-familias.htm

– Ver também “O Dia Internacional das Famílias é celebrado no dia 15 de maio de cada ano. O Dia foi proclamado pela Assembléia Geral da ONU em 1993 com a resolução A / RES / 47/237 e reflete a importância que a comunidade internacional atribui às famílias. O Dia Internacional oferece uma oportunidade para promover a conscientização sobre questões relativas às famílias e para aumentar o conhecimento dos processos sociais, econômicos e demográficos que as famílias.[1]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_Internacional_das_Fam%C3%ADlias

– No Brasil o DIA DA FAMÍLIA é comemorado em 08 de dezembro “O Dia da Família é comemorado anualmente em 8 de dezembro, no Brasil. A data tem como objetivo homenagear a família, bem como lembrar a sua importância.”: https://www.calendarr.com/brasil/dia-da-familia/

====================

SANTAS E SANTOS DE 15 DE MAIO

1.   Em Lâmp­saco, no He­les­ponto, na ac­tual Tur­quia, a paixão dos santos Pedro, André, Paulo e Di­o­nísia, (ou Denise, também na Folhinha do Coração de Jesus) mártires. († s. III).

– No Martirológio Romano-Monástico, no Helesponto, no ano da graça de 251, a paixão dos Santos Pedro, André, Paulo e Denise ou Dionísia. Ao procônsul que o intimava a sacrificar à deusa Vênus, Pedro respondeu: “É mais necessário e mais glorioso para mim oferecer o sacrifício de adoração e de oração, de compunção e de louvor ao Deus vivo e verdadeiro, a Cristo, Rei de todos os séculos” (Paixão – M).

– Ver também páginas 366-370: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

2.   Em Ar­vena, na Aqui­tânia, hoje Cler­mont-Fer­rand, na França, os santos Cássio e Vi­to­rino, már­tires, que, se­gundo a tra­dição, pa­de­ceram o mar­tírio no tempo de Crono, chefe dos Alamanos. († s. III).

No Martirológio Romano-Monástico, em Clermont, na Auvergne, no séc. IV, os Santos Cássio, (também na Folhinha do Coração de Jesus), Vitorino, Máximo e seus companheiros, que foram martirizados por invasores teutônicos por causa da sua fé cristã. (M)

3.   Na Sar­denha, re­gião da Itália, São Sim­plício, presbítero. († s. III/IV)

4*.   Em La­rissa, na Tes­sália, re­gião da Grécia, Santo Aquileu o Tau­ma­turgo, bispo, que tomou parte no pri­meiro Con­cílio Ecu­mé­nico de Ni­ceia e, ani­mado de grande zelo apos­tó­lico e todas as vir­tudes, evan­ge­lizou vá­rios povos pagãos. († s. IV).

– Ver Santo Aquiles de Lárissa Aquiles de Lárissa (em grego: Άγιος Αχίλλειος; em latimAchillius[1] ou Achilius[2]), também chamado de Ailus,[3] Áquila (Achillas),[1] foi um dos 318 bispos que participaram do Primeiro Concílio de Niceia. Ele é comemorado como santo no dia 15 de maio.[4]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Aquiles_de_L%C3%A1rissa

5*.   Em Autun, na Gália Li­o­nense, na ho­di­erna França, São Re­tício, bispo, que Santo Agos­tinho re­corda como per­so­na­li­dade de grande au­to­ri­dade na Igreja e São Je­ró­nimo ad­mira como bom exe­geta da Sa­grada Escritura. († s. IV).

– Ver “São Retício (ou ReticiusRheticus ou Rheticius) (em francês: Saint Rhétice) foi um bispo de Autun do século IV dC, o primeiro cujo nome é conhecido de acordo com a Enciclopédia Católica. Ele era um galo-romano e um escritor eclesiástico e serviu como bispo desta Sé de por volta de 310 até 344 dC[1].”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ret%C3%ADcio_de_Autun

6.   Na Etiópia, São Caleb ou Elésban, rei, que, para de­sa­gravar os már­tires de Na­gran, em­pre­endeu o com­bate contra os ini­migos de Cristo e, se­gundo a tra­dição, de­pois de ter en­viado, no tempo do im­pe­rador Jus­tino, o seu di­a­dema régio para Je­ru­salém, abraçou a vida mo­nás­tica, a que se com­pro­me­tera por voto, até partir deste mundo ao en­contro do Senhor. († c. 535)

7.   Em Sep­têm­peda, no Pi­ceno, hoje nas Marcas, re­gião da Itália, São Se­ve­rino, bispo, cujo nome foi dado à cidade.(† data inc.)

8*.   Em Bingen, junto ao rio Reno e perto de Mo­gúncia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, São Ro­berto (Ruperto), duque, que, ainda jovem fez uma pe­re­gri­nação ao tú­mulo dos Após­tolos e, de re­gresso aos seus do­mí­nios, cons­truiu muitas igrejas; aos vinte e um anos de idade, ador­meceu no Senhor. († s. VIII)

– Ver páginas 373-374: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

Ver “Ruperto de Bingen (em alemãoRupert von Bingen712 — 732) foi um santo da alemão, filho do pagão Robolaus e da nobre cristã Bertha de Bingen, que veio a ser também santificada. Com a morte do pai o menino foi educado como cristão. Com quinze anos fez uma peregrinação a Roma, e por isso é tido como o padroeiro dos peregrinos. Voltando para a Alemanha usou sua herança para construir igrejas, e faleceu com apenas vinte anos de “febre”.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ruperto_de_Bingen

9.   Em Cór­dova, na An­da­luzia, re­gião da Es­panha, a co­me­mo­ração de São Vi­te­sindo, mártir, que por medo dos Mouros aban­donou a fé cristã; mas de­pois, re­cu­sando pú­bli­ca­mente pra­ticar esse culto ma­o­me­tano, foi morto em ódio à fé cristã. († 855)

10.   Em Ma­drid, na re­gião de Cas­tela, na Es­panha, Santo Isidro, (ou Isidoro) la­vrador, que, com sua es­posa, a Beata Maria da Ca­beça, tra­ba­lhando ar­du­a­mente e pro­cu­rando pa­ci­en­te­mente mais os frutos do Céu que os da terra, se tornou um exemplo de grande pi­e­dade para o agri­cultor cristão. († c. 1130).

No Martirológio Romano-Monástico, na Espanha, perto de 1130, Santo Isidoro Agricultor (também na Folhinha do Coração de Jesus). Empregado de um rico proprietário de Madri, visitava as Igrejas antes de começar a trabalhar e mostrava grande generosidade para com os mais pobres do que ele. O corpo do santo foi encontrado intacto cinco séculos após sua morte e Isidoro recebeu as honras da canonização em 1622 a pedido de Filipe III (X).

– Ver também páginas 363-365: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

– Ver também “Isidoro, o Lavrador (Madrid, c. 1070 – 15 de maio de 1130) é um santo da Igreja Católica Romana. Canonizado em 1622 pelo papa Gregório XV, a sua festa é celebrada no dia 15 de Maio. É padroeiro principal da sua cidade natal, Madrid, e também dos lavradores.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Isidoro,_o_Lavrador

11.   Em Aix-en-Pro­vence, na França, o Beato André Abellon, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores, que re­novou nos con­ventos a ob­ser­vância re­gular, ad­mi­nis­trando-os com be­ne­vo­lência e sobriedade. († 1450).

Ver páginas 375-376: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

12. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Pacômio, abade, morto na Tebaida em 346. Testemunha da caridade cristã para com os prisioneiros no tempo de seu serviço militar, converteu-se e pediu o hábito monástico ao eremita São Palamon. Sete anos mais tarde, uma voz divina o mandou “construir uma casa em Tabenesse, para nela reunir muitos irmãos”. São Pacômio é, assim, considerado fundador do monaquismo cenobítico (B).

13. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, os Santos Torquato (também na Folhinha do Coração de Jesus), Ctésifo, Segundo, Indalécio, Cecílio, Esíquio (Hesíquio) e Eufásio, considerados pela tradição como os primeiros apóstolos da Espanha. (M)

Santo Hesíquio de Casorla. Ver “Santo Hesíquio (em espanholSan Hesiquio[1] é venerado como o santo padroeiro da cidade de Cazorla, na Espanha

Hesíquio é um dos “sete varões apostólicos“, que foram sete clérigos cristãos ordenados em Roma pelos santos Pedro e Paulo, enviados para envagelizar a Hispânia. Além de Hesíquio, este grupo incluia os santos Torcato de AcciCecílioTesifonteEufrásioIndalécio e Segundo.

A identificação dos lugares onde ele teria realizado a evangelização é pouco precisa: algumas fontes afirmam que Carcere ou Carcesi não seria Cazorla e sim Cieza.[2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hes%C3%ADquio_de_Cazorla

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em meados do séc. IV, São Prímaclo. Originário das Ilhas Britânicas, levou vida eremítica na Bretanha, onde numerosas igrejas foram-lhe dedicadas (X).

15. São Francoveu, confessor. Ver páginas 371-372: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%208.pdf

16. Santa Joana de Lestonac. Ver “Joana de Lestonnac (Bordéus27 de dezembro de 1556 — 2 de fevereiro de 1640) foi a fundadora da Companhia de Maria, uma ordem religiosa que tinha como missão educar as jovens da época.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Joana_de_Lestonnac

17. Em Ghéel, no Bra­bante, ter­ri­tório da Aus­trásia, ac­tu­al­mente na Bél­gica, Santa Dimpna, virgem e mártir. († s. VII/IX).

– Ver “Santa Dymphna… Também conhecida como Dimpna, Dympne. Sua memória era 15 de maio. Desde 2004 é 30 de maio. O local onde ela morreu é conhecido por suas curas milagrosas de loucos e possuídos . Agora existe uma instituição bem conhecida no local, e suas relíquias curam a insanidade e a epilepsia.”: http://catholicsaints.info/saint-dymphna/

– Ver “padroeira dos psicólogos e psiquiatras; doenças mentais; enfermidades neurológicas; viciados; vítimas de incesto… Santa Dimpna era a filha de um rei irlandês pagão e de sua esposa cristã no século VII e que foi assassinada por seu pai. A história de Santa Dimpna foi relatada pela primeira vez no século XIII num cânone da Igreja de Santo Alberto em Cambrai, encomendado pelo bispo da cidade, Guido I. O autor afirma expressamente que seus escritos foram baseados numa tradição oral muito antiga e em persistentes histórias de curas milagrosas e inexplicáveis de pessoas acometidas por doenças mentais[1]. Seu dia é comemorado pela Igreja Católica em 30 de maio, conforme o Martirológio Romano.: https://pt.wikipedia.org/wiki/Dimpna

– Ver também “(tradução do google) … Na verdade, após a descoberta de suas relíquias no século XIII, um assentamento inteiro se desenvolveria em torno da veneração de St. Dymphna, tendo como modelo o conceito tradicional da igreja como “hospital espiritual”.

St. Dymphna recebeu a coroa do martírio em defesa de sua castidade em algum momento entre 620 e 640 d.C. aos quinze ou dezesseis anos.

… Inicialmente, os peregrinos que precisavam de cura foram alojados em um pequeno anexo ou enfermaria construído na Igreja de St. Dymphna. Após a alta, foram colocados nas casas das famílias que viviam na aldeia. A partir deste pequeno começo e sob o patrocínio de St. Dymphna, os habitantes de Gheel tornaram-se conhecidos pelos cuidados que deram àqueles com doenças mentais. A cidade possui um sanatório de primeira classe, um dos maiores e mais eficientes estabelecimentos para doentes mentais do mundo. Gheel foi o primeiro a iniciar um programa de esperança onde os doentes mentais, uma vez libertados do cuidado institucional, poderiam levar realisticamente vidas normais e produtivas nas casas dos agricultores e moradores locais. Os pacientes, que são membros valiosos dessas “famílias adotivas”, ajudam com as tarefas e trabalham na medida de sua capacidade. O poder das intercessão de St. Dymphna é evidenciado pelo trabalho incrivelmente compassivo do povo de Gheel para os doentes mentais, bem como pelo progresso e capacidade dos pacientes de viver de forma plena e eficaz. Esta colaboração só pode ter sido trazida através de meios celestiais, neste caso, o patrocínio amoroso de St. Dymphna.”: http://www.saintsmaryandmarthaorthodoxmonastery.org/newsletter_Jan2006.html

– Ver ainda “Santa Dymphna… Também conhecida como Dimpna, Dympne. Sua memória era 15 de maio. Desde 2004 é 30 de maio. O local onde ela morreu é conhecido por suas curas milagrosas de loucos e possuídos . Agora existe uma instituição bem conhecida no local, e suas relíquias curam a insanidade e a epilepsia.”: http://catholicsaints.info/saint-dymphna/

18. Outros santos do dia 15 de maio: págs. 363-378 (vol.08): obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS DOS SANTOS – 8.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 15 de maio, ver ainda: 15 de maio – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 399-401: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp- content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A  MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO:

MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE   SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES.

ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.