Santas e Santos de 12 de outubro

SOLENIDADE DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, SOLENIDADE DE NOSSA SENHORA APARECIDA, PADROEIRA PRINCIPAL DO BRASIL (também na Folhinha do Coração de Jesus). De acordo com o relato do Padre José Alves Vilela, vigário de Guaratinguetá de 1725 a 1745, “na segunda quinzena de outubro de 1717, passando por esta vila de Guaratinguetá para as Minas o Governador delas e de São Paulo, o Conde de Assumar, D. Pedro de Almeida, foram notificados pela Câmara todos os pescadores para apresentarem todo o peixe que pudessem haver para o dito governador. Entre os muitos, foram a pescar Domingos M. Garcia, João Alves e Filipe Pedroso, em suas canoas. E principiando a lançar suas redes no porto de José Correa Leite, continuaram até o porto de Itaguaçu, distância bastante, sem tirar peixe algum. E lançando neste porto João Alves a sua rede de arrasto, tirou o corpo de uma senhora sem a cabeça; e lançando mais abaixo outra vez a rede, tirou a cabeça da mesma Senhora, não se sabendo nunca quem ali a lançasse. Guardou o inventor esta imagem em um tal ou qual pano; e continuando a pescaria, não tendo até então tomado peixe algum, dali por diante foi tão copiosa a pescaria em poucos lanços, que receosos os companheiros de naufragarem pelo muito peixe que tinham em suas canoas, se retiraram a suas vivendas, admirados desse sucesso. Filipe Pedroso conservou esta imagem seis anos, pouco mais ou menos, em sua casa, perto de Lourenço de Sá. E passando para a Ponte Alta, ali a conservou em sua casa nove anos, pouco mais ou menos. Daqui se passou a morar em Itaguaçu, onde deu a imagem a seu filho, Atanásio Pedroso, o qual lhe fez oratório tal e qual; e em um altar de paus colocou a santa, onde todos os sábados se ajuntava a vizinhança a cantar o terço e mais devoções.

Foi edificada uma capelinha, e depois outra maior. A 24 de junho foi bento solenemente o templo, hoje chamado de “basílica velha”. A monumental basílica atual foi consagrada pelo papa São João Paulo II no dia 4 de julho de 1980. Desde 1894, como capelães e missionários, vieram os padres redentoristas, que desde então prestam assistência religiosa aos romeiros. A devoção do povo brasileiro à Nossa Senhora, a peregrinação da Padroeira por toda a Pátria, a abertura de vias de acesso rápido e uma equipe de religiosos especializados colocaram Aparecida entre os maiores centros de peregrinação do mundo. Em 1988, o Presidente João Figueiredo decretou o dia 12 de outubro como feriado nacional. (R).

– Ver (mais completo) páginas 116-156: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Concei%C3%A7%C3%A3o_Aparecida

Ver ainda: págs. 366-374. OBSERVAÇÃO: entre as páginas 370-373, NOSSA SENHORA APARECIDA: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver também “… Nossa Senhora da Conceição Aparecida, popularmente chamada de Nossa Senhora Aparecida, é a padroeira do Brasil.[4] Venerada na Igreja Católica,[1] Nossa Senhora Aparecida é representada por uma pequena imagem de terracota de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, atualmente alojada na Catedral Basílica de Nossa Senhora Aparecida, localizada na cidade de Aparecida, em São Paulo… Sua festa litúrgica é celebrada em 12 de outubro, um feriado nacional no Brasil desde 1980, quando o Papa João Paulo II consagrou a basílica, que é o quarto santuário mariano mais visitado do mundo,[5] capaz de abrigar até 30 mil fiéis.[6]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Conceição_Aparecida

* 12 DE OUTUBRO: NOSSA SENHORA DO PILAR.

Ver “… A festa de Nossa Senhora do Pilar é comemorada em 12 de outubro, e ela é a padroeira dos povos hispânicos e da Guarda Civil Espanhola (também PADROEIRA DA DIOCESE DE DUQUE DE CAXIAS, RJ). Um grande festival de nove dias, conhecido como Fiestas del Pilar, é comemorado em Saragoça todos os anos em sua homenagem. As modernas Festas do Pilar, como se desenvolveram desde o século XIX, começam no final de semana anterior a 12 de outubro e terminam no domingo após 12 de outubro (ou seja, passam de 5 a 13 e 11 a 19 de outubro)… No dia 12 de outubro coincide com o dia do ano de 1492, quando a terra foi vista pela primeira vez na Primeira Viagem de Colombo, a Fiesta de la Raza Española, proposta pela primeira vez em 1913 por Faustino Rodríguez-San Pedro e Díaz-Argüelles (depois nos EUA). apelidado de “Dia de Colombo“,pois Colombo tende a ser considerado italiano e não espanhol, sendo que na América do Norte cai na mesma data. A Festa da Raza Espanha foi declarada feriado nacional da Espanha em um decreto de Antonio Maura e do rei Afonso XIII de 1918. O nome alternativo Día de la Hispanidad foi proposto no final da década de 1920 por Ramiro de Maeztu, com base em uma sugestão de Zacarías de Vizcarra. Após a Guerra Civil, em 12 de outubro de 1939, a Día de la Raza foi celebrada em Zaragoza (Zaragoza), presidida por Francisco Franco, com uma devoção especial à Virgen del Pilar.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Virgem_do_Pilar

ALGUMAS OUTRAS FESTAS E SOLENIDADES DA MÃEZINHA MARIA

 A. FESTA DA MATERNIDADE DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA. Instituída por Pio XI em 1931. Ver: Carta Encíclica LUX VERITATIS: http://w2.vatican.va/content/pius-xi/it/encyclicals/documents/hf_p-xi_enc_19311225_lux– VEr veritatis.html

– Ver páginas 107-108: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

– Ver também motivo da festa em 11 de outubro: http://farfalline.blogspot.com/2014/10/maternidade-divina-de-Maria.html

http://espelhodejustica.blogspot.com/2017/10/11-de-outubro-maternidade-divina-de-n.html

– MATERNIDADE DE MARIA EM 01 DE JANEIRO. Outrora existia a festa da maternidade divina de Maria, a 11 de Outubro, instituída pelo Papa Pio XI e que foi supressa com a reforma litúrgica do Concilio Vaticano II, ficando tal festividade no dia 1º de Janeiro. Mas a festa de 1º de Janeiro é antiquíssima onde, já no século VI se fazia a comemoração deste privilégio mariano.”: https://www.a12.com/academia/catequese/1585-anos-da-proclamacao-do-dogma-da-maternidade-divina-de-maria

B. Festa de NOSSA SENHORA DA GRAÇA, padroeira principal da Diocese de Parnaíba, Piauí, conforme o Martirológio Romano-Monástico. NOSSA SENHORA MÃE DA DIVINA GRAÇA, padroeira da cidade de Parnaíba, Piauí. No Martirológio Romano-Monástico, festa em 11 de outubro. No Diretório de Liturgia da CNBB, dia 11 de outubro é DEDICAÇÃO DA CATEDRAL. Ver: http://obviousmag.org/a_literatura_vivendo_em_mim/2017/dia-08-de-setembro-festa-da-mae-da-divina-gracapadroeira-da-cidade-de-parnaiba.html

– VER TAMBÉM: http://www.diocesedeparnaiba.org.br/

C. Ver em 08 DE SETEMBRO, SOLENIDADES E FESTAS DE NOSSA SENHORA:

C.1. * Festa da Na­ti­vi­dade da Virgem Santa Maria, da des­cen­dência de Abraão, nas­cida da tribo de Judá, da li­nhagem régia de David, da qual nasceu o Filho de Deus, feito homem por vir­tude do Es­pí­rito Santo, para li­bertar os ho­mens da an­tiga es­cra­vidão do pecado.

– Ver ainda: NATIVIDADE DA SANTÍSSIMA VIRGEM: Ver páginas 99-100: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2016.pdf

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, FESTA DA NATIVIDADE DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA, herdeira das Alianças e das promessas de Israel, de quem Cristo se originou, segundo a sua humanidade. Essa festa é igualmente celebrada pelos orientais bizantinos e siríacos, ao passo que os gregos e coptas a celebram na vigília deste dia. (R). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Natividade_de_Nossa_Senhora

C.2.NOSSA SENHORA DA PENHA: ver também 08 de abril.

-Ver:http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/nossa-senhora-da-penha

https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Penha_de_Fran%C3%A7a

https://www.altoastral.com.br/nossa-senhora-da-penAa/

D.Solenidade de NOSSA SENHORA DE MONSERRATE, titular da Abadia Territorial de Nossa Senhora de Monserrate, no Rio de Janeiro, e padroeira principal das arquidioceses de Curitiba e Vitória, da diocese de Juazeiro e da prelazia de Lábrea. Nas cidades de Curitiba e Santos,  é padroeira. Nas catedrais de Curitiba (Nossa Senhora da Luz), Vitória (Nossa Senhora da Vitória), Juazeiro (Nossa Senhora das Grotas) e Lábrea (Nossa Senhora de Nazaré), solenidade da titular. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Virgem_de_Montserrat

E. VER AINDA:

E.1.* NOSSA SENHORA DA CARIDADE DO COBRE: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Caridade_do_Cobre

E.2.* NOSSA SENHORA DE NAZARÉ: CÍRIO DE NAZARÉ. SEGUNDO DOMINGO DE OUTUBRO: CÍRIO DE NAZARÉ. Ver “… Círio de Nazaré é uma manifestação religiosa católica em devoção a Nossa Senhora de Nazaré, que ocorre na capital Belém, no estado brasileiro do Pará, em Macapá, capital do estado do Amapá e em Rio Branco, capital do estado do Acre.[1][2] Celebrado anualmente desde 1793, no segundo domingo de outubro, reunindo cerca de dois milhões de pessoas em todas as romarias e procissões. Uma devoção religiosa, herdada dos colonizadores portugueses – em Portugal é celebrado no dia 8 de setembro na vila de Nazaré.[3]

Em outras regiões, devido a migração de paraenses, acabaram criando procissões para sentirem-se próximos de Belém, por meio do ato de Fé. No Brasil, no início, era uma romaria vespertina e até mesmo noturna, daí o uso de velas. No ano de 1854, para evitar a repetição da chuva torrencial como a que havia caído no ano anterior, a procissão passou a ser realizada pela manhã.

O Círio foi instituído em 1793 em Belém do Pará[3] e, até 1882, saía do Palácio do Governo. Em 1882, o bispo D. Antônio de Macedo Costa, em acordo com o Presidente da Província, Justino Ferreira Carneiro, instituiu que a partida do Círio seria da Catedral da Sé, em Belém.

O Círio é a maior manifestação católica do Brasil – e um dos maiores eventos do mundo -, reunindo mais de dois milhões de pessoas em uma só manhã.[4][5] Sendo, em 2004, reconhecido como patrimônio cultural imaterial pelo Iphan e, em dezembro de 2013, declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO.[6][7][8]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%ADrio_de_Nossa_Senhora_de_Nazar%C3%A9

E.3.* NOSSA SENHORA DA PENNA (também na Freguesia – Rio de Janeiro): https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Pena

E.4.* NOSSA SENHORA DO PORTO: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_do_Porto

E.5.* NOSSA SENHORA DA SAÚDE  https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Saúde

NOSSA MÃEZINHA SEMPRE MERECE SER LEMBRADA. ACIMA, registro de algumas FESTAS E SOLENIDADES DE NOSSA SENHORA (PODEM SER ENRIQUECIDAS COM MUITO MAIS ANOTAÇÕES. HÁ VÁRIOS OUTROS  TÍTULOS LEMBRANDO A NOSSA MÃEZINHA.)

OUTRAS SANTAS E SANTOS DE 12 DE OUTUBRO

1.   Em Roma, junto à Via Lau­ren­tina, Santo He­disto, mártir. († data inc.).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia receberam a palma do martírio os Santos Edisto, perto de Roma; e Donina (Ver abaixo Santa Senhorinha), na Cilícia (M).

2.       Em Ana­zarbo, na Ci­lícia, na ho­di­erna Tur­quia, Santa Se­nho­rinha (Santa Donina), mártir, que, se­gundo a tra­dição, no tempo do im­pe­rador Di­o­cle­ciano e do go­ver­nador Lí­cias, de­pois de so­frer muitos tor­mentos, no cár­cere en­tregou o seu es­pí­rito a Deus. († c. 304)

3.   Co­me­mo­ração dos quatro mil no­ve­centos e ses­senta e seis már­tires e con­fes­sores da fé, que du­rante a per­se­guição de­sen­ca­deada pelos Vân­dalos na África Se­ten­tri­onal, foram mortos por ordem do rei ariano Hu­ne­rico, em ódio à fé ca­tó­lica: bispos, pres­bí­teros e diá­conos da Igreja de Deus, jun­ta­mente com uma grande mul­tidão de fiéis, foram con­fi­nados num hor­rível ermo, onde, de­pois de sub­me­tidos a vá­rios gé­neros de tor­turas, ce­le­braram o seu mar­tírio; entre eles es­tavam os bispos Ci­priano e Félix, in­signes sa­cer­dotes do Senhor. († 483).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Tunísia, perto de 404, o martírio de Cinco Mil Bispos, Clérigos e Leigos africanos, que haviam confessado sua fé diante dos perseguidores arianos: “Somos cristãos, somos católicos, nós proclamamos a Trindade em Um Só Deus”. (M).

– Ver páginas 159-160: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

– Ver “… Ss. Felix e Cipriano e muitos outros mártires. A segunda entrada no Martirológio Romano hoje diz: “Na África, a paixão de 4.966 santos confessores e mártires na perseguição dos vândalos sob o rei ariano, Hunerico, alguns dos quais eram bispos das igrejas de Deus e alguns padres e diáconos, com as multidões de fiéis a eles associados. Eles foram levados ao exílio em um deserto horrível por defender a verdade católica. Muitos deles foram tratados com crueldade pelos mouros, sendo compelidos a correr por pontas de lanças e golpeados com pedras; outros foram arrastados como cadáveres, com as pernas amarradas, por um terreno acidentado e pedregoso, e dilacerado membro por membro; todos eles, sendo torturados de várias maneiras, no final alcançaram o martírio. Entre eles estavam aqueles ilustres sacerdotes do Senhor, os bispos Félix e Cipriano.” … Hunerico os exilou às centenas no deserto da Líbia, onde pereceram em condições da maior barbárie. Os números estavam concentrados em um pequeno prédio, onde o bispo Victor, que encontrou prisioneiros e prisão em um estado que lembra o “buraco negro” de Calcutá, os visitou. Quando finalmente foi trazida a ordem para conduzir os católicos ao deserto, eles saíram cantando salmos e em meio às lamentações de seus companheiros cristãos. Alguns até, incluindo mulheres e crianças, seguiram voluntariamente os confessores até o exílio e a morte. São Félix, o bispo de Abbir, estava muito velho e meio paralítico, e foi dito a Hunerico que ele poderia muito bem ser deixado para morrer em casa. Mas o rei brutal respondeu que, se não pudesse andar a cavalo, poderia ser amarrado a uma junta de bois e arrastado. Por fim, o velho fez a terrível jornada amarrado nas costas de uma mula. Muitos, mesmo dos jovens e fortes, não alcançaram seu destino: pedras foram atiradas neles e eles foram espetados com lanças para fazê-los acompanhar, até que desabaram à beira do caminho e morreram de sede e exaustão. São Cipriano, outro bispo, gastou todo o seu tempo, energia e propriedades cuidando dos confessores e encorajando-os, até que ele também foi preso e enviado para o exílio, onde morreu como mártir das adversidades que suportou…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayOctober12.html

4*.     Em Pi­a­cenza, na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, Santo Opílio, diácono. († c. s. V)

5.   Em Roma, São Félix IV, papa, que trans­formou dois tem­plos do Foro Ro­mano na igreja de­di­cada aos santos Cosme e Da­mião e tra­ba­lhou com grande zelo pela fé católica. († 530)

6.   Na pro­víncia do Nó­rico Ri­pense, ac­tu­al­mente na Áus­tria, São Ma­xi­mi­liano, que é ve­ne­rado como bispo de Lorch. († a. s. VII)

– Ver “… São Maximiliano, Bispo de Lorch, Mártir.
Maximiliano foi um apóstolo daquela parte do Império Romano anteriormente chamada de Noricum, entre a Estíria e a Baviera, onde se diz que ele fundou a igreja de Lorch, perto de Passau, e foi martirizado; mas os detalhes dependem de acta escritos tão tarde quanto o século XIII e são pouco confiáveis. Estas afirmam que ele nasceu em Cilli (Steiermark), na Estíria, e aos sete anos foi confiado a um padre para ser educado. Seus pais eram pessoas ricas e, quando ele cresceu, deu sua herança em caridade e empreendeu uma peregrinação a Roma.

   O Papa Santo Sisto II o enviou de volta para ser um missionário em Noricum e ele estabeleceu sua sé episcopal em Lorch. Maximiliano sobreviveu às perseguições de Valeriano e Aureliano e ministrou por mais de vinte anos, fazendo muitas conversões. Mas sob Numerian o prefeito de Noricum publicou um edito de perseguição, em consequência do qual São Maximiliano foi chamado para sacrificar aos deuses. Ele se recusou e foi decapitado fora das muralhas de Cilli, em um local ainda mostrado…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayOctober12.html

7*.     Em Pavia, na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Ro­to­baldo, bispo, homem de exem­plar es­pí­rito de pe­ni­tência, muito de­di­cado ao culto di­vino e à in­ves­ti­gação das re­lí­quias dos santos. († 1254)

8.   Em Ás­coli, ci­dade do Pi­ceno, ac­tu­al­mente nas Marcas, re­gião da Itália, São Se­rafim (também na Folhinha do Coração de Jesus) de Monte Granaro (Félix de Ni­cola), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, me­mo­rável pela sua hu­mil­dade, po­breza e piedade. († 1604).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na região de Ancona, às margens do Adriático, em 1604, São Serafim, frade capuchinho assíduo ao culto eucarístico e ao serviço de seus irmãos (M).

9*.     Em Lon­dres, na In­gla­terra, o Beato Tomás Bul­laker, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores e mártir, que, apri­si­o­nado no rei­nado de Carlos I no mo­mento em que ce­le­brava a Missa, morreu na forca de Ty­burn por causa do seu sa­cer­dócio e es­quar­te­jado quando ainda es­tava vivo. († 1642)

10♦.   Em Oviedo, na Es­panha, o Beato Eu­frásio do Me­nino Jesus (Eu­frásio Bar­redo Fer­nández), pres­bí­tero da Ordem dos Car­me­litas Des­calços e mártir, que, as­sas­si­nado em ódio à fé,  se tornou par­ti­ci­pante na vi­tória de Cristo. († 1934)

11*.   Em Ri­bar­roja de Túria, lo­ca­li­dade da pro­víncia de Va­lência, também na Es­panha, o Beato José Gon­zález Huguet, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição contra a fé, com­bateu por Cristo um glo­rioso combate. († 1936)

12*.   Em Mas­sa­ma­grel, também na pro­víncia de Va­lência, o Beato Pa­cí­fico de Va­lência (Pedro Sal­cedo Pu­chades), re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos e mártir, que na mesma per­se­guição foi con­fi­gu­rado à Paixão de Cristo. († 1936)

13*.   No campo de con­cen­tração de Aus­chwitz, perto de Cra­cóvia, na Po­lónia, o Beato Romão Sitko, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a ocu­pação mi­litar da Po­lónia, de­pois de ter sido atroz­mente ator­men­tado pelos per­se­gui­dores hostis à dig­ni­dade dos ho­mens e da re­li­gião, partiu para a visão da eterna bem-aventurança. († 1942)

14. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 710, a volta para Deus de São Vilfrido. Inicialmente monge na abadia de Lindisfarne, fundou o mosteiro de Ripon, onde introduziu os costumes litúrgicos romanos e a Regra de São Bento. Tornando-se bispo de York, teve de sofrer o exílio e a prisão, mas foi por duas ocasiões reabilitado por Roma. (M).

15. Santo Evágrio (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver página 159 (Santo Evágrio, Prisciano, também na Folhinha do Coração de Jesus, e seus companheiros): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

16. Santo Edwin, rei da Nortúmbria. Ver páginas 157-159: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

– Ver também “Eduíno da Nortúmbria, também chamado de Eduíno ou Santo Eduíno (Deira585 — 12 de outubro de 633) é um santo católico que foi rei da Nortúmbria de 616 a 632. Filho do rei Ella de Deira, casou-se com Santa Etelburga. Em 627, converteu-se ao cristianismo e foi batizado por Paulino de Iorque, tornando-se o primeiro rei cristão da Nortúmbria. Foi pai de Santa Eanfleda e Santo Eduíno. É tio-avô de Santa Hilda e bisavô de Santa Elfleda. Logrou evangelizar seu reino e foi morto por Penda de Mércia.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Edu%C3%ADno_da_Nort%C3%BAmbria

17. Beato Carlo Acutis. Ver “… Carlo Acutis (Londres3 de maio de 1991 – Milão12 de outubro de 2006) foi um adolescente católico italiano nascido no Reino Unido beatificado pela Igreja católica[2] Ele se tornou conhecido por documentar milagres eucarísticos ao redor do mundo e catalogá-los em um site que ele mesmo criou nos meses anteriores à sua morte por leucemia. [3] [2] Ele ficou conhecido por sua alegria e por suas habilidades com o computador, bem como por sua profunda devoção à Eucaristia, que se tornou um tema central de sua vida. [4]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Carlo_Acutis

– Ver também “Carlo Acutis, que morreu aos 15 anos, catalogou todos os milagres eucarísticos do mundo. “Sempre fomos esperados no céu.””: https://aleteia.org/2016/12/03/computer-geek-takes-one-more-step-toward-sainthood/

– Ver ainda “Em 5 de julho de 2018, o Papa Francisco autorizou a promulgação do decreto declarando Venerável Carlos, cujos restos mortais descansam a partir de 6 de abril de 2019 em Assis, na igreja de Santa Maria Maior – Santuário de Strip-Tease. No mesmo ano, o Pontífice citou Carlos na exortação apostólica pós-sinodal “Christus vivit”. Em 21 de fevereiro de 2020, autorizou a promulgação do decreto relativo a um milagre atribuído à intercessão de Carlos, que foi solenemente beatificado em Assis em 10 de outubro.”: http://www.santiebeati.it/dettaglio/93910

18. Outras santas e santos do dia 12 de outubro: págs. 111-161, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2018.pdf

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XVII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

 Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959.

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 12 de outubro: 12 de outubro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  798-800: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayOctober12.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS ESPÍRITO DE ORAÇÃO, VIGILÂNCIA, RENÚNCIA, PENITÊNCIA! DÊ-NOS ARDOR MISSIONÁRIO PELO E PARA O SENHOR! TIRE-NOS O TORPOR E A TIBIEZA! DÊ-NOS A GRAÇA, AMADO PAI, DE LUTAR COM ENTUSIASMO, CORAGEM E FORÇA DE VONTADE, MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS, PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ DE BONS COSTUMES E SANTIDADE POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO. DÊ-NOS, SOBRETUDO, A DOCILIDADE DAS OVELHAS. PEDIMOS EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, CUIDE DE NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!