Santas e Santos de 30 de novembro

1. Festa de Santo André (também na Folhinha do Coração de Jesus), Após­tolo, na­tural de Bet­saida, irmão de Simão Pedro e pes­cador como ele. Foi o pri­meiro dos dis­cí­pulos de João Bap­tista a ser cha­mado pelo Se­nhor junto ao Jordão e que O se­guiu, apre­sen­tando-Lhe também seu irmão; de­pois do Pen­te­costes, se­gundo a tra­dição, pregou o Evan­gelho na re­gião da Acaia, na Grécia, e foi cru­ci­fi­cado em Pa­tras. A Igreja de Cons­tan­ti­nopla ve­nera-o como seu mais in­signe patrono.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa de Santo André. Originário de Betsaida, na Galiléia, e discípulo de João Batista, foi um dos primeiros Apóstolos chamados por Cristo, a quem apresentou seu irmão Simão Pedro. Segundo uma antiga tradição, exerceu seu apostolado na região dos Bálcăs e morreu na cruz. Uma importante relíquia de seu crânio, que havia sido depositada no séc. XV junto ao túmulo de São Pedro, no Vaticano, foi restituída aos orientais em 1966, como sinal do desejo de comunhão entre a Igreja de Roma e a Igreja de Constantinopla. (R).

– Ver páginas 320-335: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/André,_o_Apóstolo

– Ver “Santo André ou Santo André Apóstolo (em grego: ‘Ανδρέας; romaniz.: Andréas) (BetsaidaGalileia,[1] século I a.C., — Patras, 60 d.C.),[2] conhecido na tradição ortodoxa como Protocletos (o “primeiro [a ser] chamado”), é um apóstolo cristão, irmão de São Pedro. O nome “André” (do grego “ανδρεία”, andreía, “hombridade” ou “coragem”), como diversos outros nomes gregos, parece ter sido comum entre os judeus dos séculos III ou II a.C. Não se tem registro de qualquer nome hebraico ou aramaico seu…

… De acordo com Hipólito de Roma, ele pregou na Trácia[3] e sua presença em Bizâncio também é mencionada no apócrifo “Atos de André“, escrito no século II.[4] Esta diocese se desenvolverá e acabará por se tornar o Patriarcado de Constantinopla. André é, por isso, considerado como seu fundador.[5]…”: André, o Apóstolo – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

2.   Em Milão, na Li­gúria, agora na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Mi­ro­cletes, bispo, que Santo Am­brósio men­ciona entre os bispos fiéis que o precederam. († d. 314)

3*.   Na Bre­tanha Menor, na ho­di­erna França, São Tu­dual, ape­li­dado Pabu, abade e bispo, que cons­truiu um mos­teiro no ter­ri­tório de Tréguier. († s. VI)

– Ver “… Às vezes listado como Tugdual. Originalmente um monge no País de Gales, ele viajou para a Bretanha, França, com sua mãe, irmãs e outros parentes. A língua celta da Bretanha era facilmente compreendida pelos falantes de galês. O primo de Tudwal, Deroc, era um rei da Dumnônia e trabalhou para promover a fé nos domínios de seu primo, fundando Lan Paku em Leão, Espanha. Ele finalmente se tornou bispo de Treher (Treguier) com o rei Childeberto I (r. 511 -558) como seu patrono. Ele é lembrado no País de Gales em vários locais da Península de Leyn…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayNovember30.html

4.   No monte Siépi, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, São Gal­gano Guidotti, ere­mita, que se con­verteu a Deus de­pois de uma ju­ven­tude dis­si­pada e viveu o resto da sua vida em vo­lun­tária mor­ti­fi­cação corporal. († 1181)

– Ver “… São Galgano (1148 — 3 de dezembro de 1181)[a] foi um santo católico da Toscana, nascido em Chiusdino, na moderna província de Siena, na Itália. O nome de sua mãe era Dionigia, enquanto o nome de seu pai (Guido ou Guidotto) só apareceu em um documento datado no século XVI, quando o sobrenome Guidotti foi atribuído.

O processo de canonização de Galgano como santo começou em 1185, apenas alguns anos depois de sua morte, e sua canonização foi a primeira conduzida com um processo formal pela Igreja Romana.[1] Muito da vida de São Galgano é conhecida através dos documentos do processo de canonização de 1185[2] e outros Vitae: Legenda beati Galgani[3] por anônimo, Legenda beati Galgani confessoris por um desconhecido monge cisterciense,[4] Leggenda di Sancto Galgano,[5] Vita sancti Galgani de Senis,[6] Vita beati Galgani.[7]…”: Galgano Guidotti – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

5*.   Em Mont­pel­lier, na Pro­vença, ac­tu­al­mente na França, o Beato João de Ver­celas Garbella, pres­bí­tero, mestre geral da Ordem dos Pre­ga­dores, que na sua pre­gação re­co­mendou in­ten­sa­mente a de­voção ao nome de Jesus. († 1283)

– Ver páginas 372-373 (dia 01 de dezembro): VIDAS DOS SANTOS – 20.pdf (obrascatolicas.com)

6*.   Em Ra­tis­bona, na Ba­viera, re­gião da Ale­manha, o Beato Fre­de­rico, re­li­gioso da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agos­tinho, que, sendo hábil car­pin­teiro, se dis­tin­guiu pelo fervor na oração, obe­di­ência e caridade. († 1329)

7.   Em Lan­ceston, na In­gla­terra, São Cut­berto Mayne, pres­bí­tero e mártir, que, con­ver­tido à fé ca­tó­lica e or­de­nado sa­cer­dote, exerceu o mi­nis­tério na Cor­nu­alha, até que, no rei­nado de Isabel I, con­de­nado à pena ca­pital por ter dado a cnhecer pu­bli­ca­mente uma Bula Apos­tó­lica, foi con­du­zido ao su­plício do pa­tí­bulo, sendo o pri­meiro mártir dos alunos do Co­légio dos In­gleses de Douai. († 1577)

8*.   Em York, também na In­gla­terra, o Beato Ale­xandre Crow, pres­bí­tero e mártir, que, tendo pas­sado de hu­milde cos­tu­reiro ao mi­nis­tério sa­cer­dotal, no mesmo rei­nado de Isabel I, por ser sa­cer­dote foi con­de­nado ao pa­tí­bulo e con­sumou o seu glo­rioso martírio. († 1586)

9.   Em Quixan, lo­ca­li­dade do Si­chuan, pro­víncia da China, São Tadeu Liu Ruiting, pres­bí­tero e mártir, que foi es­tran­gu­lado em ódio à fé. († 1823)

10.   Em Hué, no Anam, agora no Vi­etnam, São José Marchand, pres­bí­tero da So­ci­e­dade das Mis­sões Es­tran­geiras de Paris e mártir, que, no tempo do im­pe­rador Minh Mang, foi con­de­nado ao su­plício dos cem açoites. († 1875)

11*.   Em Pa­ra­cu­ellos del Ja­rama, lo­ca­li­dade pró­xima de Ma­drid, na Es­panha, o Beato Mi­guel Fran­cisco Ru­edas Me­jias e seis companheiros, már­tires, re­li­gi­osos da Ordem de São João de Deus, ho­mens in­signes pelo seu tes­te­munho de fé cristã, que, du­rante a cruel per­se­guição re­li­giosa, foram ví­timas da vi­o­lência dos ini­migos da Igreja e par­tiram ao en­contro do Senhor. São estes os seus nomes: Diogo de Cádiz (Tiago García Mo­lina), Ni­cé­foro Sal­vador del Río, Romão (Ra­fael Tou­ceda Fer­nández), re­li­gi­osos; Artur Do­noso Mu­rillo, Jesus Gesta de Pi­quer e An­tónio Mar­tínez Gil-Le­onis, professos. († 1936)

12*.   Em Va­lência, também na Es­panha, o Beato José Otin Aquilué, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, na mesma per­se­guição, pela sua in­ven­cível cons­tância na fé al­cançou o reino celeste. († 1936)

13♦.   Em Pa­ra­cu­ellos del Ja­rama, lo­ca­li­dade pró­xima de Ma­drid, os be­atos Agos­tinho Re­nedo Martino, pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho e qua­renta e nove companheiros már­tires, que, du­rante a per­se­guição contra a Igreja, pelo seu tes­te­munho de Cristo re­ce­beram a coroa do martírio. São estes os seus nomes: Artur Garcia de la Fu­ente, Bento Ro­drí­guez Gon­zález, Con­rado Ro­drí­guez Gu­tiérrez, Cons­tan­tino Ma­lum­bres Francês, Dâ­maso Ar­co­nada Me­rino, Ge­rardo Gil Leal, Es­têvão Garcia Suárez, Fran­cisco Marcos del Rio, Jesus Largo Man­rique, João Mo­ne­dero Fer­nández, João Sán­chez Sán­chez, Jo­a­quim Garcia Fer­rero, Al­fredo Fer­nando Fariña Castro (José Agos­tinho), Ju­lião Zarco Cu­evas, Luís Suárez-Valdés Díaz de Mi­randa, Ma­riano Re­villa Rico, Ma­tias Es­peso Cu­evas, Mel­chior Mar­tínez Altuña, Mi­guel Ce­rezal Calvo, Pedro de la Varga Del­gado, Pedro Mar­tínez Ramos, pres­bí­teros da Ordem de Santo Agos­tinho; Di­o­nísio Terceño Vi­cente, José Gando Uña, José López Pi­teira, Ne­mésio Garcia Rúbio, diá­conos da mesma Ordem; Ber­nar­dino Calle Franco, Fran­cisco Fu­ente Pu­ebla, Ge­rardo Pas­cual Mata, He­li­o­doro Me­rino Me­rino, Isidro Me­di­a­villa Campo, José An­tónio Pérez Garcia, José Dalmau Regas, José No­riega Gon­zález, Júlio Marcos Ro­drí­guez, Júlio Maria Fín­cias, Luís Ábia Me­lendro, Ma­cário Sán­chez López, Má­ximo Valle Garcia, Mi­guel Itur­rarán Lau­ci­rica, Ne­mésio Díez Fer­nández, Pedro José Car­bajal Pe­reda, Pedro Simón Fer­rero, Ra­miro Alonso López, Ri­cardo Marcos Re­guero, Romão Martin Mata, Tomás Sán­chez López, Vítor Cu­esta Vil­lalba, re­li­gi­osos da mesma Ordem; Amado Cubeñas Diego-Ma­drazo e Vi­cente Peña Ruiz, pres­bí­teros da Ordem dos Pregadores. († 1936)

14*.   Perto de Mu­nique, na Ba­viera, re­gião da Ale­manha, no campo de con­cen­tração de Da­chau, o Beato Luís Roque Gientyngier, pres­bí­tero e mártir, que, no tempo da ocu­pação mi­litar da Po­lónia du­rante a guerra, foi ví­tima dos crimes co­me­tidos pelo re­gime ini­migo da fé e en­tregou o seu es­pí­rito a Deus. († 1941)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, perto de 420, São Constâncio, que defendeu a doutrina da graça contra os pelagianos. (M)

– Ver “… Em Roma, São Constâncio, confessor, que bravamente se opôs aos Pelagianos, e por suportar muitos ferimentos deles, ganhou um lugar entre os santos confessores. Padre romano que lutou contra os pelagianos e sofreu em suas mãos em Roma. Constâncio de Roma (RM). Um padre romano que se opôs fortemente aos pelagianos, em cujas mãos ele teve muito que suportar (beneditinos). Um padre em Roma que se opôs aos pelagianos e em cujas mãos ele sofreu muito…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayNovember30.html

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Palestina, perto de 550, o Bem-Aventurado Zózimo, monge, a quem São Teodoro Estudita chamava “a joia da humildade”. (M).

– “Resistiu energicamente aos pelagianos. Tanto sofreu com suas intrigas, que merece lugar entre os confessores da Fé” (MR).

– Ver:  http://catolicismo.com.br/materia/materia.cfm?IDmat=195257C7-F07E-1C1D-281691D6BD637484&mes=Novembro1999 

– Ver também: http://catolicismo.com.br/materia/materia.cfm/idmat/48FDFB30-BC3B-C7D8-DBBB6EC08F08A06D/mes/Novembro2005

17. São Troiano (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver páginas 336-337: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também 10 de fevereiro: Em Saintes, na Aqui­tânia, na ac­tual França, São Troiano, bispo. († c. 550). Ver “Troiano de Saintes (em latimTrojanus Santonensis ou Trofianus ou Trophianus; em francêsTroyen; m. c. 530) foi um bispo de Saintes, na Gália, no século VI. Ele foi mencionado em termos semi-lendários por Gregório de Tours[1]. Ele é geralmente identificado como sendo o autor de uma carta ainda existente enviada a Eumério de Nantes e que foi publicada por Migne na Patrologia Latina (lxvii)[2]. Adicionalmente, é um santo católicos e sua festa é no dia 30 de novembro[3]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Troiano_de_Saintes

18. Santa Justina (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver 26 de setembro: São Cipriano e Santa Justina

– Ver “… Santa Justina, virgem e mártir.

Uma donzela martirizada em Constantinopla (Beneditinas)…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayNovember30.html

19. Outros santos do dia 30 de novembro: págs. 320-338 em: VIDAS DOS SANTOS – 20.pdf (obrascatolicas.com) 

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 30 de novembro: 30 de novembro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (Todas da internet, foram consultadas no dia de hoje)

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  916-918: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayNovember30.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* SENHOR, NOSSO DEUS E PAI AMADO, OBRIGADO POR TUDO O QUE O SENHOR NOS TEM DADO E PERMITIDO VIVER!

QUERIDA MÃE VIRGEM MARIA, SOCORRA-NOS, PROTEJA-NOS!

SÃO JOSÉ, ANJOS E SANTOS, INTERCEDAM POR NÓS! OBRIGADO! AMÉM!

PAI AMADO, DÊ-NOS ESPÍRITO DE ORAÇÃO, VIGILÂNCIA, RENÚNCIA, PENITÊNCIA! DÊ-NOS ARDOR MISSIONÁRIO PELO E PARA O SENHOR! TIRE-NOS O TORPOR E A TIBIEZA! DÊ-NOS, AMADO PAI, CORAGEM DE LUTAR COM ENTUSIASMO E FORÇA DE VONTADE, MESMO EM SITUAÇÕES SEDUTORAS, DIFÍCEIS E ESPINHOSAS, PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ DE BONS COSTUMES E SANTIDADE POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO. DÊ-NOS A DOCILIDADE DAS OVELHAS! SOBRETUDO, DÊ-NOS A GRAÇA! PEDIMOS EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro).

Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“… Não há nada mais difícil do que a oração, pois não há esforços que os demônios não façam para interromper este poderoso meio de os desanimar (Santo Antão, lembrado em 21 de outubro)

Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guia para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

“… A PAIXÃO VIVE; APENAS ESTÁ REPRIMIDA… ESTÁ APENAS PRESA… AS PAIXÕES VIVEM, APENAS SÃO REPRIMIDAS PELOS SANTOS (COM A GRAÇA DE DEUS!) …”.  SANTAS E SANTOS, INTERCEDAM POR NÓS PARA QUE POSSAMOS REPRIMIR AS PAIXÕES. (SANTO ABRAÃO, ERMITÃO, 27 DE OUTUBRO), conforme páginas 52-53: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

“… a oração por um ente querido é, para o crente, uma forma de apagar qualquer distância, até mesmo a morte. Em oração, permanecemos na presença de Deus na companhia de alguém que amamos, mesmo que essa pessoa tenha morrido antes de nós

“Não devemos transformar o purgatório em um campo de concentração em chamas à beira do inferno – ou mesmo em um ‘inferno por um curto período de tempo’. É uma blasfêmia pensar nisso como um lugar onde um Deus mesquinho cobra a última libra – ou grama – de carne … Santa Catarina de Gênova (Festa dia 15 de setembro, mística do século 15), escreveu ‘fogo’ do purgatório é o amor de Deus ‘queimando’ a alma para que, por fim, a alma esteja totalmente em chamas. É a dor de querer ser feito totalmente digno de Alguém que é visto como infinitamente amável, a dor do desejo de união que agora está absolutamente assegurada, mas ainda não completamente experimentada

(Leonard Foley, OFM, Crendo em Jesus) …”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayNovember02.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, CUIDE DE NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.