Santas e Santos de 23 de fevereiro (atualizado em 02.03.2022)

1. Me­mória de São Po­li­carpo (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo e mártir, ve­ne­rado como dis­cí­pulo de São João e úl­tima tes­te­munha da época apos­tó­lica, que, no tempo dos im­pe­ra­dores Marco An­to­nino e Lúcio Au­rélio Có­modo, sendo quase no­na­ge­nário, foi lan­çado às chamas di­ante do procônsul e de todo o povo no an­fi­te­atro de Es­mirna, na pro­víncia da Ásia, na ac­tual Tur­quia, dando graças a Deus Pai porque Se dignou contá-lo no nú­mero dos már­tires e tomar parte no cá­lice de Cristo. († c. 155).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, memória de São Policarpo, bispo, martirizado em Esmirna, Ásia Menor, perto de 155. Segundo o testemunho de Santo Irineu, “ele tinha conversado com São João Evangelista e com outros que haviam conhecido o Senhor” e podia “falar daquilo que havia sabido, através deles, de Sua doutrina e de Seus milagres”. Amarrado ao poste de uma fogueira, deu graças ao Pai por comungar do cálice do Senhor, e ressuscitar para a vida eterna da alma e do corpo na incorruptibilidade do Espírito Santo. (R). Ver páginas 175-189: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%202.pdf

– Ver também “Policarpo de Esmirna (/pɒlikɑːrp/; grego: Πολύκαρπος, PolýkarposLatimPolycarpus; n. 69 – m. 155) foi um bispo da igreja de Esmirna do século II.[1] De acordo com a obra “Martírio de Policarpo“, ele foi apunhalado quando estava amarrado numa estaca para ser queimado-vivo e as chamas milagrosamente não o tocavam.[2] Ele é considerado por isso um mártir e um santo por diversas denominações cristãs.

Policarpo havia sido discípulo do apóstolo João, fato atestado pelo Bispo Ireneu de Lyon,[3] que ouviu-o discursar quando jovem, e por Tertuliano.[4]”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Policarpo_de_Esmirna

– Ver também “… Em Esmirna, aniversário de São Policarpo, discípulo de São João Apóstolo, por quem foi consagrado bispo daquela cidade e nomeado primaz de toda a Ásia. Sob Marco Antônio e Lúcio Aurélio Cômodo, quando o procônsul e todos os reunidos no anfiteatro clamaram contra ele, ele foi entregue ao fogo, mas como não lhe fez mal, recebeu a coroa do martírio pela espada. Com ele, outros doze que vieram da Filadélfia encontraram a morte por martírio na mesma cidade. A festa de São Policarpo é celebrada no dia 26 de janeiro.
Mártir, e um dos principais líderes da Igreja no segundo século. Poucos detalhes de sua vida existem com alguma confiabilidade além de seu famoso martírio, que foi narrado no Martyrium Polycarpi.

Acredita-se, no entanto, que ele foi convertido à fé por São João Evangelista por volta de 80 dC e se tornou bispo de Esmirna por volta de 96 dC
Ele foi, como seu amigo Santo Inácio de Antioquia, um dos mais importantes elos intermediários entre as eras apostólica e patrística na Igreja, especialmente na Ásia Menor cristã. Defensor da ortodoxia, ele se opôs a grupos heréticos como os marcionitas (ver https://pt.wikipedia.org/wiki/Marcionismo ) e os valentinianos ( ver https://pt.wikipedia.org/wiki/Valentianismo ). Ele também escreveu uma epístola sobrevivente aos filipenses, exortando-os a permanecerem fortes na fé. A carta é de grande interesse para os estudiosos porque demonstra a existência de textos do Novo Testamento, com citações de Mateus e Lucas, dos Atos dos Apóstolos e das primeiras cartas de Pedro e João. Quando Inácio estava sendo levado a Roma para ser morto, ele escreveu sobre Policarpo sendo vestido “com as vestes da graça”.
O próprio Policarpo foi preso por oficiais romanos em Esmirna logo após retornar de uma viagem a Roma para discutir a data da Páscoa. Ele se recusou a abjurar a fé, dizendo ao seu capitão que havia servido a Cristo por oitenta e seis anos. Os romanos o queimaram vivo com doze companheiros. O ano de sua morte foi colocado em 155 ou 156, embora Eusébio de Cesaréia coloque o ano em 167 ou 168, o que significa que teria caído no reinado de Marco Aurélio. Nesse caso, seriam necessárias mudanças no ano de seu nascimento. O relato mais detalhado de sua morte foi o Martyrium Polycarpi…

… O Oriente, de onde era Policarpo, celebrava a Páscoa como Paixão de Cristo, seguida de uma Eucaristia no dia seguinte. O Ocidente celebrava a Páscoa no domingo da semana seguinte à Páscoa.
Quando Policarpo foi a Roma para discutir a diferença com o Papa Aniceto, eles não chegaram a um acordo sobre esta questão. Mas eles não encontraram nenhuma diferença em suas crenças cristãs.

Aniceto pediu a Policarpo que celebrasse a Eucaristia em sua própria capela papal.
Policarpo enfrentou perseguição como Cristo. Sua própria igreja o admirava por seguir o “modelo do evangelho” – não perseguindo o martírio como alguns faziam, mas evitando-o até que fosse a vontade de Deus como Jesus fez. Eles consideravam “um sinal de amor desejar não apenas salvar a si mesmo, mas salvar também todos os irmãos e irmãs cristãos“.
Um dia, durante um martírio sangrento quando os cristãos foram atacados por animais selvagens na arena, a multidão ficou tão furiosa que exigiu mais sangue gritando: “Abaixo os ateus; que Policarpo seja encontrado”. (Eles consideravam os cristãos “ateus” porque não acreditavam em seu panteão de deuses.) Como Policarpo não era apenas conhecido como líder, mas como alguém santo “mesmo antes de seus cabelos grisalhos aparecerem”, essa era uma exigência horrível. Policarpo estava calmo, mas outros o convenceram a deixar a cidade e se esconder em uma fazenda próxima. Ele passou seu tempo em oração pelas pessoas que conhecia e pela Igreja. Durante sua oração, ele teve uma visão de seu travesseiro transformado em fogo e anunciou a seus amigos que o sonho significava que ele seria queimado vivo.
À medida que a busca se aproximava, ele se mudou para outra fazenda, mas a polícia descobriu que ele estava lá torturando dois meninos. Ele teve um pequeno aviso, pois estava no andar de cima da casa, mas decidiu ficar dizendo: “Seja feita a vontade de Deus”.
Então ele desceu, conversou com seus captores e os alimentou com uma refeição. Tudo o que ele pediu foi que lhe dessem uma hora para orar. Ele passou duas horas orando por todos que conhecia e pela Igreja, “lembrando-se de todos os que a qualquer momento passaram por seu caminho – gente pequena e grande, distinta e indistinta, e toda a Igreja Católica em todo o mundo“.
Muitos de seus captores começaram a se perguntar por que estavam prendendo esse santo bispo de oitenta e seis anos. Mas isso não os impediu de levá-lo para a arena no sábado. Quando ele entrou na arena, a multidão rugiu como os animais que aplaudiam. Aqueles ao redor de Policarpo ouviram uma voz do céu acima da multidão: “Seja corajoso, Policarpo, e aja como um homem“.
O procônsul implorou ao bispo de oitenta e seis anos que cedesse por causa de sua idade. 

… “Diga ‘Fora com os ateus'”, pediu o procônsul. Policarpo virou-se calmamente para o rosto da multidão, olhou diretamente para eles e disse: “Fora com os ateus”. O procônsul continuou a suplicar-lhe. Quando ele pediu a Policarpo que jurasse por César para se salvar, Policarpo respondeu: “Se você imagina que eu jurarei por César, você não sabe quem eu sou. Deixe-me dizer-lhe claramente, eu sou um cristão.” Finalmente, quando tudo mais falhou, o procônsul lembrou a Policarpo que ele seria lançado aos animais selvagens, a menos que mudasse de ideia. Policarpo respondeu: “Mudar de ideia de melhor para pior não é uma mudança permitida para nós.”

Por causa da falta de medo de Policarpo, o procônsul lhe disse que ele seria queimado vivo, mas Policarpo sabia que o fogo que queimava por uma hora era melhor que o fogo eterno.

pelo eterno e celestial Sumo Sacerdote, Jesus Cristo, teu Filho amado, por quem seja a ti com ele e a glória do Espírito Santo, agora e pelos séculos vindouros. Um homem.”
O fogo foi aceso quando Policarpo disse amém e, em seguida, as testemunhas oculares que relataram disseram que viram um milagre. O fogo explodiu em um arco ao redor de Policarpo, as chamas o cercaram como velas, e em vez de ser queimado ele parecia brilhar como pão assando, ou ouro sendo derretido em uma fornalha. Quando os captores viram que ele não estava sendo queimado, eles o esfaquearam. O sangue que escorreu apagou o fogo.
O procônsul não permitiu que os cristãos ficassem com o corpo porque temia que eles adorassem Policarpo. As testemunhas relataram isso com desprezo pela falta de compreensão da fé cristã: “Eles não sabiam que nunca podemos abandonar o Cristo inocente que sofreu pelos pecadores para a salvação dos que estão neste mundo”. Depois que o corpo foi queimado, eles roubaram os ossos para celebrar a memória de seu martírio e preparar outros para a perseguição. A data era cerca de 23 de fevereiro de 156.
por quem seja convosco com ele e a glória do Espírito Santo, agora e pelos séculos vindouros. Um homem.”
Oração: São Policarpo, às vezes Cristo parece tão distante de nós. Séculos se passaram desde que ele e os apóstolos andaram na terra. Ajude-nos a ver que ele está sempre perto de nós e que podemos mantê-lo perto imitando sua vida como você fez. 

Policarpo de Esmirna BM (RM) Faleceu às 14h00, 23 de fevereiro de c. 156; dia de festa anteriormente 26 de janeiro.

“Mudar sua mente do bem para o mal é o cúmulo do absurdo. A verdadeira bondade muda do mal para a retidão.” –São Policarpo
“Agradeço a Deus que me é permitido participar dos sofrimentos de seus mártires. Aquele que me dá força para suportar o fogo me permitirá permanecer imóvel até o fim.” –São Policarpo
“Deus Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, aumenta-nos em fé, verdade e mansidão, e concede-nos parte e sorte entre os Seus santos.” –Oração de São Policarpo.
O registro mais antigo do martírio cristão fora da Bíblia é o de Policarpo, bispo de Esmirna. Ele fala dos sofrimentos dos cristãos: “Quem pode deixar de admirar sua nobreza de espírito e sua paciência, com aquele amor para com seu Senhor que eles demonstraram? corpos, até as veias e artérias mais internas, foi aberta, ainda suportada pacientemente, enquanto mesmo aqueles que estavam por perto lamentavam e lamentavam.”
Policarpo conheceu aqueles que conheceram Jesus e foi discípulo do amado apóstolo João, o Divino, que o converteu por volta de 80 d.C. Ele ensinou, diz seu próprio aluno Irineu de Lyon, as coisas que ele aprendeu dos Apóstolos, que a Igreja transmite, que são verdadeiras.

Irineu, que quando jovem conheceu Policarpo, elogiou sua gravidade, santidade e majestade de semblante.
Ele beijou as correntes de Santo Inácio de Antioquia a caminho do martírio em Roma. 

São Policarpo … bispo de Esmirna (moderna Izmir, Turquia), discípulo de São João Apóstolo e amigo de Santo Inácio de Antioquia foi um líder cristão reverenciado durante a primeira metade do século II. Santo Inácio, a caminho de Roma para ser martirizado, visitou Policarpo em Esmirna, e mais tarde em Trôade escreveu-lhe uma carta pessoal. As Igrejas da Ásia Menor reconheceram a liderança de Policarpo ao escolhê-lo como representante para discutir com o Papa Aniceto a data da celebração da Páscoa em Roma – bastante polêmica na Igreja primitiva.
Apenas uma das muitas cartas escritas por Policarpo foi preservada, a que ele escreveu para a Igreja de Filipos, na Macedônia.
Aos 86 anos, Policarpo foi levado ao lotado estádio de Esmirna para ser queimado vivo. As chamas não o prejudicaram e ele finalmente foi morto por um punhal. O centurião ordenou que o corpo do santo fosse queimado. Os “Atos” do martírio de Policarpo são o relato mais antigo e totalmente confiável da morte de um mártir cristão. Ele morreu em 156.
Comentário: Policarpo foi reconhecido como um líder cristão por todos os cristãos da Ásia Menor — uma forte fortaleza de fé e lealdade a Jesus Cristo. Sua própria força emergiu de sua confiança em Deus, mesmo quando os acontecimentos contradiziam essa confiança. Vivendo entre pagãos e sob um governo contrário à nova religião, ele liderou e alimentou seu rebanho. Como o Bom Pastor, ele deu a vida por suas ovelhas e as protegeu de mais perseguição em Esmirna. Ele resumiu sua confiança em Deus pouco antes de morrer: “Pai… Eu te abençoo, porque me fizeste digno do dia e da hora…” (Martírio, capítulo 14).

Citação:Permanecei firmes, pois, nesta conduta e segui o exemplo do Senhor, ‘firmes e imutáveis ​​na fé, amigos da fraternidade, amando-se uns aos outros, unidos na verdade’, ajudando-se mutuamente com a brandura do Senhor, desprezando a ninguém” (Policarpo, Carta aos Filipenses)…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayFebruary23.html

2.   Em Sír­mium, hoje Sremska Mi­tro­vica, na Pa­nónia, ac­tu­al­mente na Sérvia, São Si­reno ou Si­nero (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Sereno), mártir, um jar­di­neiro que, de­nun­ciado por uma mu­lher cuja con­duta lu­xu­riosa ele re­pre­en­dera e preso pelo juiz, con­fessou ser cristão e, re­cu­sando-se a sa­cri­ficar aos deuses, morreu decapitado. († c. 307). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Sírmium, às margens do Danúbio, São Sereno (ou Sinero), no ano da graça de 307. Vivia na solidão, santificando seu trabalho manual com orações e  penitências, até ser preso e decapitado por causa de sua fé. (M). Ver “Em Sírmio, o bem-aventurado Sereno, monge e mártir. Por ordem do imperador Maximiano, foi decapitado, em 307. Grego de nascimento, deixara o século para, unicamente, servir a Deus. Foi jardineiro. É invocado para que se obtenha bom tempo – talvez por causa do nome”, página 390: VIDAS DOS SANTOS – 3.pdf (obrascatolicas.com)

3.   Em Wen­lock, na In­gla­terra, Santa Mil­burga, virgem e aba­dessa do mos­teiro do lugar, que era da li­nhagem real da Mércia, na ac­tual Inglaterra. († c. 722). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Inglaterra, no ano da graça de 722, Santa Milburga, virgem. Nascida de família principesca, tomou o véu juntamente com suas duas irmãs no mosteiro de Wenlock, do qual se tornou abadessa e onde foi cumulada de favores místicos por Deus. (M). Ver “Na Inglaterra, Santa Milburga, virgem e abadessa, filha do rei de Mercia, Merovaldo, e da rainha Ermemburga. Irmã de Mildrede e Mildgith, santas também, foi a fundadora do convento de Wenlock. Conta-se dela que, penalizada com a amargura de uma viúva muito pobre, que vinha de perder o único filho, ressuscitou-o. Morta em 622, muitos milagres se realizaram à beira da sua sepultura, em Wenlock.” página 392: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

– Ver também “Mildburh era filha de Merewalh , Rei do sub-reino Mércia de Magonsaete , e de Domne Eafe . Ela era a irmã mais velha de Santa Mildrith e Santa Mildgytha . As três irmãs foram comparadas às três virtudes teológicas: Milburh à fé, Mildgytha à esperança e Mildrith à caridade. [1]”: https://en.wikipedia.org/wiki/Mildburh

4*.   Em Mo­gúncia, na Fran­cónia da Ger­mânia, na ac­tual Ale­manha, São Vi­li­giso, bispo, in­signe pelo seu zelo pastoral. († 1011)

– Ver “… Willigis de Mainz B (AC) Nasceu em Schöningen, Brunswick; morreu em Mainz, Alemanha, em 1011. Santo Willigis era um homem de origem humilde, filho de um carpinteiro, que em 975 era chanceler imperial de Otão II e arcebispo de Mainz. Como um cônego de Hildesheim (perto de Hanover), Willigis atraiu a atenção de Otto II através do precentor de Otto Wolkold, que se tornou arcebispo de Meissen em 969. Willigis também serviu Otto III como capelão e chanceler, e deixou sua marca como um eclesiástico capaz e consciencioso político.
Através de seus esforços, o cristianismo aumentou em Schleswig-Holstein e no sul da Escandinávia; ele consagrou uma sucessão de excelentes bispos, providenciou a construção de várias grandes igrejas e outras obras públicas, e estabeleceu ou restaurou igrejas colegiadas em Mainz e Halberstadt. Sua vida pessoal incluía o estudo diário das Escrituras e o socorro organizado aos pobres. Willigis foi um notável patrono das artes; seu lema era “pela arte ao conhecimento e serviço de Deus”.

… Depois que ele morreu de velhice, o corpo de Willigis foi enterrado na Igreja de St. Stephen em Mainz. Seu culto surgiu imediata e espontaneamente. Alega-se que algumas de suas vestes de missa sobreviveram (Attwater, Benedictines, Farmer).

Santo Willigis é representado na arte como um bispo com uma roda, que ele escolheu como sua insígnia para simbolizar o ofício de seu pai (Roeder). Ele é o patrono dos carroceiros e construtores de rodas, que é venerado em Hildesheim e Schoeningen (Roeder). 

”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayFebruary23.html

5.   Em Stilo, na Ca­lá­bria, re­gião da Itália, São João, que se fez monge na ob­ser­vância dos Pa­dres ori­en­tais e me­receu ser cha­mado Te­riste ou Cei­feiro, porque, mo­vido pela sua imensa ca­ri­dade para com os ne­ces­si­tados, pres­tava es­pe­cial au­xílio aos segadores. († s. XI f.)

6*.   Num barco-prisão an­co­rado ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato Ni­colau Ta­bouillot, pres­bí­tero e mártir, que, sendo pá­roco, foi preso du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa por causa do seu sa­cer­dócio e fi­nal­mente morreu vi­ti­mado pela do­ença num hos­pital da cidade. († 1795)

7*.   Em Bilbau, no País Basco, re­gião da Es­panha, a Beata Ra­faela Ibarra de Vilallonga, mãe de sete fi­lhos, que, com o as­sen­ti­mento do es­poso, emitiu os votos re­li­gi­osos e fundou o Ins­ti­tuto das Irmãs dos Anjos da Guarda, des­ti­nado a pro­teger as jo­vens e ori­entá-las no ca­minho dos pre­ceitos do Senhor. († 1900)

8*.   Em Roma, a Beata Jo­se­fina Van­níni (Ju­dite Ade­laide Van­níni), virgem, que fundou a Con­gre­gação das Fi­lhas de São Ca­milo para a as­sis­tência aos enfermos. († 1911)

9*.   Em Poznam, na Po­lónia, o Beato Luís Mzyk, pres­bí­tero da So­ci­e­dade do Verbo Di­vino e mártir, que, du­rante a ocu­pação mi­litar da sua pá­tria por se­quazes de uma ne­fasta dou­trina hostil à dig­ni­dade hu­mana e à fé cristã, foi as­sas­si­nado pelos guardas do quartel mi­litar, dando tes­te­munho de Cristo até à morte. († 1942)

10*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, perto de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Vi­cente Frelichowski, pres­bí­tero, que, du­rante a mesma guerra, nos vá­rios cár­ceres em que andou de­por­tado nunca de­sistiu do fervor da fé nem do mi­nis­tério pas­toral e, atin­gido pela en­fer­mi­dade con­traída na as­sis­tência aos do­entes, de­pois de longos so­fri­mentos chegou fi­nal­mente à visão da paz eterna. († 1945)

11. Em Todi, Santa Romana (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, tendo sido batizada pelo papa São Silvestre, levou uma vida celestial nas grutas e cavernas, e se tornou célebre pelos milagres. Ver pág. 393:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

12. Na Ásia Menor, São Lázaro, monge. Famoso por seus talentos artísticos, foi perseguido e até mutilado durante a perseguição iconoclasta, mas usou sua influência junto à imperatriz Teodora para fazer triunfar a paz (conforme Martirológio Romano-Monástico-M).

-São Lázaro – Monge e confessor. Com São Lucas e Santa Catarina de Bolonha, é o Santo um dos padroeiros dos pintores. Ver págs. 389-390:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

13. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, São Veterino, discípulo de S. Martinho de Tours. Libertou o Anjou da idolatria, lá introduzindo a luz do Evangelho. (M)

14. Santa Marta de Astorga, virgem e mártir. Ver páginas 384-385: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%203.pdf

Ver também “Santa Marta de Astorga foi uma mártir cristã que viveu na cidade espanhola de Astorga, onde morreu c. 251. Desde 1741 que é a padroeira sua cidade natal, situada na província de Leão.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Marta_de_Astorga

15. São Dositeu – Monge e confessor. Ver págs. 386-388: http://obrascatolicas.com/livros/biografia/vidas%20dos%20santos%20-%203.pdf

– Ver também “São Dositeu praticou a mais absoluta e heroica obediência, o que também é um modo de adquirir a força de vontade própria aos verdadeiros heróis das verdadeiras epopeias.

Fazer continuamente a vontade de outros, ou seja, dos superiores para obedecer a Deus, é desapegar-se continuamente de manias, fobias, venetas e caprichos, o que supõe uma força de vontade sobrenatural.

A vitória de um homem contra obstáculos é, principalmente, uma vitória contra si mesmo, ou seja, contra todos esses defeitos. Quando um homem não leva a cabo uma tarefa que Deus quer dele,  não é porque o obstáculo foi grande, nem porque o inimigo foi forte, ele é que foi pequeno.”: https://www.tfp.org.br/santos-do-dia/obediencia-e-o-espirito-de-epopeia/

16. Outras santas e santos do dia 23 de fevereiro, páginas 371-393: VIDAS DOS SANTOS – 3.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

 * “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 23 de fevereiro, ver também: 23 de fevereiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (Todas da internet, foram consultadas no dia de hoje)

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 219-221: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayFebruary23.html

(este site mostra os santos do dia, em inglês. Tradução Google)

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* SENHOR, NOSSO DEUS E PAI AMADO, OBRIGADO POR TUDO O QUE O SENHOR NOS TEM DADO E PERMITIDO VIVER!

QUERIDA MÃE VIRGEM MARIA, SOCORRA-NOS, PROTEJA-NOS!

SÃO JOSÉ, SANTAS/OS E ANJOS, INTERCEDAM POR NÓS! OBRIGADO! AMÉM!

* PAI AMADO, DÊ-NOS ESPÍRITO DE ORAÇÃO, VIGILÂNCIA, RENÚNCIA, PENITÊNCIA! DÊ-NOS ARDOR MISSIONÁRIO PELO E PARA O SENHOR! TIRE-NOS O TORPOR E A TIBIEZA! DÊ-NOS, AMADO PAI, CORAGEM DE LUTAR COM ENTUSIASMO E FORÇA DE VONTADE, MESMO EM SITUAÇÕES SEDUTORAS, DIFÍCEIS E ESPINHOSAS, PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ DE BONS COSTUMES E SANTIDADE POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO. DÊ-NOS A DOCILIDADE DAS OVELHAS! SOBRETUDO, DÊ-NOS A GRAÇA! PEDIMOS EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA, ESCREVA-NOS:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

  * “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

* “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

* “Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro).

Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “… Não há nada mais difícil do que a oração, pois não há esforços que os demônios não façam para interromper este poderoso meio de os desanimar (Santo Agatão, lembrado em 21 de outubro)

Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu só lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível”.

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…” Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* “… A PAIXÃO VIVE; APENAS ESTÁ REPRIMIDA… ESTÁ APENAS PRESA… AS PAIXÕES VIVEM, APENAS SÃO REPRIMIDAS PELOS SANTOS (COM A GRAÇA DE DEUS!) …”.  SANTAS E SANTOS, INTERCEDAM POR NÓS PARA QUE POSSAMOS REPRIMIR AS PAIXÕES. PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA DE REPRIMIR AS PAIXÕES. Santo Abraão, rogue por nós! Amém!” (SANTO ABRAÃO, ERMITÃO, 27 DE OUTUBRO), conforme páginas 52-53: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

* “… a oração por um ente querido é, para o crente, uma forma de apagar qualquer distância, até mesmo a morte. Em oração, permanecemos na presença de Deus na companhia de alguém que amamos, mesmo que essa pessoa tenha morrido antes de nós

“Não devemos transformar o purgatório em um campo de concentração em chamas à beira do inferno – ou mesmo em um ‘inferno por um curto período de tempo’. É uma blasfêmia pensar nisso como um lugar onde um Deus mesquinho cobra a última libra – ou grama – de carne … Santa Catarina de Gênova (Festa dia 15 de setembro, mística do século 15), escreveu ‘fogo’ do purgatório é o amor de Deus ‘queimando’ a alma para que, por fim, a alma esteja totalmente em chamas. É a dor de querer ser feito totalmente digno de Alguém que é visto como infinitamente amável, a dor do desejo de união que agora está absolutamente assegurada, mas ainda não completamente experimentada

(Leonard Foley, OFM, Crendo em Jesus) …”:

* Dia 17 de janeiro: Santo Antão (ou Antônio). Oração: “Santo Antônio, você falou da importância de perseverar em nossa fé e nossa prática. Ajude-nos a acordar a cada dia com um novo zelo pela vida cristã e um desejo de enfrentar o próximo desafio em vez de apenas ficar parado. Amém!”

* 19 de janeiro, São Macário. “… A oração não requer muitas palavras. sobre você, você só precisa dizer: “SENHOR, TEM MISERICÓRDIA!” O Senhor sabe o que é útil para nós e nos concede misericórdia.”… Se você deseja ser salvo, seja como um morto. Não fique com raiva quando insultado, nem orgulhoso quando elogiado.” E ainda: “Se a calúnia é como o louvor para você, a pobreza como a riqueza, a insuficiência como a abundância, então você não perecerá.“…

* Sobre SANTO ANDRÉ CORSINI (04 de fevereiro): “Ele trabalhou arduamente para subjugar suas paixões por meio de humilhações extremas, obediência até mesmo à última pessoa na casa, pelo silêncio e oração”.

* PAI, ABRACE-NOS!

JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS ENCHA E NOS UNA NO AMOR!

MÃEZINHA MARIA, CUIDE DE NÓS!

SÃO JOSÉ, SANTAS, SANTOS E ANJOS, ROGUEM POR NÓS!

POR CRISTO, NA UNIDADE DO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

* Após Deus, o Pai amado, chamar minha amada esposa e companheira por 38 anos, 9 meses e oito dias, em 24.09.2017, descobri:

1. Posso comunicar com a minha Frô, pela ORAÇÃO;

2. Posso VER, ESCUTAR, SENTIR a FRÔ (transformada, sem dores, linda, maravilhosa) em meu ser;

3. Ela está vivendo nos braços de Deus (bondosos, vigorosos);

4. Um dia vamos estar juntos;

5. Quando Deus me chamar, quero levar coisas boas para o banquete celeste (amor a Deus e ao próximo).

Dê-nos essa Graça, Pai amado! Dê-nos A GRAÇA! AMÉM! Obrigado, Senhor, por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

================

* Ver o blog: https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.