Santas e Santos de 25 de março

Ver também: 25 DE MARÇO NA IGREJA ORTODOXA “Esta página trata das comemorações relativas ao dia 25 de março no ano litúrgico ortodoxo.

Todas as comemorações fixas abaixo são comemoradas no dia 7 de abril pelas igrejas ortodoxas sob o Velho Calendário. No dia 25 de março do calendário civil, as igrejas sob o Velho Calendário celebram as comemorações listadas no dia 12 de março.”: 25 de março na Igreja Ortodoxa – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)  

                                    ========================================

1. So­le­ni­dade da Anun­ci­ação do Senhor (também na Folhinha do Coração de Jesus), quando, na ci­dade de Na­zaré, o Anjo do Se­nhor anun­ciou a Maria: «Con­ce­berás e darás à luz um filho, que será cha­mado Filho do Al­tís­simo», e Maria res­pondeu, di­zendo; «Eis a es­crava do Se­nhor. Faça-se em mim se­gundo a tua pa­lavra». E assim, che­gada a ple­ni­tude dos tempos, o Filho Uni­gé­nito de Deus, que existia antes da cri­ação do mundo, por nós ho­mens e para a nossa sal­vação en­carnou pelo Es­pí­rito Santo no seio da Virgem Maria e Se fez homem. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no nono mês antes do Natal, Solenidade da Anunciação do Senhor, dia em que a Virgem Maria acolheu o Verbo divino em seu coração por sua fé na mensagem do Anjo, e o concebeu em sua carne por obra do Espírito Santo. (R).

– Ver também às páginas 273-274: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

– Ver ainda “Anunciação, também conhecida como Anunciação da Virgem Maria, é a celebração cristã do anúncio pelo Arcanjo Gabriel para a Virgem Maria que ela seria a mãe de Jesus Cristo. Apesar da Virgindade perpétua de Maria, Maria milagrosamente conceberia uma criança, que seria chamada de Filho de Deus. Gabriel também disse à Maria que deveria chamar a criança de Jesus (“Salvador”). Muitos cristãos celebram este evento na festa da Anunciação, em 25 de março, exatamente nove meses antes do Natal. De acordo com a Bíblia (em Lucas 1:26), a Anunciação ocorreu no “no sexto mês” da gravidez de Isabel, a prima de Maria e mãe de João Batista.

Tanto a Igreja Católica como a Igreja Ortodoxa mantêm que o evento ocorreu em Nazaré, mas discordam da localização precisa. A Basílica da Anunciação marca o lugar segundo a primeira, enquanto que a Igreja Grega Ortodoxa da Anunciação está no lugar preferido pela segunda.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Anunciação

– Ver “… Nossa Senhora – Nossa Senhora de Walsingham (Inglaterra)
Nossa Senhora de Walsingham, rogue ao Senhor por nós. 

Maria concebida sem pecado, rogue ao Senhor por nós. 

Maria Virgem, rogue ao Senhor por nós. 

Maria, a Mãe de Deus, rogue ao Senhor por nós. 

Maria, elevada ao céu, rogue ao Senhor por nós. 

Maria em Belém, rogue por todas as mães. 

Maria de Nazaré, rogue por todas as famílias. 

Maria em Caná, rogue por todos os casais. 

Maria, que estava junto à Cruz, rogue por todos os que sofrem. 

Maria no Cenáculo, rogue por todos os que esperam. 

Maria, modelo de feminilidade, rogue por todas as mulheres.

Mulher de fé, mantenha-nos em mente. 

Mulher de esperança, mantenha-nos em mente. 

Mulher de caridade, lembre-se de nós. 

Mulher de sofrimento, mantenha-nos em mente. 

Mulher de ansiedade, mantenha-nos em mente. 

Mulher de humildade, mantenha-nos em mente. 

Mulher da pobreza, mantenha-nos em mente. 

Mulher de pureza, mantenha-nos em mente. 

Mulher de obediência, mantenha-nos em mente…

Mulher que se perguntou, lembre-se de nós a Deus. 

Mulher que ouviu, lembre-se de nós a Deus. 

Mulher que seguiu, lembre-se de nós a Deus. 

Mulher que ansiava por Ele, lembre-se de nós a Deus. 

Mulher que O amou, lembre-se de nós a Deus. (…)

(Da Ladainha do falecido Padre Eric Doyle, OFM).

Ver https://www.walsingham.org.uk/litany-to-our-lady-of-walsingham/

– Ver também “… A ANUNCIAÇÃO DA SANTÍSSIMA THEOTOKOS

A Festa da Anunciação é uma das primeiras festas cristãs, e já era celebrada no quarto século. Há uma pintura da Anunciação na catacumba de Priscila em Roma que data do século II. O Concílio de Toledo em 656 menciona a Festa, e o Concílio de Trullo em 692 diz que a Anunciação foi celebrada durante a Grande Quaresma.
Os nomes gregos e eslavos para a Festa podem ser traduzidos como “boas novas”. Isso, é claro, se refere à Encarnação do Filho de Deus e à salvação que Ele traz. O pano de fundo da Anunciação encontra-se no Evangelho de São Lucas (1,26-38). O troparion (Um troparion ( grego τροπάριον , plural: troparia , τροπάρια ; georgiano : ტროპარი , tropari ; eslavo eclesiástico : тропа́рь , tropar ) na música bizantina e na música religiosa do cristianismo ortodoxo oriental é um hino curto de um hino,  formas como uma série de estrofes, conforme https://en.wikipedia.org/wiki/Troparion“) descreve isso como o “princípio de nossa salvação e a revelação do mistério eterno, pois neste dia o Filho de Deus se tornou o Filho do Homem.
dois componentes principais na Anunciação: a mensagem em si e a resposta da Virgem. A mensagem cumpre a promessa de Deus de enviar um Redentor (Gênesis 3:15): “Porei inimizade entre você e a mulher, entre a sua semente e a semente dela; ele esmagará a sua cabeça, e você ficará à espreita do seu calcanhar. ” Os Padres da Igreja entendem que “sua semente” se refere a Cristo. Os profetas insinuaram Sua vinda, que eles viram vagamente, mas o Arcanjo Gabriel agora proclama que a promessa está prestes a ser cumprida.
Vemos isso ecoado também na Liturgia de São Basílio: “Quando o homem desobedeceu a Ti, o único Deus verdadeiro que o criou, e foi enganado pela astúcia da serpente, tornando-se sujeito à morte por suas próprias transgressões, Tu, Ó Deus, em Teu justo julgamento, o enviaste do Paraíso para este mundo, devolvendo-o à terra da qual foi tirado, mas provendo-lhe a salvação da regeneração em Teu próprio Cristo”…”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch25.html#

– Ver ainda “… Anunciação do Senhor A ANUNCIAÇÃO DA SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA NORMALMENTE CHAMADA DIA DA SENHORA. Esta grande festa leva o nome das novas anunciadas pelo anjo Gabriel à Bem-Aventurada Virgem Maria sobre a encarnação do Filho de Deus. Era o propósito divino dar ao mundo um salvador, ao pecador uma vítima de propiciação, ao justo um modelo, a esta donzela – que deveria permanecer virgem – um filho, e ao Filho de Deus uma nova natureza, uma natureza humana,
No final do século VII, encontramos que a Anunciação, juntamente com outras três festas de Nossa Senhora, foi celebrada liturgicamente em Roma, mas foi mantida, não obstante a Quaresma, em março, como os gregos a guardavam. A partir de então a festa, obtendo reconhecimento nos sacramentários gelasianos e gregorianos, foi gradualmente recebida em todo o Ocidente como parte da tradição romana.

Ver o artigo “Anunciação” do Abade Cabrol em DAC., vol. eu, cc. 2241-2255; S.Vailhé, Échos d’Orient, vol. ix (1906), pp. 138-145, também o mesmo periódico, vol. xxii (1923), pp. 129-152; M. Jugie, em Byzantinische Zeitschrift, vol. xiv (1913), pp. 37-59, e em Analecta Bollandiana, vol. xliii (1925), pp. 86-95; e KA Kellner, Heortology (1908). 

Sobre a data da crucificação e sua identificação com o dia da concepção de nosso Senhor cf. também o admirável artigo de CH Turner sobre a “Cronologia do Novo Testamento” em Hastings, Dicionário da Bíblia.

https://mauricioberwald.comunidades.net/cronologia-do-novo-testamento

   Hoje, ‘Dia da Senhora’ – nove meses antes do Natal, pensamos na Bem-Aventurada Virgem Maria, que se tornou a Mãe de Deus. Sua história está envolta em mistério, pois temos apenas os detalhes que São Lucas registrou no início de seu Evangelho. Sabemos que era uma donzela de aldeia, provavelmente de Nazaré, de condição humilde, prometida a um carpinteiro, embora nas suas veias, como nas de São José, corresse o sangue dos reis de Judá.
     Com muita simplicidade e beleza São Lucas nos fala de sua virgindade: “No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma aldeia da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem chamado José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria.” Ela estava naturalmente intrigada, “muito perturbada”, como nos dizem, pois ela era uma mulher simples, e a maravilha disso a dominou; mas com calma e dignidade ela aceitou seu destino, confiando que a vontade de Deus seria feita.
Ao longo dos séculos, essa cena fascinou pregadores e artistas que meditaram sobre o evento maravilhoso. Apenas um artista, Lotto, capturou a natureza surpreendente da ocorrência. Em sua pintura, um gato é visto ao fundo assustado. No entanto, a Virgem Mãe parece ser muito mais prática.
Ela pergunta calma e naturalmente: “Como será isso?” Ao que veio a resposta contendo o segredo do mistério: “Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra. Por isso, o que há de nascer será chamado santo, Filho de Deus.” Ao que ela respondeu com fé e submissão únicas: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra”. Então, nas palavras familiares do Magnificat, que ecoam as palavras da mãe de Samuel, Ana (1 Samuel 2:1-10), seu coração encontrou uma saída: “Minha alma engrandece ao Senhor, e meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador .”
Com quanta calma Maria aceita a vontade de Deus!
 No entanto, ela confiava. Reflitamos sobre esse milagre da fé quando também nós somos solicitados por Deus a fazer coisas que parecem além de nossas forças. Vamos também confiar que Deus está conosco a cada momento de cada dia com Suas mãos sobre nós…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch25.html#Annunciation_of_the_Lord_

2.   Co­me­mo­ração do santo ladrão, cha­mado “Dimas”, se­gundo a tra­dição, que na cruz pro­fessou a fé em Cristo e me­receu ouvir d’Ele estas pa­la­vras: «Hoje es­tarás co­migo no paraíso».

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Jerusalém, no Gólgota, o nascimento no céu do Bom Ladrão, tradicionalmente conhecido como São Dimas, que confessou o Cristo pregado na Cruz e ouviu d´Ele esta palavra: “Hoje mesmo estarás comigo no Paraíso”. (M).

Ver também às págs. 275-281: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

– Ver ainda “bom ladrão (falecido em Jerusalém por volta de 30–33 d.C.), venerado pela Igreja Católica como São Dimas e pela Igreja Ortodoxa como Rakh, foi um dos ladrões que foram crucificados com Jesus Cristo e que, ao reconhecer-se pecador e crer em Cristo, foi perdoado e recebido no Paraíso conforme o Evangelho de Lucas.”: Bom ladrão – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

–  https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Bom_ladrão

– Ver também “… 29 O BOM LADRÃO
Na suposição de que nosso Senhor foi crucificado em 25 de março, o Martirológio Romano para este dia contém a seguinte entrada: “Em Jerusalém a comemoração do santo ladrão que confessou Cristo na cruz e mereceu ouvir dele as palavras: ‘Hoje estarás comigo no paraíso.’” Não sabemos mais de sua história do que está contido nas poucas frases dedicadas a ele pelo evangelista São Lucas, mas, como no caso da maioria das outras personalidades mencionadas em os evangelhos, como Pilatos, José de Arimatéia, Lázaro, Marta, logo foi fabricada uma história que lhe deu um lugar notável na literatura apócrifa dos primeiros séculos.

No “Evangelho da Infância” em árabe nos conta como, durante a fuga para o Egito, a Sagrada Família foi assaltada por ladrões. companheiro para deixá-los passar sem serem molestados, e quando Dumachus recusou, Tito o subornou com quarenta dracmas, para que eles fossem deixados em paz. Então a Santíssima Virgem disse ao seu benfeitor: “O Senhor Deus te susterá com a sua destra e te dará a remissão dos pecados”. E o Menino Jesus, intervindo, falou: “Depois de trinta anos, mãe, os judeus me crucificarão em Jerusalém, e estes dois ladrões serão levantados na cruz comigo, Tito à minha direita Dumachus à minha esquerda, e depois disso dia Tito irá adiante de mim para o paraíso”.

Esta história, com outras, posteriormente encontrou aceitação popular na cristandade ocidental, embora os nomes mais comumente dados aos ladrões fossem Dimas e Gestas. Mas também encontramos Zoathan e Chammatha, e ainda outras variantes. 

Esse genuíno sentimento devocional às vezes evocado pelo incidente do perdão do bom ladrão na cruz parece ser demonstrado pela visão de São Porfírio (c. 400), ao qual foi feita referência passageira aqui em seu dia (26 de fevereiro). Encontramos os dois ladrões representados em imagens da crucificação em data bastante antiga, como, por exemplo, no manuscrito siríaco iluminado por Rábulas em 586, que é preservado na Biblioteca Laurentiana de Florença. As palavras do bom ladrão, “Senhor, lembra-te de mim quando entrares no teu reino”, são adaptadas ao uso muito solene na Missa bizantina, na “grande entrada” e novamente na comunhão dos ministros e do povo.

Ver os apócrifos de Evangiles, editados por P. Peeters, vol. ii; o artigo “Larrons” no Dictionnaire de la Bible Bauer, Leben Jesu ma Zeitalter der NT. Apokryphen, pp. 221–222 Rendel Harris in The Expositor, 1900, vol. i, pp. 304-308; e Notas e consultas, zoth series, vol. xi, pp. 321 e 394; volume xi, pág. 133.

Ecos da lenda do Bom Ladrão são encontrados em ambos no medieval Cursor Mundi, II. 16739 seq., em Golden Legend de Longfellow , e em outros lugares.

Tudo o que se sabe de Dimas é que ele é o Bom Ladrão crucificado com Cristo no Calvário. O outro ladrão é conhecido como Gestas. Um mito completamente infundado do Evangelho Árabe da Infância, que gozou de grande popularidade no Ocidente durante a Idade Média, tinha dois ladrões que assaltavam a Sagrada Família a caminho do Egito. Dimas comprou Gestas com quarenta dracmas para deixá-los incólumes, ao que o Menino predisse que eles seriam crucificados com Ele em Jerusalém, e que Dimas o acompanharia ao Paraíso.
      Em Jerusalém, a comemoração do bom ladrão que confessou a Cristo na cruz, e que merecia ouvir dele estas palavras: “Hoje estarás comigo no paraíso”.
Dimas, o Bom Ladrão (RM) século I. O Bom Ladrão, que foi crucificado com Cristo no Calvário, recebeu o nome de Dimas; o outro ladrão é conhecido como Gestas (Lucas 23:39-42). Um mito popular durante a Idade Média no Evangelho Árabe da Infância dizia que os dois ladrões detiveram a Sagrada Família em sua fuga para o Egito. Neste conto, Dimas comprou Gestas com quarenta dracmas para deixá-los incólumes, ao que o Menino Jesus predisse que eles seriam crucificados com ele em Jerusalém e que Dimas o acompanharia ao paraíso.
A tradição supõe que, porque Jesus disse a Dimas: “Hoje você estará comigo no Paraíso”, sua salvação estava assegurada e ele poderia, portanto, ser invocado como um santo. Porque tão pouco se sabe de São Dimas – nem mesmo seu nome, que significa “morrendo” – talvez a Missa para sua festa possa nos dar algumas dicas.
Entrada: Salmo 130:6: “A minha alma esperou pelo Senhor, mais do que as sentinelas da noite esperam pela aurora.” Salmo 121:1: “Alegrei-me quando os ouvi dizer: ‘Subamos à casa do Senhor'”.

Lendo de Ezequiel 33,11-12: “Estou vivendo, diz o Senhor. Não é a morte do pecador que eu quero. O que eu quero é que ele se converta, e que ele viva. Converta-se, converta-se, mude seu modo de vida! E por que eu o condenaria à morte? Deixe o profeta dizer ao seu povo: ‘Os justos são em vão, pois não é sua justiça que o salvará, se um dia ele pecar. não por seu pecado que o pecador será julgado, se um dia ele se converter.'”
Evangelho de Lucas 23:39-43 [RSV]: “Um dos criminosos que foram enforcados o insultou, dizendo: ‘Você não é o Cristo? Salve a si mesmo e a nós!’ Mas o outro o repreendeu, dizendo: “Você não teme a Deus, visto que está sob a mesma sentença de condenação? E nós, de fato, com justiça, pois estamos recebendo a devida recompensa de nossas ações; mas este homem não fez nada de errado”. E ele disse: ‘Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu reino’. E disse-lhe: ‘Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.'”

Antífona da comunhão: “Feliz aquele que vê suas dívidas pagas e cujos pecados são perdoados! Feliz é o homem a quem o Senhor não pune como merece, e quem não tenta defraudá-lo” (Salmo 31:1-2) (Attwater2, Benedictines, Delaney, Encyclopedia,
Na arte, Dimas é representado carregando sua cruz imediatamente atrás de Cristo em imagens do tormento do inferno. Ele também pode ser mostrado (1) crucificado à mão direita de Cristo, ou (2) nu, segurando sua cruz, muitas vezes com a mão no coração para significar penitência (Roeder). Dimas é o patrono dos criminosos, dos condenados e dos ladrões (Fazendeiro, Roeder) …”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch25.html#33_St._Dismas_the_Good_Thief_crucified

3.   Em Ni­co­média, na Bi­tínia, hoje Izmit, na Tur­quia, Santa Dula, mártir. († data inc.)

– Ver “… Em Nicomédia, Santa Dula, serva de um soldado, que foi morta pela preservação da sua castidade, e mereceu a coroa do martírio, também chamada de Teódulo. Escrava de um soldado pagão, Dula morreu defendendo sua castidade.
Dula a VM Escrava (RM), data desconhecida. Santa Dula era escrava de um soldado pagão em Nicomédia, Ásia Menor, que queria fazer dela sua amante. Quando ela resistiu, ele a esfaqueou até a morte (Benedictines, Encyclopedia).

Santa Dula é retratada depois que ela foi morta por seu mestre (Roeder). Ela é a padroeira das criadas (Roeder)…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch25.html#St._Dula_Virgin_martyr_at_Nicomedia_in

4.   Em Roma, no ce­mi­tério de Pon­ciano, junto à Via Por­tu­ense, São Qui­rino, (também na Folhinha do Coração de Jesus) mártir. († data inc.)

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 296, São Cirino, vítima da perseguição de Cláudio, o Godo. Seu corpo jogado ao Tibre, foi recolhido e enterrado pelos Santos Mário e Marta, cristãos persas que se achavam em Roma (M).

5.   Em Tes­sa­ló­nica, ci­dade da Ma­ce­dónia, na ac­tual Grécia, Santa Ma­trona, mártir, que, sendo serva de uma mu­lher da Ju­deia, se­cre­ta­mente se­guia a fé de Cristo; des­co­berta pela sua se­nhora, foi ator­men­tada com vá­rios su­plí­cios; fi­nal­mente, fla­ge­lada até à morte, con­fes­sando o nome de Cristo en­tregou in­cor­rupto o seu es­pí­rito a Deus. († data inc.)

6.   Em Milão, na Trans­pa­dânia, hoje na Lom­bardia, re­gião da Itália, São Mona, bispo. († c. 300)

7.   Na ilha de Indre, pró­ximo de Nantes, na França, Santo Her­me­lando, que passou da corte régia ao mos­teiro de Fon­te­nelle e de­pois foi o pri­meiro abade do mos­teiro do lugar.

Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M. No séc. VIII, Santo Hermelando. De uma família nobre de Noyon, foi educado na corte de Clotário III, e depois entrou para a abadia de São Vandrilo, onde fez profissão. Colocado à frente de um grupo de doze monges, fundou em uma ilha do rio Loire, perto de Nantes, um novo centro de orações († c. 720).

8*.   Em Mâm­mola, pró­ximo de Ge­race, na Ca­lá­bria, re­gião da Itália, São Ni­co­demos, ere­mita, que foi mestre de vida mo­nás­tica, in­signe pela sua aus­te­ri­dade e grandes virtudes. († 990)

9.   Em Sá­zava, na Boémia, ac­tu­al­mente na Ché­quia, São Pro­cópio, que, dei­xando a es­posa e o filho, se con­sa­grou à vida ere­mí­tica, de­pois di­rigiu o mos­teiro por ele fun­dado neste lugar e ce­le­brou os lou­vores di­vinos no rito grego e em língua eslava. († 1053)

10*.   Em Schaffhausen, na Suábia, ac­tu­al­mente na Ale­manha, o Beato Eve­rardo, conde de Nel­len­burg, que abraçou a vida mo­nás­tica no ce­nóbio de Todos os Santos por sua in­ter­venção construído. († 1078)

11*.   Em Cos­tac­ciaro, na Úm­bria, re­gião da Itália, o Beato Tomás, ere­mita, que passou ses­senta e cinco anos de vida ana­co­ré­tica e en­sinou ou­tros a se­guir o mesmo ca­minho espiritual. († 1337)

12.   Em York, na In­gla­terra, Santa Mar­ga­rida Clitherow, mártir, que, com o as­sen­ti­mento do es­poso, aderiu à fé ca­tó­lica, nela educou os fi­lhos e se pron­ti­ficou a es­conder em sua casa os sa­cer­dotes per­se­guidos; por isso foi presa vá­rias vezes, no rei­nado de Isabel I, e re­cu­sando de­fender a sua causa no tri­bunal, para que não pe­sasse sobre a cons­ci­ência dos con­se­lheiros do juiz o re­morso de uma con­de­nação à morte, foi es­ma­gada sob um enorme peso até à morte por Cristo. († 1586)

13*.   Em Winton, também na In­gla­terra, o Beato Jaime Bird, mártir, que, sob o go­verno da mesma rainha, com de­za­nove anos de idade e re­cen­te­mente con­ver­tido à fé ca­tó­lica, por ter re­cu­sado par­ti­cipar numa li­turgia he­ré­tica me­receu en­trar na ce­le­bração do culto celeste. († 1592)

14.   Em Mon­te­fi­as­cone, na Tos­cana, hoje no Lácio, re­gião da Itália, Santa Lúcia Fi­lip­píni, fun­da­dora do Ins­ti­tuto das Pi­e­dosas Mes­tras, des­ti­nado a pro­mover a for­mação das jo­vens e mu­lheres, prin­ci­pal­mente as mais pobres. († 1732).

Lúcia Filipini (também na Folhinha do Coração de Jesus, Santa Lúcia). Em Corneto, na Itália, Lúcia Filipini, virgem, nascida a 13 de janeiro de 1672. Órfã de pai e mãe aos seis anos, foi recolhida pelos tios. O cura da paróquia em que vivia escolheu-a como ajudante catequista. Educadora de meninas, depois a principal figura do Instituto das Mestras Piedosas, santamente faleceu em 1732. Lucia Filipini passou por provações: denunciada ao Santo Ofício como pertencendo à seita de Miguel Molinos, suportou as penas morais com infinitos de paciência. Sepultada na igreja-catedral de Santa Margarida, a bem-aventurada foi beatificada por Pio X a 13 de junho de 1926.  Ver página 297: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

15♦.   Em Ni­e­derwei­nigen, pró­ximo de Essen, na Ale­manha, a Beata Maria Rosa Flesch (Mar­ga­rida Flesch), virgem, fun­da­dora do Ins­ti­tuto das Irmãs Fran­cis­canas de Santa Maria dos Anjos. († 1906)

16*.   Em Roma, junto de São Paulo, na Via Os­ti­ense, o Beato Plá­cido Ric­cárdi, pres­bí­tero da Ordem de São Bento, que, ator­men­tado por con­tí­nuas fe­bres, en­fer­mi­dades e pa­ra­lisia, se­guiu in­de­fec­ti­vel­mente a ob­ser­vância re­gular e a oração e en­sinou aos ou­tros a mesma ati­tude exemplar. († 1915)

17*.   Em Cher­vo­nohrad, ci­dade pró­xima de L’viv, na Ucrânia, a Beata Jo­sa­fata (Mi­que­lina Hor­dáshevska), virgem, que, no Ins­ti­tuto das Irmãs Servas de Maria Ima­cu­lada por ela fun­dado, se de­dicou a fazer o bem onde hou­vesse maior necessidade. († 1919)

18.   Em Ein Keren, pró­ximo de Je­ru­salém, Santa Maria Al­fon­sina Danil Ghattas, virgem, fun­da­dora da Con­gre­gação das Irmãs Do­mi­ni­canas do San­tís­simo Ro­sário de Jerusalém. († 1927).

– Ver “Maria Alfonsina Danil Ghattas (Jerusalém4 de outubro de 1843 — Ein Kerem, Jerusalém, 25 de março de 1927), nascida Maryam Soultaneh Danil Ghattas [1][2], foi uma religiosa palestina dominicana, fundadora, com o sacerdote Giuseppe Tannous, da única comunidade religiosa da Terra Santa – a Congregação das Irmãs Dominicanas do Santíssimo Rosário de Jerusalém.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Maria_Alfonsina_Danil_Ghattas

– Ver “… Santa Maria Alphonsine Ghattas (1843-1927), recentemente canonizada pelo Papa Francisco em Roma, foi favorecida com várias aparições marianas.
Nossa Senhora confidenciou-lhe um dia durante uma aparição seu grande desejo de fundar uma congregação palestina que levasse o nome das Irmãs do Rosário. Ela até viu em uma visão freiras vestidas com um hábito azul, enquanto ouvia ao mesmo tempo a Virgem repreendê-la por sua lentidão em atender seu pedido.
As aparições de Nossa Senhora a deixaram abatida para se entregar totalmente a Deus. “Eu estava com fome de suportar as adversidades.
Eu me deliciei com tudo o que foi amargo e doloroso. A solidão era o paraíso para o meu coração e a obediência era o paraíso da minha mente. Achei as ordens dos Superiores fáceis de seguir”, escreveu ela em seu diário. A congregação finalmente se materializou em 1880.
A vida de Maria Alphonsine foi marcada pela recitação do rosário meditado, e sua intensa oração obteve milagres em vida. Em 1885, uma menina da escola das Irmãs de Jaffa na Galiléia, perto de Nazaré, tendo caído em um tanque cheio de água, foi salva quando Irmã Marie Alphonsine baixou seu Rosário para a menina. Fonte: www.lorientlejour.com”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJuly22.html

19*.   Em Maj­danek, ci­dade pró­xima de Lu­blin, na Po­lónia, o Beato Emi­liano Kovc, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a guerra, de­por­tado para um campo de con­cen­tração, pelo com­bate da fé al­cançou a vida eterna. († 1944)

20*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, perto de Mu­nique, ci­dade a Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Hi­lário Ja­nus­zewski, pres­bí­tero da Ordem dos Ir­mãos Des­calços de Nossa Se­nhora do Carmo e mártir, que, du­rante a guerra, de­por­tado da Po­lónia para um cár­cere es­tran­geiro pelo nome de Cristo, morreu con­ta­giado pela tu­ber­cu­lose na as­sis­tência aos en­fermos, dei­xando um in­signe tes­te­munho de fé e caridade. († 1945)

21. No ano da graça de 304, a paixão de Santo Irineu, bispo. No momento em que ia ser decapitado, fez esta última prece: “Senhor Jesus Cristo, abre Teu céu para que os anjos possam receber o espírito de Teu servidor que suporta estes tormentos por Teu nome e pela Igreja Católica de Sirmium (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M). Ver também o relato de seu martírio às páginas 282-286: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

– Ver “Irineu de Sirmio (? — 25 de março de 304) foi um religioso cristão executado e martirizado no século IV, na perseguição de Diocleciano. Era bispo de Sirmio, na Panônia, atualmente Mitrovica, na Sérvia.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Irineu_de_Sirmio

22. Em Laodicéia da Síria, São Pelágio, bispo, que sofreu o exílio na Arábia, por ter defendido a ortodoxia da fé ao lado de São Basílio Magno (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

– Ver página 297 “Em Laodicéia, perto do Líbano, São Pelágio, bispo, que, sob Valens, foi exilado, sofrendo pela fé católica penas outras. Originário da Síria, casou-se muitíssimo cedo. Com a esposa, viveu em perpétua continência. Cientes da sua alta virtude, os fiéis de Laodicéia escolheram-no, em 360, como bispo. Consagrado por Acácio, bispo de Cesaréia da Palestina, Pelágio em 363, assistiu ao concílio de Antioquia. Valens exilou-o para a Arábia. Quando de Graciano (378) Pelágio retornou. Faleceu em 381.”: VIDAS DOS SANTOS – 5.pdf (obrascatolicas.com)

– Ver também “… Em Laodicéia, São Pelágio, bispo, que depois de ter suportado o exílio e outras aflições pela fé católica sob Valente, descansou no Senhor.Ele era um inimigo dedicado do arianismo e, por sua devoção à causa ortodoxa, foi exilado pelo imperador ariano Valens.
  Após a morte de Valens nas mãos dos godos em 378; o novo imperador, o ortodoxo Graciano, ordenou a retirada de Pelágio. Ele participou do Concílio de Constantinopla em 381 e morreu algum tempo depois.
Pelágio de Laodicéia B
(RM) Morreu depois de 381. O bispo São Pelágio defendeu a causa católica contra o arianismo e por isso foi banido pelo imperador ariano Valente. Graciano se lembrou dele. Ele estava entre os luminares presentes no Concílio de Constantinopla em 381. A data de sua morte é desconhecida (Benedictines, Encyclopedia)…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch25.html#381_St._Pelagius_of_Laodicea_Bishop

23. No séc. VII, Santo Humberto ou Huberto) monge de Laon. Enviado em missão entre os belgas, morreu como abade de Maroilles (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M).

24. São Barôncio e São Desidério (também na Folhinha do Coração de Jesus), confessores. Ver sua história às páginas 287-288 http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf .

– Ver “Barôncio (Barontus) ( em francês: Baronce, em italiano: Baronto, Baronzio ) e Desidério ( em francês: Dizier, em italiano: Desiderio ) foram dois eremitas do século 8 que são venerados como santos pela Igreja Católica[1] Eles eram eremitas perto de Pistoia, na Itália.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Bar%C3%B4ncio_e_Desid%C3%A9rio

– Em 26 de março, no Martirológio Romano Italiano, ver: Em Mon­tal­bano, na Etrúria, hoje na Tos­cana, re­gião da Itália, os santos Barôncio e De­si­dério, eremitas. († s. VII).

25. São Melquisedeque (Melquisedec) Antigo Testamento. Ver sua história às páginas 289-295: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

– Ver “… Melquisedeque, Sacerdote (RM) Sacerdote do Deus Altíssimo, honrado por Abraão (Enciclopédia)…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch25.html#Melchizedek_Priest_RM_Priest_of_the

26. Patriarca Isaac. Ver página 296: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

Ver “Isaac ou Isaque (play /ˈzək/;[1] Hebraico: יִצְחָק, Moderno Yitsẖak Tiberiano YiṣḥāqISO 259-3 Yiçḥaq, “ele vai rir”; em iídiche: יצחק, Yitskhok; em grego clássico: Ἰσαάκ, Isaak; em latim: Isaac; em árabe: إسحاق ou em árabe: إسحٰق[note A] ʼIsḥāq) assim como descrito na Bíblia Hebraica, foi o único filho de Abraão com sua esposa Sara e foi o pai de Esaú e Jacó. Isaac foi um dos três patriarcas israelitas. Segundo o livro de Gênesis, Abraão tinha 100 anos quando Isaac nasceu e Sara já havia cessado o período fértil.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Isaac

– Ver “… Isaac, Patriarca Filho de Abraão, cordeiro de Deus, símbolo de Jesus (RM)
(Enciclopédia)…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch25.html#Isaac_Patriarch_Son_of_Abraham_lamb_of

27. Outras santas e Santos do dia 25 de março: págs. 273-298 (vol.5): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

Obs. Entra no Google chrome, mas não no edge.

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

 * “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 25 de março, ver também: 25 de março – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (Todas da internet, foram consultadas no dia de hoje)

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 280-283: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  7. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch25.html#

(este site mostra os santos do dia, em inglês. Tradução Google)

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* SENHOR, NOSSO DEUS E PAI AMADO, OBRIGADO POR TUDO O QUE O SENHOR NOS TEM DADO E PERMITIDO VIVER!

QUERIDA MÃE VIRGEM MARIA, SOCORRA-NOS, PROTEJA-NOS!

SÃO JOSÉ, SANTAS/OS E ANJOS, INTERCEDAM POR NÓS! OBRIGADO! AMÉM!

================

* PAI AMADO, DÊ-NOS ESPÍRITO DE ORAÇÃO, VIGILÂNCIA, RENÚNCIA, PENITÊNCIA! DÊ-NOS ARDOR MISSIONÁRIO PELO E PARA O SENHOR! TIRE-NOS O TORPOR E A TIBIEZA! DÊ-NOS, AMADO PAI, CORAGEM DE LUTAR COM ENTUSIASMO E FORÇA DE VONTADE, MESMO EM SITUAÇÕES SEDUTORAS, DIFÍCEIS E ESPINHOSAS, PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ DE BONS COSTUMES E SANTIDADE POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO. DÊ-NOS A DOCILIDADE DAS OVELHAS! SOBRETUDO, DÊ-NOS A GRAÇA! PEDIMOS EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

================

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA, ESCREVA-NOS:

barpuri@uol.com.br

================

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

================

  * “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

================

* “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

================

* “Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro).

Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

================

* “… Não há nada mais difícil do que a oração, pois não há esforços que os demônios não façam para interromper este poderoso meio de os desanimar (Santo Agatão, lembrado em 21 de outubro)

================

Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu só lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

================

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

================

* “Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível”.

================

* “…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

================

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…” Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém! http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

================

* “… A PAIXÃO VIVE; APENAS ESTÁ REPRIMIDA… ESTÁ APENAS PRESA… AS PAIXÕES VIVEM, APENAS SÃO REPRIMIDAS PELOS SANTOS (COM A GRAÇA DE DEUS!) …”.  SANTAS E SANTOS, INTERCEDAM POR NÓS PARA QUE POSSAMOS REPRIMIR AS PAIXÕES. PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA DE REPRIMIR AS PAIXÕES. Santo Abraão, rogue por nós! Amém!” (SANTO ABRAÃO, ERMITÃO, 27 DE OUTUBRO), conforme páginas 52-53: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2019.pdf

================

* “… a oração por um ente querido é, para o crente, uma forma de apagar qualquer distância, até mesmo a morte. Em oração, permanecemos na presença de Deus na companhia de alguém que amamos, mesmo que essa pessoa tenha morrido antes de nós

“Não devemos transformar o purgatório em um campo de concentração em chamas à beira do inferno – ou mesmo em um ‘inferno por um curto período de tempo’. É uma blasfêmia pensar nisso como um lugar onde um Deus mesquinho cobra a última libra – ou grama – de carne … Santa Catarina de Gênova (Festa dia 15 de setembro, mística do século 15), escreveu ‘fogo’ do purgatório é o amor de Deus ‘queimando’ a alma para que, por fim, a alma esteja totalmente em chamas. É a dor de querer ser feito totalmente digno de Alguém que é visto como infinitamente amável, a dor do desejo de união que agora está absolutamente assegurada, mas ainda não completamente experimentada

(Leonard Foley, OFM, Crendo em Jesus) …”:

================

* Dia 17 de janeiro: Santo Antão (ou Antônio). Oração: “Santo Antônio, você falou da importância de perseverar em nossa fé e nossa prática. Ajude-nos a acordar a cada dia com um novo zelo pela vida cristã e um desejo de enfrentar o próximo desafio em vez de apenas ficar parado. Amém!”

================

* 19 de janeiro, São Macário. “… A oração não requer muitas palavras. sobre você, você só precisa dizer: “SENHOR, TEM MISERICÓRDIA!” O Senhor sabe o que é útil para nós e nos concede misericórdia.”… Se você deseja ser salvo, seja como um morto. Não fique com raiva quando insultado, nem orgulhoso quando elogiado.” E ainda: “Se a calúnia é como o louvor para você, a pobreza como a riqueza, a insuficiência como a abundância, então você não perecerá.“…

================

* Sobre SANTO ANDRÉ CORSINI (04 de fevereiro): “Ele trabalhou arduamente para subjugar suas paixões por meio de humilhações extremas, obediência até mesmo à última pessoa na casa, pelo silêncio e oração”.

================

* “Deus Todo-Poderoso não joga dadosDiante de Deus somos todos igualmente sábios – igualmente tolos!(Albert Einstein, lembrado em 14 de março)

================

* “Ó Meu Redentor, chegará aquele terrível momento em que restarão poucos cristãos inspirados pelo espírito de fé, aquele momento em que Sua indignação será provocada e Sua proteção será tirada de nós? Nossos vícios e nossas vidas más moveram irrevogavelmente Sua justiça a se vingar, talvez neste mesmo dia, de Seus filhos para não deixar que a luz da fé se apague nas almas?
“Lembre das antigas misericórdias, volta os olhos compassivos para a vinha plantada com a sua destra, regada pelas lágrimas dos Apóstolos, pelo sangue precioso de inúmeros mártires, e fecundada pelas orações de tantos confessores e virgens inocentes.
“Ó divino Mediador, olhe para aquelas almas zelosas que elevam seus corações ao Senhor e oram sem cessar pela manutenção desse seu dom mais precioso, a Verdadeira Fé. Mantenha-nos seguros na verdadeira fé católica e romana. Preserve-nos em sua santa fé, pois se formos ricos com este dom precioso, suportaremos com prazer todas as tristezas e nada poderá mudar nossa felicidade. Sem este grande tesouro da fé, nossa infelicidade seria indizível e sem limites.
“Ó Bom Jesus, Autor da nossa fé, conservai-a pura em nós; guardai-nos na barca de Pedro, fiel e obediente ao seu sucessor, e Vosso vigário aqui na terra, para que se mantenha a unidade da santa Igreja, a santidade promovida, a Santa Sé protegida em liberdade e a Igreja universal estendida em benefício das almas.
“Ó Jesus, Autor da nossa fé, humilha e converte os inimigos da Sua Igreja; conceda verdadeira paz e concórdia a todos os reis e príncipes cristãos e a todos os crentes; fortalece-nos e preserva-nos no Seu santo serviço até ao fim, para que vivamos com o Senhor e morramos no Senhor.

“Ó Jesus, Autor de nossa fé, deixe-nos viver pelo Senhor e morrer pelo Senhor. Amém.” (São Clemente-Maria Hofbauer, 15 de março)

================

* “… SEDE DILIGENTES NO SERVIÇO AOS POBRES . . . AMEM OS POBRES, HONREM-NOS, MEUS FILHOS, COMO VOCÊS HONRARIAM O PRÓPRIO CRISTO… (SANTA LUÍSA DE MARILLAC, 15 DE MARÇO)”

================

* “Salve, ó Mãe de toda pureza, virgem imaculada, Mãe de toda misericórdia e Mãe de nosso Salvador; venho rogar-lhe que interceda por um pobre pecador junto ao seu Divino Filho, para que me conceda Sua santa Graça. O inimigo implacavelmente me persegue e me ataca. Você uma vez esmagou a cabeça da serpente ao dar à luz nosso Salvador – ajude-me a superar suas artimanhas e enganos. Você é meu refúgio. Por que você me afastaria? …

Não, ó Virgem graciosa! Você virá em meu socorro e o inimigo será derrotado. Amém!São Nicolau relatou que nunca invocou Maria em vão e que sempre sentiu visivelmente os efeitos de sua proteção.  (São Nicolau de Flue – 21 de março)”

================

* A mente é purificada pelo conhecimento espiritual (ou pela santa meditação e oração), as paixões espirituais da alma pela caridade e os apetites irregulares pela abstinência e penitência… (regra resumida da perfeição cristã – que São Serapião repetia muitas vezes) … “Nossos corpos podem se tornar instrumentos do bem ou do mal, dependendo da disposição do coração; tanto os homens justos quanto os ímpios são frequentemente mudados para o outro tipo….”

(São Serapião de Thmuis 21 de março – conf. http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayMarch21.html#370_St._Serapion_the_Scholastic_Bishop)

================

* ORAÇÃO DO ANO DE SÃO JOSÉ “PATRIS CORDE”

Salve, guardião do Redentor

e esposo da Virgem Maria!

A vós, Deus confiou o seu Filho;

em vós, Maria depositou a sua confiança;

convosco, Cristo tornou-Se homem.

Ó Bem-aventurado José, mostrai-vos pai também para nós

e guiai-nos no caminho da vida.

Alcançai-nos graça, misericórdia e coragem,

e defendei-nos de todo o mal. 

Amém!

(Conforme < https://radio.cancaonova.com/sao-jose-do-rio-preto/oracao-ano-de-sao-jose/ >)

================

* PAI, ABRACE-NOS!

JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS ENCHA E NOS UNA NO AMOR!

MÃEZINHA MARIA, CUIDE DE NÓS!

SÃO JOSÉ, SANTAS, SANTOS E ANJOS, ROGUEM POR NÓS!

POR CRISTO, NA UNIDADE DO ESPÍRITO SANTO! AMÉM!

================

* Após Deus, o Pai amado, chamar minha amada esposa e companheira por 38 anos, 9 meses e oito dias, em 24.09.2017, descobri:

1. Posso comunicar com a minha Frô, pela ORAÇÃO;

2. Posso VER, ESCUTAR, SENTIR a FRÔ (transformada, sem dores, linda, maravilhosa) em meu ser;

3. Ela está vivendo nos braços de Deus (bondosos, vigorosos);

4. Um dia vamos estar juntos;

5. Quando Deus me chamar, quero levar coisas boas para o banquete celeste (amor a Deus e ao próximo).

Dê-nos essa Graça, Pai amado! Dê-nos A GRAÇA! AMÉM! Obrigado, Senhor, por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

================

“Senhor, eu tenho fé. Ajude-me a ter mais fé ainda!” (Mc 9,24)

================

* Ver o blog: https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.