Santas e Santos de 21 de maio

Santos Cris­tóvão de Magallanes (Cristóforo Magalhães, na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, e com­pa­nheiros, már­tires, que, em vá­rias re­giões do Mé­xico, per­se­guidos em ódio ao nome cristão e à Igreja ca­tó­lica, por terem pro­fes­sado a fé em Cristo Rei, al­can­çaram a coroa do martírio. Seus nomes: Romão Adame, Ro­drigo Aguilar, Júlio Ál­varez, Luís Batis Sáinz, Agos­tinho Ca­loca Cortés, Ma­teus Correa, Ati­lano Cruz, Mi­guel de la Mora, Pedro Es­queda Ra­mírez, Mar­ga­rido Flores, José Isabel Flores, David Galván, Pedro Mal­do­nado, Jesus Méndez, Jus­tino Orona, Sabas Reyes, José Maria Ro­bles, To­ríbio Romo, Ja­nuário Sán­chez Del­ga­dillo, Tran­qui­lino Ubi­arco e David Uribe, pres­bí­teros; e Ma­nuel Mo­rales, Sal­vador Lara Pu­ente e David Roldán Lara, leigos. († 1927)

2.   Na Mau­ri­tânia, no ter­ri­tório da ac­tual Ar­gélia, São Ti­móteo, diá­cono e mártir. († data inc.)

3.   Em Ce­sa­reia, na Ca­pa­dócia, hoje Kay­seri, na Tur­quia, São Po­li­euto, mártir. († data inc.)

– Em Cesaréia da Capadócia, a festa dos Santos Mártires Polieucto, Vitório e Donato. Ver pág. 117: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

4.   Co­me­mo­ração dos santos mártires, ho­mens e mu­lheres, que em Ale­xan­dria do Egipto, nos sa­grados dias de Pen­te­costes, o bispo ariano Jorge, sob o go­verno do im­pe­rador Cons­tâncio, mandou matar cru­de­lis­si­ma­mente ou en­viar para o exílio. († 357/358)

– Em Alexandria, os santos mártires Segundo, padre, e muitos outros, durante as festas do Pentecostes, quando do imperador Constâncio, Jorge, bispo ariano, fez com que os assassinassem com imensa crueldade. Santo Atanásio conta que o martírio de Segundo foi perpetrado durante a Quaresma de 357 por um bispo ariano, também Segundo, porque se negava, bem como os demais, homens, mulheres e muitas virgens, reunidos no cemitério, a entrar nas igrejas profanadas pelos arianos. Ver pág. 117: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

5*.   Em Vannes, na Bre­tanha Menor, ac­tu­al­mente na França, a co­me­mo­ração de São Pa­terno, bispo, que, se­gundo a tra­dição, neste dia foi or­de­nado bispo por São Per­pétuo de Tours no con­cílio pro­vin­cial con­gre­gado nessa cidade. († 460/490)

6.   Em Nice, na Pro­vença, também na ac­tual França, Santo Hos­pício, re­cluso, homem de ad­mi­rável es­pí­rito de pe­ni­tência, que pre­disse a che­gada dos Lombardos. († c. 581)

– Ver págs. 112-115: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

7.   Em Évora, ci­dade da Lu­si­tânia, hoje em Por­tugal, São Manços, mártir. († s. VI)

8*.   Em Vi­enne, na Bor­gonha, re­gião da França, São Te­o­baldo, bispo, que, du­rante qua­renta e quatro anos, dig­ni­ficou esta sede epis­copal com seu in­signe exemplo de ca­ri­dade e piedade. († 1001)

– Ver pág. 116: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

9*.   Em Túrku, na Fin­lândia, Santo Hem­ming, bispo, que, ani­mado pelo seu ar­dente zelo pas­toral, ins­taurou a dis­ci­plina nesta Igreja me­di­ante as ori­en­ta­ções de um sí­nodo, es­ti­mulou o es­tudo dos clé­rigos, dig­ni­ficou o culto di­vino e pro­moveu a paz entre os povos. († 1366)

10*.   Ao largo de Ro­che­fort, na França, o Beato João Mopinot, da Con­gre­gação dos Ir­mãos das Es­colas Cristãs e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, por ser re­li­gioso, foi de­tido e en­cer­rado numa pe­quena e sór­dida barca, onde morreu vi­ti­mado pela tuberculose. († 1794)

11.   Em Mar­selha, na Pro­vença, re­gião da França, São Carlos Eu­génio de Mazenod, bispo, que, para evan­ge­lizar os po­bres, fundou o Ins­ti­tuto dos Mis­si­o­ná­rios Oblatos de Maria Ima­cu­lada e, du­rante quase vinte e cinco anos, ilus­trou a Igreja com as suas vir­tudes, obras, ser­mões e escritos. († 1861)

12♦.   Em Feijão Miúdo, lo­ca­li­dade de Rio Grande do Sul, no Brasil, os be­atos Ma­nuel Gómez González, pres­bí­tero, Adílio Daronch, már­tires. († 1924)

ADÍLIO DARONCH, o beato gaúcho. O coroinha Adílio Daronch se tornou o primeiro beato gaúcho em uma missa realizada na tarde de 21 de outubro de 2007. Diante de milhares de fiéis, o cardeal português José Saraiva Martins oficializou sua beatificação e a do padre espanhol Manuel Gomez Gonzales em Frederico Westphalen, no norte do Estado. O martírio dos dois teria sido provocado por um grupo de chimangos (governistas do Partido Republicano Rio-grandense). Manuel e Adílio viajavam para Três Passos, onde colonos alemães viviam há dois anos sem poder celebrar casamentos, batizados ou missas, pois não havia padre na cidade. Os dois foram alertados sobre as ameaças. A ira dos chimangos – positivistas, maçons e anticlericais – convergiu contra o sacerdote, que tentara apaziguar os conflitos com os maragatos, em 1923. Padre Manuel havia advertido os inimigos políticos para que evitassem carnificinas. Além disso, sepultou maragatos mortos num confronto ocorrido em Nonoai, contrariando a determinação dos chimangos. Três quilômetros antes de Três Passos, o padre e o coroinha pararam em um bolicho para pedir informações. Acabaram sendo acompanhados no resto do trajeto justamente pelos executores. Quando entraram na mata, Manuel e Adílio foram imobilizados, amarrados em troncos de árvores, torturados e fuzilados. Quem foram os beatos:Adílio Daronch – Nasceu em outubro de 1908, em Dona Francisca, região central do Estado. Morou em Passo Fundo e se transferiu para Nonoai com a família. Ajudava o padre Manuel Gonzalez nas atividades religiosas da paróquia. Morreu aos 15 anos quando viajava com o religioso. MANUEL GOMEZ GONZALES Nasceu em São José de Ribarteme, na Espanha, em 1877, e foi ordenado padre em 1902. Chegou ao Brasil em outubro de 1913. Na diocese de Santa Maria, foi nomeado pároco de Soledade e transferido para Nonoai. Foi morto em 1924, aos 46 anos na localidade de Feijão Miúdo – atual município de Três Passos – durante um trabalho de evangelização. Ver também: https://gauchazh.clicrbs.com.br/geral/noticia/2011/05/beatificacao-saiba-como-funciona-o-processo-e-quem-e-o-primeiro-beato-gaucho-3293648.html

13.  Santos Sinésio (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Teopompo, mártires. Ver pág. 117: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

14. São Valente (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo martirizado com três jovens meninos.  Ver pág. 117: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

15. São Benvenuto, na Folhinha do Coração de Jesus.

16. Outros santos do dia 21 de maio: págs. 112-117 (vol.09):

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%209.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi publicado.

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para o Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014Livraria on line – www.editorapermanencia.com
  6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.