Santas e Santos de 26 de novembro

1.   Em Roma, no ce­mi­tério de Pris­cila, junto à Via Sa­lária Nova, São Si­rício, papa, que Santo Am­brósio louva como ver­da­deiro mestre, porque, to­mando sobre si a res­pon­sa­bi­li­dade de todos os bispos, os ins­truiu com os en­si­na­mentos dos santos Pa­dres e os con­firmou com a sua au­to­ri­dade apostólica. († 399). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, no ano da graça de 399, o sepultamento de São Sirício, papa. Através de várias cartas às Igrejas da África, da Espanha, da Gália e da Itália, ele dizia que “o Bem-Aventurado Pedro carregava consigo o fardo de todos aqueles que são encarregados das almas”. (M). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Sirício

2.   Em Adri­a­nó­polis, na Pa­fla­gónia, na ho­di­erna Tur­quia, Santo Alípio, diá­cono e es­ti­lita, que morreu quase centenário. († d. 610)

3.   Em Kons­tanz, na Suábia, em ter­ri­tório da ac­tual Ale­manha, São Con­rado (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo, óp­timo pastor da sua grei, que dis­tri­buiu ge­ne­ro­sa­mente os seus bens em favor da Igreja e dos pobres. († 975). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/São_Conrado_de_Constança

4.   Em La­ce­de­mónia, no Pe­lo­po­neso, ter­ri­tório da Grécia, São Nicão, monge, que, de­pois de uma vida ce­no­bí­tica e ere­mí­tica na pro­víncia da Ásia, tra­ba­lhou com zelo evan­gé­lico para res­taurar a vida cristã na ilha de Creta, recém-li­berta do jugo dos Sar­ra­cenos; de­pois partiu para a Grécia a pregar a pe­ni­tência, até que fa­leceu no mos­teiro de Es­parta, por ele fundado. († 998). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, às margens do mar Negro, em 998, São Nicônio, monge, que percorria os caminhos repetindo, sem cessar, o apelo evangélico à conversão, donde seu cognome de “Metanoieté”. (M). Ver páginas 266-268: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

5.   Na flo­resta pró­xima de Fratta, no ter­ri­tório de Ro­vigo, hoje no Vé­neto, re­gião da Itália, a paixão de São Be­lino (também na Folhinha do Coração de Jesus, Belina), bispo de Pádua e mártir, in­signe de­fensor da Igreja, que, cru­el­mente es­pan­cado por si­cá­rios, morreu em con­sequência das le­sões recebidas. († 1147)

6*.   No mos­teiro dos Có­negos Re­grantes de Sixt, na Sa­vóia, ter­ri­tório da França, o Beato Pôncio de Faucigny, que foi abade de Abon­dance e, re­nun­ci­ando ao cargo, quis morrer como sim­ples religioso. († 1178)

7.   Perto de Fa­briano, nas Marcas, re­gião da Itália, São Sil­vestre Gozzolíni, abade, que, pro­fun­da­mente con­ven­cido da vai­dade de todas as coisas do mundo di­ante da se­pul­tura aberta de um amigo pouco antes fa­le­cido, se re­tirou para o ermo, mu­dando vá­rias vezes de sítio para per­ma­necer mais oculto aos ho­mens, e, por fim, num lugar de­serto, pró­ximo de Mon­te­fano, lançou as bases da Con­gre­gação dos Sil­ves­trinos, sob a regra de São Bento. († 1267). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Fabriano, na Itália central,, em 1267, São Silvestre. Tendo a experiência lhe ensinado a olhar tudo como se fosse lixo, comparado ao valor do supremo ganho que é Cristo, abraçou a vida monástica, à qual deu novo impulso. A congregação dos silvestrinos retira da Regra de São Bento o espírito de seu trabalho apostólico. (B). Ver páginas 269-270: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

8*.   Em Apt, na Pro­vença, re­gião da França, a Beata Del­fina, es­posa de Santo Eleázar de Sa­bran, com o qual fez voto de guardar cas­ti­dade e, de­pois da morte do seu es­poso, viveu em po­breza e de­di­cada à oração. († 1358/1360)

9*.   Em York, na In­gla­terra, os be­atos már­tires Hugo Taylor, pres­bí­tero, e Mar­ma­duco Bowes: o pri­meiro, ainda jovem, por ser sa­cer­dote, e o se­gundo, já an­cião, por tê-lo aju­dado, foram ambos con­de­nados ao su­plício do pa­tí­bulo no rei­nado de Isabel I. († 1585)

10.   Em Bi­sig­nano, na Ca­lá­bria, re­gião da Itália, Santo Hu­milde (Lucas An­tónio) Pi­rozzo, re­li­gioso da Ordem dos Frades Me­nores, cé­lebre pelo seu dom de pro­fecia e fre­quentes êxtases. († 1637)

11.   Em Roma, no con­vento de São Bo­a­ven­tura, no Pa­la­tino, São Le­o­nardo de Porto Maurício (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores, que, cheio de zelo pelas almas, passou quase toda a sua vida na pre­gação, na pu­bli­cação de li­vros de pi­e­dade e em mais de tre­zentas mis­sões pre­gadas em Roma, na ilha da Cór­sega e por toda a Itália setentrional. († 1751). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Roma, em 1751, São Leonardo de Porto Mauricio, frade franciscano, chamado ainda em vida de Apóstolo da Itália”. Propagou a devoção à Via Sacra. (M). Ver páginas 257-261: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Leonardo_de_Porto_Maurício

12.   Em Nam Dinh, ci­dade do Ton­quim, hoje no Vi­etnam, os santos Tomás Dinh Viet Du e Do­mingos Hguyen Van (Doan) Xuyên, pres­bí­teros da Ordem dos Pre­ga­dores e már­tires, que foram de­go­lados ao mesmo tempo, por ordem do im­pe­rador Minh Mang. († 1839)

13*.   Em Bas­sano, pró­ximo de Vi­cenza, na Itália, a Beata Ca­e­tana Stérni, re­li­giosa, que, tendo fi­cado viúva ainda jovem, se de­dicou to­tal­mente ao ser­viço dos po­bres e fundou a Con­gre­gação das Irmãs da Von­tade Di­vina, des­ti­nada à as­sis­tência dos po­bres e dos enfermos. († 1889)

14*.   Em Roma, o Beato Tiago Al­be­rione (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, que, in­ten­sa­mente so­lí­cito pela evan­ge­li­zação, se de­dicou com toda a sua energia a pôr ao ser­viço da so­ci­e­dade hu­mana os ins­tru­mentos da co­mu­ni­cação so­cial e para isso fundou a Con­gre­gação da Pia So­ci­e­dade de São Paulo Apóstolo. († 1971)

 15. Conforme o Martirológio Italiano de 25 de novembro, em Ale­xan­dria, no Egipto, São Pedro, bispo e mártir, que, do­tado de todas as vir­tudes, foi de­ca­pi­tado por ordem do im­pe­rador Ga­lério Má­ximo, sendo a úl­tima ví­tima e o selo dos már­tires na grande per­se­guição contra a Igreja. Com ele se co­me­moram três bispos egíp­cios – He­sí­quio, Pa­cómio e Te­o­doro – e muitos ou­tros már­tires, que, também em Ale­xan­dria, na mesma per­se­guição, cru­el­mente as­sas­si­nados ao fio da es­pada, su­biram ao Céu. († 305-311). Conforme o Martirológio Romano-Monástico de 26 de novembro, no ano do Senhor de 311, o martírio de São Pedro, bispo de Alexandria. O historiador Eusébio o saudava como “um desses pastores, divinos pela vida virtuosa e por sua sagrada eloquência”. Foi uma das últimas vítimas das perseguições romanas (M). Ver páginas 250-256: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

16. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Alexandria, igualmente, durante a mesma perseguição, os Santos Mártires Amônio, Fausta e Dio. (M)

17. Santa Magnância e Santa Máxima, virgens. Ver páginas 262-264: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

18. São Basolo, ermitão. Ver página 265: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf

19. Santo Alípio, estilita. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Alípio,_o_Estilita

20. Outros santos do dia 26 de novembro: págs. 250-273: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2020.pdf                

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 26 de novembro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/26_de_novembro  

BIBLIOGRAFIA e DIVERSOS

1.MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular