Santas e Santos de 29 de fevereiro

OBSERVAÇÕES SOBRE ANO BISSEXTO E 24 DE FEVEREIRO

  1. O QUE É ANO BISSEXTO E A IMPLANTAÇÃO DO ANO BISSEXTO. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ano_bissexto
  2. DIA 24 DE FEVEREIRO, DIA BISSEXTO. “No calendário romano era o 6º dia (VI) antes das calendas de março. Com a reforma do calendário juliano que introduziu a medida do ano de 365 dias e 1/4 do dia ou 6 horas, entrou em vigor o ciclo dos anos bissextos com 3 anos comuns de 365 dias seguidos de 1 ano com 366 dias. O dia acrescentado devia ser a repetição do dia 24 de fevereiro, o sexto dia antes das Calendas de Março. A repetição do dia expressava-se como bissexto dia antes das Calendas de Março. O termo bissexto passou a designar abreviadamente o próprio dia repetido, o dia bissexto, o mês em que tal acontece é mês bissexto e o ano é ano bissexto. A partir do século XVI com a impressão dos calendários o dia bissexto começou a ser acrescentado no fim do mês, como ainda hoje se usa.. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/24_de_fevereiro

Panegírico de todos os mártires (pelo Diácono Constantino): “…panegírico (elogio solene) de todos os mártires, composto desde os primeiros séculos da era cristã por Constantino, diácono e arquivista da igreja de Constantinopla, e do qual importante fragmento foi lido, em 787, no segundo concílio de Nicéia. Nesse eloqüente panegírico, encontrado inteiro pelo cardeal Mai, mostra-nos o autor a grande luta entre o céu e o inferno, começando no paraíso terrestre pela queda do primeiro homem, piorando depois de século em século, até a vinda do Redentor, que mudou a sorte do combate”. Ver págs. 93-123:

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

NOS ANOS BISSEXTOS

1.   Em Roma, junto à Via Ti­bur­tina, o se­pul­ta­mento de Santo Hi­lário, papa, que es­creveu cartas sobre a fé ca­tó­lica, pelas quais con­firmou os con­cí­lios de Ni­ceia, de Éfeso e de Cal­ce­dónia, enal­te­cendo o pri­mado da Sé Romana. († 468)

2.   Em Wor­cester, na In­gla­terra, Santo Os­valdo, bispo, que foi có­nego e de­pois monge; fi­nal­mente, go­vernou a Igreja de Wor­cester e mais tarde a de York, ins­ti­tuiu em muitos mos­teiros a Regra de São Bento e foi um mestre afável, ge­ne­roso, alegre e de grande sabedoria. († 992). Ver páginas 82-84: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

3*.   Em L’Áquila, nos Abruzos, re­gião da Itália, a Beata An­tónia de Florença, viúva, que foi fun­da­dora e pri­meira aba­dessa do mos­teiro do Corpo de Cristo com a ob­ser­vância da pri­meira Regra de Santa Clara. († 1472)

4.   Em Xi­lin­xian, ci­dade da pro­víncia de Guangxi, na China, Santo Au­gusto Chapdelaine, pres­bí­tero da So­ci­e­dade das Mis­sões Es­tran­geiras de Paris e mártir, que, preso pelos sol­dados com muitos neó­fitos por ser o pri­meiro a se­mear a fé cristã nesta re­gião, foi fla­ge­lado com tre­zentos açoites e me­tido numa pe­quena gaiola e fi­nal­mente morreu decapitado. († 1856). Ver páginas 78-80: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

5. São João Cassiano. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Cassiano

6. SÃO EUCENDO OU OIENDO – Abade de Condat, depois São Cláudio. Ver págs. 85-86: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

7. Santo Odilon, abade de Clugni. Ver págs. 87-92: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

8. Outros santos do dia 29 de fevereiro: págs. 82-124: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-v%203.pdf

 “E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

–  Sobre o dia 29 de fevereiro, ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/29_de_fevereiro

– Sobre o dia 28 de fevereiro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/28_de_fevereiro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

MARTIROLÓGIO DE 28 DE FEVEREIRO

OBSERVAÇÕES SOBRE ANO BISSEXTO E 24 DE FEVEREIRO

  1. O QUE É ANO BISSEXTO E A IMPLANTAÇÃO DO ANO BISSEXTO. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ano_bissexto
  2. DIA 24 DE FEVEREIRO, DIA BISSEXTO. “No calendário romano era o 6º dia (VI) antes das calendas de março. Com a reforma do calendário juliano que introduziu a medida do ano de 365 dias e 1/4 do dia ou 6 horas, entrou em vigor o ciclo dos anos bissextos com 3 anos comuns de 365 dias seguidos de 1 ano com 366 dias. O dia acrescentado devia ser a repetição do dia 24 de fevereiro, o sexto dia antes das Calendas de Março. A repetição do dia expressava-se como bissexto dia antes das Calendas de Março. O termo bissexto passou a designar abreviadamente o próprio dia repetido, o dia bissexto, o mês em que tal acontece é mês bissexto e o ano é ano bissexto. A partir do século XVI com a impressão dos calendários o dia bissexto começou a ser acrescentado no fim do mês, como ainda hoje se usa.. Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/24_de_fevereiro

Panegírico de todos os mártires (pelo Diácono Constantino): “…panegírico (elogio solene) de todos os mártires, composto desde os primeiros séculos da era cristã por Constantino, diácono e arquivista da igreja de Constantinopla, e do qual importante fragmento foi lido, em 787, no segundo concílio de Nicéia. Nesse eloqüente panegírico, encontrado inteiro pelo cardeal Mai, mostra-nos o autor a grande luta entre o céu e o inferno, começando no paraíso terrestre pela queda do primeiro homem, piorando depois de século em século, até a vinda do Redentor, que mudou a sorte do combate”. Ver págs. 93-123:

Clique para acessar o VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

1.   Co­me­mo­ração dos santos presbíteros, diá­conos e muitos outros, que, em Ale­xan­dria, no tempo do im­pe­rador Ga­lieno, quando gras­sava um surto for­tís­simo de peste, vo­lun­ta­ri­a­mente foram ao en­contro da morte ao as­sis­tirem os que eram atin­gidos pela epi­demia; por isso a pi­e­dade dos fiéis se ha­bi­tuou a ve­nerá-los como mártires. († 262). Ver páginas 74-75: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

2.   No monte Jura, na . cália Li­o­nense, hoje na França, o se­pul­ta­mento de São Romão, abade, que, se­guindo os exem­plos dos monges an­tigos, foi o pri­meiro a se­guir vida ere­mí­tica neste ermo e se tornou de­pois o pai de muitos monges. († 463). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. V, os Santos Romano ou Romão (também na Folhinha do Coração de Jesus) e Lupicínio. Depois de um período em um mosteiro lionês, onde recolheu as tradições transmitidas pelo Oriente à Provença, Romano se fixou no Jura com seu irmão Lupicínio. “Originada por seus dois fundadores”, conta seu biógrafo, “a comunidade de Condat se desenvolveu na unidade da fé e da caridade, e como uma colmeia espalhou-se, sob o sopro de Espírito Santo, pelas regiões vizinhas”. Muitas localidades guardaram, depois disto, seus nomes. (M). Ver páginas 76-77: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

3.   A co­me­mo­ração das santas Ma­rana e Cira, vir­gens, que em Be­reia, na Síria, vi­veram num lugar es­treito e fe­chado a céu aberto, sem se­quer um mo­desto manto, ob­ser­vando o si­lêncio e re­ce­bendo por uma ja­ne­linha o ali­mento necessário. († s. V).

 Nos anos bis­sextos omitem-se os seguintes:

4.   Em Roma, junto à Via Ti­bur­tina, o se­pul­ta­mento de Santo Hi­lário, papa, que es­creveu cartas sobre a fé ca­tó­lica, pelas quais con­firmou os con­cí­lios de Ni­ceia, de Éfeso e de Cal­ce­dónia, enal­te­cendo o pri­mado da Sé Ro­mana. († 468). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Papa_Hil%C3%A1rio

5.   Em Wor­cester, na In­gla­terra, Santo Os­valdo, bispo, que foi có­nego e de­pois monge; fi­nal­mente, go­vernou a Igreja de Wor­cester e mais tarde a de York, ins­ti­tuiu em muitos mos­teiros a Regra de São Bento e foi um mestre afável, ge­ne­roso, alegre e de grande sabedoria. († 992). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Inglaterra, no final do séc. X, Santo Oswaldo, que serviu a Cristo como cônego em Winchester, e depois como monge em Fleury-sur-Loire. Mais tarde foi eleito bispo de Worcester, e finalmente serviu como arcebispo de York. (X).

6*.   Em L’Áquila, nos Abruzos, re­gião da Itália, a Beata An­tónia de Florença, viúva, que foi fun­da­dora e pri­meira aba­dessa do mos­teiro do Corpo de Cristo com a ob­ser­vância da pri­meira Regra de Santa Clara. († 1472)

7.   Em Xi­lin­xian, ci­dade da pro­víncia de Guangxi, na China, Santo Au­gusto Chapdelaine, pres­bí­tero da So­ci­e­dade das Mis­sões Es­tran­geiras de Paris e mártir, que, preso pelos sol­dados com muitos neó­fitos por ser o pri­meiro a se­mear a fé cristã nesta re­gião, foi fla­ge­lado com tre­zentos açoites e me­tido numa pe­quena gaiola e fi­nal­mente morreu decapitado. († 1856). Ver páginas 78-80: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

Nos anos não bis­sextos continua-se:

8.   Em Unzen, no Japão, os be­atos Paulo Uchi­bori Sakuemon, Gaspar Ki­za­emon e sua esposa Maria Mine, Gaspar Nagai Sohan e com­pa­nheiros[1] már­tires. São estes os seus nomes: Luís Shin­za­buro, Dinis Sa­e­kieki Zenka e seu filho Luís Saeki Kizo, Da­mião Ichiyata, Leão Na­ka­jima Sokan e seu filho Paulo Na­ka­jima, João Ki­saki Kyuhachi, João Hei­saku, Tomé Uzumi Shin­goro, Aleixo Sugi Shohachi, Tomé Kondo Hyo­emon, João Araki Kanshichi. († 1627)

9*.   Em Paris, na França, o Beato Da­niel Brottier, pres­bí­tero da Con­gre­gação do Es­pí­rito Santo, que se de­dicou ple­na­mente a tra­ba­lhar em favor dos órfãos. († 1936)

10*.   No campo de con­cen­tração de Aus­chwitz, perto de Cra­cóvia, na Po­lónia, o Beato Ti­móteo Trojanowski, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Con­ven­tuais e mártir, que, du­rante a ocu­pação mi­litar da sua pá­tria por um re­gime hostil à dig­ni­dade hu­mana e à re­li­gião, es­va­ne­cido pelos su­plí­cios que teve de su­portar, con­sumou o mar­tírio por causa da sua fé cristã. († 1942)

11.   Em Milão, na Itália, o Beato Carlos Gnócchi, pres­bí­tero, que, para ajudar as cri­anças mu­ti­ladas ou de­fi­ci­entes fí­sicos e psí­quicos por causa da guerra, fundou a sua obra má­xima, a “Fun­dação Pro Iu­ven­tute”, hoje cha­mada Obra Don Gnocchi. († 1956)

12. São Justo (também na Folhinha do Coração de Jesus).

13. São Serapião (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Serapi%C3%A3o_de_Tmuis

14. No Egito, no ano do Senhor de 457, São Protério, bispo de Alexandria, morto pelos hereges eutiquianos por causa de sua fidelidade a Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (no Martirológio Romano-Monástico – M). 

– Em Alexandria, neste mesmo dia 28 de fevereiro, São Pedro Protero, bispo e mártir, patriarca de Alexandria, eleito em razão da pureza de sua doutrina. Massacrado por uma multidão hostil, os assassinos arrancaram-no da igreja de São Quirino, onde então oficiava, arrastaram-no pelas ruas, queimaram-lhe o corpo, ao vento dispersando-lhe as cinzas (457 ) .

Ver pág. 80: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

15. Outros santos do dia 28 de fevereiro: págs. 74-81: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-v%203.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 28 de fevereiro, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/28_de_fevereiro

–  Sobre o dia 29 de fevereiro, ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/29_de_fevereiro

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para  Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.