Santas e Santos de 23 de março

São Tu­ríbio de Mogrovejo (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Lima, no Peru, que era um leigo na­tural da Es­panha, pe­rito em ju­ris­pru­dência, quando foi eleito para esta sede epis­copal e partiu para a Amé­rica. Ani­mado de ar­dente zelo apos­tó­lico, per­correu fre­quen­te­mente a vasta di­o­cese, muitas vezes a pé, ve­lando as­si­du­a­mente pelo re­banho que lhe foi con­fiado; com­bateu com sí­nodos os abusos e es­cân­dalos no clero, de­fendeu vi­go­ro­sa­mente a Igreja, ca­te­quizou e con­verteu os povos na­tivos e fi­nal­mente morreu em Saña, no Peru. († 1606). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 1606, São Turíbio de Mongrovejo. Depois de ter sido durante cinco anos o primeiro magistrado de Granada, foi nomeado para a Sé episcopal de Lima, no Peru. Tocado pela triste situação social e religiosa da população indígena, ele dedicou-se a visitar sistematicamente sua imensa diocese, esforçando-se para eliminar os abusos e para construir igrejas e hospitais por onde quer que passasse. (R). Ver também págs. 228-235: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Tor%C3%ADbio_de_Mongrovejo

2.   Na Cor­nu­alha, em ter­ri­tório ac­tu­al­mente da In­gla­terra, São Fingar ou Gui­nhero, mártir. († c. 460)

3.   Co­me­mo­ração dos santos már­tires Vi­to­riano, procônsul de Car­tago, na ac­tual Tu­nísia, dois irmãos na­tu­rais de Aquae Ré­giae e também dois mer­ca­dores car­ta­gi­neses, ambos cha­mados Fru­mêncio, os quais, du­rante a per­se­guição dos Vân­dalos, sob o go­verno do rei Hu­ne­rico, por per­se­ve­rarem na con­fissão da fé cristã foram tor­tu­rados com ter­rí­veis su­plí­cios e assim re­ce­beram a coroa gloriosa. († 484). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 435, São Vitoriano, governador de Cartago, martirizado com outros quatro cristãos por ter repudiado todas as honrarias que lhe oferecia o seu chefe, o rei Hunerico dos vândalos, em troca de sua apostasia. (M). Ver página 241: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

4*.   Em Pon­toise, perto de Paris, na França, São Gualter, pri­meiro abade do mos­teiro desta lo­ca­li­dade, que, re­nun­ci­ando à sua in­cli­nação para a vida so­li­tária, en­sinou aos monges com o seu exemplo a ob­ser­vância re­gular e com­bateu os cos­tumes si­mo­níacos no clero. († 1095)

5*.   Em Ariano Ir­pino, na Cam­pânia, re­gião da Itália, Santo Otão, eremita. († c. 1120)

6*.   Em Gúbbio, na Úm­bria, também re­gião da Itália, o Beato Pedro, pres­bí­tero da Ordem dos Ere­mitas de Santo Agostinho. († c. 1306)

7*.   Em York, na In­gla­terra, o Beato Ed­mundo Sykes, pres­bí­tero e mártir, que, no rei­nado de Isabel I, so­freu o exílio em ódio ao sa­cer­dócio e, tendo re­gres­sado à In­gla­terra, foi con­de­nado ao ex­tremo su­plício do patíbulo. († 1587)

8*.   Em Naas, lo­ca­li­dade pró­xima de Du­blim, na Ir­landa, o Beato Pedro Higgins, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e mártir, que, no rei­nado de Carlos I, foi en­for­cado sem pro­cesso por per­se­verar na fi­de­li­dade à Igreja Romana. († 1642)

9.   Em Bar­ce­lona, na Es­panha, São José Oriol, pres­bí­tero, que, pela mor­ti­fi­cação cor­poral, pelo exímio culto da po­breza e pela oração con­tínua, vivia sempre em es­treita união com Deus e ani­mado de ale­gria celeste. († 1702). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Espanha, no ano da graça de 1702, São José Oriol. Graças à ajuda e à caridade de alguns padres, ele pôde, apesar de sua origem muito modesta, prosseguir seus estudos, conquistar o grau de doutor em Teologia e receber o sacerdócio. Enviado a uma paróquia de Barcelona, viveu pobremente em uma mansarda, dividindo seu tempo entre o ministério e a dedicação aos mais necessitados. (M).  Ver também págs. 236-241: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

– Ver também: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Oriol

10*.   Em Cemmo, po­vo­ação da Lom­bardia, na Itália, a Beata Anun­ciada Co­chétti, que di­rigiu com sa­be­doria, for­ta­leza e hu­mil­dade o Ins­ti­tuto das Irmãs de Santa Do­ro­teia re­cen­te­mente fundado. († 1882)

11.   Em ad-Dahr, no Lí­bano, Santa Re­beca ar-Rayyas de Himlaya (também na Folhinha do Coração de Jesus, Rebeca ou Rafka), virgem da Ordem Li­ba­nesa das Ma­ro­nitas de Santo An­tónio, que, vi­vendo cega du­rante trinta anos e de­pois atin­gida por ou­tras en­fer­mi­dades em todo o corpo, per­se­verou na oração con­tínua, con­fi­ando só em Deus. († 1914). Ver:https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Rafqa_Pietra_Choboq_Ar-Ray%C3%A8s

12*.   Em Le­o­poldov, na Es­lo­vá­quia, o Beato Me­tódio Do­mingos Trcka, pres­bí­tero da Con­gre­gação do San­tís­simo Re­dentor e mártir, cuja pe­re­gri­nação sobre a terra, em tempo de per­se­guição da fé, se trans­formou em vida eterna com o seu glo­rioso martírio. († 1959)

13. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. III, o martírio de São Nicon. Nascido em Nápoles, era ainda pagão quando entrou para o exército. Partindo mais tarde para Constantinopla, deteve-se jundo ao Bem-Aventurado Teodósio de Cisíquia que o batizou, formou na vida monástica e o fez bispo. Expulso pela perseguição junto com os discípulos de Teodósio, cuja direção lhe havia sido confiada, aportou na Sicília, onde foram todos presos e massacrados, em um dia 23 de março, durante a perseguição de Décio (M). Ver página 241; http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

14. Conta-se também neste 23 de março, o triunfo dos santos mártires Domício (também na Folhinha do Coração de Jesus) Pelágia, Aquila, Epárquio e Teodosia, em 362, mortos pela fé em Cesaréia da Palestina. http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%L%20SANTOS%20-%205.pdf

15. Conforme o Martirológio Editora Permanência, na África, São Fidélis, mártir (também na

Folhinha do Coração de Jesus).

16. Outros santos do dia 23 de março: págs. 228-243 (vol.5): http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 23 de março, ver ainda: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/23_de_mar%C3%A7o

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 277-279: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.