Santas e Santos de 28 de abril

* NOSSA SENHORA DOS PRAZERES ou NOSSA SENHORA DAS SETE ALEGRIAS (28 DE ABRIL ou 11 DE ABRIL, ou SEGUNDA-FEIRA, APÓS O 2º DOMINGO DE PÁSCOA). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_dos_Prazeres#cite_note-3 e: https://www.facebook.com/Comiss%C3%A3o-de-Festa-Nossa-Senhora-dos-Prazeres-2020-Carvalhal-562570733920893/

* NOSSA SENHORA DAS ALEGRIAS OU NOSSA SENHORA DOS PRAZERES. Ver: https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-nossa-senhora-dos-prazeres/42/102/ e também: https://joaobidu.com.br/nossa-senhora-dos-prazeres-oracao/ e: https://pt.zenit.org/articles/nossa-senhora-dos-prazeres-ou-das-alegrias/

* OBSERVAÇÃO: VER ANEXO “NOSSA SENHORA – SOLENIDADES E FESTAS”

TAMBÉM LEMBRAMOS EM 28 DE ABRIL OS SANTOS

São Pedro Chanel (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero da So­ci­e­dade de Maria e mártir, que se de­dicou ao mi­nis­tério das po­vo­a­ções ru­rais e à ins­trução das cri­anças; de­pois, en­viado com al­guns com­pa­nheiros para a evan­ge­li­zação da Oce­ania oci­dental, chegou à ilha Fu­tuna, onde ainda ne­nhuma co­mu­ni­dade cristã tinha sido cons­ti­tuída; apesar das di­fi­cul­dades de toda a es­pécie, com a sua sin­gular man­sidão con­se­guiu con­verter à fé al­guns ha­bi­tantes da ilha, entre eles o filho do pró­prio rei, que, en­fu­re­cido, o mandou matar, fa­zendo dele o pri­meiro mártir da Oceania. († 1841). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 1841, São Pedro Chanel, padre marista, originário da diocese de Belley. Primeiro missionário da Oceania, teve pouco sucesso em seu trabalho apostólico, mas, por sua morte sangrenta, obteve a conversão ao cristianismo de toda a ilha de Futuna (R). Ver páginas 329-331: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_Chanel

São Luís Maria Grig­nion de Montfort (também na Folhinha do Coração de Jesus), pres­bí­tero, que per­correu as re­giões oci­den­tais da França a anun­ciar o mis­tério da Sa­be­doria Eterna; fundou Con­gre­ga­ções, pregou e es­creveu obras sobre a cruz de Cristo e sobre a ver­da­deira de­voção à Virgem Maria e re­con­duziu muita gente a uma vida de pe­ni­tência; fi­nal­mente, em Saint-Lau­rent-sur-Sèvre, lo­ca­li­dade da França, des­cansou da sua pe­re­gri­nação terrena. († 1716). Na Folhinha do Coração de Jesus de 27/04/2020 vemos: “SÃO LUÍS MARIA GRIGNION DE MONTFORT. Nasceu no dia 31 de janeiro de 1673 na aldeia de Montfort, na França. Na idade de

iniciar os estudos, Luis Maria foi enviado ao colégio dos jesuítas. Demonstrando que estava avançando no caminho da santidade, foi transferido para estudar teologia em Paris. Depois de ordenado presbítero, em 5 de junho de 1700, o Papa Clemente XI o nomeou missionário apostólico. O ponto central do seu anúncio era o Cristo encarnado e crucificado, ensinando o caminho da santidade por Maria a Jesus. São Luís aparece como discípulo e testemunha de Cristo, revelando o lugar da Virgem Maria na história da salvação e na vida da Igreja. Morreu a 28 de abril de 1716. Deixou numerosos escritos particularmente sobre a espiritualidade mariana. Foi elevado à glória dos altares pelo Papa Pio XII no dia 20 de julho de 1947 (Frei Marcos Antônio de Andrade, OFM

Petrópolis/RJ)”. Na Folhinha do Coração de Jesus de 27/04/2008 vemos: “SÃO LUÍS MARIA

GRIGNION DE MONTFORT. Nasceu na França em 1673: uma época agitada pelas afirmações teológicas calvinistas e jansenistas. Nesse contexto, aparecem providenciais as características da vida e atividade deste santo, forjado exatamente para aquela época. É sintomático, então, o fato de ter ele escolhido por lema a devoção radical a Nossa Senhora e a reza do terço como instrumento de combate ao desnorteamento da fé. Ainda seminarista, ensinava catecismo às crianças desamparadas e, ordenado sacerdote, dedicou-se com extremo ardor à pregação das missões populares, consagrando-se à proteção de Nossa Senhora. Eis o segredo deste Santo que contribuiu na reconstrução da vida cristā em sua época (Antônio Angonese – Petrópolis/RJ)”. Ver páginas 332-335: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lu%C3%ADs_Maria_Grignion_de_Montfort

3.   Em Bi­terra, na Gália Nar­bo­nense, hoje Bé­ziers, na França, Santo Afro­dísio, ve­ne­rado como o pri­meiro bispo desta cidade. († data inc.)

4.   Em Ni­co­média, hoje Izmit, na Tur­quia, os santos Eu­sébio, Ca­ra­lampo e com­pa­nheiros, mártires. († data inc.)

5.   Em Ra­vena, na Fla­mínia, hoje na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, a co­me­mo­ração de São Vital, no dia em que, se­gundo a tra­dição, foi de­di­cada com o seu nome a cé­lebre ba­sí­lica desta ci­dade. Jun­ta­mente com os santos már­tires Va­léria (também na Folhinha do Coração de Jesus), Ger­vásio, Pro­tásio e Ur­si­cino, é ve­ne­rado desde tempos ime­mo­riais por ter de­fen­dido te­naz­mente a sua in­tré­pida fé cristã. († data inc.). São Vidal e Santa Valéria. Ver páginas 304-306: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

– Ver também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Val%C3%A9ria_de_Mil%C3%A3o

https://pt.wikipedia.org/wiki/Vital_de_Mil%C3%A3o

6.   Em Do­rós­toro, na Mésia, hoje Si­listra, na Bul­gária, os santos Má­ximo, Dada e Quin­ti­liano, már­tires du­rante a per­se­guição de Diocleciano. († s. IV in.)

7.   Em Ta­ra­zona, na His­pânia Tar­ra­co­nense, São Pru­dêncio, bispo. († s. V/VI). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IX, São Prudêncio. No começo foi eremita e evangelizou a Catalunha, antes de ser nomeado bispo. (M)

8.   Em Sul­mona, nos Abruzos, re­gião da Itália, o se­pul­ta­mento de São Pân­filo, bispo de Corfínio. († c. 700)

9*.   Em Pog­gi­bónsi, na Etrúria, hoje na Tos­cana, também na Itália, o Beato Luquésio, que, de­pois de ter sido do­mi­nado pela avidez do lucro, se con­verteu e tomou o há­bito da Ordem Ter­ceira dos Pe­ni­tentes de São Fran­cisco, vendeu os seus bens e deu tudo aos po­bres, de­di­cando-se ao ser­viço de Deus e do pró­ximo em po­breza e hu­mil­dade se­gundo o es­pí­rito evangélico. († 1260). Ver: Bem-aventurado Luquésio, confessor. Ver páginas 320-328: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

10*.   Em Sain-Lau­rent-sur-Sèvre, lo­ca­li­dade da França, a Beata Maria Luísa de Jesus (Maria Luísa Tri­chet), virgem, a pri­meira re­li­giosa a vestir o há­bito da Con­gre­gação das Fi­lhas da Sa­be­doria, que go­vernou com grande prudência. († 1759)

11.   Em Ninh-Binh, ci­dade do Ton­quim, hoje no Vi­etnam, os santos már­tires Paulo Pham Khac Khoan, pres­bí­tero, João Bap­tista Dinh Van Thanh e Pedro Nguyen Van Hieu, ca­te­quistas, que, de­pois de pas­sarem três anos presos e tor­tu­rados para que ne­gassem a fé cristã, fi­nal­mente, no tempo do im­pe­rador Minh Mang, foram de­go­lados e al­can­çaram a palma do martírio. († 1840)

12*.   No campo de con­cen­tração de Mauthausen, na Áus­tria, o Beato José Cebula, pres­bí­tero da Con­gre­gação dos Mis­si­o­ná­rios Oblatos da Virgem Ima­cu­lada e mártir, na­tural da Po­lónia, que, de­por­tado da pá­tria para o cár­cere em ódio à fé, so­freu cruéis su­plí­cios até à morte. († 1941)

13.   Em Ma­genta, pró­ximo de Milão, na Itália, Santa Joana Be­retta Molla, mãe de fa­mília, que, tra­zendo um filho ge­rado em seu ventre, morreu an­te­pondo a li­ber­dade e a vida do nas­ci­turo à sua pró­pria vida. († 1962). Ver: https://pt.wikipedia.org/wiki/Gianna_Beretta_Molla

14. Bem-aventurado Agostinho. Ver páginas 298-302: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

15. São Marcos, o galileu. Bispo e mártir. Ver página 303: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

16. Ver também dia 27 de abril. Em Cí­bali, na Pa­nónia, hoje Vin­ko­veze, na Croácia, São Po­lião, leitor e mártir, que, preso na per­se­guição do im­pe­rador Di­o­cle­ciano e in­ter­ro­gado pelo pre­feito Probo, por ter con­fes­sado com in­que­bran­tável cons­tância a sua fé em Cristo e re­cu­sado sa­cri­ficar aos ídolos, foi lan­çado às chamas e quei­mado fora dos muros da cidade. († c. 303). No Martirológio Romano-Monástico, dia 28 de abril. No vale do Danúbio, no ano do Senhor de 304, o martírio de São Polião. Ao juiz que o interrogou sobre sua religião, falou dos deveres “de humanidade para com os hóspedes, de misericórdia para com os pobres e de caridade para com todos” (Paixão – M).

– Ver também páginas 307-309: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

17. Em Alexandria, pela mesma época, a paixão de Santa Teodora, virgem. Ela respondeu ao prefeito que queria entregá-la à desonra: “Antes de tudo, devo confessar Jesus Cristo, que me concedeu a verdadeira liberdade e a verdadeira nobreza (Conforme o Martirológio Romano-Monástico – M). Santa Teodora e São Dídimo. Ver páginas 310-315: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

18. SANTOS PATRÍCIO DE PRUSA, BISPO, ACÁCIO, MENANDRO E POLIENO. Mártires. Ver páginas 316-319: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

19. Outros santos do dia 28 de abril: págs: 298-337 (vol.07):   http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%207.pdf

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores e Santas virgens.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex. ou português da época em que o livro foi escrito. 

– Sobre o dia 28 de abril, ver ainda:

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004

ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 358-360:  Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.