Santas e Santos de 27 de fevereiro

1.   Em Ale­xan­dria, no Egipto, a co­me­mo­ração dos santos Ju­lião e Euno, már­tires, na per­se­guição do im­pe­rador Décio. Ju­lião, por ser tão en­fermo de gota que não podia andar nem estar de pé, foi apre­sen­tado ao juiz, jun­ta­mente com dois servos que o le­varam numa ca­deira. Um deles, com medo, re­negou a fé; o outro, cha­mado Euno, per­se­verou com o seu se­nhor na con­fissão de Cristo. Con­du­zidos ambos por toda a ci­dade mon­tados em ca­melos, à vista de todo o povo foram fla­ge­lados até à morte. († s. III). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano da graça de 250, a paixão dos Santos Juliano, Euno e Besas (também na Folhinha do Coração de Jesus). São Dionísio de Alexandria, seu bispo e contemporâneo, relata que Juliano, doente demais para comparecer ao tribunal do prefeito, foi ali conduzido por seus dois escravos, que eram igualmente cristãos. Um deles apostatou, mas o outro, Euno, partilhou o destino de seu amo, que foi espancado e jogado na fogueira. Besas, um dos guardas, foi condenado junto com eles por ter querido protegê-los contra os insultos da multidão. (M)

2.   Também em Ale­xan­dria, no Egipto, São Besas (também na Folhinha do Coração de Jesus), mártir, que, sendo sol­dado, por ter in­ten­tado conter os que in­sul­tavam os santos már­tires an­te­ri­or­mente men­ci­o­nados, foi de­nun­ciado ao juiz e, per­se­ve­rando firme na fé, foi decapitado. († s. III)

3*.   No ter­ri­tório de Rouen, na Gália, hoje na França, Santa Ho­no­rina, virgem e mártir. († data inc.). Ver “Santa Honorina ( francês : Sainte Honorine ) é venerada como uma santa pela Igreja Católica . Ela é a mais velha e mais venerada mártir virgem da região da Normandia , na França, mas pouco se sabe sobre ela. Segundo uma tradição que existe na diocese de Rouen , Honorina, membro dos Calates , foi martirizada durante as perseguições de Diocleciano . [1] Diz-se que o local de seu martírio foi Mélamare entre Lillebonne e Harfleur . Seu corpo foi jogado no Senae teria levado para Graville-Sainte-Honorine , onde foi coletado por cristãos e enterrado em uma tumba . [1]

Outra tradição afirma que ela foi martirizada em Coulonces . [1] Outras tradições colocam o martírio de Honorina no Pays d’Auge , onde várias aldeias levam seu nome. [1]”: https://en.wikipedia.org/wiki/Honorina

4.   Em Lião, também na Gália, hoje na França, São Bal­do­miro (também na Folhinha do Coração de Jesus, São Valdomiro), sub­diá­cono, homem con­sa­grado a Deus. († c. 660). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no mesmo dia, em Lião, na França, São Galmério, monge, cuja imensa caridade o levava a se desfazer de seus instrumentos de serralheiro para aliviar as necessidades dos mais pobres que ele (M). confessor, cujo túmulo foi ilustrado por muitos milagres. Também conhecido como Baldomero, Valdimer ou Gaumier, o Santo nasceu na França, no Forez, passando, quando ainda muito jovem, para Lião. Homem deveras simples, exerceu o ofício de serralheiro, ao qual juntava a oração e a prática de boas obras. Caridoso, parte do que ganhava com o trabalho sustentava muitos pobres. Retirando-se para o mosteiro de São Justo, ali faleceu no dia 27 de janeiro de 650, como sub-diácono. Conf. pág. 71:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

5.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, os santos Ba­sílio e Pro­cópio Decapolita, monges, que, no tempo de Leão o Isáu­rico, de­fen­deram vi­go­ro­sa­mente o culto das sa­gradas imagens. († 741)

6.   No mos­teiro de Narek, na Ar­ménia, São Gre­gório (também na Folhinha do Coração de Jesus), monge e doutor da Igreja, evan­ge­li­zador dos Ar­menos, ilustre pela dou­trina, es­critos e ci­ência mística. († c. 1005)

7*.   Em Mes­sina, na Si­cília, re­gião da Itália, São Lucas, abade do mos­teiro do San­tís­simo Sal­vador, sob a regra dos monges orientais. († 1149)

8.   Em Lon­dres, na In­gla­terra, Santa Ana Line, viúva e mártir, que, de­pois de ter mor­rido o es­poso no exílio por causa da fé ca­tó­lica, con­se­guiu ar­ranjar uma casa para os sa­cer­dotes, e por isso, no rei­nado de Isabel I, foi en­for­cada no pa­tí­bulo de Ty­burn. Com ela pa­de­ceram o su­plício também os be­atos pres­bí­teros e már­tires Marcos Barkworth, da Ordem de São Bento, e Ro­gério Filcock, da Com­pa­nhia de Jesus, di­la­ce­rados à es­pada quando ainda es­tavam vivos. († 1601)

9*.   Também em Lon­dres, o Beato Gui­lherme Richardson, pres­bí­tero e mártir, que, or­de­nado em Se­vilha, na Es­panha, por causa do seu sa­cer­dócio foi en­for­cado no pa­tí­bulo de Ty­burn, sendo o úl­timo mártir do rei­nado de Isabel I. († 1603)

10*.   Em Sen­celles, lo­ca­li­dade da ilha de Mai­orca, na Es­panha, a Beata Fran­cisca Ana de Nossa Se­nhora das Dores (Fran­cisca Maria Cirer Car­bo­nell), virgem, que, não sa­bendo ler nem es­crever, mas ani­mada pelo zelo di­vino, fundou a Co­mu­ni­dade das Irmãs da Caridade. († 1855)

11*.   Em Ísola del Gran Sasso, nos Abruzos, re­gião da Itália, São Ga­briel de Nossa Se­nhora das Dores (Fran­cisco Pos­sénti), acó­lito, que, aban­do­nando a van­glória do mundo, en­trou ainda ado­les­cente na Con­gre­gação da Paixão, onde ter­minou o breve curso da sua vida. († 1862). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Ísola, Itália central, em 1867, São Gabriel da Virgem Dolorosa. Tendo entrado na congregação dos Passionistas depois de uma juventude mundana, faleceu aos 24 anos vitimado pela tuberculose, participando no corpo e na alma dos sofrimentos de Nossa Senhora das Dores. (M). Ver páginas 68-71: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver “São Gabriel das Dores[1] (também conhecido como São Gabriel da Virgem Dolorosa ou São Gabriel de Nossa Senhora das Dores), (nascido Francesco Possenti 1 de março de 1838, – 27 de fevereiro de 1862) viveu no século XIX, na cidade de Isola del Gran Sasso, na região de AbruzzoItália. Ele era conhecido por sua grande devoção às dores da virgem mãe de Cristo.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Gabriel_Possenti

12.   Em Bar­ce­lona, na Es­panha, o Beato José Tous y Soler, pres­bí­tero da Ordem dos Frades Me­nores Ca­pu­chi­nhos, fun­dador da Con­gre­gação das Irmãs Ca­pu­chi­nhas do Di­vino Pastor. († 1871)

13*.   Em Mar­selha, na França, a Beata Maria de Jesus De­luil Martiny, virgem, que fundou a Con­gre­gação das Fi­lhas do Co­ração de Jesus e, fe­rida mor­tal­mente por um homem vi­o­lento, con­cluiu com o der­ra­ma­mento do seu sangue uma vida in­ti­ma­mente unida à Paixão de Cristo. († 1884)

14*.   Em Pasto, na Colômbia, a Beata Maria da Ca­ri­dade do Es­pí­rito Santo (Maria Jo­sefa Ca­ro­lina Brader), virgem, que soube con­ci­liar ex­ce­len­te­mente a vida con­tem­pla­tiva com a ac­ti­vi­dade mis­si­o­nária e fundou a Con­gre­gação das Irmãs Fran­cis­canas de Maria Ima­cu­lada, para pro­mover a for­mação cristã do povo. († 1943)

15. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 596, São Leandro (também na Folhinha do Coração de Jesus), bispo de Sevillha. Encarregado da formação do filho do rei dos visigodos arianos, trouxe de volta toda a Igreja da Espanha para a verdade e unidade católicas. (M). Ver também págs. 39-49:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver também “São Leandro de Sevilha (Cartagenaca534 – Sevilha13 de Março de 600 ou 601). Clérigo católico, santo, nasceu numa família hispano-romana influente, foi arcebispo de Sevilha.

Teve três irmãos mais novos: (Fulgêncio de RuspeIsidoro e Florentina) todos os quais foram também canonizados.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Leandro_de_Sevilha

16. Na Diocese de Metz, perto de 975, o Bem-Aventurado João de Vandières, abade, principal estimulador de um movimento de reforma monástica que começou em Gorze e se espalhou pelas regiões da Lorena e do Reno (conf. Martirológio Romano-Monástico – M). Ver págs. 50-65:  http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

17. São Gelásio – Ver “Gelásio, idólatra, natural da Fenícia, era um dos principais atores duma companhia de comediantes de Hierápolis. É deveras interessante a história dêste Santo. Um dia, preparavam-se os atores para entrar em cena. Iam apresentar a comédia do batizado, e Gelásio faria o principal papel. E o que era bufonaria, para o idólatra comediante se transformou em salvação. Quando, no clímax da comédia, agarraram Gelásio e atiraram. com êle, de pernas para o ar, para dentro duma grande cuba cheia de água, deu-se o prodígio. Os espectadores, divertidos, riam a valer, mas Gelásio, deixando a cuba, dela saía muito sério. E, todo contrito, disse bem alto: Sou cristão! Quando estava dentro d’água vi uma cena que me apavorou. Sou cristão e quero morrer como os demais cristãos! Fui batizado por via divina! Todos riam desbragadamente. Como represefltava bem, aquele jovem! Aquilo, porém, que Gelásio dissera, não constava do papel e, pois, num instante, pelo comportamento dos outros artistas que estavam em cena, a platéia se capacitou da verdade: o moço comediante falava seriamente: era cristão de verdade. Surpresos e furiosos, deixando os lugares, lançaram-se sobre ele e o mataram. Estava-se, então, em 297 e Diocleciano, terrivelmente, imperava.”, págs. 66-67:

http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

18. Outros santos do dia 27 de fevereiro, páginas 39-73:  VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 27 de fevereiro, ver ainda: 27 de fevereiro – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 226-228:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.