Santas e Santos de 10 de março

1.   Em Apa­meia, junto ao rio Me­andro, na Frígia, hoje Hi­sarlik, na Tur­quia, a co­me­mo­ração dos santos már­tires Caio e Ale­xandre, már­tires, que, na per­se­guição dos im­pe­ra­dores Marco An­tónio e Lúcio Vero, foram co­ro­ados com glo­rioso martírio. († d. 171). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na Ásia Menor, no séc. II, São Caio, que deu testemunho de Cristo juntamente com seu companheiro, Alexandre. (M)

2.   Na África Pro­con­sular, a co­me­mo­ração de São Vítor, mártir, em cuja festa Santo Agos­tinho fez um sermão ao povo. († data inc.)

3.   Co­me­mo­ração de São Ma­cário, bispo de Je­ru­salém, por cuja exor­tação os Lu­gares Santos foram re­pa­rados e ador­nados com santas ba­sí­licas por Cons­tan­tino Magno e Santa He­lena, sua mãe. († c. 325). Ver “Em Jerusalém, São Macário, bispo e confessor, sob a instigação do qual os santos lugares foram purificados e ornados com magníficas basílicas por Constantino, o Grande, e a bem-aventurada Helena, sua mãe. Ocupando a cátedra de Jerusalém em 314, depois de Hermon, pela piedade, zêlo e conduta prudentíssima, foi um dos prelados mais ilustres daqueles tempos. Para reconhecer, entre três, qual a verdadeira cruz de Jesus, apelou para Deus: havia, na cidade, doente de doença incurável, uma judia convertida, que se viu às portas da morte. O santo bispo levou as cruzes à casa da agonizante e, ajoelhando-se, com grande ardor rogou ao Senhor que a curasse, quando se lhe tocasse com a verdadeira cruz onde o Filho, por nós, vertera seu preciosíssimo sangue. Assim, descobriu-se a verdadeira Cruz de Nosso Senhor. São Macário faleceu em 335”, página 318: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver também “Macário de Jerusalém foi bispo de Élia Capitolina entre 312 e 325. Quando a cidade retomou seu antigo nome, passou a ser bispo de Jerusalém, cargo que manteve até a sua morte por volta de 335, segundo Sozomeno, mais provavelmente 333. Atanásio, em um de seus discursos contra o arianismo, se refere a Macário como um exemplo “do estilo simples e honesto entre os homens apostólicos”… Por volta de 325 ele acompanhou Santa Helena, a mãe de Constantino, em sua bem-sucedida busca pela Vera Cruz em Jerusalém.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Mac%C3%A1rio_de_Jerusal%C3%A9m

4.   Em Roma, São Sim­plício (também na Folhinha do Coração de Jesus), papa, que, de­pois da in­vasão e des­truição da Itália e da ci­dade ro­mana pelos bár­baros, re­con­fortou os atri­bu­lados, fo­mentou a uni­dade da Igreja e for­ta­leceu a fé. († 483)

5.   Em Paris, na Gália, hoje na França, São Droc­tróvio, abade, que São Ger­mano de Autun, seu mestre, co­locou à frente do ce­nóbio de monges ins­ti­tuído nesta cidade. († c. 580). No Martirológio Romano-Monástico, São Droctoveu, primeiro abade do mosteiro que tomou mais tarde o nome de São Germano, bispo de Paris. Adotando a Regra Beneditina no séc. VII, a Abadia de Saint-Germain-des-Prés foi associada à congregação de São Mauro no séc. XVII, e tornou-se centro de notáveis trabalhos de erudição a serviço da Igreja e da sociedade (M). Ver também “Em Paris, festa de São Drotoveu, abade, que foi discípulo de São Germano, bispo. Conhecido também como São Droteu, nasceu em Auxerre em 530. Primeiro abade do mosteiro de São Vicente, faleceu em 576, com quarenta e seis anos de idade.”, página 318: VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

6.   No mos­teiro de Bóbbio, na Li­gúria, ac­tu­al­mente na Emília-Ro­manha, re­gião da Itália, Santo Atala, abade, in­signe ani­mador da vida ce­no­bí­tica, que se re­tirou pri­meiro para o mos­teiro de Lé­rins e de­pois para o de Lu­xeuil, onde su­cedeu a São Co­lum­bano, ma­ni­fes­tando sempre grande zelo e discernimento. († 626). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no ano do Senhor de 626, Santo Atala, abade. Sucessivamente monge em Lérins e em Luxeuil, seguiu São Columbano e o sucedeu em Bobbio no cargo abacial. (M)

7.   Em Glasgow, na Es­cócia, São João Ogilvie, pres­bí­tero da Com­pa­nhia de Jesus e mártir, que, de­pois de vá­rios anos con­sa­grados ao es­tudo da sa­grada te­o­logia, exi­lado em di­versos reinos da Eu­ropa, foi or­de­nado sa­cer­dote e re­gressou clan­des­ti­na­mente à pá­tria, onde exerceu in­tensa ac­ti­vi­dade pas­toral junto dos seus com­pa­tri­otas, até que, preso e con­de­nado à morte no rei­nado de Jaime I, al­cançou no pa­tí­bulo a coroa glo­riosa do martírio. († 1615). Ver “Em 10 de março de 1615, com 36 anos de idade, ele foi paradeado pelas ruas de Glasgow, enforcado e estripado, como era costume na época, em Glasgow Cross. Suas palavras finais foram “Se há ainda católicos escondidos, que rezem por mim, pois as preces dos heréticos eu não terei.” Após ele ter sido empurrado no cadafalso, ele atirou um rosário para o público. A história continua afirmando que um de seus inimigos pegou-o e se tornou, a partir daí, um devoto católico. Após a sua execução, os seguidores de Ogilvie foram capturados e presos, sendo obrigados a pagar pesadas multas sem, no entanto, mais condenações à morte. Como mártir da Reforma Escocesa e da Contra-Reforma, ele foi beatificado em 1929 e canonizado em 1976. Ele é o único santo pós-Reforma da Escócia.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Ogilvie

8*.   Em Paris, na França, Santa Maria Eu­génia de Jesus (Ana Mil­leret de Brou), virgem, fun­da­dora da Con­gre­gação das Irmãs da As­sunção, des­ti­nada à edu­cação cristã das jovens. († 1898)

9*.   Perto de Cor­tázar, ci­dade do Mé­xico, o Beato Elias do So­corro (Ma­teus Elias Ni­eves del Cas­tillo), pres­bí­tero da Ordem dos Frades de Santo Agos­tinho e mártir, que, en­car­ce­rado du­rante a per­se­guição por exercer se­cre­ta­mente o mi­nis­tério pas­toral, foi fu­zi­lado em ódio ao sacerdócio. († 1928)

10♦.   Em Fresne-le-Châ­teau, lo­ca­li­dade da França, o Beato João José Lataste, pres­bí­tero da Ordem dos Pre­ga­dores e fun­dador da Con­gre­gação da Irmãs Do­mi­ni­canas de Betânia. († 1869)

11. Já mencionados em 09 de Março, no Martirológio Romano-Monástico, são lembrados dia 10 de março os quarenta jovens militares, de diferentes nacionalidades que, segundo São Basílio, se apresentaram um após o outro após o chamado do juiz, sob o nome de “Cristão”, acrescentando: “se tantos dos nossos companheiros morreram sob um príncipe mortal, não abandonaríamos nós nossa vida pelo soberano do mundo?”… O carcereiro deles completou-lhes o número ao substituir um apóstata, e recebeu também ele a coroa do martírio distribuída pelos Anjos (M).

– Em Se­baste, na an­tiga Ar­ménia, hoje Sivas, na Tur­quia, a paixão dos santos qua­renta sol­dados da Capadócia, que, unidos não pelo sangue mas pela fé e obe­di­ência à von­tade do Pai ce­leste, no tempo do im­pe­rador Li­cínio, de­pois de so­frerem os cár­ceres e ou­tros cruéis tor­mentos, foram ex­postos nus ao ar livre du­rante um in­verno ex­tre­ma­mente frio e obri­gados a passar a noite num lago  ge­lado; fi­nal­mente, foram-lhes que­bradas as pernas e assim con­su­maram o seu glo­rioso martírio. († 320).

– Conforme o Martirológio Ed. Permanência, os mais ilustres desses quarenta mártires eram Círion e Cândido (também na Folhinha do Coração de Jesus, de 09 de março).

– Ver também … “A festa dos quarenta mártires de Sebaste foi colocada no dia 10 de março, para ceder o dia 9 a Santa Francisca de Roma (ou Francisca Romana), cuia festa é mais solene.” Conforme VIDAS DOS SANTOS, págs. 300-309: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

12. Santa Anastácia, a Patrícia. Também chamada Anastácio, o Eunuco. Sua história nas págs. 312-314: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

– Ver também “Anastácia, a Patrícia (em latimAnastasia Patricia) foi esposa de um cônsul romano e dama de companhia da imperatriz bizantina TeodoraJustiniano I, o marido de Teodora, a perseguiu e despertou assim o ciúme de Teodora. Anastácia tentou evitar mais problemas e fugiu para o Egito, para um lugar chamado Pempton, perto de Alexandria, onde ela fundou um mosteiro que seria futuramente batizado em sua homenagem… A história de Anastácia chegou até nós em uma versão do Sinaxário coptaárabe e através da história de Daniel de Scetis. Ela foi reconhecida em tempos modernos pela comunidade GLS como um exemplo de santo transgênero[1].”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Anast%C3%A1cia,_a_Patr%C3%ADcia

13. Santo Himelino, confessor.Ver “Santo Himelino, dizem, era parente de São Rumoldo, o apóstolo da Bélgica e primeiro bispo de Malines,”. Sua história nas págs. 315-318: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

14.  Em Corinto os santos mártires Codrato, Dinis (também na Folhinha do Coração de Jesus) Cipriano, Anecto, Paulo e Crescêncio (também na Folhinha do Coração de Jesus) que o Presidente Jasão fez passar pelo fio da espada, durante a perseguição de Décio e de Valeriano. Ver pág. 319: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

15. São Kessoc, bispo e confessor. Ver “… Sao Kessoc pregou o Evangelho na Escócia e chegou a bispo, falecendo em 560.” páginas 310-311: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%204.pdf

16. Outros santos do dia 10 de março: páginas 300-319:  VIDAS DOS SANTOS – 4.pdf (obrascatolicas.com)

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XXI – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

Sobre 10 de março, ver ainda: 10 de março – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS 251-253:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

MUITO OBRIGADO!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.(últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.