Santas e Santos de 21 de março

1.   No Egipto, São Se­ra­pião, anacoreta (monge cristão ou eremita que vive em retiro, solitariamente, especialmente nos primeiros tempos do cristianismo). († data inc.). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, na mesma época (séc. IV) o bem-aventurado Serapião, bispo de Thmuis, que foi expulso de sua Sé episcopal por causa da ortodoxia de sua fé. O célebre Eucológio, perpetuado sob seu nome, constitui um precioso documento da liturgia egípcia do séc. IV (M).

São Serapião de Tmuis. Ver “Serapião de Tmuis foi um monge egípcio de grande erudição e muito inteligente. Por certo período ele dirigiu a famosa Escola Catequética de Alexandria, mas renunciou de modo a ter mais tempo para as orações e reflexões. Lutou contra o macedonianismo e o arianismo. É considerado um santo e faleceu em 370… Acima de tudo São Serapião tornou-se conhecido por causa de um escrito sacramentário de sua autoria chamado Eucológio, que foi descoberto e publicado em 1899. Esta coleção de orações litúrgicas foi traduzido para várias línguas, inclusive o inglês, e era destinado primeiramente aos bispos. Não obstante, é muito usado pelo publico em geral em todo o oriente e pela Igreja Copta.”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Serapi%C3%A3o_de_Tmuis

– Ver também “santo do dia 21/03/2020: Ele foi gigante ao lado de Atanásio no combate ao arianismo e foi grande inimigo dos maniqueus. Escreveu um livro Contra os maniqueus, que Facundo de Ermiana erroneamente atribuiu a Atanásio.

Não parece todavia que seja de Serapião ou pelo menos não é de sua autoria a última redação do Eucológio (30 orações litúrgicas) importante para a liturgia egípcia do século IV. São Jerônimo, que dedicou um capítulo do seu Homens ilustres a Serapião, definindo-o escolástico pela sua ciência, nos informa que escreveu muitas cartas a várias pessoas. Diz-se que estava entre os cinco bispos que formaram uma comissão e foram ao imperador Constâncio II interceder por Atanásio. A missão fracassou e Serapião foi deposto da Sede pelos arianos. Morreu pouco depois de 362 e sua festa foi fixada em 20 de março – VER ABAIXO – no Martirológio Romano.

”: https://www.paulus.com.br/portal/santo/sao-serapiao-de-thmuis-bispo/#.X6_HmchKhnI

– Ver “21 de marçoEsse bispo desempenhou suas funções como poucos, morrendo em 362. O Martirológio Romano indica o dia 21 de março para a veneração litúrgica de São Serapião de Thmius.

*Fonte: Pia Sociedade Filhas de São Paulo Paulinas http://www.paulinas.org.br

 ”: http://www.arquisp.org.br/liturgia/santo-do-dia/sao-serapiao-de-thmuis

– Ver  “”: https://books.google.com.br/books?id=AQ37vFgm_fwC&pg=PA74&lpg=PA74&dq=eucol%C3%B3gio+de+S%C3%A3o+Serapi%C3%A3o&source=bl&ots=JMlkdJJ3pY&sig=ACfU3U1ET3kzslIhRGv2ZLI82YzzsmO4mQ&hl=pt-BR&sa=X&ved=2ahUKEwifsOv9hYLtAhUxILkGHUJQDmw4ChDoATAEegQICRAC#v=onepage&q=eucol%C3%B3gio%20de%20S%C3%A3o%20Serapi%C3%A3o&f=false

2.   Co­me­mo­ração dos santos már­tires de Alexandria, que, no tempo do im­pe­rador Cons­tâncio e do pre­feito Fi­lá­grio, dentro das igrejas in­va­didas por ari­anos e pa­gãos, foram mortos na Sexta-Feira da Paixão do Senhor. († 339). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. IV, o martírio de Vários Cristãos Egípcios, massacrados pelos arianos e pelos pagãos no dia da comemoração da Páscoa do Senhor. (M). Ver “em Alexandria, a festa de vários santos mártires, que, sob o imperador Constâncio e o prefeito Filagro, foram massacrados na igreja, no dia de Sexta-Feira Santa, numa irrupção de arianos e de pagãos. As santas virgens, escreveu Atanásio, foram tratadas. da maneira mais indigna, os monges tiveram os pés queimados, e os demais cristãos cruelmente tratados, vergastados e, afinal, atirados no cárcere. Atanásio, que escapou do motim, descreveu a cena numa carta encíclica em 339.)”, às páginas 203-204: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

3.   Em Lau­conne, na Gália Li­o­nense, ac­tu­al­mente na França, o dia natal de São Lu­pi­cino, abade, que, com o seu irmão São Romão, se­guiu a ob­ser­vância da vida mo­nás­tica nos montes Jura. († 480)

– Na região lionesa, São Lupicínio, abade (também na Folhinha do Coração de Jesus), muito celebrado pela vida santa e a glória dos milagres. Irmão de Romano, a êle juntou-se na fundação de dois mosteiros, falecendo em 480. Enterrado em Lauconne, os beneditinos honram-no como santo de sua ordem. Ver página 204: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

4*.   Na Ir­landa, Santo Endeu, abade, que fundou na ilha de Aran um ce­nóbio tão cé­lebre que, pela sua fama, era cha­mada ilha dos Santos. († c. 542). Ver página 204: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

Ver Santo Enda de Aran “Santo Enda de Aran (em irlandêsÉannaÉinne) foi um rei e monge irlandês. É considerado um dos pais do monasticismo irlandês, junto de São Finnian de Clonard.”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nicolau_de_Fl%C3%BCe

5.   Em Mon­te­cas­sino, na Itália, o dia natal de São Bento, abade (21 de março), cuja me­mória é ce­le­brada no dia onze de julho. († 547). Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Monte Cassino, no ano da graça de 547, a morte do nosso Bem-Aventurado Pai São Bento. Nascido em Núrsia perto de 480, interrompeu os estudos que fazia em Roma, para dedicar-se à vida monástica. Depois de três anos passados na solidão em Subiaco, com o único desejo de “agradar somente a Deus”, fundou muitos mosteiros e escreveu a Regra dos Monges, na qual ensina seus discípulos como “glorificar a Deus em todas as coisas” (B). Me­mória de São Bento, abade (dia 11 de julho), que, nas­cido em Núrsia, na Úm­bria, e edu­cado em Roma, ini­ciou a vida ere­mí­tica na re­gião de Su­biaco, con­gre­gando à sua volta muitos dis­cí­pulos; de­pois di­rigiu-se para Cas­sino, onde fundou o cé­lebre mos­teiro e compôs a Regra que se di­fundiu por tantas re­giões que ele pôde ser cha­mado o pa­tri­arca dos monges no Oci­dente. Morreu, se­gundo a tra­dição, no dia 21 de março. († 547). Ver mais sobre São Bento às páginas 188-202: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

* EM 11 DE JULHO: Me­mória de São Bento (também na Folhinha do Coração de Jesus), abade (11 de julho), que, nas­cido em Núrsia, na Úm­bria, e edu­cado em Roma, ini­ciou a vida ere­mí­tica na re­gião de Su­biaco, con­gre­gando à sua volta muitos dis­cí­pulos; de­pois di­rigiu-se para Cas­sino, onde fundou o cé­lebre mos­teiro e compôs a Regra que se di­fundiu por tantas re­giões que ele pôde ser cha­mado o pa­tri­arca dos monges no Oci­dente. Morreu, se­gundo a tra­dição, no dia 21 de Março. († 547). Em Mon­te­cas­sino, na Itália, o dia natal de São Bento, abade, cuja me­mória é ce­le­brada no dia onze de Julho. († 547)

– Ainda conforme o Martirológio Romano-Monástico (de 11 de julho), Solenidade de nosso Bem-Aventurado Pai São Bento. “Homem de vida venerável, deixou a casa e os bens paternos movido pelo desejo de agradar somente a Deus, e procurou o santo hábito do monaquismo. Escreveu uma Regra dos Monges notável pelo espírito de discernimento e clara pela linguagem” (São Gregório Magno), que fez dele o pai dos monges do Ocidente (R).

6.   Em Cons­tan­ti­nopla, hoje Is­tambul, na Tur­quia, a paixão de São Tiago Confessor, que lutou ar­du­a­mente pelo culto das sa­gradas ima­gens e ter­minou a sua vida com um glo­rioso martírio. († c. 824)

7.   Em Va­lence, no ter­ri­tório de Vi­enne, na França, São João, bispo, an­te­ri­or­mente abade de Bon­ne­vaux, que so­freu muitas ad­ver­si­dades pela de­fesa da jus­tiça e ajudou com exímia ca­ri­dade os cam­po­neses, os po­bres e os mer­ca­dores ar­rui­nados pelas dívidas. († c.1145)

8.   Na re­gião mon­ta­nhosa de Ranft, perto de Sa­ch­seln, na Suíça, São Ni­colau de Flüe (também na Folhinha do Coração de Jesus), que, cha­mado por ins­pi­ração ce­leste a uma con­dição de vida mais per­feita, se se­parou da es­posa e dos dez fi­lhos e foi viver num monte como ana­co­reta. Fa­moso pela du­rís­sima pe­ni­tência e iso­la­mento do mundo, apenas uma vez saiu da so­lidão, quando, pe­rante a ameaça da guerra civil, com uma breve exor­tação con­ci­liou os adversários. († 1487). Em 25 de setembro no Martirológio Romano-Monástico: “Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 1487, São Nicolau de Flue.  Casado e pai de família, deu aos cinquenta anos sua casa, esposa e seus filhos, de acordo com o conselho evangélico, pelo nome de Cristo. Por sua sabedoria e sua oração conseguiu salvar, um dia, a unidade e a independência dos cantões da Confederação Helvética, da qual mereceu ser proclamado o patrono celeste. (F).”. Ver também páginas 390-411: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

– Ver ainda “Nicolau de Flüe (em alemãoNiklaus von FlüeFlueli21 de março de 1417 – Sachseln21 de março de 1487) foi um eremitaasceta e místico suíço. É considerado o santo padroeiro da Suíça e algumas vezes invocado como “Irmão Klaus”.

Foi canonizado em 1947 por Pio XII[1].”: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Nicolau_de_Fl%C3%BCe

9*.   Em Dor­chester, na In­gla­terra, o Beato Tomás Pilchard, pres­bí­tero e mártir, homem culto e afável, que, no rei­nado de Isabel I, foi con­de­nado ao su­plício da forca em ódio ao sa­cer­dócio. Com ele co­me­mora-se também Gui­lherme Pike, mártir, um car­pin­teiro, que no mesmo lugar e em dia des­co­nhe­cido, por ordem da mesma rainha foi cru­de­lis­si­ma­mente dis­se­cado por se ter re­con­ci­liado com a Igreja Romana. († 1591).

– Ver “Em Dorchester, na Inglaterra, o Beato Thomas (Thomas) Pilchard, sacerdote e mártir, homem culto e manso, que no tempo da Rainha Elizabeth I foi condenado à morte por ser padre. Também comemora o Beato William (William) Pike, um mártir, carpinteiro de profissão, que na mesma cidade e em dia desconhecido, sob a mesma rainha, foi despedaçado com grande crueldade por ter se reconciliado com a Igreja Romana.”: https://www.santopedia.com/santos/beato-tomas-pilchard

10*.   Em York, também na In­gla­terra, o Beato Ma­teus Flathers, pres­bí­tero e mártir, que tendo sido aluno do Co­légio dos In­gleses de Douai, no rei­nado de Jaime I foi di­la­ce­rado vivo pela sua fi­de­li­dade a Cristo. († 1608)

11.   Em Si­chuan, pro­víncia da China, a co­me­mo­ração de Santo Agos­tinho Zhao Rong, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a per­se­guição, foi preso e morto pelo nome de Cristo num dia in­certo de primavera. († 1815).

Ver 09 de julho: Agostinho Zhao Rong (1746-1815), um padre diocesano, foi considerado o primeiro mártir nativo chinês. O seu processo de conversão iniciou-se quando, em 1785, fez parte de um grupo de guardas que escoltou o prisioneiro e padre Gabriel-Taurin Dufresse a Pequim. Também contribuiu para a sua conversão o seu contacto com o padre Jean-Martin Moye, que foi beatificado em 1954. Posteriormente, foi baptizado e tornou-se padre, acabando por desenvolver a sua missão em Yunnan, junto da minoria étnica Yi ou Lolo. Foi preso e severamente torturado, acabando por morrer na prisão uns dias mais tarde, no dia 21 de Março de 1815, em Chengdu.[2][7]Os 120 Mártires da China, ou Agostinho Zhao Rong e 119 Companheiros, mártires na China, são mártires católicos da China e santos da Igreja Católica canonizados no dia 1 de Outubro de 2000 pelo Papa João Paulo II.

Entre 1648 e 1930, 87 chineses e 33 missionários ocidentais (incluindo sete religiosas) foram martirizados simplesmente por serem católicos e, em vários casos, pela sua recusa a apostatar. Muitos morreram no Levante dos Boxers (1899-1900), em que camponeses e ultra-nacionalistas chineses xenófobos mataram milhares de cristãos chineses, missionários e outros estrangeiros ocidentais. Na Igreja Católica, os 120 mártires chineses são lembrados todos os anos no dia 9 de Julho como uma memória facultativa.[1][2]”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Os_120_M%C3%A1rtires_da_China

12*.   Em Ronco Scrívia, na Li­gúria, re­gião da Itália, Santa Be­ne­dita Cam­biágio Fras­si­nello, que de acordo com o es­poso re­nun­ciou à vida con­jugal e fundou o Ins­ti­tuto das Irmãs Be­ne­di­tinas da Pro­vi­dência, para a for­mação das jo­vens po­bres e abandonadas. († 1858)

– Ver “Em Benedita Cambiagio Frassinello (02/10/1791-21/03/1858) a Igreja nos mostra um exemplo de Santa, esposa, madre, religiosa e fundadora. Ela deixou-se conduzir pelo Espírito através da experiência matrimonial, a de educadora, e a de consagração religiosa, até fundar junto com o marido uma congregação que é o único caso na história da Igreja... Vive no matrimônio dois anos, e depois tem a alegria de realizar, em esse estado, o aspecto profundo e sublime da virgindade espiritual. De acordo com o marido, atraído pela santidade de Benedita, segue o ideal dela e moram juntos como irmãos… Preocupam-se com singular amor pela irmã Maria, gravemente doente de câncer intestinal e hospedada na casa deles. Benedita e José experimentam então uma maternidade e paternidade espirituais sobrenaturais, na fidelidade ao amor conjugal sublimado. Em 1825, quando Maria morre, João Batista Frassinello entra na comunidade religiosa dos Somascos e Benedita na comunidade das Irmãs Ursulinas de Capriolo. (Viveu) Amor conjugal exclusivamente consagrado a Deus… No dia 21 de março de 1858, Benedita morre santamente em Ronco Scrivia, no dia e hora por ela previstos. Ao redor dela acorre um grande número de pessoas para uma última manifestação de estima e chorar aquela que consideravam uma Santa.

Benedita pode ser proposta como modelo e intercessora:

– às pessoas consagradas: para imitar a Cristo no abandono a amorosa Providência;

– aos esposos: na total partilha para uma mais profunda maternidade e paternidade;

– aos jovens: Cristo fonte de alegría e ideal de vida;

– aos educadores: prevenir, compreender, abrir horizontes;

– às famílias que experimentam momentos de dificuldades: para que saibam aceitar as dificuldades quando obrigados a se mudar do lugar de origem; a acolher na família a doença e ajudar eles a morrer serenamente.”: https://www.vatican.va/news_services/liturgy/2002/documents/ns_lit_doc_20020519_benedetta_po.html

13♦.   Em Ato­to­nilco, perto de Gua­da­la­jara, re­gião de Ja­lisco, no Mé­xico, o Beato Mi­guel Gómez Loza, pai de fa­mília e mártir. († 1928).

– Ver “…vida intensa de Miguel Gomez Loza, leigo, altamente empenhada na Igreja… Corajoso, ousado, criativo, apaixonado, consistente e fiel. Não lhe custou progredir nas missões de responsabilidade dentro dos movimentos defensores da Igreja. Irmanado com o Beato Anacleto González, ambos lideraram a Associação Católica sendo referências irrepreensíveis ​​para jovens mexicanos… No dia 21 de março, em um lugar perto de Atotonilco, ele não conseguiu escapar ao cerco dos militares e foi fuzilado com tiros no peito e nas costas, junto com seu secretário Dionisio Vázquez. Antes destruiu a documentação que continha a identidade dos membros que compunham seu grupo. O Papa Bento XVI o beatificou no dia 20 de novembro de 2005 junto com outros mártires mexicanos, incluindo Anacleto.”: http://coisasdesantos.blogspot.com/2018/03/21-de-marco-beato-miguel-gomez-loza.html

– Ver também “Miguel Gomez Loza  (11 de agosto de 1888-21 de março de 1928) foi um líder dos Cristeros durante a Guerra Cristero da década de 1920 no México .”: https://historica.fandom.com/wiki/Miguel_Gomez_Loza

– Ver Os cristeros  “Os  Cristeros eram rebeldes católicos conservadores  que se levantaram contra o governo secular do México durante a Guerra Cristero de 1926-1929. O grito de guerra deles foi ¡Viva Cristo Rey! ¡Viva la Virgen de Guadalupe! (“Viva Cristo Rei ! Viva a Virgem de Guadalupe!”), E a maioria de seus soldados eram camponeses fortemente religiosos. Os Cristeros tinham como alvo os professores em ataques, já que eram culpados pelo ateusistema educacional do país. Os Cristeros tiveram muito sucesso durante a guerra, mas muitos deles foram massacrados pelo governo. O resultado final da guerra foi a ligeira flexibilização das leis anticlericais , embora algumas continuassem em vigor até 1992.”: https://historica.fandom.com/wiki/Cristeros

14. BEM-AVENTURADA SANTUCCIA TERREBOTTI, viúva (também na Folhinha do Coração de Jesus). Ver página 204: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

– Ver também “Beata Santuccia Terrebotti,
Festa: 21 de março
Nasceu em Gubbio, Umbria, Itália;
Morreu em 1305.
Santuccia casou-se e deu à luz uma filha que morreu jovem. Ela e o marido concordaram mutuamente em se separar e entrar na vida religiosa. Tornou-se beneditina em Gubbio e tornou-se abadessa. Com ela, a comunidade migrou para Santa Maria na Via Lata, no Caminho Juliano, em Roma. Lá ela inaugurou uma adesão mais estrita para viver a Regra Beneditina, embora as irmãs sejam geralmente chamadas de Servas de Maria, popularmente chamadas de Le Santuccie”: http://cherpushpum.blogspot.com/2019/11/blessed-santuccia-terrebotti.html

– Ver também “A Beata Santuccia Terre Botti nasceu em Gubbio, Umbria, Itália. Ela era casada e mãe de uma filha que morreu na infância. Ela e o marido concordaram em se separar, cada um entrando na vida religiosa. Santuccia tornou-se freira beneditina em Gubbio, Itália. Santuccia era a chefe das freiras de sua casa. Ela mudou sua comunidade para Santa Maria na Via Lata, a Via Iulia em Roma, Itália, onde viviam em estrita observância da Regra Beneditina e ficaram conhecidas como Servas de Maria ou Le Santucci.”: https://catholicreadings.org/saint-santuccia-terrebotti-saint-of-the-day-march-21/

– Ver A Beata Santuccia Terrebotti (-1305) “A Beata Santuccia Terrebotti nasceu em Gubbia, Unbria, Itália. Ela se casou e deu à luz uma filha que morreu muito jovem. Ela e o marido concordaram em se separar e ir para um convento, cada um por sua conta. Foi assim que Santuccia se tornou uma mulher beneditina em Gubbio e acabou sendo eleita abadessa lá. Sob sua liderança, a comunidade mudou-se para Santa Maria na Via Lata, na Via Iulia em Roma. Lá ela estabeleceu uma observância mais estrita da regra beneditina. Ela morreu em 1305. As irmãs são geralmente chamadas de Servas de Maria ou Le Santuccie .”: https://www.katolsk.no/biografier/historisk/sterrebo

15. Em Catânia, São Berilo (também na Folhinha do Coração de Jesus), ordenado bispo por São Pedro; morreu calmamente, em extrema velhice, após ter convertido grande número de infiéis. Ver página 205: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%205.pdf

16. Outros santos do dia 21 de março: págs. 188-205 (vol.5)VIDAS DOS SANTOS – 5.pdf (obrascatolicas.com)

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 21 de março, ver ainda21 de março – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia – Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/

2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi e Caterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINA 273-275:

Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-content/uploads/sites/8/2017/09/21/Martirologio-Romano.pdf

3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%201.pdf

4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para Brasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997

5. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livraria on line – www.editorapermanencia.com

6. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Maria, proteja-nos!

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós!

Amém!

* PAI AMADO DÊ-NOS, À NOSSA FAMÍLIA E A TODOS OS QUE O SENHOR JÁ CHAMOU E OS QUE ESTÃO AQUI, A GRAÇA DE ESTARMOS COM O SENHOR, A MÃEZINHA MARIA, SÃO JOSÉ E TODAS AS SANTAS E SANTOS QUANDO O SENHOR NOS CHAMAR TAMBÉM! DÊ-NOS A SUA GRAÇA! OBRIGADO PAI AMADO! PEDIMOS POR JESUS CRISTO, SEU FILHO, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!  NÓS CONFIAMOS NO SENHOR! AMÉM!

* OBSERVAÇÃO: MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DE SANTAS/OS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES.

CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDEI POR NÓS!

* “O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

* “Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio, lembrado em 10 de fevereiro)

* “Ó meu Deus, sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

* “Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo, na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

* Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

Ver:

https://vidademartiressantasesantos.blog/

MUITO OBRIGADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.