Santas e Santos de 24 de agosto

1. Festa de São Bar­to­lomeu (também na Folhinha do Coração de Jesus), Após­tolo, ge­ral­mente iden­ti­fi­cado com Na­ta­nael, que, nas­cido em Caná da Ga­li­leia, foi con­du­zido por Fi­lipe a Jesus Cristo junto ao rio Jordão, onde o Se­nhor o chamou para que O se­guisse e o agregou aos Doze. Se­gundo a tra­dição, de­pois da As­censão do Se­nhor pregou o Evan­gelho na Índia e aí foi co­roado pelo martírio.

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, festa de São Bartolomeu, Apóstolo. Originário de Caná, Bartolomeu ou Natanael, foi apresentado por Filipe, seu íntimo amigo, a Jesus que o saudou como “um israelita sem artifícios”. Imediatamente proclamou sua fé em Cristo “Filho de Deus e Rei de Israel”, e foi contado entre os Doze. Depois da Ressurreição, participou da pesca milagrosa. Segundo a tradição, evangelizou a Armênia, que o tem como seu apóstolo. (R).

– Ver páginas 192-196 e página 200: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Ver também “… São Bartolomeu ou São Bartolomeu Apóstolo, também chamado de Natanael (em grego antigo: Βαρθολομαῖος, em hebraico: ברתולומאוס הקדוש‎) foi um dos doze apóstolos de Jesus Cristo, segundo o Novo Testamento e, mais especificamente, os quatro Evangelhos.

Seu nome vem do aramaico, com uma referência patronímica: Bar Talmay – filho de Talmay. Há historiadores que também mantêm uma referência patronímica, mas dá outro significado para o nome: Bar Ptolomeu – Filho de Ptolomeu. Esta última hipótese não é inverossímil, visto que Ptolomeu (suposto pai de Bartolomeu) possuía um prenome grego, e a cultura grega tinha uma grande influência na Judeia da época e em todo território

Nenhuma narração bíblica trata dele especialmente, e seu nome consta apenas nas listas dos doze. No entanto, segundo a tradição, ele é o Natanael de que falam outras passagens, e isso fica evidente através da comparação entre os quatro Evangelhos. Natanael significa “Deus deu” – o significado desse nome fica claro levando-se em conta que ele vinha de Caná, onde deve ter testemunhado a ação de Jesus nas Bodas de Caná (Jo 2, 1-11).

Como narra a BíbliaSão Filipe comunicou a Natanael (São Bartolomeu) que havia encontrado o Messias, e que esse provinha de Nazaré, ao que Natanael responde dura e preconceituosamente: “De Nazaré pode vir alguma coisa boa?” (Jo 1, 46a). Essa observação é importante indicador das expectativas judaicas quanto à vinda do Messias, então tidas.

No seu primeiro encontro com Jesus, recebe um elogio: “Aqui está um verdadeiro Israelita, em quem não há fingimento” (Jo 1, 47), ao qual o apóstolo responde: “Como me conheces?”. Jesus responde de forma que não podemos compreender claramente somente através das Escrituras: “Antes que Filipe te chamasse, eu te vi quando estavas sob a figueira”. Com certeza se tratava de um momento crítico e decisivo na vida de Natanael. Após essa revelação de Jesus, Natanael faz a sua adesão ao Mestre com a seguinte profissão de fé: “Rabi, tu és o filho de Deus, tu és o Rei de Israel”.

Segundo fontes históricas, São Bartolomeu teria pregado o cristianismo até na Índia. Outra tradição diz que o apóstolo morreu por esfolamento em Albanópolis, atual Derbent, na província russa de Daguestão junto ao Cáucaso, a mando do governador, tanto que na Capela Sistina ele é pintado segurando a própria pele na mão esquerda e na outra o instrumento de seu suplício, um alfange. Segundo a Igreja Católica, mais tarde suas relíquias foram levadas para a Europa e jazem em Roma, na Igreja a ele dedicada.

Papa Bento XVI na audiência do dia 4 de outubro de 2006 disse estas palavras que concluem o ensinamento da vida de São Bartolomeu: “Para concluir, podemos dizer que a figura de São Bartolomeu, mesmo sendo escassas as informações acerca dele, permanece contudo diante de nós para nos dizer que a adesão a Jesus pode ser vivida e testemunhada também sem cumprir obras sensacionais. Extraordinário é e permanece o próprio Jesus, ao qual cada um de nós está chamado a consagrar a própria vida e a própria morte”…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Bartolomeu,_o_Ap%C3%B3stolo

2.   Em Clau­dió­polis, ci­dade da Ho­no­ríade, hoje Bolu, na Tur­quia, São Ta­cião, mártir. († data inc.)

3.   Em Clichy, no ter­ri­tório de Paris, na ac­tual França, o pas­sa­mento de Santo Au­deno, bispo de Rouen, que, dei­xando o cargo de con­se­lheiro do rei Da­go­berto, foi ele­vado ao epis­co­pado e go­vernou com su­cesso a sua Igreja du­rante qua­renta e três anos, du­rante os uais fundou muitas igrejas e pro­moveu a cons­trução de vá­rios mosteiros. († 684).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em 685, Santo Audoeno, bispo de Ruão. Dedicou-se à causa monástica ajudando São Vandrilo a fundar a Abadia de Fontenelle, e São Filiberto a de Jumièges. (M).

– No VIDAS DOS SANTOS, Santo Audoeno, Bispo de Ruão. Ver páginas 188-191: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

4.   No monte Olimpo, na Bi­tínia, hoje na Tur­quia, São Jorge Limniota, monge, que cen­surou a im­pi­e­dade do im­pe­rador Leão III por ter des­truído as sa­gradas ima­gens e lan­çado ao fogo as re­lí­quias dos Santos; por isso foi-lhe cor­tado o nariz e quei­mada a ca­beça por ordem im­pe­rial, e assim com a glória do mar­tírio foi ao en­contro do Senhor. († c. 730).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no Oriente, perto de 770, São Jorge Liminiota, monge que sofreu torturas por defendido o culto das santas imagens. (M)

5.   Em Lima, no Peru, o dia natal de Santa Rosa, cuja me­mória se ce­lebra no dia anterior. († 1617)

6*.   Em An­gers, na França, o Beato André Far­deau, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, em ódio ao sa­cer­dócio foi degolado. († 1794)

7.   Em Ná­poles, na Cam­pânia, re­gião da Itália, Santa Joana An­tida Thouret, virgem, que pros­se­guiu a vida re­li­giosa, in­ter­rom­pida du­rante a Re­vo­lução Fran­cesa, jun­ta­mente com al­gumas com­pa­nheiras, que em Be­sançon agregou a si na nova So­ci­e­dade das Irmãs da Ca­ri­dade, des­ti­nada à for­mação cristã e civil da ju­ven­tude, à as­sis­tência de ca­ri­dade para as cri­anças de­sam­pa­radas e ao cui­dado dos po­bres e dos en­fermos; ex­pirou afec­tada por grandes tribulações. († 1826).

– Ver “… Joana Antida Thouret, em francês Jeanne-Antide Thouret (Sancey-le-Long27 de novembro de 1765 — Nápoles24 de agosto de 1826), foi uma freira francesa que é santa católica, ao ser perseguida pelos anticlericalismo da Revolução Francesa, e que mesmo assim conseguiu fundar uma congregação de Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo em Besançon.

O Papa Pio XI canonizou-a em 1934…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Joana_Antida_Thouret

8.   Em Mar­selha, na França, Santa Emília de Vialar (também na Folhinha do Coração de Jesus), virgem, que, na in­tenção de for­ta­lecer a di­fusão do Evan­gelho em re­giões lon­gín­quas, fundou e pro­pagou a Con­gre­gação das Irmãs de São José da Aparição. († 1856).

– Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Marselha, em 1856, Santa Emília de Vialar, virgem, fundadora da Congregação das Irmãs de São José da Aparição, que se dedicam ao serviço dos doentes e dos pobres. Por ocasião da fundação de um hospital na Argélia, os próprio árabes reconheceram o sinal da caridade de Cristo naquela obra. (M).

– Ver páginas 197-199: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf  

9.   Em Va­lência, na Es­panha, Santa Maria Mi­caela (também na Folhinha do Coração de Jesus) do San­tís­simo Sa­cra­mento (Mi­caela Des­maisières), virgem, fun­da­dora da Con­gre­gação das Es­cravas do San­tís­simo Sa­cra­mento e da Ca­ri­dade, que, mo­vida pela sua in­can­sável te­na­ci­dade e de­sejo ar­dente de salvar almas para Deus, de­dicou a sua vida à re­cu­pe­ração das jo­vens mo­ral­mente ex­tra­vi­adas e das meretrizes. († 1865).

Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Valência, na Espanha, no ano de 1856, Santa Maria Micaela, que se dedicou às mulheres arrependidas de Madri e fundou para elas a Congregação das Servas do Santíssimo Sacramento da Caridade. (M)

– Ver “… Maria Micaela do Santíssimo Sacramento, baptizada Micaela Lopez Desmaissières e Dicastillo (Madrid1 de Janeiro de 1809 – Valência24 de Agosto de 1865), é uma santa da Igreja Católica, oriunda de uma família da aristocracia espanhola, fundadora da Congregação das Adoradoras Escravas do Santíssimo Sacramento e da Caridade…”: https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Micaela_do_Sant%C3%ADssimo_Sacramento

10*.   Em Tulcan, no Equador, a Beata Maria da Encarnação (Maria Vi­centa Rosal), que fundou a Ordem Beth­le­mita, des­ti­nada es­pe­ci­al­mente a pro­mover a dig­ni­dade da mu­lher e formar cris­tã­mente as jovens. († 1886)

11♦.   Em To­ledo, na Es­panha, o Beato José Polo Benito, pres­bí­tero da di­o­cese de Sa­la­manca e mártir, que foi as­sas­si­nado em ódio à Igreja. († 1936)

12♦.   Em Peñas de San Pedro, perto de Al­ba­cete, também na Es­panha, o Beato Ri­go­berto Aqui­lino de Anta y de Bárrio, pres­bí­tero da di­o­cese de Múrcia e mártir, que deu a vida por Cristo na mesma perseguição. († 1936)

13♦.   Em Ma­drid, também na Es­panha, o Beato Félix Gon­zález Tejedor, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que, du­rante a mesma per­se­guição, morreu por causa do seu co­ra­joso tes­te­munho da fé. († 1936)

14♦.   Em Má­laga, também na Es­panha, o Beato Ma­nuel Fer­nández Ferro, pres­bí­tero da So­ci­e­dade Sa­le­siana e mártir, que na mesma per­se­guição der­ramou o seu sangue por Cristo. († 1936)

15♦.   Em Gijón, também na Es­panha, o Beato João Pérez Rodríguez, pres­bí­tero da Ordem de Santo Agos­tinho e mártir, que na mesma per­se­guição morreu pro­fes­sando a sua fé em Cristo. († 1936)

16*.   No campo de con­cen­tração de Da­chau, pró­ximo de Mu­nique, ci­dade da Ba­viera, na Ale­manha, o Beato Ma­xi­miano Bin­ki­ewicz, pres­bí­tero e mártir, que, du­rante a guerra, de­por­tado pelos sol­dados in­va­sores da Po­lónia, sua pá­tria, por causa da sua fé em Cristo, fa­leceu ví­tima dos tor­mentos e su­plí­cios su­por­tados no de­su­mano cativeiro. († 1942)

17*.   Em Dresda, na Ale­manha, os be­atos Ceslau Jozwiak, Edu­ardo Kaz­mi­erski, Fran­cisco Kesy, Edu­ardo Klinik e Ia­rog­nievo Woj­ci­e­chowski, már­tires, na­tu­rais da Po­lónia, que, na mesma per­se­guição, foram en­car­ce­rados e, tres­pas­sados por golpes de bai­o­netas, con­su­maram o martírio. († 1942)

18. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, em Cartago, no século III, o martírio de Trezentos Cristãos, que preferiram morrer queimados na cal viva em nome de Cristo a queimar incenso aos ídolos vãos. (M).

– Ver também página 200: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

– Ver “…   260 St. Massa Cândida grupo de mártires. Em Cartago, trezentos santos mártires, na época de Valeriano e Galieno. Entre outros tormentos infligidos a eles, uma cova cheia de cal ardente foi preparada por ordem do governador, que, carvões vivos com incenso sendo trazidos a ele, disse aos confessores: “Escolha uma destas duas coisas: ou ofereça incenso a Júpiter sobre essas brasas, ou ser jogado na cal.” Armados com fé e confessando que Cristo é o Filho de Deus, eles rapidamente se lançaram na cova e, em meio aos vapores da cal, foram reduzidos a pó. A partir dessa circunstância, esta companhia de benditos vestidos de branco ganhou para si o nome de Missa Branca.”: https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust24.html

19. Conforme o Martirológio Romano-Monástico, no séc. VI, São Patrício, que viveu na solidão e oração na Diocese de Nevers. Diversas localidades, ainda hoje, têm o seu nome. (M)

20. Outras santas e santos do dia 24 de agosto: págs. 188-201, em: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%20-%2015.pdf

Rohrbacher, Padre – VIDAS DOS SANTOS – Volume XIII – Editora das Américas – 10 de julho de 1959

“E em outras partes, muitos outros santos Mártires, Confessores, Virgens, Santas e Santos”.

R/: Demos graças a Deus!”

OBSERVAÇÃO: Transcrito acima conforme os textos da bibliografia: português de Portugal, por ex., ou português da época em que o livro foi escrito.

– Sobre 24 de agosto, ver ainda: 24 de agosto – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

BIBLIOGRAFIA:

  1. MARTIROLÓGIO ROMANO – Secretariado Nacional de Liturgia –Portugal http://www.liturgia.pt/martirologio/
  2. MARTIROLÓGIO ROMANO ITALIANO – Editore: LIBRERIA EDITRICE VATICAN – A © Copyright by Fondazione di religione Santi Francesco di Assisi eCaterina da Siena, Roma, 2004 ISBN 978-88-209-7925-6 – PÁGINAS  664-666: Via Internet: https://liturgico.chiesacattolica.it/wp-
  3. VIDAS DOS SANTOS – PADRE ROHRBACHER – Abaixo o vol 1. São 22 volumes, sendo 20 volumes em PDF; 2 volumes não estão em PDF: Vol. 10 e 11: http://obrascatolicas.com/livros/Biografia/VIDAS%20DOS%20SANTOS%2 0-%201.pdf
  4. Martirológio Romano-Monástico – adaptado para B
  5. rasil – Abadia de S. Pierre de Solesmes – Mosteiro da Ressurreição, Edições – 1997
  6. Martirológio Romano – Editora Permanência – Rio de Janeiro, 2014 – Livrariaon line – www.editorapermanencia.com
  7. Folhinha do Coração de Jesus – virtual – aplicativo para celular.
  8. https://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayAugust24.html

DIVERSOS (OBSERVAÇÕES, CITAÇÕES E ORAÇÕES)

* Senhor, nosso Deus e Pai amado, obrigado por tudo o que o Senhor nos tem dado e permitido viver!

Querida Mãe Virgem Maria, socorra-nos, proteja-nos

São José, Anjos e Santos, intercedam por nós! Obrigado! Amém!

PAI AMADO, DÊ-NOS A GRAÇA PARA LUTAR COM ENTUSIASMO

E FORÇA DE VONTADE,

POR MEIO DA ORAÇÃO, ESFORÇO E TRABALHO,

MESMO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS E ESPINHOSAS,

PARA ALCANÇAR AQUELA PERFEIÇÃO CRISTÃ

DE BONS COSTUMES E SANTIDADE!

LIVRA-NOS DA CERVIZ DURA E DO CORAÇÃO EMPEDERNIDO!

EM NOME DE JESUS, NA UNIDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO!

AMÉM!

* MUITO MAIS PODE SER ACRESCENTADO A ESSA LISTA DESANTAS, SANTOS E MÁRTIRES. ACEITAMOS SUGESTÕES. CONTATE-NOS, POR GENTILEZA:

barpuri@uol.com.br

* SANTAS E SANTOS DE DEUS, INTERCEDAM POR NÓS! AMÉM!

“O maior jejum é a abstinência do vício” (Santo Agostinho)

“Nos vemos no Céu. Viva Cristo Rei! Viva sua mãe, a Virgem de Guadalupe!” (últimas palavras do jovem mártir São José Sánchez del Rio,lembrado em 10 de fevereiro)

“Ó meu Deus, “sabeis que fiz tudo quanto me foi dado fazer.” (últimas palavras de São João Batista da Conceição Garcia, 14 de fevereiro). Que essas palavras sejam também as nossas, quando o Pai amado nos chamar. Amém!

“Senhor, não permita que eu entristeça o Divino Espírito Santo que o Senhor derramou sobre mim na Confirmação. Divino Espírito Santo me inspire, me guie para que eu sempre lhe dê alegria! Peço-lhe, Senhor, Pai amado, por Jesus Cristo,na unidade do Divino Espírito Santo! Amém!” (baseado na Coleta Salmódica após o Cântico Ez 36,24-28 do sábado depois das cinzas de 2021)

Jesus me diz: “Filho (filha), eu estou com você!”

“Os santos são uma “nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça”, mostrando-nos que a vida de perfeição cristã é possível.

(conforme: Saint of the Day (lngplants.com)

ou

Saint of the Day May 20 (lngplants.com)

“…santo é aquele que está de tal modo fascinado pela beleza de Deus e pela sua perfeita verdade que é por elas progressivamente transformado…” (Homilia de Beatificação de Padre Manoel e o Coroinha Adílio, lembrados em 21 de maio)

* Dia 23 de junho: SÃO JOSÉ CAFASSO: “Meios de se preparar para uma boa morte: na primavera de 1860 Dom Cafasso previu que a morte o levaria durante o ano. Ele redigiu um testamento espiritual, ampliando os meios de preparação para uma boa morte que tantas vezes expôs aos retirantes de Santo Inácio, a saber, uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado…”: http://www.lngplants.com/Saint_of_the_DayJune23.html

* Pai amado, dê-nos a graça de nos prepararmos bem para a morte vivendo uma vida piedosa e justa, o desapego do mundo e o amor a Cristo crucificado. Amém!

* PAI, ABRACE-NOS! JESUS, ACOLHA-NOS EM SEU CORAÇÃO!

DIVINO ESPÍRITO SANTO, NOS UNA!

MÃEZINHA MARIA, VELE POR NÓS!

EM NOME DE JESUS, PAI! AMÉM!

* Ver o blog https://vidademartiressantasesantos.blog/E

MUITO OBRIGADO!